Page 1

Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 1


2 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos


Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 3


CI - Cosmetic Ingredients ® Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos Edição 38

Diretor Geral Maurício Gaspari Pupo mauricio@innedita.com

Índice

Editor Chefe Maurício Gaspari Pupo mauricio@innedita.com Redatores Jelena Cvijic Roberta Rigon Flávio Castilho Claudia Meirelles Projeto Gráfico Thiago Gimenez Mota thiago@innedita.com Editoração José Messias de Oliveira Diretor Comercial Neto Montagnini neto@innedita.com Marketing Hugo Campos marketing2@innedita.com

6 Mecanismo da Formação de Rugas 1 0 Teste de Eficácia Antirrugas e Anti-aging 1 6 Nutricosmética Anti-Aging: Bases Científicas 2 0 Fosfolipídios em Cosméticos 2 8 Pseudofoliculite da Barba

Anúncios marketing@innedita.com Assinaturas vendas1@innedita.com Website www.innedita.com

3 2 Dermaxyl® 3 4 HyalufixTM GL

Tiragem 2.000 exemplares

3 5 Syn®-Hycan Assinatura 6 (Seis) exemplares anuais. Brasil R$ 150,00

3 6 Óleo de Pracaxi

Exterior US$ 100,00 80,00

3 8 Kójico Dipalmitato: Éster Lipossolúvel do Ácido Kójico 4 0 Liposiliol C®

Av. Francisco Glicério, 2.331 - Jd. Guanabara - Mezanino CEP 13013-101- Campinas - SP - Brasil Fone/Fax: +55 19 3736.6888 www.revistadecosmetologia.com

4 1 X-pressinTM 4 2 Rosácea: Overview

Não é permitida a cópia ou a reprodução total ou parcial desta revista prévia autorização. A reprodução dos artigos e das ilustrações publicadas é reservada e não pode ser feita e nem traduzida sem autorização prévia. Os artigos enviados a redação e que não sejam publicados não serão devolvidos. A CI - Cosmetic Ingredients® não se responsabiliza pelas informações enviadas e nem por eventuais erros no conteúdo dos artigos publicados e enviados bem como dos anúncios contidos nesta edição. A CI - Cosmetic Ingredients® não se responsabiliza por informações e opiniões emitidas em matérias assinadas, as quais são de exclusiva responsabilidade de seus autores. 4 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

5 0 Comissão Europeia e Segurança de “Parabenos” 5 2 Toxicidade de Parabenos: Atualização Científica 5 4 Eventos


Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 5


IN FOCO

Mecanismo da Formação de Rugas O Mais Proeminente Sinal do Envelhecimento Cutâneo O envelhecimento cutâneo é uma das áreas de maior investimento científico, pois atualmente busca-se um prolongamento da expectativa de vida associado a uma vida saudável e a uma aparência jovial. O envelhecimento da pele pode ser caracterizado através de sinais presentes na pele, como, por exemplo, hiperpigmentação, descoloração dos pelos, aparecimento de rugas e perda da textura.-1,2 O envelhecimento cutâneo ocorre de maneira cronológica ou natural. Mas a pele, por se manter em contato direto com o ambiente, apresenta ainda danos decorrentes da exposição ambiental.3 Assim, o envelhecimento da pele pode ser subdividido em dois tipos principais: envelhecimento intrínseco e extrínseco.1 Durante as últimas décadas, buscou-se o entendimento dos mecanismos celulares e moleculares que promovem o envelhecimento cronológico e o fotoenvelhecimento. As pesquisas revelaram que o envelhecimento cronológico e o fotoenvelhecimento são o resultado de alterações moleculares importantes.3

Envelhecimento Intrínseco ou Cronológico O envelhecimento intrínseco ou cronológico é um evento programado. A epiderme - camada mais superficial da pele - está em constante renovação. Esse processo só é possível pois a camada basal da epiderme é um dos poucos tecidos que expressa a telomerase4, uma enzima ribonucleoproteica que pode impedir o encurtamento dos telômeros, um dos mecanismos atualmente previstos como potencial causador do envelhecimento celular cronológico.2 Entretanto, a atividade da telomerase é reduzida com o avanço da idade.5

Envelhecimento Extrínseco ou Fotoenvelhecimento O envelhecimento extrínseco é causado por fatores ambientais, sendo a radiação ultravioleta o principal fator ambiental no envelhecimento (fotoenvelhecimento),3,6,7 além do estresse e da poluição, que também causam danos cutâneos.6,7 Esses fatores ativam os receptores da via de transdução através de um mecanismo independente de ligante.8 A ampla exposição da pele à radiação UV promove aumento dos riscos de danos fotooxidativos, que apresentam efeitos prejudiciais acumulativos, pois a exposição à radiação solar, tanto UVA quanto UVB, promove a excitação dos elétrons, o que leva à formação do oxigênio singleto e de outras espécies reativas de oxigênio, que podem causar lesão ao DNA, lipídios e proteínas, e acelerar o encurtamento dos telômeros.9,10 Assim, a pele fotodanificada apresenta alterações nos componentes celulares e extracelulares, com acúmulo da desordem na elastina e na fibrina, além da perda severa de colágeno intersticial, a maior proteína estrutural do tecido conectivo dérmico.11

Envelhecimento Intrínseco X Envelhecimento Extrínseco O envelhecimento cronológico e o fotoenvelhecimento apresentam sinais diferentes. Além disso, diferem também na visualização microscópica. Mas não são considerados entidades distintas, apresentando algumas características moleculares importantes.12,13 Assim, verifica-se que o envelhecimento intrínseco pode ser agravado por lesões oxidativas de baixo grau aos telômeros e a outros constituintes celulares, devido ao metabolismo aeróbico e aos fatores ambientais,10 sendo o envelhecimento extrínseco uma sobreposição ao envelhecimento intrínseco, ocasionando o envelhecimento prematuro da pele.

Legenda. Os telômeros e a divisão celular. Em cada divisão celular há o encurtamento dos telômeros. Com a ausência dos telômeros, após várias divisões há a interrupção da divisão celular e consequentemente o envelhecimento celular. A telomerase impede esse encurtamento do telômero e, consequentemente, o envelhecimento celular. Mas a atividade da telomerase é reduzida com o avanço da idade.

6 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

Dinâmica da Síntese de Colágeno na Pele Em condições naturais, a pele está em constante renovação, havendo homeostase entre a quantidade de macromoléculas


IN FOCO

Legenda. A patogênese do fotoenvelhecimento está diretamente relacionada ao dano da matriz extracelular (MEC), que é ocasionada por espécies reativas de oxigênio, sendo as enzimas proteolíticas derivadas dos neutrófilos as maiores contribuidoras do dano à MEC na pele fotodanificada. Verifica-se nas figuras A a D que a radiação ultravioleta e infravermelha induzem a produção de metaloproteinases de matriz (MMPs).

sintetizadas pelos fibroblastos e as degradadas no tecido conectivo.14 Porém, com a senescência dos fibroblastos, essa dinâmica é afetada, causando uma diminuição da síntese de colágeno no envelhecimento intrínseco e no aumento da sua degradação pelas metaloproteinases no envelhecimento extrínseco. Um estudo francês verificou ainda que as radiações UVA e UVB produzem um aumento significativo na taxa de colágeno tipo III/I e na biosíntese de fibronectina.16

Formação de Rugas O aparecimento das rugas é decorrente da perda da elasticidade causada pela rápida degradação do colágeno, substância que compõe o tecido conectivo, sendo o mais abundante na matriz extracelular, representando cerca de 90% da derme. A degradação do colágeno é ocasionada tanto pelos fatores intrínsecos quanto extrínsecos sobre as respostas mitogênicas e nas vias de sinais de transdução.17,18,19

Papel das Metaloproteinases na Formação das Rugas Fatores que causam o estresse cutâneo, como, por exemplo, a irradiação UV, o estresse osmótico e o choque térmico, têm sido relacionados à ativação de receptores, como por exemplo, receptor para o fator de crescimento epidermal (EGFr), receptor da interleucina-1 (IL-1r), receptor do fator de necrose tumoral (TNFr), receptor do fator de crescimento derivado de

plaqueta (PDGFr) e receptor do fator ativador de plaquetas (PAF-r). A ativação desses receptores estimula a ativação da tirosina quinase e associa as proteínas adaptadoras, as quais transferem o sinal para a ativação do fator de transcrição da proteína 1 (AP-1).17,18 O fator de transcrição da proteína 1 (AP-1) é composto por duas subunidades: c-fos e c-jun. Na pele de humanos, a ativação de AP-1 é limitada pela expressão de c-jun, uma vez que c-fos é continuamente expressa. Interessantemente, enquanto a expressão de c-fos em jovens (18-28 anos de idade) e em idosos (80 anos de idade) não é alterada, a expressão de c-jun é elevada em idosos quando comparados com jovens. Com a ativação do fator de transcrição da proteína 1 (AP-1), há um aumento da produção das metaloproteinases de matriz (MMPs).3 As metaloproteinases são enzimas capazes de atacar a maioria das proteínas do tecido conectivo presentes na matriz, como, por exemplo, elastina, colágeno, proteoglicanas e queratinas. As fibras elásticas são facilmente decompostas pela secreção e ativação das elastases através da exposição à radiação UV ou ROS (espécies reativas de oxigênio). Um estudo japonês verificou que as exposições repetidas à radiação UVB promoveram alterações tridimensionais na estrutura das fibras elásticas, sendo associadas à redução nas propriedades elásticas da pele. Além disso, a radiação UVB estimula a atividade das elastases na derme. Assim, o aumento da atividade da elastase através dos fibroblastos dérmicos apresenta um papel fundamental no mecanismo de envelhecimento cutâneo mediado pela exposição UVB.20 Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos | 7


IN FOCO Modelo da Cascata de Sinalização que Promove a Elevação da Degradação de Colágeno da Pele

