Issuu on Google+

Boletim Informativo da Arquidiocese de Manaus • Ano 12 • Número 88 • Fevereiro 2013

Pe. Joaquim - Prelazia de Tefé

Dom Sérgio Castriani novo arcebispo de Manaus leia nesta edição

Dom Luiz,

21 anos dedicados a Manaus Página 6 Campanha da Fraternidade 2013

Fraternidade e Juventude

Página 13

... E MUITO MAIS!


2 FEVEREIRO

expediente Arquidiocese em Notícias é o boletim informativo da Arquidiocese de Manaus Conselho Editorial Dom Luiz Soares Vieira, Arcebispo Metropolitano de Manaus Dom Mário Pasqualotto, Bispo Auxiliar Dom Mário Antonio da Silva, Bispo Auxiliar Pe. Alcimar Araújo, Coordenador de Pastoral Pe. Sebastião Sant’Ana, Sacramentino de Nossa Senhora (SDN) Pe. Charles Cunha, Diretor Superintendente da Rádio e Fundação Rio Mar Antonieta Cavalcante, Diretora Administrativa da Fundação Rio Mar Carmen Novoa, Escritora Adriana Ribeiro, Relações Públicas Ana Paula Lourenço, Jornalista Editor Antonio Ximenes / MTB: 23.984 DRT-SP Projeto Gráfico e Editorial Wega Comunicação Diagramação Rui de Almeida Jornalista Ana Paula Lourenço / DRT-AM 060 Revisão Jamile Galvão Fotos Ana Paula Lourenço, Antônio Carlos Lalor, Macildo Ribeiro, Antonio Ximenes, Pe. Charles Cunha e Victor Martins Tiragem 10.000 exemplares Periodicidade Mensal Impressão Gráfica Ampla Abrangência Em toda a área de atuação da Arquidiocese de Manaus (Careiro, Careiro da Várzea, Iranduba, Manaus, Manaquiri, Novo Airão, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva), Dioceses do Amazonas (Alto Solimões, Borba, Coari, Itacoatiara, Parintins, São Gabriel da Cachoeira e Tefé) e Regionais da CNBB. Disponível na internet www.arquidiocesedemanaus.org.br www.rederiomar.com.br Fale connosco Fundação Rio Mar Rua José Clemente, 500 - Centro CEP 69010-070 / Manaus, AM (92) 3233 8954 / 3234 0139 ian@rederiomar.com.br Anuncie connosco (92) 3234 8812 comercial@rederiomar.com.br Esta publicação não pode ser comercializada.

Caro irmão e irmã na fé,

editorial

Graça e Paz para você, tua família e comunidade! A edição do Informativo Arquidiocese em Notícias (IAN) do mês de fevereiro faz o chamamento para toda a Igreja Católica reunida em Manaus, agradece a Dom Luiz Soares Vieira pelo serviço dedicado aos católicos e aos homens e mulheres de boa vontade neste chão amazônico, bem como, acolhe com alegria e esperança o novo arcebispo Dom Sérgio Eduardo Castriani que sustentado na fé e com profunda paz interior, assume a missão na Igreja de Manaus. Você vai perceber também nesta edição uma nova diagramação para o nosso jornal. Nossa Equipe do IAN acolhe com alegria os colaboradores e parceiros da Wega Comunicação, responsáveis pelo novo visual do Informativo. Nesta edição, você vai conhecer um pouco da Paróquia São Lázaro, que neste mês está em festa. Também teremos o artigo do Pe. Sebastião Sant`Ana que aborda a respeito do Ano da Fé, Campanha da Fraternidade, os Jovens e a Família; o testemunho missionário no Puraquequara, através dos Padres Marco Antônio e Cairo José; o artigo do economista José Ricardo que aborda o tema sobre Políticas Públicas para a Juventude. Outro destaque é o artigo em que o Padre Alcimar Araújo explica sobre a Campanha da Fraternidade 2013 e a Pastoral da Juventude apresenta a programação de abertura.

No giro pastoral, você verá a missa que animou os jovens que participarão da Jornada Mundial da Juventude em julho; a Caminhada pela Paz; o Oitavário da Epifania, realizado na Paróquia Rainha dos Apóstolos; o início dos festejos de São Sebastião; a realização da 3ª Semana do Jovem Líder; dentre outros. Na página da Rádio Rio Mar, os horários da santa missa transmitida pela Rádio e como sintonizar a RIO MAR AM 1290, inclusive pela Internet. No espaço da Fundação Rio Mar, um destaque para última ação social realizada em 2012 e os motivos para ser associado evangelizador da Fundação Rio Mar. Ainda nesta edição, uma entrevista muito especial com Dom Luiz Soares Vieira, que será sempre lembrado em nossos corações como uma “luz na floresta”, falando sobre 21 anos de episcopado realizado na Igreja de Manaus. Dom Sérgio Eduardo Castriani, novo Arcebispo de Manaus também fala aos leitores do IAN sobre a missão e sua chegada na Aquidiocese, bem como os desafios e as oportunidades para o agir missionário na Igreja de Manaus. Não deixe de observar os eventos de nossa Igreja para o mês de fevereiro registrados na agenda! Desejo a você uma ótima leitura e passe adiante seu exemplar do jornal para que mais irmãos e irmãs conheçam as maravilhas que o Senhor realiza através do Povo Dele reunido na Igreja de Manaus. Pe. Charles Cunha - Dir. Superint. da Fundação Rio Mar

espaço do leitor Sou associada à Fundação Rio Mar e gosto do Programa Experiência de Deus. Estou achando o informativo uma maravilha. Fátima Souza, Redenção - Manaus-AM


ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS - FEVEREIRO

3

QUARESMA E CAMPANHA DA FRATERNIDADE Iniciaremos no dia 13 de fevereiro, quarta-feira de cinzas, nossa caminhada quaresmal rumo à Páscoa. É um dos tempos mais preciosos que a Igreja nos oferece para a conversão pessoal, familiar e comunitária

A

s palavras pronunciadas por Jesus no início de seus 3 anos de pregação “Arrependei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,14) serão repetidas na cerimônia das cinzas e deverão ecoar fortemente pelos dias que precedem a Semana Santa. O católico precisa celebrar a Páscoa com o coração e a mentalidade de Jesus; para isso é necessário o retorno integral a Deus, afastando de si, da família e da comunidade tudo o que desvia dos caminhos da salvação. O documento de Aparecida insiste na conversão pastoral das dioceses e paróquias, e dos católicos, especialmente, bispos, padres, diáconos, religiosos, religiosas, leigos e leigas. Pois bem, a conversão pastoral exige antes de tudo a conversão individual. Nada se muda, se não muda a pessoa. Os comunistas tentaram transformar a sociedade, mas não o conseguiram porque se esqueceram disso. A fé compreendida como aceitação de Jesus na própria existência e, como consequência, transformação no Cristo (“já não sou eu que vive, mas é Cristo que vive em mim”) faz deixar de lado um modo errado de vida para abraçar outro marcado pela união com Deus. Queremos ser uma Igreja viva e entusiasta; pois bem, convertamo-nos. A conversão dá-se através da meditação da Palavra de Deus, do arrependimento dos pecados, da oração bem feita, da frequência aos sacramentos (de modo particular, da Eucaristia e da Penitência), da abertura ao amor fraterno. Na Quaresma, teremos ocasião de meditar a paixão, morte e ressurreição de Jesus, que nos despertam para a imensidão do amor de Deus por nós. É fundamental recordar que a conversão se constitui, acima de tudo, uma graça divi-

na. Quem nos transforma é Deus. Daí a urgência de pedir com perseverança que Ele nos toque a alma, a mente e o coração. No mesmo dia do início da Quaresma abriremos a Campanha da Fraternidade que ajuda os católicos e a sociedade a buscarem os caminhos de conversão nos relacionamentos pessoais, familiares, comunitários e sociais. Neste ano, o tema é “Fraternidade e Juventude” e o lema a ser repetido muitas vezes é “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8). O secretário geral da CNBB, D. Leonardo Steiner escreveu na introdução do texto -base da Campanha o seguinte: “A Igreja no Brasil, ao repropor juventude como tema da Campanha da Fraternidade, nesse tempo de mudança de época, deseja refletir, rezar com os jovens, reapresentando-lhes o Evangelho como sentido de vida e, ao mesmo tempo, como missão. O Evangelho é nossa vida, nossa existência. A Campanha da Fraternidade é um convite para nos convertermos e irmos ao encontro dos jovens e, ao mesmo tempo, é um convite aos jovens para se deixarem encontrar por Jesus Cristo, caminho, verdade e vida (Jo 14,6). Nossos jovens têm sido as grandes vítimas da sociedade materialista e consumista. São de Deus somente os que constroem a paz e abrem esperanças de futuro para as novas gerações.

Dom Luiz Soares Vieira, arcebispo emérito de Manaus

“a páscoa é a grande festa da igreja. nós somos a igreja; por isso, vamos celebrá-la bem. o ressuscitado trouxe-nos a vida nova, a vida divina. convertamo-nos. arrependei-vos e crede no evangelho”

Arquidiocese de Manaus apresenta caravana de jovens que seguirá para a JMJ 2013 Mais de dois mil jovens da Igreja Católica de Manaus reuniram-se no Largo de São Sebastião, no centro de Manaus, na noite do dia 26 de dezembro, para participar da missa de apresentação da Caravana da Arquidiocese de Manaus que irá à 28ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ), evento que acontecerá de 23 a 28 de julho de 2013, no Rio de Janeiro. Segundo o criador e idealizador da JMJ, Papa João Paulo II, “o principal objetivo das Jornadas é fazer a pessoa de Jesus o centro da fé e da vida de cada jovem, para que Ele possa ser seu ponto de referência constante e também a inspiração para cada iniciativa e compromisso para a educação das novas gerações”. A Missa foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Luiz Soares Vieira, e concelebrada pelos Bispos Auxiliares Dom Mário Pasqualotto e Dom Mário Antônio, e alguns padres de diversas paróquias da cidade. Seu início foi marcado com a procissão do ícone de Nossa Senhora e da Cruz Peregrina, símbolos da JMJ, e de representantes dos grupos de jovens de paróquias, movimentos e comunidades católicas lo-

cais. “É um momento especial para que toda a juventude possa despertar para um encontro pessoal com Jesus Cristo, para a vida cristã, para a sua missão, para o projeto de Deus na sua vida”, disse Frei Cleiton, presbítero da paróquia de Santa Rita de Cássia. Segundo o coordenador da Caravana da Arquidiocese de Manaus para JMJ 2013, Edney Santos, os dois mil jovens amazonenses foram selecionados pelas paróquias, áreas missionárias e movimentos juvenis. Na delegação também estão dois grupos dos municípios de Careiro da Várzea e Iranduba. Na Jornada, os jovens se encontrarão com outros do mundo inteiro e também com o santo padre, o Papa Bento XVI. A última edição internacional da JMJ foi realizada em agosto de 2011, na cidade de Madri, na Espanha, e reuniu jovens de mais de 190 países e dois milhões de católicos. “Fui a primeira vez no ano passado (2011), e estou muito animada e muito feliz para ir na jornada deste ano, porque juntei di-

nheiro o ano todo para conseguir comprar a minha passagem”, disse Débora, do grupo Caminhando na Fé Neocatecumenal. A JMJ é um encontro internacional dos jovens com o Papa, idealizado em 1984 por João Paulo II, que acontece a cada 2 ou 3 anos, com duração de aproximadamente uma semana. Há duas formas de participar do evento no Rio de Janeiro. A primeira é compondo um grupo de jovens inscrito na JMJ 2013 e a segunda é formar um grupo e inscrever-se no site da JMJ 2013 (http://www.rio2013.com/pt/tire-suas-duvidas/inscricao). Em 19 de julho, último dia da Semana Missionária, está programada uma missa de envio dos jovens peregrinos, com local ainda a ser definido. Saiba mais sobre os preparativos para a JMJ no Amazonas no site http://www.amazonasnajmj2013.com.br/

JOVENS HOMENAGEIAM DOM LUIZ Já em clima de despedida, os jovens presentes realizaram, ao final da celebração eucarística, uma emocionante homenagem à Dom Luiz, que se despede da função de Arcebispo de Manaus, dando lugar ao Bispo eleito, Dom Sérgio Eduardo Castriani, em fevereiro. Na oportunidade, foram ofertados uma canção de amor à Amazônia e presentes regionais para que sempre se lembre do carinho que os Manauenses têm por sua vida e seu serviço. “Agradeço muito o carinho. É sempre bom receber um gesto de carinho, principalmente quando vem dos jovens. Emocionei-me muito. Foi uma homenagem inesperada”, afirmou Dom Luiz em agradecimento.

