Page 1

Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 1


2 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 3


4 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 5


6 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 7


8 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 9


Expediente

H

á quase quatro décadas o mês de agosto é especial para a população venceslauense. Isso em função da realização da Feira Agropecuária e Industrial de Presidente Venceslau, a tão aguardada Faive. Para nós da equipe da Revista Foco, agosto é sempre sinônimo de muito trabalho. Estamos na terceira edição de um exemplar especial da Faive. Todas foram muito trabalhosas, mas a edição deste ano teve um desafio ainda maior. Não foi tarefa fácil conciliar o trabalho de direção desta publicação com a presidência da Faive. Vivi momentos de muita correria, trabalho que não acabava nem de dia, nem de noite. Uma parte está concluída com a entrega desta revista. Procuramos manter a tradição da Foco com matérias especiais, relatos de histórias de pessoas que superaram obstáculos para alcançar metas. Uma dessas é a reportagem com a Tenente PM Mayara. Ela é venceslauense e a segunda oficial da Polícia Militar a assumir a função de piloto policial de helicóptero no Estado de São Paulo. A matéria é uma reprodução de um belo conteúdo publicado pelo site G1 de Presidente Prudente com texto de Stephanie Fonseca. Como não poderia faltar, destacamos o conteúdo especial da Faive, e na capa, o fenômeno Wesley Safadão. Como presidente da festa, digo que a repercussão da vinda do artista para Presidente Venceslau foi muito grande, e projetou o nome da Feira novamente para a região, e este é motivo do cantor estar na capa desta edição. Apresentamos ainda matérias de saúde, beleza, e toda linha editorial que é sucesso nesses quase três anos de existência da Foco. Quando terminei de escrever esta carta, estava vivendo a expectativa da chegada da Faive. A ansiedade é grande, e conto com a energia positiva de todos para o sucesso do evento.

CNPJ 19.899.613/0001-30 R. Davina Leal Pereira, 282 Jd. Arantes - Presidente Venceslau/SP Fone: (18) 3272 1625 grupowbcomunicacao@gmail.com @Rev.Foco

Direção Geral: Wagner Bueno Direção de Arte e Diagramação: Grupo WB Comunicação Direção de Fotografia: Fábio Guedes Assistente de Jornalismo: Aline Camargo Colaboração: Estevão Salomão Jornalista Responsável: Nathália Augusto Oliveira Bueno MTB: 49.518/SP Tiragem: 1500 exemplares Circulação: Presidente Venceslau, Presidente Epitácio, Santo Anastácio, Presidente Prudente, Piquerobi, Caiuá, Marabá Paulista. *As opiniões expressas nos artigos assinados, publicidade e informes publicitários são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Produção:

Abraços e até a próxima edição. Wagner Bueno. Use o QR Code e leia a Revista Foco pela internet 10 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 11


12 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 13


Gente em Foco

Venceslauense é única mulher a pilotar o helicóptero Águia no Oeste Paulista Tenente Mayara é a segunda oficial da Polícia Militar a assumir a função no Estado de São Paulo. Texto: Stephanie Fonseca G1/Presidente Prudente

D

ois mundos que se uniram com o propósito de ajudar e que despertam a admiração de quem os observa. A Polícia Militar e o Grupamento de Radiopatrulha Aérea (GRPAe), chamado rotineiramente apenas de Águia, juntos, servem e protegem a população. E essa união trouxe para o Oeste Paulista a segunda mulher na função de piloto da PM do Estado de São Paulo, a 1º tenente Mayara Roberta Mieko Tanaka de Moraes, natural de Presidente Venceslau, que ingressou na corporação por incentivo do pai e que conheceu 14 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

na prática a contribuição que o pássaro de metal dá aos agentes em solo. Ela também é a primeira e única na Base de Radiopatrulha Aérea (BRPAe) com o hangar em Presidente Prudente. “Eu entrei na polícia e na polícia eu acabei conhecendo o Grupamento Aéreo e olhei assim ‘Caramba, dá para tentar. Por que não?’”, recordou. Na época em que Mayara tentou, não havia nenhuma mulher ainda. “Aí pensei: ‘Não é porque não tem nenhuma mulher, que não possa ter mulher. Pode ter mulher!’. Aí na época a gente já vinha prestando, outras oficiais também, e aí deu certo”, disse.

