Issuu on Google+

FF S

Folha de São Francisco

“Que todos sejam um”

10ª Edição – Dezembro de 2011

Dom Wilson começa a missão PROGRAMAÇÃO DAS CONFISSÕES 14/12 - SÃO SEBASTIÃO 15/12 - SÃO JOÃO BATISTA (FORQUILHAS) 16/12 - SANTO SARAIVA 19/12 - NOSSA SENHORA DE FÁTIMA (LISBOA) 20/12 - NOSSA SENHORA RAINHA DA PAZ (LOSANGELES) 21/12 - NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS (P. DO NORTE) 22/12 - SANTA IZABEL (P. DO SUL) 23/12 - MATRIZ Aproximadamente 4 mil pessoas compareceram ao Ginásio de Esportes do Colégio Catarinense no feriado da proclamação da república, 15 de novembro, para acompanhar a posse de Dom Wilson, quinto bispo e sexto arcebispo da Capital.OBS: AS COFISSÕES INICIARÃO Pág. 4 ÀS 20H.

Natal é tempo de preparar o coração para receber Jesus Menino!

Catequisando: A Nossa Família Sagrada Seja!

Pág. 2

Sempre haverá Natal enquanto a Fé, a Esperança e a Paz estiverem em nossos corações. Desejamos a todos os nossos amigos e clientes um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. São os votos de FELIPE MÓVEIS PLANEJADOS SOB MEDIDA.

Advento, a espera do Salvador Pág. 8

Pág. 7

Oportunidade de em

prego!

A Empresa Felipe Móv eis sob Medida, precisa de Ajudante de Marceneiro maior de 18 anos. Interessados, tratar co m Enori telefone (48) 3357-155 pelo 5

Família Paulina -100 anos de história Pág. 5

Em frente a igreja de forquilhinhas

Rua Ver. Arthur Mariano,764 Forquilhinhas - São José - SC TELE ENTREGA

Aceitamos construcard

3343-2580


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Dezembro de 2011

2 Capa 25 de Dezembro, Nasce o Cristo Celebrar o Natal

Messias, o Senhor” (Lc 2, 10). “Muitas vezes e de muitos Natal é festa da modos no passado, falou alegria porque Deus nos fala Deus aos nossos pais, pelos diretamente. Jesus veio em profetas. Nestes dias, que Seu nome para estar no são os últimos, falou-nos meio de nós. Este nascimenpor seu Filho, a quem fez to, significa o compromisso herdeiro de todas as coisas radical de Deus com a e pelo qual também criou o humanidade. Ele ama o ser universo”. ( Hb 1,1) humano e por isso se faz homem. Em meio à escuriAo cainharmos pela dão da noite, que bem rua escura, podemos notar, representa a angústia, a focos de luzes que despon- injustiça, o desespero e a tam de cada varanda. Eles violência, surge a redenção: apagam e acendem, anunci- um menino nos foi dado, diz ando o Natal que se aproxi- o profeta, Ele nos ma. redimirá. Festa do otimismo No Natal, a Igreja em relação ao homem. proclama os evangelhos do Deus assumiu nossa histónascimento de Jesus. São ria, caminha conosco, belos e poéticos, pela temos portanto a esperança singeleza e humanidade de que a história da humanique apresentam. Estão dade chegará a bom destientre os textos mais belos no. Tudo terminará bem, da Sagrada Escritura. Não só apesar da confusão causada pelos sentimentos que pelo pecado. despertam em nós, mas, Assim, somos principalmente, pela fé e convidados a acreditar no esperança que inspiram. Ao ser humano. Se Deus ama lê-los podemos concluir: meu próximo, eu também Deus é bom! devo amá-lo, apesar de As narrativas do tudo. E devo empenhar-me nascimento de Jesus são para que todos tenham vida alguns dos textos mais e vida em abundância, importantes da bíblia. Por como o fez Jesus. isso, este mês, o refletiremos segundo três pontos. De graça recebeste, de graça daí Festa da alegria Tudo foi feito por O anjo disse aos amor, dom gratuito. A pastores: “Não tenham gratuidade é tudo o que medo! Eu anuncio para você faz por amor sem vocês a Boa Notícia, que esperar nada em troca, será uma grande alegria nada mais que o amor, para todo o povo: hoje na quando o outro assim o cidade de Davi, nasceu para desejar. Jesus fez tudo por vocês o Salvador, que é o amor ao Pai, por amor à

