Page 1

FF S “Que todos sejam um”

15ª Edição – Maio de 2012

Pág 2

Atualidades Anencéfalos, quem tem direito sobre suas vidas?

Campanha do agasalho, você já contribuiu?

Pág 5

Pág 4

Especial Devoção a Nossa Senhora das Graças Pág 8

SForquilhinhas ACOLÃO Rua Otto Julio Malina, 617 - Barreiros - São José - SC TELE ENTREGA

3258-9502

Rua N. Sra. Aparecida, 580 - Jd. Eldorado - Palhoça - SC TELE ENTREGA

Aceitamos construcard

3242-3974

3259-6107

Rua Ver. Arthur Mariano,764 Forquilhinhas - São José - SC TELE ENTREGA

3343-2580

R: VEREADOR ARTHUR MANOEL MARIANO


2

Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Maio de 2012

Capa

Mãe, um presente precioso de Deus! Para falar deste precioso presente, traremos uma pequena história do livro “Histórias para Aquecer o Coração das Mães”, contada por uma mãe: “As crianças nos ensinam coisas novas todos os dias. Eu já tinha ouvido dizeres isso, mas foi só quando me tornei mãe que me dei conta da dimensão desse ensinamento. Quando minha filha tinha seis meses, parecia estar sempre olhando para cima, procurando alguma coisa. Acompanhando seu olhar, descobri a magia das folhas dançando nas árvores e o movimento das nuvens no céu. Com oito meses, ela olhava para baixo, enquanto eu a empurrava no carrinho. Percebi, então, que cada pedra é diferente, que as rachaduras nas calçadas fazem desenhos interessantes e as folhas da grama têm verdes diversos. Quando ela fez onze meses, aprendeu a dizer 'Uau!', palavra que usava maravilhada, ante qualquer coisa nova e deslumbrante, como a variedade de brinquedos do consultório do pediatra ou o acumulo de nuvens negras antes de uma tempestade. Ela falava baixinho 'Uau!' para coisas que realmente a impressionavam, como o sopro do vento no seu rosto ou um bando de pombos levantando voo. E, finalmente, o máximo em matéria de 'Uau!' era sua boquinha aberta, mas sem emitir som, reservado para ocasiões realmente surpreendentes, como o pôr-do-sol num lago depois de um lindo dia ou

Homenagens da matéria do dia das Mães

“Minha mãe é um exemplo de fé e perseverança, e confia “Minha mãe é o alicerce da nossa família, como Maria está muito na providência divina, onde Deus sempre provê o que sempre dizendo “sim”, nos apoiando e ajudando, é uma mulher necessitamos. Agora como mãe tento passar os ensinamentos de fibra, coragem e muita fé. Mãe nós amamos você! Obrigada à minha filha, pois é desde criança que se ensina a ter fé e uma por ser este exemplo de mãe e cuidar de todos nós. Marido, vivência cristã. A fé é a melhor herança que uma mãe pode Filho, Filhas, Netos, Genros e Nora.” deixar aos seus filhos. Sou muito feliz por pertencer a uma Luana Ferreira – Forquilhinhas família cristã!” Deisiane Teixeira – Los Angeles

“A minha mãe é importante por sempre estar ao meu lado no dia-a-dia, me ajudando nas decisões que tomo para a minha vida, e também me guiando e mostrando que a fé e a esperança são alicerces essenciais para a vida.” Fernando Kahl – Forquilhinhas

fogos de artificio no céu de verão. Minha filha me ensinou muitas formas de dizer 'Eu te amo'. Quando tinha catorze meses e estávamos abraçadas, ela, com a cabecinha em meu ombro, suspirou fundo e disse: 'Feliz'.

Num outro dia, já com dois anos, olhou uma modelo em uma revista e perguntou: 'É você, mamãe?'. Uma vez, já com três anos, enquanto eu lavava a louça perguntou: 'Posso ajudar?'. Logo depois, colocou a mão no meu braço e

"É difícil falar, porque minha mãe é uma pessoa incrível, ela arruma tempo para tudo: para Deus, família e trabalho." Natalha Roberta Back – Picadas do Sul

falou: 'Mamãe, se você fosse pequena, eu queria ser sua amiga!'. Em momentos assim, tudo que posso dizer é 'Uau!'.” Não existe ninguém como uma mãe. Nossas

mães nos deram vida, amor, e buscam o melhor para nós, não importando qual a nossa idade. Elas jamais deixam de ser mãe. Não há como descrever em poucas linhas esta dadiva. Que Deus abençoe você, mãe!

