Page 1


Apresentação A Empresa Officina Móveis Planejados, ao longo de seus 15 anos de existência, vem ampliando seus serviços, motivada pelo reconhecimento público e pelo aumento da demanda. Por isso, foi necessário ampliar sua área fabril, instalada no município de Santa Rita, PB. Pensando em se aproveitar bem mais o terreno, sugerimos a ideia de plantar árvores, tanto em seu entorno quanto em um pequeno bosque, para abrigar espécies nativas da Mata Atlântica. Nesse sentido, foram dados vários passos para efetivar a referida idéia. Inicialmente, solicitou-se da Secretaria do Meio Ambiente do Município de João Pessoa a doação de 50 mudas, através de ofício, com anexo demonstrando a ocupação do solo e a distribuição das mudas. Em contrapartida, a empresa doou estantes para um dos escritórios, sediado no Parque Arruda Câmara. Em seguida, procedeu-se à demarcação no local, à limpeza e à preparação do solo, adquiriu-se o equipamento para irrigação e foi feita uma parceria com o Centro de Formação Educativo Comunitário – CEFEC, para selecionar crianças que, no dia do evento de lançamento, plantaram as mudas e acompanharão o crescimento das árvores, como atividade de educação ambiental e exercício de cidadania. O Bosque Maria José dos Santos Pereira, uma homenagem à mãe do proprietário da Officina Móveis Planejados, tem, na entrada, uma pequena gruta, com a imagem de Nossa Senhora de Fátima e placas que indicam o nome popular e científico de cada árvore plantada. Introdução Atualmente, os meios de comunicação divulgam, com frequência, agressões sofridas pelo meio ambiente provocadas pelo homem. Tais atitudes agressivas ocasionam, mais tarde, catástrofes que causam sofrimento e perdas para muitas comunidades. Por essa razão, é urgente a mudança de hábitos, no sentido de construir um novo amanhã, a partir da criação de uma cultura que valorize o cuidado com o meio ambiente de forma responsável, criativa e consciente. Para tanto, é preciso informar, sensibilizar e conscientizar, através de exemplos e de atitudes de conservação, com o objetivo de proporcionar uma convivência harmoniosa entre o homem e o meio ambiente. Em comunhão com esse pensamento, apresentamos a iniciativa da Officina Móveis Planejados de criar, em sua área fabril, localizada no município de Santa Rita, PB, um bosque com 14 espécies de árvores nativas da Mata Atlântica, cerca viva de 600 casuarinas e plantio de 25 ipês amarelos e roxos, na frente do galpão principal.


Motivos para plantar ávores Apresentaremos, de forma resumida, os principais motivos para você plantar árvores. Na fase adulta, uma árvore pode absorver do solo até 250 litros de água, em um só dia. Essa água é absorvida junto com muitos nutrientes de matérias orgânicas (como as fezes dos animais) pelas raízes, que são transformados em alimento para toda a planta através da fotossíntese. Suas, folhas, frutos, madeira e raízes servirão de alimento para diversos seres vivos que, alimentados, irão defecar folhas e frutos, que não serviram de alimento. Ao cair no solo, junto com as fezes, todo o ciclo recomeça. http://www.arvoresbrasil.com.br/?pg=arvore_porque_planta 18 set 14:49 As folhas que caem formam uma camada em baixo das árvores, que se transforma em berço para as sementes e protege o solo dos pingos da chuva. Quando a chuva cai diretamente no solo, cada pingo causa erosão, que pode prejudicar o solo, os rios, os animais e os lençóis freáticos. Se você não está convencido de que plantar árvores é importante para o meio ambiente, saiba mais: Sombra: Considerando a devastação e a não preocupação com o reflorestamento, nossas matas podem se acabar em 2030. Madeira: Pouca gente se preocupa em saber se a madeira que está comprando é autorizada ou não. Nesse sentido, o mercado madeireiro é um dos que mais cresce no Brasil, através de muitas empresas clandestinas. Se você usa madeira, por que não ajudar plantando? Papel: Ainda não foi encontrado no mundo um substituto para o papel vindo da madeira de árvores. Produzido em larga escala, imagine quantas árvores você já usou e vai usar só com papel. Oxigênio: A quantidade de oxigênio, no mundo, está desequilibrada por causa da poluição gerada pelas grandes cidades. Estudiosos afirmam que “florestas muito antigas, que já atingiram seu equilíbrio, produzem a mesma quantidade de gás carbônico (liberado à noite) que a de oxigênio” e que “florestas jovens, para poder crescer, liberam muito mais oxigênio do que gás carbônico. Isso significa que plantar uma árvore é produzir oxigênio”. Frutas: Se você fizer as contas de quanto gastou comprando frutas, poderia hoje ter muitos pés de fruta de que gosta, considerando que o gasto em se ter uma árvore é quase zero. Fauna: Plante uma árvore próximo de sua casa, para ver e escutar o resultado! Se for na zona rural ou perto de uma floresta, você poderá receber a visita de diversos animais da fauna brasileira.