Procissão do ícone de Nª Srª da Cruz

Fiéis durante a missa no Largo São Sebastião

Por Ana Paula Lourenço e Thais Souza


4

FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

paróquia são lázaro promove festejos do padroeiro Sob o tema “Com São Lázaro vivendo o ano da Fé em Jesus que chama e envia a juventude em Missão”, a Paróquia São Lázaro realiza os festejos do padroeiro no período de 2 de fevereiro a 2 de março de 2013. O novenário acontece no período de 2 a 10 de fevereiro, na Igreja São Lázaro, situada à rua São Vicente, S/N – Bairro São Lázaro. No dia do padroeiro (11/2), acontece a procissão, às 17h, finalizando com a missa. A programação conta também com a carreata e benção dos automóveis, benção dos animais, arraial e o bingão. Neste ano, o bingão eletrônico dará uma moto 125 C, um boi vivo, TV LCD 40”, R$ 2.013,00 e R$ 1.513,00. Os bingos estão sendo vendidos pelos agentes de pastoral, durante as missas na terça, às 19h30, na sexta-feira, às 19h, e domingo, às 8h e 19h30; e na secretaria paroquial (horário comercial), ao valor de R$ 5,00. Os recursos arrecadados serão revertidos para a reforma e ampliação da igreja e salão paroquial.

CONFIRA OS HORÁRIOS DAS CELEBRAÇÕES REALIZADAS NA PARÓQUIA SÃO LÁZARO

PARÓQUIA DE SÃO LÁZARO MISSÃO REDENTORISTA DO AMAZONAS

Promove o Festejo de seu Padroeiro

Com Novenário e Seu Tradicional Arraial O Grande Bingão,Guloseimas, Som ao Vivo

Venha Participe Traga sua Família

Tema: Com São Lázaro vivendo o ano da fé em jesus que chama e envia a juventude a missão!

Igreja São Lázaro Celebração Eucarística aos domingos, nos horários de 8h e 19h30, e às sextas-feiras às 19h. Novena a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro com Missa, às terças-feiras 19h30. Localização: Rua São Vicente, S/N – Bairro São Lázaro. Comunidade Bom Pastor Celebração Eucarística aos domingos, no horário de 7h30. Novena a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro com Missa, às terças-feiras 18h. Localização: Rua Magalhães Barata, 1518 – Crespo. Comunidade São Joaquim e Santa Ana Celebração Eucarística aos domingos, no horário de 18h. Novena a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro com Missa, às terças-feiras às 18h. Localização: Rua Nova, N. 148 – Crespo. Comunidade Cristo Rei Celebração Eucarística aos sábados, às 19h. Endereço: Rua Brasil, S/N – Lagoa Verde. Pároco: Padre Wolney Mourão, Congregação do Santíssimo Redentor - Redentoristas. https://www.facebook.com/pages/Paróquia-São-Lázaro/268762339811195.

Novenário: 2 a 10 de fevereiro de 2013 - 19h00min Carreata e bênção dos automóveis: 11 de fevereiro de 2013 - 9h00min Bênção dos animais: 11 de fevereiro de 2013 - apartir das 8h00min Procissão e Missa: 11 de fevereiro de 2013 - 17h00min Arraial: 9, 10, 11, 16, 17, 23 e 24 de fevereiro de 2013. 2 de março de 2013. - 19h00min Bingo Eletrônico: 2 de março de 2013. - 21h00min Bairro São Lázaro - Manaus-Am REALIZAÇÃO Paróquia de São Lázaro Fone: 3624-4155 Rua São Vicente s/n- Bairro de São Lázaro Manaus - AM

MISSÃO REDENTORISTA DO AMAZONAS


6

FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

dom luiz avalia sua atuação EM 21 anos à frente da arquidiocese de manaus com o lema episcopal “ministrare non ministrari”, que quer dizer “eu vim para servir e não para ser servido”, dom luiz soares vieira atuou de forma muito significativa como arcebispo de manaus, por 21 anos Ao final de seu arcebispado, Dom Luiz Soares Vieira, em entrevista à equipe do Informativo Arquidiocese em Notícias, fez um balanço das atividades realizadas no período de 1992 a 2013, e relatos dos desafios enfrentados. Também afirmou ter acolhido com carinho o título de Arcebispo Emérito e coloca-se à disposição para apoiar o seu sucessor, Dom Sérgio Castriani. Confira a entrevista! IAN – Como o senhor percebe o desenvolvimento das pastorais atuantes em Manaus nesse tempo em que esteve à frente da Arquidiocese? Dom Luiz - As pastorais têm como objetivo responder a desafios de evangelização e de promoção ou defesa da dignidade humana. A maior parte delas já existiam quando aqui cheguei. Outras foram surgindo de acordo com os novos desafios. Na parte missionária e catequética procuramos reforçar as existentes. Aliás, a dimensão missionária foi um dos panos de fundo de nossos planos de pastoral mais repisados nas Assembleias Pastorais Arquidiocesanas (APA) que aconteceram durante meu pastoreio. Isso é muito bom, se quisermos ser uma Igreja entusiasta. Abrimos também escolas de teologia e pastoral em várias paróquias e áreas missionárias. O Serviço de Animação Litúrgica teve um reforço com a vinda das Pias Discípulas do Divino Mestre (PDDM). Nosso curso de teologia pastoral no Centro de formação da arquidiocese de Manaus

(Cerfam) continuou firme e ajudou muitos católicos a conhecerem melhor o Cristo. Quanto às pastorais sociais, tivemos boa atuação de algumas, o nascimento de outras e o quase desaparecimento de poucas. Lembro a Pastoral do Menor, a Pastoral DST/AIDS, a Pastoral da Sobriedade, a Pastoral da Pessoa Idosa como novidades que enriqueceram e enriquecem nosso trabalho de Igreja. Foi neste período que tivemos a instalação das duas Fazendas da Esperança, do Centro de Convivência Dom Jacson Damasceno Rodrigues e da Casa de Apoio Frei Mário Monicelli. A Pastoral da Comunicação (Pascom) ajudou a fazer nossa Arquidiocese presente na sociedade. A Pastoral Carcerária e a Pastoral Indigenista também fazem ótimo trabalho. Agradeço pela Deus a Pastoral Familiar que dá passos significativos nos últimos tempos. IAN - Quais os avanços observados? Há destaque para algum? Dom Luiz - Avançamos em várias frentes. Lembro também a presença dos movimentos e comunidades de vida que nasceram ou vieram a Manaus nestes 21 anos. É uma presença bonita e alegre, mostrando entusiasmo pelo Cristo e pelas causas d’Ele. Os movimentos familiares já existem desde tempos anteriores a meu pastoreio e continuam a fazer um bem extraordinário a tantas famílias.

IAN - E quanto aos desafios, pode citar algum? Dom Luiz - Os desafios são enormes em Manaus, uma cidade que cresce velozmente e desordenadamente. Se as autoridades civis têm enormes dificuldades de administrar a cidade, muito mais a Igreja as tem para evangelizar. O pequeno número de sacerdotes, de religiosos, de religiosas, de leigos e leigas preparados nos faz sentirmo-nos pequenos demais. Creio que além do pequeno número de agentes pastorais, o maior desafio seja a formação missionária de nossos católicos. Os desafios são também incentivos para caminhar rumo a sua solução. É o que temos feito. Conseguimos ordenar bom número de padres, ainda insuficiente, mas consolador. A presença recente de diáconos permanentes abre caminhos novos para tornar a Igreja de Manaus uma Igreja servidora. Os leigos estão por aí em número consolador. Os desafios sociais têm sido enfrentados com coragem e em parceria com outras entidades. Manaus será sempre um grande desafio para nossa Igreja. IAN - Neste ano, a Cáritas comemorou 50 anos e a Pastoral da Criança, 25. Quais as atividades por elas desempenhadas que mais contribuíram para a melhoria de vida dos mais pobres e excluídos, sejam eles idosos, adultos e crianças? Dom Luiz - A Pastoral da Criança é um dos motivos de alegria para nossa Igreja. É um trabalho que desperta a responsabilidade das mães e envolve o voluntariado entusiasta de muitas pessoas. A Cáritas Arquidiocesana esteve um período adormecida, mas despertou forte nestes anos. Seu trabalho no apoio à acolhida a milhares de haitianos, realizado pelos Scalabrinianos (religiosos da congregação dos missionários de São Carlos), foi muito importante. Durante a cheia de 2012, ficamos muito felizes com o apoio aos flagelados. Foram exemplos de parceria com entidades civis e de outros credos que mostram os caminhos a seguir em sociedades democráticas e cristãs. A ajuda às vítimas de incêndios também alerta para a necessidade de abrir-nos aos irmãos que passam por problemas e urgências.

Dom Luiz (ao centro) com a Ex-Primeira Dama do Estado, Sandra Braga e comunitário

O Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Arquidiocese também precisa ser lembrado por seu trabalho a serviço da defesa e promoção da dignidade da pessoa humana. As pastorais sociais atuam, todas elas, para excluir a exclusão social, a grande chaga de nossos dias. Quanto aos jovens, já tivemos tempos de maior atenção a eles. Creio que a Campanha da Fraternidade e a Jornada Mundial da Juventude darão novo entu-


ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS - FEVEREIRO

7

Dom Luiz com o Papa João Paulo II, em um dos momentos de profunda emoção junto a Sua Santidade

siasmo em nossa Arquidiocese à Pastoral da Juventude e aos movimentos e comunidades voltados a eles. Sem os jovens, nossas paróquias e áreas missionárias são falhas e demonstram pouca alegria.

Dom Luiz - Tive muitos sonhos que não foram realizados por falta de pessoas ou de meios econômicos. A parte de comunicação social aconteceu, mas sonhava com mais. Não deu, mas um dia dará. Deus tem suas horas.

IAN - Qual o balanço que o senhor faz sobre as ações de evangelização em Manaus e no Interior do Amazonas (prelazias)? Quais estratégias ou ferramentas deram certo?

IAN - Na sua visão, como a Igreja de Manaus agiu com relação à reivindicação pelos direitos dos pobres, injustiçados e excluídos?

Dom Luiz - Devo confessar que a Arquidiocese avançou em muitos campos e isso se deveu aos padres, religiosos, religiosas, leigos e leigas. São eles e elas que levam a Igreja para frente. Eu fui mero instrumento de Deus para animar, reunir e mostrar caminhos. Exerci meu ministério episcopal sempre ouvindo, decidindo junto com todos e pondo em prática com a Igreja de Manaus. Creio que a metodologia do planejamento participativo seja o melhor instrumento para caminharmos unidos. Termino este período de minha vida, dizendo que nada mais fiz do que deveria ter feito. Sou um servo inútil. Quem realizou a obra foi Deus. Pouco fiz pelas prelazias e dioceses do interior do Regional porque minha ação era restrita a esta arquidiocese.

