Issuu on Google+

a revista da mamãe moderna www.materlife.com.br

meu filhinho não come. e agora?

Ano 5 - nº 58 - Outubro de 2009

oito dicas para fazer o bebê dormir a noite inteiral

saúde bucal: segunda dentição

você sabe o que é mioma?

10 dicas para se manter bela durante a gestação o papel do pediatra na alimentação infantil

5 mitos sobre a paternidade

bebês e crianças são mais sensíveis à desidratação

gravidez psicológica gera sintomas reais

Choro, birra, teimosia. Por que as crianças fazem isso?

vasectomia:

fazer ou não fazer?

DIFICULDADES ALIMENTARES NA INFÂNCIA MERECEM ATENÇÃO


Um dia eu viajarei ao redor do mundo, mas vocĂŞ sempre serĂĄ meu lar. para vestir

Para brincar par av iaja r

par aa para

xar rela

feli cida

de do

seu bebĂŞ existe a Chicco.

                  


sumário você beleza |10 dicas para se manter bela durante a gestação | 06 saúde bebê | pneumococo é um dos grandes vilões para crianças com menos de um ano | 12 artigo | como surgiu o dia da criança | 14 nutrilife | dificuldades alimentares na infância merecem atenção | 16

outubro/09 Diretor Michel Wajchman

o papel do pediatra na alimentação infantil | 20

Departamento Comercial Ubirajara Mendes Ponciano

bebê-a-bá | meu filhinho não come | 26

Departamento Financeiro João Géa

campanha de pele | cicatriz da cesariana | 30 comportamento | choro, birra, teimosia | 34 vida a dois | vasectomia: fazer ou não fazer? | 40 saúde mulher | você sabe o que é mioma? | 46 medicina | bebês e crianças são mais sensíveis à desidratação | 52 saúde bucal | segunda dentição | 56

Editor Chefe Luiz Filho (MTB 54.492-SP) Produção e Conteúdo Editorial Débora Wajchman Colaboradores Ligia Kogos, Simone Mendonça Diniz e Edilene Alessi Fotos sxc.hu

afta | 60 paterlife | cinco mitos sobre a paternidade | 62 higiene | cuidados com o bebê | 66 pais e filhos | que tal um cafezinho? | 69 pesquisa| metade dos casais com bebês briga para dormir mais | 70 dicas | oito dicas para fazer o bebê dormir a noite inteiral | 72 decoração | les enfants | 74 gravidez | gravidez psicológica gera sintomas reais | 76 artigo | você já elogiou seu filho hoje? | 82 crianças e a televisão | 84

a revista materlife é uma publicação especial e mensal da revista materlife editoração publicidade e marketing ltda. redação, administração, publicidade e correspondência: rua tamoios, 302 jd. aeroporto - são paulo sp - cep: 04630-000. anúncios: (11) 5031-5847/ 5031-4807. a redação da materlife não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo este último de inteira responsabilidade dos anunciantes. para sugestões, críticas ou elogios, envie um e-mail para: producao@materlife.com.br.


você beleza

10 dicas para se manter bela durante a gestação Toda mulher gosta de se cuidar, ainda

ou por irritação primária, não pre-

mais quando estão grávidas. A barri-

judicam a gravidez. O problema en-

ga cresce, o corpo incha, a pele fica

contra-se na quantidade de acetona

diferente etc. É nessa época que elas

do removedor de esmaltes. Não há

se sentem um pouco feias e se per-

estudos que mostrem sua segurança,

guntam “será que estou bela para o

portanto, deve-se usar o menos pos-

meu marido?”. Uma gestante é sem-

sível. No parto, é indicado não pin-

pre linda, mas, mesmo assim, vamos

tar as unhas, pois elas dão um sinal

dar algumas dicas para você se man-

importante para o anestesista.

ter maravilhosa durante a gravidez.

2

1

Como evitar o surgimento de estrias na barriga e nos seios?

Posso usar esmalte durante a gravidez?

Para começar, não engordando de-

Não existe nenhuma contra-indica-

mais. Controle o peso e hidrate a

ção em usá-los durante a gestação,

pele com cremes à base de uréia e

porque eles têm quantidades muito

óleos essenciais como os de amên-

pequenas de substâncias que pode-

doa, avelã, oliva e calêndula. A dica

riam ser tóxicas ao feto. Só evite se

é aplicar porções generosas em todo

você for alérgica ao produto. Mes-

corpo após o banho, especialmente

mo assim, as alterações encontradas,

nas áreas mais propensas como qua-

como dermatite de contato alérgica,

dris, abdome e seios.

6

materlife 58


você beleza

pela raiz, mas por todo o couro ca-

3

4

Por que surgem espinhas na face e no pescoço?

pele com luzes anti-inflamatórias e

Por que a mulher grávida não pode pintar o cabelo? Gostaria de saber por que as mechas no cabelo são contra indicadas para as gestantes, principalmente no primeiro semestre, tendo em vista que esse procedimento não afeta a raiz.

peelings de cristal.

O uso de alguns tipos de tintura

Por causa dos hormônios, responsáveis pelo aumento da produção das glândulas sebáceas na gestação e, consequentemente, da oleosidade da pele. O ideal é usar cremes com ácido salicílico, fazer limpeza de

de cabelo não é contra-indicado, mas, por precaução, recomendase sua utilização apenas a partir do segundo trimestre. È importante usar só tinturas industrializadas de procedência segura, pois eventuais laboratórios

clandestinos

podem

fazer produtos com substâncias tóxicas. As tinturas antigas continham chumbo, o que aumentava as chances de aparecerem alergias na mulher, além de ser tóxico ao feto. Os produtos modernos têm pouca quantidade de amônia e substâncias alcoólicas, mas na dúvida é melhor evitar colorir o cabelo antes do terceiro mês. Mesmo depois dessa fase, embora não haja comprovação de que as substâncias químicas usadas nas colorações causem problemas ao feto, não se aconselha o uso de tintura de longa duração. O melhor é aplicar hena ou tonalizantes que saem com as lavagens. As mechas também não são recomendadas porque a absorção de substâncias não é feita

8

materlife 58

exclusivamente

beludo. Dependendo da tintura, pode causar um processo alérgico. Por precaução, é melhor esperar também o final do terceiro trimestre, pois a gestante, ao contrário de uma mulher que não está grávida, não pode fazer o uso de qualquer tipo de medicação se desenvolver uma alergia.

5 Posso fazer escova progressiva no cabelo? Quem já tem história prévia de alergias não deve fazer durante toda a gestação. As demais precisam esperar até o fim do terceiro mês, por causa dos riscos de ocorrer um processo alérgico, mais comum entre as mulheres grávidas.

6 Por que o rosto mancha? O que fazer? A pigmentação na gravidez é resultado da intensa ação hormonal na segunda fase da gestação. Os hormônios da placenta, do bebê e da própria mãe agem sobre a pele, podendo criar manchas hiperpigmentadas. Isso aumenta a sensibilidade da pele ao sol, fazendo com que cerca de 75% das gestantes apresentam melasmas (manchas amarronzadas que aparecem nos dois lados do rosto, especialmente nas bochechas, no queixo e na área entre os lábios e o nariz). Para evitá-las, é necessário


Produto Puroo AlgodĂŁo. em

InĂŠdito! Protetor de Mamilos

w w w.lovesecret.com.br

materlife 58

9


você beleza

usar filtro solar todos os dias com

começar a se exercitar ao engravidar.

adapaleno e fenol, assim como qual-

FPS acima de 30, mesmo quando se

Para as ativas, as melhores opções são

quer tratamento com isotretinóina,

está dentro de casa. E reaplicá-lo na

as modalidades de baixo impacto,

porque estas substâncias provocam

metade do dia. Os cuidados devem

como caminhada, natação, hidrogi-

malformações fetais. O correto

ser ainda maiores na praia e na pis-

nástica, ioga e pilates. Antes delas,

mesmo é suspendê-los ao planejar

cina: use sempre chapéu e óculos es-

porém, converse com seu médico.

um bebê. Os formulados com reti-

curos com FPS, não tome sol direto no rosto e não se exponha por lon-

8

nol, elastina, alfa-hidroxiácidos ou ácido glicólico não oferecem riscos. Quanto à vitamina C, a gestante

são antes das 11 horas e após as 16

Como evitar os pés inchados durante a gravidez?

horas. Para amenizar as manchas são

O inchaço dos pés na gestação pode

apresentado quadros alérgicos por

indicados peelings superficiais com

ser resultado da ação do peso do útero

causa dela.

ácido glicólico ou alfa-hidroxiáci-

sobre os vasos pélvicos e acontece com

dos. Os tratamentos com substân-

mais freqüência no final da gravidez.

cias despigmentantes só podem ser

Repousar com os pés elevados, duas

feitos após a amamentação.

vezes ao dia, costuma melhorar bas-

gos períodos. Os melhores horários

pode usar desde que nunca tenha

10

Exercícios abdominais são permitidos durante a gestação? Quais as atividades físicas mais indicadas?

tiver para colocar as pernas na posição

Estou com quase 4 meses de gravidez e sempre pratiquei exercícios. Posso continuar a fazer musculação e boxe tailandês?

horizontal e, assim, facilitar o retor-

A gravidez é um fato limitante para

no do fluxo de sangue e evitar o in-

ambas as atividades físicas. Os ris-

chaço. Também é fundamental beber

cos de traumas (que podem causar

muita água e comer de forma equili-

descolamento da placenta, sangra-

As opiniões dos especialistas diver-

brada, aumentando a quantidade de

mento e até a morte do feto), com-

gem. Alguns acham que devem ser res-

alimentos com bastante líquido (me-

parados aos benefícios, são muito

tringidos durante a gestação. Outros

lão, melancia, tomate, pepino etc). A

maiores, por isso é indicado que

acreditam que no início da gravidez

ingestão de sal deve diminuir e a de

procure outros tipos de exercícios,

a mulher pode fazer abdominais sem

proteína, aumentar, pois sua deficiên-

a menos que você seja uma atleta de

causar nenhum prejuízo ao feto, mas

cia também pode causar retenção de

elite. No caso da musculação, exis-

à medida que a barriga for crescendo,

água. É recomendado, ainda, o uso de

tem médicos que defendem que a

mesmo se ela quiser, não conseguirá

meias de média compressão.

gestante pode dar continuidade se já

tante esse sintoma. Aproveite o fim da

7

noite e todos os momentos livres que

mais, pelo desconforto. No entanto, existem alguns exercícios que podem

9

estiver acostumada, desde que não tenha tido nenhum sangramento nem parto prematuro em uma ges-

dominais, em que a grávida não fica

Há algum perigo em usar cremes para a pele que contenham vitamina C? E ácidos?

na posição supina (deitada reta). Se

São contra-indicados os cremes e

treinos deverão ser adaptados ao seu

a gestante é sedentária, não poderá

loções à base de ácido retinóico,

novo estado.

ser feitos naqueles equipamentos desenvolvidos especialmente para ab-

10

materlife 58

tação anterior. Para isso, porém, é preciso a liberação do obstetra e os


materlife 58

11


saúde bebê

Pneumococo é um dos grandes vilões para crianças com menos de um ano As crianças menores de 1 ano

nológico para se transformar em do-

camos muito assustados, mas agora

são mais sensíveis à contaminação

ença — como após uma gripe, por

ela está bem”, diz a administradora.

pela bactéria Streptococcus pneu-

exemplo. “Como os bebês possuem

Pais e mães podem ficar tran-

moniae (pneumococo), responsável

um organismo frágil, são mais sus-

quilos. A partir do próximo ano,

por provocar doenças como menin-

cetíveis à contaminação”, explica a

um imunizante contra a doença

gite, pneumonia bacteriana e dor de

médica e professora da Universida-

estará disponível nos centros de

ouvido. A constatação faz parte da

de Federal de Goiás. Instalada no

saúde: a vacina 10 conjugada será

pesquisa desenvolvida pela infecto-

corpo, a bactéria pode se manifestar

incluída no calendário de vacina-

logista brasileira Ana Lúcia Andrade

como otite, bronquite, pneumonia

ção do Ministério da Saúde para as

e apresentada no do 13º Congres-

ou meningite, entre outras compli-

crianças menores de 1 ano. A in-

so Latinoamericano de Infectologia

cações. “A vacina é a arma mais efi-

clusão faz parte de um acordo do

Pediátrica, realizado em Guaiaquil

caz”, garante a infectologista. Uma

órgão do governo brasileiro com o

(Equador). Em 2008, a médica

substância que poderia ter protegi-

laboratório britânico GlaxoSmi-

acompanhou a evolução de 5 mil

do a saúde da pequena Giovanna, de

thKline (GSK), empresa que de-

bebês com diagnóstico de pneumo-

apenas 4 meses. A garota nasceu em

tém a tecnologia do produto.

nia e descobriu que 48% sofreram

21 de abril deste ano, foi para casa

Pelo tratado, a Fundação Oswaldo

infecção pelo pneumococo.

e, em 17 de maio, voltou ao hospi-

Cruz (Fiocruz) produzirá anualmen-

O micro-organismo, que habi-

tal. “Ela teve pneumonia bacteriana

te 13,1 milhões de doses da vacina,

ta naturalmente o corpo humano,

e ficou 11 dias na UTI”, conta a

quantidade suficiente para imunizar

precisa encontrar uma brecha, uma

mãe, Michelle Calazans. “É a nossa

os 3,2 milhões de bebês que nascem

queda nas defesas do sistema imu-

primeira filha e meu marido e eu fi-

por ano no país. Em março de 2007,

12

materlife 58


a Organização Mundial da Saúde

tilha bactérias. Se ela é menor de 2

zados e mais de 3 milhões de casos de

(OMS) recomendou que os calendá-

anos e vai à creche, já são dois fa-

otite média aguda registrados anual-

rios de vacinação infantil dos países

tores de risco”, afirma o especialista

mente. A meningite por pneumoco-

em desenvolvimento incluíssem a va-

em doenças pediátricas infecciosas

co já é a primeira causa de meningite

cina contra o pneumococo.

Adriano Arguedas, professor de pe-

em crianças menores de 1 ano e está

diatria da Universidade Autônoma

associada à letalidade de 27,5%.