Espécies plantadas no Bosque Maria José dos Santos Pereira NOME CIENTÍFICO - Anadenthera colubrina NOME VULGAR - Angico, angico branco liso, angico cambuí, angico coco, angico escuro, angico liso, angico vermelho, aperta ruão, cambuí, cambuí angico, cambuí vermelho, cauvi, curupaí, jurema preta, monjoleiro. OCORRÊNCIA - Floresta estacional semidecídua, floresta de araucária. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - com copa irregular e densidade da madeira 0,52. Obs.: A casca tem uma espessura de até 20 mm, e a parte externa é lisa, de coloração branca acinzentada a cinza-escuro. Folhas - apresentam coloração verde-escura e certo brilho. Não apresentam cheiro nem sabor. Flores - amarelas, estruturadas em cacho de tipo inflorescência Obs.: São pouco perceptíveis, porém bastante procuradas pelas abelhas. Frutos - vagem seca marrom. Obs.: O fruto apresenta uma forma estreita, com margens constrictas. Sementes - marrons, com vargem de aproximadamente 15 cm Obs.s: A semente tem uma forma achatada e brilhante com ala estreita. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Essa espécie apresenta crescimento de moderado a rápido e atinge uma produtividade de até 31 m3/ha/ano. O espaçamento médio mais utilizado é de 2,5 x 2,5 m, e a porcentagem de plantas vivas é de 83%. POTENCIAL PARA PLANTIO Construção, carvão, arborização urbana melífera, paisagismo. Floração: outubro, novembro e dezembro Frutificação: maio a junho


NOME CIENTÍFICO - Pachira aquatica NOME VULGAR - Castanheira do Maranhão, monguba, cacau selvagem, munguba. Ocorrência - Em toda a região da Amazônia, do Maranhão e do Nordeste. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - liso, com leves fissuras no ritidoma de cor cinza amarronzado, com 30-40 cm de circunferência. Folhas - compostas gigitadas com 3-9 folíolos curtos oblongos a obovais glabos. Flores - terminais, grandes, de pétalas amarelo-claras e estames, seguidos de uma coloração amarelo-clara para vermelho. Frutos - apresenta uma superfície pilosa de cor marrom, com forma de cápsula lenhosa. Sementes - em grande quantidade, de cor marrom-amarelada. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Árvore que habita locais úmidos, nas margens de rios e de lagoas, ou em terrenos alagadiços. No entanto, adapta-se facilmente a condições bem diversas de solo e clima. POTENCIAL PARA PLANTIO Árvore de tamanho variável, bastante frondosa, cuja copa é densa e arredondada. Por tais qualidades, é bastante utilizada na arborização das ruas, provando sua adaptabilidade e sua capacidade até mesmo em terrenos secos.


Espécies plantadas no Bosque Maria José dos Santos Pereira NOME CIENTÍFICO - Tabebuia caraiba NOME VULGAR - Craibeira, caibeira, caraibeira OCORRÊNCIA - Toda a região da Amazônia e do Nordeste; no semiárido, ocorre em terrenos localizados nos vales de rios e riachos. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - tortuoso, com 30-40 cm de circunferência e casca suberosa Folhas - compostas gigitadas, com 3-7 folíolos com cacarterísticas coriácea de forma elíptica e glabas. Flores - de cor amarela, distribuídas em panículas terminais. Frutos - em cápsulas sépticas. Sementes - aladas, com cerne amarelado. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Planta adaptada a terrenos secos, úmidos ou alagados. Para se adaptar, necessita de formação de grupos. É uma planta perenifólia, heliófila e higrófita. POTENCIAL PARA PLANTIO Pelo seu porte e beleza, é muito usada em arborização urbana. É comum vê-la em grandes avenidas, nas cidades do Nordeste, em especial, em João Pessoa e Recife.


