Page 1


2 | Revista FOCO | junho/julho 2016


4 | Revista FOCO | junho/julho 2016


6 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Expediente

Q

uem nunca foi apaixonado por um bichinho de estimação? Sem dúvidas todos nós já tivemos ao menos um gato ou um cachorro. Há aqueles mais ousados que buscam ter um animal exótico. Fato é que amamos os animais e ter essa companhia faz bem para a alma. De acordo com as informações divulgadas pela Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking mundial dos países com mais pets, somando 132,4 milhões de animais de estimação. O setor alcançou em 2015 R$ 17,9 bilhões em faturamento. Os cuidados dos proprietários dos animais são intensos e o mercado apresenta variedade de serviços. Nesta edição da Revista Foco apresentamos um pouco desses cuidados, especialmente na linha de cães. Exibiremos cachorros de raça valiosa e também o trabalho de um grupo de adoção de animais de Presidente Venceslau. O mundo pet ganha a presença de profissionais especializados, como exemplo, fotógrafos de animais. Outro assunto que abordamos é o dia dos pais. Uma data importante e que deve ser preservada pelas famílias com todo o carinho. A Feira Agropecuária e Industrial de Presidente Venceslau (Faive) também é destaque nesta edição, onde apresentamos uma entrevista exclusiva com o presidente Marcelo Queiroz. Ele fala dos shows e expectativa para o evento que será realizado em agosto. As editorias de moda, saúde, esportes, receita de família e negócios e finanças também estão com assuntos especiais. Lembramos nossos leitores que teremos uma edição especial da Revista Foco a ser lançada durante a Faive. Portanto, não vai demorar muito para que você tenha em mãos uma nova edição desta revista.

CNPJ 19.899.613/0001-30 R. Davina Leal Pereira, 282 Jd. Arantes - Presidente Venceslau/SP Fone: (18) 3272 1625 grupowbcomunicacao@gmail.com @Rev.Foco

Direção Geral: Wagner Bueno Direção de Arte e Diagramação: Grupo WB Comunicação Fotografia: Fábio Guedes Publicidade: Grupo WB Comunicação Assistente de jornalismo: Aline Camargo Colaboração: Eduardo Maduro Diagramação: Yasmin Eloá Oliveira Jornalista Responsável: Nathália Augusto Oliveira Bueno MTB: 49.518/SP Tiragem: 1500 exemplares Circulação: Presidente Venceslau, Presidente Epitácio, Santo Anastácio, Presidente Prudente, Piquerobi, Caiuá, Marabá Paulista. *As opiniões expressas nos artigos assinados, publicidade e informes publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Produção:

Obrigado. Boa leitura. Wagner Bueno Diretor Geral. Use o QR Code e leia a Revista Foco pela internet 10 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Reflexão para o Dia dos Pais

Amor do pai influencia na personalidade dos filhos

Por Nathália Oliveira Foto: Fábio Guedes

T

odos sabem que o amor materno é essencial para a vida de qualquer criança. Esse sentimento é tão forte que muitos ainda colocam sob responsabilidade das mães todos os cuidados com os filhos, e a cultura que temos é que quando os filhos não estão bem, a culpada (quase sempre) é a mãe. Se a criança é birrenta, a mãe leva culpa, se não consegue ir bem na escola, a culpa é da mãe, se não consegue se desenvolver nos relacionamentos, mais uma vez a culpa é da mãe. “A culpa é da mãe”, você já deve ter escutado isso por aí em algumas dessas situações citadas acima, entre outras. Esse ainda é um problema que existe em pleno século XXI. Mas e o pai, onde entra nessa história? Será que os homens não tem nenhuma responsabilidade na formação da personalidade da criança? Um estudo recente realizado por pesquisadores norte americanos da Universidade de Connecticut, aponta que crianças de diferentes regiões do mundo tendem a responder da mesma forma quando são rejeitados por seus cuidadores, ou por pessoas a quem são apegadas emocionalmente. E quando essa rejeição é do pai, diferentemente 12 | Revista FOCO | junho/julho 2016

do que muitas pessoas acreditam, ela causa marcas profundas. Desta forma o pai tem papel fundamental na formação da personalidade da criança, e como ela desenvolverá suas características até a vida adulta. De acordo com os pesquisadores que avaliaram 36 trabalhos envolvendo mais de 10.000 pessoas, entre crianças e adultos, a rejeição paterna tem essa influência tão marcante porque, em primeiro lugar, é mais comum do que a materna. E também porque a figura do homem é associada a prestígio e poder – ou seja, para a criança, é como se ela tivesse sido esquecida ou preterida por alguém que todos consideram importante. Agora vem a parte mais triste: o estudo mostrou que as crianças sentem a rejeição como se ela realmente fosse uma dor física. As partes do cérebro ativadas quando um pequenino se sente rejeitado são as mesmas que se tornam ativas quando ele se machuca, com uma diferença: a dor psicológica pode ser revivida por anos, levando à insegurança, hostilidade e tendência à agressividade. A boa notícia é que um pai presente e carinhoso tem exatamente o efeito contrário na formação da personalidade do

filho: o pequeno cresce feliz, seguro e capaz de estabelecer ligações afetivas muito mais facilmente na idade adulta. Segundo artigo de 2010, da Associação Americana de Psicologia, as memórias de uma relação calorosa com o pai durante a infância estão diretamente relacionadas com a capacidade para enfrentar o estresse do dia a dia. Como mostra essa investigação, o pai desempenha um papel fundamental na saúde mental dos seus filhos e isso é visível na idade adulta. Os filhos que relataram ter mantido uma boa relação com o pai durante a infância tendem a ser menos impulsivos na forma como reagem aos eventos estressantes do dia a dia, do que aqueles que relataram relações mais pobres. Esse estudo pode ser um exemplo de que a influência positiva ou negativa do pai nem sempre é tão óbvia. É claro que nem todos os impulsivos assim o são por causa de seu relacionamento com o pai. Mas é uma possibilidade. O pai pode fazer maravilhas como também grandes estragos, tanto com sua presença quanto com sua ausência. E isso também acontece com a figura materna. Dependerá da maneira como cada um entender e se dedicar ao seu papel.


Reflexão para o Dia dos Pais

O Pai, o Filho e o Pássaro

U

m homem de aproximadamente quarenta anos de idade caminhava com seu pai já idoso próximo à sua residência. Passavam algum tempo calados, em outros momentos tinham diálogos curtos sobre o tempo, acerca de algum movimento nas ruas ou detalhes diferenciados nas outras casas. Ao chegarem à casa do pai, sentaram num banco no jardim quando o pai faz uma pergunta: O que é aquilo? – ao que o filho responde: É um pássaro. Pela segunda vez o pai indaga: O que é aquilo? – mais uma vez o filho responde: É um pássaro. Na terceira vez o pai questiona: O que é aquilo? – O filho, com tom de voz indignado, se exalta e em timbre alto com aspereza, diz: O que você está tentando fazer? Já não te disse que é um pássaro? Não ouviu da primeira vez? Quantas vezes terei que lhe dar a mesma resposta? Perdeu sua capacidade intelectual? – O pai calado se levanta, caminha até o interior da casa e volta com uma caderneta nas mãos. Ao sentar novamente, abre o pequeno caderno numa página específica que contém a seguinte anotação: “14 de agosto de 1972, dia dos pais. Hoje saí para passear com meu filho e fomos ao parque da cidade. Ao sentarmos no banco meu filho perguntou: O que é aquilo? Ao que respondi: É um pássaro. A pergunta se repetiu por trinta e duas vezes e, em todas, pacientemente, ofereci a mesma resposta. Na última vez o abracei, disse que o amava e fomos tomar sorvete. Hoje venci a mim mesmo por amor à meu filho”.

A origem desse relato é desconhecida, porém traz muitas reflexões sobre o relacionamento entre pais e filhos. Alguns já passaram por experiências semelhantes, onde uns tiraram algumas lições para o crescimento pessoal; outros apenas apagaram de suas memórias. Experiências vivenciadas devem ser observadas como lições que moldam o caráter e personalidade. Aqueles que se orgulham da imutabilidade de seu pensamento devem pensar que o ciclo da vida não se acomodará à sua recusa ao aprendizado. Onde não há mudança, não houve aprendizado; e aquele que não é capaz de aprender, também não será apto a ensinar. Curiosamente, tratando-se das relações humanas, as dificuldades de aprendizado não acontecem na mesma proporção que o avanço tecnológico. Ao contrário, quanto mais se aprimora os chamados “meios de comunicação”, mais isolados e insensíveis ficam os seres humanos. O pai de nossa história apresenta traços de afetividade com seu filho. Situações simples podem revelar grandes expressões de amor. Na memória do filho devem estar registrados os momentos de carinho, a perspectiva do lugar seguro, do abraço, dos cuidados, das palavras de incentivo. Quando as ações práticas da expressão do amor são valorizadas a cada dia, os valores permanecem por toda a vida. Muitos pais foram abandonando o relacionamento com seus filhos

porque estes não corresponderam às suas perspectivas. Em contrapartida, o sentimento de abandono do filho promove a transferência de afetividade a pessoas que nem sempre são confiáveis; combinação perigosa. O que fazer então? Se o pai ou o filho se voltar à Palavra de Deus, observará o cuidado do SENHOR Deus para que haja restauração perfeita segundo as orientações do Criador: “(...) porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos”. – Êxodo 20.5b6 – Mesmo diante da maldade dos pais o SENHOR Deus é capaz de restaurar a descendência daqueles que O procuram, O amam, e guardam Seus mandamentos; e também a Bíblia afirma que “Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas”. – Lucas 1.37 Se você não precisa de restauração porque jamais perdeu o vínculo afetivo e o amor por seu pai, expresse seu amor, beije, abrace, faça um carinho, desfrute do carinho, sorria, brinque e agradeça a Deus por tudo. Se precisar de restauração busque sabedoria Divina para a harmonia familiar e o encontro do descanso pessoal. “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”. – Êxodo 20.12

Pr. Ivan Fidelis - Igreja Adventista do Sétimo Dia em Presidente Venceslau e Adjacências Mestrado em Aconselhamento Bíblico Cristão com ênfase em família e sexualidade Prof. de Hermenêutica e Exegese em hebraico, aramaico e grego www.ivanfidelis.com.br 14 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Revista FOCO | junho/julho 2016 | 15


16 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Esporte

Agripino Lima dá sequência a feito histórico ao conduzir tocha em Prudente O revezamento da chama olímpica teve início na Alemanha e, finalmente, chegou ao Brasil

Não tenho vaidade de achar que mereço homenagem” Agripino Lima

Por Milena Mendes Fotos: Roberto Mancuzo

E

squeça tudo o que você já ouviu falar a respeito do alemão Adolf Hitler. Você sabia que foi justamente tal líder nazista que teve o nome registrado nos livros de História, quem inaugurou o ritual de revezamento da tocha olímpica, símbolo dos jogos desde a Grécia Antiga, na era moderna? A Alemanha foi escolhida pelo Comitê Olímpico Internacional, em 1931, como sede dos Jogos Olímpicos de Verão realizados cinco anos mais tarde. Em 1 de agosto de 1936, Hitler abriu a cerimônia da maior competição esportiva a nível mundial, em Berlim, fazendo com que seu caráter racista e militar fosse camuflado por duas semanas de festividades coloridas e harmoniosas. Desde então, foram 80 anos de espera, 24 edições, até o Brasil entrar na lista de países anfitriões das Olimpíadas. Rio de Janeiro desbancou cidades como a americana Chicago, a espanhola Madri e a japonesa Tóquio quando, em 2009, foi eleita cidadesede dos jogos olímpicos e paralímpicos de 2016. Certamente, podemos afirmar que os mais de 200 mil habitantes da capital do Oeste Paulista foram surpreendidos ao saber que Presidente Prudente receberia o revezamento da chama olímpica no dia 18 | Revista FOCO | junho/julho 2016

