Page 1

RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

VITÓRIA IGREJA COM PROPÓSITOS – VIP CURSO DE NOIVOS 6º MÓDULO Facilitadores: Irmãos Jamil e Lúcia TEMA: RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL Uma vida sexual plena e prazerosa é fruto de uma intimidade baseada na aliança. Como já estudamos nos módulos anteriores, quando há aliança, desenvolve-se a confiança e essa é a base para um relacionamento sexual feliz. Muitos casais, influenciados pelo pensamento natural, imaginam que, se aprenderem algumas técnicas, terão uma vida sexual realizada, mas a verdade é que sexo e um estilo de vida e não uma simples aquisição de técnicas. No coração de Deus o sexo e a intimidade da aliança estão completamente interligados. O sexo pleno vem de uma intimidade plena. Ao contrário do que o mundo nos ensina: o sexo não é a parte mais importante de um casamento. Isso não implica que não seja importante. Mas um relacionamento sério com Deus e uma intimidade baseada na aliança são os fundamentos seguros. Um bom sexo não garante um bom casamento, mas uma aliança íntima e verdadeira garante um bom sexo porque o potencializa e o torna gratificante. A Palavra de Deus nos dá em pelo menos quatro princípios básicos que devem reger nossa vida sexual: Quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque em mulher; mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido. O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que satanás não vos tente por causa da incontinência. E isto vos digo como concessão e não por mandamento. Quero que todos os homens sejam tais como também eu sou; no entanto, cada um tem de Deus o Seu próprio dom; um, na verdade, de um modo; outro, de outro. (1Co 7.19)

Página 1 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

1) Tanto o homem como a mulher possuem carências de ordem sexual, que devem ser supridas apenas no casamento a) Apenas no casamento O texto diz: “Cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, à seu próprio marido” (ICo 7.2). O mandamento do Senhor é claro: “não adulterarás” (Êx 20.14). O compromisso é essencial para promover a comunhão íntima que resulta em uma vida sexual fantástica. O mandamento de não adulterar é como uma cerca ao redor do jardim do casamento. Mas, frequentemente olhamos para acerca como algo a ser transposto por causa de uma suposta grama mais verde do outro lado. Deve haver em nós a resolução clara de jamais acalentar pensamentos a respeito de outra pessoa, ou permitir que se aproximem ao ponto de ameaçar nossa aliança. b) O sexo é também para desfrute e prazer Na história do cristianismo, o sexo tem sido retratado como algo feio e pecaminoso. Em muitos segmentos, o sexo ainda é visto somente como meio de procriação, como se Deus fosse contra o prazer sexual no casamento. Isso, porém, é um grande equívoco. Precisamos resgatar o plano de Deus, santificando e desfrutando das maravilhas do prazer sexual. A intenção de Deus era que o homem e a mulher usufruíssem a diversão, a recreação e o prazer do ato sexual. Isso pode ser visto em alguns lugares da Palavra de Deus: Bebe a água da tua própria cisterna e das correntes do teu poço. Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e, pelas praças, os ribeiros de águas? Sejam para ti somente e não para os estranhos contigo. Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, corça de amores e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga- te sempre com as suas carícias. (Pv 5.15-19) É precioso lermos as palavras “alegra-te”, “saciem-te” e “embriaga-te”, pois todas elas trazem o sentido de prazer e satisfação. O sexo é um manancial de águas refrescantes dado por Deus a nós no casamento. Beija-me com os beijos de tua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho. (Ct 1.2) O meu amado é meu, e eu sou dele; ele apascenta o seu rebanho entre os lírios. (Ct 2.16) Os teus dois seios são como duas crias... Venha o meu amado para o seu jardim e coma os seus frutos Página 2 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