NOME CIENTÍFICO – Tapirira guianensis NOME VULGAR - Cupiúba, copiúva, camboatá, jobo, tapiriri. OCORRÊNCIA - em todos os biomas no território brasileiro; ocupa terrenos secos ou úmidos. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - troncos com 40-60, geralmente curtos ou alongados, dependendo do terreno onde está inserida, com casca acinzentada. Folhas - compostas imparipenadas, com um número de folíolos que varia entre 9 e11 glabos, de forma que vai de ovalado a elíptico oblongo. Flores - discretas, de tons levemente amarelados, unissexuadas, actinomorfas distribuídas e inflorescência de panículas terminais. Frutos - em forma de drupa e carnosidade do epicarpo levemente violeta. Sementes - ovoides, de cor amarelo-clara. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Planta adaptada a terrenos secos, úmidos ou alagados, principalmente, da floresta umbrófila de planície; é um vegetal que pode ser encontrado em formações secundárias, em várzeas e beira de rios. É uma planta pioneira perenifólia, heliófila e higrófita. POTENCIAL PARA PLANTIO Não é recomendada para arborização urbana devido ao sistema radicular ser superficial. É uma espécie recomendada para o reflorestamento de áreas degradadas e matas ciliares, que produz frutos comumente procurados pela fauna.


Espécies plantadas no Bosque Maria José dos Santos Pereira NOME CIENTÍFICO - Córdia trichotoma NOME VULGAR - Freijó OCORRÊNCIA - Região Amazônica, principalmente no estado do Pará, em mata pluvial de terra firme. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - colunar, de 40-60 cm de diâmetro, revestido por casca com ritidoma reticulado e escamoso, 10-20 metros. Folhas - alternas espiraladas, oblongo-elípticas e estreitamente obovadas e elípticas, cartáceas, glabras, de 8-15 cm de comprimento por 4-8 cm de largura. Flores - esbranquiçadas, pentâmeras, reunidas em panículas terminais de 6-14 cm de comprimento. Floresce durante os meses de setembro a dezembro. Frutos - do tipo drupa, totalmente revestidos pelo tubo da corola e cálice (marcescente), dispersados por anemocoria (ação do vento), amadurecem de novembro a janeiro. Um kg contém cerca de 37.000 frutos. Sementes - encontram-se presas à parede do fruto pela base do estigma e apresentam forma elipsoidal, de cor marrom, com 0,6 mm. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Ocorre, quase que exclusivamente, no interior da mata primária densa, não obstante desenvolver-se bem em ambiente aberto quando cultivada. POTENCIAL PARA PLANTIO Moderadamente pesada (densidade 0,59 g/cm³), textura média, grã direita, superfície lustrosa, de moderada resistência ao ataque de organismos xilófagos.


NOME CIENTÍFICO chrysotricha

-

Tabebuia

NOME VULGAR - Ipê amarelo do morro, ipê amarelo cascudo, ipê do morro, ipê, ipê amarelo, aipê, ipê tabaco, ipê amarelo paulista, pau d'arco amarelo. OCORRÊNCIA - Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - tortuoso, com 30-40 cm de circunferência e casca suberosa. Folhas - compostas gigitadas, com 3-7 folíolos com cacarterísticas coriácea de forma elíptica e glabas. Flores - amarelas, distribuídas em panículas terminais. Frutos - em cápsulas sépticas. Sementes - aladas, com cerne amarelado. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Planta adaptada a terrenos secos, úmidos ou alagados; para adaptação, necessita de formação de grupos. É uma planta perenifólia, heliófila e higrófita. POTENCIAL PARA PLANTIO Pelo seu porte e beleza, é muito usada em arborização urbana. É comum vê-la em grandes avenidas nas cidades do Nordeste, em especial, João Pessoa e Recife..


Espécies plantadas no Bosque Maria José dos Santos Pereira NOME CIENTÍFICO impetiginosa

-

Tabebuia

NOME VULGAR - Ipê roxo OCORRÊNCIA - Piauí e Ceará até Minas Gerais, Goiás e São Paulo, na mata pluvial atlântica e na floresta semidecídua. Ocasional no cerrado. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - com 60-90 cm de diâmetro e altura de 8-12 metro Folhas - compostas bipinadas, de 20-50 cm de comprimento, com 8-10 jugas (pares de pinas); folíolos apresentando raque alada, com 10-15 pares de foliólulos glabros, assimétricos e com ápice apiculado. Flores - Flores tubulosas, roxas, dispostas em panículas terminais. Frutos - Frutos do tipo cápsula septicida, arredondado-achatados, de cor paleácea. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Floresce a partir de setembro, com a planta totalmente sem folhas, e se prolonga até outubro. O fruto amadurece durante os meses de agosto e setembro. POTENCIAL PARA PLANTIO Muito pesada (densidade 0,96 g/cm³), bastante dura ao corte, grã direita ou reversa, textura fina a média, resistente ao ataque de insetos.


