Issuu on Google+

Boletim do Contribuinte A

S

A

S

D

E

S

O

C

O

A M - PA - R O - R R - G O - B R A S I L

R

R

O

FEVEREIRO - 2012

A Vara de Pesca Ficou

de janeiro. Retornamos à Manaus depois C omeço de alguns meses de divulgação no sul do Brasil.

COMUNICADO ESPECIAL

Na bagagem, trouxemos uma bela vara de pesca. Eu a “ganhei” do meu pai. Logo no começo da divulgação, passamos uma semana especial na casa dos meus pais e junto da igreja que eles pastoreavam. Tivemos comunhão, brincamos, fomos pescar, Samuel (1 ano e 7 meses) se apaixonou pela Kombi do Opa (Avô). No Domingo, inesperadamente, meu pai teve um AVC. Foi durante o culto na igreja, depois de pregar sobre “o sentido do sofrimento” e enquanto ministrava a Santa Ceia. Faleceu uma semana depois, Harry Janzen, aos 67 anos. O que resta, quando uma pessoa querida morre? O que sobra? As sobras: ter que organizar um funeral; culto de despedida; lágrimas; perguntas sobre o futuro da nossa mãe; a pergunta de um neto: “por que estão colocando o Opa neste buraco?”; a Igreja que perdeu um pastor; palavras que tentam consolar; e, mais tarde, muitos pertences para arrumar. Quais são os pertences de um pastor, professor, líder na denominação, ex-diretor de seminário bíblico? Esboços de mensagens, seqüências de culto, material para cursos, revistas, livros, fotos de pessoas, cartas de alunos, convites de casamentos e formaturas... Na arrumação deparei-me com o seu diploma universitário. Um documento de valor virou lixo. O monte de lixo cresce. A pergunta continua corroendo: mas o que

Senhor. Pessoas ao seu redor, igualmente permitiram o agir do Senhor. Assim temos ouvido as histórias, não um legado do nosso pai, mas, sim, aquilo que Jesus fez: o ex-aluno de seminário (hoje missionário) que percebeu o seu valor perante o Senhor e inúmeras vezes foi incentivado no seu ao seguir o caminho do seu pastor, falecendo algumas semanas depois do nosso pai; o desiludido da vida, que resolveu não abandonar a fé. alguns aspectos. Mesmo meu pai não sendo instrumento útil para a construção do Reino Dele. Ele ensinou o Evangelho por onde quer que andou. Permitiu que o Senhor trabalhasse na casamentos, formaturas, enterros com as palavras de bênção, citadas abaixo. Muitos foram abençoados e novamente, o que permanece? Não são as Senhor, o Pai celestial. “O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e te conceda graça; o Senhor volte sobre ti o seu rosto e te dê a paz.” Números 6:24-26

se dissolvem e desaparecem. Porém, algo grandioso e é. Nosso pai permitiu ser alcançado pelo amor do

Mônica Duck monica.duck@asasdesocorro.org.br Missionária de Asas de Socorro em Manaus - AM

O querer e o realizar de Deus...

mas sentia um vazio no peito, sentia que "faltava algo". Tudo o que eu queria era viver integralmente para a obra de Deus, mas ele tinha planos e formas diferentes para isso. Quando

NOVA FASE - 2012

própria vontade, apenas coisa da minha cabeça, visto que "nunca acontecia"; desanimei, mas não desisti da idéia.

"

P

ois é Deus quem efetua em nós tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele." - Filipenses 2:13. Essa passagem nos mostra que Deus é um Deus de ação, um Senhor soberano, presente e amoroso; que não apenas nos guia, como também vai adiante de nós durante a jornada que Ele mesmo desenhou para cada um de nós. Agora, por causa da motivação, "o querer", e o tempo, "realizar", muitas

líderes e às vezes até com o próprio Deus. Queremos que as coisas aconteçam do nosso jeito e no nosso tempo. Porém somos limitados e incapazes de entender os reais propósitos divinos sobre nosso próprio ministério. Sempre desejei ser missionário. Ir para a África, ou qualquer outro local que Deus me mandasse, mas para minha frustração, prevalecia o silêncio de Deus para mim. Eu insistia: "eis-me aqui! Envia-me a mim", mas nada. Decidi que iria evangelizar onde quer que eu estivesse, pois, quando viesse o chamado, eu estaria pronto. E assim foi feito. Porém faltava algo. Esperei anos para ouvir a voz de

TESTEMUNHO

mas... nada! Decidi que era preciso estudar, me capacitar hando, tendo o evangelismo como foco, mas me dedicando a

área. Fiz mais cursos e capacitei-me. Ganhei até alguns prêmios pelas agências de publicidade em que trabalhei, mas ainda sentia aquele "vazio". Em 2011, minha esposa e eu conhecemos dois vizinhos novos. Os missionários de Asas de Socorro, Rodrigo e Rita Santos. Eles nos apresentaram a base de Asas, seu trabalho e necessidades. Amamos aquele lugar. Perguntei como eu poderia ser útil; disseram-me que dentro de minha área de formação mesmo, eu ajudaria bastante. E assim, comecei a desenvolver projetos e tarefas menores na própria cidade, ajudando na comunicação. Porém meu trabalho secular ainda anos, Deus me deu seu "ok", através do convite de Asas de Socorro para assumir a responsabilidade do departamento de Captação de Recursos, substituindo a Rute, que atuou por 9 anos nesta função. Confesso, nunca fui tão feliz e realizado em toda a minha vida. Nenhum bem que adquiri, salário que ganhei ou agora. Não! Não fui enviado para a África. Nem sei se irei um dia, mas sei que Deus me fez ser útil dentro do tempo, jeito e modo Dele, e não do meu. Sei que isso é parte do propósito soberano de Deus para a minha vida e que ele também tem um para a sua. S. Ferreira, formado em Comunicação Social - Publicidade e orações neste ano de 2012. Keith Dalmon Ferreira captacao@asasdesocorro.org.br Missionário - Anápolis - GO

EU TAMBÉM DOU ASAS AOS QUE DÃO SUAS VIDAS “Conheci Asas de Socorro através de uma divulgação feita em minha igreja. Após a apresentação

EXPEDIENTE

alguém se manifestou). É verdade que o Senhor não me chamou para o campo missionário, mas nários. Sofro com eles e também choro com eles. Admiro o trabalho, que só pela GRAÇA DO SENHOR, é feito com muito amor. Sou viúva, aposentada e já idosa, mas enquanto viver, quero continuar cooperando com a obra missionária.” Valderez Viana Diniz Barbosa valderezbarbosa@ibest.com.br / Rio de Janeiro-RJ Boletim Asas: Depto. de Captação Editor: Keith Dalmon Ferreira Fotos: Asas de Socorro - arquivo

Redatora: Quezia Queiroz Magri Revisão: Gisele Celestino Diagramação: Depto. Criação Asas

"Em Deus faremos proezas" – Salmos 60:12 DEP. IDENTIFICADO OU TRANSFERÊNCIA BRADESCO - Ag: 0240-2 c/c: 55508 - 8 CNPJ: 01.052.752/0001- 69 Asas está presente no: Amazonas

CADASTRE-SE E RECEBA MAIS INFORMAÇÕES doacoes.projetos@asasdesocorro.org.br Pará - Rondônia - Roraima - Goiás

www.asasdesocorro.org.br Av. JK, Qd 08, Lote 13, Setor Aeroporto Industrial, CEP 75.024-970, C.P. 184

(62) 4014 0333 Sede: Anápolis - Goiás - Brasil


boletim_asas_02_2012