Issuu on Google+

BRASIL

CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

Jornal do Sindicato dos Bancários da Paraíba - João Pessoa, junho de 2013. Ano XXII. Nº 548


junho de 2013

opinião

Editorial

Venda casada em alta...

A velha prática de alguns balconistas de farmácia, de passar um medicamento por outro ou de insistir exaustivamente até convencer o paciente levar um produto sem necessidade, agora é prática corriqueira também nos bancos. É a famosa e condenável prática desonesta que ficou conhecida como “empurroterapia”, que nos bancos ocorrem sob a denominação de ‘’venda casada’’. A diretoria do Sindicato dos Bancários da Paraíba tem recebido constantes denúncias dessa prática deplorável dentro dos bancos. E tudo em nome do atingimento de metas abusivas. Entretanto, salvo raríssimos casos de superiores hierárquicos que assumem essas recomendações, as ordens para fraudar os clientes não costumam deixar provas. Na maioria dos casos, os bancários são pressionados a induzir os clientes a contraírem empréstimos consignados e adquirirem títulos de capitalização, dentre outros produtos.

Se essa prática nociva aos clientes e aos bancários já é deplorável por si só, torna-se ainda mais estarrecedora quando aquele que ordena chega ao cúmulo de punir o subordinado pela pratica do que ele mesmo mandou executar. Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Direito do Consumidor (Idec) tal prática pode ser considerada, numa visão mais ampla, invasão de privacidade e constrangimento para o trabalhador, e os responsáveis pela empresa não deveriam permitir que isso acontecesse. Seria cômico se não fosse trágico, pois justamente os que não deveriam permitir são os que orientam a prática delituosa. No Banco do Brasil flagramos até a circulação de uma mensagem, difundindo a artimanha desenvolvida em uma agência para lesar os clientes, através da antecipação do resgate do Ourocap. O funcionário identifica o cliente com potencial e faz o contato telefônico,

Fala Bancário

induzindo-o a entrar em contato com a Central para fechar o negócio. Ao agir conforme foi orientado, o cliente assume o ônus decorrente do resgate antecipado. Apesar de ter sido denunciada em edição anterior do Trocando em Miúdos, a máxima “faça o que eu digo, mas não diga que mandei fazer” continua de vento em popa na Caixa Econômica Federal, através da venda casada. E ocorrem com frequência nos financiamentos da carteira de Habitação e no setor empresarial. A pressão para que os bancários ajam dessa forma tem levado a categoria ao adoecimento. Daí o altíssimo índice de afastamentos para tratamento de saúde e o uso crescente de medicamento controlado, conforme constatamos através da aplicação da Consulta formatada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Confira os números disponibilizados na matéria de capa nas páginas centrais desta edição.

Não dá pra comparar! Por Ricardo de Faria Barros, funcionário do Banco do Brasil Dias atrás, estava com os meus filhos olhando umas fotos de minha militância quando eles eram bem pequenos. Lembram dessa bandeira que seguraram? Ela trouxe muita coisa boa ao nosso povo. E ainda está viva em nós... Ontem vi vocês indignados com nosso país. Também estou, e em muitos aspectos. Contudo, não há referências de comparação entre propostas de governos totalmente excludentes – em sua essência e motivações. No passado, interesseiros apoderaram-se da nação e fizeram dela seu patrimônio pessoal. Arrotavam seu poder e usavam sua influência para amealhar mais e mais; tinham certeza da impunidade, da falta de governança sobre seus atos de gestão pública. Roubavam a céu aberto.

Trocando

em miúdos

trocando em miúdos

Nada era bom no passado. Olhem para o futuro, mas aprendam com o presente. Mas, nunca, nunca mesmo, queiram o passado. Não sou militante de carteirinha. Sou do grupo de simpatizantes da esquerda; qualquer esquerda. E, nela, na esquerda, critico e desço o cacete – mas não acho que a outra via que debate seja melhor. Entre o governo que aí está e aqueles que se aproveitam do momento para fazer proselitismo, não tenho nem o que pensar... Eu também teria razões para vaiar e para aplaudir o Governo. Vaiaria pelo canal da transposição não ter evoluído e a seca fazer o nosso povo sofrer mais uma calamidade. Aplaudiria pelo Bolsa Família, que possibilitou que o flagelo da fome não atingisse com tanta força o

nosso povo, evitando saques e migrações para os grandes centros. Além de fazer circular a pequena economia das cidades pobres do Sertão. Tenho razões para aplaudir e para vaiar. Só nunca comparo as conquistas da última década ao que tínhamos antes em nosso país. Ou será que não havia corrupção, desemprego, crise nos transportes, inflação? Havia. E muito! Apenas as coisas eram encobertas pelos poderosos. Avançar sempre, retroceder jamais! Avançar até para uma terceira via na política, que seja! Mas nunca, nunca mesmo, comparar os avanços desse governo com os da ditadura e os liberais que o sucederam. Nunca!

