Page 1


2

Coleção Memória Viva e-Livretos publicados: Livreto 1: Paraná Trovadoresco Livreto 2: Paraná Trovadoresco Livreto 1: São Paulo Trovadoresco Livreto 1: Rio Grande do Norte Trovadoresco Seleção, organização, layout, edição, distribuição: José Feldman contatos: voodagralhaazul@gmail.com Minas Gerais Trovadoresco 1


3

Sumário Almira Guaracy Rebelo......................................................................................................5 Angela Togeiro...................................................................................................................9 Arlindo Tadeu Hagen.......................................................................................................11 Auxiliadora de Carvalho e Lago.......................................................................................15 Clevane Pessoa...............................................................................................................17 Conceição Parreiras Abritta.............................................................................................21 Creusa Cavalcante França...............................................................................................24 Dodora Galinari................................................................................................................26 Eduardo A. O. Toledo ......................................................................................................28 Eugenia Maria Rodrigues.................................................................................................30 Helóisa Zanconato...........................................................................................................34 José Antonio de Freitas....................................................................................................41 José Tavares de Lima......................................................................................................43 Jupyra Vasconcelos.........................................................................................................47 Lucília Cândida Sobrinho.................................................................................................50 Luiz Carlos Abritta............................................................................................................52 Lygia Gomes de Pádua....................................................................................................54 Minas Gerais Trovadoresco 1


4

Maria Lúcia de Godoy Pereira..........................................................................................56 Newton Meyer Azevedo...................................................................................................58 Newton Vieira...................................................................................................................60 Olympio da Cruz Simões Coutinho..................................................................................62 Relva do Egypto Rezende Silveira...................................................................................65 Roberto Rezende Vilela .................................................................................................69 Thereza Costa Val............................................................................................................72 Wanda de Paula Mourthé.................................................................................................78 Wagner Marques Lopes...................................................................................................84 Wanda Horilda Freesz de Lima........................................................................................87 Zeni de Barros Lana.........................................................................................................89 Sobre o Livreto.................................................................................................................92 José Feldman (Biografia).................................................................................................93 Direitos Autorais.............................................................................................................101

Minas Gerais Trovadoresco 1


5

Almira Guaracy Rebelo Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


6

Aflito com o pagamento, sonhando sua vitória, candidato desatento pôs, na urna, a promissória. Ao notar a indiferença no teu modo de me olhar, senti a distância imensa de um mundo a nos separar... A vitória é uma conquista que se atinge, disputando, e não meta de arrivista que trabalha conspirando. Deslumbra, no céu escuro, o fulgor que a estrela tem, mais igual brilho, e mais puro, vi em teus olhos, meu bem! Minas Gerais Trovadoresco 1


7

Hoje vi, desalentada, imersa em tristeza imensa, minha ilusão quebrantada pela tua indiferença! Inquieta, no desatino da vigília costumeira, eu sinto que meu destino é esperar-te a vida inteira! Mascaro, com meu desprezo, a total escravidão do amor que mantenho aceso no fundo do coração. Negas o amor, mas eu vejo, no brilho do teu olhar, toda a força de um desejo que não sabes ocultar. Minas Gerais Trovadoresco 1


8

Noite fria...e eu desperta, entre vigílias e esperas... Com carinho, me acoberta o meu lençol de quimeras! Notícias conservam laços, mas não apagam saudade. Somente envolta em seus braços, posso ter felicidade! Nossos olhos se atraíram com tal encanto e emoção, que nossas almas se uniram, presas da mesma ilusão... Sobre ti, ouvi notícias: nova vida, novos laços... E eu só, sem tuas carícias, sem o calor dos teus braços… Minas Gerais Trovadoresco 1


9

Angela Togeiro Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


10

Guardada como fragrância, a verdadeira amizade não se perde na distancia, adormece na saudade. Nesta minha caminhada não me horroriza a violência, mas a boca que calada alimenta-lhe a existência. No coração desolado passos vêm se aproximando: é a saudade do passado na minha vigília andando. No palco de nossa vida, o nascer abre a cortina que se fecha em despedida, quando nosso ato termina. Minas Gerais Trovadoresco 1


11

Arlindo Tadeu Hagen Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


12

Da vitrine colorida ao amor intransponível, todo o encanto em minha vida tem sempre um quê de impossível! Desperta o sol que seduz na manhã que se inicia, injetando brilho e luz nas veias de um novo dia! Do amor que já foi um caso de ligação tão intensa restam dias de descaso e noites de indiferença. É de tristeza o meu canto mas eu canto mesmo triste, tentando enxergar o encanto onde o encanto não existe! Minas Gerais Trovadoresco 1


13

Finges dormir ao meu lado... Vendo o desprezo crescer, o meu orgulho, acordado, não me deixa adormecer! Mande notícias! Um dia pedi, cheio de ansiedade, sabendo que só teria notícias pela saudade... Não quero enfrentar jamais o teu desprezo completo, pois nada me fere mais que a falta do teu afeto. No gelo do desamor que é o desprezo, eu me concentro, mas não sei de cobertor que nos aqueça por dentro. Minas Gerais Trovadoresco 1


14

O amor nos faz esperar em vigília permanente porque costuma chegar quase sempre de repente! O homem da roça se guia sem o brilho da instrução. A sua sabedoria parece brotar do chão. Pela espera que foi feita por Dirceu, pobre Marília, mais do que rima perfeita, tu foste a própria vigília! Sonho um tempo em que as pessoas possam ter do jornaleiro somente notícias boas nos jornais do mundo inteiro. Minas Gerais Trovadoresco 1


15

Auxiliadora de Carvalho e Lago Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


16

A má notícia vem, corre. Chega logo rapidinho! A boa – se ela não morre – vem lenta pelo caminho. Cessa a brisa, cessa o vento, tudo para, você vê? Só não para o pensamento, que me leva até você. Se foi por indiferença ou, só mesmo, por descaso, a crença virou descrença, o que era amor virou “caso”. Só, no auge da indiferença, viu, de perto, a realidade. Quis revogar a sentença, mas para o amor era tarde. Minas Gerais Trovadoresco 1


