Issuu on Google+

Foto: Tatit Brandão

Sustentabilidade Editorial Ano II - nº 2 - Fevereiro / 2012

CRESCIMENTO DESCOORDENADO? Aumento de moradias e de automóveis mostra o vigor da economia na região, que não é acompanhada por melhorias de infraestrutura

Perigo para saúde

Política

Turismo

Áreas contaminadas no ABC chegam a 270 locais

PMDB de Sto. André diz que Nilson Bonome é candidato

Sem medo de se divertir Fevereiro 2012 / LEIA ABC 1 nos cruzeiros marítimos


R$ 2 bilhões investidos em saneamento. Mais de 1.500 km de tubulação instalados. E você achando que se preparar para o verão era, simplesmente, frequentar a academia.

Poliana Okimoto, campeã mundial de maratona aquática.

2

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


www.sabesp.com.br

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

3


4

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

5


Índice

14 Editorial 20 Economia 22 Perspectivas 24 Política 40 Imóveis 44 Cidades 48 Mais 5 Perguntas 50 Turismo 54 Cultura 56 Esportes 60 Beleza 62 Automóveis 64 Sociedade 66 Segurança 69 Tecnologia 72 Gastronomia

8

Andrés Sanchez faz um balanço de seus quatro anos a frente do Corinthians e conta o que espera do seu novo desafio na CBF

28

Epidemia do sorotipo 4 é a nova ameaça da dengue nesse verão

Colunistas 26

16

6

Fevereiro 2012 / LEIA

Orlando Duarte

32

Gustavo Baena

Izabelle Stein ABC

63

58

Nelson Moraes

68

Ney Brandão

59

Nivaldo Prieto

Darcio Arruda

70

Paulo Soares


34

A falta de infraestrutura tornou-se um problema para o ABC, que poderia crescer mais

42 46

Obras do Metrô Leve devem começar ainda neste ano

Três áreas contaminadas do ABC são consideradas as mais críticas do Estado

GUIA

75 Foto: Tatit Brandão

Os melhores lugares para comer, beber e se divertir você encontra no roteiro de restaurantes. bares e padarias

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

7


Entrevista

Com a palavra, o (novo) senhor CBF O presidente licenciado do Corinthians, Andrés Sanchez, recebeu a LEIA ABC e concedeu uma entrevista exclusiva. Polêmico, o agora diretor de seleções da CBF não se reserva ao dizer que deixará a entidade se não tiver liberdade para trabalhar. Além disso, fala sobre seus feitos e o legado que deixa após quatro anos à frente do maior time do País Gustavo Dezan - gustavo.dezan@leiamaisabc.com.br Wallace Nunes - wallace@leiamaisabc.com.br João Pedro Schleder - Colaborador

Ser presidente do Corinthians lhe deu muita exposição na mídia. Qual é o balanço que o senhor faz sobre essa aparição extrema? Ser pessoa pública nesse País é um crime. Ou você é taxado de homossexual ou de ladrão. Como ninguém me chama de “viado”, eu sou “ladrão”. O senhor não passava por isso enquanto era diretor do clube? Não. Nunca. Nem 10%. Em um clube onde o regime era presidencialista, o diretor só tomava porrada quando o time ia mal. Mas essa pressão é criada por quem? Jornalistas esportivos. Não são todos, mas a maioria. O problema do futebol é que tem muita fofoca, muita insinuação. Jogam teu nome no ar, fatos que não têm nada a ver. O jornalista tem a fonte, mas quem é a fonte? Sempre publicam em off. Isso sim é um crime. O cara ouve comentários de pessoas próximas e amigos do presidente e já sai insinuando qualquer coisa. Eles não podem jogar no blog ou publicar uma matéria sobre fatos que nem conhecem. Se acham que sou ladrão, porque não vão à delegacia e prestam queixa? 8

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Então por que o senhor não processa essas pessoas? Processar para quê? Para reverter em dez cestas básicas? Hoje em dia um insano mata a mulher com dez tiros nas costas e não vai preso. Vou pagar advogado, esperar dois anos para ganhar a causa e ver a pessoa que me lesou pagar com cestas básicas? Se for assim, eu mesmo compro e dou para qualquer entidade que necessite. Qual é o balanço que o senhor faz do seu mandato a frente do Corinthians? Errei bastante, mas também acertei. Isso ocorre com todos que tomam decisões diariamente. Mas acho que o meu maior legado dentro do clube foi resgatar a credibilidade do corintiano. Hoje, o torcedor tem orgulho de falar que é corintiano. Não que não tinha antes, mas não havia tanto envolvimento, fora alguns mais loucos. Nos dias atuais, observamos pessoas de todas as classes sociais que torcem pelo Corinthians. É um envolvimento com orgulho. E quanto aos títulos conquistados? Quando assumi o clube não prometi títulos, até pela caótica situação em que estava. Eles vieram por competência da comissão técnica e dos atletas. As mudanças foram significativas? Fizemos um novo estatuto. O conselho criou uma comissão que fez revoga-

ções. Agora não há mais reeleição, não tem mais indicação para conselheiros e hoje tudo é votado pelos sócios. Espero que, no futuro, a torcida possa votar para eleger o presidente, conselheiros e tudo o mais. Porque o Corinthians, queira ou não, é 90% futebol. O que vejo como mais importante é que o clube nunca mais vai ter dono. Pode se dizer que o autoritarismo no clube chegou ao fim? Era preciso acabar com essas coisas de mandato do Andres Sanchez, do João Pedro, do Pedrinho. É um projeto e o mandato é do Corinthians. Eu não sou presidente do Corinthians, estou presidente. Se você andar pelas dependências do clube, não vai ver meu nome em lugar nenhum. Qual foi a importância da contratação do Ronaldo para o fortalecimento do seu mandato? O Corinthians era uma coisa antes da chegada do Ronaldo e outra depois da sua presença aqui. Ele foi um jogador que nem eu, nem ninguém acreditávamos. Não contratei o Ronaldo, foi ele que quis vir para o Corinthians. Ninguém contrata um jogador do nível do Ronaldo. Ele acreditou em mim, no projeto, se apresentou e começou a treinar sem contrato, sem patrocínio, sem nada. A partir daí, fomos juntos buscar tudo, e muita coisa mudou. Ter


um jogador do nível dele no Corinthians fez, obviamente, com que o torcedor ficasse muito maior, mais forte, com a moral elevada. O Ronaldo hoje é um parceiro enorme para os próximos dois, três anos. Ele tem contrato até 2013 e participa de muitas coisas. O Centro de Treinamento, que inauguramos em 2010, teve a participação dele, com imagens, com ideias, até com investimento financeiro dele. Seu sucessor vai dar continuidade ao seu trabalho? O meu candidato (Mário Gobbi), se for eleito, já tem um projeto. Ele fazia parte da equipe desde o começo. Foi meu diretor por três anos. É claro que haverá alguns acertos, mudanças de postura. Ele vai dirigir o clube da maneira dele. Mas o projeto em si está pronto para os próximos dez anos. Por isso, eu acho que a manutenção da continuidade é importante. Apesar da união da oposição - Paulo Garcia, Roque Citadini e Osmar Stábili - espero que o sócio entenda que a continuidade é mais importante. O Mário Gobbi tem chance, mas é uma eleição, quatro, cinco, dez mil que vão votar.

Fotos: Tatit Brandão

Mas a oposição aqui não é fraca? Fraca porque você não estava lá diariamente. Fica lá o dia todo, toma café da manhã, participa da reunião do conselho para você ver se é fraca! Melhor tentar assumir a cadeira para ver como era fácil ser presidente do Corinthians por quatro anos. Alguns de vocês não vivenciam o dia a dia do clube, de vez em quando leem uma notinha no jornal e acham que a oposição não apita nada. Não chega a ser fraca, mas não é igual aos outros grandes clubes da cidade. O Palmeiras não tem situação, não tem oposição, é tudo um caralho de barro. Você pode falar que a oposição no São Paulo é mais fraca. É lógico, o cara (Juvenal Juvêncio) está lá há sete anos. O (Alberto) Dualib tinha oposição aqui? Quantos anos ele ficou sem oposição aqui? Agora me explica por que ficaram sem oposição? Por causa da longevidade nos cargos. Isso tem que acabar. Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

9


Entrevista Mas então qual foi seu maior legado? O clube não ter mais dono. Não tem reeleição. O cara fica aqui três anos e vai embora. Se eu quisesse ficar, não ficaria? Não tinha nem candidato. Você acha que eu posso ficar aqui seis anos? Por mais condições financeiras que eu tenha, não dá. Não ganhava nada, era puro amor.

O estádio só foi viabilizado por causa da falta de articulação de outros clubes, sobretudo o São Paulo? Olha, tentaram, mas de vez em quando uns conseguem, outros não. Eu estava no momento certo, na hora certa e com as pessoas certas. Não estou dizendo que os outros são incompetentes, mas articulação política é complicada.

Então não vale a pena ser presidente? Não é que não vale. Não é possível ficar seis, sete anos sendo presidente de um clube. Três anos são suficientes. Porque aí, não é o meu mandato, é o projeto. Se amanhã outro cara que não for da minha equipe vencer o pleito, ele tem que ter um projeto de governo. Tem que ser como na carreira pública, sai um, entra outro. Muitas coisas ficam paradas porque um começa e o outro não termina. O clube de futebol é diferente. Tem que ser para o bem do clube, independente da situação ou da oposição. Todos são corintianos. E se todos torcem, tem que pensar no clube independente de opiniões ou de posições político-partidárias diferentes. Lá, havia pessoas que matavam para obter poder e esqueciam-se do projeto do clube.

Mas a rivalidade entre Corinthians e São Paulo ficou mais acirrada nos últimos anos. Por que? É tudo uma questão comercial e técnica. Eu pagava 300 mil pra alugar os camarotes do Morumbi. Como somos maioria em todos os segmentos, você acha que ele alugava a maioria dos camarotes para quem? Cem mil de aluguel não era nada, era merreca. Quem passa mais na televisão? Passavam 50 jogos do Morumbi na televisão por ano, agora passam 11. Cem por cento do valor do camarote e propaganda eram do São Paulo. Pergunta o quanto ele perdeu de camarote, alimentação,

E o estádio? É a cereja do bolo. Desde que assumi, tinha o projeto de construir um estádio, mas não no nível que vai ser. Isso nem nos meus sonhos. Sonhava com um local para a realização das partidas para 45 mil pessoas, humilde, simples, para o corintiano. Felizmente ou infelizmente se tornou esse monstro. Sim, um monstro para o bem. O estádio do Corinthians será um dos melhores do mundo. E isso ocorreu por quê? Por causa das minhas articulações, por causa da Copa do Mundo, da CBF, da União, do Estado, do município e da FIFA. Sozinho nunca conseguiria construir. Foi toda uma articulação que resultou no bem da cidade e do Estado. A cidade de São Paulo, que está no maior Estado da federação, não podia ficar fora de uma Copa do Mundo. E ficou muito próximo de não ter Copa do Mundo em São Paulo. 10

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

“O estádio do Corinthians nasceu e se viabilizou porque estava no momento certo, no lugar certo e na hora certa.”

estacionamento, propaganda. Eu precisava fazer isso, era meu maior rival no campo. Você acha que eu o enfraqueci ou não? Voltando ao estádio, existe uma polêmica em relação ao pagamento das arquibancadas provisórias para receber a abertura da Copa. Quem, de fato, vai pagar por isso? O governo não quer pagar, eu também não quero. Se acharmos alguém que pague, como patrocinadores, será mais fácil. O que o governador Geraldo Alckmin quis dizer, e que infelizmente a dona Mônica Bergamo (jornalista da Folha de São Paulo) não entendeu, é que vai buscar parceiros para pagar. A obrigação de pagar é do governo, está nos encargos da FIFA. Ele (o governo) não fez acordo comigo. A FIFA, quando assinou um protocolo em 2006 para realizar a Copa do Mundo no Brasil, colocou no papel que tudo que for provisório é responsabilidade do governo do Estado, não é nem do município, e acabou. O governo federal tem a sua responsabilidade, o estadual, o municipal e o clube também. Não é nada político, é obrigação. O senhor sabia que chegar ao Itaquerão pelo ABC é mais rápido do que enfrentar o caótico trânsito da região Leste da capital? Essa informação é de pessoas preconceituosas. Isso é ridículo. Mais difícil do que chegar ao jogo da Copa é chegar na sua casa. Na zona leste de São Paulo, moram mais de um milhão de pessoas. O torcedor não tem que se preocupar em chegar ao estádio, tem que se preocupar como chegar em casa depois do trabalho. Quem tem dinheiro deixa o carro em casa e vai de metrô. E quem tem muito vai de helicóptero. Eu não estou preocupado com quem vai chegar ao estádio do Corinthians. Há 30 anos, os políticos não investem na zona leste. E agora, por causa do estádio, vão ter que mudar toda a zona leste. Vai melhorar para todo mundo. O estádio é uma cereja. O importante é você ver o que vai ser feito no entorno do estádio para a população. O Corinthians foi campeão brasileiro tendo somente o goleiro, entre os ti-


tulares, revelado pela base. Por que? Já sei por que você está me perguntando isso. É por causa do Neymar. Pegue os 30 jogadores do Santos e veja quantos da base têm lá. Pegue 30 do Corinthians e veja lá. Não tenho o Neymar, não tenho o Ganso. Agora, nos últimos três anos, nós deixamos muito a base de lado, admito. Tínhamos o CT em Itaquera que teve que sair, por causa do estádio. Há dois anos, nós estamos desalojando e estamos mais ou menos alojados em Guarulhos. Eu mexi em muitas coisas no clube. O Corinthians foi campeão da Copa São Paulo em 2012. E agora? Na metade do ano ficará pronto o CT amador que estamos construindo. Assim, o Corinthians vai voltar a revelar grandes jogadores. Mas realmente ficou um pouco de lado. Nós fomos campeões da Copa São Paulo também em 2009 e quantos jogadores subiram? Esse é o grande problema da base. Nós fomos campeões mundiais Sub17 em cima do Barcelona, que é intocável. Agora o problema é que na base exigese pressão para vencer. E a base não é para ser campeão, é para revelar jogador. O treinador precisa de um lateraldireito, você acha que ele prefere que eu traga o Jonas ou que eu ponha um moleque da base? Ele prefere o cara pronto. Os garatos que foram campeões neste ano estão preparados? É difícil dizer. Se você pegar a foto do Corinthians campeão de 2011, verá que têm 11 jogadores da base. O Lucas, do São Paulo, até um ano não era o melhor jogador do Brasil ou um dos melhores? Agora nem bem titular é. Era base do Corinthians. Com 16 anos, para fazer o primeiro contrato, pediram R$ 1 milhão de luvas. O seu Alberto (Dualib) falou que não ia pagar e ele foi para o São Paulo e estourou. Paguei R$ 1 milhão para o Lulinha. Cadê o Lulinha hoje? É ser humano. Com 16 é craque, com 20 vira uma merda e vice-versa. O Kaká nunca jogou na base do São Paulo, era reserva do reserva, e se tornou um dos melhores do mundo. O Dentinho na base não era ninguém, foi o que mais deu certo. É complicado.

não para a Jovem Pan. Vou falar para os jornalistas pegarem o conteúdo lá na TV Corinthians, como faz o Barcelona. Mas se eu fizer aqui, mandam me prender, porque o repórter esportivo está todos os dias lá no CT. Vão me xingar, é porrada. Mas vamos profissionalizar.

“Têm coisas ruins no futebol brasileiro? Têm, mas têm muitas coisas boas. Não pode nivelar por baixo.” O departamento de marketing do Corinthians funcionou bem durante seu mandato. Como explicar isso? Deleguei bem. Eles fizeram bem feito, mas também erraram pra cacete. Os outros times não trabalham, mas ninguém tem 30 milhões de torcedores. Você pode cobrar isso do Flamengo. O São Paulo tem marketing há dez anos, diziam que era o melhor do Brasil. Agora está com problemas, até porque o meu era muito ruim. Por isso que o deles era bom. O meu torcedor é um cliente. Como eu faço para vender o meu produto para ele? Esquece a paixão. Temos que tratá-lo como cliente. Aí você sai com camisa roxa, os caras te chamam de filho da puta, porque não tem nada a ver com o time. Mas somos 35 milhões, não tem nada a ver com cinco. O senhor até criou uma TV. Tem dado certo? Mais do que certo, mas a cultura de mídia precisa mudar. Tem que profissionalizar. Contrata-se o Montillo, vou dar entrevista para a TV Corinthians,

É possível fazer um balanço do futebol brasileiro e seu atual momento? Não considero que os últimos anos tenham sido péssimos. Podem não ter sido bons, muito menos nivelados por baixo. Isso é balela de imprensa esportiva. Uma grande parcela de brasileiros tem a mania de colocar tudo para baixo e não é assim. Têm coisas ruins no futebol brasileiro? Têm, mas têm muitas coisas boas. Um exemplo, quando começa o campeonato espanhol, dois times disparam e os outros ficam para trás. Começa o Brasileiro, têm dez. É por que é nivelado por baixo ou por que é mais forte? A situação econômica do Brasil ajudou muito o futebol. A situação econômica ajudou bastante os times brasileiros. Mas é preciso ter cuidado, porque com arrecadação maior você começa a pagar salários absurdos. O que estão pedindo já começa a ficar fora da realidade. O meu jogador também é CLT. Se é P.J. (Pessoa Jurídica), vou preso. Por exemplo, ele ganha R$ 1 bilhão, mas só trabalha três horas por dia, à noite e nos finais de semana, como é que ele pode ser regido pela mesma CLT e ter o mesmo direito que você? Hoje é assim. Por isso, tem processo milionário. Não faz hora-extra, mas trabalha de domingo, concentra dois dias antes, fica preso um mês para a pré-temporada. Então tem que ter uma lei específica para atletas, não só para o futebol. Dizem que atleta de vôlei, de basquete é amador, mas muita gente ganha R$ 100 mil no basquete. O Falcão (atleta do futsal) ganha R$ 400 mil. Eu tenho jogador aqui no salão que ganha R$ 60 mil, e são ditos como amadores. São amadores? Agora o atleta de futebol de salão vem aqui, joga três horas por dia e vai embora para casa... Joga fim de semana e é regido pela mesma Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

11


Entrevista CLT que todo funcionário brasileiro. Então não é pela saudade que o jogador quer voltar? Jogador brasileiro não quer voltar para o Brasil porque o Brasil é bonito. Quer voltar porque ganha mais hoje. Atualmente, você paga salário no Brasil mais do que na Europa. Esse negócio de que quer voltar porque é o País é balela. Jogador volta e vai por dinheiro. Ele não vai porque quer ter uma cultura nova na Espanha ou na Itália. Ele vai porque vai pagar mais. Por isso ele vai para Rússia, vai para o fim do mundo. Nos últimos 30 anos sempre foi dinheiro. A TV hoje é a maior receita dos clubes? Qual a importância do novo contrato? O que posso falar sobre o valor da TV é que a distância entre os ganhos dos clubes não é maior. Nem tudo que escrevem é verdade. Se fosse assim, eu já estaria preso. A diferença de pagamentos de dividendos dos jogos televisionados dos clubes é de 20%. Na Espanha que é 70%. Antigamente era 20%. Aqui no Brasil, antes a diferença era o Corinthians, São Paulo, Flamengo, Palmeiras e Vasco. Hoje, é Corinthians e Flamengo. São Paulo, Palmeiras, Vasco e Santos estão em segundo e depois vem Cruzeiro, Atlético, Internacional e Grêmio. Mas a diferença é 20%. Deveria ser muito mais. Quantos jogos meus aparecem na televisão? Isso é justo? Se for ver pela diferença de nível, de Ibope, eu (no caso o Corinthians) tinha que ganhar muito mais. A diferença da televisão não põe em risco o equilíbrio. O que põe em risco é como o clube está sendo administrado. Hoje, a receita da televisão para o Corinthians é a quarta. Eu tenho patrocínio maior, ingresso maior, lojas maiores. Em 2012 será ainda maior, mas se eu conseguir manter e aumentar a receita de bilheteria, a receita de patrocínio, obviamente que a minha diferença até para o Flamengo vai aumentar. Isso vai da administração. Esse suposto aumento para clubes como o Corinthians e Flamengo ocorreu por causa do seu rompi12

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

mento com o Clube dos 13? Não há necessidade da existência do Clube dos 13. Havia dez anos que essa entidade só renovava contrato de televisão e mais nada. Não discutia problemas trabalhistas, não discutia problemas de imagem do jogador. Mas quem tem que discutir? A associação dos clubes. Não vou eu sozinho discutir. Por isso, tem que montar uma associação nova, com outras ideias. Eu sou a favor de uma liga profissional, mas não o que era aquilo. Foi importante no começo e virou obsoleto. Era discussão apenas para renovação de contrato com a TV. E para renovar o meu contrato com a TV, eu não preciso de ninguém, renovo eu. O senhor defende uma lei específica para o esporte? Fato esse que o Clube dos 13 não fazia. Na Petrobras não se aposenta com 25 anos de trabalho. É com 35 anos. O atleta também é com 35 anos, só que ele não consegue trabalhar mais do que 18 anos. Por isso que o Clube dos 13 tinha que brigar. Como é que um jornalista, um ator de televisão pode ganhar por uma empresa que ele mesmo criou? Ele abre a empresa e recebe por isso, não é crime, não é sonegação, não é nada. Eu pago imagem para um atleta, quando ele vai embora ele processa e é considerado salário. Por esse tipo de lei que eles tinham que brigar. O que o senhor acha da reorganização do Clube dos 13? Não existe possibilidade de reestruturação. O Clube dos 13 só não acabou porque tem seis clubes membros, três por causa de eleição. Tem mais, um presidente (Fabio Koff) ganha R$ 82 mil. Esse dinheiro de quem é? É dinheiro que sai dos clubes. Se a televisão pagava R$ 1 bilhão, R$ 5 milhões era para manutenção do Clube dos 13. Você acha que eu não tenho razão em quebrar o pau? Estou no Corinthians, sou chamado de ladrão e não ganho nada. Coloquei meu patrimônio de R$ 32 milhões como garantia no Corinthians. Você acha que eu posso deixar o cara ganhar R$ 80 mil para não fazer nada?

O senhor é criticado por ser muito próximo dos empresários do futebol. Não é que eu sou próximo, é que todo jogador tem empresário. Quero que empresário morra, mas eu sou obrigado. Tive a maior briga com o empresário do Tite. Eu falo com o Tite para renovar contrato, ele fala que o Gilmar Veloz (seu empresário) é que vai discutir. Aí, eu falo que não atendo empresário. Outro exemplo, se vou contratar o Ronaldo, você acha que eu falei com o Ronaldo ou com o Fabiano Farah? Eu trabalho em conjunto com o empresário, nada mais. Mas um dos fatores que fez nascer a figura do empresário foi a Lei do Passe, não foi? A Lei do Passe é ridícula. Melhorou um pouco agora, mas tem que mudar mais. Da maneira como está não dá para ficar. Os direitos federativos são do clube. A FIFA não reconhece empresário. Por exemplo, eles trazem o garoto com 14 ou 15 anos. Eles dão R$ 200 mil para a família comprar uma casa, um carro e assinar papel em branco com todos os direitos. Se eu fizer isso, sabe o que vão fa-


mais de 20 anos que não tem esse cargo. Foi montado agora na reestruturação da CBF. Só digo uma coisa: do jeito que está não fico. Vão ter que mudar muitas coisas. Se não, pego meu chapéu e vou embora. Vou com um peso político de ser expresidente do Corinthians. Não sou contratado do mercado. Eu não sou profissional do futebol. Sou um cara bem articulado, é outro peso. Se eu for lá para ser mais um eu vou embora, vou ficar fazendo o que lá? A CBF é presidencialista, você tem que dar satisfações ao presidente, mas eu tenho minhas autonomias. É a mesma coisa o Ronaldo no COL. Se ele não puder fazer o que ele acha que tem que ser feito, ele vai embora. Vai da competência de cada um buscar espaço e tentar melhorar aquilo que você acha que dá para melhorar.

lar: “Porra, o Andres está de esquema com os caras. É dono, é sócio”. Com 16 anos ele vai fazer o primeiro contrato. Sabe quem vem aqui? Dois empresários e dois advogados e com discurso pronto. “Olha aqui, eu quero 30% dos direitos econômicos do atleta, R$ 500 mil de luvas e R$ 10 mil por mês”. Eu posso falar que não aceito, ele pega o jogador e vai para o São Paulo, para o Palmeiras. Uns eu pago, outros eu não pago, faço composição. O moleque hoje com 16 anos só assina se você der 20% ou 30% dos direitos econômicos para ele. Quando comprei o Defederico, havia cinco donos. Isso porque na Argentina só têm bonzinhos. Mas agora o senhor é dirigente da CBF. Eu já tinha pouco pepino. Vamos esperar para ver. Tenho que conhecer o terreno, não conheço nada. Conheço o presidente, mas nunca fui à casa dele, nem ele a minha. Você acha que ele me contratou porque eu sou amigo dele ou porque eu fiz um bom trabalho no Corinthians? Se fosse para por amigo, ele colocava o filho dele. Mas ele é muito criticado.

É óbvio. Tem mil defeitos, mas burro ele não é. Não está desgastado nada. Ele está cagando e andando, como sempre. É uma entidade privada. Ele está na entidade há 20 anos, enfrentou duas CPIs. Será que nós somos tão incompetentes assim para não podermos derrubá-lo? Estraçalharam a vida do cara e ele está aí. Anda para cima e para baixo, o governador o atende, a presidente o atende. Ou são insinuações? Mas agora você terá ainda mais telhado de vidro. Lógico. Vou estar exposto, eu sei disso, mas é um ônus que tenho que pagar. Não podia falar não para o Ricardo Teixeira e muito menos virar as costas para a nação brasileira. Eu acho que eu tenho muito a acrescentar na CBF. Não trabalho para ser diretor, muito menos para ser presidente (CBF), mas o futuro a Deus pertence. Acho que tem gente na minha frente. Minha participação na CBF por dois, três anos vai ser importante. E o que vai fazer nos primeiros dias? Primeiro eu tenho que conhecer. Há

Mas e sua relação com os outros clubes a partir de agora? Será a mesma. Dou-me bem com todo mundo. Muita gente acha que me mato com o Juvenal (Juvêncio), me mato nada. Jantamos, tomamos cerveja, tomamos whisky. Agora quando é jogo de futebol, quando é parte comercial, eu quero matá-lo e vice-versa. Faz parte do processo da rivalidade. O senhor é a favor da mudança de calendário no futebol brasileiro ou mesmo o formato do campeonato? Quem defende o mata-mata é a Globo. O resto defende os pontos corridos. A Globo acha que dá mais audiência. O Paulista já é um mata-mata e a Libertadores, também. Acho importante ter um de pontos corridos. A CBF está vendo, mas nunca vai se equiparar ao Europeu. Não existe jogar dia 22 de dezembro no Brasil. É cultural. O senhor é filiado ao PT. Tem alguma pretensão de ser político? Pretensão zero, nunca. Para nenhum cargo, para porra nenhuma. Já fui convidado muitas vezes e com pressão forte, mas meu estilo não é de política. Meu estilo é sindicalista. Se você me colocar no sindicato, é minha praia. Se me colocar no congresso, eu estou morto. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

13


Editorial

2012: Um ano de preparação para 2013

14

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

dias, mas sim um período de preparação para o que vai acontecer. Aprendemos com os erros do passado e sabemos que, para haver crescimento equilibrado, é preciso envolvimento de todos. Governos, empresas, empregados e, por sua vez, consumidores. Nós, que estamos no ABC, não esperamos para ver, mas sim trabalhamos para que tudo aconteça. A segunda edição da LEIA ABC mostra isso. É uma revista de atualidades. Todas as editorias trazem notícias que mostram o quanto a região está pujante. Aqui, justifica-se a fama de termômetro da economia nacional e, não há como parar. No setor de habitação, como está na matéria de imóveis, crescemos mais do que a Capital em número de lançamentos. Na editoria de cidades, mostramos um problema: praticamente não há, nas sete cidades, políticas públicas de acessibilidade que façam deficientes físicos e visuais serem enxergados como cidadãos comuns. Mais: a matéria de capa mostra a capacidade e a plena condição de crescimento, mesmo com o Poder Público deixando a desejar em relação à melhoria de infraestrutura.

Leia e boa leitura Carlos Carreiras

Foto: Tatit Brandão

A

observação do comportamento alheio, muitas vezes, ajuda a aprimorar o autoconhecimento. Assim como na vida, na economia, a comparação de nossa experiência com a de outros países pode nos dar dicas de nossos defeitos e virtudes. O Brasil, a bola da vez no cenário econômico mundial, é invejado por muitas nações pela sua quase perfeita lição de casa. Rigor fiscal, plano de crescimento do consumo no mercado interno e levantamento de antigas barreiras que estimulam o crescimento do emprego que, por sua vez, aumentam o consumo e fazem a alegria de muitos empresários de todos os setores. Entretanto, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011 ficou aquém das expectativas do governo, mas em linha do que os analistas de finanças mostraram ao longo do ano que passou. Isso demonstra que a previsão de crescimento em 2012 será um pouco melhor. Sim, é isso mesmo. Explica-se: a recessão em muitos países da Europa, o segundo maior mercado comprador de produtos fabricados no Brasil -muitos deles a partir do ABC-, já é uma realidade. Mais de 15% da população espanhola está desempregada. Por isso, muitas empresas frearam seus investimentos e começaram a se proteger. É um sinal de alerta para entender o que, de fato, vai acontecer com a economia ao longo desse ano. Não teremos dúvidas que será um ano de preparação para o ótimo crescimento econômico em 2013. Não é mágica e não temos bola de cristal. Muitos menos um descarte de 365


Sustentabilidade que traz desenvolvimento. Construção de adutora que vai levar água industrial gerada a partir dos esgotos tratados para o Pólo Petroquímico. Essa obra vale a pena.

2,58

800

1.000

bilhões de litros de água de economia por mês

novos postos de trabalho

litros de água de reúso produzidos por segundo

Com a contribuição de toda comunidade do ABC, o Aquapolo Ambiental vai beneficiar a região com mais água disponível para a população, desenvolvimento econômico, geração de empregos e preservação do meio ambiente. Acesse o site e saiba mais sobre a importância da água de reúso. Projeto Aquapolo, premiado em 2011 como um dos mais inovadores projetos sustentáveis do mundo.

Apoio:

www.aquapolo.com.br Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

15


ABC em Aberto

Auuu!!! Em entrevista exclusiva ao “J+ 2ª Edição”, na TV+, em dezembro passado, Frank Aguiar, vice-prefeito e ex-secretário de Cultura de São Bernardo, revelou em primeiríssima mão que poderia, sim, voltar atrás na decisão de não compor chapa com o prefeito Luiz Marinho nas próximas eleições municipais. O fato se confirmou no final de janeiro. O replay da dobradinha vai depender agora de muitas conversas nas esferas do poder bernardense, pois há petistas que ainda assim defendem chapa pura. Como diria o ex-prefeito Tito Costa, em política até “vaca pode voar”.

Gustavo Baena gustavo@leiamaisabc.com.br

Memória 1

Fotos: Divulgação

Para marcar 21 anos de existência, o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC inaugurou seu Centro de Documentação e Memória (Cedoc). O local é uma homenagem ao prefeito de Santo André Celso Daniel, assassinado em 2002. Cerca de 750 livros e artigos escritos pelo político petista compõem o acervo. A iniciativa mereceu elogios do ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

Memória 2 “Muito das boas e melhores políticas do nosso governo decorreu da relação entre governo e sociedade. Portanto, a capacidade de ouvir e o desejo de desenvolver políticas de inclusão são ações absolutamente necessárias para a construção de um governo democrático. Isso, Celso Daniel já desenvolvia com maestria”, fez questão de relatar Carvalho. Ele esteve em evento comemorativo e de posse do novo Conselho Consultivo da entidade que agrega as sete prefeituras da região. 16

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Auuu, auuu!!! Mas Frank Aguiar, que ficou famoso como o Cãozinho dos Teclados, não desiste da ideia de dar mais atenção à carreira artística, deixada um pouco de lado. Neste ano, saem do forno um livro e um filme sobre sua trajetória, além de um DVD em comemoração aos 20 anos de estrada. Para marcar a ocasião, 20 artistas passarão, ao longo de uma semana, pela casa do cantor em São Bernardo para a gravação. Entre eles, Beto Barbosa, Calcinha Preta e Michel Teló, do sucesso “Ai Se Eu Te Pego!”. “Tudo com direito a dançarinos e convidados à vontade pelos ambientes da casa. No melhor estilo reality show”, entrega Frank.

Futuro 1 O fato é: a vaga de vice de Luiz Marinho é das mais cobiçadas em São Bernardo. O PTB – apesar da disposição de Gilberto “Giba” Marson – só teria garantida a continuidade da parceria com o PT caso Frank Aguiar decline da decisão de dar um tempo na política local. Já o PMDB articula-se cada vez mais e são grandes as chances do vereador Tunico Vieira passar para o status de vice, embora alardeie aos quatro cantos que sua pré-candidatura a prefeito ganha cada vez mais força.

