Page 1

Informativo

MISSAO Ano 01 | Número 01 | Outono 2011

A GRAÇA DE DEUS Página 6


Informativo

MISSAO

2

Informativo

ÍNDICE 3

PÁSCOA

4

CONGRESSO ACAMP’S Philippe Abuchaim de Avila

5

MISSÃO EVANGÉLICA NOVO NASCIMENTO

5

CONGRESSO NOVO NASCIMENTO

6

7

A GRAÇA DE DEUS Pr Paulo Oliveira FA Z E S I L Ê N C I O E M M I M Mário Barreto França

8

LO U V E M O S S E M P R E Elizângela C. L. Galev

9

UM COM O SENHOR Pr Rinaldo Trindade

10

Outono2011

O REINO DE DEUS I Pr Ani Abuchaim

MISSAO EXPEDIENTE O Informativo Missão é uma publicação trimestral da Missão Evangélica Novo Nascimento. Presidente: Cesar Garcia de Avila Diagramação: Remat Group Foto capa Antonio Mazeica - Fumaça FALE COM A MISSÃO e-mail: contato@missaonovonascimento.com.br

IGREJAS FILIADAS À MISSÃO ANASTÁCIO – MS: I G R E J A E VA N G É L I C A B AT I S TA A v. M a n o e l M u r t i n h o , 9 4 7 - C e n t r o CAMPO GRANDE – MS: I G R E J A E VA N G É L I C A B AT I S TA Rua José Maria, 53 - Centro SIDROLÂNDIA – MS: IGREJA EVANGÉLICA PA L A V R A D A C R U Z Rua Acre, 260 - Centro


Outono 2011

Informativo

MISSAO

3

PÁSCOA

A primeira Páscoa aconteceu no Antigo Testamento (Êxodo 12), quando Deus mandou Moisés tirar o seu povo do Egito, onde viviam como escravos, e Deus queria que eles voltassem a ser livres (Êxodo 3:7-10). Deus instruiu a Moisés a última refeição que cada família deveria preparar em casa antes de partirem, pois fariam uma longa viagem pelo deserto. A instrução consistia em preparar um cordeiro assado e comê-lo com pães ázimos e ervas amargosas. O sangue deste cordeiro deveria ser passado nos umbrais e nas vergas das portas, pois ele seria um sinal para preservar a vida do primogênito daquela casa. Esta Páscoa representou um tempo de esperança e libertação para o povo de Israel. Deus disse para Moisés que “o dia em que houve livramento aos primogênitos e a saída do Egito, deveria ser celebrado como festa ao Senhor, e este dia seria lembrado todos os anos em todas as gerações (Êxodo 12:14,17)”. E esta tradição foi mantida pelo

povo de Deus ao longo dos anos e das gerações. O ritual era repetido para lembrar que Deus libertou o povo de Israel. Jesus celebrou a última Páscoa com seus discípulos (Lucas 22.7-20), antes da sua morte “Porque vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus”. A Bíblia nos mostra que Jesus é o nosso Cordeiro pascal, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Foi ele quem foi imolado na cruz por nós. Ele sofreu o castigo que nos traz a paz. Deus lançou sobre Ele a iniquidade de todos nós. Ele, como ovelha muda, foi para o matadouro, carregando sobre o seu corpo, no madeiro, os nossos pecados. Ele se fez maldição por nós. Ele se fez pecado por nós. Ele morreu na cruz, adquirindo para nós eterna redenção. Esta é a história da nossa alforria. É a história da nossa libertação do cativeiro. É a história da nossa eterna salvação.

Lembre-se: "Cristo, que é a nossa Páscoa, já foi sacrificado por nós” I Coríntios 5:7.


4

Informativo

MISSAO

Outono 2011

C ONG R ES S O AC A M P ’ S

Como podemos expor com palavras as grandezas que o Senhor tem derramado abundantemente sobre as nossas vidas? Louvamos ao Pai por tudo o que ele tem feito, porque verdadeiramente tem sido além daquilo que pedimos e pensamos segundo a sua boa vontade que tem sido operada em nós. O tema do Acamp’s 2011 foi Santidade, recomendado pelo preletor Pr Lúcio com a orientação dada pelo Senhor. O quebrantamento foi tremendo, não havia um culto em que não existiam pessoas confessando seus pecados, e outras demais chorando na presença do Senhor. Agradecemos ao Rei dos Reis por isso. Dias antes do congresso, e até mesmo nos próprios dias do congresso estivemos com uma chuva tremenda, que parecia não cessar. Rogamos ao Senhor, não para que ela parasse, mas sim que sua vontade fosse feita, que Seu