excelentes! (Ct 4.5;15,16) O sexo é a excitante exploração do corpo um do outro, com o objetivo de proporcionar prazer. É criar uma atmosfera santa e divertida no jardim de ambos, compartilhando os excelentes frutos e o poço das águas vivas do relacionamento sexual. Isso parece completamente claro nesses textos de Cantares. Como és formosa, querida minha, como és formosa! Os teus olhos são como os das pombas e brilham através do teu véu. Os teus cabelos são como o rebanho de cabras que descem ondeantes do monte de Gileade. São os teus dentes como o rebanho das ovelhas recémtosquiadas, que sobem do lavadouro, e das quais todas produzem gêmeos, e nenhuma delas há sem crias. Os teus lábios são como um fio de escarlata, e tua boca é formosa; as tuas faces, como romã partida, brilham através do véu. O teu pescoço é como a torre de Davi, edificada para arsenal; mil escudos pendem dela, todos broquéis de soldados valorosos. Os teus dois seios são como duas crias, gêmeas de uma gazela, que se apascentam entre os lírios. Antes que refresque o dia, e fujam as sombras, irei ao monte da mirra e ao outeiro do incenso. Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito. (Ct 4.1 -7) Quando um homem se casava em Israel, ele era liberado do serviço militar por um ano, para poder desfrutar de sua esposa e vice-versa. Homem recém-casado não sairá à guerra, nem se lhe imporá qualquer encargo; por um ano ficará livre em casa e promoverá felicidade à mulher que tomou. (Dt 24.5) Um exemplo impressionante é onde Isaque, que foi flagrado acariciando Rebeca. Não eram carícias comuns, mas algo que remetia ao prazer sexual. Ora, tendo Isaque permanecido ali por muito tempo, Abimeleque, rei dos filisteus, olhando da janela, viu que Isaque acariciava a Rebeca, sua mulher. Então, Abimeleque chamou a Isaque e lhe disse: É evidente que ela é tua esposa; como, pois, disseste: É minha irmã? Respondeu-lhe Isaque: Porque eu dizia: para que eu não morra por causa dela. (Gn 26.8,9) 2) Quando alguém se casa, ele perde o direito sobre o próprio corpo Erramos o alvo se considerarmos o ato amoroso como simplesmente uma excitação física, relação sexual e técnicas. Um verdadeiro ato sexual inclui alegria, excitamento, confiança, compromisso, cuidado altruísta e um amor prazeroso e pleno. Na verdade, sexo sem esses ingrediente é só um exercício físico. Página 3 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

Todavia, não podemos desprezar a importância do prazer sexual. Paulo diz que agora o nosso corpo pertence ao nosso cônjuge e vice-versa. Isso evidentemente não significa que o sexo deva ser tomado por coerção por qualquer dos cônjuges. Significa apenas que devemos ser livres para desfrutar do corpo um do outro com todo o arsenal de carícias que dispomos. a) A frequência sexual Esta é uma questão que aflige muitos casais. Qual a frequência ideal para o sexo? Quando realmente é o limite em que podemos dizer que estamos sendo privados? Paulo diz que não devemos privar o nosso cônjuge do prazer sexual. O importante é tomarmos consciência de que não existe uma frequência ideal para se ter relações sexuais. Pesquisas indicam que o brasileiro tem em média duas relações por semana, mas o importante é o casal estar satisfeito com sua frequência sexual e procurar valorizar mais a qualidade da intimidade do que o número de vezes que ela acontece. Lembre-se, porém, que, quanto mais relações sexuais você tem, mais relações você terá. Descontraindo... Certa vez três homens foram pescar. No barco começaram a compartilhar como tinham convencido suas esposas a os deixarem ir pescar. O primeiro disse “Eu lavei as vasilhas durante uma semana”. O segundo disse: “Eu comprei um vestido novo para ela”. O terceiro então disse: “Minha esposa me deixou ir sem falar nada”. Aí ele contou seu segredo “Eu acordei de manhã e disse à minha mulher eu amanheci com vontade de fazer duas coisas: fazer amor e pescar. Qual você acha que eu faço? Ela então respondeu: Não esqueça a blusa de frio” b) A carícia Quando falamos de carícias estamos falando de zonas erógenas. A sensualidade e a sensibilidade ao toque devem ser desenvolvidas e incluídas no relacionamento sexual. As áreas erógenas podem ser dividas em três níveis de acordo com a sensibilidade para produzir excitação sexual. O nível 3 é o menos sensível, mas ainda assim capaz de produzir excitação. Esse nível inclui todo o corpo com sua pele. Se você pensa que a pele não tem o poder de excitar, experimente receber uma massagem sensual de seu cônjuge. Deite-se de costas, feche os olhos e desfrute todo o seu corpo sendo acariciado Você verá que o couro cabeludo, as costas, as nádegas e as coxas podem ser muito prazerosas; O nível 2 é aquele onde se concentram a maior parte das terminações nervosas e, por isso mesmo, são mais sensíveis. Nesse nível estão aquelas partes que acariciamos no momento chamado preliminar ou de despertamento. Utilize suas mãos, a boca e a língua para acariciar as áreas do nível dois que inclui (1) a parte posterior dos joelhos, (2) a parte de dentro das coxas, (3) as axilas e a região dos seios, (4) a barriga é o umbigo, (5) a parte de baixo das costas, (6)0 pescoço, (7) a palma das mãos e a planta Página 4 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

