Page 1


MUSEU ESPAÇO TEMPO RECIFE

WILTON CORREIA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO | ARQUITETURA E URBANISMO | PROJETO ARQUITETÔNICO 7 | ANA LUISA | ANDREA CAMARA


SUMÁRIO 01

Figura partido

02

Diagrama Conceitual

03

Introdução

04

Percurso do Agenciamento

05

Diagrama do Projeto/ Entorno

06

Imagem do Sítio

07

Volume Inserido no Entorno

08

Mosáico do Sítio

09

Matriz

10

Diagramas

11

Modelo Estudo Preliminar

12

Plantas

13

Fachada

14

Cortes

15

Detalhamento

16

Modelo Físico Estrutural

17

Perspectivas

18

3DS


Figura 01 : Agenciamento do Partido.


Figura: 0002 : Diagrama do Projeto em relação ao contexto do partido Figura

00

Diagrama do Projeto em relação ao contexto do partido

7


O museu espaço tempo observa-se as potencialidades locais como diversidade cultural, posição geográfica estratégica, cidade histórica e turistica, arquitetura com exemplares modernos, pólo tecnológico e centro da cidade em renovação. A instalação do museu em Recife pode proporcionar uma oportunidade de incentivar a arte local e brasieleira, além de promover o desenvolvimento regional e no entorno. O novo museu da habitação social tem como proposta desenvolver a organização e apresentação de exibições na arte brasileira e pernambucana com a função de ser um agente de mundança e explorar as mais atuais ideias de curadoria, conectar os artistas com o público diferenciado e turistas além de promover espaços de interação social. O museu propõe um edifício simples, que evita monumentalizar-se através da auto-expressão. O edifício proposto opta deliberadamente por estabelecer sutis relações com o espaço urbano, sempre através de aberturas controladas que se intercalam aos percursos expositivos com caráter introspectivo, estabelecendo alternâncias entre espaços de concentração e fruição das obras de arte. Apresenta ainda variadas articulações espaciais internas a reforçar sua função de suporte e contenedor das atividades e da vida cultural que ali se desenvolverá. Busca qualificar os espaços internos para os diferentes usos, reforçando o seu caráter público e promovendo uma grande abertura à sua ocupação futura. O edifício segue os parâmentros de edifício complexos como contador de história, gerador, conector e misturador.


Legendas

20

Sítio

Quadrilátero de Santo Amaro Figura 03 : Imagem do sítio

9

N Mapa do Quadrilatero

0 50 150

300

600m


Museu do crescimento ilimitado. O próprio nome da obra conta-nos logo como será a sua conformação, sendo levado o visitante a ter uma sensação de crescimento, dada através não só do percurso interno em espiral, como também através do quinto alçado (cobertura) para quem a observa dos céus. A cobertura está em conformidade com o interior, constituindo uma só espiral.

13

8

1 1

5

Mosáico do Bairro de Santo Amaro com Croqui Esquemático Matriz do Objeto.

2

3

Pitágoras, o pai da matemática, foi o primeiro que descreveu sobre a proporção áurea. A mais de 500 a.C., ele utilizava essa proporção para explicar a harmonia, o cosmo e alma. Já naid ade média o matemático Leonardo Fibonacci propôs no século XIII, uma sequência numérica composta pelos números: 0,1,1,2,3,5,8,13,21,34,55,89,144,233,37 7,610,987,1597,2584,4181…Essa sequência, que mais tarde seria conhecida como sequência de fibonacci.


Diagrama do Objeto Diagrama Estrutural


Diagrama de Fluxo

Diagrama de Zoneamento


2

ADMINISTRAÇÃO - 226M 2

MANUTENÇÃO - 100M

2

DEPÓSITO E COLEÇÕES - 178M 2

SALA MULTIMÍDIA 01 - 150M

2

SALA MULTIMIDIA 02 - 75M 2

SALA MULTIUSO 01 - 32 M 2

2

SALA MULTIUSO 02 - 32M

EXPOSIÇÃO PERMANENTE - 980M

2

CIRCULAÇÃO VERTICAL - 52 M

2

WCS - 37M

2

WCS - 37M

2

CIRCULAÇÃO VERTICAL - 52M

2

ÁTRIO + CIRCULAÇÃO VERTICAL - 154M

2

2

ÁTRIO + CIRCULAÇÃO VERTICAL - 154M

ÁREA DE CIRCULAÇÃO - 164 M

3° PAV

2° PAV.

TÉRREO

1° PAV.

2

RESTAURANTE - 85M 2

CAFÉ - 48M

2

CARGA E DESCARGA - 30M

2

BILHETERIA + GUARDA VOLUMES + REVISTA - 87M LOJA 01 + DEPÓSITO - 45M LOJA 02 + DEPÓSITO - 45M

2

2

WCS - 37M

2

CIRCULAÇÃO VERTICAL - 52M

2

2

2

CIRCULAÇÃO VERTICAL - 52 M

ÁTRIO + CIRCULAÇÃO VERTICAL - 154M

2

WCS - 37M

2

ÁTRIO + CIRCULAÇÃO VERTICAL - 154M 2

ÁREA DE CIRCULAÇÃO - 164 M

Figura: 00

2

EXPOSIÇÃO PERMANENTE - 980M


ACESSO AUTO ACESSO AUTO ACESSO AUTO

Rua da Pie

ial Rua Rad

ACESSO AUTO

ACESSO AUTO

ACESSO AUTO

ACESSO AUTO

ACESSO AUTO

Rua São Geraldo

ACESSO AUTO

Rua da Fundição

Rua Rocha Pita

ACESSO AUTO

Avenida Aveni da Mario Mario Melo Melo

LEGENDA:

