Issuu on Google+

A felicidade estรก num bolo de morango

Emerson Ferreira de Assis


Apresentação

Ashisu Hanaya Escritor e praticante da filosofia zen budista, estudioso dos diversos discursos religiosos e modelos arquétipos , mais diretamente ligado ao budismo do grande veículo e do yoga. Desde a tenra idade vem se dedicando para encontrar um caminho de desenvolvimento espiritual que contemplasse a saúde psíquica e física, ou seja , o desenvolvimento integral da personalidade .

1


Introdução: Embora reconheçamos que o caminho da existência é sempre árduo e a cada dia se apresentam novas perspectivas de jornada, este pequeno texto se propõe a apresentar as experiências que angariamos no decorrer de alguns anos de estudo e dedicação a procura de um caminho mais saudável para percorrer a vida neste mundo sempre tão incerto em que vivemos. O que propomos não é uma jornada sobrenatural ou algo realizável apenas por alguns eleitos, é tão somente uma pequena série de reflexões e exercícios que auxiliarão o leitor a se reencontrar com a auto -harmonia que eventualmente esteja obscurecida pelo cotidiano do trabalho, pelos conflitos familiares, pelo stress da vida moderna, enfim , o que pretendemos é leva-lo a encontrar a concórdia consigo mesmo, ao equilíbrio e a uma vida mais produtiva. Antes de mais nada, gostaríamos de lembrar a você que agora começa a dedicar-se a ouvir nossas palavras que 2


não existe nenhum método mágico para a melhora e para o auto-conhecimento, o máximo que se pode esperar é alguém que indique o caminho, a escolha de estudá-lo e dele tirar o máximo proveito é sempre pessoal, ou seja, você escolhe , nós apenas podemos dar-lhe um pequeno apanágio , uma indicação que você ou tornará um mero assunto para discutir em reuniões sociais ou algo que realmente pode transformar sua vida num período muito curto de tempo. Um último comentário, a opção de subdividir o texto em capítulos é meramente didática visto que seus temas são interligados e circulares, complementares, assim como a vida, portanto, devem ser entendidos em seu conjunto os tópicos dos livros. Sucesso ! Os autores

3


Capítulo 1 “ A vida é um meio do universo contemplar a si mesmo” Carl Sagan

4


Considerações Gerais Imagine um vaso. Imagine ainda que este contenha uma bela flor, uma rosa ou uma orquídea. Todos os dias você dela trata com carinho, revolve-lhe a terra, coloca-a para receber luz solar e dá-lhe água. Ela viceja, frutifica, torna-se bela. Imagine agora que esta bela flor cultivada seja arrancada para ornamentar um vaso ou algo semelhante. O que acontecerá? Mesmo que ela mantenha seu esplendor por algum tempo, sem raízes ela não poderá perdurar, tão pouco desabrochar, não é verdade? É ponto passivo, seja no extremo oriente, seja em qualquer civilização do ocidente, que os impasses da vida moderna têm-nos levado a um estado catrastrófico do ponto de vista psíquico. 5


Stress, conflitos, incerteza, desespero, frustração têm sido o pesadelo de tanto jovens como adultos . As razões para este estado de coisas vem sendo tema de constantes debates na comunidade internacional, através de debates da comunidade médica e de pesquisadores de diversas áreas. Entretanto, a única coisa de consensual em todos os discursos é que um indivíduo normal necessita de estímulos ,sociais, emocionais e físicos para ter uma vida saudável. Onde e como conseguí-los? Antes de começarmos, gostaria que você parasse e refletisse um pouco. Por exemplo, o que você faz num dia em que acorda depressivo, ou num dia muito feliz? Você procura as pessoas que estão mais próximas de você para contar-lhes seus problemas ou para transmitir sua animação? Uma das características fundamentais das grandes metrópoles atuais é seu estado de fluxo. Não mais se caminha por suas (raríssimas) praças e parques , avenidas ou ruas. É de casa para o escritório, para o computador, para a cama, para o escritório , etc, etc e coisas 6


que o valham. As pessoas simplesmente fluem por certo espaço físico que chamam cidade. A conseqüência lógica disto é que as relações humanas frente à frente, ou seja, onde seu interlocutor está realmente presente, no sentido que você pode vê-lo, tocá-lo, etc tornaram-se raridades, a tal ponto de considerar-mos real o mundo virtual que se apresenta pelos meios diversos de comunicação. Você já tentou perder um capítulo da novela ou deixar de participar de uma sala de bate papo para fazer uma caminhada ou deixar de ligar para um companheiro de escritório e ao invés disso ir pessoalmente? Já pensou o por quê? O pragmatismo que nos empurram em nossos empregos , escola, é com certeza a pior praga de nossos tempos. Podemos não admitir mas agimos como se tudo devesse ter uma finalidade imediata e produtiva. Isso se manifesta claramente em nosso comportamento frente ao novo , como por exemplo quando vamos a um museu e perguntamos: Para que serve isso? Para que serve aquilo? Ao invés de preocuparmos com o entendimento do que seja algo, preocupamo-nos com a sua utilidade. Esse conceito de que todo 7


mundo deve trabalhar como um burro não é lá muito científico, porque não há somente necessidades corporais, também há necessidades psíquicas. Um corpo somente com pernas e braços não serve para nada. Apesar de não encontrar-se uma gota de suor no cérebro, é devido a ele que o corpo continua sendo útil. Ora, por que não admitir simplesmente o senso estético das coisas, ou em outras palavras encaramos nossos momentos de prazer como se fossem um fechamento para balanço, ou uma função que tem horários marcados onde se bate cartão na saída como na entrada. Por isso nos é tão custoso abandonar nossa rotina para nos dar-nos uma novidade ou um prazer diferente. Televisão, internet, shopping , sempre nos mesmos horários e dias. Você já se permitiu abrir a janela e observar as estrelas? Ou uma árvore que chame atenção por sua folhagem viçosa ou por sua exuberância? Outra coisa, você agüentaria uma pessoa que sempre falasse das mesmas coisas, que tivesse os mesmos anseios a vida inteira, os mesmos divertimentos, que não se surpreendesse? Você não está se tornado esta pessoa? 8