dos pés, (8)0 rosto com todas as suas partes (9), a boca (10) e a língua. O nível 1 é a parte erógena mais sensível e sexualmente estimulante. Elas incluem no homem os mamilos, o pênis, os testículos e o períneo. Na mulher são os seios e mamilos, os grandes e pequenos lábios, o clitóris, a vagina e a área do períneo. c) O ciclo sexual Durante o relacionamento sexual nosso corpo passa por quatro fases distintas: 1) a fase de despertamento, 2) a fase do platô, 3) a fase do orgasmo e 4) a fase do relaxamento. A primeira fase é a fase de despertamento. No homem a excitação sempre começa com a ereção do pênis. O tamanho e ângulo do pênis podem variar de homem para homem. Um pênis ereto varia em média de 12,5 a 17,5 centímetros. Mas é sempre bom lembrar que o prazer da mulher não depende do tamanho ou volume do pênis do marido. Com estimulação direta, uma ereção pode durar de 10 minutos amais de uma hora. Só o fato de pensar em ter uma relação sexual já pode despertar o homem, mas geralmente o homem aprecia olhar e tocar os órgãos genitais de sua esposa. O despertamento da mulher pode ser mais lento, por isso o marido pode intensificar o lado romântico de suas esposas ajudando-a em alguma tarefa de casa ou investindo tempo ouvindo-a. A excitação feminina é demonstrada pela lubrificação da vagina, pelo enrijecimento dos mamilos, por um ligeiro aumento no volume dos seios, que se torna ainda mais excitante para o marido. Quando a mulher estiver suficientemente excitada, os grandes lábios se achatam e os pequenos lábios da vulva aumentam de volume, criando um caminho excitante para o pênis penetrar a vagina. O clitóris aumenta de duas a três vezes de tamanho e torna-se uma área ainda mais sensível. As mulheres variam muito na forma como gostam de ser tocadas e acariciadas, por isso o casal deve desenvolver uma comunicação em que essas preferências possam ser livremente expressadas. A segunda fase é chamada de platô ou tempo de maior excitação. Esta deveria ser a mais longa, mais excitante e prazerosa fase do ciclo sexual. Nesse momento, o pênis aumenta de volume e a cabeça muda de cor. A terça parte da vagina reduz o seu diâmetro aumentando assim a pressão maior sobre o pênis durante a relação. Nesse período um líquido lubrificante é secretado pelo pênis, antes da ejaculação, e tanto o homem como a mulher experimentam uma aceleração nos batimentos cardíacos, a respiração se torna ofegante e a pressão sanguínea aumenta. Página 5 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

