Page 1

Mapa da Indústria Naval 2013

Módulo Simples 10,0 cm x 5,0 cm

Módulo Triplo Horizontal 30,8cm x 5,0 cm

Módulo Triplo Vertical 10,0cm x 15,8 cm

Módulo Especial 2 15,0 cm x 5,0 cm

Módulo Duplo Vertical 10,0cm x 10,4 cm

Suriname Guiana

Boa Vista

Números do Brasil

Branco

Ilha de Marajó

Rio Maguari

Movimentação portuária

onas

Santarém

Amazonas

INACE, Fortaleza, Ceará

ESTALEIRO ATLÂNTICO SUL, Ipojuca, PE

ESTALEIRO PROMAR, Suape, PE

RIO PARAGUAÇU, S. R. do Paraguaçu, BA

STX OSV NITERÓI, Niterói, RJ

Processamento de aço: 6 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 120 mil m²; área coberta: 6 mil m²; dique seco: 120 m de comprimento x 35 m de largura; catenária para fabricação e lançamento de balsas: 120 m de comprimento x 30 m de largura; 2 galpões para fabricação e pré-montagem: 5.703 m²; almoxarifado de campo: 3.860 m²; almoxarifado coberto: 936 m²; almoxarifado avançado e ferramentaria: 120 m²; oficina mecânica: 270 m² Obras em construção: balsas, lanchas, ferry boats, empurradores e catamarãs.

Processamento de aço: 15 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 180 mil m²; área coberta: 11 mil m²; plataforma elevatória de embarcações: 80m de comprimento, 15,5 m de largura, capacidade para embarcações de até 4 mil t de peso, interligada por um ship-carrier sobre trilhos a um grande pátio de transferência, comunicando-se por trilhos com todos os berços de construção e reparos; amplas oficinas e galpões localizados nas áreas cobertas. Obras em construção: lanchas de patrulha para a Marinha do Brasil e lanchas de passeio.

Processamento de aço: 160 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 780 mil m²; área coberta: 110 mil m²; dique seco: comprimento de 400 m, boca de 73 m e pontal de 12 m, servido por dois guindastes de 50 ton, dois de 15 ton e um golias de 1 mil ton; cais: 700 m de cais de acabamento, servido por dois guindastes de 35 ton, e 350 m de cais para construção e reparo de unidades offshore; transportadores horizontais de blocos: dois de 300 ton. Obras em construção: 10 Suezmax, 5 Aframax, casco da semisubmersível P-55, 4 Suezmax DP e 3 Aframax DP.

Processamento de aço: 20 mil ton/ano Facilidades industriais: área total do terreno: 800 mil m² sendo 250 mil m² área industrial; área coberta: 100 mil m²; linha de edificação: 300 m de comprimento com pórticos até 150 ton; cais de acabamento com 600 m de comprimento; sistema de lançamento através de load out com dique flutuante 150m x 40m. Obras em construção: navios gaseiros e barcos de apoio offshore.

Processamento de aço: 120 mil ton/ano Facilidades Industriais: área total: 1 milhão de m² sendo 750 mil m² área Industrial e 250 mil m² área verde (preservação ambiental da mata ciliar); área coberta: 90 mil m²; área de estocagem: 120 mil m². cais de acabamento: 750 m (calado de 12 m); vias internas, estacionamento e circulação: 120 mil m². dique seco: 360 x 130 x 12 m, com duas portas batel; pórticos: 2 x 850 ton de capacidade; diversos guindastes portuários de capacidade; variável (75 a 150 ton) Obras em construção: módulos e plataformas

Processamento de aço: 6,5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 65 mil m²; carreira: capacidade de carga até 3 mil ton, para embarcações com até 100 m de comprimento; cais de acabamento: 300 m de comprimento; guindastes instalados na carreira ao longo do cais, com capacidade até 250 ton; oficinas de montagem providas de facilidades e equipamentos de carga; dique flutuante para embarcações de até 110 m de comprimento, 18 m de boca e deslocamento de 3.500 ton Obras em construção: barcos de apoio offshore (AHTS, PSV, OSCV, pipelaying).

ALIANÇA, Niterói, RJ

NAVEGAÇÃO SÃO MIGUEL, São Gonçalo, RJ

Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 61 mil m²; área coberta: 11 mil m²; carreira: para 10 mil TPB; guindastes: 60 t; cais: dois, com 100 m cada um. Obras em construção: barcos de apoio offshore.

Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 21.000 m²; área coberta: 2.630 m²; oficina para construção de blocos: 2.085 m²; àrea de pré-edificação: 2.470 m²; pontes rolantes: 3 de 5 ton; 2 de 10 ton e 1 de 40 ton; pórticos: 2 (1 com 50 ton e 1 com 75 ton); dique seco 1: 96 m de comprimento, 22 m de largura, 7 m de profundidade e 4,70 de calado; dique seco 2: 110 m de comprimento, 26 m de largura, 8 m de profundidade e 5 m de calado Obras em construção: PSVs, ORSVs, navios bunker e rebocadores

Ta pa jós

Pecém

Fortaleza

Inace

Maranhão

Teresina

Ceará

aia

Paraíba São

Tocantins

Fonte: Antaq, 2011

Fran

cisc

o

Sergipe Bahia

Feira de Santana

co

Camaçari

ancis

co ancis

Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 78 mil m²; áreas cobertas não industriais: 900 m²; áreas cobertas industriais: 7.386 m²; carreira: 75 m de comprimento por 16 m de largura, com capacidade para embarcações de até 1.800 ton de peso leve. Obras em construção: ferry boats e barcos de passeio.