A oficial entrou na segunda turma com mulheres do GRPAe. “Sou a segunda mulher. Tem a primeira mulher, que é a tenente Lara [Lara Carolina Palhiari Duarte], e em seguida eu passei”, salientou Mayara. “Ela prestou o concurso antes e não passou, aí nós prestamos juntas, um ano depois, aí ela passou e eu não passei. Aí no próximo ano eu prestei e passei. Aí depois disso já tem mais duas. No total, nós somos em quatro”, contou a oficial. “O começo é difícil, não pela recepção, nós não tivemos problemas quanto a isso, o respeito, sempre teve”, disse. “Mas a gente se cobra bastante, por ter começado,


é uma coisa nova, então a gente se cobra para que a gente faça tudo correto, para que a gente não estrague aquilo que a gente tentou tanto fazer”, afirmou. Tudo foi novo também para Mayara. “A primeira vez eu falei: ‘Acho que não vou conseguir não’ (risos). É bem difícil, é muita coisa, é um mundo totalmente diferente… A aviação é um mundo à parte”, contou. “Quando você entra na aviação, você fala: ‘Eu tenho que aprender tudo sobre aviação’, a forma como fala, a forma como tudo acontece é diferente, e para mim foi um choque. Falei ‘Caramba, é tudo muito diferente. Tem que aprender, tem que começar tudo de novo’. No começo eu achava que não ia dar, e falei: ‘Acho que isso aqui vai ser muito difícil’ (risos), mas você vai estudando, vai voando, vai aprendendo, aí vai ficando um pouco mais fácil”, lembrou. Tenente Mayara é a única mulher na Base de Radiopatrulha Aérea de Presidente Prudente Foi em 2015 que a Base de Radiopatrulha Aérea de Presidente Prudente recebeu na equipe a primeira mulher. A oportunidade “calhou” para a tenente, já que ela e sua família são da região, e seus pais residem em Presidente Venceslau. A oficial está no Grupamento Aéreo desde outubro de 2013. Mayara faz o horário regular das 7h às 19h e durante esse período, junto aos colegas de profissão, fica à disposição das ocorrências que possam acontecer na área do Comando de Policiamento do Interior 8 (CPI-8), que atende 54 municípios. “A gente nunca sabe o que pode acontecer. O pessoal da sala de rádio fica copiando as ocorrências dos três batalhões [18º, 25º e 42º BPM/I] e a gente vai apoiar, conforme a necessidade”, relatou. Entre as atuações do Águia, estão fatos como salvamentos, apoio a combate a incêndio e apoio às viaturas em terra em Presidente Prudente, que é a maior cidade da região e onde também tem a maior concentração de ocorrências, segundo a tenente. “Tem dias com bastante e tem dias que são mais tranquilos. Então, não tem uma regra, às vezes a gente é surpreendida”, colocou. O céu do Oeste Paulista não é a primeira área em que a tenente atua. Antes de voltar para a região natal, a oficial estava na capital paulista. Toda a formação como piloto – o curso teórico e a instrução prática – é feita no Grupamento Aéreo, em São Paulo (SP). Foi lá que Mayara se formou e também trabalhou por um tempo, até seguir para Presidente Prudente.

Apesar de ser piloto, a gente não deixa de ser policial. A gente faz as duas coisas e as duas coisas acontecem ao mesmo tempo” Tenente Mayara No Estado de São Paulo existem 11 bases, incluindo a capital, sendo assim, os policiais, além de trabalhar na cidade de São Paulo, precisam atuar em outras unidades para adquirir conhecimento e experiência. “Aí acabou calhando, né? Como eu sou daqui, minha família é daqui, falei: ‘Ah, vou trabalhar numa base, então vou trabalhar em Presidente Prudente’. “Então, para mim ficou confortável essa situação de vir trabalhar aqui, de já conhecer a cidade, conhecer a região, minha família ser daqui. Por isso que eu escolhi”, contou Mayara. Entretanto, apesar da formação, assumir o controle do Águia tem algumas exigências, entre elas, um determinado número de horas de voo. Com isso, a tenente explicou que ainda exerce a