NOME CIENTÍFICO - Jacarandá cuspidifolia NOME VULGAR - Jacarandá de Minas, caroba, jacarandá, caiuá, jacarandá branco, caroba branca, pau de colher, pau santo, carobeira, jacarandá preto, mulher pobre. OCORRÊNCIA - Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, São Paulo. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - Tronco de 30-40 cm de diâmetro, revestido por casca áspera e acinzentada. Folhas - compostas bipinadas, de 20-50 cm de comprimento, com 8-10 jugas (pares de pinas); folíolos apresentando raque alada, com 10-15 pares de foliólulos glabros, assimétricos e com ápice apiculado. Flores - Flores tubulosas, roxas, dispostas em panículas terminais. Frutos - Frutos do tipo cápsula septicida, arredondado-achatados, de cor paleácea. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Floresce a partir de setembro, com a planta totalmente sem folhas, e se prolonga até outubro. O fruto amadurece durante os meses de agosto e setembro. POTENCIAL PARA PLANTIO A árvore é extremamente ornamental, principalmente quando em flor; pode ser empregada com sucesso no paisagismo em geral e utilizada na arborização e na ornamentação de ruas, principalmente devido à beleza de suas flores arroxeadas.


Espécies plantadas no Bosque Maria José dos Santos Pereira NOME CIENTÍFICO - Hymenaea courbaril NOME VULGAR - Jatobá, jataí, jataíamarelo, jataí-peba, jataí-vermelho, jitaí, farinheira, jataíba, burandã, imbiúva, jatobámiúdo, jatobá-de-catinga. OCORRÊNCIA - Bahia, Minas Gerais, Paraná, Piauí, São Paulo. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - ronco de até 1 m de diâmetro, revestido por casca com ritidoma lenticelado. Altura de 15 a 20 metros. Folhas - alternas, compostas bifoliadas, com folíolos cartáceos, glabros, brilhantes, de 6-14 cm de comprimento. Flores - Flores brancas, zigomorfas, diclamídeas, dispostas em racemos apicais curtos. Floresce durante os meses de outubro a dezembro. Os frutos amadurecem a partir do mês de julho. Frutos - legumes indeiscentes, sublenhosos, marrons, com 2-4. Sementes - duras, envoltas por uma polpa farinácea, de cor amarela, adocicada e com forte odor. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Floresce a partir de setembro, com a planta totalmente sem folhas, e se prolonga até outubro. O fruto amadurece durante os meses de agosto e setembro. POTENCIAL PARA PLANTIO Muito pesada (densidade 0,96 g/cm³), bastante dura ao corte, grã direita ou reversa, textura fina a média, resistente ao ataque de insetos.


NOME CIENTÍFICO - Ceiba speciosa NOME VULGAR - Paineira, paineira-rosa, árvore de lã. OCORRÊNCIA - Estados do Sudeste, Mato Grosso do Sul e Nordeste. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - cilíndrico e volumoso, com ritidoma estriado e, algumas vezes, aculeado, com diâmetro de 80-120 cm. Folhas - compostas, digitadas, foliólos obovados em número de 5-7, com margem serreada e glabros. Flores - grandes, vistosas, com pétalas cor de rosa nas áreas terminais e brancas na base. Frutos - cápsula sublenhosa e deiscente na cor verde. Sementes - marrons, envoltas por fibras brancas . INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Ocorre nas florestas primárias e secundárias em solos, de preferência, férteis. É uma planta heliófita e higrófita. POTENCIAL PARA PLANTIO Ótima para a arborização urbana pela bela floração, desprovida de folhas nessa época; quando encerra a floração, é uma boa fornecedora de sombra e pode ser empregada no paisagismo de canteiros centrais, em praças, em grandes jardins e em áreas degradadas.