São Fr Para ná

ê

Lagoa Parda

Belo Horizonte

Espírito Santo

Estaleiro Rio Tietê

Ponta Ubú

Campos

Rio de Janeiro Cabiúnas

Volta Redonda

Paulínia Barueri

Guarulhos

São Paulo Santos

Paraná

Regência

Vitória

Ribeirão Preto

São Paulo

Re Ita pres ipu a de

Ligue: 021 3221-7500 ou envie e-mail para tnpetroleo@tnpetroleo.com.br

Keppel Sigmarine Brasil, Navegantes, SC

Uberlândia

Parapanema

Paraguai

Estaleiro Rio Paraguaçu

Angra dos Reis São Sebastião

Curitiba Paranaguá

Processamento de aço: 12 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 168.422 m²; área coberta: aproximadamente 10 mil m² – galpões de processamento e montagem de blocos e diversas oficinas, servidos por pontes rolantes e outros equipamentos; carreira de lançamento: 150 m de comprimento (em expansão para 200m); capacidade para navios de até 10 mil TPB (em expansão para 30 mil TPB); elevador de embarcações tipo “Hydrolift”: para embarcações pequenas, de até 570 ton de peso; sistema de transferência de pesos de até 570 ton através de uma malha de trilhos e vagonetas; cais de acabamento: 150 m de comprimento; atendido por 2 guindastes com capacidades de carga de 30 ton e 8 ton. Obras em construção: rebocadores.

Oceano Atlântico

Joinville

Santa Catarina

Processamento de aço: 15 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 175 mil m²; área coberta: 31.145 m²; carreira de lançamento: capacidade de lançamento de embarcações de até 115 metros de comprimento e acima de 7 mil ton de arqueação. Obras em construção: barcos de apoio offshore

Itajaí

Florianópolis

MINAS GERAIS

Rio Grande do Sul Porto Alegre

Rio Grande

Módulo Especial 1 10,0 cm x 9,0 cm

Módulo Especial 1 10,0 cm x 9,0 cm

Uruguai

ESTALEIRO RIO GRANDE, Rio Grande, RS

Processamento de aço: 100 mil ton/ano Facilidades industriais: área construída: 550 mil m²; galpão coberto: 40 mil m²; dique seco: 130 m x 350 m x 17,1 m; cais norte; 42 m; cais sul: 350 m; pórtico (Golias): 600 t; carretas hidráulicas: 400 t. Obras em construção: módulos da semisubmersível P-55, FPSO P-58 e oito cascos para FPSOs.

Argentina

Montevidéu

Transnave Eisa

Estaleiro Rio Grande

SÃO PAULO

Duque de Caxias Rio de Janeiro Angra dos Reis SRD Offshore Brasfels

EISA, Rio de Janeiro, RJ Processamento de aço: 52 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 150 mil m²; área coberta: 55 mil m²; carreiras: 2 carreiras laterais de lançamento para navios até 280 m x 46 m e 133 m x 22 m; guindastes: quatro, sobre trilhos, de: 1 x 60 ton; 1 x 50 ton; 2 x 20 ton; pórticos: 2, de 48 m de largura, com capacidade de 2 x 50 ton + 1 x 20 ton; cais de acabamento: 3 para navios de até 280 m, 250 m e 200 m de comprimento; galpões na área de acabamento: 3 de 125m x 25m, com 8 pontes rolantes de 5 a 10 ton Obras em construção: 4 navios Panamax e portacontâiners e barcos de apoio offshore.

ESTALEIRO ITAJAÍ, Itajaí, SC

Ilha D’água

Rio de Ilha Redonda Janeiro

Wilson, Sons Vellroy Intermarine São Francisco do Sul

ESTALEIRO NAVSHIP, Navegantes, SC

RENAVE e ENAVI, Niterói, RJ Processamento de aço: 40 mil ton/ano Facilidades industriais: Renave – área total: cerca de 200 mil m²; dique flutuante Almirante Alexandrino: 215 m de comprimento total; 35m de largura interna livre; pontal de 9,50 m sobre os picadeiros; capacidade de elevação de 20 mil t, para navios de até 80 mil TPB; dique seco Henrique Lage: 184 m de comprimento total; 27 m de largura na entrada; calado máximo de 8,50 m; capacidade para navios de até 30 mil TPB; dique seco Orlando Barbosa: 136 m de comprimento total; 17,43 m de largura na entrada; calado máximo de 4,33 m; capacidade para navios de até 8 mil TPB; dique flutuante José Rebelo: 70 m de comprimento total; 17 m de largura interna livre; calado máximo de 4 m; capacidade de elevação de 1.800 ton. Enavi – dique flutuante Almirante Guilhem: 200 m de comprimento total; comprimento do flutuante na linha de centro de 180 m; largura interna entre as laterais de 34 m; largura interna livre entre defensas de 32,8 m; pontal moldado de 15,6 m; altura dos picadeiros na quilha de 1,75 m; capacidade de elevação de 18 mil ton. Obras em construção: reparo de navios petroleiros, porta-contâiners e de carga geral e construção de três navios bunker.

ESTALEIRO CASSINÚ, São Gonçalo, RJ Processamento de aço: 6 mil ton/ano Facilidades industriais: cais: 200 m; dique seco: 69 m de comprimento; 12,6 m de largura; calado máximo de 3,5 m; servido por um pórtico para 25 ton; dique flutuante: 30 m de comprimento; 14,4 m de largura; 4,2 m de calado; guindastes: 1 x 30 ton; 1 x 40 ton; 1 x 75 ton; 1 x 125 ton. Obras em construção: reforma da Boia de Sustentação de Risers para a Bacia de Santos e reparo de embarcações offshore.

RIO NAVE, Rio de Janeiro, RJ

Uberaba

Tiet

Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 112 mil m²; instalação e área de montagem: 12.580 m²; pier nº 1: comprimento de 30 m, profundidade de 6 m; pier nº 2: comprimento de 50 m, profundidade de 7 m. Obras em construção: módulos de geração da P-56.

