Page 1

BRASIL

CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

Jornal do Sindicato dos Bancários da Paraíba - João Pessoa, junho novembro de 2019. de 2014. Ano XXVIII. Ano XXIII. Nº Nº 604559

BANCÁRIOS FORAM À GREVE GERAL E VÃO À MOBILIZAÇÃO CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA DIA 12


junho de 2019

opinião

Editorial

Em terra de grampos...

O pontapé inicial da nossa campanha nacional deste ano foi dado com a realização do Encontro Estadual dos Bancários da Paraíba, quando analisamos a conjuntura em que vamos resistir à retirada dos nossos direitos e à reforma da Previdência, a defesa do patrimônio público, da soberania nacional e da democracia. Agora, vamos à conferência regional e, posteriormente, aos congressos nacionais dos bancos públicos e à Conferência Nacional dos Bancários, que é o maior fórum de deliberação da categoria. E isso tudo em meio ao vazamento das mensagens trocadas entre Dallagnol e Sérgio Moro. O Procurador e o Ministro da Justiça tentam desqualificar o material publicado pelo The Intercept Brasil, acusando-o de ter obtido as informações de forma ilegal, através de grampos. Ou seja, da mesma forma que eles agiram para barrar a nomeação de Luiz Inácio Lula da Silva como m i n i s t r o d e D i l m a Ro u s s e f f. D a í , a necessidade de ficarmos atentos, pois a Justiça, que é cega, usa dois pesos e duas medidas e só enxerga o que lhe interessa. Portanto, tudo cuidado é pouco em terra de grampos. Até porque, os bancos seguem lucrando muito, enquanto a categoria profissional continua minguando. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, teve um crescimento no lucro líquido de 22,9% no primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado, registrando R$ 3,92 bilhões. E, mesmo com todo esse

lucro, extinguiu 1.508 postos de trabalho em 12 meses e o novo PDVE, lançado em 17 de maio, pretende atingir 3.500 empregos. E para enfraquecer mais ainda o banco 100% público, para facilitar sua privatização, a presidência da Caixa está devolvendo R$ 3 bilhões para a União e até o fim do ano pretende devolver mais R$ 17 bilhões. Esse enxugamento diminui o potencial de investimento e vai afetar diretamente a sustentabilidade da Caixa. No Banco do Brasil, o golpe foi dado pelo Conselho Deliberativo da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) nos associados, através da aprovação de novo aumento na coparticipação sobre exames e consultas inclusive com voto favorável dos indicados do BB e de Sérgio Faraco, representante eleito pelos associados. O Santander continua tentando forçar a abertura do expediente bancário aos sábados, medida que favorece aos bancos públicos e privados. Ante essas ações, dentre outras que atingem a classe trabalhadora, necessitamos aumentar a mobilização e a participação ativa nas manifestações contra os desmandos do (des) governo Bolsonaro. Este ano teremos aumento real de salários, mas vamos ter de negociar todas as cláusulas na campanha de 2020. Então, chega de comodismo. Vamos nos unir e reforçar a resistência na sexta-feira, 12 de julho - Dia Nacional de Mobilização contra a reforma da Previdência.

EDITAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DO RAMO FINANCEIRO NO ESTADO DA PARAÍBA – SINTRAFI-PB, inscrito no CNPJ/MF sob o nº. 09.371.105/0001-21, Registro sindical nº 10.899/41, por seu presidente abaixo assinado, convoca todos os empregados em estabelecimentos bancários dos bancos públicos e privados, sócios e não sócios, territorial deste sindicato, nos municípios de João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Cabedelo, Guarabira, Solânea, Bananeiras, Tavares, Alhandra, Serra Branca, Sumé, Monteiro, Princesa Isabel, Pombal, Barra de Santa Rosa, Belém, Pirpirituba, Picuí, Caaporã, Alagoa Grande, Campo de Santana, Araruna, Serraria, Araçagí, Paulista, Gurinhém, Coremas, Juru, Caiçara e São João do Cariri para a assembleia geral extraordinária que se realizará no dia 09 de julho de 2019, às 18h, em primeira convocação, e às 18:30h, em segunda convocação, no endereço à Av. Min. José Américo de Almeida, 3100 – Tambauzinho, para discussão e deliberação acerca da seguinte ordem do dia: 1 - Escolha de Delegados a participarem do 13º Congresso Nacional da CUT, de 07 a 10/10/2019, em São Paulo-SP. 1I - Escolha de Delegados a participarem do 13º Congresso Estadual da CUT, de 29 a 30/11/2019, em João Pessoa - PB. João Pessoa, 20 de junho de 2019 Marcelo de Lima Alves Diretor Presidente

