Issuu on Google+

09

MAR/ABR/MAI

2014

Entrevista Helton Defino

Mens Sana

O colecionador de personagens assustadores

Congresso

Regional MG anuncia novidades para o CBC 2015

SBC

Sociedade Brasileira de Coluna

Reinauguração da Sede

Mais espaço e conforto para atender aos sócios

E mais:

Concurso de Fotografia

A busca pelo bom senso na defesa profissional do cirurgião da coluna


XI SIMINCO – Simpósio Internacional de Cirurgia Minimamente Invasiva da Coluna do Hospital São José (Beneficência Portuguesa/SP) IX Jornada de Coluna do IOT HC FMUSP

Fotos de SP: Andre Stefano SPCVB

conto m des 13 o c s e çõ 0/ Inscri ir de 01/1 e t r on lin a p a ivres l s a 3 de tem /11/1 Envio artir de 01 ap

WTC Sã o Paulo

ini Marginal Pinheiros e Av. Berr

Avenida Paulista

www.cominco2014.com.br PROMOÇÃO

CO-PROMOÇÃO

APOIO

AGÊNCIA OFICIAL

ORGANIZAÇÃO

11 5561 4188 www.limatur.com

11 2639 1002 www.cseventos.net


editorial

informativo

Mudanças necessárias Carlos Henrique Ribeiro Presidente da Sociedade Brasileira de Coluna

Se em 2013 o ano foi marcado por mudanças que trouxeram o despertar de um novo ciclo em todas as áreas do conhecimento humano, também para o tratamento das doenças da coluna 2014 chegou com a tomada de uma consciência diferente, com uma visão compartilhada sobre o que precisamos e devemos mudar no setor Saúde. Hoje, somos cientistas e gestores econômicos para as reivindicações do nosso dia a dia. A SBC atua trabalhando com a integração de todos os associados e sociedades afins, com ações e com movimentos que buscam melhores condições de trabalho para os cirurgiões da coluna em todo o território nacional. Um bom exemplo é a nossa participação direta nas reuniões da ANS na defesa intransigente que cerca a conflitante relação entre médicos e os planos de saúde. A Sociedade também vem auxiliando os seus membros, por meio da sua assessoria jurídica, nas demandas em que é necessária uma ação mais contundente contra estas Operadoras. Ainda no campo governamental, no mês de abril a SBC, a SBN e a SBOT participaram de uma reunião no Ministério da Saúde para tratar da revisão da Tabela de Honorários Médicos do SUS. Entre os pontos positivos do encontro está a busca de resultados concretos para a pauta de reivindicações, entre as quais questões referentes às compatibilizações de códigos e materiais, procedimentos de alta complexidade para ortopedistas e neurocirurgiões com a reformulação da Portaria número 10, de 6 de janeiro de 2014, que inclui na Tabela de Procedimentos medicamentos, órteses, próteses e materiais especiais do SUS para procedimento Sequencial de Ortopedia como documento endossado por todos os presentes. Com a reformulação, os procedimentos de neurocirurgia e ortopedia relacionados à coluna serão hierarquizados. Portanto, uma notícia esperançosa. Além disso, um fato positivo do encontro foi o anúncio feito por consultores técnicos do MS sobre a abertura dos protocolos para procedimentos percutâneos, cifoplastia, laminoplastia, monitorização neurofisiológicos e procedimentos lombo pélvicos. Outra boa notícia é que a Revista Coluna/Columna ganhou tradução em Inglês, tornando-se leitura do Medline. Ainda sobre publicações, saliento que a SBC está nas redes sociais com uma fan page no Facebook, proporcionando mais um canal de acesso para associados e a sociedade. Para marcar o primeiro trimestre do ano corrente, destacaria ainda a reinauguração da nossa sede, que reuniu num encontro festivo, no dia 18/10/2013, a maioria dos ex-dirigentes da SBC e que deu início a novas e produtivas conquistas rumo ao Selo de Qualidade.

03

MAR/ABR/MAI 2014


diretoria SBC

Sociedade Brasileira de Coluna

ÓRGÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COLUNA

Expediente Conselho Diretor: Presidente: Dr. Carlos Henrique Ribeiro           Vice-Presidente: Dr. Mauro dos Santos Volpi 1º Secretário: Dr. Marcelo Wajchenberg 2º Secretário: Dr. Aluízio Augusto Arantes Júnior         1º Tesoureiro: Dr. Alexandre Fogaça Cristante    2º Tesoureiro: Dr. Cristiano Magalhães Menezes Jornalista Responsável: Gilmara Gil – MTBRS 5439 e-mail: gilmara.gil@terra.com.br Coordenador Editorial: Dr. Eduardo Gil França Gomes e-mail: egfg@uol.com.br Revisão: Ane Arduim anearduim@yahoo.com.br Editor: Dr. Sergio Zylbersztejn e-mail: sergiozyl@gmail.com Arte final e Editoração: Luciano Maciel

Em parceria com editora Artmed, a Sociedade Brasileira de Coluna lançou o livro “A Coluna Vertebral: Conceitos Básicos”, organizado pelos sócios Edson Pudles e Helton Defino. A obra foi distribuída para os candidatos à prova de ingresso de sócios da SBC e participantes do Curso Técnicas Modernas e Avanços em Cirurgia da Coluna (Ribeirão Preto), edição 2013. Para receber o livro gratuitamente, os sócios devem estar dia com as anuidades 2012-2013 porque a publicação teve o seu lançamento anterior à divulgação das anuidades 2014. No prefácio da obra, o presidente Carlos Henrique Ribeiro enfatiza que a cada ano a SBC materializa suas conquistas. “No momento, graças à dedicação dos doutores Edson Pudles e Helton Defino juntamente com a Comissão de Capacitação Profissional da SBC foram desenvolvidos temas importantes sobre cirurgia de coluna, dentre outros, que são abordados na preparação das provas de acesso a novos membros da Sociedade. Acreditamos que este trabalho é uma contribuição valiosa para a qualificação e atualização dos especialistas de coluna em nosso país. Cada passo da SBC é sempre pensado para atingirmos cada objetivo, e este é o caminho do Selo de Qualidade”.

Colaboram nesta edição: Edson Pudles, Felipe Luyten, Marcelo Mudo, Cristiano Menezes e Sergio Zylbersztejn Periodicidade: Trimestral Impressão: Gráfica Pallotti Os artigos são de inteira responsabilidade de seus autores. Endereço: Sociedade Brasileira de Coluna – SBC Alameda Lorena, 1304 - sala 1406 CEP: 01424-001 - São Paulo - SP Telefax: (11) 3088.6615 e-mail: coluna@coluna.com.br www.coluna.com.br Secretária: Ana Maria Cella

Fale com o Informativo SBC enviando sugestões de assuntos para a próxima edição: coluna@coluna.com.br

04


informativo

MAR/ABR/MAI 2014

Mens Sana Fantástico, assustador e macabro têm tudo a ver com o passatempo preferido de um jovem ortopedista de coluna.