Riscos

de Ciências Médicas de San José

Para a médica Isabella Ballalai,

Segundo o infectologista Mar-

(Costa Rica). “Por isso, a vacina é

vice-presidente da Sociedade Brasi-

co Aurélio Sáfadi, do Hospital São

de extrema importância. As pessoas

leira de Imunizações, o anúncio da

Luiz (São Paulo), a vacina deve ser

desconhecem o risco, mas as doenças

vacina é uma boa notícia, porque a

administrada em quatro doses —

pneumocócicas na infância são mais

inclusão do medicamento na rede

aos dois, quatro e seis meses, com

perigosas do que a gripe A”, exempli-

era reivindicação antiga das socieda-

uma dose de reforço entre 12 e 15

fica o pediatra José Marcos Rezende

des de imunização e pediatria. Uma

meses. Ele foi um dos palestrantes

Andrade, do Hospital Santa Luzia.

vacina similar, que protege contra

de um simpósio sobre o tema no

“A criança que receber a vacina terá

sete subtipos de vírus e custa R$

13º Congresso Latinoamericano de

uma proteção de 90%”, garante Ilma

500, já está disponível na rede pri-

Infectologia Pediátrica, que ocorreu

Cunha Barros, médica do Hospital

vada há quase 10 anos, com resulta-

na segunda semana de agosto em

das Clínicas de Brasília.

dos positivos. Há ainda uma terceira

No Brasil, o pneumococo tem

vacina, que protege contra 13 soro-

O pneumococo está presente no

alto impacto na saúde pública, com

tipos da bactéria, mas que aguarda

corpo de crianças e adultos. “Criança

cerca de 1,5 mil casos de meningite,

aprovação da Agência Nacional de

compartilha brinquedos e compar-

20 mil casos de pneumonia hospitali-

Vigilância Sanitária (Anvisa).

Guaiaquil (Equador).

Criança compartilha brinquedos e compartilha bactérias. Se ela é menor de 2 anos e vai à creche, já são dois fatores de risco.

materlife 58

13


artigo

O Dia das Crianças no Brasil foi “inventado” por um político.

COMO SURGIU O DIA DA CRIANÇA Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho teve

Crianças é comemorado com mui-

Moçambique, a comemoração acon-

tos presentes.

tece no dia 1º de junho. Em 5 de maio, é a vez das crianças da China

a idéia de “criar” o dia das crianças.

Logo depois, outras empresas de-

Os deputados aprovaram e o dia 12

cidiram criar a Semana da Criança,

de outubro foi oficializado como Dia

para aumentar as vendas. No ano se-

Em outros países a comemora-

da Criança pelo presidente Arthur

guinte, os fabricantes de brinquedos

ção acontece em 20 de novembro,

Bernardes, por meio do decreto nº

decidiram escolher um único dia para

já que a ONU (Organização das

4867, de 5 de novembro de 1924.

a promoção e fizeram ressurgir o an-

Nações Unidas) reconhece esse dia

Mas somente em 1960, quando

tigo decreto. A partir daí, o dia 12 de

como o dia Universal das Crianças,

a Fábrica de Brinquedos Estrela fez

outubro se tornou uma data impor-

pois nessa data também é comemo-

uma promoção conjunta com a Jo-

tante para o setor de brinquedos.

rada a aprovação da Declaração dos

e do Japão comemorarem!

hnson & Johnson para lançar a “Se-

Alguns outros países comemo-

Direitos das Crianças. Entre outras

mana do Bebê Robusto” e aumen-

ram o dia das Crianças em datas

coisas, esta Declaração estabelece

tar suas vendas, é que a data passou

diferentes do Brasil. Na Índia, por

que toda criança deve ter proteção

a ser comemorada. A estratégia deu

exemplo, a data é comemorada em

e cuidados especiais antes e depois

certo, pois desde então o dia das

15 de novembro. Em Portugal e

do nascimento.

14

materlife 58


nutrilife

DIFICULDADES ALIMENTARES NA INFÂNCIA MERECEM ATENÇÃO Falta de interesse pela comida afeta progresso cognitivo e pode comprometer o desenvolvimento e o crescimento natural das crianças Nos primeiros anos de vida dos filhos é comum escutar dos pais a reclamação de que os pequenos não se alimentam bem. São aquelas crianças, geralmente entre um e cinco anos, que começam a apresentar menor interesse pela comida e frequentes oscilações na preferência e aceitação dos alimentos. Chamadas de picky eaters (termo que pode ser traduzido como “comedores seletivos”), essas crianças têm um comportamento alimentar que pode variar de excluir determinados grupos de alimentos (como verduras, legumes ou peixe, por exemplo) a pular refeições, ou, simplesmente, comer muito pouco. De acordo com os especialistas, 50% das crianças podem ser identificadas pelos pais como picky eaters. Entretanto, para os pais, não é simples lidar com este problema. Cabe à nutricionista ou ao médico, na maioria das vezes o pediatra, ajudar a identificar tal comportamento. Entre as dicas está observar se a criança aceita somente um modo de apresentação e preparo dos alimentos ou se ela gasta muito tempo para se alimentar – as crianças que não comem bem levam em média 23 minutos para completar a refeição, enquanto o tempo gasto pelas outras crianças é de aproximadamente 19 minutos.

16

materlife 58

Diversos motivos impulsionam a criança a assumir essa postura diante da comida. Entre as influências comuns nessa fase da vida, estão a desaceleração do crescimento a partir de um ano, que tem como consequência a diminuição do apetite; a capacidade gástrica limitada, isto é, crianças pequenas têm estômagos pequenos; e a troca da dentição, que pode causar desconforto na hora de mastigar. Por outro lado, influências externas também podem determinar um comportamento repulsivo pelos alimentos - os hábitos da própria família têm enorme peso nas decisões da criança.

Além disso, o momento da refeição acaba sendo usado como uma maneira de chamar a atenção, de mostrar capacidade de decidir por si e até mesmo negociar com os pais. “A refeição é um campo de batalha natural para a criança, a primeira oportunidade de experimentar independência”, analisa Mauro Fisberg, nutrólogo e pediatra da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo). Se o grau de dificuldade alimentar da criança chega a interferir substancialmente em sua socialização e desenvolvimento, é necessária uma intervenção. Por outro lado, a


nutrilife

criança com essas caracterĂ­sticas nĂŁo desenvolve doenças orgânicas e sim carĂŞncias nutricionais. “Tudo depende da percepção dos pais. Reaçþes negativas como chorar, cuspir ou atĂŠ vomitar diante de novos alimentos, lapsos de atenção e concentração, variaçþes de peso e apatia sĂŁo sinais de

alerta para os paisâ€?, explica Fisberg. O tratamento oferecido deve incluir orientaçþes nutricionais, comportamentais e psicolĂłgicas, nĂŁo sĂł para a criança, mas tambĂŠm para os pais e irmĂŁos. “As divergĂŞncias na hora da comida causam ruĂ­dos no relacionamento entre pais e filhos e

podem atÊ interferir na relação do casal�, pondera o pediatra. Seguir algumas dicas e apostar em suplementos nutricionais como o PediaSure, desenvolvido pela årea de Nutrição da Abbott, podem melhorar o aporte nutricional dos pequenos e acalmar os ânimos à mesa.

Entre as orientaçþes dos especialistas estão:

t&WJUBSEJTUSBĂŽĂ?PEVSBOUFBSFGFJĂŽĂ?P FYUFMFWJTĂ?P OĂ?PVTBS truques, nĂŁo enganar ou subornar; t"EPUBSVNBBUJUVEFOFVUSBEJBOUFEBTSFKFJĂŽĂœFTFEPNBV comportamento Ă  mesa; t$SJBSVNBBMJNFOUBĂŽĂ?PRVFJODFOUJWFPBQFUJUF WBMFBQPTUBS em pratos bem coloridos, com comidas enfeitadas); t-JNJUBSBEVSBĂŽĂ?PEBTSFGFJĂŽĂœFT t0GFSFDFSBMJNFOUPTBEFRVBEPTBDBEBJEBEF t*OUSPEV[JSOPWPTBMJNFOUPTTJTUFNBUJDBNFOUF t*ODFOUJWBSBMJNFOUBĂŽĂ?PJOEFQFOEFOUF

18

materlife 58

t5PMFSBS DPNNPEFSBĂŽĂ?P BCBHVOĂŽB com a comida, apropriada para a idade; t0GFSFDFSGSVUBT WFSEVSBTFMFHVNFT em todas as refeiçþes; t0GFSFDFSPTNFTNPTBMJNFOUPTDPN diferentes apresentaçþes/texturas (cozido, frito, assado, etc); t%JNJOVJSBQSFQBSBĂŽĂ?PEBT “comidas favoritasâ€?; t4FOUBSBDSJBOĂŽBĂ‹NFTBDPNPT outros membros da famĂ­lia; t1BSBBRVFMBTDSJBOĂŽBTRVFCFCFN muito leite, diminuir o volume e a frequĂŞncia; t-JNJUBSPDPOTVNPEFMĂ“RVJEP durante a refeição. Ă gua e suco devem ser oferecidos durante a refeição com cuidado; t3FTQFJUBSQFSĂ“PEPTEFQPVDPBQFUJUF e preferĂŞncias alimentares; t0GFSFDFSQFRVFOBTRVBOUJEBEFT de comida para nĂŁo desencorajar a criança a comer; t-JTUBSBTQSFGFSĂ?ODJBTEBDSJBOĂŽBF  toda semana, acrescentar dois tipos diferentes de comida com textura semelhante ao grupo original.


nutrilife

O PAPEL DO PEDIATRA NA ALIMENTAÇÃO INFANTIL Diante de dificuldades alimentares, os pais devem recorrer ao pediatra para buscar orientações e, dependendo do caso, adotar um tratamento multidisciplinar O pediatra é o médico de confiança dos pais de crianças pequenas (principalmente até os cinco anos). Todas as dúvidas sobre a saúde dos pequenos e de seu desenvolvimento chegam ao consultório deste especialista. Com as dificuldades em relação à alimentação não é diferente, pois quadros de rejeição ou resistência diante da comida podem ser o sinal de problemas mais graves. Muitas vezes, a criança está dentro dos padrões da curva de crescimento para sua idade, mas mesmo assim não se alimenta bem. Estes casos em que o diagnóstico de problemas físicos é descartado merecem atenção, pois a criança pode não estar atingindo todo seu potencial de crescimento. Além disso, a repulsa por certos tipos de alimentos, ou o total desinteresse pelas refeições, acaba causando angústias e conflitos no cotidiano familiar. “Para estes casos, o pediatra deve ter uma visão multidisciplinar, fazer uma análise completa, verificar todo o histórico da criança e avaliar a dinâmica familiar”, explica o pediatra e nu-

20

materlife 58

trólogo, professor da Universidade

determinado alimento, passando

Federal de São Paulo (UNIFESP),

por dificuldade de mastigação, até

Mauro Fisberg.

o nascimento de um irmão mais

Levantado o diagnóstico, o tratamento precisa ser personalizado

novo, como uma maneira de chamar a atenção dos pais.

de acordo com o perfil da criança

O tratamento requer muitas

e da família também, já que os pais

vezes o envolvimento de vários

e os irmãos, enfim, as pessoas com

profissionais de saúde, que são

quem a criança convive, servem de

indicados pelo pediatra, e de mu-

modelo para o desenvolvimento

danças nos hábitos dentro de casa.

de seus hábitos alimentares. Além

“Contar com a ajuda de um nutri-

disso, o problema de alimentação

cionista e um psicólogo; estabele-

pode ser desencadeado por fatores

cer regras; determinar um tempo

físicos e/ou emocionais, que vão

para durar a refeição; evitar distra-

desde uma experiência ruim com

ções, como comer diante da tele-


materlife 58

21


nutrilife

A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), é que o mesmo médico acompanhe a criança do nascimento à adolescência.

visão, oferecer pratos com alimen-

mas alimentares e se tais dificul-

Doutor Pediatra. Com o mote “De

tos coloridos e com pouca comida

dades são passageiras ou merecem

criança é ele que entende”, a ação

podem ser ótimas estratégias para

intervenções”, conclui o pediatra

educacional explica para os pais,

encorajar o apetite da criança”, en-

e nutrólogo. A recomendação da

por meio de folhetos, spots de rá-

fatiza Fisberg.

Sociedade Brasileira de Pediatria

dio e anúncios em revistas, as fun-

O importante é buscar a orien-

(SBP), inclusive, é que o mesmo

ções dessa especialidade médica.

tação médica, já que o tratamento

médico acompanhe a criança do

deve ser personalizado. “O pedia-

nascimento à adolescência.

tra é o profissional ideal para in-

Para um bebê, que precisa de acompanhamento médico constante, a familiaridade com o pediatra

dicar os cuidados necessários para

Campanha Doutor Pediatra

colabora para tornar as consultas

as crianças. Cada fase do desenvol-

Para reforçar a importância do

mais agradáveis. Além disso, mui-

vimento infantil tem suas caracte-

pediatra no acompanhamento do

tos médicos também são pais, e

rísticas e só um profissional espe-

desenvolvimento das crianças, a

podem dar orientações detalhadas

cializado é capaz de avaliar que

SBP, em parceria com a área de Nu-

do dia-a-dia, que fazem toda a dife-

caminho seguir diante de proble-

trição da Abbott, criou a campanha

rença na evolução de um filho.

22

materlife 58


bebê-a-bá

Meu filhinho não come Chantagens, brincadeiras, disfarces dos mais diversos. Cuidado, todos esses artifícios para forçar a criança a comer podem gerar sérios problemas.

Sem dúvida, ainda “está para nascer” à mãe que não se preocupa demasiadamente com a alimentação de seu pequenino. Ainda mais se, aos seus olhos, ele não come a quantidade necessária, com a freqüência adequada. “Não tomou a mamadeira inteira”, ou, “restou muita papinha no prato” e ainda, “dormiu e não quis saber das frutas e dos cereais”. Não se deve esquecer nunca que os bebês são diferentes entre si e, em relação à alimentação, o procedimento é o mesmo. Via de regra, a ansiedade dos pais pode provocar uma alteração no relógio biológico da criança e o que seria um momento prazeroso, torna-se uma verdadeira tortura:

preocupados com recusas ou sobras, os pais começam a lançar mão de dispositivos nada convencionais para induzirem os pimpolhos a comerem o que acham ser uma quantidade razoável de alimentos. Por volta dos dois anos de idade a criança tende a sofrer certa queda do apetite, ou seja, não come toda a refeição que lhe é oferecida ou da preferência por este ou aquele alimento, considerado, via de regra, menos nutritivo pelos pais. Nessa idade ela cresce mais devagar e por isso tem menos fome do que quando era bebê. Invariavelmente, é nesse momento que os pais tomam um sentido errado e iniciam a prática de técnicas e procedimentos duvido-

Criança compartilha brinquedos e compartilha bactérias. Se ela é menor de 2 anos e vai à creche, já são dois fatores de risco.