Jornal Folha de São Francisco Publicado por Paróquia São Francisco de Assis Rua Artur Mariano, nº880 - Forquilhinhas/SJ - SC CNPJ:83.932.343/0053-42 Produzido pela pastoral da comunicação Contato - folhadesaofrancisco@gmail.com


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Maio de 2012

Comunidade

3

Dizimistas aniversariantes do mês Lenoir José Barbosa, Floriana da Rosa Hammes, Inês Schuch Vilvert, Alvaro Frederico de Souza, Maria Luiza Spricigo Pulceno, Maria de Lourdes Souza Teixeira, Maria da Glória de comunidade. Souza, Graziela Mara Schmitt, Ainda nesta edição Moacir Florindo, Olivia de Oliveira da Silva, Maria Judite trouxemos um assunto polêRosa Brito, Ida Margarete Krause, mico que só pode ser expliGema Maria Martarelo, Izolete cado através do amor, os Constante, Terezinha Jenck dos Santos, Tatiana Ferreira Martins, bebes anencefalos e o seu direito a vida, somente Cleer da Silva, João Salésio da Silveira, Angelita dos Santos Deus tem poder sob a vida Martins, Miriam Regina Moreira humana, por isso devemos Maria, Anastácia Celmira Koerich amar a todos, sem distinção Prim, Ludianara Alice da Silva, sem privilégios! Amar é ser Maria Custódia dos Anjos Santos Eiroff, Ademir da Luz, Maria dos cristão sempre, é construir Santos, Sirlei M. E. Cunha, Osni o reino de Deus aqui na ter- Joaquim de Souza, Palmira de Fátima Possas Arruda, Gilmar ra, vamos defender e lutar Brito, Luci Daura Bittencourt pelo amor! Vamos nos Zimmermann, Manoel José de amar! Medeiros, Ana Carolina da Silva Inácio, Roberto Carlos Korb, Maria Gertrudes C. de Melo, Ivo Celito Mazzucco, Denilde Ferreira Domingues, Antonio Carlos Junckes dos Santos, Alvacir Januário Lourenço, Ver Lucia da Silveira, Simone da Silva Machado de Medeiros, Nadir Linhares da Silva, Vilson Gaspar da Cunha, Sueli Ramos Tech, Ademir Hahn, Manoel do Nilo Rosa, Ivo Hoffmann, Elisabete Koerich, Jaime Hoffmann, Sony Terezinha Franz, Neide D. Cristoni, Maria Alcinéia Ferreira de Matos, Pedro Antônio Firmino, Arlindo Rodrigues da Silva, Nilton César Maria, Odir da Silva, Ademar Prange, Vilma Souza Florindo, Nelson Trindade da Izolete Huntmann Back Silva, Zenaide E. M. Silveira, obstáculos são superados e Salete Alflen Shweitzer, Eduardo S. Weber, João Francelino da com amor, tudo se torna Cunha, José H. Pereira, Oziel da mais fácil. “Deus nos auxilia Silva, Roberto Rivelino Ezequiel, em tudo, em todas as nosDilza Brunn Gorges, Sandra sas ações (...) e, quando nos Silvana Lessa, Maria Salete Alves, sentimos fracos, na hora do Jacques Amorim Buz e Maria cansaço, Jesus é bondoso, Aparecida Leal Dutra.

EDITORIAL Como poderíamos descrever o amor ao próximo? Doação? Perdão? Caridade? Paciência? Ou talvez, todos esses sentimentos juntos? Bom, é exatamente assim que acreditamos ser, uma vasta combinação de sentimentos que é traduzido e expressado de várias formas, fala-se do amor de Deus e por Deus, do amor de mãe, do amor de filho, do amor de homem e mulher, do amor à humanidade... Enfim o amor guia e constrói todas as relações humanas.