ISOS

PISO TÁTIL DIRECIONAL EM CONCRETO 20X20CM

Figura: 00

PISO TÁTIL DE ALERTA EM CONCRETO PLACA DE CONCRETO

QUANTIDADE

23

área: 90.8 M²

44

QUANTIDADE

ESPECIFICAÇÕES

LIXEIRA NKK10 MMCITÉ BANCOS CONTÍNUOS EM CONCRETO CINZA CLARO FEITOS EM OBRA SOB MEDIDA POSTE RETO

NOME POPULAR

GRAMA ESMERALDA

TAÇÃO

ESPECIFICAÇÕES

ÁRIO URB.

QUANTIDADE

61

IPÊ ROXO

49

JACARANDÁ

NOME CIENTÍFICO

Zoysia japonica

Handroanthus impetiginosus Mattos Bignoniaceae Jacaranda cuspidifolia Mart. Fabaceae

0,15 M

2 M

2M

00 00

N

Universidade Católica de Pernambuco Paisagismo I Professor: M. de Lourdes e Ricardo Pessoa Aluno: Wilton Correia


A

B

A

B

ACESSO

08

07

09

06

05

29 28 27 26 25

10

29 28 27 26 25

25

25

24

12

24

23 22

23 22

21

21

20 19

20 19

18

18

17 16

17 16

04

15 14

15 14

13

13

12 10

12 10

9

9

8 7

8 7

6

11

6

5

04

5

03

1 2 3 4

02

1

2 3 4

03

5.20

01

10.40

01

02

ACESSO

Planta do Primeiro Pavimento - Esc: 1/250

Planta de Zoneamento do Térreo - Esc: 1/250

N

N

01 Restaurante

07 Área de Checagem de Bolsas

01 Área de Exposição Permanente

02 Café

08 Deposito da Loja

02 Área de Circulação Vertical

03 Área de Carga e Descarga

09 Loja 01

03 WCS

04 Área de Circulação Vertical

10 Loja 02

04 Átrio

05 Guarda Volumes

11 WCS

06 Bilheteria

12 Circulação Vertical e Átrio

A'

B'

A'

B'

Legenda

Legenda


A

B

A

B

07

29 28 27 26 25

29 28 27 26 25

08

25

25

10

24

24

23 22

23 22

21

21

20 19

20 19

18

18

17 16

17 16

04

15 14

15 14

13

13

12 10

12 10

9

9

8 7

8 7 6

6

06

09

5

5

1

03

2 3 4

02

1

2 3 4

05

21.60

16.20 01

04 02

01

03

Planta do Segundo Pavimento - Esc: 1/250

Planta do Terceiro Pavimento - Esc: 1/250

N

Legenda

01 Sala Multimídia

06 Circulação Vertical

01 Área de Exposição Temporária

02 Sala Multiuso

07 Depósito e Coleções

02 Área de Circulação Vertical

03 Sala Multiuso

08 Administração

03 WCS

04 Sala Multimídia

09 WCS

04 Átrio

05 Manutenção

10 Átrio

A'

B'

A'

B'

Legenda

N


A

B

29 28 27 26 25

25 24 23 22 21 20 19 18 17 16

04

15 14 13 12 10 9 8 7 6 5

02

03

1

2 3 4

27.00

01

Planta da Coberta - Esc: 1/250 N

01 Teto Verde 02 Circulação Vertical 03 WCS 04 Átrio

A'

B'

Legenda

FACHADA FRONTAL ESC - 1/250


TETO VERDE +27.00 (P.A)

TETO VERDE +27.00 (P.A)

3° PAV. +21.60 (P.A)

3° PAV. +21.60 (P.A)

2° PAV. +16.20 (P.A)

2° PAV. +16.20 (P.A)

1° PAV. +10.80 (P.A)

1° PAV. +10.80 (P.A)

TÉRREO +5.40 (P.A)

TÉRREO +5.40 (P.A)

CORTE AA ESC - 1/250

Figura: 00

CORTE BB ESC - 1/250

Figura: 00


14 15

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10

11

12 13

01 TUBOS CERÂMICOS - BAHETTES 02 ESTRUTURA METÁLICA PARA PASSARELA DE MANUTENÇÃO 03 GUARDA CORPO EM AÇO - 50 MM 04 ENCHIMENTO DE PISO ELEVADO 05 GRADE ELETROFUNDIDA DE PISO 06 LAJE EM CONCRETO ARMADO 07 ISOLAMENTO EM LÃ DE PET 08 TIRANTE 09 FORRO EM GESSO ACARTONADO 10 CORTINA VENEZIANA 11 ESQUADRIA EM ALUMÍNIO E VIDRO - ABERTURA MÁXIMO AR 12 PASSAGEM DE ELETRODULTOS 13 PISO ELEVADO - 25CM 14 PLATIBANDA 15 RUFO METÁLICO 16 PROTEÇÃO MECÂNICA 17 MANTA ANTIRAIZ 18 IMPERMEABILIZAÇÃO 19 ARGILA ESPANDIDA 20 SUBSTRATO

Detalhamento de Corte - Esc: 1/50

16

17

18

19

20


Profile for Wilton Correia

MUSEU ESPAÇO TEMPO - WILTON CORREIA  

MUSEU ESPAÇO TEMPO - WILTON CORREIA  

Advertisement