Salvador

Minas Gerais

Campo Grande

UTC ENGENHARIA, Niterói, RJ

DF

Goiânia

a Paranaíb

Eisa Alagoas

Processamento de aço: 36 mil ton/ano Facilidades industriais: Ponta D’Areia – área total: 180.377 m²; área coberta: 69.140 m²; carreira longitudinal: 1 de 223 m x 41 m, atendida por 2 guindastes de 100 ton; dique seco: 167 m x 22,50 m; cábrea: capacidade de içamento de 2.050 ton e altura de lança de 100 m; cais: 2 (cais I, 350 m; cais II, de 306 m), atendidos por 4 guindastes de 15, 20 e 30 ton, porte máximo: 70 mil TPB; capacidade de processamento de aço/ano: 36 mil ton. Facilidades industriais: Caximbau – área total: 78 mil m²; carreira: horizontal, para construção de módulos com duas linhas, cada uma com capacidade de 280 ton/m² até 167m de extensão; cais: capacidade de 20 ton/m² (em construção). Facilidades industriais: Ilha do Caju – área total: 76 mil m²; carreira: horizontal, para construção de jaquetas com duas linhas, cada uma com capacidade de 300 ton/m² até 180 m de extensão; cais: capacidade de 20 ton/m². Obras em construção: 4 navios de produtos, reparos/upgrade de plataformas de perfuração.

Brasília

Goiás

Keppel Sigmarine Brasil

Maceió

Aratu

São Fr

ia

Cuiabá

Atlântico Sul Estaleiro Promar

Ipojuca Suape

Processamento de aço: 220 mil ton/ano Facilidades Industriais: área total: 3,2 milhões/m²; área construída: 2,55 milhões/m²; dique seco: comprimento 480 m x 130 m largura x 11m de calado; custo: US$ 1,7 bilhão (primeira fase da obra) Obras em construção: módulos e plataformas (fixas e FPSOs)

Aracaju

Aragua

Mato Grosso

Pernambuco Alagoas

Brasil

Mato Grosso do Sul

João Pessoa Recife

33 navios de produto

Reserve já o seu espaço!

ESTALEIRO MAUÁ, Niterói, RJ UCN Açu (Grupo EBX)

Piauí

Palmas

19 plataformas de produção

Natal

gu

Ara

Tipos de carga Granéis sólidos: 506 milhões (61%) Granéis líquidos: 208 milhões (25%) Carga geral: 120 milhões (15%)

Rio Grande do Norte

tins

Tocan

eira

Mad

Módulo Quádruplo 20,4cm x 10,4 cm

Represa de Tocantins Tucuruí

Estaleiro Bibi

ESTALEIRO RIO MAGUARI, Belém - PA

Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 60 mil m²; área construida: 30.130 m²; potência elétrica instalada: 3.500 KW; 1 carreira para lançamento de navios até 20 mil TPB; 4 carreiras cobertas com comprimento de 60 m, podendo construir embar cações de até 12 mil TPB. Obras em construção: empurradores, rebocadores e chatas.

São Luís

Total onas de portos públicos ..............................................33 Total de portos privados ............................................... 3 Terminais privados ....................................................103 Terminais da Petrobras ...............................................24 Carga transportada .................886 milhões de toneladas, sendo 74% (658 milhões de toneladas)Pará no comércio exterior Cargas transportadas em navegação de longo curso ................658 milhões de toneladas, ou 74% Cargas transportadas na navegação de cabotagem ............193 milhões de toneladas, ou 22% Cargas transportadas em hidrovias ..................32 milhões de toneladas, ou 4%

Amaz

Manaus

ERIN – ESTALEIROS RIO NEGRO, Manaus, AM

u

Erin

Belém

Xing

gro

Ne

Amaz

8.547.403 km2 191 milhões 20 hab./km2 R$ 4,1 trilhões 2,7% ao ano (2011) R$ 21.252 80 milhões 7.367 km 36 mil km (3º no mundo)

Área População Densidade PIB Crescimento do PIB Renda per capita Força de trabalho Extensão da costa Rios navegáveis

Jari

Módulo Duplo Horizontal 20,4cm x 5,0 cm

35 navios-sondas 101 barcos de apoio offshore

Frota mercante em operação

Petroleiros .................................... 121 (53 da Petrobras) Graneleiros ................................................................. 21 Cargueiros ..................................................................32 Porta-contêineres .......................................................15 Amapá GLP ...............................................................................9 Tanques químicos ........................................................1 Ro-Ro ........................................................................... 5 Macapá Barcaças ....................................................................68 Capacidade de transporte .................3,6 milhões de TPB

Roraima

385 obras em andamento

Módulo Especial 2 15,0 cm x 5,0 cm

RIO DE JANEIRO UCN Açu STX OSV Niterói Aliança Quissamã Renave/Enavi Estaleiro Mauá (Caximbau) Cassinú Navegação São Miguel UTC

São Gonçalo

Macaé

Processamento de aço: 48 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 94.766 m² área coberta: 43.052 m²; carreira nº 1: comprimento de 230 m, largura de 36 m, capacidade para navios até 100 mil TPB, servida por 3 guindastes de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; carreira nº 2: comprimento de 159 m, largura de 34 m, capacidade para navios até 30 mil TPB, servida por 2 guindastes de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; cais de acabamento nº 1: comprimento de 182 m, profundidade de 5 m, servido por 1 guindaste de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; cais de acabamento nº 2: mesmas dimensões do cais nº 1, servido por 2 guindastes de 20 ton; cais de acabamento nº 3: comprimento de 76 m, profundidade de 6 m; cais de acabamento nº 4: comprimento de 115 m, profundidade de 7 m, servido por 1 guindaste de 20 ton; pier nº 1: comprimento de 35 m, profundidade de 7 m, servido por 1 guindaste de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; pier nº 2: comprimento de 60 m, profundidade de 7 m, servido por 2 guindastes de 20 ton. Obras em construção: reparo e modernização de embarcações de médio porte e offshore.

INHAÚMA, Rio de Janeiro, RJ Processamento de aço: 50 mil ton/ano Facilidades industriais: área coberta: 16.550 m² (oficinas de caldeiraria, tubulação, estrutural e usinagem); dique nº 1: 160 m de comprimento, 25 m de largura, calado com maré zero de 4 m, capacidade para navios de até 25 mil TPB; dique nº 2: 350 m de comprimento, 65 m de largura, calado máximo de 6,20 m, capacidade para navios de até 400 mil TPB; guindastes: 1 x 100 ton, 2 x 40 ton, 1 x 20 ton; cais de acabamento 1 e 2: comprimento de 293 m, calado máximo de 6 m; cais de acabamento nº 3: comprimento de 45 m, calado máximo de 8 m; cais de acabamento nº 4: comprimento de 286 m, calado máximo de 8 m. Obras em construção: 4 FPSOs (Cessão Onerosa)

MAC LAREN OIL, Niterói, RJ

FIBRAFORT - F. MARINE, Itajaí, SC Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 18.460 m²; área construída: 3.125 m² . Obras em construção: lanchas de passeio e competição.