nome fosse glorificado. E o Senhor é fiel, a chuva fez que nós não ficássemos espalhados e assim pudessemos em vários momentos glorificar ao Senhor. As escrituras dizem que somos santificados através da verdade, e também diz que a palavra de Deus é a verdade. Portanto, nos alimentamos da palavra, para que assim o Espírito nos levasse pela sua palavra a uma vida de santidade. Em uma visão geral temos que o Senhor esteve presente conosco naquele lugar, cremos que foi o melhor congresso que o Senhor nos permitiu participar, tendo como foco a glorificação do Seu nome. E assim, como é devido, aprendemos que Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. Portanto, glórias pois a Ele. Philippe Abuchaim de Avila


Outono 2011

Informativo

MISSAO

5

MISSÃO EVANGÉLICA NOVO NASCIMENTO A Missão Evangélica Novo Nascimento surgiu como forma de integração das igrejas que professam a mesma fé acerca do Evangelho, que é morte sepultamento e ressurreição em Cristo Jesus. Crendo que a salvação é concedida gratuitamente a todos segundo este Evangelho, o qual é recebido pela fé “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós é dom de Deus” Efésios 2:8. O objetivo principal da Missão é anunciar o Evangelho de Cristo obedecendo a palavra dita por Jesus logo após sua ressurreição “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” Marcos 16:15,16. Este anúncio do Evangelho se dá por meio de distribuições de bíblias, folhetos, CDs contendo pregações, encontros entre as igrejas e congressos. As igrejas que estão associadas à Missão caminham de forma independente em seus

acontecimentos diários, como a realização de culto, eventos locais e administração de caráter organizacional e econômico. A uniformidade com a Missão ocorre nas deliberações da organização eclesiástica de cada igreja associada, de forma que juntas caminhem de acordo com o objetivo principal que é anunciar a Cristo Jesus. E também nas realizações dos encontros e congressos que acontecem anualmente. A Missão atua, junto às igrejas associadas, no acompanhamento e auxílio aos pastores e evangelistas pertencentes a estas igrejas; também contribui na área de assistência social provendo e suprimento às necessidades que forem observadas por cada igreja. Os recursos financeiros necessários para a execução das atividades realizadas pela Missão são provenientes do repasse de cada igreja associada e de ofertas destinadas a este fim.

CONGRESSO NOVO NASCIMENTO Participe Data: 08 a 12 de outubro de 2011 Local: Campo Grande – MS Preletor: Pr Tomaz Germanovix Pr Lúcio Campos


6

Informativo

MISSAO

Outono 2011

A GRA DE DE Pois é pela graça que sois salvos, por meio da fé e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2:8.

Depois da grande declaração do amor de Deus em João 3:16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, Efésios 2:8 é um dos textos mais importantes da Bíblia. Em João 3:16 foi o próprio Jesus Cristo que disse do amor de Deus e o seu plano para nos salvar, e Efésios 2:1-10, Paulo declara que nós não podemos fazer nada para ter esta salvação a não ser por meio da fé que também é um dom de Deus, quando damos crédito a sua palavra. Paulo de Tarso, um perseguidor dos cristãos, reconhece ser o pior dos pecadores após ter seu encontro com Cristo no caminho para Damasco (Atos 9:1-6). Quando lhe foi revelada a Graça de Cristo, diz ter recebido do Senhor um ministério muito mais excelente (I Timóteo 1:12-16 ) que é anunciar o Evangelho de Cristo para salvação de todo aquele que crê. Mas como as pessoas têm dificuldade em aceitar esta graça! E assim procuram de todas as formas dar um jeitinho de tentar conquistá-la por seus próprios méritos ou através de sacrifícios, ofertas, dízimos, leitura bíblica, orações, etc. Vejamos o que a Bíblia diz sobre isso: Atos 15:6-11; Romanos 3:21-28; 5:15-21 e Gálatas 5:1-6. Concluímos então, que a graça de Deus é Jesus Cristo – Atos 11:19-26; Romanos 5:1-11; Efésios 1:3-7 e 4:7, e I Pedro 5:10-12.