Legenda. Os receptores EGFr, PDGFr, PAF-r, TNFr e IL-1r são ativados através de estresses ambientais, como, por exemplo, calor, estresse osmótico e raios ultravioletas. Dessa forma, sobrepõe o envelhecimento cronológico, intensificando a degradação do colágeno e, consequentemente, elevam a formação de rugas. Na via de sinalização de EGFr, o EGFr leva o sinal diretamente ao Mapk1 (proteína quinase 1 ativada por mitógenos) e ativa c-jun para produzir MMPs. Na via PDGFr, o PDGFr (alfa e beta) ativa Grb2, Mapk1 e c-jun para produzir metaloproteinases. Na via PAF-r, o PAF-r transativa EGF-r via Hb-Egf, que ativa Mapk1 e c-jun. Na via mediada por TNFr, TNFr2, que ativa Traf2/Trap3 e, sequencialmente, ativa c-jun via Mapk9, elevando a produção de MMPs. A IL-1r ativa c-jun via Irak.18

No geral, a maioria das metaloproteinases de matriz se relaciona à enzima colagenase, incluindo MMP-1, MMP-8, MMP-13 e MMP-18. Porém, as metaloproteinases podem ser subdivididas em 4 categorias, de acordo com a sua preferência em um determinado substrato: colagenase (MMP-1, -8, -13 e -18); gelatinase (MMP-2 e -9); estromelisina (MMP-3 e -10) e metaloproteinases tipo de membrana (MMP-14, -15, -16 e -17). Com a degradação do colágeno pelas metaloproteinases, há a formação de rugas.19

As 5 Vias de Sinalização para Produção de Metaloproteinases • EGFr: Receptor Responsável por Ativar c-jun

PDGFr também eleva a produção de MMPs via ativação de Erk ½ e c-jun em estresse. Nos fibroblastos, os receptores tipo beta do fator de crescimento derivados de plaquetas (PDGFrB) ativam c-jun via Erk ½. A ativação desses receptores é dependente de ligante. Entretanto, os raios ultravioletas ativam o PDGFrB, elevando a produção de metaloproteinases, sendo a sua ativação independente de ligante. • PAF-r: Promove Secreção do Hb-Egf Os raios ultravioletas e o dano térmico agudo ativam PAF-r mediante a ativação de Erk ½. A transativação de EGFr pelo PAF-r envolve uma clivagem dependente de metaloproteinase e a secreção do fator de crescimento EGF-like ligado à heparina (Hb-Egf), que ativa o EGFr e, posteriormente, fosforila Erk. Assim, há uma interação entre Hb-Egf e EGFr, levando o sinal à c-jun.

O EGFr ativado pelos raios ultravioletas é parcialmente responsável pela ativação de quinases reguladas por sinais extracelulares (Erk ½), que ativam c-jun.

• TNFr: Ativação de Traf2, Proteína Quinase 2 e c-jun

• PDGFr: Aumento de Metaloproteinases via Ativação de Erk ½ e c-jun

O TNFr também participa da produção de MMPs quando ativado por estresses ambientais, como, por exemplo, a radiação

8 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos


IN FOCO ultravioleta. A sinalização das vias de transdução inicia-se na ativação do TNFr2 (receptor do fator de necrose tumoral membro da subfamília 1B), que ativa Traf2 (receptor TNF associado ao fator 2) e, sequencialmente, ativa a proteína quinase 2 e cjun, elevando a produção de MMPs.

6

Trautinger F. Mechanism to photo damage of the skin and its f u n c t i o n a l c o n s e q u e n c e s f o r s k i n a g e i n g . Clin Exp Dermatol 2002;26:573-7.

7

Lahmann C, Bergemann J, Harrison G, Young AR. M a t r i x m e t a l l o p r o t e i n a s e - 1 a n d s k i n a g e i n g i n s m o k e r s . Lancet 2001;357:935-6.

8

Rosette C, Karin M. Ultraviolet light and osmotic stress: Activation of the JNK cascade through multiple growth factor and cytokine receptors. Science 1996;274:1194-7.

9

Sies H, Stahl W. Carotenoids and UV protection. Photochem Photobiol Sci. 2004 Aug;3(8):749-52. Epub 2004 Apr 1.

10

M. G. Kosmadaki and B. A. Gilchrest. The role of telomeres in skin aging/photoaging. Micron Volume 35, Issue 3, April 2004, Pages 155-159.

11

Meinhard Wlaschek, Iliana Tantcheva-Poór, Lale Naderi, Wenjian Ma, Lars Alexander Schneider, Ziba Razi-Wolf, Jutta Schüller and Karin ScharffetterKochanek. Solar UV irradiation and dermal photoaging. Journal of Photochemistry and Photobiology B: Biology Volume 63, Issues 1-3, October 2001, Pages 41-51.

12

Bouissou H, Pieraggi MT, Julian M, Savit T. The elastic tissue of the skin. A comparison of spontaneous and actinic (solar) aging. Int J Dermatol 1988;27:327-35.

13

Fisher GJ, Talwar HS, Lin J, Lin P, McPhillips F, Wang Z, et al . Retinoic acid inhibits induction of c- Jun protein by ultraviolet radiation that occurs subsequent to activation of mitogen-activated p r o t e i n k i n a s e p a t h w a y s i n h u m a n s k i n i n v i v o . J Clin Invest 1998;101:1432-40.

14

Varga J., Rosenbloom J., Jimenez S.A. Transforming growth factor beta (TGF-beta) causes a persistent increase in steady-state amounts of type I and type III collagen and fibronectin mRNAs in normal human dermal fibroblasts. Biochem. J. (1987) 247, 597-604.

15

Farage M.A., Miller K.W.,, Maibach H.I. Textbook of aging skin. 2nd, Berlin: Springer, 2010 XXXVI, 1220 p.

16

Sylvie Verdier-Sévrain, Frédéric Bonté. Biology of estrogens in skin: implications for skin aging. Experimental Dermatology Volume 15, Issue 2, pages 83–94, February 2006.

17

Rittie L , Fisher GJ. UV-light -induced signal cascades and skin aging. Ageing Res Rev 2002;1:705-20.

18

Chauhan P, Shakya M. Modeling signaling pathways leading to wrinkle formation: identification of the skin aging target. Indian J Dermatol Venereol Leprol. 2009 Sep-Oct;75(5):463-8.

19

Kim YH, Chung CB, Kim JG, Ko KI, Park SH, Kim JH, Eom SY, Kim YS, Hwang YI, Kim KH. Anti-wrinkle activity of ziyuglycoside I isolated from a Sanguisorba officinalis root extract and its application as a cosmeceutical ingredient. Biosci Biotechnol Biochem. 2008 Feb;72(2):303-11. Epub 2008 Feb 7.

20

Imokawa G. Mechanism of UVB-induced wrinkling of the skin: paracrine cytokine linkage between keratinocytes and fibroblasts leading to the stimulation of elastase. J Investig Dermatol Symp Proc. 2009 Aug;14(1):36-43.

21

William Hornebeck. Down-regulation of tissue inhibitor of matrix m e t a l l o p r o t e a s e - 1 ( T I M P- 1 ) i n a g e d h u m a n s k i n c o n t r i b u t e s to matrix degradation and impaired cell growth and survival. Pathologie Biologie Volume 51, Issue 10, December 2003, Pages 569-573.

22

Kristie Leong. How to Understand What Causes Facial Wrinkles. Disponível em: <http://www.ehow.com/how_4470904_understand-whatcauses-facial-wrinkles.html>

• IL-1r: Ativação de Toll-like, Traf6 e Proteína Quinase A via de sinalização mediada pela IL-1r é ativada por estresses ambientais. Há a ativação do receptor toll-like e do receptor da interleucina 1 associado à quinase 2 (Irak2), que ativa ainda o receptor TNF associado ao fator 6 (Traf6). Após a ativação de Traf6, há a ativação da proteína quinase ativada por mitógeno, estimulando c-jun e, finalmente, produzindo MMPs, que eleva a degradação de colágeno. Quando as 5 vias de sinalização foram modeladas, verificou-se que a parte c-jun do fator de transcrição da proteína 1 (AP-1) foi envolvida em todas as cascatas de sinalização, sendo uma proteína intermediária comum.18

Dow Regulation das Metaloproteinases pelos TIMPs A up regulation das metaloproteinases (MMPs), particularmente colagenase-1 (MMP-1), estromelisina-1 (MMP-3) e gelatinase A (MMP-2) são responsáveis pela lise das fibras colágenas e elásticas durante o envelhecimento. O inibidor tecidual de metaloproteinases1 (TIMP-1) é um dos representantes da família de inibidores de MMP natural, composta por 4 membros. A sua expressão é reduzida com a senescência dos fibroblastos, contribuindo para o aumento da atividade catabólica na derme.21

Rugas Dinâmicas ou de Expressão O aparecimento das rugas dinâmicas ou de expressão ocorre quando há contração muscular, resultando em sobreposição da pele decorrente da contratura muscular. As rugas de expressão podem ocorrer em qualquer idade, porém são mais comuns na pele mais madura.22

Bibliografia 1

Pallavi Chauhan, Madhvi Shakya. Modeling signaling pathways leading to wrinkle formation: Identification of the skin aging target. Indian J Dermatol Venereol Leprol 2009;75:463-8.

2

Boukamp, Petra. Skin Aging: A Role for Telomerase and Telomere Dynamics? Current Molecular Medicine, Volume 5, Number 2, March 2005 , pp. 171-177.

3

Fisher GJ, Kang S, Varani J, Bata-Csorgo Z, Wan Y, Datta S, Voorhees JJ. Mechanisms of photoaging and chronological skin aging. Arch Dermatol. 2002 Nov;138(11):1462-70.

4

Alejandro Mosquera, José Luis Fernández, Asunción Campos, Vicente J Goyanes, José Ramiro-Díaz, Jaime Gosálvez. Simultaneous decrease of telomere length and telomerase activity with ageing of human amniotic fluid cells. J Med Genet 1999;36:494-496

5

Chika Kinugawa, Takashi Murakami, Kunihiro Okamura and Akira Yajima. Telomerase Activity in Normal Ovaries and Premature Ovarian Failure. The Tohoku Journal of Experimental Medicine Vol. 190 (2000) , No. 3 pp.231-238.