DETROIT, Itajaí, SC Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 90 mil m²; área industrial: 14 mil m²; área coberta: 5 mil m²; laterais das docas elevatórias utilizadas como cais de acabamento; grua sobre trilhos com capacidade de até 4 ton ; 2 guindastes móveis com capacidade de 200 ton cada um; 2 carros de transferência para embarcações de médio porte; galpões equipados com cinco pontes rolantes de 4 a 10 ton de capacidade a 15 m de altura para atender às oficinas de montagens de blocos, mecânica, elétrica e acabamento; docas elevatórias (capacidade máxima): 110 m comprimento, 23 m de boca livre, 5,50 m de calado livre, capacidade de içamento de 3.600 ton, sistema eletromecânico computadorizado, com controle por meio de células de carga, para estabilidade na operação. Obras em construção: rebocadores e barcos do tipo LH 3000.

Processamento de aço: 6 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 30 mil m², na Unidade Ponta d´Areia (com a expansão passará para 75 mil m²), e 60 mil m² na Unidade Ilha da Conceição; área coberta: a Mac Laren Oil trabalha com estruturas modulares, cujo layout dos galpões, das oficinas e das áreas cobertas varia de acordo com os modelos e a quantidade de unidades em construção ou reparação no momento, assim como seus equipamentos de movimentação de cargas e outros. Obras em construção: reparo de embarcações offshore.

Encarte Especial Revista TN Petróleo nº 87

Niterói

Rio Nave Inhaúma

Oceano Atlântico

Processamento de aço: 15 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 85 mil m²; área coberta: 7.170 m²; dique flutuante: 76,4 m de comprimento, 29,20 m de largura e calado com 2,70 m; cais nº 1: extensão de 80 m, calado máximo de 6 m, servido por um guindaste de 8 ton; cais nº 2: extensão de 80 m, calado máximo de 6 m; carreira longitudinal para embarcações de até 120 ton. Obras em construção: rebocadores

Processamento de aço: 50 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 1 milhão m², aproximadamente; área coberta: 135 mil m², aproximadamente; carreira nº 1: 174 m de comprimento; 30 m de largura; capacidade para navios de até 45 mil TPB, servida por um guindaste de 80 ton e um guindaste de 40 ton; carreira nº 2: 310 m de comprimento, 45 m de largura, capacidade para navios de até 150 mil TPB, servida por 2 guindastes de 80 ton; carreira nº 3: 300 m de comprimento, 70 m de largura, capacidade para navios de até 600 mil TPB, servida por um guindaste de 40 ton, um guindaste de 80 ton e um pórtico de 660 ton; dique seco: 80 m de comprimento, 70 m de largura, servido pelos mesmos guindastes da carreira nº 3 e pelo pórtico de 660 ton; cais de agulha: 313 m de comprimento, extensão de 54 m, servido por um guindaste de 40 ton e um guindaste de 80 ton; cais de acabamento: 200 m de comprimento, extensão de 130 m, servido por um guindaste de 40 ton; pista um: 460 m de comprimento, servida por 2 guindastes de 80 ton; pista dois: 460 m de comprimento, servida por um guindaste de 80 ton; pista três: 460 m de comprimento, servida por um guindaste de 40 ton. Obras em construção: TLWP P-61, modernização e construção de navios-sonda, semissubmersíveis e reparos navais.

ESTALEIRO RIO TIETÊ, Araçatuba, SP Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades Industriais: área: 41 mil m²; área coberta: 8 mil m²; área descoberta: 9,5 mil m²; cais: área 2,7 mil m²; pórtico: serão 15 pórticos capacidade máximas de cada pórtico 25 ton Obras em construção: barcaças e empurradores

VELLROY, Osasco, SP Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 50 mil m²; área coberta: 40 mil m²; guindastes: um pórtico móvel para 26 ton, um pórtico móvel para 50 ton, seis pontes rolantes para 10 ton, uma ponte rolante para 50 ton e uma ponte rolante para 20 ton. Obras em construção: lanchas de passeio.

WILSON, SONS, Guarujá, SP Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 22 mil m²; carreira/dique: comprimento de 205 m, largura de 16 m, calado máximo de 5 m, capacidade para embarcações de até 1.500 TPB Obras em construção: barcos de apoio.

Plano de Negócios da Petrobras 2012-2016

Cabo Frio Arraial do Cabo Mac Laren Oil Estaleiro Mauá (Ponta d’Areia) Estaleiro Mauá (Ilha do Caju)

SRD OFFSHORE, Angra dos Reis, RJ

BRASFELS, Angra dos Reis, RJ

Revista Brasileira de TECNOLOGIA e NEGÓCIOS de Petróleo, Gás, Petroquímica, Química Fina e Biocombustíveis Rua do Rosário, 99/7º andar – Rio de Janeiro, RJ, Brasil – CEP 20041-004 – Tel/Fax: 55 21 3221-7500 tnpetroleo@tnpetroleo.com.br – www.tnpetroleo.com.br – www.tbpetroleum.com.br © 2013 - Benício Biz Editores Associados Ltda.

Indústria Naval 2013

Oportunidades no offshore: novas sondas e plataformas Fonte: MME, MT, ANP, BNDES, FMM, IBGE, Petrobras, Transpetro, Sinaval, Abeam, Arsenal de Marinha RJ, Antaq.


