Page 1

rdo

www.taxicultura.com.br

REVISTA

Leitura de Bo

Os Reis do Riso A febre da comédia stand-up! Uma nova geração de humoristas faz a cidade cair na gargalhada

Brotas

A Capital do Turismo de Aventura Escolha o seu esporte radical preferido e venha curtir o melhor na cidade de Brotas

Virada Cultural Paulista O melhor da música, teatro, dança e muito mais para o interior e litoral

Edição 03

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

1


2

REVISTA Tテ々I CULTURA|Maio


EXPEDIENTE

Diretoria Adilson Souza de Araújo Davi Francisco da Silva Fábio Martucci Fornerón Isabella Basto Poernbacher (editora@portodasletras.com.br) Redação Edição Waldir Martins MTB 19.069 Edição de Arte Flávio Francisco Rodrigues Assistente de Arte Carolina Samora da Graça Projeto Editorial Editora Porto das Letras Reportagem Fernanda Grandino, Carolina Mendes, Miro Gonçalves e Valéria Calixto

Editorial

Colaboradores Fernanda Monteforte, Fernando Lemos, Ana Castro e Camila Silva Fotografia Davi Francisco da Silva

Rir é o melhor remédio Desafiando o estigma de que São Paulo seja uma cidade mal humorada e só voltada para o trabalho, uma nova geração de humoristas tem feito ecoar milhares de gargalhadas nos mais diferentes pontos da cidade, dos teatros aos bares da noite paulistana a febre é uma só: comédia stand-up! Para entender um pouco dessa nova mania fomos conversar com diversos artistas que estão em cartaz e apresentamos um breve retrato do que vai atrás de uma piada que, de modo aparentemente despojado e fácil, salta do palco para a alegria dos espectadores. Descendo de um palco e subindo em outro, nessa edição tivemos o prazer de conversar com o autor, ator e diretor Elias Andreato que, com dois espetáculos em cartaz na cidade: Édipo no Eva Herz do Conjunto Nacional - e Decifra-te ou me devora - no Miniteatro da Praça Roosevelt,

Fotografia de Capa Otávio Rotundo

traça um breve retrato da sua paixão pelo teatro e arte de representar. Apaixonados por toda iniciativa que seja capaz de divulgar e difundir arte de qualidade para públicos sempre maiores, não poderíamos deixar de citar a Virada Paulista, que, em sua quinta edição, cumpre com o desafio de levar para cidades do interior arte e cultura da mais qualidade, investindo na formação de novos públicos no Estado de São Paulo. Também no interior no interior do Estado de São Paulo, a cidade de Brotas, classificada como a Capital da Aventura, guarda um variado arsenal de atrações para quem quer desfrutar do melhor da vida no campo, com o máximo de adrenalina. Para quem fica na cidade e em casa, valem as dicas para obter uma iluminação perfeita em casa, ou se maravilhar com as diferentes sugestões para saborear um bom risoto. Boa viagem e boa leitura! Os Editores

Revisão Naira Uehara Publicidade Diretor Fábio Martucci Fornerón Assessoria jurídica Paulo Henrique Ribeiro Floriano Comercial Suporte Administrativo Ana Maria S. Araújo Silva Mayara da Silva Dias Ariane Caramêz Assinaturas e mailling (assinatura@portodasletras.com.br) Impressão Wgráfica Tiragem 25.000 exemplares Distribuição Gratuita

TÁXI CULTURA é uma publicação da Editora Porto das Letras Ltda. Redação, publicidade, administração e correspondência: Rua do Bosque, 896, casa 24, CEP 01136-000. Barra Funda, São Paulo (SP). Telefone (11) 3392-1524, Fax (11) 3392-5208. E-mail editora@ portodasletras.com.br. Proibida a reprodução parcial ou total dos textos e das imagens desta publicação, exceto as imagens sob a licença do Creative Commons. As opiniões dos entrevistados publicadas nesta edição não expressam a opinião da revista. Os anúncios veiculados nessa revista são de inteira responsabilidade dos anunciantes.

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

3


SUMÁRIO |TÁXI CULTURA

06

Onde fica?

26 22 40 44

08

Paulistanos

28 28 42

10

Tecnologia

32 30

São Paulo: um mundo todo

Bandeira Livre

Qualidade de vida

Agenda

Charme e Beleza

Tecnologia

Horizonte vertical

48

Trilha urbana

12 Capa

34 32

São Paulo Têm

Morar Bem

16 16 36 36

Virada Paulista

Qualidade de Vida Morar bem

Mundo&Cia

ESPAÇO LEITOR

20 18 38 38 Agenda

Bandeira LIvre Mundo Cão

Capa

Para nós sua participação é fundamental. Para enviar suas críticas, elogios, sugestões ou comentários basta enviar um email para: leitor@taxicultura.com.br Assim que recebermos sua mensagem entraremos em contato para atender a sua solicitação.

4

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio


12

Os Reis do Riso

O palco é vazio e o expectador não vê mais do que um baquinho e um microfone. Não existe qualquer cenário ou figurino, apenas o humorista que vai desfiando sátiras e piadas sobre as mais diferentres histórias e temas do cotidiano: é a febre do stand-up.

08 38

16 46 Virada Cultural

Em cartaz na cidade com dois espetáculos, Elias Andreato fala sobre do seu compromisso com o teatro e da opção pelo prazer na construção de uma obra, mesmo quando trata temas densos e obscuros da alma humana.

Nunc sollicitudin, nislmúsica, id cur- teatro, O melhor da sus tempor, lorem duiópera con- e circo dança, sequat tellus, etcidades placeratdo miinterior para sem sit amet quam. Suspende do litoral do Estado isse quam mauris

Magia e sensibilidade: A arte de Elias Andreato

Paulista

Qualidade de vida Tenho acompanhado ultimamente as edições da revista Táxi Cultura! e me surpreendo pela forma simples e descomplicada como a colunista Fernanda Monteforte aborda assuntos complexos da personalidade humana. Parabéns pela coluna que, a cada edição, nos faz refletir em como podemos melhorar o nosso cotidiano e nossas relações interpessoais! Wilian Melo

Prezado Wilian, A busca por oferecer aos nossos leitores temas e abordagens que possam contribuir para uma melhor qualidade de vida é um ponto de permanente inquietação em toda equipe da Táxi Cultura. Sua mensagem nos enche de alegria. Atenciosamente, A redação

28

22Brotas: A Capital

do turismo de aventura

bibendum at placerat vitae, Com uma geografia privilegiada e um intenso ultricies et ipsum. Sed non Brotas é um dos trabalho de preservação viverra lectus. Suspendisse destinos favoritos para quem aprecia o tusit amet lacus, rismo de augue aventura e osvitae esportes radicais. Foi o primeirovenenatis municípioligula. do Brasil a contar com uma legislação ambiental.

Viva o teatro

Redação:

Apenas agora estou escrevendo, mas fui assistir o espetáculo “Canção do Amor em Rosa” e simplesmente amei. Adorei as músicas, os atores são ótimo, a direção. É muito interessante ver as crianças e adultos interagindo durante o espetáculo. Gargalhadas e mais gargalhadas!

Prezada Cintia

Cintia Arruda

O nosso compromisso é trabalhar para divulgar e tornar a arte e cultura bens que sejam acessíveis a todos os cidadãos. Agradecemos a sua mensagem Atenciosamente, A redação

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

5


O artista Eduardo Kobra busca aderir, interferir e sobrepor cenas e personagens das primeiras décadas do século XX, através de traços do grafite, ricos em sombra, luz e brilho. Daí resultam murais tridimensionais que permitem ao público interagir com a obra, possibilitando a ideia de comparação entre o ar romântico e o clima de nostalgia do painel, com a constante agitação característica dos grandes centros urbanos

ONDE

FICA?

Memórias

de São Paulo Por Carolina Mendes

E

ste painel artístico foi entregue em homenagem ao aniversário de 457 anos da cidade de São Paulo, comemorado em 25 de janeiro deste ano. Criado por Eduardo Kobra e uma equipe de dez artistas plásticos, a obra integra o projeto Muro de Memórias, desenvolvido por Kobra com o intuito de transformar a paisagem urbana através da arte e resgatar a memória de uma cidade que não existe mais.

A obra retratada na foto é uma representação da Rua Direita - datada de 1905 - e utiliza a técnica de street art, com influências da técnica de tromp´oil, que desenvolve metragem do artística, com cerca de 600 metros quadrados de área, sem nenhum contato com o piso.

Os primeiros 10 leitores que identificarem a localização da foto acima ganharão um par de ingressos para o teatro.

Sua resposta deverá ser enviada para o e-mail:

leitor@taxicultura.com.br

O resultado sairá na próxima edição junto com os nomes dos ganhadores.

Escultura Francisco Antonio Gabriel de Miranda A escultura de bronze em homenagem a Francisco Antonio Gabriel de Miranda, criada e fundida pelo italiano Carmello Tabacco, representa um dos primeiros idealizadores da independência venezuelana. Apresentada na Edição 2 da Revista Táxi Cultura, a obra está instalada na Avenida Paulista, no Bairro de Cerqueira César e foi um presente do governo da Venezuela à cidade de São Paulo.

6

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

GANHADORES Patrícia Carvalho

Abel Marques

Amir Rehan

Ana Carla Patrocínio

Márcio Ventura

Gabriela Louzeiro

Carlos Augusto Simão

Ricardo Basílio

Renata Siqueira

Karen Aparecida


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

7


PAULISTANOS

Por Waldir Martins

Elias Andreato Em cartaz na cidade de São Paulo com o espetáculo Édipo, no Teatro Eva Herz, no Conjunto Nacional – em que assina a adaptação do texto, direção geral e ainda atua como ator – e também no Miniteatro da Praça Roosevelt, com o espetáculo Decifra-te ou me devora – no qual é responsável pela direção e autoria do texto, elaborado em parceira com Helô Cintra e João Paulo Lorenzon - Elias Andreato conversou com a Táxi Cultura sobre sua paixão pelo teatro e a temporada paulistana

Táxi Cultura: Como o teatro entrou na sua vida?

Elias Andreato: A poesia me tocou primeiro... Fausi Arap e Maria Bethânia me apresentaram a dramaturgia e o teatro, no espetáculo Rosa dos Ventos. Foi a partir daí que eu me interessei pelo teatro e comecei a fazer teatro amador. Meu primeiro trabalho profissional foi como contra regra do espetáculo do [Antônio] Fagundes em 1975. Era um monólogo.

Táxi Cultura: E o que te orienta para realizar este trabalho?

8

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Elias Andreato: Toda vez que eu subo num palco tenho o compromisso de querer dar pra alguém ali na plateia alguma coisa de útil. Quando eu faço meu espetáculo, não importa se é nas escolas, nas periferias, pátios, onde quer que seja... enfim, o teatro tem esse poder. Mesmo que hoje o teatro já não tem mais o peso que já teve, com aqueles indivíduos que estão ali, na plateia, a qualidade dessa discussão é muito bacana.

