__MAIN_TEXT__

Page 1

Feliz Dia das

ediÇÃO 36 | ANO 6 | abril 2016 | www.CDLjp.COM.Br

Mães!

Veja como vai funcionar o mercado imobiliário de João pessoa em 2016

Como uma empresa deve gerenciar as crises nas mídias digitais Previdência Privada: organize suas finanças pessoais


Índice 04 |

Está generalizado quando mantenho contato com nossos companheiros, a palavra “crise”, acrescida de que as vendas estão abaixo do esperado. Simultaneamente, nos chega a notícia do fechamento de vários estabelecimentos que, por não estarem atingido as metas previstas e com custo fixo que não tem como reduzir (pessoal, encargos, energia, água, telefone, para exemplificar alguns) nos leva realmente a crer que estamos atravessando um processo de recessão. No entanto, um alento para os persistentes, está chegando o dia das mães. Depois do Natal/Ano Novo, esta é a data que sempre o comércio atinge picos. Filhos, netos e afins, todos desejam homenageá-la. Tenho absoluta certeza, de que as vendas no período crescerão. Seja otimista e um Feliz dia das Mães!

Eronaldo Maia Presidente da CDL-JP

CDL em Foco

08 |

Como está seu modelo de negócio?

14 |

O Mercado Imobiliário de João Pessoa

16 |

Legislação das Food Trucks em João Pessoa

Presidente Eronaldo de Vasconcelos Maia Vice-Presidente Nivaldo Lins Vilar Secretário José Rolim de Freitas Diretor Financeiro Jurandir Guedes de Vasconcelos Vice-Diretor Financeiro Pedro Alves Cruz Diretor do SPC Lindenbergh Vieira da Cunha Diretor de Promoções Emanuel Marinho de Medeiros Diretor Social Roberto Germano Bezerra Cavalcanti Diretor de Patrimônio Romualdo Farias de Araujo Diretor de Marketing Lourival Batista Cabral Conselho Fiscal Judite Pereira de Farias José Madruga Bezerra Cavalcanti Jr. Celso Aparecido da Silva José Antonio do Nascimento Otoni Aires Faria Sergio de Miranda Freire Superintendente Antônio Carlos Ribeiro Jornalista Responsável Georgina Luna DRT: 38368 Diagramação e Projeto Gráfico Gabriela Lemos www.gabrielalemos.com | lemosgabriela13@gmail.com Capa Gabriela Lemos

Os artigos de opinião são de inteira responsabilidade doscolaboradores que os assinam, não expressando necessariamente o pensamento da CDL João Pessoa


‘Almoço do Varejo’ discute mobilidade urbana no Centro de João Pessoa A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de João Pessoa realizou em fevereiro, mais uma edição do seu institucional “Almoço do Varejo”. O evento teve como palestrante o superintendente da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), Carlos Batinga. Na ocasião os lojistas puderam conhecer e discutir

Parceria CDL-JP e Lappan Comunicação Visual Com o intuito de proporcionar vantagens aos associados da Entidade, a CDL-JP firmou mais uma parceria. É com a Lappan Comunicação Visual, que vai ofertar 15% DE DESCONTO, nos serviços prestados. 4 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016

detalhes do projeto de Mobilidade Urbana para o Centro de João Pessoa. Estavam presentes aproximadamente 30 empresas que possuem lojas no Centro, como foi o caso do Shopping Tambiá, Armazém Paraíba, San Remo e Casa Pio. Para o presidente da CDL-JP, Eronaldo Maia, essa é uma oportunidade para um diálogo sobre o tema.

“Ao longo destes últimos anos a cidade de João Pessoa, principalmente o Centro, passou por diversas mudanças com o objetivo de melhoria no trânsito. Portanto este momento é de grande importância para que os empresários possam discutir e levar as suas sugestões”.


CDL João Pessoa comemora 50 anos de história Há 50 anos nascia a CDL João Pessoa. Para comemorar essa data histórica para a Entidade e para o comércio varejista da capital foi realizado no último dia 26 de fevereiro um jantar onde estiveram presentes a diretoria da CDL, os sócios-deliberativos, colaboradores, autoridades e representantes de setores do comércio e serviço. Durante a ocasião, também foram realizadas homenagens para algumas pessoas, entidades e autoridades que fizeram parte da história da CDL: como os ex-presidentes, representados pelos empresários Lindenbergh Vieira da Cunha, Jurandir Guedes de Vasconcelos, Severino de Assis Junior e Geraldo Gomes de Lima, o prefeito de João Pes-

soa Luciano Cartaxo, o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas Honório Pinheiro, o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas da Paraíba José Lopes da Silva Neto, o empresário e ex-senador Roberto Cavalcanti, diretor-presidente do Sistema Correio de Comunicação, o presidente da Fecomércio Marconi Medeiros, o presidente da Associação Comercial da Paraíba Romualdo Farias e a empresa Magazine Luiza, e os colaboradores mais antigos, Antônio Carlos, superintendente e Suely Gomes, gerente financeira.

Roberto Cavalcanti, Eronaldo Maia, Luciano Cartaxo e Honório Pinheiro (presidente da CNDL).

Presidente da CDL-JP, Eronaldo Maia

Presidente da FCDL, José Lopes

Colaboradores da CDL-JP sendo homenageados pela Diretoria

Ex-presidentes recebendo homenagens 5 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


Rápidas

Como os brasileiros consomem mídia no Brasil A televisão segue como o principal meio de penetração nos lares brasileiros, com uma diferença: 37% das pessoas dá atenção a ela e a internet ao mesmo tempo. Entre os telespectadores, cresceu 77% o número dos que pagam para assistir canais a cabo no país, de 2010 para 2015. A maior parte deles é da classe A e B e tem entre 25 e 44 anos. Essas mudanças de hábitos estão no estudo Target Group Index, da Kantar IBOPE Media, sobre o consumo e tendências de produtos, serviços e mídia dos brasileiros.