2

14

32

33

34

35

36

37

38

3

15

4

16

Suriname Guiana

Boa Vista

Roraima

Estaleiro Bibi

Amazonas eira

Mad

Reserve já o seu espaço! Ligue: 021 3221-7500 ou envie e-mail para tnpetroleo@tnpetroleo.com.br

INACE, Fortaleza, Ceará

ESTALEIRO ATLÂNTICO SUL, Ipojuca, PE

ESTALEIRO PROMAR, Suape, PE

RIO PARAGUAÇU, S. R. do Paraguaçu, BA

STX OSV NITERÓI, Niterói, RJ

Processamento de aço: 6 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 120 mil m²; área coberta: 6 mil m²; dique seco: 120 m de comprimento x 35 m de largura; catenária para fabricação e lançamento de balsas: 120 m de comprimento x 30 m de largura; 2 galpões para fabricação e pré-montagem: 5.703 m²; almoxarifado de campo: 3.860 m²; almoxarifado coberto: 936 m²; almoxarifado avançado e ferramentaria: 120 m²; oficina mecânica: 270 m² Obras em construção: balsas, lanchas, ferry boats, empurradores e catamarãs.

Processamento de aço: 15 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 180 mil m²; área coberta: 11 mil m²; plataforma elevatória de embarcações: 80m de comprimento, 15,5 m de largura, capacidade para embarcações de até 4 mil t de peso, interligada por um ship-carrier sobre trilhos a um grande pátio de transferência, comunicando-se por trilhos com todos os berços de construção e reparos; amplas oficinas e galpões localizados nas áreas cobertas. Obras em construção: lanchas de patrulha para a Marinha do Brasil e lanchas de passeio.

Processamento de aço: 160 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 780 mil m²; área coberta: 110 mil m²; dique seco: comprimento de 400 m, boca de 73 m e pontal de 12 m, servido por dois guindastes de 50 ton, dois de 15 ton e um golias de 1 mil ton; cais: 700 m de cais de acabamento, servido por dois guindastes de 35 ton, e 350 m de cais para construção e reparo de unidades offshore; transportadores horizontais de blocos: dois de 300 ton. Obras em construção: 10 Suezmax, 5 Aframax, casco da semisubmersível P-55, 4 Suezmax DP e 3 Aframax DP.

Processamento de aço: 20 mil ton/ano Facilidades industriais: área total do terreno: 800 mil m² sendo 250 mil m² área industrial; área coberta: 100 mil m²; linha de edificação: 300 m de comprimento com pórticos até 150 ton; cais de acabamento com 600 m de comprimento; sistema de lançamento através de load out com dique flutuante 150m x 40m. Obras em construção: navios gaseiros e barcos de apoio offshore.

Processamento de aço: 120 mil ton/ano Facilidades Industriais: área total: 1 milhão de m² sendo 750 mil m² área Industrial e 250 mil m² área verde (preservação ambiental da mata ciliar); área coberta: 90 mil m²; área de estocagem: 120 mil m². cais de acabamento: 750 m (calado de 12 m); vias internas, estacionamento e circulação: 120 mil m². dique seco: 360 x 130 x 12 m, com duas portas batel; pórticos: 2 x 850 ton de capacidade; diversos guindastes portuários de capacidade; variável (75 a 150 ton) Obras em construção: módulos e plataformas

Processamento de aço: 6,5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 65 mil m²; carreira: capacidade de carga até 3 mil ton, para embarcações com até 100 m de comprimento; cais de acabamento: 300 m de comprimento; guindastes instalados na carreira ao longo do cais, com capacidade até 250 ton; oficinas de montagem providas de facilidades e equipamentos de carga; dique flutuante para embarcações de até 110 m de comprimento, 18 m de boca e deslocamento de 3.500 ton Obras em construção: barcos de apoio offshore (AHTS, PSV, OSCV, pipelaying).

ALIANÇA, Niterói, RJ

NAVEGAÇÃO SÃO MIGUEL, São Gonçalo, RJ

Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 61 mil m²; área coberta: 11 mil m²; carreira: para 10 mil TPB; guindastes: 60 t; cais: dois, com 100 m cada um. Obras em construção: barcos de apoio offshore.

Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 21.000 m²; área coberta: 2.630 m²; oficina para construção de blocos: 2.085 m²; àrea de pré-edificação: 2.470 m²; pontes rolantes: 3 de 5 ton; 2 de 10 ton e 1 de 40 ton; pórticos: 2 (1 com 50 ton e 1 com 75 ton); dique seco 1: 96 m de comprimento, 22 m de largura, 7 m de profundidade e 4,70 de calado; dique seco 2: 110 m de comprimento, 26 m de largura, 8 m de profundidade e 5 m de calado Obras em construção: PSVs, ORSVs, navios bunker e rebocadores

Pecém

Fortaleza

Inace

Maranhão

Teresina

aia

Ceará

Granéis sólidos: 506 milhões (61%) Granéis líquidos: 208 milhões (25%) Carga geral: 120 milhões (15%)

Rio Grande do Norte Paraíba

São

Tocantins

Fonte: Antaq, 2011

Fran

cisc

o

Feira de Santana Camaçari

ancis

co ancis

Keppel Sigmarine Brasil, Navegantes, SC Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 78 mil m²; áreas cobertas não industriais: 900 m²; áreas cobertas industriais: 7.386 m²; carreira: 75 m de comprimento por 16 m de largura, com capacidade para embarcações de até 1.800 ton de peso leve. Obras em construção: ferry boats e barcos de passeio.

Uberlândia

ê

Lagoa Parda

Belo Horizonte

Espírito Santo

Estaleiro Rio Tietê

Ponta Ubú

de Re Ita pres ipu a

Campos

Rio de Janeiro Cabiúnas

Volta Redonda

Paulínia Barueri

Guarulhos

São Paulo Santos

Paraná

Regência

Vitória

Ribeirão Preto

São Paulo

Parapanema

22

Estaleiro Rio Paraguaçu

São Fr Tiet

Angra dos Reis São Sebastião

Paranaguá São Francisco do Sul

Processamento de aço: 12 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 168.422 m²; área coberta: aproximadamente 10 mil m² – galpões de processamento e montagem de blocos e diversas oficinas, servidos por pontes rolantes e outros equipamentos; carreira de lançamento: 150 m de comprimento (em expansão para 200m); capacidade para navios de até 10 mil TPB (em expansão para 30 mil TPB); elevador de embarcações tipo “Hydrolift”: para embarcações pequenas, de até 570 ton de peso; sistema de transferência de pesos de até 570 ton através de uma malha de trilhos e vagonetas; cais de acabamento: 150 m de comprimento; atendido por 2 guindastes com capacidades de carga de 30 ton e 8 ton. Obras em construção: rebocadores.