Acima de qualquer coisa, somos seres lúdicos. Essa é a raiz que nos mantém coesos como seres humanos e não simplesmente animais ou máquinas, abdicar disso é abdicar de sua própria natureza, é suicidar-se aos poucos. Nós precisamos de momentos para a diversão , para o lazer, para espairecer. Ninguém que negue a si mesmo momentos agradáveis de fato, não só repetição do que todos fazem, um tempo para si mesmo , seja compartilhado com pessoas que gosta e confia ou passado contemplativamente ou simplesmente no shopping comprando uma camisa que você ache legal e tenha se dedicado para comprá-la, pode ter uma vida saudável. O importante é , enfim , construir uma atitude mais estética e aconchegante dentro da condição humana num cotidiano opressor, através de gestos simples que , tomados em seu conjunto trarão grandes resultados ou , como nos diz um ditado popular, de grão em grão a galinha enche o papo! Resumindo:

9


- Permita-se coisas novas, paragens novas, reflexões novas; - Procure mais as pessoas, dê-lhes apoio e não se intimide de pedir ajuda; - De manhã, pense em suas obrigações diárias e tente encontrar um tempo para uma ação diferente, seja para você ou para outra pessoa.

“ Não sobrecarregues os teus dias com preocupações desnecessárias afim de que não percas a oportunidade de viver com alegria” André Luiz

10


Capítulo 2 “Procurei felicidade por este mundo sem fim sem saber que na verdade estava dentro de mim” anônima

Auto imagem

11


Com certeza, podemos afirmar que existem dois tipos de pessoas no mundo: as que vivem um dia atrás do outro, resmungando e dizendo que a vida não presta e as pessoas que , como antítese, estão sempre de bem, tem iniciativa ,prosperam, são felizes. O que as diferencia? Contemos uma pequena historieta, conhecida de muitos. Dois vendedores de sapatos foram enviados a um país muito distante, onde surgiam os primeiros contatos comerciais. Chegando o primeiro, teve como iniciativa após hospedar-se , perambular pela cidade para averiguar se seu negócio ali teria futuro. Depois de muito andar, percebeu que naquela região as pessoas não usavam calçados. Mais que imediatamente, volta ao hotel em que estava hospedado, arruma as malas e liga para seu superior, dizendo: - Não devemos investir um só centavo aqui! O povo desta região não usa sapatos! Chegando o outro vendedor, hospedouse, e saiu às ruas. Rapidamente percebeu que a população local não utilizava sapatos e , voltando para o hotel em que 12


estavam seus pertences, ligou aos seus superiores e disse: - Temos de investir o máximo possível nesta região! Aqui ninguém vende sapatos! Quem você acha que se deu bem nesta história? Assim como na história, o que diferencia as pessoas é o comportamento em relação à situações novas. E esse comportamento depende basicamente da imagem que a pessoa tem de si mesma. Para ficar mais claro, o primeiro vendedor disse “aqui ninguém usa sapatos”; enquanto o outro disse “aqui ninguém vende sapatos”, parecem frases muito simples mas dizem muito a respeito do que pensam as pessoas que as utilizaram. O primeiro vendedor, quando afirmou “aqui ninguém usa sapatos” colocou o seu ofício nas mãos dos outros, como se afirmasse : “Eu não posso convencer alguém que usa sapatos a passar a usálos, afinal sou um simples vendedor !” Muitas vezes você não pensa e age assim? Quantas vezes você disse eu não posso, e abandonou um projeto seu ou de seu interesse, mesmo que o achasse muito bom, por considerá-lo difícil de 13


realizar? Quem disse que você não é bom o suficiente? Como você sabe que não é bom o suficiente se nem ao menos se arriscou? Você está ou não no controle de sua vida pois , quem afirma sem fé nenhuma em si mesmo “eu não posso” não deveria nem ao menos levantar-se da cama pois, como um verdadeiro e antigo ensinamento das artes marciais, “quem achar que não pode vencer, já está derrotado!” Achar-se derrotado sempre é o mesmo que estar morto sempre. Devemos encarar os desafios como uma perspectiva de crescimento, nas lutas que travamos diariamente não devemos encontrar um motivo para a fadiga ou para o desgosto, mas uma perspectiva de elevação. Talvez nosso problema é que entendemos errado o ensinamento bíblico , mais especificamente a parte que diz que o trabalho foi imposto por Deus aos homens como uma forma de castigo. Isso não é absolutamente verdade! O trabalho é uma das várias formas de conquista espiritual. Dizia Gandi que “ A realização não é tão importante quanto o caminho que trilhamos para realizá-la”, pensamento mais ou menos coerente com 14


as idéias de São Francisco, que pregava aos de sua ordem “Ora et lavora”, ore e trabalhe. Não estamos dizendo que é fácil. Muito pelo contrário. AS pressões que enfrentamos são numerosas e intensas, mas o ser humano, em sua plenitude, é medido pela capacidade de contornar situações, e isto está muito ligado a autoimagem que você aceita para si. Se achar que é um fraco, com certeza vai se tornar um . Se achar que nada vai dar certo em sua vida, a lei de Murphi o perseguirá ( a lei de Murphi É aquela que diz que quando uma coisa ruim tem a probabilidade de acontecer, com certeza ela acontecerá . Um exemplo é qual parte do pão cai virada para o chão – a com manteiga ou a sem ?). A pergunta agora é : Como construir uma auto imagem positiva em relação a mim mesmo? Bom , isso é realmente complicado. Nossa sociedade nos educou para termos uma auto-imagem negativa. Na escola, agora espero que tenham mudado os métodos, o aluno é sempre colocado em posição inferior ao do professor, algumas vezes até humilhado com 15