/14

nesta e d i ç ã o Seu Olhar/10 Concurso de fotografia. A iniciativa tem por objetivo ilustrar o Calendário da SBC que será lançado em 2015.

Atuação Ex-presidentes prestigiaram evento de reinauguração da nossa sede.

05

Defesa Profissional/16

/20

O trabalho da Comissão de Defesa Profissional da SBC e os conflitos na relação ético-profissional.


fórum

agenda

i n t e r a t i v o

mai/14

Dorso Curvo

V Curso Interinstitucional de Cirurgia da Coluna Vertebral Data: 16 de maio Local: Centro de Convenções Rebouças Realização: IOT – HC – FMUSP, UNIFESP, Santa Casa de São Paulo Coordenação: Alexandre Fogaça Cristante, Marcelo Wajchenberg, Robert Neves Informações: (11) 3086 4106 (Cegom), (11) 98786 2913 ou pelo e-mail cegom.fo@uol.com.br

I Curso de Formação em Técnicas Minimamente Invasivas da Coluna Vertebral (Básico ao Avançado) Coordenação: Adriano Scaff Garcia, José Antônio Galvão, Piero Scarparo, Humberto Bortolo Neto Contato: (16) 3913.4433 ou coluna.adriano@gmail.com

Módulo Cervical e Torácico

Data: 24 de maio Local: Centro Especializado em Coluna e Dor (Ribeirão Preto/SP)

Módulo Lombar

Paciente: Feminino Idade: 66 anos Profissão: Religiosa Histórico: paciente relata queda há um ano, em Roma. Tratamento conservador com uso de colete.

Queixa: dor no dorso lombar e cervical sem déficit motor sensitivo para MMII. Questões: Proponha tratamento para o caso descrito.

Data: 21 de junho Local: Centro Especializado em Coluna e Dor (Ribeirão Preto/SP)

Módulo Cirúrgico

Data: 26 de julho Local: Centro Especializado em Coluna e Dor (Ribeirão Preto/SP) Informações: http://bit.ly/1mtdoGz

jul/14 Participe do fórum interativo. Veja mais imagens e envie sua resposta acessando www.coluna.com.br O caso clínico desta edição é uma colaboração do Dr. Cesar Dall Bello, do Grupo de Coluna Ortopédico do CHSCPA, Porto Alegre.

Congresso Brasileiro de Cirurgia e Técnicas Minimamente Invasivas da Coluna Vertebral Data: 31 de julho a 02 de agosto Local: WTC São Paulo Realização: ABCM Informações: www.cominco2014.com.br Inscrições: contato@cseventos.net

06


opinião

informativo

Os desafios do futuro

Sergio Zylbersztejn Editor

Não há livro tão ruim – disse o bacharel – que não tenha algo de bom

Miguel de Cervantes, autor de Dom Quixote de La Mancha (Parte 2, Capítulo 3)

Os leitores não são vistos de modo físico pelos editores. Porém, no caso do nosso Informativo, sentimos a presença de todos pelos comentários que ouvimos nos eventos da SBC. Trabalhamos com dedicação e prazer. Procuramos proporcionar a todos uma leitura aprazível, veiculando conteúdos que despertam o interesse da maioria dos associados. Hoje, a questão que se impõe não é somente o que seja padrão FIFA, que está na boca do povo devido à Copa do Mundo. Em minha opinião, torço para que o campeonato mundial de futebol seja um sucesso e que o Brasil, apesar de graves problemas políticos e sociais, possa ser visto no mundo todo com um local de futuro. Qual a relação da Copa em nosso país com a Medicina? Fazemos a Medicina quase sempre no local em que ocorreu a formação médica. No entanto, nos Estados Unidos, não é assim que acontece. Lá, o médico procura, em geral, verificar alguns itens que possam lhe proporcionar uma qualidade de vida e rendimentos adequados à sua formação. Li no medscape.com uma matéria sobre os melhores e os piores lugares para se exercer a Medicina na América do Norte. Você, leitor, chegou a pensar se a sua escolha pelo local em que esta trabalhando foi feita de maneira objetiva e producente? Vejamos quais são os itens que identificam os bons lugares para se trabalhar. • Ganho adequado no trabalho médico • Ótimo lugar para se criar filhos • Baixa taxa de crimes • Vários locais externos para prática de atividades físicas • Atrações culturais e museus • Bom ambiente familiar • Baixo custo de vida • Boa proteção contra o erro médico • Boa escola pública • Baixas taxas estaduais • Boas escolas médicas Quais são os piores lugares para se exercer a Medicina: • Problemas no trânsito dificultando a locomoção • Alto custo de vida • Planos de saúde dominam o cenário médico do local • Alta taxa de crimes • Cidades com administração falida • População sem cultura • Alta taxa de desemprego • Altas taxas de litígios médicos. O assunto pode se estender por mais fatores positivos ou negativos. Entretanto, o mais importante é você fazer uma análise se está no lugar certo, com proteção para a sua família, educação para os seus filhos e com condições de realizar a sua poupança pensando no futuro. Nesta edição, um dos destaques é o lançamento do Concurso de Fotografia Calendário SBC. Vamos mostrar de que modo o cirurgião de coluna vê a natureza. A ordem e ângulo aberto nas lentes. Boa leitura!

07

MAR/ABR/MAI 2014


evento O XV Congresso Brasileiro de Coluna acontecerá entre os dias 19 e 21 de abril de 2015, no Centro de Convenções EXPOMINAS, em Belo Horizonte (MG). O presidente do Congresso, o ortopedista de coluna Cristiano Menezes, informa que a data do evento foi cuidadosamente escolhida por se tratar de um feriado prolongado, 21 de abril. Será uma terça-feira, e a capital mineira estará mais tranquila, “Os participantes contarão com maior conforto em mobilidade urbana até a EXPOMINAS, local onde serão desenvolvidas as atividades científicas e sociais”, disse Menezes. Ele adianta que a programação está sendo organizada desde que Minas Gerais foi escolhida para sediar o mais importante encontro do calendário científico da SBC e da coluna no Brasil, no Costão do Santinho, em Florianópolis. Belo Horizonte é a terceira maior cidade brasileira e conta com uma população de 5.152.217 habitantes, conforme o Censo Estimativo de 2013 (IBGE), além do colar metropolitano. A capital possui uma ampla e nova rede hoteleira para atender às diferentes demandas em todas as categorias possíveis. Além disso, Belo Horizonte oferece muitos atrativos turísticos, que devem ser visitados pela sua importância histórica e cultural.