Informativo do Sindicato dos Bancários da Paraíba Av. Beira Rio, 3.100, Tambauzinho, João Pessoa-PB. Fone: (83) 3224-2054 Fax: (83) 3224-4837 Site: www.bancariospb.com.br e-mail: sindicato@bancariospb.com.br Facebook: bancariospb Twitter: @sindbancariospb

Presidente: Marcos Henriques e Silva Diretor de Comunicação: Rogério Lucena Jornalista responsável: Otávio Ivson (DRT-PB 1778/96) Reportagem: Otávio Ivson Diagramação: Paletta arquitetura, comunicação e design Fotos: Otávio Ivson, Paletta e Arquivo do SEEB-PB Tiragem: 3.000

02


em destaque

junho de 2013

Santander condenado a pagar indenização de R$ 150 mil Mais pensão, plano de saúde, tratamento, remédios, reajustes, gratificações e PLR O Banco Santander S/A foi condenado a pagar ao funcionário Marinaldo Soares Barbosa indenização por danos morais no valor de R$ 150 mil, pensão mensal no valor de R$ 3.072,24, garantindo ainda a integração de todos os aumentos concedidos à categoria no curso do benefício, bem como o pagamento das gratificações semestrais, natalinas e Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O banco também foi condenado ao pagamento do plano de Saúde e arcar com todos os medicamentos e tratamentos necessários para as doenças profissionais adquiridas pelo bancário. A decisão foi proferida pelo Juiz Titular da 5º Vara do Trabalho de João Pessoa, Dr. Paulo Henrique Tavares da Silva. O Advogado Marcelo Assunção, parceiro do sindicato e responsável pela Ação, afirmou que “A sentença veio minimizar as consequências das péssimas condições de trabalho que os funcionários do Santander vem sendo expostos a vários anos, uma vez que os males causados são irreversíveis, ficando comprovados a culpa e o nexo causal entre as doenças e o labor desenvolvido por Marinaldo nos anos de trabalho dedicados ao banco”. Para Jurandir Pereira, diretor responsável pelo Jurídico do Sindicato, esta decisão judicial serve como exemplo para que o Banco Santander comece a se preocupar com as condições de trabalho de seus funcionários. “Estamos fiscalizando as condições de trabalho e ajuizando ações que busquem a reparação dos danos causados por doenças ocupacionais de todos os nossos companheiros”, arrematou.

Marinaldo Barbosa veio ao Sindicato agradecer o apoio recebido da diretoria da Entidade. . “Nunca mais terei a mesma capacidade de trabalho. Mas, graças a Deus, ao apoio que recebi do Sindicato, à competência do Dr. Marcelo Assunção e à decisão da Justiça vou poder cuidar das lesões que adquiri ao longo de minha vida profissional. Aos colegas de trabalho apelo que caminhem junto com o Sindicato, a quem devem recorrer na hora da precisão”, concluiu emocionado.

Notícias do Jurídico Anuênios BB - No início de abril o TST deu provimento, por unanimidade, ao Recurso Ordinário intentado pelo SEEB-PB, através do Dr. José Eymard Loguércio, na Ação Rescisória sobre os anuênios contra o Banco do Brasil. O Processo irá retornar ao Tribunal Regional da Paraíba para o devido julgamento da Ação. O Sindicato ajuizou 25 Ações coletivas contra os Bancos de sua base territorial, através do Escritório Assunção e Fernandes, pleiteando, dentre outros direitos: intervalos intrajornadas; os 15

minutos que a mulher tem direito antes de prorrogar; o divisor por 150 e não mais 180 para o cálculo das horas extras; e sétima e oitava horas para as funções técnicas, exercidas por assistentes e analistas do BB. Como assistente processual, o Sindicato pleiteou várias ações individuais para reintegração de bancários indevidamente demitidos, obtendo êxito em mais de 90% dos casos, mormente contra os Bancos privados, com destaque para Santander, HSBC e Itaú. Na maioria dos casos, esses bancos desconsideraram uma série de

procedimentos, ignorando licenças por acidente de trabalho e doenças ocupacionais. Felizmente, a Justiça tem reparado essas injustiças contra os bancários. Também na qualidade de assistente processual, o SEEB-PB ajuizou Ações, visando o recebimento das 7ª e 8ª horas dos funcionários do o Banco do Brasil. Esses processos, acompanhados pelo Dr. Derly Pereira têm obtido êxito em primeira instância e em algumas já julgadas na segunda instância, no TRT da Paraíba.