apelidos como “Burro” por eventualmente não conseguir acompanhar as lições do professor, em casa, enfim , na maioria dos ambientes nos transmitem uma imagem negativa de nós mesmos. Para mudar essa imagem devemos então cortar a excessiva valorização exterior. Não significa que você não deva ouvir mais ninguém, é muito importante ouvir, mas devemos saber das limitações da opinião alheia. Como dizem , “Se conselho fosse bom, ninguém dava de graça!” .De certo modo é verdade pois um bom conselho requer tempo e conhecimento sobre o assunto, além de considerar bem a história da pessoa que precisa dele e, geralmente, as pessoas não perdem tanto tempo assim para refletir. Sendo assim, procure as respostas que precisa em você mesmo. Quase sempre você sabe o que fazer , mas não confia em si mesmo ( e aí engendramos um círculo vicioso) e por isso vai pedir ajuda, e por isso passa a confiar menos em si mesmo, etc, etc. Confie mais em si mesmo. Ouça mais o seu coração. Quantas vezes nos sentimos perdidos e o coração nos resgata? E, por mais que isso 16


incomode, ele está sempre certo. Não escutá-lo é dar as costas para a realização. Os eventos do cotidiano tornar-se-ão especiais; e o ambiente a sua volta transformará-se na habitação da felicidade... É sempre impulsionados pelo coração que os homens tomam suas mais belas e melhores atitudes. Não existe véu que o coração não nos revela ; descobre o essencial em tudo o que existe. Quando permitimos que o encantamento do coração tome conta inclusive da mente racional, nos invada por inteiro em nosso viver, tornaremo-nos cativantes, pois haverá aquela mágica irradiado por tudo o que é tocado pela alma, pensamentos e ações que praticarmos fascinarão a todos que encontramos. Tudo o que tem a marca do coração dá certo. As palavras que nascem no coração conseguem estabelecer uma comunicação perfeita, pois atingem diretamente a alma das outras pessoas. O coração nos conduz com segurança ao 17


nosso destino. Basta confiar nele, pois só os seus olhos enxergam para além dos horizontes imediatos. O coração sabe que podemos realizar nossos desejos. A força da razão está sujeita ao somo, a fadiga, mas a do coração é superior a tudo isso. O coração trás dentro de si todos aqueles a quem ama, sem desejar dominar ninguém. Não existe para um coração harmonioso melancolia ou lamentação, pois o passado é tão somente uma lição. Para o coração só existe o agora. Por isso, ele apenas ama, e isso é tudo o que sabe fazer... As razões do coração são as mais doces. O que é insignificante aos olhos do mundo, o coração considera importante. Para ele, uma flor é um tesouro; o orvalho é uma benção; um sorriso é a beleza em sua forma mais perfeita; e uma hora ao lado de quem se ama é igual a mil anos. O coração é fiel às leis que regem o universo e à harmonia presente em tudo o que existe. A sabedoria do coração pode parecer tolice, pois ela se apóia em princípios muito simples. Em sua singeleza, porém, está a cura para todos os males do homem e do mundo. 18


O coração é infalível, porque não julga os outros pelas aparências, mas conhece por inteiro o processo de cada um. Para o coração o melhor momento é o momento oportuno. Assim, ele o espera com tranqüilidade e confiança, pois conhece a mecânica da vida, que privilegia apenas quem está no caminho do bem... Resumindo: - quando acordar, pare em frente ao espelho e diga: “Eu posso !” - Se enxergue mais como você realmente é e deixe um pouco de lado as opiniões dos outros - Confie e tenha otimismo Algo que sempre funciona é um tipo de meditação muito antigo que consiste em você habilitar uma característica repetindo várias vezes o que se quer fazer ; um exemplo , se você quer fazer um gol na pelada do sábado, nas segunda já comece a meditar “eu vou fazer um gol de tal e tal jeito” , tente e verá o resultado!

19


“Não há vento favorável para aquele que não sabe aonde vai” Sêneca

20


Capítulo 3 “...tudo que é bom dura pouco...” “Errado!!! Errado!!!” Tudo que é bom ...dura o tempo suficiente para ser inesquecível...” Anônima

Os sentimentos

21


As pessoas têm-se tornado cada vez mais impacientes, embotadas e endurecidas. Como entre cachorros e gatos, a todo momento surgem bridgas e rixas, todo mundo anda meio louco ou, no melhor dos casos, estão completamente frustadas e desesperadas. As causas são muitas e você já as conhece bem. A Pergunta agora é como podemos escapara deste estado de coisas, tornar-nos mais sensíveis, no meio do tumulto, da pressa, da competição das profissões e ocupações? Você já se perguntou o quanto seu coração está aberto para as necessidades das pessoas? Quão profundamente sente suas emoções? Tudo para você é repetição do mesmo ou você consegue se encantar ainda com alguma coisa? Sentir profundamente e ter o coração mais aberto, isso é que abandonamos. Embrutecemos nossa mente, nosso coração e nosso corpo. Contemos algo mais concreto. Quando jovem, eu sempre me achei um bom cidadão, um bom filho. Estava somente preocupado com minha moralidade, assim , respeitando os mais velhos e deixando os outros em paz eu estaria de acordo com 22


meus deveres. Entretanto, certo dia passava eu pela rua e vi uma moça chorando . Até parei para ver o que estava acontecendo mas, como não a conhecia , acabei indo para meu destino (um cinema), mas não consegui ver o filme. Pensava a todo momento na situação daquela moça ( já era noite e talvez estivesse perdida ou coisa pior ), pensando que eu poderia ter feito algo para ajudá-la e não o fiz. Então percebi que simplesmente a moralidade, no sentido de respeitar, de deixar em paz, não era a única coisa que requisitava a natureza humana. Nós, seres humanos, precisamos fazer o bem. É essencial que sejamos sensíveis para que tenhamos reações prontas e adequadas , mas nosso cotidiano, as pressões , nossos medos nos insensibilizam e nos obscurecem. Como ser sensível , quando diariamente nos entregamos a violência, seja em jogos de computador, em filmes onde matanças de milhares de indivíduos são a tônica dominante, em jornais de moralidade duvidosa que tem como escopo jornalístico corpos e tragédias, descritos com sensacional precisão, quase artística? 23