Táxi Cultura: Quais as diferenças mais fundamentais entre o Elias Andreato ator e o Elias Andreato diretor?


PAULISTANOS

O espetáculo “Decifra-te ou me devora” foi escrito em parceria com a atriz Helô Cintra e o ator João Paulo Lorenzon

Elias Andreato:

Elias Andreato:

Como ator consigo o repouso de pensar somente em mim. O diretor precisa estar tão atento como o ator, a diferença é que ele é solicitado a cuidar de tudo ao mesmo tempo. Ele precisa estar centrado para corresponder a todas as expectativas dos outros envolvidos no processo de trabalho e transmitir segurança e estímulo suficiente para que todos façam o melhor. Quando eu saio da minha casa, tenho que me preparar para o encontro com as pessoas, pra fazer um espetáculo bacana pra elas. Então eu acho que a direção tem que funcionar como um grande estímulo. No sentido dos atores conhecerem profundamente a obra, discutirem os personagens. Assim ficamos mais abrangentes, abertos a novos olhares. E tentar fazer com que esses atores e atrizes façam o seu melhor sem precisar machucá-los, sem fazer com que tudo seja cruel, doentio; acho que tem que ser prazeroso, eu vou pela brincadeira, pelo humor e pelo prazer de estar junto com os outros.

Uma das coisas que aprendi na minha vida como artista é que o mundo é muito pequeno, que dá muita volta, que o fracasso é efêmero, que tudo é efêmero. Então, você realiza um trabalho pelo prazer de fazer aquele trabalho, pelo encontro das pessoas, isso é muito prazeroso. Claro que a gente espera um público que goste, mas vivemos em um país onde a cultura tem a importância que tem, então sabemos que para determinados trabalhos não teremos grandes públicos, não tenho mais ilusão. Então, eu acordo aqui às sete da manhã, vou lá ensaiar a peça e fico ensaiando seis meses e se der certo, deu, se não deu, não deu, não vou ficar chorando. Claro que a gente quer que tudo dê certo quando o público vai ver. Quando o público se manifesta, se emociona, eu confesso que isso pra mim é ainda um aprendizado; ficar feliz por isso, sem ficar prepotente, sem ficar me achando o tal, nesses anos todos eu lidei muito com o afeto do público, é muito árduo.

Táxi Cultura:

Táxi Cultura:

Drama ou comédia?

Elias Andreato: O drama sempre me fascina mais. A comédia ultimamente tem me interessado na medida em que o meu exercício com ela é mais raro; quero acreditar que é possível aprender com a alegria e não apenas com o sofrimento. Acho que o drama está presente na minha formação, não tive uma infância feliz, mas não necessariamente esse drama me traz o sofrimento, antes disso, é mais um respaldo criativo, prazeroso, mesmo quando se lida com a dor.

Táxi Cultura: Como funciona a sua relação com o público?

Eu queria que você falasse um pouco do seu espetáculo Decifra-te ou me devora.

Elias Andreato: É uma reflexão que sempre me interessou. Embora eu possa parecer uma pessoa difícil nos relacionamentos, eu sou romântico, como qualquer outro cidadão. Essa discussão sobre encontros e desencontros das pessoas tem um motivo em comum, porque eu acho que essa é a essência da vida, embora eu seja sozinho. Com a internet veio a fantasia, onde você pode ser todos os personagens que você inventar, mas diante do outro, às vezes, não dá pra você brincar com isso. Porque a internet tem esses mistérios, eu posso ser locutor, eu posso ser qualquer coisa, posso ganhar qualquer pessoa mentindo ser alguma coisa. Embora na vida real

este jogo possa acontecer, eu não posso dizer que sou lindo, que tenho um metro e oitenta, cabelo liso, louro ou o que seja. Eu acho que o mais bacana do espetáculo é discutir o seu modo de ser no mundo. É difícil você conviver com as diferenças na sua rotina, enfrentar a solidão; então fica evidente como o espetáculo é todo feito de supremacia e destaca que temos que ter sonho, ter idealismo. Não quero espairecer nada, quem nasceu dessa forma, morre dessa forma.

Táxi Cultura: E o espetáculo Édipo que estreou agora no Vera Herz?

Elias Andreato: Como ator já tinha feito.

Táxi Cultura: E o que traz de uma coisa pra outra, ou não tem nada ver?

Elias Andreato: Já tinha feito o Édipo em 86 como ator e direção do Marcio Aurélio. Eu fiz a adaptação do texto, cuidei de todos os passos e posso dizer que é um espetáculo que tem a minha autoria. São sete atores, e é um jeito de contar a história que fui buscando durante muito tempo; já há muitos anos que venho estudando esse projeto. Acho uma história linda, a tragédia é extensa, com uma linguagem verbal incrível e passamos seis meses nos preparando. Fala sobre a cegueira do homem e a insegurança da condição humana. Todos nós seguimos no escuro.

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

9


TECNOLOGIA Por Fernando Lemos

Táxis movidos à água em Londres

O

s “Black Cabs”, famosos taxis pretos de Londres, sempre foram reconhecidos como um dos pontos tradicionais da capital da Inglaterra. Contudo, uma novidade tecnológica está tirando um pouco desse tradicionalismo.

garantindo um dia inteiro de trabalho. Embora com um pouco menos de potencia que os carros comuns, a iniciativa é importantíssima porque está voltada a veículos que circulam sujeitos ao pesado trânsito de uma grande cidade.

A partir desse mês de maio estão chegando novos veículos movidos a água. Resultado de um projeto de engenharia que usa como combustível uma combinação de células de hidrogênio e baterias de Lítio.

O objetivo da Prefeitura de Londres é trocar toda a frota até os jogos Olímpicos de 2012, apresentando ao mundo uma grande iniciativa de sustentabilidade e respeito a natureza.

Uma combinação que deu certo porque permite uma autonomia de aproximadamente 400 quilômetros,

Um exemplo que deve ser seguido por várias cidades no mundo.

Fernando Lemos é estrategista nas áreas de educação e informática e coordena o projeto Tecnologia para Todos www.tecnologiaparatodos.com.br/

Celulares Transparentes

A

telefonia celular já faz parte da vida de quase todo mundo, mas as novidades do segmento tem acontecido com os softwares, com o lançamento quase que diário de vários sistemas e aplicativos. E o hardware, isto é, a parte fisica do aparelho, há tempos não trazia uma novidade tao interessante e ao mesmo tempo inusitada quanto o lançamento do CPT002. Lançado em maio na Europa, o aparelho é transparente e possui tela desenvolvida a partir de uma combinação de cristais de safiras.

O aparelho possui tela desenvolvida a partir de cristais de safira 10

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Além da transparência total quando está inativo, essa tecnologia permite que a tela seja sensivel ao toque. Para garantir a transparência, os componentes eletrônicos, bateria e os cartões SIM foram agrupados na base do aparelho. Quando está em stand-by só aparece a marca do telefone e as barras que mostram o status da bateria e a força do sinal: todo o resto da tela fica totalmente transparente. E mais, o CPT002 funciona também como chave do carro. Quando voce se aproxima do carro ele abre automaticamente e o aparelho fica também integrado ao sistema do carro, vivavoz, GPS, e ainda pode atualizar o seu posicionamento em algumas Redes Sociais na Internet.

Site PDFWord

P

DF é um formato de documento muito usado nos sistemas no mundo todo. Ideal para converter vários tipos de arquivos, quando queremos garantir a sua integridade, uma vez que não permite que a informação original seja alterada. Ideal para enviar propostas, textos e apresentações para clientes e qualquer pessoa fora da empresa. Mas, muitas vezes, nós precisamos exatamente do contrario. Converter arquivos no formato PDF com textos para o formato DOC, usado pelo WORD. Vários programas fazem isso mas são pagos e têm que ser licenciados. Por isso uma alternativa muito interessante é o PDFTOWORD.COM. Um site na WEB onde em três passos você obtém o arquivo convertido. Primeiro localiza no seu PC o arquivo PDF que você quer converter. Depois escolhe para qual formato (RTF ou DOC), e por fim informa o seu email para onde o site envia o arquivo convertido. Relativamente rápido, muito fácil, totalmente gratuito e muito útil para o seu dia-a-dia. E não precisa ter nenhum programa instalado no seu sistema.


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

11


Os Reis do Riso A febre da

comédia stand-up

O genero, que teve precursores como José Vasconcelos, Ary Toledo, Jô Soares e Chico Anysio está fazendo a cidade cair na gargalhada com um nova e talentosa geração de humoristas Por Waldir Martins

Danilo Gentili, Marcela Leal, Rafinha Bastos, Oscar Filho e Marcelo Mainsfield

P

resente nos palcos brasileiros desde a década de 1990, quando os humoristas como Diogo Portugal e Bruno Motta realizaram apresentações de standu-up no Prêmio Multishow do Bom Humor Brasileiro – nos anos de 1996 e 1998 – o gênero vem se consolidando a partir de 2001 com o hilário show de humor Terça Insana, que adaptou o estilo a uma forma de humor realizado em esquetes. Desde então, o standu-up comedy caiu no gosto do paulistano, que conta hoje com um enorme número de alternativas de shows em bares e teatros da cidade. O palco é vazio e o expectador não vê mais do que um banquinho e um microfone. Não existe qualquer cenário ou figurino, apenas o humorista que vai desfiando sátiras e piadas sobre as mais diferentres histórias e temas do cotidiano, fazendo o chamado humor de cara limpa, termo usado por alguns comediantes. Isso porque o humorista atua geralmente em pé e sem qualquer tipo de acessório, caracterização, personagem ou qualquer outro recurso teatral.

Diogo Portugal

Um humor direto e despojado onde o artista deve possuir muita flexibilidade e jogo de cintura

12

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

A preparação do espetáculo Contudo, a fórmula aparentemente fácil do espetáculo esconde um árduo trabalho realizado pelo artista na preparação do roteiro que irá apresentar aos espectadores. Entre outros desafios, o humorista de


CAPA standu-up tem o compromisso de renovar seu estoque de piadas periodicamente, e sempre por um texto original, construído a partir de uma detalhada observação do cotidiano. Depois de elaborada, a piada deve ser testada e avaliada em seu potencial de fazer rir e divertir, para saber se poderá ser apresentada e bem aceita pelo público. Um verdadeiro ritual.

d do Clube da Comédia

Um dos representantes dessa nova geração de humoristas, Patrick Maia, do Clube de Comédia, destaca o processo da permanente renovação do artista como um dos pontos fundamentais no trabalho de construção de um espetáculo. “Um dos maiores desafios do standu-up é a renovação. Digo isso no sentido de que você possa voltar para ver o espetáculo daqui a dois meses e eu tenha coisas novas pra te mostrar. Gosto de estar sempre modificando meu texto. Fico incomodado quando se passam dois meses e não tenho nada de novo pra mostrar”, conta.