Reformar a casa e comprar um automóvel: principais desejos das mulheres em 2016 A pesquisa avaliou os interesses de consumo das brasileiras e mostra que reformar a casa e comprar um carro ou moto são os principais desejos dessas mulheres para esse ano, com 30,4% e 24,2% das respostas. Também aparecem na lista tratamento dentário (22,0%) e cursos ou faculdade (20,1%). As principais fontes de satisfação das entrevistadas são os filhos (47,9%), viajar (33,1%), os animais de estimação (27,9%) e fazer compras (26,3%). Já as fontes de stress são a falta de dinheiro (63,7%), a aparência física (34,4%) e dívidas pendentes (28,1%). Nestes momentos de stress, a meditação ou oração é a atitude mais comum (46,0%) usada como compensação para se sentir melhor, seguida pela comida (24,9%) e fazer compras (22,0%).

79% dos consumidores não sabem ao certo o que é estar endividado, diz SPC Brasil Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 37,5% dos consumidores se consideram endividados no momento – um aumento expressivo em relação ao ano passado (27,8%). Porém, o estudo revela que 79,0% dos entrevistados têm uma noção errada sobre o que é estar endividado. Para quase metade dos consumidores entrevistados (46,7%), estar endividado significa ter contas atrasadas, e três em cada dez (30,6%) afirmam que é ter o nome registrado em entidades de proteção ao crédito. Apenas 20,2% dos consumidores compreende o significado real: uma pessoa endividada é aquela que possui parcelas a vencer de compras ou empréstimos.

6 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016


DIREITOS TRABALHISTAS DAS MÃES A empregada gestante necessita de cuidados especiais e maior proteção no trabalho tendo em vista o seu estado gravídico, fazendo jus a garantia de emprego pra que não corra risco de ser dispensada no período de gravidez, dentre outros direitos que estão protegidos constitucionalmente e na vasta legislação trabalhista. Durante o período de gravidez, a CLT prevê em seu § 4º, inciso II do art. 392, que a empregada gestante poderá se ausentar no mínimo por 6 vezes pra submeter-se a consultas médicas e demais exames complementares. Sempre que precisar consultar com o médico é direito da gestante se ausentar do emprego mediante a apresentação de atestado médico. Caso a empregada gestante desempenhe função que coloque em risco a sua saúde ou a da criança, poderá solicitar que durante a gestação exerça outro cargo na empresa que seja compatível com as suas limitações. Ao término da licença-maternidade, o emprego original deve estar garantido, voltando a empregada ao cargo anteriormente ocupado. No tocante a estabilidade, prevista no ar. 10, II, “b” do Ato das Disposições Transitórias da Constituição Federal, a empregada gestante não poderá ser dispensada desde a confirmação da gravidez até 5 meses após o parto. Mesmo que no momento da dispensa a gestante e o empregador desconheçam da gestação a garantia de emprego subsistirá e a empregada terá o direito de ser readmitida. Esse mesmo direito também valerá para a empregada que engravidar durante o período de aviso prévio, pois o vínculo empregatício só se encerra ao final desse período. Em alguns casos, a empresa opta por pagar uma indenização relativa ao período de estabilidade, para não ter de readmitir a empregada. Além da estabilidade no emprego, a gestante também terá direito a uma licença- maternidade de 120 dias, pre-

vista no art. 392 da CLT. Essa licença deve ser iniciada até 28 dias antes do parto, mas quem decide qual o momento certo para começar será o médico. A maioria das mulheres deseja trabalhar até o mais próximo possível do parto, mas tudo dependerá do seu estado de saúde e da criança. Caso o parto seja realizado antes da data prevista, a partir desse momento se iniciará o período de licença. Vale ressaltar que o saláriomaternidade de 120 dias é direito de todas as mães, mesmo em caso de adoção, independentemente da idade da criança ou adolescente. Para os casos de ganho de guarda judicial, a pessoa também tem direito aos 120 dias. Em situação extrema, quando a mulher falece no parto, por exemplo, a licença passa a ser usufruída pelo pai da criança, no mesmo período. Existem algumas empresas que participam do programa Empresa Cidadã. Nesses casos, se o estabelecimento se encaixar nos requisitos estabelecidos pelo regulamento, a mulher pode ter 2 meses de licença-maternidade, além dos 120 dias. Em troca, a empresa tem um desconto no recolhimento

de impostos, equivalente ao valor pago à gestante nestes 60 dias extras. Antônio Carlos Ribeiro e Ana Adelaide Vasconcelos – Advogados CDL – João Pessoa.

7 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016


Não está vendendo? O problema pode estar no seu modelo de negócio!

É

normal em momentos de crise, grande parte dos lojistas reclamarem das quedas nas vendas em quase todos os segmentos do comércio, devido ao aperto econômico que passa o país e uma grande parcela da população. Mas, quando essa retração nas vendas é maior do que a média registrada pelo mercado, é possível que o seu negócio ou mais precisamente o seu modelo de negócio possa estar relativamente saturado. E o que vem a ser o modelo de negócio? Em tese, o modelo de negócio é a forma como uma empresa entrega ou gera valor para o mercado, tendo como foco principal o cliente a ser alcançado. Grande parte dos lojistas brasileiros, inclusive os paraibanos, adotam formas convencionais de vendas, no qual escolhe um determinado segmento, investe no ponto em que abrirá a loja, e em seguida formaliza a empresa e adere ao formato já consagrado do mercado, sem se preocupar de fato com o modelo de negócio mais apropriado para o tipo de empreendimento que se propôs a abrir. Uma proposta de valor bem estruturada que geralmente obtém sucesso, se preocupa fundamentalmente em criar valor para um segmento de clientes específicos, seja ele grande ou pequeno oferecendo um diferencial em meio à concorrência existente. Você deve está se perguntando: Como posso criar ou mudar meu modelo de negócio para que minha empresa se torne atrativa para o mercado e com isso aumente minhas vendas? Existem inúmeras maneiras de fazer isso, vou citar apenas duas. A