17

Clevane Pessoa Juiz de Fora

Minas Gerais Trovadoresco 1


18

Ao ver as meias, coitado o vovô pensa: – " Já sei! Essas, dei no ano passado no retrasado, as ganhei..." A solidão que me embala canta-me tristes cantigas... - Será que o silêncio fala? Serão, as sombras, amigas? Com a pata, na vidraça, gato bate e avisa o dono: está voltando da caça, -"pode abrir, que estou com sono...” Gato pardo e belicoso Arqueia o corpo robusto, Projeta as unhas, raivoso Vira um puma no seu susto Minas Gerais Trovadoresco 1


19

Gatos à noite são bardos E miam versos para a lua Dizem que então ficam pardos parecem da cor da rua… Meia dúzia de gatinhos, uns nos outros, enroscados, são novelos bem quentinhos parecem interligados. Na despedida, reparto meu cansado coração... Com uma metade eu parto, - fica a outra na estação... Não me importa a escuridão de uma vida sem carinho. - Deus nos guia... e Sua mão faz-se estrela em meu caminho… Minas Gerais Trovadoresco 1


20

Nenhum carnaval da Terra traz de volta os que se vão -a saudade nos encerra em um fechado salão… No verão, canta a cigarra hino à vida, sem razão, pois a vida a que se agarra finda em meio da canção… O gato passa, elegante, sem nenhum medo de altura... E lá em baixo, um cão gigante, late e não alcança a criatura… Primavera o ano inteiro você terá , onde houver um amigo verdadeiro para o que der e vier... Minas Gerais Trovadoresco 1


21

Conceição Parreiras Abritta Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


22

A brisa passou cantando, e trouxe, com seus enleios, teu rosto, em sonho, singrando as águas dos meus anseios. A gata ruiva e bonita passa toda rebolando; o garotão logo grita: - tem "filet mignon" sobrando!... Foi tão grande o envolvimento do nosso amor em desvelos, que o ciúme por tormento prateou nossos Cabelos Hoje a vitória te alcança! Cuidado, ao virar a mesa, a vida é imensa cobrança, num mercado de surpresa. Minas Gerais Trovadoresco 1


23

Marido a deixa sozinha... E, com medo de ladrão, a beldade da vizinha chama o gato do patrão. Na madrugada vazia, quando o desprezo me invade, teu desprezo me angustia num resquício de saudade. O luar, olhando a areia, cai do céu, quase desmaia; em vigília ele vagueia cobrindo de prata a praia. Passa a noite... raia a aurora... Só pensamento enfadonho; o teu desprezo se ancora na solidão do meu sonho. Minas Gerais Trovadoresco 1


24

Creusa Cavalcanti Franรงa Juiz de Fora

Minas Gerais Trovadoresco 1


25

A graça da meninice - época de ouro da idade – vai-se embora na velhice mas perdura na saudade. O adorno mais delicado que ostenta meu coração traz a graça do passado quando tudo era ilusão. Quando a sorte nega abrigo e nos traz desolação, há, sempre, num gesto amigo, quem nos abra o coração. Sinto na graça estampada na ingênua face da criança, a beleza da alvorada com semblante de esperança. Minas Gerais Trovadoresco 1


26

Dodora Galinari Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


27

Com o movimento eterno e cíclico desta vida, alternam-se o sóbrio inverno e a primavera garrida. Cupido entrou em descrença... o amor sofria, sem fala: eu, fingindo indiferença... Você, negando notá-la. Em vigília a Natureza responde aos atos humanos pode ser pura beleza, ou, se exaurir por seus danos. Uma lágrima caída... Pequeno papel em flor... É a saudade, comovida, relembrando nosso amor. Minas Gerais Trovadoresco 1


28

Eduardo A. O. Toledo Pouso Alegre

Minas Gerais Trovadoresco 1


29

Na pequenina capela de minha velha cidade, parece que dentro dela cabe um mundo de saudade! Quando o sonho se assemelha à plenitude do esteta, é Deus que acende a centelha na inspiração do Poeta! Sob as bênçãos do luar, toda a noite, em procissão, os meus sonhos vão rezar na capela da ilusão! Teus olhos angelicais, nas ilusões que componho, são dois sagrados vitrais na capela do meu sonho! Minas Gerais Trovadoresco 1


30

Eugenia Maria Rodrigues Rio Novo

Minas Gerais Trovadoresco 1


31

A humildade é o amor maior e eu tenho a força tamanha de ser flor sempre ao redor de quem pode ser montanha! A vida monta e desmonta meus castelos, tudo enfim, e o “Reino do Faz-de-Conta” vai dando conta de mim! É cumprindo a triste sina que, às vezes, penso ser eu uma capela em ruína que a própria vida esqueceu! Em nosso amor tive fé! Minha falha foi tamanha pois jamais fui Maomé nem chegaste a ser montanha... Minas Gerais Trovadoresco 1


32

Esquece o orgulho, a vaidade! Busque um mundo mais perfeito, que a semente da bondade pede espaço no seu peito Na face as rugas surgidas não posso esconder, porquanto são montanhas erodidas por torrentes do meu pranto! Na vida, nossas estradas não sejam caminhos vãos: caminhemos de mãos dadas mas sem algemas nas mãos! O ciúme me hostiliza se a vejo toda dengosa quando o luar vem e alisa seu baby doll cor de rosa! Minas Gerais Trovadoresco 1


33

Quis ser vida em tua vida e me negaste o direito: sou a semente escondida nos entulhos do teu peito! Sai plantando sem preguiça, porém num solo fecundo, que a semente da Justiça dará mais flores ao Mundo! Se a nostalgia te alcança, luta por esta certeza: na capela da esperança há sempre uma vela acesa. Sinto ciúme e me calo porque não somos felizes: tu que não crês no que eu falo e eu a não crer no que dizes! Minas Gerais Trovadoresco 1