Oceano Atlântico

Joinville

11

23

Processamento de aço: 15 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 175 mil m²; área coberta: 31.145 m²; carreira de lançamento: capacidade de lançamento de embarcações de até 115 metros de comprimento e acima de 7 mil ton de arqueação. Obras em construção: barcos de apoio offshore

Itajaí

Florianópolis

MINAS GERAIS

Rio Grande do Sul Porto Alegre

Rio Grande

12

24

Uruguai

ESTALEIRO RIO GRANDE, Rio Grande, RS

Processamento de aço: 100 mil ton/ano Facilidades industriais: área construída: 550 mil m²; galpão coberto: 40 mil m²; dique seco: 130 m x 350 m x 17,1 m; cais norte; 42 m; cais sul: 350 m; pórtico (Golias): 600 t; carretas hidráulicas: 400 t. Obras em construção: módulos da semisubmersível P-55, FPSO P-58 e oito cascos para FPSOs.

Argentina

Montevidéu

Transnave Eisa

Estaleiro Rio Grande

SÃO PAULO

Duque de Caxias Rio de Janeiro Angra dos Reis SRD Offshore Brasfels

EISA, Rio de Janeiro, RJ Processamento de aço: 52 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 150 mil m²; área coberta: 55 mil m²; carreiras: 2 carreiras laterais de lançamento para navios até 280 m x 46 m e 133 m x 22 m; guindastes: quatro, sobre trilhos, de: 1 x 60 ton; 1 x 50 ton; 2 x 20 ton; pórticos: 2, de 48 m de largura, com capacidade de 2 x 50 ton + 1 x 20 ton; cais de acabamento: 3 para navios de até 280 m, 250 m e 200 m de comprimento; galpões na área de acabamento: 3 de 125m x 25m, com 8 pontes rolantes de 5 a 10 ton Obras em construção: 4 navios Panamax e portacontâiners e barcos de apoio offshore.

ESTALEIRO ITAJAÍ, Itajaí, SC

Ilha D’água

Rio de Ilha Redonda Janeiro

Wilson, Sons Vellroy Intermarine

Curitiba

Santa Catarina

Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 112 mil m²; instalação e área de montagem: 12.580 m²; pier nº 1: comprimento de 30 m, profundidade de 6 m; pier nº 2: comprimento de 50 m, profundidade de 7 m. Obras em construção: módulos de geração da P-56.

Salvador

São Fr

ia

Mato Grosso do Sul

UTC ENGENHARIA, Niterói, RJ

Aratu

RENAVE e ENAVI, Niterói, RJ Processamento de aço: 40 mil ton/ano Facilidades industriais: Renave – área total: cerca de 200 mil m²; dique flutuante Almirante Alexandrino: 215 m de comprimento total; 35m de largura interna livre; pontal de 9,50 m sobre os picadeiros; capacidade de elevação de 20 mil t, para navios de até 80 mil TPB; dique seco Henrique Lage: 184 m de comprimento total; 27 m de largura na entrada; calado máximo de 8,50 m; capacidade para navios de até 30 mil TPB; dique seco Orlando Barbosa: 136 m de comprimento total; 17,43 m de largura na entrada; calado máximo de 4,33 m; capacidade para navios de até 8 mil TPB; dique flutuante José Rebelo: 70 m de comprimento total; 17 m de largura interna livre; calado máximo de 4 m; capacidade de elevação de 1.800 ton. Enavi – dique flutuante Almirante Guilhem: 200 m de comprimento total; comprimento do flutuante na linha de centro de 180 m; largura interna entre as laterais de 34 m; largura interna livre entre defensas de 32,8 m; pontal moldado de 15,6 m; altura dos picadeiros na quilha de 1,75 m; capacidade de elevação de 18 mil ton. Obras em construção: reparo de navios petroleiros, porta-contâiners e de carga geral e construção de três navios bunker.

ESTALEIRO CASSINÚ, São Gonçalo, RJ Processamento de aço: 6 mil ton/ano Facilidades industriais: cais: 200 m; dique seco: 69 m de comprimento; 12,6 m de largura; calado máximo de 3,5 m; servido por um pórtico para 25 ton; dique flutuante: 30 m de comprimento; 14,4 m de largura; 4,2 m de calado; guindastes: 1 x 30 ton; 1 x 40 ton; 1 x 75 ton; 1 x 125 ton. Obras em construção: reforma da Boia de Sustentação de Risers para a Bacia de Santos e reparo de embarcações offshore.

RIO NAVE, Rio de Janeiro, RJ

Uberaba

Para ná

21 Paraguai

10

Bahia

Minas Gerais

Campo Grande

Eisa Alagoas

DF

Goiânia

a Paranaíb

Maceió

Processamento de aço: 36 mil ton/ano Facilidades industriais: Ponta D’Areia – área total: 180.377 m²; área coberta: 69.140 m²; carreira longitudinal: 1 de 223 m x 41 m, atendida por 2 guindastes de 100 ton; dique seco: 167 m x 22,50 m; cábrea: capacidade de içamento de 2.050 ton e altura de lança de 100 m; cais: 2 (cais I, 350 m; cais II, de 306 m), atendidos por 4 guindastes de 15, 20 e 30 ton, porte máximo: 70 mil TPB; capacidade de processamento de aço/ano: 36 mil ton. Facilidades industriais: Caximbau – área total: 78 mil m²; carreira: horizontal, para construção de módulos com duas linhas, cada uma com capacidade de 280 ton/m² até 167m de extensão; cais: capacidade de 20 ton/m² (em construção). Facilidades industriais: Ilha do Caju – área total: 76 mil m²; carreira: horizontal, para construção de jaquetas com duas linhas, cada uma com capacidade de 300 ton/m² até 180 m de extensão; cais: capacidade de 20 ton/m². Obras em construção: 4 navios de produtos, reparos/upgrade de plataformas de perfuração.

