Issuu on Google+

Rua Paulo Barbosa, 233 - sala 02 Centro - Petr贸polis-RJ - (24) 2237-4789 sindvigpet@yahoo.com.br www.tribunadosvigilantes.org


Pressão sindical adia votação do PL da terceirização para setembro O Projeto de Lei 4.330, que regulamenta a terceirização, não entrou na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados nesta quarta (14), como era a expectativa dos empresários. Segundo o presidente da Comissão, deputado Décio Lima (PT-SC), a proposta só deve entrar em discussão dia 3 de setembro. Ontem (13), manifestantes convocados pelas Centrais Sindicais lotaram o plenário da CCJ para impedir que o projeto fosse colocado em votação. Diante da pressão, o adiamento foi decidido durante a tarde e os líderes partidários fecharam acordo de não apresentar requerimento para inclusão da matéria na sessão de hoje. Segundo o presidente da CUT, Vagner Freitas, a nova data facilita a colocação em prática de uma estratégia para alterar o texto. "Nossa proposta é melhorar o texto, dando garantias aos trabalhadores ou conseguir seu arquivamento. A regulamentação da terceirização não pode piorar a legislação que temos hoje”, afirma. “Foi importante suspender a votação para continuar a negociação entre trabalhadores, empresários, governo e parlamentares, buscando acordo”, diz Sergio Luiz Leite, 1º secretário da Força Sindical e presidente da Federação dos Químicos de São Paulo. Unidade - Uma nota conjunta divulgada ontem (13) pelas Centrais reafirmou a disposição de continuar a negociação e manter a unidade de ação na luta contra os “males que a terceirização impõe à classe trabalhadora”. “Somos contrários a este projeto do modo como se apresenta”, destaca o presidente da Nova Central, José Calixto Ramos. Proposta - O Projeto de Lei nº 4.330 é de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO) e tramita na Câmara desde 2004. A proposta arrasa conquistas trabalhistas.

Fonte: Agência Sindical


Informativo petropolis 15 08 2013pronto