Page 1

Volume 2

Dezembro/2012

Grupo PET - Engenharia Química - UFCG

Boletim Informativo A importância dos Convênios resultados para empresas industriais, e novos escritórios foram construídos nos campi universitários para fortalecer os vínculos entre empresas e universidades, como: transferência de tecnologia, gerenciamento de contratos, patenteamentos e licenciamentos, desenvolvimento internacional e cooperação industrial. Um grande exemplo dessa grande aproximação são os países: Canadá e Argentina, onde estes dois países são vistos como grandes referências desta união entre universidade-empresa. Essa aproximação deveu-se não apenas Os convênios são instrumentos de cooperação que en-

por incentivo das universidades e/ou empresas mas, prin-

globam entidades públicas e privadas, denominadas partíci-

cipalmente, pelo governo que deu total apoio para que

pes, para desenvolvimento de projetos e ações com objeti-

esse laço acontecesse, tornando-se estes países modelos,

vos comuns aos signatários as entidades públicas.

em que os professores universitários e os formadores das

A ideia de criar laços entre a universidade e a empresa

empresas acabaram se misturando. No Canadá, por

remonta pelo menos a Comte, um filósofo francês fundador

exemplo, era natural e frequente ver os professores uni-

da sociologia, que em 1819, publicou um plano para ho-

versitários trabalhando lado a lado com as empresas e a

mens de negócios, industriais-tecnólogos e cientistas, o

indústria, onde muitas vezes ficava difícil saber quem era

qual

universitário e quem era de uma empresa.

tomou

a

forma

de

programas

de

educação

“cooperativa”, nos quais os alunos dividiam seu tempo en-

Os convênios aproximam os alunos a sua área de atu-

tre a sala de aula e fábrica, adquirindo assim uma capacida-

ação, mediante interações das universidades com outras

de profissional moldada para responder as necessidades

organizações. Com essa interação, as empresas recebem

desta última

um retorno, inovando suas tecnologias, gerando postos

Nos anos de 1980, esse modelo tradicional foi substituído por um novo modelo caracterizado pela intensificação

de trabalho com maior qualificação e melhor remunerados e mão de obra com maior estabilidade de emprego.

da transferência de tecnologia das universidades para a empresa e a comercialização do trabalho acadêmico. Desde então, mais pesquisadores começaram a transferir seus

Petianos: Íris Daniele, Israel Nogueira e Jakelline Nunes


Boletim Informativo

Os convênios da nossa Unidade Acadêmica A Unidade Acadêmica de Engenharia Química conta com diversos convênios com grandes empresas do país e órgãos Estaduais/Federais. Dentre as empresas podemos destacar: Alumar, Braskem e Petrobras. Os convênios abrangem as mais diversas áreas da Engenharia Química, como a Catálise, a Engenharia Ambiental e a Modelagem e Simulação. O desenvolvimento dos trabalhos realiza-

dos projetos desenvolvidos, essas parcerias

dos pelo LABDES, na pessoa do Prof. Dr.

trazem benefícios não somente aos alunos

Kepler Borges França, desde a década de

de Engenharia Química, mas à universidade

80/90 despertou o interesse do Ministério do

como um todo, uma vez que engloba desde

Meio Ambiente. A parceria foi firmada atra-

a parte de ciência e tecnologia (Engenharia

vés de convênios junto com a Universidade

Civil, Engenharia Química, Engenharia

Federal de Campina Grande, e iniciaram-se

Elétrica) até a sociologia, dando ao aluno a

as instalações de sistemas de dessalinização

oportunidade de ter um contato direto com a

nas comunidades. Através desta parceria o

sua área de atuação profissional, a partir das

laboratório ficou conhecido à nível nacional,

pesquisas desenvolvidas e da proximidade

inclusive por empresas como a Petrobras, que

com a empresa parceira, através de visitas

percebeu a potencialidade do LABDES e

técnicas.

Prof. Dr. Kepler Borges França Ingresso: 1979

munidades,

por

exemplo,

apresentou os problemas envolvendo água

O Professor ressalta que a comunidade

enfrentados pela petroquímica, esperando

externa também é beneficiada com os proje-

resulta na melhoria da quali-

receber alternativas de solução dos mesmos.

tos desenvolvidos entre o LABDES, os ór-

dade de vida das pessoas que

Assim surgiu mais uma parceria.

gãos Federais e outros parceiros. A implan-

residem nessas comunidades

tação de sistemas com membranas nas co-

e, anteriormente, não tinham

Considerando o caráter multidisciplinar

O Prof. Dr. Romildo Pereira Brito,

sam aplicar a teoria na prática. É a partir

que atua na área de pesquisa Engenharia

de convênios que são conseguidas aloca-

das Simulações tem uma parceria com

ções de egressos e também estágios para os

grandes empresas, como Petrobras e

alunos concluintes. Ressalta que as refor-

Braskem. O mesmo afirmou que o ele-

mas curriculares baseadas nas necessidades

mento necessário para firmar esta parce-

encontradas nas indústrias formam um pro-

ria foi coragem, pois teve que correr

fissional mais preparado para os desafios

atrás de uma oportunidade. Foram três

de sua profissão. Estes trabalhos, também

anos até de fato começar a interagir com

resultam em dissertações e teses, que con-

a empresa.

sequentemente, geram artigos que são pu-

As interações são importantes tanto Prof. Dr. Romildo Pereira Brito Ingresso: 1991

Página 2

blicados em revistas do Qualis da CAPES.

para a Universidade quanto para as em-

As oportunidades que as empresas pro-

presas, visto que estas terão acesso ao

porcionam gera uma carga de conhecimen-

que há de mais novo em termos de fer-

to ao aluno, que irá contar como uma ferra-

ramentas e tecnologia, e para a Univer-

menta a mais na hora de entrar no mercado

sidade, porque permite que os professo-

de trabalho, além de aproximá-los da sua

res e alunos engajados nos projetos pos-

área de atuação.


