Issuu on Google+

R$Free

Um findi com AndrĂŠ Sarate

A correria do DJ no final de semana.

Diversidade de estilos Clubs investem em noites com diferentes estilos. A moda das DJs O que elas usam em suas gigs.


EDITORIAL

Sempre à frente, sempre melhor! A temporada de inverno promete ser forte no sul do país! E não estou falando só do frio tremendo que castigou o RS e SC entre junho e julho... As baladas que estão chegando na estação gelada aqui na ponta do país, com certeza vão fazer você esquecer a friaca, sair de casa para se aquecer e badalar nas festas confirmadas que você só encontra no Fly by Night. Nesta segunda edição da FBN Mag vamos dando sequência a mais um projeto nosso que veio com o intuito de promover, valorizar e expandir as marcas e os negócios do mercado de entretenimento de qualidade do RS e SC. A revista cresceu: no número de páginas (de 28 para 44 paginas), em conteúdos qualificados, na tiragem (passamos de 5.000 para 10.000 exemplares) e na abrangência, já que teremos a distribuição de 4.000 exemplares da revista em SC. Além disso, alguns dias após o início da circulação da revista impressa entra no ar a versão online da revista com alguns conteúdos EXCLUSIVOS da versão digital, no www.fbnmag.com.br, acessível também em smartphones e tablets. André Sarate, FBN Players, editorial de moda com as DJs gaúchas, diversidade de estilos musicais, início de carreira... estes são só alguns dos assuntos bacanas que você vai curtir aqui, aproveite! Boa leitura! Maicon Buttenbender Diretor do Grupo FBN maicon@flybynight.com.br

FBN Mag | Edição 2

Grupo FBN:

Tiragem: 10.000 exemplares | Distribuição gratuita Jornalista Responsável: Rani Vargas Publicação de frequência incerta e aleatória Distribuição: Rio Grande do Sul e Santa Catarina Projeto Gráfico: Vert Design Impressão: Gráfica Coan Contato comercial: comercial@flybynight.com.br

Conecte-se:

Um produto Fly by Night Promoção e Entretenimento Ltda.

twitter.com/flybynightrs

www.flickr.com/photos/fbnfotos

www.facebook.com/siteflybynight


COLUNA

O Inverno... por Xandi P.

O inverno é a estação mais charmosa do ano, em que todo mundo se joga pro Sul a fim de curtir o frio… Mas nem só no RS dá pra curtir esse clima! Nosso colunista Xandi P. dá as dicas para aproveitar também em SC. “Não sei por quê, mas tenho a impressão de que muitos ainda acham que a relação do estado de Santa Catarina com festas e grandes eventos acontece apenas na alta temporada do verão. Quem pensa desta forma está muito enganado, pois com um ritmo cada vez mais forte, diríamos crescente, as maiores casas aqui de Balneário Camboriú (Warung e Green Valley), dividem os finais de semana do ano inteiro trazendo os melhores DJs do mundo para cá. Claro que nesta época do ano elas abrem com uma frequência menor do que a do verão, mas abrem sim, e lotam a sua capacidade, na maioria das festas. Florianópolis também não para e segue a todo o vapor com festas no P12 e Pacha mensalmente. A Confraria, também na capital, tem agenda semanal.

Inadmissível não falar aqui do maravilhoso weekend que foi o Winter Play, em Jurerê Internacional, no mês de junho. Ótima estrutura e DJs nos eventos, os hotéis oficiais estavam impecáveis e o publico veio de todo o Brasil. Saindo para o interior temos casas como o Amazon Club, em Chapecó que a cada 15 dias leva uma top atração nacional ou internacional. A casa vem ganhando prestígio de toda a região oeste catarinense. Na serra temos uma grande festa chamada Entrevero do Moha, que neste ano aconteceu em junho e levou nada mais nada menos que Milk and Sugar como atração principal. Ano que vem eles partem para a oitava edição, que reúne mais de 6 mil pessoas na cidade de Lages. Bom, claro que aqui relatei apenas alguns eventos, talvez até os eventos no qual tenho mais contato. Com certeza temos muitas outras festas e outras casas que vamos deixar para comentar em uma próxima oportunidade. Aproveitem Santa Catarina!”