SForquilhinhas ACOLÃO 3259-6107

Humanidade. Fez tudo para cumprir a vontade do Pai, para trazer salvação aos seres humanos e, assim, alegrar o Pai. A gratuidade é característica do Natal. É o amor que dá sentido a todas as coisas, e amor não se compra nem vende. O amor não se cansa de fazer o bem e se cansa, ama o cansaço. Embora o Natal tenha se transformado em um grande comércio, impulsionados pelo consumismo desenfreado. Não podemos perder de vista o Natal como festa da gratuidade. É daí que brota a perfeita alegria porque: “Há maior alegria em dar do que em receber” (At 20,35). Nosso espírito de doação, deve se dirigir em primeiro lugar aos pobres, a exemplo de Jesus. Eles foram seus primeiros convidados para o acolherem no seu nascimento, e para acolher o Evangelho quando começou a evangelizar: “Fui enviado para evangelizar os pobres” (Lc 4,18). Tudo o que Deus tinha de mais precioso, partilhou conosco. Somos chamados a partilhar também. É tempo de simplicidade O primeiro a ser simples foi o Menino Jesus. Quanta simplicidade naquela nasceu fora da casa, porque lá dentro não havia lugar para ele! No estábulo ele nasceu, ali, onde os animais estão junto à casa, ficam protegidos do

com fidelidade no caminho do amor-serviço. Quanto tempo se ganharia em nossas comunidades, quanta paz haveria e tanto mais alegria se vivêssemos a simplicidade que o Natal nos inspira! E aqui seria preciso que todos a vivamos a exemplo dos personagens dos relatos evangélicos. Reparemos que ninguém fala, a não ser os anjos. Maria e José contemplam em silêncio, cheios de fé e disponibilidade, cuidando do menino. Os pastores adoram o menino em silêncio, cheios de gratidão, os magos em silêncio lhe oferecem presentes. Todos agem mais que falam, porque o amor verdadeiro inspira mais ações que palavras. Somente do silêncio de quem contempla e adora, pode brotar o perfeito louvor que o Natal nos pede. Deus é bom, sejamos nós também bondosos para com todos. Este será o louvor perene que brotará de nosso coração habitado pelo Menino Jesus, que certamente fez sua morada. À todos um feliz e santo Natal!

Pe. Roberto

Jornal Folha de São Francisco Publicado por Paróquia São Francisco de Assis Rua Artur Mariano, nº880 – Forquilhinhas/SJ – SC CNPJ: 83.932.343/0053-42 Produzido pela pastoral da comunicação Contato – folhadesaofrancisco@gmail.com

Colabore com este projeto Dança de Salão Dança Gaúcha Street Dance

Dança do Ventre Ballet

3035-1886 / 8411-7784 R: VEREADOR ARTHUR MANOEL MARIANO

frio da noite. Nasceu e foi colocado na manjedoura, o cocho no qual os animais se alimentam. O céu contempla em silêncio cósmico esta loucura do amor de Deus. Em Filipenses 2, São Paulo, escreve da seguinte forma: “Ele tinha a condição divina, mas não se apegou à sua igualdade com Deus. Pelo contrário, esvaziou-se a si mesmo assumindo a condição de servo, tornando-se semelhante aos homens. Assim, apresentando-se como simples homem” (Fl 2, 6). O mais impressionante no Natal é celebrar a majestade divina na sua kénosis, no seu rebaixamento. Este é um mistério profundo, que somente tem sentido para os que já entraram no dinamismo do Reino de Deus. Dos que já estão no processo de conversão, dos que já estão se tornando santos e crêem que Jesus os redimiu. Estes não lutam mais pelo poder, pela honra, para serem os primeiros e os mais importantes, nem sequer lutam para obter afeto dos outros e serem os mais queridos. Lutam somente para cumprir a vontade de Deus, e a vontade de Deus é que aceitemos Jesus e o sigamos