Futuro 2 E a possibilidade de chapa pura ainda não pode ser descartada, apesar de Marinho fugir do assunto – que envolve a provável candidatura dele ao governo do estado em 2014. Os nomes mais bem vistos nos quadros do PT seriam o da ex-primeira dama da República, Marisa Letícia, e o do secretário municipal de Saúde, Arthur Chioro.

Esfriou Desde que o vereador José Ricardo deixou a presidência do diretório do PSB de Santo André, o nome do parlamentar perdeu força como favorito para compor a chapa encabeçada pelo petista Carlos Grana à prefeitura da cidade. Explica-se: o atual comandante da legenda, Ivo Lima, vem defendendo a reeleição do prefeito Aidan Ravin (PTB). Vale lembrar que Lima adota tal postura por ser alinhado a Nilson Bonome, do PMDB. Será que as coisas podem virar?


É você 1...

É você 2...

Já que São Bernardo está em pauta, esta vem bem dos bastidores políticos. Fontes muito próximas a Lula garantem que durante encontros com amigos - sempre regados a cervejinha - o ex-presidente da República faz questão de frisar o nome de seu preferido para a disputa ao governo do Estado em 2014: Luiz Marinho. Com direito a abraços e tapinhas nas costas.

Mesmo diagnosticado com um câncer de laringe, Lula segue comandando o tabuleiro eleitoral e, embora cogitados, os nomes de Emídio de Souza, prefeito de Osasco, e Aloízio Mercadante, ministro da Ciência e Tecnologia, não contam com a mesma simpatia de Marinho. Nesse caso, o PT terá de pensar muito bem na escolha de seu vice na eleição municipal de 2012 para não correr riscos. Afinal, São Bernardo é um ponto estratégico, que tem merecido atenção especial do Governo Federal.

Independente Nilson Bonome, agora fora do governo Aidan Ravin, terá pela frente a missão de viabilizar sua candidatura a prefeito de Santo André. Apesar da determinação da executiva estadual do PMDB para que encabece chapa majoritária, terá de articular com os colegas de partido Sargento Juliano e José de Araújo. Isso porque os dois, que são vereadores, já haviam manifestado apoio ao projeto de reeleição de Aidan. “Essa é uma manifestação pessoal de ambos, não o direcionamento do partido”, defende Bonome. Nos bastidores políticos, há quem provoque dizendo que os vereadores podem forçar prévias no PMDB para complicar Bonome. Outros ainda apostam que no último minuto do segundo tempo o ex-homem forte da Prefeitura fechará para ser vice de Carlos Grana (PT). O tempo dirá...

Movimentação Com tantas mudanças no cenário eleitoral que já se desenha em Santo André, a tendência é que Paulinho Serra - embora ainda trabalhe para fortalecer candidatura própria - jogue a tolha.Isso porque o PSDB agora estaria, de fato, mais próximo de uma aliança com Aidan. O nome cotado para a vaga de vice do atual chefe do Executivo seria ainda o da secretária de Educação do município Cleide Bochixio. Em tempo: parceiro do petista Vanderlei Siraque nas eleições de 2008, o sindicalista Cícero Martinha acertou que vai concorrer neste ano como candidato a vice de Raimundo Salles. Desta forma, o PDT parte para a disputa com chapa pura.

Economia Durante campanha de aniversário, a Coop incrementou sua marca própria Coop Plus com novo sorvete no mercado. Isso deu ainda mais fôlego para a cooperativa, com 22 lojas no ABC. Em edição limitada para o Natal, foi lançado o sabor Panettone com Flocos de Chocolate. A meta de elevar a venda de sorvetes próprios de 25% para 28% foi atingida. Já vinhos e espumantes, graças às promoções, tiveram incremento de 7% nas vendas.

Nas urnas 1 A disputa pela cadeira de chefe do executivo em São Caetano vai ser das mais acirradas no próximo ano com a impossibilidade de reeleição do atual prefeito. Edgar Nóbrega (PT), Getúlio de Carvalho (PSC) e Éder Xavier (PCdoB) – ferrenho adversário do atual governo - já surgem como pré-candidatos. Mas é Paulo Pinheiro (PMDB), ex-integrante da base governista, quem aparece como principal adversário da candidata da administração.

Nas urnas 2 O peemedebista produziu um jornalzinho de prestação de contas que distribuiu pela cidade e tem marcado presença nos principais eventos locais. Outra aposta são as redes sociais, com posts constantes em Twitter e Facebook, além de um site totalmente reformulado. Assessores de Pinheiro que agora se define com um vereador independente – dizem que, em pesquisas internas de opinião de voto, ele aparece com vantagem de até 20% sobre a segunda colocada. “Mas a briga com a máquina pública não será nada fácil”, reconhece o pré-candidato, agora fortalecido com cargo na executiva estadual do PMDB.

Nas urnas 3 Cada vez mais próximos, Edgar Nóbrega e Getúlio de Carvalho podem fechar acordo. Carvalho – que é presidente do PSC sulsancaetanense – seria vice do petista no pleito de 2012. É bom lembrar que Pádua Tortorello, irmão do lendário prefeito Luiz Olinto Tortorello – eleito três vezes e que morreu em 2004 – filiou-se ao PSC com a promessa de concorrer ao Executivo. Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

17


Expediente

Publisher Carlos Alberto Carreiras Jornalista Responsável e Editor Executivo Wallace Nunes (MTB 55.803/SP) wallace@leiamaisabc.com.br Editora de Arte Evelyn Domingues Repórteres Natália Regazzo e Gustavo Dezan Fotografia Calebe Simões e Tatit Brandão Revisão Erika Quintal Distribuição Vilson de Almeida Coladoradores Nei Brandão, Paulo Soares, Gustavo Baena, Izabelle Stein, Nelson Moraes, Nivaldo Prieto, Orlando Duarte, João Pedro Schleder A LEIA ABC é uma publicação mensal produzida pela editora SUSTENTABILIDADE EDITORIAL LTDA EPP, em parceira com a TV . Endereço da Redação Rua Reginaldo de Lima 144, sala 2 CEP 097732-550 - São Bernardo do Campo - São Paulo redacao@leiamaisabc.com.br Tel: 11 2355-8545 Para anunciar ligue: 11 3757- 1910 Impressão Intergraf - Soluções Gráficas Direitos reservados Fica proibida a reprodução total ou parcial desta revista, sem a devida autorização por escrito do seu produtor legal. 18

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


The Fifties, a hamburgueria com o charme das típicas lanchonetes americanas, agora no ParkShoppingSãoCaetano. Venha descobrir por que o sabor dos anos 50 marcou época e continua irresistível. www.thefifties.com.br

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

19


Economia

Declarar falência para fugir das dívidas

Foto: Tatit Brandão

Projeto de lei, que está sendo analisado pela Câmara dos Deputados, prevê que pessoa física que estiver endividado vai poder dizer ao órgão regulador que não consegue pagar conta e montar plano de recuperação judicial

O

Redação Leia

ABC

calvário das pessoas que estão muito endividadas pode ter uma solução considerável a partir do segundo semestre de 2012. Deputados federais estão estudando um projeto de lei onde prevê que pessoas físicas poderão ter plano de recuperação judicial, nos moldes do que a Lei de Falências prevê para empresários. Pela proposta, de autoria do deputado Fábio Faria (PMN-RN), a recuperação judicial suspende todas as ações e execuções contra o devedor. O plano de recuperação judicial poderá ser requerido antes da declaração de insolvência e prevê o pagamento periódico de parcelas das dívidas até que todas as obrigações do devedor sejam liquidadas. Para ter o direito ao benefício, o devedor deverá propor em juízo um plano de recuperação com descrição detalhada dos seus bens e meios de pagamento das dívidas. Caso o juiz aprove o plano, será publicado um edital que fixa o prazo para que os cre-

20

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

dores possam fazer qualquer objeção ao devedor. De acordo com o projeto, o juiz responsável pela ação de recuperação judicial de pessoa física ficará responsável também por todas as demais ações contra o devedor do mesmo tipo. Caso os prazos e as metas previstos no plano não sejam cumpridos, o devedor estará sujeito à declaração de insolvência civil. Pela proposta, o devedor que obtiver sua recuperação judicial só poderá requerê-la novamente depois de passados cinco anos. Superendividamento O deputado Fábio Faria acredita que a medida vai ajudar pessoas superendividadas que querem regularizar sua situação. A intenção da medida “não é dar privilégios a maus pagadores”, mas recompor a situação daqueles que foram prejudicados por situações econômicas imprevisíveis. O objetivo é analisar casos de devedores que estão em tal situação por conta de complicações financeiras resultan-

tes de doença, desemprego ou morte na família, por exemplo. A proposta passará por uma comissão especial e pelo plenário. Ao mesmo tempo em que o projeto tramita na Câmara, o CI (Consumers International) lançou nos dias finais de 2011, no Chile, o modelo Lei de Insolvência Familiar, após anos de análise e estudos. A proposta de legislação propõe a criação de conceitos e critérios básicos, com o objetivo de mostrar aos consumidores que o crédito é fundamental para melhorar o padrão de vida da população, mas, para que isso seja possível, é preciso cuidado, atenção, precaução e planejamento ao utilizá-lo. Um dos conceitos propostos seria permitir e incentivar acordos entre o consumidor e seus credores, para que ambas as partes atinjam seus objetivos, diminuindo assim o endividamento. O CI é uma federação que reúne mais de 220 entidades de defesa do consumidor de diversos países, inclusive o Brasil, com a participação do Instituto de Defesa do Consumidor. n


P

Joel Leite (Auto Informe) Especial para a revista Leia ABC

ara as montadoras, o alto valor da mão de obra e a carga tributária são os motivos para que as fabricantes de automóveis no Brasil justifiquem o alto preço de um veículo no Brasil. Entretanto, em nenhum país do mundo onde a indústria automobilística tem um peso importante no PIB, o carro custa tão caro para o consumidor. Uma pesquisa realizada pelo banco de investimento Morgan Stanley, da Inglaterra, mostrou que algumas montadoras instaladas no Brasil são responsáveis por boa parte do lucro mundial das suas matrizes e que grande parte desse lucro vem da venda dos carros com aparência superficialmente modificada. Em 1978 o mercado interno beirava a um milhão de unidades e, à época, as fábricas argumentavam que seria impossível produzir um carro barato. Era preciso aumentar a escala de produção para, assim, baratear os custos dos fornecedores e chegar a um preço final no nível dos demais países produtores. Trinta e quatro anos depois, o Brasil se tornou o quinto maior produtor de veículos do mundo e o quarto maior mercado consumidor, com 3,5 milhões de unidades vendidas no mercado interno e uma produção de 3,638 milhões de unidades. Três milhões e meio de carros não seria um volume suficiente para baratear o produto? De acordo com Cledorvino Belini, presidente da Anfavea, é verdade que a produção aumentou, mas agora ela está distribuída em mais de 20 empresas, de modo que a escala continua baixa. Ele elegeu um novo patamar para que o volume possa propiciar uma redução do preço final: cinco milhões de carros. Na pesquisa do banco inglês Morgan Stanley, os técnicos da instituição calcularam que o custo de produção de carros, como o CrossFox, da Volks, e o Palio Adventure, da Fiat, é 5 a 7% acima do custo de produção dos modelos dos quais deri-

Por que os carros no Brasil são caros? Argumentos das montadoras para justificar o alto preço do automóvel são carga tributária e baixa escala de produção vam: Fox e Palio Weekend. Mas são vendidos por 10% a 15% a mais. Na conta das grandes empresas para justificar o valor do automóvel estão, pela ordem, os impostos que se somam ao custo do capital e onera a produção. Os custos para montar o veículo -que não são divulgados porque é um segredo protegido por lei-, os salários, gastos com funcionários, que deveriam ser papel do estado, mas que as empresas acabam tendo que assumir como condução, assistência médica e outros benefícios trabalhistas. carga tributária O imposto, o eterno vilão, caiu nos últimos anos. Em 1997, o carro 1.0 pagava 26,2% de impostos, o veículo com motor até 100hp recolhia 34,8% (gasolina) e 32,5% (álcool). O analista Adam Jonas, responsável pela pesquisa do Morgan Stanley, concluiu que, no geral, a margem de lucro das montadoras no Brasil chega a ser três vezes maior que a de outros países. Exemplos O Honda City é um bom exemplo do que ocorre com o preço do automóvel no Brasil. Fabricado em Sumaré, no interior de São Paulo, ele é vendido no México por R$ 25,8 mil (versão LX). Neste preço está incluso o frete, de R$ 3,5 mil, e a margem de lucro da revenda, em torno de R$ 2 mil. Restam, portanto R$

20,3 mil. Adicionando os custos de impostos e distribuição aos R$ 20,3 mil, teremos R$ 16.413,32 de carga tributária (de 29,2%) e R$ 3.979,66 de margem de lucro das concessionárias (10%). A soma dá R$ 40.692,00. Considerando que nos R$ 20,3 mil faturados para o México a montadora já tem a sua margem de lucro, o Lucro Brasil (adicional) é de R$ 15.518,00: R$ 56.210,00 (preço vendido no Brasil) menos R$ 40.692,00. Isso, sem considerar que o veículo que vai para o México tem mais equipamentos de série: freios a disco nas quatro rodas com ABS e EBD, airbag duplo, ar-condicionado, vidros, travas e retrovisores elétricos. Será possível que a montadora tem um lucro adicional de R$ 15,5 mil num carro desses? Consultada, a montadora diz que a empresa não fala sobre o assunto. Na Argentina, a versão básica, a LX com câmbio manual, custa a partir de R$ 35,6 mil. Já o Hyundai ix35 é vendido na Argentina com o nome de Novo Tucson 2011 por R$ 56 mil, 37% a menos do que o consumidor brasileiro paga por ele: R$ 88 mil. A Associacion de Concessionários de Automotores De La Republica Argentina, divulgou em fevereiro os valores comercializados do Corolla nos três países. No Brasil o carro custa U$ 37 mil, na Argentina U$ 21 mil e nos EUA U$ 15 mil. O consumidor paraguaio paga pelo Kia Soul U$ 18 mil, metade do preço do mesmo carro vendido no Brasil. Ambos vêm da Coréia. Não há imposto que justifique tamanha diferença de preço. A conta não bate e as montadoras não ajudam a resolver a equação. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

21


Perspectivas

Crise na Europa continuará afetando investimentos no Brasil A crise da dívida pública na zona do euro, que afetou fortemente os mercados globais durante o ano passado, deve continuar influenciando os investimentos no Brasil por um bom tempo, de acordo com o diretor da Apogeo Investimentos, Paulo Bittencourt. “O investidor deve se atentar para alguns pontos importantes para entender como as suas aplicações financeiras podem ser afetadas por problemas aparentemente (e fisicamente) tão distantes. Nós estamos agora integrados em um sistema mundial de investimentos e o que acontece lá fora, rapidamente (em grau maior ou menor) afeta o Brasil de forma positiva ou negativa”, explica o executivo.

Wallace Nunes wallace@leiamaisabc.com.br

Vendas nos shoppings do ABC cresceram

Foto: Tatit Brandão

Depois de contabilizar avanço de 18,6% no faturamento de 2011, com R$ 108 bilhões, os shoppings centers do País esperam crescer 12% neste ano, conforme balanço divulgado pela Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers). Entre os empreendimentos da região, os resultados também foram positivos, com aumento de até 30% nas vendas. Com dois anos de funcionamento, o Shopping Praça da Moça, em Diadema, registrou crescimento de 30%. A administração do andreense Grand Plaza Shopping ficou satisfeita com o incremento de 8,5% no faturamento, mas esperava resultado melhor.

Aumento de público com novas praças Não estão contabilizadas as vendas dos Shoppings ABC (Santo André) e o Parkshopping São Caetano não tiveram suas vendas contabilizadas no estudo. Vale lembrar que no segundo semestre são esperadas mais duas inaugurações de complexos, ambas em São Bernardo. O Golden Square Shopping, na Avenida Kennedy e o São Bernardo Plaza Shopping, no bairro Ferrazópolis. O primeiro é voltado para o público com alto poder aquisitivo e o outro para as classes B e C. 22

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Onde investir Com uma inflação maior e ainda muita incerteza externa, o diretor da Apogeo aconselha que o investidor tenha cautela para entrar na bolsa de valores e monte uma estratégia para se proteger das possíveis oscilações do mercado de renda variável. Uma das alternativas é investir em ações que paguem bons dividendos (distribuição do lucro da empresa entre os acionistas minoritários), que costumam ter um desempenho melhor em épocas turbulentas. “Com a bolsa para baixo, a rentabilidade dos fundos de dividendos é melhor do que a média”, afirma.

O pré-sal chegou As companhias do ABC se prepararam para atender à demanda do pré-sal. Os investimentos previstos para os próximos anos são bilionários e a Petrobras está à caça de fornecedores diretos e subfornecedores. Empresas de todas as espécies nas setes cidades não faltam, estão apostos. Com seus respectivos maquinários atualizados e mão de obra treinada o que falta mesmo é encontrar um novo turno para atender a demanda.

Os gastos e investimentos O potencial de companhias de todos os portes que podem atuar nesse segmento é de pelo menos 3.000 indústrias do setor metalmecânico. Isso sem contar as empresas do ramo químico e as de serviços, principalmente as relacionadas aos projetos de engenharia e montagem.

A cadeia O fornecimento para a cadeia do petróleo e gás é visto como uma mina de ouro, e serve como saída ao atendimento a um único setor, em geral o automobilístico. Parafusos, válvulas, tubulações, bombas de segurança e conexões estão entre os inúmeros produtos que podem ser vendidos à Petrobras, direta ou indiretamente. Kei-Tek Equipamentos Industriais, de Mauá, Uniforja de Diadema e a Consigas, que investiu R$ 40 milhões na construção de uma fábrica na divisa de Santo André com Mauá, estão na frente.


Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

23


Política

PMDB se articula para apoiar prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, que vai disputar o segundo mandato, e já prepara Nilson Bonome como provável candidato a prefeitura de Santo André, mas mantém negociações abertas para apoiar Carlos Grana (PT)

O

João Pedro Schleder Especial para a revista Leia ABC

Foto: Tatit Brandão

PMDB, maior partido do Brasil, está pronto para alçar novos voos nas eleições municipais de 2012. Com um grande número de correligionários, vereadores e homens ocupando secretarias importantes nos atuais mandatos dos prefeitos, os partidários da legenda mostram-se dispostos a barganhar seu apoio em busca de postos que lhes deem visibilidade ou mesmo partir para um voo solo e lan-

Voo solo

já declarado çar candidatura própria em quatro das sete cidades. Em São Bernardo, a sigla negocia na primeira para apoiar o prefeito Luiz Marinho (PT) - que lidera as pesquisas de intenção de voto. Na maior cidade da região, seu expoente maior é o vereador Tunico Viera - que já está na base governista há algum tempo-, mas pleiteia ser candidato do partido neste ano. Nesse município, morada do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, todas as conversas passam pelo crivo do vice-presidente Michel Temer, que tem no amigo Lula como o grande avalista. “Em breve sabemos o que de fato pode acontecer neste ano. O PMDB nos apóia na Câmara e é bem provável que esse apoio continue”, ressalta Luiz Marinho. O prefeito, cujos índices de popularidade tem subido freneticamente, também conversa com parlamentares e caciques de outras legendas, mas também não descarta uma chapa “puro sangue”, tese essa defendida arduamente pelos correligionários da sua legenda na cidade, por causa das eleições de 2014. Nos bastidores as conversas com os peemedebistas ocorrem quase que diariamente e se especula que o candidato a vice-prefeito na chapa de Luiz Marinho seja mesmo Tunico Viera. “Não sei dessa conversa. O que posso lhe dizer é que neste momento apoiamos o prefeito Marinho que apresenta bons índices de popula-

ridade”, diz o vereador. “O PMDB é grande parceiro nosso em nível nacional e pode vir a ser nosso parceiro em São Bernardo. A discussão do vice fica somente para o ano que vem (2012), quando tivermos a definição de quais partidos me acompanharão”, disfarça Marinho. “No que depender de mim, o PMDB está no arco de alianças. Quero o PMDB comigo em 2012”, conclui o chefe do executivo de São Bernardo. Vice não, chapa própria Tunico mostra-se ainda mais entusiasmado com a possibilidade da legenda ter candidatura própria e se lança como alternativa. Segundo ele, o presidente licenciado da legenda, o vice Michel Temer o apóia para empreitada. “Minha popularidade na cidade só tem crescido e acho que é chegado o momento da legenda ter um candidato próprio, pois detenho o apoio do vice-presidente. Sou précandidato”, declarou. Apesar da pré-candidatura à viceprefeitura dada como certa por pessoas graúdas do partido, Tunico Vieira tem outro discurso. “Eu e ele (Marinho) temos um objetivo comum: o melhor para a cidade. E temos a capacidade para fazer essa cidade cada vez melhor. As discussões sobre ser vice ou candidato serão feitas a partir de 2012. Por enquanto, sou pré-candidato a prefeito”, garante o vereador. O que está certo é que o Luis Marinho deve ter como adversário o PSDB do vereador Admir Ferro e dos deputados Orlando Morando e

Peemedebista de SBC, Tunico Vieira diz ter o aval do vice-presidente Michel Temer para disputar a prefeitura 24

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


Foto: Calebe Simões

Virtual candidato: Vereador Admir Ferro (PSDB) deve disputar o pleito em SBC

William Dib, respectivamente estadual e federal. Dos três, o que tem mais chances que de ser candidato é o vereador que conquistou o apoio de Morando e, ao se aproximar da data da convenção municipal tudo indica que Ferro deverá ser o escolhido embora não seja descartada a candidatura de outros dois. “Sou candidato. Não tenho dúvidas que é o melhor para o município”, resume Ferro. Santo André: Aidan, Grana e Bonome candidatos Se em São Bernardo todo caminha em “banho Maria” o mesmo não se pode dizer de Santo André do prefeito Aidan Ravin (PTB). Lá, o mandatário corre para um segundo mandato e quer o apoio de forças poderosas, como a do governador Geraldo Alckmin porque sabe que a disputa com o PT - cujo candidato deverá ser o deputado Carlos Grana. Entretanto, comenta-se nos bastidores que a ministra do PAC, Miriam Belchior estaria sendo demovida a entrar na briga. Entretanto, PTB e PT não estarão sozinhos na disputa. O PMDB de Nilson Bonome, ex-secretário do governo Aidan Ravin, vai para a batalha. Ele

assumiu a direção local do PMDB e conduzirá a Fundação Ulisses Guimarães, que atua como braço político na formação de militantes e não filiados. “A decisão se deu por uma questão ética. O prefeito (Aidan Ravin) será candidato à reeleição e o Nilson não poderia continuar trabalhando na administração”, afirmou Jarbas Zuri, membro da Executiva Estadual do PMDB. O secretário também tem consultado o vice-presidente Michel Temer - do qual é seu padrinho político- que estimula

uma candidatura própria em Santo André. Bonome, obviamente, despista. “Estou livre e, agora, posso decidir pelo que a legenda desejar. “, resume. O nome do atual ex-secretário de governo para ser vice-prefeito corre na boca de correligionários do PT. A primeira notícia que circulou após a saída de Nilson Bonome da Prefeitura de Santo André é que ele teria fechado acordo com o PT do deputado estadual e pré-candidato a prefeito Carlos Alberto Grana. Em entrevista à Leia , Grana afirmou ter mantido contato telefônico com Bonome. “Ele me ligou para comunicar a saída”, disse. O petista acredita que a candidatura do peemedebista tem méritos por “tudo o que ele fez durante o tempo que esteve no governo”. E não descarta um acordo para ambos caminharem juntos. “No futuro pode ser”. Bonome desconversa sobre sua possível pré-candidatura a vice-prefeito. Como a legenda defende a ideia de lançar candidatura a prefeito ou a vice nos municípios com mais de 200 mil eleitores, para o secretário a solução mais óbvia para concorrer a um dos dois cargos. Para o vice-presidente, Michel Temer, a tendência geral é que o partido tenha mesmo candidato na cidade. “Onde houver composição, pelo menos, que o PMDB possa indicar o vice. A ideia é presença na chapa majoritária”, afirmou Temer, durante a convenção que oficializou o diretório estadual da legenda em São Paulo. n

Em São Caetano, o caminho, é Paulo Pinheiro Das três cidades do ABC, São Caetano é a única em que a situação está mais definida para o PMDB. Depois de quatro mandatos como vereador, Paulo Pinheiro acredita estar pronto para alçar voos maiores. “Acho que minha longa experiência na Câmara Municipal me credencia para o cargo. É claro que ainda é uma pré-candidatura e terei que passar pela convenção que, aliás, acho saudável, mas minhas chances são grandes”, analisa o médico. A confiança do pré-candidato tem fundamento. Pinheiro conta com respaldo do presidente estadual do partido, deputado estadual Baleia Rossi, e do vice-presidente da República, Michel Temer. “Paulo Pinheiro significa a real possibilidade de vencer a disputa em São Caetano”, avalia o vice-presidente. Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

25


Palavras de Sabedoria

Nelson Moraes nelson@leiamaisabc.com.br

Gravidez Oculta C

ertos acontecimentos são verdadeiros desafios ao discernimento do ser humano. Ocorrem de forma surpreendente e parecem inexplicáveis..Aliás, para a grande maioria das pessoas, tudo que transcende aos sentidos comuns tem sido tratado como sobrenatural. Porém, poucos entendem que o sobrenatural é o natural ainda desconhecido. Rosamaria estava casada há quinze anos e não conseguia engravidar. Quase toda noite sonhava com uma menina em seus braços. Aparentemente, a criança deveria ter uns três anos de vida.Toda vez que esse sonho se repetia, pela manhã, tentava lembrar de seu rosto, mas não conseguia e ficava muito triste com isso. Suas amigas tinham interpretações diferentes para o seu sonho. Algumas delas achavam que era porque jamais teria um filho, por isso não conseguia ver o seu rosto. Outras achavam que era um aviso para ela adotar uma criança. Rosamaria, entre tantas opiniões, chegou a pensar muitas vezes na adoção, mas tinha muito medo de não achar a criança certa e depois não conseguir criá-la com o devido carinho. Era uma decisão muito difícil. Passaram-se três anos e alguns meses do início daqueles sonhos, os quais continuaram se repetindo. Finalmente, depois de algum tempo, resolveu optar pela adoção. Começaria a procurar uma menina. Assim o fez. Visitou vários orfanatos, encontrou muitas meninas e meninos que poderiam ser adotados por ela, mas não sentiu por nenhum a atração que esperava. Um dia, visitando um orfanato fora da cidade onde morava, perguntou na portaria se havia alguma menina ali que ela pudesse adotar. A irmã de caridade que dirigia aquela instituição, vendo o seu interesse de adoção, chamou-a em uma sala ao lado e disse-lhe: “Minha irmã...Fico feliz ao ver pessoas como você que tiveram a coragem de vencer os preconceitos e optar pela adoção. Com certeza será muito feliz quando encontrar a criança que procura. Espero que seja uma das nossas. Nós temos aqui algumas meninas como a senhora procura, mas devo

avisá-la que uma delas, embora muitas pessoas quizessem adotá-la, se recusa a aceitar. Afirma que está esperando sua mãe vir buscá-la. Diz que a conhece. Só que ela está aqui desde o dia que nasceu, e sua mãe morreu no parto, o que torna impossível que ela realmente a conheça. Sabemos que isso é coisa de criança, logo passa, mas para nós, tem sido um sério problema. É uma menina muito inteligente. Estou avisando a senhora apenas para que não se decepcione se porventura optar por ela. “Muito obrigado. Deve ter sido difícil para essas pessoas. Eu posso vê-las agora?” “Sim. Vamos.” Rosamaria, entrou na ala das meninas, quase todas tinham entre dois e três anos, algumas brincavam na sala ampla e outras estavam nos berços. Olhou uma por uma das que se divertiam, até brincou com elas. Mas ao se aproximar de um berço onde estava uma delas, seu coração disparou, a menina olhou firme para ela e perguntou: “Porque demorou tanto para vir me buscar?” Muito emocionada, Rosamaria tomou-a em seus braços e, abraçadas, começaram a chorar. A irmã de caridade preocupada ao assistir a cena, aproximouse das duas e tentando avisar Rosamaria perguntou à menina: “Você não está esperando sua mãe vir lhe buscar?” “Esta é minha mãe! Você não está vendo?” A irmã de caridade, tomada de forte emoção, teve que sentar-se e deixar as lágrimas correrem abundantes em seu rosto. Para os que não acreditam em destino, este é um acontecimento real que merece ser avaliado. Hoje, a menina já é mamãe e Rosamaria se tornou vovó, e os laços que unem as duas tem demonstrado que são tão fortes quanto seriam os laços consangüíneos. Será que um menino ou uma menina não estará em algum lugar esperando por você que não consegue engravidar? n


Leo Tailor Made

Cansei de irritação.

Naturella vai além da absorção: cuida da minha pele.

P&G - dezembro 2011

*com extrato de camomila

Paola Oliveira

Com um toque de óleo com camomila.

Fevereiro 2012 / LEIA

27


Dengue: Saúde

a nova e antiga ameaça Novo sorotipo da doença pode causar epidemia no Estado caso não haja cuidados para evitar a propagação do mosquito

T

Gustavo Dezan gustavo.dezan@leiamaisabc.com.br

odos os anos, quando se fala em chuvas de verão, uma preocupação vem à tona: a propagação do mosquito Aedes aegypti. Cerca de 4,6 milhões de brasileiros vivem em áreas sob risco de epidemia de dengue neste verão no Brasil. Levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que 48 cidades apresentam altos índices de infestação do mosquito transmissor da doença, o dobro do que foi apontado no ano passado, o equivalente a 8,55% do total de 561 municípios analisados. Em 2010, havia 24 cidades de maior risco, o que representava 6,48% do total de 370 localidades pesquisadas. Os números, associados à circulação de três sorotipos do vírus (Den 1, Den 2 e Den 4), levam o governo a prever que a transmissão da doença neste verão corre o risco de ser alta com a água acumulada das chuvas. Embora o sorotipo 4 da dengue ainda tenha tido poucos casos registrados no Estado – a maioria na região de São José do Rio Preto -, a preocupação é em relação a uma possível epidemia. “O problema maior de um sorotipo novo é que existe uma população inteira que nunca teve dengue sorotipo 4. Quem teve um sorotipo da dengue nunca mais voltará a tê-lo. Como poucas pessoas tiveram contato com o sorotipo 4, o risco de uma epidemia é maior”, explica Melissa Mascheretti, diretora da divisão 28

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

SINTOMAS Dengue Clássica n Febre alta com início súbito. n Forte dor de cabeça. n Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos n Perda do paladar e apetite. n Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores. n Náuseas e vômitos n Tonturas n Extremo cansaço. n Moleza e dor no corpo. n Muitas dores nos ossos e articulações. Dengue hemorrágica

n Os sintomas da dengue

hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta n Dores abdominais fortes e contínuas. n Vômitos persistentes. n Pele pálida, fria e úmida. n Sangramento pelo nariz, boca e gengivas. n Manchas vermelhas na pele. n Sonolência, agitação e confusão mental. n Sede excessiva e boca seca. n Pulso rápido e fraco. n Dificuldade respiratória. n Perda de consciência.