COLUNA

O que curtir na Serra Gaúcha. por Fran Bortolossi

Inverno chegou, e é inevitável não relacionarmos as temperatudas baixas com o clima aconchegante encontrado na Serra Gaúcha, a qual se torna um dos princípais pontos turísticos do Brasil. As paisagens tomadas pela geada ao amanhecer, a lareira acesa, ou os diversos festivais e festas típicas da região atraem multidões anualmente. Para não ficar de fora, o mercado noturno também borbulha opções para tirar todos de casa. Seja nos tradicionais clubs de Caxias do Sul, ou na famosa temporada do Festival de Cinema de Gramado, o roteiro da Serra Gaúcha sempre é lembrado pelos baladeiros no inverno. Diversos eventos marcaram o encerramento do Festival de Cinema de Gramado, como Ibiza, Exxpo com tenda da Fulltronic, Coca-Cola Vibezone e Festa Cores. Atualmente, as festas mais cobiçadas são o weekend que leva a assinatura da Green Valley, e o tradicional Winter Festival, que rola no Serrano. Além desses dois eventos, ainda acontecerá uma festa privada da Pink Elephant.

Já em Caxias do Sul, os Clubs que continuam atraindo o público são o La Barra, Havana Café, e Pepsi Club. Para quem está se programando para conhecer algum deles, ou mesmo voltar para lá após uma boa balada, vale extender um pouco mais a estadia e aproveitar a gastronomia local. Como n ã o p o d e r i a s e r d i f e re n t e , a gastronomia típica é italiana, e bons restaurantes são facilmente encontrados. Galeteria Di Paolo, Galeteria Alvorada e Pizzaria Giordani são alguns dos tradicionais restaurantes caxienses. Além deles, os dinners clubs Havana e La Barra t a m b é m o f e re c e m u m a ó t i m a gastronomia. Fugindo um pouco do tradicional, uma boa pedida para quem gosta de cozinha oriental é o Umai-Yoo.

VERSÃO ON-LINE EXCLUSIVO


Um findi com André Sarate A correria do DJ nos finais de semana por Rani Vargas

São quase 10 anos de carreira, uma média de 15 gigs por mês, 16 semanas entre as mais pedidas na rádio com uma música e 100 mil acessos no Youtube com outra. Todos estes números resumem um único artista: André Sarate, o #1 do RS (eleito pelo FBN Players 2010)!


Além de DJ, há um tempo ele se jogou nas produções e conquistou ainda mais sucesso. Sua versão para “Shine Forever” caiu nas graças do público e entrou na programação da Rádio Atlântida e no top 10 da emissora – posto nunca antes conquistado pela música eletrônica. Já o videoclipe do remix de “Going Wrong” ultrapassou as expectativas do próprio artista, ganhando espaço na case de Kaskade durante toda sua última turnê no Brasil, e alcançando milhares de acessos na internet. No site do renomado selo Defected foi citado como um dos grandes destaques do Brasil: “DJs like André Sarate... are making crowds go insane”. Somando tudo isso, o carisma e o jeitão “boa praça” fazem, definitivamente, com que Sarate seja o queridinho da vez nas pistas da região Sul do Brasil. Acompanhamos o cara durante um final de semana para mostrar como é a rotina de um DJ com a agenda super concorrida. Sarate começa ressaltando que, de segunda a sexta, tem uma vida bem normal. O tempo é corrido, mas dividido entre produções em estúdio, as funções na Melody (agência e produtora em que é sócio), família, namorada, amigos, lazer, academia, pesquisas e tudo mais. Nossa participação na agenda do cara foi no final de semana de 10 e 11 de junho, quando ele tinha duas datas expressivas na programação. Na sexta-feira, dia 10, a tarde foi como de costume na Melody. Acompanhamos ele na saída por volta das 18h, quando parte pra casa e se prepara para a festa de aniversário de 1 ano da Wish Club. “Não dá pra descansar... Nem pensar em dormir, senão nem acordo mais!”, conta ele rindo.