27 de junho. Um personagem, especificamente, teve participação mais que especial na passagem da tocha por solo prudentino. Agripino de Oliveira Lima Filho recepcionou a tocha no Santuário Morada de Deus, construído por ele e destino de turismo religioso às margens da Rodovia Raposo Tavares. Nascido na cidade de Lençóis Paulistas, mudou-se para Presidente Prudente aos 29 anos de idade, onde conquistou os títulos de graduação em Direito (1968) e, dois anos mais tarde, em Pedagogia. Agripino foi vereador na câmara prudentina (1973-1983), deputado federal (1987-1991), viceprefeito (1989-1992), deputado estadual (1999-2000) e prefeito (1993- 1996; 2001-2007). Com traços de espontaneidade e conhecido por carregar um crucifixo pendurado ao pescoço, Agripino diz ter recebido a notícia de que carregaria em suas mãos a tocha olímpica de forma natural. “Lógico que fico feliz, contente, mas não tenho vaidade de achar que mereço homenagem”, disse. Ao completar o trajeto iniciado na Grécia, no último dia 21 de abril, e que será encerrado no estádio do Maracanã quando a pira olímpica será acesa, em 5 de agosto na

cerimônia de abertura, a tocha terá passado por 12 mil condutores. Agripino, aos 84 anos, representa tal parcela da população que marcou os Jogos antes mesmo que as competições tivessem início. Agripino foi a primeira pessoa a conduzir a tocha olímpica em terras paulistas. Voluntários Prudentinos

Esta nova relação entre Presidente Prudente e Jogos Olímpicos e Paralímpicos não reduz-se aos condutores da tocha olímpica durante seu revezamento na cidade. A população que compareceu às ruas e à festa promovida pelos patrocinadores oficiais do Rio 2016 no Parque do Povo também é coadjuvante nessa história. Mas existem, ainda algumas pessoas que poderão dizer: “eu fiz parte dos jogos olímpicos do meu continente, no ‘quintal da minha casa’”, ainda que nem atletas sejam. Eles foram convocados para trabalhar como voluntários tanto na competição olímpica como paralímpica. Rafael César Ferrari dos Santos, 29, é professor de Educação Física em uma universidade privada de Prudente. Ele inscreveu-se para fazer parte da organização do evento em 2014 e, desde então, passou por processos seletivos, de aprovação e


História Olímpica

Os gregos antigos consideravam o fogo um elemento divino e mantinham chamas perpétuas em frente aos templos principais. Esse era o caso do santuário de Olímpia, onde os Antigos Jogos Olímpicos aconteciam. No contexto dos Jogos modernos, a chama Olímpica representa os valores positivos que o homem sempre associou ao fogo. A pureza da chama é garantida pela forma como é acesa, usando os raios do sol. A escolha de Olímpia como ponto de partida enfatiza a ligação entre os Jogos Antigos e Modernos. Fonte: site oficial das Olimpíadas A Tocha

A Chama Olímpica representa a paz, a união e a amizade. A tocha, por sua vez, é usada para passar a chama de um condutor para o outro durante o revezamento até o acendimento da pira na cerimônia de abertura. Entre os principais atributos de inovação da Tocha Rio 2016 estão elementos da brasilidade: diversidade harmônica, energia contagiante e natureza exuberante. O Céu - O ponto mais alto da Tocha Olímpica é representado pelo Sol que, assim como o brasileiro, brilha e ilumina por onde passa. Sua cor remete ao ouro, símbolo da conquista máxima dos Jogos. As Montanhas - A beleza natural do Rio, expressa nas curvas verdes de seus morros e vales. O Mar - Ondulações azuis, orgânicas e fluidas representam o mar, tão presente nas paisagens do Brasil e do Rio. O Chão - Nossa terra, que faz parte da nossa história. Representada pelo calçadão de Copacabana, o pedacinho de chão mais famoso do Brasil. A tocha tem 63,5cm quando fechada. Ao ser aberta para combustão da chama, tem aumento de 5,5cm. Fonte: site oficial Rio 2016

treinamento específico na área de atuação. Porém, foi somente em julho deste ano que saiu a escala de trabalho de Rafael. Tanta espera correspondeu às expectativas, e não espera nada menos que uma experiência ímpar e incrível! Como professor universitário, ele considera que tanto os jogos olímpicos como os paralímpicos são uma representação da relação entre cultura corporal com a criação de uma imagem artística. Tudo resulta nas diferentes modalidades esportivas. “Ver tudo isso acontecer e ainda poder somar para que tudo isso ocorra da melhor forma possível, ou seja, trabalhar nesse evento, enriquecerá ainda mais minha atividade profissional e, posteriormente, poder socializar na graduação junto aos meus alunos”, afirmou Rafael. O professor comenta ainda sobre o prazer que será trabalhar com pessoas do Brasil e mundo inteiro. “Acompanhar como o país organizou-se para receber o maior evento esportivo do mundo, sem dúvida desenvolverá competências que ajudarão no desenvolvimento enquanto pessoa”, finalizou. Outra prudentina vai deixar sua marca na história dos Jogos Rio 2016. A universitária Maria Eduarda Ramos, 21, participará dos jogos paralímpicos. Assim

que a carta-convite chegou, ela correu atrás de hospedagem e ficará na casa de uma amiga. O preparo veio também com treinamentos. “Passei por alguns treinamentos online e um presencial, na cidade de São Paulo. Os online são resumidos em vídeos e responder algumas perguntas; já o presencial foi bem legal, com várias dinâmicas de grupo”, contou Maria Eduarda. Sobre a passagem da tocha olímpica

em sua cidade, a estudante disse que achou “bem legal a tocha passar por aqui, porque trouxe um pouco do clima dos jogos e me fez ficar mais ansiosa”. E como todos os envolvidos, ela espera os melhores resultados dessa experiência. “Com certeza, vai me trazer muita coisa boa, ensinamentos, ainda mais por se tratar de uma paralimpíada, onde os atletas possuem uma história de vida e superação ainda mais impressionante”, completou.


Esporte

Show de Copa em Venceslau Evento esportivo movimentou comércio venceslauense com jovens promessas do futebol Por Eduardo Maduro Fotos: Fábio Guedes

C

om mais equipes, atletas e campos utilizados, a Copa Internacional da Alta Sorocabana voltou a Presidente Venceslau para ter sua segunda edição. A competição feita pela empresa WM Show de Bola foi realizada entre os dias 9 e 15 de julho e teve o apoio da Prefeitura Municipal através da secretaria municipal de Esportes, Recreação e Turismo (Sert-PV). Nesta edição, 116 equipes de oito estados e três países diferentes participaram. Contando atletas e integrantes das comissões técnicas, mais de 2500 pessoas foram registradas e estiveram no município no período da competição, que reuniu as categorias de base do sub-11 ao sub-19. A Copa contou também com a presença de olheiros de times da série A do Campeonato Brasileiro, tais como Fluminense, São Paulo, Atlético Paranaense, Internacional, Grêmio, entre outros. O responsável pela empresa WM Show de Bola, Wilson Maia, destacou o aumento de qualidade que a competição teve em relação ao ano passado. “Tivemos uma elevação de nível técnico por parte dos atletas, de organização e também de estrutura, já que contamos nesta edição com oito campos, inclusive das cidades de Piquerobi, Caiuá e Santo Anastácio. Até o tempo foi melhor, já que choveu muito no ano passado no período da competição, o que acabou atrapalhando as partidas.” Os pontos positivos para a cidade também aumentaram em relação ao ano passado. De acordo com Marcelo Palludeto 20 | Revista FOCO | junho/julho 2016

Dassie, secretário de esportes do município, a competição permitiu o ganho social e cultural por parte dos cidadãos. “Com ações assim, você tira a criança e o adolescente da rua e das drogas e o coloca no esporte. Oferece também ao jovem a opção de conhecer e conviver com culturas diferentes. Tivemos também um aumento na movimentação no comércio da cidade, principalmente nos estabelecimentos de gênero alimentício”, afirmou Dassie.

Vou rezar bastante para ser chamado por algum olheiro” Luís

Sonhos

Centenas de garotos que buscam o sucesso no futebol estiveram nos campos da Copa com o objetivo de chegar ao mundo profissional do esporte. Esse é o caso do garoto Luís Henrique Penteado, de 10 anos, que atuou como volante na equipe venceslauense R23 Sports que chegou ao jogo final da categoria. O time ficou com o vice-campeonato após perder nos pênaltis, mas Luís teve motivos para ficar contente. “Gostei muito de disputar a competição. Joguei todas as partidas e vou rezar bastante para ser chamado por algum olheiro”, revelou o atleta. Para Álvaro Penteado, pai de Luís, a participação na competição pode auxiliar o jovem na busca do sonho. “Por conta da presença dos olheiros, muitas portas acabam

se abrindo. Isso se torna gratificante para os atletas, para a organização e para os treinadores”, opinou. Revelação

Jogadores que brilham no futebol brasileiro e internacional já disputaram a competição em outras oportunidades. Neymar (Barcelona) e Dudu (Palmeiras) são alguns dos exemplos. “Esses meninos brilharam quando estavam começando no futebol dentro da copinha e despertaram o interesse de clubes profissionais. Temos várias histórias de sucesso e espero que logo tenhamos revelações de jogadores que estiveram nesta edição”, disse Wilson. Haja vista o sucesso da competição nas duas primeiras edições, é possível que a terceira seja realizada na cidade no próximo ano. “Estamos à disposição para voltar. O município sempre foi nosso parceiro e se tiver a possibilidade estaremos aí com a terceira edição da Copa no ano que vem”, finaliza Wilson Maia.

Bruno, Wilson Maia, e Marcelo Dassie trabalharam na organização da copa


Comportamento

Do sedentarismo a uma vida movimentada e saudável

Antes (Foto/arquivo pessoal)

Depois (Foto/Fábio Guedes)

Após chegar aos 135 quilos, Victor Hugo Beira decidiu que era a hora de tomar uma atitude Por Aline Camargo

V

ida saudável, alimentação controlada e atividade física. Essa é a rotina do venceslauense Victor Hugo Beira, 34, após chegar a pesar 135 quilos e passar por diversos problemas de saúde. Tudo isso foi o que fez tomar a decisão de que era hora de cuidar da saúde e mudar totalmente seu estilo de vida. Foi em setembro de 2014 que um ‘quase infarto’ o assustou e ele ouviu dos médicos que dali em diante ele precisava tomar uma atitude. “Tive problema com hipertensão, muitas crises de estresse e cheguei a ficar internado com suspeita de infarto. Diante disso, meu cardiologista falou que eu precisava relaxar, cuidar da alimentação e praticar atividades físicas, pois essas crises poderiam acabar me matando”, disse. Não foi fácil, pois a necessidade de mudança no estilo de vida seria radical. Treino diário, corte na alimentação e o principal: disciplina. “Comecei a treinar todos os dias. Fiz dieta, comendo de três em três horas, musculação e treino funcional pela manhã com

22 | Revista FOCO | junho/julho 2016

meu amigo e treinador Juliano Silva, e corrida e caminhada na parte da tarde, de domingo a domingo. Minha meta era chegar aos 99 quilos em três meses. Não foi fácil, pois sempre gostei muito de churrasco e bebida, mas a minha saúde exigiu e não tive escolha”, conta. Após a dedicação e muita atividade, Beira ainda ultrapassou sua meta, chegando ao peso de 89 quilos. “Eu era extremamente sedentário e a mudança foi radical. Fiquei oito meses sem beber uma gota de álcool e seguindo alimentação balanceada. Adotei uma vida totalmente diferente da que levava”, acrescenta. Após dois anos do início da nova vida, Beira conta que sua rotina mudou 100% e que os benefícios foram aparecendo. “Hoje com quase dois anos de treinamento, minha saúde e disposição melhoraram muito. Tenho só um pequeno impasse que é o cigarro e falta um pouco mais de empenho para tentar parar de fumar, mas continuo treinando e de agora em diante é só manter o peso e a alimentação, a qual já me acostumei. Espero continuar assim e melhorar sempre”, completa.

