Page 6

pelos bancos

Banco Santander recorre à Justiça do Trabalho para continuar desrespeitando nossa Convenção Coletiva Após abrir a agência centro João Pessoa dois sábados consecutivos, o Santander recorreu ao artifício do Interdito Proibitório para barrar a atuação do Sindicato dos Bancários da Paraíba em defesa dos direitos dos seus representados. Prontamente, o magistrado Flávio Londres da Nóbrega, Juiz Substituto da 7ª Vara do Trabalho de João Pessoa (TRT 13ª Região) deu carta branca ao banco espanhol para continuar desrespeitando a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), através do artifício de prestar “educação financeira” aos sábados 18 e 25 de maio, e durante todo o mês de junho, sujeitando o Sindicato à aplicação de multa diária no valor de R$ 10.000,00 (DEZ MIL REAIS) caso a Entidade Sindical insista em defender seus associados. O Santander apelou para o interdito após o protesto que o Sindicato dos Bancários fez no dia 11 de maio em frente à agência da Praça 1817, localizada no Centro de João Pessoa. (Foto) Seria uma iniciativa louvável se o banco espanhol não fosse a instituição financeira que mais abusa do bolso do consumidor e esteja no topo da lista de reclamações no Banco Central do Brasil. Apesar do lucro nas alturas, mais estarrecedor e deplorável ainda é 'pedir' aos bancários que trabalhem aos sábados como voluntários; ou seja, de

graça. Isso é uma falta de respeito sem tamanho e não se pode permitir que prossiga, tendo em vista os precedentes de exploração e quebra de acordo que configuram tamanho abuso contra os funcionários, que já passam por tantos transtornos no exercício laboral, enfrentando metas inalcançáveis e sobrecarga de trabalho. O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo Alves, repudiou a prepotência e a ganância do banco espanhol, ao tempo que lamentou o equívoco do judiciário trabalhista em favorecer a parte mais forte dessa relação, em prejuízo das trabalhadoras e dos trabalhadores bancários. “Respeitamos a decisão judicial, mas não vamos ficar de braços cruzados. Contra esse absurdo de abrir o banco aos sábados, sem anuência da entidade representativa dos funcionários, o Departamento Jurídico do Sindicato já havia ajuizado denúncia na Procuradoria Regional do Trabalho e aguarda providências. Para derrubar o artifício do Interdito Proibitório, o Sindicato entrou com um Mandado de Segurança e espera que a Justiça tenha a mesma celeridade para agir em defesa dos trabalhadores como teve para atender aos interesses dos banqueiros" concluiu Marcelo Alves.

Problemas com VR e VA do Santander persistem As dificuldades para utilização dos vales alimentação e refeição persistem e estão prejudicando os bancários do Santander. O banco alterou a bandeira do VA e VR, que passou a ser a Ben, uma marca própria do banco. Por problemas de gestão do novo produto, os bancários têm que usar recursos próprios para as refeições diárias e para as compras em supermercados, ação que viola um direito garantido nas cláusulas 14 e 15 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, que preconiza que os bancos devem fornecer o VA e o VR de forma antecipada e mensalmente até último dia do mês anterior ao benefício. Portanto, deveria creditar os valores. trocando em miúdos

Principais Reclamações: Poucos estabelecimentos credenciados, principalmente nas pequenas cidades; Estabelecimentos cadastrados que não aceitam o cartão; Estabelecimentos indicados há mais de 30 dias e não cadastrados; Atendimento demorado nos canais de suporte dos cartões; Desconhecimento do cartão até em grandes estabelecimentos; Equipes nas ruas para resolver esses problemas, mas até agora nada foi resolvido de concreto. O problema é tão grave, que até nas 'agências workcafé' do Santander em São Paulo e no Rio de Janeiro o Ben não é aceito. 06

Profile for Walmar Pessoa

Trocando em Miúdos - Ed 603  

Trocando em Miúdos - Ed 603

Trocando em Miúdos - Ed 603  

Trocando em Miúdos - Ed 603

Advertisement