As carícias e as estimulações vão aumentar com a penetração do pênis e a estimulação mais vigorosa das zonas erógenas. Um homem atingirá o orgasmo em menos de dois minutos, enquanto a mulher demandará um tempo maior para atingir o clímax. Um casal sábio vai aprender a controlar a excitação, percebendo a iminência da ejaculação e, assim, retirando o pênis da vagina, prolongando a fase de platô por um período prolongado de prazer e relacionamento amoroso. A terceira fase do ciclo sexual é o orgasmo. Um relacionamento sexual saudável permite que uma pessoa tenha o objetivo de atingir o próprio clímax e também dar prazer ao seu cônjuge. No momento do orgasmo os movimentos se intensificam acompanhados de contrações musculares. Na mulher, as contrações estão concentradas na área vaginal e no esfíncter anal. Ela experimenta uma série de espasmos dependendo da intensidade do orgasmo. O homem, semelhantemente, experimenta espasmos durante a ejaculação, que também podem variar dependendo do nível de excitação. Depois de um orgasmo, o homem precisa de um intervalo de recuperação que pode variar de alguns minutos na juventude a mais de um dia na maturidade. As mulheres, por sua vez, não precisam desse intervalo e podem ter orgasmos repetidos, que inclusive aumentam de intensidade. As mulheres possuem ainda a capacidade de terem múltiplos orgasmos. Alguns casais preferem buscar sempre o orgasmo simultâneo, mas a maioria dos casais prefere que a mulher tenha um ou mais orgasmos antes do marido. Cada casal deve determinar seu próprio ritmo. Em seus estudos, Freud estabeleceu que uma mulher pode ter dois tipos de orgasmos: o clitoriano e o vaginal, sendo o segundo o mais intenso. Hoje já se sabe que toda mulher precisa da estimulação do clitóris para chegar ao orgasmo. A penetração do pênis é muito prazerosa, mas a estimulação do clitóris deve anteceder e acompanhar a maior parte do ciclo sexual até o orgasmo. O orgasmo é a parte mais curta do ciclo sexual, mas ele é o seu objetivo primário. Como homem de Deus, lembre-se de ter o orgasmo de sua esposa em perspectiva quando você falar, brincar, cuidar e prolongar a excitação em um companheirismo íntimo. Sempre que você se preocupar em buscar apenas o seu prazer, ou usar o seu cônjuge, a sua vida sexual rapidamente declinará. O orgasmo originado em um relacionamento afetuoso é muito mais intenso. A quarta e última fase do ciclo sexual é o relaxamento. Após o orgasmo há uma sensação de bem estar e alívio das tensões. Particularmente o pênis pode se tornar muito sensível depois de uma relação e cada casal deve aprender aquilo que agrada o outro nessa fase. Assim, como é importante prolongar a fase de platô, é bom estender o tempo de relaxamento. É um tempo de afirmação mais importante para a mulher do que para o homem, por isso o marido deveria envolver sua esposa em um abraço demorado e ter conversas íntimas nas quais confirmem o seu amor por ela. Esses momentos fortalecem o sentimento de intimidade e companheirismo. Página 6 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

Eclesiastes 8.6 diz que, para todo propósito, há tempo e modo. O casal sábio vai procurar aprender o tempo e o modo de uma relação sexual santa e prazerosa. 3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge Em sua Primeira Carta aos Coríntios, Paulo diz que o marido deve conceder à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido (1 Co 7). A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. A orientação é bastante clara: “Não vos priveis um ao outro” (1 Co 7.3-5). Não devemos, porém, utilizar as direções de Deus como armas um contra o outro. Alguns maridos pressionam suas esposas dizendo que, se elas, naquele dia, não fizerem sexo com eles, estarão pecando. Na verdade, eles é que estão pecando por não investirem tempo, carinho e energia para atraírem suas esposas de uma forma romântica. Por que um cônjuge privaria o outro de sexo? Existe uma gama enorme de situações e possibilidades, mas não devemos nos acomodar diante de nenhuma dela~. a) Excesso de atividade e cansaço Uma realidade da nossa vida é a dificuldade de dizer não. Acabamos por acumular muitas atividades e deixar de lado aquelas que são prioridade. Uma maneira de resolver esse problema é reservar dias ou horas exclusivas para o sexo. b) Tédio e monotonia A falta de criatividade acaba levando a vida sexual a uma monotonia que tira a excitação. Seja criativo e injete um pouco mais de romance e diversão em sua vida íntima. Experimente novas posições e lugares em sua casa, uma pequena variação pode fazer uma grande diferença. c) Inibições Por falta de conhecimento e pelos preconceitos adquiridos durante os anos, algumas pessoas se fecham para um sexo prazeroso, com o receio de estar fazendo algo errado. Outras, por causa de experiências passadas, se sentem feias e sem atração. Lute contra essas inibições, aprenda, estude e leia sobre sexo na vida de um cristão. É um sentimento de companheirismo único e muito excitante estar nu e não sentir vergonha alguma, quando celebramos o sexo no casamento. d) Tensões, ressentimentos e conflitos não resolvidos Tudo isso destrói a intimidade sexual. Muitas mulheres sentem verdadeira aversão ao sexo quando estão magoadas com o cônjuge. Aprenda a resolver seus conflitos sem demora com uma comunicação franca e um espírito perdoador. Página 7 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