Fonte: www.dengue.org.br

de zoonoses do Centro de Verificação Epidemiológica da Secretaria Estadual da Saúde. Apesar disso, associar o novo sorotipo à dengue hemorrágica, sua forma mais grave, é um equívoco. De acordo com a médica, não há comprovação de que a dengue 4 seja mais agressiva do que as outras. “Não há nenhum conhecimento científico de que o sorotipo é mais virulento do que os demais. São outros fatores que determinam a gravidade da doença, como a imunidade do paciente ou fatores ambientais”, afirma. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, em 2011 foram registrados, ao todo, 88 mil casos autóctones da dengue, ou seja, com transmissão dentro do Estado, contra 188,5 mil em 2010. Os números representam uma queda de 53,2%. Desses, apenas 381 foram registrados nas sete cidades da região do ABC, apesar do crescimento em relação ao ano anterior, quando foram notificadas 276 ocorrências. Em 2011, foram registradas 310 mortes por dengue no Brasil, segundo dados oficiais. De acordo com o último levantamento da Secretaria de Vigilância em Saúde do ministério, foram notificados 715.666 casos de dengue no país de janeiro ao início de julho. De casos graves, foram 8.102 pacientes que demandaram internação este ano. Entre 2005 e 2011, pelo menos 1.500 pessoas morreram por dengue hemorrágica. A reportagem da LEIA entrou em contato com as prefeituras da re-


Foto: Tatit Brandão

Trocar a água do vaso de planta ou usar um produto para esterilizar a água, como a água sanitária é recomendado, pois nesses locais os ovos eclodem e se transformam em larvas

gião para saber quantos casos foram registrados, mas apenas algumas divulgaram os números. Em 2011, foram 17 casos em São Caetano do Sul, 362 em Diadema e 91 casos autóctones em São Bernardo do Campo. Esta última divulgou um levantamento nos bairros com maior incidência, sen-

do: Cooperativa (23), Dos Casa (20), Alves Dias (9), Alvarenga (6), Planalto (6) e Taboão (6). A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus, que pode ser de quatro tipos diferentes. Um mesmo paciente

Prevenção n Mantenha caixa d´água sempre bem fechada, bem como tonéis e barris n Remova folhas, galhos e tudo que atrapalhe o escorrimento da água das calhas n Não deixe a água da chuva acumular na laje nem em outros locais n Encha de areia até a borda dos pratinhos de vasos de plantas n Lave semanalmente com escova e sabão tanques e vasos de armazenamento de água n Guarde garrafas sempre viradas de cabeça para baixo n Entre pneus velhos ao serviço de limpeza, ou guarde-os ao abrigo da chuva n Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. Não jogue o

lixo em terrenos baldios

n Mantenha caixa d´água sempre bem fechada, bem como tonéis e barris n Remova folhas, galhos e tudo que atrapalhe o escorrimento da água das calhas n Não deixe a água da chuva acumular na laje nem em outros locais n Encha de areia até a borda dos pratinhos de vasos de plantas n Lave semanalmente com escova e sabão tanques e vasos de armazenamento de água n Guarde garrafas sempre viradas de cabeça para baixo n Entre pneus velhos ao serviço de limpeza, ou guarde-os ao abrigo da chuva n Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. Não jogue o

lixo em terrenos baldios

Fonte: www.dengue.org.br

Foto: Divulgação

pode adquirir os quatro sorotipos ao longo da vida. Mas, depois de ter um determinado tipo, fica imunizado para aquele especificamente. O sorotipo 4 não é mais grave do que os demais: todos eles provocam a dengue. Enquanto o Brasil não produz uma vacina contra a dengue, cujos estudos já estão em andamento, o único meio de evitar uma epidemia, independente do sorotipo, é prevenindo a doença e inibindo a proliferação do mosquito. É importante atentar-se ao acúmulo de água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d’água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros recipientes. Além disso, materiais não mais usados devem ser recolhidos e jogados no lixo para evitar possíveis criadouros do mosquito. Em caso de suspeita da doença, devese evitar a automedicação e procurar atendimento médico. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

29


Educação

Preparação diferenciada De olho nos candidatos às universidades federais, institutos oferecem cursinhos voltados ao Enem

P

assaporte para grandes universidades federais, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que desde 2011 passou também a substituir o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), surge como um mercado promissor para os institutos de cursinhos pré-vestibular. Esses novos cursinhos preparatórios são diferenciados dos tradicionais. “Esse tipo de curso estimula mais a pensar do que decorar. Tem quem fale que o Enem é um vestibular mais fácil, mas não é. Ele propõe coisas diferentes”, afirma o presidente do Instituto Henfil, Mateus Prado. Ele explica que o exame exige habilidades e competências, como compreender que a língua é uma forma de poder, de comunicar, em vez de conteúdo decorado. “Para o vestibular, as pessoas estudam mais do que precisam, enquanto no Enem, o candidato não tem de saber os afluentes do Rio São Francisco ou química avançada”, completa o presidente do Instituto, que oferece o curso nas unidades de Santo André e Avenida Paulista. A coordenadora do Projeção Cursos, de São Bernardo, Dayana Castro, concorda. “A diferença é que o cursinho para o vestibular é extensivo e as matérias são trabalhadas separadamente, enquanto o preparatório para o Enem é um curso intensivo, no qual as matérias são trabalhadas em conjunto, com foco na interpretação de textos”, explica.

Baixa demanda Embora esse mercado ainda não seja explorado pelos gigantes deste segmento, a procura pelo preparatório para o Enem ainda é muito menor em relação ao cursinho tradicional. O Henfil, por exemplo, tem apenas 400 alunos 30

Fotos: Calebe Simões

Gustavo Dezan gustavo.dezan@leiamaisabc.com.br

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Estudar diariamente é a uma das condições para garantir uma boa nota

para este curso na unidade de Santo André, ante 5 mil para o extensivo de vestibular. Um dos motivos, segundo Prado, é o fato de as universidades de São Paulo não terem aderido tanto quanto em outros estados. “Como a Universidade Federal de Lavras adotou o Enem, todos os cursinhos de lá viraram preparatório para esse exame, embora alguns deles apenas tenham trocado as capas dos livros”, diz. O panorama, entretanto, parece estar se alterando. “A procura para esse curso tem aumentado a cada ano, acredito que seja por causa das mudanças no formato do exame, e por ter mudado o perfil do público”, diz Dayana. Mateus Prado também ressalta as características diferenciadas dos alunos. “Geralmente, são pessoas que não estão acostumadas a se preparar para a prova, e boa parte está fora da idade escolar. Temos vendedores, metalúrgicos.

Chega a ter gente com 50 anos”, conta. Moradora de Santo André, a atendente Yasmin Pimentel, de 18 anos, começou o curso neste semestre e afirma que o mesmo está preenchendo suas expectativas. “Estou fazendo, porque o Enem está abrindo várias oportunidades. Pretendo prestar administração na UFABC”, afirma. Seu colega, Adriano Michael, de 19, concorda, embora ainda não tenha certeza sobre qual universidade prestará. “Pretendo fazer Turismo, mas ainda não decidi em qual federal”, diz. Além do curso extensivo, que é pago, o Henfil oferece cursos gratuitos de um dia -geralmente em um domingo próximo à época das inscrições, por volta de agosto-, no qual o estudante só precisa adquirir as apostilas. Para este ano, o instituto também promete transmitir gratuitamente, via internet, aulas preparatórias às prefeituras, escolas públicas e ONGs , três vezes por semana, das 14h às 18h, nas quais os estudantes terão possibilidade de tirar dúvidas com os professores através de chat. n


Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

31


De Mãe pra Mãe

Izabelle Stein izabelle@leiamaisabc.com.br

Lei da Palmada

32

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Foto: Divulgação

N

os últimos dias, muito tem se falado sobre uma nova lei que foi aprovada na Câmara e agora tramita no Senado. A chamada “Lei da Palmada”. Pelo texto, os pais ou responsáveis pela criança ou adolescente que aplicarem castigo físico podem ser encaminhados a programas de acompanhamento psicológico, cursos de orientação e até receber advertência de juizes da Vara da Infância. Além disso, a lei prevê multa de até 20 salários mínimos (R$ 12.440,00) para médicos, professores e agentes públicos que não denunciarem os maus-tratos. O projeto tem causado muita polêmica e as opiniões sobre o assunto são muito divergentes. Os defensores da lei afirmam que o objetivo é controlar a violência domiciliar; já os que não aprovam a ideia alegam que a lei é uma invasão à instituição da família, que o Estado não pode interferir na educação dos filhos. Existem até religiosos que se apoiam em textos sagrados para terem o direito de educar os filhos através da violência física. Eu, quando criança, nunca sofri dos meus pais nenhum tipo de castigo físico, e acredito que eles fizeram a sua parte para me passar valores definidos e fundamentais dentro da nossa sociedade, como: respeito a si e ao próximo, honestidade e conceitos de família e amor. Hoje, sou mãe e, em nenhum momento, pensei em castigar meu filho fisicamente. O que, dentro daquela cabecinha, ele poderia imaginar se acaso eu, quase uma gigante perto daquele pingo de gente, pudesse utilizar força física contra meu pequenino? Acredito que poderia ser algo amedrontador e traumatizante para ele. Creio na disciplina, no carinho e diálogo sempre! Penso que impor limites a uma criança é fundamental e também um ato de amor, mas quero atingir esse objetivo sem ter que bater no meu filho. Boa parte da educação de uma pessoa baseia-se em copiar atitudes. Como posso exigir que meu filho não seja violento se foi

isso que ele aprendeu em casa? Passei a minha vida inteira ouvindo para não fazer com os outros aquilo que não gostaria que fizessem comigo. Como diz a música “Pais e Filhos” de Renato Russo: “São crianças como você, o que você vai ser quando você crescer...” Cabe a nós adultos termos consciência e ensinar aos pequenos a arte de amar e não de apanhar. n


Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

33


Capa

Enquanto as obras não terminam, quem sofre é o morador com o trânsito caótico

Após camada de concreto vem o asfalto por cima da terra vermelha

Foto: Calebe Simões

Fotos: Tatit Brandão

Vigas de ferro para reforçar estrutura da ponte, que liga São Bernardo a Santo André, deve ser finalizada no primeiro semestre

Solução única para d

Fenômeno das enchentes e alagamentos, aliado ao caos no trânsito, já deixam o ABC parecido com São Paulo, ou seja, sem espaço para crescimento Wallace Nunes - Colaborou Andressa Besseler wallace@leiamaisabc.com.br

“M

inha geladeira eu perdi. A máquina de lavar também não está mais funcionando. São 60 anos de sofrimento por causa desse problema”, afirmou

34

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Ana Dinardi Chiandoti, uma das moradoras mais antigas do bairro Fundação. “O trânsito de São Bernardo está pior do que de São Paulo. Guardadas as devidas proporções, na cidade do ABC é maior”, diz o motorista. As duas frases acima explicam o sentimento de alguns dos moradores do ABC quando questionados sobre o

assunto melhoria da infraestrutura para conter enchentes e alagamentos, criar novas alternativas para melhorar o tráfego e ainda consertar as esburacadas ruas e avenidas em todas as sete cidades. Nos últimos dias do ano passado, antes do início do verão, um temporal mostrou o que pode estar por vir ao longo de 2012. Chuvas torrenciais de


Algumas partes do rio Tamanduateí está assoreado em algumas partes, o que se torna um problema quando chove

ois problemas

Fotos: Tatit Brandão

Mato toma conta das margens do córrego da avenida dos Estados (Sto. André)

causar medo e problemas graves de infraestutura para conter alagamentos e inundações. Mais, trânsito caótico - cada vez mais parecido com o da Capital - um gargalo gigante das vias de acesso e ainda a falta de alternativas para o transporte público. Esses problemas acontecem justamente em um momento em que todas as sete cidades do ABC vivem o ápice de pujança econômica e social. Modelo e termômetro de crescimento para o Brasil, a região, com seus 2,6 milhões de habitantes, é vista pelas empresas de todos os segmentos como uma alternativa maior para a já problemática São Paulo, com seus congestionamentos absurdos, alto custo de consumo e moradia, bem como escassos espaços para a construção de novos empreendimentos. Todos voltaram seus olhos para o ABC porque a consistente evolução da economia brasileira nos últimos anos fez renascer os setores industriais e ainda fomentou serviços na região. No passado, as sete cidades foram batizadas de “motor de economia nacional” ou “Detroit brasileira”. Do ponto de vista so-

Em SBC, após 10 anos ponte do KM 22 será finalizada

Frota de automóveis no ABC

Ano 2009

Cidade São Caetano Santo André São Bernardo Mauá Diadema

Total 107,35 mil 360,64 mil 373,92 mil 117,24 mil 97,45 mil

2010

São Caetano Santo André São Bernardo Mauá Diadema

111,21 mil 379,76 mil 392,22 mil 125,94 mil 105,89 mil

2011

São Caetano Santo André São Bernardo Mauá Diadema

112,01 mil 381,12 mil 394,21 mil 126,00 mil 106,59 mil

Fevereiro 2012 / LEIA

Fonte: Detran-SP

ABC

35


Capa Evolução da População Região Metropolitana de São Paulo Período Período População(SP) Crescimento RMSP Crescimento 1900 239.820 302.787 1920 579.033 4,5% 702.248 4,3% 1940 1.326.261 4,2% 1.568.045 4,1% 1950 2.198.096 5,2% 2.662.786 5,4% 1960 3.781.446 5,6% 4.854.414 6,2% 1970 5.885.475 4,5% 8.078.287 5,2% 1980 8.475.380 3,7% 12.549.856 4,5% 1991 9.512.545 1,2% 15.089.744 1,9% 2000 10.398.576 0,9% 17.807.926 1,7% 2010 11.253.503 0,8% 19.683.955 1,0%

cial e econômico, as sete cidades - São Bernardo, Santo André, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra - poderiam ser muito bem comparadas a qualquer país da Europa, da Ásia ou mesmo da América Latina, quando se refere à qualidade de vida.

Monte Casseros e Álvares de Azevedo. Com o transbordamento do Rio Tamanduateí, fica impossível saber onde termina o leito e começam as pistas. São Bernardo não é diferente e os estragos são absurdos. O centro da cidade fica debaixo d’água, com as principais vias, avenidas Faria Lima, Jurubatuba e Marechal Deodoro, alagadas. Os córregos Capela e Curral Grande e o Ribeirão Dos Couros transbordam e causam inundação nas ruas adjacentes, atingindo imóveis residenciais e comerciais. Pessoas ficaram ilhadas nas Avenidas Nicola Demarchi, Francisco Prestes Maia e Winston Churchill.

Fotos: Tatit Brandão

Fonte: IBGE e adaptação de dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados – SEADE

Cidades europeias São Caetano e Centro. O extravasaSegundo dados do Instituto Brasimento parcial da calha do Ribeirão dos leiro de Geografia e Estatística (IBGE), Meninos provocou alagamento total da o Produto Interno Bruto (PIB) da região Avenida Guido Aliberti com a Avenida é de R$ 50 bilhões. O Índice de DesenLions até a Tietê; Guido Aliberti com volvimento Humano (IDH) é dos mais Rua Nelson Braido e Rua Dora, no altos do Brasil e a renda per capita de bairro Nova Gerty. cada morador do ABC beira os R$ 21,5 mil “Em São Caetano, a cidade com o maior IDH do Brasil e ou US$ 13 mil. A taxa de desemsímbolo da boa qualidade da educação, grande parte prego tem caído dos bairros ficam debaixo d’água na época de chuvas” consistentemente, segundo o órgão, mas a mão de obra qualificada ainda é o grande problema para suprir a Em São Caetano, a cidade com o falta de profissionais. maior IDH do Brasil e símbolo da boa “Dentro das possibilidades” Soluções paliativas e rápidas, como No entanto, a região, que cresce na qualidade da educação, grande parte velocidade de cruzeiro, sofre com pro- dos bairros ficam debaixo d’água. Ca- a limpeza das bocas de lobo, retirada de blemas de infraestrutura. Ruas e aveni- sas e estabelecimentos comerciais ala- entulho, limpeza de córregos, têm sido das esburacadas, córregos destruídos por gados, moradores ilhados à espera de realizadas constantemente pelas Secretarias de Serviços Urbanos de todas as causa das fortes chuvas de anos anterio- ajuda e o sentimento de revolta. res, inundações e alagamentos constan“Olha moço, acordei com gritos cidades, mas já não bastam. A Prefeitura de São Caetano do Sul, tes, pontes inacabadas são marcas do que para sair correndo. Se não fosse isso, vivem os moradores das sete cidades. teria morrido afogada. Perdi tudo que por exemplo, afirma que, “dentro de suas Em Santo André, por exemplo, quan- tinha e só fiquei com a roupa do cor- possibilidades”, tem realizado obras para do chove acima da média para a região, po”, disse Raquel, moradora da Vila resolver esse problema. “Desde 2005, mais de R$ 52 milhões foram investidos o caos se instala porque as principais São José. ruas e avenidas ficam todas bloqueadas Na cidade, a água invadiu 410 ca- em obras de combate a enchentes e galepor causa dos alagamentos. Os locais sas na última cheia do ano passado. Os rias de águas pluviais.” A administração, no entanto, aposta mais afetados na cidade são a Avenida bairros mais atingidos foram Fundação, dos Estados, José Amazonas e as Ruas Nova Gerty, São José, Mauá, Jardim na construção do piscinão Jaboticabal, 36

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


Fotos: Tatit Brandão

Tapa buracos: Asfalto da Avenida dos Estados, em Santo André, está sendo recapeado

que está sendo licitado pelo governo do Estado e ficará na divisa de São Bernardo, São Paulo e São Caetano. “O projeto diminuirá muito os problemas enfrentados hoje pela cidade, pois São Caetano recebe águas de chuvas de todos os municípios que fazem divisa, ou seja, São Paulo, São Bernardo e Santo André”, justifica o comunicado. Com paliativos, as prefeituras fazem o que podem para tentar amenizar os problemas com investimentos em limpeza de bocas de lobo. Santo André e São Bernardo têm realizado os mesmos paliativos, mas solução de fato para consertar o crônico problema ainda não ocorreu. O governo andreense realiza, desde novembro passado, a Operação de Combate a Enchentes. A ação, comandada pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo

André), tem como objetivo promover a limpeza em bairros do município, onde há risco de alagamento. São Bernardo criou um programa de limpeza de ruas e avenidas, bocas de lobo e piscinões, mas ainda não é o suficiente porque as inundações continuam. Entretanto, o governo Luis Marinho tem um ousado projeto: construir um piscinão em parte do estacionamento do Shopping Metrópole. Segundo o secretário de Serviços Urbanos, Sebastião Ney Vaz, o piscinão terá capacidade para armazenar até 60 mil metros cúbicos de água. O projeto está sendo analisado pelo Departamento de Água e Energia Elétrica.. Após liberação por parte do DAEE, o secretário diz que será aberto o processo licitatório para definir a empresa que fará a obra, que deve ser concluída em novembro. “A obra deverá ser concluída, incluindo os imprevistos, com os períodos de chuva, em 2013. Por ser região central, precisamos ver como será o remanejamento de dutos de água e luz para definir o total da área. O piscinão será subterrâneo. Após a construção, será fechado para que possa voltar a ser estacionamento.” Em outras cidades da região, as prefeituras não têm recursos para limpar os reservatórios e esperam pelo Estado. “É necessário ainda dar o destino final aos resíduos que têm alta carga tóxica. Teria de enviar esses resíduos para o aterro de Mauá e pagar como lixo doméstico, e isso é caro”, salientou o prefeito de Diadema, Mário Reali. A região tem 20 reservatórios de águas pluviais, 10 em São Bernardo, quatro em Mauá, três em Diadema, dois em Santo André e um em São Caetano. Juntos, têm capacidade de armazenar cerca de 3,7 milhões de metros cúbicos de água. Mas ainda não é o suficiente. O governo de São Paulo assinou contrato para a limpeza dos 20 piscinões da região. Por meio de um comunicado, já admitiu que dificilmente conseguirá limpar todos antes que o verão acabe. Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

37


Capa Congestionamentos Se a infraestrutura para conter as enchentes e os alagamentos deixa a desejar, outras áreas como vias, ruas e avenidas com bom asfalto, soluções para melhorar o trânsito, bem como os meios de transportes tornaram-se o problema maior para os moradores e também para as prefeituras. Engarrafamentos monstruosos, pontos de ônibus com imensas filas, tumultos, ônibus superlotados e, para variar, os faróis abrem, mas nenhum veículo avança um centímetro. Essa é a realidade vivida pelos moradores do ABCD. Ou seja, o caos no trânsito faz parte da rotina de todos da região, independente de quem usa seu próprio veículo ou transporte público, e mesmo fora dos horários de pico. Segundo dados do Censo 2010 e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a frota de veículos da região avançou mais do que o aumento da população nos últimos dez anos. De 2000 a 2010, a região ganhou 194,4 mil habitantes, ante 580,1 mil novos veículos. No mesmo período, a população do ABCD cresceu 8% (de 2,354 milhões para 2,549 milhões) e a frota de automóveis saltou 75% (772 mil para 1,35 milhão de automóveis). Juntos, os municípios de São Caetano, Santo André e São Bernardo possuem uma frota que alcança quase 1 milhão de veículos. Os dados do DETRAN-SP mostram que o número total de veículos emplacados em março do ano passado - mês considerado de maior emplacamento de veículossubiu 6,1%. Talvez seja esse o motivo para que motoristas percam horas em trechos que, eventualmente, levariam minutos, como no cruzamento da Avenida Guido Aliberti com a Estrada das Lágrimas - divisa de São Caetano com São Paulo-, Avenidas Dom Pedro II e Perimetral e arredor; Avenida dos Estados, Pereira Barreto e Santos Dumont, todas em Santo André; alças de Córrego da avenida Lauro Gomes ainda não foi limpo. Doenças transmissíveis podem comprometer a saúde dos moradores 38

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

EXPOSTOS ÀS DOENÇAS O caos no trânsito torna a saúde dos motoristas e das pessoas que dependem do transporte público mais vulnerável. Estresse físico e psicológico, doenças respiratórias, problemas na coluna e articulações além da perda de audição são alguns problemas apontados pelo médico Dirceu Rodrigues Alves Júnior, chefe do departamento de Medicina de Tráfego Ocupacional da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

acesso do Km 18 e a Avenida Servidei Demarchi, em São Bernardo do Campo, e o corredor ABD, que liga os municípios de Diadema, São Bernardo e Santo André.

“Está mais do que na hora dos prefeitos da região se unirem para discutir iniciativas viáveis para solucionar os gargalos no trânsito. A região precisa aumentar o transporte de massa, o que faria do automóvel uma alternativa e não o vilão”, explica Sergio Ejzenberg, engenheiro e mestre em transporte pela Escola Politécnica da USP e perito em acidentes. Boom imobiliário Outro gargalo no trânsito e na vida dos motoristas, que vão perder ainda mais tempo nos congestionamentos, é o boom imobiliário na região. Segundo dados da Acigbac (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC), no ano passado foram lançados 8,9 mil novos empreendimentos, 80% a mais do que em 2010 e 2009. Detalhe, todos sem planejamento viário algum.


Fábricas desativadas devem fazer parte da especulação imobiliária em breve

“O município deveria cobrar uma taxa por cada obra pelo impacto gerado na mobilidade urbana. Ou melhor, todos que contribuem para o aumento do trânsito deveriam pagar uma taxa. Os que usam o carro para ir até a padaria, até a loja de roupa, entre outras situações, devem pagar uma porcentagem. Hoje, o que vale é privatizar o lucro e socializar o prejuízo”, aponta o especialista em transporte. Problemas futuros Evitar problemas futuros é uma temática que vai além das esferas do Poder Público. A população tem que se unir e fazer a sua parte. Engarrafamentos nas entradas dos prédios e extensa fila de carros nas principais avenidas podem ser perfeitamente evitáveis. “As prefeituras devem investir em

obras de desvios e alargamentos de vias. Porém, as ações são momentâneas e paliativas”, explica Sergio Ejzenberg. Outra alternativa para desafogar o trânsito seria a implementação do transporte sob trilhos. Esse tipo de

Porém, Ejzenberg enfatiza que, se o transporte público fosse de qualidade, muitos deixariam o carro em casa. “Os prefeitos precisam fazer o oposto do que tem sido oferecido nos últimos 15 anos. Chegou a hora de investir em bicicletários, criar calçadas mais largas, mais semáforos e plantio de árvores. Caso contrário, a tendência no trânsito do ABCD será de desordem total.” O automóvel não anda sem que haja ruas e avenidas largas bem asfaltadas e com drenagem suficiente para evitar alagamentos. Por isso, é preciso empreender políticas de construção renováveis e ecológicas que ajudem na preservação do meio ambiente, fator esse ainda de grande valor na região do ABC. Conceituar cheias e inundações, avaliar prejuízos, identificar medidas para atenuação, saber quais são as jurisdições do controle de cheias e compreender a visão do público sobre as enchentes é um processo complexo. Prever enchentes, analisar frequência e riscos, comparar métodos de cálculo, fórmulas empíricas ou modelos estocásticos. Definir estratégias e propósitos de soluções. Confinar o escoamento por retenção ou reservação, definir formas de operação, estudar diques de contenção (de gravidade, em arco, de materiais soltos, de concreto armado, com clarabóias, etc). Propor o manejo do uso do solo, reflorestamentos, conservação da água, melhoria dos canais de escoa-

“A região precisa aumentar o transporte de massa, o que faria do automóvel uma alternativa e não o vilão” investimento irá impactar na cadeia econômica e ecológica, além de tornar a região mais competitiva. “A população das cidades ganharia tempo, passaria mais momentos com suas famílias, ou mesmo em eventos culturais ou cursos”, destaca o especialista.

mento, medidas de prevenção e emergência em projetos combinados, assim como estimar benefícios, custos e estratégias para viabilizar recursos são algumas das ações necessárias para implantar um processo de resolução dos problemas das cheias. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

39


Imóveis

Mercado continuará

forte em 2012 Desaceleração da economia brasileira ainda não chegou ao setor imobiliário, que prevê crescimento moderado em 2012. Dados do SECOVI-SP mostram que as vendas no ano passado registraram queda de 15% quando comparado com 2010

A

Wallace Nunes wallace@leiamaisabc.com.br

economia brasileira não alcançou o patamar que todos esperavam no ano passado, mas ainda sim cresceu. Entretanto, os sinais de alerta, por causa dos acontecimentos internacionais são os motivos que explicam as dúvidas dos especialistas em finanças para o considerado baixo crescimento.

Mas, pelo menos até um momento, um setor da economia continua num ritmo forte. Corretores e empresários do setor entendem que expansão vai continuar em todo o País, mas, sobretudo no mercado de São Paulo - incluise a capital e a região metropolitana. A justificativa para o tal crescimento é o déficit habitacional, ainda muito alto. “Em 2010, o mercado cresceu 65% na comparação com o ano anterior, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e

Poupança (Abecip). Foi o melhor ano em tempos. Era uma loucura. Vendiase um lançamento inteiro num dia. É claro que esse ritmo não podia se sustentar”, ressalta o vice-presidente do imobiliário do Sindicato da Construção (Sinduscon-SP), Odair Senra. Para ele, São Paulo vive uma normalidade boa. “Ritmo de crescimento moderado e isso não é ruim.” Diretor-executivo da Incorporadora Kallas, Roberto Gerab, destaca a valorização do metro quadrado, que acompanha a capital e tem crescido de forma significativa, e entende que a alta nas vendas podem cair cerca de 10%. “Outro fator que pode fazer com que haja uma queda é o aumento do preço dos imóveis. Deve subir de 10% a 15%.” Celso Petrucci, economista-chefe do SECOVISP, prevê um crescimento nas vendas de 32 mil novas unidades na capital e também na região metropolitana. “Em 2011 as vendas caíram 15% se comparado com 2010, nesse ano, pode ser queda fique nesse patamar”.

Fonte: SECOVI/SP

40

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Valorização O alto preço do metro quadrado é outra questão altamente sensível para


Fotos: Calebe Simões

Embora os lançamentos tenham se mostrado estáveis em 2011, as vendas em unidades sofreram redução da ordem de 20%, em comparação ao mesmo período de 2010

A falta de mão de obra qualificada também atrasou a entrega dos empreendimentos

o bolso dos compradores. Para Odair Senra, do Sinduscon-SP, a tendência é que a valorização continue e o preço médio alcance os R$ 5 mil em cidades como Santo André, São Bernardo e São Caetano. Segundo levantamento feito pela LEIA ABC, com base nos dados da Empresa Brasileira de Estudos de Pa-

trimônio (Embraesp), o preço médio do metro quadrado dos imóveis novos em território andreense variou, no ano passado, entre R$ 3 mil e R$ 4,5 mil, enquanto que em São Bernardo a média oscilou entre R$ 3,5 mil e R$ 4,8 mil. Em São Caetano ficou próximo dos R$ 3 mil, o metro. O preço mais acessível, porém,

tem uma explicação óbvia: o tamanho dos imóveis. Em Santo André, a média da área útil das novas unidades ficou em 103 metros quadrados, a o passo que em São Caetano foi de 122 metros quadrados e em São Bernardo de 126 metros quadrados. A tendência, segundo os construtores que investem na região, é que os futuros lançamentos em Santo André, principalmente, tenham unidades ainda mais compactas e custos menores. Somente entre janeiro e novembro de 2011, segundo a Embraesp, foram lançadas 1,9 mil unidades. “Santo André é a cidade onde tem chance de ocorrer o desenvolvimento dos empreendimentos porque ainda existem muitas áreas passíveis de receber investimentos de grande porte”, explica o presidente da Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradores do Grande ABC (ACIGABC), Milton Bigucci. A classe média, que procura apartamentos com dois ou três dormitórios, deve continuar a chamar a atenção das empresas do ramo imobiliário. “É uma faixa econômica que está otimista e cada vez maior”, destaca Bigucci. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

41


Fotos: Wilson Magão\PMSBC

Cidades

Ilustração do Metrô de superfície, cujo trecho que ligará a Capital ao ABC deverá ser inaugurado em 2014

Dois sistemas para melhorar

o transporte urbano Empresas fabricantes de carrocerias investem em ônibus com aumento de capacidade para competir com sistema sob trilhos

N

Wallace Nunes wallace@leiamaisabc.com.br

ão é novidade que o transporte público na região do ABC deixa a desejar. Ônibus cujo tempo de uso - sete anos está acima da média nacional, pontos sem cobertura, falta de infraestrutura no trânsito e uma política de melhorias para que todos os cidadãos deem preferência ao transporte público. Entretanto, com a construção do metrô leve, ou transporte sob trilhos, as empresas de ônibus querem investir em novos veículos para que fiquem mais confortáveis. Para isso, as grandes companhias do ABC querem ajuda das em42

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

presas produtoras de carrocerias que prometem para 2012 lançamentos de ônibus com bancos reclináveis macios, o que tornará a viagem mais cômoda. Uma das alternativas das prefeituras seria implantar o sistema Bus Rapid Transit (BRT, na sigla em inglês, ou transporte rápido por ônibus), que faz sucesso em cidades do sul do País, Curitiba e Londrina, e em outras cidades da América Latina, Bogotá e Caracas, e pode vir a ser uma alternativa como modelo de transporte coletivo de média capacidade. O sistema constitui-se de veículos articulados ou biarticulados que trafegam em canaletas específicas ou em vias elevadas com atributos especiais, como múltiplas posições de paradas nas

estações, acessibilidade universal. Resumindo: é quase um metrô de superfície. Utilizado na zona sul de São Paulo - em linhas que ligam o centro ao bairro do Sacomã-, as empresas produtoras desse sistema querem ampliar seus negócios e se tornar parceiras dos municípios ao oferecer conforto e qualidade em transporte. “Ônibus mais confortáveis são o primeiro grande passo para a evolução do sistema em qualquer cidade”, resume o diretor geral da Marcopolo, Marcos Paulo Zini. A Marcopolo, a Irizar e a Comil são as principais companhias fabricantes e pretendem lançar em 2012 veículos biarticulados maiores, com espaço e muito conforto para servir uma fatia maior de pessoas com o transporte urbano de mas-


Fotos: Tatit Brandão

Novos trens estão disponíveis nas linhas do Metrô para suportar a alta demanda

Corredor de Trólebus, que ainda não foi reformado, é aprovado pela população

sa a partir das cidades do ABC que possam implementar o sistema BRT. “O segmento empresarial do setor de transporte está entrando em uma nova fase a partir da remodelação do transporte urbano sob rodas e isso vai representar um grande ganho para a sociedade”, ressalta o presidente da diretoria executiva da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Vieira Cunha. Competição não, auxílio No ABC, os governos de Santo André e de Mauá estudam implantar o sistema para fazer conexão e auxiliar o transporte sob trilho, que será inaugurado a partir de São Bernardo ainda neste ano. O traçado de 28 km de extensão no ABC deverá ter início no primeiro semestre de 2012 e partirá da estação Tamanduateí, em São Paulo. Ao todo, serão construídas 12 estações até o Paço de São Bernardo: Carioca, Goiás, Espaço Cerâmica, Estrada das Lágrimas, Rudge Ramos, Instituto Mauá, Afonsina, Fundação Santo André, Winston Churchill, Senador Vergueiro, Baeta Neves e Paço. O metrô leve é propulsionado por energia elétrica e tem normalmente pneus em vez das usuais rodas de ferro. Estes pneus rolam por cima

e pelos lados do trilho, de forma a fazer movimentar e estabilizar. Trata-se de um sistema automático, sem condutor, elétrico e não poluente. No Brasil, o único sistema de monotrilho existente é o de Poços de Caldas (MG). O professor da FEI, Creso Peixoto, explica que, no contexto local, o sistema BRT serviria como uma plataforma de auxílio ao metrô leve. “Ele é mais econômico, o que permitiria um traçado maior”, afirma o especialista. O metrô leve, orçado em mais de R$ 4,2 bilhões, contemplará um percurso de 28 km. O mesmo aporte financeiro, segundo o professor, permitiria um traçado três vezes maior se o equipamento fosse o BRT. A capilaridade do veículo sobre pneus, segundo Creso, auxilia no gargalo da morosidade da expansão, por exemplo, do metrô. Enquanto no México são pavimentados 6 km por ano, no Brasil o índice é reduzido a 2 km. “Uma reengenharia técnica e financeira permitiria imprimirmos uma velocidade maior”, explica o mestre em Transportes. As companhias destacam ter esperança na ampliação do sistema por causa dos investimentos em infraestrutura realizados pelo Governo Federal a partir do PAC 1 e o PAC da Mobilidade Urbana. Serão R$ 30 bilhões nas cidades que vão sediar a Copa do Mundo. Do total, R$ 18 bilhões serão aplicados nas 24 cidades brasileiras. “É importante destacar que tudo isso pode ser feito sem qualquer aumento de tarifas e os benefícios serão não apenas para o usuário do transporte coletivo, mas para os motoristas ao perceberem um melhor nível de serviços no sistema”, avalia o presidente da NTU. n

Deputado estadual Orlando Morando do PSDB batalha há anos na Assembleia Legislativa para levar o metro leve para a região do ABC a partir de São Bernardo Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

43


Cidades

O drama da locomoção para os deficientes Apesar de uma série de conquistas, os brasileiros, sobretudo moradores do ABC, têm muitos desafios a enfrentar João Pedro Schleder Especial para a revista Leia ABC

G

Fotos: Tatit Brandão

uias sem rebaixamento, calçadas esburacadas, cabines de telefones mal posicionadas, placas que obstruem a passagem. Trens, ônibus, espaços públicos e privados que não são adaptados. Em qualquer município de grande parte do Brasil é fácil se deparar com esses problemas que causam mal estar em cidadãos comuns, mas, sobretudo, em deficientes físicos.