Um findi com André Sarate Apesar de tocar no final da festa, Sarate fez questão de chegar cedo ao evento para prestigiar os amigos e curtir a noite. Como se tratava de uma data comemorativa e um line muito esperado, a bilheteria estava sold out – 3mil pessoas – e até o #1 enfrentou fila. Foi fácil encontrar amigos – Leozinho, Fabricio Peçanha, Mozart Riggi, Branko, Adriano Carazzo, Paciornik e muitos outros – “trocar figurinhas” com eles, atender alguns sites e fãs, tudo antes de subir na cabine, por volta das 5h, ao lado de Everson K. O som parou com o sol já brilhando, mas ainda com pista cheia. Fim da noite, ele comenta: "de todas as vezes que toquei na Wish, essa foi umas das festas que teve mais vibe e energia da galera. É sempre muito bom tocar lá". Porém, a programação ainda teve parada para um café da manhã com os amigos e, então, ir pra casa descansar. Como a gig seguinte era perto, em Portão, o sono é de seis horas. Quando em cidades mais longes, que exigem viagem, o DJ conta que nem dá tempo de dormir.

Sábado, dia 11, era vez de se jogar para a Save. O line up tinha a norteamericana Shawnee Taylor, Marcelo Nuñes, Rapha Costa e Everson K. Nesta festa Sarate foi pego de surpresa com uma homenagem de fãs. Algumas meninas de Capão da Canoa foram especialmente para vêlo e levaram uma faixa com I LOVE ANDRÉ SARATE. “Fiquei sem palavras. É indescritível a sensação de saber que conseguimos tocar o coração das pessoas através da música”, lembra emocionado. “Foi uma das festas que mais teve vibe na Save, com mão pra cima e pista respondendo muito bem”. Claro, a função foi até amanhecer mais uma vez, mas domingo é o dia de descansar. Ele conta ainda que é o dia que enfim tira pra esquecer o trabalho e se dedica à família, namorada... Alguns comentam que o domingo de DJ é na segunda. Não para André Sarate, que recomeça a semana já na produtora e vai nesse ritmo até novembro, com a agenda cheia.


GALERIA

Patrick Dalpaz e Katiele Stein

Amanda Clavel, Faiblan Fereira e Bruninha Clavel

Público Save 2anos

Jeff Smith e Matheus Rosa

Fabiana Blotz

www.saveclub.com.br RS 240, 6104 Km 12 - Portão - 35 min de POA Michelle Wolff Rossalles e Loiva Oliveira

Fotos: Gérson Goulart


por Rani Vargas

Dia 29 de março deste ano, o pessoal do mercado do entretenimento gaúcho estava em festa! A festa de premiação do FBN Players 2010 – a Noite das Estrelas – rolou no Chairs Club e contou com cerca de 300 convidados especiais que conheceram os destaques do ano que passou e confraternizaram em uma noite especial. Os vencedores das 16 categorias de voto popular e três da crítica foram apresentados por Rani Vargas e Lê Araújo.Confira quem os principais vencedores: MELHOR VJ: LEO MELHOR PRODUTORA DE EVENTOS: BAZE MELHOR FESTA ITINERANTE/OUTDOOR: GREEN VALLEY GRAMADO MELHOR CLUB/CASA NOTURNA DO INTERIOR: BEEHIVE MELHOR CLUB/CASA NOTURNA DO RS: SAVE (VOTO POPULAR) - JIMBARAN (FORMADORES DE OPINIÃO) DJ REVELAÇÃO: LIO KRIEGER MELHOR DJ MULHER: NICOLE BALDWIN MELHOR DJ DO RS: ANDRÉ SARATE

Confira a lista completa em www.fbnplayers.com.br


//PERFIL

MELHOR DJ MULHER

Nome: Nicole Baldwin Idade: 27 Tempo de carreira: 3 anos Estilo musical: House Music e vertentes. Ser DJ é: arte & realização. Uma pista boa tem que ter: diversão Uma inspiração na música: Double S O FBN Players pra mim significou: reconhecimento, que é sem dúvida um dos melhores sentimentos. Sucesso pra mim é: ter objetivos e conseguir alcança-los, fazer o que gosta e ser reconhecido por mérito próprio. //TOP 10: 01. Cry (Just a Little) Bingo Players 02. Sinnerman Sean Muller & Daniel D 03. Beat Me Back Supernova 04. Madam Dario Nunes 05. Let it go Dennon 06. Your Body. feat Michael Marshall Lissat & Voltaxx Remix 07. Only One - Chris Lake Dj PP Edit 08. Bety Daves Eyes Mora/Naccarati 09. Coraçao feat Jaqueline Axwell Remix 10. Little Respect Erasure