Prof. Maurício Gaspari Pupo Diretor da IPUPO Consultoria em Desenvolvimento Cosmético e Coordenador da Pós-Graduação e MBA em Cosmetologia do IPUPO em parceria com a Unicastelo. Editor Chefe da CI Cosmetic Ingredients Magazine.

Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos | 9


TESTES DE EFICÁCIA

Teste de Eficácia Antirrugas e Anti-aging Introdução Envelhecimento Cutâneo

A pele é um órgão único que reflete as mudanças inevitáveis que ocorrem em processo de envelhecimento do corpo. No século 21, temos uma melhor compreensão dos fatores que contribuem para a patogênese do envelhecimento da pele e, consequentemente, podemos desenvolver abordagens racionais para prevenir e tratar os efeitos do presente processo.1 As mudanças funcionais que ocorrem com o avanço da idade são atribuídas a vários fatores, como defeitos genéticos, meio ambiente (incidência UV), surgimento de doenças e expressão de genes do envelhecimento, ou gerontogênese. O envelhecimento também é decorrente das formações de lesões no DNA, ou seja, há um processo de oxidação celular generalizado. Por isso costuma-se dizer que “o homem não envelhece, mas oxida”. Existem dois tipos de envelhecimento, o intrínseco e o extrínseco. O envelhecimento intrínseco é decorrente do desgaste natural do organismo, causado pelo passar dos anos, sem a interferência de agentes externos e equivale ao envelhecimento de todos os órgãos, inclusive a pele. A aparência é a da pele idosa encontrada na face interna do braço, próxima à axila. É uma pele fina, com pouca elasticidade, mais flácida e apresentando finas rugas, porém sem manchas ou alterações da sua superfície. O envelhecimento extrínseco, ou fotoenvelhecimento, é aquele decorrente do efeito da radiação ultravioleta do sol sobre a pele durante toda a vida. O sol, que propicia momentos de lazer e que dá o bronzeado que aprendemos a considerar como modelo de saúde e beleza, é também o principal responsável pelo envelhecimento cutâneo, pois é a sua ação acumulativa sobre a pele que faz surgirem os sinais da pele envelhecida.2

Fotoenvelhecimento A luz solar é composta de ondas eletromagnéticas com diferentes níveis de energia, indo do infravermelho, composto de

10 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

ondas menos energéticas (maior comprimento de onda), até o ultravioleta C, com ondas mais energéticas e de menor comprimento. Ao alcançarem a pele, essas radiações penetram diferentemente, interagindo então com as células da epiderme e da derme e dando origem a processos degenerativos. A análise de cortes histológicos da pele aponta para interessantes relações entre a exposição solar e o envelhecimento: • Alterações Visuais. • Afinamento da pele, formação de rugas. • Alterações estruturais. Epiderme:

Afinamento (sendo a epiderme mais fina na porção mais funda da ruga) – pode ser observado pela diminuição no número de camadas da epiderme. Diminuição da filagrina (proteína de alto peso molecular, rica em histidina, que compõe os grânulos de querato-hialina, sendo a principal fonte dos aminoácidos que compõem o NMF) e da transglutaminase (conecta as proteínas da matriz macrocelular que compõem o envelope dos queratinócitos estratificados). Junção dermoepidérmica:

Diminuição do colágeno VII, o principal componente de ancoragem das fibrilas e responsável pela manutenção da estrutura papilar. Diminuição de colágeno IV, que forma uma rede organizada responsável pela estabilidade mecânica do tecido usada como molde para novas moléculas na regeneração tecidual. Derme e hipoderme:

Atrofia – redução dos teores de colágeno, glucosaminoglicanas (moléculas que consolidam as fibras de colágeno e participam da hidratação) e tecido adiposo na hipoderme. Observam-se também hipertrofia do tecido elástico e desaparecimento das fibras oxitalânicas.


TESTES DE EFICÁCIA No fotoenvelhecimento observa-se ainda a hiperplasia do tecido elástico (elastose actínica), com aspectos característicos, pois a radiação UV provoca ainda alterações na expressão de colágeno VII, aumentando sua produção nos fibrolastos e reduzindo sua produção nos queratinócitos.2

Figura 1

Antioxidantes Os compostos antioxidantes são assim chamados por serem capazes de reagir diretamento com agentes oxidantes – inclusive os radicais livres -, impedindo sua reação com os constituintes celulares. Os compostos antioxidantes possuem a capacidade de doar elétrons para os radicais livres, inativando-os. Vários compostos antioxidantes, como a vitamina C (ácido ascórbico), a vitamina E (alfa-tocoferol), o licopeno e os polifenóis, ajudam a eliminar os radicais livres formados no interior das células, protegendo-as contra a produção de danos oxidativos. Vitaminas antioxidantes e compostos antioxidantes naturais estão sendo amplamente utilizados na atualidade como proteção contra o estresse oxidativo, tanto em pesquisa básica como na aplicação para a prevenção de doenças associadas ao envelhecimento. A teoria do envelhecimento pelos radicais livres apresenta, assim, ampla aplicabilidade, tanto na compreensão do processo de envelhecimento em si como na prevenção das doenças crônicas da idade. A enorme quantidade de experimentos realizados em todas as partes do mundo validando a teoria do envelhecimento por radicais livres levou a se pesquisar intensamente o papel dos antioxidantes na prevenção do envelhecimento e no prolongamento do tempo de vida de animais e humanos. Inúmeros trabalhos científicos demonstram que o consumo de vitamina C (ácido ascórbico) reduz o risco de doenças crônicas da idade, como o câncer, doenças cardiovasculares e catarata. A vitamina C também apresenta efeitos benéficos quando aplicada diretamente sobre a pele, na forma de produtos cosméticos. Diversos trabalhos científicos relacionam a aplicação tópica de complexos de vitamina C à indução da síntese de colágeno na pele e à diminuição de rugas. Uma pesquisa recente realizada na Universidade da Califórnia apresenta resultados positivos da aplicação facial de um complexo de vitamina C contendo 10% de ácido ascórbico hidrossolúvel e 7% de um derivado lipossolúvel. Biópsias de pele foram retiradas para análise da produção de colágeno. Os resultados mostraram que o complexo de vitamina C produzia uma melhora clinicamente visível da pele (medidas de hidratação e rugosidade), o que se correlacionava com as evidências da nova síntese de colágeno. Outras famílias de antioxidantes também muito conhecidas são a dos compostos carotenoides (beta caroteno) e o licopeno.

Figura 1. (a) um indivíduo com pele Fototipo I exibindo resposta de fotodano atrófico da pele com rugas e com várias queratoses actínicas (setas) e um local de célula basal anterior carcinoma na face lateral do nariz. (b) Um indivíduo com pele Fototipo IV exibindo resposta de fotoenvelhecimento hipertrófico da pele com rugas profundas e couro, como a pele grossa. Fonte: Photodermatology (Lim HW, Honigsmann H, Hawk JLM, eds). New York: Informa Healthcare USA, Inc., 2007; 91– 106.3

Figura 2

Figura 2. A) Significativo fotodano facial com irregularidade textural, bem como linhas de fundo antes da terapia. B) melhoria visível na textura e nas linhas foi observada após 90 dias do uso de vitamina C tópica. Fonte: Richard E. Fitzpatrick, MD*.4

Veja a seguir (Figura 2) imagens do antes e do depois de 90 dias do uso de vitamina C.2

Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos | 11


TESTES DE EFICÁCIA

Figura 3. Visia Complexion Analysis – Individual Facial Analysis – Fonte: http://www.visia-complexion-analysis.com/visia-analysis.asp

As metodologias apresentadas a seguir foram especificamente direcionadas para mensurar a eficácia de produtos cosméticos anti-aging / antirrugas.

dade e condições cutâneas e subcutâneas (ex: análise da melanina e condição vascular). Características

®

Profilometria: Primus 3D (Cosmetic Scanner) – Skin Visiometer® - Visia®

Idade entre 40 e 60 anos. 4

Referências Bibliográficas Primus ® 1

L. M. Jerry, M. K. Kristen, Prevention and Treatment of Skin Aging Department of Dermatology, University of California, Irvine, California, USA Ann. N.Y. Acad. Sci. 1067: 323–331 (2006). C _ 2006 New York Academy of Sciences. doi: 10.1196/annals.1354.044;

2

M. I. N. C. Harris – Pele – Estrutura, propriedades e envelhecimento – Editora SENAC São Paulo – 2003;

3

M. Yaar, B. A. Gilchrest, Photoageing: mechanism, prevention and therapy – Department of Dermatology, Boston University School of Medicine, 609 Albany Street, Boston, MA 02118-2394, U.S.A. – 2007 – Journal Compilation_2007 British Association of Dermatologists – British Journal of Dermatology 2007 157, pp874-887;

4

R. E . Fitzpatrick, F., E . F. Rostan, Double -blind, Half-face study comparing topical Vitamin C and Vehicle for Rejuvenation of Photodamage – 2002 by the American Society for Dermatologic Surgery, Inc. – Published by Blackwell Publishing, Inc. ISSN: 1076-0512/02/S15.00 – Dermatol Surg 2002;28:231-236;

5

L. K. Smalls, R. R. Wickett, M. O. Visscher, Effect of dermal thickness, tissue composition, and body site on skin biomechanical properties, Skin Research and Tecnology 2006; 12: 43-49. Printed in Singapore.

®,

As medidas são realizadas com o equipamento Primus onde um sistema óptico do equipamento produz medidas tridimensionais da superfície da pele. O Primus® 3D produz precisamente dados quantitativos de profundidade, extensão e largura das rugas, além de cicatrizes e outras características da microtopografia da pele facial (características geométricas, microestrutura e rugosidade da superfície da pele). Skin Visiometer ®

Nessa técnica é aplicado à pele facial (região dos olhos) um molde de silicone (secagem rápida) para obtenção de uma réplica fiel ao estado topográfico da pele (ex: rugas, linhas de expressão). Essa réplica então é trabalhada no equipamento óptico para avaliar-se também a profundidade, extensão das linhas de expressão (rugas). Os valores de volume em mm2 podem ser expresso em termos percentuais. Visia ®

Esse equipamento é constituído de um sistema de imagem multiespectral. (Figura 3). O mapeamento também é tridimensional como no Primus®. O Visia avalia textura, nível de rugas, poros, cicatrizes de acne, manchas, pintas, uniformi12 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

Prof.