8 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016

primeira atitude a se tomar é não fazer as mesmas coisas que os outros fazem, ou em certos casos, não acreditar no que os outros acham que é verdade. Isso pode parecer óbvio, mas, via de regra, quase ninguém faz. A Apple, proprietária dos consagrados IPhone e IPad, não é a empresa mais valiosa do mundo por acaso. Ela investiu em um modelo de negócio inovador na década passada, no qual desenvolveu uma plataforma de venda de música pela Internet chamada ITunes, quando todo mundo já não acreditava que seria possível comercializar músicas pela Internet com tanta facilidade. Sabe no que deu? A Apple hoje é a maior empresa de comercialização de músicas online do mundo e seu modelo de negócio se consolidada a cada dia. Se ela tivesse acreditado no que os outros achavam, ou se tivesse ido junto com os demais, não estaria no patamar que se encontra hoje. Em certos casos, o mais correto a se fazer é empreender em algo que os outros não acreditam mais, porque por trás de uma percepção equivocada do mercado pode existir um grande mercado consumidor. Outra maneira que você pode aumentar as suas vendas é ampliar público do seu negócio, como a indústria de brinquedos LEGO fez. Ela percebeu que a procura por brinquedos de montar havia caído consideravelmente em meados dos anos 2000, devido ao advento dos jogos eletrônicos. Ao invés de lutar contra a maré, ela resolveu inovar em seu modelo de negócio, e ampliou o leque de produtos para atrair novos consumidores. A companhia desenvolveu uma plataforma em seu site que o cliente pode criar seu

próprio LEGO da forma que ele bem entender, e em seguida comprar o brinquedo que ele mesmo criou. Dessa forma a LEGO ampliou seu mercado consumidor fazendo com que novos clientes, que antes não eram atendidos pelo modelo original da empresa, virassem clientes da marca, sem perder os antigos clientes. Nos dois casos, a inovação no modelo de negócio foi dentro do mercado que eles já atuavam. Em geral buscaram algo novo no mercado, mas que pudesse agregar ao modelo antigo, sem fugir das características originais que as consagraram. Qualquer lojista também pode buscar algo que tenha a ver com o seu negócio e adotar um modelo inovador que possa levar um diferencial para seu o consumidor e ampliar suas vendas dentro do mercado que já atua, basta estudar esse mercado e observar suas demandas.

Werton Oliveira,Economista, Mestre em Economia, Professor de Empreendedorismo


Aprenda a usar o Marketing Sustentável e otimize a imagem de sua organização!

A

o contrário do que muitos pensam o marketing não serve apenas para tentar convencer os clientes para compra. Na verdade, a compra, é apenas uma das consequências das ações de marketing. E vai muito além, pois é um conjunto de técnicas para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que têm valor (no sentido de importância) para os consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral. Deve ser por isso, que a cada dia surge uma nova forma de direcionar e aplicálo. Uma destas formas é o enfoque para a sustentabilidade, ou seja, Marketing Sustentável. Este, por sua vez, direciona os esforços organizacionais para a sustentabilidade, devido ao fato de que os consumidores da atualidade se preocupam com a situação do ecossistema, necessitam e desejam produtos que garantam melhores condições para o planeta. Sendo assim, a gestão de produtos ecoeficientes auxilia na sustentação do planeta e passa a fazer parte do alicerce de sucesso e diferencial competitivo de qualquer negócio, independente do porte e setor.

Marketing Sustentável

A organização deve planejar estrategicamente suas ações de marketing com o objetivo de compreender e agregar valor na imagem e ter boa reputação aos olhos de seus clientes, não só de forma econômica, mas também ambiental e social em relação ao Produto, Preço, Produto e Promoção, os 4 P’s de Marketing. Abaixo indicamos algumas dicas práticas de como usar o Marketing Sustentável:

Preço – embora seja, provavel-

mente, o ‘P’ mais delicado de se trabalhar, ainda assim, pode-se fazer e evidenciar acordos estratégicos com

fornecedores e parceiros que trabalham com o objeto da sustentabilidade. Desta forma, será possível oferecer produtos e serviços que se encaixem no padrão aspirado, visto que alguns clientes, em uma quantidade cada vez mais crescente, pagarão mais por produtos e serviços que contribuíam para sustentabilidade.

Produto – um bom exemplo de ação de marketing sustentável aplicado a produtos, é utilizar e serviços e embalagens que zelem pelo meio ambiente e que possam ser recicladas/reutilizadas e, que comprovem a responsabilidade socioambiental da

Ponto de venda – neste caso, se faz necessário avaliar todos os processos gerenciais, de produção e de logística dos produtos e serviços, de modo geral. O objetivo principal é analisar o que pode ser feito para que o ponto de venda seja cada vez mais sustentável. A utilização de equipamentos que consumam menos energia, a venda por internet que provoca e ameniza a poluição, uma vez que os clientes não necessitarão se deslocar de carro até o ponto de venda. Além disto, também pode ser utilizada a luz natural que está disponível de modo amplo. Estas são algumas estratégias que ajudam o ponto de venda se tornar mais sustentável. Um ‘P’ pouco ou nunca mencionado, é o de Pessoa, este, por sua vez, é o mais importante de todos, pois sem as pessoas certas, competentes, qualificadas e alinhadas a missão (razão de existir) e visão (onde deseja chegar) da empresa, nenhum dos outros P’s serão eficazes e não surtirão efeito.

organização.

Promoção – não perder a oportunidade de reduzir a utilização de papel e outros meios que poluem e divulgar/comunicar produtos e serviços que promovem menos impactos negativos ao meio ambiente, é uma ótima estratégia de promoção (elevar o conceito e imagem da organização). Deve-se utilizar mais as ferramentas não (menos) poluentes de comunicação (divulgação). A exemplo, a internet e as redes sociais, mensagens por meio do SMS, do inglês: Short Message Service, E-mails e divulgação por meio do rádio, entre outros do tipo.

Fábio Ferreira Mestre, professor, consultor e palestrante em gestão, estratégia e desenvolvimento empresarial e pessoal. fabio.silva@fpb. edu.br / (83) 98831-3191 9 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016


Inovar é Preciso:

O

Então, desenvolva a sua PVI!