DJ REVELAÇÃO

//PERFIL Nome: Lionel Krüger Sanhudo Idade: 22 Tempo de carreira: 1 ano e meio Estilo musical: House Music e vertentes. Ser DJ é: uma profissão gratificante. Uma pista boa tem que ter: gente bonita e animada. Uma inspiração na música: Cesar Funck, grande músico e produtor! O FBN Players pra mim significou: inicialmente o reconhecimento de um trabalho sério e, consequentemente, uma visibilidade maior. Sucesso pra mim é: ter êxito e, principalmente, respeito no trabalho e na vida pessoal. //TOP 10: 01. Stereo Mutants, Neve Turning Around (Earnshaw's Sundrop Mix) 02. Grant Nelson feat. Cathy Battistessa Black Water (Rob Hayes Dub Remix) 03. Antonio Eudi feat. D'Queen Your Smile (Cesar Funck Remix) 04. Zion H Go With The Flow (Soulful Dub) 05. Luis Radio & Raffa Scoccia feat. Su Su Bobien Believe (Muthafunkaz Praise & Workship Mix) 06. Pak Jones feat. Nia For A Moment (David Doyle Remix) 07. Ministry Of Funk People (Original Mix) 08. Housemates Younger (Loui & Scibi Remix) 09. Sandy Rivera feat. Yasmeen Love (Original Mix) 10. Solomun Love Recycled 1 (Original Mix)


Os bastidores do Sônica Invadimos o estúdio da Rádio Atlântida! por Rani Vargas

Eleito o melhor programa de rádio no FBN Players deste ano, o Sônica já embala o aquece pra balada desde o segundo semestre de 2008 para o RS e parte de SC sob comando dos DJs Alexandre Costa e Mik Silva. Além disso, durante o verão de 2009 chegou a ganhar um espaço na grade durante as tardes. Mas e como faz para preparar tudo e deixar prontinho para a galera? Afinal, são acomodações na agenda, produção e edição, seleção das musicas e DJs convidados... Dá (bastante) trabalho! “É desafiador, porque a galera está cada vez mais ligada nessa cultura, cada vez mais exigente com a qualidade do que consome e cada vez mais estão consumindo música eletrônica. O trabalho é constante”, comenta Mik. Aproveitando que algumas edições do “DJ Convidado da semana” estarem sendo gravadas, a gente pegou carona e invadiu o estúdio do programa para acompanhar essa função. As atrações eram Fabiano Veppo e Danni Martin.


Antes de abrir os microfones, o bate-papo mais informal rola solto. Afinal, é preciso pontuar o que será abordado no ar, explorar o set e deixar o convidado mais ‘em casa’. Só a partir daí que começa o trabalho sério (ou nem tanto, na maioria das vezes a descontração toma conta do estúdio). Depois disso é editar e finalizar os spots para então jogar no ar para toda a audiência. Claro, só para o programa da sexta. Mik ainda ressalta que o contato é constante com diversos DJs, o que possibilita que o público conheça o trabalho de outros artistas. Nos sábados, a edição é inteiramente comandada pelos DJs residentes, e Alexandre Costa comenta essa dificuldade: “é um desafio muito grande em termos de seleção musical (o setlist) e tento mesclar tracks que recebo, compro ou baixo, para sempre estar à frente pra não cair na mesmice”. Uma curiosidade é que assim como a galera está aquecendo em casa, durante a transmissão, o estúdio (carinhosamente chamado de Lounge) vira quase uma pista e só o que importa é o som! E não para por aí! O Sônica tem ainda o blog para informar o pessoal sobre as próximas edições e curiosidades da música eletrônica e há um tempo ganhou podcast semanal com a participação do convidado. Fora isso, o Sônica TV também é produzido nas melhores baladas do RS e conta com nomes de peso da cena nacional e internacional – que você pode encontrar no canal do Youtube. Agora que os mistérios estão desvendados, curta o programa toda sexta (a partir das 22h) e sábado (21h) na rede Alântida e também nas redes sociais! Sônica – o som da sua balada!