A vida ao improviso, mas com piadas bem montadas

A fórmula aparentemente fácil do espetáculo esconde um árduo trabalho realizado pelo artista

listano e da sua relação com o humor, as opiniões dos humoristas se dividem. Enquanto Marcelo Mansfield está entre aqueles que comemoram o bom humor do paulistano, ao afirmar que “Paulistano adora rir”, a atriz, humorista e roteirista Marcela Leal aponta o forte espírito crítico que predomina nas plateias da cidade. “O paulistano é bem crítico, bem crítico mesmo. De todas as plateias que já estive esta é a mais crítica. É daquelas que cruzam os braços e diz ‘vamos lá, vamos ver se você vai me fazer rir’. Não é uma plateia que vem aberta pra rir, mas que vai rir muito se gostar do trabalho que está sendo feito, mas você precisa provar primeiro”, avalia. Outro que costuma fazer muito sucesso na cidade, Diogo Portugal valoriza a forma como o cidadão de São Paulo se relaciona com o humor. “São Paulo é uma cidade que recebe todo o tipo de informação numa velocidade incrível e o humor ajuda a aliviar a tensão que temos nas grandes cidades; o público paulistano é uma ótima plateia, porém exigente”.

Um teatro baseado na inovação e no improviso

Caracterizado como um teatro que tem no texto seu elemento principal, o standu-up cobra dos seus praticantes um trabalho de criação permanente. Para Oscar Filho, integrante do programa CQC da Rede Bandeirantes e também um dos idealizadores do Clube da Comédia, este continuado processo de criação é um dos desafios a ser vencido pelos comediantes para conseguir conquistar o público. “Hoje mesmo eu criei um texto inédito, que fala da minha mãe, do meu pai, da minha relação com eles até a separação. O primordial no standu-up é você falar da sua condição, das suas observações da vida. Então eu peguei uma época que foi meio obscura pra mim, essa coisa da separação, e tentei transformá-la em piada, até pra me livrar disso também. Para mim, a matéria prima é a minha vida mesmo, eu escrevo o que eu observo por aí”, enfatiza.

O público paulistano Apontado como um dos mais difíceis gêneros de comédia, uma vez que o humorista se coloca sem nenhum outro recurso que não ele mesmo e sua capacidade de improvisar frente a uma plateia para apresentar suas diversas histórias e situações, o humorista deve ter uma rápida percepção do público que o está assistindo para poder ajustar sua apresentação ao humor e gosto dos espectadores. Quando se fala especificamente do público pau-

Espaço para a inovação e diversidade

Para Bruno Motta, que além de humorista é autor de teatro e redator de televisão, a flexibilidade do artista e sua capacidade de interagir com as reações do público são elementos fundamentais para garantir um bom espetáculo. “O standu-up é uma grande conversa com a plateia. Os melhores humoristas são os mais naturais, mais espontâneos, que falam de assuntos que realmente mexem com eles. Nós temos que ser nós mesmos no palco, quanto mais natural isso aparece, melhor pro show. Daí essa mágica de parecer sempre pensado na hora. Uma parte realmente surge ali, com aquela plateia. Outra parte já está planejada, as piadas escritas, testadas. Mas, dizer qual é qual seria contar o truque da mágica”, relata. Sem regras muito definidas, o standu-up possibilita um permanente processo de evolução, tanto no que diz respeito aos assuntos abordados, como também na estrutura e duração dos espetáculos. O próprio Bruno Motta já entrou para o Guinness Book ao realizar em Belo Horizonte “o maior show de humor do mundo”, quando ficou 38 horas e 12 minutos falando para um público de 5 mil pessoas. De outro lado, podemos nos divertir com apresentações hilárias, com duração em torno de um minuto, realizadas pelo Oscar Filho.

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

13


CAPA Uma nova geração de talentos Apontado como precursor do atual formato da comédia standu-up, o gênero do “one man show”, que permite outras abordagens que incluem a interpretação de personagens, inclusão de música ao vivo, montagem de cenas específicas e outros recursos, foi introduzido no Brasil ainda nos anos sessenta pelo fantástico humorista José Vasconcelos. O estilo teve ainda como seguidores humoristas do porte de Chico Anysio e Jô Soares, seja em shows ao vivo ou na abertura de seus programas na televisão.

Bruno Motta

Existe hoje no Brasil um grande número de novos e talentosos comediantes exercendo o gênero. Eles se organizam em grupos ou apresentam trabalhos solo, viajando e participando de vários shows. Entre os principais podemos destacar Bruno Motta, Danilo Gentili, Diogo Portugal, Rafinha Bastos e Márcio Mansfield, que pode ser apontado como um dos pioneiros nessa nova geração. “Desde sempre conhecia o formato, mas foram a Marcela Leal e o Rafinha Bastos quem me abriram a oportunidade de fazer um show só desse estilo, que foi o Mondo Cane. De lá para cá a coisa explodiu”, conta Mansfield.

Danilo Gentili

Stand-up e televisão A partir de 2008 o sucesso do gênero bateu às portas da televisão e muitos programas passaram a incorporar os humoristas de standu-up entre suas atrações. Entre os programas que apostaram no estilo vale destacar o Altas Horas, da Rede Globo, onde o apresentador Serginho Groisman incluiu nomes como Diogo Portugal, Bruno Motta e Marcelo Mansfield na sua programação. Outro sucesso da televisão que se apoia no gênero standu-up é o programa CQC, da Rede Bandeirantes. Absolutamente crítico e irreverente, o programa conta com a participação de Oscar Filho, Rafinha Bastos e Danilo Gentili que, juntamente com o já experiente Marcelo Tas, criaram um estilo muito particular ao aliar humor com jornalismo. Apesar do sucesso de ambas as formas – no teatro e na televisão - o humorista Oscar Filho destaca a especificidade de cada veículo, como ponto determinante no processo de criação e também na relação que o artista estabelece com o seu público e com o resultado do seu trabalho.

Oscar Filho

14

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

“Você assistiu ao espetáculo agora, o teatro é assim, eu falo aqui e já posso ver a tua reação, esse sorriso que você dá, posso ver se ele é sincero ou não. Se você não gosta eu já vejo. Na televisão tenho que preparar a pauta, conversar com o

Marcelo Mainsfiled


CAPA produtor, ir até a pessoa, entrevistar, fazer a piada e ver se rola. Aí vai pra edição e já não tem mais a ver comigo, vai para o cara da arte, do som, que preparam a matéria; tem o último corte que vai para o produtor ver a finalização e mostrar para o diretor. Depois segue para a emissora que dá um ok e ainda vem o [Marcelo]Tas que fala antes da matéria entrar no ar. Então, finalmente a matéria entra no ar. O humor no teatro é tempo imediato”, explica.

O humor caiu na rede Para além da televisão e o teatro, a internet tem sido um importante espaço para a divulgação do standu-up, tornando acessível para um número expressivo de internautas apresentações realizadas por humoristas em diferentes pontos do país. Para Diogo Portugal, a integração da web com o sucesso de alguns artistas na televisão foram fundamentais para alavancar o standu-up entre os diferentes públicos, mas também pode significar o risco de uma banalização do gênero. “Acho que isso se deu na internet [o sucesso]. Principalmente pelo fato de alguns comediantes de standu-up estarem se sobressaindo na TV e isso termina despertando o interesse; mas me preocupa a coisa do gênero virar moda, corre o risco de ser generalizado”, adverte.

Rafinha Bastos

Outro que aponta a rede mundial como responsável pelo enorme sucesso que o gênero tem alcançado é Bruno Motta: “Aqui no Brasil [o sucesso] está, por algumas coincidências, intimamente ligado à internet e ao YouTube, onde o formato ganhou muita força. O termo ‘comédia standu-up’ virou moda. E tem sido realmente um sucesso”.

Patrick Maia

O roteiro do riso O sucesso tem levado os shows de stand-up para novos espaços em diferentes pontos da cidade e se, inicialmente, lotava bares e teatros em horários alternativos, teoricamente mais difíceis, agora começa conquistar também o horário nobre de importantes espaços culturais. Atualmente diversos grupos estão com espetáculos em diferentes teatros e bares da capital, como o Clube da Comédia, o Comédia ao Vivo e o ImproRiso. Veja algumas das atrações em cartaz na cidade.

ImproRiso Teatro Procópio Ferreira Rua Augusta, 2823 Terça- feira, às 21h30 Tel.: 11 3083-4475

Divina Comédia Memphis Rock Bar Av. dos Imarés, 295 Quinta-feira às 20h Tel.: 11 5542-9767

Clube da Comédia Teatro Shopping Frei Caneca Rua Frei Caneca, 569 Quinta-feira às 21h Tel.: 11 3472-2226

Comédia ao Vivo Teatro Renaissance Alameda Santos, 223, Sexta-feira às 23h59 Tel.: 11 3069-2286

Marcela Leal

A internet tem sido um importante espaço para a divulgação do stand-up, tornando acessível para um número expressivo de internautas apresentações realizadas por humoristas em diferentes pontos do país

Comedians Comedy Club Rua Augusta, 1.129, Quinta-Feira a Domingo, a partir das 18h Tel.: 11 2615.1129

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

15


Em sua quinta edição, o evento aposta na qualidade e diversidade para levar o melhor da música, teatro, dança, ópera e circo para cidades do interior e do litoral do Estado Por Waldir Martins com Colaboração da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Cultura A Virada Paulista leva cultura de qualidade para as cidades do interior

M

aior evento cultural do interior e litoral de São Paulo, a Virada Cultural Paulista vai acontecer nos dias 14 e 15

de maio e espera alcançar um público superior a 1,6 milhões de pessoas. Organizada pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com o SESC São Paulo, o evento contará com a participação de importantes representantes da cultura nacional, além de renomados artistas internacionais. Entre os participantes podemos destacar nomes como Renato Teixeira, Fafá de Belém, Charlie Brown Jr., Arnaldo Antunes, Angra, que irão se apresentar ao lado de revelações como Maria Gadú, Thiago Pethit, Tulipa Ruiz, Marcelo Jeneci, Lulina, Les Pops, Luisa Maita e Karina Buhr. Também estarão presentes artistas internacionais como a cineasta Agnès Jaoui e as bandas Pink Martini e Superchunk, além de diversos DJs, espeUm grande número de atrações para um público estimado de 1,6 milhão de pessoas em 23 cidades

16

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

táculos de circo, dança, teatro e pocket ópera.


ESPECIAL

Arte e cultura para todos Criada com o propósito de ampliar o acesso à cultura para todas as camadas da população e, ao mesmo tempo, fortalecer outros centros culturais existentes no Estado além da capital, a Virada Cultural Paulista 2011 terá palcos montados nas cidades de Araçatuba, Araraquara, Assis, Botucatu, Campinas, Caraguatatuba, Franca, Indaiatuba, Jundiaí, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santa Bárbara d’Oeste, Santos, Santo André, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba. Segundo o Secretário da Cultura Andrea Matarazzo, a Virada Paulista cumpre ainda com o importante papel de atrair e formar novos públicos para aquelas modalidades de arte e cultura que não contam com tanto espaço na grande mídia. “O programa cumpre a sua missão de levar cultura de qualidade para cidades do interior e litoral do Estado. A Virada Cultural Paulista cresce a cada ano, leva pessoas às ruas e auxilia na formação de público em São Paulo”, afirma.