34

HeloĂ­sa Zanconato Juiz de Fora

Minas Gerais Trovadoresco 1


35

Eu não sou Mago nem Santo, mas na magia do amor, hei de quebrar teu encanto; fazer-te escrava... e, eu, senhor! Exercitando a bondade em prol da desgraça alheia, no "Baile da Caridade" só dancei com mulher feia ! Não apresse a semeadura no afã de colher o pão, que a lavoura da fartura é feita de grão... em grão! Na Semeadura Divina, o grão não se perde à toa: Quando a semente germina, é sinal que a terra é boa!! Minas Gerais Trovadoresco 1


36

Se, devoto, o Céu contemplo e oro... Deus se compadece, pois não é o luxo do Templo que aumenta o valor da prece! Segue a neta, em gesto terno, com o avô pelas calçadas: - É a Primavera... e o Inverno passeando de mãos dadas!… Sendo esquelético, feio, ao cemitério não vai, pelo devido receio de que se entra... não sai! Vendo chegar a saudade que a tua ausência me trouxe, mesmo não sendo verdade, gravei na porta: MUDOU-SE! Minas Gerais Trovadoresco 1


37

Ivone Taglialegna Prado Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


38

A lareira crepitante... Em vigília só nós dois... Um bom vinho inebriante... Quanto delírio depois!... Assim que tu foste embora, veio a saudade depois, em vigília, sem demora, trazer-me um “quê” de nós dois... Da janela do meu quarto vi, por encanto e magia, toda a beleza do parto que deu luz a um novo dia! Lavrador que a terra lavra, veja a luz dessa doutrina: a semente, qual palavra, em solo fértil, germina! Minas Gerais Trovadoresco 1


39

Meu coração, em verdade, sem notícia a te esperar, pediu socorro à saudade que hoje bate em teu lugar. Morro de ciúme da lua, Dessa lua tão sem jaça, Que à noite atravessa a rua Entra no quarto e te enlaça! Na vigília deste dia de grande amor e esperança surge uma luz que irradia um céu de paz e bonança. Nesse amor eu me seguro, qual bastão de peregrino, para guiar no futuro os rumos do meu destino! Minas Gerais Trovadoresco 1


40

O ciúme quando avança, A tristeza nos invade, Fecha a porta da esperança, Deixa aberta a da saudade! Quando o louro da vitória lhe trouxer luxo e riqueza, reflita diante da glória os clamores da pobreza! Se a má notícia me alcança, pondo-me me vielas tortas, pela Fé, sinto a Esperança abrindo-me as suas portas. Se a notícia da derrota humilhar-te a trajetória, a humildade em tua rota, será grito de vitória. Minas Gerais Trovadoresco 1


41

JosĂŠ Antonio de Freitas Pitangui

Minas Gerais Trovadoresco 1


42

A minha rima é discreta mas ainda se deduz que em meu peito de poeta há uma centelha de luz! Deus sempre ajuda. No entanto, sua graça mais reparte aos que mesmo em dor e pranto fazem sempre a sua parte. O piolho, por capricho, por incrível que pareça, não há no jogo de bicho, mas sempre dá na cabeça. Toda graça nos encanta e aquela que mais se aprova vem da voz que sempre canta a ternura de uma trova! Minas Gerais Trovadoresco 1


43

JosĂŠ Tavares de Lima Juiz de Fora

Minas Gerais Trovadoresco 1


44

Ajoelhou-se aos pés da santa, e, diante do altar sem vela, sua beleza era tanta que iluminava a capela! A mãe, na capela, roga num comovente estribilho: - Deus, pai nosso, afasta a droga dos caminhos de meu filho... "Anão com metro e noventa!? Não pode ser, Seu Raimundo!" E o Seu Raimundo sustenta: "É o maior anão do mundo!!!" Com a tua indiferença ao amor que dar-te eu quis, lavraste a minha sentença de viver sempre infeliz... Minas Gerais Trovadoresco 1


45

Deus, presente se revela, sempre justo, sempre igual, na humildade da capela; no luxo da catedral! Louvo a fé daquela gente que, diante a seca que avança, no bornal, guarda a semente; no peito, guarda a esperança... Meu coração não resiste - e adora não resistir a essa magia que existe no teu jeito de sorrir Não espere, irresoluto, que a sorte o ajude, somente. Quem deseja ter fruto, tem que plantar a semente! Minas Gerais Trovadoresco 1


46

Que me amavas tive a crença, mas depois, com frustração, vi que amor e indiferença não fazem boa união!... Sem o sol que me trazias, numa angústia que não passa, minhas noites são mais frias e meus dias não têm graça! Tô num aperto tremendo!... É por falta de dinheiro? E o amigo se contorcendo: É por falta de banheiro!… Tua saudade não passa; por isso, urgente, te peço: traze ao meu viver sem graça a graça do teu regresso! Minas Gerais Trovadoresco 1


47

Jupyra Vasconcelos Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


48

Às evidências rendido, reviro insone em meu leito por desprezo recebido e dor do sonho desfeito. A tela da natureza nas fantasias do outono expõe angústia e beleza da folha que cai... sem dono. Da peraltice em criança, da canjica e do torresmo, não há só uma lembrança: é muita saudade mesmo! Em vigília, toda noite, tento esquecer o passado . Mas a lembrança é um açoite do sonho não realizado. Minas Gerais Trovadoresco 1


49

Fiquei tímida na espera, suspirando, em devaneio, a repetir “quem me dera”, mas a notícia não veio. Na casa, quando pousava o louva-a-deus, em criança, notícia... alguém falava. É a mensagem da esperança. Naquela falsa apatia, simulando indiferença, sabe Deus como eu sofria longe da sua presença! Vem o carteiro sorrindo. (Ah... notícias afinal...) Era a esperança mentindo; trouxe apenas um jornal... Minas Gerais Trovadoresco 1