Programa científico vai surpreender o CBC 2105

08

Programa As atividades do programa terão início com os tradicionais pré-congressos da Scoliosis Research Society, AOSpine e CCMI, dia 18/04 (sábado). Cristiano Menezes explica que a comissão científica vem trabalhando para garantir um programa do mais alto nível, que contará com um formato moderno e adaptado aos diversos interesses dos ortopedistas e neurocirurgiões de coluna. O auditório principal sediará as conferências internacionais, com tempo destinado à discussão com a plateia. As sessões de temas livres, que pretendem alcançar o êxito obtido no último congresso, agora serão coincidentes com a sessão de debates, propiciando ainda mais discussões e intercâmbio de ideias. As mesas-redondas terão um formato mais interativo, com dois moderadores. Simpósios especiais inovadores ao final do dia, promovidos pelas sociedades internacionais parceiras do evento, permitirão uma imersão e atualização em temas específicos. Para o programa social, a Regional SBC


informativo

Minas Gerais criou uma comissão social que conta com a participação ativa de esposas de especialistas em coluna, com o objetivo de oferecer aos participantes uma amostra variada do que Belo Horizonte tem de melhor. “Música, moda, gastronomia, artesanato, história, museus, esportes radicais... um pouco de tudo em um evento único”, enfatiza Menezes. Os organizadores do CBC 2015 prometem que a programação social será intensa e diversificada, permitindo às acompanhantes atividades em tempo integral e que, além disso, os congressistas também se surpreenderão nos momentos de congraçamento que deverão permear as atividades científicas. Assim como os principais congressos internacionais da Coluna, o XV Congresso Brasileiro de Coluna será realizado em um moderno centro de convenções que atende não só às expectativas científicas, mas, também, à necessidade crescente de adequação (compliance) das principais empresas parceiras às recentes regras internacionais de patrocínio. O EXPOMINAS oferece infraestrutura moderna para a realização de um evento focado no interesse científico, com amplas e agradáveis instalações para abrigar a plateia, além de contar com um pavilhão à altura de uma feira de ponta. Segundo o presidente, restaurantes, cafés, lounges, cyber points, tudo será disponibilizado de forma a garantir segurança e conforto máximos aos participantes do evento. “Esperamos que os colegas de todas as regiões do país prestigiem de forma maciça mais uma edição do nosso Congresso”. No evento de lançamento da feira de exposição realizado em 19 de março, na Casa Minas Gerais, em São Paulo, os organizadores do CBC 2015 receberam representantes das principais empresas do setor interessadas em participar do Congresso. “O encontro foi um sucesso”, disse Cristiano Menezes.

MAR/ABR/MAI 2014

Conhecendo Belo Horizonte Capital dos bares: berço do conhecido festival Comida di Buteco. Seus atrativos vão além de um bom petisco, pois a cozinha regional e internacional está presente em restaurantes cujos chefes são estrelados. Centro Cultural Praça da Liberdade: o museu conta com uma concentração de diferentes acervos em uma região antes ocupada pelas Secretarias de Estado e pelo Palácio do Governo. Museu Inhotim: localizado no entorno de BH, ele é o maior museu de arte a céu aberto do mundo, situado em um complexo que reúne jardim botânico, obras de arte contemporâneas e alta gastronomia. Moda mineira: é outro ponto alto da cidade. Estilistas de renome abriram suas portas por aqui, impulsionando o turismo de compras. As acompanhantes dos congressistas terão a oportunidade de conhecer as mais diferentes grifes mineiras, numa verdadeira viagem às compras! Para os atletas e aventureiros: a natureza exuberante (com destaque para as trilhas) e a paisagem de montanha são um convite para a realização de esportes radicais ou tradicionais. Canyoning, rapel, tirolesa, cicloturismo, trekking e turismo ecocultural são algumas das opções disponíveis. Cidades históricas: o feriado da Inconfidência é celebrado em Minas Gerais com a transferência oficial da capital do estado para Ouro Preto, no dia 21 de abril, fazendo com que a cidade, que fica a 65 quilômetros de Belo Horizonte, conte com uma programação cultural especial nesse período. Tiradentes: a cidade reúne todos os elementos que representam Minas Gerais por meio da história, cultura, arte e culinária. A cidade possui um dos mais belos acervos barrocos do país e as lembranças da época da Inconfidência Mineira, riquezas que a tornaram Patrimônio Histórico Nacional. Visitas imperdíveis: Mariana, Congonhas, Diamantina e São João Del Rei.

09


concurso Roberto Santos

Calendário Sociedade Brasileira de Coluna Regulamento do Concurso Fotográfico Disposições gerais O Concurso de Fotografia SBC “Um Olhar sobre o Meio Ambiente”, promovido pela Sociedade Brasileira de Coluna, tem como objetivo incentivar a arte da fotografia oportunizando aos sócios a participação coletiva para a confecção do Calendário da SBC. O tema da primeira edição do Calendário SBC 2015 será o Meio Ambiente (paisagem, flora, fauna). A seleção das fotos levará em consideração critérios de beleza, originalidade e expressão. Cada sócio poderá participar com 02 (duas) fotografias. Serão aceitas apenas fotografias coloridas. Roberto Santos

10


informativo

Roberto Santos

Do material Os sócios deverão enviar as fotografias exclusivamente por e-mail no período de abril a outubro/2014. Endereço de e-mail para o envio das fotografias: coluna@coluna.com.br Poderão ser enviadas somente fotos digitais. a) Devem ser enviadas em anexo no formato JPG, no tamanho mínimo de 15X21, em 300 dpi de resolução. b) Cada arquivo deverá ser nomeado com a seguinte informação: nome do participante, local onde foi realizada a fotografia, título da foto, 01 JPEG. c) A técnica para criação das fotos é livre, podendo ser usados recursos complementares de lentes e filtros especiais, entre outros. Não serão aceitas fotografias que utilizarem recursos de software para melhorias e/ou alterações de imagens. d) Serão escolhidas 12 fotos para compor o Calendário SBC. e) As imagens selecionadas serão publicadas nas edições 2014 do Informativo SBC. A cada edição, serão divulgadas 04 imagens. f) As fotografias classificadas serão objeto de publicação nas edições 2014 do Informativo SBC, passando as mesmas à propriedade da SBC. g) A SBC reserva para si o direito incontestável de reproduzir as fotografias inscritas em seu material institucional, preservando os créditos do fotógrafo. A participação vale como autorização expressa dessas condições.

Do julgamento As fotos serão avaliadas por uma comissão julgadora: Conselho Editorial (Diretoria), editores do Informativo SBC e por um Consultor Técnico, fotógrafo profissional atuante no mercado indicado pela SBC. A escolha dos vencedores será realizada por votação pelos leitores do Informativo SBC por meio de enquete disponibilizada no site da SBC (www.coluna.com.br).

Da premiação As duas fotografias mais votadas entre as doze selecionadas serão ampliadas em papel (20X30) aos autores das obras favoritas.