Espécies plantadas no Bosque Maria José dos Santos Pereira NOME CIENTÍFICO - Bauhinia monandra NOME VULGAR - Pata de vaca OCORRÊNCIA - Originária da China e da Índia, é muito cultivada no Brasil, principalmente no Sudeste e Nordeste. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - com 30-40 cm de diâmetro, cinza, reticulado, com sulcos na vertical. Folhas - simples, levemente coriáceas, parecendo bipartidas, com a semelhança de uma pisada de bovino, daí seu nome popular. Flores - vistosas, cor de rosa, estriadas; em uma das pétalas há uma mancha rosa-avermelhada, reunida em inflorescências na ponta dos ramos. Frutos - vagens deiscentes achatadas. Sementes - marrom-escuro, achatadas, com pleurograma. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Árvore de característica semidecídua, isto é, não perde totalmente as folhas no inverno. Muito ramificada, pode atingir até 10,0 m de altura. Adaptada ao clima brasileiro, desde que receba sol, não tem problemas quanto à fertilidade do solo, mas este precisa ser bem drenado. POTENCIAL PARA PLANTIO Árvore ornamental, excelente para pequenos jardins e recantos, também pode servir para a arborização de ruas e de parques. Tem sido bastante utilizada na Região Sudeste do país.


NOME CIENTÍFICO - Ceasalpinia echinata NOME VULGAR - Pau-brasil OCORRÊNCIA - do Ceará ao Rio de Janeiro, na floresta pluvial atlântica, particularmente frequente no sul da Bahia. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - tronco de 40-70 cm de diâmetro, revestido por casca escamosa de cor alaranjada por baixo, planta espinhenta de 812 metros de altura. Folhas - compostas bipinadas, de 10-15 cm de comprimento, com 5-6 pares de pinas de 8-14 cm de comprimento; foliólulos em número de 6-10 pares por pina, de 1-2 cm de comprimento. Flores - Flores em racemos terminais e axilares, que florescem a partir do final de setembro e se prolongam até meados de outubro. Frutos - Frutos legumes equinocárpicos, cuja maturação ocorre de novembro a janeiro. Sementes - Um kg de sementes contém cerca de 3.600 unidades. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS É planta típica do interior da floresta primária densa, rara nas formações secundárias. POTENCIAL PARA PLANTIO Muito pesada, dura, compacta, muito resistente, de textura fina, incorruptível, com alburno pouco espesso e diferenciado do cerne.


Espécies plantadas no Bosque Maria José dos Santos Pereira NOME CIENTÍFICO - Triplaris brasiliana NOME VULGAR - Pau-formiga, formigueiro, novateiro OCORRÊNCIA - Região Centro Oeste (Mato Grosso e Mata Grosso do Sul), São Paulo e Nordeste. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - com diâmetro de 30-40 cm, recoberto por um ritidoma escamoso, distribuído na forma de escamas que abrigam formigas. Folhas - alternas, estipuladas, elípticas e ovaladas, cartáceas com nervação saliente na face abaxial. Flores - as femininas apresentam inflorescência rosa, com nuances de cor vermelha, e as masculinas, amarelo-claras, unissexuadas e actinomorfas. Frutos - aquênios, com cálice persistente. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Planta perenófila, heliófila, característica de vegetação de florestas latifoliadas semidecidua; prefere solos úmidos, matas e capoeiras. POTENCIAL PARA PLANTIO Planta de rápido crescimento, cuja beleza se destaca na fase de floração e na estrutura da sua copa, por isso é muito utilizada para o plantio urbano.


NOME CIENTÍFICO - Bowdichia vigilioides NOME VULGAR - Sucupira preta OCORRÊNCIA - Pará, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo, na vegetação do cerrado. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS Caule - tronco de 30-50 cm de diâmetro, revestido por casca com ritidoma suberoso, escamoso e reticulado, altura de 8-16 metros. Folhas - compostas imparipinadas, com9-21 folíolos oblongos, de base arredondada e ápice retuso e emarginado, pubescente, proeminentemente na face abaxial e ramos jovens, com nervura principal imersa na face superior. Flores - Cor violeta, muito vistosas, bissexuadas, zigomorfas, diclamídeas, com prefloração imbricada, dispostas em panículas terminais. Florescem durante os meses de agosto a setembro, com a planta quase totalmente despida de folhagem. Frutos - Os frutos são pequenas vagens achatadas e indeiscentes, com poucas sementes sem pleurograma. Amadurecem a partir do final de outubro, prolongando-se até o início de dezembro. Um kg de sementes puras contém, aproximadamente, 36.700 unidades. Sementes - achatadas, de cor marrom-clara. INFORMAÇÕES ECOLÓGICAS Ocorre tanto em formações primárias quanto secundárias, porém sempre em terrenos altos de rápida drenagem. POTENCIAL PARA PLANTIO Pesada (densidade 0,91 g/cm³), fibrosa, bastante decorativa e de longa durabilidade natural.