Volume 2

O Prof. Dr. Jailson Nicácio Alves

O desenvolvimento destes proje-

atuante na área de Fluidodinâmica Com-

tos trazem como beneficio social para

putacional, em entrevista afirmou a sua

a comunidade externa, a redução do

atual parceria com as empresas Braskem

consumo de energia, já que esta é

e Petrobras.

uma matéria-prima de grande custo

Estas parcerias iniciaram em 2001,

para qualquer empresa. Como tam-

através de cursos de treinamento realiza-

bém minimizar os impactos ambien-

dos na Braskem e Alumar. Além desses

tais, causados pela emissão de polu-

cursos, vários projetos de pesquisa com

entes, principalmente o CO2, resíduos

estas duas empresas foram desenvolvidos.

sólidos e líquidos industriais.

Estas parcerias com as empresas atingem diretamente o público alvo da Engenharia Química, que são indústrias. Em uma primeira etapa, o aluno junto com o Prof. Dr. José Jailson Nicácio Alves Ingresso: 1991

professor, estudam os problemas da indústria e apresentam alguma proposta de solução baseada nos conhecimentos que se tem como engenheiro químico, possibilitando uma formação para os alunos, mais voltada para a real necessidade da indústria.

Em entrevista com o Prof. Dr. Antonio

empresa. Neste projeto estão envolvi-

Carlos Brandão cuja área de pesquisa é Mo-

dos 05 professores e 06 alunos da pós-

delagem, Simulação, Otimização e Controle

graduação.

de Processos e Termodinâmica, o mesmo

O convênio da Engenharia Química

afirmou que há um convênio com a empre-

com uma empresa deste porte faz com

sa PETROBRAS.

que o curso seja reconhecido por estar

“O interesse surgiu quando a Empresa

contribuindo com o desenvolvimento

estava participando do Workshop 30 anos

tecnológico na solução de problemas

de Engenharia Química da UFCG, realizado

reais. E isto desperta o interesse nas

no ano de 2009. Um grupo de professores

empresas, de um modo geral, para ab-

do curso de Engenharia Química escreveu o

sorverem os novos Engenheiros Quími-

projeto que foi apresentado, avaliado e

cos formados na UFCG.”

aprovado pela Empresa Petrolífera. O projeto teve início em Novembro de 2011 com durabilidade de três anos, podendo ser renovado ou não de acordo com os interesses da

Página 3

Prof. Dr. Antonio Brandão de Araújo. Ingresso: 2008

Carlos


Grupo PET - Engenharia Química - UFCG

A UAEQ de cara nova A Unidade Acadêmica de Engenharia Química este ano conta com a contratação de três novos docentes que vieram para contribuir com o avanço no processo de melhoria de ensino e aprendizagem. A seguir, seguem os comentários dos mesmos sobre o que os motivou a entrar na carreira de docência e qual a contribuição que cada um deles pretende dar ao nosso curso. “Dentro de casa tive excelentes exemplos de docentes: meu pai e minha mãe. Durante toda a graduação, conhecendo os diversos caminhos que um engenheiro pode seguir, percebi que ensinar era o que estava no meu sangue. De fato, não me vejo usando um capacete e uma bota. Mas me vejo perfeitamente daqui a 10, 20 ou 30 anos em uma sala de aula, transmitindo tudo aquilo que eu tenho aprendido ao longo dos anos. Além disso, o professor universitário tem a oportunidade de tornar-se um cientista. E é exatamente isso que eu almejo para os próximos anos: estudar, estudar e estudar! Deste modo é possível tornar este curso um dos melhores do país e a contribuição não deve ser direcionada apenas para a parte da docência, é de extrema importância que o professor a

Prof . Karoline Dantas de Brito. Ingresso: 2012

esteja disposto a fazer pesquisa de alta qualidade.

“Ingressar na carreira de docente foi motivada por toda uma história de vida, principalmente, a busca por mais conhecimento. O docente está em constante aprendizado mesmo aqueles que tem seus 30 anos de serviço ainda têm algo a aprender. O que eu pretendo acrescentar ao curso de Engenharia Química da UFCG é um novo conceito de ciência, possibilitando assim a formação de novos profissionais enraizados nos conceitos de engenharia e cientificamente. Sempre é bom procurar novas metodologias, mostrar uma visão prática do desenvolvimento e do produto final. Tentar passar para os alunos o conhecimento básico do que você pode e deve ter pra se tornar um engenheiro de sucesso.”

Prof. José Nilton Silva Ingresso: 2012

“Sempre gostei da área de pesquisa e de ensino, desde o ensino médio já pensava em seguir a carreira de docência, na graduação procurei projetos de iniciação científica, participando de vários projetos no Labdes com o Prof. Kepler. durante esse período aumentei o interesse em seguir a área acadêmica. Logo após a graduação entrei no mestrado e hoje estou no doutorado. Contribuição que darei está relacionada com a experiência na participação de projetos e eu pretendo contribuir com projetos de iniciação científica para que ocorra uma maior ampliação na divulgação do nome do curso”. Prof. Sidinei Kleber da Silva Ingresso: 2012

Contato Universidade Federal de Campina Grande Av. Aprígio Veloso, 882 - Bairro Universitário CEP:58.429-140

Telefone: (83) 2101 - 1520 E-mail: peteq@ufcg.edu.br Site: www.deq.ufcg.edu.br/site/


Jornal do PET 2  

Jornal do PET - edição 2

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you