Consultor Técnico: Roberto Santos É jornalista (repórter fotográfico). Iniciou a carreira em 1969. Foi repórter fotográfico da extinta revista O Cruzeiro. Durante 29 anos atuou no jornal Correio do Povo, de Porto Alegre. Também realizou trabalhos para a Agência de Notícias UPI. Atualmente, dedica-se a trabalhos freelancer e a atividades artísticas envolvendo fotografia. Entre os seus principais prêmios destacam-se: 1971 - Premiado no 5º Salão Brasileiro de Belas Artes da SBBA, Rio de Janeiro; 1991 - Prêmio concedido pelo IICA – Instituto Interamericano de Cooperación para la Agricultura, concedido por Deutsche Geselischaft für Technische Zusammenarbeit – GTZ; 1994 Prêmio Direitos Humanos, categoria Fotografia; 1994 - Prêmio ARI de Jornalismo, categoria Fotografia; 2000 - Prêmio ARI de Jornalismo, categoria Fotografia Exposição: SIOMA BREITMAN, edição 1997, Câmara Municipal de Porto Alegre SIOMA BREITMAN, edição 1998.

11

MAR/ABR/MAI 2014


entrevista

A busca para atingir a maioridade

A gestão 2003-2004 esteve sob a liderança do ortopedista de coluna Helton Luiz Aparecido Defino, de Ribeirão Preto, São Paulo, que atua como Professor Titular do Departamento de Biomecânica, Medicina e Reabilitação do Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP. À frente da Sociedade Brasileira de Coluna, Helton Defino dinamizou e impulsionou as atividades científicas em âmbito nacional e internacional difundindo a produção científica dos sócios em congressos, palestras e encontros importantes de discussão das patologias da coluna vertebral. Na sua administração foi realizada a primeira prova para ingresso na Sociedade, criação das Comissões e a fundação da revista Coluna/Columna, considerada uma das publicações científicas mais importantes da América Latina. Informativo – Qual a motivação que o senhor teve para ser presidente da Sociedade Brasileira de Coluna? Helton Luiz Aparecido Defino – Recebi o convite

12

para ser o vice-presidente durante a gestão do Dr. Roberto Sakamoto e, na continuidade dos trabalhos iniciados por aquela diretoria, cresceu a motivação para eu apresentar a minha candidatura à presidência da SBC. Informativo – Quais as realizações do seu mandato que ficaram marcadas na memória da nossa Sociedade? Helton – O início das atividades administrativas da atual sede da SBC, na cidade de São Paulo, e a realização da primeira reunião conjunta de trabalho. Outras ações importantes: realização da prova para ingresso junto à SBC, tendo como pré-requisitos a obrigatoriedade de estágio e a apresentação de trabalho científico; organização das Comissões da SBC com a participação de ortopedistas e neurocirurgiões; fundação da revista Coluna/Columna; internacionalização da SBC e aumento de suas relações científicas com outras sociedades estrangeiras. Destaco ainda a primeira participação da SBC no evento global Spineweek, que aconteceu em Portugal, na cidade de Porto, além de iniciar a criação das nossas Regionais.


informativo

Informativo – Como era a cirurgia da coluna naquela época e como a vê na atualidade? Helton – A cirurgia da coluna vertebral sofreu profundas modificações nessa última década. Essas modificações estão relacionadas com o desenvolvimento tecnológico, globalização do conhecimento e sistemas de gestão da saúde. Com relação ao desenvolvimento tecnológico, é inegável que ocorreu grande avanço dos métodos diagnósticos e terapêuticos que são utilizados no âmbito da coluna vertebral. Entretanto, a disponibilização desses métodos foi muito importante para o desenvolvimento da cirurgia da coluna vertebral em nosso meio. Num passado não muito distante, quando assistíamos a palestras de professores estrangeiros, eles apresentavam métodos que não estavam disponíveis e não poderiam ser realizados entre nós. Esse fato não ocorre nos dias atuais e os cirurgiões de coluna do Brasil dispõem de todos os recursos modernos para a prática da especialidade. A globalização do conhecimento e a facilidade para o deslocamento dentro e fora do país visando à educação continuada e aprendizado contribuiu de modo significativo para a capacitação dos profissionais que atuam na área, resultando em melhor atendimento dos pacientes e reconhecimento da SBC. A SBC tem exercido importante papel na formação dos profissionais e na sua educação continuada. O sistema de gestão da saúde tem influenciado as atividades da cirurgia da coluna vertebral e seus reflexos podem ser observados em todos os níveis de atuação. Esse é um tema atual que afeta a cirurgia da coluna vertebral não somente no Brasil. Informativo – Como o senhor avalia o momento atual da SBC? Helton – A SBC está num bom momento e colhendo os frutos do trabalho realizado. A SBC destaca-se das demais sociedades da América Latina pelo seu nível de organização e procura aprimorar o seu funcionamento seguindo os exemplos das sociedades de países com mais recursos e experiência. A SBC representa uma liderança dentre as demais sociedades, possui considerável número de associados, sede própria, revista, publicações regulares, congressos e cursos regulares, critérios bem definidos para ingresso e estabilidade financeira. Apesar do bom momento, temos observado o intenso trabalho das diretorias no sentido de melhorar e aprimorar a atuação da SBC para os desafios futuros. Informativo – Que mensagem seria importante para o jovem cirurgião de coluna que ingressa na SBC? Helton – A SBC somos todos nós envolvidos com a cirurgia da coluna. Apesar de não ser entidade oficialmente reconhecida junto aos órgãos federais e de certificação, ela é muito respeitada pela sua atuação, formação de recursos humanos e divulgação do conhecimento. O jovem deve trabalhar e participar ativamente junto à SBC para fortalecer a prática da cirurgia da coluna vertebral no Brasil. A união de forças e ideias visando à boa prática, à ética, à educação continuada e aos avanços científicos poderá beneficiar os profissionais que atuam na área e aos pacientes sob seus cuidados.

13

Perfil Time do coração: Botafogo F.C. – Ribeirão Preto Comida preferida: Culinária japonesa A maior virtude: Honestidade O pior defeito de alguém: Arrogância O que o emociona: A natureza Um hobby: Pescaria Um lugar para viajar: Praias brasileiras Música inesquecível: Travessia - Milton Nascimento Uma frase que marcou: “Devemos aprender durante toda a vida, sem imaginar que a sabedoria vem com a velhice.” (Platão) O que gostaria de ouvir de Deus quando chegar à porta do céu? “Entre!”