Rua Delemar José da Silva, 254 - Kobrasol

Jazz Axé

8814-9584 / 8409-5885

folhadesaofrancisco@gmail.com


Comunidade

Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Dezembro de 2011

3

Dizimistas aniversariantes do mês

Como sabemos os coroinhas são aquelas crianças que auxiliam o padre nas Celebrações Eucarísticas. Cada postura, gesto, reverência têm um sentido litúrgico dento da missa, nesta edição do Jornal vamos pincelar um pouco sobre o trabalho da equipe dos coroinhas dentro de uma celebração solene. Inicialmente é importante destacar que toda Celebração é perfeita e completamente sagrada pelo ato da Consagração, no entanto, em algumas datas especiais somos convidados a participar da missa cujo rito é solene. Nas missas solenes além dos coroinhas, temos no altar também o cerimoniário. Este se torna o responsável pela celebração, precisa obrigatoriamente estar atento a tudo o que acontece no altar, e fora dele também, e permanecer perto do celebrante. Também existem outras

Maria Felipe de Pinho, Lazário Leopoldo, Iza Manfio, Sonia Maria de Souza, Rosalina Silveira Coelho, André Luiz de Souza, Maria Salete da Silva Müller, José Ludgério de Souza, Merilucia Haertel da Silva, Mara Rubia de Souza, Rose B. G. Amaral, Maria Dalva Coelho, Luzia M. Steimbach, Ivonete Laudelina da Rosa, Sérgio Irineu dos Santos, Edilie Martins Damásio Monteiro, Andréia Regina Hoffmann, Claudio Schwanbach, Maria Geralda de Morais, Cirene Souza Bitencourt, Maria Aparecida de Araujo Almeida, Rodineli Cller Salvador, Jeanice Souza de Pinho, Clara Rodrigues dos Santos, Valmilhe Maia de Oliveira, José Carlos da Silva, Vladimir Lelis da Silva, Pedro Leocadio, Odair Leite, Ilma Carlota dos Santos, Mariléia Teresinha Girardi, Irene da Silva Kahl, Lucemar Lucio dos Santos, José Ovidio Hammes, Maria Onilde Pauli, Carlos Luiz de Melo, Osny Gomes Becker,Jania Luzia Santos Cardoso, Lucia Helena de Lima, João Junckes, Elza Alves Martins, Andreia Celia Lourenço, Terezinha Silva Kretzer, Rodrigo Berlick Apolloni, Alcir João Boaventura Pereira, Maria Aparecida da Silva Pacheco, Sérgio Kalbusch, Irece Goulart Ferreira, Elisabete de Aquino, Carolina Zilma gonçalves, Marino Francisco Coelho, Luiz Armando de Almeida, Catarina Rosa de Pinho, Odair João Medeiros, Maria L. Antonio, Alcino Querino Apelião, Lourdes Regin Bento Hoegenn, Margarete Hause Pereira, Célio dos Santos, Adelia Maria de Lima, Adelaide Gesser Kuhn, Maria Almerinda Izi, Cati Realino Bunn, Odilon V. Cristoni, Alberto Steimbach, Iverlete Rios Coelho, Gildo Martarelo, Nadir Maria Shütz, Terezinha Hames da Silva, Catarina Adriana de Siqueira, Viviane da Silva, Pedro D. da Rosa, Valmir João Pereira, Raulino Felipe Seemann, Marcia Regina Machado Borges, Iracema Luzia Martins