Eu era extremamente sedentário e a mudança foi radical ” Beira


Revista FOCO | junho/julho 2016 | 23


Esporte

Percurso teve trecho de terra para testar preparo de competidores

Cresce o número de pessoas que buscam corridas de rua na região

U

Por Wagner Bueno Fotos: Fábio Guedes

Grupo de atletas amadores que marcou presença na competição

Epitacianos adeptos ao esporte participaram em grupo

Grupo de atletas de Três Lagoas/MS vibrou com competição

Equipe da JFS Runner conquistou medalhas na prova

24 | Revista FOCO | junho/julho 2016

m dos esportes que mais cresce no mundo nos últimos anos é a corrida de rua. A modalidade do atletismo envolve pessoas de todas as idades e classes sociais. No Brasil o esporte já virou uma paixão nacional. A região de Presidente Venceslau acompanha esse crescimento e centenas de pessoas se preparam para competições amadoras cujo objetivo principal é o envolvimento no esporte em busca de uma vida saudável. No último dia 10 de julho, dezenas de atletas das cidades de Presidente Epitácio, Presidente Prudente, Santo Anastácio, Presidente Venceslau, Presidente Bernardes, Dracena, Campinas e Três Lagoas (MS) participaram da 2ª Corrida e Caminhada - Etapa Inverno de Presidente Venceslau, realizada no entorno do parque de exposições venceslauense. A competição ocorreu em três modalidades, sendo 5 e 10 km de corrida e 5 km de caminhada e ocorreu nas proximidades do recinto da Faive. A prova contou com apoio do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Os atletas tiveram o auxílio de tecnologia profissional com a chipagem eletrônica para o controle do tempo de cada competidor. O que é interessante nessas corridas é a expressiva presença de corredores amadores. São pessoas que têm suas profissões, não vivem do esporte, mas utilizam as corridas como estilo de vida, em busca de uma rotina

mais saudável, um corpo mais atlético e uma vida mais equilibrada. “Tenho praticado esse esporte e estou encantado. Sempre que possível participo de corridas pela região”, comenta o atleta amador venceslauense Kaique Fernando dos Santos Sebastião, que nos últimos meses já participou de seis corridas de rua. Ele foi o vencedor da prova de 5 Km em Presidente Venceslau. Por ser considerado democrático (o custo é acessível) e não exigir grandes habilidades técnicas específicas – mas um bom condicionamento cardíaco, que pode ser conquistado aos poucos, de acordo com o tempo e a distância necessários – esse esporte já se tornou uma febre no país. Segundo dados da Federação Paulista de Atletismo o número de concluintes em corridas de rua no Estado de São Paulo continua crescendo e em 2015 registrou aumento de 10,87%. Foram ao todo 724.130 concluintes em provas de rua contra 653.140 em 2014, ano que registrou crescimento de 15,35%. Em 2015 foram 450.060 homens (62,15%) e 274.070 mulheres (37,85%) concluintes, contra 429.796 homens (65,80%) e 223.344 mulheres (34,20%) em 2014. O público masculino cresceu menos de 2014 para 2015, 4,72%, contra 13% de 2013 para 2014. Já o público feminino cresceu 22,71% de 2014 para 2015, contra 20% de 2013 para 2014, demonstrando que a corrida de rua está a cada ano mais feminina.


Capa

Luciano Sandoval e família com animais de raças ‘badaladas’ no mercado

Amor pelos animais ultrapassa os limites da crise financeira Setor movimenta milhões de reais e cresce a cada ano Por Wagner Bueno Fotos: Fábio Guedes

E

nquanto diversos setores da economia enfrentam dificuldades em meio à crise financeira no Brasil, o mercado de produtos voltados para o mundo pet comemora. Segundo a Associação Brasileira de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o faturamento do segmento pet no Brasil foi de R$ 17,9 bilhões em 2015, o 3º maior do mundo; a expectativa é que o crescimento do mercado chegue a 6,7% em 2016, em relação ao último ano. Com o crescimento do setor acima da média do varejo nacional, investir em um negócio próprio pode ser a solução perfeita para quem quer transformar o amor pelos bichos em fonte de renda. O médico veterinário Luciano Sandoval, 45, está no mercado pet há 18 anos. Com a formação acadêmica no ano de 1993, logo decidiu investir em uma clínica veterinária em Presidente Venceslau. Ele acredita que o crescimento do mercado pet se deve a relação entre os donos dos animais, especialmente os cães. “As pessoas aprenderam a reconhecer o cachorro como um amigo fiel. Ao longo de 26 | Revista FOCO | junho/julho 2016

As pessoas aprenderam a reconhecer o cachorro como um amigo fiel ” Luciano Sandoval minha vida, nunca vi um cachorro abandonar o dono”, disse. Ele conta que desde criança foi apaixonado pelos animais. “Eu nasci para ser veterinário. Minha família queria muito que eu fizesse medicina, mas a paixão pelos animais me fez optar pela medicina veterinária, e hoje sou totalmente realizado com este trabalho”, afirma. A paixão passou para a família. A esposa Andréa Sandoval, 39, também é ligada aos animais e está cursando veterinária. As filhas Sarah, 12, e Sofia, 06, também já

desenvolveram o carinho pelos cachorrinhos. A fidelidade citada por Luciano é algo que fez com que o cachorro ficasse conhecido mundialmente como “o melhor amigo do homem.” Esse assunto já rendeu alguns roteiros de filmes, um dos mais famosos é a produção cinematográfica intitulada no Brasil como Sempre ao Seu Lado. O filme estrelado por Richard Gere ajudou a popularizar a história do famoso cão do ocidente, que até hoje é lembrado por sua lealdade ao dono mesmo após a morte deste. Tamanho amor tem recebido cada vez mais o carinho e o investimento dos proprietários. E os empresários buscam oferecer um número ainda maior de serviços para atender o mundo pet. Um dos serviços que aparecem como tendência são as festas de aniversário para cachorros. Entre os produtos oferecidos, estão bolos em formato de ossos, cupcakes, almôndegas, esfihas, chocolates feitos de alfarroba e até cerveja canina. Além de decoração e alimentos preparados com ingredientes especiais.


Raças valiosas

Os cães fotografados juntamente com Luciano Sandoval e família especialmente para a capa da Revista Foco são expoentes de raças famosas no mundo e todos são de propriedade do Canil Sandoval, que funciona em uma chácara com mais de 2.500 metros quadrados e com ampla área verde. O canil conta com animais das melhores genéticas do mundo. “Temos animais dos três principais canis do mundo que são o Chy Aulin da China, e os americanos Abapoolar e Flinks.” Além do Lhasa Apso, do Chow Chow americano Blue e Chow Chow americano Polar, aparece na foto um Spitz Alemão também conhecido como Lulu da Pomerânia. Essa raça é considerada a ‘bola da vez’ no mercado e Luciano Sandoval buscou o animal direto da Tailândia. “A linhagem desses animais que tenho aqui é de alta qualidade. Busquei o Lulu da Pomerânia no berço de criação dos chamados ‘branco neve’, que é a Tailândia. Todo esse esforço para garantir a reprodução de um autêntico cão da raça”, explicou Luciano. O veterinário que trabalha com inseminação artificial comercializa cachorros para diferentes regiões do Brasil. “Por meio de vendas online já entreguei cachorros de raças famosas para clientes em Palmas no Tocantins, além de Campo Grande e outras cidades.” Perguntado por que o Lulu da Pomerânia é tão valioso no mercado, ele explica. “É um animal extremamente dócil, perspicaz, companheiro e de beleza exótica”, disse. Seu tamanho de porte pequeno e sua aparência de cão de pelúcia, desperta o interesse de muitas pessoas.

Sarah (esquerda) e Sofia (direita) já são apaixonadas pelos cães. Elas seguram um Lulu da Pomerânia e Lhasa Apso

Aquahouse Clínica Veterinária

A clínica veterinária Aquahouse em Presidente Venceslau recebeu nos últimos anos importantes investimentos para acompanhar a evolução do mercado. “A medicina veterinária está muito avançada, e existem cada vez mais opções de tratamento desde o banho até procedimentos cirúrgicos, e buscamos acompanhar essa modernização”, explicou Luciano Sandoval. Ele é pós-graduado em clínica, cirurgia e radioimagem. Com equipamentos de última geração, a clínica está pronta para atender todas as situações de emergência no mundo pet e conta com laboratório próprio completo para diagnóstico rápido e seguro. Andréa Sandoval posa em foto com um belo Chow Chow americano

Hemograma contador eletrônico

A Aquahouse conta com aparelho de tecnologia alemã que possibilita o resultado de hemograma completo em até 2 minutos e proporciona o diagnóstico imediato do animal. “Esse aparelho não atende somente o hemograma para cães, e sim para até 12 animais”, destaca Luciano.


Capa Bioquímico eletrônico

O aparelho importado direto dos Estados Unidos realiza mais de 28 tipos de exames bioquímicos em cães e gatos.

Busco ter um comprometimento com minha profissão e participo de congressos e simpósios da área em todo o país para aprimorar o conhecimento e a evolução do mundo pet”, Luciano Sandoval Ultrassonografia

O aparelho de última geração realiza ultrassonografia e auxilia também no diagnostico da gestação de animais.

Cirurgias

“Fazemos hoje transplante de célula tronco em cães com sequelas de cinomose, ceratoconjuntivite seca, doenças renais e cardíacas entre outras”, afirma Luciano Sandoval. Ele é pós-graduado em cirurgia e a clínica Aquahouse está preparada para realizar qualquer tipo de cirurgia em animais. Banho & tosa

O serviço de banho e tosa da Aquahouse conta com banheira inox para não contaminar o animal, ambiente climatizado e filmado. “Temos câmeras para se o cliente quiser, poder assistir até mesmo de casa o banho do animal de estimação feito aqui na clínica”, explica Andreia Sandoval. Uma máquina de secagem proporciona ao animal um tratamento sem estresse. Especialidade em cães e gatos

Dermatologia, oftalmologia, gastroenterogia, infectologia, oncologia, obstetrícia e ginecologia, odontologia, cirurgias em geral, ultrassonografia, hemograma em 2 min. A Aquahouse oferece variedade em produtos de medicação, nutrição com as melhores marcas de produtos para cães, gatos, peixes, coelhos, pássaros e hamster. Além de toda linha da grife animal.