MAR/ABR/MAI 2014


mens sana

Muita curtição entre gritos e calafrios

14

Instigar o medo que existe em cada um de nós, manter o suspense, a desconexão com as leis naturais. Expor sangue, pedaços e órgãos humanos. Desconectar a realidade. Eis alguns elementos que traçam o narrativa dos filmes de terror, subgênero do cinema fantástico. E os bonecos de alguns dos principais protagonistas ou mesmo antagonistas fazem a alegria dos admiradores desse tipo de filme, que a cada dia conquista mais espectadores. Para os colecionadores, cada boneco, em suas diferentes versões, tem especial interesse. Entre os colecionadores, encontramos o ortopedista de coluna Felipe Luyten, de Tatuapé (SP). O seu acervo é mantido com muito zelo no hobby que divide com a esposa, o que lhe permite incrementar as aquisições e espalhar pela casa as representações de sua preferência cinematográfica. Para Luyten, graduado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, este mundo paralelo de um cotidiano tão embasado na realidade teve início em 1994, ao comprar o boneco Pinhead. Antagonista na série de filmes Hellraiser,


Pinhead é o líder de um grupo de antigos seres humanos que viajou para o planeta Terra com o objetivo de capturar almas humanas. Esse foi o começo de sua vida de colecionador de bonecos de filmes de terror. A paixão por filmes do gênero fantástico, no entanto, é um pouco mais antiga, quando aos seis anos de idade o caçula da família acompanhava os irmãos para assistir aos aterrorizantes O Exorcista, A Profecia, Sextafeira 13 e A Hora do Pesadelo. Atualmente, os filmes de terror fazem parte de sua nova família e a coleção foi crescendo. Com entusiasmo, o cirurgião mostra o seu acervo, composto por mais de 50 bonecos tipo action figure relacionados aos filmes de terror antigos e até alguns mais recentes. A visita segue por uma extensa videoteca, formada por mais de 130 filmes do mais diferentes produtores, diretores, atores e estúdios somente de filmes de terror. “Tenho ainda uma coleção de livros de terror do autor Stephen King, um dos melhores escritores do gênero terror/fantasia”, enfatiza Felipe. Para quem não lê ou assiste filmes de terror, o ortopedista esclarece que Stephen King (57 anos), é um autor estadunidense, considerado um dos mais notáveis escritores de contos de horror fantástico de sua geração, como O Iluminado. Seus livros venderam mais 350 milhões de cópias, publicadas em mais de 40 países. A maior parte das suas obras foi adaptada para o cinema.

Bonecos preferidos Entre as diversas peças cuidadosamente expostas, Luyten mostra as réplicas da máscara de Jason (Sexta-feira 13) e da luva de Freddy Krueger (A Hora do Pesadelo), pelas quais tem apreço especial. “Ainda que minha esposa também seja colecionadora, não é possível expor todos de quem gosto e entre eles cito também: Michael Myers (Halloween), Damian (A Profecia), Leatherface (Massacre da Serra Elétrica), Jigsaw (Jogos Mortais) e Chucky (O Brinquedo Assassino). O ortopedista comenta, ainda, os dois principais eventos que reúnem fãs no Brasil e nos Estados Unidos. Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, destaca-se o FANTASPOA, um festival de filmes, na sua maioria independentes, relacionados ao tema terror/fantasia. Em San Diego, na Califórnia, acontece o Comic Con, maior evento para encontro de fãs de quadrinhos, filmes, séries e games também relacionados ao assunto. Tem a participação de atores, diretores e outras pessoas vinculadas a estes temas. Luyten encerra a entrevista com um depoimento revelador: “A minha paixão, além da minha esposa e filha, ainda é a Medicina, mas com certeza tenho um carinho especial pelos calafrios de um bom filme de terror”.

Assustadores e macabros O Exorcista (The Exorcist, 1973), realizado por William Friedkin e com roteiro de William Peter Blatty, foi o primeiro filme de terror indicado ao Oscar de melhor filme. O prêmio para um filme do gênero só veio em 1991, em O Silêncio dos Inocentes, com Jodie Foster e Anthony Hopkins. Hellraiser – Renascido do Inferno (Hellraiser, 1987) é uma produção da Grã-Bretanha que explora os temas sadomasoquismo, dor como fonte de prazer, moralidade sob estresse e o medo. Foram produzidas sete sequências e o remake anunciado em 2007. Halloween – A Noite do Terror (Halloween, 1978) é um suspense produzido nos Estados Unidos, escrito e dirigido por John Carpenter. O filme apresenta Michael Myers, um serial killer que foge de um hospital psiquiátrico no dia das bruxas. Deu origem a uma série e foi refilmado em 2007, com o título de Halloween – O início. A Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street, 1984), dirigido e escrito por Wes Craven, foi o primeiro filme da franquia A Hora do Pesadelo. Brinquedo Assassino (Child’s Play, 1988), comédia de terror dirigida por Tom Holland, transformou-se em clássico cult entre os fãs de filme de terror. O filme trata da história de um boneco que ganha vida e se torna assassino após um ritual vodu feito por um serial killer procurado pela polícia. O serial Charles Lee Ray, ou simplesmente Chucky, deriva dos nomes dos notórios assassinos Charles Manson, Lee Harvey Oswald e James Earl Ray. O filme possui um final alternativo exibido somente para a TV americana onde é mostrado que pouco depois que a cabeça de Chucky explode: um pedaço dela cai dentro do tonel de plástico derretido, formando uma nova cabeça de boneco, que termina sorrindo para as câmeras.

15


comissão

Comissão de Defesa Profissional atua nos conflitos ético-profissionais O neurocirurgião de coluna Marcelo Luis Mudo é o coordenador da CDP/SBC. Nesta entrevista ao Informativo, ele fala sobre o trabalho e o posicionamento da comissão no contexto das questões que envolvem o exercício profissional do cirurgião de coluna. A propósito, comentou: “Em minha  opinião,  a dificuldade de exercer a profissão de maneira digna e independente é a mais premente. Convivemos com as mais variadas queixas de  profissionais  que  não  conseguem exercer sua  profissão”. Confira a seguir os esclarecimentos e a visão do grupo formado por nove membros, que integram, ao lado de Marcelo, há oito anos, a Comissão de Defesa Profissional da Sociedade Brasileira de Coluna.

