Issuu on Google+

Comunicação de Riscos

Um direito dos stakeholders . Uma obrigação das organizações públicas e privadas. OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA 8º Módulo – Núcleo Centro Oeste 2 – DGD

CWM Comunicação Waltemir de Melo 27-08-2011 Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

1


NOSSO PROGRAMA DE TRABALHO HOJE  Parte 1 – alinhamento de conceitos e aprendizagem.  Definição de conceitos sobre comunicação.  Definição de comunicação de riscos e seu fluxo e o papel dos stakeholders.  Formação dos Grupos de Trabalho.  Pausa para o café.  Aspectos da percepção do risco.  Programa de Comunicação de Riscos – O que é, sua estrutura e como funciona.

 Parte 2 – Aplicação dos conceitos.  Início da dinâmica de grupo.  Pausa para almoço.  Retomada da dinâmica de grupo.  Finalização da dinâmica de grupo e revisão de conceitos.  Encerramento. Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

2


A ARTE DA GUERRA RECOMENDAÇÕES DE SUN TZU

 “Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas...”

 “Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá uma derrota.”

 “Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas.”

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

3


Conceitos gerais sobre comunicação

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

4


Quem – Para Quem – O Quê – Quando – Como Por Quê? EMISSOR

MENSAGEM

RECEPTOR

RUÍDO

@

#

%

& CANAL

*

?

FEED BACK

RUÍDO Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

5


Mapeamento dos stakeholders  A quem comunicar?

?

?

?

?

?

?

?

? ?

EMPRESA / INSTITUIÇÃO

?

?

?

?

?

?

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

? 6


Conceitos sobre comunicação de risco

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

7


Tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

8


Gripe INFLUENZA no Brasil – H1N1 – H5N1

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

9


Vazamento Industrial e Tragédia na Região Oeste de Minas Gerais

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

10


Contaminação do solo – Vila Carioca

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

11


O que essas catástrofes têm em comum?

Exigem uma política de gestão de riscos e Exigem um plano de comunicação de riscos Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

12


Tipos de riscos

 Riscos ambientais e de saúde pública.  Riscos tecnológicos. Eles dão origem a dois ramos da comunicação de riscos muito distintos:

 Comunicação de riscos ambientais.  Comunicação de riscos tecnológicos.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

13


O que é comunicação de riscos? Como é definida? O que ela envolve? Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

14


Definição de Comunicação de Riscos  A U.S. National Research Council, comitê americano responsável pelo estudo da comunicação e da percepção de riscos, define a comunicação de risco como “um processo de troca de informações e opiniões entre indivíduos, grupos e instituições públicas e privadas”.

 Ela abrange “a criação e a troca de mensagens sobre riscos (natureza, forma, severidade, aceitabilidade, gerenciamento, etc.)” - ASPECTOS OBJETIVOS.

 Abrange também “assuntos correlatos à segurança e ao bem-estar do

corpo social existente dentro do universo de abrangência e ao impacto de uma situação de emergência ou de risco” - ASPECTOS SUBJETIVOS.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

15


Definição de Comunicação de Riscos  A comunicação de risco é um processo interativo e multilateral que

envolve todos os stakeholders que possam ter interesse ou se ver frente-a-frente com uma situação de emergência ou uma situação de risco em potencial à saúde humana ou ao meio ambiente.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

16


Recomendações sobre a Comunicação de Riscos

 Deve envolver o público como sócio legítimo.  Os sentimentos do público (e sua percepção) devem ser trabalhados cuidadosa e meticulosamente.

 É indispensável honestidade, abertura e franqueza no processo de comunicação de risco.

 As ações e as performances dos comunicadores (e seus processos) devem ser avaliados cuidadosamente.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

17


Recomendações sobre a Comunicação de Riscos  A coordenação de atividades e a colaboração responsável com outros parceiros com credibilidade é indispensável.

 As necessidades da mídia devem ser conhecidas e trabalhadas.  A abordagem dos problemas deve ser feita sempre com clareza, transparência e com compaixão.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

18


Fluxo da comunicação de riscos Domínio do risco técnico

Domínio do risco percebido

Indústria

Mídia Governo

Pesquisadores independentes Esfera dos especialistas

Público em geral

stakeholders

Esfera pública

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

19


O papel do governo  Promover a comunicação de riscos, assegurando aos cidadãos o direito à informação, às políticas sociais e de educação sobre os riscos.