e) Crianças pequenas É verdade que o cuidado com as crianças tomam toda a energia e exige todo o tempo disponível do casal, mas é possível estabelecer limites viáveis para guardar um tempo para a intimidade sexual. f) Não ser prioridade A atitude de sempre deixar para depois pode afetar drasticamente a frequência sexual. É melhor ambos estabelecerem metas e aprenderem a desfrutar de relações sexuais em momentos programados. Muitos casais pensam que o sexo deve ser sempre espontâneo, mas, se as circunstâncias exigem, é melhor planejá-lo. g) Frigidez Aponta para a falta de desejo sexual feminino e não para a incapacidade de ter orgasmo. O desinteresse pelo sexo está ligado a fatores psicológicos, sendo um dos mais frequentes a monotonia conjugal. Um ensino distorcido sobre sexo na adolescência, a falta de diálogo com o marido, as práticas sexuais pouco gratificantes, mágoas e ressentimentos guardados, acabam minando o relacionamento produzindo o desinteresse. Assim, o desinteresse sexual contínuo pode ser fruto de um relacionamento ruim. h) Culpa e medo Algumas pessoas foram criadas em um ambiente no qual o sexo era visto como algo errado e sujo. Esses sentimentos em relação ao sexo podem perdurar até mesmo depois de casados e despertar sensações de culpa. A melhor maneira de superar isso é recebendo uma nova instrução bíblica e equilibrada sobre o lugar do sexo prazeroso no propósito de Deus para o casal. i) Uso do sexo como moeda de negociação Algumas mulheres usam o sexo para recompensar ou se abstém dele para punir seu marido. Esta é uma atitude algumas vezes inconsciente, mas que está frontalmente contrária ao ensino bíblico de que o corpo do cônjuge não pertence mais a si mesmo. Privar o outro do que lhe é devido é um tipo de defraudação pecaminosa. j) Ejaculação precoce Ejaculação precoce é quando o homem chega ao ápice da relação antes, durante ou logo após a penetração com o mínimo de estímulo sexual e sem ter desejado. Ela é mais frequente nos jovens e após um período de abstinência. A ejaculação precoce pode ser o resultado de tensões emocionais. O homem se sente pressionado e isso interfere no seu controle. Ou mesmo quando o homem se Página 8 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

sente muito excitado e não sabe como se controlar, parando a relação e a estimulação do pênis quando a ejaculação já é inevitável. A ejaculação precoce também pode acontecer devido um comportamento aprendido. Quando garoto, o homem com medo de ser pego se masturbando, ficava ansioso e procurava chegar ao orgasmo o mais rápido possível. Assim, na mente desse homem, o sexo torna-se somente uma questão de atingir o orgasmo e não uma relação de intimidade e amor. Uma causa ainda comum é o puro egoísmo de alguns homens que simplesmente ignoram as necessidades de suas esposas. Esse é um problema que pode ser resolvido por meio de alguns exercícios. Procure um conselheiro conjugal para obter ajuda. l) Impotência Depois dos quarenta anos, mais da metade dos homens já enfrentou situações em que não conseguiu ter uma ereção ou mantê-la o suficiente. Sendo algo ocasional, não deve causar preocupação, mas, quando se torna algo permanente, então é necessária a ajuda médica. Um homem não escolhe ter uma ereção, ela simplesmente acontece quando ele é eroticamente estimulado. Portanto, essa reação reflexa pode ser destruída pela ansiedade, pelo medo do fracasso, da rejeição, repressão sexual na infância, culpa, ira, tristeza e depressão. O problema é tentar fazer sexo sem antes lidar com tais sentimentos. O resultado pode ser frustração. Além de causas emocionais pode haver impotência causada por doenças como diabetes, problemas renais, níveis baixos de um hormônio chamado testosterona ou o uso de alguns medicamentos, drogas ou álcool. Se a impotência for persistente e constante, procure um urologista. m) Menstruação Não há nada de imundo no fluxo menstrual e nada de errado em se manter relações sexuais durante esse período, se assim o casal o desejar. É possível que um dos cônjuges tenha uma atitude negativa a esse respeito, que deve ser discutida e resolvida. No Velho Testamento era vedada a relação durante a menstruação por uma questão de pureza cerimonial. Só para ficar em um exemplo, aqueles que usam esse argumento para proibir a relação deveriam também se abster de comer carne de porco e camarão, que são igualmente proibidos. n) Gravidez A não ser que haja recomendação médica em contrário, não há qualquer restrição para a relação sexual durante a gravidez. Muitas mulheres relatam que têm um aumento do desejo sexual devido à alteração hormonal da gravidez. Página 9 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