16


informativo

Informativo – Como atua a Comissão de Defesa Profissional da SBC? Marcelo Luis Mudo – A Comissão de Defesa Profissional é uma das  comissões  permanentes da Sociedade. Ela é composta por nove membros voluntários que trabalham juntos há oito anos, sendo responsável pela formulação de pareceres à diretoria a respeito dos mais variados assuntos que dizem respeito ao exercício da profissão do cirurgião de coluna. Também tem a tarefa de auxiliar os sócios em diversas situações de conflito ou dificuldade do exercício digno da especialidade. A comissão exerce um papel importante na elaboração de pereceres sobre questões ético-profissionais envolvendo os sócios da Sociedade. Hoje, a CDP analisa as principais questões que afligem nossos sócios. Posso dizer que a CDP proporciona uma visão muito real do backstage da cirurgia da coluna no Brasil, porque estudamos a fundo os problemas cotidianos de nossos cirurgiões. Temos uma visão literalmente nacional com suas nuances regionais do Amazonas ao Rio Grande do Sul e o interessante é que uma solução paulista muitas vezes não resolve uma demanda pernambucana, por exemplo. De uma maneira simplificada, a CDP é alimentada por demandas originadas por profissionais, que são encaminhadas à secretaria da SBC ou à SBOT e SBN. Essas demandas são analisadas pela secretaria e, quando a mesma julga necessário a opinião dos membros da comissão, elas são encaminhadas e distribuídas entre os seus membros que têm um tempo determinado para análise do material e posterior resposta ao coordenador. De posse das opiniões do grupo, eu faço uma resenha do assunto e redistribuo aos membros para apreciação, aprovação ou críticas. Muitas questões são conflitantes e as opiniões divergentes. Democraticamente, formulamos um parecer em que a maioria dos membros concorde (por isso, o número elevado de participantes da Comissão). Este parecer é então enviado à diretoria que referenda ou modifica nosso parecer e encaminha ao solicitante de maneira oficial. Cabe ressaltar que desde a sua criação a CDP vem recebendo um apoio muito grande por parte de todas as diretorias da SBC, mas as últimas gestões têm sido bastante sensíveis aos reais problemas que afligem o cirurgião de coluna: remuneração, conflitos com fontes pagadoras e exercício digno da profissão. Informativo – Quais os pontos de maior conflito

17

MAR/ABR/MAI 2014

(planos de saúde, SUS, erro médico e outros)?  Marcelo – Os conflitos são inúmeros. Em minha opinião,  a dificuldade de exercer a profissão de maneira digna e independente é a mais premente. Convivemos com as mais variadas queixas de profissionais que não conseguem exercer sua  profissão. Exemplos práticos, talvez, sejam mais elucidativos. Acredito que muitos leitores se “vejam” em uma ou mais  situações  descritas a seguir. Usarei casos concretos que nos deparamos  inúmeras  vezes durante o ano na coordenação da  CDP: Exemplo 1: – Colega que trabalha pelo SUS, mas não dispõe de cadastramento em alta complexidade (quer seja ortopedista ou neurocirurgião) e recebe uma quantia muito inferior por isso. 2: – Colega que trabalha no SUS  e o  município  não  tem sistema de  gestão  plena, sendo os honorários  rateados pela Secretaria Municipal de Saúde. 3: – Colega que deseja realizar um procedimento pelo SUS e este só está cadastrado para neurocirurgião ou ortopedista e, obviamente, ele é da outra especialidade. Exemplo 4: – Cirurgião  que solicita um determinado implante e a fonte pagadora libera outra marca ou empresa, e muitas vezes o implante é completamente incompatível com a cirurgia proposta. 5: – Especialista solicita cirurgia e o procedimento ou é simplesmente negado ou modificado em seus códigos e tipo e/ou quantidade de implantes necessários por outro  profissional,  que se intitula auditor, sem nenhuma identificação  ou explicação plausível para a mudança. 6: – Pacientes que são compulsoriamente encaminhados a uma “segunda  opinião” pela fonte pagadora a profissionais ou instituições escolhidos à revelia do médico e muitas vezes do próprio paciente e que não retornam para seus médicos de origem. 7: – Colegas que na função de auditor ou elementos técnicos de fontes pagadoras convencem os pacientes a ser operados por eles e não por seu médico original. Em relação a erro médico, eventualmente é solicitado a  emitir  parecer a respeito de condutas ou relações  interpessoais, mas como a estrutura  administrativa  da  SBC não  prevê  Comissão de Ética, a CDP apenas analisa os fatos e a diretoria é quem assume a prerrogativa do parecer. Informativo – Quais foram as principais conquistas para a cirurgia da coluna? Marcelo – Eu estou à frente da  Comissão, mas participo ativamente por 12-13 anos. Vejo que a cirurgia de coluna vem evoluindo de maneira muito importante no cenário médico nacional. Apesar de ainda


comissão não termos representatividade como real especialidade na  AMB, diversas entidades  governamentais  ou não solicitam nossos  préstimos  seja para emitirmos pareceres, seja como avaliadores nas tomadas de  decisão  que envolvem a cirurgia da coluna e as especialidades mãe  (SBOT  e  SBN) têm realizado uma série de movimentos conjuntos no intuito de promover melhorais para o exercício ético-profissional da cirurgia da coluna.   Informativo – A Comissão trabalha em conjunto com  CFM e SBOT? Marcelo – A comissão trabalha em conjunto com a diretoria da SBC e as outras  comissões.  O  CFM é o  órgão  legislador de nossa  profissão  e coordena o trabalho dos  CRMs  pelo país. Sempre que a  comissão  recebe uma demanda que necessite de embasamento jurídico, recorremos aos advogados da  SBC  (que são de grande valia). Porém, quando há  necessidade  de um embasamento ético ou legal na esfera médica, sugerimos à diretoria encaminhar a demanda como um todo, ou formulamos um documento que poderá ser encaminhado inicialmente ao  CRM  do estado onde ocorreu o fato para a emissão de parecer a respeito do caso em especial ou de uma resolução que normatize  genericamente  casos semelhantes, inicialmente  no estado da  ocorrência  e,  eventualmente,  em todo território nacional. A SBOT se vale da SBC como real capítulo de coluna daquela sociedade mãe, enviandolhe  praticamente  todas as questões de coluna que nos são encaminhadas quase que invariavelmente para  parecer  inicial para análise da  DCP. O departamento de coluna da  SBN, do qual sou secretário nesta gestão, também tem uma interface muito aberta com a  SBC  e a  CDP. Em particular, emitindo muitas vezes pareceres conjuntos. A comissão de exercício profissional da SBN (da qual também faço parte) tem uma estrutura de trabalho diferente da CDP, mas frequentemente tem suas condutas e pareceres alinhados entre si. Informativo – Qual é a pauta atual (reivindicações mais importantes que estão na pauta da cirurgia coluna)? Marcelo – Eu vejo a  CDP  como uma das molas da  SBC. É por meio dela que conhecemos nossos associados e podemos planejar estratégias de melhoria em um sem número de situações. Vejo também como aríete impactando tentativas de