44

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

No ABC, acessibilidade é palavra pouco conhecida pelos arquitetos e construtores e também pelos homens do poder público. Diariamente, é possível deparar-se com escadas, elevadores inadequados e portas estreitas, principalmente em construções antigas, além das apertadas vagas de estacionamento. Não é para menos, pois o que se vê nas sete cidades é um cenário considerado como normal em um município médio do Brasil. A falta de acessibilidade exclui 1 em 14 brasileiros com deficiência física e visual. Na região, há 246 mil pessoas - 10% da população da região - que enfrentam o drama da locomoção. Para alterar a situação é preciso vontade política e também consciência da população. Legislação de acessibilidade existe, é das mais avançadas do mundo, mas a falta de verbas para melhorar a infraestrutura ainda é grande. Carlos Alberto dos Santos, 53 anos, é presidente da Associação Pela Cidadania do Deficiente de Santo André (Acide). Com a visão perdida aos 35 anos – por causa da catarata adquirida no nascimento–, luta há dez pelos direitos da pessoa com dificuldade de locomoção. “Reivindicamos maior acessibilidade. Neste período obtivemos algum êxito, como leis municipais que obrigam a instalação de rampas de acesso em locais públicos das sete cidades, adaptações para entrar em prédios e em elevadores. Mas não basta ter leis reguladoras, é preciso que sejam aplicadas. A melhoria do transporte, como a frota de ônibus 100% adaptada para Falta de piso tátil ou em alto relevo impedem o acesso da pessoa com deficiência visual

chegar a qualquer lugar, é importante e é nossa próxima reivindicação”, explica. Mas, para ele, o problema para as pessoas com dificuldades de locomoção não é chegar aos locais de trabalho, restaurantes e bares ou outros lugares. “Muito pelo contrário. Entrar é o maior entrave. Por exemplo, a maioria das escolas municipais e estaduais não está preparada para receber um aluno ou um professor deficiente. Mais, como um cego ou um cadeirante podem encontrar emprego se as empresas sequer podem nos receber?”, indaga Carlos Alberto. Educação Problemas como esse são contornados com educação, respeito ao próximo e políticas claras de acessibilidade. Alexandre Esteves Francisco, assessor de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência do Departamento de Humanidades de Santo André, vive o problema da locomoção diariamente e admite que o município precisa melhorar as políticas de acessibilidade. “Moro na cidade e sinto a real dificuldade para me locomover e sei bem o que é preciso. A primeira medida que tomei, quando assumi o cargo, foi preparar o local de trabalho para que os deficientes tivessem acesso irrestrito.” Segundo ele, Santo André necessita ainda de reparos e instalação de sinalização nas ruas e avenidas, desafios para a melhora da infraestrutura para cidadãos deficientes ou não. “Temos conhecimento da situação e procuramos fazer o melhor. Tivemos avanços na região central da cidade. Um exemplo é a Rua Justino Paixão. Lá, todas


Sem ajuda é praticamente impossível para um cadeirante entrar num espaço público ou utilizar num transporte público como trens e ônibus que não são adaptados

as calçadas são regulares”, diz o executivo que também é cadeirante. Cartilha O executivo da prefeitura anunciou recentemente a criação de uma cartilha, que explica aos moradores a importância de manter as calçadas niveladas. “Isso não será apenas uma cartilha que vai alertar os moradores da cidade a cuidar das vias públicas, mas também mostrará onde há acessibilidade e ainda ajudará os deficientes.” Outro problema constatado pelo funcionário do governo andreense são os ônibus. Existe a previsão de que todos os veículos de transporte da cidade estejam devidamente adaptados até 2014. “Hoje, 40% da frota está adaptada. Também pretendemos implantar táxis acessíveis”, explica Esteves Francisco. São Bernardo Vera Lucia Santos Caseri sofreu um aneurisma (dilatação vascular de uma artéria) cerebral aos 35 anos, e hoje, com 57 anos, é cadeirante e convive diariamente com a falta de acessibilidade em São Bernardo. Segundo ela, a cidade onde ela mora não está

preparada para os deficientes físicos. “Por causa da doença, o lado direito do meu corpo está paralisado. Tenho dificuldade de locomoção. Não consigo entrar em um ônibus sem ajuda. Se todos os veículos estivessem adaptados, com a plataforma que se aproxima da calçada, não encontraria dificuldades.” Ela lamenta a falta de eficiência dos programas municipais voltados para os deficientes. Há dois anos ela aguarda sem sucesso uma vaga nas aulas de natação. “Nadei por muitos anos e sempre me fez bem. Acho que a oportunidade deveria ser para todos”, diz Vera Lucia. Para Maria de Lourdes Oliveira, diretora do Departamento de Políticas Afirmativas da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania de São Bernardo, o município era ausente de políticas de inclusão para pessoas com deficiência. Mas, segundo ela, o atual governo tem investido em planejamento para mudar a história. “Há muito a ser feito e o governo municipal tem previsto no seu planejamento melhorar as políticas afirmativas de acessibilidade”, aponta a diretora.

Inovação São Caetano é a única cidade do ABC, e uma das únicas do Brasil, que possui uma secretaria específica para os deficientes. Criada no fim de 2010, a pasta fez um banco de dados para mapear todos os deficientes do município. “A partir deste levantamento, começamos a pesquisar as principais necessidades.” Desde então, alguns projetos foram implantados. “Hoje, o morador de São Caetano consegue tirar a carteira de deficiente. Há ainda um projeto de redução da jornada de trabalho para os pais de deficientes. A ideia é que eles possam acompanhar melhor o desenvolvimento dos filhos. Temos também o ‘Agente Superação’, no qual 10 pessoas com deficiência, física ou mental, trabalham em departamentos públicos, entre muitos outros”, explica a diretora Lilian Fernandez. Apesar do desenvolvimento, a secretária admite que o projeto está no começo. Muitas calçadas necessitam de reparo e os prédios públicos precisam ser adaptados. “Os prédios são antigos e, portanto, não estão adaptados. Queremos, pelo menos, que os deficientes consigam sair e entrar sem dificuldade.” n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

45


Cidades

Cuidado: Tóxico ABC tem 270 áreas contaminadas por compostos orgânicos e metais que colocam em risco a vida dos moradores

A

Gustavo Dezan gustavo.dezan@leiamaisabc.com.br

falta de cuidados por parte de indústrias instaladas na região que manuseiam substâncias químicas, metais e resíduos, sempre causam um impacto negativo ao meio ambiente e, consequentemente, à população. Quando as fábricas se mudam, deixam o péssimo legado: terrenos contaminados por diversos agentes nocivos à saúde humana, como o benzeno, que é um agente que causa câncer. De acordo com Centro Tecnológico de Saneamento Básico (CETESB), companhia estatal que cuida da segurança do Meio Ambiente no Estado, responsável pela fiscalização e controle do solo contaminado, existem atualmente 3,6 mil áreas infectadas – sendo 270 na região do ABC - por algum agente nocivo à saúde humana. A maioria dos locais são terrenos onde foram construídos postos de combustível sem o devido cuidado. De todas as áreas do ABC que estão contaminadas, três em especial constam entre as consideradas mais críticas em todo o Estado pela companhia: o terreno das indústrias Matarazzo, em São Caetano do Sul, o assentamento no Jardim das Oliveiras, em São Bernardo do Campo e a área onde foi construído o Condomínio Residencial Barão de Mauá, em Mauá. Parte deste condomínio de 160 mil m², que possui 54 edifícios, nos quais vivem 7

Áreas contaminadas e reabilitadas na região, conforme o relatório mais recente da Cetesb, de dezembro de 2010 Áreas contaminadas, sob investigação Áreas reabilitadas ou em processo de reabilitação Santo André 86 9 São Bernardo 89 2 São Caetano 30 6 Diadema 22 0 Mauá 27 1 R. G. da Serra 02 0 Ribeirão Pires 14 0 Total 270 18

mil pessotas, foi erguido em cima de um aterro clandestino de lixo industrial da Cofap, e a contaminação de 44 agentes tóxicos só foi descoberta da maneira mais trágica. Em 2000, um trabalhador morreu em uma explosão enquanto fazia um trabalho de manutenção no subsolo, devido à alta concentração de gás metano. De lá pra cá, entretanto, poucas providências foram tomadas para solucionar a questão. A CETESB autuou as construtoras responsáveis (SOMA, SQG Empreendimentos e Paulicoop), a Cofap e a Prefeitura de Mauá e exigiu a implantação de medidas como um poço de monitoramento e estação de tratamento de gases. Mesmo com as alterações, o último parecer da agência, de setembro de 2010, pede providências à construtora e à prefeitura, como a remoção de moradores de 11 blocos (cerca de 33 mil m²) para ações mais urgentes e eficazes. Mas o

impasse permanece. De acordo com a Justiça, os moradores têm direito a uma indenização de R$ 51 mil pelo danos materiais. Entretanto, os mesmos reivindicam um valor maior devido aos danos morais, além de uma CPI na Assembleia Legislativa para investigar o caso. “Toda essa situação que não se resolve e a necessidade de mudar nos deixa deprimidos e sem expectativas”, afirma o morador Carlos Alberto Trupel. Segundo ele, não há qualquer apoio por parte da prefeitura. “O posto de saúde passa por aqui de vez em quando só para mediar a pressão da gente, e olhe lá”, alega. A prefeitura de Mauá foi procurada, mas não atendeu a reportagem até o fechamento da edição. Em São Bernardo, outro trecho considerado crítico é no Jardim das Oliveiras. Trata-se de uma ocupação irregular de uma área 30 mil m² de proteção aos mananciais, que durante a década de 80 acabou virando um lixão clanIndústrias Matarazzo, em São Caetano, assentamento destino. Hoje, cerca de 800 famílias vivem no Jardim das Oliveiras, em São Bernardo, e Condomínio naquele assentamento, em Mauá estão entre as áreas mais críticas no Estado sobre um solo contami-

46

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


Fotos: Calebe Simões

Complexo industrial em São Caetano funcionou entre as décadas de 30 e 80, fabricando soda cáustica, ácido sulfúrico e agrotóxicos

nado por metais como cobre, chumbo, zinco, cádmio, arsênio e mercúrio, além de compostos orgânicos. A prefeitura do município anunciou em novembro passado que vai investir R$ 2,5 milhões para descontaminar toda a área, sem precisar remover os moradores. A administração municipal afirma ainda que um Termo de Ajustamento de Conduta terá que ser viabilizado entre os moradores, para determinar que as famílias não poderão cultivar hortas, criar animais para consumo, nem consumir água de po-

ços artesianos. Em São Caetano, os planos da administração municipal é construir um parque na área das antigas indústrias Matarazzo, no Bairro Fundação. Onde hoje são galpões abandonados, em ruínas, funcionou durante 50 anos um complexo industrial que fabricava soda cáustica, cloro, ácido sulfúrico, celulose e agrotóxicos, entre outros materiais. Hoje, a área de cerca de 18 mil m² pertence à prefeitura, mas possui concentração de Hexaclorociclohexano (HCH), mercúrio, aldrin e

heptacloro, agentes altamente tóxicos. Atualmente, a CETESB analisa relatórios apresentados pelo município, e afirma que só vai liberar o projeto quando os riscos para a população forem eliminados. Essas três áreas críticas fazem parte de um conjunto de 270 áreas contaminadas da região. Deste total, apenas 55 estão em processo de descontaminação, e outras 18 foram reabilitadas com sucesso, como o terreno onde está instalada a General Motors, em São Caetano. n

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

47


Mais 5 perguntas

Maximira Durigan “Um bom projeto de decoração tem o poder de transformar a casa em ponto de equilíbrio perfeito e inspirar nossas vidas.”

A

essencialmente aqui no ABC. É uma profissão que está muito requisitada e valorizada no mercado de hoje, principalmente com o aquecimento na área de construção civil.

Andressa Besseler Especial para a revista Leia ABC

afirmação é da arquiteta e designer de interiores andreense Maximira Durigan, que está no mercado há 17 anos. Seu trabalho segue uma linha contemporânea, no qual predominam as linhas retas. Ela já teve mais de 50 trabalhos publicados. Um dos destaques foi sua participação no Polo Design Show 2010 e o prêmio Talent da marca Luxaflex. Ela ganhou uma viagem totalmente paga para Istambul. “A minha ideia central na elaboração de cada projeto criado por mim segue à risca a afirmação do arquiteto Mies van der Rohe, do século passado: menos é mais”, ressalta. Em cada cenário é possível observar que tudo foi pensado nos mínimos detalhes.

O que os clientes mais buscam quando procuram um design de interiores? MD - Todo profissional é um realizador de sonhos. Quando o cliente procura pelo meu trabalho, normalmente vem com uma bagagem daquilo que já tem hoje em sua realidade e também com a expectativa do novo ser melhor, mais confortável e, claro, mais bonito. Tenho a obrigação de cumprir as metas traçadas e de realizar esse sonho tão desejado. Atualmente, a tendência é termos imóveis cada vez menores? MD - Acredito que não. Pelo contrário, a tendência é ter mais qualidade de vida e manter a família o mais próxima possível. Por isso, a construção dos apartamentos hoje valoriza os espaços de varandas, gourmet e as áreas comuns estão cada vez mais amplas e valorizadas. Com um projeto bem elaborado, tudo fica mais organizado e planejado. Tudo fica em seu lugar e não tem espaço para bagunças.

O design de interiores no Brasil mudou nos últimos anos? MD - Sem dúvida. É uma profissão que está muito mais em evidência hoje, tem se valorizado e vem mudando conceitos com muito mais empenho que há alguns anos atrás,

48

Foto: Calebe Simões

O que a levou a trabalhar com design de interiores? Maximira Durigan (MD) - Bem, essa é uma área que sempre me despertou interesse e que amo fazer, portanto não me imagino em qualquer outra profissão! Nesses anos de atuação no mercado de arquitetura, design e decoração, primo pelo pronto atendimento dos meus clientes com o intuito de que eles utilizem todos os espaços da casa com total liberdade.

Novas construções mostram que a decoração de interiores está em plena evidência. Isso vai continuar? MD - A construção civil gera muito emprego, isso aquece a economia do País, fica difícil dizer o contrário. O Brasil está em pleno crescimento e desenvolvimento, acredito muito que ainda vai continuar sendo uma ótima área de trabalho. n

Todo profissional é um realizador de sonhos. Com a arquitetura não é diferente

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


“O que surpreende é a qualidade dos produtos com os preços atrativos. Além disso, o Sam’s tem produtos diferenciados que muitas vezes só se encontra lá.” Leda Maria Guimarães Homrich, sócia do clube de Osasco - SP desde 2003 e Carolina Guimarães Homrich, sócia do clube de Tamboré - SP desde 2009.

AV. SENADOR VERGUEIRO, N˚ 2270 - BAIRRO RUDGE RAMOS Horário de funcionamento: segunda a sábado das 7h às 21h e aos domingos das 9h às 19h

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

49


Foto: Beto Garavello

Turismo

Renovado, trem recentemente reformado traz segurança e conforto ao aventureiro que não quer ficar distante da capital paulista

Paranapiacaba é mais que

um museu a céu aberto Vila oferece atrações como passeio de maria-fumaça e trilhas

L

Andressa Besseler Especial para a revista Leia ABC

ocalizada há 58 km da capital de São Paulo, a Vila de Paranapiacaba é um modelo único na América do Sul, pelos detalhes da arquitetura inglesa do século XIX, que ainda permanece viva. É só olhar para a réplica do Big Bem, com seu ponteiro marcando lentamente os minutos de sol, até que o fog desça vagarosamente da floresta e envolva, como por magia, o ambiente. Preservar a memória dessa “vila inglesa” é conservar parte importante da história em termos de paisagem urbana e modelo de habitação. Esse conjunto forma um cenário distinto, uma reunião de características ambientais, arquitetônicas e urbanísticas extremamente singulares 50

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

para o patrimônio cultural brasileiro. Fundada para abrigar os funcionários da companhia inglesa de trens que construiu a São Paulo Railway, estrada que liga o interior do estado ao Porto de Santos, essa pequena vila tornou-se um dos lugares mais visitados da região. Paranapiacaba, cuja palavra significa “lugar de onde se avista o mar”, é uma região de riquezas naturais por possuir um acervo da fauna e flora brasileiras em meio à Mata Atlântica que circunda a vila. A beleza arquitetônica característica deu à região o título de Patrimônio A vila ferroviária, construída por uma companhia inglesa a partir de 1860 e considerada patrimônio histórico nacional, oferece uma série de atividades relacionadas ao turismo cultural e ambiental


Como chegar Para chegar à vila de carro, o interessado deve seguir pela Via Anchieta até o KM 29 (placa para Ribeirão Pires), entrar na SP 148 (Estrada Velha de Santos) até o KM 33 e pegar a Rodovia Índio Tibiriçá (SP 31) até o KM 45,5. Daí, seguir pela SP 122 até Paranapiacaba. Também é possível chegar à vila de ônibus, que sai do Terminal Rodoviário de Santo André (Tersa), localizado na Estação Prefeito Saladino (CPTM), ou da estação ferroviária de Rio Grande da Serra a cada hora (Viação Ribeirão Pires, tel. 4828-1019). Mais informações sobre passeios na vila podem ser obtidas nos fins de semana e feriados, no Centro de Informações Turísticas, tel 4439-0237, e, durante a semana, na Gerência de Turismo de Paranapiacaba, tel. 44391318 e no site da Prefeitura de Santo André - www.santoandre.sp.gov.br.

bilhetes custam R$ 28, ida e volta com saída de São Paulo, e R$ 25 ida e volta com saída de Santo André. Na compra de duas, três ou quatro passagens haverá desconto de 50%. Mas é preciso fazer reserva na CPTM (www.cptm.com.br), porque até o mês de junho está lotado. A composição conta com locomotiva a diesel e dois carros reformados pela CPTM, com capacidade para transportar 174 passageiros. O circuito museológico local inclui o Museu Castelo, que resgata a história da vila e da ferrovia, o Antigo Mercado e o Clube União Lyra-Serrano, onde acontecem diversas atividades sociais, bailes, shows e exposições, entre outras edificações de interesse histórico-cultural. As atrações da vila são verdadeiras aulas de história técnica e da engenharia nas obras de arte da construção ferroviária. Um passeio inesquecível, que faz lembrar a Inglaterra, no meio da Serra do Mar. Serviço: Passeio de maria-fumaça: Saída da passarela que liga a Parte Alta à Parte Baixa da Vila sempre aos sábados, domingos e feriados, a partir das 10 horas. O passeio custa R$ 5. Parque Nascentes de Paranapiacaba (Avenida Rodrigues Alves, 473-A – Centro de Visitantes – tel. 4439-0231: funciona de terça-feira a domingo das 9 às 17h. As visitas só podem ser realizadas com o acompanhamento de monitores cadastrados. As trilhas custam a partir de R$ 8 por pessoa. Informações: Sábados, domingos e feriados, no Centro de Informações Turísticas de Paranapiacaba, tel. 11 44390237. Durante a semana, na gerência de Turismo de Paranapiacaba, tel. 11 4439-1318. n

Fotos: Divulgação

Nacional e a classificação entre os cem monumentos mais importantes do mundo por organizações internacionais e não-governamentais que atuam na área de preservação do patrimônio histórico. Pela exuberância da Mata Atlântica da Serra do Mar, o turista pode desfrutar de passeios relaxantes pelas trilhas, cachoeiras e piscinas naturais existentes ali. O lugar é ideal para a prática de arvorismo e rapel. O passeio de maria-fumaça é outro atrativo, que funciona aos sábados, domingos e feriados, percorrendo um trecho de aproximadamente 1 quilômetro. O passeio custa R$ 5. No Parque Municipal Nascentes, o visitante pode se aventurar por diversas trilhas, feitas com o acompanhamento de monitores, ou optar pela prática do arborismo. O serviço de monitoramento das trilhas custa a partir de R$ 8 por pessoa. A vila dispõe ainda de opções de bares, restaurantes e hospedagem, entre outros serviços. Desde o ano passado voltou a funcionar o Expresso Turístico da Luz. Os

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

51


Fotos: Cabele Simões

Turismo

Próxima parada:

Cruzeiro Mesmo após naufrágio de navio Costa Concordia, na Itália, turistas brasileiros não estão preocupados e apostam nas viagens em alto-mar, que crescem em uma velocidade cada vez maior

P

Natália Regazzo natalia.regazzo@leiamaisabc.com.br

eças teatrais, musicais, bares com música ao vivo, SPAs, festas temáticas, piscinas, academias, salas de ginástica e pistas de corrida. São diversas as opções que o turista tem dentro de um navio ao optar por um cruzeiro marítimo. Estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) contratado pela Associação Brasileira

52

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

de Cruzeiros Marítimos (ABREMAR) aponta que houve um crescimento considerável não só na quantidade de navios, mas também no número de rotas desde a temporada de 2004/2005. Na temporada 2010/2011, foram aproximadamente 800 mil cruzeiristas, sendo 100 mil estrangeiros viajando em 20 navios da costa brasileira. “O principal motivo da procura de cruzeiros é que em um só lugar [dentro

do navio, o passageiro tem várias opções de lazer. Não só para diversão, mas para o descanso também”, relata a agente de viagem Camila Gonçalves. Ela ainda diz que os destinos nacionais mais procurados em sua agência concentram-se na rota Salvador (Bahia), Búzios (Rio de Janeiro) e Ilha Bela (litoral norte de São Paulo). Já os roteiros internacionais variam de locais como Buenos Aires (Argentina), Punta Del Este e Montevidéu, no Uruguai. Fora da América do Sul, Camila afirma que os principais destinos são em Fort Lauderdale, Flórida (EUA), Haiti - sim, há algumas partes do país que não foram afetadas pelo terremoto que devastou regiões daquela nação, no dia 12 de janeiro do ano passado -, Jamaica e México. Apesar do incidente que aconteceu ao navio Costa Concordia, que naufragou no dia 13 de janeiro na ilha de Giglio, na costa italiana da Toscana, os turistas brasileiros não desanimaram de planejar suas viagens. A agente de viagens conta que a demanda na semana do naufrágio foi quase zero. “Depois as vendas começaram a voltar ao normal, porque todos nós notamos que o motivo do acidente foi uma falha humana e não problemas


Entretenimento em cruzeiros atraem turistas de todas as idades

Perfil O número de pessoas que fazem cruzeiros é crescente e isso se deve ao aumento do consumo e a facilidade de pagamento, já que deixa de ser uma realidade não apenas da classe com maior poder aquisitivo, mas também da classe média, de acordo com a sondagem realizada pela FGV. O perfil do passageiro, de modo geral - segundo o estudo - é

Guia para cruzeiristas de primeira viagem • Ao fazer as malas, não leve alimento ou bebida, seja ela alcoólica ou não. Garrafas e latas abertas não serão devolvidas e as fechadas serão retidas; • Leve como bagagem de mão objetos frágeis, pessoais e de valor, como medicamentos, joias, documentos, câmeras fotográficas e filmadoras, computadores; • Não se esqueça de etiquetar e lacrar com cadeado todas as suas malas. Identifique seu nome, navio, endereço, telefone para contato e uma fita que a encontre mais fácil; • Antes de sair de casa, verifique o seu voucher. Veja os dados de reserva, nome do navio e número de cabine. Faça o check-in online se a empresa de cruzeiro disponibilizar o serviço. em sua grande maioria feminino, já que corresponde a 56% dos entrevistados, de estado civil casada, na faixa etária entre 25 e 44 anos. A agente de viagem Camila confirma este fato quando diz que a agência costuma facilitar as formas de pagamento. “Costumamos parcelar e a maioria dos pacotes é em 10 prestações, sem juros que podem ser pagas com cheque ou

Fonte: Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (ABREMAR)

mecânicos. Muito pelo contrário, muitos passageiros acham mais seguro viajar de navio do que de avião”, relata. A jornalista e coordenadora de mídias sociais Marília Maciel de Oliveira diz que não mudou seus planos, nem ficou com menos vontade de embarcar em um cruzeiro. ”Infelizmente o acidente aconteceu. Acontecem, sejam eles provocados ou mesmo um mero acaso”, afirma ela, cujo objetivo é passar o Ano Novo em um cruzeiro com a família. A dúvida, segundo Marília, está no roteiro entre o Rio de Janeiro ou o Uruguai. “Ainda não decidi a companhia, porque o pacote que quero não está disponível”, explica. Será sua primeira viagem de navio e aguarda ansiosa, já que gosta do ambiente em alto-mar com diversas atrações. “A parte boa é que estarei perto de água, perto do mar. E como amo água, uma viagem assim vai ser demais. Mesmo que eu não possa nadar, só de olhar para ele vale a compra do pacote”, completa.

cartão de crédito. À vista, sempre damos desconto”, informa. Os principais viajantes que a procuravam para fazer pacotes de cruzeiros, segundo a agente de viagem, eram pessoas da terceira idade, mas o cenário tem mudado e a procura hoje é para todo tipo de público. “Grupo de amigos, idosos, famílias com criança, casais em lua de mel e até mesmo pessoas viajando sozinha, porque as noites dentro de um navio são bem agitadas”, afirma. As empresas de viagem já investem no perfil do cliente para conquistar fidelidade de seu público e alavancar esse mercado. Uma das apostas é o turista solteiro, que já pode encontrar pacotes individuais para diversos destinos. Aos que preferem uma boa música podem optar pelo cruzeiro acompanhado de seu cantor favorito. Outro tema interessante das agências de viagens é abocanhar o torcedor de futebol. Em 2011, o Sport Club Corinthians uniu-se a uma operadora de viagens e lançou a ideia do “Navio do Corinthians”, com capacidade para 1.900 passageiros. Ídolos do passado, como Basílio, Mirandinha, Geraldão, Palhinha entre outros ex-atletas participaram de cruzeiros, interagindo com o turista e fazendo a alegria dos agentes de viagens. No carnaval, por exemplo, foliões que querem experimentar trocar as avenidas por um navio temático não vão se arrepender, já que a diversão acontece no tempo da viagem. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

53


Cultura

Era uma vez...

Artistas de literatura infantojuvenil procuram por espaço na região do ABC

48,5%

Primeiro emprego de Dave Santana como cartunista foi em um jornal da região do ABC

livro que o ilustrador andreense Dave Santana, que mora hoje em Mauá, também lançou na feira. O “Galo bom de guela”, da editora Global, foi ilustrado e escrito em forma de verso pelo autor. Ele concorda com Ducarmo quando diz que a iniciativa da feira é uma oportunidade para os autores da região. “É uma maneira de conhecer ou interagir para aqueles que pretendem, mas ainda não trabalham na área”, afirma. Mesmo tendo conseguido emprego

como cartunista em um jornal da região aos 17 anos, o ilustrador acredita que tenha sido uma exceção.“Tive muita sorte, mas tive que ralar muito. O ABC não tem um mercado muito grande, não tem tanta opção para os artistas dessa área”, completa. O prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, deixou a promessa de encaminhar projeto de lei para a Câmara dos Vereadores com a intenção de repetir a feira a cada dois anos. n

Índice de leitura na região do ABC entre março e abril de 2011

São Bernardo

46,9% Santo André

45,0%

Rio Grande da Serra

44,3% 44,2% 44,0% São Caetano Diadema

Ribeirão Pires

54

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

35,3% Mauá

Fonte: Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano (INPES)

ão Bernardo do Campo é a cidade que teve o maior índice de leitura na região do grande ABCD entre março e abril de 2011, já que 48,5% da população mantém o hábito, conforme indica levantamento feito pelo Inpes (Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano). Mesmo com uma boa média, o espaço para artistas no mercado infantojuvenil ainda é pequeno, como relata a moradora de Santo André e escritora do gênero, Ducarmo Paes, de 62 anos. “Me vejo bastante valorizada e convidada para eventos fora da região. Não é fácil para quem mora por aqui”. Uma alternativa criada pela Secretaria Municipal de Educação em parceria com a FNLJ, Fundação do Livro Infantil e Juvenil, foi a FELIT, 1ª Feira Literária de São Bernardo do Campo – que aconteceu entre os dias 1 e 14 de agosto do ano passado, onde Ducarmo lançou seu livro “Hoje tem festa no céu”, da editora Noovha. O evento recebeu crianças de toda a rede municipal, ao todo 80 mil alunos compareceram. Eram 4.500 de manhã e 4.500 a tarde. A competição do canto mais alto dos galos dos fazendeiros é o enredo do

Foto: Tatit Brandão

S

Natália Regazzo natalia.regazzo@leiamaisabc.com.br


Gustavo Dezan gustavo.dezan@leiamaisabc.com.br

CDs Toquinho Quem Viver Verá

RPM Elektra

Amy Winehouse Lioness: Hidden Treasures

Biscoito Fino MPB Depois de oito anos sem lançar um disco com músicas inéditas, o violonista, compositor e cantor Toquinho está de volta. O novo trabalho traz 15 novas canções, nas quais o artista explora a veia lírica que sempre guiou a sua música, celebrando temas como vida, renascimento e o futebol, sua segunda paixão. O disco conta com participações mais que especiais de Ivete Sangalo, Zeca Pagodinho e até uma parceria com o escritor chileno Antonio Skármeta, autor do premiado romance O carteiro e o poeta. Destaque para a música Romeu e Julieta, composição inédita da dupla Toquinho e Vinícius.

Building Records Pop Rock Dance Uma das bandas de maior sucesso do rock brasileiro da década de 80, o RPM retorna com um álbum de estúdio com sua formação original, após 23 anos e algumas tentativas frustradas. Em Elektra, Paulo Ricardo (vocal e baixo), Luiz Schiavon (teclados), Fernando Deluqui (guitarra) e P.A. Pagni (bateria) tentam modernizar a sonoridade da banda apostando em uma mistura do pop rock com a música eletrônica, especialidade da gravadora Building Records. A prova maior disso é o disco bônus, que traz nada menos que sete das doze músicas do álbum remixadas, transformadas em hits para academias e pistas de dança.

Universa l Music Soul Disco póstumo da diva soul, falecida em julho último, apresenta 12 faixas gravadas desde seus 18 anos de idade (2002). Produzido por amigos e colaboradores da cantora, este tributo traz versões alternativas de alguns de seus hits, como Tears Dry, Wake up Alone e Valerie, além de canções de outros autores, como a bossa The Girl From Ipanema (Garota de Ipanema) e Will You Still Love Me, de Carole King. O álbum conta também com duetos de Amy com o rapper Nas em Like Smoke, e com Tony Bennet em Body & Soul, sua última gravação, realizada em março de 2011.

Isabel Allende O Caderno de Maya

David Nicholls Um Dia. Vinte Anos. Duas Pessoas

Danuza Leão É Tudo Tão Simples

Ed. Bertrand Brasil O novo romance da escritora chilena conta a história de Maya, uma garota norte-americana de apenas 19 anos que, após cair em uma vida de drogas, crimes e prostituição, procura refúgio em uma ilha remota na costa do Chile, buscando um recomeço. Lá, faz amizade com um sobrevivente das torturas da ditadura, com um cachorro e outras figuras inesquecíveis. Diferentemente das outras obras da escritora, esta história se passa nos dias atuais, pois a protagonista foi inspirada nos filhos de seu marido, que enfrentaram os mesmos tipos de problema.

Intrínseca Sucesso de crítica e público, este livro inspirou o filme protagonizado por Anne Hathaway e Jim Sturgess, no qual dois jovens passam um dia especial juntos, sabendo que suas vidas tomariam rumos diferentes após a formatura, naquela noite. Os anos se passam e Dexter e Emma, em suas vidas isoladas, não conseguem esquecer o sentimento especial daquele 15 de julho, até que surge uma extraordinária relação entre os dois. A partir disso, nos próximos 20 anos, flashes do relacionamento são narrados anualmente, sempre no mesmo dia, até desvendarem o significado dessa data, do amor e da vida.

Nova Fronteira Oitavo livro da escritora e jornalista, “É Tudo Tão Simples” aparece como um manual de etiqueta para se viver bem na era pós-internet. Ao longo das 128 páginas, são apresentadas dicas para as classes emergentes sobre o que levar na primeira viagem de avião, para o filho que quer contar para a família que é gay e para as mães que estão vivendo sua segunda juventude depois dos 40, entre outros casos. Com isso, a autora aposta em um mundo sem ostentação e regras rígidas de etiqueta, onde o chique é ser simples e de bem com a vida.

