Issuu on Google+

BRASIL

CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

Jornal do Sindicato dos Bancários da Paraíba - João Pessoa, fevereiro de 2014. Ano XXIII. Nº 553

Os bancários se despedem de Gledinaldo Gomes "Naldinho"


fevereiro de 2014

opinião

Editorial

Lucros, pressão e descaso

Os principais bancos que atuam no país já anunciaram seus exorbitantes lucros. Foi mais um recorde de acumulação de riquezas, com pouca ou nenhuma contrapartida de responsabilidade social. Em ano de copa do mundo de futebol, principalmente sendo aqui a sede dos jogos, os bancos estão na torcida, patrocinando o evento. No horário nobre, mostram suas unidades de atendimento como se fossem um verdadeiro paraíso para quem recebe e para quem presta os serviços. Enquanto isso, aqui no mundo real, dos mortais, os trabalhadores do ramo financeiro sofrem todo tipo de pressão e assédio para manter e até aumentar os lucros das instituições financeiras. O Itaú, depois do golpe do horário de expediente estendido e de continuar a dispensar funcionários, agora implantou uma nova modalidade de agência. Trata-se das "Agências de Negócio", que não passam de

meros escritórios, funcionando sem caixas executivos, sem vigilantes e sem portas de segurança. Entretanto, como têm autoatendimento, com caixas eletrônicos, naturalmente expõem clientes e bancários à violência, por total falta de segurança. O banco espanhol Santander, outro campeão de lucros, vai fechar uma de suas agências aqui na capital, assim como fez o pequeno Mercantil do Brasil, que pegou todo mundo de surpresa ao fechar sua única agência na Paraíba. A exemplo do Santander, o HSBC, outro banco estrangeiro que atua no país, anda envolvido em denúncias de lavagem de dinheiro pelo mundo e, em vez de pagar a PLR, anunciou o pagamento de um abono de R$ 1.800. O Banco do Brasil registrou em 2013 um lucro líquido contábil de quase R$ 16 bilhões, com alta de 29,1% em relação ao exercício de 2012.

O BB superou o Itaú e conquistou o melhor resultado da história do sistema financeiro nacional até hoje. Entretanto, mesmo abrindo quase cem novas agências, fechou 1.966 postos de trabalho no ano passado. Essa postura mesquinha não condiz com um banco público, que deveria dar o bom exemplo, premiando os seus colaboradores por lhe proporcionar esse lucros, em vez de massacrá-los. Temos nos reunido constantemente com a superintendência estadual do Banco do Brasil na Paraíba, mas nossas denúncias caem no vazio e nenhuma providência prática é tomada em favor dos funcionários. Além de todos esses assuntos, nas páginas centrais desta edição trazemos uma matéria desmistificando essa campanha contra a realização da Copa do Mundo no Brasil. Isto porque, quando nós fazemos críticas, somos honestos e responsáveis.

Fala Bancário

Obrigado, companheiros!

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

Por Marcos Henriques Em Dezembro de 2013, no auge dos debates políticos o movimento sindical discutiu internamente a necessidade de indicar um pré-candidato ao governo do estado que se identificasse com a real necessidade do povo da Paraíba e que tivesse identificação com o partido dos trabalhadores. Meu nome surgiu, principalmente pela seriedade do trabalho desenvolvido no sindicato, bem como na Central Única dos Trabalhadores, viajando e mapeando os problemas encontrados no estado e há muitos anos apresentando o resultado desses estudos a todos os pré-candidatos que disputam eleições majoritárias. Durante dois meses tive a convicção que fiz um bom debate, denunciando o descaso que assola nosso estado: onde se

Trocando

em miúdos

trocando em miúdos

negligencia a segurança, fazendo com que nossa capital hoje seja a terceira mais violenta do Brasil e a nona do mundo; se negligencia com os trabalhadores, desrespeitando-os, quando não negocia com suas entidades sindicais; apresentando propostas construídas coletivamente. Realizado o debate, atendemos ao chamamento da unidade partidária, retirando a pré-candidatura. Temos que consolidar uma chapa que possa fazer frente a essa gestão que nao respeita os trabalhadores, muito menos apresenta à sociedade uma resposta aos principais problemas que evidenciamos. Agradeço a todos os que acreditaram na minha pré-candidatura ao governo estadual, especialmente aos bancários e ao movimento sindical que representa a base do Partido dos Trabalhadores.