mudanças neste cenário tão desfavorável ao médico que vivenciamos em quase todos os sentidos. Por isso, a  CDP  se esmera em ser ágil, democrática e corporativista em seus  pareceres, porém sem nunca fugir à verdade. Corporativismo não significa acobertar erros e falhas dos nossos pares e, sim, defender quem necessita ser defendido, não fornecer insumos para não associados e concentrar esforços para que nós, como um todo, tenhamos melhores condições de trabalho e remuneração, e não apenas para um grupo com esse ou aquele pedigree. Nesse intuito, observo como bandeira principal da CDP o real reconhecimento de nossa especialidade, para que possamos ter assento na  AMB  e outras entidades. A integração do Departamento de Coluna da SBN e o Capítulo de coluna da SBOT é um grande passo para isso. Temos conseguido alinhar representantes em diversas reuniões que dizem respeito diretamente à melhoria das condições de trabalho e remuneração do cirurgião de coluna. A meu ver, esse é o principal papel da DCP. Associadamente, para  agilizar  nosso contato, estamos sugerindo o desenvolvimento de uma área específica no portal da SBC para a  DCP, com um mural, chat e uma seção de Facs, pois o número de questionamento é muito semelhante e muito grande. Com essa ferramenta, ganharíamos tempo nas respostas aos associados. Informativo – Quais são outras questões que considera importante e de interesse para o sócio?   Marcelo – Uma coisa que sempre falo nas assembleias e aqui não poderia ser diferente: a CDP vive de reclamações e dúvidas dos associados. POR FAVOR, ESCREVAM PARA NÓS. Muitas vezes não podemos fazer nada, mas somente poderemos saber se podemos fazer algo se a pergunta, ou mesmo a dúvida e reclamação, chegar ao nosso e-mail. Quero  aqui agradecer pessoalmente aos componentes da comissão que muito têm contribuído para o sucesso de nossa empreitada: Aluízio Augusto Arantes Júnior, Marcelo Wajchenberg, Djalma Pereira Mota, Edson Pudles, José Luiz Romeo Boullosa, Luciano de Almeida Ferrer, Fernando Antônio Mendes Façanha Filho, Mário Rubem R. Pena Dias, colegas de valor, conhecimento e ponderação, que têm mantido o elevado nível de discussão entre nós, membros da CDP/SBC.  

018 18


capacitação

informativo

p r o f i s s i o n a l

Aprovados

Novos sócios ingressam na Sociedade A prova de ingresso à Sociedade Brasileira de Coluna, realizada em 22 de novembro de 2013, em Ribeirão Preto aprovou 50 candidatos dos 57 inscritos, sendo que três não compareceram ao exame. Segundo a avalição da Comissão de Capacitação Profissional (CCP/SBC), o resultado foi excelente. Para 2014, conforme Edital, a prova para novos sócios (ortopedistas e neurocirurgiões) será aplicada no dia 27 de novembro, durante o Curso Técnicas Modernas e Avanços em Cirurgia Plástica, em Ribeirão Preto.

Comissão de Capacitação Profissional (CCP/SBC) Presidente: Edson Pudles Membros: Alberto Ofenhejm Gotfryd, André Fernandes Andújar, Gustavo Carriço de Oliveira, João Luiz Pinheiro Franco, Luis Eduardo Munhoz da Rocha, Luiz Otávio Sampaio Penteado, Marcelo Ítalo Risso Neto, Marcos Antônio Tebet e Pablo Mariotti Werlang.

019 19

Agildo Médici Bastos Albert Basílio Medeiros Alessandro Gonzalez Torelli Alessandro Marcondes Leite Alfredo Weltson Allan Hiroshi de Araújo Ono Álynson Larocca Kulcheski Anderson Ballestero Fukoshima André Frazão Rosa André Moreira Castilho Augusto Alves Badotti Bernardo José Moreira Chaves Carlos Alberto A. de Assunção Filho Christiano Cruz de A. Lima Cleciton Braga Tavares Daniel José Mazzo B. de Castro Daniel Labres da Silva Castro David Marcelo Duarte Delson Valdemir Pessin Diogo Guilherme de V. Gonçalves Eduardo Ayres Loschi Fabiano Stumpf Lutz Francisco Felipe de Carvalho Junior Gabriel Gomes Freitas de Castro Glauco Landim Batista Sampaio Guilherme Finardi Godoy Gustavo Eduardo Vieira Martins Igor Marcelo Souto Maior Araujo Ivan Márcio Guedes F. de Lima José Alexandre Lopes da S. Alvarenga José Osni Bruggemann Neto Luiz Müller Ávila Madson Lobato Drummond Filho Marcelo Botelho Soares de Brito Mauro Augusto Lima dos Passos Michel Kanas Paulo Alvim Borges Paulo Daniel Sousa Santa Cruz Paulo Roberto Appolonio Pedro Araujo Petersen Rafael Oda Rafael Parizzi Veloso Rafael Tormin Ortiz Rian Souza Vieira Rodrigo Soni Marim Romero Pinto de Oliveira Bilhar Thiago da Cunha Casas Thiago Mattar Tiago Kfuri Maciel Willian Kenny Hendges

MAR/ABR/MAI 2014


atuação

Reinauguração da sede da Sociedade A data para a solenidade de reinauguração da sede não poderia ter sido mais bem escolhida pela Diretoria: 18 de outubro (2013), Dia do Médico. Com a presença da maioria de ex-presidentes, coordenadores das Comissões e convidados, a entrega da conclusão das reformas na área física da Sociedade foi marcada pela emoção do reencontro das principais lideranças que fazem parte da trajetória de sucesso da entidade. O primeiro secretário, Marcelo Wajchenberg, responsável pelo acompanhamento das obras iniciadas no mês de fevereiro, na gestão do Dr. Luís Eduardo

Munhoz da Rocha, destacou as principais melhorias: modernização do sistema de ar condicionado e iluminação, distribuição de dois conjuntos mobiliários que possibilitou a ampliação da sala de reuniões, além de oferecer um espaço mais adequado e moderno para a secretaria. Um dos pontos altos do evento foi a inauguração pelo presidente Carlos Henrique Ribeiro de um mural em homenagem aos ex-presidentes e suas diretorias. “A sede da SBC está mais ágil e confortável para receber reuniões, nossos associados e visitantes”, concluiu Wajchenberg.