Dom Luiz - Os pobres sempre foram nossa preocupação. Fizemos o possível através das pastorais sociais e da Cáritas. Não podemos assumir a tarefa do governo. Apenas suprimos algumas dessas obrigações governamentais como sinal e incentivo. Por outro lado, não podemos ficar de braços cruzados ante os sofrimentos de nossos irmãos e irmãs.

IAN - Há algo que o senhor gostaria que tivesse sido realizado ou vingado?

Dom Luiz - Ser arcebispo emérito significa manter vínculos afetivos com a Arquidiocese e firmar apoio incondicional a Dom Sérgio. Não pretendo interferir em seu trabalho pastoral,

Os Gritos dos Excluídos e as Campanhas da Fraternidade têm sido pontos altos de nossa ação evangelizadora. Creio que fomos crescendo nessas atividades. IAN - O que significa para o senhor tornar-se Bispo Emérito de Manaus?

mas irei pedir sempre muitas bênçãos sobre ele. Restará sempre a feliz lembrança de um tempo feliz. Obrigado por esta oportunidade de conversar com os leitores da Arquidiocese em Notícias. Por Ana Paula Lourenço

“os desafios são também incentivos para caminhar rumo a sua solução. é o que temos feito. conseguimos ordenar bom número de padres, ainda insuficiente, mas consolador”


8

FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

notícias do

vaticano

Religiosas de clausura lançaram CD com músicas em gregoriano no dia 2 de janeiro de 2013 A comunidade religiosa de clausura do mosteiro de “Our Lady of Ephesus” (Nossa Senhora de Éfeso) no Missouri, Centro -Oeste dos Estados Unidos, está lançando um CD com músicas em gregoriano. A Madre Cecília, Priora do mosteiro, declarou que através desse trabalho é possível mostrar ao mundo como vivemos. Através da música, as monjas expressam seu amor a Deus, o que chamou a atenção dos produtores musicais desta obra. O disco contém 16 hinos litúrgicos e já está à venda. As monjas pretendem utilizar o dinheiro arrecadado com a venda dos CDs para construir um mosteiro definitivo, já que o que utilizam é provisório.

Na Epifania, Papa ordena quatro novos bispos Assim como em 2012, durante as celebrações natalinas do Vaticano, quatro novos bispos receberam das mãos do Santo Padre sua ordenação episcopal. A cerimônia ocorreu na Basílica Vaticana, no dia 6 de janeiro, data em que se celebra a Epifania, do grego “epiphanéia”, que significa a manifestação divina de Jesus ao mundo, representado pela visita dos Reis Magos para adorar o Filho de Deus e Salvador do mundo.

rádio rio mar santa missa

Com o desejo de te aproximar ainda mais do Senhor, a Rede Rio Mar de Comunicação possui em sua grade de programação, em variados momentos, a transmissão da Celebração Eucarística, seja pela Rádio Rio Mar AM 1.290 kHz, como também pela Rádio Castanho FM 103,3 mHz ou pelo site: www.rederiomar.com.br. De segunda à sexta-feira, das 06h às 06h45 da manhã, a Santa Missa é transmitida ao vivo diretamente da Paróquia de São Sebastião no Centro da cidade. Aos domingos, dia do Senhor, das 07h30 às 08h30, você acompanha a Celebração Eucarística diretamente da Catedral Metropolitana de Manaus, presidida pelo Arcebispo. E ao cair da tarde de domingo, a opção da Missa no Seu Bairro, que todo final de semana visita uma Paróquia da Arquidiocese de Manaus. Participe! É a Rede Rio Mar evangelizando através dos meios de comunicação. Por Claudette Serra

As ordenações deste ano são consideradas especiais, pois entre os quatro bispos está Dom Georg Gaenswein, secretário particular de Bento XVI, que em poucos dias deve assumir também a função de Prefeito da Casa Pontifícia, devido à nomeação do arcebispo James M. Harvey a arcipreste da Basílica de São Paulo Fora dos Muros. Os outros três sacerdotes que recentemente foram nomeados para a Cúria Romana também serão ordenados: Dom Zani, que é o novo secretário da Congregação para a Educação Católica, além de ser sacerdote da diocese de Brescia; Dom Nwachukwu, chefe do protocolo vaticano e Dom Thevenin, colaborador na Secretaria de Estado do Vaticano. Eles serão ordenados mensageiros apostólicos.

Como ouvir a Rádio Rio Mar AM 1.290kHz em seu Rádio Portátil É muito simples, localize em seu Rádio o botão sintonizador, conhecido como “Tuning”, posicione entre as frequência de 100 a 130 kHz que você irá encontrar a Rádio Rio Mar.

Ouça a Rádio Rio Mar na Internet Você que não quer ficar limitado ao alcance do rádio tradicional, a Rádio Rio Mar disponibiliza toda a sua programação pela internet, no site www.rederiomar.com.br.

Como ouvir? 1 – Abra o seu navegador (Internet Explorer, Mozila Firefox, Google Chome), no campo de busca digite www. rederiomar.com.br e clique enter. 2 – Abrindo o site da Rede Rio Mar, no canto superior direito da tela, clique em Rede Rio Mar ao vivo, pronto agora você pode desfrutar do melhor de nossa programação em qualquer lugar do mundo. Rádio Rio Mar – Divertindo, Informando e Educando.

Ouça também a Rádio Rio Mar pela Internet através do site www.rederiomar.com.br e clique em

Fonte: Gaudium Press - Cidade do Vaticano

Calendário das missas em fevereiro 03/02 – Paróquia Nossa Senhora de Lourdes (Parque 10) – 19h 10/02 – Paróquia São Lázaro (São Lázaro) – 19h30

17/02 – Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Educandos) – 19h 24/02 – Paróquia Santo Antônio (Santo Antônio) – 19h


ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS - FEVEREIRO

fundação rio mar informações sobre a ação social e entre amigos da fundação rio mar AMIGOS DE JESUS Querido(a) amigo(a),

Crianças durante a ação social no bairro do Lírio do Vale

As crianças também participaram da apresentação teatral

4ª AÇÃO SOCIAL DO ANO DE 2012 Quando? Realizada dia 15/12/2012

O associado da Fundação Rio Mar evangeliza acima dos telhados, através dos meios de comunicação da Arquidiocese de Manaus.

Onde? Escola Municipal Lírio do Vale, no bairro do Lírio do Vale Responsável em administrar a escola: Maria de Lourdes Paes Lima - diretora Quantidade de crianças atendidas: 314 crianças do próprio bairro Objetivo: Propiciar um momento de evangelização através da celebração da santa missa (celebrada por Pe. Charles Cunha da Silva), proporcionar momentos de alegria e descontração para as 314 crianças, bem como tornar o final do ano um momento de ótimas recordações, sabendo que jesus se utiliza de cada um de nós para fazer o bem.

Crianças receberam lanche distribuído pela Fundação Rio Mar

AÇÃO ENTRE AMIGOS Dia 05/01/2013, foi realizado nos studios da Rádio Rio Mar, sorteio da “Ação Entre Amigos”, durante o programa Cidadão do Infinito. A contemplada foi a Sra. Rozineide Maria Marques, associada fiel à Fundação Rio Mar, desde o ano de 2011, moradora do bairro da Cidade Nova I. A Dona Rozineide ganhou uma TV de LED de 43 polegadas.

Atividades realizadas: Momento de espiritualidade (Pe. Charles Cunha da Silva). Momento de animação com bailarinos. Apresentação teatral - com a participação de vários parceiros (Comunidade Católica Shalom/Movimento Jovem e Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - Educandos)

INFORMAÇÕES

Lanche: Distribuição através da Fundação Rio Mar

Testemunho de uma associada Em 2008 me tornei associada a Fundação Rio Mar, e até hoje contribuo fielmente, pois acredito nos trabalhos desenvolvidos por esta instituição, tornei-me associada através do convite de uma amiga que frequenta as missas na paróquia de São Sebastião comigo. Faço questão de todos os meses me

Faz ecoar a palavra de Deus, através da SANTA MISSA diária, na casa das pessoas, e aos domingos nos bairros. Realiza ações sociais em (entidades carentes, bairros, comunidades, etc). Ajuda a manter os programas de evangelização, através da RÁDIO RIO MAR. Promove o bem à vida e muito mais...

Seja um associado evangelizador. ASSOCIE-SE!

Brincadeiras: Desenvolvidas com o apoio dos jovens da organização “criar soluções brincadeiras”.

Cada criança, recebeu um brinquedo doado através da Fundação Rio Mar.

PORQUE SE TORNAR UM ASSOCIADO EVANGELIZADOR DA FUNDAÇÃO RIO MAR?

Sra. Claudete P. Serra (Diretora de Gestão de Pessoas) e Sra. Antonieta Cavalcante - Diretora Administrativa da Fundação Rio Mar, já com o histórico da associada contemplada

dirigir ao prédio da Fundação Rio Mar e efetuar minha contribuição mensal pessoalmente. Acompanho a programação da Rádio Rio Mar e gosto muito. Nome: Amélia Fonseca de Oliveira, 81 anos Profissão: Técnica em enfermagem (aposentada) Paróquia: São Sebastião - Centro

1 - Com uma contribuição a partir de R$ 15,00 (quinze reais) você ajuda a evangelizar. 2 - Sua contribuição pode ser efetuada através das casas lotéricas, agências bancárias, ou na própria Fundação Rio Mar. 3 – Telefones da Fundação Rio Mar: 3233-8954/3234-0139 4 – E-mail: fundacao@rederiomar.com.br

9


10 FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

dom sérgio castriani, novo arcebispo de manaus, fala aos leitores do ian o novo arcebispo de manaus, dom sérgio eduardo castriani, que toma posse em fevereiro deste ano, é natural da cidade de regente feijó, interior de são paulo, formado na congregação do espírito santo e ordenado presbítero em 1978, sob o lema episcopal “habitou entre nós” Há 34 anos tem sido um dedicado pastor na Amazônia e por 14 anos foi bispo da Prelazia de Tefé. Também foi presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), quando acompanhou de perto a missão da Igreja no Brasil e fora dele. Em entrevista concedida ao ‘Informativo Arquidiocese em Notícia (IAN)’, Dom Sérgio conta um pouco de sua caminhada missionária, a missão de assumir a Arquidiocese de Manaus e as perspectivas para o trabalho a ser realizado em Manaus.

nária da Igreja. Eles realizam de maneira eloquente aquilo que toda a Igreja é: missionária. A comissão também está em contato com os missionários brasileiros no exterior através de visitas, correspondência e ajuda quando necessário. Ela acompanhou, em primeira mão, por dez anos, a missão no Timor Leste, assumida pela CNBB e financiada pelas comunidades pobres do Brasil, através de duas grandes coletas nacionais. Tive o privilégio de visitar o Timor e testemunhar o quanto fizeram as nossas missionárias, religiosas de várias congregações e leigas.

mentos de Cristo Jesus. O testemunho desemboca no diálogo com aqueles que vivem e pensam de maneira diferente. E em tudo deve acontecer o anúncio explícito de nossa fé na obra redentora que acontece no mistério da encarnação, morte e ressurreição. Conscientes de que o protagonista da missão é o Espírito Santo que a precede, a confirma e a atualiza, deixamonos conduzir o por Ele.

IAN - O senhor foi presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária da CNBB. Que experiências o senhor pode nos contar?