Informativo do Sindicato dos Bancários da Paraíba Av. Beira Rio, 3.100, Tambauzinho, João Pessoa-PB. Fone: (83) 3224-2054 Fax: (83) 3224-4837 Site: www.bancariospb.com.br e-mail: sindicato@bancariospb.com.br Facebook: bancariospb Twitter: @sindbancariospb

02

O Presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários da Paraíba (SEEB/PB), no uso de suas atribuições legais e estatutárias, convoca todos os associados quites, em gozo de seus direitos para participarem da Assembléia Geral Ordinária, que se realizará no dia 18/03/2014, às 18h em primeira convocação com o quorum de 50% mais um dos associados, e, não havendo quorum, às 18h30 em segunda convocação com qualquer número de associados, na sede deste Sindicato na avenida Min. José Américo de Almeida, nº 3100, Tambauzinho, João Pessoa/PB, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: 1- Prestação de contas do SEEB-PB, relativo ao ano de 2013 João Pessoa, 28 de fevereiro de 2014. Marcos Henriques e Silva Presidente do SEEB/PB

Presidente: Marcos Henriques e Silva Diretor de Comunicação: Rogério Lucena Jornalista responsável: Otávio Ivson (DRT-PB 1778/96) Reportagem: Otávio Ivson e Cassiana Ferreira Diagramação: Paletta arquitetura, comunicação e design Fotos: Otávio Ivson, Paletta e Arquivo do SEEB-PB Tiragem: 3.000


fevereiro de 2014

em destaque

Bancos: Lucros, demissões e violência em alta Entra ano e sai ano e os bancos quanto mais lucram mais demitem

49,8bi LUCRO DOS BANCOS

DEMISSÕES

11.967

10% VIOLÊNCIA

Na contramão da trajetória de lucros cada vez mais altos, os bancos seguem com uma política de demissões de trabalhadores. Juntos, o Itaú, Bradesco, Santander e Banco do Brasil somaram um lucro líquido de R$ 49, 758 bilhões em 2013. Mesmo período em que fecharam 11.967 vagas de trabalho. Já o Banco do Brasil registrou lucro líquido contábil de R$ 15,758 bilhões em 2013, com alta de 29,1%, o maior da história. Mas, no entanto, mesmo abrindo 88 novas agências, fechou 1.966 postos de trabalho no ano passado. Os três maiores bancos privados que operam no país (Itaú, Bradesco e Santander) apresentaram conjuntamente lucro líquido de R$ 34 bilhões, mas fecharam 10.001 postos de trabalho em 2013, quando a economia brasileira gerou 1,1 milhão de novos empregos com carteira assinada. Estudo do Dieese sobre os dados dos balanços das três instituições financeiras mostra que o Itaú teve lucro líquido recorde de R$ 15,8 bilhões e cortou 2.734 empregos no ano passado. O Bradesco lucrou R$ 12,2 bilhões e fechou 2.896 vagas. E o Santander Brasil, que gerou lucro de R$ 5,7 bilhões (23% do resultado mundial do banco espanhol), eliminou 4.371 postos de trabalho. O BB registrou 112.216 funcionários em 31 de dezembro de 2013, com o desligamento de 1.966 trabalhadores (uma redução de 1,72% em doze meses), seguindo a tendência dos bancos privados. Apesar da queda no emprego, foram abertas 88 novas agências bancárias em 2013, que totalizaram