Ampliar o raio de ação

Um evento capaz de formar novos públicos

Além de apostar na música como um dos carros chefes para mobilizar os expectadores nas diferentes cidades, a Virada contará com uma intensa programação de espetáculos de teatro, com a apresentação de peças como Análise Comportamental e Crítica da Música Eduardo e Mônica, com direção de Fernanda D’Umbra em Assis; Assembléia dos Bichos, da Bendita Trupe em Botucatu; Bichos do Brasil, com Pia Fraus em Franca; e espetáculos de dança, intervenções urbanas, stand-up comedy, circo, cinema, arte de rua e música erudita.

“É uma oportunidade de ampliar o raio de ação e de experiências da instituição, proporcionando ambientes que favoreçam a convivência e a apreciação crítica e criativa como elementos para o desenvolvimento social do indivíduo”.

Arte, cultura e muita diversidade A cineasta, atriz e cantora francesa Agnès Jaoui leva aos palcos de Ribeirão Preto e Jundiaí sua interpretação, em português e espanhol, de músicas latinas. A diretora do premiado O Gosto dos Outros, Agnès canta clássicos como Olhos nos Olhos, de Chico Buarque, entre outros. Para os fãs do pop rock, vale conferir os shows do Superchunk em Mogi das Cruzes e Sorocaba. A banda Pink Martini apresenta um mix de música clássica, jazz e clássicos em Piracicaba e São José do Rio Preto. Um dos nomes badalados da nova MPB, Maria Gadú leva seu repertório para Araraquara. Aos 22 anos, sua voz suave arrancou elogios de Caetano Veloso e Milton Nascimento. Na Virada, a cantora apresenta sucessos do disco Maria Gadú 2009, como Shimbalaiê, A História de Lili Braun entre outros. Outro destaque é a veterana Fafá de Belém, que comemora 35 anos de carreira com o público de Araçatuba. Jovens artistas têm espaço garantido na programação da Virada. Estão confirmados shows de Tulipa Ruiz em Araçatuba e São Carlos. Cantora, compositora e desenhista, Tulipa Ruiz é uma das apostas da MPB moderna assim como o multiinstrumentista Marcelo Jeneci que se apresenta em Araraquara e Indaiatuba. Completam o time Thiago Pethit (Mogi das Cruzes), Lulina (Santa Bárbara), Luisa Maita (Mogi das Cruzes e Santa Bárbara), Karina Buhr (Santos e São Carlos) e Les Pops (São José dos Campos).

O desafio de ampliar o acesso à cultura

Parceiro fundamental do evento, o SESC São Paulo está abrindo suas unidades nas diferentes cidades do Interior e litoral, para a realização de uma rica e variada programação. Para o diretor regional da instituição, Danilo Santos de Miranda, o envolvimento do SESC/SP na Virada Cultural Paulista segue a vocação natural da instituição de trabalhar pelo fortalecimento da arte e cultura.

A Virada também aposta nas novas bandas. Apanhador Só se apresenta em Marília e São José do Rio Preto; Do Amor tem show marcado para São Carlos; Guizado vai para Jundiaí, Vega em Indaiatuba e Vespas Mandarinas em São José do Rio Preto.

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

17


ESPECIAL Stand up e dança Sucesso garantido na programação, artistas e grupos de stand-up comedy têm apresentações marcadas para as 2h30. Nany People apresenta-se em Piracicaba. Em Araraquara, vale à pena conferir a apresentação de Marcelo Mansfield. Ângela Dip sobe ao palco de Araraquara. Dentre os espetáculos de dança, a São Paulo Companhia de Dança leva suas sapatilhas para Santos; o Ballet Stagium dança nos palcos de Santa Bárbara e Santo André. Já o Cisne Negro marca presença em São Carlos e São José do Rio Preto.

Uma oportunidade para promover a apreciação crítica e criativa

Depoimentos João Barone é músico da Banda Paralamas do Sucesso A expectativa de participar da Virada Cultural Paulista é sempre maior a cada edição. Pois se trata de uma injeção de ânimo na cena cultural não só do estado de São Paulo, mas do Brasil como um todo. Já se vão vários anos desde a primeira edição e fica a noção clara de que o público quer esse tipo de evento, que junta gente consagrada e gente que está despontando. Thiago Pethit é compositor e músico O interessante da Virada é justamente o fato de ser um grande evento único, capaz de mobilizar a cidade toda, interferir na ‘virada’ de um dia para outro, com milhares de opções culturais. É um grande encontro do público frente ao que se vem produzindo culturalmente.

Além de nomes consagrados a Virada também aposta em novos talentos

Karina Bhur é cantora e representa a nova música pernambucana É muito importante por ter uma programação bem diversificada. Show pra todo mundo, de mpb a rock and roll e o que mais tiver por aí. Uma das coisas que mais gosto é da programação intensa de shows no meio da rua. Vivo isso sempre em Recife e participar disso na Virada Paulista é muito especial.

18

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Conheça a programação www.cultura.sp.gov.br www.viradaculturalpaulista.sp.gov.br

Acompanhe as informações da Virada Cultural Paulista nos twitters: www.twitter.com/viradasp www.twitter.com/culturasp

E no Facebook: www.facebook.com/culturasp


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

19


AGENDA Maio Um porto para Elizabeth Bishop Após repercutir internacionalmente, Regina Braga interpreta a escritora americana Elizabeth Bishop em comemoração ao centenário de uma das mais importantes poetas americanas do século 20, e sua relação com o Brasil, onde viveu por 15 anos. Um passeio turístico pelo país a fez desembarcar em uma aventura pessoal com Lota Macedo Soares aos 40 anos, o qual repercutiu inspirações á seus mais diversos trabalhos na época. Teatro Eva Herz – Av. Paulista, 2073 - Consolação Sextas e sábados às 21h e domingos às 19h - Até 26 de junho Preços: R$ 40,00 (sexta) e R$ 50,00 (sábado e domingo). Classificação 14 anos Fone: (11) 3170-4059 Informações: www.teatroevaherz.com.br - www.ingresso.com.br escolas públicas: (11) 3321-4400 | Acesso para pessoas com necessidades especiais | Entrada: franca |

Os Saltimbancos Um jumento, um cachorro, uma galinha e uma gata – esses são os protagonistas desse espetáculo, adaptado do original de Chico Buarque. Cansados dos abusos de seus donos, os quatro animais se unem e partem para a cidade a fim de realizar o sonho de tornarem-se grandes músicos. Horário: Sábados e domingos, às 16h Local: Teatro Folha End.: Avenida Higienópolis, 618 – Shopping Pátio Higienópolis – Zona Oeste – São Paulo Preço: R$30 (meia-entrada para estudantes e idosos) Até 26 de junho www.conteudoteatral.com.br/teatrofolha

A vida que eu pedi, Adeus Em tempo real de crises globais, o casal Armando (Ailton Graça) e Eurídes (Vera Mancini) decidem usufruir da criatividade para diversificar os “negócios”. Para isso eles utilizam de brilhantes idéias e algumas “pilantragens” para faturar uma graninha extra e levar vantagem em tudo como sempre. Só que desta vez nada sai como planejado e a vida que eles pediram, adeus. Teatro Gazeta – Av. Paulista, 900 Sexta às 21h, Sábado às 20h e Domingo às 18h - Até 14 de agosto Preços variam de R$30,00 (meia) á R$70,00 Classificação 12 anos Fone: (11) 3253-4102 Info: www.teatrogazeta.com.br

Nara Leão Em lembrança a eterna musa da Bossa Nova, o qual abriu caminho para nomes da MPB como Chico Buarque, Martinho da Vila, Edu Lobo, Paulinho da Viola e Fagner, entre outros faz uma sincronia entre a personalidade da cantora e sua importância na história da música brasileira. A atriz e roteirista da peça, Fernanda Couto, remonta toda sua trajetória, desde os encontros no apartamento de seu pai quando criança ás suas histórias mais pessoais. Teatro Jaraguá - R. Martins Fontes, nº 71 (Novotel Jaraguá) Sexta às 21h30, sábado às 21h e domingo às 19h Preço: R$ 40 (sexta e domingo) e R$ 50 (sábado). Informações: www.teatrojaragua.com.br Fone: (11) 3255-4380 2024 de junho REVISTA TÁXI CULTURA|Maio Até

Os olhos verdes do ciúme Inspirada nas cartas de D. Pedro II à Condessa de Barral, descobertas em 1950, a peça, estrelada por Suzy Rego, Adriano Cobianchi, Fernanda Sanches e Rodrigo Fabbro, já foi montada anteriormente em 2001, e volta agora para repetir o sucesso. O espetáculo começa com o dia da morte do imperador, e se desenvolve com divertida mistura de fatos políticos com desventuras amorosas de personagens da narrativa.

Os Olhos Verdes do Ciúme Horário: sexta às 21h30, sábados às 21h e domingos às 18h – Até 29 de Maio Local: Teatro Augusta End.: Rua Augusta, 943 Centro – São Paulo Preço: de R$50 a R$60 ou de R$ 25 à R$ 30 (meia-entrada) Tel.: (11) 3151-4141 http://www.teatroaugusta.com.br/


AGENDA MAIO

New York, New York Pela primeira vez no mundo, o musical, adaptado para o cinema com maestria por Martin Scorsese, será adaptado em versão teatral. Com humor refinado, o texto original de Mac Rauch conta a história de amor entre a cantora Francine Evans (protagonizada por Alessandra Maestrini) e o saxofonista John Boyle (Juan Alba), em cenário da América pósguerra. A montagem conta com direção de José Possi Neto e participações especiais de Simone Gutierrez e Julianne Daud.

Horários: quintas 21h, sextas 21h30, sábados 21h; domingos 19h Preço: R$ 20 a R$ 170 Local: Teatro Bradesco Endereço: Rua Turiassu, 2100 Piso Perdizes do Bourbon Shopping São Paulo Até 3 de julho Tel. (11) 3670-4110 www.ingressorapido.com.br

Exposição “A Arte na Mecânica do Movimento” Em parceria com o município de Sainte-Croix, na Suíça, a exposição mostra ao público como as cidades necessitam da mecânica para o seu desenvolvimento. Estruturada em três núcleos temáticos: História, Música e Autômatos, os espaços contam a história de progresso da região juntamente á utilização das máquinas.