3. Um outro projeto da CNBB que é acompanhado pela Comissão é o envio de professores de Filosofia e Teologia durante os meses de dezembro e janeiro para a Guiné Bissau, que ajudam na formação do clero local e dos muitos missionários brasileiros presentes naquele país. Nós acompanhamos também o envio de uma equipe missionária para o Haiti, em conjunto com a Cáritas Nacional e a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB). Há o acompanhamento também dos projetos “Igrejas irmãs”, as “Santas missões populares”, a “Imprensa Missionária”, etc. Estes são alguns exemplos, mas a vitalidade da missão é impressionante.

Dom Sérgio - A Congregação do Espírito Santo chegou ao Brasil no final do século XIX e durante meio século trabalhou só na Amazônia, mais especificamente em Belém, Manaus e na Prefeitura Apostólica de Tefé que, até 1932, também compreendia a atual diocese de Cruzeiro do Sul - Acre. Quando entrei na Congregação sabia que a minha vida missionária aconteceria na Amazônia ou na África, continente onde vive e de onde vem a maior parte dos “espiritanos”, como somos conhecidos. Portanto, vir para a Amazônia logo depois da minha ordenação foi uma conseqüência da minha opção pela vida espiritana. Mas também tive o privilégio de conhecer nossa missão em vários países africanos, quando fui conselheiro geral da congregação. A paixão pela África faz parte do carisma espiritano, mesmo àqueles que nunca foram para lá.

Dom Sérgio - A Comissão Episcopal para a ação missionária e cooperação intereclesial têm como objetivo principal manter acesa a chama da missão ‘ad gentes” ou além fronteiras na Igreja do Brasil. Colabora intensamente com as Pontifícias Obras Missionárias, com o Centro Cultural Missionário, com o Conselho Indigenista Missionário, com a Conferência Nacional do Religiosos do Brasil, com a Pastoral dos Brasileiros no Exterior, formando com estas e outras forças missionárias o Conselho Missionário Nacional. Entre as atividades importantes e marcantes cito algumas. 1. A primeira delas é a acolhida dos missionários que vêm para o Brasil e que se preparam para a missão no nosso país no Centro Cultural Missionário (Comissão Episcopal), do qual fui presidente durante os oito anos. É bonito ver o missionário dar os primeiros passos numa nova língua e começar a sua imersão numa nova cultura procurando entrar em sintonia com a Igreja que o recebe, mas sem perder suas raízes e experiências profundas que o trouxeram até aqui. 2. A segunda é acompanhar os missionários brasileiros que partem para a missão além fronteiras em todos os continentes e também em regiões missionárias no Brasil. É um privilégio conhecer estes missionários, pois, afinal, a missão não acontece sem eles. Eles são a expressão e o sinal da natureza missio-

No momento, faço parte da Comissão da Amazônia e no regional acompanho a dimensão missionária sendo o bispo de referência para a Comissão Missionária Regional (Comire). IAN – Explique-nos, resumidamente, o que é missão? Dom Sérgio - A Igreja é missionária por natureza. Isto quer dizer que ela existe para a Missão. E como acontece a missão? O primeiro mandamento missionário é o mandamento do amor. Amar é sair de si mesmo, romper os próprios limites e preocupações e deixar que o outro e suas necessidades mostrem o caminho. Foi o que aconteceu com o samaritano na parábola que Jesus contou. É a dimensão do serviço. A Igreja não vive para si, mas está a serviço da humanidade. O serviço se dá em primeiro lugar com o testemunho de uma vida nova em Jesus Cristo. E este testemunho acontece através de um comportamento renovado de quem tem os mesmos senti-

IAN - O que motivou o senhor vir para a Amazônia há 34 anos?

IAN – Conte-nos um pouco de como tem sido a sua vida missionária na Amazônia. Que experiências foram mais marcantes? Dom Sérgio - A minha vida missionária que começou na juventude, na grande São Paulo, e que continuou no rio Envira município de Feijó, numa época em que os seringais ainda estavam ativos, mas foi o começo de uma nova época em relação à economia da região e a relação com a natureza. Os últimos catorze anos, estive na Prelazia de Tefé, sendo testemunha que o Reino de Deus está no meio de nós, pois vi isto na vida de tantas pessoas que se deixam conduzir pelo Espírito Santo, vivendo uma vida renovada, correta, responsável e justa. Vi o Reino de Deus acontecendo em tantas comunidades que se reúnem para ouvir e praticar a Palavra, renovando o mundo em que vivem, lutando pela cidadania e qualidade de vida para todos, assumido os valores do evangelho mesmo quando isto significa perseguição, sofrimento e cruz. As histórias e os exemplos são muitos. Creio que teremos muitas ocasiões para contá-las. IAN - Anteriormente, o senhor afirmou ter acolhido com muita alegria a sua indicação para ser Arcebispo de Manaus e que este seria um grande desafio. Desde desse dia, como tem ressoado em seu coração essa nova missão?

Dom Sérgio (com cajado) e membro do clero

Dom Sérgio - A partir do momento que se diz sim a um chamado da Igreja, a sensação é de alegria porque cremos que ai se expressou a vontade do Pai discernida por tantos que foram os responsáveis imediatos por este chamado. Se a resposta é pessoal e a responsabilidade final é do sujeito, a experiência é também de profunda comunhão. Não estamos sozinhos. Acreditar que o Espírito Santo conduz a sua Igreja tem como consequência uma profunda paz interior. É só na fé e a partir dela que podemos assumir a nossa missão. Dar testemunho de Jesus Cristo com uma vida coerente, servir as pessoas a nós confiadas, sem reservas e segundas intenções, dialogar respeitosamente com quem pensa e age diferente de nós, só é possível na força do Espírito. Por isso é preciso invocá-lo sempre. Creio que estes são os meus sentimentos no momento: cons-


ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS - FEVEREIRO 11

Dom Sérgio em celebração eucarística

ciência de quem sou, paz interior, alegria profunda, comunhão com a Igreja, e muita emoção ao deixar, fisicamente, a Igreja (Prelazia de Tefé) que servi por catorze anos. IAN - Recentemente, o senhor reuniu com Dom Luiz e os bispos auxiliares para conhecer a realidade da Arquidiocese. Nessa conversa, o senhor percebeu a existência de desafios específicos? Poderia citar algum e como pretende enfrentá-los? Dom Sérgio - Os grandes desafios da Igreja no Brasil hoje, e que são também os desafios da Arquidiocese são apresentados nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. O primeiro deles é a Missão. Numa sociedade plural, fragmentada, dominada por uma cultura pós-moderna e urbana, com situações que degradam a pessoa humana, mas também com imensas possibilidades de comunicação, acesso a cultura e a educação, exercício da cidadania, superação de preconceitos, entre outras, como anunciar Jesus Cristo e o Evangelho, indo até aqueles que estão afastados e excluídos pelas mais diferentes razões. Como chegar às cidades invisíveis dentro da grande cidade, que se escondem atrás das grades das prisões, dos muros dos hospitais, nos bairros degradados, nas invasões, mas também nos condomínios fechados, nos mercados e feiras, nas ruas do centro etc? A missão é urgente porque o crime organizado toma conta de uma parte de nossa sociedade, porque a vida não é respeitada, porque as pessoas não têm perspectivas, porque a Palavra não é mais referência, e as vezes é até manipulada. O outro desafio é a formação e o fortalecimento de comunidades. A vida cristã é essencialmente comunitária porque tem sua fonte no Deus que é Trindade. Num ambiente que reforça o individualismo, o relativismo, o imediatismo, mas que também apresenta tantas novas formas de vida em comunidade, que podem ser virtuais, afetivas, de interesse. Como formar verdadeiras comunidades cristãs, que vivam ao redor da palavra, que se organizem a partir do serviço mútuo, que transformem a realidade em que vivem exercendo a cidadania? Colocar a Palavra de Deus no centro das nossas vidas também representa um outro desafio. Propiciar o conhecimento da Palavra, formar cristãos católicos que a conheçam em profundidade e competência. Fazer com que a nossa liturgia, catequese, ação social, enfim toda a nossa vida seja uma resposta à Palavra, contida nas Escrituras, mas que é o próprio Jesus Cristo, o Verbo encarnado. Estas três urgências exigem uma Iniciação Cristã progressiva e constante. Fui informado que a coordenação de pastoral fez desta dimensão uma prioridade. Isto é fundamental e deve continuar. Mas toda a vida cristã desemboca no serviço à vida plena para todos. A Igreja não existe para si, mas, assim como Jesus, existe para que todos tenham vida e a tenham plenamente. Não preciso lembrar todas as situações em que vida é diminuída e degradada. Não estamos sozinhos nesta empreitada. É preciso juntar forças. Não é possível que num país de maioria esmagadoramente cristã a vida humana seja tão desrespeitada. O mesmo se diga em relação a natureza, diante da qual temos uma responsabilidade imensa. A Igreja de Manaus já enfrenta estes desafios com muita generosida-

Dom Sérgio Castriani acompanhado por outros membros do clero

de, fé e competência. Junto-me a ela neste esforço ousado de evangelização. IAN - O senhor tem um plano especial para desenvolver ainda mais o trabalho das pastorais? Dom Sérgio - As pastorais são as formas concretas que Igreja no Brasil criou para responder aos apelos da realidade de forma organizada e competente, mas sempre a partir da fé. Os grandes problemas são transversais. É importante que não se isolem. Daí a importância da pastoral de conjunto, que começa com a escuta respeitosa daquilo que o outro pensa e faz. Daí surge a necessidade de estruturas de comunhão e participação como secretariados, reuniões periódicas, coordenação, etc. Estas estruturas existem e é preciso conservá-las e animá -las sem cair no perigo de torná-las vazias e sem vida. Espero poder participar ativamente, dentro das minhas possibilidades, destas estruturas, ouvindo, aprendendo, e contribuindo para que a pastoral seja realmente de conjunto. IAN - Qual a sua visão sobre a proposta da CF 2013 de olhar para o jovem de forma inclusiva, canalizando suas habilidades para contribuir com a construção da “Civilização do Amor”, do Reino de Deus aqui na terra? Dom Sérgio - Juventude é sempre importante e sempre deve ser prioridade. Juventude é futuro, mas é sobretudo o presente da sociedade e da Igreja. Também é o segmento que mais sofre as mazelas da sociedade. Basta visitar nossas cadeias públicas e penitenciárias. Há anos se vem pedindo uma Campanha da Fraternidade com este tema. A última vez foi em 92. Se somos uma Igreja Missionária, de comunhão, centrada na Palavra, a serviço da vida, e se queremos levar todos e todas a iniciação cristã, não podemos deixar de priorizar a Pastoral da Juventude e todos os movimentos, comunidades e organizações que a evangelizam abrindo espaço para a vida cristã e o exercício da cidadania. IAN - A CF 2013 também traz a questão do uso das novas tecnologias que, com a devida ética, podem ampliar os horizontes da evangelização. Como o senhor vê isso? Dom Sérgio - As novas tecnologias são um fato. Todos nós as utilizamos querendo ou não. Como toda nova tecnologia surgida no decorrer da história, elas abrem novas perspectivas de conhecimento e de comunicação criando cultura. Cabe a nós impregnar esta nova cultura com o Evangelho, cujos valores fundamentais são os mesmos. Como tudo que é humano elas são ambíguas. Mas não devemos ter medo delas. Aqui vale o principio da encarnação: “Deus amou tanto o mundo que enviou o seu próprio Filho para salvá-lo”. IAN - Na sua opinião, os veículos de comunicação atuam com certa missionariedade quando conseguem alcançar comunidades distantes? Como o senhor vê o seu uso para a evangelização e de que forma poderíamos potencializar isso? Dom Sérgio - Quero apenas lembrar o rádio pois, numa região como a nossa, parcelas numerosas de nossa população ainda tem no rádio o único meio de comunicação. Visitan-