26

materlife 58

sos, para condicionar o pequeno a ingerir a comidinha. Alguns pais chegam ao extremo de ministrarem aos filhos estimulantes de apetite e vitaminas sem prescrição médica, movidos pela melhor das intenções. Só o pediatra poderá identificar distúrbios físicos e emocionais passíveis de verdadeira atenção, que influem diretamente no apetite do pimpolho. Infelizmente, um deles é justamente criado a partir de uma série de atitudes inadequadas da família em relação à criança, para induzirem seus pequenos a ingerirem alimentos: a inapetência comportamental. Para evitar esse desagradável sintoma, os pais devem observar melhor as necessidades dos filhos


bebê-a-bá

e respeitar algumas regras, como o estabelecimento de horários fixos para todas as refeições, procurando não abrir exceções. Carnes e legumes devem ser inseridos, naturalmente e desde cedo, ao cardápio infantil. Não se devem substituir esses alimentos com o passar do tempo, quer seja por conveniência ou mesmo por exigência dos pequeninos. Só assim eles adotarão tal prática alimentar. Água, sucos e todo o tipo de líquidos devem ser ingeridos com moderação, se possível após as refeições, para não preencher o espaço da comida no pequeno estômago. As refeições devem ser feitas em local e horas adequados. Usar sempre a mesa, dando exemplos, criando rotinas saudáveis, estabele-

cendo limites sem rigidez, é outra prática aconselhável. É preciso ser sensível à preferência alimentar do bebê. Não é difícil, por exemplo, evitar um alimento que ele sempre recusou e substituí-lo por outro do mesmo grupo nutricional. É preciso também variar o cardápio de maneira criativa. Abusar de formas e cores pode ser um recurso bastante eficiente para despertar o apetite infantil: cenouras, milho e vagens é uma ótima combinação e possui cores atraentes! Bolinhos e tortas modelados em forma de bichos e objetos é outro artifício divertido e saudável, muito bem recebido pelos pequeninos. Elogiar a criança ao final de uma refeição bem feita, e mostrar a ele toda a satisfação e contentamento

pelo fato, também pode ser muito gratificante. É importante informála o quanto é valioso tal alimento para que cresça saudável, mesmo que não seja obrigada a ingerí-lo. Ameaças e insistências aborrecidas não levam a lugar algum. Ao invés de dizer: “se não comer, não vai brincar”, diga: “você já experimentou esse frango? Deixe-me cortá-lo para você!”. Por fim, é indispensável que os pais observem os grupos nutricionais e as unidades ou porções diárias de alimentos, sempre de acordo com as orientações do pediatra. Só esse profissional poderá identificar traços de desnutrição e fraqueza na criança e evitar que ela corra riscos reais de ter o desenvolvimento físico e emocional comprometido.

Abusar de formas e cores pode ser um recurso bastante eficiente para despertar o apetite infantil: cenouras, milho e vagens é uma ótima combinação e possui cores atraentes!

28

materlife 58


campanha de pele

Cicatriz da Cesariana

Ao lado de toda a expectativa

do parto, pois hoje em dia os médi-

Mas, mesmo em circunstâncias de

que cerca o nascimento de um bebê,

cos têm como uma de suas priorida-

cirurgia não eletiva, após algumas

há sempre na mente das mulheres,

des o resultado estético da cirurgia.

horas de trabalho de parto ou com

o pensamento de como ficará seu

Claro que a cesariana marcada

o bebê prestes a vir ao mundo, um

corpo após o parto e uma das pre-

com calma e antecedência, com o

cirurgião experiente poderá fazer

ocupações é a cicatriz da cesariana,

anestesista já a postos e toda a equi-

um belo trabalho, considerando a

quer esta cirurgia esteja ou não pla-

pe de prontidão, tem ainda mais

vulnerabilidade feminina quando o

nejada previamente.

probabilidade de se desenrolar per-

assunto é beleza.

Muitas destas mamães nunca an-

feitamente, com o cirurgião dese-

Os pontos feitos com fio fino

tes se submeteram a nenhuma inter-

nhando calmamente a incisão bem

e delicado, na maior parte dos ca-

venção cirúrgica e a maneira com

baixa, à prova de qualquer biquíni,

sos, passam por dentro da pele, o

que seu organismo irá reagir pode

pois nesta circunstância, não ha-

que chamamos sutura intradérmica.

parecer uma incógnita. Mas, a maio-

veria necessidade de retirar o bebê

Para retirá-los cerca de uma semana

ria das chances, é que a cicatriz fique

apressadamente, e a estética ficaria

ou 15 dias depois, o obstetra apenas

ótima, especialmente após 12 meses

naturalmente em segundo plano.

puxará uma das pontas.

30

materlife 58


campanha de pele

Proteger a pele do sol ao freqüentar praias ou piscinas, com filtro solar de pelo menos FPS 15, é altamente recomendado, não só nas moças claras, mas, também, nas morenas, mulatas e orientais, que podem desenvolver pigmentação escura na cicatriz se esta for exposta precocemente ao sol. Certo número destas cicatrizes,

igualmente tratadas com sucesso.

Quando há um afundamento da

poderão momentaneamente parecer

Recursos que antigamente eram

pele na região, demarcando uma

consistentes e altas, como um cordão,

usados, tais como betaterapia (um

“barriguinha” pra cima da incisão,

mas com adesivos ou cremes de cor-

tipo de radioterapia) ou retoque da

há modernos recursos como as in-

ticóides acrescidos de outras substân-

cirurgia, com plástica na região, já

jeções de ácido hialuronico (Sur-

cias como rosa mosqueta, pantenol e

não são mais necessários, pois os

giderm, Juvederm, Restylane) que

alantoina, ou, muitas vezes, mesmo

medicamentos usados localmente

homogeneízam o relevo e ainda es-

sem nenhuma providência, voltarão

são eficientes e não demandam qua-

timulam a produção de colágeno na

ao normal em cerca de um ano.

se nenhum sacrifício.

pele profunda. Introduzindo a agu-

Algumas mulheres são propensas

Recomenda-se que, não só en-

lha sob a cicatriz, os dermatologis-

às cicatrizes alargadas, duras, altas,

quanto a cicatriz estiver com os

tas “quebram” a fibrose que repuxa

um tanto exageradas em espessura e

pontos, mas, especialmente, 30 dias

a pele da área.

consistência. E isso não é culpa do

após a retirada dos mesmos, man-

Assim, sem afligir-se com resulta-

obstetra, mas depende de fatores in-

tenha-se uma tira de micropore no

dos estéticos indesejáveis, a mamãe

dividuais e constitucionais. São os

local, em toda a extensão do corte,

pode se dedicar totalmente ao bebê!

chamados quelóides, uma maneira

para diminuir a tensão que por ven-

do organismo de supervalorizar o

tura possa existir na região e, com

fechamento da ferida cirúrgica, pro-

isso, provocar a cicatrização exage-

duzindo excesso de fibras colágena

rada, que chamamos de hipertrófi-

e elásticas. Nestes casos, tentam-se

ca, que pode resultar em quelóide.

primeiramente pomadas ou cremes

Proteger a pele do sol ao fre-

à base de corticóides. Se não houver

qüentar praias ou piscinas, com

melhora, faz-se infiltração delicada

filtro solar de pelo menos FPS 15,

com agulhas finíssimas de um coque-

é altamente recomendado, não só

tel de substâncias que fazem com que

nas moças claras, mas, também, nas

a cicatriz volte ao normal, mesmo

morenas, mulatas e orientais, que

que já haja decorrido muito tempo.

podem desenvolver pigmentação es-

Também pode ocorrer alguma infecção num ponto localizado da

cura na cicatriz se esta for exposta precocemente ao sol.

cicatriz, com formação de abscesso,

Passado seis meses ou um ano,

necessidade de manutenção de dreno

aquela linha que permanece pode ser

por alguns dias e aí podemos nos de-

atenuada com cremes de ácido retinói-

parar com cicatriz mais larga e ines-

co suaves, que descamando levemente,

perada, mas que também podem ser

apagam em parte a marca do corte.

32

materlife 58

Ligia Kogos Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, diretora da Clínica Ligia Kogos de Dermatologia de São Paulo


comportamento

CHORO, BIRRA, TEIMOSIA. Por que as crianças fazem isso?

Todos já vimos à cena clássica em shoppings e supermercados: uma criança chorando, gritando e esperneando, se jogando no chão e pedindo algum brinquedo ou produto, e os pais, entre surpresos e desconcertados, não sabendo contornar a situação. Ou ignoram, e passam por negligentes que não sabem educar, ou tentam conter a criança, e as pessoas lhe dedicam olhares desaprovadores, por estarem sendo muito duros com o próprio filho. Quem tem filhos pequenos fica imaginando o que fará quando

34

materlife 58

chegar a sua vez, ou torce para que nunca aconteça. A situação é constrangedora, e mais comum do que se imagina. Antes de pensarmos na melhor maneira de contorná-la ou eliminá-la de vez de nossa vida familiar, vamos tentar conhecer porque estas cenas ocorrem. A pergunta que podemos fazer é o que aconteceu com nosso bebezinho risonho, dependente de colo e afeto para tudo? Porque as crianças fazem estas cenas? A boa notícia é que ele está crescendo, adquirindo cada vez mais independência e auto-

nomia. A má notícia, é que por ser ainda uma criança pequena, ele não tem ainda maturidade para estas conquistas acontecerem sem crises emocionais ou de comportamento. Pode-se dizer que é uma prévia do que teremos de enfrentar na adolescência, daqui a alguns anos. Os terríveis dois anos Mais ou menos aos dois anos de idade, a criança percebe a si mesma como um ser de vontades e desejos, que passa a se interessar por coisas diferentes do que fazia até então. É


www.marista.org.br

QUER CONSTRUIR UM MUNDO MELHOR? VENHA PARA O COLÉGIO MARISTA.

COLÉGIOS MARISTAS. PREPARAÇÃO PARA TODAS AS PROVAS DA VIDA. Os Colégios Maristas são comprometidos com todas as etapas da vida de seus alunos. Sua presença em mais de 70 países e os valores humanos transmitidos há gerações contribuem para que os alunos sejam protagonistas de uma nova realidade. A educação Marista, atualizada continuamente, promove o desenvolvimento físico, intelectual e cultural do indivíduo, fornecendo as ferramentas para que ele participe da sociedade de forma ética, crítica e solidária.

REDE RE ED DEE MA MA ARI RIIST R ISTA STTA DE DE COL OLÉG ÉGIO ÉG IO IOS OS DISTRITO FEDERAL | Brasília ( PARANÁ | Cascavel, Curitiba, Londrina, Maringá e P o n t a G r o s s a (   A N T A CATARINA | Chapecó, Criciúma, Jaraguá do Sul e Joaçaba(SÃO PAULO | Ribeirão Preto e São Paulo

COLÉG CO ÉGIO O MAR ARIIS STA A ARQ RQUI UIDI UI UIDI DIOC OCES OC ESAN ES ANO AN O | 111 508 0 1 84 84444 CO C OLÉG GIO O MAR A IS ISTA NO OS SSA AS SEN EN NHO H RA DA GL G ÓR ÓRIA I | 11 32 IA 3207 07 588666


comportamento

também nesta fase que maioria das crianças consegue deixar as fraldas, um marco muito importante na conquista de sua independência. Ela domina os movimentos de seu corpo, sua linguagem está cada vez mais desenvolvida, suas relações sócio-afetivas estão se expandindo para fora de seu círculo familiar. Enfim, está pronta para conquistar o mundo. Não é mais um bebezinho, é uma criança grande, com vontades que se voltam para o mundo exterior. Ela quer muitas coisas, como fazer só o que tem vontade, na hora que quiser, quer deixar tudo espalhado pela casa, que todos os brinquedos que estão na loja, e todos os “não” que ouvir serão encarados como uma barreira às suas vontades e necessidade de autonomia. O que ela faz? Reage às sanções da forma que vem utilizando desde que nasceu, com o método que conhece e que vinha funcionando até agora: choro e gritos. Ou recorre aos tapas e puxões, respostas imaturas ao que lhe contraria. Bem vindos aos chamados “terríveis dois anos”. Claro que esta idade é um referencial, e varia dependendo da realidade de cada família, mas certamente este comportamento acontecerá até os três anos, com maior ou menor intensidade. É a fase da teimosia, das birras e quando as palavras que mais ouviremos

36

materlife 58

de nossos filhos é “não” ou “não quero”. O mais importante é saber que é uma fase normal, apesar de difícil, e indica que nossa criança está crescendo adequadamente. O papel dos pais neste momento é auxiliar a criança a se controlar, mostrando aos poucos as censuras sociais, as regras de convivência, e mostra a ela a dura realidade de que na vida não podemos fazer tudo o que queremos o tempo todo. Aos poucos, a criança vai internalizando estes conceitos, compreendendo que é necessário respeitar limites, as vontades das outras pessoas, e suas necessidades. Ela precisa entender que não temos somente direitos, mas também muitos deveres no mundo. O que fazer? t/FTUBFUBQB PRVFQPEFNPTDIBmar de educação social, ou educação para a vida, se intensifica. A família

não pode ficar sem tomar atitudes, assustada com as reações agressivas da criança, ou achando bonito ele ter “personalidade forte”. É o momento de educar esta criança para a vida no mundo, e se não for feito agora, no futuro ela certamente terá muitas frustração, pois o mundo mostrará que ela está errada; t  'JSNF[B F DPOTJTUÐODJB OBT EFDJsões: “não” é “não”. Claro que o que for possível, deve ser negociado, pois é este conceito que tentamos desenvolver com a criança, e não somente o não pelo não. E os adultos devem estar de acordo entre si, para não confundir a criança, ou passe a manipular os adultos, recorrendo ao pai quando a mãe diz “não”, e vice versa. t  1BSB P NPNFOUP EB CJSSB F UFJmosia, ou da crise séria, com direito a choro, gritos e a criança rolando pelo chão, existem algumas técnicas. As mais comuns, e que funcionam bastante:


comportamento

Cuidado: por mais difícil e irritante que esta fase seja, saiba que ela passa, e que a criança precisa de compreensão, portanto evite sempre os castigos físicos, os tapas, beliscþes e afins.

1. segurar a criança no colo, e retira-la do local, sem maiores conversas. No auge da crise, a criança estå descontrolada e não vai negociar. Quando estiver fora do local, explicar, olhando para a criança e calmamente, que este comportamento não pode ser aceito em nenhum lugar, e que terå uma conseqßência, como não voltar mais ali. Se a promessa for cumprida, o fato não se repetirå; 2. distrair a criança: na hora da teimosia, ou quando a situação estå evoluindo para uma crise, tentar mostrar algo interessante, um brinquedo, um objeto, ou qualquer coisa próxima. Geralmente, o choro passa. 3. se a criança não estiver descontrolada, e conseguir escutar, basta ficar em sua altura, e lhe dizer com firmeza que aquele não Ê o momento de fazer o que ela quer, ou que naquela hora, o adulto não pode atendê-la, e seguir o que estão fazendo, chamando sua atenção para coisas que ela

38

materlife 58

pode fazer como colocar as compras no carrinho, escolher produtos que pode levar etc. 4. sempre que possĂ­vel, oferecer alternativas: “agora, aqui, o que vocĂŞ pode fazer (levar, escolher) ĂŠ isso ou aquiloâ€?. Com a criança tendo menos opçþes, e podendo participar, a crise ĂŠ facilmente controlada. t -FNCSFTF EF RVF UVEP BDPOUFDF nesta fase porque a criança tem necessidade de ser e fazer, participar do mundo e suas ofertas. Possibilite situaçþes em que ela possa fazer isso, sentindo-se importante e autĂ´noma. Auxilie, e tente nĂŁo tolher seu crescimento. Ela nĂŁo ĂŠ mais um bebezinho. E sim, ĂŠ triste, mas faz parte da vida: começamos nesta hora a educar nossos filhos para o mundo, e nĂŁo somente para nĂłs. t /Ă?P EFJYF RVF B PQJOJĂ?P EF QFTsoas desconhecidas lhe afete. Ignore os olhares de reprovação, ou aqueles que dizem: “ah, se fosse me filhoâ€?.