Livros

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

55


Esportes Foto: Divulgação

Equipes do ABC remontam, literalmente, elencos para evitar problemas de 2011. A mescla de jogadores experientes com novatos é a tônica

S

João Pedro Schleder Especial para a revista Leia ABC e Gustavo Dezan gustavo.dezan@leiamaisabc.com.br

anto André, São Caetano e São Bernardo não começaram 2012 da melhor maneira. Mas ainda assim, tentam manter o astral renovado para um ano focado, com objetivos. Mesmo tendo sofrido revezes em 2011 – Tigre e Ramalhão foram rebaixados e o Azulão com uma campanha pífia– o objetivo agora é dar a volta por cima. O jeito foi sair às compras, procurando joga-

56

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Às compras dores com experiência para equilibrar seus respectivos elencos. “Temos uma boa base que disputou a Copa Paulista. Ainda assim, diante das dificuldades que a Série A2 impõe, é necessário reforçar o elenco. Traremos jogadores que estejam totalmente focados na disputa desta competição”, garante o presidente do São Bernardo, Luiz Fernando Teixeira. Entretanto, o clube estreou mal na segunda divisão, com três derrotas para São Carlos, Rio Claro e Velo Clube, fato que custou o cargo do treinador Luiz Carlos Martins. Sem uma definição de substituto até o fechamento da edição, o Tigre tenta juntar os cacos e promete dar a

volta por cima até a 20ª rodada. Para isso, conta com as 16 contratações realizadas para o campeonato. Entre os destaques das contratações estão Júlio Cesar, zagueiro (ex-Americana-SP), Léo Costa, lateral vindo do Itumbiara-GO, o zagueiro Marcelo Godri e o atacante Ney Mineiro. O último a chegar, após a segunda derrota, foi o meia Luciano Mandí, vindo exatamente do São Caetano, para suprir a carência na criação das jogadas. DESCONHECIDOS Vindo de dois rebaixamentos – para a Série A2 do paulista e para Série C do Brasileirão –, 2011 foi um ano para o Santo André esquecer. Na


Foto: Tatit Brandão

Mal início do São Bernardo na A2, com três derrotas, custou cargo do treinador Luis Carlos Martins

tentativa de um 2012 melhor, o clube também anunciou uma baciada de jogadores, dando preferência à quantidade em relação à qualidade. Resultado: chegaram, pelo menos, dez atletas, nenhum com grande destaque. O diretor de futebol Luiz Antonio Ruas Capella justifica: “Não adianta trazermos medalhões para disputar um torneio de acesso. Temos que trazer peças com características da competição que disputamos”. Do gol ao ataque todos são desconhecidos. Marcelo Bonan, goleiro ex-Fortaleza-CE; Jackson, lateral exSanta Cruz-PE; Asprilla, zagueiro exBrasil de Pelotas-RS e Junior Paulista, também zagueiro ex-Pelotas-RS são alguns nomes. Os atletas não são conhecidos, mas a “fome de bola” se faz presente e todos têm o mesmo discurso: subir. “O trabalho que estamos desenvolvendo é muito bom e tem tudo para dar certo. Nosso objetivo é conquistar o acesso e temos condições para isso”, afirma o zagueiro

hoje com 30 anos Junior Paulista. Aparentemente, a metodologia tem dado certo, com um início de campeonato promissor. Até o fechamento da edição, o Santo André estava invicto, com sete pontos ganhos em três jogos: duas vitórias, contra Palmeiras B e Monte Azul, e empate com o Rio Claro. QUEM POUPA, TEM O São Caetano, único a disputar a elite do campeonato estadual, é o clube do ABC que menos colocou a mão no bolso para contratar jogadores. Ano passado, a equipe brigou até a última rodada para não cair para a Série C do Brasileiro. Conseguiram, mas muitos jogadores deixaram a equipe -casos como o atacante Antônio Flávio e os laterais Élder Granja e Bruno Recife. Para este ano, o clube teve que montar um novo grupo para o Campeonato Paulista. Entre os reforços, o que mais se destaca – inclusive marcando dois gols nas primeiras rodadas -, o volante Moradei, ex-Corinthians. Outros

fatores importantes foram as permanências do técnico Márcio Araújo e a renovação de contrato por mais duas temporadas do goleiro Luiz. “Temos uma base montada. Creio que erramos pouco com contratações. O momento para definir se haverá mais contratações vai ocorrer durante a pré-temporada”, explica o presidente do clube, Nairo Ferreira de Souza. O goleiro Luiz, um dos atletas mais experientes do elenco, acredita que 2012 será um ano bem melhor. “Refletimos e descobrimos porque tivemos tantas dificuldades no ano que passou. Agora estamos com a carga renovada e disputaremos um grande campeonato”, diz. O São Caetano começou o Paulistão com o pé direito, com uma vitória surpreendente por 1x0 sobre a Ponte Preta, que subiu no Brasileirão. Mas foi só. Os resultados seguintes foram medianos, com dois empates contra Linense e XV de Piraciba, e derrota para o São Paulo, um dos favoritos ao título. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

57


Linha do Tempo

Orlando Duarte orlando@leiamaisabc.com.br

O

O dia em que Felipão ajudou o São Caetano

Foto: Divulgação/ADSCS

ano era 2002. Luiz Felipe Scolari tinha acabado de ser campeão do mundo pelo Brasil na Coreia-Japão. Estava em Assunção, no dia 24 de julho, para ser homenageado pela Comebol. Ficou hospedado no Yacht Golf Club, no mesmo local em que estava a delegação do São Caetano - que iria disputar a final da “Libertadores” contra o paraguaio Olímpia. Também estava no mesmo

hotel e fui testemunha de um fato maravilhoso. No dia do jogo (24 de julho de 2002), o Felipão foi convidado para falar com os jogadores do São Caetano. Em uma sala estavam apenas os jogadores do “Azulão”, dirigentes e o técnico Jair Picerni, que obviamente falou da importância do jogo, de como era possível ganhar do Olímpia e muito mais. A reunião foi quase secreta. Soube dela somente depois de ter acontecido. No estádio lotado, o “Defensores do Chaco”, o Olímpia era o favorito. Durante os 90 minutos a surpresa foi o São Caetano que, com personalidade e muito tranquilo, jogou para vencer, e venceu, com um gol de Aiton. Depois, o São Caetano perdeu várias oportunidades em jogo apitado pelo argentino Horácio Elizondo. Senti, então, que Felipão tinha inspirado o time. Não havia dúvida de que se jogasse no Brasil, como jogou em Assunção, o São Caetano seria o campeão da Libertadores. O segundo jogo foi no Pacaembu, em 31 de julho de 2002. Muita gente foi prestigiar o clube para o segundo jogo. O São Caetano só precisava do empate. Fez 1 a 0 e sofreu dois gols que levaram a decisão para os penais. É importante que se diga que Jair Picerni foi expulso e o time perdeu o controle do jogo. Nos penais Olímpia fez 4 e o São Caetano, 2. Olímpia, campeão, e São Caetano, vice. Creio que essa decisão tenha um espaço especial na história do clube. Ser vice é bom, mas o São Caetano teve tudo para ser campeão. Coisas do esporte. n


Marca do Penalti

Seleção do mês - Paulistão A1

Nivaldo Prieto nivaldo@leiamaisabc.com.br

Enquanto isso no ABC... Santo André, São Bernardo e São Caetano vivem situações diferentes nas respectivas competições em que disputam. O Ramalhão figura nas primeiras posições da A2. Na mesma categoria,o Tigre preocupa. Não venceu nenhum jogo em que disputou desde o começo do campeonato e os dirigentes do clube já pensam em reformulação do elenco antes da décima rodada. Na A1, o São Caetano, que tem um bom elenco, mas o treinador tem problemas de escalação porque há muitos jogadores machucados, está na parte intermediária da tabela. Perde, ganha e com placares baixos. O que fazer com as equipes?

Barcelona começa 2012 no topo do ranking de clubes da IFFHS; Santos é o 6º Classificação mundial de clubes: 1. Barcelona (ESP) 359,0 pontos 2. Real Madrid (ESP) 302,0 3. Vélez Sarsfield (ARG) 271,0 4. Manchester United (ING) 260,0 5. Manchester City (ING) 241,0 6. Santos (BRA) 238,0 7. Universidad de Chile (CHI) 234,0 8. Universidad Católica (CHI) 230,0 9. Sport Lisboa e Benfica (POR) 222,0 10. Schalke 04 (ALE) 221,0 25. Internacional (BRA) 186,0 27. Vasco da Gama (BRA) 184,0 58. Cruzeiro (BRA) 149,0 64. Fluminense FC (BRA) 146,0 73. Grêmio Porto-Alegre (BRA) 142,0 92. Flamengo Rio de Janeiro (BRA) 126,0.

Goleiro Julio César (Corinthians) Lateral Direito Cicinho (Palmeiras) Zagueiro Edson Silva (São Paulo) Zagueiro Leandro Castán (Corinthians) Lateral Esquerdo Cortês (São Paulo) Volante Moradei (São Caetano) Volante Marcos Assunção (Palmeiras) Meia Alex (Corinthians) Meia Dener (Paulista) Atacante Alan Kardec (Santos) Atacante Hernane (Mogi Mirim)

Julio César

Edson Silva

Leandro Castan Cortês

Cicinho

Moradei Marcos Assunção

Alex

Alan Kardec

Dener

Hernane

FIFA parte 1 A International Board, entidade ligada à FIFA que rege as regras do futebol, estuda implantar novas medidas para a modalidade. Em março, seus membros discutirão a possibilidade de incluir uma quarta substituição em jogos com prorrogação, para preservar mais os jogadores e manter o nível técnico da partida. Outras questões a serem estudadas são a implantação internacional do spray para demarcar a barreira, que já é utilizado há alguns anos no Brasil e, possivelmente, a utilização de tecnologia para resolver lances duvidosos. Será?

FIFA parte 2 Ainda faltam pouco menos de 500 dias para a Copa das Confederações, que será disputada no Brasil em junho de 2013, mas o torneio já tem o seu logo oficial, divulgado pela FIFA. A imagem faz referência a um sabiá-laranjeira, ave nativa brasileira. Este torneio reúne as seis seleções campeãs de cada continente, além do campeão mundial e o país sede. Já estão garantidos Brasil, Espanha, Uruguai, México e Japão, e os jogos devem ser disputados em cinco sedes: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e Salvador.

É aquela história: saí com uns 20 anos de idade de Brasil, com um corpo bem fininho. Lá é normal, principalmente na Rússia, e lá não tem doping. Eles acabaram me dando uns anabolizantes, que infelizmente eu não sabia. Foram injeções que eu tomava e em seis meses engordei uns oito quilos Frase do jogador do Palmeiras Daniel Carvalho à rádio Estadão/ESPN, que gerou reações indignadas de diretores de seu ex-clube, o CSKA. Fevereiro 2012 / LEIA

59


Moda&Beleza

Corpo sob medida Jovens investem uma média de R$ 6 mil em lipoaspiração para ficar de bem com a autoestima

A

Natalie, personagem que Deborah Secco viveu na novela Insensato Coração, deixou saudade aos fãs que admiravam sua dedicação em manter o físico esbelto. A estudante Déborah da Costa Bastardas, de 20 anos, é uma das fãs da atriz. “O corpo dela é perfeito. Quem sabe um dia eu não chego lá?”, ressalta. Para alcançar o corpo dos sonhos e afastar a baixa autoestima, Déborah investiu R$ 6 mil em lipoaspiração em junho deste ano. Ela pesava 75kg e hoje pesa 67kg. “Nem tenho palavras para descrever como me sinto bem melhor agora.” A estudante conta que a escolha do médico foi a partir de uma indicação da colega de faculdade, mas pesquisou o histórico do profissional antes da operação. Ela diz que o principal motivo da cirurgia era acabar com as gorduras que a deixavam insegura. “As roupas ficavam feias e o que mais me incomodava era a barriga.” Dr. Carlos Alberto Komatsu, presidente da Sociedade de Cirurgia Plástica, diz que a pessoa tem que ter pelo menos 18 anos para fazer a cirurgia. “O importante é que o corpo da paciente já esteja formado, sem mais modificações da adolescência”, ressalta. De acordo com o profissional, a cirurgia não substitui o emagrecimento e é indicada para pacientes de peso normal ou, no máximo, sobrepeso. “Lipoaspiração em pessoas obesas tem um índice maior de complicações e deve ser evitada”, afirma. Bem estar Mesmo satisfeita com o corpo, a estudante Mayara Mulinari, de 22 anos, ficava incomodada com as “gordurinhas localizadas” que tentou eliminar com a academia, mas não conseguiu. Na época, ela pesava 60kg e hoje, após a operação - que teve o mesmo investimento que Déborah -, está com 57kg. “Olhar no espelho e ver tudo no seu devido lugar é uma sensação maravilhosa”, relata. Dr. Komatsu comenta que para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a estética faz parte da melhor qualidade de vida dos povos. “Basta olhar a melhora da autoestima das pacientes, que acabam se tornando pessoas com a saúde mental melhorada.” n

Foto: Divulgação

60

Fevereiro 2012 / LEIA

Natália Regazzo natalia.regazzo@leiamaisabc.com.br

ABC


Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

61


Automóveis

Ano de mais um recorde Venda de veículos comerciais leves em 2011 ultrapassaram os 3,4 milhões de unidades, alta de 5%, onde foram comercializados 3,3 milhões de carros Foto: Tatit Brandão

Pátios das concessionárias ainda estão cheios; financiamentos em 2011 caíram

V

Wallace Nunes wallace@leiamaisabc.com.br

ender carro no Brasil não é moleza. Mas os bons resultados colhidos pela indústria automobilística em 2011 são frutos das mudanças sócio econômicas do governo Lula, que aumentou a massa salarial e incentivou o crédito. Essas duas condições permaneceram durante boa parte do ano que passou e fez com que, juntas, as montadoras registrassem crescimento de 5%. O número é considerado satisfatório e sustentável em face por causa do crescimento sem a necessidade de grandes investimentos. Ainda sim, as

empresas anunciaram um pacote de investimentos para 2012/13. “Sem dúvida que crescer 5% sustentável é melhor do que 30%, que neste caso significa uma explosão”, diz o presidente da Ford do Brasil, Marcos Oliveira. Crescimento sustentável num mercado muito competitivo- são quase 50 montadoras presentes no País- e uma demanda que não para de aumentar. Os fabricantes ficaram preocupados e exigiram providências do governo, argumentando que o avanço das importações tiraria emprego dos brasileiros, embora a maior parte das importações seja feita pelas quatro montadoras tradicionais: 75%. Apenas 25% dos carros importados são trazidos pelas mar-

cas sem fábrica no Brasil. Aliado a esses fatos está a chegada das empresas chinesas, lideradas pela Chery e Jac Motors que trouxeram carros bem equipados por um bom custo benefício. O governo baixou portaria aumentando em 30 pontos percentuais o IPI para os importados, preservando o Mercosul e o México. O temor das fábricas tradicionais é natural. Depois de décadas desfrutando da reserva de mercado e produzindo veículos defasados, elas tiveram que se reciclar para enfrentar a concorrência. Três delas, GM, Fiat e Volks, se mantêm com uma participação em torno de 20% cada; a Ford sucumbiu. Em 2011, deixou de ser “grande” para entrar no grupo das “médias”. O destaque do ano foi a aliança Renault Nissan, que não foi somente o grupo que mais cresceu, mas as duas marcas foram também as que mais evoluíram individualmente, ao conquistarem as maiores participações do bolo do mercado. A Renault saltou de uma participação de 4,8% em 2010 para 5,6% este ano, com vendas de 172.725 unidades, 30 mil a mais do que o ano passado. A Nissan passou de 1% para 1,8%. As duas tiveram os melhores desempenhos do País. Kia, Chery, Hafei, Mitsubishi, Hyundai, Citroën e Volvo ficaram entre as dez marcas que mais aumentaram a participação de mercado no ano. Honda, Ford, Toyota e Peugeot foram as que mais perderam, além das três grandes: a Fiat perdeu 0,83% de participação, a Volkswagen 0,54% e a GM 1,32%. n

O mercado se solidificou em 2011 em quatro grupos: 5% e 10% - Ford e Renault

20% - Fiat, Volkswagen e GM

1% a 3,5% - Honda, Peugeot, Toyota, Nissan, Kia, Hyundai e Citroën 0,1% a 1% - JAC, Chery, Hafei, Volvo, BMW, M.Benz, Suzuki, Land Rover, Iveco e Ssangyong 62

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


Vinha Brasilis

Nei Brandão neibr@uol.com.br

Verão: tempo de brancos e de ir às compras

Casa Silva, Reserva Sauvignon Blanc 2011 – 100% Sauvignon Blanc - Vale do Colchagua / Chile (R$49,00) - “Vinho branco fresco, leve e frutado oriundo de uma das mais premiadas vinícolas chilenas. O Vale do Colchagua é o berço desse branco perfumado com notas que remetem a frutas brancas, maracujá e ervas frescas. Companhia ideal para

“O vinho branco é a base de preparação para pratos leves, como o fondue”

saladas, frutos do mar, salmão ou um simples beberico à beira da piscina.” Luigi Bosca, Reserva Chardonnay 2010 – 100% Chardonnay - Mendoza / Argentina (R$ 60,15) - “Traduzindo bem o estilo do Novo Mundo, o Reserva Chardonnay da famigerada vinícola argentina Luigi Bosca possui uma linda cor amarelo-dourado e aromas doces com sutis notas de mel e baunilha, provindos de seu estágio de 9 meses em barricas de carvalho francês. Notas de abacaxi em compota e melão completam seu buquê. Na boca, mostra-se encorpado e carnudo, tornando-se um belo par para bacalhau, moquecas e até mesmo carnes brancas.” Fundação Eugénio de Almeida, Pêra Manca 2008 – Arinto e Antão Vaz - Alentejo / Portugal (R$ 196,00) - “Ícone alentejano, produzido pela Fundação Eugénio de Almeida, na cinematográfica região de Évora. Possui grande complexidade aromática com notas minerais e um belo buquê frutado. Na boca, esse blend tradicional nos brinda com persistência, fineza e complexidade. Uma verdadeira joia de luxo para acompanhar momentos especiais.

Foto: Tatit Brandão

É

verão e muitos consumidores de vinhos, às vezes, substituem essa preciosa bebida pela cerveja em função das altas temperaturas desta estação. Isso até porque os consumidores brasileiros, em geral, não são muito adeptos aos vinhos brancos, como comprovam as estatísticas. E para esses consumidores eu repito e insisto: não deixem de “experimentar”. Os brancos e espumantes são vinhos maravilhosos, refrescantes e sedosos, e essa experiência pode ser inesquecível. É claro que adoro os tintos, mas existem situações e momentos em que não troco um bom branco por nada. E não precisa ser nem verão. Por mais estranho que possa parecer para alguns, o vinho branco é o melhor para se acompanhar, por exemplo, uma fondue de queijos, mesmo no rigor do inverno europeu. Isso, é claro, tem explicação: além do vinho branco ser a base da preparação da fondue, os queijos utilizados são gordurosos e pedem uma bebida de boa acidez. Os taninos de um tinto robusto não se harmonizam com a textura e sabor mais acentuado da fondue. Enfim, novamente vale a “experimentação”. Mas, voltando ao nosso verão, com os pratos mais leves e à base de pescados e frutos do mar, também o branco é a pedida. Tenho hoje muitos amigos e clientes que me agradecem por eu ter insistido com eles para que dessem uma chance aos brancos. Portanto, vamos às dicas de alguns brancos para este verão:

Mas, além de ser uma boa estação para brancos, esta é também uma ótima estação para se comprar vinhos. Assim como todo o comércio, as lojas de vinho também fazem suas promoções e liquidações após a temporada de final de ano. Sempre recomendo uma visita às lojas especializadas e muita atenção aos emails com promoções, pois os descontos são em média de 30% e podem chegar até 50%. Mas fique atento na hora de comprar. Verifique o estado geral das garrafas, a maneira em que ela foi conservada e observe a safra, principalmente dos brancos. Recomenda-se beber os tintos mais simples para o dia a dia em até 5 anos. Os vinhos mais caros, mesmo os do Novo Mundo, podem facilmente chegar a 8 ou 10 anos. Sem contar os grandes Grand Crus de Bordeaux, que podem chegar a 30 anos ou mais, dependendo da excelência da safra. Mas para os brancos, com raras exceções de alguns também do Velho Mundo, o máximo recomendado é consumi-los em 3 ou 4 anos. Alguns mais leves e simples, em até 2 anos. Então, aproveite a estação e experimente bons brancos e espumantes, e aproveite também para ir às compras! Saúde! n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

63


Sociedade

Legado da Mamãe Clory

Fotos: Tatit Brandão

Mesmo após a morte da matriarca do Lar da Mamãe Clory, filhos dão continuidade aos trabalhos da entidade

Professora aposentada, Soely Gozzi dedica sua vida à vice-presidência do Lar da Mamãe Clory

C

Natália Regazzo natalia.regazzo@leiamaisabc.com.br

urso de inglês, informática, capoeira, música, reforço escolar e artesanato. O Lar da Mamãe Clory atende hoje a comunidade carente de São Bernardo do Campo com atividades lúdicas para crianças de 0 a 17 anos e idosos. Clory Fagundes Marques dedicou-se à entidade até os seus 94 anos de vida e morreu em novembro de 2011, deixando cerca de mil filhos, entre biológicos e adotivos. “Os filhos da Mamãe Clory uniram-se com amor para tocar essa casa para frente e não deixar cair o trabalho de 68 anos que ela teve”, relata a filha biológica, aposentada e vice-presidente da entidade Soely Gozzi.

64

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Mamãe Clory acreditava na educação, instruía seus filhos a estudar, investir no futuro e ressaltava a importância do trabalho e da responsabilidade, como indica Soely. “Ela falava que quem não trabalha dá trabalho.” O outro filho biológico de Clory, César Luiz Fagundes Marques, levou os conselhos da mãe à risca ao estudar física e medicina. Hoje, é médico e passa a maior parte de seu tempo livre na entidade da qual é presidente. Ele conta que logo quando eles vieram do Mato Grosso para São Bernardo, as crianças voltavam do colégio e tinham um tempo muito livre. “Crianças ociosas ou pessoas ociosas sem instrução não é bom”. Por esse motivo, eles começaram implantando atividades pequenas, como artesanato,

Placa “Cafezinho como o da Mamãe Clory não existe. Mas... vamos tentar!” é encontrada na recepção da entidade


Médico César Luiz Marques, administra Lar da Mamãe Clory junto a esposa Maria Isabel da Silva Marques

e depois montaram a padaria e a gráfica, que são umas das principais fontes de renda da entidade, já que o local não recebe benefício do governo municipal, estadual ou federal. Além disso, festas periódicas e doações mantém a casa em vigor. “Quem ajuda o povo é o próprio povo”, lembra a vice-presidente Soely. De cartão de visitas a revistas como meio de produção, a Gráfica Luz, comandada por Uierley Coelho, já teve por volta de 12 jovens, que aprenderam a manusear as máquinas com os funcionários mais experientes. “Hoje, eles trabalham nas maiores gráficas da região”, conta Coelho, chefe e instrutor do local. Segundo ele, atualmente não há mais aprendizes porque o projeto foi vetado pelo governo, com a restrição de que o profissional só pode ingressar em uma carreira a partir de 16 anos, com carteira assinada. Educação limitada O lar já não funciona mais como orfanato por conta da reestruturação para atender ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). As atividades são separadas por faixa etária e consideradas como um complemento para o ensino convencional, de acordo com a pedagoga da entidade, Rosa Maria Cerre. “Nós tentamos fazer o que a mãe [da criança] faria em casa, mas não está lá porque trabalha”, afirma. O ensino complementar compreende em estimular a leitura a partir da música, concursos para despertar a veia artística da criança e higiene pessoal na adolescência - fase de transição do corpo. Uma das filhas adotivas da Mamãe Clory, que ainda é criança, fala sobre a importância da entidade em sua formação pessoal. “O mais importante é que todos os professores têm bastante entrosamento com a gente. Eles procuram estar sempre por perto, não só em situações escolares, mas também de família.

Atividades educacionais são separadas pela idade das crianças e adolescentes

Quando a gente está triste, eles procuram conversar. É como se fosse uma grande família”, relata L. Mesmo exercendo forte influência na educação das crianças, o Lar da Mamãe Clory não interfere na escolha da religião. Soely diz que Clory foi orientada por Chico Xavier, mas não discriminava nenhuma crença. “Na família da Mamãe Clory tem testemunha de Jeová, evangélico, católico, umbandista. Ela só ensinava que é preciso ter amor e acreditar em Deus.” Quando se trata de futuro, a pedagoga Rosa comenta que implantar uma sala de informática para as crianças é um plano que ainda não conseguiram colocar em prática. “Nos inscrevemos em projetos de grandes montadoras para tentar ganhar verba, mas não conseguimos. De qualquer forma, não abandonamos esse sonho”, completa. Se você quiser ajudar com doações ou ser voluntário, o endereço do Lar é Rua Francisco Visentainer, 438, Bairro Assunção - São Bernardo do Campo. O telefone é 4109-2773 ou 4109-8045. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

65


Segurança

Zelar para o bem de todos Comando de policiamento do ABC quer fazer parceria com as prefeituras para criar zeladoria urbana e melhorar a segurança

Foto: Tatit Brandão

O

Wallace Nunes wallace@leiamaisabc.com.br

s funcionários públicos municipais seriam uma espécie de agentes delatores dos problemas relativos à segurança, enquanto que os policiais mostrariam com precisão o que o serviço das prefeituras poderia fazer para retirar entulho ou verificar uma iluminação em um poste de energia. A isso dá-se o nome de zeladoria urbana, um sistema de vigilância entre as duas partes presente na Capital e em cidades pequenas do interior paulista, que pode vir a ser implantado no ABC. De acordo com o comandante da PM, Coronel Roberval Ferreira França, a ideia tende a entrar em vigor ainda neste ano no ABC, após o encontro com os prefeitos na primeira reunião do ano do Consórcio Intermunicipal. “A estratégia é transformar o ABC em um cinturão seguro. Prefeitos, empresários e universidades serão convidados para construir este plano”, explica França. O comando do ABC dispõe de um sistema de gestão de operações que é capaz de gerenciar as ocorrências e distribuir as equipes para o atendimento. Uma vez implantado o sistema de zeladoria, os funcionários das prefeituras atuariam na fiscalização de situações relativas à segurança. “A Polícia Militar passa a ter, em cada um de seus agentes, olhos das prefeituras e vice-versa.” O objetivo do projeto da PM nada mais é do que prevenir ações dos criminosos ao identificar locais que representam risco de assaltos e roubos. O sistema emitirá alarmes automáticos que indicarão se a resolução do problema ocorreu dentro do tempo previsto. Segundo o comandante França, na Capital cerca de 30 mil policiais participam do programa zeladoria. Ele destaca ainda que, uma vez im-

66

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Mais policiais nas ruas e avenidas da região garantem o patrulhamento 24 horas

plantado, o programa precisa ter a “mão” das prefeituras como condição essencial para que o projeto possa dar certo. Para isso, o comandante reivindica a extensão de um Plano Regional de Segurança de longa duração. “O investimento em tecnologia será um dos pilares do Plano Regional, que vai utilizar sistemas de videomonitoramento e a integração dos sistemas das Polícias Civil e Militar com as Guardas Municipais”. No ano passado, antes do recesso parlamentar, Roberval Ferreira França havia visitado representantes das Câmaras Municipais e associações de empresários para apresentar a ideia. A ideia é que o plano conte com indicadores de desempenho e metas a serem alcançadas em curto, médio e longo prazo.

Criminalidade O mapa da criminalidade traçado no ABC mostra o perfil das ocorrências registradas nas sete cidades. Dados da Secretaria de Segurança Pública reve-

lam que Santo André, São Bernardo e São Caetano são os municípios cujos crimes contra o patrimônio público são mais evidentes. Roubos, furtos de veículos e as chamadas “saidinhas” de banco são comuns. Mauá tem como destaque crimes violentos, como lesões corporais, tentativas de homicídio e latrocínios. Em Diadema, apesar de ter registrado queda consistente no número de homicídios nos últimos anos, observa-se o crescimento dos crimes contra o patrimônio. Bairros como Jardim Santo André, em Santo André, Jardim Zaíra, em Mauá, e Montanhão, em São Bernardo, foram apontados pelo comandante Roberval como alguns dos pontos onde a PM tem atenção especial. Ele destaca ainda que o roubo de veículos é o maior desafio da PM no ABC. “Há 10 anos, tínhamos 26 mil roubos e furtos de veículos na região. Hoje, esse número chega a 12 mil”, afirmou. “Os roubos de carros diminuíram 60% neste período”, afirma. n


Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

67


Jet Flash

A PRINCESA DO SOUL ALICIA AUGELLO-COOK

Darcio Arruda arruda@leiamaisabc.com.br

A VOZ ÁSPERA E ROUCA DE ROD STEWART

Fotos: Divulgação

O nome completo da fera é Roderick David Stewart e nasceu em Highgate, Londres, no dia 10 de janeiro de 1945. Portanto o compositor e cantor britânico, com ascendência escocesa, completou 67 anos. Sua vida artística começou no final dos anos 60, quando participou do grupo “Jeff Beck” e depois juntou-se ao “The Faces”, iniciando em paralelo sua carreira solo, que já dura 50 anos. Rod tem por volta de 200 milhões de discos vendidos. Os sucessos são inesquecíveis, tais como: “Maggie may”, “Sailling”, “Tonight the night, “Hot legs”, “You’re in my heart”e outras dezenas e dezenas de músicas que marcaram sua trajetória. Ele é o 23º na lista de melhores artistas da história e o 17º na de mais bem sucedidos de todos os tempos. Entre tantos prêmios, guarda com carinho seis Grammys, tornando-se uma das figuras mais irreverentes do mundo. A música mais vendida de todas foi “ Do you think I’m sexy?” de 1978.

68

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Mais conhecida como Alicia Keys, esta gracinha da foto nasceu em Nova York no dia 25 de janeiro de 1981. Keys também é nossa homenageada por ter completado 31 anos. Cantora de R&B/ Soul, pianista, compositora, produtora musical e atriz. Já vendeu mais de 50 milhões de cópias, o que faz dela uma das artistas mais bem sucedidas da sua era. Dez Grammys, dez Billboard Music Awards e cinco American Music Awards. Alicia é conhecida no mundo todo por canções como: “Fallin”, “You Don’t Know My Name”. “If I Ain’t Got You”, “No One” e “Empire State of Mind”. O seu estilo está enraizado no Gospel e Soul Vintage e sua classificação vocal é de contralto.

O SAMURAI DJAVAN O talentoso Djavan Caetano Viana, também nasceu em janeiro, no dia 27. São 63 anos de vida e de muito sucesso artístico. As músicas de Djavan são conhecidas pelas suas “cores”. Djavan retrata em suas composições a riqueza do dia a dia e se utiliza de seus elementos em construções metafóricas que nenhum outro compositor consegue nem mesmo ousar. Djavan poderia ter sido jogador de futebol. Quando tinha 11 anos dividia seu tempo e sua paixão entre o jogo nas várzeas de Maceió e o equipamento de som quadrifônico da casa do pai de um amigo de escola.

MAS... A VOZ CONTINUA A MESMA! Completou em janeiro 61 anos, Philip David Charles Collins, mais conhecido como Phil Collins. Um astro incomparável dos gêneros Rock Progressivo, Rock, Pop, Big Band. Instrumentista de primeira, toca bateria, piano, teclado, guitarra, gaita-de-fole e baixo. Depois que Peter Gabriel deixou o Genesis, em 1975, Collins assumiu de forma brilhante os vocais. Collins se casou com a canadense Andrea Bertorelli no mesmo ano, tiveram um filho Simon Collins e Phill adotou a filha de Andrea, Joely Collins. Se divorciaram em 1980. Seu segundo casamento foi com Jill Tavelman, entre 1984 e 1996, no qual teve uma filha Lily. Collins se casou novamente em 1999, com Orianne Cevey, tiveram dois filhos, Nicholas e Matthew. Se separaram em 2006. Ufa! Phil Collins continua com fãs em todas as partes do mundo.