profissional de vendas que deseja alcançar o sucesso sabe que repetir estratégias, significa ter os mesmos resultados ou, ainda, ter resultados menores. No mundo onde a palavra de ordem é velocidade, não se permite mais a ausência da inovação, pois é ela que reinventa o processo da venda. Diante disto, vem a inevitável indagação: quando foi a última vez que você atualizou os seus procedimentos para aumentar as suas vendas? Por mais paradoxal que seja comumente as respostas são muitas: Para que fazer isto? Não tenho tempo para isto; isto não funciona; isto é tolice, e por aí vai. Fique atento para a história verídica que contarei agora e que a conto em minhas palestras pelo Brasil. Quando demoro a vir em casa por motivo de trabalho, a minha família vai encontrar comigo para passarmos o fim de semana na cidade onde estarei proferindo palestra. Em uma bonita noite de sábado, estava eu, a minha esposa e minhas três filhas em uma mesa aguardando a chegada de nosso pedido (um restaurante de hotel na calçada de uma linda praia em Fortaleza), quando se aproximou uma criança, um menino de uns 10 anos de idade, com um cesto de rosas oferecendo-nos para comprarmos alguns botões. Ressalto que isto ocorria mais ou menos perto de 23h00min 10 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016

horas. Disse-lhe que não queria (nunca sabemos qual o fim daquele dinheiro, às vezes até caracteriza trabalho infantil). Mais alguns poucos minutos, a cena se repetia com outras três crianças com a mesma média de idade e dei-lhes a mesma reposta: não quero rosas filho (a), obrigado! Todavia, já angustiado com a situação, por meio de minha visão lateral, aquela que você não precisa olhar frontalmente para saber que algo está acontecendo ou vai acontecer, notei que se aproximava uma menina com mais um cesto de rosas e, parando de meu lado, contou, em voz alta, uma, duas, três, quatro mulheres e olhando para mim, perguntou-me: “eu quero saber se o senhor vai deixar passar a oportunidade de comprar estas rosas para estas lindas mulheres que estão em sua mesa”? Quase que instantaneamente, a minha esposa fechou negócio e não compramos apenas quatro botões, mas os dezenove que ainda restavam naquele cesto. O nome daquela criança, Rosana. A sua idade, 11 anos. O nome de sua técnica: PVI, proposta de venda inconfundível que, se ela com apenas essa idade tinha a sua, não tenho dúvidas, que vocês meus caros leitores e profissionais de vendas, também têm a de vocês. Aquela criança esvaziou o seu cesto de botões porque detinha uma incrível forma de vendas. Lembre-se que a diferença entre um

profissional bem sucedido de um mal sucedido não está no que eles fazem, mas na forma como fazem o seu trabalho. Então, desenvolva a sua PVI, inove a sua forma de vender e venda mais! Conheça a forma de atendimento de outros segmentos e traga novidades para o seu. (isto vale para o negócio e para o profissional); Por último, urgentemente, analise o que, em você e em seu negócio, deve ser melhorado e se dê um prazo audacioso para isto ocorrer e lembre-se: a palavra do ano será DISCIPLINA! Como bem disse Darwin, não são os mais fortes nem os mais inteligentes que sobrevivem, mas os que se adaptam melhor as mudanças.

Gonçalo Pontes Consultor e Palestrante, (MBA) – Em Gestão Empresarial twitter: @pontesgoncalo | www.gpontes.com


Gerenciamento de crise nas redes sociais. O que fazer? Gerenciar a marca no meio digital é sem dúvida uma das maiores preocupações atualmente. Todo o trabalho de valores e relacionamento que foram construídos ao longo do tempo através dos meios tradicionais e do contato presencial no PDV é ampliado nas redes sociais. A partir do momento que uma marca assume o seu espaço online, também precisa compreender que a dinâmica é proporcional às características do meio. E muitas vezes esse poder é subestimado. Quando um cliente que está no PDV tem algum problema ou algum tipo de insatisfação, o profissional tem a oportunidade de rapidamente buscar reverter a situação. O contato físico, o ouvir, a presença de um gestor que responda de maneira mais efetiva à marca, são características que nos dão mais segurança, já que estamos em nossa zona de conforto. Outro ponto importante é a amplitude do ocorrido. Fisicamente, a situação se torna mais isolada e fácil de ser administrada quando a gestão de crise é praticada da maneira correta. Mas quando essa insatisfação ou questionamento acontece em uma rede social, a dimensão foge das barreiras tradicionais e impacta milhares de pessoas. O desafio é mostrar a capacidade da marca em lidar com a situação. Ter uma resposta positiva e clara, não passa de uma obrigação de um bom gestor de mídias sociais. Em primeiro lugar, é preciso ficar claro que as crises nas mídias sociais são inevitáveis. Seja por falta de entendimento sobre o produto, serviço, posicionamento da marca ou por um problema qualquer na relação de consumo, as crises nas redes sociais fazem parte do desafio. Cada rede social que sua empresa escolher atuar, vai ser sempre um canal de comunicação. É importante que cada empresa crie um plano 12 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016

de ação para administrar as situações de crise mais comuns. O primeiro conselho é resolver antes de cresça, eliminando o foco do problema o mais rápido possível. No meio digital, não existe deixar para depois. Quanto mais tempo sem resposta, o caso será ampliado e pode ser percebido como descaso. Por isso, o tempo será sempre seu melhor aliado. Responder rápido é fundamental, mas também não quer dizer que deva agir de forma precipitada.

Três dicas que podem ajudar a gerenciar sua marca no meio digital:

permitem que você identifiquem possíveis alertas ou oportunidades, além de acompanhar os seus concorrentes.

Estar disposto a responder às críticas Quando encontrar alguém falando mal da sua empresa, resolva o problema o mais rápido possível. Caso tenha cometido um erro, peça desculpas, reconheça o erro e ofereça uma alternativa para reverter. Assim, você vai demonstrar que se preocupa com o seu cliente e está ouvindo ele onde quer que seja. Essas respostas não precisam ser duras e impessoais. Quanto mais próximo e criativo, mais você dará a chance do seu cliente te enxergar. O meio digital trouxe inúmeras possibilidades do cliente se expor, falar, dar opinião e sugerir abertamente. Reverta isso ao seu favor, faça dele um membro da sua empresa, um seguidor ativo e participativo.

Construir e proteger a imagem da marca Após garantir seu espaço e participação no meio digital, trabalhe diariamente pela construção da imagem da sua marca. Identificar o seu público, conhecer os desejos e observar o comportamento, vão garantir que você desenvolva um conteúdo cada vez mais assertivo.