50

Lucília Cândido Sobrinho Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


51

Meu sonho – estrela cadente na vigília do luar, se foi e deixou somente a saudade em seu lugar. Nas lonjuras infinitas, em vigília e soledade, acenando as mãos aflitas... Chorava minha saudade! Se a notícia não for boa, ao recebê-la, dê graça; todo mal por mais que doa é nuvem que logo passa. Se no revés, algum dia, a tristeza persistir, deixe o brilho da alegria seu destino conduzir. Minas Gerais Trovadoresco 1


52

Luiz Carlos Abritta Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


53

Com seu amor eu me aqueço e sempre me recomponho; só por isso eu lhe ofereço a vigília do meu sonho. É bem mais que indiferença, pois tiraste, de verdade, não só o amor, mas a crença que eu tinha na humanidade! Essa vitória alcançada nos obriga a meditar: sem o povo não há nada, que verdade singular! Quando passas devagar, marcando a bela presença, não me canso de chorar pela tua indiferença. Minas Gerais Trovadoresco 1


54

Lygia Gomes de Paula Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


55

O desprezo traz o abismo que separa os corações, e o amor perde o lirismo; morrem sonhos e ilusões!... O teu olhar de carícia, com meiguice a me fitar, traz na expressão a notícia: voltaste para ficar. Quando envolta em pensamento a saudade pisa fundo, eu me calo no momento e me ausento deste mundo. Tua palavra é tão doce, transmite tanta ternura, que ouvi-la é como se fosse ouvir a própria doçura. Minas Gerais Trovadoresco 1


56

Maria LĂşcia de Godoy Pereira Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


57

Cada trova que componho guarda um pouco do meu ser, é um relicário onde ponho minha maneira de ser! Desprezo tenho à omissão que deixa tanto oprimido: enfraquece uma Nação, faz um povo empobrecido. É no vai e vem da história, que a notícia se retrata, contempla a epopeia e a glória, que a humanidade relata. Você dormindo ao meu lado, e tão distante de mim, que passo a noite acordado numa vigília sem fim. Minas Gerais Trovadoresco 1


58

Newton Meyer Azevedo Pouso Alegre

Minas Gerais Trovadoresco 1


59

A humanidade caminha renegando a própria raça. As mãos - na lida mesquinha; mãos dadas... só na desgraça. Café com leite na cama, um friozinho gostoso, e o calor de quem se ama... – Que inverno maravilhoso! Mil direções, por direito, ao nosso arbítrio são dadas; por isso é que o mundo é feito de tantas encruzilhadas… Não peca o homem descrente parodiando São Tomé, pois, a dúvida é semente no corolário da fé! Minas Gerais Trovadoresco 1


60

Newton Vieira Curvelo

Minas Gerais Trovadoresco 1


61

A existência – uma jornada... E eu vejo, desde menino, mais graça ao longo da estrada que no lugar de destino... “Darás à luz” – Anuncia alguém do Eterno oriundo. Plena de Graça, Maria diz “Sim!” e transforma o mundo! Ficou mais lento o meu passo? Caminharei, mesmo assim! Só temeria o cansaço se me cansasse de mim.. O que eu mais quero na vida é a paz reinando na Terra, mas não a paz confundida com mera ausência de guerra… Minas Gerais Trovadoresco 1


62

Olympio Sim천es da Cruz Coutinho Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


63

Desprezo eu senti de fato ao ver em meus escaninhos “aquele” nosso retrato rasgado em mil pedacinhos. Essas rosas que florescem em jardins de casas pobres são as mesmas que fenecem enfeitando covas nobres. Eu não lamento a saudade que a tudo invade, porque é tão bom sentir saudade, quando a saudade é você! Finges desprezo, e eu não ligo, vejo amor no teu olhar; como diz ditado antigo: “quem desdenha quer comprar.” Minas Gerais Trovadoresco 1


64

Indiferença de leve percebi nos olhos teus: a boca disse: “até breve!” O coração disse: “adeus!” Na garganta ficou preso o grito do meu desgosto ao sentir que seu desprezo dói mais que tapa no rosto. No alpendre do casarão, em permanente vigília, Dirceu cantava a paixão em versos para Marília. Tenho ciúmes da lua, ciúmes loucos, meu bem, que passeia em tua rua e no teu corpo também. Minas Gerais Trovadoresco 1


65

Relva do Egypto Rezende Silveira Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


66

Ante o vitral da capela, em paz - em recolhimento, falo com Deus... e essa tela traz luz ao meu sentimento! A vigília tem seu jeito de inquietar meu coração. Fica ao meu lado no leito, despertando a solidão. Desato os nós do passado e as tramas de um sonho eu teço: sonho é tear encantado que motiva o recomeço. Manda notícia! É o que peço. Basta dizeres: “Eu te amo”. E esperarei teu regresso, saudosa mas sem reclamo. Minas Gerais Trovadoresco 1


67

Minha vigília parece ritual que me consome na ladainha da prece, digo, em delírio, teu nome. Mostra o leito em desalinho que a indiferença trocamos pelas juras e carinho quando o amor nós celebramos. No brilho do teu olhar, a tua alma é refletida. Nesse encanto, eu vou buscar o norte da minha vida. Partes com indiferença sem adeuses nem sinais e crias barreira imensa para abafar os meus ais. Minas Gerais Trovadoresco 1


68

Quando volto à antiga herdade, ouço do passado o canto... E, no colo da saudade, toda notícia é acalanto... Rompeste um antigo laço, contudo, mantenho aceso este amor que não desfaço, mas disfarço com desprezo. Sinto a saudade roçar o véu do tempo... E, acordado, em sonho, vou resgatar todo o encanto do passado. Sons do sino da capela... Arrebol de encantamento... E aves, na azul aquarela, são bandeirolas ao vento! Minas Gerais Trovadoresco 1