 Intervir em situações que exponham a sociedade e os indivíduos aos riscos tecnológicos e ambientais.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

20


Papel da empresas públicas e privadas  Promover a comunicação de riscos, assegurando aos cidadãos o direito

à informação sobre os riscos de suas tecnologias e de seus produtos e contribuir para a educação e preparação dos stakeholders para atuação em situações de emergência ou de risco.

 Contribuir com o poder público em situações que exponham a sociedade e os indivíduos aos riscos tecnológicos.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

21


Papel das partes interessadas (stakeholders)  Responder de forma adequada aos programas de comunicação de riscos.

 Avaliar a coerência das políticas públicas de comunicação de riscos.  Avaliar a propriedade e assertividade dos planos de comunicação de riscos da empresas públicas e privadas.

 Realizar a cobrança institucional da melhoria das práticas de gestão e de comunicação de riscos, tantos do poder público quanto das empresas públicas e privadas.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

22


Formação de grupos 10h15 às 10h30 Prazo 15’ Pausa para o café 15’

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

23


Objetivos da comunicação de riscos  Informar e conscientizar o público sobre os riscos à saúde, riscos

ambientais, tecnológicos e ocupacionais e ajudar na condução de discussões sobre esses riscos de maneira justa e precisa, buscando um diálogo produtivo e transparente.

 Informar a comunidade sobre os projetos de recuperação da área e apoiar na criação de mecanismos (ou canais) de organização e mobilização.

10h45 às 11h45

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

24


Aspectos importantes Participação dos stakeholders CONSULTA A todos stakeholders

TRANSPARÊNCIA Compartilhar informações

PARTICIPAÇÃO Em profundidade em todas as fases

GOVERNO + PÚBLICO RESPONSABILIDADE No relatório de resultados

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

25


A percepção do risco

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

26


A percepção do risco  Percepção do risco:  A percepção que os atores têm de algo que representa um risco para eles próprios, para os outros e seus bens, e contribui para construir o entendimento sobre determinado risco que não depende unicamente de fatos ou processos objetivos.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

27


A percepção do risco  Risco voluntário ou involuntário.  Um fumante assume um risco voluntário, pois sabe dos problemas

causados pelo cigarro, mas tende a não aceitar um risco imposto como a emissão de uma chaminé de uma fábrica próxima à sua casa, mesmo sabendo que as emissões são menos nefastas à sua saúde ou causam menos poluição do que a fumaça de seu cigarro.

 Risco natural ou tecnológico.  As pessoas têm tendência a aceitar o fatalismo das catástrofes naturais,

mas reagem agressivamente contra acidentes tecnológicos que poderiam ser prevenidos.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

28


A Percepção do risco

Solução Ação

Coordenação

Liderança

Tentativas de organização

Reações desencontradas

Desespero, Pânico

Impotência, Confusão

Caos

IMPACTO

Medo

Choque

Comportamento

Reação da pessoas

CONTROLE REAÇÃO Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

Tempo

29


Visão técnica X visão leiga do risco Abordagem técnica

ASPECTOS OBJETIVOS

Abordagem leiga

ASPECTOS SUBJETIVOS

Acredita em evidências e métodos científicos.

Acredita em aspectos culturais, políticos e democráticos.

Apela para a autoridade e para a experiência.

Apela para a visão folclórica ou popular, às tradições e opinião de terceiros.

As fronteiras de análises são próximas e reducionistas.

As fronteiras de análises são amplas e incluem analogias e precedentes históricos.

Os riscos são despersonalizados.

Os riscos são personalizados.

Ênfase em aspectos estatísticos e probabilísticos.

Ênfase nas conseqüências e efeitos dos riscos na família e na comunidade.

Apelo à consistência e universalidade.

Foco em particularidades menos relacionadas ou relevantes à consistência dos aspectos.

Onde há controvérsia nos aspectos científicos, o status quo é mantido.