5.450 unidades. O desempenho do lucro contábil do Banco do Brasil inclui resultados não recorrentes ou extraordinários, a exemplo dos ganhos de R$ 9,82 bilhões com a venda de ações do BB Seguridade. "Quando nós trabalhadores olhamos o lucro de um banco público, não é somente o resultado financeiro que temos que nos atentar, mas sim a forma como esse resultado foi atingido e se ele foi Bom PraTodos. É inaceitável que um banco público atinja esse resultado às custas da redução de empregos e da precarização das

relações de trabalho", critica William Mendes, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB e secretário de Formação da Contraf-CUT. "No acordo coletivo de trabalho de 2013, o BB se comprometeu a contratar três mil funcionários até agosto deste ano. Vamos exigir o cumprimento desse compromisso", alerta William. O coordenador da Comissão de Empresa observa sobre o balanço que o banco foi importante no financiamento imobiliário e no agronegócio, "mas ainda está longe do ideal quando se fala da agricultura familiar, pois R$ 8 bilhões é muito pouco pela importância desse setor, que é responsável pela alimentação do povo brasileiro". "Outro fator que chama a atenção acrescenta William - é o banco pôr em risco, a todo instante, anos e anos de especialização de nossos trabalhadores e know how nas áreas de cadastro, crédito e cobrança, bem como na prospecção e gerenciamento de oferta de crédito adequado a cada cliente e empresa brasileira. A direção do banco segue com seus projetos absurdos de terceirização e precarização dos direitos e do atendimento à sociedade. Em 2013 o banco aumentou a terceirização na área de recuperação de crédito. Agora a direção está terceirizando o importante trabalho de microcrédito. Temos que barrar esta decisão porque isso não é Bom Pra Todos."

Violência na Paraíba já é 10% maior que 2013 O ano nem começou direito e o número de ocorrências registrado contra bancos na Paraíba é 10% maior que o do mesmo período em 2013. Nos dois primeiros meses do ano já foram contabilizadas 24 ações criminosas envolvendo bancos na Paraíba, até o fechamento desta edição, conforme nosso Mapa da Violência. A mais recente foi uma tentativa de arrombamento à agência do Banco do Brasil, em Caaporã, localizado no Litoral Sul do Estado. Os dados confirmam esse índice negativo para segurança: 7 explosões (5 no Bradesco e 2 no Banco do Brasil), 3 assaltos (1 no Bradesco, 1 no Banco do Brasil e 1 no Itaú), 8 arrombamentos (1 no Banco do Brasil, 2 no Santander e 5 no Itaú), 3 tentativas de arrombamento/explosão/assalto (2 no Banco do Brasil e 1 no Santander), 3 saidinhas/entradinhas de banco (1 no Santander, 1 no Bradesco e 1 no Banco do Brasil). O que chama mais atenção é que esses crimes ocorreram em agências dos bancos que mais lucraram em 2013: Banco do Brasil (R$ 15,758 bilhões) Bradesco (R$ 12,2 bilhões) e Santander (R$ 5,7 bilhões). Os números confirmam o descaso dos banqueiros com a segurança de clientes, usuários, vigilantes e bancários. 03

Quanto maior o lucro, menor o investimento em segurança, deixando os bandidos à vontade a sociedade ao "Deus dará". Segundo dados do Dieese, os cinco maiores bancos (Itaú, BB, Bradesco, Caixa e Santander) apresentaram lucros de R$ 42,2 bilhões de janeiro a setembro de 2013. Já as despesas com segurança e vigilância somaram R$ 2,4 bilhões; ou seja, investiram apenas 5,6%, dos lucros, em média, no mesmo período. Itaú - O novo modelo de agência do Itaú é um escritório de negócios, sem vigilantes nem portas de segurança. Aqui, temos duas dessas "agências de negócio", expondo clientes e bancários. trocando em miúdos