Cassiano Carlos Escudeiro

Diretor Científico do Grupo ECOLYZER Divisão de Estudos Cosméticos (Eficácia e Segurança) e Professor do MBA em Cosmetologia do IPUPO.


Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 13


NUTRICOSMÉTICA

GLOWELLETM - Beauty Drink A Bebida da Beleza A Nestlé, EUA, desenvolveu um suplemento nutricional na forma de bebida líquida ou em sachês, que contém grandes quantidades de nutrientes e extratos naturais antioxidantes, sem flavorizantes, corantes e edulcorantes artificiais. Os produtos da linha GLOWELLETM são ricos em antioxidantes, como as vitaminas A, C e E, em associação com extratos de frutas e extratos de chá verde e chá branco, que protegem e nutrem a pele. Esse produto está disponível em 2 sabores e 2 tipos de apresentação (sachês e bebida pronta). O produto encontra-se disponível no mercado internacional pelo preço médio de $40,00 (7 sachês).

Multi Nutrient GOLD™ Multivitamínico com Resveratrol Segundo o fabricante desse suplemento antioxidante, Multi Nutrient GOLD™ é seu produto multivitamínico mais completo, formulado para proporcionar vitaminas, minerais e antioxidantes essenciais para promover o equilíbrio nutricional, a longevidade máxima e a proteção contra lesões causadas por radicais livres. Ele contém Coenzima Q10, Vitamina E, Curcumina, Licopeno, Luteína, Zeaxantina, Grape Seed Extract, extratos de chá verde e Ginkgo Biloba. A fórmula é também enriquecida com vitaminas do complexo B, cálcio, magnésio, selênio e cromo, assim como zinco e cobre na proporção otimizada.

Evelle - Eficácia Anti-Aging Clinicamente Comprovada

O produto está disponível no mercado internacional pelo preço médio de $ 59,95.

Evelle é uma combinação de produtos nutricionais, especialmente formulada para manter a saúde da pele, dos cabelos e das unhas. Um estudo científico realizado com esse produto (D Segger, F Schönlau. Supplementation with Evelle ® improves skin smoothness and elasticity in a double blind, placebo controlled study with 62 women. Journal of Dermatological Treatment Jan 2004, Vol. 15, No. 4: 222– 226.), publicado em um renomado periódico confirmou que as rugas podem ser prevenidas através da suplementação ‘de dentro para fora’. Pesquisadores do Instituto SIT (Skin Investigation and Technology) comprovaram que a suplementação de 6 semanas melhora a maciez e a elasticidade da pele. O produto é composto por antioxidantes e extratos de plantas.

Composição: CoQ10, Full Spectrum Vitamin E, Curcumin, Lycopene, Lutein, Zeaxanthin, Grape Seed Extract, Alpha Lipoic Acid (100 mg), Green Tea Extract, Ginkgo Biloba (120 mg), Açai Berry (800 mg), Resveratrol (150 mg), Quercetin (500 mg), Vitamin D3 (2,000 IU), etc.

Está disponível no mercado internacional pelo preço médio de £34,95. Composição: Vitamin C, Vitamin E, Selenium, Pycnogenol, Tomato Extract, Blueberry Extract, Biotin,Zinc, Marine Complex Extract and Horsetail.Extract.

A formulação não contém ferro, iodo, corantes e preservantes artificiais. Esse produto foi formulado com potentes antioxidantes resveratrol, quercetina, ácido alfa-lipoico e extrato de açaí. Segundo o fabricante, Multi Nutrient GOLD™ promove a proteção máxima da ação dos radicais livres, que equivale a 15 porções de frutas e vegetais.

14 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos


Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 15


NUTRICOSMÉTICA

Nutricosmética Anti-Aging: Bases Científicas Impacto na Beleza e no Envelhecimento da Pele Os suplementos nutricionais são definidos como ‘fontes concentradas’ de nutrientes e outras substâncias com efeitos nutricionais e fisiológicos que suplementam uma dieta normal. Com o aumento da expectativa de vida, no começo do século 21 também surgiu uma nova preocupação nos países desenvolvidos e na ciência nutricional: melhora da qualidade de vida. As pessoas idosas são muito preocupadas com sua aparência, querendo parecer atraentes e saudáveis. Além do uso tradicional de produtos tópicos, os suplementos nutricionais cada vez mais apresentam uma nova estratégia para melhorar a beleza da pele. 1 Os suplementos multivitamínicos contêm uma grande quantidade de vitaminas e minerais, sendo a maior fonte dos micronutrientes.3. O envelhecimento cutâneo é um processo contínuo, determinado pela influência interna (envelhecimento intrínseco), pelos fatores ambientais (exposição solar e poluição ambiental) e pelo estilo de vida (fumo, baixo IMC e menopausa, entre outros). O envelhecimento afeta a função e a aparência da pele. As alterações da aparência e os sinais mais visíveis do envelhecimento são rugas, pigmentação irregular, sagging, atrofia, elastose e telangiectasia. As mudanças da aparência afetam negativamente a autoestima e a vida social. Além disso, a aparência é um indicador de saúde, sendo também confirmado que as pessoas que aparentam ser mais velhas apresentam maior risco de mortalidade.2

Nutrição e Saúde da Pele A nutrição balanceada é essencial não somente para a prevenção das doenças crônicas, mas também para a manutenção da saúde e das funções normais da pele. Certos nutrientes foram identificados como essenciais para as funções normais da pele, tais como a vitamina C, necessária para a síntese de colágeno (2). Estudos reportaram que a ingestão de nutrientes e alimentos pode influenciar a aparência da pele. Em 2001, Purba et al. descreveram que as lesões actínicas, particularmente as rugas, podem estar associadas a hábitos alimentares, enquanto em um outro estudo foi confirmado que a alta ingestão da vitamina C e do ácido linoleico, assim como o baixo consumo de gorduras e carboidratos, estão associados a melhor aparência cutânea.1

16 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

Uso Diário de Multivitaminas Está Associado a Maior Extensão Telomérica: Aumento da Extensão que Corresponde a 9,8 Anos de Vida! 3 Os telômeros são compostos pela sequência repetitiva TTAGGG e são proteínas localizadas nos finais dos cromossomas que protegem os cromossomos da degradação ou de uma recombinação perigosa. Nas células somáticas, a extensão dos telômeros é reduzida após cada divisão celular, o que pode eventualmente levar à senescência ou à apoptose celular. Por isso, a extensão telomérica é proposta como um marcador do envelhecimento biológico. Evidências sugerem que o estresse oxidativo e a inflamação crônica podem contribuir para a redução dos telômeros e que alguns nutrientes, tais como vitaminas e minerais antioxidantes, podem afetar a extensão de telômeros, modulando o estresse oxidativo a a inflamação crônica. Por isso, pesquisadores do Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional para Ciências Ambientats do Instituto Nacional da Saúde, EUA, avaliaram se o uso de multivitaminas está associado a maior extensão de telômeros. Neste estudo foram utilizados os dados obtidos de 586 mulheres com idade entre 35 e 74 anos. O uso de multivitaminas e a ingestão de nutrientes foram avaliados através de um extenso questionário e a extensão telomérica do DNA leucocítico foi quantificada. Das mulheres avaliadas, 65% utilizaram a suplementação multivitamínica pelo menos 1 vez por mês, e a maioria delas (74%) administrava essa suplementação diariamente. Aproximadamente 89% das usuárias suplementavam multivitaminas uma vez ao dia, 21% usavam a combinação antioxidante e 17% vitaminas do complexo B ou comprimidos contra estresse. Generalizando, o uso de multivitaminas foi associado a maior extensão telomérica. Comparadas às não usuárias, as usuárias que administravam a suplementação diariamente apresentavam a extensão telomérica 5,1% maior, o que corresponde à perda telomérica de 9,8 anos.


NUTRICOSMÉTICA

Extensão Telomérica Vs. Frequência de Suplementação

Em mulheres que usavam a suplementação multivitamínica durante mais de 5 anos, a extensão telomérica foi 3% maior, e nas que administravam a suplementação antioxidante por mais de 5 anos, a extensão foi 8% maior. As usuárias da vitamina B12 apresentaram a extensão telomérica 5,9% superior, enquanto o ferro reduziu sua extensão.

dermatológica normal e falta de conhecimento sobre os efeitos da dieta na aparência cutânea, uma equipe de pesquisadores britânicos conduziu um estudo com o objetivo de avaliar a associação entre a ingestão de nutrientes e aparência da pele envelhecida. Nesse estudo, foram utilizados os dados da primeira pesquisa National Health and Nutrition Examination Survey, realizada em 4.025 mulheres (com idade entre 40 e 74 anos) para confirmar a associação entre a ingestão de nutrientes e o envelhecimento cutâneo. A ingestão de nutrientes foi estimada através de um recall de 24 horas. A avaliação clínica da pele foi conduzida por dermatologistas. A aparência da pele envelhecida foi definida como presença da aparência de rugas, xerose senil e atrofia cutânea. Segundo os resultados, a aparência ‘rugosa’ estava presente em 22,3%, xerose senil em 28,8% e a atrofia cutânea em 12,8% das mulheres. Distribuição de Parâmetros Avaliados

Entre as mulheres não usuárias da suplementação, a ingestão de vitaminas C, E e A, betacaroteno, folato e magnésio está associada a maior extensão de telômeros. Am J Clin Nutr. 2009 Jun;89(6):1857-63. Epub 2009 Mar 11.