Galeria de Arte do Sesi – Av. Paulista, 1313 – Bela Vista Segunda-feira das 11h às 20h; terça a sábado, das 10h às 20h; e domingo das 10h ás 19h Entrada Franca Fone: (11) 3146-7405 http://www.sesisp.org.br 19 de abril a 26 de junho

12ª Festa do Divino Espírito Santo

O Mundo Mágico de Escher

Zeca Pagodinho

Uma antiga tradição luso-brasileira do catolicismo popular promove um intercâmbio cultural entre a cidade de São Paulo e São Luis do Maranhão entre os dias 7 e 28 de maio. A festa é considerada uma das mais importantes manifestações culturais e religiosas do estado, mobilizando todo ano milhares de devotos. O grupo é conduzido por mulheres, conhecidas como caixeiras do Divino, elas cantam e tocam tambores durante a celebração. Espaço Cachuera! Rua Monte Alegre, 1.094 - Perdizes Atividades gratuitas no local Fone: (11) 3872 8113 - www.cachuera.org.br De 7 a 28 de Maio

A mostra reúne 95 obras de diferentes técnicas do artista gráfico, Maurits Cornelis Escher, como gravuras, desenhos e fac-smiles, além de espaços interativos que estimulam a percepção de dimensões diferentes, o que caracterizou suas obras. Centro Cultural Banco do Brasil - Rua Álvares Penteado, 112 - Centro Terça a domingo, das 10h às 20h Entrada Franca Contato: (11) 3113-3651 19 de abril a 17 de julho

Vindo das rodas de samba do Rio de Janeiro, Zeca Pagodinho, apresenta em seu 22º título, temas mais românticos para o seu repertório da tuor “Vida da Minha Vida”. Além de apresentar músicas que perpetuam no imaginário brasileiro, como “Deixa a Vida Me Levar” e “Quem é Ela”, em representação ao samba boêmio da melhor qualidade. Credicard Hall - Av. das Nações Unidas, 17.955 - Santo Amaro Horário: 22h Preço: de R$70 a R$200 Fone: (11) 4004-3100 Ingressos: www.credicardhall.com.br Dias 27 e 28 de maio

Urban Music um festival de cultura urbana

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

21


AGENDA

maio

EVENTOS ... Exposição de Roberto Carlos em “O Artista e seu público”

Pela primeira vez no mundo, o musical, adaptado para o cinema com maestria por Martin Scorsese, será adaptado em versão teatral.

A mostra reúne fotografias dos mais diversos momentos do Rei, com mais de 40 fotos e uma pintura de 1976, restaurada por Maria Helena Chartuni. Além de contar sua trajetória artística desde o início da jovem Guarda até os dias de hoje, após 50 anos de carreira. Galeria de Arte do Sesi Av. Paulista, 1313 – Bela Vista Segunda-feira das 11h às 20h; terça a sábado, das 10h às 20h; e domingo das 10h ás 19h Entrada Franca Fone: (11) 3146-7405 http://www.sesisp.org.br/ 19 de abril a 26 de junho

Village People O maior fenômeno da era disco dos anos 80 desembarca em São Paulo, em única apresentação para relembrar os hits consagrados da “dance music”, como “YMCA”, “Macho Man”, e “San Francisco”. O diferencial da banda sempre foram as coreografias marcantes e suas caracterizações, que se mantêm á 34 anos com o Índio Felipe Rose, o soldado Alex Briley, o construtor David Rodo, o policial Ray Sampson, o cowboy Jeff Olson e o motociclista Eric Anzalone. HSBC Brasil Rua Bragança Paulista, 1281 Chácara Santo Antonio Horário 22h Preços de R$80 a R$250 Ingressos: www.ingressorapido.com.br www.hsbcbrasil.com.br Dia 27 de Maio

Os Saltimbancos Um jumento, um cachorro, uma galinha e uma gata – esses são os protagonistas desse espetáculo, adaptado do original de Chico Buarque. A essência e a história dos aromas Uma exposição que, literalmente, cheira bem. Onde os visitantes têm a oportunidade de conhecer mais sobre a história das fragrâncias que os acompanham desde sempre, através de um acervo rico em imagens, cores, sons e aromas. Com relíquias de perfumaria, a mostra vai explicar boa parte dos cinco mil anos de existência dos perfumes, sua relação com a moda e também todos tipos de curiosidades. Espaço Perfume Arte + História – Rua Dr. Emílio Ribas, 110 – Perdizes Entrada Franca Terça a sábado (exceto quinta) das 10h às 18h; quinta das 10h às 20h; domingo das 12h às 18h (Chegar 40 minutos antes do enceramento) Em cartaz por tempo indeterminado

22

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Urban Music Festival: Festival de cultura urbana O Urban é o primeiro festival dedicado á cultura urbana, que une a música nacional e internacional ao art street, grafite, stencial art e esportes radicais num único lugar. São mais de 12 horas de atrações divididos em Urban Day e Urban Night. Dentre as atrações confirmadas esta a estrela do soul Cee Lo Green e John Legend, juntamente com The Roots. Além da presença nacional de Emicida, representando o rap nacional. Arena Anhembi Av. Olavo Fontoura, 1.209 Preço: de R$100 a R$600 Classificação 16 anos Infos: www.urbanmusicfestival.com.br 29 de Maio


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

23


24

REVISTA Tテ々I CULTURA|Maio


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

25


SÃO PAULO

UM MUNDO TODO

Por Fernanda Grandino

As delícias de um bom risoto Descubra como fugir do óbvio e garanta momentos de verdadeiro prazer gastronômico com um ingrediente absolutamente trivial: o nosso bom e velho arroz Graças à facilidade no seu preparo e incorporação

O resultado foi uma coloração amarela e um sabor

a outros sabores, o arroz pode ser usado como com-

muito diferenciado, que agradou a todos e hoje é con-

ponente em uma infinidade de pratos, de sopas a

hecido como Risotto alla Milanese.

doces; como acompanhamento para carnes e peixes,

De maneira geral, a elaboração do prato é bastante

ou ainda em pratos em que aparece como ingredi-

simples por manter uma base fixa; a variedade de cada

ente principal.

receita se dá pela adição dos diferentes ingredientes

Por ter um baixo custo de consumo e ser muito versátil e nutritivo, o arroz, em todas as suas variedades, é base alimentar de diversas culinárias ao redor do planeta e, portanto, um dos alimentos mais

O restaurante Donna Ducca, comandado pelo chef Francisco Andrade, 30, tem em seu menu um risoto de

Mangia che te fa bene!

ceita, de elaboração bastante simples, mistura arroz ar-

frutos do mar para italiano nenhum botar defeito. A re-

A Itália é o maior produtor de arroz na Europa, muito

bóreo com camarão, lula, marisco, vôngole e polvo, re-

embora sua população não seja uma grande consumi-

gados com um bom vinho branco e azeite, e encanta os

dora do grão – um italiano come em média 8,5 kg de

paladares mais exigentes de verdadeiros apreciadores

arroz por ano, enquanto um brasileiro chega a 58 kg.

da culinária italiana.

Apesar do baixo consumo, foi na Itália que teve ori-

Para o chef, a maior dificuldade em servir o prato é

gem um dos melhores usos do arroz na culinária: o

garantir a cremosidade, textura adequada dos grãos –

risoto, que levou o país a desenvolver mais o cultivo

que ao serem cozidos devem estar “al dente” - e uma

das variedades arbóreo e carnaroli, mais adequados

boa apresentação. “O segredo de um bom risoto é ir

para o preparo do prato.

adicionando o caldo aos poucos, e deixando o grão ir

mas a ideia central é de que ele surgiu durante a

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Um risoto Ducca

produzidos em diversos países.

Há várias lendas revolvendo a criação do risoto,

26

que irão incrementar o aroma e sabor.

absorvendo o líquido. Colocar de uma vez acaba empapando o risoto”, alerta.

construção da Catedral de Milão no início do século

Para a apresentação, que deve ser impecável, conta

XVI de forma acidental: o açafrão, que era muito uti-

os imponentes camarões pistola que compõem o prato

lizado para colorir os vitrais, acabou sendo misturado

e são colocados sobre o risoto, a fim de aguçar ainda

no arroz que seria servido aos trabalhadores na obra.

mais o paladar através da visão.


SÃO PAULO

UM MUNDO TODO

Criatividade é o que não falta na hora de preparar pratos com chocolate

Mistura de sabores marcantes Uma outra opção é o risoto servido pelo chef Alexandre

diferenciada e contou com a textura e o sabor

Romano, 39, no restaurante Aguzzo. Com bastante experiên-

do risoto de aspargos, para combinar com uma

cia em culinária italiana, Romano aposta na composição do

truta grelhada ao limone, como uma alternati-

arroz com caldo de legumes, abobrinha, shitake, alcachofra,

va às carnes vermelhas tradicionalmente servi-

parmesão e manteiga para agradar o paladar dos clientes

das na casa. O casamento entre a cremosidade

herdeiros dos costumes dos imigrantes italianos.

do risoto e o sabor cítrico do molho do peixe

“A mistura de sabores é muito importante para o sucesso do risoto. Por isso, os legumes, que têm sabores marcantes, são realçados pelo caldo. A mistura de texturas diferentes

resulta na combinação perfeita para o paladar.

O acompanhamento perfeito

proporcionada pela maciez dos legumes, a cremosidade

Há um ditado italiano que diz que “o arroz

gerada pela liberação do amido do arroz com o caldo que é

nasce na água, mas morre no vinho”. Sendo

adicionado aos poucos e a consistência do arroz “al dente”

assim, uma boa taça de vinho é sempre a me-

conferem ao risoto a característica de imprevisibilidade a

lhor pedida para acompanhar a refeição.

cada garfada”, enfatiza Romano. Por se tratar de ingredientes muito delicados, o chef

Para realizar um acompanhamento perfeito, tanto o chef

Francisco Andrade, do

chama a atenção principalmente ao cuidado de manter o

Donna Ducca, quanto Fábio Alves de Lima, do

ponto certo de cozimento dos legumes, que é outro grande

Parrilla Ladrillo, apostam nas notas de espe-

diferencial, também na hora de finalizar o prato. “A apre-

ciarias, como o pimentão vermelho, e frutas

sentação é a clássica dos risotos, valorizada pelo colorido

vermelhas do Pinot Noir Montgras, para com-

dos ingredientes. Sempre com bastante cuidado no serviço

binar com o sabor de seus pratos. Trata-se de

para garantir que seja servido quente, sem estar muito seco

um vinho de origem chilena, equilibrado, que

nem com muita umidade, e tomando cuidado com a quanti-

apresenta taninos maduros e um final longo.

dade de parmesão, que pode matar o sabor do prato”.

Um prato multicultural A popularidade do risoto é tão grande que não é exclusiv-

Já para acompanhar o prato do Aguzzo, chef Alexandre Romano sugere o vinho Trebbiano d´Abruzzo (Itália) das safras de 2007/2009. Não é muito aromático e contém notas

idade de restaurantes italianos. O Parrilla Ladrillo, um res-

cítricas e certa neutralidade no sabor. Bastante

taurante especializado em carnes importadas da Argentina,

delicado, traz no paladar referências de amên-

também apostou no desenvolvimento do tradicional prato.

doas e azeitonas verdes, sendo refrescante e

O chef Fábio Alves de Lima, 29, decidiu criar uma receita

seco na boca.