Especial Copa do Mundo

Este ano vai haver Copa do Mundo no Brasil, mes

trocando em miĂşdos

04


fevereiro de 2014

mo com uma s贸rdida campanha pregando o caos

05

trocando em mi煤dos


fevereiro de 2014

opinião

BB: Pesquisa identifica problemas graves na PSO A consulta à base foi definida na reunião com os bancários, em dezembro de 2013 Em uma pesquisa aplicada pelo Sindicato dos Bancários da Paraíba, entre janeiro e fevereiro, 68 bancários vinculados a PSO Plataforma de Suporte Operacional, apontaram graves problemas enfrentados nos locais de trabalho. A consulta foi conduzida pelo diretor do SEEB – PB, Francisco de Assis “Chicão”. A pesquisa - O espaço físico foi apontado como inadequado por 60% dos caixas e gerentes. E 80% dos pesquisados entenderam como muito graves problemas como equipamentos (destaque para contadora de cédulas), além de mobiliário precário. Na questão da segurança, 79% dos caixas destacam as câmeras como um problema muito grave, pela não cobertura de todo espaço, bem como pela baixa resolução do equipamento, para eventual exame de diferença. O que foi atestado também por 55% dos gerentes. O uso de folgas foi considerado problema muito grave por 71% dos caixas, mas por apenas 30% dos gerentes. Com relação ao uso de férias, a apadrinhamento e/ou perseguição na mudança para agências, 65% dos caixas atestam problemas muito graves. Sendo que um caixa já foi deslocado para outra agência e lá se deparou com todos os guichês ocupados; o que denota perseguição ou falta de planejamento. Isso talvez explique o fato de que 43% alegam que se sentem perseguidos. A exigência de postura robotizada foi apontada por 69% dos pesquisados como um problema muito grave, onde às vezes é criticado até se responder aos clientes; tudo em função de um parâmetro de

produção inadequado, como atestam 70% dos caixas. Já o uso de linguagem autoritária por superiores foi apontado como muito greve por 65% dos caixas. A falta de funcionários, que é um problema nacional do BB, foi atestada por 80% dos pesquisados como um problema muito grave. O desvio de função de gerentes abrindo caixas e o aumento de serviço, em função da redução do limite de numerário por máquina, ficou evidenciado como um grave problema, por quase a totalidade dos pesquisados. "Todos esses problemas já foram levados ao conhecimento da Superintendência Estadual do BB na Paraíba. Entretanto, foram muitas promessas mas nenhuma providência prática", desabafou Chicão.

JURÍDICO: Acompanhe a tramitação das ações ajuizadas Banco do Brasil: As ações das 7ª e 8ª horas, movidas pelo SEEB-PB em favor dos Assistentes de Negócio (ASNEGs), Auxiliares Administrativos (AUXADs) e Analistas que foram suspensas, devido à adesão da categoria à Comissão de Conciliação Voluntária (CCV), estão em fase de prolação das sentenças e voltaram a tramitar no dia 21 de fevereiro. A Ação Rescisória, referente aos anuênios para os antigos funcionários, obteve uma grande vitória no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 13ª Região, mas ainda cabe recurso. Existem outras ações em favor do funcionalismo do BB, pleiteando o intervalo intrajornada, os 15 minutos para mulheres e a inserção dos divisores de 150 para 200, para apuração do valor das horas extras. Caixa Econômica Federal: As execuções referentes à Ação dos Vales-Alimentação em favor dos empregados da Caixa, que ingressaram na Instituição antes de maio de 1991, se encontram protocoladas, aguardando agora o recebimento dos valores que cada empregado tem direito. Convém lembrar que a Caixa impugnou várias ações da espécie, devido a alguns empregados já terem se beneficiado em ações individuais. BNB: Tramitam várias ações dos funcionários do BNB, pleiteando os divisores de 150 para 200 no cálculo das horas extras, os 15 minutos para as mulheres e as 7ª e 8ª horas para os gerentes de suporte operacional e recuperação de crédito, dentre outras funções. Banco Privados: Estão tramitando diversas ações coletivas em prol dos bancários da rede privada, pleiteando os 15 minutos para as mulheres, os divisores de 150 para 200 no cálculo das horas extras e várias ações de caráter individual, pleiteando a reintegração dos demitidos. Nestas, o Sindicato dos Bancários da Paraíba, em parceria com o Advogado Marcelo Assunção, tem obtido êxito em 90% dos casos. Fomos o único Sindicato de Bancários no país que obteve liminar mantendo a vitória no mérito da Ação Civil Pública contra o Santander, com a reintegração daqueles que foram vítimas das demissões em massa promovidas pelo banco espanhol, em novembro/dezembro de 2012. O SEEB-PB também ajuizou Ação Civil Pública contra o Santander, que se encontra tramitando na 4ª Vara do Trabalho da capital, contestando os aumentos abusivos do Plano de Saúde do banco espanhol, cuja alteração foi feita unilateralmente pela instituição financeira. trocando em miúdos