Queridos amigos, estamos falando de amor, pois esta edição do FSF vem mostrar e refletir as diferentes formas de expressar o amor ao próximo. Nossa matéria principal este mês homenageia carinhosamente todas as mães de nossa comunidade, as mulheres que Deus especialmente escolheu para serem nossas guias, e que nos aceitaram e amaram desde sempre, nossos sagrados presentes de Deus. Amor de mãe une

Neste mês das mães tivemos a alegria de conversar com Izolete Huntmann Back, que além de realizar diversas tarefas na Capela Santa Isabel, é casada, mãe de dois filhos, e por sinal, muito zelosa, pois acredita que o papel de uma mãe é amar, educar, cuidar, acariciar, corrigir, conversar, enfim, saber guiar o seu filho. Natural de Alfredo Wagner, onde residiu até o final de sua adolescência, lembra-se de algumas pessoas que a marcaram como, por exemplo, sua catequista, também chamada Izolete, que era uma senhora muito querida; e sua primeira professora, chamada Natalha, uma senhora que mesmo tendo muitas dificuldades, criou muito bem seus cinco filhos. Admirada pela força de vontade e fé de sua primeira professora, resolveu homenageá-la registrando sua filha com o

mesmo nome. Junto de sua família, no ano de 1980, mudou-se de Alfredo Wagner para Picadas do Sul, para a casa onde até hoje reside. Iniciou suas atividades na comunidade no ano de 2000 quando, por convite de Lédio Coelho, assumiu a secretaria da Igreja e tornou-se membro do CAEP, atual CPC, no qual já desempenhou e exerceu muitas funções. Dois anos após iniciar suas atividades voluntárias na Igreja, no ano de 2002, o Padre Manuel dos Santos a convidou para ingressar na Escola Ministerial, situada na Palhoça, para que, futuramente, pudesse realizar o trabalho de ministra em sua comunidade. Secretária, ministra, membro do CPC, coordenadora de liturgia e tantas outras funções que já desempenhou e desempenha na Capela de Santa Isabel, Izolete divide-se entre

paciência, perdão, doação completa, alegria, generosidade e ainda mais dezenas de sentimentos que se revelam a cada cuidado a cada ”ruguinha de” preocupação. Refletindo a função social do FSF revelamos outras maneiras de amar, expressadas através da caridade que segundo São Luiz Orione é a única forma de salvar o mundo, por isso pedimos a doação de roupas e agasalhos para os necessitados de nossa

os trabalhos na Capela e na sua Igreja doméstica, sua casa, onde todos de sua família realizam trabalhos em diferentes pastorais. Mesmo tão atarefada, não acredita em dificuldades, pois com força de vontade, tudo se aprende, todos os

misericordioso, e nos dá força para continuar”.

Deus Abençoe a Todos! Persianas Cortinas Papel de Parede Colchas Almofadas Colchões

Parcelamento 10x sem juros (48) 3047 2287 / 9642 4257 Rua Francisco de Assis, 314 Forquilhinhas - São José/SC


4

Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Maio de 2012

22 de abril de 1984,quando o Beato João Paulo II entregou o símbolo da jornada,a Cruz da jornada, nas mãos dos jovens dizendo: "Meus queridos jovens, na conclusão do Ano Santo, eu confio a vocês o sinal deste Ano Jubilar: a Cruz de Cristo! Carreguemna pelo mundo como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade, e anunciem a todos que somente na Jornada Mundial da Neste encontro tem is de música e atividades se dirigem a um lugar destimorte e ressurreição de CrisJuventude (JMJ) é um encon- nado para compartilhar a catequeses, testemunhos, culturais do lugar aonde esta to podemos encontrar a saltro onde milhares de jovens maior coisa em comum entre partilhas, exemplos de amor sendo sediado por exemplo. vação e a redenção". católicos, do mundo inteiro, eles: a fé e o amor de Deus. ao próximo e à igreja, festivaA JMJ teve início em A Cruz da jornada e o