Monitorar o que as pessoas estão falando Fique sempre atento aos perfis em que você atua, as pessoas podem falar da sua empresa. Existem diversas maneiras de monitorar as citações que são feitas, muitas delas gratuitas que

Germana Samara - Publicitária, com 10 anos de atuação no mercado, professora de Publicidade e Propaganda Tem especialização em marketing e mídias digitais


Liderança Coaching nas Empresas! Havendo oportunidade de duas pessoas, ou mais, se reunirem com um propósito, há uma chance de exercer liderança. Ser influente sobre os outros é a essência da verdadeira liderança. Estar disponível para todos requer uma enorme doação pessoal. É uma pena que a maioria dos cargos de liderança assuste as pessoas por causa do grande esforço necessário. Você pode até gerenciar a se mesmo, mas, você não gerencia seres humanos, gerencia coisas e lidera pessoas. Para ser um bom líder é preciso ter aptidão para tal. Estar disposto a encarar suas próprias limitações e medos, bem como agir de forma imparcial com seus liderados e dando o exemplo, como forma de adquirir confiança e respeito da equipe. Na implantação da liderança Coaching nas empresas, há que se observar os seguintes pontos: é necessário ter um desejo verdadeiro de ajudar os outros a conquistarem o sucesso; ter consciência da necessidade de uma relação de confiança mútua entre as pessoas; ter foco sobre a pessoas e seus desafios e a sua necessidade de resolver tudo para os outros; desejo sincero de realmente ouvir o que os outros estão a lhe dizer; possuir crença profunda de que o capital humano é o ativo mais importante que uma empresa possui; confiança: para conquistar confiança de alguém é preciso também confiar. Algumas pesquisas apontam que os motivos principais que levam os talentos a saírem das empresas dizem respeito à falta de reconhecimento dos resultados pelos líderes e a insatisfação com a empresa, enquanto as

questões relacionadas às políticas salariais encontravam-se muito abaixo das demais. Reconhecimento é essencial, e o líder é quem tem esse papel, reconhecendo o esforço e fazendo questão de compartilhar o mérito com toda a equipe. Sendo assim, o líder Coach é, acima de tudo, aquele que proporciona desenvolvimento antes de cobrar performance. No Coaching, existe uma forma estruturada de trabalhar o time, sugerido pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), denominado Team Coaching. Consiste em etapas que fortalecerão o trabalho em equipe: 1. Etapa de Reflexão, onde haverá o Coaching Education, para haver uma reflexão sobre o processo e seus benefícios. Nesta fase há a intensão de atrair, agregar a pessoas e fazê-las confiar no processo; 2. Etapa de Preparação, onde será coletada a visão do grupo, necessidades individuais, quais as metas a serem trabalhadas e o plano de ação para que tudo se realize, havendo a necessidade de um compromisso coletivo, através de mudanças comportamentais, sem as quais será pouco provável o sucesso de todos; 3. Etapa de ação, onde se dará o desenvolvimento do plano, monitoramento e avaliação dos resultados individuais e coletivos. 4. Por fim, a etapa de manutenção, que deverá ser patrocinada pelo líder, mas com compromisso de todos, garantindo a constância dos propósitos.

Indagações básicas para se tornar um Líder Coach (Fonte: IBC): 1. Qual a qualidade de sua relação com a equipe? Numa escala de 0 – 10, qual é a nota que você se dá no quesito relacionamento com sua equipe? 2. Você e a equipe têm metas em comum? Como você sabe? Quais as ações que confirmam sua percepção? 3. Quais decisões e atitudes você mais tenta adiar? Que prejuízos isso traz para a equipe/ empresa? 4. Como um líder falho, qual o momento de sua vida que, se você pudesse, voltaria no tempo e faria melhor? 5. Você dá feedback continuamente aos seus liderados? Sabe a forma correta de abordá-los?

Maurício Guimarães- Master Coach e Consultor empresarial 83-99169-9707 – contato@appoioconsultoria.com.br 13 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016


Mercado Imobiliário em João Pessoa 2016! Como está o mercado para este ano?

M

esmo vivenciando a “crise”, o mercado imobiliário – MI está em alta, tenho plena convicção que esse é o melhor momento para comprar imóveis, seja para investimento ou moradia, tendo em vista a queda no preço dos imóveis na hora da negociação que pode chegar ate 30% do valor oferecido. A dica para quem quer apenas investir é: não invista em imóveis adquirindo com um financiamento em longo prazo devido a inflação. Mas se o imóvel for para comprar para morar, a dica é: mesmo que seja adquirido através de financiamento, sim, compre logo e aproveite as ofertas, o corretor de imóveis saberá onde estão e como adquiri-las!

Algumas vantagens de fechar negócio agora: • Inflação “reduz” a fatia do salário destinada ao financiamento – isso porque o financiamento é contratado com uma taxa fixa, que costuma representar um terço do salário; • Usar FGTS no imóvel é melhor do que deixá-lo parado – usar o fundo na compra vale mais do que deixá-lo parado, a decisão deve se mostrar ainda mais acertada no longo prazo, depois que o mercado imobiliário tiver superado o 14 - O Lojis ta | CDL - JP | ABRIL 2016

$ atual momento de desaleceração; • Há melhores condições de negociação – não tenha vergonha de oferecer menos do que o proprietário (a) ou construtor (a) pede, o pior que pode acontecer é ouvir um não como resposta; • Aproveite antes que os preços subam – crises não duram para sempre, dificilmente haverá um outro boom nas proporções passadas, mas o inverso preços caindo até 30% em um ano é igualmente improvável;

• Os custos se diluem no tempo – De qualquer forma, a decisão depende de haver a intenção do comprador de permanecer no imóvel por, no mínimo cinco anos. Para períodos mais curtos, alugar é uma boa alternativa.


Construções Paradas Com relação à Paraíba e em especial João Pessoa, estamos passando por uma fase muito boa no setor imobiliário, desenvolvimento no turismo, e com isso nosso Estado está sendo oferecido em outros países, principalmente na Europa e Ásia. Não vejo construções paradas e sim, uma grande oportunidade para quem quer comprar imóveis, basta olhar os arranha-céus (espigões) nos bairros do Bessa, Manaíra, Altiplano, Cabo Branco, Bancários e até em bairros mais populares como Valentina e Mangabeira que estão sempre em alta.

Taxa de Retorno Mesmo tendo esse direito adquirido a moradia no

$

Art 6º da CF/88, fica mais difícil a cada dia os financiamentos bancários por muitos motivos, por exemplo: burocracia! Financiamentos com os bancos estão mais caros e os juros subiram muito, as prestações estão subindo devido a inflação e fica complicado pagar. Com relação as devoluções dos imóveis comprados aos bancos credores, tivemos um aumento de 30% só esse ano, em 70% dos casos, as pessoas desistiram porque não tinham dinheiro para pagar as prestações, e as parcelas intermediárias.