VocĂŞ conhece sua criança, e deve buscar o que ĂŠ melhor para ela. Leia, busque informaçþes sobre esta etapa, converse com quem tem filhos nesta idade, procure quem possa ajudar, crie sua tĂŠcnica, e adote um mantra: â€œĂŠ normal e vai passar, ĂŠ sĂł manter a calma.â€? t $VJEBEP QPS NBJT EJGĂ“DJM F JSSJtante que esta fase seja, saiba que ela passa, e que a criança precisa de compreensĂŁo, portanto evite sempre os castigos fĂ­sicos, os tapas, beliscĂľes e afins. Queremos que a criança entenda que a violĂŞncia nĂŁo ĂŠ um comportamento aceitĂĄvel, portanto, nĂŁo podemos resolver a situação da mesma forma que ela. Explique e negocie sempre. Se vocĂŞ estiver perdendo o controle, respire fundo e afaste-se. Quando sentir-se melhor, chame a criança e converse. Mas nunca deixe uma crise sem resposta, ou a criança vai se acostumar a nĂŁo ter conseqßências para seus atos.


Estreia 26 de outubro De segunda a sexta, às 16h discoverykidsbrasil.com

© 2009 Toot & Puddle Productions (Cycle I) Inc. All rights reserved. Toot & Puddle is a trademark of National Geographic.

© 2009 Discovery Communications

Eles são bons amigos e divertidos exploradores.


vida a dois

Vasectomia: Fazer ou nĂŁo fazer? O que ĂŠ Vasectomia Vasectomia, ao pĂŠ da letra, sig-

REQUISITOS PARA A CIRURGIA

nifica “retirar� (ectomia) o conduto

Os candidatos Ă  vasectomia deverĂŁo preencher alguns requisitos:

deferente (vas deferens, em latim).

tVOJĂ?PFTUĂˆWFM

Os espermatozĂłides, as cĂŠlulas

tNBJTEFBOPTEFJEBEF

reprodutoras masculinas, sĂŁo produ-

tDPNQFMPNFOPTEPJTGJMIPTDPNNBJTEFVNBOPEFJEBEF

zidos nos testĂ­culos, armazenados e

Tais requisitos sĂŁo contestados por alguns, mas sĂŁo os mais empre-

amadurecidos nos epidĂ­dimos (estru-

gados. Os pacientes deverão preencher um termo de autorização e

turas anexas aos testĂ­culos) e condu-

o mĂŠdico notificarĂĄ a cirurgia Ă s autoridades de saĂşde.

zidos atĂŠ a uretra (canal de emissĂŁo da urina e sĂŞmen) pelos condutos deferentes, compridos tubos que nascem nos epidĂ­dimos, e que terminam

A EJACULAĂ‡ĂƒO PERMANECE IGUAL

(desembocam) na uretra. A regiĂŁo

O fluido ejaculado serĂĄ desprovido de espermatozĂłides, mas conti-

anatĂ´mica onde se aborda os condu-

nuarå contendo as secreçþes das vesículas seminais, próstata e ure-

tos deferentes com menos trabalho

tra, razĂŁo pela qual nem o homem nem sua parceira notarĂŁo qual-

e mais precisĂŁo ĂŠ o escroto (saco es-

quer diferença no fluido ejaculado. Volume, consistência, cheiro e

crotal), onde sĂŁo superficiais e facil-

atÊ o sabor, permanecerão inalterados. A diferença só poderå ser

mente palpados sob a pele. Ora, se

notada se o fluido for examinado ao microscĂłpio (espermograma),

os condutos que transportam os es-

ocasiĂŁo em que o observador notarĂĄ ausĂŞncia dos espermatozĂłides,

permatozĂłides forem interrompidos

caracterizando assim a esterilidade. Não hå mudanças na sensação

pela realização da vasectomia, estes

do orgasmo ou no apetite sexual. Não causa qualquer alteração na

nĂŁo chegarĂŁo Ă  uretra e o esperma

função erÊtil (potência sexual) ou no tempo para se atingir o orgas-

ejaculado nĂŁo conterĂĄ as cĂŠlulas re-

mo, pois a cirurgia nĂŁo aborda nenhuma estrutura responsĂĄvel por

produtoras masculinas.

ereção peniana ou ejaculação. Após a operação, os espermatozóides continuarão sendo normalmente produzidos pelos testículos. Não

Vasectomia e câncer

tendo como passar, pois os condutos deferentes estarĂŁo cirurgica-

de prĂłstata

mente obstruĂ­dos, sĂŁo absorvidos ou destruĂ­dos pelo organismo.

Não hå relação entre vasectomia e doenças da próstata. O homem vasectomizado, em geral, sente-se mais livre e relaxado pela ausência de preocupação com o controle de natalidade. PorÊm, não o desobriga do uso do preservativo para evitar doenças sexualmente transmissíveis como AIDS, HPV ou gonorrÊia, por exemplo.

40

materlife 58

CUSTO A vasectomia custa muito menos que uma cirurgia de ligadura de trompas e, a longo prazo, tambĂŠm ĂŠ mais econĂ´mica que qualquer outro mĂŠtodo contraceptivo.


vida a dois

INTERVENĂ‡ĂƒO CIRĂšRGICA

Retorno Ă s atividades sexuais

A vasectomia Ê um mÊtodo cirúrgico de esterilização masculina de-

A volta Ă s atividades habituais

finitiva, onde se interrompe a passagem dos espermatozĂłides pelos

dĂĄ-se em 48 horas. Atividade sexual

condutos deferentes. O modo mais simples de realizĂĄ-la ĂŠ atravĂŠs de

sem desconforto em torno de sete

duas pequenas incisĂľes no escroto, sob anestesia local, onde se isola

dias. Relaçþes sexuais seguras, só

e amarra os condutos deferentes, impedindo-se a condução dos es-

após cerca de 20 ejaculaçþes e rea-

permatozĂłides. A cirurgia dura cerca de 30 minutos e pode ser feita em consultĂłrio.

lização de um exame do ejaculado onde se comprove a ausência de espermatozóides. Reversão da Vasectomia

RISCOS

A vasectomia ĂŠ reversĂ­vel. A cirur-

Os riscos sĂŁo muito pequenos e iguais aos inerentes a todo e qual-

gia para a reversão (recanalização dos

quer procedimento cirĂşrgico:

condutos deferentes) ĂŠ mais compli-

tJOGFDĂŽĂ?P

cada e trabalhosa que a vasectomia.

tIFNPSSBHJB

A reversibilidade ĂŠ tĂŁo mais exeqĂź-

tIFNBUPNBT tEPSQĂ˜TPQFSBUĂ˜SJB tDPNQMJDBĂŽĂœFTEBGFSJEBPQFSBUĂ˜SJBFUD

ível e provåvel quanto mais cedo se promove a recanalização dos cabos dos condutos deferentes. Os melho-

A recanalização espontânea de um ou ambos os lados da vasectomia

res resultados ocorrem se a recana-

Ê muito rara, mas possível. É uma tentativa da natureza de refazer

lização for feita atÊ cinco anos após

o caminho da fertilidade para a perpetuação da espÊcie. Assim, Ê

a realização da vasectomia. É muito

aconselhĂĄvel realizar um espermograma um ano apĂłs a cirurgia, por

mais fĂĄcil fazer do que desfazer, em-

segurança. A vasectomia Ê um dos mais seguros mÊtodos de controle da natalidade. É mais simples e menos arriscada do que a ligadura das trompas da mulher e tem outras inconteståveis vantagens como não requerer internação nem anestesia espinhal ou geral.

bora seja possĂ­vel a reversĂŁo e a possibilidade de novamente ser fĂŠrtil. A reversĂŁo da vasectomia nĂŁo garante o retorno da fertilidade em todos os pacientes, por motivos apenas parcialmente compreendidos pela Me-

Aconselha-se uma demorada e detalhada reflexão antes da escolha pela vasectomia que, embora reversível, deve ser considerada como mÊtodo definitivo de esterilização.

42

materlife 58

dicina. Aconselha-se uma demorada e detalhada reflexão antes da escolha pela vasectomia que, embora reversível, deve ser considerada como mÊtodo definitivo de esterilização.


Æ

Há 37 anos atuando no mercado de enxovais para bebês, saída de maternidade, pagão, sapatinhos, bodys, mosquiteiros, mantas e macacões em matéria prima natural, algodão e viscose. ENXOVAIS FOFINHO cuida de seus produtos com o mesmo carinho que você cuida de seu bebê, oferecendo qualidade, conforto e beleza.

www.fofinho.com.br Fone: (19) 3895-2628 Av. Dr. Rebouças 119/125 Centro - Socorro - SP


saúde mulher

Você sabe o que é mioma? Toda mulher já ouviu falar nele. No entanto, apesar de popular, ainda é pouco conhecido da maioria das mulheres. Toda mulher já ouviu falar nele. Uma amiga, uma vizinha ou mesmo alguém da família, com certeza, já teve um para contar a história - e reclamar bastante dela. No entanto, apesar de popular, ainda é pouco conhecido das mulheres. Ou você sabe o que é um mioma? Para quem não conhece, aqui vai a explicação: miomas são tumores benignos (não cancerosos), que se desenvolvem na parede muscular do útero. Na maioria dos casos, são múltiplos. O tamanho varia: os miomas podem medir de menos de 1 mm até mais de 20 cm de diâmetro. Em função da localização, tamanho e quantidade, a mulher pode apresentar os seguintes sintomas (isoladamente ou não): períodos menstruais prolongados e com fluxo aumentado; aumento das cólicas menstruais; dor no baixo ventre; dor na região lombar, flancos e pernas; dor durante a relação sexual; pressão no sistema urinário; prisão

46

materlife 58

de ventre e retenção de gases; e au-

existência, o recomendado é fazer um

mento do volume abdominal, que

exame de ultra-sonografia, de prefe-

pode ser mal interpretado como

rência a transvaginal”, explica a gi-

ganho progressivo de peso. Mas

necologista e obstetra Mariana Mal-

quem tem, não necessariamente,

donado. “Quando as suas dimensões

sente alguma coisa. Uma mulher

são reduzidas, o exame clínico pode

de 20 anos pode ter um mioma e

falhar”, explica o chefe das enferma-

não apresentar sintomas até os 30,

rias de maternidade da Santa Casa de

40 anos. Não há como os médicos

Misericórdia do Rio de Janeiro, Dr.

preverem se o mioma vai crescer ou

Jorge Rezende Filho.

causar sintoma.

A enfermeira Renata Carvalho, 27 anos, percebeu um aumento sig-

Como detectar a presença

nificativo do meu fluxo menstrual

dos miomas?

e muitas cólicas. Mas seu exame

Dependendo do tamanho e da

preventivo estava em dia. “Mesmo

localização do mioma, o exame gine-

assim, eu marquei minha ginecolo-

cológico de rotina pode sugerir a sua

gista que me pediu uma ultra-so-

presença. “Mas para confirmar a sua

nografia para verificar se se tratava


A Nova Geração dos produtos fabricados pela Soniclear, possuem alta tecnologia para facilitar ainda mais a sua vida. Ao adquirir um produto Soniclear, você terá a certeza de levar para casa o que tem de mais moderno em equipamentos para a saúde respiratória.

Umidificador/Purificador de Ambiente

Inalaçõ em Inalações aproxim aproximadamente 10 a 12 minutos e em qualquer posição, inclusive deitado (em repouso), sem derramar a medicação; Sistema Microcontrolado: Bivolt automático, desligamento automático em 15 minutos e acionamento por botão digital.

Alto fluxo de vazão de ar; Inalações mais rápidas; Possibilita inalações em qualquer posição; Micropartículas menores do que 5 micra; Exclusivo sistema de filtragem; Mais moderno, compacto e silencioso.

Ideal para ambientes com ar condicionado, salas de estar, dormitórios e escritórios e indispensável para regiões poluídas ou de clima seco; Permite 8 a 16 horas de funcionamento ininterrupto, conforme a regulagem de névoa.

www.soniclear.com.br

SAC: 11. 2060-9500 / 11. 2060-9510 / soniclear@soniclear.com.br

Registro no MS 80023140008

Inalador Pneumático a Jato de Ar.


saúde mulher

Aproximadamente 20% das mulheres entre 20 e 30 anos apresentam miomas, 30% entre 30 e 40 anos, e 40% entre 40 e 50 anos.

de um mioma. Diagnóstico confirmado”, conta ela, que há dois meses passa por um tratamento com remédios. “Somente no período menstrual eu sinto incômodo. Agora isso está mais controlado devido aos medicamentos”, diz ela. Como surgem? Segundo Paulo Barrozo, especialista em obstetrícia e ginecologia do Centro de Tratamento de Miomas, aproximadamente 20% das mulheres entre 20 e 30 anos apresentam miomas, 30% entre 30 e 40 anos, e 40% entre 40 e 50 anos. As mulheres negras apresentam risco maior de

tido filhos, obesidade, ingestão de

Os tratamentos

desenvolver o quadro: 50% delas po-

carne vermelha em grandes quanti-

Se o mioma não provocar nenhum

dem ter miomas de tamanho signi-

dades, história de doença inflamató-

tipo de sintoma ou desconforto nun-

ficativo. “Apesar de muito estudado,

ria pélvica, ligadura de trompas, uso

ca

até hoje não se sabe exatamente por-

de talco na região perineal uma ou

muda no dia-a-dia. “O que muda

que ele aparece nas mulheres. Uma

mais vezes por mês, doenças como

são os sintomas que podem advir da

das possibilidades é o crescimento

diabetes e hipertensão e idade entre

presença de miomas: sangramentos

desordenado das células miometriais,

35-44 anos”, descreve Dra. Mariana.

menstruais exagerados, cólicas mens-

formando o tumor. Alguns fatores

“O uso de hormônios (anticoncep-

truais, compressão da bexiga”, afirma

podem favorecer o aparecimento dos

cionais orais, reposição hormonal)

Dr. Rezende. Mas, se o quadro pedir

miomas: ser da raça negra, ter his-

pode influenciar o crescimento des-

algum tratamento, este pode requerer

tória familiar de mioma, nunca ter

ses tumores”, completa Dr. Rezende.

remédios e, em alguns casos – quan-

48

materlife 58

necessitará

tratamento.

Nada


Amamentar ficou ainda melhor. www.cor-arte.com.br

Amamentar sempre foi a melhor maneira de cuidar do seu bebê. Com a Concha para preparar o mamilo, Intermediário para fissuras e rachaduras, o Absorvente com gel e agora com a Concha Antiempedramento para você ficar ainda mais confortável.

Conchas para Preparação de Mamilos curtos ou invertidos.

Conchas Antiempedramento do leite materno.

Amamente®

A venda nas melhores farmácias.

Absorvente com Gel para o excesso de leite.


saúde mulher

Se o quadro pedir algum tratamento, este pode requerer remédios e, em alguns casos – quando provocar dores, hemorragias ou dificuldades reprodutivas – cirurgia.

do provocar dores, hemorragias ou

Histerectomia

Gravidez e menopausa

dificuldades reprodutivas – cirurgia.