69

Roberto Rezende Vilela Pouso Alegre

Minas Gerais Trovadoresco 1


70

Mesmo quando se fracassa e a vida é mar de incerteza, a esperança, embora escassa, é sempre uma vela acesa! Nada machuca, dói tanto nem nutre mais a descrença e o profundo desencanto do que a extrema indiferença. O meu coração é um galo empoleirado no sino silencioso e sem badalo da capela do destino! O meu espírito é um frade em sua própria capela... a procura da saudade que vagueia dentro dela! Minas Gerais Trovadoresco 1


71

O poeta não lamenta o caminho e a caminhada, pois é a graça que o sustenta todo o tempo, em toda a estrada! Quanto mais se estende a mão e a justiça cresce e avança, mais brilha, no coração, a centelha da esperança! Quem não escolhe a semente, nem cultiva com capricho, às vezes colhe somente restolhos e carrapicho. Se quiseres um luar prateando o interior, deixa em ti mesmo piscar uma centelha de amor. Minas Gerais Trovadoresco 1


72

Thereza Costa Val Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


73

As notícias que pedias, rancorosa, não mandei... E hoje, só, choro em meus dias pelo amor que desprezei. A vida é tempo fluente e o tempo vai tão depressa que aqui mesmo, no presente, é que o futuro começa… Com você, que eu quero tanto, neste amor que me seduz, qualquer momento é de encanto e qualquer tempo é de luz... De minha mãe, o acalanto escuto, ainda, à distância: na saudade, guardo o encanto que embalou a minha infância... Minas Gerais Trovadoresco 1


74

Em vigília as noites passo e a ansiedade ma aniquila! Ele chega, eu me refaço... E finjo dormir tranqüila. Este mundo está perdido: a vizinha desconfia que o cachorro do marido gosta da gata da tia! Fez teu amor, sem alarde, um milagre acontecer: veio pôr em minha tarde um brilho de alvorecer! Já desponta a madrugada! Em vigília ... escuto passos... e a esperança despertada quer que eu te acolha em meus braços! Minas Gerais Trovadoresco 1


75

Não replico nem me abalo, se me fazes uma ofensa... Com altivez, eu me calo: meu revide é a indiferença. O relógio me atordoa no seu caminhar seguro: toda batida que soa mostra mais perto o futuro... Para mim era uma ofensa se acaso erguias a voz, mas foi tua indiferença que ergueu um muro entre nós. Por tua palavra dada, o meu sonho, hoje, é refém, nesta espera angustiada, da notícia que não vem. Minas Gerais Trovadoresco 1


76

Quando a noite me angustia por um presságio medonho, com a fé que me auxilia deixo em vigília o meu sonho... Quando as gatas no telhado se expandem na cantoria, meu velho gato, cansado, dorme, ao som da sinfonia... Quando um sonho se desfaz, eu não me sinto vencida: por encanto, encontro a paz... e encontro o encanto da vida! Se algum revés ou desgosto vem deixar-me entristecida, desenho um brilho em meu rosto, sorrindo... em louvor à vida! Minas Gerais Trovadoresco 1


77

Sem o luzir de esperanças e os doces sonhos de outrora, carregado de lembranças, meu futuro é aqui e agora. "Tenho eleitores devotos; a minha vitória sai..." Mas teve apenas três votos: dele, o da mãe e do pai!... Tua notícia esperei tanto tempo... vida afora! E pela vida fiquei a esperar quem foi embora. Vendo o marido arranhado, a mulher logo se espinha; e ele diz, desajeitado: - Foi a gata da vizinha!... Minas Gerais Trovadoresco 1


78

Wanda de Paula MourthĂŠ Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


79

A indiferença é que explica esta injusta distorção: caviar em mesa rica e na do pobre nem pão! A noite - orquestrando o encanto dos sons difusos que encerra entoa suave acalanto que embala o sono da Terra. As nossas vigílias plenas de um desejo abrasador transformam noites serenas em desvarios de amor! Brilho de falso talento, que se vislumbra demais, pode ofuscar um momento, mas muito tempo... jamais! Minas Gerais Trovadoresco 1


80

Brilho, sombra e agora o breu: roteiro de vida a dois... Amor fugaz que morreu sem a chance de um depois. Diante do irmão indefeso, não fiques de mãos atadas, que a indiferença e o desprezo andam sempre de mãos dadas! Em vigília à madrugada, se o vento bate à janela, a saudade alvoroçada, logo diz:- Mensagem dela! Envolta em brilhos e cores, a natureza se esmera para, em delírio de flores, eclodir na primavera. Minas Gerais Trovadoresco 1


81

Mesmo se o orgulho disfarça, a seu encanto estou preso e a indiferença é uma farsa de revide a seu desprezo! Meu coração se comove por te sentir ao meu lado, quando a saudade se move entre as sombras do passado!.. Notícias sensacionais que ouviremos algum dia: - Paz total! Bombas não mais... explosões... só de alegria! O encanto do teu sorriso, em instante de emoção, sem licença e de improviso, confiscou meu coração! Minas Gerais Trovadoresco 1


82

O teu desprezo aparente não espelha a realidade: mesmo ausente, estás presente, no milagre da saudade. Por não ter destinatário, notícias que invento a esmo, em meu viver solitário sempre as remeto a mim mesmo. Sem jamais adormecer, a saudade não se cansa e comigo vem fazer a vigília da esperança! Sem oásis, retirante, na aridez do teu sertão, única sombra flagrante é tua sombra no chão. Minas Gerais Trovadoresco 1


83

Tanto me atrai teu encanto que meu enlevo é sem fim... Se nada falo, entretanto, fala o silêncio por mim! Teu desprezo me confina em manter meu coração na solidão que domina os domínios da ilusão. Tua partida me fala do teu desprezo... um açoite! E a saudade não se cala nem na calada da noite... Voltas! Com essa notícia, atenta ao som dos teus passos, eu antecipo a delícia de uma noite nos teus braços! Minas Gerais Trovadoresco 1