A moda das DJs


O que ser quando crescer? Pergunta que todo mundo já se fez um dia... O fato é que qualquer carreira exige aprendizado e muito trabalho, desde as clássicas profissões até aquelas que muitos pensam que é “moleza”. Esse pessoal que trabalha na noite, ou está envolvido no meio do entretenimento, também teve uma caminhada até alcançar o sucesso que tem hoje. por Rani Vargas

Eduardo Garcya começou como brincadeira através de bandinhas de garagem. “De bar em bar, tocando nas pequenas casas, pensando sempre na música e conhecendo melhor o público que consegui alcançar esse reconhecimento que tenho, graças à minha persistência e dedicação”, conta. Hoje o músico já conta com um disco autoral e é um dos principais nomes do pop no estado, atração em grandes clubs gaúchos. Essa mesma dedicação pela música citada acima faz parte da recente história da dupla Lucas & Felipe, já um fenômeno do sertanejo universitário por aqui, e eles comemoram:

“tudo que está acontecendo com a gente neste primeiro ano de carreira. Tivemos uma resposta tão bacana que nesse curto espaço já dividimos o palco com artistas de renome nacional.”Esse sucesso, segundo os meninos, é c re d i t a d o a i n d a a o c a r i n h o e reconhecimento dos fãs.Indo além da música, as meninas que sonham com fotos e passarelas sabem que essa é uma das carreiras mais desejadas. A modelo gaúcha Natalia Casassola já estava nesse meio muito antes do BBB – que a tornou nacionalmente conhecida. “Comecei como Miss RS aos 15 anos, mas como sou baixinha tive muitas dificuldades pela altura e sempre fiz


fotos. Passei por agência de modelos e todas as dificuldades que as modelos enfrentam.” Hoje, dez anos depois, Nati é apresentadora do programa Clube do Champanhe, na TvCom SC. Quem também teve um início de carreira cheio de dificuldades foi o fotógrafo Otávio Conci. “Em se tratando de noite foi difícil, mas eu queria muito e pude contar com o suporte de alguns amigos já profissionais.” Figurinha na noite fotografando a galera nas baladas, Otávio agora tem o próprio estúdio – em parceria com o primo Juliano Conci – e já fotografou grandes nomes da música eletrônica local e até gringos. Ainda no mundo das baladas, a VJ Juli Finkler é a primeira mulher a ter reconhecimento nacional. “Humildade e comprometimento são tudo para ter conquistas!”, conta ela que com apenas um ano de trabalho já estava fazendo vídeos para 7mil pessoas. E por trás de toda balada sempre tem aquele promoter que trabalha para que a noite ‘bombe’ e a galera se divirta.

Marcelo Boes, o Peralta, está há um tempão já vivendo esse clima.“O início, em Novo Hamburgo, foi muito interessante e diferente de hoje em dia, pois naquela época deviamos vestir a camisa de um evento, e principalmente conhecer música”. Para os DJs e produtores a estrada também é longa. “Até hoje nada foi muito programado, sempre gostei muito de musica - o que é ate clichê falar, mas é a verdade”, assim o catarinense Bruno Be define sua história com a música eletrônica que começou há 8 anos. Mas nem só nas melodias se firma a carreira de um DJ, Bruno conta ainda que é preciso saber aproveitar as oportunidades, “não só com o som, mas também com o público e não arrumando confusão com outros profissionais do ramo. Coisas importantes e estampam seu ‘cartão de visitas’”. Ou seja, o sucesso não vem de graça. O recado para quem quer seguir nesse meio é que o glamour da noite é mais de quem a frequenta de quem a faz!


A moda das DJs


Elas chamam atenção não só por comandar (bem) a pista, também são foco de olhares e flashes. Mas o que as DJs gaúchas estão usando pra arrasar em suas gigs? Confira! por Rani Vargas fotos: Diego Larré

Agradecimentos: Wish Club Calçados Carrano DeFoto Estúdio


me visto de forma elegante, mas única... Acho que é um estilo próprio. Peça –chave: acessórios de cabelo.

Mari Brino


Analu Giacomoli faテァo uma mistura de sensualidade com glamour. Adoro brilho! Peテァa 窶田have: vestidos.