Evidentemente o casal terá que procurar posições mais confortáveis. Por exemplo, a posição de lado com a esposa à frente e a penetração por detrás; ou com o marido sentado sobre um banquinho ou cadeira sem braços e a esposa sentada em seu colo; ou ainda com a esposa deitada na beira da cama e o marido em pé ou ajoelhado na beira. A mulher pode se sentir mais feia ou menos atraente à medida que os meses avançam, mas o homem pode realmente se sentir mais excitado e desejoso pelo corpo da mulher, justamente por ela estar grávida dele. o) Excesso de peso Como no caso da gravidez, o excesso de peso não deve ser obstáculo, mas o casal deve procurar posições que propiciem conforto, por exemplo, com a mulher por cima. O maior efeito do excesso de peso sobre o sexo é a diminuição da auto-estima. 4. O ato sexual é aprovado por Deus Pode haver algum tipo de relação sexual que não é aprovada por Deus? Vejamos as duas questões mais discutidas entre casais cristãos. a) A questão do sexo oral A comunidade cristã de forma geral tem se mostrado contrária ao sexo oral. Algumas vezes, por razões pequenas, como por considerar a região genital “antihigiênica” ou por pensarem se tratar de algo permissivo e mundano. Quando a Bíblia não trata diretamente de um assunto, precisamos nos apegar a outros valores das Escrituras que nos auxiliem a nos posicionar. E não há nada que proíba esse tipo de carícia amorosa. As carícias orais e o sexo oral são duas das muitas maneiras de tornar prazerosa a relação sexual. Todavia, cada um deve agir conforme a sua consciência e de acordo com a ministração do Espírito Santo para cada casal. Isso significa que jamais devemos fazer ou praticar qualquer coisa que viole as sensibilidades do nosso cônjuge ou ofenda-o sexualmente. O ato sexual é uma celebração do amor e da intimidade e nunca deveria ser visto como uma busca egoísta do orgasmo. Todavia precisamos deixar de lado toda inibição e vergonha de nossas partes genitais. Devemos confiar estas partes íntimas somente ao nosso cônjuge, porém a vinha que me pertence está ao meu dispor. b) A sodomia Enquanto a Bíblia não menciona nada a respeito de sexo oral, ela condena claramente o sexo anal. Muitos homens cristãos têm permitido que o sexo anal se torne uma verdadeira obsessão, em detrimento do resto do relacionamento. Página 10 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas. (1 Co 6.9) Impuros, sodomitas, raptores de homens, mentirosos, perjuros e para tudo quanto se opõe à sã doutrina. (1 Tm 1.10) Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do SENHOR, teu Deus, por qualquer voto; porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao SENHOR, teu Deus. (Dt 23.18) O tecido vaginal foi concebido por Deus para ser usado no relacionamento sexual, porém o ânus não. Com hemorroidas e a fragilidade da área retal é sensato não fazer do ânus uma área de excitação sexual. É extremamente fácil provocar lesões ou ferimentos na área do reto. Além disso, muitas bactérias presentes ali podem provocar infecções vaginais e outros problemas. Um homem de Deus é sempre sensível às necessidades da sua esposa. Talvez essa seja uma das suas fantasias favoritas, mas é aconselhável desistir dela. Por fim, analisaremos uma barreira e uma ponte para se alcançar o sexo saudável no casamento: 1. Uma barreira - A escravidão do segredo Poucas coisas na vida são tão destrutivas e escravizantes quanto carregar um segredo. No princípio, o homem e a mulher podiam estar juntos completamente nus. Isto significa que não tinham nada para ocultar um ao outro. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam. (Gn 2.25) As pessoas que guardam segredos vivem apavoradas ante a perspectiva da revelação. Carregam um peso que suga as suas energias e os faz caminhar cansados. Um segredo não é necessariamente um pecado que cometemos, mas pode ser uma fraqueza, um fracasso, um complexo, um medo ou até algo que fizeram conosco. Seja de que tipo for, eles nos escravizam. Por que guardamos segredos? Em primeiro lugar porque temos medo da rejeição. Se as pessoas soubessem daquilo que fiz, elas nunca mais me aceitariam, minha reputação estará destruída e minhas amizades perdidas. O segundo motivo é o medo de perdas. Tememos perder o emprego, a esposa, o cargo na igreja e muitas outras coisas. Sei que esses medos são justos e suas possibilidades, mas ainda assim creio que é melhor e mais gratificante a vida na luz em Página 11 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