O grande problema não são as notícias em si, pois, bem ou mal, são fatos. O grande mal é a repetição constante dessa brutalidade, que acaba por nos despersonificar, brutalizar. O pior é que somos coagidos, ameaçados à obediência, forçados a incorporar essa barbárie ao nosso cotidiano. Como perceber , no meio do tumulto e da pressa, permanecer sensível para o cultivo do reto pensar? Se não desejamos sentimentos obscurecidos e embotados, devemos pagar o preço disso. Um primeiro passo é abandonar a fonte de maus pensamentos. Veja cada vez menos filmes violentos, até que os deixe de lado. Ao invés de assistir o telejornal de sempre, jogue bola com seu filho ou saia para caminhar. Dedique mais tempo a auto-reflexão, a pensar sobre o ambiente, a se reencontrar com sua serenidade. Com o exercício constante e deliberado de sua atenção sobre si mesmo, o cuidado com seus pensamentos e sentimentos, você logo reencontrará a seu estado de equilíbrio, e cairá por terra o egoísmo latente . Algo muito comum também é que hipertrofiamos nossos sentimentos através de nosso intelecto. Quantas vezes você 24


anda lendo ultimamente? Na literatura encontra-se um refúgio para aspectos mais profundos da natureza humana, ela ainda guarda muito da magia do existir. Sendo assim, busque nessa fonte. Obras dos grandes mestres , de literatura de ficção, procure e encontre coisas construtivas. Não ceda a seus primeiros impulsos negativos, fortaleça a vigília sobre si mesmo para livrar-se de influências cristalizadoras e insensibilizantes. Um outro aspecto a ser levantado é que na maioria das vezes somos desapiedados, competidores, embrutescidos, ardilosos e altamente preocupados com nossa própria situação em detrimento da das outras pessoas - em nossas atividades. Se fraquejamos, somos lançados fora da máquina mundo, que não admite senão a ajustamento ao ritmo violento do mercado e do progresso. Entretanto, a vida não é só isso, já o vimos e experimentamos. Ela demanda paciência, flexibilidade, singeleza de coração. O egoísmo e o amor, os negócios e a amizade- como conciliá-los?

25


Não é possível. Como Cristo nos ensinou, ou servimos à um senhor ou a outro. As relações puramente insípidas de dureza nos ensinam muito pouco e algo ainda que se pode usar somente num mundo cão, enquanto as relações com os outros constituem um processo de autodescobrimento, no qual existe uma compreensão mais vasta das necessidades e demandas da natureza humana, e um crescimento e reajustamento constantes. Não se pode seguir as duas vias. Uma leva ao ódio, à guerra. A outra a felicidade e a compreensão. Qual das duas você prefere seguir? Esperamos que a segunda. Portanto, procure obter clareza suficiente para sua vida , não se intimide em procurar mais as pessoas, falar com os mais experientes, ouvir, ser feliz , sem a obrigação de prestar contas depois. O importante é o momento que se vive com plenitude, não um sucessivo contínuo de dissabores. Resumindo :

26


- Esqueça o relógio quando tratar-se de seus sentimentos - Esqueça as convenções, viva intensamente, roube flores para sua namorado ou algo parecido - Procure dar o que você tem de melhor as pessoas e a receber delas também! “A verdadeira felicidade custa pouco, quando é cara não é de boa qualidade.” Chateubriand

Capítulo 4 “Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como o oceano. Só 27


porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo . Ghandi

Bondade desinteressada Chuang Tzu , grande pensador chinês deixou-nos que, certo dia, um rapaz cheio de dúvidas procurou o mestre Lao Tsé. - Por favor, ajude-me - disse o jovem - vim até o senhor porque não consigo entender certas coisas. Quando não consigo fazer o bem, machuco outras pessoas. Mas, quando faço o bem, machuco a mim mesmo. Sou negligente se não cumpro 28


com o dever de ser bondoso. Porém, se cumpro com esse dever prejudico a mim mesmo. Como posso resolver isso? - Você realmente está confuso, respondeu Lao Tsé - está tentando medir o meio do mar com uma vara de dois metros. Você deseja uma resposta? Observe uma criança! Ela não se preocupa com relatórios sobre si mesma. É desinteressada. Age com espontaneidade. Ela é parte da corrente. Não fica procurando respostas o tempo inteiro. Mas é conduzida a elas. Esse é o início da perfeição! Podemos sofrer por inúmeras razões. Até mesmo por desejarmos melhorar. Isso soa estranho! Como podemos sofrer por aspirarmos à perfeição e à felicidade? O desejo pode ser uma faca de dois gumes. Se queremos melhorar o nosso comportamento porque descobrimos que isso, por si só, nos torna felizes e nos dá prazer, então temos um motivo correto. No entanto, se desejamos adquirir virtudes e cultivar qualidades por acreditarmos que, com isso, seremos reconhecidos e bem tratados pelas outras pessoas, então apenas criamos mais um problema. Ou se é bondoso porque se é, ou não se é 29


bondoso. As recompensas que advêm da prática do bem, não devem ser esperadas. Quem é verdadeiramente virtuoso é desinteressado como uma criança. Pratica o bem sem pensar em retorno para si. Existem muitas pessoas estressadas, confusas e perturbadas em nossa sociedade. Elas freqüentemente são agressivas ou mesmo indiferentes no trato com o semelhante. Precisamos de uma boa dose de compaixão e paciência para lidarmos com indivíduos assim. Só que não podemos ser compassivos e tolerantes por muito tempo se estivermos na expectativa de termos a nossa boa vontade identificada por todos. E ainda que consigamos demonstrar persistência na prática do bem diante das incompreensões e dos maus tratos, a nossa bondade não será verdadeira se estivermos interessados em que ela apareça. A história que descreve a iluminação de Sidarta ilustra bem isso. Quando Sidarta abandonou a sua vida principesca e foi viver como asceta, em certo momento lhe ocorreu que talvez estivesse fazendo aquilo pelo prazer de ser admirado pelos 30


outros. Percebendo isso, ele abandonou os rigores do ascetismo e, então algum tempo depois, ele se tornou Buda - O Iluminado. A mesma idéia está presente no Evangelho de Jesus segundo Lucas, na parábola do fariseu e do publicano. Explicando esta historieta, Jesus deixa bem claro que, quem deseja mostrar pureza, justiça e correção, de nenhum modo é possuidor dessas qualidades. Algo semelhante é dito por Lao Tsé no Tao te King: “Quem dá valor a si mesmo, não é valorizado. Quem se julga importante, não merece importância. Quem louva a si mesmo, não é grande.” Aquele que se esforça em parecer bondoso aos olhos dos homens, ou degenera para a mais abjeta hipocrisia, ou, no caso de existirem boas intenções, apenas consegue se frustrar com a insensibilidade alheia. Nós devemos seguir em nossa caminhada espiritual como uma criança, que não tem a pretensão de ser grande ou pequena, mas apenas quer ser o que é. Somente assim poderemos evitar sofrimentos e desilusões. Não devemos culpar o mundo pelas 31