Seguindo o exemplo de São Luiz Orione, o Jornal Folha de São Francisco vem até você, para lhe fazer um apelo neste inverno, em prol da vida, do amor e do bem do nosso próximo. Sabemos que nos dias atuais a caridade e o amor fraterno são as “armas” mais poderosas para possibilitar vida digna a todas as pessoas. Nós como cristãos seguidores da palavra de Cristo, devemos perceber a dor e o sofrimento do próximo e oferecer toda a ajuda que for necessária. Então que neste inverno percebamos as necessidades da nossa comunidade e possamos ajudar. Como já apresentamos no FSF, temos em nossa Paróquia uma pastoral que olha diretamente para as necessidades da comunidade, a ação social, que está sempre buscando ajudar a quem precisa, mas para que

isso seja possível, é necessária a colaboração de todos. Por isso, pedimos novamente a sua doação, neste inverno doe roupas e calçados para crianças e adultos que estejam em bom estado, essas roupas aquecem nossos semelhantes, e oferece mais dignidade a vida de quem precisa. Estamos juntos nesta campanha, deixe sua doação na secretária da igreja Matriz, ou na capela onde você e sua família participam. Leitores, nossa ação social é uma obra de grande valia, ela ajuda semanalmente diversas famílias cadastradas, ou não, se você tiver interesse em ajudar essa obra converse com o nosso Pároco. Por fim fiquemos com as palavras de São Luiz Orione: “A caridade deve ser o nosso ímpeto e o nosso ardor; somos apóstolos da caridade de Jesus Cristo.”.


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Maio de 2012

E se Deus quiser os

de jovens

do

No Brasil, o aborto era liberado apenas com pedidos na justiça e dependia do juiz deixar ou negar o pedido, esses pedidos eram de famílias que a mãe, na maioria das vezes adolescentes, teria sido violentada ou quando as mães corriam risco de vida nas gestações delicadas. Em abril foi votado no Supremo Tribunal Federal a lei que descriminaliza o aborto de fetos anencéfalos (que são fetos que não tem cérebro ou só tem uma parte dele), esta lei diz que se for confirmado o caso de fetos anencéfalos a mãe e a família poderão ter a escolha entre abortar ou não em qualquer hospital licenciado para fazer este procedimento. Dois dos oito ministros que defenderam a aprovação da lei disseram que “fetos anencéfalos não tem vida” e que “não cabe impor as mulheres o sentimento de mera incubadora, ou melhor, caixões ambulantes”; Pois eles tem vida SIM, se não tivessem vida eles não res-

ponderiam a estímulos externos, o coração não bateria e não viveriam por muito tempo como em alguns casos, que pode variar de horas e até anos vivendo e

dando alegria aos pais e a família que aceitam os filhos do jeito que eles são. Este caso de má formação dá para ver na vida

5

intrauterina assim como outras deficiências, a família quando sabe dessa má formação no cérebro, ela procura por informações e sabe que esses bebês podem

Só Deus dá a vida, assim como somente ele pode tirá-la, não se pode de repente decidir que você não quer um filho que tenha má formação e querer aborta-lo; Abortar um feto, por exemplo, de sete meses É A MESMA COISA que matar seu filho que nasceu prematuro de sete meses, o único diferencial é que o bebê que você abortar você não está vendo, e seu filho que já nasceu você está vendo. Deus sabe o que é melhor para cada um, se for para o bebê viver apenas algumas horas assim será, mas se for para ele viver durante anos assim ele fará, todavia ele só pode fazer o que é melhor para todos se a família aceitar seu filho do jeito que ele é, pois não se precisa ficar muito tempo no mundo para fazer diferença durar apenas horas, mas tam- na vida dos seus familiares e aqueles que o cercam. bém podem durar anos “Eu vim para que tenham como em alguns casos espalhados pelo Brasil e pelo mun- vida e a tenham em abundo. dância.” (Jo. 10,10).

Dia 14 de abril, foi marcado pela alegria do Grupo de Oração Jovem Magnificat, de Forquilhinhas, que levou às ruas, pelo segunda vez, a campanha do abraço.

Dia 15 de abril, aconteceu em Forquilhinhas, o Dia de Misericórdia. Com pregação de Isaías, fundador da comunidade Coração Novo, do Rio de Janeiro, o dia contou com a presença de mais de 300 pessoas.