função de copiloto. “Hoje sou formada piloto comercial, mas sou copiloto, porque para nós, a gente precisa de ao menos 500 horas para assumir o comando da aeronave e a gente precisa também de um treinamento específico”, esclareceu. A oficial acrescentou que “toda a formação, desde as primeiras instruções, até chegar ao comando da aeronave, vai em torno de três a quatro anos. Mas é o treinamento completo”. “No caso, eu estou em fase de treinamento ainda, porque eu sou copiloto. Estou com mais ou menos 360 horas, mais 140 horas eu já sou habilitada a fazer a instrução de voo avançado, que aí são algumas missões específicas que a gente precisa fazer, missão com rapel, missão de incêndio, e isso a gente precisa treinar. Pra gente chegar até esse ponto, tem de ter uma experiência prévia, principalmente na área do voo. Então a gente vai voando como copiloto, adquirindo experiência, para depois conseguir fazer as avaliações, as instruções”, relatou Mayara. Dois mundos

A Polícia Militar e a aviação “são mundos distintos, mas um não deixa o outro deixar de existir. Eles coexistem, os dois mundos”. “Então a gente tem que aprender sobre aviação, mas a gente continua na Polícia Militar, continua fazendo bastante serviço administrativo, o serviço operacional é praticamente o mesmo, com a diferença de que a gente inclui a aeronave”, salientou a tenente. “Vamos ao apoio das viaturas nas ocorrências da mesma forma. Então, a experiência como policial é imprescindível

Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 15


Gente em Foco

para que a atividade aérea consiga cumprir o papel. A gente precisa da experiência anterior pra poder exercer, apoiar, saber como melhor apoiar o policial que está ali na rua”. Já dentro da corporação foi que Mayara conheceu o grupamento. “O que me chamou atenção foi que quando eu trabalhava na viatura, lá na rua, eu solicitava apoio do Águia. O Águia ia, ajudava, era efetivo e todos os policiais falavam: ‘Caramba, mas que legal! A gente consegue resolver o problema, com o apoio deles a gente consegue enxergar melhor aqui a ocorrência’ e eu fiquei meio maravilhada. Falei: ‘Poxa, que legal. É uma ferramenta a mais que a gente tem”, relatou. Então, veio o interesse. “Falei: ‘Ah, por que não? Vou tentar. Vou fazer o concurso e ver se dá certo’. Porque se a gente não tentar a gente nunca vai saber se vai dar certo. Mas eu admirava. Admirava como eles trabalhavam, admirava como as ocorrências podiam ser melhor resolvidas com o apoio do Águia e isso me motivou a tentar”, destacou Mayara. “A importância da viatura é a mesma da importância do helicóptero, só que um complementa o outro. Às vezes a gente consegue uma visão mais ampla do local da ocorrência e isso ajuda o policial que tá lá embaixo. Então acho que os dois 16 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

se complementam. Enxergar onde eles não conseguem”, declarou a tenente. Marcas

A oficial declarou que as ocorrências mais marcantes com o helicóptero são as que envolvem o resgate de pessoas em situação de risco. Na região de Presidente Prudente, há pouco tempo, um salvamento repercutiu bastante e a tenente Mayara estava lá. “Um senhor foi ali perto de Panorama pescar. Ele tinha uma deficiência na perna e estava sozinho no barco”, lembrou. Ele entrou no meio da vegetação e o barco ficou preso. “Ele ficou lá, perdido”. Entretanto, o homem tinha um celular e conseguiu chamar socorro. “E aí não tinha acesso. Ninguém conseguia enxergálo, porque a vegetação estava densa e ele ficou meio escondido, então para chegar de barco seria difícil e ele não conseguiria sair de lá. A gente foi com a aeronave, fez o sobrevoo no local, conseguiu enxergá-lo e fez o salvamento”, contou. Carreira

Em 2005, aos 17 anos, Mayara ingressou na Academia da Polícia Militar do Barro Branco (APMBB), pela influência do pai, que também foi policial na década de 90 e saiu da função para trabalhar no Japão. “Ele sempre