Avenida Jorge Tibiriçá, 166 Fone: (18) 3271 6000 Emergência: (18) 99741 8276 Presidente Venceslau 28 | Revista FOCO | junho/julho 2016


É preciso ter o feeling, uma conexão com o animal” Fernanda Piffer

A arte de

fotografar os

animais

Os irmãos Thiago e Fernanda Piffer se especializaram em fotos de animais Por Eduardo Maduro Fotos: Fábio Guedes

E

la não tem medo das dificuldades e faz seu trabalho com excelência. Fotografar animais pode parecer uma tarefa complicada para os amadores, mas para Fernanda Piffer é algo rotineiro e prazeroso. Ela está há 20 anos na atividade e se especializou na fotografia de animais há quatro anos. O interesse na área surgiu no período em que a fotógrafa de 37 anos trabalhava em um estúdio na cidade natal, em Presidente Prudente. O local possuía um espaço próprio para realizar fotografias profissionais de diversos animais. “Fiz um curso básico de como lidar com animais e saí de lá. Após isso, comecei a montar meu próprio estúdio. Nesse meu projeto, incluí o pet também”, revelou. A diferença do projeto de Fernanda é que o estúdio que ela criou é itinerante. Com o “Estúdio Pet”, a fotógrafa e sua equipe atende cidades de toda a região. “Eu não levava os animais ao meu espaço para tirar fotos, e sim ia até as clínicas veterinárias e pet shops, pois os pets já estavam acostumados com estes ambientes”, contou a profissional, que já atendeu em pet shops e clínicas de Presidente Venceslau, Presidente Prudente, Presidente Epitácio, entre outras cidades. De acordo com ela, a dificuldade em fotografar animais é maior, pois a qualidade das imagens demanda muita atenção da fotógrafa. Mais do que apertar um botão, é necessário uma conexão com o animal. “Precisa ter o feeling, uma conexão com o

animal. Tem que gostar também, pois eles sentem esse carinho da nossa parte, ou seja, totalmente diferente de fotografar uma pessoa.” E os animais que já serviram de modelo para Fernanda são diversos. De hamsters a cachorros e até mesmo cobras já foram registradas pelas lentes da profissional. “Já fotografamos gatos, papagaios e até cobras, animais silvestres mesmo, então é algo diferenciado por ser realmente da área pet”, garantiu Fernanda, que também cobre eventos e outras atividades com seu estúdio. Com tantas experiências, a fotógrafa acabou se apaixonando pelo trabalho e adquirindo vasta bagagem. Todo este conteúdo possibilita um trabalho cada vez melhor. “A troca de energia é muito grande. Hoje, consigo identificar como o cachorro se sente pelo olhar, além de conseguir chamar a atenção dele através de sons. Pelo olhar, sei se ele está estressado, irritado ou com medo”, afirmou Fernanda. Cada sessão de fotos pode durar de dez a vinte minutos, dependendo de como o animal vai reagir no espaço. “Tem animais

que ficam a vontade na sessão e demoram dez minutos, tem outros que demoram meia hora, mas geralmente consigo fotografar seis animais em uma hora”, conta a fotógrafa, que faz de 35 a 40 fotos por sessão neste período de tempo, com sete trocas de looks no pet. As fotos prediletas entre as clientes são as que simulam a hora do lanche. O pet é fotografado como se estivesse à mesa, sentado para comer. “A foto de princesa também é muito comentada, assim como a foto em uma cesta com uma coroa de flores. Enfim, o que é mais próximo do humano, acabo vendendo mais. Alguns clientes ficam até emocionados na sessão e chegam a chorar”, revela Fernanda. O trabalho com pets deu tão certo que a rotina de viagens se tornou cansativa. Para driblar esta adversidade, Fernanda conta com a ajuda do irmão, Thiago Piffer, no estúdio. “Estou deixando um discípulo caso eu não siga com o trabalho (risos), mas pretendo continuar no ramo por muito tempo. Sempre digo que eu abandono a fotografia, mas ela nunca me abandona”, conta.


Capa

Valérya Mello e Sandra Silva dedicam atenção especial com os animais

Cães abandonados são tratados com carinho por voluntárias Projeto já intermediou adoção de cerca de 2 mil animais em quatro anos Por Aline Camargo Fotos: Fábio Guedes

H

á pouco mais de quatro anos, o projeto Amor Sem Raça – Amigo Vira Lata faz a diferença na vida de muitos cães abandonados em Presidente Venceslau. Um trabalho voluntário criado pela veterinária Valérya Mello já intermediou a adoção de mais de dois mil cachorros e cerca de mil castrações na cidade. Sem fins lucrativos, a iniciativa foi formalizada apenas com a criação de uma página no Facebook que já possui quase 30 mil curtidas. “O projeto foi criado em abril de 2012 com a intenção de promover a doação e a castração de animais. Não somos ONG e não possuímos nenhum tipo de doação fixa ou conta bancária. A ideia era apenas servir como um meio de comunicação entre quem quer doar e quem quer adotar um animal. E é o que fazemos até hoje”, explica Valérya. Após um tempo de divulgação, surgiu a necessidade de ter um espaço para abrigar os cães que iam aparecendo. Com isso, a cuidadora e também colaboradora do projeto, Sandra Silva, disponibiliza sua chácara que atualmente abriga cerca de 30 cachorros adultos e mais 10 filhotes, que foram vítimas de abandono. “Percebemos que as pessoas estão abandonando os animais com frequência aqui em Venceslau. Vez ou outra vejo os bichinhos indefesos largados nas ruas. As pessoas precisam ser mais humanas 30 | Revista FOCO | junho/julho 2016

Não temos uma renda fixa, então precisamos sempre de ajuda” Valérya Mello

e conscientes, se não podem ou não querem cuidar desses animais, que procurem um local que os abriguem”, conta. Para manter o cuidado com os cães, o local recebe doações de rações e subsídios para realizar as castrações. Para isso, o canil conta com a parceria do veterinário Murilo Amélio. “O Murilo nos ajuda na castração dos animais cobrando apenas um valor simbólico. Felizmente conseguimos castrar a grande maioria dos cães, principalmente aqueles que podem ser adotados para fim de procriação com o objetivo de angariar algum lucro”, explica Valérya. As doações sempre são necessárias e feitas por pessoas que conhecem o trabalho através da página no Facebook. “Não temos uma renda fixa, então precisamos sempre de ajuda, principalmente com medicamentos veterinários, ração e produtos de limpeza”, diz a organizadora do projeto. Desde que o Amor Sem Raça - Amigo

Vira Lata foi criado, praticamente todos os animais que viviam em pontos de abandono da cidade foram castrados e adotados. Quanto a doação de gatos, as pessoas que desejam doar ou adotar, a página colabora com a divulgação de fotos e contato, pois não é possível abrigar gatos na chácara devido a grande quantidade de cachorros que lá existem. Amigo de quatro patas

Luana Nayara da Silva é uma das muitas pessoas que adotaram um amigo de quatro patas e acredita que o projeto é um grande caminho para evitar o abandono de animais. “Há uns dois anos eu adotei uma gatinha e um ano atrás um cachorro. Peguei ambos filhotes e eles são meus xodós. Conheço de perto o projeto e o vejo como uma forma de dar um lar para esses animais e com a castração evitar a proliferação do abandono”, diz. Serviço

Quem deseja adotar um animal de estimação ou realizar doações que ajudem a manter o canil, pode entrar em contato pelos telefones (18) 3271- 4671 e (18) 99104-1614 ou acessar a página Amor Sem Raça - Amigo Vira Lata no Facebook.


Revista FOCO | junho/julho 2016 | 31


Parte da equipe do Colégio São Paulo de Presidente Venceslau Instalações: Educação Infantil e Fundamental I

Colégio São Paulo em Presidente Venceslau

Dois prédios, maior comodidade e qualidade para alunos e professores Diretores da unidade planejam cursos universitários para 2017 Por Wagner Bueno Fotos: Fábio Guedes

O

segundo semestre do ano letivo de 2016 começa com novidades para os alunos do Colégio São Paulo em Presidente Venceslau, já que a unidade passa a ter dois prédios para atender a demanda de alunos na cidade. Com uma estrutura sólida e o objetivo de oferecer educação de qualidade para todos é que o colégio consolidou sua marca e passou a ser referência na região.

Na educação infantil as atividades são pensadas e organizadas para despertar o conhecimento” Thays Ricci

32 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Instalações: Ensino Fundamental II e Ensino Médio

No prédio localizado na rua Prudente de Moraes está concentrada a estrutura para atender os alunos que estão na Educação Infantil (Maternal e Jardim) e Fundamental I (1º ao 5º ano). “As crianças de dois até dez anos de idade recebem neste prédio um ensino de qualidade e com salas adequadas. Na educação infantil as atividades são pensadas e organizadas para despertar o conhecimento. Através da brincadeira, da experiência e da relação com o outro é que a criança desenvolve suas habilidades, sua autonomia e sua criatividade e o ambiente é fator importantíssimo para um bom resultado”, disse Thays Ricci, diretora do Colégio São Paulo. Já no prédio da avenida Princesa Isabel funcionam as salas para alunos do Ensino Fundamental II e Ensino Médio, além de cursos preparatórios para vestibular. “Os ambientes são distintos para atender os alunos de acordo com a faixa etária, desta forma, podemos oferecer uma estrutura ampla e completa com espaço físico tanto interno quanto externo que primam pela qualidade das práticas pedagógicas em todos os níveis da educação e que procuram proporcionar melhor desenvolvimento e aprendizagem para as crianças e adolescentes. A organização do espaço interfere na qualidade das relações que os alunos estabelecem com o meio no qual convive”, afirma Thays. Colégio São Paulo

Com a filosofia de que os pais precisam proporcionar aos seus filhos uma educação de qualidade, preparando-os assim para uma vida de sucesso pessoal e profissional, e sabendo que muitos alunos com alto potencial precisam ter acesso a uma educação de qualidade, é que o Colégio São Paulo oferece uma forte estrutura para atender os cursos de Educação Infantil e Educação Básica: Fundamental I (1º ano 5º ano), Fundamental II (6º ao 9º ano), Ensino Médio e Cursinho Pré-Vestibular. Rapidamente a unidade em Presidente Venceslau alcançou uma impressionante aceitação. O Colégio São Paulo preza por qualidade absoluta, com o apoio de um dos mais eficientes sistemas de ensino – O Positivo. Ênfase no sistema de ensino, interatividade entre alunos, professores, direção, coordenação, pais e comunidade, rigidez na conduta pedagógica e o foco de preparar verdadeiros cidadãos para o futuro. Esses são os pilares do trabalho do colégio. Além de Presidente Venceslau, o Colégio São Paulo está presente nas cidades de Presidente Prudente, Dracena e Presidente Epitácio e contribui de forma valorosa para o desenvolvimento de uma geração que busca ter um futuro melhor através da educação. Escola da Inteligência

O Colégio São Paulo incluiu em seu programa de ensino o método Escola da Inteligência. É um programa educacional que objetiva desenvolver a educação socioemocional no ambiente escolar. Fundamentada na Teoria da Inteligência Multifocal, elaborada pelo Dr. Augusto Cury, a metodologia promove, por meio da educação das emoções e da inteligência, a melhoria dos índices de aprendizagem, redução da indisciplina, aprimoramento das relações interpessoais e o aumento da participação da família na formação integral dos alunos.

O Programa Escola da Inteligência é aplicado em 1 hora/aula por semana, dentro da grade curricular, como uma nova disciplina ou dentro de uma disciplina já existente.”

Todos os envolvidos - professores, alunos e familiares - são beneficiados com mais qualidade de vida e bem-estar psíquico. Atualmente, o Programa atende diretamente mais de 200 mil alunos em escolas de todo Brasil e as unidades do Colégio São Paulo na região já contam com o sistema.


Receita de Família

Carneirada e Bacalhau, duas receitas marcantes no Receita de Família Por Wagner Bueno e Nathália Oliveira Fotos: Cristiano Fernandes

O

Receita de Família surgiu na Revista Foco na segunda edição, lançada em abril de 2015. Desde então, contamos várias histórias e mostramos receitas deliciosas que viraram tradição nas famílias.

A Revista Foco recebeu pedidos de leitores para reeditar algumas das receitas que já foram apresentadas, e para atendê-los separamos duas receitas. Uma é a Carneirada da Dona Inês Pinheiro e outra é o Bacalhau da Dona Lucília.

Carneirada da Dona Inês Pinheiro

I

nês Pinheiro foi a primeira convidada a participar do quadro. Com mais de 90 anos de idade, ela mostrou muita disposição, principalmente ao falar da famosa carneirada que preparou por inúmeras vezes e serviu centenas de pessoas em Presidente Venceslau. A receita de sabor inconfundível que marcou gerações na cidade teve origem de forma simples. “A receita é própria mesmo, quando casei fazia em casa e convidava as pessoas, mas nunca imaginei que um dia a carneirada pudesse ajudar tantas pessoas através de ações sociais, isso me deixa muito feliz”, diz Inês Pinheiro de forma emocionada. Saiba como preparar essa receita deliciosa.