06

Capacitação de sindicalistas sobre Previdência Complementar

Nos dias 10 a 13 de fevereiro, o diretor do SEEB - PB, Carlos Hugo, participou Paraíba participou do curso de formação com especialização em Previdência Complementar, promovido pela ContrafCUT em parceria com a Anapar, em São Paulo - SP. O curso reuniu aproximadamente 35 dirigentes sindicais de todo o Brasil, com o objetivo de formar lideranças sindicais em todas as bases e regiões do País, com capacidade de representar, produzir e reproduzir conhecimento sobre o tema. A ideia é aumentar o potencial de informação, organização e defesa dos direitos dos trabalhadores do ramo financeiro em relação aos seus planos de previdência complementar existentes ou que vierem a ser criados.


fevereiro de 2014

em destaque

Eleição da Fenae tem representante Paraíba TRT barra demissões em massa nodaSantander Na Chapa I, a reintegrar companheira Natascha Brayner concorre à diretoria executiva e manda os demitidos na Paraíba Caixa, associados das Associações do Pessoal da Caixa (Apcefs) até o dia 31 de dezembro de 2013. As urnas para coleta de votos estarão nos locais de trabalho e nas sedes das Apcefs. “Estou muito honrada em fazer parte de uma chapa que se propõe a ampliar o trabalho que vem sendo executado pela atual gestão, principalmente por propiciar o retorno da participação da Paraíba à diretoria executiva da Fenae. Pelo trabalho que desenvolvemos aqui, colocamos mais uma vez o nosso nome à apreciação dos companheiros da Caixa”, Natascha Brayner, diretora do SEEB – PB e candidata. Anteriormente, a companheira Aparecida Diniz foi a nossa primeira representante na diretoria executiva da Fenae.

CH

AP A

1

No dia 20 de março, das 9h às 18h, os empregados da Caixa Econômica Federal vão eleger os novos membros da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae). Apenas uma chapa foi homologada para a disputa. Eis a oportunidade de voltarmos a ter um representante da Paraíba na diretoria executiva da Fenae. Trata-se da companheira Natascha Brayner, diretora para assuntos da mulher, do Sindicato dos Bancários da Paraíba, que faz parte da Chapa 1 – Chapa do Movimento, candidata à diretoria de comunicação e imprensa. Estão aptos a votar todos os empregados e aposentados da

Bancários são surpreendidos com fechamento do Banco Mercantil na PB O fechamento da única agência do Banco Mercantil do Brasil na Paraíba, localizada na Avenida Duque de Caxias, pegou os funcionários de surpresa. Oito bancários trabalhavam no local. O banco encerrou completamente suas atividades no Estado no dia 14 de fevereiro. De acordo com o bancário Raimundo Nonato, funcionário do banco há 26 anos e diretor do Sindicato dos Bancários da Paraíba, foi uma surpresa bastante desagradável o fechamento da

única agência do Mercantil na Paraíba, na segunda-feira, 6 de janeiro. “A notícia nos pegou de surpresa, nos deixou desesperados e sem saber o que fazer”, afirmou Nonato. Além da Paraíba, foram fechadas duas unidades de trabalho em Belo Horizonte, além de outras cinco localizadas nos estados de MS, BA, PR, RJ e RS. A medida não apenas desrespeita a categoria, como vai contra o próprio discurso do Mercantil do Brasil, de que pretendia avançar e atingir o número de 200 agências no país.

BNB: PCR, Plano de Incentivo ao Desligamento e denúncias em pauta

No início deste mês, em Fortaleza CE, houve mais uma reunião da Comissão paritária sobre Plano de Cargos e Remuneração (PCR). Segundo o representante do SEEBPB, Robson Luís, as discussões estão avançando bem e há possibilidade de conclusão dos trabalhos ainda em março. "Estamos nos esforçando ao máximo para elaborarmos um PCR que elimine injustiças e distorções, motivando os funcionários a permanecer no Banco por toda sua vida laboral", ressaltou o dirigente sindical.