Dicas para quem quer comprar um apartamento 1. Procure sempre um corretor de imóveis, ele é um profissional qualificado para fazer toda a intermediação levando ao cliente os conhecimentos devidos e mais segurança para uma boa negociação e tranquilidade na hora de fechar o negócio. 2. Exija que seu corretor de imóveis, cheque se

Comprar ou alugar O número de clientes para aluguel tem crescido

muito nos últimos meses, devido às grandes empresas que chegaram à Paraíba e estados circunvizinhos, tendo em Goiânia-PE a montadora de carros FIAT que, agrega muitos fornecedores e precisam que seus representantes estejam sempre por perto. Não vejo queda na compra de imóveis e sim, o mercado imobiliário está gradativamente voltando a sua realidade, mesmo assim, as vendas estão aquecidas na Paraíba até porque é público e notório os arranhacéus (espigões) sendo construídos nos bairros citados acima.

a construtora é idônea. 3. Exija que seu corretor de imóveis verifique a documentação do imóvel. 4. Não condicione a entrega do imóvel a algum compromisso. Cuidado com as propagandas de “parcelas baixas, que cabem no seu bolso” e Verifique se você tem crédito pré-aprovado no banco.

Por:LAMARCK LEITÃO 2º Vice-Presidente do CRECI-PB 21ª Região Corretor de Imóveis e Perito Avaliador 98825 3514 lamarckleitao@hotmail.com 15 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


Quer sua empresa bem divulgada numa revista segmentada para o varejo? Anuncie aqui na Revista O Lojista da CDL- Jo達o Pessoa! Contatos: (83) 3216- 3800/ 98812-0607 revistaolojista@cdljp.com.br

16 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


Aspectos das Legislações Sanitárias para Foods Trucks em João Pessoa. Com o aumento dos custos para o funcionamento de um serviço de alimentação convencional, como aluguel, impostos e demais burocracias, e, conciliando com o crescimento gastronômico atual na capital paraibana, alavancado pela introdução recente de cursos de gastronomia de nível superior, assim como ocorreu em outras capitais como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, etc, os “foods Trucks“ vêm sendo a sensação do momento, inovando e mostrando o que há de melhor da gastronomia sobre rodas a um custo mais atraente, porém, algumas informações são fundamentais para os que desejam enveredar nesse comércio, desde o projeto do veículo, com compra de equipamentos adequados, elaboração do cardápio, fluxo operacional do processo até o funcionamento do negócio, tendo em vista os regulamentos existentes, como os do Meio Ambiente, Bombeiro, Trânsito, Municipal e de Vigilância Sanitária, o qual, esse último será abordado aqui, devendo ser solicitado previamente a Autorização Sanitária do automóvel disposto para o comércio de alimentos no município em que ocorram as atividades em questão. A princípio, devemos mensurar as dimensões que o Food Truck terá e se o espaço será suficiente para as atividades de produção dos alimentos o qual se pretende obter, levando em consideração o armazenamento dos alimentos, das embalagens, louças, talheres e utensílios a serem utilizados na consumação dos alimentos, da área de manipulação e de realização das operações de higienização, de armazenamento e descarte dos resíduos, assim como, onde e quem realizará a função exclusiva de caixa, mesmo que todas essas operações sejam realizadas num único local, devendo está devi-

damente identificado e planejado para que não ocorra contaminação cruzada. Sobre o armazenamento de alimentos, devemos dar total atenção quando estes forem perecíveis, pois necessitam de condições apropriadas de temperatura, devendo quando a frio, encontrar-se abaixo de 5°C por no máximo 3 dias, protegido e identificado com etiqueta com designação do nome do produto/insumo, data de manipulação/fabricação e a validade; e se a quente, devem ser mantidos a temperatura cima de 60 °C por no máximo 6 horas, tendo em vista o risco de crescimento microbiano quando não atendido esse intervalo de temperatura, assim como, respeitar os aspectos de tempo e concentração de soluções de higienização dos hortifrútis. Tratando-se das embalagens, essas devem está em local protegido, de uso único (descartável) e específico para alimentos, sendo proibido o reaproveitamento de embalagens vazias de alimentos para outros usos, como exemplo garrafas PET; As louças e talheres devem está devidamente higienizados e protegidos, estando preferencialmente guardados em embalagens individuais (quando não descartáveis) e os utensílios e equipamentos, como tábuas de corte, facas, liquidificadores, etc, devem está em condições adequadas de conservação e higiene, sendo de uso exclusivo para os alimentos. Já na área de manipulação, geralmente o ponto mais dedicado pelos “Food truckeiros”, pois nesse é onde as habilidades gastronômicas serão expostas aos clientes, deve ser observada a distância dos alimentos em relação à aproximação dos consumidores, se as instalações, como móveis e equipamentos são projetados de material resistentes as repetidas higienizações, se

dispõe de água potável suficiente para todas as operações e se há espaço para locomoção dos manipuladores e para a completa e correta higienização das instalações, tendo também, iluminação suficiente para visualização de todas as operações realizadas. Sugiro também que os interessados estudem o Decreto-Lei n° 986/69 de 21 de outubro de 1969 que “institui normas básicas sobre alimentos”, tendo em vista o projeto de lei n°1353 de 2015 está em tramitação na câmara dos deputados para alterar esse Decreto-Lei incluindo os “Food Truck”, “Food Bike” e as “Barracas Desmontáveis”, assim como, investir em cursos de boas práticas de manipulação de alimentos e de gastronomia, para oferecer cada vez mais produtos diferenciados e competitivos, aumentando as

Maurício Guimarães- Master Coach e Consultor empresarial 83-99169-9707 – contato@appoioconsultoria.com.br 17 - O Lojista | CDL - JP | dezembro 2015