Retirada total ou subtotal do

Alguns tipos de mioma po-

Os medicamentos usados são os à

útero, através de incisão no abdô-

d e m pre j u d ic ar a fecu nda çã o.

base de hormônios, que combatem as

men ou na vagina ou através do ví-

No e n t an t o , s e g u n do Dr. Re-

hemorragias internas, ou os denomi-

deo laparoscopia onde a cirurgia é

ze n d e , a e vo l u ç ã o d e m á g e s t a -

nados agonistas do GhRh, que pro-

realizada por pequenos orifícios de

ção r ar ame n t e é af e t a da p el o s

movem reduções temporárias do ta-

5 a 10 mm no abdome e a retirada

mio mas . “Só o c o r re o ca s i o na l -

manho dos miomas. “Diagnostiquei

do útero é feita pela vagina. Às ve-

me n t e”, e x pl ic a. Já de a co rdo

os miomas há cinco meses. Antes do

zes esta cirurgia é acompanhada da

c o m a Dr a. Mar ian a , u ma mu -

tratamento, sentia muita compressão

retirada dos ovários e trompas. Nos

l he r g r áv id a c o m mi o ma t em

na bexiga e cólicas. Comecei o tra-

últimos anos, foi criado um novo

q u e s e r ac o mpan hada bem de

tamento há três meses e sinto que

tratamento, que tem como objeti-

pe r t o , po is e x is t e c ha nce des -

melhorou consideravelmente”, fala

vo bloquear o fluxo sangüíneo das

t e mio ma c re s c e r mui t o o u a t é

a administradora Virginia Diniz, 30

pequenas artérias que levam o san-

me s mo s e d e g e n e r ar. “ Nes t es

anos Para os casos que necessitam de

gue que “alimenta” os miomas – isto

c as o s , às ve ze s a g rá v i da t em

cirurgia, diferentes intervenções são

leva a uma parada da hemorragia

q u e s e r o pe r ad a an t e s mes mo do

indicadas Abaixo, um pequeno resu-

ginecológica e também a uma redu-

bebê nascer”, explica ela. Barro-

mo de cada uma delas:

ção no tamanho dos miomas. Este

zo af ir ma q u e o s mioma s p o dem

tratamento é conhecido por embo-

c re s c e r ac e n t u ad ame n t e du ra nt e

Miomectomia

lização. “É executado por um mé-

a g r a v i d e z , o q u e p a re c e s e r d e -

Miomas são retirados através

dico radiologista intervencionista,

v i d o a o a u m e n t o d o s n í ve i s h o r -

de corte no abdômen, seguido de

que utiliza um finíssimo tubo (cate-

mo n ais . “Mas , apó s a ges t a çã o ,

cortes no útero ou através de um

ter) que é introduzido e usado para

g e r al me n t e e l e s re t o rna m a o s eu

pequeno orifício de 10 mm, onde

bloquear a artéria que está levando

t aman ho

é introduzido um instrumento cha-

sangue para o local da hemorragia.

Du r an t e a me n o pau s a , o s t u -

mado vídeo laparoscópio;

Após as artérias serem bloqueadas, a

mo re s po d e m d imin u i r. “ Co m o

hemorragia para progressivamente.

s u r g ime n t o d a me n o pa u s a , p el a

Vídeo histerocopia

Se os miomas são a causa da hemor-

re d u ção d o e s t ímu l o ho rmo na l ,

Retirada de miomas que estão

ragia e o seu suprimento de sangue

g e r al me n t e há d imin u i çã o des -

parcialmente ou totalmente dentro

é cortado, eles tendem a diminuir

s e s t u mo re s , q u e s ão a l t a ment e

da cavidade uterina por um instru-

significativamente

re s po n s ivo s ao s ho r mô ni o s” , f i -

mento chamado vídeo histeroscópio;

sentencia Barrozo.

50

materlife 58

de

tamanho”,

an t e r io r”,

n al iz a Dr. Re ze n d e .

i nf o rma .


medicina

Bebês e crianças são mais sensíveis à desidratação Clima quente, umidade e condições precárias de saneamento favorecem a proliferação de doenças que têm a desidratação como sintoma É realmente prazeroso viver num

desenvolvimento esse índice sobe

excessivo e ingerir água e sucos de

país tropical, repleto de praias pa-

para cerca de três milhões. E por

frutas constantemente. Com a meni-

radisíacas, de clima quente e onde

que a desidratação é uma ameaça

nada que pratica atividades esporti-

o sol brilha quase todos os dias. As

tão eminente? A resposta, no caso do

vas os cuidados são semelhantes. Se-

crianças são as que mais usufruem

Brasil, é resultado de uma junção de

gundo Edimilson Migowski, médico

desse bem-estar, basta imaginar a

fatores. O primeiro deles vale para

e professor adjunto de infectologia

meninada nos parques e brincando

a maioria que vive perto da Linha

pediátrica da UFRJ, além de manter

na praia. Mas, como tudo na vida

do Equador – boa parte das doen-

a criança hidratada é preciso acostu-

tem dois lados, há certos inconve-

ças típicas dos países tropicais tem a

má-la a beber água desde cedo.

nientes em viver nos trópicos. Um

diarréia e o vômito como sintomas,

deles é que somos campeões nos

que promovem grandes perdas de

A maior parte é água

casos de desidratação e essa é uma

líquidos e eletrólitos, substâncias

Assim como o planeta, o homem

doença que para bebês e crianças pe-

nutritivas que mantêm as funções

é formado em maioria por líquidos.

quenas tem conseqüências drásticas.

vitais. A combinação entre tempera-

O corpo humano é constituído por

De acordo com dados da Organiza-

tura elevada e umidade é ideal para

cerca de 70% de água que, misturada

ção Mundial da Saúde

a proliferação de vírus e bactérias e

a sais minerais, mantém o funciona-

(OMS), o número

as condições precárias de saneamen-

mento do organismo, a elasticidade

de vítimas fatais no

to potencializam a contaminação da

dos tecidos, irriga músculos e con-

Brasil é de aproxi-

água e dos alimentos.

duz as substâncias que alimentam as

52

madamente 50 mil

As regiões de clima seco tam-

células. Por isso, o fenômeno em que

crianças a cada ano.

bém não estão livres do problema. É

ocorre perda excessiva de líquidos

Juntando os países em

preciso se proteger do sol, do calor

é tão grave. A desidratação provoca

materlife 58


o (SRO), fácil de ser encontrado em

po humano é constituído por cerca

Entre os sintomas estão boca

farmácias e postos de saúde. Com-

de 70% de água que, misturada a

seca, pele sem elasticidade, olhos

posto por cloreto de sódio, citrato de

sais minerais, mantém o funciona-

fundos, fraqueza, tontura e dor de

sódio, cloreto de potássio e glicose

mento do organismo.

cabeça. A urina tende a ficar mais

é mais eficaz que o soro caseiro por

A diarréia é conseqüência de

escura, com odor forte e a diminuir

causa da fórmula equilibrada. Indi-

infecções intestinais causadas por

em quantidade, o que pode afetar os

cado em casos de desidratação mode-

vírus, bactérias ou parasitas. Geral-

rins. Nos casos mais graves ocorre

rada, o soro caseiro pode substituir o

mente, as de origem bacteriana são

a redução do volume sangüíneo e o

SRO. A solução é fácil de preparar,

mais graves que as virais, mas todas

aumento do ritmo dos batimentos

composta por uma colher de chá de

têm como característica principal

cardíacos. Segundo doutor Migo-

sal (3,5 gramas) e duas colheres de

a evacuação intensa de fezes moles

wski, os bebês e as crianças peque-

sopa de açúcar (40 gramas) em um

ou líquidas e podem causar cólicas,

nas são mais sensíveis à desidratação

litro de água filtrada e fervida. Em

chegando a durar até sete dias. É

porque a proporção de água em seu

1988, uma grande campanha foi re-

um dos fatores que mais provoca a

corpo é ainda maior do que a en-

alizada nacionalmente para ensinar a

desidratação, além de ser muito co-

contrada nos adultos.

população a preparar o soro e preve-

mum em doenças como gastrenteri-

nir a desidratação.

te, dengue, leptospirose e em casos

um déficit de água no organismo.

O tratamento é prescrito pelo mé-

de intoxicação alimentar.

dico e consiste na reposição de eletró-

O mercado também dispõe de

litos (potássio, sódio e sais minerais),

soluções reidratantes prontas para

Segundo dados da Secretaria

via oral ou venosa. A alimentação não

beber. As de densidade 45 são in-

Estadual de Saúde de São Paulo, o

pode ser suspensa, mas alguns ali-

dicadas em casos de desidratação

Estado registrou mais

mentos devem ser retirados da dieta,

eminente ou moderada. Em sua

de 20 mil casos de

como frituras, gorduras, doces e con-

composição o cloreto de sódio, de

dengue nos cinco

dimentos, alerta o infectologista. Os

potássio monoidratado, o citrato de

primeiros

soros de reidratação são usados nos

sódio e a glicose estão equilibrados,

do ano passado. A

casos de desidratação eminente ou

o que minimiza efeitos colaterais

doença se manifesta

de nível leve. Um dos mais comuns é

como vômitos e convulsões. O cor-

por meio da picada

meses

materlife 58

53


medicina

do mosquito Aedes aegypti. Já a lep-

interromper a evacuação, mas evitar

febre e apatia e pode perdurar até uma

tospirose é recorrente em regiões de

que o organismo se desidrate”. As-

semana. Também é transmitida por

chuva intensa e sujeitas as enchentes

sim como nos casos de desidratação,

alimentos e água contaminados;

e se manifesta pela contaminação da

é necessário evitar o consumo de

Amebíase: causada por um pro-

água e dos alimentos pela Leptospira

alimentos de difícil digestão, gor-

tozoário, a ameba, provoca febre,

interrogans, transmitida pela urina

durosos e frituras, além de doces e

dores abdominais, fadiga e evacua-

do rato de esgoto. De acordo com o

bebidas açucaradas. O médico alerta

ções com sangue. O agente causador

infectologista Edimilson Migowiski,

que suspender a alimentação é um

entra no organismo do hospedeiro

mais de 80% das mortes relaciona-

engano. “Uma dieta pobre em nu-

por meio da água e alimentos con-

das ao rotavírus ocorrem nos países

trientes agrava o estado do paciente.

taminados e se instala, geralmente,

em desenvolvimento, como o Brasil.

O ideal é que seja administrada com

nos intestinos. A doença é comum

A patologia que provoca disenteria

o soro caseiro ou bebidas reidratan-

nos trópicos e locais com condições

acentuada é conseqüência de uma

tes”, conclui Tabacow.

precárias de higiene;

combinação de vírus com grande

Giardíase: a giárdia é outro pro-

resistência e também causa vômitos,

Tipos de Diarréia

tozoário que entra no organismo hu-

náuseas e dores abdominais. Para

Diarréia comum: é mais freqüente

mano por meio de água e alimentos

cada uma dessas patologias existe

em crianças e pode ser provocada por

contaminados. Entre as manifesta-

um tratamento específico que deve

intolerância ou mudança alimentar,

ções estão fadiga, dores abdominais

ser indicado por um médico, mas,

por ansiedade e até por estresse;

e de cabeça e febre.

em relação à diarréia, alguns cuida-

Diarréia infecciosa: causada por

dos são básicos. Entre eles evitar o

bactérias ou vírus, alia sintomas como

consumo de refrigerantes e isotônicos. “Tomar refrigerante em casos de diarréia é um erro grave, que pode comprometer ainda mais o estado do paciente. Já as bebidas isotônicas não têm a função de repor os eletrólitos perdidos em casos de evacuação acentuada, são indicadas para depois da prática de atividade física”, afirma o médico. Para Miguel Adolfo Tabacow, pediatra, gastroenterologista e nutrólogo da Fundação Amparo Maternal, em São Paulo, o tratamento da diarréia deve se basear nos cuidados com a alimentação e na reposição dos eletrólitos. “O objetivo não é

54

materlife 58


saúde bucal

SEGUNDA DENTIÇÃO: O QUE ACONTECE NESSA FASE? Também conhecida como dentição permanente, essa fase é importante, pois é quando se dá a forma definitiva na dentição da criança. A partir dos seis anos de idade a criança começa trocar os dentes. Nessa etapa que os dentes de leite começam a cair, e dar espaço para a nova dentição. Até acontecem algumas brincadeiras, como jogar o dente que caiu no telhado para fazer pedidos para a fada dos dentes, ou guardar o primeiro dentinho que caiu, como se fosse um amuleto eterno para a criança. Alguns pais até fazem patuás com os dentinhos. Enfim, essa transição dos primeiros dentes para os definitivos é muito importante, pois é aonde se dá a formação completa, podendo a criança crescer com dentes saudáveis ou ter que utilizar aparelhos dentários para corrigir a arcada. O nascimento da dentição permanente vai até os doze anos de idade, porém até os oito anos de idade a criança ainda está sujeita ao desenvolvimento da fluorose, doença causada pela ingestão excessiva de flúor. Por isso, é importante que, de 0 a quatro anos, a criança utilize cremes dentais sem flúor e a partir desta idade até os oito anos sejam utilizados cremes dentais com baixa concentração de flúor. Os primeiros dentes permanentes a nascerem são os molares, eles fazem sua aparição logo atrás dos molares

56

materlife 58

deciduais. Como esses molares são

de uma má higiene bucal.

bem maiores que os dentes da primei-

O segundo dente permanente a

ra fase de dentição, a mandíbula da

surgir é o incisivo central superior.

criança deve estar suficiente desen-

Diferentemente dos molares, os in-

volvida para que tenha espaço para

cisivos tendem a tomar o espaço dos

o crescimento desse dente. Tem que

dentes de leite. Pouco depois destes,

se ter especial atenção com esses mo-

aparecem os incisivos laterais inferio-

lares, como surgem atrás dos dentes

res, seguindo vem os incisivos cen-

deciduais, eles acabam sendo vitimas

trais superiores e, cerca de um ano


saĂşde bucal

depois, os incisivos laterais superio-

CĂĄrie de mamadeira pode

DICAS PARA EVITAR

res. Quando a criança atinge os dez

prejudicar a dentição permanente

A CĂ RIE DE MAMADEIRA

anos de idade começam a aparecer os

Algumas mĂŁes tĂŞm por hĂĄbito ado-

t/VODBBEPDFBNBNBEFJSB ĂˆHVB 

primeiros prĂŠ-molares e os caninos

çar demasiadamente o leite, ou atÊ mes-

chå ou sucos. Mel e açúcar masca-

inferiores, os segundos prĂŠ-molares

mo colocam mel na chupeta, ou utili-

vo tambĂŠm provocam cĂĄrie;

surgem um ano depois, seguidos dos

zam de outros artifĂ­cios “adocicadosâ€?