Tecnologia

Eles guardam nossos compromissos, avisam o dia e a hora de eventos, lembram de realizar as tarefas e organizam as finanças. São os aplicativos para organização pessoal para smartphones

E

Gustavo Dezan e Wallace Nunes gustavo.dezan@leiamaisabc.com.br

ntra ano e sai ano, a promessa é a mesma. Equilibrar as contas. Para começar o ano de 2012 no azul, não adianta fazer simpatias e orações na passagem do ano. É preciso muita disciplina com os gastos e organização no orçamento. E a tecnologia pode ajudar nessa empreitada. Há programas que facilitam a vida de quem quer sanar dívidas, verificar a movimentação da conta bancária e identificar os gastos que podem ser cortados. E o melhor de tudo: são todos gratuitos. A expressão “colocar na ponta do lápis” para fazer cálculos mais delicados está com os dias contados. Os aplicativos financeiros para smartphones e tablets estão sendo cada vez mais procurados por quem busca praticidade e organização em suas economias. Existem diversos programas nessa linha, cada um funcio-

Foto: Tatit Brandão

Colocando as contas na ponta... dos dedos

nando como uma ferramenta diferente. junto ao fabricante. Avisar as datas de pagamento das conDiante da realidade do Internet tas, cálculo dos juros, controlar quanto Banking Móvel – estima-se que 15% dinheiro entra e sai e mostrar o que pode das transações bancárias pela internet já ser gasto são algumas das utilidades dos são realizadas pelos smartphones –, até aplicativos. mesmo os principais bancos estão disNo Money Lite, para o sistema Sy- ponibilizando aos clientes seus próprios bian OS, o usuário pode anotar no celular aplicativos, que permitem consulta de todos os seus gastos, classificá-los por saldo e extrato, transferências (DOC ou categorias para, ao final do mês, veri- TED), pagamentos, localização de caixas ficar o quanto foi gasto e onde se pode eletrônicos mais próximos, entre outros economizar. O iContas para iPhone é se- serviços. Sem contar que o usuário vai melhante. O objetivo do aplicativo é sim- economizar os preciosos minutos em fiplificar ao máximo o gerenciamento das las de atendimento. despesas, controlando os rendimentos e Segundo o professor de finanças da classificando contas como pagas ou não escola de economia da FGV-SP, Samy pagas. Com esse controle, o programa in- Dana, a “boa e velha” planilha ajuda o forma ao usuário o quanto ele ainda pode profissional a estabelecer um controle figastar. O Personal Finances Free, por sua nanceiro e organizar seu empreendimenvez, gera planilhas e apresenta, em uma to. “Entretanto, os novos aplicativos gainterface caprichada, o quanto representa nham cada vez mais consistência no dia a em porcentagem cada gasto. dia das pessoas que possuem smatphones Mais elaborado é o software Finance e tablets. Como essas pessoas sofrem a Desktop, para usuários avançados. Nesse grande variabilidade no fluxo de seus programa, além de controlar os gastos e a rendimentos, o ideal é anotar, ou melhor, conta corrente, é posdigitar toda a movimentação sível administrar diária. Somente desse e simular investimodo será possível Estima-se mentos e ações. O estabelecer uma esque 15% das aplicativo possui tratégia para o netambém uma ferdiz. transações bancárias gócio”, ramenta para cálO que mais pela internet já são culos do imposto falta às pessoas de renda. Entretanmuito atarefadas realizadas pelos to, para desfrutar de é uma agenda, diz smartphones todas essas vantagens, o professor da FGV, é necessário cadastrar-se João Batista Brandão. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

69


Tecnologia

Paulo Soares paulo.soares@datarate.com.br

2012! Conectados e com telas

Foto: Tatit Brandão

tiram nos comandos de voz, gestos e reconhecimento facial, que deve aposentar o controle remoto. Os televisores ficam cada vez mais parecidos com os computadores e houve um grande desenvolvimento de processadores para suportar as novas funcionalidades destes aparelhos. Os sistemas operacionais destas TVs também estão ficando similares aos de outros dispositivos, o que ajudará muito o desenvolvimento de novos aplicativos e até mesmo o uso de programas já existentes em outros aparelhos, que ficarão disponíveis para as TVs. Desde seu lançamento em 2007, os smartphones tem aumentado muito seu poder. Em 2012 teremos mais um grande salto no desempenho, com processadores que prometem ser até 5 As maiores novidades de 2012 ficam por conta das TV´s inteligentes vezes mais rápidos que os atuais. Telas lindíssimas onde Ano de 2012 promete trazer Mais uma vez, será impossível grandes novidades segundo deve-se criar uma identificar pixels “Os sistemas a CES (Consumer Eletronics grande expectativa individualmente. operacionais para Show), a maior feira de Ele- com o lançamento A grande novidatrônica de Consumo do mundo, encerrada do iPad3 da Apple. de é a tecnologia tablets devem ter uma em 13 de janeiro e que é realizada em Las A data prevista é NFC (Near Field grande evolução Vegas. O grande destaque é a populari- março. SegunCommunication zação das telas que estarão presentes em do especulações, ou Comunicação neste ano. Ficou claro tudo que está conectado a internet, desde contará com novo por proximidaem 2011 que hardware carros a geladeiras e até aspiradores de pó. processador e vede), que permite Os tablets de 9 a 11 polegadas serão locidade de dados que você simnão é tudo, vide o os mais populares. Neste ano, você pode LTE/4G, terá tamplesmente passe Xoom da Motorola” esperar dispositivos mais finos, mais leves bém tela de alta seu smartphone e mais rápidos, e agora que a ansiedade de resolução, dizem sobre um quioslançar seus primeiros tablets já passou, os que com mais pique para pagar fabricantes devem se atentar aos detalhes xels que alguns aparelhos de tv de alta uma conta. Em 2012 este serviço deve para aprimorar seus produtos. Os sistemas resolução, bateria com maior duração e começar a deslanchar no Brasil. operacionais para tablets devem ter uma por incrível que pareça, mais fino. A GooEste ano deve ser também o ano grande evolução neste ano. Ficou claro gle anunciou também a fabricação de um dos ultrabooks, a nova geração de noem 2011 que hardware não é tudo, vide novo tablet e muitos acreditam que pode- tebooks ultra rápidos que surgem como o Xoom da Motorola. Teremos o Android rá ser um forte concorrente da Apple na concorrentes ao Macbook Air e como 4, que dizem será o unificador dos dispo- venda destes dispositivos. opção para enfrentar a popularidade sitivos que usam este sistema operacional As maiores novidades da CES 2012 dos tablets. além da expectativa da Microsoft com o ficaram por conta das TVs inteligentes. Agora é esperar e torcer para que todas Windows 8 que foi desenvolvido também Telas mais finas e resposta ao toque são estas novidades cheguem logo ao Brasil, pensando nestes dispositivos. alguma delas. A LG e Samsung inves- para desfrutarmos destas maravilhas. n

O

70

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


Tecnologia

Compartilhando

música 2.0 Download pago cresce no Brasil e o cantor Toquinho, por ter seus discos como os mais baixados, se torna referência

O

Wallace Nunes wallace@leiamaisabc.com.br

mercado da música se aliou à tecnologia e encontrou uma forma de se vender de uma maneira rápida e barata. São os chamados downloads, que permitem “baixar” CDs inteiros ou somente algumas canções pela internet. Num curto espaço de 10 anos, isso só era possível por meio da boa vontade das gravadoras, que disponibilizavam discos na internet, mas a preços exorbitantes. Tempos depois, um jovem da Califórnia, Sean Parker, conhecido por criar o site de compartilhamento de músicas Napster, protagonizou o primeiro grande episódio na luta jurídica entre a indústria fonográfica e as redes de compartilhamento de música na internet. Compartilhando, principalmente, arquivos de mú-

sica no formato MP3, o Napster permitia que os usuários fizessem o download de um determinado arquivo diretamente do computador de um ou mais usuários de maneira descentralizada, uma vez que cada computador conectado à sua rede desempenhava tanto as funções de servidor quanto as de cliente. A partir daí, tudo se tornou mais fácil para os adoradores de música, o terror para os produtores das canções -onde

“As gravadoras estão com seus dias contatos. Agora, a tecnologia ajuda os músicos e quem gosta dela”

Foto: Divulgação

muitos perderam dinheiro- e um problema para as gravadoras que quase foram à falência. O tempo passou e, de alguma forma, tudo se resolveu com a ajuda da tecnologia. Gravadoras quase que desapareceram os músicos se tornaram donos de seus próprios negócios ao disponibilizar seus respectivos conteúdos na internet. Sites de venda de músicas ou de CDs têm feito o papel das gravadoras de maneira, fácil, simples e barata. Um clique São vários os serviços de armazenamento que não se importam com o tipo de conteúdo que se coloca lá: HulkShare, MediaFire, YouSendIt e 4shared (este, mais popular no Brasil). Todos eles são exemplos clássicos de compartilhamento na internet e funcionam mais ou menos do mesmo jeito. Entretanto, pelos meios oficiais para compartilha músicas é que se observam quem pode mais de fato. Um exemplo claro é o iTunes Store, o serviço Apple de compartilhamento e venda de músicas e CDs. Desde que chegou ao Brasil o programa é sucesso entre os adoradores de músicas e os “olhos de ouro” de cantores e bandas de todos os segmentos. “Acho que chegou o momento de consolidação da real convergência entre a internet e quem faz a música para vender” diz o cantor Toquinho, músico que é um dos lideres de compartilhamentos no Itunes. “Humilde, Toquinho explica que seu violão é a real causa do sucesso das vendas pela internet.” Minhas músicas são para pessoas de todas as idades. Na maioria das vezes, quem começa a tocar sempre inicia por um violão e, quando muitos me vêem, querem ter algum exemplo.” Segundo ele, com o iTunes Store ou com qualquer outro programa de compartilhamento e venda de entretenimento de mídia musical ou audiovisual, o mercado fonográfico está mais do que mudado. “Entendo que as gravadoras devem acabar e com elas a pirataria. Esse é, até o momento, o meio mais seguro de venda de músicas pela internet porque há uma total interação entre o músico e quem compra as canções”, explica Toquinho. n Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

71


Você sabe o que está comendo?

Foto: Divulgação

Gastronomia

Restaurantes self-service, opção boa e barata, podem esconder problemas prejudiciais à saúde

A

Wallace Nunes wallace@leiamaisabc.com.br

lmoçar num restaurante selfservice ou fast-food pode ser as primeiras opções para quem quer fazer uma refeição boa, rápida e a um preço acessível. As enormes bancadas cheias de saladas, carnes, massas, grãos e uma infinidade de outros itens comestíveis atraem olhares e abrem o apetite. Mas o que pouca gente sabe é que a aparência que enche os olhos pode enganar. Uma folha de alface pode estar contaminada e é capaz de transmitir verminoses, como coliformes fecais, fungos e até hepatite A aos que ousarem consumi-la. Um pequeno descuido —seja na conservação, no preparo

72

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

ou no manuseio dos alimentos por quem tem algum tipo de doença— nasce a salmonela e eleva as chances de causar intoxicação. Os sintomas mais comuns por causa dos alimentos impróprios para o consumo são diarreia e vômito. Em casos mais graves, as reações podem levar à morte. Mas como cuidar da sua alimentação fora de casa? “Na hora da escolha da comida, procuro não fugir muito do habitual, por causa das minhas dietas malucas, mas quando lembro, presto atenção em pequenas coisas, por exemplo, a forma de como está o arroz ou o feijão”, conta a analista de pesquisa da Universidade Anhembi Morumbi, Célia Torres.

Visite a cozinha Prestar a atenção, não basta. Agentes da Vigilância Sanitária, dizem que é direito do consumidor visitar a cozinha. “Para visitar o interior do estabelecimento é preciso estar adequadamente vestido, com touca e luvas, assim como os cozinheiros”, afirma a responsável pela fiscalização de armazenamento e manipulação de alimentos da Vigilância Sanitária de São Bernardo, Cristina Marins. Segundo a funcionária pública, os principais problemas apontados nos restaurantes da região estão relacionados a limpeza dos estabelecimentos. “Isso pode gerar uma denúncia em que iremos ao local verificar, mas damos preferência a casos de intoxicação.” Técnica em nutrição, Tânia Barbosa, explica que a maioria dos restaurantes selfservice da região estão desprovidos de um melhor controle de qualidade. “São poucos os locais em que pessoas especializadas fazem medições ou enviam amostras dos alimentos preparados para análise.” Para ela, a iniciativa da vigilância deveria partir dos proprietários, pois somente desta maneira é que os clientes ficariam satisfeitos. “Acredito que é preciso haver mais tempo para que os donos dos estabelecimentos se conscientizem”, continua a técnica. De olho no produto Os órgãos reguladores da segurança alimentar na região atuam preventivamente para que não haja casos de interdição do estabelecimento. Em 2011, por exemplo, dos 637 restaurantes em Santo André, 10 foram interditados. “Convocamos os proprietários dos estabelecimentos para uma reunião, na qual orientamos e educamos para que o ambiente esteja em boas condições para servir”, explica a gerente epidemiológica e sanitária de cidade, Vera Lucia Souza. Em São Bernardo, cidade que mais concentra restaurantes na região, em torno de 750, não registrou casos de interdição em 2011. Entretanto, 120 estabelecimentos foram denunciados pelos consumidores e logo em seguida convocados à orientação. “Sempre que voltamos para conferir, o local já está em ótimas condições”, declara Cristina Marins. As multas para estabelecimentos que descumprem normas da Vigilância vão de R$ 500 a R$ 50 mil. n


Sabor em fatias Pizzarias da região priorizam variedade no cardápio e bom atendimento para atrair clientela

unghi temperado e alho frito crocante cobertos com mussarela ao vinho tinto. O sabor da pizza La Vicenza foi batizado com o nome da pizzaria por ser o primeiro a ser criado na reinauguração, em junho de 2007. “Antes disso, ficávamos na Rua Piauí (em São Caetano), mas em um local menor e parecido com aquelas cantinas italianas”, explica Mônica Riva, que administra junto ao sócio Maurício Filetti. Ela ainda diz que por conta da demanda, eles passaram de 100 para 500 lugares, divididos em cinco ambientes. Máscaras venezianas e mensagens decoram as paredes da La Vicenza, nome que homenageia uma cidade italiana. “O La (de La Vicenza) traz uma

imagem de amplitude. E foi isso o que aconteceu conosco”, afirma Mônica. Enquanto o pedido não chega, o cliente pode comer aperitivos oferecidos por quilo em grande variedade, de queijo brie a tomate seco. As pizzas custam em média R$40. Sala de visita Entrar na Pizzaria do Gino, em São Bernardo desde 1976, é como abrir a caixa de memórias da família Belletato. Fotos de amigos espalhadas pelo estabelecimento e a própria mesa feita a mão por ele, quando ainda era vivo e exercia a função de marceneiro, antes de tornar-se pizzaiolo. Evani e os irmãos Ivete, Vanderlei e Vagner deixaram suas antigas profissões e assumiram a administração. Segredos de como se faz uma boa pizza foram a maior herança deixa-

da por Gino. Evani conta que a irmã Ivete aprendeu a técnica de preparar o azeite com o pai para dar um toque especial aos sabores. A pizza de alcaparras com lombo assado, tomate fatiado, queijo ralado e cebola é um dos destaques do cardápio. Mas para Evani, a Romana é a preferida, feita com mussarela e aliche importado. “Como pelo menos um pedaço por dia”, completa. Serviços: La Vicenza fica na Rua Piauí, 861 São Caetano do Sul. O telefone é 4229- 6679. Funciona a partir das 17h30, de terça a domingo. A Pizzaria do Gino fica na Rua João Pessoa, 420 - SBC. O telefone é 4125-9277. Aberta de terça a domingo, a partir das 18h30. n Foto: Tatit Brandão

F

Natália Regazzo natalia.regazzo@leiamaisabc.com.br

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

73


ESTAMOS ATENTOS

Obras do estádio Bruno Daniel, um dos símbolos de Santo André, continuam paradas

Interditado pela Federação Paulista de Futebol (FPF) e pela própria prefeitura, o estádio Bruno José Daniel está com as obras de remodelação completamente parada. Derrubaram uma marquise, com a intenção de construir um estádio mais acessível ao público, mas nada foi adiante. De acordo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), é necessário construir dois muros para separar as antigas marquises -que foram demolidas- do restante do estádio. Os funcionários da prefeitura iniciaram os trabalhos, mas pararam repentinamente. Com isso, a polícia militar não liberou a arena para receber partidas. Ano passado, cerca de R$ 4,5 milhões foram destinados a obras no estádio no ano passado. Mas foi feito.

São Bernardo do Campo, a cidade campeã dos radares

O maior município da região do ABC ganhou o título informal de campeão regional da implementação de radares. Os moradores e motoristas que passam pela cidade reclamam. O motivo do porque tantos radares não se sabe. A velocidade máxima que se permite trafegar na cidade beira os 30 km por causa do trânsito que se assemelham aos da capital paulista. O governo Luiz Marinho parece não entender a questão e construiu novos pontos de radares em ruas e avenidas de baixa e grande circulação.

Piscinão sujo e lixo colaboram para o caos

Os transtornos causados em decorrência dos temporais são agravados com a falta de manutenção de piscinões e também com o acúmulo de lixo observado nas ruas das cidades, segundo especialistas. Na região, a limpeza dos 20 equipamentos foi iniciada na segunda quinzena de dezembro pelos piscinões Petrobras, em Mauá, e Ford Taboão, em São Bernardo - início do verão. O processo de desassoreamento tem prazo de até 12 meses para ser concluído, e o cronograma prevê limpeza de mais sete reservatórios - os que apresentam maior volume de assoreamento, mato e lixo - nesta primeira etapa. Um dos reservatórios que transbordaram foi o piscinão do Paço, em Mauá. O equipamento teve sua capacidade de armazenamento diminuída em função do acúmulo de entulho, lixo e mato.

Procura por emagrecedores proibidos ainda é grande

Com a venda proibida no Brasil desde o dia 9 de dezembro do ano passado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa ), os emagrecedores à base de anfepramona, femproporex e mazindol - também conhecidos como anfetamínicos - ainda estão sendo procurados nas farmácias e drogarias do ABC. A proibição foi publicada no Diário Oficial em outubro, e as farmácias tiveram três meses para retirar os remédios do estoque. Porém, os medicamentos continuam sendo solicitados por pacientes desavisados. Cerca de 20% das pessoas ainda continua procurando por esses remédios. Muitos ainda não sabem que eles foram proibidos, e por isso é preciso explicar que os produtos foram recolhidos pela Vigilância Sanitária. 74

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC


GUIA

Foto: Tatit Brandão

Mandacaru Cozinha Nordestina - A decoração reúne elementos de praia e sertão, com muitas cores, chitas e cipó que remetem ao nordeste e segue a linha de bufê do Pilão Mineiro, outra casa de um dos sócios. O restaurante típico da cozinha nordestina, com cardápio de receitas tradicionais, traz entre outras iguarias o legítimo Caldinho de Sururu vindo de Alagoas, carne de sol e acarajé guarnecido com camarão seco. Av. Dom Pedro II, 1260 – Jardim – 4436-6055/2669-2779. Ter. a dom. almoço e jantar. www.mandacarusp.com.br

restaurantes Santo André Churrascaria Campestre Grill - Estilo colonial à moda do sul, com muita madeira maciça, luminárias feitas com rodas de carroças, arandelas, mesas redondas diferentes das tradicionais e com medidas maiores. O salão no piso superior é reservado para eventos. O carro-chefe da casa é o carneiro, servido no rodízio de carnes, além de diversas opções do bufê. Da carta de vinhos, o mais consumido é o Malbec. Alameda Campestre, 234 – Campestre – 4991-4444/4424-1414 (250 lugares). Ter. a sáb. almoço e jantar; dom. 12h/17h. Cc:D, M e V. Cd:V e M. Manob. Aberto em 2010. Adega do Jabá - Restaurante especializado em comida nordestina. Há 22 anos no mercado, tem como carrochefe a porção de jabá na tábua. Também oferece deliciosos pratos regionais, com o tempero típico do nordeste. A decoração rústica e aconchegante completa o cenário. Rua São Francisco de Assis, 121. 4451-0699/4451-8586/4451-3333. 10h45/22h (seg. a sáb. e fer.); 10h45/16h dom. Churrascaria Costela Dourada - Com matriz no Cambuci, a costela dourada é o carro-chefe da casa e é preparada durante 8 horas. Dourada e crocante por fora e macia por dentro, e o segredo, guardado a sete chaves. Às quartas e sábados, tradicional feijoada. Peixes às sextas. Bufê completo de pratos quentes e frios inclui peixes, sushis, bobó de camarão, camarão à caiçara, massas e saladas. Carta de vinhos com vários rótulos nacionais e importados, como o chileno Concha y Toro. A sobremesa mais pedida é o petit gâteau. Alameda São Caetano, 130 – Jardim – 2564-3004/4427-3217 (250 lugares). 11h/23h30. Cc e Cd:todos. Manob. Aberto em 2005. www.costeladourada.com.br Churrascaria e Pizzaria São João - Bufê por quilo no almoço com cerca de vinte pratos quentes, como filé à parmegiana, cupim e filé de frango à milanesa, além de opções à la carte. Feijoada às quartas e peixes (anchova grelhada ao molho de alcaparras e bacalhau desfiado e cozido com batata, cebola e pimentão) às sextas. As pizzas roubam a cena à noite, com setenta opções. Rua Guilherme Marconi, 42 – Vila Assunção – 4436-4886 e 4427-6387 (300 lugares). 11h/15h e 18h/23h (sáb. e dom. direto). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. Aberto em 1950. $ Novilho na Brasa - Sistema de rodízio com quinze tipos de carne entre picanha, costela suína e cupim. Bufê com cerca de 32 tipos de salada, além de pratos quentes (siri gratinado, camarão ao alho e óleo e lasanha à bolonhesa) em dias alternados. Como sugestão da casa para sobremesa,

petit gâteau e pudim de leite. Chope Germânia. Rua Senador Fláquer, 540 – Centro – 49948777 (164 lugares). 11h/23h. Cc:D, M e V. Cd: todos. - www.novilhonabrasa.com.br Villa Natural - Móveis de madeira de demolição, janelas amplas e pé-direito alto fazem a ambientação do restaurante Villa Natural, cujo cardápio lista cerca de 300 receitas desenvolvidas pelos cozinheiros, conferindo assim variação nas 34 opções do bufê diário. Quitutes como paella vegetariana, pizza integral de tofupiri e tomate seco, bolo de banana (sem farinha) com castanha-do-pará, além de diversos pratos, podem ser consumidos, incluindo suco e sobremesa em sistema self service. Rua Coronel Ortiz, 726 – Vila Assunção – 2896-0065/0067 (110 lugares). 11h30/15h (sáb., dom. e fer. 12h/15h30). Cc e Cd:todos. www.villanatural.com.br Zensei Sushi - A casa apresenta seis ambientes com decoração moderna, cascata, tatames e bancos em marcenaria. Tem unidade em São José dos Campos. Trabalha com sistema de rodízio com opção de inclusão de polvo, camarão e anchova grelhada. Como sugestão à la carte: Teppan de Frutos do Mar. Tempurá de sorvete e brownie finalizam a refeição. Av. Lino Jardim, 568 – Vila Bastos – 2325-5127 e 2325-5130 (130 lugares). Seg. a qui. 12h/15h e 19h/23h (sex., sáb. e dom. 12h/23h). Cc:todos. www.zenseisushi.com.br. Aberto em 2011. $$ Nami Izakaya - Decoração em estilo oriental com móveis escuros e gravuras de artistas da colônia japonesa, além de cerâmicas feitas pela família do proprietário Jorge Tsuchimoto, compõem o ambiente com cozinha aberta. No cardápio à la carte encontram-se sugestões como o combinado especial para duas pessoas. A Costela de Porco no Barbecue Chinês também é uma ótima pedida. Para acompanhar os pratos, a carta de saquês oferece oito rótulos. Peça o guioza de morango com sorvete de creme, calda de gengibre e ganache de chocolate. Rua Coronel Ortiz, 430 – Vila Assunção – 4432-3703 (50 lugares). Funciona de segunda a sábado das 19h/24h. Cc e Cd: todos. www.namiizakaya.com.br Alfarre - O bufê inclui quarenta tipos de salada e pratos quentes, como estrogonofe de filé ou frango, filé à parmegiana, grão-de-bico com calabresa, além de massas e churrasco, com costela, maminha, picanha, coração e cupim. Peixes: salmão, bacalhau, camarão, lula e paella às sextas. Cheesecake, pudim de leite e torta holandesa são sugestões de sobremesa. Avenida João Ramalho, 285 – Centro – 4436-1595 (250 lugares). 11h/15h30 (sáb. e dom. até 16h). Cc:M e V. Cd:Vr, So e Vv.

Baby Beef Jardim - Reduto de empresários da região, o sofisticado espaço abriga vários ambientes como o piano-bar. No salão principal fica a adega climatizada com 250 rótulos, como o francês Côtes du Rhône Guigal 2004. No cardápio assinado pelo chef Fernando Lima, cortes como o medalhão de filé recheado de queijos de coalho e brie, espaguete de batata, molho de cogumelode-paris, pleurotus e shimeji. Se optar por peixes, peça o medalhão de lagosta ao molho de manteiga, limão e tomate, robalo e minivagem. Para encerrar o menu, degustação com tortinha de banana caramelada, verrine de abacaxi com coco e pudim de chocolate. Rua das Bandeiras, 166 – Jardim – 4436-7869 (120 lugares). 12h/0h (sex. e sáb. até 1h; dom. até 17h30). Cc:D, M e V. www.babybeefjardim.com.br Ville Du Vin - O charmoso bistrô, anexo à loja de vinhos, leva a grife do chef Alain Uzan. Entre as sugestões de prato principal, Uzan destaca o Confit de Pato guarnecido de torta de batata-doce ao molho de figo ou o filé de avestruz ao molho de damasco, acompanhado de arroz selvagem. Para a sobremesa, torta de pera e amêndoas, com uma bola de sorvete de creme. Na loja, cerca de 2000 rótulos de quinze países, como o tinto Spice Route Pinotage 2008, da África do Sul. Avenida Portugal, 749 – Jardim Bela Vista – 4994-9490 (60 lugares). 12h/23h (fecha dom.). Cc:D, M e V. www.villeduvin.com.br Chami - Quitutes da culinária árabe, com receitas de família, podem ser degustados no restaurante de Abdul Chami. Entre as opções, coalhada fresca, servida com pão árabe preparado na própria casa, e abobrinha recheada com carne moída, arroz e especiarias, servem duas pessoas. O Ninho de Pistache e o Halawi são boas sugestões de sobremesa. Rua das Figueiras, 393 – Jardim – 4432-1875 e 3439-3300 (30 lugares). 18h/23h (sex. e sáb. até 0h; fecha seg.). Cc:M e V. Cd: So. Ky Delice - Dentro do shopinho de Santo André, o restaurante por quilo (R$ 26,90 seg. a sex. e R$ 28,90 sáb.) com churrasco incluso é uma boa opção. O farto bufê oferece 45 tipos de salada e 36 opções de pratos quentes, como o canelone de quatro queijos com alho frito. Na grelha, 10 opções de churrasco, como cortes de picanha, medalhão e costela. O baby beef com pasta de alho é o mais pedido. Como cortesia, os clientes ganham deliciosos bolinhos de chuva recheados. Cerveja Brahma R$ 3,00/lata e suco de laranja R$ 3,50. Rua Álvares de Azevedo, 99 – Centro – 4436-0546. 11h/16h30 seg. a sex.; sáb. 11h/17h; fecha domingo. Cc e Cd:todos.

São Bernardo Varandão Churrascaria - Decoração com madeira maciça e cortes diferenciados. Granito, ancho e carré de cordeiro fazem parte do cardápio com cerca de trinta cortes. Salmão, dourado, tambaqui e pintado também engrossam a lista de opções do rodízio, além de bufê de saladas e frutos do mar. O Pavê SoFevereiro 2012 / LEIA

ABC

75


GUIA nho de Valsa é o mais pedido. Na carta de vinhos, tem o Cabernet Merlot Marco Luigui. Rua São José, 50 – Paulicéia – 4178-9024 e 4173-1634 (320 lugares). Seg. a sex. 11h/15h30 e 18h/23h (sáb. e dom. sem intervalo). Cc e Cd:todos. Aberto em 1982. www.varandao.com.br Restaurante e Pizzaria Lagabbia - O self service oferece 18 tipos de saladas e 14 pratos quentes, além de frutas. Aos sábados, feijoada e costela no bafo. Aos domingos o bufê inclui saborosas massas como nhoque e lasanha, prata da casa. A torta holandesa é a sobremesa mais pedida. Aceita reservas para festas. Rua Armando Ítalo Setti, 688 – Baeta Neves – 4330-0510/2669-5190 (180 pessoas). 11h/16h. Pizzaria 18h/2h (sex. e sáb.). Cc e Cd:todos. www.restaurantelagabbia.com.br. Aberto em 2008. Costelaria Berlin - Serve almoço em sistema de bufê com trinta opções de salada e vinte pratos quentes, como bacalhau ao forno e escondidinho de costela e carneiro. No jantar oferece o festival da costela com acompanhamentos, como polenta e mandioca frita, vinagrete, arroz e farofa. O abacaxi flambado no vinho servido com uma bola de sorvete de creme completa a refeição. Av. Kennedy, 510 – Jardim do Mar – 4125-6054/1589. 11h30/0h30 (sex. e sáb. até 1h; dom. até 16h30; fecha seg.). Cc e Cd:todos. www.berlin.com.br. Aberto em 1996. Heiwa - O espaço é composto por dois salões, área com tatames e sala para reuniões. No rodízio são servidos guioza, temaki, salmão grelhado, sushis e oito fatias de sashimi de salmão, atum ou peixe branco, com opção de incluir shimeji, tempurá, hot roll, niguiri e sashimis à vontade. O almoço executivo inclui sushi, guioza, temaki e oito fatias de sashimi de salmão ou peixe branco. Rua Doutor Fláquer, 640 – Centro – 43399011 e 4345-5242 (100 lugares). 11h30/15h e 19h/23h (sex. e sáb. até 23h30; sáb. e dom. almoço 12h/15h30; dom. jantar até 22h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.heiwa.com.br. Aberto em 2005. Churrascaria Picanha de Ouro - O restaurante Pica¬nha de Ouro não é o tipo de churrascaria muito re¬quintada, mas para almoçar no dia a dia o ambiente simples é ideal. São 16 tipos de carnes nobres, 32 de salada e oito pratos quentes. Se a ideia é não gastar muito, é melhor ir durante a semana, pois o rodízio é mais barato (R$ 13,90). Outra vantagem do ambien¬te é o salão de convenções, que fica na parte superior do restaurante e pode reunir até 140 pessoas. Só fique atento com o preço das bebidas e dos refrigerantes, que é um pouco mais alto que o normal. O espaço térreo comporta até 200 pessoas. Av. Winston Churchill, 901 – Rudge Ramos – 4362-2606. 11h/23h de segunda a segunda e até as 23h30 nos finais de se¬mana. Cc:V, M e Cd:todos. Serviço de Valet no local. São Judas - Na famosa rota do frango com polenta, o São Judas tem o título de Maior Restaurante do Brasil, com 6.000 metros quadrados. A casa também é palco de concorridos shows. O frango com polenta é servido self service ou à la carte. Aos domingos serve bufê de saladas, tábua de frios, pães, balcão de massas, carnes na brasa e sobremesas. Avenida Maria Servidei Demarchi, 1749 – Demarchi – 4346-4444 (2200 lugares). Seg. a qui. só almoco, 11h30/15h30 (qui. à la carte); sex. festival de frutos do mar (almoço). Jantar dançante (sex. e sáb. 19h30/24h) e banda até 2h; dom. até 17h. Cc e Cd:todos. www.restaurantesaojudas.com.br. Aberto em 1949. Bacalhau e Vinho Verde - Há 20 anos em SBC, a casa oferece receitas de família e adega climatizada. O empório anexo ao restaurante abriga mais de 1.500 garrafas de vinho. Sugestão da casa é o tinto chileno Ravanal MR e o Gran Reserva MR. Para petiscar, peça bolinho de bacalhau ou alheira de Mirandela. Dentre