6

Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Maio de 2012

Entretenimento

Evangelizar por amor a Deus e em favor dos irmãos “Ai de mim, se eu não anunciar o evangelho.“ (1 Cor – 9, 16). Quanta honra em escutar aqueles que se doam pelo bem! Quanta honra em escutar Rose Medeiros evangelizar por meio das ondas amigas da terceira rádio AM mais ouvidas na grande Florianópolis, as terças, das 20h às 22h! Estas duas frases que iniciam nossa conversa são de autoria do editor desta matéria, que acompanha, assim como muitos, os trabalhos desta mulher, que empresta sua voz, a fim de levar a Palavra de Deus o mais longe possível. Deus concedeu à Rose, a capacidade de unir palavras, formando frases, que chegam às casas de muitas ouvintes já há 12 anos. Seu trabalho de evangelização no rádio teve início no ano de 2000, nas frequências da Rádio Gazeta de São José, seguindo para Rádio Santa Catarina, que fora alugado pela Comuni-

Rose Medeiros

dade Divino Oleiro, que hoje é proprietária e administradora da Rádio Cultura, onde atualmente Rose é a apresentadora oficial do programa Recado de Deus. Criada dentro da igreja, Rose é filha do casal Laudelino Medeiros (in memorian) e da Sra. Maria do Carmo Medeiros, onde esta é participante da

Legião de Maria e do Apostolado de Oração. Dona Neném, como é mais conhecida, criou seus dez filhos literalmente dentro da igreja, já que foi durante muito tempo zeladora da igreja Matriz do centro histórico de São José. Rose, seguindo os passos de sua mãe, já durante a juventude doava-se intensamente aos

serviços da igreja, por meio da pastoral da catequese, pastoral da juventude e em consequência, missionária da região nordeste do Brasil. Atualmente, além dos trabalhos na Rádio Cultura, dedica-se à pregação da Palavra de Deus em toda a região da grande Florianópolis e Estado, juntamente com seu esposo Romeu,

que além de ser Ministro Instituído da Comunhão e estar se preparando para ser diácono da Igreja Católica, é coordenador da RCC na comarca de São José. No mesmo ritmo dos pais, Hiago, filho único do casal, inicia sua caminhada. Hoje, aos 15 anos, é coroinha na comunidade de Campinas, participante do Grupo de Oração Jovem Sopro de Vida e estuda música para futuramente cantar os louvores do Senhor. Finalizando nossa conversa, Rose nos deixa um recado: “A exemplo de Maria, digamos o nosso Sim com compromisso e procuremos imitar os passos do Seu filho. Não é fácil! Exige de nós a cada dia unir-se ao céu pela Oração e leitura da Palavra.”, e segue citando Mt 10 – 38-39 “Aquele que não toma sua cruz e não me segue não é digno de mim. Aquele que acha a sua vida, a perderá, mas quem perde sua vida por causa de mim, a achará”.


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Maio de 2012

Ser Igreja

O

mês de maio é lembrado sempre como um mês romântico, onde a feminilidade está presente. Comercialmente, é muito ressaltado também, pelo dia das mães, segundo domingo de maio. Mas, além destas lembranças, não podemos nos esquecer de Maria, a noiva e esposa de São José, a Mãe Santíssima do Filho de Deus, Jesus Cristo. Para a criação desta matéria, recorremos aos materiais do Programa Palavra Vida, transmitido na Rádio Cultura, apresentado pelo professor Carlos Martendal. Em seu programa de

25/05/2011, o professor trouxe alguns textos, dos quais destacaremos, para nossa reflexão, parte do livro de Dom Murilo, “Com Maria, a Mãe de Jesus”. A paráfrase do texto se segue abaixo: Em dezembro de 1940, com a aproximação do Natal, um grupo de prisioneiros se perguntava: O que poderia ser feito para que a festa não ficasse esquecida? Das conversas, surgiu a ideia de criar-se uma encenação, mas quem poderia escrevêla? Do grupo, fazia parte o filosofo Jean-Paul Sartre, que na época, já era mundialmente

