Page 1

SOMENTE O RESPEITO ÀS DECISÕES ASSEGURA A NORMALIDADE ACADÊMICA O Conselho Superior da Universidade Estadual da Paraíba (CONSUNI) aprovou, nesta terça feira – 04 de fevereiro – a reposição de 6% no salário dos professores e técnicos administrativos, além da extensão do auxílio alimentação de R$ 300,00 para os professores, nos moldes já concedidos aos funcionários, conforme o princípio irrefutável da isonomia . A decisão foi uma vitória da persistência, competência e firmeza do movimento docente, representado pela ADUEPB, já que, desde o primeiro instante das negociações até o término da reunião do CONSUNI, o Reitor Antônio Guedes Rangel Júnior adotou um discurso protelatório e mostrou-se reticente em relação à autonomia da Universidade, demonstrando subserviência ao Governador Ricardo Coutinho que, sem qualquer constrangimento, atenta contra a Lei 7.443 de agosto de 2004 e viola os princípios por ele defendidos, quando era deputado estadual e candidato ao Governo do Estado. Mesmo com a decisão do CONSUNI, os professores e os técnicos administrativos da UEPB são os únicos segmentos de servidores paraibanos que não receberam qualquer reajuste em seus salários do mês de janeiro e, não bastasse, estão, ainda, na iminência de ficarem com o salário congelado, em consequência do recesso da Assembleia Legislativa e da ausência, de um lado, de vontade política do Governador Ricardo Coutinho em dar celeridade às demandas da UEPB e, de outro, da recusa do Reitor de exercer a autonomia política e financeira que foi conquistada e que é garantida em Lei para a UEPB. Nada há de excepcional no reajuste concedido aos professores. Além de ter a dotação assegurada no Orçamento Geral do Estado, aprovado pela Assembleia Legislativa, acompanha o índice geral de reposição da inação concedido pelo governo à maior parte dos funcionários do estado e aos membros do Poder Judiciário da Paraíba. Ao Reitor Antônio Guedes Rangel Júnior cabe a responsabilidade de buscar a efetiva e imediata viabilização da Resolução do CONSUNI, pois, os professores não devem ser – mais uma vez – prejudicados. Afinal, a Comunidade Acadêmica escolheu um Reitor para a ela representar, para defender intransigentemente os interesses da UEPB e, mais que tudo, para exercer a autonomia que já foi conquistada e homologada em Lei, não devendo, portanto, ser subservientemente abdicada. A soberania das decisões, democrática, legal e responsavelmente efetivadas, é pressuposto essencial à normalidade das atividades acadêmicas. Romper com este princípio é, em qualquer hipótese, inaceitável. Por este motivo, a categoria docente e a comunidade acadêmica mantêm-se vigilantes quanto ao imediato cumprimento das Resoluções UEPB/CONSUNI/050/2014 e UEPB/CONSUNI/051/2014 já no próximo pagamento do mês de fevereiro.

Jucelino Luna Presidente

NOVA Autonomia, democracia e transparência

Comunicado aos professores da uepb  

Alerta da ADUEPB sobre a sanção das resoluções aprovadas no Consuni