funções dentro do rito solene, onde os coroinhas se tornam responsáveis por objetos litúrgicos e suas funções. Têm as velas que iluminam a leitura do evangelho e da Consagração, a cruz que acompanha a entrada e a saída do padre, o librifero que contem as orações do dia, e finalmente o turibulo e a naveta que incensam e purificam o altar, os fieis, a Eucaristia, o padre etc. Junto aos coroinhas e cerimoniário, a equipe de formadores e coordenadores também trabalha nas missas solenes, seja fazendo o fogo, cuidando das crianças, limpando os objetos ou organizando as entradas. Assim percebemos que durante um rito Eucarístico solene existem diversos momentos sagrados, que nos ajudam a viver a liturgia e o encontro com Jesus. “Subam até vós, ó Senhor, as nossas orações e as nossas ofertas como nuvens de incenso.”

Deus Abençoe a Todos!

sobre a grandeza em servir o Senhor, passou a participar do grupo de coroinhas, comunidade de Forquilhas. auxiliando o então pároco, Oésle cursa Pedagogia na Pe. Ari Mathias, a servir o USJ nas fases finais, é altar do Senhor. A partir do funcionário da Prefeitura ano 2001, incentivado por Municipal de São José, sua catequista de crisma catequista de 1º e 2º anos “Silvaninha”, passou a da crisma e membro ativo trabalhar com os jovens do da equipe liturgia. Carolini, Crisma, onde trabalha até também é catequista, os dias de hoje, tendo porém de 1ª Eucaristia. formado, pelo menos, 10 O despertar pelas turmas. Participou dos coisas de Deus, veio cedo na grupos de jovens Novo vida de Oésle. Quando com Horizonte (Forquilhas) e 10 anos, após sua primeira Jovens Unidos de Deus, JUD Eucaristia, tendo como (Los Angeles), do qual foi catequista a Sra. Monica coordenador e onde Pauli, que sempre falava conheceu Carolini.

A paixão de fazer mais pela Igreja “João Paulo II foi um grande exemplo para mim. Suas palavras aos jovens seus gestos serenos e fiéis, tornaram-se exemplo para que o trabalho com jovens, seja desse da forma que ocorre hoje”. Oésle, catequista de crisma de Forquilhas. Nesta edição, temos a alegria de apresentar-lhes um pouco da história dos jovens Oésle Luiz Alexandre e Carolini de Souza, noivos, jovens e catequistas da

Oésle Luiz Alexandre e Carolini de Souza, catequistas da comunidade de Forquilhas

“Hoje, sinto-me feliz por olhar para traz e ver todo o trabalho realizado e feliz também por poder compartilhar das alegrias, hoje com minha noiva, que foi a

partir deste que nos conhecemos e firmados na alegria de poder trabalhar pela comunidade juntos.” finaliza Oésle.

Colabore com este projeto 8814-9584 / 8409-5885

folhadesaofrancisco@gmail.com


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Dezembro de 2011

Atualidades

4

Cerimônia festiva com mais de 4 mil pessoas marcou a chegada do novo bispo

O antecessor no bispado de Florianópolis, Dom Murilo Krieger, primaz da Igreja no Brasil, foi um dos celebrantes. Junto dele Dom Vito Schlickmann, bispo-auxiliar emérito da Arquidiocese e Dom Lorenzo Baldisseri (Núncio Apostólico), representante do Vaticano no Brasil. Além de outras autoridades eclesiais, 165 padres e 70 diáconos, acompanharam a celebração. Momento Solene

Começando a missão Na homilia (reflexão conduzida pelo presidente da celebração), presidida pelo agora bispo, Dom Wilson, o assunto tratado foi o evangelho das Bodas de Canaã. Comparando ao “vinho novo de festa”, o arcebispo, falou do comportamento dos jovens nos dias atuais, das drogas, da violência e das alegrias “vazias” do mundo de hoje. Destacou a importância da verdadeira alegria, dentro