Gente nossa Itamar Antônio Duarte de Farias

Fernanda Ribeiro de Magalhães

Delegado Sindical – Caixa/Ag. Cariri

Delega Sindical - BB/Ag. Manaira Shopping

ingressou na carreira bancária no Banco do Brasil, na agência de Uiraúna, em fevereiro de 2000. Em 2006, foi admitido como técnico bancário pela Caixa Econômica Federal, na agência de Esperança – PB. Em 2007 foi transferido como Caixa Executivo da agência Cariri, nova denominação para a reabertura da antiga agência Monteiro, onde foi escolhido como Delegado Sindical, para representar seus companheiros de trabalho junto ao Sindicato. Paulista de Santo Amaro, criado em terras paraibanas, atualmente cursa Licenciatura em Ciências Agrárias.

Tomou posse como escriturária do Banco do Brasil, em 2001, na agência Vila Sabrina, São Paulo – SP. Depois, nomeada Assistente de Negócios PJ, passou pelas agências Teixeira de Freitas (2005), Ilhéus (2006) e Itabuna (2008), na Bahia, até chegar à agência Manaira Shopping – João Pessoa/PB, em 2009. Foi nomeada Gerente de Serviços PJ em 2011 e passou a Gerente de Relacionamento PJ em 2012, ano que foi eleita Delegada Sindical. Essa líder nata é graduada em Ciências da Computação.

03

trocando em miúdos


pelos bancos

Diretor do Banco do Brasil recebe reivindicações e diz que BB não tem previsão de quando vai contratar mais funcionários pelo cumprimento de metas, quando o próprio Banco não atingiu sequer 20% das metas estabelecidas no penúltimo mês do semestre (maio de 2013), demonstrando de forma inequívoca que as metas são superdimensionadas e absurdas. O dado apresentado surpreendeu o diretor do Banco, que apenas comentou: "Vocês estão muito bem informados..." Quadro Funcional - O diretor José Carlos afirmou que "o Banco do Brasil preza pela qualidade de vida e condições de trabalho dos seus funcionários". Entretanto, no desenrolar das discussões alguns pontos, como a questão da falta de funcionários, o discurso do representante do BB foi bem diferente. "Não temos previsão de aumento de dotação do quadro funcional do Banco", afirmou taxativo. O diretor do Sindicato e funcionário do BB, Francisco de Assis "Chicão" sugeriu que o Banco aumentasse o seu quadro funcional em 10%, justificando que esse aumento não impactaria na mesma intensidade os custos da folha de pagamento, uma vez que os novos funcionários custam bem menos. "Os custos aumentariam muito pouco, ante o que o Banco ganharia em escala com a otimização dos serviços e a qualidade do atendimento", argumentou. Depois de ouvir as reivindicações sobre melhorias na operacionalização do microcrédito produtivo e a falta de segurança, o Diretor José Carlos se disse surpreso com o exagero da Superintendência local nas cobranças pelo cumprimento de metas. Em seguida, se comprometeu em rever a diminuição do número de vigilantes e informou que ‘o Banco está estudando melhorias para dar mais segurança também ao abastecimento de autoatendimentos e caixas eletrônicos’’, explicou A reunião foi considerada positiva pelos dirigentes sindicais. ‘’Principalmente pela postura do superintendente Evaldo Emiliano, que aceitou rever sua maneira de cobrar resultados’’, concluiu Marcos.