Suplementação para Mulheres PósMenopausadas: Extratos Vegetais, Vitaminas C e E, Zinco e Polissacarídeos de Proteínas de Peixe Promovem Melhora da Condição, da Estrutura e da Firmeza Cutânea6 Um estudo clínico realizado por pesquisadores da Universidade de Copenhagen, Dinamarca, avaliou os efeitos de uma suplementação na pele de 80 mulheres pósmenopausadas. Foi administrada a suplementação de um produto comercial baseado em: polissacarídeos de proteína de peixe, extrato de soja, chá verde, semente de uva e camomila, vitaminas C e E e zinco. As mulheres foram suplementadas 2 vezes ao dia, durante 6 meses, com essa formulação ou placebo. Comparado ao placebo, o grupo que recebeu a suplementação obteve significativa melhora nas rugas da testa, perioculares e periorais, na hiperpigmentação, na flacidez e nas olheiras. As medições por ultrassom também mostram que o grupo que recebeu a suplementação obteve uma grande e significativa melhora dos parâmetros da densidade.

Os demais resultados são apresentados na tabela a seguir. Nutriente Altas doses de vitamina C.

Eur J Clin Nutr. 2006 Oct;60(10):1201-6. Epub 2006 May 3.

Alta Ingestão de Vitamina C e Ácido Linoleico e Baixa Ingestão de Gordura e Carboidratos Melhoram a Aparência da Pele Envelhecida em Mulheres de Meia-Idade4 Baseados nos dados que relataram que os fatores nutricionais exercem o papel principal na função

Resultado Menor possibilidade de aparecimento de rugas e xerose senil.

Altas doses de ácido linoleico. Aumento da ingestão de gordura em 17 g e de carboidratos em 50 g.

Menor possibilidade de xerose senil e atrofia cutânea. Aumento da possibilidade de aparecimento de rugas e de atrofia cutânea.

Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos | 17


NUTRICOSMÉTICA

imagem

A ingestão de altas doses de vitamina C foi associada a menor possibilidade de aparecimento de rugas e xerose senil, enquanto a alta ingestão de ácido linoleico foi correlacionada a menor possibilidade de xerose senil e atrofia cutânea. Um aumento da ingestão de gordura em 17 g e de carboidratos em 50 g aumentou a possibilidade do aparecimento de rugas e de atrofia cutânea. Essas associações não foram correlacionadas a: idade, raça, educação, exposição ao sol, renda, menopausa, índice da massa corpórea, uso de suplementos, atividade física e ingestão energética. Os pesquisadores concluíram que a ingestão de altas doses de vitamina C e de ácido linoleico e a baixa ingestão de gordura e carboidratos estão associadas à melhora da aparência da pele envelhecida.

Formação de Rugas é Influenciada pela Alimentação 5 Um grupo de pesquisadores avaliou se a alimentação pode modular o envelhecimento actínico e a formação de rugas nas áreas expostas ao sol em 453 pessoas de origem diferentes que moram na Grécia na Austrália e na Suécia. Os resultados confirmaram que as pessoas que moram na Suécia apresentavam o menor número de rugas. As pessoas que ingeriram os seguintes grupos de alimentos apresentavam menos lesões actínicas: vegetais, óleo de oliva, peixe e legumes (juntos explicando a variância de 20%). A baixa ingestão de manteiga, margarina, laticínios e carboidratos também está relacionada ao menor número de rugas. J Am Coll Nutr. 2001 Feb;20(1):71-80.

Suplementação de Glicosamina, Aminoácidos, Minerais e Antioxidantes, por 5 Semanas, Reduz Rugas e Linhas Finas em 34%7 Em um estudo randomizado, controlado e simplescego, 53 voluntárias receberam uma suplementação oral contendo glicosamina, aminoácidos, minerais e antioxidantes. A avaliação da hidratação da pele, bem

18 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

como a análise da textura das linhas finas e rugas nas mulheres, foram realizadas após 5 semanas do início da suplementação e os resultados foram comparados com um grupo controle de 12 indivíduos que não receberam a suplementação. Os resultados confirmaram que, estatisticamente, houve uma significativa redução no número de rugas visíveis e de linhas finas no grupo de mulheres que recebeu a suplementação, com redução das rugas e linas finhas em 34%. Em relação à hidratação cutânea, nenhuma alteração foi observada nos grupos desse estudo. O uso da suplementação oral de glicosamina, aminoácidos, minerais e vários compostos antioxidantes pode, potencialmente, melhorar a aparência das rugas visíveis e das linhas finas. J Dermatolog Treat. 2001 Mar;12(1):47-51.

Referências Bibliográficas 1

P i c c a r d i N , M a n i s s i e r P. N u t r i t i o n a n d n u t r i t i o n a l s u p p l e m e n t a t i o n : I m p a c t o n s k i n h e a l t h a n d b e a u t y. Dermatoendocrinol. 2009 Sep;1(5):271-4.

2

Cosgrove MC, Franco OH, Granger SP, Murray PG, Mayes AE . Dietary nutrient intakes and skin-aging appearance among m i d d l e - a g e d A m e r i c a n w o m e n . A m J C l i n N u t r. 2 0 0 7 Oct;86(4):1225-31.

3

Xu Q, Parks CG, DeRoo LA, Cawthon RM, Sandler DP, Chen H. Multivitamin use and telomere length in women. Am J Clin Nutr. 2009 Jun;89(6):1857-63. Epub 2009 Mar 11.

4

Cosgrove MC, Franco OH, Granger SP, Murray PG, Mayes AE . Dietary nutrient intakes and skin-aging appearance among m i d d l e - a g e d A m e r i c a n w o m e n . A m J C l i n N u t r. 2 0 0 7 Oct;86(4):1225-31.

5

Purba MB, Kouris -Blazos A, Wattanapenpaiboon N, Lukito W, Rothenberg EM, Steen BC, Wahlqvist ML. S k i n w r i n k l i n g : c a n food make a difference? J Am Coll Nutr. 2001 Feb;20(1):71-80.

6

Skovgaard GR, Jensen AS, Sigler ML. Effect of a novel dietary supplement on skin aging in post-menopausal women. Eur J Clin Nutr. 2006 Oct;60(10):1201-6. Epub 2006 May 3.

7

M u r a d H , Ta b i b i a n M P. T h e e f f e c t containing glucosamine, amino antioxidants on cutaneous aging: Segundo, California 90245, USA. J Mar;12(1):47-51.

of an oral supplement acids, minerals, and a p r e l i m i n a r y s t u d y. E l D e r m a t o l o g Tr e a t . 2 0 0 1


Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 19


INNOVATION AND TECHNOLOGY

Fosfolipídios em Cosméticos Redução da TEWL, Reestruturação da Barreira Cutânea e Excelente Compatibilidade Com a Pele1-6

Entre os lipídios que formam a membrana extracelular lamelar estão os fosfolipídios. Esses são constituintes essenciais da membrana celular. Apresentam-se organizados em bicamadas, formando uma barreira protetora seletiva.2 J Lipid Res. 2009 Apr;50 Suppl:S417-22. Epub 2008 Oct 31.

A pele tem a função vital de fornecer uma barreira frente ao ambiente externo. Há duas barreiras que são absolutamente essenciais para a sobrevivência: a barreira à circulação de água e eletrólitos (permeabilidade da barreira) e a barreira contra microrganismos e agentes tóxicos (a barreira antimicrobiana). Os lipídios desempenham um papel essencial na formação e na manutenção dessas duas barreiras, a de permeabilidade e a antimicrobiana. Os fosfolipídios são essenciais para a função barreira cutânea, evitando a perda de água transepidérmica e agindo também na função barreira antimicrobiana. Há estudos nos quais se verificou que os fosfolipídios também demonstraram moderada atividade antimicrobiana em testes in vitro.2 J Lipid Res. 2009 Apr;50 Suppl:S417-22. Epub 2008 Oct 31.

Quando aplicados diretamente na pele, os fosfolipídios exercem diferentes funções, resultando na diminuição da perda de água transepidermal (TEWL) e na reconstituição da barreira cutânea. As diferentes funções dos fosfolipídios exercidas na pele são: • Proteção da pele através da formação de uma camada chamada 2ª pele;

Legenda: Estrutura de um Fosfolipídio

Os fosfolipídios possuem a propriedade de formação de película sobre a pele, reduzindo a perda de água transepidermal (TEWL) e aumentando, assim, a hidratação do estrato córneo. Além disso, os fosfolipídios carreiam água, permitindo a formação de um filme residual, tendo efeito de liberação prolongada na pele. Eles também têm a propriedade de não serem alergênicos e de reduzirem a irritação causada pelos surfactantes. 1 Devido à capacidade dos fosfolipídios de se organizarem em bicamadas, os fosfolipídios baseados em emulsificantes permitem a obtenção de emulsões lamelares. Os fosfolipídios podem variar sua estrutura de acordo com a quantidade de água, como pode ser observado na figura a seguir: 1

• Regeneração cutânea; • Melhora da hidratação e da elasticidade. 1

Organização em Bicamadas Semelhança dos Fosfolipídios com a Pele Fosfolipídios são componentes essenciais da estrutura de todas as membranas biológicas. A capacidade dos fosfolipídios de se organizarem em bicamadas significa que os sistemas formados são muito semelhantes à estrutura da pele. Os produtos formulados com fosfolipídios, assim, possuem alta afinidade, compatibilidade e tolerabilidade cutânea. 1 20 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

Legenda. Variação da estrutura dos fosfolipídios de acordo com a quantidade de água.


Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 21


INNOVATION AND TECHNOLOGY Entre as vantagens de produtos formulados com fosfolipídios está a superposição das camadas fosfolipídicas, que proporciona uma estrutura biomimética, promovendo efeito protetor e de oclusão cutânea. Além disso, outras vantagens são alta afinidade, compatibilidade e tolerância com a pele, e o sensorial sofisticado, suave, aveludado, refrescante e não oleoso que esses produtos com fosfolipídios proporcionam. 1

para formar uma barreira à perda transepidermal de água (TEWL). A elevada TEWL prejudica as funções enzimáticas requeridas para a descamação normal da pele, resultando em uma aparência seca e escamosa. Isso mostra que os fosfolipídios exercem função importante na proteção da pele contra a perda de água transepidérmica. 4 J Cosmet Dermatol.2007 Jun;6(2):75-82.