t"PJOJDJBSBBMJNFOUBĂŽĂ?PTĂ˜MJEB 

caninos superiores. A fase completa

para fazerem com que seu bebĂŞ mame,

acostume seu filho com sabores

de dentição termina aos doze anos

ou se acalme com a chupeta. O proble-

naturais, nĂŁo adocicados;

de idade, com o surgimento dos se-

ma acontece que, logo depois do mimo,

t&WJUFQSPEVUPTJOEVTUSJBMJ[BEPT

gundos molares, tambĂŠm conheci-

a maioria das mĂŁes nĂŁo faz uma higie-

A maioria contÊm açúcar em sua

dos como molares dos doze anos. Os

ne bucal correta na boca da criança. Ao

composição porque Ê um excelen-

famosos dentes do siso, Ă queles que

dormir ocorre uma diminuição do fluxo

te conservante;

quase todo mundo retira com certo

salivar, o que reduz a proteção natural

t/Ă?PBEPDFBDIVQFUB&MBDPSUB

sofrimento, nĂŁo surge antes do de-

que a saliva exerce sobre os dentes. O

o choro, mas pode significar mui-

zessete anos de idade. É necessårio

leite e/ou açúcar aderem ao dente e pro-

tas cĂĄries no futuro. O bebĂŞ nĂŁo

um crescimento e uma evolução con-

vocam a formação de åcidos que des-

conhece o açúcar e não sentirå

sideråvel da arcada. Às vezes Ê pre-

troem o esmalte que protege os dentes.

falta dele;

ciso fazer uma radiografia do local

O primeiro sinal de cĂĄrie de mamadeira

t&TDPWFPTEFOUFTEBDSJBOĂŽBMPHP

para saber se os terceiros molares es-

são manchas esbranquiçadas, geradas

após as refeiçþes;

tĂŁo ou nĂŁo presentes. As pessoas que

pela desmineralização do esmalte. É ai

t &WJUF P DPOTVNP FYBHFSBEP EF

tĂŞm esse dente bem desenvolvido ĂŠ

que mora o perigo, pois crianças com

balas, doces e refrigerantes;

uma minoria, tanto ĂŠ que um dentis-

cĂĄrie de mamadeira podem perder pre-

t7JTJUFPEFOUJTUBBDBEBTFJTNF-

ta nĂŁo pensa duas vezes em extraĂ­-lo

cocemente os dentes de leite, e sĂŁo eles

ses para tratamentos preventivos e

sentindo que este vai dar algum tipo

que preparam o caminho para a erup-

utilize cremes dentais sem flĂşor,

de problema.

ção da dentição permanente.

porÊm com ação anticårie.

58

materlife 58


saúde bucal

AFTA: UMA DOLOROSA EXPERIÊNCIA QUE NINGUÉM GOSTA DE TER A afta acomete quase 50% da população mundial, e não se tem um estudo sobre o porquê de sua incidência. É bem fácil de encontrar pessoas que já tiveram uma vez, ou várias vezes, na vida problemas com afta. Talvez até mesmo você que esteja lendo essa matéria já teve e agora vem àquela lembrança do quanto é irritante e incomoda na hora de comer, ou até mesmo para falar. A afta, também conhecida como estomatite aftosa, é uma ferida considerada limpa, pois não é provocada por nenhum agente bacteriano. Ela é caracterizada por erupções no tecido epitelial em qualquer local dentro da boca, e geralmente ocasiona reação inflamatória de intensidade leve a moderada associada a dor. Não existe um estudo mais complexo sobre as causas da afta, a teoria mais aceita é de que a pessoa que esteja com afta está com alguma deficiência no sistema imunológico. Alguns médicos também atribuem a incidência de afta a predisposição genética, ao período pré-menstrual no caso das mulheres, e a deficiência nutricional causada pelo desequilíbrio alimentar ou por efeito de algum medicamento. Segundo a crença popular a afta é causada por alimentos ácidos como abacaxi e limão. Normalmente a afta não causa mau hálito nem febre e, como são feridas limpas, pois não são causadas por fungos ou bactérias, ela não é transmissível de pessoa para pessoa. Ela acomete pessoas mais jovens, na faixa dos 20

60

materlife 58

A teoria mais aceita é de que a pessoa que esteja com afta está com alguma deficiência no sistema imunológico.

aos 30 anos, podendo nunca mais reaparecer ao longo dos anos. Tratamento Na grande maioria doas casos, o tratamento serve apenas para aliviar a dor causada pela afta. Quem já teve sabe como é essa sensação. Não existe um consenso em relação ao tratamento da afta, eles apenas visam à aceleração da cicatrização da lesão. Existem no mercado atualmente cremes dentais e linhas de medicamentos específicas para o tratamento de aftas, recomendadas por dentistas. Estas formulações podem conter substâncias anestésicas e antiin-

flamatórias, que aliviam a dor e fecham com mais rapidez as feridas, melhorando a qualidade de vida do paciente. Algumas receitas caseiras, normalmente àquelas sugeridas pelos “especialistas” da família, sugerem a utilização de bicarbonato de cálcio, ou até mesmo álcool. Esses produtos podem agravar ainda mais a lesão, pois eles destroem a mucosa bucal. Um método caseiro e um pouco mais eficaz é utilizar infusão de cravo da índia, fazendo bochechos diários com esse produto. O cravo da índia é um analgésico natural, e faz com que alivie os sintomas causados pela afta.


paterlife

CINCO MITOS SOBRE A PATERNIDADE MITOS E VERDADES

para atender às suas necessidades, assim

É mais fácil para um futuro papai falar

Se você é como a maioria dos pais de

como as da sua família. E o melhor de

todo animado sobre os aspectos positivos

primeira viagem, deve estar com algumas

tudo é que tem tempo para isso. Da ges-

das mudanças que vêm pela frente. Bem

idéias na cabeça um tanto equivocadas

tação aos primeiros anos de uma criança,

mais complicado é dar voz à inevitável

sobre o significado da paternidade. Esses

os homens mudam e desenvolvem uma

sensação de temor e apreensão. Será que

conceitos são baseados em experiências

identidade única como pais. Veja a seguir

vou desmaiar na hora do parto? Será que

com seu próprio pai e em atitudes que

outros cinco mitos sobre a paternidade e a

vai haver alguma complicação? Será que

você acredita serem esperadas pela socieda-

verdade escondida por trás deles.

nosso relacionamento vai mudar? Será que a chegada de um filho não vai atra-

de. Infelizmente, há poucos recursos disponíveis para ajudar os homens a processar

MITO 1: SÓ OS SENTIMENTOS

palhar minha carreira? É importante que

tais assuntos ou para colocar tantos mitos

DA GESTANTE É QUE CONTAM

sua parceira saiba dos seus receios. Muitos

em xeque. Mesmo assim, quanto mais você

As incríveis mudanças no corpo de sua

pais não compartilham medos sobre a gra-

examinar e buscar entender suas expectati-

parceira durante a gravidez e os preparativos

videz e a chegara do bebê com as mulhe-

vas sobre a paternidade, mais chances terá

para o parto podem fazer com que se acredi-

res para poupá-las de mais preocupação.

de se tornar o pai que deseja.

te que somente os sentimentos dela impor-

A verdade é que a maior parte das mulhe-

Talvez o maior dos mitos seja o de que

tam neste momento. A preocupação com

res quer esse tipo de interação. Conversas

há apenas uma definição do que é ser um

o bem-estar físico e mental da mulher na

sinceras e abertas só vão aproximar vocês

“bom pai”. A questão é que a paternidade

gravidez é importante, assim como depois

dois. Não deixe também de conversar

não é nenhuma entidade imutável. Você

que o bebê nascer, o que não quer dizer que

com amigos que estejam passando ou já

tem o poder de fazer dela o que quiser

os sentimentos do pai não sejam também.

tenham passado pela experiência.

62

materlife 58


paterlife

MITO 2: RECÉM-NASCIDOS

MITO 4: HOMENS QUE SE

a única. Pense em todas as pessoas que

NÃO PRECISAM DOS PAIS

DEDICAM AOS FILHOS NÃO ESTÃO

afetaram sua vida ao longo do tempo, de

A forte ligação entre sua parceira e o

BEM NA CARREIRA

professores a amigos, tios e irmãos, e crie

bebê, especialmente se ele estiver maman-

Muitos homens cresceram com o con-

sua própria identidade paterna.

do no peito, poderá deixar você se ques-

ceito de que seu valor era basicamente me-

Basta ver como cada lugar do mundo

tionando se afinal de contas vai servir para

dido pelo trabalho. Mas essa verdade, que

encara a paternidade de uma forma dife-

alguma coisa. Saiba que sim. Você é uma

já foi absoluta, começa a mudar, e alguns

rente. Em algumas culturas africanas, por

pessoa importante na vida do neném e

homens estão trocando as conquistas pro-

exemplo, “pai” é na verdade um grupo

traz conforto e segurança a ele. Para criar

fissionais por mais tempo com a família,

de homens, não um indivíduo. A pater-

um vínculo especial com seu filho, segu-

por enxergar aí a fonte de sua satisfação

nidade é socialmente construída, baseada

re-o no colo, nine-o, converse com ele ou

pessoal, e não porque simplesmente suas

nas necessidades dos integrantes de um

cante uma música - só espere para fazer

carreiras já não iam bem mesmo. Hoje

determinado local, em um determinado

isso depois das mamadas, assim à atenção

em dia, mais homens do que nunca sen-

momento histórico. Foi assim com nossos

dele será total. Além de ter momentos

tem que ser bons pais é uma conquista

pais. Para eles, ser bom pai era, acima de

especiais com o bebê, você também es-

significativa por si.

tudo, ser bom provedor e não deixar faltar

tará ajudando a dar um tempo para sua

casa, comida e educação para os filhos. Os

parceira descansar e recuperar as energias

MITO 5: VOCÊ ESTÁ DESTINADO

homens agiam conforme o que parecia ser

depois de amamentar. Você pode ajudar a

A SER UM PAI IGUAL AO QUE TEVE

melhor dadas as demandas sociais e fami-

alimentar o bebê se sua parceira ordenhar

Seu próprio pai vai adquirir novos

liares da época. Você também fará esse

o leite para colocar em uma mamadeira

significados quando você se tornar pai. É

tipo de escolha. Procure enxergar a pater-

ou copinho, ou se vocês, junto com o pe-

natural pensar em sua história e acredi-

nidade como um papel a ser desempenha-

diatra, tiverem decidido complementar a

tar que, por bem ou por mal, seguirá os

do diariamente, conforme você explora as

alimentação com fórmula láctea.

passos do seu pai. Mas não tem que ser

possibilidades da vida. Pegue as experi-

assim. Seu pai é uma das influências sobre

ências positivas de sua própria família e

o tipo de pai que você será, porém não

acrescente novas por conta própria.

MITO 3: HOMENS NÃO SABEM CUIDAR DE BEBÊS Esta é uma grande mentira que impede pais de terem uma relação próxima com os bebês e causam ansiedade nas mães, que temem que os homens não sejam capazes de lidar com recém-nascidos. No mundo de hoje não faltam exemplos de homens que cuidam de bebês sozinhos. Pais e mães aprendem a atuar como tal no dia-a-dia, pela vivência e pelo contato com as crianças. Se dedicar tempo para

COMO QUESTIONAR OS MITOS DA PATERNIDADE 1. Reflita sobre como a paternidade está afetando você. Compartilhe impressões com sua parceira e amigos que estão na mesma situação. 2. Pegue, acarinhe, nine e conforte seu recém-nascido desde a hora em que ele nascer. 3. Aprenda a trocar fraldas, dar banhos, alimentar seu filho e ser parte da rotina dele. 4. Pense nas concessões profissionais que está disposto a fazer para ter mais tempo para seu filho. Isso é algo que leva tempo. 5. Aproveite as boas qualidades do seu próprio pai, de professores, amigos

seu filho, você naturalmente aprenderá a

e parentes para se espelhar e criar sua identidade paterna. Qualquer pessoa

reconhecer as necessidades dele.

que teve um impacto positivo na sua vida pode ser um modelo a seguir.

64

materlife 58


higiene

Cuidados com o bebê O bebê nasceu. O mundo agora cabe num quarto, chora, mama e faz algumas outras coisas que você nunca poderia imaginar. Bem, imaginar você até poderia, mas não contava que desse tanto trabalho e precisasse de tantos cuidados, muitas vezes, minuciosos e urgentes. Nada muito complicado e nesse caso, prática e habilidade serão seus grandes aliados. Mas não se acanhe em pedir auxilio, se você for o que chamam por ai de marinheira de primeira viagem. Há sempre uma vovó ou uma titia de plantão ansiosa por ajudar, talvez seja até a garantia de algumas horas de sono nos primeiros três meses. Lembre-se sempre: logo que o bebê nasce, a presença materna deve ser constante, mas a mamãe precisa descansar também.

1 Depois

do nascimento e pelo menos nos seis primeiros meses, evite ambientes fechados – passeios a shoppings ou a lugares que circulam muitas pessoas devem ser evitados, já que um lugar sempre com muita gente, existe também a possibilidade de um ar contaminado por viroses ou bactérias, que podem fazer a festa numa pessoa com quadro imunológico baixo. O bebê está se adaptando ao mundo.

66

materlife 58

2 Ao amamentar, procure um local 4 adequado. Vá atrás de sossego para você e para o seu bebê. Mesmo porque este é um momento tão intenso que deve ser reservado para vocês dois. Amamentar é um ato de amor e paciência. E lembre-se: o aleitamento materno evita infecções e alergias.

3

Depois de amamentar, é necessário fazê-lo arrotar. O que acontece é que ao se alimentar, o bebê além do leite, engole ar, isso dá a ele uma falsa sensação de saciedade ou pode causar desconforto estomacal, como cólicas ou gases. Apóie o bebê nos ombros e por aproximadamente cinco minutos faça massagens nas costas ou dê tapinhas leves.

A hora do banho também requer vários cuidados. Um momento especial que precisa de carinho e delicadeza, já que o contato com a água pode causar insegurança ao bebê. Prepare o local do banho e já separe sabão neutro, toalha macia e roupinhas limpas. A banheira deve ser limpa e a temperatura da água deve ser agradável ao toque (34º é o recomendado). Antes de colocar o bebê, teste a temperatura com o cotovelo ou o pulso. Lave o rosto do bebê sem sabonete. Em seguida, coloque-o com cuidado na água. O braço esquerdo deve servir de apoio para a cabecinha, e deixe a mão livre para segurar o bracinho. A mão direita deve ensaboar o bebê. Ao reti-


TRANSFORME O BANHO

DO BEBÊ EM UM

MOMENTO DE ALEGRIA

O banho com o Tummytub é uma experiência agradável para o bebê. Seu formato ergonômico faz com que os bebês se sintam como no útero materno e por isso eles relaxam e muitas vezes até dormem. A água se mantém aquecida e faz o bebê se sentir tranqüilo e protegido durante o banho, evitando as cólicas e o stress causado pelo novo ambiente. Faça o teste. Mamães de todo o mundo já comprovaram os resultados, só falta você. Disponível nas principais lojas de produtos infantis do Brasil.

www.babytub.com.br

41 3244.7276


higiene

rá-lo da água, envolva-o em uma toalha macia e cuide para que ele não tome corrente de ar. Seque bem e se atenha às dobrinhas e ao umbigo.