PID - A diretoria do BNB lançou, na segunda-feira (24) o Plano de Incentivo ao Desligamento. Esse plano há muito é esperado pelos bancários com tempo de trabalho suficiente e aptos à aposentadoria. O Plano consiste no pagamento de oito salários brutos, limitados a R$ 150 mil, mais 40% sobre todos os valores do FGTS depositados pelo Banco. O plano ficou muito aquém das expectativas do funcionalismo e do movimento sindical, que revindicam um benefício previdenciário vitalício que, em conjunto com o benefício do INSS, totalize a renda que o aposentado teria se estivesse na ativa. “Esse plano, apesar de ser um avanço, ainda é muito injusto com os beneficiários do plano BD. Até porque a situação financeira 07

enfrentada por esse plano é consequência de problemas de gestão e de uma recusa de aporte financeiro oferecido pelo governo federal, por parte do então presidente do BNB, Byron Queiroz. Segundo ele, a CAPEF não precisava daquela ajuda. Ou seja, os trabalhadores estão pagando o preço da incompetência da alta administração do Banco e da CAPEF, em 1997", desbafou Robson Luis. Rombo - O Banco do Nordeste voltou às manchetes policiais, sobre práticas de corrupão que causaram um rombo da ordem de R$ 3,4 bilhões. Dentre as operações que estão sendo investigadas, constam altos financiamentos altos sem garantias e que não podem mais ser cobradaos, por estarem prescritos. CGU, TCU, Ministério Público e Polícia Federal investigam o porquê de operações tão grandes não terem sido cobradas judicialmente em tempo hábil e se houve favorecimento de políticos e de parentes de membros da alta cúpula do banco.

trocando em miúdos


fevereiro de 2014

esporte, cultura e lazer

O adeus ao companheiro Naldinho Gledinaldo Gomes Pereira - "Naldinho", ingressou na carreira bancária em 1980, no Bradesco. Disputou o primeiro mandato sindical em 1994 e desde então esteve ligado às atividades esportivas da Entidade. Recentemente, fez um excelente trabalho na promoção do Futsal amador da Paraíba Naldinho fez parte do grupo que viabilizou a recondução do Sindicato dos Bancários da Paraíba às lutas em defesa da categoria e às fileiras da CUT. Durante sua militância foi juiz classista na JCJ de Picuí-PB e chegou a assumir a presidência do Sindicato dos Bancários da Paraíba por alguns dias. Chamado prematuramente, no dia 10 de fevereiro, através de um mal súbito, que lhe ceifou a vida, só nos resta o luto e as saudades pelos bons momentos de convivência. Diante dessa tragédia, as diretorias do Sindicato dos Bancários e do Bloco Os Borrachudos, decidiram não levar para a avenida o Camarote Vip dos Bancários este ano. Voltaremos em 2015. Descanse em paz, companheiro!

08 de Março

Dia Internacinal da Mulher

Elas são quase metade da categoria bancária, representando 48,7% dos trabalhadores do sistema financeiro e ainda sofrem discriminação. Mas, fortes e determinadas, sempre estão lutando e ocupando seus devidos lugares de destaque na sociedade moderna. Além da luta diária, em seus locais de trabalho ou em prol da categoria profissional em outras frentes, as mulheres ainda se desdobram na realização das tarefas domésticas e na educação dos filhos. Essas guerreiras merecem todo o nosso apoio, respeito e reverência. Não só no seu Dia Internacional, mas em todos os momentos de sua vida, pelo exemplo de garra, independência, coragem e força. Como acontece todos os anos, a diretoria do Sindicato dos Bancários da Paraíba vai homenagear as mulheres bancárias em seus respectivos locais de trabalho, nos dias 6 e 7 de março. Nas visitas às agências, além da homenagem haverá distribuição de brindes. trocando em miúdos

08


Trocando em Miudos - Ed553