comentava como era o serviço na polícia e isso influenciou. Tanto que sou tenente e meu irmão também. Então nós dois seguimos a carreira que seria do meu pai”, contou. Quando se formou, em 2008, a tenente Mayara passou a trabalhar no 18º Batalhão da Polícia Militar do Interior (BPM/I), em Presidente Prudente, e um ano depois seguiu para o 42º BPM/I, em Presidente Venceslau. Logo depois, a oficial se casou e se mudou para Jundiaí (SP), cidade de seu esposo, onde trabalhou de 2010 até 2013, quando prestou um novo concurso dentro da corporação. “Acho que o maior incentivo é a gente fazer bem feito, tentar fazer o melhor que a gente consegue daquilo que a gente gosta e, independentemente, se você faz parte da maioria ou de uma minoria, isso não faz nenhuma diferença”, destacou. Para a oficial, o que faz a diferença “é o profissionalismo”, ou seja, “a pessoa fazer o que gosta, fazer bem feito, tomar as decisões corretas, independente se é mulher, se é jovem, isso não importa”, pontuou. “O que importa mesmo é que, quando você faz bem feito e faz o que gosta, você tem o respeito das outras pessoas, você tem o retorno, então acho que isso é o mais importante”, finalizou a tenente.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 17


18 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Comportamento

Duração de licença-paternidade reforça desigualdade na criação dos filhos

A

imagem de um pai participativo ainda causa estranhamento na sociedade brasileira. Homens que cuidam da casa, dos filhos e dos interesses particulares chegam, muitas vezes, a ganhar espaço na mídia como exemplos por desenvolver tarefas que, em geral, fazem parte da rotina das mulheres. O desempenho desses papeis faz parte da cultura e está, inclusive, nas leis. Uma das regras que expressam essa diferença é a licença-paternidade. Enquanto as mães com carteira assinada têm entre quatro e seis meses garantidos para se dedicar à criação dos filhos, a maior parte dos pais na mesma situação de emprego conta com apenas cinco dias. “Já é um recado de que quem tem que cuidar é a mãe. Isso faz com que a maioria das famílias já se configure a partir disso e não questione essa desigualdade, inclusive porque, muitas vezes, elas não têm capacidade, até financeira, de fazer diferente”, diz Roger Pires, jornalista, realizador audiovisual e pai de Lourenço, de 1 ano. Participante do Movimento Paterno, grupo que reúne pais em Fortaleza, ele lançou o curta “5 dias é pouco”, feito para reivindicar o aumento da licença-paternidade no Brasil. O grupo considera que o tempo maior de afastamento do trabalho é um direito do pai, dos bebês e das mães.

De acordo com a Constituição Federal, o prazo da licença-paternidade é de cinco dias. Antes da aprovação da Carta Magna, valia o disposto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que desde 1967 inclui no rol dos direitos trabalhistas a possibilidade de o empregado não comparecer ao trabalho, sem prejuízo do salário, por um dia, em caso de nascimento de filho. A defesa da divisão igualitária da tarefa de cuidar de uma criança levou a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) a propor o compartilhamento da licença-maternidade entre pai e mãe, com a divisão dos dias de afastamento. A proposta de emenda à Constituição (PEC) 16/2017 altera o Artigo 10 do Ato das Disposições Constitucionais e Transitórias da Constituição Federal para incluir a possibilidade de a licença ser exercida em “dias correspondentes aos da licença-maternidade, quando a fruição desta licença poderá ser exercida em conjunto pela mãe e pelo pai, em períodos alternados, na forma por eles decidida”. Um dos argumentos para a mudança é a maior participação das mães no mercado de trabalho hoje. A PEC foi remetida à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado e, desde abril, aguarda a designação de um relator. A proposta busca refletir mudanças

no mundo do trabalho, destacadamente a maior participação das mulheres no mercado, e tem como base a experiência de diversos países. Segundo os argumentos da PEC, o compartilhamento da licença é adotada, por exemplo, na Noruega, na Suécia, na Finlândia e na Espanha. Servidores públicos

A luta pela ampliação da licençapaternidade tem causado alterações normativas. Desde maio de 2016, servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais passaram a contar com mais 15 dias de licença, além dos cinco assegurados pela Constituição Federal. A regra vale, inclusive, para quem adotar ou obtiver guarda judicial de criança de 0 a 12 anos incompletos. Com a mudança em nível federal e a mobilização de pais e mães, diversos estados têm ampliado a discussão sobre esse direito. No Distrito Federal, o governo estabeleceu o Programa de Prorrogação da LicençaPaternidade também no ano passado, estabelecendo que os servidores públicos têm direito a 30 dias de licença-paternidade. No Rio de Janeiro, uma emenda constitucional aprovada pelo Legislativo em 2015 ampliou o afastamento de pais Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 19