nossas decepções, nem atribuir a ele a nossa amargura. Porque não é o mundo a causa do desânimo de uma pessoa, mas sim a atitude que ela própria tem perante o mundo. Ser como uma criança é compreender que as virtudes não são artigos numa vitrine. São conquistas espirituais que se manifestam a cada nova oportunidade de fazer o bem, sem premeditação ou interesse. Como chegar a esse estágio? Com certeza, sem nenhum treino ou prática é impossível, ou você espera que , decidindo ser um corredor dos 100 metros hoje, amanhã já poderá competir? Sidarta treinou durante 7 anos para conseguir atingir o estado búdico , Cristo só apareceu em público efetivamente após os trinta anos. Ou seja, mesmo os grandes mestres da vida treinaram para atingir resultados. Para começar, como anda você distribuindo gentilezas? Sim , aquele bom dia, ou boa tarde, para as pessoas que lhe cercam, porteiro, motorista, professor, funcionário? Está sendo sovina, achando que guardá-las para si trará algum lucro futuro? As gentilezas são como dinheiro e, 32


como diria Groucho Marx, “O dinheiro é como esterco, se não for espalhado, fede!” Assim, seu caminho para uma vida mais espirituosa começa não com um grande ascetismo, mas com um gestos simples. Reconhecer o valor das pessoas, assim como você quer ser reconhecido. Um ensinamento muito valioso é : tratai aos outros como queres ser tratados por eles. Resumindo: - Não fazer miséria : Distribuir gentilezas aos montes e sem exceção! - Reparar as qualidades das pessoas e reforçá-las através do elogio; - Fazer as coisas sem esperar resultados

“ A primeira lei da natureza é a tolerância- já que temos todos uma 33


porção de erros e fraquezas.” Voltarire

Capítulo 5

“Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.” 34


Cecília Meireles Incertezas Certo dia, uma faminta mãe tigresa grávida procurou por vários dias uma presa sem nada conseguir, até que se deparou com um rebanho de cabras selvagens. A tigresa estava faminta , sem a razão em plenas condições pelo seu estado, investiu violentamente contra o rebanho, a tal ponto que o ataque precipitou o parto e ela acabou morrendo de completo esgotamento. As cabras , que haviam se dispersado, retornaram ao lugar e lá encontraram um filhote de tigre choramingando ao lado de sua mãe. Levadas pela compaixão maternal , adotaram a débil criatura; amamentaramna juntamente com suas próprias crias e dela cuidaram ternamente. O animal cresceu e sobreveio a recompensa pelos cuidados dispensados, pois o pequeno companheiro aprendeu a linguagem das cabras, adaptou sua voz àquele som suave e mostrou tanto afeto 35


quanto qualquer cabrito. A princípio, teve alguma dificuldade para mastigar com seus dentes pontiagudos as tenras folhas do pasto, mas logo se acostumou. A dieta vegetariana o mantinha enfraquecido, conferindo ao seu temperamento uma notável doçura. Certa noite - quando o órfão , crescido entre as cabras , já havia alcançado a idade da razão- o rebanho foi atacado , desta vez, por um velho e feroz tigre. As cabras se dispersaram , porém o jovem permaneceu onde estava, sem medo ainda que surpreso. Achando-se face à face com a terrível criatura da selva, fitou-a estupefacto. Passado o primeiro impacto, começou a tomar consciência de si. Desamparado, berra, arranca folhas do pasto e se põe a mastigar, ante o olhar perplexo do outro. De repente, o poderoso intruso pergunta: - Que fazes aqui entre as cabras?! Que estás mastigando?! A resposta foi um berro. O outro, indignado, disse num rugido: - Por que emites este som estúpido?! E antes que o pequeno pudesse responder, apanhou-o pelo cangote e o 36


sacudiu como se quisesse fazer-lhe recobrar a lucidez. O tigre da selva carregou o assustado animal até um lago próximo, soltando-o na margem e obrigando-o a olhar para a superfície da água, então iluminada pela lua. - veja estas duas imagens! Não são semelhantes? Tens a cara típica de um tigre, é como a minha . Por que te iludes pensando ser um cabrito?! Por que berras?! Por que mastigas pasto?! O tigrezinho , incapaz de responder, continuava a olhar espantado comparando as duas imagens refletidas . Inquieto, apoiou-se numa e logo noutra pata, e lançou um grito de aflitiva incerteza. A velha fera novamente o carregou porém agora até o seu covil, onde lhe ofereceu um pedaço de carne crua e sangrenta, sobra de uma refeição anterior. Ante a inusitada visão, o jovem tremeu de repugnância mas o velho, ignorando o fraco gesto de protesto, ordenou rudemente: - Coma! Engula! O outro resistiu, porém a horripilante carne foi forçada a passar por entre seus dentes; o tigre vigiava atentamente seu aprendiz que tentava 37


mastigar e preparava-se para engolir. Sua não familiaridade com a consistência da carne causava-lhe certa dificuldade, e estava prestes a emitir outro débil berro quando começou a experimentar o gosto de sangue. Excitado, devorou o restante com avidez, sentindo um prazer incomum à medida que o novo alimento descia-lhe pela garganta e atingia o estômago. Uma força estranha e quente irradiava de suas entranhas trazendo-lhe uma sensação eufórica e embriagadora. Estalou a língua, lambeu o focinho satisfeito e, erguendo-se, deu um largo bocejo como se estivesse despertando de uma longa noite de sono- uma noite que o manteve sob feitiço por anos e anos. Espreguiçando-se, arqueou as costas, estendeu e abriu as garras. Sua cauda fustigava o solo e , de súbito, irrompeu de sua garganta o triunfal e aterrorizante rugido de um tigre. O inflexível mestre, que estivera observando de perto, sentia-se recompensado. A transformação , de fato, acontecera. Ao cessar o rugido, perguntou severamente: - Agora realmente sabes quem és? 38