O chef Alexandre Romano, do restaurante Aguzzo, aposta na combinação de sabores para conquistar o paladar mais exigente

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

27


Com uma geografia bastante peculiar, a cidade de Brotas apresenta uma natural vocação para a prática de diferentes modalidades de esportes radicais

Uma combinação perfeita entre a vida simples do campo e um mergulho na natureza

28

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio


BANDEIRA

LIVRE

Por Waldir Martins Jurema Oliveira

Brotas

A Capital do Turismo de Aventura Rafting, boiacross, canoagem, arvorismo, cavalgada, pesca esportiva, escalada, rapel, cachoeirismo: escolha a atividade que mais lhe interessa e venha praticar em Brotas

D

istante apenas 242 km da capital paulista, a cidade

de Brotas está inserida em uma das mais desenvolvidas e estruturadas regiões do país. Sua geografia privilegiada e o forte trabalho realizado na preservação de suas reservas naturais também têm colocado a cidade como um dos mais procurados e movimentados destinos de turismo ecológico e de aventura.

Além de contar com uma grande parcela de mata nativa, formada principalmente por cerrado e mata atlântica, guarda uma considerável biodiversidade animal e vegetal e um enorme manancial hídrico, associado às bacias dos Rios Piracicaba, Baixo Tietê e Paranapanema, que atravessa a Área de Preservação Ambiental de Corumbataí, Botucatu e Tejupá.

Vocação para esportes radicais Suas nascentes localizadas em áreas de relevo acidentado - as chamadas cuestas basálticas (formações de relevo tabular, com escarpas íngremes que limitam um topo plano de terras de maiores altitudes que se contrapõem a terras mais baixas e de vertentes suaves) - confirmam a natural vocação que toda a região apresenta para a prática de diferentes modalidades de esportes radicais. Além disso, o visitante pode mergulhar e desfrutar de dezenas de diferentes cachoeiras. Essas condições peculiares fazem de Brotas uma das poucas cidades brasileiras que ainda conciliam aquele tradicional ambiente da vida rural - focado de forma predominante na agricultura e agropecuária – com atrações onde a natureza se revela com toda sua força e esplendor. Essa grande variedade de recursos naturais, aliada ao incremento de produtos e serviços turísticos, termina por consolidar a região como uma referência nacional para quem busca uma combinação perfeita entre a vida simples do campo, aventura e mergulho na natureza.

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

29


BANDEIRA

Divulgação

LIVRE (IBGE; 2010) e economia predominantemente agrícola, Brotas encontrou no turismo e na preservação ambiental duas importantes ferramentas econômicas para viabilizar uma situação de desenvolvimento sustentável. Já no início dos anos 90, a Organização Não Governamental Movimento Rio Vivo iniciou um importante trabalho para combater a instalação de indústrias poluidoras no município. De olho no futuro, no ano de 1994 era criada a primeira agência de turismo de Brotas, que operava passeios de boiacross e trilhas, permitindo o acesso às diversas cachoeiras da região. Apenas dois anos depois, os pacotes turísticos para a cidade já incluíam passeios de Rafting pelo rio Jacaré. Hoje, a cidade conta com um total de onze agências e operadoras de turismo que, em parceria com o governo municipal, juntamente com hotéis e sítios turísticos, continuam apostando e investindo na profissionalização do turismo sustentável. Trabalhando dentro deste espírito preservacionista, Brotas foi a primeira cidade do Brasil a criar uma lei de turismo e terminou por inspirar o Ministério do Turismo e a Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura - ABETA a criarem o Programa Aventura Segura, destinado a normatizar as práticas do turismo de aventura e ecoturismo.

Cultura e gastronomia O rio Jacaré-Pepira

Brotas

Um dos poucos rios ainda não poluídos do Estado de São Paulo, o Jacaré-Pepira literalmente cruza a cidade de Brotas e se caracteriza como uma das suas principais atrações, formando várias quedas e corredeiras no charmoso “Parque dos Saltos”. Com sua nascente localizada no alto da Serra de Itaqueri, a 960 m de altitude, o Jacaré-Pepira deságua no rio Tietê, no município de Ibitinga, após um percurso de 174 km.

foi a primeira cidade do Brasil a criar uma lei de turismo e terminou por inspirar a normatização das práticas do turismo de aventura e ecoturismo em todo país

Vale notar a diferença de mais de 500 metros de altura entre a nascente e a foz do rio, responsável pela formação do grande número de corredeiras, várzeas exuberantes e incríveis quedas d’água existentes por toda região. O rio tem uma única interrupção no seu curso, que ocorre após o percurso inicial de 16 km, onde se encontra artificialmente represado por uma barragem de 10m, a chamada Usina do Jacaré. Depois de contribuir com a iluminação da cidade nos anos 40 e 50, foi desativada na década de 70. No ano de 1996, foi doada pela Companhia de Energia de São Paulo - CESP para a Fundação do Patrimônio Histórico das Energias de São Paulo – FPHESP.

O turismo como forma de preservar A condição privilegiada do Jacaré-Pepira é fruto do esforço e compromisso que a comunidade de Brotas sempre teve com o rio. Com uma população um pouco superior a 21 mil habitantes

30

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Embora os atrativos naturais sejam o grande diferencial de Brotas, a cidade possui monumentos históricos que estão, em sua totalidade, ligados ao período em que a cidade foi um dos grandes centros produtores de café do Estado. Na zona rural encontram-se sedes de fazendas do final do século XIX preservadas, e a cidade conta com casarões antigos com expressiva arquitetura da época. A cultura popular está contida na típica rotina interiorana. A gastronomia tem como destaque a culinária caipira, cujo principal atrativo é o fogão a lenha, utilizado até hoje por grande parcela da população rural. O artesanato conta com produtos como bordados, trabalhos em bambu e alimentos, entre os quais se destacam os doces caseiros, licores, queijo, mel, cachaças artesanais e muitos outros.

O centro do Universo Outra atração da cidade é a inusitada Fundação CEU - Centro de Estudos do Universo, onde o visitante pode realizar a observação de planetas e nebulosas pelos telescópios, e conhecer os segredos do universo através de um planetário, além de vivenciar explorações arqueológicas. O Museu do Calhambeque – com seu acervo de carros antigos, formado por Fordinhos e Baratinhas, além de peças, ferramentas e utensílios de época – e o Cine São José completam o roteiro cultural do centro da cidade.


BANDEIRA

LIVRE

Localizadas em fazendas particulares - boa parte delas oriundas dos tempos áureos do café, que predominou durante muitos anos na região - e abertas ao público mediante pagamento de uma taxa de visitação, as cachoeiras são os principais atrativos para os visitantes. Estruturadas em sítios turísticos, os novos centros combinam a magia e nostalgia das antigas fazendas, com uma completa estrutura de lazer, com lanchonete, restaurante, vestiários, piscina, área para churrasco dentre outros, ideal para se passar o dia com a família.

Principais sítios turísticos Alaya – Centro de Aventura Sítio com Licença Turística Ambiental localizado a 4km do centro de Brotas; conta com uma piscina natural de 2500m², conhecida como Praia do Poção, e uma praia fluvial do Rio Jacaré-Pepira. Areia que canta - Corredeira do Ribeirão Tamanduá Sítio com Licença Turística Ambiental, apresenta uma bela e rara nascente do famoso aquífero Guarani, onde olhos d’água cercados por remanescentes de mata ciliar formam uma piscina natural de água cristalina e borbulhante. O atrito com o fundo de areia branca muito fina (quartzosa) provoca um som peculiar, que origina o nome “Areia que canta”. O local oferece ainda banho de cachoeira e passeio pelas corredeiras do Ribeirão Tamanduá, um dos mais importantes afluentes do rio Jacaré- Pepira, além de caminhada, tirolesa e turismo rural. Fazenda Cassorova Localizada no alto da serra, na região do Patrimônio de São Sebastião da Serra, distante 26km do centro de Brotas, a Fazenda dá acesso a duas das mais conhecidas quedas d’água da região: a Cachoeira dos Quatis, com 46m de altura, uma trilha moderada e 1,5km de caminhada; e a Cachoeira Cassorova, um dos cartões postais de Brotas, com 60m de altura e uma trilha de dificuldade moderada, mas com apenas 200m de extensão. Cachoeira Escorregador Também localizada na região do Patrimônio de São Sebastião da Serra, dá acesso a uma cascata com várias quedas d’água – de onde vem o nome escorregador – e uma incrível piscina natural. Distante 38km do centro de Brotas, conta com uma trilha de fácil acesso.

Divulgação

O encanto das cachoeiras Cachoeira das Três Quedas Remanescente do período áureo do café, dá acesso à Cachoeira das Andorinhas, que possui 20m de altura e tem seu nome relacionado ao grande número de andorinhas que frequentam o local e dormem no seu paredão de pedra. A Cachoeira da Figueira tem 40 m de altura e uma figueira centenária na trilha de acesso, e a Cachoeirinha da Nascente, de 6m de altura. Recanto das Cachoeiras Localizado no alto da Serra da Roseira, o Recanto é um local privilegiado por sua natureza deslumbrante e muito bem preservada. Permite visitar duas cachoeiras formadas pelas nascentes que caem na encosta da Furna do Rio Jacaré; mais próxima e de fácil acesso, a cachoeira do Santo Antonio, com 15m de altura, e, descendo por uma trilha mais íngreme e longa, a Cachoeira da Roseira, com 55 m de altura. Cachoeira do Martello Distante 11km do centro da cidade de Brotas, a fazenda está localizada bem no pé da serra e dá acesso às Cachoeiras do Martello e da Primavera. A cachoeira do Martello tem 55m, uma trilha de média distância e dificuldade de acesso moderada, e a Primavera, com 30m e uma trilha fácil e curta. Ecoparque - Fundação do Patrimônio Histórico e Cultural de São Paulo Localizado à beira da Represa do Patrimônio e às margens do Rio Jacaré-Pepira, dispõe de uma área com 500 mil m² de mata preservada na cabeceira do Rio Jacaré-Pepira e leva às cachoeiras de São Sebastião, com 25m e a cachoeira do Jacaré, com 30 m. Como em quase todas os sítios turísticos, oferece atividades como tirolesa, arvorismo, banho de cachoeira, caminhada em trilha, cavalgada, canionismo e banana-boat. Parque dos Santos (Entrada Gratuita) Localizado no perímetro urbano, é outro cartão postal de Brotas, pois o rio corta a cidade, formando várias quedas e corredeiras, onde anualmente são realizados vários eventos, principalmente ligados à prática dos esportes de aventura. Abriga ainda um prédio de valor histórico e arquitetônico da antiga usina hidrelétrica do início do século XX, quando Brotas já tinha iluminação pública elétrica, antes mesmo da capital. Represa do Rio Jacaré Localizada no Bairro do Patrimônio, no alto da serra, a 23km do centro da cidade, ocupa uma área de aproximadamente 14,5ha, onde os visitantes podem nadar, pescar, praticas esportes náuticos, caiaque e passeios de barco.