A resposta do público para aspectos controversos se dá pela escolha daquele que mais acredita.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

30


Visão geral do processo

COMUNICAÇÃO DE RISCOS

ASPECTOS SUBJETIVOS Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

31


CRENÇAS  Conceitos gerais sobre comunicação VERDADEIRAS

CRENÇAS

CONHECIMENTO

VERDADES

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

32


Visão Estratégica  POSTURA CORRETIVA:  Criar e/ou aumentar a conscientização da comunidade sobre os possíveis perigos existentes nas áreas impactadas.

 Desenvolver, em cooperação com as comunidades locais, planos ou programas de evacuação das áreas contaminadas.

 Oferecer assistência social (psicológica e médica) às pessoas diretamente afetadas pela contaminação ou pelo impacto ambiental.

 Criar e manter programas de saúde e apoio aos membros da comunidade.  Oferecer apoio e orientação jurídica aos membros da comunidade.  Evitar as armadilhas criadas por oportunistas que freqüentemente querem tirar vantagens dos problemas.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

33


Comunicação de riscos e políticas públicas PROCESSO DE TOMADA DE DECISÕES Identificar problemas/ Perigos

Avaliação de contexto público e privado

Desenvolvimento de opções e políticas

CONSIDERAÇÕES LEGAIS

Decisões

Implementações

Avaliação e revisão

ATIVIDADES OPERACIONAIS

AUDITORIAS, CONSULTAS E COMUNICAÇÃO Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

34


Organização do processo de comunicação de risco

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

35


PCR Programa de Comunicação de Riscos Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

36


Definição conceitual do PCR  O PCR é um processo de ação organizada e cooperativa, que visa

intensificar a conscientização e a preparação das empresas, comunidade e das autoridades públicas, entre outros stakeholders, para situações de emergência ou situações de risco e organizar esses atores para atuar de forma preventiva no enfrentamento de momentos críticos.

 O eixo central deste processo é o Comitê de Gerenciamento de

Comunicação de Riscos ou Grupo de Trabalho, que deve ser constituído por autoridades locais, líderes da comunidade, dirigentes industriais e outras entidades interessadas.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

37


Ciclo de controle de processos – PDCA

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

38


Estrutura operacional do PCR IDENTIFICAR PARTICIPANTES E ESTABELECER A COMUNICAÇÃO AVALIAR OS RISCOS REVER PLANOS EXISTENTES E IDENTIFICAR OS PONTOS FALHOS IDENTIFICAR E DETERMINAR FUNÇÕES DIMENSIONAR E COMBINAR TAREFAS E RECURSOS INCORPORAR PLANOS INDIVIDUAIS AO PCR E CONCILIAR PREPARAR PLANO FINAL E OBTER APROVAÇÃO TREINAMENTO ORIENTAÇÃO GERAL E COMUNICAÇÃO AO PÚBLICO

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

39


Abrangência do gerenciamento

 Recursos humanos.  Sistemas de comunicação.  Rotinas operacionais.  Treinamentos.  Manutenção do sistema.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

40


Atividade básicas de um PCR 1. Formação do Grupo de Trabalho de Comunicação de Riscos. 2. Mapeamento das áreas de risco. 3. Treinamento de Porta-vozes.  Contatos com a imprensa.  Reunião com outros stakeholders.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

41


Atividade básicas de um PCR 4. Definição dos stakeholders. 

Principais lideranças por segmento ou área.

Posicionamento sobre a questão.

Perfil, demandas e necessidades.

5. Orientação para sua organização. 6. Empowerment. 7. Facilitação

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

42


Atividade básicas de um PCR 8. Informações sobre o risco. 9. Informações como se proteger preventivamente  Organizar ação em caso de acidente ou confirmação de contaminação

10. Informações / canais de ativação de emergência 11. Orientação jurídica (para dentro e também para fora). 12. Realização de reuniões.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

43


Atividade básicas de um PCR 13. Produção de peças de comunicação. 14. Criação de kit de materiais de comunicação – operacional. 15. Criação de campanhas de motivação / participação / esclarecimento / eventos.