do as comunidades ribeirinhas se percebe a importância de nossas rádios de inspiração católica. Elas são muito ouvidas e apreciadas pelo serviço que prestam, informando, formando, divulgando. Fazem isto como serviço e assim evangelizam. Mas não podemos ficar só no rádio. É preciso investir na TV e, sobretudo, na internet, pois acredito que o futuro passa por aí. Investir tecnicamente, formar comunicadores, estar atento às transformações sociais, ter muita consciência de nossa identidade cristã e católica. Penso que o caminho vai por aí. IAN - A posição de Bispo ocupa certa relevância política. Como o senhor vê isso? Como se deve proceder quando se trata de reivindicar os direitos dos pobres, injustiçados e excluídos, por exemplo? Dom Sérgio - Minha posição é a da Igreja no Brasil. Não fazemos alianças partidárias e não nos alinhamos a partidos políticos. Mas isto não significa neutralidade. Temos princípios, valores, metas para uma sociedade mais justa e fraterna. Isto significa que participamos de campanhas como a da Ficha Limpa; exigimos o cumprimento da constituição como no caso dos direitos dos indígenas as suas terras; expressamos nossa opinião como, por exemplo, no caso do plebiscito sobre as armas; podemos apoiar candidatos que se propõem a lutar com o povo e pelo povo; denunciamos aquilo que julgamos ser contra a dignidade e os direitos humanos; lutamos por uma reforma do Estado brasileiro para que esteja mais a serviço dos pobres e dos pequenos do que do capital e daqueles que podem pagar pelos seus serviços, como acontece muitas vezes. Estes são alguns exemplos que não esgotam o assunto. Mas acima de tudo espero que os católicos sejam cidadãos conscientes e participantes e que a fé que professamos nos leve a assumir as nossas responsabilidades, o que para alguns significa participar de um partido político, concorrer a cargos eletivos ou participar do poder do Estado através de concursos, como é o caso do poder judiciário. Que os cristãos católicos que são funcionários públicos, além de serem tratados com a dignidade que merecem, sejam de fato servidores do povo. Penso também que devemos participar e incentivar os Conselhos Paritários (formados por representantes da sociedade civil e de órgãos públicos), como espaço privilegiado de participação na gerência da coisa pública. A opção pelos pobres e excluídos não é facultativa para a Igreja, ela é consequência do Evangelho que proclamamos. Todas as nossas estruturas devem estar a serviço, em primeiro lugar deles, e só quando estamos a serviço deles vivemos de verdade a fé que professamos. Agradeço a oportunidade deste diálogo com os leitores deste Informativo. Espero encontrá-los pessoalmente. A partir do momento que aceitei a nomeação do Santo Padre minha vida pertence a esta Igreja particular e com ela e através dela a toda a Igreja. Como Igreja, faço parte da vida do povo e da sociedade que vive em Manaus e nas outros sete municípios que fazem parte da Arquidiocese. Meu desejo é conviver e servir pedindo sempre que a vontade do Pai seja feita e que o Reino de Deus venha. Por Ana Paula Lourenço


12 FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

Ano da Fé, CF, os Jovens e a Família O Papa Bento XVI batizou 2013 como o Ano da Fé. Como cristãos, somos convidados a entrar na “escola de Cristo”, viver “a partir de Cristo” e nos tornarmos seus discípulos apaixonados, testemunhando para o mundo os valores do Evangelho.

abertos são o sinal da acolhida que o Senhor reservará a todos quantos vierem até Ele, e o seu coração retrata o imenso amor que Ele tem por cada um e cada uma de vós. (...) Deixai-vos atrair por Ele! Vivei essa experiência de encontro com Cristo! Deixai-vos amar por Ele e sereis as testemunhas de que o mundo precisa. (...) Por isso me alegro que também vós, queridos jovens, sejais envolvidos neste impulso missionário de toda a Igreja: fazer conhecer Cristo é o dom mais precioso que podeis fazer aos outros.”

Também os Jovens – ou as JUVENTUDES – estarão no foco deste novo ano. Além da Jornada Mundial da Juventude, cuja preparação está mobilizando o Brasil e o mundo, vem aí a Campanha da Fraternidade com o tema Fraternidade e Juventude. Não há dúvida de que os jovens ocuparão a cena como protagonistas num espaço de tempo que irá muito além de 2013. Os jovens são família e para eles se voltam as atenções dos pais, dos mestres e dos agentes pastorais. Ao se referir ao protagonismo dos jovens (Mensagem do Dia Mundial da Paz de 2012), o Papa destaca que “é na família que se inicia a educação para os valores humanos e cristãos como a primeira escola para justiça e paz”. Exorta a Igreja doméstica – a família – para educar os filhos na escola de Cristo para gerar uma consciência de justiça e paz.

O ROSTO JOVEM DA IGREJA Bento XVI, em seu discurso aos jovens no Estádio do Pacaembu (S. Paulo, 10/05/07), destacou o papel da juventude cristã: “Vós, jovens, não sois apenas o futuro da Igreja e da humanidade. Pelo contrário, vós sois o presente jovem da Igreja e da humanidade. Sois seu rosto jovem. A Igreja precisa de vós, caros jovens, para manifestar ao mundo o rosto de Jesus Cristo, que se desenha na comunidade cristã. Sem o rosto jovem, a Igreja se apresentaria desfigurada”. O Doc. 85 da CNBB, Evangelização da Juventude, afirma: “Nossa intenção é considerar a juventude com suas potencialidades para renovar a sociedade e a Igreja. A juventude é a fase do ciclo de vida em que se concentram os maiores problemas e desafios, mas é, também, a fase de maior energia, criatividade, generosidade e potencial para o engajamento”.

O TEXTO-BASE DA CF 2013

Papa Bento XVI

A Igreja quer “acolher as juventudes, com suas alegrias e esperanças, tristezas e angústias, em meio a profundas mudanças do nosso tempo, propiciando caminhos para o seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo e na construção de uma sociedade fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz” – confirma o Texto Base da CF 2013, que mostra que o presente e o futuro da Igreja dependem desta nova opção afetiva e efetiva pelos jovens.

MENSAGEM DO PAPA PELA JMJ RIO 2013 Outro texto precioso – acessível na Internet –, para ajudar na compreensão e reflexão desse universo juvenil é a mensagem que o Papa enviou aos jovens do mundo, motivando-os a comparecerem à próxima Jornada Mundial da Juventude a ser realizada no Rio do Janeiro. Bento XVI, após convidar os jovens ao encontro com Cristo para serem suas testemunhas, recorda que “a conhecida estátua do Cristo Redentor, que se eleva sobre aquela bela cidade brasileira, será o símbolo eloquente deste convite: seus braços

O Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2013, já disponível nas livrarias católicas, é outro documento imperdível, que deve constar em nosso pacote voltado aos JOVENS. A CF 2013 tem como tema Fraternidade e Juventude e como lema Eis-me aqui, envia-me! Ela “se propõe olhar a realidade dos jovens, acolhendo-os com as riquezas de suas diversidades, propostas e potencialidades; entendê-los e auxiliá-los neste contexto de profundo impacto cultural e de relações midiáticas; fazer-se solidário com seus sofrimentos e angústias, especialmente junto aos que mais sofrem com os desafios desta mudança de época e com a exclusão social; reavivar-lhes o potencial de participação e transformação” (Introdução). Esta Campanha deseja, em pleno Ano da Fé, mobilizar a Igreja e os segmentos da sociedade, a fim de se solidarizarem com os ideais juvenis. Por isso, o objetivo geral da Campanha é acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna fundada na cultura da vida, da justiça e da paz. Por Pe. Sebastião Sant´Ana, Sacramentino de N. Sra. (SDN) Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe


ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS - FEVEREIRO 13

a igreja acolhe a juventude e a faz protagonista da construção de uma sociedade fraterna Acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz. Este é o objetivo da 50ª edição da Campanha da Fraternidade (CF 2013), cujo tema é “Fraternidade e Juventude” e o lema “Eis-me aqui, envia-me!” (Is 6,8).

assumir uma tarefa tão importante que foi conceber Jesus, ser a Mãe de Deus. “É preciso ampliar a cristandade para o dia a dia, nas ações do cotidiano. O objetivo não é trazer as pessoas para o ambiente da igreja, especificamente, mas evangelizar para que conheçam Jesus e o reino de Deus, e experimentem isso de tal forma que não poderão calar-se diante do que viram e ouviram”, afirmou Pe. Alcimar.

Segundo o Coordenador de Pastoral Arquidiocesana, Pe. Alcimar Araújo, toda a Campanha da Fraternidade é feita para a Igreja, buscando chamar a atenção para um ponto em que ela precisa se converter. Em 2013, será trabalhada a conversão à juventude, momento no qual pretende renovar a sua presença de fraternidade junto aos jovens. “Tanto no ver, no julgar e no agir, pede-se que o adulto dê espaço para a juventude, acolhendo-a, apoiando-a afetiva e efetivamente, tendo um bom relacionamento, e dando-lhe suporte para que desenvolva os seus talentos e contribua com Igreja na Evangelização e construção do mundo”, explicou.

Outro ponto a ser refletido é a questão da mudança de época. Hoje a juventude parte de um processo de transição, na qual a família, a escola e a Igreja não têm mais a mesma influência, devido ao nível de informação que se tem. Segundo Pe. Alcimar, o relacionamento com a juventude tem sido inspirado na interatividade, estimulada pela internet e novas mídias, em que o jovem é visto, ouvido e considerado. Ele produz a informação e tem ressonância disso. Não é mais passivo de notícias, mas o produtor delas. Isso se configura em um novo tipo de relacionamento com a sociedade. Ele precisa ter a mesma interatividade no mundo real. A Igreja precisa atualizar-se e passar a usar mais os recursos tecnológicos existentes, como ferramenta de contato e acompanhamento da criança, do adolescente e da juventude. Isso exige uma maior clareza no uso das tecnologias da informação a fim de usá-las para ultrapassar fronteiras.