Comportamento

servidores do estado para o prazo de 30 dias. O mesmo período foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Ceará, para o caso de servidores civis e militares, na forma de indicação. Para virar lei, é preciso que o governo estadual elabore e os deputados aprovem projeto de lei acatando a indicação. Já em Minas Gerais, funcionários do Legislativo têm até 15 dias de licença. Em Mato Grosso do Sul, servidores do Tribunal de Justiça têm 20 dias. Iniciativa privada

Com a aprovação do Marco Legal da Primeira Infância, em março de 2016, foi alterada a lei que criou o Programa Empresa Cidadã, inicialmente voltado para estimular a adoção de licença-maternidade de seis meses por parte da iniciativa privada. Com o marco, trabalhadores de empresas que façam adesão ao programa passaram a ter 20 dias de licença, a exemplo do que ocorre com os servidores. Em troca, a companhia tem isenção de impostos. Para usufruir desses direitos, os pais devem requerer a ampliação em até dois dias úteis após o parto e comprovar participação em programa ou atividade de orientação sobre paternidade responsável. Essa participação foi objeto de nota técnica do Ministério da Saúde, lançada no início deste mês de 20 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

agosto. Nela, o órgão sugere que a realização do pré-natal do parceiro, a participação nas atividades educativas durante o pré-natal e/ ou visitas à maternidade sejam consideradas atividades de orientação sobre paternidade. Do mesmo modo, a comprovação poderá ocorrer por meio da participação no curso online Pai presente: cuidado e compromisso, que é gratuito. “Exercer o direito à licençapaternidade e apoiar a parceira são muito importantes para o sucesso do aleitamento materno, para compartilhar entre o casal os prazeres e os afazeres relacionados à chegada do bebê e para gerar vínculos afetivos saudáveis e maior qualidade de vida para todos. A participação do pai no pré-natal e nos cuidados com a criança após o nascimento também pode contribuir para diminuir a violência na família e o abandono do lar”, destaca a nota. Tanto no caso dos servidores quanto das pessoas que trabalham na iniciativa privada, os pais têm o direito de receber remuneração integral, ao longo da licença. Eles ficam proibidos de exercer atividade remunerada. O desafio, agora, é ampliar o conhecimento sobre esse direito e a adesão das empresas ao programa. Profissionais autônomos

A experiência de criação de Lourenço,

ao lado da companheira, a assistente social Samya Magalhães, e a participação no grupo Movimento Paterno mostrou para Roger que mesmo os 30 dias são poucos para uma divisão efetiva da tarefa do cuidado, para a adaptação à nova vida e mesmo para o acompanhamento de uma fase muito delicada, o puerpério, quando o corpo da mulher passa por intensas transformações. “Trinta dias não cobrem sequer o resguardo”, afirma. Como autônomo, o rendimento depende da produção, por isso foi preciso adaptar a rotina de trabalho do Coletivo Nigéria, do qual participa. Enquanto os outros integrantes do grupo se dedicavam às atividades externas, ele se dedicou à elaboração de projetos e outras tarefas que podiam ser feitas de casa, muitas vezes na madrugada. “A licença-paternidade é para quem tem Carteira de Trabalho. Para muito pai autônomo é pior ainda, porque a pessoa deixa de trabalhar e de ganhar. Seria legal uma renda mensal, básica, para que essa pessoa pudesse deixar de trabalhar mesmo”, defende. Para ele, “se a sociedade tivesse o cuidado de esperar um pouco o primeiro ano, os primeiros meses, a gente teria pais e mães apoiados, bebês mais cuidados, com mais saúde, e isso iria se refletir em toda a sociedade”.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 21


Entrevista

Do Miss São Paulo a trabalhos internacionais: conheça a carreira da modelo prudentina Mariana Menotti

China, México e São Paulo foram alguns dos destinos escolhidos pela modelo para a realização de diferentes trabalhos.

Por: Estevão Salomão Fotos: Cedidas/Arquivo Pessoal

M

odelo e jornalista, a prudentina Mariana Menotti Aguilera, 27, descobriu desde cedo o perfil e a vocação para a área da moda. Destaque em diferentes passarelas do Brasil, Mariana já disputou importantes títulos ligados ao mundo fashion. Em 2014, a modelo participou do concurso Miss São Paulo, onde pôde representar toda região do interior paulista. Além disso, diferentes participações em ensaios fotográficos no Brasil e em países do exterior contribuíram ainda mais para a carreira da modelo. A Revista Foco traz uma entrevista completa, abordando as principais conquistas, desafios e gratificações de sua profissão. Confira! 22 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Quando e como você descobriu a profissão de modelo?