Ingredientes

01 carneiro (médio) 06 dentes de alho picados Azeite a gosto 300g de bacon 08 linguiças calabresa picadas 03 colheres (sopa) de colorau em pó Sal e pimenta do reino a gosto 750ml de vinho branco seco

04kg de batata cortada ½Kg de azeitona verde sem caroço e fatiada ou 300g de azeitona verde fatiada 03Kg de cebola grande cortada 08 cravos da Índia 03 folhas de louro amassadas

Modo de Preparo

O carneiro deve ser cortado, retirada a gordura e após lavar a carne em água, reserve. Em uma panela grande, misture azeite, alho e bacon picados e frite. Acrescente a carne do carneiro, cubra com a cebola cortada em pedaços grandes. Misture a calabresa picada, cravo da índia, folha de louro, sal e pimenta do reino. Em seguida, regar os ingredientes com azeite, tampar a panela e deixar cozinhar. Durante o cozimento, se necessário, acrescente um pouco de água quente para ficar com molho. Quando a carne começar a amolecer, coloque o vinho branco seco e deixe cozinhar por mais um tempo. Na sequencia, use uma colher grande para deixar a carne no centro da panela, e nas laterais, coloque a batata cortada deixando-a imersa no molho. Mexa sempre no meio da panela para não grudar a carne. Quando as batatas estiverem bem cozidas experimente o tempero (sal). Desligue o fogo e acrescente as azeitonas verdes fatiadas.

Acompanhamentos

A carneirada deve ser servida quente com arroz branco, pão francês e um bom vinho. 34 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Bacalhau da Dona Lucília

A

segunda receita que apresentamos é o Bacalhau da Dona Lucília. Poucas coisas são tão gratificantes quanto celebrar a vida em família e saborear um bom prato. E quando a família em questão é portuguesa, o bacalhau não poderia ficar de fora. É assim com a família do senhor Alcides Figueiredo, proprietário da padaria Super Pão. Aos domingos, eles se reúnem para bater papo e apreciar o tradicional peixe salgado acompanhado de um autêntico vinho português. A receita do bacalhau da família Maçarico Figueiredo surgiu com a mãe de dona Lucília e até então, era conhecido

Ingredientes:

2kg de bacalhau Gadus Morhua em postas (dessalgado) 2/5kg de batata cortadas em rodelas grossas 1kg de cebola cortada em rodelas 1 cabeça de alho cortada em lascas 3 tomates cortados em rodelas 4 folhas de louro 500ml de azeite maçarico Sal à gosto (para temperar as batatas) Salsa à gosto

Preparo:

Dessalgue o bacalhau. Forre o fundo de uma panela grande com um pouco do azeite, acrescente metade da cebola em rodelas, os tomates, duas folhas de louro e as batatas. Ajeite com cuidado o bacalhau com a pele virada para baixo e acrescente o restante da cebola, as lascas de alho, duas folhas de louro e a salsa picada. Regue com o restante do azeite. Cozinhe em fogo alto até levantar fervura. Após, abaixe o fogo e cozinhe por aproximadamente 50 minutos. O ponto é quando as batatas estiverem macias. Sirva com azeitonas pretas, pão e vinho. Dica: Para saber se o bacalhau dessalgou o suficiente, espete uma faca de ponta no meio da posta e puxe. Uma lasca do bacalhau se soltará e você poderá provar sem estragar a posta. Para dessalgar o bacalhau, troque a água duas vezes por dia, por pelo menos dois dias. Mantenha sempre na geladeira.

como “Bacalhau da vó Aurora”. Após o falecimento dela, a família continuou a tradição do bacalhau e rebatizou a receita como “Bacalhau da dona Lucília”. A tradição do prato segue na família, e hoje, é preparado pelas filhas Cristina e Luciane e pela Mari (nora). A história mostra que o delicioso bacalhau é preparado por diferentes gerações da família, e quem experimentou, garante que o sabor é inconfundível. A família Maçarico Figueiredo explica em detalhes para os leitores da Revista Foco, como preparar a famosa receita do bacalhau.


Por Karoline Durante

Moda e Beleza

Visu Shock

Primavera -Verão chegou Looks e estilos para você arrasar 01 Aqui vamos falar da queridinha do momento: peplum. A blusa peplum marca e afina a cintura, pois dá volume no quadril. Dessa forma a mulher fica com os contornos do corpo em evidência #elindoooo Dica: Use a parte de baixo como na foto, com calça flare, porque dá simetria à blusa e deixa o corpo mais harmonioso, mas para quem gosta de dar mais atenção à cintura, vale apostar em uma saia justa #ficalindo também.

02 Nesse look vamos falar das cores: fluorescentes, elas prometem vir com tudo e estarão em alta nessa estação, se usar na parte de baixo como na foto, opte por tons claros na parte de cima e vice-versa, ou tons que também destaquem a produção mas que não tenham a mesma intensidade da outra peça. 36 | Revista FOCO | junho/julho 2016


03 Nesse look vamos falar das estampas em tons fortes e alegres, que é o mais válido para o verão, use tanto em vestidos, blusas, saias e vale também para calças estampadas! Dica: Quanto mais alegre a estampa, mais a cara da estação você vai ficar #euamo Para compor o look, procure acessórios em tons neutros, pois equilibram a produção, assim como na foto (bolsa de franjas) #estaoemalta A sandália plataforma no tom marrom cai bem na produção #abuse

04 Para as festas nessa estação, a renda continua #emalta mas como em todo verão o que vale são as cores fortes, procure por rendas vibrantes, fica a cara da estação e te deixa também com uma produção mais chamativa.


Moda e Beleza 05 Acessórios!! Vamos falar de um modelo de bolsa que já esta sendo usado há um bom tempo. Ela é inspirada no modelo da Chanel: boy bag! É uma boa pedida por quem preza pela elegância e pode ser usada tanto na transversal como no ombro. As alças em correntes e sua frente matelassê fazem dela outra #queridinhadomomento Agora falando dos óculos, os modelos espelhados voltam com tudo! E os mais usados também continuam sendo da #rayban Vale tanto o aviador quanto o round #aproveiteoseuverao

Os looks deste ensaio estão na Visu Shock Av. Pres.Vargas, 5-73 - Centro - Presidente Epitácio Fone: (18) 3251 3182 Ficha Técnica Modelo: Maria Eduarda Perejon Cabelo e make: Belyse hair Looks: Visu Shock 38 | Revista FOCO | junho/julho 2016

Fotos: Fábio Guedes Produção: Karoline Durante Locação: Valérya Mello


Negócios e Finanças

Kenshin Temakeria

cai no gosto dos venceslauenses Por Nathália Oliveira Fotos: Fábio Guedes

Q

ue a culinária japonesa caiu no gosto dos brasileiros não é novidade. A cada dia, pratos a base de peixes e frutos do mar estão mais presentes no nosso cardápio, enchendo nossos olhos e aguçando nosso paladar pela delicadeza na apresentação e leveza no sabor. Essa história é relativamente recente. Começou no dia 18 de junho de 1908, quando o navio Kasato-Maru aportou em Santos trazendo o primeiro grupo de japoneses que trabalhariam em terras brasileiras. Com uma cultura muito rica e particular, eles foram se adaptando ao país e ensinando aos brasileiros hábitos mais saudáveis que mais tarde seriam incorporados ao nosso cotidiano. Na época, a maior dificuldade dos japoneses foi justamente a alimentação. A comida brasileira era à base de muita gordura, enquanto que os orientais estavam acostumados com cereais, peixes, legumes e verduras, que não eram encontrados nas fazendas de café onde trabalhavam. Conhecidos por se destacar no campo da tecnologia, os japoneses são responsáveis pela disseminação e aperfeiçoamento de diversas culturas agrícolas utilizadas pelos brasileiros, bem como na produção 40 | Revista FOCO | junho/julho 2016

Os venceslauenses são muito receptivos e adoram a culinária japonesa” Danilo Ribeiro

e modificação de alimentos naturais. A maioria dos imigrantes que foram se liberando do trabalho assalariado nas fazendas passaram a dedicar-se à lavoura. Esta atividade permitiu-lhes o acesso a produtos mais familiares, além de enriquecer a variedade, a quantidade e a qualidade dos produtos hortifrutigranjeiros que abastecem hoje a mesa da família brasileira em todo o país.

Com os olhos voltados ao público venceslauense, Danilo Ribeiro Oliveira, 27, inaugurou em julho de 2015 a Kenshin Temakeria. Atraído pela beleza dos pratos japoneses, que mais parecem obras de arte e mais de cinco anos de experiência no segmento, ele decidiu que era hora de investir no próprio negócio. Inicialmente, a especialidade da casa era o famoso temaki (cones recheados com Gohan – o arroz japonês - e algum tipo de peixe ou frutos do mar, vegetais, ovas). Com o tempo a temakeria conquistou o paladar dos venceslauenses, que antes precisavam buscar nas cidades vizinhas esse tipo de comida, e passou a trabalhar com grande variedade das delícias japonesas, como sushis, sashimis, shimejis e porções, além da cozinha chinesa. Danilo diz ter acertado ao investir na cidade. “Os venceslauenses são muito receptivos e adoram a culinária japonesa. Não existia na cidade uma casa para atender esse público, por isso decidimos investir e acredito que foi uma ótima escolha.” Serviço

A Kenshin Temakeria está localizada na rua Carlos Gomes, 464B em Presidente Venceslau. O local funciona de segunda-feira à sábado das 18h30 as 23h30.


Negócios e Finanças

“Sou um observador e detalhista por natureza” Fábio Guedes

FÁBIO GUEDES,

O FOTÓGRAFO

O

Por Wagner Bueno

fotógrafo Fábio Guedes é o responsável pelo trabalho de fotos da Revista Foco. Com talento e de forma muito profissional, ele consegue registrar belas imagens com simplicidade e sofisticação. Além de fotografar para a revista, Fábio está no mercado direcionado para fotos de casamentos e ensaios especiais. Conheça em seis perguntas o perfil de Fábio Guedes. Porque você decidiu ser fotógrafo?

A fotografia em sua essência é algo apaixonante, sobretudo a possibilidade de captar momentos que nunca mais se repetirão” Fábio Guedes

A fotografia aconteceu em minha vida de uma maneira natural; o hobby existia há muitos anos e a vontade de fazer fotografia profissionalmente crescia a cada dia. Desde cedo tive uma ligação muito forte com a arte, especialmente arte expressa através da música e da fotografia. Sou um observador e detalhista por natureza, e no contexto da fotografia isso é algo desejável. Sempre fui considerado um pouco “chato” por ser assim (risos), decidi então por aplicar esses “predicados” a meu favor para fazer o que amo.

responsabilidade, mas me deixa também muito satisfeito a cada vez que faço.

O que mais te chama atenção na fotografia?

O que você faz que é seu diferencial na fotografia?

A fotografia em sua essência é algo apaixonante, sobretudo a possibilidade de captar momentos que nunca mais se repetirão. O “poder” de parar o tempo, produzir recordações indeléveis e emocionar pessoas por meio do principal sentido humano para mim é algo fascinante! Qual o estilo de foto que gosta de fazer?

Gosto de fotografar pessoas felizes nas mais variadas situações e contextos da vida, mas confesso ter uma forte preferência pela fotografia de casamento. É um daqueles momentos raros em que pairam no ar muitos sentimentos bons; pessoas estão formando e fortalecendo seus vínculos de união, renovando esperanças e se emocionando. Fazer um registro de tudo isso imprimindo meu modo de enxergar a cena é uma grande 42 | Revista FOCO | junho/julho 2016

Acredito de fato que tenho um estilo próprio e que sigo “fazendo minha fotografia”, por assim dizer, e que isso acaba representando um diferencial; porém, acho que a perspectiva do fotógrafo, bem como a do próprio espectador, ao “entender” o significado de um momento é algo muito particular e peculiar. Diferentes valores culturais, sociais e morais formam cada indivíduo; diferentes experiências nos moldam. Andei por lugares pelos quais talvez você não tenha andado, você leu o que eu talvez não tenha lido, ouvi canções que você não ouviu e você sofreu influências diferentes; enfim, somos diferentes em essência! Quando fotografo, fotografo com meu olhar e não só com meu equipamento e portanto, tenho algo único em meu modo de fotografar.

