Issuu on Google+

P

PROPOSTA DE PRIVATIZAÇÃO DA BAIXADA FLUMINENSE É ENCAMINHADA POR DIRETOR E CONSELHEIRO DA NOVA CEDAE

O SINTSAMA-RJ TEM CORAGEM E ESTA DENUNCIANDO ESSA “PROPOSTA”


Boletim Informativo do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas do Saneamento e Meio Ambiente do Rio de Janeiro e Região

PROPOSTA DE PRIVATIZAÇÃO DA BAIXADA FLUMINENSE É ENCAMINHADA POR DIRETOR (da casa) E POR CONSELHEIRO DA NOVA CEDAE Quando o SINTSAMA-RJ apresentou a concepção da utilização da vazão do lago de Ribeirão das Lages para o abastecimento de água exclusivo para a população da Baixada Fluminense, usando como principais premissas, a quantidade e a qualidade daquela água, a condição estratégica de ser um manancial alternativo ao poluído rio Paraíba do Sul, a correção da injustiça histórica com o povo da Baixada Fluminense que sempre foi tratado como fornecedor de água para a cidade do Rio de Janeiro, as exigências da legislação vigente para a adequada qualidade da água fornecida, a desoneração da ETA do Guandu para um melhor abastecimento da Zona Oeste e periferias da cidade do Rio de Janeiro e a economia que os benefícios da LEI da GRAVIDADE proporcionaria para o transporte e abastecimento para toda a população da Baixada Fluminense, diante desses argumentos. Notamos que as agressividades nas comunicações vindas da Diretoria da Nova CEDAE eram patéticas, tendenciosas e convergiam na direção da vã tentativa de desqualificar a concepção proposta pelos trabalhadores da CEDAE.ia Mas tudo ficou evidente quando o SINTSAMA-RJ teve acesso a ATA da 577ª reunião do Conselho de Administração da Nova CEDAE, de 11/06/2013.

DIVIDINDO PARA PRIVATIZAR

O SINTSAMA-RJ teve acesso a ATA DA 577ª REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA CEDAE, de 11/06/2013, (em anexo), onde e quando um DIRETOR e um CONSELHEIRO da CEDAE, apresentaram as suas versões e “propostas” da descrição do funcionamento atual e a necessidade de ampliação futura dos “Sistemas de Abastecimento da Baixada Fluminense e Esgotamento Sanitário da Região de São Gonçalo e da Baixada Fluminense e a PROPOSTA de criação de 02 (duas) EMPRESAS SUBSIDIÁRIAS INTEGRAIS”, com o intuito de separar as atividades em duas frentes diversas, Região Metropolitana e Baixada Fluminense. ISSO É A CISÃO !!! Para dar andamento a essa proposta P.R.I.V.A.T.I.S.T.A, há a necessidade, segundo o Artigo 3º , parágrafo 1º do atual Estatuto Social da CEDAE , da convocação de uma Assembleia Geral especificamente para CONSTITUIR SUBSIDIÁRIA MANTENDO OU NÃO O SEU CONTROLE ACIONÁRIO. Quando todos os CEDAEANOS, ativos e inativos, deverão estar presentes para impedir a Nova CISÃO.

A NOVA CISÃO DA NOVA CEDAE Essa “proposta”, apresentada por esses senhores, que viabiliza a privatização da CEDAE, não é nada mais, nada menos que, a volta da famigerada CISÃO. Com a derrota da Abertura de Capital, apressaram-se em apresentar um plano B, a Nova Cisão. O que intriga o SINTSAMA-RJ, é a semelhança entre essas propostas, que parecem ser irmãs gêmeas, cuja diferença está na definição da quantidade de trabalhadores a serem demitidos. Na Velha CISÃO eram 69%, na Nova CISÃO, esse numero que hoje não aparece, deixa o SINTSAMA-RJ com a impressão que deva ser algo muito próximo de 100%. Mais um detalhe intrigante e que chama a nossa atenção, é o fato dessas propostas gêmeas serem apresentadas em 02 (dois) Governos totalmente diferentes, trazendo questionamentos como: ESSAS PROPOSTAS VIERAM DOS GOVERNOS PARA A CEDAE, OU FORAM APRESENTADAS AOS GOVERNOS POR ALGUÉM DA CEDAE ????? Expediente: NASCENTE - Boletim Informativo do Sindicato dos