20


painel

informativo

MAR/ABR/MAI 2014

Ensino A Comissão de Capacitação Profissional (CCP/SBC) divulgou os Serviços com vagas para estágio em R5 destinadas à cirurgia da coluna para o ano de 2014. Hospital Universitário Evangélico de Curitiba, Hospital Infantil Pequeno Príncipe e Hospital São Vicente de Curitiba (Curitiba/PR) Dr. Edson Pudles – epudles@gmail.com Áreas de atividade: Degenerativa, Deformidade, Trauma, Tempo oferecido: 180 dias DOT - Faculdade de Ciências Médicas UNICAMP – Hospital das Clínicas, Hospital Abreu Sodré – AACD (São Paulo/SP) Dr. Elcio Landim – elciolandim@uol.com.br Áreas de atividade: Degenerativa, Deformidade Tempo oferecido: 30 dias Grupo da Coluna Vertebral – HC – Hospital do Trabalhador – UFPR (Curitiba/PR) Dr. Xavier Soler I Graells – xaviersoler@uol.com.br Áreas de atividade: Degenerativa, Trauma Tempo oferecido: 30-90-180 dias Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás – Hospital das Clínicas (Goiânia/GO) Dr. Sérgio Daher – sergiodaher@crer.org.br Áreas de atividade: Degenerativa, Deformidade Tempo oferecido: 30 e 90 dias Serviço de Coluna Vertebral do Departamento de Ortopedia e Traumatologia do Vitória Apart Hospital (Vitória/ES) Dr. Jose Alexandre Cunha Baptista – vitoriacoluna@terra.com.br Áreas de atividade: Degenerativa, Deformidade, Trauma, MMII, Tumor Tempo oferecido: 180 dias Serviço de Cirurgia de Coluna da Santa Casa de Misericórdia da Bahia e Hospitais Santa Izabel e Geral do Estado da Bahia (Salvador/BA) Dr. Maurício Santos Gusmão - msgusmao@oi.com.br Áreas de atividade: Trauma Tempo oferecido: 30 e 90 dias Serviço de Patologia da Coluna Vertebral dos Hospitais Dr. Carmino Caricchio (São Paulo/SP) Dr. René Kusabara – renekusabara@terra.com.br Áreas de atividade: Degenerativa Tempo oferecido: 30 dias Grupo de Coluna do Hospital Getúlio Vargas (Recife/PE) Dr. Tulio Rangel – rangelcoluna@bol.com.br Áreas de atividade: Degenerativa, Deformidade, Trauma, MMII Tempo oferecido: 30 e 90 dias

21

Homenagem O ortopedista da coluna Paulo Brum recebeu uma homenagem concedida pela Câmara Municipal de Petrópolis por relevantes serviços prestados à comunidade petropolitana ao longo da sua atuação profissional. A solenidade de entrega da honraria aconteceu no dia 29 de janeiro de 2014, na Câmara Municipal de Petrópolis, Rio de Janeiro. Paulo Brum é graduado pela Faculdade de Medicina de Petrópolis – FASE, em 1976. Completou a residência médica no Serviço de Ortopedia e Traumatologias Professor Donato D’Angelo, do Hospital Santa Teresa de Petrópolis.

Portal SBC A sua opinião é muito importante para nós. Participe ativamente do processo de atualização do Portal da Coluna, endereço eletrônico da SBC na rede web. O coordenador do projeto de atualização, Alberto Gotfryd, informa que é fácil colaborar para promover melhorias na interatividade do site. “Elaboramos um questionário de satisfação para facilitar as sugestões dos sócios. É só clicar no link e responder”. Anote: https://pt.suveymonkey.com/S/CWS3DV3


resenha Stress no trabalho é culpado por um aumento da depressão Investigadores da Universidade do Instituto de Michigan para Pesquisa Social, em Ann Arbor, realizaram uma pesquisa que constatou que os trabalhadores com alto índice de “condições de trabalho negativas” também tiveram o nível mais elevado para os sintomas depressivos. Em trabalhadores com o total de pontuação mais alta, as condições de trabalho negativas representaram cerca de um terço do desvio padrão dos sintomas depressivos, uma “diferença substancial”, de acordo com pesquisadores. Estas descobertas identificaram com qualidade científica que o emprego é uma importante fonte de divergência em saúde mental quando na meiaidade, segundo a coordenadora do estudo, Sarah A. Burgard, PhD. A pesquisa publicada no Journal of Occupational and Environmental Medicine identificou que os anteriores estudos longitudinais das condições de trabalho negativas usavam um único indicador de exposição, tais como a tensão no trabalho em relação à depressão. Porém, apesar de os estudos serem com grandes populações, não conseguiram capturar toda a gama de condições dos indivíduos com experiência negativa no trabalho. Nesse estudo em particular, em 1889, os pesquisadores analisaram a relação entre um grande número de condições e sintomas depressivos de trabalho com base em quatro momentos de coleta de dados durante um período de 15 anos em trabalhadores norte-americanos com 25 anos de idade ou mais. Os trabalhadores foram questionados sobre todas as condições de trabalho, incluindo a satisfação no trabalho, equilíbrio no trabalho, vida, demandas conflitantes, e se sentiam apreciados pela sua atividade.

Os investigadores criaram uma “nova” graduação para resumir as condições de trabalho negativas que englobavam todas as medidas de condição de trabalho disponíveis e examinaram a ligação entre esta pontuação e sintomas depressivos. Os autores relataram que a estratégia de medição conseguiu capturar uma ampla gama de experiências que os trabalhadores enfrentam no trabalho, apesar de não exigir o mesmo conjunto de itens a serem desdobrados em cada um dos momentos da pesquisa. Segundo o estudo, os trabalhadores com maiores pontuações totais nas condições negativas de trabalho também tiveram os maiores escores para sintomas depressivos tendo por base a escala de depressão do Center of Epidemiological Studies – Depression (CES-D). Para os trabalhadores com maiores escores totais nas condições de trabalho negativas, o estudo apontou que, desse total, cerca de um terço do desvio padrão representou sintomas depressivos, “uma diferença substancial”, segundo os autores. Nestes resultados, os pesquisadores observaram e ressaltaram a importância do “papel de bons empregos em aumentar a produtividade do trabalhador e reduzir os custos da depressão para os trabalhadores, suas famílias e os sistemas de saúde”. Nota do resenhista: a depressão é uma doença frequente nos pacientes com dor na coluna vertebral. O trabalho abordou o assunto de uma maneira científica. Condições de trabalho negativas, incluindo a baixa satisfação, o descontrole na atividade laboral e a falta de valorização por parte dos empregadores, são responsáveis por ​​ um aumento da depressão em adultos de meia idade.

Fonte: Caroline Cassels - Journal of Occupational and Environmental Medicine (11/09/2013). Resenhista: Dr. Sérgio Zylbersztejn - Editor Informativo SBC

22


TRANSFORME SEU OLHAR EM INSPIRAÇÃO PARA NOVAS EXPERIÊNCIAS

ENVIE SUA FOTO E FAÇA PARTE DO CALENDÁRIO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COLUNA. Veja como é fácil participar: sócios devem enviar suas fotos sobre o tema Meio Ambiente (Natureza), conforme o regulamento do Concurso de Fotografia Calendário SBC. A Comissão Julgadora escolherá doze fotografias em 2014. Nas edições do Informativo, serão publicadas quatro imagens selecionadas. As fotos vencedoras ilustrarão a primeira edição do Calendário SBC 2015.


REVISTA COLUNA /COLUMNA

Surpreenda-se com a qualidade da produção científica brasileira na área da coluna vertebral.

Publicação científica da Sociedade Brasileira de Coluna • Artigos originais Versão online • Indexada nas bases Lilacs e Scopus/Elsevier Distribuição gratuita para sócios com anuidade em dia Editor: Dr. Helton Defino • Editor Executivo: Dr. Sérgio Daher

Assinatura para não sócios:

R$ 80,00 SBC

Sociedade Brasileira de Coluna


Informativo SBC - Edição 09_2014