completa liberdade. Quando resolvemos guardar segredos são inevitáveis algumas consequências a) Segredos produzem isolamento A primeira consequência do segredo é o isolamento. Isso acontece por dois motivos: primeiro porque nos sentimos em débito com as pessoas ou indignos de estar naquele grupo, e em segundo lugar porque tememos tanto ser descobertos que fugimos de situações ou pessoas que nos ameacem. Pouco antes de me casar eu tive um problema que levou todo o meu tórax e pernas ficarem manchados. Eu me achava repulsivo e tentei de todas as formas ocultar das pessoas, mas principalmente de minha namorada, que hoje é minha esposa. Jamais tomava banho em grupo,, nos retiros, e jamais ia a piscinas. Era o meu segredo. O mais interessante era que eu mantinha o segredo para não ser rejeitado e ficar sozinho, mas por causa do segredo era justamente o que eu fazia, procurava ficar sozinho. A tarefa de manter o meu segredo era mais importante pra mim que o laser ou as atividades sociais. Eu nunca relaxava o suficiente para me comportar com despreocupação e naturalidade. É assim que o segredo nos escraviza, tira a nossa naturalidade, nossa comunhão e até o nosso prazer de viver. Finalmente resolvi compartilhar como meu pastor. Ele me mostrou que aquelas manchas eram emocionais pelo fato da ansiedade pela proximidade do casamento. Só de me abrir com ele veio calma ao meu coração e as manchas desapareceram em poucos dias. Há um poder de cura quando compartilhamos nossos segredos com as pessoas certas. b) Segredos tiram a coragem diante da vida Os segredos nos fazem retroceder em vez de avançarmos. Olhamos o mundo como uma grande ameaça e não como um lugar para se explorar e desfrutar. Fugimos de situações diferentes e experiências novas e a nossa vida se torna uma busca de proteção e ocultamento constante. Se o segredo envolve o pecado, então a culpa nos persegue. Quando Caim pecou, a sua culpa o fez sair da presença de Deus e Lhe disse: “Serei fugitivo e errante pela terra; quem comigo se encontrar me matará” (Gn 4.14). Isto descreve a maioria das pessoas do mundo, perambulando amedrontadas sem propósito. c) Segredos nos fazem buscar constantemente reparação Quando sentimos que o nosso segredo de alguma maneira é um tipo de traição, naturalmente procuramos fazer reparações ou compensações. Você já viu pessoas que suportam coisas que parecem absurdas? Muitas fazem isso como meio de reparação por causa de algo que estão em débito ainda que em segredo. d) Segredos nos deixam em dívida .com outros Página 12 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