E para completar a iniciação de seu jovem discípulo no saber secreto de sua verdadeira e própria natureza, acrescentou: - Venha! Vamos caçar juntos pela selva. O que este conto hindu quer nos dizer realmente? Você já reparou como ,ás vezes, nós simplesmente vamos acompanhando o rebanho, sem nos perguntar-mos : Será que isso me serve realmente? Estou realmente feliz com este estado de coisas? Assim como na alegoria, não estamos negando que este sentimento de pertencimento seja negativo ou as pessoas que nos cerquem agem de má –fé. Muito pelo contrário, são as pessoas de nosso convívio muitas vezes bastante gentis conosco, entretanto o que queremos levantar aqui é uma questão mais profunda, trata-se de não se eclipsar em favor de um comodismo. Uma questão de se encontrar com um projeto que seja seu. Você têm planos para daqui a cinco anos? E para daqui a dez anos? Onde pretende estar amanhã?

39


Quantas vezes dizemos : “Eu estava bem preparado, mas na hora agá não saiu nada!” Quanto desse não saiu nada está ligado ao fato de que você simplesmente está ignorando suas reais necessidades, seus interesses , para não magoar ninguém ou simplesmente manter-se bem com todos, pois acha que alguma atitude sua pode machucar os que o rodeiam, assim fica sempre na sua. As pessoas são diferentes. É impossível eliminar essa realidade. Nunca se conseguiu isso em nenhuma parte do mundo. Essas diferenças devem ser usadas para construir uma sociedade mais justa e um ambiente mais equilibrado, não para oprimir ou desqualificar o que não seja como o padrão ou diferente . Assim, não preocupe-se tanto em deixar de tomar atitudes com medo de magoar as pessoas. Nem mesmo Cristo agradou a todos. E as pessoas que realmente lhe prezam verão em suas ações coisas positivas , não uma afronta ou sublevação pois muitas vezes o que você tem a dizer é exatamente o que as pessoas precisam ouvir, mas você deve dize-lo para saber. 40


“Quando se decide com firmeza, o universo conspira a seu favor”, diz-nos Paulo Coelho. E isso é realmente verdade, desde que se coloque em prática o que se decidiu. Lembrando que é mais ou menos isso o que significa oração : Orar + Ação , Pensar , falar , planejar , agir, conseguir, agradecer. Sim, também o agradecimento . O fato de que as pessoas nos ouçam é motivo para agradecermos, pois é sempre necessário a complementaridade das coisas, se você precisa falar, deve existir alguém para ouvir, ou não adiantará nada. Pessoas que só falam ou que só escutam o tempo todo são ambas sem valor, o que realmente importa é o equilíbrio dinâmico entre essas duas atitudes. Resumindo: - Tanto quanto se esforçar para posicionar-se , Policie-se para ouvir com atenção. - Pensar e agir - Encarar eventuais desvios e fracassos como o que realmente são: Passos para uma construção maior 41


“Conhece-te a ti mesmo” Inscrição do portal do Oráculo de Delfos

Capítulo 6 42


“A única maneira de ser amado é amar” Ralph Waldo Emerson

Vencendo a solidão Sou professor a muito tempo e gosto muito da minha profissão. Já participei de 43


reuniões em que falava para mais de mil pessoas e não me sentia nem um pouco constrangido. Entretanto, quando vinha só uma pessoa vir falar comigo mesmo que fosse para perguntar-me algo ou para me elogiar, eu suava frio, gaguejava, tremia. Eu mal conseguia pedir um cafezinho na padaria de tanta vergonha! Parece totalmente contraditório o que afirmei anteriormente. Mas ( infelizmente) não é , e sofri durante muito tempo para superar essa minha timidez. Você muito provavelmente ou é ou já se sentiu “tímido”, não é verdade? Isso ordinariamente se nota isso quando é pedido um voluntário em sala de aula ou quando se é apresentado a alguém. Mas porque agimos assim? Muitas vezes queremos participar de um certo grupo, ou de uma demonstração, ou mesmo conhecer melhor uma certa pessoa, mas na hora agá “Trava” e , quando muito conseguimos balbuciar uns sons sem sentido. Lembra do que comentamos sobre a auto-imagem? Também vale aqui aquele “eu não posso”, só que agora na forma eu “eu não devo fazer isso, afinal eu só sou 44


um sujeito esquisitão e sem nenhuma coisa interessante a apresentar!” Quando eu estava começando na carreira de professor, eu era muito confiante no que eu dizia como professor pois tive uma boa formação. Mas no campo das relações humanas, era uma negação pois como eu era estrangeiro, me sentia um peixe fora d’água, que não se encontrava em lugar nenhum. Muitas vezes nos sentimos desse modo. Isso ocorre porque o novo e o desconhecido sempre nos assustam. Nós estamos habituados a se sentir seguros, alicerçados em velhas certezas, portanto todo tipo de experiência em que você se envolve onde não conhece uma resposta sabidamente “adequada”, a reação é de aflorar um mecanismo de auto-defesa, que conhecemos como timidez. É mais ou menos assim que o indivíduo que é tímido pensa : Se eu ficar quieto no meu canto ninguém me perceberá e eu poderei ficar tranqüilo e em paz! Mas não é isso absolutamente verdade. O contato com outras pessoas é sumamente importante para o correto desenvolvimento da personalidade. Alguém que se gabe de viver sozinho só 45


pode estar com problemas! Todos queremos alguém para compartilharmos nossas conquistas , nossos sonhos, alguém para junto superar os nossos medos. Entretanto, voltemos um pouco. Dissemos que a timidez é uma espécie de mecanismo de defesa contra situações novas e na auto imagem negativa de quem sofre esse problema. A questão é que as pessoas tímidas querem se proteger por achar que são inferiores ou que não possuem o comportamento ou a aparência adequados para se relacionarem ou coisas mais ou menos assim. Gostaria de contar o caso de um amigo meu . Bem , esse meu amigo é um rapaz de muitas qualidades, sensível, educado e elegante, muito gentil com todos, além de ser ( dizem nossas amigas) um tanto charmoso. Infelizmente, ele não é uma pessoa de muitas posses , em suas palavras, ele é um “pobretão inveterado”. Isso para a maioria das pessoas não é problema afinal pessoas abastadas são realmente uma minoria ( principalmente em nosso país) mas , para ele , é uma questão de vida ou morte. 46