Em sua opinião, a fotografia tem apresentado evoluções e conceitos para os novos fotógrafos?

Sem dúvidas! Vejo o advento da fotografia digital como uma grande evolução na área. Nas últimas décadas destaco um fenômeno que acho interessante: a fotografia de eventos em nosso país têm recebido grande influência de fotógrafos, artistas plásticos e cineastas estrangeiros e isso fez com que o trabalho deixasse de ter apenas um caráter de registro documental e começasse a receber influências artísticas. Você é um estudioso da fotografia? Qual importância disso?

Procuro sempre tirar tempo para estudar. Estar presente em workshops específicos de outros profissionais, ler, praticar, estar em contato com outras expressões de arte, procurar quebrar platôs e sair da zona de conforto sempre que possível, são coisas importantes. A fotografia exige atualização e evolução constante como qualquer outra profissão dinâmica.


Negócios e Finanças

A Faive é feita para a população. É um patrimônio público” Marcelo Queiroz

Marcelo

Queiroz ea

40º Faive Presidente conta com presença de grande público no evento deste ano Por Eduardo Maduro Foto: Fábio Guedes

R

ealizada desde 1975, a Feira Agropecuária e Industrial de Presidente Venceslau (Faive) chega em sua 40ª edição em 2016. Na presidência pelo segundo ano consecutivo, o perito criminal Marcelo Queiroz tem a missão de conduzir os trabalhos da Comissão Organizadora. Neste ano, a exposição venceslauense acontecerá no período entre 19 e 28 de agosto. Desde 2013, o novo modelo da feira oferece para a população shows gratuitos no recinto. Neste ano sete shows serão realizados no palco principal: Mathias Maranhão (19/08); Enzo e Éder (20/08); Léo e Raphael (21/08); João Bosco e Vinícius (25/08); João Carreiro (26/08); Hugo e Tiago (27/08); e Paraná (28/08). Para esclarecer dúvidas gerais sobre a feira, a equipe da Revista Foco entrevistou o presidente da comissão organizadora, Marcelo Queiroz. Ele fala sobre a escolha dos artistas para a Faive deste ano e a importância do evento para a população venceslauense. Qual é o objetivo da comissão para este ano? Ele vai de encontro com o objetivo da primeira edição da feira realizada há 40 anos?

Desde a primeira edição da feira, o objetivo da comissão é divulgar a tecnologia no meio agrícola e industrial, além de ajudar na evolução da região e dos profissionais dessas áreas. Com o passar dos anos, a Faive se tornou também uma festa e o nosso desafio é justamente trabalhar nestas duas 44 | Revista FOCO | junho/julho 2016

frentes em todos os anos, sempre pedindo a todos que acreditem na Feira e no potencial de nossa cidade. Como foi feito o levantamento dos nomes para a grade de shows deste ano?

Como é feito anualmente, a comissão escolheu nomes de relevância nacional no cenário musical. A grade formada segue o padrão dos anos anteriores, com shows que agradam a todos os públicos que visitam a feira. Trouxemos o Paraná, artista de longa carreira na música sertaneja. No sábado, o show de sertanejo universitário promete animar a galera presente no recinto. Temos também João Carreiro e João Bosco e Vinícius, que são nomes que agradam aos que gostam de música sertaneja de qualidade. Colocamos também três atrações no primeiro final de semana da exposição para termos movimentação no recinto desde o primeiro dia. Qual a importância da feira ter entrada franca?

A Faive é feita para a população. É um patrimônio público, portanto a presença do público é fundamental. A opção pelo modelo gratuito de feira visa a participação maciça de pessoas da cidade e região. Com o público, os expositores poderão ter um alcance maior de divulgação de suas marcas e serviços, sem contar na movimentação da praça de alimentação, dos camarotes, estacionamentos e outras atividades, que são mais procuradas por conta da ausência de custo com ingresso. Em cada edição que a população contribui, maior será a

possibilidade da feira seguir firme e forte anualmente. O tradicional baile que acontece em agosto para divulgar a exposição terá novidades neste ano?

Sim. Neste ano, terceirizamos o serviço para a realização do baile e o evento acontecerá no dia 13 de agosto. A atração contará com mesas com dez, oito e seis lugares para a população, sendo que cada cadeira será vendida pelo valor de R$ 100. O evento contará também com sistema de buffet, com o custo de comida e bebida já inclusos no ingresso. Como atrações, o baile terá a cantora Jayne e a dupla Pedro Henrique e Eduardo. Também será realizado neste evento a escolha da Rainha da Faive. O calendário de leilões já foi definido? Quantos leilões serão feitos?

Teremos cinco leilões. No domingo, dia 21 de agosto, será realizado o 61º Leilão Nelore Mocho CV da Fazenda Campina, do proprietário Carlos Viacava. Na terça, dia 23, acontecerá o 8º Leilão Nelore Aymoré, de Mencius Abraão. No dia 25, quintafeira, o 13º Leilão Nelore da Dourada, de Chiquinho Azenha, será promovido. No dia seguinte, dia 26, acontecerá a 4ª edição do Leilão Fazenda da Mata e Fazenda Santa Joana, dos pecuaristas Fernando Alterio e Fábio Jatene. Por fim, no dia 27 de agosto, o 20º Leilão Qualidade Total de Corte, com diversos pecuaristas, marcará o final dos leilões na Faive deste ano.


Revista FOCO | junho/julho 2016 | 45


Negócios e Finanças

9 tipos de profissionais que não sobem na vida Conheça as características que afastam pessoas do sucesso Por Wagner Bueno

T

er boas habilidades sociais é um dos mais importantes requisitos para conquistar sucesso e um bom relacionamento no ambiente de trabalho. Lidar com pessoas é uma arte, e quem consegue, pode se estabelecer na função mesmo que não tenha tantas habilidades técnicas. Apesar de ser essencial, não são todas as pessoas que possuem a chamada inteligência social para construir relacionamentos, principalmente no ambiente profissional. O site norte-americano “Business Insider” apresentou uma lista com nove tipos de pessoas que dificilmente vão conseguir ter sucesso no trabalho. Confira abaixo. 1 - O covarde

Medo é um motivador muito poderoso. É por isso que candidatos a presidente dizem que seus oponentes “destruirão a economia” ou que são divulgados alertas repetidos dizendo que “fumar mata”. No ambiente de trabalho, pessoas que têm medo demais podem se tornar irracionais e adotar comportamento irracional. Colegas covardes são os primeiros a culpar os outros e a tentar maquiar grandes erros. 2 - O ‘dementador’

Essa criatura do universo de Harry Potter tem a habilidade de sugar a alma das pessoas de seus corpos e só trazem tristezas e más lembranças para quem está em seu entorno. A autora da saga, J. K. Rowling, disse 46 | Revista FOCO | junho/julho 2016

que desenvolveu esse conceito baseado em pessoas muito negativas - o tipo de pessoa que tem a habilidade de entrar em uma sala e acabar com a alegria de todos. Pessoas assim vão sempre ver o copo meio vazio e encher as outras de medo e preocupação, mesmo em momentos positivos.

sobre você e pensam que você é o único responsável pelo problema deles. Pessoas temperamentais trabalham mal porque deixam suas emoções atrapalharem seu julgamento. A falta de controle destrói relacionamentos. 7 - A vítima

4 - O pensador pelo grupo

As vítimas são mais difíceis de se identificar porque, no início, você sente empatia por elas. Mas, com o tempo, percebe que o “tempo de necessidade” delas é o tempo inteiro. Vítimas sempre se livram de qualquer responsabilidade ao fazer uma lombada se tornar uma montanha intransponível.

5 - O ‘sem oportunidades’

Só dá para sentir pena desse funcionário. Essa pessoa é aquela que faz tudo em qualquer momento por todo mundo. Essas pessoas acabam aceitando qualquer coisa, incluindo péssimos negócios, e acaba perdendo o respeito das outras pessoas.

3 - O arrogante

Pessoas arrogantes acreditam que tudo que você faz é um desafio pessoal. Arrogância é uma falsa confiança e, em geral, mascara grandes inseguranças. Pessoas arrogantes tendem a ter pior desempenho no trabalho e problemas cognitivos em relação aos outros. Pessoas assim escolhem o caminho de menos resistência e são famosos por propagar a frase “é assim que sempre fizemos” mentalmente. Se você se sente vítima de lavagem cerebral, tome cuidado: o ‘status quo’ nunca leva ninguém para passos maiores. Essas pessoas dizem que o fracasso foi causado pela falta de oportunidade. Sorte pode ajudar na carreira, mas, em geral, grandes profissionais chegam onde chegaram por meio de muito trabalho duro. O que essa pessoa não percebe é que sua atitude é o que a leva ao fracasso, e não as circunstâncias. 6 - O temperamental

Algumas pessoas não têm nenhum controle sobre suas emoções. Elas vão estourar e projetar seus sentimentos

8 - O inocente

9 - O que sempre pede desculpas

Para cada pessoa que deve um pedido de desculpas existe outra que pede muito mais do que deveria. Pessoas sem confiança estão sempre se desculpando por suas ideias e ações. Elas têm medo de fracasso e acreditam que pedir desculpa vai criar uma rede de segurança. No entanto, desculpas desnecessárias podem fazer com que as ideias desses funcionários pareçam piores do que elas realmente são.


Negócios e Finanças

Vencescredi comemora 12 anos de sucesso Credibilidade e confiança você só encontra na Vencescredi Consignados

A

Foto: Fábio Guedes

Vencescredi entrou em atividade no mês de agosto de 2004, e logo de início começou a atender aposentados e pensionistas do INSS com empréstimos consignados. Ao longo do tempo, a Vencescredi acrescentou novas linhas de crédito e passou a oferecer crédito pessoal e atender funcionários públicos estaduais. Neste ano a empresa passa a usar o nome Vencescredi Consignados. A medida atende uma determinação do Banco Central que impede lojas de crédito de usar a palavra financeira. Desta forma, a Vencescredi Consignados é uma das mais tradicionais lojas de consignados de Presidente Venceslau e apresenta

Vencescredi Consignados Rua Campos Salles, 21 - Fone: (18) 3271 6635

novidades com ofertas de Crédito para Aposentados e Pensionistas, além de Funcionário Público Estadual e Federal, Crédito Pessoal no Boleto e Crédito Pessoal para Negativados. Plano Safra

A mais nova linha de crédito da Vencescredi Consignados é o crédito especial para agricultores com pagamentos em até 180 dias através do Plano Safra. Temos também crédito especial para produtores de leite com taxas reduzidas e parcelamento em até 12 vezes. Atendimento em Presidente Venceslau e região.


Por Adriana Moreira Serratine

Arquitetura

Arquiteta e Designer de Interiores CAU A38578-6

Decoração com Papel de Parede

S

e você deseja mudar a decoração de sua casa de forma simples e rápida, uma ótima opção é apostar em um belo papel de parede. Dependendo da textura ou desenho, pode-se criar ilusão de ótica, dando amplitude ao local, ou mesmo conseguir um efeito mais aconchegante e intimista. Esta tendência de decoração já é amplamente utilizada na

Europa e Estados Unidos e há tempos anda ganhando cada vez mais adeptos no Brasil. As maiores vantagens do papel de parede são a versatilidade e a rápida e fácil instalação (sem sujeira). A limpeza também promete não causar dores de cabeça; feitos de materiais resistentes, a higienização dos papeis de parede é tranquila.

Veja algumas dicas na hora de escolher um: 1 - Metragem: o ideal é medir corretamente a área da parede em que o papel será instalado e ter a medida exata antes de escolher o papel. Em seguida, basta observar como o fabricante vende o produto (rolos de 10mx53cm ou de 5mx53cm) e quais são as medidas de uma peça ou de um rolo, para então calcular quantas unidades serão necessárias para cobrir sua parede.

4 - Para proporcionar uma sensação de pé-direito mais alto, opte por estampas verticais.

5 - Se quiser causar impressão de um ambiente mais largo, escolha estampas horizontais.