Informativo

MISSAO

Outono 2011

ÇA US A quem se destina esta graça? Tiago 4:6b “... Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. Enquanto não reconhecermos nosso pecado de incredulidade e deixarmos de rejeitar aquele que Deus enviou para remissão dos nossos pecados, carecemos da graça de Deus. Mateus 5:3; Lucas 18:9-14; Romanos 3:23 e 6:23. Muitos cristãos têm usado mal esta graça, pois a usam somente para satisfazer seus desejos egoístas, Tiago 4:1-17 fala sobre isso. A graça é para nossa salvação, mas os seus benefícios devem ser para glória de Deus e Cristo. E para servir ao nosso próximo. O que a Bíblia diz sobre a obra desta graça em nós: 1 – Capacita com poder para servir: I Coríntios 3:10; 15:10; Efésios 4:6-13; II Timóteo 2:1-13 e I Pedro 5:1-5. 2 – Capacita para viver a vida cristã: I Coríntios 1:12-14; Filipenses 4:1-13 e I João 5:1-13. 3 – É suficiente para todas as nossas necessidades: II Coríntios 12:1-10 e I Pedro 5:6-11 Tendo revelação de tal graça de Deus, precisamos vigiar para não sermos enganados por ventos de doutrinas, falsos pastores e profetas e até falsos cristos que a Bíblia já nos orienta que nos últimos tempos viriam para que se possível enganar até os escolhidos. Mateus 24:23-27, II Coríntios 6:1-10; II Timóteo 4:1-5; II Pedro 2:1-22 e I João 4:1-6. Pr Paulo Oliveira

7

FAZE SILÊNCIO EM MIM Mário Barreto França Para que eu possa ouvir, Senhor, o teu chamado, E não queira escutar a voz do mundo ruim; Para que o meu pensar esteja a Ti voltado, faze silêncio em mim! A fim de que eu atenda, ó Deus, aos teus conselhos, E possa te seguir até da vida ao fim; E, para que te adore humildemente, de joelhos, faze silêncio em mim! Que os problemas do lar e as angústias da vida Não me afastem, Senhor, do teu caminho, e assim, Pra receber do céu a mensagem querida, faze silêncio em mim! Se o estrépito cruel do insulto ou zombaria ecoa na distância escura de onde vim; Para alcançar, ó Deus, tua sabedoria, Faze silêncio em mim! Senhor, para que eu sinta, Tua presença, A paz celestial e o teu amor, enfim, para na alma desfrutar a Tua graça imensa, Faze silêncio em mim!


8

Informativo

MISSAO

Outono 2011

LO U V E M O S SEMPRE Louvarei ao Senhor em todo o tempo;

O seu louvor estará continuamente na minha boca. A minha alma se gloriará no Senhor; os mansos o ouvirão e se alegrarão. Engrandecei ao Senhor comigo; e juntos exaltemos o seu nome. Busquei ao Senhor, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. Salmos 34:1-4

O que não se tem encontrado hoje é tempo para alguma coisa. “O tempo não para” é a frase que justifica a grande agitação humana que segue de forma desenfreada em direção aos objetivos que norteiam a vida. Tudo é correria, pressa, força para alargar o tempo que passa como que voando diante dos nossos olhos. Este tempo que passa traz consigo momentos impossíveis de serem evitados, pois: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:1). A questão é que muitas das vezes não sabemos como passar por alguns destes propósitos, porém o

salmista vem nos ensinar e convidar a louvar ao Senhor em todo o tempo, de forma a ocupar este tempo com o louvor. Louvor contínuo como as águas que estão sempre a correr para o mar. Louvor que pode estar em forma de canção, onde as notas musicais se transformam em gratidão e a harmonia alegra o coração que bate em um compasso que não se delonga em lamentações ou se agita diante das tribulações. Mas marca o ritmo que traz descanso e segurança ao confiar no Pai, que jamais desampara o filho seu. O louvor também pode estar em palavras ditas e não cantadas, onde há demonstração desta confiança no Deus que trabalha para aquele que Nele espera (Isaías 64:4). Não importando em qual situação se encontraria, o salmista declara que a sua alma se gloriará no Senhor, terá satisfação Nele. Que confiança! No livro de Jeremias 9:23 e 24 o Senhor nos ensina onde deve estar esta glória. Não é na sabedoria, nem na força ou nas riquezas. Mas gloriar-se em conhecer ao Senhor e saber que Ele faz o bem, o juízo e a justiça na terra, sabendo que Ele se agrada destas coisas. Quando desfrutamos desta experiência maravilhosa, indescritível que é conhecer ao Senhor, podemos então convidar a todos que nos cercam a engrandecer, exaltar e louvar ao Senhor. Certos de que seremos atendidos quando o buscarmos de todo o nosso coração. E que alegria: seremos livres de nossos temores! Ocupemos o nosso tempo com o louvor, porque cantar é bom, é agradável e apropriado, Salmos 147:1. Elizângela C. L. Galev