Brasília

Goiás

Keppel Sigmarine Brasil

Atlântico Sul Estaleiro Promar

Ipojuca Suape

Processamento de aço: 220 mil ton/ano Facilidades Industriais: área total: 3,2 milhões/m²; área construída: 2,55 milhões/m²; dique seco: comprimento 480 m x 130 m largura x 11m de calado; custo: US$ 1,7 bilhão (primeira fase da obra) Obras em construção: módulos e plataformas (fixas e FPSOs)

Aracaju

Aragua

Cuiabá

9

Sergipe

co

19

Pernambuco Alagoas

Brasil

20

João Pessoa Recife

Mato Grosso

8

ESTALEIRO MAUÁ, Niterói, RJ UCN Açu (Grupo EBX)

Piauí

Palmas

7

Natal

gu

Ara

Tipos de carga

18

ESTALEIRO RIO MAGUARI, Belém - PA

Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 60 mil m²; área construida: 30.130 m²; potência elétrica instalada: 3.500 KW; 1 carreira para lançamento de navios até 20 mil TPB; 4 carreiras cobertas com comprimento de 60 m, podendo construir embar cações de até 12 mil TPB. Obras em construção: empurradores, rebocadores e chatas.

São Luís

Total onas de portos públicos ..............................................33 Total de portos privados ............................................... 3 Terminais privados ....................................................103 Terminais da Petrobras ...............................................24 Carga transportada .................886 milhões de toneladas, sendo 74% (658 milhões de toneladas)Pará no comércio exterior Cargas transportadas em navegação de longo curso ................658 milhões de toneladas, ou 74% Cargas transportadas na navegação de cabotagem ............193 milhões de toneladas, ou 22% Cargas transportadas em hidrovias ..................32 milhões de toneladas, ou 4%

Amaz

ESTALEIRO NAVSHIP, Navegantes, SC

Circulação: Março/Abril

Belém

ERIN – ESTALEIROS RIO NEGRO, Manaus, AM

tins

6

Rio Maguari

Movimentação portuária

Santarém

8.547.403 km2 191 milhões 20 hab./km2 R$ 4,1 trilhões 2,7% ao ano (2011) R$ 21.252 80 milhões 7.367 km 36 mil km (3º no mundo)

Área População Densidade PIB Crescimento do PIB Renda per capita Força de trabalho Extensão da costa Rios navegáveis

onas

Amaz

Manaus

17

Números do Brasil

Ilha de Marajó

Erin

5

Frota mercante em operação

Petroleiros .................................... 121 (53 da Petrobras) Graneleiros ................................................................. 21 Cargueiros ..................................................................32 Porta-contêineres .......................................................15 Amapá GLP ...............................................................................9 Tanques químicos ........................................................1 Ro-Ro ........................................................................... 5 Macapá Barcaças ....................................................................68 Capacidade de transporte .................3,6 milhões de TPB

Tocan

Cortesia: cinco exemplares do mapa sem dobras para cada anunciante.

31

Represa de Tocantins Tucuruí

Espaços publicitários: 38 módulos

30

u

Tiragem extra: para venda do Mapa sem dobras pela internet.

29

Xing

Tiragem: 15 mil exemplares encartados (e mais cinco mil extra para serem distribuídos nos eventos).

28

Jari

Tamanho do mapa: 100cm x 70cm (largura x altura)

27

gro

• Quadro com o ranking da construção naval no mundo

26

Ne

• Mapa do Brasil com a localização dos atuais e novos estaleiros; • Mapa do Rio de Janeiro e Santa Catarina (destaque) com a localização dos seus estaleiros; • Quadro por estaleiro com foto, facilidades industriais, capacidade de processamento de aço e obras; • Quadro com as demandas da Petrobras no PN 2012-2016 para o Pré-sal, Cessão Onerosa e Pós-sal (os novos PFSOs: cascos, módulos, etc.; as novas sondas e outros equipamentos); • Tabela com as encomendas das outras operadoras e armadores; • Tabela com as encomendas do Promef I e II (petroleiros) da Transpetro, EBN (navios de cabotagem) e Prorefam (barcos de apoio) da Petrobras; • Quadro com os resultados do setor em 2012, mão de obra contratada, processamento de aço, etc, e projeções para 2013;

25

Ta pa jós

Conteúdo:

13

Branco

Mapa da Indústria Naval 2013

1

RIO DE JANEIRO UCN Açu STX OSV Niterói Aliança Quissamã Renave/Enavi Estaleiro Mauá (Caximbau) Cassinú Navegação São Miguel UTC

São Gonçalo

Macaé

Processamento de aço: 48 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 94.766 m² área coberta: 43.052 m²; carreira nº 1: comprimento de 230 m, largura de 36 m, capacidade para navios até 100 mil TPB, servida por 3 guindastes de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; carreira nº 2: comprimento de 159 m, largura de 34 m, capacidade para navios até 30 mil TPB, servida por 2 guindastes de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; cais de acabamento nº 1: comprimento de 182 m, profundidade de 5 m, servido por 1 guindaste de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; cais de acabamento nº 2: mesmas dimensões do cais nº 1, servido por 2 guindastes de 20 ton; cais de acabamento nº 3: comprimento de 76 m, profundidade de 6 m; cais de acabamento nº 4: comprimento de 115 m, profundidade de 7 m, servido por 1 guindaste de 20 ton; pier nº 1: comprimento de 35 m, profundidade de 7 m, servido por 1 guindaste de 40 ton e 1 guindaste de 20 ton; pier nº 2: comprimento de 60 m, profundidade de 7 m, servido por 2 guindastes de 20 ton. Obras em construção: reparo e modernização de embarcações de médio porte e offshore.