76

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

as postas de bacalhau, destaque para o grelhado ou à Gomes de Sá, para duas pessoas. Doces típicos portugueses como o Pastel de Belém ou o de Santa Clara agradam muito. Rua Padre Lustosa, 374 – Centro – 4123-5651(100 lugares). 11h/15h30 e 19h/23h (sex. e sáb. até 0h; dom. direto). Cc e Cd:todos. Manobr. www.bacalhauevinhoverde.com.br. Aberto em 1994. Dona Joanna - O cardápio da casa tem a grife da chef Ivone Nunes, que sugere quitutes como o Camarão à la Crema, grelhado na parrilla e servido com molho de creme de leite e cogumelo-de-paris, além de parmesão gratinado. Na carta de vinhos, rótulos como o tinto argentino Norton Roble Merlot 2008. Experimente a Pavlova, com morango, abacaxi, kiwi e manga com chantili e merengue. Rua Olavo Gonçalves, 257 – Centro – 4338-0120 (75 lugares). 11h30/15h e 19h/23h30 (sáb. até 16h e jantar até 0h; dom. 14h/17h; fecha seg. a qua.). Cc:D, M e V. www.donajoanna.com.br. Aberto em 2006. Gijo’s - O local ficou famoso pela preferência do expresidente Lula, cujas fotos ao lado do proprietário e amigo, Juno Rodrigues da Silva (Gijo), figuram nas paredes. O apreciado quitute, a chuleta, vem servido com arroz, feijão, batata frita e salada, para duas pessoas. Segunda é o dia do virado à paulista, feijoada às quartas e aos sábados e bacalhoada com arroz e salada mista às quintas e domingos. O pudim de leite é muito pedido. Rua Cristiano Angeli, 930 – Assunção – 4351-4846 (120 lugares). 11h/15h30 (sáb., dom. e feriados até 16h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. Aberto em 1983. Yukusue - O espaço superior com tatames é disputadíssimo por grupos de amigos para degustar o rodízio que inclui temakis de salmão, peixe-prego ou atum, salmão grelhado, hot roll, uramaki, niguiri e hossomaki. À la carte, o yakisoba especial, com polvo, lula e camarão e tempurá de sorvete. Rua Continental, 372 – Jardim do Mar – 41215276 (94 lugares). 11h30/14h30 e 19h/23h (sex. até 15h e jantar até 0h; sáb. almoço 12h/16h e jantar até 0h; dom. 12h/23h). Cc:D, M e V. Cd: Vr, So e Vv. www.yukusue.com.br. Aberto em 2007. Kalifa’s - Seguindo a tendência dos combos, oferece o combinado de homus, babaganuche, tabule e quibe cru ou o Kalifas 1, com dois charutos de repolho, arroz com lentilha, cafta na bandeja, abobrinha recheada e pão sírio, ambos para duas pessoas. Charutinhos de repolho ou folha de uva e os doces de damasco e pistache completam a refeição. Rua Helena Jacquey, 149 – Rudge Ramos – 4367-1121 e 0800-019-1121 (90 lugares). 11h/23h (dom. e feriados a partir das 18h), Cd:Vr, So e Vv. www.kalifas.com.br. Aberto em 1986. Outback Steakhouse - Com clima que remete a casas interioranas da Austrália da década de 1950, o espaço tem decoração rústica. Com mais de 800 restaurantes nos EUA e cerca de 120 em outros países. O carrochefe da casa é a Billy Ribs, costela de porco servida com molho barbecue, além da Blooming’ Onion. Shopping Metrópole, Praça Samuel Sabatini, 200 – Centro – 4121-2624. 12h às 15h e das 18h às 23h; sex. 1h; sáb. das 12h à 1h; dom. e fer. das 12h às 22h30. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.outback.com.br. Aberto em 2011. $$$ Pinheirão Grill - A tradicional churrascaria oferece mais de 40 tipos de cortes como picanha, costela de tira e costeleta de cordeiro ao molho de hortelã por R$ 59,90 no almoço e R$ 47,00 no jantar. Peixes e frutos do mar, caprichada mesa de saladas com aspargo, cogumelo-de-paris, alcachofra, tomate seco e queijos gouda, parmesão e gorgonzola, além de vinte tipos de sobremesas, complementam o cardápio. Promoção de 50% de descon-

to para mulheres acompanhadas no jantar (seg. a sáb.). Avenida Maria Servidei Demarchi, 2142 – Demarchi – 4347-0055/6137 (220 lugares). 11h30/15h e 18h30/23h (sáb. 12h/16h e jantar até 23h30; dom. só almoço 12h/17h). Cc e Cd:todos. www.pinheiraogrill.com.br. Aberto em 1982. $$

São Caetano Ponto da Traíra - O peixe que dá nome à casa é o seu carro-chefe com cerca de 140 unidades vendidas nos fins de semana. Servido sem espinhos, empanado e frito, acompanha à parte porções de arroz, feijão ou salada. De segunda a sábado no almoço tem bufê por quilo com vinte pratos quentes (feijoada, lasanha, carnes grelhadas e outros). Há também porções como a de rã empanada, camarões e iscas de tilápia. Apresentação de MPB ao vivo no fim de semana. Avenida Goiás, 3010, 4227-4050. 11h/16h e 18h até o último cliente (seg. a sáb.); domingo das 11h/17h. www.pontodatraira.com.br Restaurante 7 Mares - O espaço ocupa quase todo o quarteirão, com salão principal e outros três pisos para festas e eventos. No almoço, oferece bufê de frutos do mar com cerca de setenta itens, entre paella, salmão ao molho de morango e truta com amêndoas. No jantar, cardápio à la carte. Sugestão da casa: badejo grelhado ao molho de alcaparras com amêndoas, camarões e aspargos com arroz, purê e batata sautée. Também serve rodízio de sushi e sashimi. Estrada das Lágrimas, 1820, próximo ao Fórum – Jardim São Caetano – 4238-4622 (350 lugares). 12h/23h50. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.restaurante7mares.com.br. Aberto em 1997. $$ Don Pepe Di Napoli - Ponto de encontro de empresários e instalado no Hotel Mercure, faz parte da rede do chef Allan Vila Espejo. Oferece como sugestão de entrada o antepasto misto, com tomate seco, berinjela, abobrinha e sardela. Entre os pratos, destaque para o espaguete com molho de tomate, isca de filé mignon, berinjela e azeitona e o pernil de cabrito, guarnecido de batata corada e brócolis. No almoço, oferece bufê self service com saladas, massas, carnes e peixes. Rua Alegre, 440 – Santa Paula – 4227-5994 (110 lugares). 12h/15h e 19h/0h (sáb. e dom. sem intervalo). Cc: D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.donpepedinapoli.com.br. Aberto em 2005. $$ Forneria Itália - O pequeno espaço abriga num de seus ambientes um charmoso jardim com teto retrátil. No menu, combinações como paleta de cordeiro, servida com nhoque de menta e rúcula ao molho de queijo pecorino. Aos domingos, promove festival com 14 tipos de massa. Para sobremesa, experimente a Zuppa, pavê de morango servido com uma bola de sorvete de creme. Rua São Paulo, 1712 – Santa Paula – 2629-3629 (120 lugares). 11h30/15h e 18h30/0h (sáb. almoço até 16h; dom. só almoço até 16h; fecha seg.). Cc:D, M e V. Cd:Vv. www.forneriaitalia.com.br. Aberto em 2008. $$$ Di Passione - Cozinha inspirada na culinária do norte da Itália e do Mediterrâneo. Para entrada, a casa sugere o Carpaccio de Salmão, com parmesão, alcaparra, mussarela de búfala e molho de mostarda. Entre os pratos, o linguado grelhado com manteiga de ervas, com molho de camarão, tomate, pimentão, cebola e especiarias, arroz e batata sautée harmoniza bem com o vinho espanhol Gran Feudo Rosado 2005. Para finalizar, peça torta de amora com chantili. Rua Sergipe, 20 – Santa Paula – 4226-3039/7268 (100 lugares). 11h30/16h. Cc:D, M e V. . Aberto em 2001. $$$


Villa Jardim - Capitaneado por Nivaldo Dallaqua, o bar que leva o nome de conhecida balada andreense hoje funciona como bar e ponto de encontro de amigos. Quatro TVs de LED para os clientes não perderem as principais partidas de futebol enquanto degustam petiscos como o americano Wrap, recheado com catupiry, provolone, tomate e azeitona, servido como tira-gosto e acompanhado de uma Brasileirinha, bebida que mistura abacaxi, maracujá, manga, gelo de garapa e vodca. Alameda São Caetano, 314 – Jardim – 4436-8103. 17h/0h (sex. e sáb. 15h/6h; dom. 15h/1h; fecha seg.). Cc:M e V.

A Chama - Sombreros com as cores da bandeira mexicana dão o tom da casa. Os preferidos são o mix de tacos de chili, carne, queijo, frango e vegetais, acompanhados de molhos salsamanga, guacamole, chutney de tomate e iogurte mexicano, além de pratos especiais com arroz, salada e chili e porção escolhida entre burrito, taco, quesadilla e fajita. Há também a opção de rodízio de terça a sábado. Para acompanhar, um bom mojito e tequila José Cuervo. Rua General Osório, 405 – Santa Paula – 4224-2877 e 4228-1802 (70 lugares). 12h/15h e 19h/23h30 (fecha dom. e seg.). Cc:D, M e V. Cd:Vv. www.restauranteachamamexicana.com.br. Aberto em 2008. $$ Vivano Grill - Possui american bar, onde os clientes degustam cervejas Baden Baden Cristal, Stout, Bock ou Red Ale. Nos espetos, cortes como alcatra, picanha, costela premium, bife ancho, t-bone de cordeiro e picanha suína. Oferece bufê de comida japonesa, massas e risotos. Na carta de vinhos, o tinto português Paulo Laureano Premium 2008. Para sobremesa, apresenta sugestões como o vanilla ice cream: torta de sorvete de baunilha coberta por suspiros e chocolate ao leite. Avenida Goiás, 1175 – Santa Paula – 4223-5555 (500 lugares). 11h30/23h (sex. e sáb. até 0h; dom. até 22h30). Cc:D, M e V. Cd:So e Vv. www.vivano.com.br. Aberto em 1997. $$ Nakato - Trabalha tanto com rodízio quanto com combinados como o Nakato, barca de madeira repleta de sushi, sashimi, hossomaki e uramaki. Oferece opção de pratos quentes como teppanyaki de frutos do mar, acompanhado de arroz e missoshiro. O rodízio de pratos japoneses varia de preço conforme o dia da semana. Para beber, há cervejas long neck das marcas Bohemia, Brahma Extra, Sol e Heineken. Rua Martim Francisco, 135 – Santa Paula – 4221-9660 e 4224-6119 (140 lugares). 12h/15h e 18h/0h (sáb. e dom. sem intervalo). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.nakato.com.br. Aberto em 2009. $$ Outback Steakhouse - Com clima que remete a casas interioranas da Austrália da década de 1950, o espaço tem decoração rústica. Com mais de 800 restaurantes nos EUA e cerca de 120 em outros países. O carro-chefe da casa é a Billy Ribs, costela de porco servida com molho barbecue, além da Blooming’ Onion. ParkShopping São Caetano, Alameda Terracota, 545. 4221-3925. 12h às 15h e das 18h às 23h; sex. 1h; sáb. das 12h à 1h; dom. e fer. das 12h às 22h30. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.outback.com.br. Aberto em 2011. $$$ Dona Joanna - O espaço gourmet Dona Joanna leva no cardápio a grife da chef Ivone Nunes, com cortes na parrilla e acompanhamentos, além de massas, risotos e alguns pratos que diferenciam o menu da matriz em São Bernardo. ParkShopping São Caetano, Alameda Terracota, 545. 4233-8550. 12h às 16h e das 19h às 23h. Cc:D, M e V. www.donajoanna.com.br. Aberto em 2011. $$$ Risotteria Itália - Bufê por quilo, com cerca de 3 tipos de massas, 5 tipos de saladas e 12 pratos quentes. Trabalha também com à la carte, com destaque para os risotos e ravioli de massa verde. ParkShopping São Caetano, Alameda Terracota, 545. 4233-9491. 11h às 23h e dom. e fer. 14h às 22h. Cc: D, M e V. Aberto em 2011. $

Foto: Divulgação

Senhor Miyagi - O proprietário e sushiman Fulvio Zulick é quem prepara os sushis e sashimis, como o combinado Saiten com 34 peças entre niguiri, hossomaki, sashimi e uramaki, para duas pessoas. Trabalha também com sistema de rodízio de temaki às quartas. Para acompanhar: caipirinha de saquê com morango, kiwi, lima-da-pérsia ou abacaxi e banana flambada com sorvete. Rua General Osório, 411 – Santa Paula – 4228-1969 (80 lugares). 11h30/14h30 e 19h/0h (sáb. almoço até 16h; fecha dom. e seg.). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.senhormiyagi.com.br. Aberto em 2004. $$

bares Santo André Botequim Carioca - O Botequim é decorado com fotos do Rio de Janeiro e imagens de São Jorge. O cardápio também remete ao Rio com referências nos nomes das porções como a Posto Nove, porção de pastel com 3 opções: queijo, carneseca ou mista. Nas quartas à noite, chope Brahma em dobro e telões para os clientes curtirem as partidas de futebol. Rua Santo André, 524 – Vila Assunção – 4438-7624. 16h/23h (sáb. a partir das 12h; fecha dom. e seg.). Cc:D, M e V www.botequimcarioca.com.br Fonte Leone - Tijolos à vista e entrada ladeada por dois leões de pedra remetem à região da Toscana, na Itália. Três ambientes: salão com teto retrátil com a fonte que dá nome à casa, outro com pé-direito de 8 metros para o bar e varanda com janelas largas, além de adega com quase 150 rótulos de vinhos completam o charmoso espaço andreense. Lá, o chef Antônio Paiva prepara pratos como o Palmito dos Jardins, recheado de molho gorgonzola e gratinado com parmesão, e o Bacalhau Santini, posta de 350 gramas grelhada e servida com brócolis e batata. Rua das Figueiras, 1050 – Jardim – 44276917. 17h/1h (sex. e sáb. 12h/2h; dom. 12h/0h). Cc:M e V. www.fonteleonebar.com.br Shape Creperia - Especializada em crepes e com decoração com skates pendurados, o que confere o nome ao espaço, a casa oferece cerca de trinta sabores de crepe. Entre as novidades do menu, aparecem os recheios de lombo canadense com catupiry, tomate, cebola e manjericão e o mexicano, com salame, pimentão, provolone, tomate, cebola e pimenta. Rua das Figueiras, 1187 – Jardim – 4438-5537. 17h/0h (sex. e sáb. até 3h; dom. 15h30/23h30; fecha seg. e ter.). Cc:D, M e V. Cd: So e V. www.shapebar.com.br Si Señor - Receitas tex-mex, que utilizam ingredientes tradicionais mexicanos com outros, são a atração da casa de comida mexicana, como o prato La Bamba, com batata assada coberta de queijo cheddar e bacon, anéis de cebola empanados, nuggets de frango, pimenta jalapeño e molhos barbecue e de mostarda, ou o combo de nachos cobertos com frijoles, cheddar, guacamole, sour cream e pico-de-gallo. Mojito e margarita são um bom acompanhamento. Rua das Caneleiras, 555 – Jardim – 2324-7322. 18h/1h (sex. e sáb. 3h). Cc:M e V. www.sisenor.com.br.

Original Jardim Bar - Antes, Brazuka Sport Bar, mudou de nome em janeiro. Telão e dois televisores de plasma para os clientes assistirem, além de jogos de futebol, outras modalidades de esporte. As panquecas caem no gosto da clientela, entre elas a mexicana, recheada com chili e servida com nachos, acompanhada da cerveja uruguaia Patricia e das nacionais Original e Serramalte. Rua Padre Manoel da Nóbrega, 424 – Jardim – 4994-4280. 17h/1h (sex. e sáb. até 4h; dom. até 22h; fecha seg.). Cc:D, M e V. Bar do Kari - Inaugurado como Cabaré da Santa, o bar foi reformado e hoje leva o nome do proprietário, o conhecido tatuador Karioca. As instalações nos fundos do inativo Teatro Carlos Gomes têm em sua decoração homenagens às celebridades do cinema, como Marilyn Monroe, e da música em seu cardápio, com drinques como Jimi Hendrix, que mistura St. Remy, cereja e suco de abacaxi. Rua Doutor Cesário Mota, 494 – Centro – 2759-8595. 16h/23h (sex. e sáb. até 2h30; dom. a partir das 15h). Para Raio Blues - Fãs de blues são habitués do bar que homenageia ícones do ritmo como B.B. King, que deu nome ao lanche com pão integral, ricota, rúcula, tomate seco, peito de peru e queijo branco. Outro muito pedido é o Para Raio 2, com picanha, provolone, alface, tomate e batata frita. As cervejas Brahma, Skol, Original, Bohemia e Serramalte são uma boa pedida, além dos drinques como o Para Raio, com açaí, tequila, xarope e pó de guaraná. Rua das Figueiras, 1235 – Jardim – 4427-4389. 17h/2h (dom. a partir das 15h; fecha seg.). Cc:M e V. Majestade Bar - Shows de MPB e pop rock animam as noites dos clientes do bar, que os recebe para happy hour entre 17h e 20h, com chope e caipirinha à vontade com preço fixo. As tradicionais partidas de futebol às quartas são exibidas em sete televisores espalhados pela casa onde a boa pedida para acompanhar são as porções de batata frita e frango à passarinho e o chope Brahma. Rua Siqueira Campos, 880 – Centro – 2564-5494. 12h/15h e 17h/1h. Cc:D, M e V. www.majestadebar.com.br Giramundo Jardim - Seguindo o estilo da matriz em São Bernardo, o suntuoso bar traz em sua decoração diversas influências, tanto na decoração quanto no cardápio. Lustres balineses, almofadas futons, formas islâmicasmarroquinas, tecidos indianos, arcos romanos e paredes em pedras que lembram os românticos burgos italianos. O agito não para por conta de eventos, shows e karaokê. Como sugestão do chef, tiras de frango temperadas e empanadas à moda de Sidney, com onion rings e molho barbecue. Rua das Figueiras, 141 – Jardim – 4427-5124. Cc:D, M e V. www.bargiramundo.com.br Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

77


GUIA São Bernardo Bar do Bolinho - Desde 1968, a tradicional receita da família Hidaka agrada aos mais diversos paladares, pois na primeira unidade reuniam-se desde operários até empresários para degustar a saborosa iguaria. Hoje, em espaço mais moderno, a casa mantém a receita a sete chaves. O bolinho frito de carne bovina, crocante por fora e macio por dentro, é temperado com cebola e salsinha e é consumido puro ou com pão francês e diversas opções. A porção de mandioca cremosa vai bem com as cervejas Original e Heineken. Em breve nova unidade na General Osório. Rua João Pessoa, 262 – Centro – 4123-0633. 11h/23h (fecha dom. e feriados). Cc:D, M e V. Cd:todos. www.bardobolinho.com.br Bar do Camarão - Ambiente rústico, cachoeira e lago compõem o visual da casa capitaneada pelos sócios Rafael e Cleber. As mulheres recebem na saída um botão de rosa, tradição da matriz na Mooca. O bar tem nos camarões e peixes o seu ponto forte, mas no cardápio há massas e outros tipos de pratos à la carte. Festival do Camarão no almoço e jantar, com rodízio de camarões e peixes. Mais de 20 tipos de sucos com frutas frescas são servidos em taças de 750 ml. Rua Frei Gaspar, 153 – Centro – 41297619. Ter. a qui. 11h30/15h e 18h/24h; sex., sáb. e dom. 11h30 até ultimo cliente. Cc:D, M, V. Cd: todos. www.bardocamaraosbc.com.br. Aberto em 2008. Brasa Chopp e Parilla - Empanadas e cortes argentinos preparados na parrila fazem parte do cardápio do bar com culinárias uruguaia e argentina. Destaque para o corte da capa do contrafilé, que chega acompanhado de molho chimichurri, vinagrete, cebola curtida e pasta de alho. A carta de vinhos apresenta oitenta rótulos disponíveis na adega e várias opções para harmonizar com carne. Quanto aos drinks, o Brasa Martini mistura grappa, espumante, licor de pera e uva e é uma boa opção. Dentre as várias cervejas, rótulos como a belga Hoegaarden. Avenida Kennedy, 888 – Jardim do Mar – 4122-2193. 17h/2h (sex. e sáb. 12h/3h; dom. 12h/1h). Cc:M e V. www.brasabar.com.br Bar Central - Câmara frigorífica com barris e fotos antigas da cidade fazem parte do cenário do bar que reúne o pessoal acima dos 30 anos. No balcão, cerca de trinta itens entre parmesão, azeitona preta e aliche para petiscar. Experimente as deliciosas empadas junto com chope Brahma. Quanto aos pratos, prove o filé de pescada-amarela ao molho de amêndoas com purê de batata. Avenida Kennedy, 180 – Jardim do Mar – 4125-8089. 17h/2h (sex. e sáb. 12h/4h; dom. 12h/1h). Cc:D, M e V. www.barcentral.com.br Bar do André - Um dos bares mais tradicionais da cidade, conhecido como o Bar da Família, trabalha com uma variedade de cervejas que reúne cerca de sessenta rótulos. Dentre as comidinhas, a porção de bolinho de carne com vinagrete e a picanha com alho e cebola na chapa, servida com farofa, vinagrete, pão e maionese, harmonizam bem com um dos cinco tipos de chope, como o Colorado, produzido em Ribeirão Preto. Avenida Imperatriz Leopoldina, 631 – Nova Petrópolis – 4125-6205. 10h/0h. Cc:D, M e V. www.bardoandre.com.br Liverpool Bar - O primeiro pub inglês da região, com decoração que remete à cidade londrina, está sempre lotado na happy hour por engravatados que, entre um chope Brahma e outro, assistem a jogos e clipes nos seis televisores. Para petiscar, prove o Liverpool 3x1 com bife de chorizo argentino, linguiça toscana e peito de frango, pão, farofa, vinagrete e molho chi78

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

michurri. Na carta de cervejas, as belgas Hoegaarden e Stella Artois e as uruguaias Patricia e Norteña, além das nacionais. Avenida Kennedy, 819/825 – Vila Dayse – 4123-4929. 16h/1h30 (sex. e sáb. 15h/3h; dom. 15h/1h). Cc:D, M e V. www.liverpoolbar.com.br Generali Vintage Bar - O bar decorado com material de demolição também possui mezanino. No cardápio, tem a fraldinha no réchaud, acompanha vinagrete, pão, farofa, salada de repolho e alho frito, além de porções como o bolinho de carne-seca com abóbora e asinha de frango recheada com purê de mandioquinha, bacon e alho. Para acompanhar, chope Brahma. Avenida Kennedy, 260 – Jardim do Mar – 4121-9613 e 4330-2152. 16h/1h (sex. e sáb. 12h/4h; dom. a partir das 12h; fecha seg.). Cc:D, M e V. www.bargenerali.com.br Bar do Freguês - A prata da casa é a carta de cervejas que lista 98 rótulos de cervejas de 14 países, desde nacionais como a Bamberg Helles, de Votorantim, até a alemã Hofbräu Pilsen. Para degustar, o bolinho de bacalhau e alcatra grelhada com tomate seco e gorgonzola gratinado. Aos sábados, feijoada na cumbuca, que acompanha couve, arroz, torresmo ou mandioca. Rua Sergipe, 12/18 – Centro – 4123-8846. 16h/1h (sex. 12h/2h; sáb. 12h/18h30; fecha dom.). Cc:D, M e V. Cd:So. www.bardofregues.com.br Pimenta Bar - A casa é palco de apresentação de dupla sertaneja às quintas, grupo de pagode aos domingos, além de DJ com eletrônico e hits de pop, rock e black music nas noites de sexta e sábado, para esquentar a paquera. Uma das porções mais pedidas é a Texas Fries: batata frita com bacon, cheddar, catupiry e queijo emmental picante. Aos sábados, serve feijoada na cumbuca. Avenida Índico, 955 – Jardim do Mar – 4330-1444. 17h/1h (sáb. e dom. a partir das 12h). Cc:M e V. www.pimentabar.com.br La Revolucion - No cardápio impera a culinária latina, como o Taco Che, com tortillas, tiras de filé mignon, calabresa, pimentão e cebola, mais molhos barbecue e picante. O combo Compadritos y Farabutes tem anéis de banana frita, isca de peixe e palitos de mussarela empanados. Para acompanhar, cervejas importadas como a Quilmes ou caipirinhas, a La Vida Es Rosa combina vodca, melancia e hortelã. Avenida Kennedy, 699 – Vila Dayse – 4121-5700. 15h30/1h30 (sex. e sáb. até 3h30; dom. 12h/1h). Cc:M e V. Nova Bar - Bandas de pop rock animam o público a partir das 21h, de quinta a sábado. A porção Amigo dos Gêmeos tem cubos de alcatra, contrafilé e maminha e é servida com mandioca frita, pão, farofa e vinagrete. O lanche Big Nova Bar tem dois hambúrgueres, queijo, bacon, salada e um molho à base de barbecue. Na carta de cervejas com dezoito rótulos, a alemã Warsteiner. Avenida Francisco Prestes Maia, 389 – Nova Petrópolis – 4330-7023. 16h/2h (dom. 14h/0h; fecha seg.). Cc:D, M e V.

São Caetano Armazém São Caetano - O espaço divide-se em dois ambientes e jardim, onde fica o bar. Oferece bufê no almoço. No cardápio, opções de porções e pratos para acompanhar o chope Brahma. Música ao vivo com sambas antigos às quartas e aos sábados e MPB às quintas dá o tom da casa. Rua Piauí, 248 – Santa Paula – 4228-3292 e 4226-3388. 12h/15h e 17h30/1h (sex. e sáb. 12h/1h30; dom. 12h/17h; seg. só almoço). Cc:M e V. Cd:Vv. www.armazemsaocaetano.com.br

Cubanos - Entre quadros de Fidel Castro e Che Guevara, os clientes degustam porções como as de nachos com chili e o mix de mandioca, polenta, torresmo e linguiça acompanhado de mojito de laranja, abacaxi ou uva. Entre as opções de cervejas: Brahma, Devassa, Serramalte e Baden Baden. Avenida Goiás, 1183 – Santo Antônio – 42291594. 17h/4h (sex. a dom. a partir das 15h; fecha seg.). Cc:D, M e V. Cd:So e Vv. Gargalo Bar - As porções de costela cozida no bafo e mandioca e a picanha maturada servida no réchaud são acompanhadas de pão, farofa, vinagrete e creme de alho. O bar possui dois andares para os clientes degustarem o chope Brahma na tulipa ou uma boa caipirinha com vodca, limão e morango. Avenida Goiás, 714 – Santo Antônio – 4229-4657. 17h/1h (sex. e sáb. até 4h; sáb. e dom. a partir das 14h). Cc:D, M e V. Cd:Vr e Vv. Choperia Intercontinental - Na principal avenida da cidade, o espaço oferece happy hour com chope Brahma. Trabalha com cervejas Brahma, Skol, Bohemia e Original. Para acompanhar as bebidas, porções como a de picanha com catupiry servida no réchaud, acompanhada de vinagrete, pão e farofa, além da costelinha suína com polenta e o escondidinho de carne-seca. Avenida Goiás, 692 – Santo Antônio – 4229-3689. 16h/1h (sex. até 4h; sáb. 14h/4h; dom. 14h/0h). Cc:D, M e V. Cd:So e Vv. www.choperiaintercontinental.com. br Galeteria São Caetano - A casa possui dois andares, com mesas nas calçadas e salão com quadros de antigos seriados de TV. No cardápio, há opções como o Buffalo Mix, com tiras de peito de frango empanadas e asinhas de frango com molho picante, além de batata frita, cebola tirolesa e molho cheddar e o grelhado misto, servido no réchaud com picanha, maminha, galeto e linguiça. Para beber, cervejas Skol, Original, Heineken e chope Brahma. Avenida Goiás, 1074 – Santo Antônio – 4229-1419. 16h30/1h (sex. até 4h; sáb. 12h/4h; dom. a partir das 12h). Cc:D, M e V. Cd:Vv. www.galeteriasaocaetano.com Hangar 764 - Ocupa o galpão de uma antiga oficina. No telão, transmissão de jogos de futebol e shows de rock e reggae. Entre as porções, peça a Hangar 764, com iscas de contrafilé, frango e calabresa, pão, vinagrete e farofa, que serve três pessoas e acompanha bem as cervejas Itaipava e Bohemia, além das importadas Erdinger e Guinness. Avenida Presidente Kennedy, 764 – Santa Paula – 4226-1593. 16h/1h (sex. e sáb. até 3h30; dom. a partir das 15h; fecha seg. e ter.). Cc:D, M e V. Água Doce Cachaçaria - Especialista em cachaça, tem cerca de 250 rótulos. Entre as novidades estão a mineira Dedo de Prosa, a paraibana Lagoa Grande e a recifense Santa Dose. Também oferece drinques como o Cream Moon, que leva Amarula, creme de leite e sorvete de creme, além de pratos como a Costelinha Água Doce, servida com arroz ao vinho e batata frita. Rua Rio Grande do Sul, 460 – Centro – 2629-4729. 18h/0h (sex. e sáb. até 2h; dom. 15h30/23h). Cc:D, M e V. Tríade Pub - Clima de pub inglês com apresentações de grupos de rock às terças, sextas e sábados, o que embala o consumo de chopes Erdinger, Guinness e Eisenbahn, além de cerca de setenta rótulos de cerveja. Para acompanhar, porções como a de cubos de frango empanados com quatro tipos de molho (cheddar, barbecue, mostarda e sour cream). Rua Manoel Coelho, 933 – Santo Antônio – 2311-0959. 17h/0h (sex. e sáb. até 2h; dom. a partir das 15h; fecha


Café do Ponto - Além do expresso tradicional da marca, trabalha com os grãos Cerrado Mineiro, Sul de Minas e Mogiana. Há ainda expressos aromatizados nos sabores amêndoas torradas, avelã, baunilha com nozes, chocolate com trufa e creme irlandês. Entre os salgados, croissant de quatro queijos, frango ou pizza e entre os doces, torta de coco e muffins de baunilha ou chocolate. Grand Plaza Shopping, loja Q 25 – Centro – 4432-0982. 10h/22h. Cc:M e V. www.cafedoponto.com.br

Fotos: Divulgação

Café com Leite - O expresso e o gelado Café Menta, com café, leite, licor de menta e chantili, listam as opções da casa, além de esfihas de frango, carne, calabresa ou quatro queijos e pratos rápidos como a omelete de presunto, queijo, tomate e cebola, com salada de alface, tomate e queijo branco. Rua Doutor Cesário Mota, 366 – Centro – 4992-3602. 8h15/18h30 (sáb. 10h/16h; fecha dom.). Cc: D, M e V.

cafés SANTO ANDRÉ Kopenhagen Café - Na sofisticada rede, o expresso é servido e acompanhado de canudo de biju, cookie amanteigado ou pastilha de chocolate, além de copinho de água com gás; o cappuccino com raspas de chocolate e chantili também é uma boa pedida. Chá gelado de framboesa com a famosa Nhá Benta (tradicional, coco, chocolate e clássicos) é sucesso garantido. Rua das Bandeiras, 326 – Jardim – 44279287. 10h/20h (qui. a sáb. até 22h; dom. e feriados 12h/18h). Cc:D, M e V. www.kopenhagen.com.br Royalle Café - Com grãos vindos do sul de Minas Gerais, o expresso incrementa drinques gelados como o Toulon, que mistura sorvete de cereja amarena, calda de frutas vermelhas e chantili, e entre as bebidas quentes, o Trufado (com café, raspas de chocolate, leite e chantili), servido em xícara com trufa na borda. Sugestão de salgado: quiche de espinafre, servida com mix de folhas verdes. Rua das Bandeiras, 421 – Jardim – 4438-7743. 9h/23h (sex. e sáb. até 1h). Cc:M e V. www.royallecafe.com.br Fran’s Café - O cardápio apresenta sugestões como o Fran’s Cappuccino Doce de Leite, com expresso, canela, leite, doce de leite e o chocolate quente, servido com creme de avelã na borda da xícara. Destaque entre as bebidas geladas: o smoothie de iogurte natural, amora e suco de laranja. O famoso Croque Monsieur, com massa de brioche, leva presunto, mussarela, parmesão e gruyère e acompanha batata chips ou salada de alface, tomate e cenoura. Rua das Figueiras, 181 – Jardim – 4438-9603. 24h. Av. Portugal, 1126 – 4468-1665. Cc:M e V. www.franscafe.com.br Grão Espresso - Entre as dezesseis opções de café, além do tradicional expresso, experimente o café mesclado com leite condensado, licor de menta ou de chocolate e chantili. Dentre os lanches, a casa sugere o Fornoíche, com presunto, queijo, tomate e orégano no pão de queijo. Entre os doces: bomba de doce de leite. Grand Plaza Shopping, loja 134 – Centro – 4979-5590. 8h30/22h30 (dom. e feriados 10h/22h). www.graoespresso.com.br

Café Época - Além da cafeteria, o espaço abriga restaurante. Entre doces e salgados, sugestões como a quiche de tomate seco, a Lorraine e torta de limão, entre várias opções. O café expresso finaliza bem. O baby beef aromatizado por manteiga com ervas acompanha risoto e legumes grelhados. Avenida João Ramalho, 390 – Vila Assunção – 4437-3268 e 9873-1360. 7h/21h (sáb. 9h/18h; fecha dom. e ter.). Cc:D, M e V.

São Bernardo Fran’s Café - A rede paulista de cafeterias lista bebidas à base de café, como o Fran’s Cappuccino Doce de Leite, com expresso, canela, leite e doce de leite, ou o napolitano, com sorvete de morango, licor e calda de chocolate, servido em taça. O Croque Monsieur tem pão de brioche, presunto, mussarela, parmesão e gruyère e é servido com batata chips ou salada de alface, tomate e cenoura. Nos dias frios, peça o creme de queijo no pão italiano. Rua Continental, 357 – 4124-6384. Cc:M e V. www.franscafe.com.br

nhamento à escolha do cliente: arroz, salada ou mandioca frita. Wraps, sopas e sanduíches completam o cardápio. Rua Rafael Correia Sampaio, 1090 – Santa Paula – 4226-0766. 10h/18h30 (seg. até 17h; sáb. até 16h; fecha dom. e feriados). Kopenhagen - O carro-chefe da rede é o expresso servido com canudo de biju com ponta coberta de chocolate, cookie amanteigado ou pastilha de chocolate com menta, além de copinho de água com gás. O cappuccino, incrementado com leite, raspas de chocolate e chantili, chá gelado de framboesa e a soda italiana de maçã-verde ou de limão-siciliano também são muito solicitados. Não esqueça as famosas Nhá Bentas tradicional, coco, chocolate e clássicos, com canela e cobertas por chumbinhos de chocolate. Avenida Goiás, 1105 – Santo Antônio – 4226-1351. Cc:D, M e V. www.kopenhagen.com.br Bottega 104 - Frequentada por executivos e médicos, a casa serve o café expresso com grãos moídos na hora. Acompanham bem os bolos de fabricação própria, como o floresta negra, recheado com chocolate trufado, chantili e cerejas ao licor. No cardápio, pratos rápidos como lasanha à bolonhesa. Rua Espírito Santo, 104 – Santo Antônio – 4228-3676 e 42283528. 8h/19h (sáb. até 15h; fecha dom.). Cc:D. M e V. Cd:Vv. Casinha das Letras - Mix de cafeteria, revistaria e livraria para uma boa leitura enquanto degusta um bom expresso com chantili. Para os dias mais frios, experimente o Hot Chocolate, mais encorpado que o chocolate quente. Entre os salgados, lista o pão de batata com frango e catupiry. Rua Monte Alegre, 83 – Santo Antônio – 4228-4172. 8h/22h. Cc:D,M.