Paraíso do turismo de aventura, Brotas aposta na preservação ambiental para fortalecer a sua indústria do turismo

Maiores informações http://www.brotas.sp.gov.br/ http://www.brotas.tur.br/ http://www.brotas.com.br/

Como chegar Via São Paulo: Saída pela Rodovia dos Bandeirantes seguir até Cordeirópolis - Km 168, entrar à direita na Rodovia Washington Luís (sentido São Carlos/São José do Rio Preto). Seguir pela Rodovia Washington Luís até o KM 206B, entrar à direita (seguir placas Jaú/ Brotas) pela SP 225 ou Rodovia Paulo Nilo Romano. Seguir 40 km até a entrada de Brotas.

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

31


QUALIDADE

DE VIDA

Por Fernanda Monteforte

A força do grupo Consciência do coletivo Evoluir em conjunto Aprenda a crescer com o feedback dos outros, através da capacidade de ouvir e assimilar pontos de vista diferenciados

Alcançamos o máximo de nossa capacidade de realização quando conseguimos interagir de forma positiva e harmônica dentro dos coletivos onde estamos incluídos

U

O grupo acumula uma força de coesão, proporcional a força de seus membros.

m indivíduo, por mais forte, realizador e autosuficiente que seja, continua sendo apenas uma pessoa só. Pode caminhar mais rápido, mas, certamente, terá muito menos potencial para a realização, quer seja no âmbito pessoal ou profissional. Evoluir em conjunto é muito mais trabalhoso, por vezes mais lento, entretanto, muito mais satisfatório. Ao contrário do que pode parecer, crescemos muito mais quando vivenciamos o autoestudo, inseridos e integrados ao ambiente social, do que quando nos escondemos em nossas redomas, sob o pretexto de que não precisamos de nada e nem de ninguém. O ser humano é um ser sociável.

Comunicação aberta Esse cuidado no direcionamento de um grupo – entenda como duas ou mais pessoas – é essencial, vital à sua manutenção e desenvolvimento, pois, gerada a força de coesão, ela passa a ter autonomia para impulsionar os seus membros. Se criarmos um ambiente de comunicação aberta, de respeito, de felicidade, de companheirismo, em pouco tempo o grupo vai vibrar nesta tônica e solicitar esse tipo de alimento. Da mesma forma, um ambiente com cisma, fofocas, conflitos e discórdia passa a solicitar alimentos que podem instituir uma guerra de nervos tanto no âmbito familiar, como no âmbito profissional.

Crescer junto com os outros Para conviver e estabelecer relações genuínas, significativas, profundas, ricas e realizadoras é necessário, primeiro, desenvolver liderança e gerenciamento de nossas emoções, da nossa autoestima e autoconfiança.

O grupo passa a solicitar como alimento as mesmas emoções que o criaram. Essa percepção é essencial para avaliarmos com quem queremos nos atrelar, quais são os valores que pretendemos agregar em nossa vida e como queremos nutrir o ambiente em que vivemos.

São esses atributos que irão nos impelir a expor com convicção o que pensamos e sentimos e, por outro lado, desenvolver a habilidade de crescer através do feedback dos outros, através da capacidade de ouvir e assimilar, de coração aberto, o ponto de vista diferenciado que cada um tem da existência.

Fernanda Monteforte é consultora de qualidade de vida e ministra aulas do Método DeRose. fernanda.monteforte@metododerose.org

32

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

1)

2)

3)

4)

Ao escolhermos conexões alinhadas aos nossos valores internos, nossa vida passa a fluir muito melhor, como se fôssemos conduzidos por um belo rio existencial.

Procure se aproximar de pessoas descom- plicadas. Gente feliz, saudável, de bom caráter, boa índole;

Estabeleça relações genuínas pautadas na confiança, respeito, reciprocidade;

Conquiste credibilidade. Se prometer algo, cumpra. Honrar seus compromissos amplia consideravelmente a sua confiança; Tente compreender os seus pares, aceitar os seus valores e agregá-los a você; de dentro para fora;

5)

Preste atenção no outro e faça pequenas gentilezas; o descaso e desrespeito geram afastamento;

Conquiste polidez e educação para se relacio-

6) 7)

nar de forma cada vez melhor;

Demonstre integridade, honestidade e lealdade;

Afaste-se de pessoas fracas, influenciáveis,

8)

com vícios e mentiras. Se for líder de um grupo, atente-se a elas para melhor direcioná-las.


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

33


SP

TEM Por Camila Silva

Cultura ao ar livre Além de propiciar uma vista privilegiada do Espigão da Paulista, a Esplanada Lina Bo Bardi abriga os mais variados eventos e atividades que acontecem na cidade

M

editação, caminhadas, divulgação de eventos, feira de artesanato ou um simples local para admirar a região central da metrópole e conversar com os amigos. A Esplanada Lina Bo Bardi, mais conhecida como Vão Livre do Museu de Arte de São Paulo - MASP, tem de tudo. O jornalista Assis Chateaubriand cultivou, por décadas, a ideia de criar um grande museu em São Paulo. Em parceria com o jornalista italiano Pietro Maria Bardi, o projeto ganhou forma em 1957, quando a dupla recebeu a doação de um terreno, mas com a condição de preservar a vista do centro da cidade. Coube então à Lina Bo Bardi, arquiteta modernista italiana e mulher de Pietro Maria, a missão de projetar a sede do principal museu de arte do Hemisfério Sul. Para cumprir a exigência, Lina desenhou um prédio sustentado por quatro grandes pilares laterais. No dia 7 de novembro de 1968, São Paulo ganhou um dos seus mais famosos cartões postais e 74 metros livres para a realização de eventos, manifestações e encontros dos paulistanos.

Atrações para todos os gostos “Nós temos o costume de usar o Vão do MASP para fazer a divulgação da festa do Ano Novo Chinês pela representatividade do local, já que o espaço está no coração da cidade, considerando ainda a grande circulação de pessoas”, contou Felipe Liu, presidente da JCI Brasil China (Câmara júnior Brasil China), responsável pela organiza-

34

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

ção do evento. A divulgação da ONG deu certo: nos dias 29 e 30 de janeiro, a festa do Ano Novo Chinês reuniu cerca de 180 mil pessoas na Praça da Liberdade. Segundo o MASP, a maioria dos eventos realizados no Vão Livre é terceirizada ou não tem relação com o museu. Mas, quem não tem a oportunidade de participar dos eventos que acontecem, em geral, durante a semana, podem conferir uma atração presente todos os domingos: a Feira de Antiguidades da Paulista.

Antigo e acessível Realizada pela Associação de Antiquários do Estado de São Paulo, a “Feirinha” ganha o vão do MASP todos os domingos, das 10h às 17h, há 32 anos. “O Pietro Maria Bardi ficava ressentido por não haver em São Paulo uma feira de antiguidades e ele tinha o desejo de criar uma. Surgiu então a Associação dos Antiquários e a união com o jornalista fez com que a feira fosse criada e viesse para cá”, relatou George Sampaio vicepresidente e diretor social da Associação. Eclética, a feirinha oferece produtos e preços para todos os gostos e bolsos, desde itens colecionáveis como brinquedos promocionais e moedas, até relógios antigos, peças decorativas e artigos raros da arte barroca e do século XX. Tanta diversidade e seriedade tornaram o trabalho dos 120 expositores internacionalmente conhecido, já que a Feira de Antiguidades faz parte do roteiro turístico da cidade e atrai cerca de 3 mil pessoas por domingo.

O espaço da arte e do encontro Inaugurado no ano de 1947 o Masp inicialmente instalou-se em quatro andares do edifício dos Diários Associados, adaptados por Lina Bo Bardi. A construção do prédio atual ficou pronta apenas no ano de 1968


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

35


MORAR

BEM Divulgação

Por Ana Castro

Iluminação é tudo!

T

ecnologias avançadas e projetos criativos e inovadores permitem que os ambientes se tornem mais funcionais, mais agradáveis e

Divulgação

Divulgação

Um projeto bem elaborado pode valorizar o seu ambiente e conferir maior funcionalidade

acolhedores e principalmente sustentáveis, adequan-

Ana Castro é designer de interiores ana@anacastro.com.br

do os espaços aos níveis corretos de luminosidade, com máximo aproveitamento da luz natural, o que não significa apenas abrir panos de luz criando ofuscamento ou elevação da temperatura ambiente. Há que se fazer um projeto elaborado onde todos os detalhes deverão ser minuciosamente pensados, valorizando o cotidiano do morador, seu conforto, função do espaço e a eficiência energética

Os projetos apresentados nessa edição do Morar Bem foram assinados pela designer Adriana Scartaris

36

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Desenvolver um projeto Criar cenários, valorizar pontos específicos, mesclar tipos de lâmpadas e dividir circuitos, é o que compõe um projeto luminotécnico que se adeque a

Criar cenários, valorizar pontos específicos, mesclar tipos de lâmpadas e dividir circuitos, é o que compõe um projeto luminotécnico


MORAR

BEM

qualquer estilo de vida, todo padrão de residência ou disponibilidade e recursos financeiros. No mercado de iluminação há uma gama infindável de luminárias dos designs mais simples aos mais elaborados, acessíveis a todos os bolsos que permitem desenvolver belos projetos com resultados positivos que demonstrem o bom gosto do morador e a funcionalidade do ambiente projetado. Em um projeto decorativo mais elaborado, deve-se valorizar uma parede utilizando pontos dispostos equitativamente distanciados por toda a linha da parede criando do um efeito de banho de luz - wall wash. Quadros e esculturas devem ser destacadas com uma iluminação pontual com spots direcionáveis incidindo o facho de luz de acordo com o efeito desejado.

do, podem ser o contraponto de destaque em um projeto clean, ao mesmo tempo em que criam um cenário acolhedor, quando utilizado isoladamente. Alguns outros pontos também devem ser levados em consideração em um bom projeto: no caso do pé direito do ambiente ser alto ou duplo, devemos dar preferência a fachos que incidam de cima para baixo, sobre paredes e piso, conferindo maior destaques a objetos. No caso de pé direito baixo, o uso de fachos projetados do chão para o alto cria a sensação visual de maior altura.

Foco na eficiência energética Atentar-se para a funcionalidade do ambiente é fundamental, logo a cor da iluminação é importante. As cores quentes são indicadas para ambi-

Cuidado nos detalhes

No caso de pé direito baixo o uso de fachos projetados do chão para o alto cria a sensação visual de maior altura.