2 - Para ambientes pequenos, opte por papeis com estampas pequenas e claras. 6 – Se for decorar apenas uma parede, combine a estampa com a cor da tinta.

3 - Em ambientes mais amplos, você pode optar por papeis com estampas mais escuras e dramáticas.

7 - Tipos de papel de parede: os papeis de parede normais são feitos de fibra de celulose, são menos duráveis e pouco resistentes à umidade. Já os vinílicos e os TNT (tecido-não-tecido) podem ser limpos com esponja úmida e sabão neutro e chegam a durar até 10 anos!

Serviço: Para informações sobre projetos e decorações entre em contato com a arquiteta Adriana Moreira Serratine pelo telefone (18) 98121 5092. E-mail: adrianaserratine@uol.com.br 48 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Beto Répelli

Negócios e Finanças

Escritório Vencesprev

Concessão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez terá mudanças

O

governo do presidente interino Michel Temer anunciou um pacote de revisões na Previdência Social para os casos de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. Em todo o país, serão feitas perícias para verificar se os trabalhadores afastados continuam incapazes de trabalhar. O texto da Medida Provisória (MP) também prevê uma gratificação por dois anos para os peritos médicos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que realizarem perícias de beneficiários que recebem o auxílio-doença ou aposentadorias por invalidez há mais de dois anos. O bônus aos peritos será de R$ 60 por perícia. A Medida Provisória fixará o prazo máximo de 120 dias para o pagamento de auxílio-doença nos casos em que o benefício for concedido pela Justiça e que não for determinada uma data de fim do recebimento. Assim, caso o beneficiário não dê entrada no processo para a continuidade do auxílio, o pagamento será 50 | Revista FOCO | junho/julho 2016

automaticamente cortado. Também será revogada a regra que permite que o segurado que volta a contribuir com o INSS receba um novo auxílio-doença dentro de quatro meses. Com a realização de mais 100 mil perícias por mês, o objetivo do Governo é reduzir gastos de até 30% com a Previdência Social. Segundo informou a equipe econômica do governo, o Brasil tem hoje cerca de 3 milhões de pessoas recebendo aposentadorias por invalidez há mais de dois anos sem revisão, o que gera gasto de R$ 3,6 bilhões por mês à Previdência. Ainda segundo a equipe econômica, o pagamento de auxílios-doença custa R$ 1 bilhão por mês à União, sendo que, atualmente, uma média de 840 mil benefícios foram concedidos há mais de dois anos, grande parte através de decisões judiciais, necessitando de avaliação. O proprietário do Escritório VencespreV, Beto Répelli, especializado

em Assessoria Previdenciária, diz que as mudanças podem tirar o conforto de muitos contribuintes que hoje recebem o benefício e não tem mais nenhum acompanhamento por parte da Previdência Social se as doenças ainda existem ou não. “Recomendo que mesmo estando sem fazer perícias, os segurados continuem fazendo acompanhamento médico. A medida é boa porque em primeiro lugar, serve para manter o bom estado de saúde e ainda, para uma possível exigência de provas que o segurado deva apresentar de seu estado de saúde. Assim ele terá em mãos um histórico de atestados e exames que garantam que o segurado não pode mesmo exercer atividades.” Com experiência e atuação na área há mais de 10 anos, Beto relata que muitos contribuintes deixam de fazer acompanhamento médico assim que o benefício é concedido, o que pode acarretar nesse momento de mudanças no bloqueio ou suspensão do benefício.


Saúde

Saiba quais os benefícios da atividade física Foto: Fábio Guedes

C

erca de 30 dias após começar a praticar alguma atividade física já é possível perceber os benefícios da prática, como melhora na circulação sanguínea, fortalecimento do sistema imune e emagrecimento. Mas isso para quem se exercitar de forma regular. Outros benefícios da atividade física como aumento do metabolismo, diminuição do risco de doenças cardíacas e fortalecimento dos ossos podem ser alcançados quando o indivíduo faz alguma atividade física que tenha impacto, como caminhadas, pular corda, correr ou dançar, por exemplo. A dança ainda melhora a coordenação dos movimentos e o equilíbrio, aumentando a boa disposição e o humor, melhorando a imagem corporal e a auto estima. Para manter o peso ideal com saúde deve continuar se alimentando corretamente, evitando consumir alimentos ricos em gordura e açúcar, como frituras e bolachas recheadas. Além disso, praticar 52 | Revista FOCO | junho/julho 2016

pelo menos 30 minutos de exercício físico diariamente ou 1 hora, 3 vezes por semana, é uma forma excelente de manter o seu peso saudável. Quem está acima do peso deve praticar exercícios pelo menos 5 vezes por semana, durante 90 minutos, para poder queimar gordura. Idosos também podem fazer exercícios e os mais indicados são aqueles que estão de acordo com a funcionalidade do corpo. Em caso de dor nas articulações, deve-se dar preferência aos exercícios na água, como natação ou hidroginástica. Como começar a praticar exercícios

Os exercícios devem ser realizados por todos, de todas as idades e de forma regular, mas antes de começar a praticar exercícios, deixando de ser sedentário, deve-se marcar uma consulta médica para verificar as articulações e o funcionamento cardíaco, porque alguns pacientes só devem fazer exercícios com auxílio do professor da

academia ou fisioterapeuta. Idealmente os exercícios devem ser realizados de 3 a 5 vezes por semana, mas pode-se começar devagar, fazendo apenas 2 dias por semana, durante 30 a 60 minutos. A partir da segunda semana, pode aumentar a frequência para 3 ou 4 dias, conforme a disponibilidade de tempo. Além disso, a atividade física também pode ser benéfica para quem sofre de dor nas costas, ajudando a reduzir a dor, corrigir a postura e a alongar os músculos. Exercício para a mente

Os exercícios também são salutares para a mente. Foi o que mostrou uma pesquisa realizada em 2012 pela Universidade Southern Methodist, de Dallas, nos Estados Unidos. O estudo concluiu que a prática de 21 minutos diários de exercícios físicos conseguem combater a depressão. O pouco tempo não é desculpa para não se exercitar, com força de vontade todos podem encaixar o treino à rotina diária.


Revista FOCO | junho/julho 2016 | 53


Por Dr. Cleyton Cristovão de Matos

Saúde

Biomédico CRBM 6577

Exame toxicológico passa a ser obrigatório para motoristas

A

partir de agora, será obrigatório no Estado de São Paulo o exame toxicológico para renovar ou obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E, voltadas para motoristas profissionais. O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran SP) terá de cumprir a determinação judicial, pois foi derrubada no último dia 15 de julho, a autorização prévia (tutela antecipada) que a Justiça Federal havia concedido para que esse tipo de teste não fosse obrigatório no Estado de São Paulo. No momento, o condutor deve cumprir a exigência porque o sistema federal de habilitação vai impedir a emissão de CNHs nas categorias C, D e E se não constar a aprovação no exame toxicológico, que deverá ser feito diretamente na rede de coleta credenciada aos laboratórios homologados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O teste é feito mediante a coleta de cabelo, pelo ou unhas com o objetivo de detectar o consumo de substâncias psicoativas que comprometam a capacidade de direção. O resultado precisa dar negativo para os três meses anteriores ao teste, pois a janela de detecção é de 90 dias. O 1º passo é o cidadão escolher o laboratório credenciado na sua cidade ou região. Como são

estabelecimentos comerciais, as empresas seguem a livre demanda de mercado e a legislação federal veta tabelar o preço a ser cobrado por elas (o custo varia entre R$ 295 e R$ 380). A relação da rede de coleta credenciada pode ser consultada no site do Denatran, no seguinte link: http://www.denatran.gov. br/toxicologico_novo.htm. Com o laudo do resultado em mãos, o condutor poderá agendar a ida ao Detran e seguir o procedimento padrão para renovar a CNH ou mudar para a categoria pretendida. Esse laudo deverá ser apresentado no momento do comparecimento ao posto do Detran e ao médico credenciado para avaliar os candidatos à habilitação. Quem for reprovado e ficar impedido de tirar a CNH terá de esperar três meses, contados da data de realização do exame, para fazer um novo teste. O motorista que não quiser realizar o exame toxicológico tem a opção de pedir o rebaixamento da categoria ao Detran, retornando para a CNH B, que dá o direito de dirigir automóvel com peso bruto total de até 3,5 mil quilos e com lotação de até oito lugares, excluído o motorista. A solicitação só pode ser feita antes de ser submetido ao teste. Em Presidente Venceslau, apenas o Laboratório Diagnose, até o momento, está habilitado a realizar o exame.

Serviço: O Laboratório Diagnose está localizado na avenida Princesa Isabel, 465 - Centro de Presidente Venceslau. O telefone é o (18) 3272 7124. 54 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Saúde

Por Dr. Leonardo Oliva Gonini

Cardiologista membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Área de Atuação em Ecocardiografia. Preceptor da Residência Médica de Cardiologia no HRPP. Atende na Clinica Cardiosafety em Presidente Venceslau e na Clínica Cuore Cardiologia em Presidente Prudente.

Morte Súbita em Atletas

U

m dos grandes desafios na área da Cardiologia e Medicina do Esporte diz respeito à morte súbita relacionada com a atividade física. Esse evento é extremamente dramático e trágico, especialmente, quando ocorre em atletas (amadores ou profissionais) que, teoricamente, deveriam ser considerados verdadeiros modelos de saúde.1 A morte súbita relacionada ao exercício é considerada quando o evento fatal ocorre durante atividade física e até uma hora após o seu término. 3 Um levantamento realizado pelo Comitê Olímpico Internacional, entre 1966 e 2004, contabilizou mais de mil casos de morte súbita durante competições esportivas, em atletas com menos de 35 anos de idade. A causa mais comum de morte súbita em jovens com menos de 35 anos é a Cardiomiopatia Hipertrófica. (Veja tabela abaixo). É uma doença congênita e sua principal característica é o aumento da espessura de uma das paredes do coração, havendo um desarranjo das fibras musculares cardíacas. Dessa forma, pode ocorrer arritmias malignas, levando a perda súbita do nível de consciência e morte súbita. Tabela - Principais causas de morte súbita em atletas

Idade < 35anos Cardiomiopatia hipertrófica Idade ≥ 35anos Doença arterial coronária (doença do infarto agudo do miocárdio)

Adaptado: Herz Sports and Sudden Cardiac Death in Athletes.Can It be Prevented by screening. Ghorayeb e cols.62. 1.

Os indivíduos com Cardiomiopatia Hipertrófica podem ser totalmente assintomáticos ou apresentar tonteiras, perda do nível de consciência (especialmente relacionadas com o exercício) falta de ar

anormal, palpitações e dor no peito. 3 O diagnóstico desta doença é baseado no ecocardiograma, embora o eletrocardiograma possa também apresentar alterações da patologia. 3 Como na maioria das vezes a morte súbita é a consequência de uma arritmia cardíaca, esta pode ser revertida com a utilização precoce de um desfibrilador elétrico e manobras de ressuscitação. Daí a importância de que em todos os locais onde se pratiquem atividades esportivas, não só nos estádios, devam existir esses equipamentos e equipes treinadas para sua utilização até a chegada do socorro avançado (a esta ação dá-se o nome de ressuscitação cardiopulmonar). No intuito de prevenir a ocorrência da morte súbita em atletas, surgiu a avaliação clínica pré-participação (APP) para atividades físico-esportivas, que consiste em uma avaliação médica sistemática, uniformizada, capaz de abranger a ampla população de esportistas e atletas antes de sua liberação para treinamento físico. A sociedade brasileira de cardiologia e a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte dividem os indivíduos a serem avaliados nos seguintes grupos: - Grupo esportista: adultos que praticam atividade física de maneira regular, de moderada a alta intensidade, competindo eventualmente, porém sem vínculo profissional com o esporte. O ideal é que todos deste grupo sejam submetidos,

obrigatoriamente, a um exame médico que permita a detecção de fatores de risco, sinais e sintomas sugestivos de doenças cardiovasculares, pulmonares, metabólicas ou do aparelho locomotor. 1 - Grupo atletas: indivíduos que praticam atividade física de maneira regular e profissional, competindo sistematicamente, com vínculo profissional com o esporte por meio de clubes e/ou patrocinadores. Sempre na busca da superação de limites e recordes, submetendo-se frequentemente a cargas de treinamento de altíssima intensidade, que os colocam sob estresse físico e psíquico intenso, com consequências frequentemente danosas. - E um terceiro grupo contemplando crianças e adolescentes e ainda para-atletas ou atletas portadores de necessidades especiais 1. Nesta avaliação médica devem ser considerados vários aspectos do exercício, como intensidade, frequência, volume de treinamento, etc. É de fundamental importância que atletas e treinadores tenham o bom senso de buscar avaliação médica especializada para prevenirem tal fatalidade. E com relação ao salvamento destes atletas que sofrem a morte súbita, cabe a conscientização dos responsáveis por eventos esportivos ou pelos locais de treinamento, implementar desfibriladores elétricos e capacitar a comunidade presente para ressuscitação cardiopulmonar.