A diretoria do Sindicato dos Bancários da Paraíba esteve reunida com o Diretor de Distribuição do Banco do Brasil, José Carlos Reis da Silva, no dia 6 de junho, na sede da Superintendência Estadual. Na ocasião, cobrou medidas urgentes para acabar com a degradação das condições de trabalho do funcionalismo do banco público na Paraíba e entregou uma carta, assinada conjuntamente com o Sindicato dos Bancários de Campina Grande e Região, elencando os principais problemas enfrentados pelos bancários em seus locais de trabalho e diagnosticados pelos dirigentes sindicais em suas visitas às agências. Na reunião foram tratadas questões como: metas abusivas, quadro funcional insuficiente, exagero na forma de cobrar o cumprimento de metas, abastecimento dos caixas eletrônicos, custeio com os deslocamentos para visitas operacionais do microcrédito produtivo, redução do número de vigilantes e a falta de segurança. Logo na abertura, o presidente do SEEB – PB, Marcos Henriques, questionou o Diretor do BB sobre as cobranças excessivas

Contraf-CUT entregou pauta do Santander No dia 26 de junho, a Contraf-CUT entregou a pauta específica ao novo superintentende de relações sindicais do Santander. O documento foi aprovado no Encontro Nacional dos Funcionários, ocorrido nos dias 4 e 5 de junho, em São Paulo - SP, com a

Itaú vai colocar portas de segurança até agosto e bancários aguardam o Bradesco fazer o mesmo

Na Caixa Econômica as vendas casadas continuam

Finalmente o Itaú se rendeu às pressões dos bancários, através de diversas mobilizações, e assumiu o compromisso de colocar portas de segurança em todas as suas agências até o dia 27 de agosto, conforme comunicado do dia 27 de junho. Em abril o Bradesco também assumiu postura semelhante, por conta da mobilização dos bancários e se comprometeu a instalar esses equipamentos de segurança em suas agências, até o final de julho deste ano. trocando em miúdos

participação de mais de 130 dirigentes sindicais de todo país. Dentre eles, Genário Moreira Lima, o nosso representante. "Foi uma emoção e uma responsabilidade muito grande contribuir para a formatação final da pauta específica do banco que trabalho", revelou.

06

A máxima "faça o que eu digo, mas não diga que mandei" continua a todo vapor na Caixa Econômica Federal, através das "Vendas Casadas". A prática consiste em se induzir os clientes a adquirirem produtos que não necessitam e não sabem os seus custos. A maior incidência dessa prática espúria ocorre na Carteira de Habitação e no Setor Empresarial. E isso tudo ocorre na Caixa, que se diz "O banco que acredita nas pessoas". Mas será que as pessoas acreditam na Caixa?


junho de 2013

Sindicato cobra solução do BNB para a situação dos descomissionados O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcos Henriques, acompanhado do diretor Robson Luís e do vicepresidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT ) e coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB), Carlos Souza, foram recebidos pelo superintendente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), José Maria Vilar, no dia 27 de junho, naquela superintendência. Em pauta, a questão dos recentes descomissionamentos ocorridos no banco público Segundo o presidente do SEEB – PB, aqui na Paraíba a reestruturação do BNB provocou o descomissionamento de 10 bancários. A medida injusta e desrespeitosa afetou a autoestima dos bancários atingidos. “Foi uma surpresa bastante desagradável. Além do número de descomissionamentos ser cinco vezes superior ao que havia sido comunicado, as vítimas da medida cruel não foram devidamente alocadas em agências, em cargos que lhes proporcionasse manter o mesmo poder aquisitivo, conforme fora anunciado pela direção do Banco”, ressaltou Marcos Henriques. Os representantes dos bancários deixaram claro que os funcionários da Cenop, CRO e Recuperação de Crédito também merecem tratamento adequado e respeitoso, mesmo que tais setores não sejam vinculados à superintendência estadual. O superintendente José Maria Vilar ouviu a representação dos bancários e acatou suas reivindicações com serenidade, se

comprometendo em viabilizar uma reunião entre os descomissionados e a diretoria do Sindicato, com o objetivo de apontarem uma solução para o problema dos bancários vítimas da reestruturação. Carlos Souza, vice-presidente da Contraf-CUT e coordenador da CNFBNB, se disse ciente da necessidade do Banco do Nordeste se adequar ao mercado mas defendeu os interesses dos bancários. “O BNB realmente precisa se adequar ao mercado e, para tanto, necessita se reestruturar. Entretanto, as mudanças necessárias devem levar em conta o respeito aos funcionários e poupá-los de prejuízos decorrentes da reestruturação”, concluiu.