16. Sensibilização / motivação da imprensa para trabalhar o tema e participar dos eventos e da sua divulgação

17. Gerenciamento do contato com autoridades públicas (órgãos

ambientais e de serviços públicos, Vigilância Sanitária, Defesa Civil e etc.).

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

44


Atividade básicas de um PCR 18. Realização de simulados. 19. Avaliação de resultados.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

45


Início dos trabalhos em grupo 11h45 às 13h00

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

46


Operação Urbana Mooca-Vila Carioca Apoio para a realização da dinâmica de grupo

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

47


1. FORMAÇÃO DE GRUPO DE TRABALHO

2. MAPEAMENTO DE NECESSIDADES

3. DEFINIÇÃO DE ESTRATÉGIA

4. ELABORAÇÃO DE CONTEÚDOS

5. CANAIS DE ACESSO

6. DIVULGAÇÃO E AVALIAÇÃO

•Formação do Grupo de Trabalho. •Redação do programa de trabalho / PCR. •Riscos. •Stakeholders // parceiros multiplicadores. •Locais de acesso. •Meios de comunicação.

•Divulgação maciça. •Divulgação boca a boca.

•Material interno de preparação e conduta. •Material de campanha de comunicação. •Website. •E-mail. •Telefone. •Início da campanha. •Avaliação de resultados. •Documentação.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

48


Roteiro simplificado para implantação de PCR ATIVIDADES PREPARATÓRIAS 1. Formar um Grupo de Trabalho.

2. 3. 4. 5.

6.

a. b. c. d. e.

Estabelecer as funções e responsabilidades / cargos. Distribuir as funções e cargos. Eleger um coordenador. Eleger um porta-voz. Planejar / documentar o programa de ação (PCR).

a. b.

Levantar as áreas impactadas e seus problemas. Identificar a possível existência de stakeholders em situação potencial de risco.

a. b.

De acordo com seu interesse e / ou situação de risco. Criar banco de dados.

a. b. c.

Setor Público. Setor Privado. Terceiro Setor.

a. b. c. d.

Mídia impressa (jornais locais e grande imprensa). Mídia eletrônica (rádios comunitárias e grande imprensa – rádio, TV e Websites). Telefonia móvel / SMS. Locais de acesso, permanência e circulação dos stakeholders (shoppings, bares e restaurantes, clubes, escolas e outros).

a. b.

O que se pode ou não fazer ou falar sobre o projeto / manual de conduta e procedimentos do Grupo de Trabalho. Questionário com respostas de todos os assuntos que envolvem o projeto.

Mapear a área de risco.

Mapear os stakeholders.

Mapear / identificar formadores de opinião que possam ser parceiros para divulgação do projeto.

Mapear os meios de comunicação.

Preparação de material estratégico.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

49


Roteiro simplificado para implantação de PCR ATIVIDADES PRÁTICAS INICIAIS 7. Treinamento.

8.

9.

a. b.

Grupo de Trabalho. Porta-vozes.

a. b. c. d.

Telefone. Website. E-mail. (...)

a.

Divulgação maciça ou divulgação boca a boca.

a. b. c. d. e.

Definir objetivos a serem atingidos com a campanha. Logotipo / marca para o projeto. Folheto e cartaz com explicações gerais sobre o projeto e seus objetivos. Press-release / Texto para a imprensa. Fotos / mapas / gráficos.

a. b.

Informar sobre o projeto. Treinar para a divulgação do projeto.

Criar um canal de acesso dos stakeholders ao Grupo de Trabalho.

Definir a estratégia de divulgação do projeto.

10. Criar uma campanha / materiais de divulgação.

11. Reunir stakeholders parceiros / multiplicadores.

12. Lançar campanha de divulgação de acordo com a estratégia definida. 13. Avaliar resultados e corrigir rumos. Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

50


Pausa para almoço 45 ‘ 13h00 as 13h45

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

51


Finalização dos trabalhos em grupo 13h45 ás 14h15

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

52


Destaque de aspectos importantes nos trabalhos realizados 14h15 as 14h45

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

53


Operação Urbana Mooca-Vila Carioca Estrutura de apoio e mobilização para as atividades de relacionamento e comunicação

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

54


 Multidisciplinar.  Multisetorial.  Integrador social.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

55


Base operacional e de apoio - comunicação    

  

SVMA Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. SMDU Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano. SMS Secretaria Municipal da Saúde (Covisa e Coordenadorias de Saúde). SMSP Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras.  SPSE Subprefeitura Sé.  SPMO Subprefeitura Mooca.  SPVP Subprefeitura Vila Prudente.  SPIP Subprefeitura Ipiranga. SMSU Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Defesa Civil). SME Secretaria Municipal de Educação. (...)