COMERCIAL LUPANA

3357-3137

Dom Wilson Tadeu Jönck em sua missa de posse das instituições familiares e também dentro da Igreja, nas vocações, leigas e religiosas. “Também na Igreja de Florianópolis queremos caminhar como quem está disposto a escutar as palavras de Cristo [...]” Finalizou. Ao final da celebração de posse, Dom Wilson pediu a aos jovens para que sejam testemunhos de fé e portadores da Palavra de Deus. E ainda fez um convite, para a juventude de Florianópolis, disse, que aguarda todos na Jornada

Mundial da Juventude de 2013, no Brasil. “ E isso que esperamos dessa nova missão, um vinho novo de festa para todos nós saborearmos juntos, desta alegria. As famílias necessitam de muito cuidado. Vou gostar de trabalhar com os jovens, é desafiador, mas o resultado é muito gostoso”, após estas palavras, Dom Wilson desceu a escada que dava acesso ao altar. Com este gesto, Dom Wilson dava inicio a missão. Roberto Rivelino Ezequiel

O repertório especialmente selecionado pelo padre Ney Brasil, ganhou vida e beleza nas vozes dos 300 coralistas, responsáveis na celebração de posse do novo bispo. A cerimônia iniciou as 9h30m e empossou Dom Wilson Tadeu Jönck, como sexto bispo e quinto arcebispo da Capital. Aproximadamente 4 mil pessoas compareceram ao Ginásio de Esportes do Colégio Catarinense. Entre elas, a mãe do bispo e os oito irmãos.

Roberto Rivelino Ezequiel

Roberto Rivelino Ezequiel

Dom Wilson Tadeu Jönck

Antes do rito de posse, pe. João Francisco Salm e Dom Vito, saudaram Dom Lorenzo e Dom Wilson. Na sequência, Pe. Sérgio Giacomelli, decano (mais antigo) do Colégio dos Consultores, fez a leitura solene da Bula Pontifícia. “(...) chega aqui com a esperança viva de prosseguir no caminho que o Espírito Consolador lhe indicou”, disse Dom Lorenzo, em seu pronunciamento antes da posse. Como símbolo do novo compromisso de missão, Dom Lorenzo passou às mãos do nosso novo arcebispo o báculo (comparação ao cajado utilizado pelos pastores, para conduzirem o rebanho). Em seguida, Dom Wilson sentou-se na cátedra, cadeira episcopal. Assumindo, naquele momento, o seu ministério como novo Arcebispo.

Dom Wilson Tadeu Jönck em sua missa de posse

Colabore com este projeto 8814-9584 / 8409-5885

folhadesaofrancisco@gmail.com Rua Vereador Manoel Mariano, 1117


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Dezembro de 2011

Atualidades

5

Cem anos de Evangelização No dia 20 de agosto, foram iniciadas as festividades em comemoração ao centenário da congregação Paulina. Que utiliza a imprensa e os meios tecnológicos para levar a Palavra de Deus aos fieis. Em uma noite fria, do ano de 1900, Padre Tiago Alberione, ao rezar, pressentiu que, além dele, outras pessoas estariam dispostas a Evangelizar o mundo moderno. os meios. Esse objetivo foi e Em 20 de agosto de é alcançado todos os dias. A 1914, na Itália, fundou a congregação Paulina está congregação Paulina, sempre divulgando a tendo como objetivo, Palavra de Deus através de evangelizar através da jornais, revistas, livros e dos Imprensa, anunciar Jesus a mais novos meios tecnolótodos os povos, por todos gicos, ela leva ao mundo a

comunidades nas cidades de São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, Caxias do Sul e Rio de Janeiro.