Divirta-se e veja lições de empreendedorismo em filmes consagrados Uma boa história serve de modelo e inspiração para qualquer espectador. Por isso separamos dez filmes a que todos os empreendedores deveriam assistir. Com mensagens diretas e indiretas, atitudes lícitas (e às vezes nem tanto), eles mostram a atuação no mundo dos negócios. – “O lobo de Wall Street” (2013): o filme é uma cinebiografia sobre o corretor de ações Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio), que ficou rico e depois foi preso por acusações de fraude e outros crimes de colarinho branco. O filme dá algumas lições sobre jogo de cintura, principalmente para investidores. – “Jobs” (2013): é inegável o poder que a figura de Steve Jobs (Ashton Kutcher) tem sobre os empreendedores de todo mundo. Por isso o longa ainda traz um bom apanhado de memórias de sua carreira e também algumas lições práticas, como saber lidar com investidores. – “O homem que mudou o jogo” (2011): Mostra como o treinador Billy Beane (Brad Pitt) fez o Oakland Athletics se destacar na liga nacional de beisebol. A grande sacada de Beane para fazer isso foi analisar estatísticas da equipe, que tinha a menor folha salarial entre as competidoras. – “A rede social” (2010): Conta a história de Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), o fundador do Facebook, mostrando a criação da rede 18 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016

dentro da universidade Harvard, em 2003. Mostra sua controversa relação com outros fundadores. – “Quem quer ser um milionário” (2008): mostra o jovem Jamal Malik (Dev Patel) num famoso programa de perguntas e respostas na TV. Jamal busca em sua própria história, marcada por uma infância miserável e violenta, as respostas para as questões perguntadas pelo apresentador. É um exemplo de busca de força interior. –“À procura da felicidade”(2006): Will Smith interpreta Chris Gardner, um pai de família com problemas financeiros. Chris consegue um estágio não remunerado numa corretora de valores, mas não consegue dar conta das despesas da casa. Com isso, ele e o filho acabam dormindo em abrigos e estações de trem. É um grande exemplo de que se você tem um sonho, não deve desistir de alcançá-lo. – “Piratas da informática” (1999): o filme mostra o começo de duas das principais empresas de tecnologia do mundo, a Apple e a Microsoft. Retrata as brigas de bastidores entre Steve Jobs (Noah Wyle) e Bill Gates (Anthony Michael Hall), a concorrência entre as companhias e sua importância no setor. – “Jerry Maguire - A grande virada” (1996): depois de uma crise de

consciência, o bem-sucedido agente esportivo Jerry Maguire (Tom Cruise) escreve um documento defendendo que os agentes deveriam cuidar da carreira dos atletas de forma mais humana, ainda que isso significasse ganhar menos. Depois disso, acaba sendo demitido da consultoria onde trabalhava e perde seus clientes, é um filme que mostra como é possível vencer depois de um fracasso. – “O segredo do meu sucesso (1987)”: o jovem Brantley Foster (Michael J. Fox) deixa uma cidade no Kansas para tentar o sucesso em Nova York. As coisas não saem como planejadas e ele se vê obrigado a pedir um emprego ao tio, que controla uma empresa milionária. Como o trabalho é modesto, Brantley, decide levar uma vida dupla, criando um personagem chamado Carlton Whitfield, um executivo de ideias brilhantes, mas que ninguém sabe de onde veio. – “O Poderoso Chefão” (1972): o clássico que dá início à famosa trilogia dispensa muitas recomendações e mostra a trajetória da família Corleone e seus negócios ilícitos. O filme mostra as vantagens e desvantagens de empreender em família e que o melhor sucessor pode ser quem menos se espera. *extraído do site http://revistapegn.globo.com/


DIA DAS MÃES

Filhos querem presentear, mas este ano apostam em algo mais barato.

A

pesar do baixo crescimento da economia, inflação alta e juros maiores, o varejo prevê boas nas vendas para o Dia das Mães. A expectativa é de que a data, considerada a segunda melhor em termos de faturamento para o comércio, superada apenas pelo Natal, aumente um pouco o faturamento das empresas. Mesmo que no ano passado os números não tenham sido muito positivos devido a um menor crescimento da massa salarial e enfraquecimento do poder de

compra do consumidor brasileiro, para este ano o comércio aposta nas boas vendas, porém, a intenção das compras para este ano de 2016 é que as lembranças estejam na lista do consumidor pessoense. Os filhos não querem deixar de presentear suas mães, mas apostam em presentes mais baratos para não deixar a data passar em branco, como afirma a enfermeira Sabrina Ismael, “como em todos os anos eu presenteio minha mãe com algo que tenha a ver com a personalidade dela. Com esse momento

financeiro complicado, o preço acessível vai ser levado muito em consideração, posso optar por personalizar o presente. Por exemplo: ao invés de comprar um cartão, posso escrever num papel e moldar como pergaminho usando um laço de fita, comprar uma caneca e por chocolates. Enfim, algo que tem a ver com ela e que seja útil e barato.” Uma dica para o lojista, é que ele precisa ter criatividade e estimular as vendas, “se o filho vem comprar um presente mais modesto, por que não apresentar uma outra opção e, para tanto, além de dizer o quanto é importante a sua “mãe”, oferecer condições diferenciadas, como desconto, prazo maior de quitação”, alerta o presidente da CDL João Pessoa, Eronaldo Maia. Importante mesmo é não deixar de presentear aquela que nos ama incondicionalmente e que com apenas um beijo e um eu tem amo já se sente homenageada.

Por: Georgina Luna Jornalista CDL-JP 19 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016


PREVIDÊNCIA PRIVADA, FAZER OU NÃO? O produto Previdência Privada é um dos mais difíceis de se contratar de todos os produtos bancários disponíveis para pessoas comuns. Ele demanda um tão grande número de variáveis para ser analisado, que, frequentemente vimos pessoas reclamando dele. Tábua atuarial, fundo de investimento e taxa de administração, forma de tributação, cronograma de contribuições, seguros acessórios, tipos de benefícios e, principalmente, data esperada para gozo dos benefícios (aposentadoria) e expectativa de vida são as principais características a serem analisadas. Ele pode assumir diversas funções num plano de investimentos de uma família, sendo, os principais: a complementação de renda do aposentado e como mecanismo de sucessão já que seu resgate independe do inventário e a destinação dos recursos em certos casos pode exceder a cota obrigatória aos herdeiros, sendo em alguns estados, como é o caso da Paraíba, de livre destinação. Quando escolhido para complementação da aposentadoria, suas características fazem com que seja adequado somente para longuíssimo prazo, e é muito importante que as escolhas sejam feitas com base na data do recebimento dos benefícios e não com base nas condições presentes do contribuinte, o que torna sua escolha ainda mais elaborada. Considerando que uma das formas de tributação começa com 35% para as contribuições realizadas até 2 anos e para aquelas feitas há mais de 10 anos atinge-se só 10% de alíquota, um cliente não preparado, que precisou realizar um saque antecipado de um plano com tributação por alíquotas regressivas gera enormes perdas com o pagamento de impostos. Consequentemente, é preferível se reduzir as contribuições nos últimos anos ou até mesmo suspendê-las, transferindo a outro plano ou produto de investimento com fins de evitar as alíquotas mais caras. 20 - O Lojista | CDL - JP | abril 2016