84

Wagner Marques Lopes AlĂŠm ParaĂ­ba

Minas Gerais Trovadoresco 1


85

O mar, em doce balanço, ondas de paz propicia: junto aos seus pés em descanso, inundado de harmonia. O "não" é um malabarista: nega ou faz confirmação... Quem atende, mais conquista quando se expressa: "Pois não!..." Mil caminhos e aparatos alguém que se distancia... Mas, um amigo de fato se anda longe, volta um dia! Todo lar pede grandeza após a luta, o trabalho: que a Ternura ponha a mesa e que a Paz dê o agasalho. Minas Gerais Trovadoresco 1


86

Ó Clara, que roupas brancas tu lavas pela ribeira, se a sujeira te atravanca desce o rio tão ligeira !?… O hoje é bem diferente dos tempos tupiniquins: o índio em paz com o ambiente. Nós – reféns de ações ruins. O sol rompe no horizonte, o otimismo me incendeia sol que rompe em minha fronte e ilumina a vida alheia. Se as cidades são servidas, de flores e cereais, pelos campos, quantas vidas frente ao sol e temporais!… Minas Gerais Trovadoresco 1


87

Wanda Horilda Freesz de Lima Juiz de Fora

Minas Gerais Trovadoresco 1


88

Às vezes nos despedaça, porém o amar vale a pena: só quem ama atinge a graça de vida feliz e plena. Crendo nas metas que abraça, buscando-as com força e tino, é que se conquista a graça de manobrar o destino. Quem cumpre as metas que traça, sem perder de vista o norte, tem em suas mãos a graça dos rumos da própria sorte.

Minas Gerais Trovadoresco 1


89

Zeni de Barros Lana Belo Horizonte

Minas Gerais Trovadoresco 1


90

Com a vitória, o candidato sobe tal qual um foguete, mas, durante o seu mandato, desce no povo o porrete. Ele é um gato bem manhoso. Arranha tão de mansinho!... Mas, além de carinhoso, pula a cerca do vizinho. Em sufrágio da ilusão que floriu os dias meus, na capela do perdão assisto à missa do adeus. Embora pobre, pequena, desmaiada e já sem cor, a vida ainda vale a pena se as vigílias são de amor. Minas Gerais Trovadoresco 1


91

Não bata assim, coração! Cuidado!... Jamais me assuste, pois uma nova ilusão pode ser um novo embuste. Torna-se bela mansão na roça, um rancho de palha quando o amor, em profusão, faz pão de qualquer migalha. Transformo em riso o meu pranto e de encantos me envaideço quando, em meus versos, eu canto este amor que te ofereço. Veio de novo a alegria depois da notícia lida, que ele escreveu, com mestria, no jornal da minha vida. Minas Gerais Trovadoresco 1


92

SOBRE O LIVRETO O Livreto Minas Gerais Trovadoresco tem por intuito a divulgação dos trovadores mineiros. Este é mais um número, outros se sucederão, periodicamente, mantendo viva a memória destes literatos que são partes integrantes das pánias da literatura estadual e nacional, integrando deste modo a Coleção Memória Viva, que será composto de trovadores do território brasileiro, estado a estado. Caso possuam trovas, poesias, contos de literatos de sua cidade que não estão em meu blog (http://singrandohorizontes.blogspot.com) ou o Almanaque O Voo da Gralha Azul, enviem para meu e-mail voodagralhaazul@gmail.com para que não se perca na areia do tempo. José Feldman

Minas Gerais Trovadoresco 1


93

José Feldman Biografia

A esperança e o alto astral nunca me abandonaram. Se eu me deprimo, olho para estas crianças (gatos e cadelas), pulando, brincando, confiando em mim e me amando, e a esperança sempre volta. Então, eu sou José, o sonhador. Sonho e sonho, e meus sonhos nunca morrem, pois eu os vejo na alegria que há dentro dos olhos de meus gatos e cadelas. E, agradeço a Deus todos os dias, por serem esta luz”. (José Feldman) Nasce na cidade de São Paulo, no dia 27 de setembro de 1954, terceiro filho de pai rumeno, naturalizado brasileiro, representante de móveis (falecido) e mãe guanabarense. Aos 6 anos de idade aprendeu a jogar xadrez com seu pai. Desde os 10 anos mostra aptidão para a escrita, ao escrever pequenos contos baseados em personagens de história em quadrinhos. Nesta época, trabalha com seu pai para ajudar na casa. Com cerca de 13 anos de idade, escreve as suas primeiras poesias. Na época já lia muitos livros e revistas. Primeiros livros foram a coleção de Monteiro Lobato dada por seu pai. Com seu pai, o qual tocava bandolim, também aprendeu o gosto pela música. Aprendeu violão, mas não se deu bem com o instrumento. Com cerca de 15 anos de idade participou de concursos de poesia sem sucesso.