Curso de Paternidade concluído O Sindicato dos Bancários da Paraíba encerrou a 6ª turma do Curso de Paternidade no dia 15 de junho. A participação nesse curso é o pré requisito para que os novos papais bancários passem a usufruir da Licença-Paternidade Ampliada de 20 dias. O curso, que é ministrado pela professora Hebe Janayna Mota Duarte, tem duração de quatro horas-aula e orienta pais e futuros pais sobre como se envolver em uma paternidade mais ativa e consciente, aumentando o vínculo entre pai e filho e a esposa. No encerramento, o presidente do Sindicato, Marcelo alves disse que "o Sindicato tem o dever de promover atividades que ajudem seus associados a se qualificarem para o recebimento de benefícios; daí a nossa satisfação em promover o Curso de Paternidade".

Trocando

em miúdos

trocando em miúdos

Informativo do Sindicato dos Bancários da Paraíba Av. Beira Rio, 3.100, Tambauzinho, João Pessoa-PB. Fone: (83) 3224-2054 (83) 3244-2040 Site: www.bancariospb.com.br e-mail: sindicato@bancariospb.com.br Facebook: bancariospb Instagram: @bancariospb

02

Presidente: Marcelo de Lima Alves Diretor de Comunicação: Rogério Lucena Jornalista responsável: Otávio Ivson (DRT-PB 1778/96) Reportagem: Otávio Ivson e Emmanuela Leite Diagramação: Paletta arquitetura, comunicação e design Fotos: Otávio Ivson, Emmanuela Leite, Paletta e Sintrafi-PB Tiragem: 3.300


junho de 2019

em destaque

Categoria paralisou agências bancárias na greve geral e agora se prepara para Mobilização Contra Reforma da Previdência no dia 12

Na sexta-feira, 14 de junho, dia de Greve Geral contra a reforma da Previdência, os cortes na educação e em defesa do patrimônio público e da democracia as bancárias e os bancários da Paraíba aderiram ao movimento, paralisando as agências bancárias do centro de João Pessoa. À tarde, na Lagoa do Parque Solon de Lucena, os bancários se juntaram aos trabalhadores de outras categorias e aos movimentos estudantil e sociais para protestar contra os desmandos do governo ultraliberal de Jair Bolsonaro, que ataca o patrimônio nacional, a democracia, os direitos da classe trabalhadora e o ensino público.

O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo Alves, avaliou positivamente a participação da categoria na Greve Geral, mas esperava maior adesão ao movimento. “Esperávamos uma maior participação de bancárias e bancários na Greve Geral, ante à insatisfação que diariamente percebemos nos locais de trabalho, até porque no próximo ano teremos que negociar a nossa pauta de reivindicações, inclusive o reajuste salarial. E, se a adesão não foi como queríamos na Greve Geral, vamos atender ao chamamento das centrais sindicais e aumentar a nossa atuação no dia 12 de julho - Dia Nacional de Mobilização Contra a Reforma da Previdência", concluiu.

Em defesa do ensino público Na tarde do dia 30 de maio, bancárias e bancários participaram das atividades em defesa do ensino público convocadas por professores, estudantes e técnico-administrativos na UFPB. O evento reuniu cerca de 20 mil pessoas oriundas das centrais sindicais, sindicatos, partidos políticos e movimentos sociais, que se concentraram na sede da Universidade Federal da Paraíba de onde fizeram uma caminhada até a Praça da Paz, no Bairro dos Bancários. A palavra de ordem era contra o corte de 30% no orçamento das universidades e institutos federais, mas os diversos segmentos da sociedade também aproveitaram para protestar contra a reforma da Previdência e outras reivindicações específicas. "Foi muito positiva a iniciativa dos segmentos universitários e a participação da classe trabalhadora, inclusive do ramo financeiro, nas atividades em defesa do ensino público", avaliou o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo Alves.