Só que as características que tornam o produto complexo, também o tornam mais interessante que outros tipos de investimentos como alternativa para o longo prazo, uma vez que os benefícios tributários favorecem sobremaneira o capital gerado para o futuro, já que o imposto pode chegar a apenas 10%. Adicionalmente, as contribuições para planos de previdência não sofrem as cobranças antecipadas do IR nos meses de maio e novembro conhecidas como imposto come-cotas, gerando um efeito cada vez melhor quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado. Assim, por ser um produto para o longuíssimo prazo, deve-se começar o quanto antes para que o próprio saldo acumulado gere rendimentos cada vez maiores, mas também que não seja cedo demais quando o orçamento não está preparado e seja necessário fazer resgates deste produto, quando deveria ser a última alternativa para cobertura do orçamento familiar. Para tomar a decisão de contribuir com um plano de previdência você pode partir de duas estratégias básicas: a de definir a contribuição e com isso determinar o quanto irá ganhar no futuro para verificar a viabilidade do plano ou então determinar o quanto quer ganhar no futuro para determinar o quanto precisa contribuir agora, sabendo que o tempo deverá ser seu principal aliado, desde que, de tempos em tempos, sejam feitos os ajustes necessários tanto no valor da contribuição, quanto na escolha do fundo de investimento mais adequado. Para o acompanhamento ao longo dos anos, as variáveis que mais afetam o resultado da sua renda futura são: a) A distribuição das aplicações mensais ao longo do tempo; b) A tábua atuarial escolhida; c) O desempenho do fundo comparado com a inflação, incluindo sua taxa de administração e seu retorno sobre o risco assumido; d) A tributação e e) As taxas de carregamento ou saída. Então, para fazer uma boa escolha

quanto ao seu plano de previdência você deve: a) Estimar sua necessidade de gastos futura; b) Considerar outras fontes de renda que serão recebidas; c) Quanto tempo acredita viver e com que idade poderá se aposentar; d) Que tipo de risco está disposto a assumir para determinar que tipo de fundo e, conseguinte, que tipo de rendimento poderá obter. Com essas opções em mãos será possível fazer as melhores escolhas possíveis para seu plano de previdência. Se você considerou complexo demais, é porque você pode ainda não estar preparado para este produto, precisando pensar mais como será sua vida futura. Após elaborar bem esse cenário, procure um planejador financeiro para lhe auxiliar com as contas e então um corretor de previdência para escolher adequadamente o produto.

GUILHERME BAÍA - trabalha com finanças pessoais e presta atendimentos através da Família & Negócios Planejamento Financeiro. Consultor de finanças pessoais Contato:4141-4501 ou pelo email guilherme@familiaenegocios.com.br


CDL Jo達o Pessoa Rua: Treze de Maio, 277, Centro Fone: (83) 3216-3800


tuliobicicletas@hotmail.com

Assistência, Plano e Clínica Odontológica Dental Center - 3041-4646 www.dentalcenterpb.com.br Ortofaz - 3224-1537 ortofazjp@ gmail.com

Cama, Mesa, Banho, Tecidos e Decorações

Banco Santander – Ag. Centro 3218-2800 – www.santander.com.br

22 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


JPM Imobiliaria 3235-8000 jpmimobiliaria@hotmail.com Lopes de Andrade Escritório Imobiliário Fone: 3235-1500

Malhas Sul Fone: 3221-0484 malhassul@hotmail.com

Paulo João Corretor Tibiri II 8867-8972/9605-2550

Roosevelt Cesar Filho Corretor de Imoveis roosevelt_filho@hotmail.com

Lappann Comunicação Visual 98778-4187 rogério@lappann.com.br

JCarneiro – Renault– 3515-9100 contato@jcarneiro.com.br Carneiro Automotores – NISSAN 3515-9119 contato@nissanpb.com.br

Sicoob Creds - 3244-1208 e-mail:creds-pb@sicoobne.com.br FederalCred Nordeste Fone: 3241-8745 E-mail: pb@federalcred.com.br

Ivan JR Administração de Imóveis Fone: 9 9920-1054 www.ivanjr.com.br

Master Transfer 3566-7880 www.mastertransfer.com.br 23 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


Microlins João Pessoa – 3222-7000/3224-2443 joaopessoa-centro@microlins.com.br

Unepi - Escola Técnica e Capacitação 3247-4300 www.unepi.com.br FPB- Faculdade Internacional da Paraíba - 3133-2900 www.fpb.edu.br

24 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


Material para Construção, Esquadrias

Magazine Luiza

Limpadora de Fossa e Esgotos e Locação de Banheiros Químicos S L Transportes 3223-3280 sltransportesjp@ig.com.br

Casa do Construtor Aluguel de Equipamentos - 3576-0441 joaopessoa@casadoconstrutor.com.br

Art Ótica 3222-7309 artotica@hotmail.com

Vitorio Veneto – 3048-1044 www.vitoriovenetooptica.com.br

25 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


Casa do Borracheiro 3242-6969 financeiro_cbpb@hotmail.com

Serviços de Telecomunicações Inorpel – 3228-9007/3228-9021 www.inorpel.com.br

Ticket Alimentação Ticket Fone: 11.3066-4262 lais.guimaraes@edenred.com

Tintas Automotivas e Construção Lugar das Tintas – 3223-2093 lugardastintas@hotmail.com

Posto de Combustível

Chianca Softwares Fone: (83)3224-2020/ 8795-8559 www.chianca.com.br e-mail: joselma@chianca.com.br

26 - O Lojista | CDL - JP | ABRIL 2016


Profile for Walmar Pessoa

O Lojista_CDLJP_Ed36  

O Lojista_CDLJP_Ed36

O Lojista_CDLJP_Ed36  

O Lojista_CDLJP_Ed36

Advertisement