Misturar elementos de épocas distintas também causa um bonito resultado estético. Uma sala de jantar pode ter um destaque relevante ao utilizarmos uma bela luminária antiga de cristal sobre uma mesa moderna, luminária essa que poderá ser comprada inclusive em feiras de antiguidade ou uma peça de família que estava guardada sem uso. Luminárias de pé, com design diferencia-

entes de relaxamento e as frias para os que se destinam a atividades em geral. Porém, a grande vedete do momento e que também visa a eficiência energética são os LEDs (Light Emiter Diode) que, apesar de um custo inicial alto possibilitam uma economia de energia em torno de 80% e existem em várias versões para iluminação de destaque, iluminação de sancas, jardins, piscinas. Economia, funcionalidade e beleza, o tripé a ser considerado em projeto de iluminação.

Maio | REVISTA TÁXI CULTURA

37


MUNDO

CÃO&CIA

Por Fernanda Grandino

Tá no pote!

Apesar de possuir um paladar afinado com os humanos, as necessidades nutricionais dos animais são muito distintas das nossas Embora seja altamente recomendável que se evite dar comida de humanos para os animais de estimação, é fato que, eventualmente, isso acontece. Um pedacinho de carne num churrasco ou uma lasquinha de pão no café da tarde sempre acabam fugindo do controle. Apesar de não nos parecer apetitosa, a ração dos animais é composta por tudo o que garante a eles uma alimentação balanceada e saudável, enquanto a comida que consumimos não oferece todos os nutrientes de que eles necessitam e, muitas vezes, não é totalmente digerida, terminando por desencadear diversas enfermidades como diabetes, obesidade, problemas de reprodução e no aparelho digestivo. Segundo Tatiana Pelúcio, assessora técnica do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo - CRMV-SP, as rações são criadas após muito estudo acerca dessas necessidades específicas. “A alimentação com ração adequada de qualidade é suficiente, não sendo necessário o fornecimento de mais nenhum outro tipo de alimento”, afirma.

Além das rações, existe uma enorme oferta de petiscos e guloseimas produzidos especificamente para animais e que podem ser incluídos na dieta do pet, porém sem exageros. Já os suplementos alimentares devem ser consumidos apenas com indicação do veterinário, pois certos nutrientes, quando ingeridos em excesso, podem ocasionar sérios problemas à saúde do animal.

siga as dicas do seu veterinário

Na hora de comer: Nunca ofereça sua comida aos animais Uma ração de qualidade contém todos os ingredientes necessários para oferecer uma alimentação balanceada e saudável

Rações, petiscos e guloseimas Com a explosão do mercado pet, a oferta de rações cresceu muito: há diversos sabores, formas, e cada uma tem uma função - desde controle de peso, prevenção de doenças hepáticas e ósseas e até controle de odor das fezes. Para selecionar a mais adequada, é importante levar em conta a idade e o peso do animal, o ambiente onde vive, se já teve alguma doença, além de possíveis alergias a componentes da ração que o bicho irá consumir. Para a especialista do CRMV-SP, na hora de escolher a ração do seu bichinho, o ideal é conversar com o veterinário que cuida dele. O profissional vai indicar quais são as principais necessidades que devem ser atendidas e indicará a ração mais adequada.

38

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Cuidados na hora de servir

Na hora de servir o alimento do seu bichinho, é importante que a comida seja colocada em potes com esta finalidade específica e que estejam higienizados. As porções devem seguir as recomendações do fabricante e/ou do veterinário que indicou o alimento. Vale lembrar que a água deve ser limpa, fresca e oferecida durante todo o dia. Opte por colocar os potinhos em um lugar de fácil acesso ao animal e longe de onde ele costuma fazer suas necessidades. Armazene a ração em lugares secos para evitar a proliferação de fungos e protegidos de insetos e roedores. Caso tenha um cão e um gato vivendo na mesma casa, tenha cuidado para garantir que cada um coma a sua própria ração, pois as duas espécies têm dietas completamente distintas. Gatos têm necessidades nutricionais mais específicas do que os cães, precisam de nutrientes particulares como a taurina, cuja ausência na dieta do bichano pode acarretar problemas na retina, falhas reprodutivas, problemas em filhotes e no coração. Ao contrário do que diz o senso comum, gatos não devem tomar leite de vaca. Além de não conter nutrientes que justifiquem o seu consumo, “muitos deles podem ter intolerância a lactose, o que ocasionará dores abdominais e diarréia”, afirma Tatiana. Alimentos como balas, chocolates, cebola, ossos, e aqueles com sal e temperos não devem ser fornecidos a animais.


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

39


TRILHA

URBANA

Por Carolina Mendes

Mural da Praça Panamericana de autoria de Eduardo Kobra retrata a chegada do imigrantes italianos

Graffiti - a arte nas ruas de Sampa Ainda muita polêmica, a arte do grafite tem superado barreiras e vai se espalhando pelas ruas da cidade, cobrindo os muros com sua colorida rebeldia

D

Grafite assinado pela dupla Os gêmeos (Gustavo e Otávio Pandolfo), na rua Lavapés, no Cambuci

Quem aprecia arte pop e contemporânea pode agendar roteiros para conhecer os principais pontos do grafite na cidade

40

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

esde meados dos anos 70 o grafite vem sendo adaptado ao jeito brasileiro, e hoje São Paulo é considerada como uma das dez melhores cidades do mundo para se observar essas manifestações da arte de rua. E a coisa tem evoluído tanto que várias agências de turismo já criaram os chamados Roteiros do Graffite, para atender visitantes interessados em apreciar alguns desses trabalhos espalhados pela cidade. Roteiros do Grafitte Pioneiro no trabalho de organizar roteiros diferenciados para turistas na cidade de São Paulo, Carlos Silvério, diretor da agência Graffiti Viagens e Turismo, há mais de três anos conduz visitantes que apreciam a arte pop e contemporânea, para conhecer os pontos mais tradicionais do grafite na cidade. “Por tratar-se de um tipo de arte recente, sobretudo no Brasil, gradativamente temos recebido um número maior de pessoas interessadas no roteiro para observar a street art”, relata. Para Silvério, um roteiro capaz de levar o visitante a um contato mais íntimo com a arte de rua em São Paulo, não pode prescindir de visitas aos bairros do Cambuci, Centro, Vila Madalena, Barra Funda e Pinheiros. Nas ruas desses tradicionais bairros da cidade é possível observar trabalhos realizados por diferentes artistas, com variados estilos e técnicas. Partindo do Centro em direção à Barra Funda, é possível observar obras dos grafiteiros SÃO e Delafuente, cujos trabalhos, assinados pela dupla unicamente como “6emeia”, denunciam o mau estado das vias públicas, com pinturas em bueiros, postes, grades e tampas de ferro.

Das ruas para as galerias Em direção ao Cambuci, encontramos obras de conhecidos grafiteiros da região, como Os gêmeos (Gustavo e Otávio Pandolfo) e Nunca (Francisco Rodrigues), estampados nos muros das ruas Lavapés, Justo Azambuja e Rua dos Alpes. Os três participaram da mostra “Street Art”, realizada em Londres em agosto de 2008, ocupando a fachada do Tate Modern, um dos principais museus londrinos. Em Pinheiros merece destaque uma obra pintada pela equipe do artista Eduardo Kobra, na lateral da Igreja do Calvário, em homenagem aos 447 anos do bairro. Referência internacional quando se fala de street art, Kobra foi o idealizador do projeto “Muro das Memórias”, e destaca a importância do grafitte no trabalho de revitalização urbana. “Criamos portais para uma cidade que não mais existe, porém deveria existir. Aos idosos, possibilitamos de forma nostálgica que eles possam reviver aqueles bons momentos da “Belle Époque” (Bela Época); os mais jovens podem de alguma forma aprender e ver como São Paulo se transformou e vem se transformando sem respeitar sua arquitetura original”, enfatiza o artista. Entre diversos outros pontos que não podem ficar sem visita estão “O bicho” de Fefê Talavera, na avenida Cardeal Arcoverde; o “O beco do Batman”, na rua Gonçalo Afonso; as obras incríveis na passarela elevada do Minhocão, no centro da cidade; as margens do rio Tietê, com seus canos, ondas e flores misturadas com as imperfeições da metrópole; a região da Consolação; viadutos Júlio de Mesquita Filho, a estação de trem da Lapa; o túnel da avenida Paulista; o bairro da Liberdade com suas figuras inspiradas em mangás e muitos outros. A cidade pode ser uma festa, escolha a sua trilha.

“São Paulo está entre as dez melhores cidades do mundo para observar grafites”


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

41


HORIZONTE

VERTICAL

Procuro não olhá-los a todo instante pra que não se sintam vigiados ou invadidos

NUM CAFÉ

P

arece que o amor tem idades, e o mais incrível é que consegue vivê-las todas ao mesmo tempo. Na mesa de um café, em São Paulo, no fim de tarde, em duas mesas vizinhas à minha, tenho a sorte de observar a natureza desse sentimento conduzindo as horas, seja de quem o encontrou ou de quem ainda o procura. Não é preciso bisbilhotar a vida alheia, basta observá-la com olhos de cuidado de quem não quer julgar, mas apenas entender, como num espelho, o reflexo de si próprio e do mundo, seja pra afirmar ou pra negar o que se vê. Detido eu fico, observando à minha direita, um jovem casal que discute horários e reclama pela falta de atenção. Procuro não olhá-los a todo instante pra que não se sintam vigiados ou invadidos. Assim, desvio minha atenção à mesa da esquerda, onde uma moça sozinha fala ao telefone: “Já é a segunda vez que você desmarca! Não, não precisa me ligar, eu não preciso desse tipo de consolo”, e desliga. Pega um guardanapo, tira o batom da boca e toma o café que a garçonete acaba de lhe servir. Tem os olhos quietos e a mão nervosa. Ajeita o cabelo, toma mais um gole e acende um cigarro. Não me interessei pelo teor completo da sua conversa, apenas pela sua feição resoluta e inequívoca de algo que chegou ao fim. Enquanto isso, o jovem casal à minha direita, já em harmonia, falava baixo como bem convém ao diálogo íntimo. Uma mão sobre a outra e os olhares calmos indicavam o desejo em correspondência. Apenas a perna dele, balançando de vez em quando, indicava que a paz entre os dois não tinha o hábito de ser duradoura. Mas se queriam, mesmo na aflição de um amor inexperiente.

Já à minha esquerda, a moça tinha ido embora, e acabava de se sentar um casal de idosos. Muito pouco diálogo, mas muita, muita ação. Os cuidados dele com ela, desde o casaco às costas, o beijo na testa, e mesmo a sua inquietação para deixá-la à vontade e confortável, não deixavam dúvidas que ela era a mulher mais amada do mundo. O silêncio entre os dois era algo de maravilhamento, lugar onde a palavra dança calada e o amor é adivinhado. Lembrei-me do Drummond: “O amor é privilégio de maduros.”

42

REVISTA TÁXI CULTURA|Maio

Crônicas de uma São Paulo que ninguém vê Por Ivan Forneron Ilustração: Gabriel Stippe


Maio | REVISTA Tテ々I CULTURA

43


44

REVISTA Tテ々I CULTURA|Maio

Taxi Cultura - Edição 03  

Taxi Cultura - Edição 03