Certa vez uma irmã engravidou de um homem casado. Com medo das consequências, começou a namorar rapidamente com outro rapaz e mentiu pra ele que o filho era dele. Os dois vieram a se casar e o rapaz se revelou um marido muito ruim, mas ela suportou todas as coisas terríveis que ele lhe fazia porque ela tinha um segredo e sentia que aquilo era a sua punição. Por causa do seu comportamento abnegado ela atraiu para a si a reputação de heroína dentro de sua família. Aquilo a forçou a se comprometer ainda mais com o seu segredo. Depois de dez anos de casado o marido faleceu e quando seu filho estava com vinte anos ele começou a namorar com uma moça que apareceu um dia, dizendo que estava grávida dele. O mesmo que ela tinha feito, agora alguém queria fazer com o seu filho. Para evitar que a situação se repetisse eles teriam que fazer um teste de DNA, mas havia nela o temor de que isso viesse a revelar que seu próprio. filho era bastardo, levando para o lixo toda a sua reputação. Antes de fazer o teste ela mesmo revelou tudo. Foi um abalo na família, mas evitou que seu filho se casasse sem ser o pai da criança, pois o teste revelou que o filho daquela garota era de outro homem. Veja que roteiro de novela. Tudo o que ela tentou esconder, tentou vir a tona o tempo todo. Não é por acaso que a Palavra de Deus diz: Porém, se não fizerdes assim, eis que pecastes contra o Senhor; e sabei que o vosso pecado vos há de achar. (Nm 32.23) A mesma coisa aconteceu no caso dos irmãos de José (Gn 42.21,22). Por muitos anos guardaram o segredo, mas o segredo os perseguia e escravizava. 2 - Uma ponte - A liberdade da Vida na luz Somente podemos ter comunhão se andarmos na luz. Se não andamos na luz, o nosso casamento não é uma aliança perfeita. Mas quando andamos na luz, então somos restaurados àquela posição de Adão e Eva antes do pecado, quando podiam estar nus sem se envergonharem. Se, porém, andarmos na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. (1 Jo 1.7) Invariavelmente, quando não andamos na luz cairemos em um caminho de trevas e teremos consequências Quando não temos luz, sempre sentimos medo porque o medo acompanha as trevas. Desta forma tropeçamos porque não vemos onde caminhamos e o resultado é confusão e falta de direção. Tudo isto acontece porque, em algum ponto, deixamos de andar na luz a e nos cobrimos com algum tipo de segredo. Tiago diz que precisamos confessar os nossos pecados uns aos outros para sermos curados. Isto significa que confessamos a Deus para Página 13 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,


RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL

perdão, mas confessamos ao irmão para cura (Tg 5.16). Hoje a sua vida pode ser curada. Basta que você se disponha a andar completamente na luz e não carregar os fardos do segredo. Mas para isso você precisa se lembrar de alguns princípios. Se você ainda guarda algum segredo, mas deseja hoje se libertar dele, seja sábio. Nunca revele o seu segredo a alguém incapaz de ajudá-lo. Não fale do seu problema com todos. Fale apenas com aqueles que podem ajudar você de alguma forma. Procure o seu discipulador ou pastor. Se houver necessidade compartilhe com outras pessoas envolvidas. Talvez você tenha pecado contra o seu cônjuge, caindo em adultério, e não está certo se deve ou não revelar esse segredo a ele. Eu entendo essa situação e você precisa ser sensível a isso. Procure o seu discipulador e avalie com ele quando seria o momento mais apropriado para a revelação. Sei que esse momento pode demorar muito tempo para chegar, mas faça um propósito de viver na luz como seu cônjuge. Não publique o segredo. Revelar o segredo não significa publicar o segredo no jornal da cidade. Significa apenas que eu resolvi andar na luz compartilhando a minha vida com alguém capaz de me levar a avançar em Deus. A sua vida depende das pessoas com quem você abre o seu coração. As pessoas com quem você abre o coração vão determinar as experiências que você terá em Deus. Essas pessoas vão alimentar força ou fraqueza em você. Esperamos que os irmãos tenham compreendido o verdadeiro propósito de Deus quando instituiu o sexo no casamento. É prazeroso ter uma vida sexual saudável, feliz, livre de preconceitos e santa. Aguardamos vocês no próximo módulo.

Fonte: Curso de Casais Radicais, Editora Vinha, Aluízio A. Silva, adaptado por Wellington e Keyla Fonseca

Página 14 de 14 20.09.2011.doc

C:\Users\Keyla\Desktop\MÓDULO VI - RELACIONAMENTO SEXUAL SAUDÁVEL,

Relacionamento Sexual Saudável  

Texto extraido do livro Curso de Casais Radicais, Autor Pastor Aluízio A. Silva, adaptado por Wellington e Keyla Fonseca.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you