Palavra e os valores deixados por Cristo. Chegaram ao Brasil, em 1931, os padres da Congregação Paulina, Xavier Boano e Sebastião Trosso, com uma nova maneira de evangelizar,

Dia 15 de novembro, feriado da

levar a palavra através da comunicação social. A primeira comunidade Paulina foi fundada na cidade de São Paulo, posteriormente, espalhando esse trabalho de evangelização pelo país. Há

A Congregação completará cem anos de história, cem anos levando a mensagem de amor e paz, levando a história de Cristo. Por este motivo, serão três anos de preparação e festividades para a grande comemoração do centenário em 2014. Nós, cristãos e comunicadores sociais, devemos reconhecer e parabenizar a congregação por esse belo trabalho. Por conseguir evangelizar, levar a Palavra de Deus a todos, através dos meios de comunicação.

O Grupo de Oração Jovem Magnificat, de

república, nossa arquidiocese

Forquilhinhas, participou

compareceu em peso ao

nos dias 12 e 13 de

ginásio do colégio Catarinense,

novembro, do Encontro

para receber Dom Wilson

Regional da Juventude 2011,

Tadeu Jönck que assumiu o

realizado no Centro de

posto de Arcebispo de

Evangelização Angelino Rosa,

Florianopólis no lugar de Dom Vitus Schlickmann. Nossa pastoral estava presente e registrou este momento.

no complexo Vila do Divino Oleiro, em Gov. Celso Ramos. Foram dois dias de muita oração, que fortaleceu ainda mais os jovens de nossa comunidade.

Colabore com este projeto 8814-9584 / 8409-5885

folhadesaofrancisco@gmail.com


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Dezembro de 2011

Entretenimento

6

Padre Tiago Alberione apóstolo da comunicação Tiago Alberione nasceu a 4 de abril de 1884, em São Lourenço de Fossano, no norte da Itália. Foi o quinto filho de uma modesta família de agricultores e cristãos praticantes. A saúde frágil do pequeno Tiago deixava sua mãe em constante estado de preocupação. Por causa disto, ela sempre recomendava seu filho, aos cuidados de Nossa Senhora das Flores. De modo particular, rezava, para que a Virgem encaminhasse um de seus filhos ao sacerdócio. Para ela, seria uma grande alegria. Aos seis anos de idade, frequentando a escola, sua professora primária, lhe fez a pergunta:

“O que você quer ser quando crescer?” A essa pergunta ele respondeu sem titubear: “Quero ser padre!”. Nutrido pelo desejo de ingressar no seminário, Tiago viveu um tempo de serenidade, muito estudo, leituras, orações e incentivo de seu pároco. No ano de 1895, ingressou no seminário de Brá, e em 1900 chegou ao seminário diocesano de Alba. Concluídos os estudos, foi ordenado presbítero em 29 de junho de 1907. Padre Alberione, após um período de experiência em paróquia e como diretor espiritual do Seminário de Alba, assumiu, em 1913, a pedido do

bispo local, a direção do jornal diocesano Gazzetta D'Alba. A nova função veio ao encontro de seu ideal: evangelizar e fazer o bem com um meio que atingisse não só as pessoas que frequentavam as igrejas, mas também as distantes. Este foi o início da concretização de um desejo antigo. Quando tinha 16 anos, na noite da passagem do século dezenove para o século vinte, enquanto rezava na Catedral de Alba diante da Eucaristia, pensou seriamente no que faria para a humanidade no novo século. Com o passar do tempo as ideias foram-se tornando mais claras, e em

Pâmela da Rosa

PP Pedrinho Postes

Arquiteta e urbanista CREA/SC 075.886-0

Postes Serviços de guindastes Fretes

3034-7028 / 9622-1184

9995-7008 / 3034-7028

Pe. Tiago Alberione

20 de agosto de 1914 funda 2003. Além dos Paulinos, a Pia Sociedade de São fundou as Paulinas, as Paulo, conhecida no Brasil Discípulas do Divino como Padres e Irmãos Mestre, as Pastorinhas, as Paulinos. Padre Tiago Apostolinas, quatro Alberione faleceu em 26 de Institutos e a União de novembro de 1971, e foi Cooperadores Paulinos. beatificado pelo Papa João Paulo II, em 27 de abril de Fonte: www.alberione.org