A possibilidade de que os produtos dermatológicos e cosméticos que contêm lipídios constituintes do estrato córneo poderiam desempenhar um papel na restauração da função de barreira da pele é de grande interesse na área de dermatologia e cosmética. Com esse objetivo, pesquisadores alemães realizaram um estudo que comparou emulsões O/A contendo lipídios naturais do estrato córneo com emulsões sem esses componentes em relação a hidratação, elasticidade e eritema. Foi comprovado que essas emulsões contendo lipídios naturais do estrato córneo melhoraram a hidratação e a viscoelasticidade da pele, além de apresentarem excelente tolerabilidade cutânea.5 Legenda. Quando as emulsões baseadas em fosfolipídios são aplicadas na pele, formam uma estrutura lamelar e uma segunda pele com camadas visíveis em microscópio eletrônico, como pode ser observado na imagem acima.

Cosméticos com Fosfolipídios e Seus Benefícios Cutâneos Devido a muitos fatores, como componentes estruturais das membranas celulares, formação de efeito segunda pele e proteção da barreira cutânea, há diversos estudos comprovando os benefícios para a pele do uso de produtos baseados em fosfolipídios. Um estudo conduzido por pesquisadores do Departamento de Ciências Radiológicas, St. Jude Children’s Research Hospital, EUA, comparou um creme-base fosfolipídico com um gel-base de Aloe vera e determinou seus respectivos efeitos na prevenção e no tratamento da dermatite pós-radioterapia em 44 pacientes pediátricos (média de idade de 11 anos). Os resultados mostraram que o creme-base fosfolipídico foi mais efetivo que o gel-base de Aloe vera, mostrando resultados significativamente mais favoráveis nas variáreis aspereza, maciez, secura, sensação de bem-estar, suavidade, descamação, eritema e xerose. Portanto, esse estudo mostrou que um creme-base fosfolipídico foi eficaz na prevenção e no tratamento da dermatite pós-radioterapia.3 Radiat Oncol. 2007 Dec 19;2:45.

Um estudo publicado no Journal of Cosmetic Dermatology mostrou que a água é absolutamente essencial para o funcionamento normal da pele, e que a perda de água cutânea deve ser cuidadosamente regulada, pois a função da pele é dependente da natureza complexa do estrato córneo. Os lipídios intercelulares do estrato córneo arranjam-se ordenadamente 22 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

Int J Pharm. 2006 Jan 13;307(2):232-8. Epub 2005 Nov 11.

Pesquisadores do Instituto de Biofísica Teórica e Experimental da Academia de Ciência Russa, Rússia, promoveram um estudo que mostrou que a aplicação tópica de formulação baseada em lecitina (fosfolipídio da soja) não provocou reação inflamatória no local da ferida em queimaduras induzidas por ácido acético glacial. Além disso, a avaliação histológica mostrou que a melhora na regeneração da pele foi acompanhada por reparação dos folículos pilosos e das glândulas sebáceas.6 Bull Exp Biol Med. 2009 Apr;147(4):531-6.

Efeitos da Atividade Fosfolipídica na Pele Diminuição da TEWL e Reconstituição da Barreira Cutânea A natureza anfifílica dos fosfolipídios permite que eles atuem como coemulsificantes. Os emulsificantes baseados em fosfolipídios podem formar estruturas lamelares sob condições específicas. A superposição dessas camadas é emulmimética e muito similar à estrutura da pele. Assim, produtos cosméticos formulados com fosfolipídios fornecem elevada afinidade, compatibilidade e tolerância cutânea. A soja é uma das melhores fontes de fosfolipídios de alta qualidade.1 As propriedades formadoras de filme dos fosfolipídios possibilitam um aumento da hidratação do estrato córneo (EC). Os ativos emulsionantes baseados em fosfolipídios prometem exercer funções hidratantes para a pele e também benefícios farmacotécnicos para a formulação, melhorando a estabilidade da mesma, sendo farmacotecnicamente denominados agentes geleificantes e indicados para todos os tipos de peles. Na tabela a seguir segue alguns emulsionantes baseados em fosfolipídios desenvolvidos pela empresa francesa Lucas Meyer.1


INNOVATION AND TECHNOLOGY A seguir se encontram as principais características e estudos de eficácia que evidenciam a ação dos emulsificantes baseados em fosfolipídios da francesa Lucas Meyer. Os resultados indicam a ação específica de cada agente na pele. 1

AmisolTM Soft: Emulsificante Restaurador da Função Barreira Amisol TM Soft é um blend otimizado de fosfolipídios, fitoesteróis e lipídios vegetais que forma emulsões em rede lamelar estável. Essa estrutura biomimética é particularmente

adequada para peles sensíveis ou expostas ao estresse. Além disso, já são conhecidas as propriedades anti-inflamatórias dos fitoesteróis, que acalmam e suavizam a pele irritada. INCI Name: Behenyl alcohol (and) Glyceryl stearate (and) Lecithin (and) Glycine soja (soybean) sterols. O AmisolTM Soft é, portanto, um emulsionante lamelar polivalente obtido da combinação de fosfolipídios e fitoesteróis, que mimetiza a estrutura lipídica do stratum corneum, apresentando ótima compatibilidade com a pele. Possui teste in vivo para redução da TEWL.

Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos | 23


INNOVATION AND TECHNOLOGY

Estudo realizado pelo fabricante mostrou que o Amisol™ Soft a 5,0% consegue reduzir a variação da TEWL, assegurando hidratação ótima.

BiophilicTM: Emulsionante Biofílico Formador de Estrutura Lamelar O BiophilicTM, por ser um mimetizador da estrutura da pele, é o único emulsificante para produtos pessoais que combina função tecnológica com as propriedades no tratamento da pele, tais como a reestruturação cutânea, com redução da TEWL. Os testes de eficácia realizados com o Biophilic™ evidenciaram a formação da emulsão lamelar e a redução da perda de água transepidermal. Graças à capacidade dos fosfolipídios de se organizarem em bicamadas, o BiophilicTM permite a obtenção de emulsões lamelares, muito parecidas com a estrutura da pele.

Legenda: Gel com Biophilic™ a 5% testado no antebraço de 6 voluntários após lavagem com solução de lauril sulfato de sódio 10%. Os resultados mostram que ele ajuda na restauração da barreira danificada por reduzir a TEWL.

Há dois tipos diferentes de Biophilic™, o Biophilic™ S e o Biophilic™ H: Biophilic™ H é constituído por lecitina hidrogenada. Apresenta propriedades espessantes que permitem formular cremes muito estáveis, capazes de incorporar até 40% do seu peso em óleo. O Biophilic™ H, além de produzir emulsões O/A mais estáveis, apresenta propriedades geleificantes com uma textura única. A formação da rede lamelar na pele promovida pelos fosfolipídios contribui para a propriedade de formação de um filme, prevenindo a perda de água através da pele (TEWL) e a liberação prolongada de ativos. INCI name: Hydrogenated lecithin (and) C12-16 alcohols (and) Palmitic acid. Biophilic™ S é constituído por lecitina não hidrogenada. Forma rede lamelar na pele devido ao seu conteúdo fosfolipídico e contribui para formação de um filme, prevenindo a perda de água através da pele (TEWL) e a liberação prolongada de ativos. INCI name: Lecithin (and) C12-16 alcohols (and) Palmitic acid.

Um gel com Biophilic™ a 5% foi testado no antebraço de 6 voluntários após a lavagem com solução de lauril sulfato de sódio a 10%. O gráfico abaixo demonstra a redução de 22% da TEWL após a aplicação de um gel com Biophilic™.

24 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

EmulmetikTM Série: 97% de Fosfolipídios da Soja A série Emulmetik TM oferece uma ampla escolha de fosfolipídios com diferente conteúdo de fosfatidilcolina. A série EmulmetikTM é composta por seis tipos diferentes de agen-


INNOVATION AND TECHNOLOGY tes baseados em lecitina hidrogenada ou não, podendo ser usados como agente sensorial, emulsionante, coemulsionante.

HELIOGELTM: Modificador de Reologia Heliogel™ é um novo agente geleificante de preparo rápido, livre de etoxilações. Devido à presença de fosfolipídios do girassol em sua composição, Heliogel™ apresenta alta compatibilidade com a pele, conferindo, também, texturas inovadoras para veículos cosméticos. INCI Name: Sodium acrylates copolymer (and) Hydrogenated polyisobutene (and) Phospholipids (and) polyglyceryl-10 stearate (and) Helianthus annuus (sunflower) seed oil.

AmisolTM TRIO: Alta Bioafinidade e Aderência na Superfície Cutânea O Amisol TM Trio é um agente sobreengordurante e emulsificante. É um complexo de liponutrientes e agentes hidroprotetores baseado em glicolipídios de soja, fosfolipídios, fitosteróis e vitamina F. Suas propriedades particulares, promovidas principalmente pelos fosfolipídios, proporcionam alta bioafinidade do AmisolTM Trio por cabelos ou pele, promovendo reparação, hidratação e maciez, com o famoso ‘toque fosfolipídico’ no local da aplicação. INCI Name: Phospholipids (and) Glycine soja (soybean) oil (and) Glycolipids (and) Glycine soja (soybean) sterols. Em um estudo realizado em 10 voluntários com pele seca, os braços dos voluntários receberam 15 aplicações de fita adesiva e, em seguida, aplicação de um gel contendo 1,5% de AmisolTM TRIO. Após 1 hora da aplicação, foi mensurada a TEWL. A TEWL foi reduzida em -13% 1 hora após a aplicação, mostrando que o AmisolTM TRIO promove um filme protetor contra agentes agressivos externos. O Amisol™ TRIO é capaz de neutralizar a irritação causada pela aplicação de um agente irritante para a pele (Sodium Dodecyl Sulphate) em 90%. Abaixo se seguem imagens de epiderme tratada com SDS (0,1%).

Legenda. Heliogel™ a 3% foi comparado a um produto referência na mesma concentração e mostrou uma superioridade no escore de refrescância e uma diminuição no escore do efeito tacky, após 1 minuto de aplicação nos voluntários.

Assim, o Heliogel™ mostrou-se 9,4% mais refrescante que o produto referência do mercado e mostrou conferir 17,5% menos sensorial pegajoso que este. O Heliogel™, portanto, é um agente modificador de reologia baseado em fosfolipídios do óleo de girassol, que não conferem tacky à formulação, além de ter alta compatibilidade cutânea.