Outono 2011

Informativo

MISSAO

9

UM COM O SENHOR Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ELE. I Coríntios 6:17

Este é um grande mistério que os filhos de Deus ainda estão completamente na ignorância desta revelação. Temos crido no Senhor redentor, salvador, grande Deus criador dos céus e terra, temos sido os melhores na retórica doutrina bíblica letrada, nem um dom nos falta, mas muitos estão ainda depressivos, pessimistas, tristes, desapontados, doentes, religiosos e tontos nas derrotas do dia a dia, sem saber que estão ligados na vida eterna. Jesus Cristo está totalmente disponível aos filhos de Deus. Já pensou nisso ou você ainda está à busca daquilo que Deus já deu para nós (João 3:16)? A prática da vida é o grande fato que precisamos levar em nosso viver diário "Cristo em nós esperança da glória". Quero chamar sua atenção, para esse Jesus que vive em nós, Ele é a própria vida e veio para que O tenhamos em abundância (João 10:10). Você já notou que não falamos muito a esse respeito? Porque vida exige prática e nós a confundimos com religião; basta estar ligado na videira para ter vida. Mas não contente com a vida de Cristo em nós, avançamos sorrateiramente para os nossos propósitos mesquinhos e pessoais, nos esquecendo de que o Senhor não nos deixa mais só (Mateus 20:28). Temos uma vida celestial e espiritual vivendo em nós, garantindo vida eterna. Porque a nossa prática diária da vida verdadeira, ainda é muitíssimo pequena. O Senhor Deus Pai quer que conheçamos a Cristo subjetivamente como um Deus e Senhor, partido por nós e derramado nos vasos de barro para Sua glória. Creiamos irmãos, que esse propósito do Pai venha a

se cumprir imediatamente em nosso viver diário. Não estamos sós, Cristo que é a vida eterna, vive em nós e agora precisamos declarar que Cristo é a nossa vida. Desta forma a igreja estará pronta em comunhão, quando eu e você tivermos a certeza da fé, de que Cristo é a vida e começarmos a praticar esse fato em nosso viver, então a igreja já pode subir, pois ela já é uma em Cristo. Você sabia disso? Então vamos a prática, pois aquele que se une ao Senhor é um com Ele, você não pode estar só, à medida que colocar esse fato em prática, irá perceber que o Senhor Jesus está em você. Amém! Pr Rinaldo Trindade


10

Informativo

MISSAO

Outono 2011

O REINO DE DEUS I Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Mateus 25:34

Este reino a que Deus se refere não é aqui na terra, mas quando nós estivermos no final de todo o tempo, então haverá um Reino que será eterno. Está será a ultima palavra que o Senhor dará aos santos. Deus estabeleceu que este reino já estava preparado desde a fundação do mundo, então ele é o mais antigo de todos e agora vem tratar o cumprimento dele posterior a tudo. A Bíblia apresenta três períodos deste reino, sendo que o primeiro ocorreu no meio do povo de Israel, quando Ele escolheu a Arão da tribo de Levi, lembrando que o sumo sacerdote aparece antes de Levi, quando Abraão se encontra com Melquisedeque, evidenciando assim apenas o sacerdócio e o sumo sacerdote, que já era a revelação de Cristo. Então o primeiro Reino é estabelecido no sacerdote Arão, onde Deus forma um corpo de sacerdotes. Interessante que este sacerdócio não se perde durante outros reinos, o que acontece é uma revelação maior ao estabelecer o terceiro período.