Minas Gerais Trovadoresco 1


94 Em 1975, concluiu o curso Técnico de Laboratórios Médicos, ingressando no mesmo ano de sua formatura no Hospital das Clínicas da FMUSP, em São Paulo, onde trabalhou em análises bioquímicas de sangue por cerca de 13 anos e 2 anos em endocrinologia. Desde 1973, com uma fome enorme de conhecimento, realizou vários cursos, como Filosofia no Instituto Palas Athena, Italiano na Associação de Cultura Afro-Brasileira, Inglês no Instituto Roosevelt e Instituto Norte Americano, Leitura Dinâmica e Desinibição e Criatividade, no Instituto Dynamics Cymel, Arte Dramática no Instituto Macunaíma, Filosofia no Centro de Estudos Filosóficos Pró-Vida, além de diversas palestras e encontros de literatura. Em 1975, devido a enfermidade de seu pai, auxilia-o na direção de clube de xadrez no Instituto Cultural Israelita Brasileiro (ICIB), assumindo definitivamente a diretoria em 1978, até o ano de 1996. Neste período, foi auxiliar de diretoria, arbitro e professor de xadrez no Xadrez Clube Sorocaba e no Clube de Regatas Tietê. Também, no ICIB, pertence a diretoria cultural, promovendo diversos eventos musicais, além da Oficina de Trovas, ministrada pelo grande trovador Izo Goldman, e revelando talentos musicais dos jogadores do departamento de xadrez. Neste período começa a dar maior ênfase também à literatura, ao fazer, na Casa Mário de Andrade (Oficina da Palavra) o curso de Poesia Viva, com a poetisa Eunice Arruda, curso de literatura com Mario Amato, Ficção Cientifica na literatura e no cinema com o escritor de renome internacional, André G. Carneiro, além da Oficina de Trovas com Izo Goldman. Cursou a Faculdade de Psicologia, nas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), mas tendo de abandonar devido a sua situação financeira insuficiente para se manter. No xadrez, como organizador, diretor, arbitro, pelo seu desejo de sempre integrar todos numa panela só, para não haver panelinhas, granjeou a admiração e o respeito de grandes jogadores, o que o fez elevar o clube da 3ª categoria para a categoria especial, aumentando o numero de jogadores de cerca de 10 para aproximadamente 300. Criou também um boletim enxadristico denominado “J’Adoube” (eu arrumo), direcionado a todos os níveis de jogadores, com partidas, Minas Gerais Trovadoresco 1


95 notícias, estudos, piadas enxadrísticas, etc., e com tempo obteve a adesão de colaboradores com desenhos artísticos, poemas, etc. (na época não havia computador, era tudo na máquina de escrever e mimeógrafo). Na literatura continuou tentando ainda concursos de poesia na Livraria Freitas Bastos e Scortecci, mas ainda sem sucesso. Com as trovas, obteve pela primeira vez uma menção honrosa no Concurso de Santa Cruz do Sul (RS). Casou-se em 1995 com a poetisa , escritora e tradutora paranaense Alba Krishna Topan, a qual conhecera no curso de Ficção Científica, na Casa Mario de Andrade. Neste período, trabalhou como digitador em laboratório de análises e na área de laboratório no hospital DST-AIDS. Foi em 1999 para Curitiba, onde ficou longe da literatura e do xadrez, trabalhando, aos 45 anos de idade, como recenseador no IBGE e carteiro. Não conseguindo se adaptar ao clima, mudou-se para a cidade de Ubiratã, a cerca de 70 km de Cascavel (PR). Em Ubiratã, começou a se firmar ao ser eleito em 2001 como vice presidente da diretoria provisória, da Associação dos Literatos de Ubiratã (ALIUBI), tendo contato com poetas da região. Registrou-se como representante da Delegacia de Ubiratã, pela União Brasileira de Trovadores do Paraná, auxiliando na elaboração do Boletim Paraná em Trovas com a presidente da UBT Paraná Vânia Ennes, o secretário Nei Garcez e o grande trovador A. A. de Assis. Participou de concursos de contos em Portugal e França. Também participou de torneios de xadrez regionais, sagrando-se campeão, terceiro e segundo lugares, respectivamente, em 3 torneios. Trabalhou como supervisor no censo do IBGE. Percebendo o pouco acesso das pessoas à literatura, e mesmo o baixo nível de leitura, começou a ler muito e se dedicar a literatura, criando deste modo um boletim, de nome Singrando Horizontes, que era feito principalmente em dados obtidos na internet e revistas, que abrangia tudo de literatura (contos, cronicas, artigos, biografias, poesias, curiosidades da lingua, noticias do mundo, estudos de livros, etc.), e começou a distribuir por e-mail para inicialmente amigos, trovadores e associações. Com o tempo foi descobrindo novos endereços e distribuiu em escolas, universidades, academias do Brasil Inteiro, além de Estados Unidos e Portugal. Minas Gerais Trovadoresco 1


96 O Boletim foi indicado para ser inserido nos anais da Casa Legislativa Maçonica, que segundo as palavras do magistrado , Mestre Maçom e Deputado da Loja "Os Templários", de Curitiba, PR, Valter Martins de Toledo: "Existem alguns samaritanos da cultura/educação espalhados aqui e acolá, preocupados, sempre, com essa lamentável situação cultural da população brasileira. Eis que, vez por outra, surge em longínquos rincões pátrios, cidadãos de paciência franciscana e de porte intelectual incomum, verdadeiros abnegados, apresentando projetos de primeira qualidade, como é o caso do "Boletim Singrando Horizontes", editado pelo Professor José Feldman, no Paraná, recente, pois veio à lume em 2007 mas já fez publicar, via internet mais de 400 artigos de excelente qualidade literária e bom gosto temático, conforme bem o demonstra o Boletim n. 8, de 2008, nele realçando-se a excelente abordagem sobre Machado de Assis, em comemoração do seu centenário de nascimento. Iniciativa como esta, nos oferta esperança e merece aplausos, não podendo ficar desconhecida ou ser enviada para as prateleiras da história. Merece nosso apoio e gratidão, com votos parabenizatórios, e com a sua inserção nos anais desta casa legislativa maçonica". Criou o Blog Pavilhão Literário Cultural Singrando Horizontes (http://singrandohorizontes.blogspot.com/) seguindo os mesmos moldes do boletim, com muito mais conteúdo, postados diariamente, iniciado ao final de dezembro de 2007. Com isto, começou a ficar mais conhecido devido a sua divulgação dos escritores, sendo convidado no mês de junho de 2008 a efetuar uma palestra na Academia de Letras de Maringá, onde discursou sobre o Panorama da Literatura no Brasil. Muitos escritores começaram a enviar seus textos e livros para apreciação crítica. Em novembro de 2008, a convite do escritor Sorocabano Douglas Lara, passou a ser membro da ONE (Ordem Nacional dos Escritores), recebendo o medalhão das mãos do presidente da ONE, José Verdasca, em 19 de dezembro de 2008, no Gabinete de Leitura, em Sorocaba. Nas palavras de Vãnia Maria Souza Ennes, presidente da UBT Estadual do Paraná: É com grata emoção que a diretoria da UBT Estadual do Paraná vem acompanhando seu magnífico trabalho, há mais de 1 ano. Dia após dia, Feldman, você se supera na arte de produzir, criar e disseminar a cultura poética e literária no âmbito nacional e internacional. Cada vez mais, podemos observar a sua sensibilidade que está exposta, claramente, no Pavilhão Literário Cultural Singrando Horizontes, desde dezembro de 2007 a março de 2009 e que muito orgulha o nosso Paraná.É um Minas Gerais Trovadoresco 1