LECIGELTM: Modificador de Reologia Oil-Free LECIGEL™ é um formador de gel com propriedades emulsificantes baseado em lecitina, um fosfolipídio da soja. Ele é especialmente adaptado para uma formulação de gelcreme, proporcionando um ‘toque fosfolipídico’, deixando a pele com sensação de suavidade, frescor e não oleosa. Contém 19% a 24% de fosfolipídios.

O Amisol™ TRIO reforça a função de barreira da pele e repõe as frações lipídicas na fibra capilar, sendo utilizado em formulações para tratamento da pele e em produtos hair care indicados para cabelos danificados, quimicamente tratados ou expostos a agressões ambientais. Também pode ser utilizado para a reparação do couro cabeludo sensível ou sensibilizado. Apresenta boa tolerância cutânea e propriedade anti-irritante que diminui o potencial de irritabilidade da formulação.

Bibliografia 1

Lucas Meyer, França.

2

Feingold KR. The outer frontier: the importance of lipid metabolism in the skin. J Lipid Res. 2009 Apr;50 Suppl:S417-22. Epub 2008 Oct 31.

3

Merchant TE, Bosley C, Smith J, Baratti P, Pritchard D, Davis T, Li C, Xiong X. A phase III trial comparing an anionic phospholipid-based cream and aloe vera-based gel in the prevention of radiation dermatitis in pediatric patients. Radiat Oncol. 2007 Dec 19;2:45.

4

Verdier-Sévrain S, Bonté F. Skin hydration: a review on its molecular mechanisms. J Cosmet Dermatol. 2007 Jun;6(2):75-82.

5

Yilmaz E, Borchert HH. Effect of lipid-containing, positively charged nanoemulsions on skin hydration, elasticity and erythema—an in vivo study. Int J Pharm. 2006 Jan 13;307(2):232-8. Epub 2005 Nov 11.

6

Naumov AA, Shatalin YV, Sukhomlin TK, Potselueva MM. Effect of liposomes containing antioxidant, phospholipid, and amino acid on skin regeneration after chemical burn. Bull Exp Biol Med. 2009 Apr;147(4):531-6.

INCI Name: Sodium acrylates copolymer (and) Lecithin. O LECIGELTM permite a formulação de produtos oil-free (gel-creme) e sua textura não deixa a pele pegajosa e promove uma sensação aveludada de longa duração. O LECIGEL™ é um ingrediente polivalente que combina, ao mesmo tempo, propriedades emulsificantes da lecitina com os efeitos de espessamento e texturização de um polímero. Possui como emulsionante um ativo baseado em lecitina, rico, portanto, em fosfolipídios, formando um gel com ótimo sensorial e tolerabilidade cutânea.

Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos | 25


FORMULARY

Formulando com Fosfolipídios Creme Suflê de Cappucino Fase

Componentes

INCI Name

Concentração (%)

A

Água Destilada

Water

Qsp.

A

EDTA Na2

Dissodium EDTA

0,1

A

Lecigel

Sodium acrylates copolymer (and)Lecithin

2,0

B

Manteiga de Cacau

Cocoa butter

15

C

Cappucino Extract

Theobroma Cacao, Coffea arabica, Glycerin,

3,0

Sodium Polyacrylate D

Extrato glicólico de baunilha ®

D

Neolone PE

Vanilla sp. Extract

1,0

Phenoxyethanol, Methysothizolinone

0,4

Modo de Preparo • •

FASE A: Em recipiente limpo e com capacidade adequada, dissolver o EDTA Na2 no qsp de água destilada. Em seguida, adicionar o Lecigel e homogeneizar conteúdo sob agitação de 1500 rpm por 5 minutos. Aquecer conteúdo até 70 75 °C; FASE B: Pesar a Manteiga de Cacau e aquecer até 70°C; Verter a Fase B sobre a Fase A sob agitação de 1500 rpm, e manter a agitação por 5 minutos;

FASE C: Sob lenta agitação resfriar conteúdo até 40°C, e adicionar o Cappucino Extract. Homogeneizar conteúdo por 3 minutos;

FASE D: Adicionar o Extrato glicólico de baunilha e homogeneizar. Adicionar Neolone PE e homogeneizar. Ajustar o peso final com Água Destilada e homogeneizar conteúdo sob agitação de 1500 rpm por 3 minutos.

Creme Frapê de Uva Fase

Componentes

INCI Name

Concentração (%)

A

Água Destilada

Water

Qsp.

A

EDTA Na2

Dissodium EDTA

0,1

A

Lecigel

Sodium acrylates copolymer (and) Lecithin

2,0

A

BiophilicS

Lecithin (and) C12-16 alcohols (and) Palmitic acid

4,0

B

Extrato glicólico de Uva

Vitis vinifera Extract

1,0

C

Fragrância

D

Orgasol® Caresse

E

®

Neolone PE

Polyamide Copolymer

2,0

Phenoxyethanol, Methysothizolinone

0,4

Modo de Preparo •

FASE A: Em recipiente limpo e com capacidade adequada, dissolver o EDTA Na2 no qsp de água destilada. Aquecer conteúdo a 70°C, adicionar o Lecigel e o Biophilic S e hidratar conteúdo sob agitação de 100 rpm por 20 minutos;

FASE B: Sob lenta agitação resfriar conteúdo até 40°C, e adicionar o Extrato glicólico de Uva. Homogeneizar conteúdo por 3 minutos;

FASE C: Adicionar a Fragrância e homogeneizar;

FASE D: Adicionar Orgasol Caresse e homogeneizar sob agitação de 1500 rpm por 3 minutos;

FASE E: Adicionar Neolone PE e homogeneizar. Ajustar o peso final com Água Destilada e homogeneizar conteúdo sob agitação de 1500 rpm por 3 minutos.

FASE E: Adicionar Neolone PE e homogeneizar. Ajustar o peso final com Água Destilada e homogeneizar conteúdo sob agitação de 1500 rpm por 3 minutos.

26 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos


Revista de Cosmetologia e Ingredientes CosmĂŠticos | 27


DERMOCOSMÉTICA

Pseudofoliculite da Barba Fisiopatologia e Tratamento com Cosméticos

A pseudofoliculite da barba é uma doença crônica, irritante e potencialmente desfigurante que se desenvolve como resultado de tentativas de eliminar os pelos da área da barba, normalmente pelo ato do barbear com lâminas.1

A pseudofoliculite, portanto, é uma inflamação causada pela estrutura do pelo e pela direção do seu crescimento, que curva para baixo e penetra na epiderme (penetração extrafolicular) ou cresce dentro do folículo, perfura sua parede e penetra na derme (penetração transfolicular).3

Pseudofoliculite da Barba: Incidência de Até 83% A pseudofoliculite da barba é uma condição inflamatória crônica mais frequentemente vista em homens e mulheres de origem hispânica ou afroamericana, com cabelos crespos e que se barbeiam ou depilam com frequência.2 É difícil determinar a incidência dessa doença, mas alguns estudos relatam que ela afeta até 1 em cada 5 indivíduos caucasianos e que é muito mais comum em pessoas negras.1 A pseudofoliculite da barba tem alta prevalência em negros, de 45% a 83%, sobretudo nos homens entre 14 e 25 anos. As mulheres são normalmente afetadas no climatério, mas a pseudofoliculite também pode afetar as mais jovens que apresentam hirsutismo.3

Pápulas, Pústulas, Hiperpigmentação e Queloides Podem Aparecer na Pseudofoliculite da Barba

Figura 1: Penetração Extrafolicular

Clinicamente, a pseudofoliculite da barba é caracterizada pelo aparecimento de pápulas e pústulas inflamatórias.1 Aparecem lesões tipo papulopustulosas foliculares, eritematosas ou hiperpigmentadas.3 A reação inflamatória produz, muitas vezes, dor, prurido e, às vezes, pápulas hiperpigmentadas.2 As pústulas podem ser secundárias à infecção, geralmente pelo Staphylococcus epidermidis. É possível a ocorrência de hiperpigmentação pós-inflamatória e formação de queloides.3 O resultado é uma aparência cosmeticamente desagradável, muitas vezes com consequências emocionalmente estressantes para os indivíduos afetados.2

Estrutura e Direção do Crescimento do Pelo Como Fatores Causais Da Inflamação A etiologia da pseudofoliculite é multifatorial. A forma do folículo piloso, da cutícula e a direção do crescimento do pelo possuem papel na resposta inflamatória.2

28 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

Figura 2: Encravamento do Pelo

Acomete a face e o pescoço, mas processo similar ocorre em certas áreas pilosas (no couro cabeludo, na axila, no púbis e nas pernas) de indivíduos que depilam essas regiões.3


DERMOCOSMÉTICA Prevenção e Tratamento da Pseudofoliculite da Barba Desafios e Opções Cosméticas Disponíveis

Atualmente, a prevenção e a intervenção precoce são os principais pilares da terapia. Muitas opções de tratamentos estão disponíveis, porém nenhuma é completamente curativa.2 A prevenção consiste em interromper a prática de se barbear com lâminas manuais, ou então utilizar barbeador elétrico ou cremes depilatórios3, porém esses métodos podem ser irritantes para a pele e aumentar a condição inflamatória se utilizados por longos períodos.5 Depois que a pseudofoliculite se estabeleceu, o tratamento consiste em evitar a depilação com lâminas, além da aplicação tópica de terapias semelhantes às usadas na acne. Em casos graves, ou quando uma solução definitiva é necessária, o tratamento de escolha é a fotodepilação.1

A empresa francesa Sederma produz ativos redutores de pelos, como o Capislow™, um extrato vetorizado da Larrea divaricata que desacelera a multiplicação celular. Capislow™ diminui a pilosidade não desejada, pois é rico em ácido nordihidroguaiarético, o qual apresenta atividades antiproliferativa e anti-inflamatória. Outro exemplo é o DepilineTM, um ativo redutor de pelos corporais composto pelo extrato de palmatina da planta Fibraurea recisa vetorizado em microesferas de 5 um. A palmatina promove efeito antiproliferativo nos queratinócitos, o que retarda o crescimento capilar e reduz a frequência da depilação com lâmina. A vetorização em microesferas permite que a atividade antiproliferativa seja dirigida diretamente para o bulbo capilar.9 4) Ácido Glicólico e Salicílico: Esfoliação, Clareamento e Promoção do Crescimento Reto do Pelo