Quando eu tinha 12 anos, era muito magra e alta e isso era motivo de piada na escola. Como sempre gostei do mundo da moda minha desculpa era falar que eu era modelo. De tanto falar isso acabei gostando da ideia e investindo na carreira.

Com quantos anos começou a carreira de modelo?

Com 13 anos eu entrei na agência AZ Models de Presidente Prudente. Como todo começo de profissão é difícil, de uma modelo não seria diferente. Participei de vários trabalhos na região, concurso e testes nas agências de São Paulo. Os “nãos” são frequentes e precisamos aprender a lidar com essa situação. Quando completei 18 anos fiz um novo material na agência AZ e consegui meu

Consegui ficar entre as dez no Miss São Paulo. Foi incrível!” Mariana Menotti.

primeiro contrato internacional. Isso mesmo, eu nunca tinha saído de Prudente nem mesmo para morar em São Paulo, e de repente estava embarcando pra Beijing na China. Minha primeira temporada na China foi de 6 meses onde fiz muitos trabalhos importantes entre eles 3 capas de revistas, uma delas com editorial interno de 38 paginas. Esse editorial com certeza marcou toda minha carreira

como modelo, lembro que naquele dia estava nevando e a sensação era de -20º as fotos foram realizadas na rua e eu estava apenas de vestido. Outro trabalho importante foi um editorial para marcas como Hugo Boss e Prada. Todo esse material enriqueceu muito meu trabalho, quando voltei para Prudente já tinha novas propostas de viagens e acabei voltando para China outra vez. Também morei em São Paulo e no México. Lembro que quando surgiu a primeira oportunidade de viagem eu já estava matriculada na faculdade isso em 2008, e eu larguei tudo para seguir a profissão. Em 2014, você participou do Miss São Paulo. Como foi esta experiência?

mais

Nossa, o Miss São Paulo foi uma surpresa. Representei Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 23


Entrevista

Presidente Prudente ficando entre as 30 semifinalistas de 180 meninas. Fui para final ao vivo na Band transmitida para o Brasil inteiro. Consegui ficar entre as 10. Sou extremamente grata até hoje por todos os meus parceiros, que me apoiaram e não mediram esforços. O Miss São Paulo foi uma experiência única que é muito diferente de tudo o que já vivi. Quais as experiências marcantes, proporcionadas profissão?

mais pela

Morar fora do seu país, conhecer culturas diferentes, sair na capa de uma revista do outro lado do mundo, autografar essa revista para os chineses (risos), isso não tem preço. Como é bom ser reconhecida pelo seu trabalho. Foram 5 anos de lutas e melhoras para começar aparecer os resultados, essa é a parte mais marcante da vida de uma modelo.

Atualmente, qual é o principal desafio para a carreira?

O principal desafio é o de se manter sempre bem, saudável, bem com o corpo e com mente para continuar no ramo. Ser

modelo,

para

24 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

muitos,

Morar fora do seu país, conhecer culturas diferentes, sair na capa de uma revista do outro lado do mundo, autografar essa revista para os chineses (rsrs) isso não tem preço” Mariana Menotti.

é sinônimo de glamour, beleza e elegância. Quais dessas características você deixa entrar na sua rotina diária?

Costumo dizer que por trás do glamour tem muita coisa, as pessoas olham as campanhas, os comerciais e nem imaginam como foi todo o processo

para esse resultado final. A beleza é fundamental para uma modelo, não só a física mas também a beleza que vem de dentro para fora. Uma modelo que passa segurança no olhar e nas suas atitudes com certeza é a modelo que se destaca. Elegância faz parte da minha rotina diária sem dúvidas, uma boa modelo sabe se portar em qualquer situação. O que não é glamoroso na vida de uma modelo?

O glamour fica de lado no sapato dois números a menos do seu, nas horas e horas sem comer, na campanha de verão que é fotografada no inverno ou vice versa, nos calos dos pés, nas câimbras na panturrilha, em horas e horas repetindo uma gravação para dar certo, nas pessoas que não consideram modelo como uma profissão e não um hobby. Quais as dicas para aqueles que querem iniciar a carreira como modelo?