A CF 2013 não será feita para o jovem, mas com eles. Por isso, além da Coordenação de Pastoral, também estará à frente da Campanha a Pastoral da Juventude (PJ) e os Movimentos de Jovens. “Será um ano kairótico e profético, em que, após 20 anos, o tema juventude será trabalhado e aprofundado novamente, tendo em vista a realização da Jornada Mundial da Juventude, em julho de 2013, no Rio de Janeiro, cujo objetivo principal é fazer a Pessoa de Jesus o centro da fé e da vida de cada jovem, seu ponto de referência e inspiração para cada iniciativa e compromisso para a educação das novas gerações”, explicou Pe. Alcimar Araújo. Durante a quaresma, os quarenta dias que antecedem a Páscoa de Jesus, serão intensificadas reflexões e propostas de ações, a partir de uma série de pistas pastorais, em torno da formação da pessoa no seguimento de Jesus, formação na comunidade, e ação no mundo. Pretende-se trabalhar a questão da conversão da igreja, especialmente dos adultos, para a juventude, reconhecendo nela a capacidade de contribuir, perceber o divino no jovem; e recriar a dimensão do mistério, em que os adultos devem dar espaço para ele trabalhar. As formações preparatórias, a serem realizadas nos meses de janeiro e fevereiro, serão fundamentadas no Texto Base da CF 2013, que propõe a promoção do encontro e o seguimento

a Jesus, o desenvolvimento de um relacionamento em discipulado, em comunhão com a Igreja, e o trabalho de formação da juventude para a dimensão profética e cidadã de construção de uma sociedade baseada na justiça, na paz e na fraternidade. No âmbito pessoal, a proposta é formar o jovem, apresentando Jesus como um grande exemplo e modelo de inspiração, que oferece um projeto de vida baseado no amor, na paz e na fraternidade, e é a resposta às angústias e às aspirações mais profundas do jovem. Como exemplo de seguimento a Jesus, serão apresentados alguns jovens santos, como, por exemplo, Maria de Nazaré, a menina que teve a coragem de

CALENDÁRIO DAS FORMAÇÕES DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2013 FORMAÇÃO

DATA

HORA

LOCAL

Setores 5 e 6

23 a 25/1

19h às 21h30

Quadra do Colégio Rui Araújo - a lado da Igreja Santa Rita Av. Carvalho Leal, 931 - Cachoeirinha

Setores 3 e 4

22 a 24/1

19h às 21h30

Igreja Rainha dos Apóstolos Rua Washington Luiz - 55 - Dom Pedro I

Setores 8 e 10

29 a 31/1

19h às 21h30

Salão Paroquial São José Operário - Aleixo Rua Paracuúba - 178 - São José I

Setores 1 e 2

5 a 7/2

19h às 21h30

Auditório do Colégio Dom Bosco, Av. Epaminondas, 57 - Centro

Setores 9 e 12

6 a 8/2

19h às 21h30

Dias 6 e 7/2 - Área Missionária Santa Mônica Travessa Araxá - 449 - Conjunto Manoa I Dia 8/2 - Cruzeiro – Av. Timbiras

Presidente Figueiredo

9/2

8h às 17h

Centro Paroquial - Nossa Senhora Aparecida Rua Angelins s/n - Centro - Presidente Figueiredo/AM

Rio Preto da Eva

16/2

8h às 17h

Centro Paroquial - Área Missionária São Pedro Rua Gov. Pedro Barcelar - 10 - Centro - Rio Preto da Eva

“A necessidade hoje é promover uma relação interativo-educativa, em que é possível dialogar, dentro da dinâmica da liberdade, educando-o na fé. Hoje a subjetividade do jovem tem sido construída a partir do que ele absorve da televisão e da internet. Diante disso, verifica-se a grande importância da presença dos pais, que devem ser referência para os filhos, num mundo em que os paradigmas estão em cheque. É preciso aprender a negociar com eles e conscientizá-los dos cuidados necessários diante da liberdade e da facilidade de vivenciar diversas experiências”, explicou Pe. Alcimar. O protagonismo do jovem na Igreja é outro ponto a ser tratado. Será exigido do jovem que assuma a própria fé e participe do processo de evangelização e promoção da dignidade dos demais jovens. Ao fazer a opção pelo seguimento de Jesus, ele deverá ter a liberdade de viver a sua fé, em comunhão com a Igreja. “Hoje a tendência é acreditar em Deus, mas sem estar vinculado a uma religião, pois não vê na religião um ambiente que o acolha e o torne protagonista. O jovem tem abertura para Deus e é preciso usar isso para trabalhar a questão da fé em Jesus Cristo, que veio propor o reino de Deus aqui na terra. Os evangelizadores, mais do que levar a Palavra, devem ser a palavra, viver de fato o que se fala/prega. Dar exemplo com a vida, de real conversão”, declarou Pe. Alcimar. Por Ana Paula Lourenço


14 FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

giro pastoral por ana paula lourenço comunidade católica do setor 9 promoveu caminhada pela paz

Mobilizar a comunidade católica para sensibilizar o poder público em prol da paz na cidade de Manaus, através da criação de políticas públicas para a justiça social, a educação e a saúde. Esse foi o objetivo da 2ª Caminhada pela Paz, promovida por representantes das áreas missionárias do Setor 9, no dia 1º de janeiro de 2013, no bairro Cidade Nova 1. Animados por Pe. Marco Antônio da Silva (Pe. Marquinho), Pe. Leonardo Silva (Pe. Léo) e a equipe de música Família de Nazaré, a procissão partiu da Av. Noel Nútels, próximo à Igreja São Bento, e seguiu pela rua Timbiras até o terreno conhecido como Cruzeiro, onde aconteceu a celebração eucarística presidida pelo bispo auxiliar Dom Mário Antônio. Em uma área onde há muita violência contra o jovem e o idoso, padres, religiosos (as) e leigos (as) pertencentes à Paróquia São Bento e às áreas missionárias São Francisco, Santa Clara, Santa Mônica, São Paulo Apostolo, Família de Nazaré, Divina Misericórdia e São Lucas, marcaram presença no dia mundial da paz posicionando-se, através das orações e reinvindicações, por uma realidade diferente, sem injustiça e sem violência. A caminhada ocorreu sob a intercessão de Maria, Mãe de Deus, do Príncipe da Paz.

Fiéis durante a caminhada pela paz no bairro Cidade Nova 1

Jovens reinvindicam políticas públicas a favor da juventude

Imagem de Maria, levada durante toda a caminhada

Dom Mário realiza celebração eucarística

meio de Maria, a mãe de Deus. A importância da devoção a ela está no seu exemplo que deve reavivar em nós a força de viver e testemunhar o evangelho de Jesus, o príncipe da paz”, afirmou Dom Mário Antônio.

ro, um símbolo providencial das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), existente há mais de 20 anos na Cidade Nova”. explicou.

“Deus nos convida a sermos propagadores da benção que brota de Seu coração, concretizada com a vinda de Jesus por

Fiéis se manifestam contra a violência sobre a pessoa idosa

Segundo Pe. Marco Antônio, responsável pela área missionária São Lucas, esta foi uma manifestação que visou chamar a atenção das autoridades para a necessidade de criar politicas públicas em favor do pobre e excluído e do jovem que tem sido vítima da violência. “Não queremos uma paz acomodada, mas uma paz ativa e comprometida que produza frutos e vida para as pessoas. Este é o segundo ano que caminhamos até o Cruzei-

Para o bispo auxiliar, Dom Mário Antônio, a caminhada foi um sinal de que queremos ser autênticos construtores da paz em nossa cidade, vivendo na concórdia fraterna e na prosperidade. “Este foi um grande convite para busca da paz que é possível através de uma convivência harmoniosa entre as pessoas. Não é um sonho ou utopia, mas um processo que se realiza pela luta diária, pela defesa da vida, pelo respeito às gerações, pela convivência fraterna, enfim, pela presença de Deus no coração de todos”, afirmou.

paróquia rainha dos apóstolos realiza 10º oitavário da epifania “Discípulos Missionários, fazei resplandecer a Santidade de Deus, reavivando a fé e reacendendo a caridade”, foi o tema do 10º Oitavário da Epifania, realizada pela Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, no período de 6 a 13 de janeiro de 2013. O evento teve como motivação o Ano da Fé e o Jubileu dos 50 anos da canonização de São Vicente Pallotti, fundador da Sociedade do Apostolado Católico (Palotinos), congregação a que pertencem os padres da Paróquia. A celebração de abertura, ocorrida no dia 6, às 19h,foi presidida pelo bispo auxiliar Dom Mário Pasqualotto. Padres de diversas congregações foram convidados a presidir cada dia do oitavário, que trabalhou os temas: “Epifania do Senhor”, “Deus, o infinito amor”, “Amor a Deus e ao próximo”, “Misericórdia de Deus”, “O Sangue de Cristo”, “Batismo do Senhor”, “Espírito Santo”, e “Maria, Mãe de Deus”. Segundo Pe. João Bergamasco, pároco da Paróquia Rainha dos Apóstolos, a Epifania, significa a manifestação da ternura

Jovens durante a comemoração do Oitavário da Epifania

Celebração de missa na Paróquia Rainha dos Apóstolos

de Deus no mundo. Promover os oito dias da festa significa dar continuidade à valorização que São Vicente Pallotti sempre concedeu à festa da Epifania, fazendo dela um grande momento de evangelização, onde todos os batizados são chamados a serem apóstolos de Jesus Cristo, a partir de uma experiência de encontro pessoal com Jesus, e do esforço para que Ele seja conhecido, amado e acolhido por todas as nações.

pre esperamos que haja uma abertura no coração delas para acolher a revelação de Deus que se faz menino, que assume a nossa vida e vem nos encher na sua ternura e seu amor fazendo de nós pessoas que vivem e testemunham o seu evangelho”, afirmou Pe. João.

“É um momento especial de benção e ação de graças pela presença de Deus na vida das pessoas, das famílias. Nós sem-

Conheça a Paróquia Rainha dos Apóstolos: Rua Washington Luís, 55 - D. Pedro I Contato: 3656-5445 / 3238-2151 Site: www.rainhadosapostolos-am.org.br


ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS - FEVEREIRO 15

giro pastoral por ana paula lourenço fé é tema dos festejos de são sebastião em manaus

Sob tema “Eu creio, Senhor, mas aumentai a minha fé!” (Mc 9,24), a Paróquia São Sebastião realizou, no período de 11 a 20 de janeiro, os festejos de seu padroeiro, na Igreja e arredores, localizados à rua 10 de Julho - Centro. Foram realizados nove dias de oração e reflexão sobre a vida do mártir São Sebastião, a partir das temáticas “São Sebastião: Um batalhador pela fé”, “São Sebastião: Um soldado de fé”, “São Sebastião: Perseguido por causa da sua fé”, “São Sebastião: A luz que brilha nas trevas”, “São Sebastião: Obediente à fé”, “São Sebastião: Defensor da Igreja”, “O sangue do justo é derramado”, “São Sebastião: Uma fé que supera a morte” e “O sangue dos mártires é a semente de novos cristãos”. Por fim, no dia 20 de janeiro, dedicado ao santo, aconteceu a tradicional procissão pelas ruas do centro da cidade e missa campal, no Largo São Sebastião. As noites festivas (arraial) ocorreram nos fins de semana (dias 11, 12, 13, 18, 19 e 20), finalizando com o sorteio de prêmios através do Bingão Eletrônico que ofertou cinco valiosos prêmios (Motoclicleta FAM KS, R$ 3 mil, TV LED 42”, Notebook, Tablet).

Imagem de São Sebastião sendo levada para o altar

Celebração de missa para oração e reflexão sobre São Sebastião

Segundo o pároco, Frei Sebastião Fernandes, o exemplo de São Sebastião nos incentiva à caridade e à dedicação pela construção do Reino de Deus. “Pelo testemunho admirável dos santos, Deus revigora constantemente a Sua Igreja, provando o amor Dele para conosco. É com alegria que, em mais um

ano, celebramos o nosso padroeiro São Sebastião. Recordar seu martírio nos encoraja a sermos testemunhas fiéis de Nosso Senhor Jesus Cristo e não temer as perseguições. Temos muito que aprender com o exemplo de santidade e vida cristã deste grande homem de Deus”, concluiu Frei Sebastião.

centenas de jovens participam de formação para liderança da pastoral da juventude arquidiocesana “Estou aqui, Senhor. Envia-me”, este foi o propósito que deu início à 3ª Semana do Jovem Líder (SJL), realizada pela Pastoral da Juventude (PJ) Arquidiocesana, no período de 14 a 18 de janeiro, no Centro de Formação da Arquidiocese de Manaus (Cefam), situada à Av. Joaquim Nabuco, 1023 – Centro. O objetivo do evento foi formar os jovens para o seguimento de Jesus Cristo, fortalecendo a identidade da Pastoral da Juventude (PJ), despertando novas lideranças e estimulando uma formação integral e continuada dentro do processo de educação na fé. Esta foi a primeira atividade de 2013, ano em que a PJ completa 40 anos de presença no Brasil na Evangelização da Juventude. Esta foi uma iniciativa de formação para lideranças dos grupos de jovens e coordenações de paróquias e de Área Missionárias da Arquidiocese de Manaus. Segundo a organização do evento, foram inscritos 274 jovens.