EDITAL ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS DA PARAÍBA, inscrito no CNPJ/MF sob o nº. 09.371.105/0001-21, Registro sindical nº 10.899/41, por seu presidente abaixo assinado, convoca todos os empregados de financeiras da base territorial deste sindicato, para a Assembleia Geral Extraordinária, que se realizará dia 03 de julho de 2013, em primeira convocação às 18:00 horas e em segunda convocação às 18:30 horas, no endereço à Av. Ministro José Américo de Almeida, 3100 - Tambauzinho, João Pessoa – PB, para discussão e deliberação acerca da seguinte ordem do dia: Ÿ 01 Discussão e deliberação sobre aprovação da minuta de reivindicações da categoria dos financiários 2013/2014, inclusive sobre participação nos lucros e resultados para o exercício de 2013 e eventual convenção coletiva aditiva; Ÿ 02 Autorização à diretoria da entidade para realizar negociações coletivas, celebrar convenção coletiva de trabalho, inclusive de PLR, bem como convenção coletiva aditiva e, frustradas as negociações, defender-se e instaurar dissídio coletivo de trabalho, bem como delegar poderes para tanto; Ÿ 03 Deliberação sobre desconto a ser feito nos salários dos empregados em razão da contratação a ser realizada;

Justiça manda Banco Daycoval reintegrar bancária com doença ocupacional No dia 21 de junho a Justiça do Trabalho acatou o pedido de liminar e determinou a reintegração de Deyse Priscilla Holanda Costa ao Banco Daycoval. A bancária também foi contemplada com a reativação do plano de saúde, sob pena de multa diária de R$ 1.000 em caso de descumprimento da medida judicial. O advogado Marcelo Assunção comenta a atuação positiva do judiciário paraibano. “Felizmente a Justiça vem se posicionando favorável aos trabalhadores vítimas de doenças ocupacionais”, ressaltou. Para o diretor do SEEB – PB, Raimundo Nonato, a reintegração é mais uma vitória da categoria profissional. “Vibramos quando a Justiça barra a ganância dos banqueiros e devolve os empregos aos bancários que eles adoecem”, concluiu.

João Pessoa- PB, 28 de junho de 2013. Marcos Henriques e Silva Diretor Presidente

07

trocando em miúdos


junho de 2013

esporte, cultura e lazer

VI Arraiá da Capitá repete o sucesso das edições anteriores O Sindicato dos Bancários a Paraíba promoveu mais um São João dos Bancários, o tradicional Arraiá da Capitá, como foi carinhosamente denominado o evento. A sexta edição da festança aconteceu no ginásio de espores do Sindicato, no dia 7 de junho, com a animação de Assisão & Banda e João Neto & Ripa na Chulipa. A festa foi tranqüila e bastante animada. O bancários, familiares e convidados vararam a madrugada ao som de duas conceituadíssimas atrações. Os amantes da boa música nordestina mostraram muita disposição e vararam a madrugada no arrastapé. Sorteios – Conforme foi amplamente divulgado, entre a apresentação de uma banda e outra a diretoria do Sindicato sorteou vários exemplares do livro A Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr., aquecendo o público para o último sorteio da Campanha de Filiação: uma viagem à paradisíaca ilha de Fernando de Noronha. E o grande sortudo da noite foi o bancário do HSBC, Agenor Neto, que vai a Fernando de Noronha, com direito a acompanhante e por conta do Sindicato. Abaixo, os ganhadores do livro A Privataria Tucana, que foi lançado o ano passado aqui no SEEB-PB. No destaque, o sortudo Agenor Neto.

Luto no Bradesco Nacional dos Bancários, que vai acontecer em São Paulo – SP, de 19 a 21 de julho. A Conferência Nacional é o fórum maior de deliberação da categoria, onde será finalizada a pauta definitiva a ser entregue aos representantes dos bancos.

Em assembleia específica, realizada no auditório do Sindicato dos Bancários da Paraíba, no dia 26, foram escolhidos os delegados à II Conferência Regional da Fetrafi-NE (Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Nordeste), a realizarse de 5 a 7 de julho, em Maceió – AL. No evento, vão ser discutidas as prioridades dos bancários do Nordeste a serem levadas à 15ª Conferência trocando em miúdos

08

A diretoria do SEEB-PB se une à família Bradesco nesse momento de tristeza pela perda de mais um v a l o r o s o companheiro de lutas. Alan Daives Nunes de Sousa se foi prematuramente, no dia 16 de junho, deixando uma saudade enorme daquela alegria contagiante que lhe era peculiar. Nossos pêsames à família enlutada.


Trocando em Miudos - Edição 547