Trabalhadores em Saneamento Básico e Meio Ambiente do Rio de Janeiro e Região. Sede: Rua Padre Telemaco, 47 - Cascadura - (21) 2102.3437 Sub-sede: Rua Viúva Dantas, 627 - Campo Grande - (21) 2412.9770

www.sintsama-rj.org.br imprensa@sintsama-rj.org.br

Presidente: Humberto Luiz Nunes Lemos Diretor de Imprensa: Paulinho da Rocinha (Licenciado CTB-RJ) Diretor de Imprensa em exercício: Marcelino Simões Jornalista Responsável: Wellington Santos (34372-RJ) Fotografia: Sebastião Silvério Tiragem: 8.000 exemplares Imprenssão: 3graf Editora


www.sintsama-rj.org.br

julho/2013

número XX

FICOU CLARO PARA O SINTSAMA-RJ QUE A CRISE ERA FABRICADA Ficou claro para o SINTSAMA-RJ que, o abandono da quase totalidade dos 25 reservatórios da Baixada Fluminense, a falta de projetos para melhorarias no abastecimento d’água e no esgotamento sanitário na região, a desmobilização do CCO Baixada (Centro de Controle Operacional da Baixada), a descaracterização das turmas de manutenção e operação dos DAE’s e o fim da Divisão de Operação da Baixada, eram o prenuncio do caos, que teria como solução, oferecida pela Direção da Nova CEDAE, a privatização da CEDAE Baixada. Ficou claro também que a concepção do SINTSAMA-RJ, para a utilização da água de Lages exclusivamente para a Baixada Fluminense, abolindo toda e qualquer futura falta d’água na região, contrariou os interesses dos poderosos privatistas de plantão e feriu mortalmente, o sucesso dessa Nova CISÃO. Evidenciando de uma vez por todas que, a CRISE era FABRICADA, adiando também, a utilização do CARTÃO PRÉ-PAGO para a água na Baixada. Justamente a parcela mais pobre da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, a da Baixada Fluminense, é oferecida à sanha do ganancioso Capital, sepultando o SUBSIDIO CRUZADO ao mesmo tempo em que se cria uma CEDAE pública para servir exclusivamente ao povo da Capital do Rio de Janeiro, onde a arrecadação será fantástica e os recursos praticamente infinitos. É a separação da sagrada água, a “desfusão” da Guanabara e do Estado do Rio de Janeiro, a hedionda separação do RICO e do POBRE. Coisas do Capital e daqueles que o servem !!!

OS ACIONISTAS MINORITÁRIOS E AS DEBÊNTURES Nessa 577ª ATA do Conselho de Administração há ainda duas informações que merecem ser destacadas: - O silencio ensurdecedor e constrangedor praticado pelo Conselheiro (o sexto da ATA em anexo) eleito pelos acionistas minoritários, na maioria, empregados da CEDAE. Esse engenheiro aposentado e de carreira, tem como dever de ofício no Conselho de Administração da CEDAE, a defesa das conquistas e dos direitos do povo CEDAEANO. No mínimo, deve manter os CEDAEANOS informados dos riscos que corre a CEDAE PÚBLICA, ESTADUAL e INDIVISÍVEL. A reunião ocorreu em 11/06/2013 e o SINTSAMA-RJ teve acesso a essa ATA e já esta denunciando. Será que essa “proposta” corre em “segredo de justiça”, ou houve omissões e conivências ??? - Nessa reunião também foi aprovado o lançamento, com carência de 4 (quatro) anos, da 4ª emissão de DEBÊNTURES, no valor de R$ 200 milhões, com o objetivo de suprir a necessidade imediata de capital de giro. Mas a Nova CEDAE não estava no azul??? Não era vista como a “Petrobras da água”??? Não distribui Dividendos da ordem de R$ 180 milhões/ano para o acionista majoritário (o Governo do Estado)???? Paga, de modo inédito, Imposto de Renda Sobre o Lucro (de 2007 até hoje já pagou a valores históricos aproximadamente R$ 1 bilhão)??? Qual o motivo dessa quarta emissão de DEBÊNTURES, que já totalizam algo próximo a R$ 500 milhões, sem que nenhuma obra IMPORTANTE tenha sido executada ou esteja em execução, será que são para pagar tributos???

COM ESSES RECURSOS, DAS DEBÊNTURES, DARIAMOS FORMA AO PROJETO DE LAGES (com G), LIVRANDO O POVO DA BAIXADA DA DESNECESSÁRIA FALTA D’ÁGUA E DO GANANCIOSO CAPITAL !!!


Boletim Informativo do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas do Saneamento e Meio Ambiente do Rio de Janeiro e Região

PROPOSTA DE PRIVATIZAÇÃO DA BAIXADA FLUMINENSE É ENCAMINHADA POR DIRETOR E CONSELHEIRO DA NOVA CEDAE

O SINTSAMA-RJ CONVOCA OS CEDAEANOS E O POVO DA BAIXADA PARA IMPEDIR ESSE CRIME!!


Boletim SINTSAMA XVIII - Julho