Bibliografia: 1 - Ghorayeb N., Costa R.V.C., Daher D.J., Oliveira Filho J.A., Oliveira M.A.B. et al. Diretriz em Cardiologia do Esporte e do Exercício da Sociedade Brasileira de Cardiologia e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Arq Bras Cardiol. 2013;100(1Supl.2):1-41 2 - Taylor AJ, Roban KM, Virmani R. Sudden cardiac death associated with isolated congenital coronary artery anomalies. JAAC. 3 - Aurélio Brazão M., ARTIGO DE REVISÃO Cardiomiopatia hipertrófica, atividade física e morte súbita., Rev Bras Med Esporte _ 2002, Vol. 8, Nº 1 - Jan/Fev,

EM FRENTE AO PARQUE DO POVO Av. Quatorze de Setembro, 2.270-A Presidente Prudente - SP Tel.: (18) 3222-0048 - www.cuorecardiologia.com.br

Rua Emiliano Vilanova, 66 Presidente Venceslau - SP Tel.: (18) 3272-2120 - www.cardiosafety.com.br Revista FOCO | junho/julho 2016 | 55


Por Dra. Liléa Fernanda Gonçalves Répelli

Saúde

Dermatologista CRM: 125-598

O frio e o Peeling

O

inverno é a melhor época para fazer tratamentos de renovação celular, como os peelings químicos. Eles são um tipo de procedimento capaz de corrigir marcas, manchas e muitas das alterações decorrentes do envelhecimento. Além disso, melhoram a aparência e a qualidade da pele. Com a ausência do sol forte durante a estação fria do ano, fica mais fácil clarear essas manchas e reduzir pequenas imperfeições que, muitas vezes, são adquiridas no verão, pelo excesso de exposição à luz solar. Eles estão divididos em peelings químicos superficiais, médios e profundos, de acordo com o nível que atingem na espessura da pele. Isso determina uma menor ou maior renovação da derme. Saiba como são, para que servem e qual o melhor para o seu caso. Peelings Químicos Superficiais

São os que determinam uma aplicação sucessiva que pode variar de 7 dias a 1 mês; não necessitam de nenhum tipo de anestesia; as complicações médicas são raras e têm indicação nas peles com acne, alguns tipos de manchas leves e envelhecimento discretíssimo, que pode ocorrer já a partir dos 30 anos de idade. Durante a aplicação, no consultório dermatológico, pode haver um leve ardor tolerável e discreta vermelhidão, 56 | Revista FOCO | junho/julho 2016

dependendo da substância em questão. Nos 3 a 4 dias subsequentes, uma descamação aceitável, pode ser corrigida com hidratantes e o uso imperativo do filtro solar, elemento obrigatório na recuperação de todos os tipos de peeling. Peelings Químicos Médios

De aplicação mensal, podem necessitar algum tipo de anestesia, dependendo da tolerabilidade à dor de cada um - desde um creme anestésico, passado de 30 minutos a 1 hora antes da sessão. As complicações do método são também raras, mas pode haver um aumento das manchas ou vermelhidão prolongada da pele. Dermes que apresentam envelhecimento mais pronunciado, com sardas e manchas, se beneficiam muito desse tipo de peeling. A recuperação da pele, nesses casos, se dá, em média, em 10 dias, pois existe a formação de uma crosta de aspecto amarronzado, que se destacará nesse período e dará lugar a uma pele avermelhada, que paulatinamente retornará, em um mês, ao seu estado natural. Peelings Químicos Profundos

Sempre efetuados sob sedação, com algum tipo de anestesia local ou geral, são mais indicados para aquelas peles bem claras e que tenham um grau acentuado de envelhecimento e manchas, a partir dos 50 ou 60 anos de idade. O ideal é que sejam feitos com monitoração cardíaca da pessoa

que está sendo submetida ao peeling - pelas possíveis complicações com a absorção da substância que é utilizada sob oclusão, o fenol. Ele é aplicado sobre a pele e deixado com curativo por 24 a 48 horas, quando então é removido. Há inchaço e eliminação importantes de líquidos pela pele, seguidos por formação de uma crosta grossa e marrom que terá seu destacamento total numa média de 15 dias. Na sequência, uma vermelhidão ocorrerá por, no mínimo, de 2 a 3 meses após a realização do peeling. Com essas dicas você já está apto(a) a entender o que seu médico dermatologista terá a lhe oferecer como tratamento de pele e peeling químico neste inverno - momento ideal, pois os dias mais frios garantem uma recuperação mais rápida, com menos riscos de surgirem manchas e inchaço. Mas, atenção: somente o médico dermatologista, profissional em quem você deposita total confiança, pode ser o responsável pela melhor indicação e realização do seu tratamento. Serviço

Agende uma consulta e faça um tratamento especial de Peeling. Rua Regente Feijó, 81 - Centro Presidente Venceslau Fone: (18) 3271 1067


Dr. Vallentim Grion

CRO 85690 - Cirurgião Dentista Especialista em Implantes Dentários Membro da Academia Brasileira de Osseointegração Cirurgião Credenciado por Banco de Tecido Ósseo Cirurgião Credenciado pelo Sistema Nacional de Transplantes Diretor da Clínica Grion Odontologia

Saúde

Aprenda a escolher a escova de dente ideal

C

hegou a hora de trocar a escova dental. Mas quando você vai comprá-la surge sempre à mesma dúvida: entre tantas opções, qual é a melhor? Em primeiro lugar, a indicação da escova para cada consumidor deve atender às características bucais de cada um. Portanto, o produto ideal deve ser indicado pelo dentista. Dentre os prejuízos do uso da escova incorreta estão acúmulo de placa bacteriana e, consequentemente, a formação de tártaro e cárie. Para ajudar na difícil decisão, segue algumas dicas: • As cerdas devem ser sempre macias ou extra macias. A limpeza dos dentes acontece pela repetição de movimentos e não pela força, o que causaria danos à gengiva.

• Os cabos das escovas devem ser retos e/ ou com pequenas angulações. Evite os que são muito inclinados. • A cabeça da escova (cerdas) deve ser pequena ou média, variando de acordo com a arcada dentária da pessoa. O importante é que tenha acesso a todos os dentes, principalmente os do fundo. Escovas dentais com cabeça grande, identificadas com o n.º 40 ou mais, não devem ser usadas pela população em geral, pois dificultam a limpeza. • Diferentes alturas de cerdas são indicadas de acordo com as características bucais de cada um. • Consulte o seu dentista pelo menos uma vez ao ano.

Revista FOCO | junho/julho 2016 | 57


Educação e Cultura

Por Instituto Conhecer

ÉTICA: O melhor exemplo em casa e na rua!

“Nosso caráter é o resultado da nossa conduta”. (Aristóteles) Por Bruna Longobucco, com participação especial do adolescente e novo autor Sayd Alcantara.

S

e você pesquisar no “Google”, o que é tão comum para os estudantes nos dias de hoje, vai aprender que a palavra ética deriva do grego ethos, ou seja, significa caráter. Então, entendemos que a ética rege os princípios e valores de um indivíduo, de uma sociedade. Infelizmente, a falta dela também. Quando falo em meus artigos que a família deve estimular a leitura, já penso nos valores que a aprendizagem leva para alguém. Se uma criança amplia seus horizontes desde pequena, recebe estímulos de leitura e o empenho dos adultos por ela responsáveis e preocupados com sua educação, certamente será um ser humano melhor e mais preparado para o mundo. Pais, mães, tios, irmãos, avós, somos todos exemplos de moral e conduta. O que você faz e fala certamente sua criança vai copiar. A pessoa que devolve o troco que sobrou ou que volta para dar o que faltou, preocupada com o prejuízo do funcionário que a atendeu; a pessoa que devolve objetos perdidos, tantos os de valor como um simples documento; a que recusa uma proposta ilícita, ainda que vantajosa para si; nossa, essa pessoa é tão rara nos dias atuais que quando algo assim acontece ela se torna manchete de jornal. Precisamos refletir e, acima de tudo, TRANSFORMAR.

Sayd Alcantara, adolescente, e que aos 14 anos já tem um livro publicado (https://www. facebook.com/AutorSaydAlcantara), assim fala sobre a ética: “Na adolescência devemos escolher o que devemos ser e o que devemos seguir. Mas nada é feito sem uma influência, você vai preferir ser aquela pessoa que devolve o troco errado? A pessoa que encontra uma carteira com documentos na rua e fica com ela? Não é só uma questão de ‘nós mesmos’. E as outras pessoas em nossa vida? São duas portas, a falta de ética e ética... Qual porta você quer seguir quando está quase se tornando dono de si? A porta escolhida vai te definir para o resto da vida e sem volta. As escolhas da vida não têm volta. Ser antiético facilita muitas coisas, mas não é durável. Ser ético significa construir pedacinho por pedacinho da nossa caminhada, mas dura. Você precisa decidir se vai ser aquela pessoa que ajuda o próximo ou ser a pessoa gananciosa e mentirosa que faz tudo para vencer.” Então, vamos escolher o bem, vamos dar bons exemplos. É preciso reformular o comportamento de grande parte de nossa sociedade. Bom caráter não pode ser qualidade da minoria. Estamos carentes de respeito, carentes de princípios morais. Isso começa com você, aluno, olhando o seu colega do lado com um novo olhar: melhor, mais humano, mais ético. Isso sim é promessa de um futuro melhor para todos nós.

Bruna Longobucco é escritora independente há 12 anos com 14 livros publicados, advogada e revisora de texto. E escreve neste artigo pelo Instituto Conhecer. www.brunalongobucco.com.br

58 | Revista FOCO | junho/julho 2016


Revista FOCO | junho/julho 2016 | 59


OFEREÇA O MELHOR PARA SEUS FILHOS

Use o “QR Code” no aplicativo do seu smartphone e acesse nosso site: www.colegiosaopaulo.com

Agora com o novo programa de ensino

educação infantil ensino fundamental i e ii

inteligência

ensino médio

POSITIVO

curso pré-vestibular

Educação Socioemocional

W

Metodologia Dr. Augusto Cury

MATRÍCULAS ABERTAS Pres. Venceslau

Pres. Venceslau

Unidade I: Rua Prudente de Moraes, 826 (18) 3271-4908

Unidade II: Rua Princesa Isabel, 230 (18) 3272-1292

Pres. Epitácio Rua Curitiba, 8-70 (18) 3281-2344

O

W

W .C

M

escola da

OL

E GIO

SAO

L PA U

O.

C

/COLÉGIO SÃO PAULO Pres. Prudente

Dracena

Rua Dr Gurgel, 840 (18) 3221-3244

Av. Orlando Frucchi, 351 (18) 3822-6515

Revista Foco Edição Junho/Julho 2016  

Nesta edição destacamos o crescimento do mundo pet no Brasil. Reportagens especiais sobre raças valiosas como o Lulu da Pomerânia, além de...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you