Persianas Cortinas Papel de Parede Colchas Almofadas Colchões

(48) 3047 2287 / 9642 4257 Rua Francisco de Assis, 314 Forquilhinhas - São José/SC

Colabore com este projeto 8814-9584 / 8409-5885

folhadesaofrancisco@gmail.com


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Dezembro de 2011

Ser Igreja

7

A Nossa Família: Sagrada Seja! “Amai-vos uns aos outros como Eu vos tenho amado” (Jo 13,34)

Alacoque, em 1686: “Darei às pessoas devotas do meu Sagrado Coração, todas as graças que necessitarem”, “Os Salvação no Coração de Jesus e Maria pecadores acharão em meu Coração a fonte e o Vemos o coração disse sim ao Senhor. oceano infinito da misericomo símbolo de pureza, Quanta pureza e fé, Maria, córdia”. Além de doar-se símbolo do amor. demonstrou ao crer em por nós, Cristo abre seu Acreditamos que nele Deus. A partir desse coração para curar todo o estão muitas de nossas momento, Maria tornounosso sofrimento, para angústias, sonhos, espese ainda mais pura, elevou nos livrar do pecado, para ranças e paixões. Este é seu coração a Deus e termos consciência de sua um pensamento muito através d'Ele, passou a ter grande misericórdia e limitado, ainda mais, um coração ainda mais amor por nós. quando falamos do virtuoso, dotado de amor Os Sagrados Sagrado Coração de Jesus e misericórdia, um coraCorações de Jesus e Maria e do Imaculado Coração ção Imaculado. são, sem dúvidas, a prova de Maria. Prometeu Jesus, do verdadeiro amor. Amor Maria, jovem quando apareceu para a este que não fere, não mulher corajosa que, Freira Margarida Maria de causa estresse, nem

Caminho para o céu...

arrependimentos humanos. É o amor divino, aquele que conforta, tudo cura e perdoa. Neste caso, o coração deixa de ser apenas mais um símbolo, ele representa o amor, a forma de alcançarmos a salvação e a Deus, através de Jesus e Maria. Quando se precisa de conforto, quando se precisa de um verdadeiro amor, não devemos nos desesperar, devemos nos entregar a Jesus e Maria, devemos confiar em seus corações que são fonte de vida e salvação.

Colabore com este projeto 8814-9584 / 8409-5885

folhadesaofrancisco@gmail.com

Ao se aproximar o Natal, as famílias começam a preparar os seus lares para receber Jesus, o menino. Contudo, nos preparemos para receber toda a família. E tenhamos sempre o coração aberto, para amar os que chegam desprevenidos. No ano de 1883 o papa Leão XIII instituiu na Igreja a Novena à Sagrada Família. Que tem como objetivo restaurar e alimentar as famílias, através da oração e do amor. Ao ler o Ângelus, em uma manhã de domingo, em 2008, o Papa Bento XVI refletiu sobre a Sagrada Família e assim dizia: "Jesus quis nascer e crescer numa família humana; teve a Virgem Maria como Mãe e José como pai, que o educaram com imenso amor. Eis porque a família de Jesus merece ser chamada 'santa', totalmente imbuída do desejo de cumprir a vontade de Deus, encarnada na adorável presença de Jesus". Sendo assim, segundo fala a Palavra de Deus, e o Santo Padre confirmou, toda família pode ser santa. Através das orações, novenas, Santas Missas e não esqueçamos as confissões. Digamos sempre, Jesus, Maria e José Nossa Família vossa é!