Ele não consegue se relacionar com ninguém pois, ao menor sinal de interesse em sua pessoa, ele já pensa “há, mas quando ela descobrir que eu não tenho nada vai sair correndo!” Enfim, ele conheceu uma mulher encantadora mas não declarou seus reais sentimentos a ela pois se achava “um pobretão inveterado” sem nenhum atrativo. Viu sua musa entrando e saindo de relacionamentos malogrados sem dizer nada, mas com uma profunda amargura no coração pois realmente a amava e queria vê-la feliz . Cinco anos mais ou menos se passaram até que essa mulher resolveu que partiria para uma outra cidade, em busca de novas oportunidades. Esse meu amigo acompanhou-a até o aeroporto no dia da partida dela. No caminho para o embarque, todo sem jeito e trêmulo, acabou confessando seu amor por ela que , num misto de susto e frustração lhe disse: - Mas estou indo embora porque eu te amo mas você não dá a mínima para mim! Até tentei te esquecer arrumando outros namorados mas não consigo convivendo contigo! 47


Logo no momento da despedida esse meu amigo descobriu que ela o amava. Infelizmente, ela já estava de passagem comprada e com todos os preparativos para a mudança e teve que ir embora. Mas eles continuaram se relacionando por cartas e telefone e hoje vivem juntos mas, á época desse namoro virtual, sofreram muito pela falta de contato pois se esperaram por quase cinco anos. O que podemos apreender? Fica claro que se ambos tivessem se arriscado mais não teriam perdido todo esse tempo . Mas o medo os impediu. Muitas pessoas têm medo de receber um não. Estão tão arraigados os pensamentos negativos a respeito de si mesmo que um não as desmancharia como estátuas de sal. Outro aspecto também é que muitas pessoas também tendo a auto-estima negativa dizem “ eu não tenho medo de ouvir um não, meu problema é ter que fazer a outra pessoa dizer não”, O que , em certa medida, é a mesma coisa. Um outro medo é o do próprio contato. Pessoas educadas em famílias muito rígidas, quando crianças, geralmente não receberam estímulos físicos na idade apropriada e , desta forma, quando 48


adultos, tem certo receio de toques e abraços, ou qualquer outro tipo de contato social. O grande problema aqui é o medo, logo é o medo que deve ser superado. Quando temos medo? Quando não confiamos ou não conhecemos em que estamos nos apoiando. Em que nós nos apoiamos? Em nós mesmos! Portanto, trate-se de se conhecer realmente e faça isso o mais rápido possível. Esse auto-conhecimento é que lhe permitirá superar as dificuldades e os estígmas que estão enraizados no seu subconsciente. Para superar os medos, é primeiro preciso conhece-los e depois contorná-los. E acima de tudo lembre-se que para nunca estar sozinho você deve amar as pessoas. Mesmo sem a presença física, a amor nos completa, preenche. Se eu amo alguém, isso significa que eu quero o melhor para essa pessoa e esse sentimento de amor é que realmente nos dá uma aura especial, carismática. Resumindo 49


- Procure definir quais são seus temores quando colocado frente a uma situação ou pessoa nova; - Seja mais relaxado, faça piadas de si mesmo, isso ajuda a quebrar o gelo; - Não perca tempo , faço o que deve ser feito o quanto antes! - Permita-se ser tocado e tocar , sem medo ou angústia! - Ame intensamente todas as pessoas!

“O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição” Aristóteles

50


51


Capítulo 7

“Faça o que pode, com o que tem, onde estiver” Roosevelt

Exercícios para a saúde Corpo e espírito devem caminhar lado a lado. Um corpo debilitado não pode 52


possuir plenitude de espírito . Neste capítulo abordaremos alguns exercício para que, com um pouco de prática e a disposição de alguns poucos minutos diários, você venha a fortalecer o corpo, melhorar a saúde geral e , concomitantemente, dar a oportunidade de que conheça exercícios que restabelecerão o equilíbrio psicoenergético do seu organismo. São exercícios extremamente simples que você executará sem muito esforço, só é necessário um pouco de prática e dedicação ao seu estudo. Algumas recomendações: - Sempre que for iniciar uma série de exercícios, comece por se concentrar, relaxar o máximo possível e girar a cabeça num movimento não muito rápido, para ambos os lados. - Como uma espécie de aquecimento, respire profundamente, puxando o ar no peito, depois deslocando-o para a barriga, prendendo-o por 6-8 segundos e soltando-o o mais devagar possível. - Escolha no mínimo três exercícios para realizar a cada dia e no mínimo três 53


dias por semana, sendo que o ideal é a prática diária. Estes exercícios preliminares lhe darão a concentração e o condicionamento para a realização dos que virão a seguir

Você pode realizar qualquer um destes exercícios em sua cama, no sofá ou onde lhe for mais confortável. O ideal é que o ambiente esteja calmo para que a concentração seja mais fácil e que você não esteja excessivamente fatigado. A coluna deve estar reta e nada deve bloquear sua respiração. Exercício 1 Deitado, coluna reta, sem nenhum travesseiro ou apoio, a maxila inferior levemente recolhida. Feche os olhos. Concentre-se em sua respiração. Sinta o ar fluindo para dentro de si, plenificando-o, depois fixe mentalmente o seu peito, depois seu coração. Não tenha pressa. Concentre-se numa crescente no músculo cardíaco, até 54


que você consiga ouvir os batimentos cardíacos. Este exercício visa aumentar sua percepção e força de concentração. Não se preocupe se não conseguir nas primeiras tentativas. O importante é não desistir e , quando estiver com certa habilidade, poderá faze-lo mesmo no trabalho. É um ótimo vitalizante e sua realização diária lhe trará uma sensação de plenitude e bem estar . Exercício 2 Deitado, coluna reta sem travesseiro ou apoio, maxila inferior levemente recolhido. Fixe um ponto no teto. Concentre seu olhar sobre ele, mas sem forçar a expressão da face . Fixe o ponto e , vagarosamente, tente expandir sua atenção para que ela possa capitar o campo visual periférico. Para isso relaxe toda a região do globo ocular. Mantendo este estado, puxe o ar no peito, jogue-o para a barriga, prenda por uns 4 segundos, solte devagar. Na expiração, relaxe o mais que puder dos ombros, braços, pernas e rosto. 55