conhecido e confessadamente ateu. Ele assumiu a incumbência e descreveu no Auto natalino, os sentimentos de Maria Santíssima, a partir da boca de um cego, e é descrito a seguir: “A Virgem está comovida e contempla o menino. O que se deveria escrever a respeito do seu rosto é que expressa uma ansiosa admiração que se faz presente apenas uma vez em uma face humana. Afinal, Cristo é seu filho, carne de sua carne e fruto de suas entranhas. Trouxe-o no ventre durante nove meses, oferecerlhe-á o seio, e o seu leite se tornará o sangue de Deus. Algumas vezes a

jurando-lhe fidelidade. Em 1902 entrou para a ordem dos frades capuchinhos de Morcone, onde passou a ser chamado de Frei Pio de Pietrelcina. Passou por momentos de angústia, Na cidade de Pieem oração e conectado pois sofria de vários males trelcina, Itália, no ano de com Deus. Os pais do menino e era diversas vezes tenta1887, nascia Francisco queriam lhe proporcionar do, mas acreditava que Forgione, um dos cinco Deus estava o testando. filhos de Horácio Forgione um bom futuro e, para Sempre firme na isso, o matricularam em e Maria José de Nunzio. sua missão, Pio, entregaEstes constituíam uma uma escola, na qual busa família muito modesta, cou não só o conhecimen- va-se inteiramente Deus, todos os seus temoto, mas, também, uma que retirava do trabalho na lavoura o seu sustento, melhora pessoal. Ao res extinguiam-se, pois mesmo tempo, relaciona- era grande sua confiança porém, mesmo vivendo em Nosso Pai, porém, em um ambiente simples, va-se com as atividades desprovido de luxos, não da Igreja, onde maravilha- sempre recorria à nossa do pela grande dedicação mãe e intercessora Maria, deixavam de zelar pelos e humildade de São Fran- a qual demonstrava granbons valores. Desde cricisco de Assis, resolveu de apego: “Eu desejava ança, Francisco, gostava tê-lo como exemplo, ter uma voz bastante do silêncio, de manter-se

Caminho para o céu...

Artes em corel em geral Criação de sites Panfletos Convites Cartões

arte.vrt@gmail.com

tentação é tão forte que a faz esquecer que é Deus. Aperta-o entre os braços e diz: Meu Menino!”. Em outros momentos, porém, fica tolhida e pensa: “Eis Deus aqui”, e é tomada por um religioso temor por aquele Deus mudo, por aquele menino que incute medo. “Mulher alguma pôde jamais, [...] possuir deste jeito o seu Deus somente para si, um Deus menino que se pode tomar nos braços e cobrir de beijos, um Deus cálido que sorri e respira, um Deus que se pode tocar e que ri”. forte para convidar todos os pecadores do mundo inteiro a amar Nossa Senhora. Mas como isto não é possível, tenho rezado e rezarei para que o meu anjo faça por mim este trabalho” (Frei Pio). O servo fiel, estigmatizado, possuindo os sinais da crucificação de Cristo e das suas dores, modesto e conhecido por muitos, por seu jeito simples, que a todo o momento falava da grandeza de seu Senhor, partiu para encontrar-lhe no ano de 1968. Frei Pio, exemplo de fé e coragem em Deus e em nossa Mãe Celeste, Maria, rogai por nós!

7

Objetos Sagrados Entenda como cada celebração é preparada

Olá amigo leitor! Este mês o catequizando começa uma série de textos que abordarão o tema, objetos sagrados. Percebendo, que este assunto ainda gera muitas dúvidas, resolvi abordá-lo aqui no catequizando nos próximos meses. Ao conjunto de objetos litúrgicos usados nas celebrações, dar-se o nome de Alfaias. Portanto, templo, altar, sacrário, imagens, livros litúrgicos, vestes e paramentos, e todos os objetos devem manifestar a dignidade da missa, que, como expressão viva de fé, identifica-se com a natureza de Deus, a quem o povo, congregado pelo Filho e na luz do Espírito Santo, adora "em espírito e verdade". Como acabamos de sair da semana Santa e nestas celebrações são utilizados quase todos os objetos sagrados, escolhi começar pelos que mais se destacam nestes dias. São eles: O Incenso, o Turíbulo e a Naveta. O Incenso utilizado desde o início da Igreja como símbolo de fé e oração, também é utilizado nas horas Santas. Ele simboliza a oração dos santos, que sobe a Deus, ora como louvor, ora como súplica. A Naveta é o pequeno vaso onde se transporta o incenso nas celebrações litúrgicas. E o Turíbulo é o vaso utilizado para as incensações. Estes objetos são utilizados em celebrações litúrgicas especiais, como por exemplo, na Sextafeira Santa.