5 Ao trocar as fraldas do bebê, alguns cuidados são imprescindíveis: lave bem as mãos toda vez que for manipular o bebê. Cuide para que o local onde será feita a troca esteja limpo. Use algodão molhado em água morna para remover as fezes e a urina. Se for uma menina, os movimentos de limpeza devem ser feitos de frente para trás (desta forma, evita trazer resíduos de fezes para a uretra e vagina). Se necessário e para prevenir assaduras use um creme protetor apropriado, para isso consulte um pediatra, que vai indicar o mais apropriado.

6

Evite trocar a fralda do bebê durante a noite. Se tiver de fazê-lo, por alguma eventualidade, use o mínimo de luz possível e não brinque com o bebê. Do contrário, isso poderá despertá-lo.

7 Vestir o bebê é uma tarefa simples, se você escolher roupas de simples colocação e que te permitam trocar as fraldas sem necessidade de despí-lo completamente.

8 Caso o nariz do bebê esteja entupido, utilize o soro fisiológico, em temperatura ambiente, e sem conservantes. Pingue o conteúdo de um conta-gotas em cada narina. Procure

68

materlife 58

ter sempre o produto em casa, pois os descongestionantes comuns são perigosos para o bebê.

9

Nunca deixe o bebê dormir na sua cama. Além de estar suscetível a acidentes, você não conseguirá ter um sono relaxante e tranqüilo. Acostume-o desde cedo a dormir no berço, para sua comodidade, coloque-o próximo a sua cama, pelo menos nos primeiros meses, período em que o bebê ainda está se adaptando.

maravilhosa de energia. E dormir é tudo o que seu bebê precisa!

12 Antes de segurar o bebê, lave bem suas mãos e seu rosto. Lembrese que o ser humano é fonte viva de bactérias e em contato com o bebê pode causar danos à saúde dele.

13 Os babadores devem ser itens obrigatórios do enxoval. Ele evitará que você precise trocar as roupas toda vez que ele regurgitar.

10 Alimente o bebê antes de você 14 Na hora de trocar a roupa do dormir e tente manter o bebê acordado por um periodo mais longo antes da última alimentação do dia. Procure educá-lo desde o começo, coloque no berço na mesma hora toda noite; esta prática vai ajudar o bebê a desenvolver um bom hábito para dormir. E lembre-se: a educação do seu filho começa com rotinas simples.

11 Não

acorde o bebê a noite para mamar. Se ele estiver dormindo, deixe-o quieto. Estudiosos sustentam que o sono é uma fonte

bebê, aproveite para fazer um exercício de socialização. Brinque com ele, faça massagens nas costas e na barriga. Não faça como obrigação, curta o momento.

15 A dica mais importante: mostre ao bebê, desde o primeiro momento de vida, que você o ama e que ele foi muito desejado. Dê muito amor, converse com ele, mostre o mundo ao redor. Mostre como ele é muito importante e como os momentos de vocês dois são mágicos e ternos.


pais e filhos

Que tal um cafezinho?

Há dias em que a energia simplesmente acaba, costumo dizer que esgotou a pilha. A gente corre. Vive uma vida insana atrás de ganhar o amanhã porque o hoje está passando tão rápido que estamos sempre atrasados em relação a tudo que nos propomos fazer. Resultado: Estresse. Hoje, o tão falado e desgastado estresse acomete a todos, inclusive as crianças, vítimas desta correria, das exigências, horários, cursos, metas e resultados que nos impõem e a tantas outras que nós mesmos nos imputamos. Fadados a uma nova realidade, uma vida estressada, recorremos a pequenos escapes que nos proporcionem uma pausa física e mental para que possamos em seguida retomar a rotina maluca de cada dia. Chamo da pausa para um cafezinho. Não aquele cafezinho rápido, em pé, aquele que se toma a cada intervalo de reunião, nas visitas aos clientes, não aquele pretinho que se engole na busca por ingredientes reconhecidamente energéticos, que possam nos ajudar a acordar os neurônios. Falo de um cafezinho, entre amigos, familiares. Falo daquela pausa, longe da tela do computador, do tráfego doentio dos carros, do telefone tocando. Se bem que não há aviso de proibição do uso de celular nas cafeterias. Deveria existir uma lei a respeito e uma placa sinalizando a proibição logo na entrada de todo estabelecimento do gênero. Refiro-me a este cafezinho. Um tempo gasto com conversas leves, com atualizações daquilo que se deseja realizar, com fofoca do bem, pausa pra dizer que a gata deu cria, pausa pra reclamar que a empregada faltou, que o dente do filho caiu. Pausa pra saborear uma broa de milho, sem lembrar se a crise mundial,

do desmatamento ou das rugas que insistem em aparecer. Ele me remete a infância, ao hábito familiar de sentarmos á mesa aos finais de tarde, com pãozinho fresco, ou mesmo o amanhecido, molhado no café com leite. Os bolinhos de chuva da avó, os filmes água com açúcar da tarde e o “fazer nada” permitido. Quando a coisa aperta, apelo pra o cafezinho, seja de manhã pra trocar idéia com a mãe, antes mesmo de ir trabalhar, seja à tarde pra desabafar com a amiga os dissabores que a vida às vezes nos impõe. Tomo o cafezinho da cura, respiro fundo enquanto saboreio o aroma de tudo entrando nos eixos. Será que sou só eu, ou você também está precisando? Que tal um cafezinho?

Simone Mendonça Diniz Publicitária e Escritora www.simonemendoncadiniz.com.br Foto: Andrea Amaral

materlife 55

69


pesquisa

Metade dos casais com bebês briga para dormir mais Uma pesquisa feita pela empresa

“Com números como estes, não

ponder ao choro do filho em menos

de produtos infantis Tomy, na Grã-

é surpreendente que os casais so-

de 30 segundos, enquanto 68% delas

Bretanha, revelou que quase metade

fram com a falta de sono no primei-

acreditam que seus parceiros levam

dos casais com filhos pequenos so-

ro ano do bebê. Acordar com um

cinco minutos ou mais para levantar

fre da chamada “Síndrome de Sono

bebê berrando várias vezes por noi-

da cama. Apenas uma em cada cem

Competitivo”, em que os pais têm

te pode ser uma experiência muito

mães diz conseguir dormir enquan-

discussões sobre quem dorme me-

solitária, especialmente se você não

to o bebê está chorando, mas 43%

nos por causa do choro do bebê.

está recebendo a ajuda necessária”,

delas acham que seus companheiros

diz Joanne Gray, da Tomy.

conseguem ignorar o barulho.

O estudo mostrou que um terço dos casais dorme uma hora e meia

De acordo com a pesquisa, a falta

a menos por noite, o equivalente a

de sono muitas vezes causa estresse

Medidas extremas

uma noite inteira por semana ou a

no relacionamento dos pais, espe-

Muitos dos casais exaustos en-

mais de dois meses por ano. Para

cialmente porque as mães reclamam

trevistados na pesquisa confessaram

um em cada cinco pais, a falta de

que seus parceiros são muito lentos

recorrer a medidas pouco ortodo-

sono é ainda pior: quase três horas

para acordar quando o bebê chora.

xas para conseguir alguns minutos

a menos por dia.

Quase metade das mães disse res-

de sono a mais.

70

materlife 58


Um quarto dos pais disse ter levado o bebê para longos passeios de carro para ajudá-lo a pegar no sono, enquanto mais da metade dos entrevistados afirmou ficar com o filho no colo por longos períodos para evitar que ele acorde. Um em cada quatro pais admitiu fingir que está dormindo na esperança de que o bebê o copiasse. No entanto, de acordo com a pesquisa, a solução para noites mais

O estudo mostrou que um terço dos casais dorme uma hora e meia a menos por noite, o equivalente a uma noite inteira por semana ou a mais de dois meses por ano.

tranqüilas pode estar em medidas bem menos complicadas. “É compreensível que o sono se torne uma preocupação tão grande no primeiro ano da criança que os pais acabem recorrendo a idéias estranhas e maravilhosas para fazer seu bebê dormir. Mas nosso estudo mostra que são coisas simples, como um banho no início da noite, o investimento numa boa babá eletrônica ou o estabelecimento de uma rotina de sonecas durante o dia, que têm maior influência na PGM

qualidade do sono dos pais e bebês”, afirma Gray. Para os casais entrevistados durante a pesquisa, fazer com que o bebê tenha um padrão de sono regular é o maior desafio do primeiro ano da criança, na frente de problemas como receber o apoio necessário dos parceiros, manterem uma vida social ou recuperar a forma física depois da gravidez.

FONES: (11) 4362-2621 (11) 4362-2406

materlife 58

71


dicas

Oito dicas para fazer o bebê dormir a noite inteira

Fazer um bebê dormir é um dos pro-

tas, que à sua vez podem ajudá-lo a

6

blemas mais comuns para “novos

dormir melhor à noite.

deixá-lo relaxado, especialmente du-

pais”. Às vezes um bebê que começou

Carregue-o durante o dia para

rante da tarde. Isso estimula o bebê

o sono pela noite, pode acordar de-

3 Durante o dia, alimente-o mais

vido algum problema ou apenas por

de uma vez, permitindo que ele en-

que quer a sua mãe ou seu pai! Não

contre as suas necessidades nutriti-

7 Tente deixar a noite calma para

existe uma solução mágica de ajudá-

vas em um horário mais convenien-

não excitá-lo. Às vezes, é bom dar

lo a adquirir mais sono à noite. Mas

te a você.

um banho antes da cama.

há algumas dicas simples para você conseguir dormir um bocado a mais:

a ter uma noite mais fácil.

4 O seu bebê está usando chupeta? 8

Se ele acordar no meio da noi-

Nesse caso permita que ele encontre

te com fome, faça-o voltar a dormir

Siga uma rotina. Se o seu bebê

as suas necessidades na amamentação

em uma sala escurecida. Evite mo-

acordar tarde, ele vai dormir tarde.

no seu peito. Dê o peito de forma

dificações de fralda de noite sempre

Acorde-o cada dia mais cedo para

regular durante o dia, isso pode fazer

que possível. Deixe-o saber que a

estimulá-lo a adquirir sono à noite.

com que ele durma a noite inteira.

noite �� para o sono.

2

5

Permita que o seu bebê termine

E não se esqueça de você! Descanse

soneca, permita que ele durma em

o primeiro peito oferecido. Deixe-o

enquanto o bebê dorme. Isso é mui-

uma área bem iluminada. Isto aju-

mamar o quanto quiser. Isto o ajudará

to importante quando está cuidan-

dará a estimular sonecas mais cur-

ele a não sentir fome durante a noite.

do de um filho.

1

72

Quando o seu bebê tira uma

materlife 58


decoração

Les Enfants

Aproveite o Ano da França no Brasil e deixe chique o quarto do seu bebê.

Quando se trata de decorar

aquele tecido desenhado com mo-

quedos e fraldas), das prateleiras

quartos de bebe, os motivos, te-

tivos dos monumentos da França

com penduradores

mas, cores e estilos, são os mais

em azul no fundo branco. Já que

modelos, a cortina de linho bem

diversificados

Neste

estamos no Ano da França, base-

simples. Para não sobrecarregar o

projeto a idéia inicial era traba-

amos todo o quarto do bebe nesta

quarto, já com as listas na pare-

lhar com cores, azul, vermelho e

temática. O profissional pesqui-

de, a cama da babá é toda branca

branco, então a mamãe encontrou

sou quartos de crianças france-

e o trocador bem moderno tem

ses, principalmente os do tipo

tampo de fórmica branca com pés

Provence, com jeito mais des-

cromados, e pode se transformar

pojado, trazendo uma lingua-

em uma escrivaninha quando o

gem diferente das utilizadas em

pequenino crescer. O tecido com

quartos de bebe normalmente.

detalhes franceses, foi utilizado na

Surgiram então as idéias dos sa-

colcha do berço, com babadinhos

quinhos de tecido (para brin-

vermelhos. Este é um bebe chique!

possíveis.

de diversos

“O futuro de um filho é sempre obra da mãe.” Napoleão Bonaparte

Edilene Alessi, arquiteta (FAUUSP – 1985) Fone: 11 3871-4231 | 11 9612-4978 | ealessi@uol.com.br Av. Prof. Alfonso Bovero, 1057 Cj. 47 74

materlife 58


gravidez

Gravidez psicológica gera sintomas reais Apesar de rara, pseudogestação causa diversas reações no corpo da mulher e o tratamento não é simples. O assunto não é novo, mas, pela primeira vez, foi tratado com destaque em uma novela na televisão brasileira. A personagem Simone, vivida pela atriz Gabriela Duarte em “América”, apresentada pela Rede Globo, teve uma gravidez psicológica. Mesmo passando por diversos médicos, ela se recusou a aceitar a realidade. Pior, teve todos os sintomas da gravidez, desde o enjôo, barriga crescendo, até um “aborto” espontâneo. Apesar de o problema ter sido bastante explorado pela mídia, a médica ginecologista Laila Coelho, de Maringá, tranqüiliza as mulheres, explicando que casos de pseudogestação são raros. A médica conta que já atendeu uma paciente com esse quadro. A “gestante” ficou sabendo que não estava grávida no momento da ultra-sonografia. Laila Coelho diz que as mulheres que têm uma gravidez psicológica não buscam acompanhamento médico, porque preferem viver na ilusão. “No ín-

ca, também denominada pseudo-

mente, que apresentam depressão,

timo elas sabem que não estão grá-

ciese, atinge mais as mulheres que

contribuindo assim para o proble-

vidas, mas por causa da vontade

nunca tiveram filhos e aquelas pró-

ma.” As reações do corpo de uma

sentem-se bem.” De acordo com a

ximas da menopausa. “Geralmente

mulher com gravidez psicológica

ginecologista, a gravidez psicológi-

são mulheres frágeis emocional-

são as mesmas de uma gestante.

76

materlife 58


IDÉIASaMIL

NEVONI TECNOLOGIA DE BEM COM A VIDA Aspiradores Inaladores Serras de gesso Umidificadores

Tel.: 11 4619-2066 www.nevoni.com.br

materlife 58

77


gravidez

Segundo a médica, os sintomas são o crescimento da barriga, aumento das mamas e aparecimento de enjôos matinais. “São sintomas de uma gravidez real”, diz ela, para quem o que leva ao crescimento da barriga são a reposição de gordura, gases e líquido abdominal. Por ser psicossomático (problemas da mente que afetam o corpo), os pacientes são encaminhados para médicos psiquiatras ou psicólogos. Nos mais de 15 anos em que atua como psicólogo, o professor Ítalo Calvino, coordenador do curso de psicologia do Cesumar (Centro Universitário de Maringá), diz ter atendido apenas duas pacientes portadoras da pseudogestação. “Não é algo que aparece com muita freqüência nos consultórios, comparado com outros problemas emocionais.” Ele observa que nas famílias mais tradicionais as mulheres sentem-se quase na obrigação de dar um filho aos maridos. O professor Calvino afirma que as mulheres que têm uma gravidez psicológica passam a ser observadas como pessoas com problemas mentais. “Esse fato deixa a pessoa numa situação difícil diante dos familiares e amigos.” A gravidez psicológica é conseqüência de uma série de outros fatores. Calvino explica que a pseu-

78

materlife 58

A pseudogestação faz parte de um conjunto de sintomas psicológicos do histórico de vida da pessoa, como situações emocionais; dificuldade de o indivíduo lidar com rustrações e sentimento de abandono. No geral, são mulheres que sentem-se injustiçadas pela vida.


dogestação faz parte de um con-

zes e acabam, para tentar desviar de

Hormônio alterado

junto de sintomas psicológicos do

outros problemas, desenvolvendo a

pode gerar falso positivo

histórico de vida da pessoa, como

pseudogestação, ou a síndrome do

em teste

situações emocionais; dificuldade

pânico ou, ainda, a depressão.