03

trocando em miúdos


campanha nacional dos bancários 2019

Análise econômica, conjuntura política e reforma da

foram os principais assuntos debatidos no Encontro Estadual dos Bancários

O Sindicato dos Bancários da Paraíba realizou no dia 1º de junho, no auditório da Entidade, o Encontro Estadual dos Bancários, que foi o pontapé inicial da Campanha Nacional 2019. No evento, foram debatidas a análise econômica, a conjuntura política do país e as questões específicas das bancárias e dos bancários a serem levadas à VIII Conferência Regional da Fetrafi-NE (5 e 6 de julho, em Fortaleza-CE), ao 35º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal - Conecef e ao 30º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (1 e 2 de agosto, em SantanaSP), ao 25º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil - BNB (12 e 13 de julho, em Fortaleza-CE) e à 21ª Conferência Nacional dos Bancários (2, 3 e 4 de agosto, no Sindicato dos Bancários de São Paulo). A categoria lotou o auditório do Sindicato e participou ativamente dos debates sobre os desafios da categoria ante as transformações tecnológicas e a resistência à reforma da Previdência, na primeira campanha dos bancários no governo ultraliberal de Jair Bolsonaro. As palestras de alto nível, seguidas de debates com a plenária, foram proferidas por: Gustavo Machado Cavarzan, técnico do Dieese – SP que palestrou sobre Macrossetor Serviços e Ramo Financeiro – Diagnósticos e trocando em miúdos

04

Desafios; Moisés Marques, professor da Faculdade 28 de Agosto, do Sindicato dos Bancários de São Paulo, que avaliou as mudanças estruturais no mercado de trabalho bancário e os desafios dos sindicatos no novo contexto; Edson Franco, professor da UFPB, que discorreu sobre a reforma da Previdência e os malefícios da PEC 06/2019. Após as palestras e seus respectivos debates, os bancários se reuniram por segmento para eleição dos delegados e discussão das questões específicas a serem levadas aos fóruns regional e nacionais de deliberação da categoria profissional. O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo Alves, avaliou como muito positivo o evento. “É gratificante vermos o nosso auditório lotado, com a categoria atenta às discussões sobre os desafios a serem enfrentados na primeira campanha sob o (des) governo de Bolsonaro e participando ativamente da análise da conjuntura em que vai se desenvolver a campanha nacional 2019. Como fizemos um acordo bianual, este ano teremos reajuste pelo INPC, mais um por cento de ganho real. Mas, em 2020 teremos que negociar toda a nossa pauta, inclusive as cláusulas econômicas. Já fizemos o encontro estadual e vamos participar da conferência regional, dos congressos nacionais dos bancos públicos e da Conferência Nacional


junho de 2019

a Previdência do governo Bolsonaro CONFERÊNCIAS

s da Paraíba, no pontapé inicial da Campanha 2019

E CONGRESSOS VIII CONFERÊNCIA REGIONAL DA FETRAFI-NE Data: 05 e 06 de julho de 2019 Local: Hotel Praia Centro Fortaleza - CE

O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo Alves, compôs a mesa de abertura do Encontro Estadual dos Bancários da Paraíba com: Magali Pontes. SeebPB/BB; Gustavo Machado Cavarzan, técnico do Dieese - SP; Moisés Marques, professor da Faculdade 28 de Agosto, do Sindicato dos Bancários de São Paulo; Edson Franco, professor da UFPB; Vera Level, SindsPrevPB/CUT-PB; Robson Luís, Seeb-PB/BNB; e Silvana Ramalho, Seeb-PB/Caixa

25º CONGRESSO NACIONAL DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO NORDESTE DO BRASIL - BNB Data: 12 e 13 de julho de 2019 Local: Hotel Praia Centro Fortaleza - CE

30º CONGRESSO NACIONAL DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL Data: 01 e 02 de agosto de 2019 Local: Hotel Wyndham Gardem Convention Nortel | Santana - SP

35º CONGRESSO NACIONAL DOS EMPREGADOS DA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (CONECEF) Data: 01 e 02 de agosto de 2019 Local: Hotel Wyndham Gardem Convention Nortel | Santana - SP

21ª CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BANCÁRIOS Data: 02, 03 e 04 de agosto de 2019 Local: Quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região | São Paulo - SP