Jovens participam de oficinas com temáticas de liderança

274 jovens participaram da 3ª semana do Jovem Líder

A 3ª SJL prepara semeadores da palavra de Deus

Evento forma os jovens para o seguimento de Jesus Cristo

A abertura aconteceu no dia 14, com um momento de espiritualidade, a palavra dos bispos auxiliares Dom Mário Antônio e Dom Mário Pasqualotto, e o Seminário sobre a Campanha da Fraternidade de 2013, proferido por Pe. Zenildo Lima, secretário executivo da CNBB – Regional Norte 1. Nos demais dias (15 a 18/1), ocorreram as oficinas de formação da Iniciação que tratou das temáticas “Liderança Segundo Jesus Cristo”, “Espiritualidade Pastoral” e “Como Planejar, Organizar e Dinamizar os Encontros de Grupos de Jovens”; e do Discipulado, que abordou a respeito de “Processo de Educação na Fé”, “Projeto de Revitalização da PJ na América Latina” e “Documentos da Igreja sobre Evangelização da Juventude”. Segundo bispo auxiliar, Dom Mário Antônio, o jovem, assim como todo o cristão, é convidado a ser, no mundo de hoje, manifestação da luz de Deus, que é Jesus. Deus nos criou para sermos propagadores de benção através da nossa vida e pelo nosso testemunho. Vivemos num mundo com muitos espaços de informação, que mal podemos absorver, porém faltam espaços de formação, fundamental para que não nos percamos nesse mar de informações que nos submergem. Diante disso, a Semana do Jovem líder se faz um evento importante realizado pela Pastoral da Juventude que está em comunhão com a Arquidiocese de Manaus. “São Paulo em suas cartas às comunidades, orientava-os a respeito da melhor forma de honrar a Deus. Ele as direcionava aos jovens líderes, seus grandes colaboradores, com destaque para Timóteo, que incansavelmente servia com alegria. Esta semana do Jovem líder propôs o mesmo: formar os grandes colaboradores da Arquidiocese de Manaus, para que melhor

evangelizem, honrando a Deus, através do testemunho e seguimento a Deus”, concluiu Dom Mário Antônio. Dom Mário Pasqualloto, que também esteve presente na abertura da Semana do Jovem Líder, afirmou ser este um ano de muitas graças para a Juventude, tendo em vista os grandes eventos de formação e estímulo, como a Jornada Mundial da Juventude e as atividades preparatórias que a precedem; o Bota Fé, quando ocorreu a acolhida da Cruz e Ícone de Nossa Senhora; e a Campanha da Fraternidade que busca inserir o jovem, com todas as suas habilidades na evangelização e, consequentemente, na construção de um mundo melhor. Outro exemplo que indica ser um tempo de graça para a juventude foi ter como bispo Dom Luiz, que durante os 21 anos de atuação na Arquidiocese, sempre atuou com o ardor de um jovem, e, por fim, a vinda de um novo Arcebispo, Dom Sérgio Castriani, que possui uma caminhada junto à juventude.


16 FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

comunidade católica homenageia padre cláudio rossini EM praça do dom pedro duzentas pessoa estiveram na cerimônia, que foi seguida por uma caminhada pela paz nas ruas locais do bairro, no primeiro dia do ano de 2013

Membros da Associação dos Moradores do bairro Dom Pedro I

Padre João Bergamasco, ao lado da placa de inauguração da praça

Fiéis em caminhada pela paz no bairro Dom Pedro I

A Associação dos Moradores do Conjunto Habitacional Dom Pedro I, através de um abaixo assinado dos moradores da região, conseguiu que a praça em frente ao Regimento da Cavalaria, na rua Tiradentes, ganhasse o nome do padre Cláudio Walmir Rossini, antigo pároco da paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, que faleceu no dia 21 de outubro de 2012, após um ataque cardiaco, na paróquia.

“Famílias inteiras vieram participar da caminhada, porque é uma maneira de agradecer a Deus pelas graças alcançadas no ano que passou e para orar na fé, para que o ano de 2013 seja pleno de realizações”, disse padre João Bergamasco.

estiveram presentes. ”Nos enche de alegria ver o povo de Deus aqui na igreja. Nós estamos muito feliz com esta manifestação de amor e respeito”, disse Dayse da Conceição, ministra da Palavra e da Eucaristia da paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, no bairro Dom Pedro.

“Entendemos que a homenagem é justa, porque padre Cláudio era muito querido pela comunidade local”, disse o presidente da Associação Ehud Emanuel Abensur. Quem também se mostrou solidário com o novo nome da praça foi Fernando Ferreira do Nascimento, morador da rua Plácido de Castro, nas proximidades da praça, que foi um dos responsáveis pela construção da placa comemorativa.” Padre Cláudio foi um exemplo de entrega de amor ao próximo e merece esta homenagem”, afirmou. Também Raimundo Souto (Dico), outro morador do bairro, se mostrou feliz com a homenagem a padre Cláudio. ”A comunidade pediu e nós atendemos”, comentou. Amigo do falecido homenageado, o padre João Aparecido Bergamasco, pároco da paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, disse que a falta do amigo é sentida por todos, mas ele, especialmente, “estava muito emocionado pelas lembranças do amigo, que partiu. Trabalhamos juntos na paróquia e eramos velhos amigos, hoje estou substituindo ele”, comentou. Após a cerimonia de inauguração da nova praça a chuva não impediu que, aproximadamente, duzentas pessoas caminhassem mais de três quilômetros pelas ruas do bairro Dom Pedro agradecendo a Jesus pelo novo ano, e para lembrar aos moradores locais: que a Igreja Católica está com eles, na caminhada da vida pelo amor em Cristo.

Ao término da caminhada, uma missa em louvor a Nossa Senhora foi realizada na paróquia, onde mais de 250 pessoas

Por Antonio Ximenes, Texto e Fotos

políticas públicas para a juventude O ano de 2013 está bem marcado como sendo o ano da juventude. Teremos a Campanha da Fraternidade sobre a juventude e a Jornada Mundial da Juventude e ambos estão mobilizando milhões de jovens no Brasil e no mundo. É o momento oportuno para que se cobre mais políticas públicas voltadas para a juventude. A realidade da juventude está marcada nos dias atuais por muitas incertezas. Quantos jovens são vítimas da violência ou causadores da violência? Quais são as ações públicas e da sociedade que criam oportunidades e esperança para muitos jovens explorados, violentados e discriminados? O mundo das drogas, das dependências químicas e do tráfico, aprisionam muitos e até parece que não tem solução. Não há dúvida, que a ação do poder público é fundamental para mudar esse quadro. Sempre é bom lembrar que as estruturas públicas tem o recurso público, que tem de ser destinado a atender a população naquilo que é prioridade. A juventude deve ser prioridade. Poderia ser criado o Orçamento Juventude, para que a população saiba quanto será gasto dos impostos para proporcionar dignidade aos jovens. Com a posse dos novos prefeitos e vereadores em todos os municípios brasileiros, temos a oportunidade de cobrar políticas públicas para os jovens na educação, no esporte, na cultura, no lazer, nas oportunidades do trabalho, na recuperação da dependência química, no apoio ao jovem infrator, na saúde, na assistência à família, moradia e saneamento e outros direitos. Sim, os jovens tem direitos! Nos municípios, onde moramos, é que estes direitos acontecem. Muitos jovens ainda não tem acesso à uma boa escola, com bons professores e boa estrutura física. Existem escolas que nem tem sequer uma quadra de esporte e um espaço para a convivência com outros jovens. Muitos desistem da escola, repetem vários anos ou concluem com muita deficiência

essa fase tão importante para sua formação, ficando sem qualificação para entrar no ensino superior e para atuar no mercado do trabalho. Esse é um quadro que precisamos mudar! Além disso, não é possível que as cidades tenham poucos espaços de lazer e esporte, ou então sem manutenção e pouquíssimo apoio para atividades esportivas na periferia e nos bairros mais pobres. As Secretarias de Esporte e Juventude dos municípios não podem continuar a gastar os poucos recursos em eventos de grande porte e esquecer as pequenas iniciativas dos jovens no esporte e nas diversas manifestações culturais. Na recuperação de jovens dependentes químicos o poder público tem uma grande dívida. Hoje não tem nenhuma instituição pública tratando disso, existem apenas instituições religiosas ou sociais sem fins lucrativos dedicados à essa causa. Está na hora de mudar! É necessário que em cada município tenha ao menos uma instituição pública, e com parcerias com a sociedade para dar oportunidade aos jovens que querem sair dos vícios. Isso é urgente! Assim, neste ano da juventude, vamos todos juntos lutar por diversas políticas públicas que ajudem os jovens. Mas lembramos, a responsabilidade é conjunta: poder público e sociedade. Portanto, cada um de nós pode fazer a sua parte! Vamos? Por José Ricardo Wendling, Economista, Membro do Conselho de Administração da Arquidiocese


18 FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

missão no puraquequara missionários levam alimento espiritual às famílias das comunidades carentes e de difícil acesso

Padre Marco Antônio a caminho da missão no Puraquequara

Chegada dos missionários ao Puraquequara

Missionários e comunitários confraternizam com fé e o amor em Cristo

Promover a evangelização de famílias e jovens e atender as necessidades de sacramentos tem sido duas das atividades realizadas na missão ao bairro Puraquequara, Zona Leste de Manaus, iniciada em 2001, por uma equipe de leigos liderada pelo Pe. José Sabino, na época também pároco na Igreja São Pedro Apóstolo, no bairro de Petrópolis. Ao todo são atendidas 18 comunidades, três situadas nos ramais; cinco Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) no bairro Puraquequara, três no Lago do Puraquequara e sete à margem esquerda do Rio Amazonas (beiradão).

(batismo, confissão, eucaristia, crisma, matrimônio, unção dos enfermos).

“Sinto-me realizado com o trabalho feito no bairro. São dois anos de serviço a essa porção do povo de Deus. Sempre fui bem acolhido, seja enquanto atuava aqui como leigo, seja como padre missionário. Com a graça de Deus, esperamos a alavancar mais o trabalho no ano de 2013, sempre com o apoio dos leigos, visto que sem eles o trabalho não avançaria”, concluiu Pe. Marco.