INHAÚMA, Rio de Janeiro, RJ Processamento de aço: 50 mil ton/ano Facilidades industriais: área coberta: 16.550 m² (oficinas de caldeiraria, tubulação, estrutural e usinagem); dique nº 1: 160 m de comprimento, 25 m de largura, calado com maré zero de 4 m, capacidade para navios de até 25 mil TPB; dique nº 2: 350 m de comprimento, 65 m de largura, calado máximo de 6,20 m, capacidade para navios de até 400 mil TPB; guindastes: 1 x 100 ton, 2 x 40 ton, 1 x 20 ton; cais de acabamento 1 e 2: comprimento de 293 m, calado máximo de 6 m; cais de acabamento nº 3: comprimento de 45 m, calado máximo de 8 m; cais de acabamento nº 4: comprimento de 286 m, calado máximo de 8 m. Obras em construção: 4 FPSOs (Cessão Onerosa)

MAC LAREN OIL, Niterói, RJ

FIBRAFORT - F. MARINE, Itajaí, SC Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 18.460 m²; área construída: 3.125 m² . Obras em construção: lanchas de passeio e competição.

DETROIT, Itajaí, SC Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 90 mil m²; área industrial: 14 mil m²; área coberta: 5 mil m²; laterais das docas elevatórias utilizadas como cais de acabamento; grua sobre trilhos com capacidade de até 4 ton ; 2 guindastes móveis com capacidade de 200 ton cada um; 2 carros de transferência para embarcações de médio porte; galpões equipados com cinco pontes rolantes de 4 a 10 ton de capacidade a 15 m de altura para atender às oficinas de montagens de blocos, mecânica, elétrica e acabamento; docas elevatórias (capacidade máxima): 110 m comprimento, 23 m de boca livre, 5,50 m de calado livre, capacidade de içamento de 3.600 ton, sistema eletromecânico computadorizado, com controle por meio de células de carga, para estabilidade na operação. Obras em construção: rebocadores e barcos do tipo LH 3000.

Processamento de aço: 6 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 30 mil m², na Unidade Ponta d´Areia (com a expansão passará para 75 mil m²), e 60 mil m² na Unidade Ilha da Conceição; área coberta: a Mac Laren Oil trabalha com estruturas modulares, cujo layout dos galpões, das oficinas e das áreas cobertas varia de acordo com os modelos e a quantidade de unidades em construção ou reparação no momento, assim como seus equipamentos de movimentação de cargas e outros. Obras em construção: reparo de embarcações offshore.

Encarte Especial Revista TN Petróleo nº 87

Niterói

Rio Nave Inhaúma

Oceano Atlântico

Processamento de aço: 15 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 85 mil m²; área coberta: 7.170 m²; dique flutuante: 76,4 m de comprimento, 29,20 m de largura e calado com 2,70 m; cais nº 1: extensão de 80 m, calado máximo de 6 m, servido por um guindaste de 8 ton; cais nº 2: extensão de 80 m, calado máximo de 6 m; carreira longitudinal para embarcações de até 120 ton. Obras em construção: rebocadores

Processamento de aço: 50 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 1 milhão m², aproximadamente; área coberta: 135 mil m², aproximadamente; carreira nº 1: 174 m de comprimento; 30 m de largura; capacidade para navios de até 45 mil TPB, servida por um guindaste de 80 ton e um guindaste de 40 ton; carreira nº 2: 310 m de comprimento, 45 m de largura, capacidade para navios de até 150 mil TPB, servida por 2 guindastes de 80 ton; carreira nº 3: 300 m de comprimento, 70 m de largura, capacidade para navios de até 600 mil TPB, servida por um guindaste de 40 ton, um guindaste de 80 ton e um pórtico de 660 ton; dique seco: 80 m de comprimento, 70 m de largura, servido pelos mesmos guindastes da carreira nº 3 e pelo pórtico de 660 ton; cais de agulha: 313 m de comprimento, extensão de 54 m, servido por um guindaste de 40 ton e um guindaste de 80 ton; cais de acabamento: 200 m de comprimento, extensão de 130 m, servido por um guindaste de 40 ton; pista um: 460 m de comprimento, servida por 2 guindastes de 80 ton; pista dois: 460 m de comprimento, servida por um guindaste de 80 ton; pista três: 460 m de comprimento, servida por um guindaste de 40 ton. Obras em construção: TLWP P-61, modernização e construção de navios-sonda, semissubmersíveis e reparos navais.

ESTALEIRO RIO TIETÊ, Araçatuba, SP Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades Industriais: área: 41 mil m²; área coberta: 8 mil m²; área descoberta: 9,5 mil m²; cais: área 2,7 mil m²; pórtico: serão 15 pórticos capacidade máximas de cada pórtico 25 ton Obras em construção: barcaças e empurradores

VELLROY, Osasco, SP Processamento de aço: 5 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 50 mil m²; área coberta: 40 mil m²; guindastes: um pórtico móvel para 26 ton, um pórtico móvel para 50 ton, seis pontes rolantes para 10 ton, uma ponte rolante para 50 ton e uma ponte rolante para 20 ton. Obras em construção: lanchas de passeio.

WILSON, SONS, Guarujá, SP Processamento de aço: 10 mil ton/ano Facilidades industriais: área total: 22 mil m²; carreira/dique: comprimento de 205 m, largura de 16 m, calado máximo de 5 m, capacidade para embarcações de até 1.500 TPB Obras em construção: barcos de apoio.

Plano de Negócios da Petrobras 2012-2016

Cabo Frio Arraial do Cabo Mac Laren Oil Estaleiro Mauá (Ponta d’Areia) Estaleiro Mauá (Ilha do Caju)

SRD OFFSHORE, Angra dos Reis, RJ

BRASFELS, Angra dos Reis, RJ

Revista Brasileira de TECNOLOGIA e NEGÓCIOS de Petróleo, Gás, Petroquímica, Química Fina e Biocombustíveis Rua do Rosário, 99/7º andar – Rio de Janeiro, RJ, Brasil – CEP 20041-004 – Tel/Fax: 55 21 3221-7500 tnpetroleo@tnpetroleo.com.br – www.tnpetroleo.com.br – www.tbpetroleum.com.br © 2013 - Benício Biz Editores Associados Ltda.

Indústria Naval 2013

Oportunidades no offshore: novas sondas e plataformas Fonte: MME, MT, ANP, BNDES, FMM, IBGE, Petrobras, Transpetro, Sinaval, Abeam, Arsenal de Marinha RJ, Antaq.

Mapa Industria Naval 2013 – Promocional  

Mapa Industria Naval 2013 – Promocional

Advertisement