05

trocando em miúdos


pelos bancos

Cassi: Novo aumento é mais um golpe no participante “Essa mudança é um verdadeiro golpe contra os usuários, pois coloca no bolso dos trabalhadores todo o custeio de seu tratamento de saúde. Queremos que a negociação feita há 12 anos seja respeitada e que o Banco do Brasil efetivamente atue como patrocinador do plano de saúde dos funcionários”, afirmou o secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, João Fukunaga. Entidades representantes dos trabalhadores já vinham se posicionando contra a medida, a exemplo da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), que já havia enviado um ofício ao Conselho Deliberativo protestando contra a decisão da diretoria e pedindo voto contrário dos conselheiros. É importante também apontar o contrassenso que é o fato de o Faraco, eleito para representar os participantes, votar contra os próprios participantes que o elegeram. De que lado ele está, afinal? O Conselho Deliberativo, do qual Faraco é o atual presidente, está totalmente fora de sintonia com os trabalhadores”, criticou Fukunaga.

O Conselho Deliberativo da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) aprovou novo aumento na coparticipação sobre exames e consultas – inclusive com voto favorável dos indicados do Banco do Brasil e de Sérgio Faraco, representante eleito pelos associados. Pelo novo aumento, a coparticipação dos associados sobe para 50%, em consultas de emergência ou agendadas, sessões de psicoterapia e acupuntura e visitas domiciliares; e para 30%, nos serviços de fisioterapia, RPG, fonoaudiologia e terapia ocupacional que não envolvam internação hospitalar. Para piorar a proposta acaba com o teto de 1/24 do salário, com incidência única, aprovado na reforma estatutária de 2007 e que ainda estava em vigor. Na época, a revista O Espelho nacional trouxe o detalhamento da proposta, assim como material elaborado pela própria Cassi. A reforma, na ocasião, foi amplamente debatida com o funcionalismo. Agora, com esta nova mudança, todo o custo dos procedimentos médicos passa a ser arcado pelos trabalhadores.

Justiça manda Bradesco e Santander reintegrare No Bradesco, Roger Darlan No Santander, Luciana Carvalho No dia 29 de maio, a Juiza da 6ª Vara do Trabalho de João Pessoa, Ana Magalhães Jacob, deferiu o pedido de antecipação da tutela jurisdicional para determinar a imediata reintegração de Roger Darlan Dedigo aos quadros do Bradesco, sob pena de aplicação de multa diária no valor de R$ 5 mil em caso de descumprimento da medida judicial. Para o advogado parceiro do Sindicato, Marcelo Assunção, o Bradesco não poderia ter dispensado o funcionário que se encontrava em tratamento de saúde. “Trata-se de mais um caso em que o Banco rescinde o contrato de trabalho de um funcionário que estava sob o amparo da garantia provisória do emprego, por se encontrar em licença-saúde para tratamento de doença ocupacional. Ainda bem que graças à tempestividade do trabalhador em buscar o apoio sindical e à atuação da Justiça do Trabalho em seu favor, pudemos reparar mais um absurdo cometido pela ganância do Bradesco”, concluiu. trocando em miúdos

06


junho de 2019

Caixa: Governo aprofunda desmonte O governo federal anunciou, no dia 12, mais uma ação de enfraquecimento da Caixa Econômica Federal, para sua privatização. O presidente do banco, Pedro Guimarães, disse que está realizando a devolução de R$ 3 bilhões para a União. Os recursos foram injetados durante os governos Lula e Dilma para turbinar a concessão de crédito em meio à crise internacional, por meio do chamado Instrumento Híbrido de Capital e Dívida (IHCD) sem prazo de pagamento. Esses recursos não podem ser contabilizados como receitas primárias, ou seja, para uso no orçamento da União em gastos dos ministérios. Os valores são classificados como financeiros e, deste modo, podem ser utilizados apenas para o abatimento da dívida pública. Isto significa que o governo pegará dinheiro do banco público e portará nos bancos privados. A intenção é devolver outros R$ 17 bi até final de 2019. Para isso, segundo o governo, a Caixa terá de privatizar suas operações. “Essas ações são o enxugamento do banco, a diminuição do potencial de investimento. O que futuramente afetarão diretamente a sustentabilidade da Caixa”, avalia Rita Serrano, coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas. Lucro alto e corte de pessoal - A Caixa teve um crescimento no lucro líquido de 22,9% no primeiro trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado, registrando R$ 3,92 bilhões. Mesmo com lucro nas alturas, o banco reduz o número de empregados. A Caixa extinguiu 1.508 postos de trabalho em 12 meses, e fechou março com 84.826 empregados. E o novo PDVE, lançado em 17 de maio pretende atingir 3.500 trabalhadores. No primeiro trimestre de 2018 ainda foram fechadas 14 agências, 26 lotéricos e 971 correspondentes Caixa Aqui. “A Caixa tem aumentado seu lucro à custa do enxugamento do banco e com o aumento de tarifas, criando sérias consequências para sua competitividade e posicionando a marca sabe-se lá pra onde. A Caixa é patrimônio do povo brasileiro e toda decisão deve ser pensada sob essa ótica. Essa busca incessante por alta lucratividade, com perda de mercado, sobrecarga de trabalho, aumento do adoecimento dos trabalhadores, altos custos para o povo, vale a pena? É isso que queremos enquanto cidadãos, donos da Caixa?”, criticou Vivian Sá, diretora do Seeb-SP.