Entidades privadas envolvidas no projeto oficialmente:  ICLEI.  (...) Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

56


Estrutura comunicação e relacionamento social SECRETARIA DA SAÚDE

Informações e orientações MEMBROS DOS CADES ESTRUTURA DE

COMUNICAÇÃO

INTEGRAÇÃO

COESÃO SOCIAL

SECRETARIA DE SEGURANÇA

COMUNICAÇÃO Informações e orientações

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

Conselhos Comunitários Agentes Comunitários Agentes Zoonose CODDEC

Conselho de Defesa Civil

NUDEC

Núcleo de Voluntários

Professores e Diretores Assoc. de Pais e Mestre

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

STAKEHOLDERS

SECRETARIA DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE

57


Campanha de comunicação  Criar um tema ou slogan e logotipo que representem o projeto e reforcem alguns aspectos particulares que contribuam para:

   

Promover os valores culturais e histórico da região. Estabelecer simpatia e sinergia com as causas e objetivos do projeto. Destacar e ampliar o sentido de pertencimento ao bairro. Motivar e tornar cada morador um voluntário no consecução das metas do projeto.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

58


Campanha de comunicação Algumas sugestões para estudo:

 Operação Urbana Mooca-Vila Carioca Revitalização para um nova história. Revitalização com respeito cultural e social. Revitalizando para garantir o desenvolvimento. Revitalizando com equilíbrio socioambiental. Revitalização ambiental e equilíbrio social. Equilíbrio entre o social e o ambiental. Desenvolvimento com equilíbrio socioambiental Meu bairro, Meu espaço. Mais vida e Mais espaço. Espaço, trabalho e lazer.

Operação Urbana Mooca-Vila Carioca +Espaço +Trabalho +Lazer Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

59


Campanha de comunicação

Operação Urbana

Mooca-Vila Carioca +Espaço +Trabalho +Lazer

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

60


Encerramento e entrega de diplomas 14h45 ás 15h00

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

61


S21 100 ha

12.000 Inhabitants 24.000 Employees 20 ha Park extension Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

62


Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

63


Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

64


Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

65


CRISES MODERNAS

 A VISÃO ORIENTAL SOBRE CRISE.  O ideograma chinês para crises é feito com dois diferentes caracteres.

PERIGO (ji)

OPORTUNIDADE (wei)

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

66


Ernegia para começar

Habilidade

Conhecimento o que fazer, porque fazer

como fazer

HÁBITO AÇÃO PRECISA

Desejo querer fazer

 É um paradigma para a ação com precisão.  Formar um hábito também exige esse esforço em três dimensões.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

67


Energia para começar  Gasta-se muito mais energia na

decolagem e para atravessar a atmosfera, com 120 Km, do que para cruzar os 485 mil Km para chegar à Lua.

 Para dar 1.000 passos, é preciso sair da inércia e dar o primeiro.

 Um grande problema pode ser

dividido em pequenos pedaços de fácil solução.

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

68


Boa Sorte a Todos! OBRIGADO PELA ATENÇÃO!!!

Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

69


Comunicação de Riscos

Um direito dos stakeholders . Uma obrigação das organizações públicas e privadas. OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA 8º Módulo – Núcleo Centro Oeste 2 – DGD

CWM Comunicação Waltemir de Melo 27-08-2011 Comunicação de Risco - 8º Módulo – OPERAÇÃO URBANA MOOCA-VILA CARIOCA – Núcleo Centro Oeste 2 - DGD Waltemir de Melo – waltemirmelo@cwm.com.br – 11-3773-7676

70


Comunicação de Riscos Um direito dos stakeholders