Nesses casos, só é possível con-

de o indivíduo lidar com frustra-

O tratamento da pseudogesta-

vencer a mulher de que não está

ções e sentimento de abandono.

ção não é simples, porque segundo

grávida depois de uma ultra-so-

“No geral, são mulheres que sen-

o professor Calvino, a gravidez psi-

nografia. Nem sempre o resulta-

tem-se injustiçadas pela vida.”

cológica é a manifestação fisiológica

do “positivo” atesta, de fato, uma

Na idade dos 35 a 40 anos as

de um desejo intenso. Em geral, não

gravidez. Nos casos de pseudociese

pessoas ficam mais sensíveis. Calvi-

é trabalhado com o tempo (duração

esses exames não são conclusivos e

no diz que após os 30 anos o indi-

do tratamento), mas sim com a in-

há necessidade de ultra-sonografia.

víduo muda as características, tanto

tensidade do desejo. “Para o organis-

Isso porque, de acordo com o gi-

homem como mulher, e se dá conta

mo reagir, o desejo deve ser muito

necologista e obstetra Joaquim

que não é mais um aprendiz da vida.

forte e a frustração acaba trazendo

Lunardelli, de Maringá, o desejo

Tem tarefas a cumprir e isso nem

um sofrimento muito intenso.” Cal-

de ser mãe, provoca mudanças no

sempre é algo bom. No caso das

vino lembra que o tratamento pode

padrão hormonal. “Acontecem ca-

mulheres, muitas sentem-se incapa-

variar conforme cada pessoa.

sos de a mulher ter resultados de

www.maravilhadosenxovais.com.br

Visite nossa loja virtual!

Cama, Mesa e Banho

Mordedores

Conheça nossa linha Baby e Kids! Mais brincadeira para a criançada na hora de dormir e tomar banho!

Travesseiro para Amamentação

Tel. 11 3645-2179 Rua Albion 69 - Lapa - São Paulo - SP / CEP 05077-130


gravidez

alterações hormonais em seu exame

qüila, pois não é nada sério.”

20 anos de profissão atendeu a dois

de sangue, e quando faz o ultra-

Para o médico Joaquim Lunar-

ou três casos de gravidez psicológica,

som não tem embrião. Isso pode ser

delli, na maioria dos casos é difícil

chamado de ovo cego ou gravidez

à pessoa aceitar que passou por esse

“Antes que minha paciente infor-

sem embrião”, ressalta.

tipo de experiência, por isso tem de

me a família sempre peço um ultra-

A estudante N.V.M.(*) viveu um

ser tratada. “É essencial que a pacien-

som, para ter a certeza que realmen-

caso semelhante ao de uma gravidez

te passe por uma ajuda profissional”,

te existe um coraçãozinho batendo,

psicológica. A menstruação dela atra-

afirma. Ele afirma que em mais de

ali”, completa o ginecologista.

por isso os considera raros.

sou quase dois meses, sentia mudanças no seu organismo, fez três exames de laboratório e os três deram “positivo”. “Já percebia as mudanças em mim, estava inchada, tinha vontade de comer o dia inteiro”, afirma. Segundo ela, tudo parecia real, o que a levou a acreditar que, de fato, estava grávida. N.V.M. conta que chegou a ter um sangramento na sala de espera, pouco antes de fazer o ultra-som. “Fiz o exame e o médico disse que não tinha nada no meu útero, que eu não estava grávida.” A médica dela, por sua vez, teria lhe receitado remédio para segurar o feto. “Até repouso eu fiz.” N.V.M. diz que até já “conversava” com a barriga. “Já tinha aceitado que estava grávida. Todos da minha casa já estavam sabendo.” Segundo ela, a médica pediu novos exames para saber o que aconteceu e para ver se havia algum problema hormonal. “Mas eu não fui atrás, não estava bem para procurar explicações sobre o que aconteceu. Meu namorado andou pesquisando, mas também não achou nada. Mas, minha médica disse para eu ficar tran-

80

materlife 58

Nem sempre o resultado positivo” atesta, de fato, uma gravidez. Nos casos de pseudociese esses exames não são conclusivos e há necessidade de ultra-sonografia.


artigo

Você já elogiou seu filho hoje? Profissionais e exemplos comprovam que o elogio pode estimular e mudar a vida das pessoas Quem nunca deu uma bronquinha, julgou sem querer outra pessoa, apontou algum defeito ou ficou zangado com alguma atitude? Muitas vezes, na intenção de alertar ou ajudar outra pessoa, adotamos uma postura não muito adequada. Mas será que este tipo de atitude é o meio mais eficaz para se transmitir a mensagem desejada? Assim como um “por favor”, ”bom dia”, “com licença” e “muito obrigado”, um elogio quando é sincero e dito de forma carinhosa causa um impacto muito grande na autoestima das pessoas. O contrário é bastante comum, por exemplo, quando vamos a uma loja e não somos bem atendidos, pensamos imediatamente em nos queixar do serviço prestado, não é mesmo? Mas será possível que as pessoas deem a mesma importância na hora de elogiar alguém ou algo? Um elogio nada mais é do que uma mensagem positiva, de encorajamento, uma visão otimista e de incentivo para as pessoas. Quando alguém elogia um prato gostoso feito por alguém, uma pessoa que veste uma roupa bonita ou alguém que alcança um objetivo dentro de sua empresa, esta pessoa fica lisonjeada e isso lhe dá mais força de vontade e disposição para manter-se sempre assim, ou seja, dando o melhor de si. Essa forma de estímulo não é diferente com as crianças. De acordo com a psicóloga e analista de treinamento do Kumon, Any Bicego o elogio é importante não só para manter uma boa postura de estudos, mas também para aproximar os pais das crianças. “Ao ser elogiada quando faz algo corretamente, a criança

82

materlife 58

se sente mais segura, principalmente se o elogio vier de pessoas de referência, como dos pais, por exemplo. Por isso é importante ficar atendo às atitudes dos filhos, e elogiar os comportamentos adequados no momento em que eles ocorrem. Assim, o elogio se torna mais efetivo, e a chance dos filhos darem continuidade às atitudes elogiadas é bem maior”, afirma Any. É essencial elogiar uma criança, pois isso lhe dá motivos concretos para continuar e superar os seus limites cada vez mais. Entretanto, é preciso ficar atento: “Elogios em excesso e em momentos inadequados perdem a efetividade, ou condicionam os filhos a sempre esperarem uma resposta de incentivo para qualquer atitude que tomarem. É preciso saber quando, como e o que queremos elogiar, pensando sempre em como queremos que nossos filhos sejam no futuro”, finaliza a psicóloga. Quem mais comenta sobre o elogio é a orientadora do Kumon Regina Garcia, da cidade de Pacaembu, interior de São Paulo. Seu maior sonho é que seus alunos saiam felizes das aulas em sua unidade, para isso ela procura sempre dialogar com eles. “Procuramos elogiar a cada conquista, a cada vitória, a cada conteúdo aprendido e a cada estágio concluído do curso. Os nossos alunos têm que se sentir motivados e valorizados – esse é o grande diferencial para mantê-los se desenvolvendo através

do nosso Método”, afirma Regina. A orientadora também elogia o aluno logo que vem à unidade conhecer o método Kumon. “Procuro analisar tudo o que o aluno conseguiu realizar no teste inicial e tento identificar os pontos concretos para elogiá-lo. Com este tipo de ação, eles já ficam com expectativa para a primeira aula, e se sentem valorizados”, destaca a orientadora. O elogio é um importante fator de motivação. Mais do que um excelente colégio, ótimos livros, lições e estudo, seu filho só se tornará a pessoa que deseja com base em muita atenção e carinho. É importante que ele saiba o que exatamente deixa seus pais felizes. Um elogio não pode parecer comum, ele deve ter fundamento, ser sincero. Deve partir do coração para motivar a pessoa que o está recebendo. Elogie seu namorado, seu filho, marido, aluno, mãe, funcionário. Devemos entender que palavras de amor são construtivas e tem poder sobre as pessoas.

Você já elogiou alguém hoje?


artigo

Crianças e a Televisão Pesquisa realizada pelo Ibope para o Ministério da Justiça, mostra que a televisão está exagerando nas cenas de sexo e violência. A experiência com a cesura durante o regime militar deixou grande parte da população contrária a qualquer forma de controle do Estado sobre os meios de comunicação. Mas a pesquisa indica também que a sociedade quer um maior controle sobre o que é exibido na TV. É interessante notar que 32% dos entrevistados não querem a volta da censura, 64% apoiam a classificação por faixa e horário e 41% são favoráveis a uma forma de controle social e ético sobre os programas, com ampla participação da sociedade civil, em conjunto com o governo e as próprias emissoras. Segundo o secretário nacional de Direitos Humanos, José Gregori, as TVs abertas devem apresentar um manual de controle da qualidade da programação, sob pena de o governo criar mecanismos para exercer fiscalização e punições. Para Gregori, a intenção do governo não é censurar, mas fazer com que as emissoras, que são concessões públicas, cumpram suas obrigações constitucionais ao invés de disputar audiência a qualquer preço, sem respeitar o telespectador. Na Rede Globo, por exemplo, o Domigão do Faustão foi o primeiro programa a adotar um código interno de ética. A emissora acaba de criar a Central de Controle de Qualidade, sob a direção de Mário Lúcio Vaz, que tem ordem de não dar entrevista a respeito de sua nova função.

84

materlife 58

O fato é que a televisão está banalizando a erotização. A mulher é mostrada como objeto do desejo sexual masculino pervertido, vista como um corpo a ser usado e descartado e não como um ser humano com quem se relacionar em sua totalidade. Tanto do ponto de vista da estruturação psicológica como do ponto de vista cultural é difícil para a mulher desenvolver uma identidade feminina plena, chegando a ser sujeito de seus próprios desejos. Faltam modelos de identificação feminina nos quais a mulher apareça íntegra em sua dignidade humana. Para a psicóloga Sonia Thorstensen, a forma como a TV apresenta o tema da sexualidade deve ser revisto, no sentido de dar mais proteção ao desenvolvimento de crianças e adolescentes. Segundo Sonia, a estruturação psicossexual da criança se dá na troca afetiva entre ela, seus pais e familiares próximos na qual cada um tem sua função determinada, o que permite que a criança vá aos poucos, e de acordo com suas possibilidades crescentes, organizando seus impulsos eróticos em consonância com seu sistema familiar. Acontence que as crianças não estão tendo o direito de construir sua própria sexualidade a partir da vida familiar. Ao contrário, elas são bombardeadas pela TV com cenas sexuaia alheias à sua realidade imediata. A televisão vem se solidificando como orientadora e companheira das crianças, invadindo seu espaço com

estímulos sexuais face aos quais essas crianças ainda não têm condições próprias de se defender. Sonia Thorstensen compara esta condição da televisão a alimentar bebês com feijoada e vatapá, que são pratos genuinamente brasileiros, muito apreciados, mas impróprios para tal idade. Muito se diz que os jovens estão iniciando a atividade sexual cada vez mais cedo, dando a impressão que alguma modificação biológica está ocorrendo na espécie humana. Embora a menstruação esteja ocorrendo ligeiramente mais cedo em diversas populações, a atividade sexual no ser humano é predominantemente determinada pela cultura, não pelo instinto, como nos animais. O acúmulo de cenas sexuais de todos os tipos faz com que as crianças aprendam a ver o sexo como algo banal, que se faz porque todos fazem, porque o grupo preciona e não pelo significado pessoal que possa ter. Além disso, cenas apresentadas por jovens atraentes, com que os adolescentes se identificam e para os quais as consequências do ato nunca aparecem como de fato são, têm todas as condições para serem imitadas. Com tanta informação, acredita-se que os jovens saberão se defender usando a camisinha, mas não é o que sempre acontece. Todas as pesquisas mostram que muitos jovens não se previnem.


ASSINATURAS MENSAIS Caso seu estabelecimento ou consultório também deseje receber a revista MATERLIFE para distribuição gratuita, contate nosso departamento de circulação no tel: 5031-4807 ou pelo e-mail distribuicao@materlife.com.br. FALE COM A MATERLIFE Escreva para redacao@materlife.com.br ou envie uma correspondência para Rua Tamoios, 302, sala 1, Jd. Aeroporto - São Paulo (SP), CEP: 04630-000.

materlife 58

85


maternidades

Assine 1 ano de Materlife! Conceber um bebê é uma das experiências mais emocionantes da vida. Os próximos meses serão de muitas mudanças, físicas e emocionais. Esta Revista foi elaborada para oferecer importantes informações que podem auxiliá-la.

Apenas

Cada nascimento e cada nova família são especiais para todos nós.

2 x R$ 53,70

Gostaríamos de lembrar que os primeiros passos da vida de seu filho estão

ou R$ 107,40

à vista

FAÇA JÁ SUA ASSINATURA!

sendo dados por você, e que o nosso principal objetivo é transformar a sua experiência de ser mãe em uma agradável e carinhosa memória. Consideramos um privilégio poder cuidar de você e de sua família. Formulário de Assinatura O melhor do conteúdo materno sem sair de casa, mensalmente em sua residência. Envie-nos preenchido via fax para o fone: 11 5031-4807 ramal 110 ou acesse www.materlife.com.br/materlife/assinatura.html e preencha o seu formulário.

Seus Dados INFORMAÇÕES DO PEDIDO

Nome: Sexo:

Masculino

Pessoa*:

Física

Feminino Jurídica

Endereço: Bairro: Cidade: UF: CEP:

• Periodicidade da revista: Mensal • Quantidade de edições entregues durante a assinatura: 12 • Você receberá o primeiro exemplar entre 2 e 4 semanas após confirmação do pagamento da assinatura. • Você receberá um e-mail confirmando o seu pedido.

DDD: Telefone: E-mail: CPF/CGC: O boleto de pagamento será entregue no local acima mencionado, dentro do prazo de 5 dias úteis após a efetivação da assinatura. Escolha a forma de pagamento: à vista R$ 107,40

2 parcelas de R$ 53,70

Central de Atendimento: 2ª à 6ª feira das 9 às 18 horas São Paulo: (11) 5031-4807



Materlife