97 belíssimo desempenho cultural !!! A oportunidade de poder apreciar seu site, ler, reler, participar, aprender com ele, são atitudes que nos induzem seguir adiante e, nos fazem muito bem. Portanto, receba nossos mais calorosos aplausos com as saudações trovadorescas. Em março de 2009, foi convidado para a Cadeira Vitalícia da Academia de Letras do Brasil, pelo seu presidente, o Dr. Mario Carabajal, assumindo em 12 de agosto de 2009, em Piracicaba, representando o Estado do Paraná, na cadeira n.1, tendo por patrono Paulo Leminski, ocasião em que além de receber o diploma de imortal, recebeu o título de Doutor Honoris Causa das mãos do presidente da ALB. Foi nomeado presidente da ALB/Paraná e Vice-Presidente do Conselho de Ética., gestão de agosto 2009 a janeiro de 2012. Criou em janeiro de 2010 a Revista Virtual O Voo da Gralha Azul, Almanaque Paraná e Santuário de Trovas (em imagens), disponivel no blog. Em janeiro de 2012 cria a Coleção Memória Viva, inicialmente com 2 e-livretos: Paraná Trovadoresco, com trovas de trovadores do estado, a ser editado em vários volumes. Serão periodicamente publicados não só do Paraná, mas de trovadores de outros estados. Grande incentivador e divulgador da literatura paranaense, reside na cidade de Maringá/PR. Não possui nenhum livro publicado. Possui participação na apresentação dos livros em papel: Átila José Borges. Matando o Porco, Eu Contos. (Introdução do Livro) Isabel Furini. Passageiros do Espelho. (Apresentação do livro) Isabel Furini. Quero ser escritor: Livro 1 – Cronicas.(Cronica: Filas, filas e mais filas, ou Por que não fiquei dormindo em minha cama?) Vânia Maria Souza Ennes. Paraná em Trovas. (com uma trova). Apresentação do pintor holandês Vincent Van Gogh, em livro de poesias a ser lançado por Isabel Furini. Minas Gerais Trovadoresco 1


98 E-books: Coleção Memória Viva Livreto 1 – Paraná Trovadoresco (121 páginas) Livreto 2 – Paraná Trovadoresco (112 páginas) Livreto 1 – São Paulo Trovadoresco (105 páginas) Livreto 1 – Rio Grande do Norte Trovadoresco (105 páginas) Livreto 1 – Minas Gerais Trovadoresco (lançado agora) (101 páginas) Santuário de Trovas (Trovas em Imagens) vol. 1 - 58 paginas vol. 2 - 58 páginas vol. 3 – 92 páginas Almanaque O Voo da Gralha Azul numero 1 – janeiro 2010 (74 paginas) numero 2 – fevereiro 2010 (95 paginas) numero 3 – março abril 2010 (117 paginas) numero 4 – maio junho 2010 (177 paginas) numero 5 – julho agosto 2010 (131 paginas) numero 6 – janeiro – maio 2011 (265 paginas) edição especial numero 7 – junho – agosto 2011 (163 paginas) numero 8 – setembro – novembro 2011 (184 páginas) numero 9 – janeiro – março 2012 (242 páginas) Minas Gerais Trovadoresco 1


99 Boletim Literário Singrando Horizontes Numero 1 – março de 2007 (22 paginas) Numero 2 – maio de 2007 (25 paginas) Numero 3 – junho de 2007 (33 paginas) Numero 4 – julho de 2007 (40 paginas) Numero 5 – agosto de 2007 (59 paginas) Numero 6 – setembro de 2007 (60 paginas) Numero 7 – outubro de 2007 (64 paginas) Numero 8 – novembro de 2007 (84 paginas) Numero 9 – dezembro de 2007 (82 paginas) Numero 10 – janeiro de 2008 (93 paginas) Numero 11 – fevereiro de 2008 (88 paginas) Numero 12 – março de 2008 (96 paginas) Numero 13 – abril-maio de 2008 (108 paginas) Membro de :: Academia de Letras do Brasil/ Paraná – Cadeira n.1 Patrono: Paulo Leminski ALIUBI – Associação dos Literatos de Ubiratã ONE – Ordem Nacional dos Escritores UHE – União Hispanoamericana de Escritores Casa do Poeta Lampião de Gaz (OCT) Ordem dos Cavaleiros Templários (OSTG) Ordem Sagrada do Templo e do Graal Minas Gerais Trovadoresco 1


100 (AMORC) Antiga e Mistíca Ordem Rosae Crucis Pró-Vida, Integração Cósmica Reside em Maringá/PR. E-mail: voodagralhaazul@gmail.com Fone: (44) 9981 6985 (TIM)

Minas Gerais Trovadoresco 1


101

DIREITOS AUTORAIS

O conteúdo deste livreto não pode ser comercializado sem a autorização dos autores ou responsáveis, no caso dos falecidos. Respeite os direitos do autor.

Minas Gerais Trovadoresco 1


Minas Gerais Trovadoresco  

Colecao Memoria Viva

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you