BNB CANCELA PROJETOS CULTURAIS

A reestruturação implementada pela direção do Banco do Nordeste cancelou os projetos dos Centros Culturais de Sousa, na Paraíba e Juazeiro do Norte no Ceará. Segundo o banco, os cancelamentos acontecem devido a um contingenciamento de recursos. Em nota, o Centro Cultural, mantido pelo Banco do Nordeste, informou que, “no momento, está reestruturando seu modelo de atuação, no intuito de modernizar a estratégia de funcionamento e ampliar parcerias com outras instituições”. O secretário de Cultura do Estado do Ceará, Fabiano Piúba, afirma que vai propor, em reunião com outros secretários de Cultura da Região Nordeste, uma carta cobrando explicações ao presidente do BNB.

em bancários demitidos em gozo de licença-saúde Pela terceira vez - A bancária Luciana Carvalho de Oliveira foi reintegrada aos quadros do Santander pela terceira vez, no dia 26 de junho, por força de medida judicial. Na sentença, a Juíza Margarida Alves de Araújo Silva, titular da 1ª Vara do Trabalho de João Pessoa ratificou a ilegalidade da dispensa da bancária em gozo de licença-saúde, uma vez que a mesma tinha estabilidade provisória, e arbitrou uma multa diária no valor de R$ 1.000,00 em caso de descumprimento da medida judicial. Na decisão, a Magistrada tomou como base a Lei 8.213/91, que assegura a manutenção do contrato de trabalho pelo prazo mínimo de 12 meses ao trabalhador que sofreu acidente de trabalho, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independentemente de percepção do auxílio-acidente. Para os diretores do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Sivaldo Torres e Genário Moreira, o apoio do Sindicato foi fundamental para que a bancária tivesse o seu direito assegurado pela lei. “Graças à atuação dos advogados do Escritório Marcelo Assunção e Advogados Associados e a tempestividade no encaminhamento da ação, que foi acolhida pela Justiça do Trabalho e

sentenciada em favor da trabalhadora bancária, obtivemos mais essa vitória ante a arrogância, a prepotência e a ganância do Banco Espanhol”, ressaltaram os sindicalistas, que também são funcionários do Santander. 07

trocando em miúdos


junho de 2019

cultura e lazer

Na sexta-feira, 7 de junho, o Sindicato dos Bancários da Paraíba realizou o XII Arraiá da Capitá – o tradicional São João dos Bancários, no Espaço Cultural Marcos Lucena, na sede da Entidade. Além das comidas típicas regionais, bancárias, bancários e familiares se divertiram a valer, até a madrugada, com os repertórios dançantes das bandas Forró Tora Chinela e Joabson Nascimento e Chico Forrozado e Banda. Nota 10!

O Forró dos Aposentados chegou à sua quarta edição na tarde da quinta-feira, 6 de junho, no Espaço Cultural Marcos Lucena, na sede do Sindicato dos Bancários da Paraíba realizou, com muita animação, comidas típicas e o forró pé-de-serra de João Netto e Ripa na Chulipa. Mesmo sendo uma festa, o Sindicato chamou os aposentados para resistirem à reforma da Previdência e à retirada de direitos.

trocando em miúdos

08

Profile for Walmar Pessoa

Trocando em Miúdos Ed604  

Trocando em Miúdos Ed604

Trocando em Miúdos Ed604  

Trocando em Miúdos Ed604

Advertisement