Karine Larré

sou bem eclética... Vou do moderno ao clássico, das tendências rockers às românticas. Peça –chave: salto alto.


pra tocar gosto de usar roupas mais descoladas e confortテ。veis, mas sem perder a feminilidade. Peテァa 窶田have: jeans.

Lu Vargas


VERSテグ ON-LINE EXCLUSIVO


VERSテグ ON-LINE EXCLUSIVO


VERSテグ ON-LINE EXCLUSIVO


VERSテグ ON-LINE EXCLUSIVO


VERSテグ ON-LINE EXCLUSIVO


GALERIA

Mascote Warung

Warung Charlote Ribeiro

Gabriela Magalhaes Edoardo Hauer e Fabio Pinto

www.warungclub.com.br Av. JosĂŠ Medeiros Vieira 350, Praia Brava, 88306-080 ItajaĂ­/SC Fone: (47) 3348-7643

Nathalia Saenz, Nayara Bonecker Torquato e Moni Buratto

Fotos: Adriel Douglas - Imagecare e agradecimento especial para Pedro Hering - Imagecare


GALERIA

DJ Luke Borchardt

Bruna Rolim, Debora Blank, Tatiana Sulepa e Paulo Pinero

DJ Pi単ero

Mitinho, Renato Rratier e Marcelo Martinelly

Le Brehm

Thais Drummond e Thais Marques

www.festabionica.blogspot.com Fones: (51) 9989-1515 ou (51) 8436-4847 Fotos: Pedro Braga, Waldomiro Aita e Otavio Conci DJ Leo Zamper


GALERIA

Gustavo Bravetti

Carina Triches

Thiago Peruzzo

Fabiula dos Santos

Rafaela Batesini

Livia Fossati, Gulherme Dorneles e Ana Sinigoski

www.beehiveclub.com.br Av. Sete de Setembro, 496, Centro, Passo Fundo/RS Fone: (54) 9997-7760 Fotos: Franco Rodrigues


ENTREVISTA

Entrevista com Willian Clark, da Playground por Rani Vargas

Mais uma edição vem aí. Mas antes de curtir, saiba como é produzir um mega evento! A edição 2011, em Porto Alegre, será só Na minha opinião, o que distancia estes em novembro. A gente antecipa esse estilos - além da falação - é somente o clima e conversou com Willian Clark, um número de bpms, totalmente dos produtores do mega evento, para incompatíveis. Tudo na vida muda, saber mais sobre a história e as inclusive seu gosto musical, é natural do novidades q u e e s t ã o s e n d o ser humano e deve ser respeitado preparadas. sempre. Quando veio a vontade de produzir grandes festas? Na verdade não existiu um objetivo específico para se trabalhar com eventos de grande porte, após 10 anos de estrada o negócio atingiu naturalmente esse formato. Tua paixão sempre foi o lado do psy? Não. Sou apaixonado pela boa música eletrônica independente do estilo. Aliás, minha paixão iniciou com o velho e bom Trance Europeu, hoje chamado de uplifting. Hoje em dia se misturam muito os estilos. Psy e House fizeram 'as pazes'? Nunca deveriam ter “brigado” (risos). Música eletrônica não devia ter um ar de “fanatismo religioso”, é péssimo para o crescimento, imagem e desenvolvimento da cena.

Como é montar o line de um festival do porte de uma Playground? É a minha função preferida, divido essa responsabilidade com o Jean Carlos (Trindade). Temos ideias diferentes, mas trabalhamos muito bem e de uma forma muito respeitosa em conjunto. Este ano, por exemplo, ele mudou o seu estilo musical e vem para a pista de House também. O mais difícil é conseguir adequar a verba disponível com o mercado local e agenda dos artistas, inclusive os valores. Um headliner de psytrance custa X , já um headliner de house X³ e alguns artistas até se recusam a tocar num line misto. É um absurdo, mas é a realidade. Mas já adianto que neste ano a pista House terá um ‘hiper super top’ inédito no Brasil. Aguardem...