Este exercício visa o relaxamento corporal completo. O stress do dia a dia, acaba deformando nosso corpo ,em função dos estados mentais que provoca. Ombros endurecidos, rosto com muitas marcas de expressão, pernas rígidas e doloridas são as conseqüências este exercício visa combater Exercício 3 De pé, pernas ligeiramente afastadas, o corpo o mais relaxado possível. Olhos fechados. Os braços ligeiramente pendidos à frente do corpo, tocando-se através das pontas dos dedos polegares s indicadores, formando um triângulo. Puxe o ar no peito, passe-o ao diafragma e prenda-o. Imagine agora um acúmulo de energia no seu ventre, três dedos abaixo do diafragma (altura aproximada de onde se encontram as mãos) e, levantando vagarosamente os braços, sinta essa energia subindo, passando pelo estômago, pelos pulmões, pelo coração até a cabeça e fluindo para chegar na ponta nas mãos que, neste momento, devem encontrar-se acima da 56


cabeça e na mesma linha da coluna vertebral. Desprenda as pontas dos dedos, abaixe os braços forçando-os para trás, juntamente com o ombro . Faça suas mãos se reencontrarem na posição inicial. Inspire profundamente e repita o exercício. Este exercício visa estabilizar e fortalecer o fluxo energético da região dos ombros e pescoço, visando diminuir a incidência de dores de cabeça e na região do pescoço. Exercício 4 Pernas afastadas em torno de 1 metro, joelhos ligeiramente dobrados, braços pendidos pouco a frente do corpo, como se segurassem uma bolacom as mãos. Gire o tronco no sentido horário , como se este fosse o ponteiro de um relógio, sem mover os pés, como se você estivesse passando uma bola por detrás da cabeça. Braços relaxados e respiração lenta. Este exercício visa condicionar os músculos da região lombar e desobstruir o 57


fluxo energético da região dos quadris. Também resulta de sua prática uma maior flexibilidade da coluna vertebral, diminuindo dores nas costas. Exercício 5 Muitos executivos e pessoas que tem fobia a aeronaves praticam este exercício, que é ótimo para relaxar. Você precisará de um pouco de espaço para realizá-lo, portanto o local que você achar conveniente para praticá-lo não deve ter cadeiras ou outros móveis. De pé, o mais relaxado possível. Inspire profundamente e armazene o ar no diafragma. A maxila inferior deve estar um pouco recolhida e os braços pendidos e soltos. Dê um pequeno passo à frente e coloque todo o peso do corpo sobre a perna que avançou, de tal modo que você possa basicamente tirar o pé dianteiro do solo, deixando tocar somente a ponta do dedão. Abaixe lentamente seu centro de gravidade expirando devagar, relaxando os ombros. 58


Terminado o primeiro ciclo de respiração, inspire profundamente e armazene o ar no diafragma, arraste o pé dianteiro pelo solo, passe pelo pé de apoio, coloque-o um passo curto à frente e transfira o peso do corpo para este, num movimento harmonioso e lento. Inspire o máximo que puder. Abaixe o centro de gravidade e expire. Uma variante também possível e manter o movimento dos membros inferiores mas levantar os braços em forma de triângulo (polegares e indicadores se tocando) num movimento conjugado.

Exercício 6 Pernas afastadas em torno de 1 metro, joelhos levemente flexionados. Tronco solto e respiração lenta , concentrada no diafragma. Encoste a mão esquerda no joelho esquerdo. Jogue a mão direita por cima da cabeça, como se quisesse tocar a mão esquerda colocada no joelho correspondente. Respire devagar, 59


tentando conjugar a respiração com o avanço da mão. O pescoço deve seguir levemente a trajetória circular que se imprimiu ao corpo. Ao finalizar esse movimento, inspire profundamente, devagar traga a mão direita para o joelho direito, quando tocá-lo, a mão esquerda deve continuar o movimento circular , repetindo-se a primeira parte do exercício. Quando terminar o outro lado, volte a posição centrada e respire devagar. Esse exercício visa dar mais flexibilidade à coluna vertebral e colocar as vértebras eventualmente um pouco pressionadas na posição normal, além de alongar a musculatura posterior das costas. Exercício 7 Deitado numa superfície rígida, podendo ser o chão forrado com um tapete ou toalha felpuda. Concomitantemente, inspire devagar, levando o ar até o diafragma e puxe o joelho até a altura do peito, segurando-o com as mãos. 60


Enquanto força o joelho em direção ao peito, expire. Quando terminar , solte o joelho que estava segurando, devagar, leve a perna anteriormente estendida ao solo e repita o exercício com a outra perna. Esse exercício visa alongar as costas , principalmente a região lombar e do nervo ciático, diminuindo a incidência de problemas relacionados a má postura.

“Um homem com pressa é um homem morto” Povos bérberes do deserto do Saara

Capítulo 8

61


Considerações finais

“É mais importante conhecer a si mesmo do que conhecer as maravilhas do universo” Anônima

Neste pequeno texto tentamos , com a maior diligencia possível, ainda que insuficiente seja o engenho e a arte, colocarmos alguns pontos de reflexão para que o leitor que se propusesse a leitura conseguisse alguns indicativos e parâmetros que o levassem a conseguir rapidamente a uma melhora na qualidade de vida . Esperamos sinceramente que essa obra sem pretenções tenha atingido tal meta e que 62


, ao final da leitura , seu espírito e animo estejam mais fortalecidos e direcionados para um caminho positivo. Nossos agradecimentos e novamente votos de sucesso!

“ A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo” Peter Druker

63


64


A felicidade está num bolo de morango