Persistência. Se você quer mesmo , persista e acima de tudo melhore. Se esforce, mude e faça acontecer. Muitas vezes escutamos para emagrecer, cortar o cabelo, melhorar a pele, entre tantas outras coisas. Busque sempre o seu melhor e nunca desista.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 25


Negócios e Finanças

Lançamento do Residencial Matarazzo é sucesso em Venceslau

Leonildo Salvador (centro), empresário que reside na cidade de Bady Bassitt apresentou o projeto do empreendimento ao lado da família. Ele agradeceu o empenho incondicional de Paulo Melo na execução do projeto em Venceslau.

Evento marcou o início oficial das vendas do residencial na cidade Por Wagner Bueno Fotos: Fábio Guedes

N

a noite do último sábado do mês de julho, dia 29, foi realizado um coquetel de lançamento do Residencial Matarazzo no salão de festas do Coroados Tênis Clube de Presidente Venceslau. Na ocasião, o proprietário Leonildo Salvador recebeu amigos, familiares e clientes e apresentou o projeto do loteamento que abrange uma área de 121 mil m² com 154 lotes sendo 97 no Residencial Village Matarazzo (condomínio fechado) com tamanho médio de 400 metros quadrados e 57 lotes no Residencial Aberto e Comercial, sendo que o menor lote chega a ter 254 metros quadrados. No condomínio fechado serão dois acessos, o principal, com duas entradas e saídas de veículos pela avenida Princesa Isabel, e a portaria de serviços, com acesso pela avenida João Pessoa. Na parte interna do condomínio, além de salão de festas e espaço gourmet, estão incluídas uma quadra poliesportiva e uma quadra de society. O condomínio 26 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

terá segurança 24 horas, monitorada por câmeras. O projeto é ousado e promete inovar o setor imobiliário de Presidente Venceslau com alto padrão de estrutura e investimento. As obras para execução de muros e implantação de galerias de rede de esgoto estão adiantadas e com previsão de entrega para dezembro deste ano. “Programei esse trabalho há mais de quatro anos em Presidente Venceslau e temos organizado uma estrutura diferenciada para garantir maior comodidade aos moradores do Residencial Matarazzo”, disse Leonildo Salvador. Serviço

Os interessados em adquirir um lote podem ir até o escritório do residencial na avenida Dom Pedro II, 103, ou entrar em contato pelo telefone (18) 3271-1770. Ou ainda nas imobiliárias I9, GR, Habitacional e Objetiva para saber mais informações.


CONFIRA FOTOS DO COQUETEL DE LANÇAMENTO

Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 27


de

ve n

da

s

no

e nto d an me 017 r G ça /2 n 7 La 9/0 2

lo ca l

CONFIRA FOTOS DO COQUETEL DE LANÇAMENTO

Pl an

tã o

TIVA

RESIDENCIAL

Matarazzo VILLAGE

28 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


RESIDENCIAL

Matarazzo VILLAGE A felicidade mora aqui! FINANCIAMENTO PRÓPRIO

(Village: Em até 60 meses) (Residencial Aberto: Comercial e Residencial em até 150 meses)

PORTARIA

Local privilegiado para se viver bem com qualidade de vida, segurança e lazer Infraestrutura completa

ESPAÇO GOURMET

Asfalto Rede elétrica Rede de água e esgoto Galeria de água pluvial Portaria e muro com cerca elétrica Reservatório de água e poço próprio

Imagens ilustrativas

SALÃO DE FESTA

Plantão de vendas no local

(18) 3271-1770 (18) 99714-4546 (17) 99771-0382 PLAYGROUND e CAMPO SOCIETY

CRESCI/SP n° 85737 Escritório: Av. Dom Pedro II nº 103 - Centro Presidente Venceslau - SP Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 29


30 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 31


Capa

Wagner Bueno

e o desafio da Faive Presidente da comissão organizadora da Feira fala sobre os desafios, expectativas e atrações da maior festa de Presidente Venceslau e região, que chega em 2017 a sua 41ª edição

Por Eduardo Maduro Fotos: Aline Camargo e Thadeu Arias

E

m 2017, o principal evento da cidade retomou o formato dos tempos de glória, sem deixar de lado a política de oferecer entretenimento gratuito para a população local. A 41ª edição da Feira Agropecuária e Industrial de Presidente Venceslau, que ocorre no período entre 19 e 27 de agosto no recinto de exposições “Alfredo Ellis Neto”, oferece o que há de melhor nos segmentos da pecuária, agronegócio, comércio e lazer para os venceslauenses e pessoas da região. Com o jornalista Wagner Bueno à frente dos trabalhos desde maio, a comissão organizadora teve pouco mais 32 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