Bosque Maria José dos Santos Pereira

Palestras para as crianças sobre o meio ambiente e preservação.

Os visitantes são apresentados as instalações da instituição colaboradora, local onde são ministradas aulas profissionalizantes de serigrafia

A irmã fala sobre a história e explica aos colaboradores a estrutura da instituição.

A criançada interage com professor, recebendo instruções durante a palestra


As crianças no momento em que se encaminham para o plantio das mudas no bosque.

Garotos atentos sobre a palestra antes do plantio no Bosque.

Professor fala sobre a consciência ambiental para a nova geração.

Descontração da criançada na frente da instituição antes de irem ao Bosque


Bosque Maria José dos Santos Pereira

Momento de oração antes do plantio das mudas.

Crianças semeando o futuro.

Diretoes reunidos com colaboradores no ato de inauguração do bosque.

Colaborador planta em parceria com a criança.

Placa indicando o Bosque Maria José dos Santos Pereira


A irmã ressaltando a importância da preservação do meio-ambiente

Meninas da instituição plantando com alegria, muda de espécie nativa da Mata Atlântica.

Gerações aprendem a construírem juntos um mundo melhor e mais harmonioso.

A empresa colaborando pela preservação ambiental.

Construindo um futuro melhor para todos.


Agradecimentos Ao Sr. Adeilton José dos Santos Pereira, proprietário da Officina Móveis Planejados, por abraçar a idéia deste autor e transformá-la em realidade; Ao arquiteto Manoel Farias, pelos traços que facilitaram a visualização da ideia inicial; À artista plástica Célia Araújo que, junto com sua equipe, executou o projeto; À Irmã Antônia Defrancesco, presidente do Centro de Formação Educativo Comunitário – CEFEC – que, com sua equipe em especial a coordenadora Wberlania Oliveira, disponibilizou espaço físico para realização de palestra e criou condições para que as crianças pudessem participar desse evento; À AGROSENA, pela assistência técnica; Às crianças cuidadoras abaixo relacionadas: Adriel Da Silva Rangel Adryan Jordan Dos Santos Pinheiro Analice Andressa Luzia Da Silva Angela Lima Da Costa Daniel Dos Santos Ferreira Fabia Vitória Nascimento Givanildo Luiz Da Silva Jacyara Gomes Dos Santos Jadson Douglas Dos Santos Dias José Fabrício Araújo De Oliveira Joyciele Pereira De Souza Jucilene Pereira Do Nascimento Kaliane Kelly Soares Da Silva Kawana Cris Letícia Dos Santos Silva Maria Da Guia Pessoa Da Silva Mariana Da Silva Pontes Marina Da Silva Pontes Nathália Cibeli Silva Santos Tatiane Dos Santos Rodrigues Vitor Marcel Da Silva Santos Weverson Do Nascimento Silva Ana Vitória Dom N. Rodrigues Estefany Da Silva Araújo

Fernanda Taynara Da Silva Flávia Da Silva Fernandes Helainy Cristina Machado Pereira Henrique Tomaz Pereira Ivanalya Nascimento Rodrigues Jair Da Silva Pereira Jamylle Vitória Oliveira Santos Jassiele Kémili De Araújo Pereira João Victor Carvalho Da Silva Kenndy Shevchenko Pedro Nunes Silva Luanny Camilly Lima Pereira Maria Clara Da Silva Maria Eduarda Da Silva Felismino Mirela Dos Santos Silva Mirelle Dos Santos Feliciano Paulo Thiago Da Silva Viégas Vanessa Barbosa Da Silva Willian Mickael Da Silva Yngredy Sabrina Da S. Evangelista Ana Clara Jamylle Evellyn Adriana Souza Domingos Adriele Da Silva Rosemiro

Autor do caderno: Antônio Augusto Rodrigues de Oliveira.

Profile for Walmar Pessoa

Officina Móveis - Bosque  

Officina Móveis - Bosque

Officina Móveis - Bosque  

Officina Móveis - Bosque

Advertisement