Franciane Dutra Fotografias 8427-7805

franciane.maciel.dutra@gmail.com


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Maio de 2012

Especial O silêncio é o tema central da mensagem enviada pelo Papa Bento XVI, ao Dia Mundial da Comunicação 2012, que será celebrado no dia 20 de maio. Com o título "Silêncio e palavra: caminho de evangelização", a mensagem destaca a importância da aproximação destes dois valores para a boa comunicação, já que é através do silêncio que Deus fala com o homem. Em uma sociedade onde o grande fluxo de informações é uma constante, o silêncio apresentase como um elemento de contrariedade, porém essencial, já que favorece a dimensão do discernimento e do aprofundamento. O silêncio pode ser considerado o primeiro passo para o acolhimento da palavra. Nesta mensagem, o Santo Padre, ressalta que o silêncio e a palavra são "dois momentos da comunicação que se devem equilibrar, alternar e integrar entre si

Mês de maio é o mês de Maria, a mãe do menino Jesus. Para celebrar, este mês, a equipe do Jornal Folha de São Francisco, vai transcrever a história de Fé e agradecimento do casalSr. José J. (Juca) e Dona Terezinha Silva Kretzer. Dona Terezinha, sempre foi fiel às atividades da igreja. Mãe de 4 filhos, estando a frente das atividades de nossa paróquia, ora como catequista, ministra da eucaristia, participante do movimento de irmãos ou coralista, sempre demonstrando zelo e carinho. Nesta edição, não nos prenderemos a contar detalhes da vida, mas traremos a história da Gruta que o casal tem, em seu sítio, na cidade de Angelina. A história tem início com uma graça recebida por

8

para se obter um diálogo autêntico e uma união profunda entre as pessoas". Destaca ainda que o silêncio é parte integrante da comunicação e elemento constituinte para sua qualidade, pois sem ele, não há palavras ricas em conteúdo. “Palavra e silêncio. Educar-se em comunicação quer dizer aprender a escutar, a contemplar, para além de falar; e isto é particularmente importante para os agentes da evangelização: silêncio e palavra são ambos elementos essenciais e integrantes da ação comunicativa da Igreja para um renovado anúncio de Jesus Cristo no mundo contemporâneo. A Maria, cujo silêncio 'escuta e faz florescer a Palavra' (Oração pela Ágora dos Jovens Italianos em Loreto, 1-2 de Setembro de 2007), confio toda a obra de evangelização que a Igreja realiza através dos meios de comunicação social.

Dona Terezinha, quando no dia 22 de agosto de 2005, através de um feixe de luz, ela teve a alegria de ver Nossa Senhora, mostrando

o local onde deveria ser construída uma gruta. “Tive a alegria de ver através de um lindo raio de luz, a Mãezinha do Céu. Ela mostrou-

Deus, aquela linda visão que tive , incentivou meu marido a iniciar os trabalhos, e um dia depois, no dia 23 de agosto, iniciamos a construção da gruta, que foi inaugurada no dia 18 de março de 2007”. Finalizando esta bela história, fazemos um convite a você, para ir conhecer o Recanto da Paz e o Cantinho da Nossa Senhora que fica no sítio do casal, a três quilômetros do centro de Angelina, de quem vem em direção a São Pedro de Alcântara, pela estrada que liga os dois municípios. A gruta fica bem ao lado da estrada e é facilmente reconhecida já que um belo portal com os me o lugar que deveria ser construída a gruta dos meus dizeres “Gruta Nossa Senhora das Graças”, dá as sonhos, que desde 1998 eu boas vindas. “Nossa Senhovinha pedindo para meu ra está de braços abertos marido fazer. (...) Graças a esperando por você!”.

Jornal Maio 2012  

Jornal Maio 2012