Kopenhagen - Juntamente com as várias opções de cafés, como o expresso (servido com canudo de biju com ponta coberta de chocolate, além de copinho de água com gás) ou o cappuccino, com leite, raspas de chocolate e chantili, saboreie uma Nhá Benta. Para os dias mais quentes, o cardápio apresenta bebidas refrescantes como o chá gelado de framboesa ou soda italiana de maçã-verde ou de limão-siciliano. Rua Doutor Fláquer, 565 – Centro – 4123-7570. 10h/22h. Cc:D, M e V. www.kopenhagen.com.br

São Caetano Fran’s Café - A unidade sancaetanense oferece dezesseis sugestões de cafés e cappuccinos como o Fran’s Cappuccino Doce de Leite, com expresso, canela, leite e doce de leite. Opção em taça, o Café Napolitano leva expresso, sorvete de morango, licor e calda de chocolate. O Croque Monsieur, montado com pão de massa de brioche, leva presunto, mussarela, parmesão e gruyère e acompanha batata chips ou salada de alface, tomate e cenoura. Nos dias frios, experimente o creme de queijo servido no pão italiano. Rua Amazonas, 604 – Centro – 42244365. Cc:M e V. www.franscafe.com.br Quinta do Café - No cardápio, cerca de quarenta opções de cafés, como um dos mais pedidos feito com creme de leite, chocolate em pó, expresso, chantili e calda de chocolate que vai muito bem com torta salgada de bacalhau, palmito ou frango com catupiry, além de brigadeiro e bala de coco banhada no chocolate. No almoço, servem panquecas servidas com um acompa-

docerias SANTO ANDRÉ Sodiê Doces - Doceria com mais de oitenta lojas no Brasil, com decoração em tons de bege e marrom. Mais de setenta tipos de bolos de fabricação própria. Entre os mais pedidos figuram o Alpes Suíços, bolo de chocolate com mousse de chocolate e trufa, e o Delícia de Leite, mousse branco com leite em pó, além de tortinhas, mousses e docinhos. Aproveite para apreciar um bom cappuccino ou café expresso. Rua Filinto de Almeida, 26 – Vila Gilda – 2325-8000. Seg. a sáb. 9h/18h e dom. 10h/13h. Cc:D, M e V. www.sodiedoces.com.br. Aberta em 2008. Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

79


GUIA Yoforia Santo André - Irresistível e cremoso frozen yogurt com 0% de gordura, baixo índice calórico, adicionado de fibras e culturas ativas do iogurte para sua saúde digestiva. Saudável, nutritivo e saboroso. Frutas fresquinhas e iogurte totalmente natural. Os melhores frozen yogurt do mercado. Rua das Caneleiras, 496 – Jardim – 99034243/2534-4832. 7h/19h (dom. até 13h). Cc:D, M e V. Cd: todos. Le Gâteau Alta Confeitaria - A Le Gâteau, comandada pela cake designer Taty Fernandez, amante da confeitaria francesa, apresenta no charmoso ambiente bolos artísticos, tradicionais, cupcakes, profiteroles, doces finos, sobremesas e presentes. Além de produtos exclusivos para eventos, o ateliê Le Gâteau está à disposição dos clientes para saborearem os doces acompanhados de café ou vinho. Rua das Caneleiras, 620 – Jardim – 4316-5915. www.legateau.com.br Doçaria Padoveze - Dentre as 50 opções de doces da tradicional doceria, destaque para o Bolo Crocante, recheado de mousse de chocolate branco e ao leite e coberto de castanha-de-caju picada, além de doces diet, como o Bolo de Nozes com Chantili. Aos domingos funciona a rotisseria, que vende massas artesanais como o conchiglione com recheio de quatro queijos. Rua Doutor Messuti, 41 – Vila Bastos – 4438-3010/3020. 7h/21h (sáb. e dom. 8h/20h). Cc:D, M e V. Cd: todos. www.padoveze.com.br Cindy Confeitaria - A tradicional confeitaria andreense apresenta mais de setenta tipos de guloseimas entre bolos, tortas e doces e um dos mais pedidos é o Bolo Merengue, com massa de pão de ló, camadas de creme com morango e cobertura de suspiro. Mil-folhas, bomba de chocolate e tortinha trufada de gianduia também fazem sucesso. Rua Monte Casseros, 36 – Centro – 4438-1911. 9h/18h30 (fecha dom.). Cc:D, M e V. Cd: todos. www.cindy.com.br

São Caetano Valmir Rodrigues & Gazola - Mesas decoradas com tecidos ecológicos e chafariz de pedra compõem o visual do espaço. Macarons nos sabores champagne, vinho do Porto e pétalas de rosa, além da panacota coberta de geleia de frutas silvestres, soda italiana (lima-da-pérsia ou blueberry) ou café gelado, lanches rápidos e sorvetes listam no cardápio. Avenida Presidente Kennedy, 1332 – Santa Paula – 4225-1889. 10h/22h (dom. até 18h; fecha seg.). Cc:D, M e V. www.valmirrodrigues.com.br Chocolate Pan - A loja fica ao lado da fábrica e é reabastecida várias vezes ao dia. Nas prateleiras, guloseimas que não vão para o varejo, como a paçoca coberta de chocolate. Para as crianças, tem pacotão com 230 moedas de chocolate. Também trabalha com três sabores de sorvete: chocolate, chocolate com nozes e chocolate com passas (potes de 2 litros). Rua Maranhão, 835 – Santa Paula – 4223-4200. 8h/18h (sáb. 9h/13h; fecha dom.). Cc:D, M e V. www.chocolatepan.com.br Mou Mousse - Instalada em um amplo salão, a loja de fábrica conta com mais de 100 tipos de sobremesas. Mousses, tortas, bolos, petit gâteau, trufas, brownies e sobremesas light listam as opções, além de salgados como coxinhas, risoles, minissalgados para festa e tortas. Trabalha com congelados. Rua Antônio Barile, 119/125, SCS, 4227-6793/4227-6794. 09h30/18h (seg. a sex.). Av. Francisco Prestes Maia, 914 – Centro – SBC. 2356-4886 / 2356-4887. 10h/18h30 (seg. a sex.); 10h/17h (sáb.).

80

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Fotos: Divulgação

Doceira Bariloche - A loja fica lotada nos fins de semana por clientes à procura das inúmeras opções de bolos, doces e salgados expostos nas vitrines, como o mil-folhas de creme de baunilha e bomba de chocolate. No balcão de sorvetes, 43 sabores como beijinho e merengue de suspiro e morango. Experimente a empada de camarão. Avenida Kennedy, 170 – Jardim do Mar – 4125-3055. 9h/20h30 (dom. até 19h; fecha seg.). Cc:D, M e V. www.bariloche.com.br

Doceira Cristal - No cardápio que lista 25 opções de bolos, o Crocante de Nozes demanda maior tempo de preparo pois não é assado e descansa 24 horas na geladeira antes de ser colocado à venda. Entre outras opções, tortinha de morango e entre os salgados, cuscuz paulista, feito com farinha de milho, ovo, palmito, ervilha, pimentão e azeitona. Rua Angela Thomé, 35/37 – Rudge Ramos – 4367-4333. 9h/18h (fecha dom.). Cc:D, M e V.

SANTO ANDRÉ Giulia’s Pizza Show e Alegria - Instalado no Grand Plaza Shopping em Santo André, o espaço oferece mais de 40 tipos de pizzas. A casa trabalha com sistema de rodízio aos sábados, domingos e feriados, incluso bufê de saladas e grelhados no almoço. As mais pedidas são a baiana, rúcula com tomate seco e marguerita, além das novidades como as pizzas de abobrinha e de berinjela. A torre de 2 litros de chope Kaiser vai bem para grupos de amigos. Grand Plaza Shopping, loja F8 – térreo – Jardim – 4979-5332/5105. (150 lugares). 11h/23h. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.giuliaspizza.com.br. Aberta em 1997. San Marco - Dois salões, térreo e piso superior, além de bar. A casa oferece setenta sabores de pizzas feitas em três fornos a lenha. Uma das mais pedidas é a de escarola, presunto, palmito, ervilha, bacon, aliche e parmesão. Entre as opções doces, peça a Nega Maluca, coberta de chocolate, morango, kiwi e cereja. A adega possui 1000 garrafas com noventa rótulos de vinhos. Rua das Bandeiras, 271 – Jardim – 4990-7900 (350 lugares). 18h/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.sanmarcopizzaria.com.br Vero Verde - Misto de bar e pizzaria, a casa possui dois ambientes. No bar, as pizzas podem ser servidas como aperitivo. Experimente a saborosa quatro funghi, com mussarela, shiitake, shimeji, cogumelo-de-paris e funghi secchi. Para quem curte sucessos da MPB e flashbacks internacionais, som ao vivo às terças e quartas. Rua das Bandeiras, 16 – Jardim – 4433-0888 (600 lugares). 18h/0h (sex. e sáb. até 2h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.veroverde.com.br.

São Bernardo

Cacau Show - A rede apresenta mais de vinte sabores de trufa, como pimenta, limão e maracujá, além de tabletes de 20 gramas: crocante e gianduia, chocolate com laranja ou misto de chocolates branco e preto. Aproveite para tomar café expresso degustando torta holandesa ou de flocos. Uma das opções de presente é a caixa com bombons de avelã ou cereja. Rua Municipal, 120 – Centro – 4122-2898. Cc:M e V. Cd:Vv. www.cacaushow.com.br

pizzarias

pastelaria

Tripoli - Das quarenta coberturas do cardápio, 28 são servidas também no sistema de rodízio. Sugestão: À Moda do Pizzaiolo, com mussarela, cogumelo-de-paris, palmito, ovo e cebola. Peça também a de bacalhau, cebola, tomate e salsa. O chope Germânia é servido na tulipa. Avenida Lino Jardim, 1144 – Bela Vista – 4438-4588 (350 lugares). 17h30h/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.pizzariatripoli.com.br.

SANTO ANDRÉ

São Bernardo

Pastel Bertioga - Sob o comando de Meire Marchiani, a casa tem ambiente praiano, com teto de palha e cadeiras e mesas de madeira. Mais de 50 opções de pastéis salgados e doces, preparados com a massa fornecida pela rede de franquias. O carro-chefe são os pastéis de 30cm e 250g de recheio no mínimo. A novidade fica por conta das cestinhas com seis minipastéis variados. Rua Frei Gaspar, 29 – Centro – 4338-2442/4338-2443. Ter. a sáb. 11h/ 22h30. Dom. 18h/22h30. Cd:V e RS. Rua Caminho do Pilar, 869 – Vl. Gilda – Santo André. 44360664/4432-4281. Ter. a sáb. 11h30/23h. Dom. 18h/23h. Cd:V e RS. www.pasteldebertioga.com.br

Don Quixote - Na entrada ficam as estátuas de Don Quixote e Sancho Pança. No cardápio listam cerca de sessenta sabores de pizza (que podem vir cortadas como aperitivo), como a Moinho de Vento, com mussarela de búfala, tomate seco, folhas de manjericão salpicadas com parmesão e alho frito. Entre um dos sessenta rótulos de vinho, o tinto chileno Panilonco Reserve Carmenère 2007. Avenida Kennedy, 605 – Vila Marlene – 4337-4548. 17h30/0h30 (qua. e qui. até 1h; sex. e sáb. até 2h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.pizzabardonquixote.com


Pizzaria Zanini - Comandada pelo casal Adriana e Cláudio, pizzaiolo há anos, a casa possui três ambientes de salão, adega, três fornos a lenha e oferece 66 tipos de pizza. Uma das mais pedidas é À Moda da Casa, com presunto, champignon, palmito, cebola, bacon e catupiry. Outra boa pedida é a pizza de alcachofra. Novidade no cardápio é o petit gâteau. Rua Walter Carlos Zanini, 79 – Assunção – 4356-0593/ 4351-5613 (200 lugares). Terça a domingo a partir das 18h/23h30. Cc e Cd: todos. www.pizzariazanini.com.br. Aberta em 1991. Pizzaria do Gino - Na decoração do tradicional espaço, além de toalha xadrez, fotos de clientes. Oferece cardápio variado com setenta sabores de pizza, como a de lombo assado com alcaparra e a Romeu e Julieta, de goiabada, catupiry e mussarela. Algumas pizzas também podem ser consumidas no balção. Rua João Pessoa, 420 – Centro – 4125-9277 (125 lugares). 18h/23h30 (sex. a dom. até 0h; fecha seg.). Cd:Vr, So e Vv. www.pizzariadogino.com.br. Aberta em 1976. Sala Vip - Pé-direito duplo, varandas e bar dão o toque de sofisticação ao espaço. O cardápio oferece 63 opções de pizzas com massa fina, como a de tomate pelado, com mussarela de búfala, manjericão e azeitona preta, ou entre as opções doces, a de creme de leite, geléia de limão, limão-siciliano e açúcar de confeiteiro. A carta de vinhos reúne rótulos como o tinto argentino Alamos Malbec. Rua Américo Brasiliense, 693 – Centro – 4125-5757 (120 lugares). 18h/1h (fecha seg.). Cc:M e V. www.salavippizzaria.com.br. Aberta em 2002.

bacon e a de calabresa de cordeiro com mussarela, cebola e folhas de hortelã. Entre as pizzas doces está a Cioccolato Alla Fruta, com doce de leite, chocolate e frutas da estação. Para acompanhar, a sugestão da casa é o vinho argentino Alfredo Roca Malbec 2008. Rua General Osório,665 – Santa Paula – 4229-5999 e 2376-2659 (40 lugares). 18h/23h30 (sex. e sáb. até 0h). Cc:D, M e V. Cd: Vv. www.pizzariaitalia.com.br. Aberta em 1979. $ Citta Del Sole - O espaço faz as vezes de videokê, todas as noites a partir das 19h. No cardápio com 59 tipos de pizzas, algumas foram batizadas com nomes de rodovias como a Bandeirantes, feita com lombo, palmito, mussarela e catupiry, ou a Castelo Branco, com berinjela, cebola, aliche e parmesão. Para a sobremesa, a sugestão é a Prestígio, que leva chocolate, coco ralado, leite condensado e cereja. O cliente pode escolher a espessura do disco da pizza. Rua Baraldi, 485 – Centro – 4224-6979 e 4226-4013 (80 lugares). 18h/23h (sex. e sáb. até 2h; fecha seg.). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.cittadelsole.com.br. Aberta em 1976. $

La Vicenza - A casa possui cinco ambientes. No bistrô, apresentação de sucessos do jazz, da MPB e do pop internacional às quintas e sextas. Para petisco, a massinha de pizza com parmesão e molho de tomate vai bem com a caipirosca de manga, lima-da-pérsia e caju. Oferece 74 sabores de pizza e novidades como a de carne-seca com catupiry e a integral, com peito de peru, mussarela de búfala e rúcula. Como opção doce, morango com chocolate. Rua Piauí, 861 – Santa Paula – 4229-6679 (500 lugares). 17h30/0h (sex. e sáb. até 1h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.lavicenza.com.br. Aberta em 1995. $$

Vittorio Veneto - Jardim de inverno e espaço envidraçado com dois fornos a lenha compõem o espaço. Entre as noventa opções, destaque para a de mussarela de búfala artesanal, tomate, manjericão e pesto de azeitona preta e a de alho-poró coberta com mussarela, peperone, orégano e azeitona preta. Para a sobremesa: pizza de morango com chocolate cremoso com uma bola de sorvete Häagen-Dazs em cada uma de suas fatias. A adega apresenta 87 rótulos, como o vinho verde português Condes de Barcelos 2009. Rua Amazonas, 1109 – Santo Antônio – 23115529/2573 (150 lugares). 18h/0h. Cc:D, M e V. www.pizzariavittorioveneto.com.br. Aberta em 2009. $ Itália - Na decoração, quadros e objetos italianos envolvem o ambiente que apresenta pizzas como a de alho-poró com mussarela, ovo batido, parmesão e

Boka’s Burger - Com 20 anos de história, o Boka’s Burger possui em seu cardápio mais de 100 variedades de pratos entre lanches, panquecas e beirutes e é parada certa de quem volta da balada.Tudo começou com um trailer que vendia sanduíches no mesmo lugar. Atualmente os clientes se acomodam em dois amplos salões para devorar itens como o x-tudo, com hambúrguer, bacon, salame, queijo, ovo, salada, vinagrete, presunto, milho e maionese. Rua José Monteiro Filho, 23, 41252598. 18h30/5h (seg. a sex.); a partir das 12h30 (sáb. e dom.). Cc:M, V. Subway - A rede trabalha com lanches de 15 ou 30 centímetros, montados na hora e ingredientes escolhidos pelos clientes. Há cinco tipos de pães assados diariamente: italiano, integral, parmesão com orégano, três queijos ou integral com aveia e mel que acompanham, além das sugestões do cardápio, queijo suíço, prato ou cheddar, mais folhas verdes, tomate, cebola, pepino, pimentão, picles, cenoura e azeitona, além de um dos seis tipos de molho. Av. Kennedy, 615 – Jardim do Mar – 2669-7440. 11h/23h (sex. e sáb. até 2h; dom. a partir das 12h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.subway.com.br Mega Burger - Réplicas do famoso carro esportivo dos anos 60, o Shelby Cobra, figuram na decoração. Entre os sanduíches mais pedidos estão o de hambúrguer de picanha como o Mega Cheese, feito com 200 gramas da carne, além de queijo prato, alface, tomate, molho e cebola, e o Triplo Cheese, com hambúrguer, queijo prato, catupiry e cheddar. Para acompanhar, peça milkshake de morango ou de Nutella. Rua Marli, 11 – Vila Marli – 4122-2329 e 4332-7775. 11h30/1h (sex. e sáb. até 6h; sáb. e dom. a partir das 12h). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv.

São Caetano

São Caetano Foto: Divulgação

Babbo Giovanni - O cardápio lista cerca de cinquenta sabores com massa grossa e bordas altas. Opções como a Pizza Sérgio Guerreiro, com iscas de pimentão vermelho, berinjela, azeitonas e mussarela, e a Genova, com blanquet de peru, queijo cottage, tomate e manjericão, dividem atenções com as bruschettas de tomate seco, rúcula e mussarela de búfala, também assadas no forno a lenha. Av. Goiás, 1732 – Sto. Antônio – 4224-4624 (120 lugares). 18h/23h (sex. e sáb. até 0h30; fecha seg.). Cc:D, M e V. www.babbogiovannipizzaria.com.br. Aberta em 2009. $

São Bernardo

LANCHES SANTO ANDRÉ Paulo Lanches - Os lanches são preparados pelo próprio dono, Paulo Henrique Salas, como o cheese frango salada, servido no pão de hambúrguer com 250 gramas de filé de frango, 220 gramas de queijo, azeitonas preta e verde, alface e tomate, e na baguete, o bauru com 270 gramas de queijo, 300 gramas de presunto, maionese, azeitona preta e tomate. Peça sucos naturais de laranja, abacaxi com hortelã, melancia, maracujá, morango ou uva. Rua das Monções, 836 – Vila Guiomar – 44361616. 18h/0h30 (sex. e sáb. até 3h30; fecha seg.). Cc:D, M e V. Cd: Vv. Bendita Sanduicheiria - Serve sanduíches como o feito com dois hambúrgueres, bacon, queijo, alface, tomate e maionese. Há opções como o hambúrguer de picanha ou de soja com cheddar, bacon e molho barbecue. Para a sobremesa, a banana split serve duas pessoas. Pça Presidente Kennedy, 9 – Vila Bastos – 4994-6722 e 4979-4510. 11h30/0h (sex. e sáb. até 2h; fecha seg.). Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.benditasanduicheiria.com.br

The Fifties - Lanchonete com clima americano dos anos 50, bem ao estilo rock n’ roll da época. O trio hambúrguer de picanha, fritas e milk-shake completa a aura nostálgica da concorrida rede, que em sua primeira unidade no ABC já apresenta longa fila de espera. ParkShopping São Caetano, Alameda Terracota, 545 – 4226-1031/4226-0792. Todos os dias das 11h às 23h. Cc:D, M e V. . Aberto em 2011. Tribeca Hamburgueria - Decoração retrô com piso quadriculado em preto e branco compõe a ambientação do espaço. No cardápio, opções como cheese salada, com hambúrguer de fraldinha, queijo, maionese caseira, molho de tomate fresco e alface, e o sanduíche de calabresa, bacon e ovo vão muito bem com milk-shake de Chicabon e calda de chocolate. Rua Espírito Santo, 560 – Santo Antônio – 2376-7616. 12h/23h (dom. a partir das 18h). Cc:D, M e V. Four Fé - Dos irmãos Júlio e Caio César Jorge, a casa oferece mais de vinte tipos de sanduíches, inclusive o cheese calabresa salada, com linguiça, queijo, alface, maionese e molho de tomate caseiro, receita da matriarca da família. Entre as opções: calabresa, filé de frango, hambúrguer de patinho e o mistão, com presunto, queijo, ovo, bacon e alface. Para acompanhar os lanches, peça sucos como o de abacaxi com hortelã. Avenida Goiás, 1486 – Santa Paula – 42263491. 11h/22h (seg. até 16h; fecha dom.). Cc:D, M e V. www.fourfe.com.br Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

81


GUIA

Foto: Divulgação

bufê de café da manhã. Avenida Kennedy, 535 – Vila Marlene – 4330-5443. 6h/23h. Cd:Vr, So e Vv. www.panificadorakennedy.com.br

PADARIAS SANTO ANDRÉ

Portugal, 894 – Jardim Bela Vista – 4990-3643. 24h. www.padariaportugal.com.br

Bella Vitória - Café da manhã com salgados e doces, como o pão recheado de parmesão, a baguete de escarola e bolos de cenoura, chocolate, fubá e formigueiro, frutas, cereais e geleias. Aos sábados e domingos, balcão de tapiocas montadas na hora com recheios variados. O espaço também oferece restaurante para 500 pessoas, além de adega, mercearia e tabacaria. Rua Tuiuti, 39 – Bela Vista – 4432-0748. 6h30/3h. Cc:M e V. Cd:todos. www.bellavitoria.com.br

Capri - Disputado pela clientela, destaque para o Mineirinho, pão francês com cobertura de mussarela, além da baguete com recheio de presunto, milho, palmito e mussarela, também disponível nas versões de calabresa ou frango com catupiry. Na confeitaria, rocamboles de doce de leite, goiabada e chocolate. Avenida Dom Pedro I, 884 – Vila Pires – 4972-5734. 24h. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.capripadaria.com.br

Brasileira - A coxinha cremosa - tradicional, com catupiry ou só catupiry - é o carro-chefe, com receita original desde a inauguração da primeira loja, em 1953. Outros salgados como o bauruzinho de presunto, queijo e tomate e o risole de camarão também agradam muito. Outra atração é o sonho quentinho, vendido em pacotes ou unidade. Matriz: Rua Santo André, 232 – Vila Assunção – 3757-2277. 6h40/22h20. Rua das Figueiras, 664 – Jardim – 4437-3545. 06h40/22h10. 16h/21h30. Av. José Caballero, 189 – Vila Bastos – 4994-1027. 6h40/22h10. Cc:D, M e V. C.d: www.padariabrasileira.com.br

Central - O balcão, sempre lotado, acomoda clientes que consomem o básico cafezinho com leite, pão na chapa com manteiga ou pão de queijo. O pão italiano e as baguetes recheadas com calabresa, frango ou presunto e queijo, além da rosca de doce de leite e o pão de ricota com frutas cristalizadas, fazem sucesso. As pizzas, vendidas por pedaço, são muito consumidas com coberturas de mussarela, milho e frango com catupiry. Rua Coronel Fernando Prestes, 140 – Centro – 4436-3535 e 4427-5749. 5h/23h30. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv.

Nova Vitória Régia - Variedades de pães, entre o pão de mandioquinha, o mais consumido, e a bisnaguinha integral, além das tortas de banana e de mandioca com coco e caramelo, são vendidas por quilo. O café da manhã é servido de quinta a domingo com farto bufê que inclui frios, ovo mexido, bolo cremoso de milho e pães variados. Avenida Padre Manuel da Nóbrega, 540 – Jardim – 4436-3343/1759. 6h/23h (dom. e feriados a partir das 6h30). www.padariavitoriaregia2.com.br Palácio do Pão - Padaria com ambiente moderno e mix de cerca de cem produtos, distribuídos em cerca de 900 metros quadrados, entre pão francês, baguete de massa folhada recheada de frango ou calabresa com catupiry e bolo Prestígio. O bufê de café da manhã tem pães italiano e francês, mussarela, queijo branco, salame, cereais, iogurte e sucos naturais e pode ser consumido nas mesas dispostas tanto no térreo quanto no mezanino. Avenida Itamarati, 1001 – Parque Jaçatuba – 4479-3574/3606. 6h/23h. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.palaciodopao.com.br Portugal - Dois ambientes, o superior com área aberta é disputado nos dias quentes para saborear o café da manhã. O bufê inclui frios, queijadinha, ovo mexido e variados pães. Vendidos por quilo, o pão recheado com peito de peru e a baguete de escarola com aliche têm boa saída. As pizzas são muito consumidas no salão. Na adega com cerca de 1000 rótulos de vinhos, destaque para o chileno Montes Alpha Cabernet Sauvignon 2008. Avenida 82

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

Líder do Campestre - O frango assado é a atração nos fins de semana, quando se forma fila de clientes atrás do acompanhamento do almoço. Na padaria não pode faltar o pão semi-italiano, mais macio do que o original, e a baguete de massa folhada à moda da casa, recheada com presunto, ovo, bacon, mussarela, ervilha e palmito, ou de calabresa e provolone. Os bolos mais pedidos são o floresta negra, mil-folhas, Prestígio e nozes. Rua das Figueiras, 2195 – Campestre – 4991-7074. 6h/22h (sex., sáb. e feriados até 22h30).

São Bernardo Padaria Brasileira - A rede tem quatro lojas na região e é famosa pela coxinha de frango cremosa, cuja receita data da inauguração (tradicional, catupiry ou frango com catupiry). Outros salgados bem consumidos são o bauruzinho recheado de presunto, queijo e tomate e o risole de camarão. Peça o mocaccino, com café, leite, chocolate, gelo e chantili, ou o expresso para acompanhar. Rua Doutor Fláquer, 639 – Centro – 4337-1110. 6h40/22h20. 16h/21h30. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.padariabrasileira.com.br Kennedy Boutique de Pães e Doces - Além do tradicional balção, espaços reservados para refeição e prateleiras com inúmeros produtos e itens de empório como antepastos e vinhos. Pão italiano e rosca de torresmo dividem vitrine com variadas opções de doces, como o bolo de mousse de chocolate. Aos sábados e domingos, das 7h às 15h, é montado no piso superior

Inca Pães e Doces - A padaria divide espaço com estufa de pizzas servidas em pedaços no balção, com opções de coberturas como escarola com catupiry e bacon e à moda do pizzaiolo, com peito de peru, mussarela e tomate seco. O sanduíche natural (na baguete), com peito de peru, queijo fresco, alface e tomate, e a massa folhada recheada com presunto e queijo, frango com catupiry ou calabresa são boas pedidas. Avenida São João Batista, 141 – Rudge Ramos – 4368-8082. 6h/22h. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.padariainca.com

São Caetano Ben Hur - O espaço de 900m² oferece cerca de 3000 itens, entre pães, bolos e sanduíches, além de bufê de café da manhã com opções variadas como ovo mexido, salsicha ao molho, frutas frescas, frios, cereais e iogurte. O pão de semolina é um dos mais procurados. Torta de morango, pudim, quindim e folhado de ricota figuram entre as sessenta variedades de doces expostas no balcão. Rua Visconde de Inhaúma, 673 – Nova Gerty – 4238-6100. 6h/22h. www.benhuralimentos.com.br Samara - Dentre os preferidos estão o Pão da Vovó (bisnaga grande de massa adocicada) e o pão de mandioquinha, além de bebidas como o mocaccino, com café, leite, canela e calda de chocolate. As tulipas, recheadas de mousse de maracujá, limão ou chocolate, saem bem. Serve bufê de café da manhã com pães, bolos, frios, sucos e cafés. No almoço, oferece pratos à la carte, como posta de bacalhau cozida no azeite com brócolis, ovo, tomate e cebola. Alameda São Caetano, 2463 – Santa Maria – 4220-2433/6051. 6h/23h. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv. www.samarapaesedoces.com.br Monte Carlo - O carro-chefe é o pão italiano. O bufê de café da manhã, servido das 7h às 11h30, é composto por sucos, iogurtes, frios, frutas fatiadas e pães variados. Para o almoço, treze opções diárias de pratos quentes, como o filé mignon ao molho madeira e o bacalhau À Gomes de Sá, no fim de semana. Entre os doces, o bolo bem-casado, recheado de leite condensado, tem boa saída. Rua São Paulo, 1890 – Santa Paula – 4227-3664/3665. 6h/22h45 (dom. a partir das 6h30). Cc: D, M e V. Portuense - Na padaria que completou 90 anos, o pão italiano e o de nozes com massa integral são os prediletos. No almoço, oferece bufê com vinte tipos de saladas e quinze pratos quentes; a partir das 16h, bufê de canjas e sopas de ervilha, mandioquinha ou queijo. Pudim e bomba de chocolate estão entre as sugestões de sobremesa, além de bolos de laranja, chocolate e coco light. Rua Amazonas, 1352 – Centro – 42299156. 6h/22h. Cd:Vr, So e Vv. The Bread - Antiga Sweet Bread Store, a casa trabalha com pães, bolos e cestas de produtos finos. A rosca recheada de nozes e coberta com glacê é uma das mais procuradas, além do pão francês integral. Entre os lanches, experimente o wrap de frango desfiado, cenoura ralada, requeijão e alface, que vai bem com chá com limão. Rua Piauí, 785 – Santa Paula – 4221-6866. 6h/22h. Cc:D, M e V. Jardim São Caetano - Novidade no cardápio, prove os minicalzones de queijo com peito de peru, escarola e presunto. Entre as opções doces, há Pastel de Belém e bolo de aipim cremoso. No almoço, serve bufê por quilo. Estrada das Lágrimas, 1666 – Jardim São Caetano – 3996-5416/5417. 6h/22h. Cc:D, M e V. Cd:Vr, So e Vv.


DECORAÇÃO, UTILIDADES DOMÉSTICAS E LISTAS DE CASAMENTO, CHÁ BAR E CHÁ DE COZINHA.

Rua Laura, 740 • Vila Bastos • Santo André • SP Tel.: 11 4438.9493 • www.lelpresentes.com.br

Fevereiro 2012 / LEIA

ABC

83


GVT TV. UMA TV POR ASSINATURA COMO VOCÊ NUNCA VIU. Confira por que a GVT TV é inovadora, interativa e inteligente. A GVT TV é inovadora, pois é a única TV por Assinatura com canais HD em todos os pacotes, para você curtir o melhor da programação em alta definição. Além de serviços que deixam o seu jeito de ver TV muito mais inteligente, como o On Demand, uma verdadeira locadora na sua casa: você assiste a filmes, séries e shows na hora que quiser; o Gravador Digital, para você gravar um programa enquanto

assiste a outro; e o Outra Chance — uma exclusividade da GVT TV —, que guarda os destaques da sua programação automaticamente. E ainda é interativa. Aqui você vê TV enquanto acompanha tudo o que acontece nas redes sociais, pode consultar a previsão do tempo de qualquer cidade do mundo e até acessar playlists do Power Music Club para curtir suas músicas favoritas — tudo isso direto da tela da sua TV.

A PARTIR DE

R$

,90 59

LIGUE

103 25 www.gvt.com.br

POR MÊS

NO PACOTE DE TELEFONIA FIXA E BANDA LARGA

Confira alguns canais que fazem parte da GVT TV:

Preço de TV por Assinatura válido até 29/2/2012 para clientes que possuem ou adquiram os serviços de Banda Larga e Voz da GVT. Os valores de Banda Larga e Voz não estão incluídos no valor anunciado. Taxas de adesão e instalação gratuitas para o serviço de TV por Assinatura, condicionadas à permanência mínima de 12 meses com o serviço de TV. No caso de cancelamento, será cobrada multa de R$ 499,90 (pro rata). Consulte os termos no portal GVT e verifi que se os serviços estão disponíveis na sua2012 localidade. 84 Fevereiro / LEIA Para ABC mais informações, consulta da taxa de instalação para opção não fi delidade e contratação da TV Avulsa, acesse o portal www.gvt.com.br. Central de Atendimento GVT TV: ligue 106 25.


Edição 02 - Leia+ fevereiro