Outono 2011

Informativo

MISSAO

No livro de Êxodo 19:6, Deus está falando diretamente com os sacerdotes e estabelecendo o reino sacerdotal, e podemos ver neste verso a profecia destes três reinos, porque em todos eles haverá sacerdócio. Mas este reino sacerdotal estabelecido ali para Arão, Deus o estava constituindo em um corpo. Analisando a história dos sacerdotes no velho testamento encontraremos o cuidado de Deus. Ele diz: vocês irão fazer tudo conforme o modelo que eu lhes mostrar. E este modelo é apresentado para Moisés no monte, Deus traz a revelação deste ministério sacerdotal que viria sobre Arão e consequentemente a todos, dentro de cada período. No primeiro reino Deus evidencia função sacerdotal com os sacrifícios que eram oferecidos pelas pessoas trazidos diante do Senhor. Estes sacrifícios chegavam as mãos dos sacerdotes para que eles fizessem expiações pelo povo. Mas neste ato já estava sendo revelado o sacrifício de Jesus. Vemos isto quando Deus diz sobre o reino e a morte de Cristo, preparado desde antes da fundação do mundo. Em I Samuel 8:7 encontramos um destaque interessante, embora lá estivessem os sacerdotes, o povo em certa altura não estava aceitando e nem querendo aprender a forma de governo que Deus estava estabelecendo. O Senhor questionou o pedido do povo que queria um rei igual ao das outras nações, e Samuel ficou muito entristecido com esta decisão do povo. Mas o Senhor diz a Samuel que “eles não estão rejeitando você, eles estão rejeitando a Mim”. Deus já queria estabelecer ao povo que o reino ali tinha uma importância, não que lá estava o Arão e seus filhos, mas eles estavam rejeitando Aquele que estabeleceu o reino, que era e é Senhor de todos os reis da terra, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Vamos voltar lá quando Deus diz “este povo não me conhece como Senhor.” Ele vem estabelecer esta palavra dizendo: “Este povo rejeitou o reino, rejeitou a mim, porque não quer a mim, o Senhor”. Agora Deus havia escolhido os seus ministros naquele período pra serem os intercessores que levariam o povo ao Senhor Deus. Um reino visível aqui na terra, mas que constituía perante os homens a revelação do céu para o homem. Deus querendo já estabelecer o seu reino no coração do homem para ser o seu Senhor. Em Daniel 7:18 temos uma visão onde Daniel fala a respeito de um outro povo, outros santos, pois Daniel estava no contexto daquele período dos sacerdotes. O Senhor estava profetizando acerca do próximo reino. No verso 18 Deus se refere ao povo que estaria no período da igreja, que também é um

11

reino. Mas Ele também estava falando de um terceiro reino que será no período milenar. E também de um reino eterno “Vinde benditos de meu pai e possui por herança o reino que está preparado desde a fundação do mundo” (Mateus 25:34). Esta promessa embora dentro do período do reino em que Daniel estava vivendo, que seria o reino sacerdotal (o de Arão), Deus estava falando de todos os reinos que viria. A profecia dizia a respeito de mais dois reinos e em seguida a consumação do reino. Neste verso citado acima Daniel fala que estes “santos do Altíssimo receberão e possuirão o reino para todo o sempre de eternidade em eternidade”. No capitulo 7:21,22, Daniel relata sobre aquele que fazia guerra contra os santos e diz “Até que veio o Ancião de Dias” o mais velho de todos porque é eterno, se referindo a Deus o Pai mostrando que a Ele foi dado o juízo dos santos do Altíssimo, e chegou o tempo em que os santos possuíram o reino. Tanto os santos que estão no período anterior, os do período da Igreja, do período milenar e os que estarão na eternidade, quando receberão o reino. O reino de Deus não depende de nós, nós é que dependemos de Deus. Não é pelas obras que o reino se estabelece, é pela obra de Deus, Ele já fez tudo para que o Seu reino e a Sua justiça chegassem a nós. Pr Ani Abuchaim


Informativo

Foto: Antonio Mazeica - Fumaça

MISSAO

Louvarei ao Senhor em todo o tempo; O seu louvor estará continuamente na minha boca. A minha alma se gloriará no Senhor; os mansos o ouvirão e se alegrarão. Engrandecei ao Senhor comigo; e juntos exaltemos o seu nome. Busquei ao Senhor, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. Salmos 34:1-4

Informativo Missão  

Informativo da Missão Evangélica Novo Nascimento - Primeira edição da revista trimestral - Outono de 2011.