O ácido glicólico e o ácido salicílico, aplicados tanto em produtos leave-on quanto em wash-off, agem como queratolíticos e clareadores.3

Tratamento Cosmético na Pseudofoliculite da Barba

O ácido salicílico promove esfoliação e clareamento cutâneo, e pode ajudar a reduzir o número de lesões da pseudofoliculite.5

1) Alfa-Bisabolol é Anti-Irritante, Anti-Inflamatório e Clareador Cutâneo

Uma pesquisa publicada no renomado periódico Cutis avaliou dois estudos placebo-controlados realizados em trinta e cinco homens adultos. Os resultados mostraram que uma loção de ácido glicólico foi significativamente mais eficaz que o placebo no tratamento da pseudofoliculite da barba. Houve mais de 60% de redução nas lesões no lado tratado, o que permitiu um barbear diário com menos irritação. A aplicação tópica da loção de ácido glicólico foi considerada uma terapia eficaz para pseudofoliculite da barba, permitindo aos pacientes se barbearem todos os dias.4

O alfa-bisabolol possui ação anti-inflamatória (inibição da ciclooxigenase e lipoxigenase), além de promover a cicatrização de feridas e ação antisséptica. Além do alfa-bisabolol ser compatível com a pele, ele acelera o seu processo de cicatrização. Com isso, é utilizado como anti-irritante e anti-inflamatório para peles sensíveis.7 Como a hiperpigmentação pós-inflamatória é um problema frequente em portadores de pesudofoliculite da barba, o uso do alfa-bisabolol pode ajudar também no clareamento cutâneo. Um estudo mostrou que, após oito semanas de tratamento com um creme contendo alfa-bisabolol a 0,5%, houve efeito significativo no clareamento da pele pigmentada na maioria das mulheres que testaram esse creme.8 2) Emolientes e Hidratantes: Glicerina e Ureia Diminuem a Irritação após o Barbear

Os emolientes ou a ureia 10% diminuem a irritação após a depilação ou o barbear.3 A glicerina é uma opção interessante para produtos pós-barba, pois possui propriedades hidratantes e regeneradoras em peles lesadas. Os resultados de um estudo publicado no International Journal of Cosmetic Science demonstraram, de forma clara, que a depilação com lâminas remove constantemente o estrato córneo, com a pele compondo um valor médio de 36,1% dos fragmentos da depilação. Além disso, o estudo mostrou que o uso de uma formulação com glicerol e óleo de semente de girassol foi capaz de reduzir o impacto da irritação induzida pela depilação do pelo com lâminas e de melhorar a autoavaliação da condição axilar.6 3) Redutores do Crescimento de Pelos São Alternativa Para Reduzir a Frequência do Barbear

Produtos capazes de reduzir o crescimento dos pelos podem ajudar a diminuir o número de depilações mensais, bem como do barbear. Como uma das alternativas para a prevenção da pseudofoliculite é a redução do barbear, os redutores de pelos são alternativas cosméticas interessantes.

O ácido glicólico, além de seu efeito esfoliante, possui propriedades redutoras, podendo diminuir o número de pontes sulfidrila nos pelos, resultando no crescimento reto e, assim, podem reduzir potencialmente a chance de reentrada do pelo na epiderme.5

Referências Bibliográficas 1

Ribera M, Fernández-Chico N, Casals M. Pseudofolliculitis barbae. Actas Dermosifiliogr. 2010 Nov;101(9):749-57.

2

Perry PK, Cook-Bolden FE, Rahman Z, Jones E, Taylor SC. Defining pseudofolliculitis barbae in 2001: a review of the literature and current trends. J Am Acad Dermatol. 2002 Feb;46(2 Suppl Understanding):S113-9.

3

ALCHORNE, Mauricio Mota de Avelar and ABREU, Marilda Aparecida Milanez Morgado de. Dermatologia na pele negra. An. Bras. Dermatol. [online]. 2008, vol.83, n.1, pp. 7-20. ISSN 0365-0596. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/abd/v83n1/a02.pdf

4

Perricone NV. Treatment of pseudofolliculitis barbae with topical glycolic acid: a report of two studies. Cutis. 1993 Oct;52(4):2325.

5

Marcelyn K Coley, Andrew F Alexis. Dermatologic Conditions in Men of African Ancestry: Pseudofolliculitis Barbae. Disponível em: http://www.medscape.com/viewarticle/715199_2

6

Turner GA, Moore AE, Marti VP, Paterson SE, James AG. Impact of shaving and anti-perspirant use on the axillary vault. Int J Cosmet Sci. 2007 Feb;29(1):31-8.

7

Guy P. P. Kamatou • Alvaro M. Viljoen. A Review of the Application and Pharmacological Properties of a-Bisabolol and aBisabolol-Rich Oils. Journal of the American Oil Chemists’ Society, Volume 86, Number 10 / October, 2009.

8

Lee J, Jun H, Jung E , Ha J, Park D. Whitening effect of alphab i s a b o l o l i n A s i a n w o m e n s u b j e c t s . Int J Cosmet Sci. 2010 Aug;32(4):299-303.

9

Sederma, França.

Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos | 29


DERMO COUNTER Medik8 Hair Inhibit Pós-Barba Para Redução do Crescimento dos Pelos da Barba Esse produto, desenvolvido pela empresa Medik8, promete retardar o crescimento dos pelos indesejáveis em até 35%. Assim, segundo o fabricante, o usuário consegue intervalos maiores entre as depilações ou o barbear, pois os pelos se tornam mais finos e menos visíveis. Esse produto possui dupla ação, pois além de retardar o crescimento do pelo, ele deixa a pele mais suave, sendo indicado como pós-barba e para uso em todos os tipos de pele. De acordo com o fabricante, com o uso regular, os pelos indesejados crescem muito mais lentamente, menos densos, com menos cor e mais finos. Seu componente ativo principal, um extrato da planta Larrea divaricata, desacelera a multiplicação celular.Resultados de testes clínicos realizados pela Medik8 comprovam que esse produto possui ação anti-inflamatória e diminui a taxa de crescimento dos pelos em até 35%. O fabricante sugere que esse produto deve ser utilizado após qualquer tipo de depilação, incluindo o barbear; o produto deve ser usado por pelo menos 8-10 semanas ou até que o resultado desejado seja alcançado. No mercado internacional, o produto encontra-se disponível em embalagens de 150 ml com preço aproximado de $39,95 ou £24,50. Ingredientes: Aqua (Water), Glycerin, Cetearyl Alcohol, Cetyl Alcohol, Ceteareth-20, Dimethicone, Glyceryl Stearate, Isohexadecane, Larrea Divaricata Extract, Butyrospermum Parkii (Shea Butter), Lauryl Isoquinolinium Bromide, Lecithin, Phenoxyethanol, Propylene Glycol, Polysorbate 20, Butylparaben, Disodium EDTA, Ethylparaben, Isobutylparaben, Methylparaben, Propylparaben, Tocopheryl Acetate, Panthenol.

Avène Men’s Shaving Foam Espuma de Barbear com Ação Anti-Irritante

Anthony For Men Ingrown Hair Treatment Pós-Barba Com Ácido Glicólico e Salicílico

De acordo com a renomada empresa francesa Avène, Avène Men’s Shaving Foam é uma espuma de barbear indicada para todos os homens que se barbeiam com lâminas e que apresentam reações inflamatórias ou irritativas na pele devido a outros produtos para barbear disponíveis no mercado.

Anthony Logistics For Men é uma linha de cuidados pessoais específica para a pele masculina. Os produtos contêm ingredientes específicos que são orientados para a pele do homem. O pós-barba dessa linha, Ingrown Hair Treatment, é um gel contendo ácidos glicólico e salicílico, além de ácido fítico.

A espuma de barbear da Avène foi desenvolvida para uso em homens com peles sensíveis, sendo bem tolerada e adequada para uso diário. Ela contém 0,1% de alfa-bisabolol, um ativo com comprovada ação anti-inflamatória e efeito calmante para a pele.

De acordo com o fabricante, essa formulação promove renovação e esfoliação suave, ajuda no controle microbiano e evita que os pelos da barba encravem. O gel contém ingredientes que hidratam, acalmam e ajudam a evitar irritação na pele.

Segundo o fabricante, o produto possui textura cremosa, que garante um barbear fácil. É hipoalergênica, não contém álcool e possui fragrância neutra. Além disso, devido aos seus componentes, como a glicerina, ela deixa uma fina camada protetora na pele, protegendo-a de ressecamento e agressões externas.

O fabricante recomenda aplicar o produto após o barbear e antes de dormir sobre a pele seca e limpa. Pode ser aplicado diariamente ou em dias alternados para prevenir a recorrência de irritação na pele.

No mercado internacional, o produto encontra-se disponível em embalagens de 200 ml com preço aproximado de $20,83 ou £6,70. Ingredientes: Avene Thermal Spring Water 70%, Triclosan 0.2%, Alpha Bisabolol 0.1%, Glycerin, Stearic Acid, Ceteareth-50, Triethalonamine, Butane, Methyl Gluceth-20, Fragrance, Isobutane, Potassium Hydroxide and Propane.

30 | Revista de Cosmetologia e Ingredientes Cosméticos

No mercado internacional, o produto encontra-se com preço aproximado de $26,50. Ingredientes: Water (Aqua Purificata) Purified, SD Alcohol, Propylene Glycol, Glycolic Acid, Hydroxyethylcellulose, Ammonium Hydroxide, Phytic Acid, Salicylic Acid, Tetrasodium EDTA, Blue 1 (Ci42090), Epilobium Angustifolium Flower/Leaf/Stem Extract, Saccharide Isomerate, Lavandula Angustifolia (Lavender) Oil, Yellow 5 (CI 019140).

Revista CI 38ª Edição  

Revista de Cosmetologia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you