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Dezembro de 2011

Especial

8

Advento, tempo de preparação para a chegada de Jesus É chegada a hora de nos prepararmos para a vinda de Jesus. Um momento de reflexão da fé e das nossas ações, podemos novamente ter esperança, afinal, Jesus chega com a mensagem de que ainda há tempo, para o amor fraterno, e a paz entre os homens. O advento marca esse momento da fé cristã, onde iniciamos o ano litúrgico, somos convidados a esperar Jesus, vivendo estas quatro semanas que antecedem o natal. A coroa do advento é o primeiro anuncio do natal, comunica que naquele local onde esta a coroa, cristãos se preparam e esperam por Jesus com alegria. O círculo da coroa simboliza a aliança, entre Deus e os homens. Também a coroa de espinhos que fora colocada em Jesus, os ramos verdes comunicam a

esperança em Deus, e a fita vermelha fala de sangue e amor e nos recorda ao sacrifício da cruz. As quatro velas do advento são acesas a cada novo domingo, em honra a Deus, a grande luz do mundo, mas também nos recordam o perdão, os Profetas, Maria Santíssima, e o nascimento do Salvador. Com essa riqueza de símbolos, somos convidados a viver intensamente o natal de Jesus, seu nascimento, e também renovar a esperança e a fé na promessa de vida eterna. Assim, ao limpar e enfeitar nossos lares, somos convidados a viver de verdade do natal, limpar nossos corações, renovar o amor entre nossos irmãos, nos confessar, buscar o encontro com Jesus na Eucaristia, e viver a alegria pura em Cristo Jesus. Coroa do Advento

Festividades de Cristo Rei “Tu és Rei?” Pergunta Pilatos, diante do tribunal. “Tu o dizes, eu sou rei. Para isso nasci e vim ao mundo, para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta minha voz” (Jo 18,37). Na paixão de Cristo, momento em que Cristo entrega sua vida por amor, e em tantos outros momentos, escutamos, Ele, dizer que é rei, não deste mundo, mas de outro. No ano de

1925, o Papa Pio XI instituiu a festa em honra ao Cristo Rei. Essa festa tem por objetivo ressaltar a importância de Cristo em nossas vidas, e relembrar o quão majestoso é Ele. A festividade de Cristo Rei era realizada no final de outubro, após a revisão do ano litúrgico, devido ao seu significado e o impacto na vida dos fiéis, passou a ser celebrada no último domingo do ano litúrgico, que este ano foi no

Artes em corel em geral Criação de sites Panfletos Convites Cartões

dia 20 de novembro. Participar da festividade nada mais é que nos deixar guiar pelo inevitável, ter um encontro pessoal com Cristo. Entregar - se a Ele, pois foi Ele quem se entregou por nós, para livrar-nos de todo o pecado. O último domingo do ano litúrgico marcou o final de mais um ano em que Jesus Cristo nasceu. Deu testemunho do Reino dos Céus, sofreu, morreu, ressuscitou e ascendeu aos

Ts

céus com a promessa de um dia voltar. Ou seja, revivemos toda a história de Cristo, todos os momentos, e agora chegamos ao fim de mais um ano. Pois, quando se iniciar o advento um novo ano surgirá, partindo do princípio, o nascimento de Cristo. Jesus Cristo é Rei e está presente em cada dia de nossas vidas, mas, muitas vezes, nos esquecemos d'Ele. Por isso, antes que o ano litúrgico acabe e

nos preparemos para o Natal, temos a chance de nos reencontrarmos com Cristo. É tempo de arrepender - nos por tudo aquilo que fizemos e que nos afastou dele, temos a oportunidade de expressar o nosso amor à Cristo, assim como Ele fez tantas vezes. Quando celebramos Cristo Rei, estamos nos redimindo, nos entregando a Jesus, o Rei dos Céus.

Franciane Dutra Informática & Telecomunicações

Manutenção em micros e rede estruturada

Fotografias

8427-7805 / 8857-2725

O sucesso é uma conseqüência, não um objetivo!

arte.vrt@gmail.com

franciane.maciel.dutra@gmail.com


jornal dezembro