A primeira edição surpreendeu? Em quais aspectos? Aqui somos dois sócios responsáveis. Foi uma jogada muito arriscada e cansamos de escutar que éramos malucos. Acreditamos no formato da Playground, tivemos bastante segurança e respaldo do label e aliamos nosso conhecimento do mercado local com a fortíssima estratégia de marketing que eles possuem. Tivemos “aquele problema” 15 dias antes do evento, e mesmo assim as autoridades nos respaldaram. Fizemos alguns acordos e assumimos compromissos de como conduzir a coisa. O público confiou, apostou e nos deu apoio. Foi a maior e melhor surpresa que tivemos. Qual a maior dificuldade em se produzir a Playground? O evento é muito complexo. Varia de organizar uma fila, de recolher a doação de alimentos, a segurança das pessoas nos brinquedos, o combate firme e apoiado pelas autoridades à práticas ilícitas, promover com eficácia o evento, ter uma infra estrutura de bom nível e que atenda com propriedade o público e assim por diante. Não é nada fácil. A edição 2011 vem com novidades? O que podem nos adiantar? Vem com novidades e muitas atrações. Mas vamos aguardar as informações que vão saindo aos poucos. Por enquanto já anunciamos Daniel Portman e Electro Sun como atrações do evento. Edição 2010 da Playground. Fotos: Daniel Fontanive


OPINIÃO

Diversidade de Estilos por Gabi Stein

Música eletrônica, hip hop, sertanejo... As noites ganharam mais opções no mesmo club e a diversidade musical invadiu o Sul. Mas o que o pessoal envolvido acha disso?

Eu acho que é uma faca de dois gumes. Pode ser bom ou não. Acredito que seja bom para a casa, pelo fato de ela não depender somente de um público para a sua receita. Porém, isto certamente torna mais difícil definir o perfil do club e, por consequência, a sua identidade junto ao público. O que irá decretar o sucesso dessa proposta é o fato dela atingir ou não o público alvo em cada noite.’’

Pic Schmitz - DJ


A DIVERSIDADE DE ESTILOS NA NOITE

O Havana abre de quarta a sábado, e além da balada também temos o restaurante. Optamos por trabalhar com atrações diversificadas para agradarmos a todos os clientes, atingindo um público na faixa etária de 18 a 60 anos. E, financeiramente, não há como manter essa estrutura abrindo quatro dias por semana se não for com uma mistura na agenda.’’ Betânia Mosena - Marketing Havana

Sou totalmente a favor de baladas que seguem uma linha musical somente, ou no máximo, linhas musicais que se agreguem. Um hip hop em um dia e eletrônico em outro, tudo bem! Um sertanejo e um pagode, tudo bem também, mas daí em outro local! O negócio fica bacana de verdade quando se mantém os pés bem no chão, o foco, os ouvidos e o pensamento no lugar e no cliente certo.’’ Kisy – Promoter de Santa Catarina

Muitas vezes é necessária. Em casas voltadas para um público jovem, e que abrem muitas vezes por semana, ela se faz essencial na maioria das vezes. Mesmo com uma diversificação a casa precisa ter uma identidade, que pode ser criada através de agenda fixa para que o cliente chegue a casa sabendo o que ele vai ouvir naquela noite.’’ Paula Willig - Grupo All Entretenimento


A DIVERSIDADE DE ESTILOS NA NOITE

Se uma casa consegue fazer todas as noites com estilos diferentes e ter sucesso, é mérito da casa. Existem cidades que conseguem girar públicos diferenciados em cada noite nos seus projetos. Havendo um posicionamento de cada noite e seu gênero eu acho muito válido, e não me importo de ir a uma noite de um gênero que eu prefira se um dia antes teve uma festa mais popular e etc. ’’

Juan Rodrigues – DJ e sócio da Beehive

Depende do objetivo do club. Dentro do nosso grupo temos casas de diferentes estilos, mas não misturamos os mesmos nos clubs de música eletrônica, que são: Lounge GV, Enjoy Club e Green Valley. Entendo que quando se trabalha com esse estilo musical, se misturarmos o som confundiremos as pessoas, os clientes desse determinado club. Vejo que o club deve seguir uma linha e não fugir da mesma. ’’

Ricardo Flores – sócio Green Valley


Viva o momento! A Moving Dj’s Ê a trilha sonora do seu evento.

www.movingdjs.com.br



Revista Mag #2 Fly By Night