Desde 2010, a convite do Pe. Sabino e do Arcebispo de Manaus, Dom Luiz Soares, o trabalho no Puraquequara tem sido desenvolvido sob a coordenação do Pe. Marco Antônio da Silva, conhecido como Pe. Marquinho, que assumiu a Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Pobres, com muita dedicação e doação, apesar de também cuidar de áreas missionárias no bairro da Cidade Nova, Zona Norte. Conta também com o apoio de Pe. Cairo e das Religiosas da Congregação da Imaculada Conceição - as Irmãs Azuis, atualmente, Ir. Joaninha e Ir. Rosangela. Nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) tem-se trabalhado os ciclos bíblicos e a realização de pequenas novenas, com os quais os participantes têm vivido experiências edificantes na fé. À margem esquerda do Rio Amazonas, nas comunidades Nossa Senhora da Conceição, São Lázaro, São Francisco, São Pedro, Nossa Senhora de Nazaré, Nossa senhora das Graças e Bom Sucesso são organizadas equipes que fazem visitas aos sábados, em sistema de rodízio para chegar, mensalmente, a todas, o que torna possível atender às necessidades quanto às celebrações eucarísticas (missas), à formação de lideranças para o fortalecimento das pastorais básicas (liturgia, catequese, dízimo e juventude) e dar acesso aos sacramentos

A Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Pobres está situada à rua Santa Maria, bairro Puraquequara. As celebrações eucarísticas na Paróquia acontecem aos domingos, às 7:30. Quem quiser conhecer e ajudar a missão, pode entrar em contato pelo e-mail nossasenhoramaedospobres@hotmail.com ou acesse a página do facebook www.facebook. com/nossasenhora.maedospobres

Segundo Pe. Marco, o bairro é urbano/rural, com uma população de cerca de 10 mil habitantes, que vivem de pequenas vendas e feiras de subsistência, com comércio de peixe e verduras de hortas dos seus quintais. São comunidades muito pobres, porém, já se percebe uma nova geração de jovens que começam a se emancipar, ingressando nas faculdades e buscando outras profissões que não as de subsistência praticadas por seus pais e avós. “Não é uma área tão populosa, mas é exigente no trabalho de visitação e acompanhamento das famílias. O Puraquequara ainda é uma terra de missão e precisa de muitas pessoas atuando na evangelização”, afirmou Pe. Marco. Dos desafios enfrentados está a evangelização de jovens e alguns problemas graves da área como o tráfico de drogas, o alcoolismo e a gravidez precoce em adolescentes. Segundo Pe. Marco, outro entrave tem sido o pouco recurso financeiro para sustentar a missão, como a manutenção de uma secretaria paroquial, a aquisição de veículos de locomoção adequados para chegar aos ramais e de gasolina para a lancha que leva os missionários às comunidades das margens do Rio Amazonas. “Trabalho é realizado com amor, carinho e respeito às várias famílias que necessitam de atenção da igreja e de participar da santa missa. Nós acreditamos no trabalho de missão que realizamos de ir às comunidades, mesmo as que se encontram às margens do Rio Amazonas, pois são muito carentes de ação evangelizadora da Igreja e da presença dos padres. Felizmente, temos conseguido cumprir as metas de visitação”, afirmou Pe. Marco.

IRMÃS AZUIS APÓIAM A MISSÃO NO PURAQUEQUARA “Irão aonde a voz dos pobres vos chamar, onde Jesus não é conhecido e nem amado” , este é o lema de vida das religiosas da Congregação da Imaculada Conceição, conhecidas com as Irmãs Azuis, que há 10 meses estão em Manaus apoiando a missão no bairro Puraquequara. “O Amazonas sempre esteve nos planos da congregação e após reunião da congregação, ocorrida em 2008, decidiu-se que depois de 100 anos de trabalho concentrado no Estado do Mato Grosso, era necessário ir além fronteira, afirmou Ir. Joaninha Madeira. Com isso, em 2009, iniciaram as missões de férias no município de Novo Ayrão, onde atuaram por dois anos. Após muitos convites dos padres de Manaus, em 2012 foram para o bairro Puraquequara, em virtude da carência da área. Atualmente, as religiosas Ir. Joaninha e Ir. Rosangela têm trabalhado nos círculos bíblicos, promovendo a reflexão e partilha da palavra de Deus, de casa em casa, nas comunidades próximas à Igreja Nossa Senhora Mãe dos Pobres. Segundo Ir. Joaninha, a comunidade tem aderido muito bem as atividades e têm se tornado multiplicadoras. Nas margens do Rio Amazonas (beiradão) existem três equipes de leigos que têm tocado o trabalho. A Irmã revelou que a Comunidade Santa Rosa, a mais distante localizada quase na divisa com o município de Itacoatiara, por exemplo, é formada por um povo de fé perseverante que tem se desenvolvido muito desde a retomada das visitas da equipe missionária. “Eles necessitam da presença da Igreja para ajudá-las a crescerem mais na fé”. “Neste tempo que estamos aqui, foi possível conhecer as necessidades do local e avaliar o que é possível realizar, tais como a ativação do clube de mães e a criação da pastoral da criança. É uma realidade desafiadora” , explicou Ir. Joaninha, uma apaixonada por esta região de povo muito acolhedor, que celebrou seus 25 anos de votos no dia 23 de dezembro. Por Ana Paula Lourenço, texto e fotos


20 FEVEREIRO - ARQUIDIOCESE EM NOTÍCIAS

atividades pastorais DIA

EVENTO

HORA

LOCAL

INFORMAÇÕES Serviço Inaciano de Espiritualidade (SIES) de Manaus (92) 3622-9835

2/2

Encontro de Preparação para o Retiro Quaresmal

14h às 18h

Centro Loyola de Pastoral Rua Leonardo Malcher, 347 Aparecida

2 a 11/2

Novenário de Nossa Senhora de Lourdes

19h

Igreja Nossa Senhora de Lourdes Rua 27 - 1141 - Parque Dez

Secretaria Paroquial (92) 3646-1345

2/2 a 2/3

Festejos de São Lázaro Novenário - 2 a 11/2 • Procissão e Missa - 11/2 Bingão - 2/3

19h

Igreja São Lázaro Rua São Vicente, s/n - São Lázaro

Secretaria Paroquial pslazaro@hotmail.com (92) 3624-4155

5 a 7/2

Formação da Campanha Fraternidade - Setores 1 e 2

19h às 21h30

Auditório do Colégio Dom Bosco, Av. Epaminondas, 57 - Centro

Edney - Setor 2 9227-2692

6 a 8/2

Formação da Campanha Fraternidade - Setores 9 e 12

19h às 21h30

Dias 6 e 7/2 - Área Missionária Santa Mônica Travessa Araxá - 449 - Conjunto Manoa I Dia 8/2 - Cruzeiro - Av. Timbiras

Secretaria da Área Missionária Santa Mônica (92) 3581-3895

8/2

Jantar Dançante - JMJ Objetivo: arrecadar recursos para os jovens participarem da JMJ 2013

21h

Salão dos Espelhos Rio Negro Atlético Clube

Paróquia Divino Espírito Santo 3644-3505 / 9127-6180

8 a 13/2

Acampamento Desperta Jovem - 7ª EDIÇÃO Tema: Jovem, foste resgatado pelo Sangue de Cristo

Período integral

Sitio Três Amores - Vivenda Verde

9 a 12/2

Acampamento de Carnaval Iluminar - “Minha Luz esta sobre ti”

Período integral

Sitio São Francisco, Ramal da Fazenda da Esperança 15km da BR 174

Pastoral da Juventude Paróquia Santa Terezinha - Alvorada II (92) 8415-4356/9194-7216 Comunidade Quem Ama Sorrir (92) 3342-9237 / 8114-6097 www.quemamasorri.org.br

9/2

Formação da Campanha Fraternidade Presidente Figueiredo

8h às 16h

Centro Paroquial Nossa Senhora Aparecida

Pe. Ângelo (92) 9193-5455

10, 11 e 12/2

Maranatha 2013 - 20 anos de evangelização Tema: Fraternidade e Juventude

8 às 18h

Arena Amadeu Teixeira

Comunidade Católica Nova e Eterna Aliança (92) 3622-8934

13/2

Abertura da Campanha da Fraternidade 2013

9h

Praça da Polícia

Assessor PJ - Edney Mendonça (92) 9227-2692

16/2

Formação da Campanha Fraternidade Rio Preto da Eva

8h às 16h

Centro Paroquial Área Missionária São Pedro

Pe. Robert (92) 3328-1122

17/2

Celebração Eucarística em Ação de Graças pelos 21 anos de pastoreio de Dom Luiz

10h

Centro de Convenções Studio 5 Av. Rodrigo Otávio, 3555 Distrito Industrial

Pascom Arquidiocesana (92) 3212-9042

23/2

Posse do novo Arcebispo D. Sérgio Castriani

19h

Catedral Metropolitana de Manaus Paróquia de Nossa Senhora da Conceição Praça Osvaldo Cruz - Centro

Pascom Arquidiocesana (92) 3212-9042

23/2

Palestra Técnicas de Como Falar em Público – Oratória Facilitadora: Profª Edilene Mafra Mestre em Ciências da Comunicação Vagas Limitadas – Inscrição Grátis Realização: Fundação Rio Mar

9h às 12h

Auditório da Rádio Rio Mar Rua José Clemente, 500 - Centro

Claudete (92) 3633-2295 - Ramal: 203

Até 6/3

Inscrições para a Escola de Teologia Pastoral Instituto de Teologia, Pastoral e Ensino Superior da Amazônia (ITEPES)

7h30 às 11h30

ITEPES Rua da Maromba, nº 20, Chapada

Secretaria do ITEPES (92) 3642-5635 secretaria@itepes.com.br

Até 6/3

Inscrições para a Escola Litúrgica Instituto de Teologia, Pastoral e Ensino Superior da Amazônia (ITEPES)

7h30 às 11h30

ITEPES Rua da Maromba, nº 20, Chapada

Secretaria do ITEPES (92) 3642-5635 secretaria@itepes.com.br

Até 7/3

Inscrições para a Escola Bíblica Instituto de Teologia, Pastoral e Ensino Superior da Amazônia (ITEPES)

7h30 às 11h30

ITEPES Rua da Maromba, nº 20, Chapada

Secretaria do ITEPES (92) 3642-5635 secretaria@itepes.com.br

GRUPOS ESPERANÇA VIVA ATUANTES EM MANAUS GEV - MANAUS Av. Presidente Dutra, 481, Bairro Santo Antônio Reunião: Aos sábados, das 19h30 às 21h30, e no 3º domingo de cada mês, às 15h00 Responsável: ES Marcelo Sodré Fone: (92) 3238-1019 / 9299-5530 / 8235-6772

Quem vive a Palavra gera a

Esperança

GEV - CIDADE NOVA Rua 248 casa 94 QD 447 NL 23, Cidade Nova 5 Reunião: Todas as segundas-feiras, das 19h30 às 21h30 Responsável: Elizeth Moreno Fone: (92) 3221-3885/9108-7777 GEV - ITINERANTE MÃE DA ESPERANÇA Rua 23 s/nº – Conj. Castelo Branco – Bairro

Parque 10 – Manaus-AM Reunião: Quintas-feiras, sendo a 1ª de cada mês no endereço acima e as demais sem locais fixo, das 19h30 às 21h30. Responsável: ES Rafael Santos Pereira Fone: (92) 3646-0971/9143-6847 GEV - NOSSA SENHORA DA SAÚDE Rua 6 Casa 1 C, esquina com a rua 11 - Bairro Lírio do Vale II –Manaus-AM Reunião: Quartas-feiras das 19h30 às 21h30, no salão da Igreja. Responsável: Marivan Guimarães Fone: (92) 3658-1536/9155-0379 GEV - SANTA MARGARIDA DE CORTONA Rua nº 01 Nº 773 - Bairro Alfredo Nascimento – Manaus-AM Reunião: Todas às terças-feiras, das 19h30 às

21h30, no salão da Igreja Responsável: Maria José Cordeiro Fone: (92) 9158-8119 GEV - ESPÍRITO SANTO - COROADO Rua Dom Bosco, 290 – CEP 69080-370 – Bairro Coroado II – Manaus-AM , na sede da Associação do Idoso –ASSIC. Reunião: Sextas-feiras, das 19h30 às 21h30 Responsável: Geraldo Brasilio Pereira Marinho Fone: (92) 9132-2747 GEV - SÃO JOSÉ OPERÁRIO Rua Visconde de Porto Alegre, s/n°- 69020-670 – Bairro Praça 14 de Janeiro – Manaus-AM, no Salão Paroquial de São José Reunião: Todas às terças-feiras, das 19h30 às 21h30, Operário. Responsável: Regina Araújo Fone: (92) 3237-1769 / 9419-9256 / 8427-0251


Informativo Arquidiocese em Notícias – 88