Todo mundo tem dentro de si aquilo que pensa sobre a Faive, que gostaria que acontecesse na Feira, que acha que é o correto, então todo mundo se sente um pouco dono da Faive” Wagner Bueno

de três meses para acertar os detalhes do evento. Envolvido com a Feira desde 2003, Wagner falou sobre o evento e contou um pouco sobre sua história na Faive. “Comecei a ter trabalhos realizados dentro da Feira em 2003, quando fazia a cobertura jornalística pela rádio Jovem Som FM. Logo me envolvi também com a parte de shows. Quando fazia as coberturas para a rádio, eu vivia a semana da feira. Chegava lá no recinto por volta das 9 horas da manhã e ficava até às 22 horas, fazendo a cobertura e boletins para a rádio de hora em hora. Convivi com o pessoal das barracas, com o pessoal do julgamento de gado, a expectativa e organização para o dia seguinte do evento,


Wagner Bueno e prefeito Jorge Duran durante entrevista coletiva para apresentação da comissão

mas a principal diferença que estou vivendo agora é que, além de organizar, tenho a oportunidade de viver a expectativa antes da Faive. Agora, eu vivo os meses antes do evento”, disse o presidente. Os desafios também fizeram parte da organização. Na entrevista, Bueno destacou o curto espaço de tempo para a realização do evento e pontuou isso como o principal desafio superado por sua equipe. “O tempo que tivemos para organizar o evento foi muito curto. A comissão assumiu em maio para fazer um evento em agosto. É muita correria e esse foi o principal desafio, pois além de ser a primeira Feira que estamos organizando (comissão com novos integrantes), temos um prazo muito curto. Para o ano que vem teremos um tempo maior para poder organizar, já que depois desta edição já pensaremos na de 2018 e contaremos com a experiência de ter realizado uma primeira Feira”, completou. Wagner conta que o convite para presidir a Feira partiu do prefeito Jorge Duran e depois de algumas conversas, resolveu aceitar. “Sempre gostei de encarar desafios e a Feira tem sido um desafio nível hard (risos)”, afirmou. A exemplo do discurso das comissões anteriores, o presidente ressaltou a importância da população venceslauense

para a realização do evento. “A Faive é de toda a comunidade, é um patrimônio da população de Venceslau. Todo mundo tem dentro de si aquilo que pensa sobre a Faive, que gostaria que acontecesse na Feira, que acha que é o correto, então todo mundo

A comissão tem um grupo muito unido. Todos os membros opinam e eu como presidente tenho apenas mais um voto nas decisões do grupo” Wagner Bueno

Grade de shows

Responsável por grande parte da repercussão do evento neste ano, a grade de shows chamou a atenção do público venceslauense e da região. Na entrevista, Wagner explicou como os nomes foram escolhidos e afirmou que o nome de Wesley Safadão “foi uma unanimidade”. “A escolha dos artistas partiu de um consenso do grupo. Não foi a vontade do presidente, nem de uma pessoa. A comissão tem um grupo muito unido. Todos os membros opinam e eu como presidente tenho apenas mais um voto. Houve uma pequena pesquisa para sabermos quais artistas a população gostaria de acompanhar e, a partir do resultado, chegamos a um consenso”, revelou Wagner, logo antes de dizer que nem todos os artistas que tiveram o consenso do grupo tinham a agenda disponível, uma vez que a semana de realização da Faive coincide com a Festa do Peão em Barretos. Mudanças

se sente um pouco dono da Faive, e seria bom que isso fosse mesmo uma realidade. Sou apaixonado pela Feira e tendo a oportunidade de contribuir efetivamente para ela, me deixou a vontade para assumir o cargo”, explicou.

Buscando profissionalizar a Feira no sentido dos negócios, a comissão definiu a manutenção de parcerias tradicionais e efetuou mudanças na boate e bebida oficial do evento. Wagner justificou as decisões da nova comissão. “A mudança da bebida foi em função da marca, já que Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 33


Capa muitas pessoas têm essa preferência, além de uma boa negociação com a Crystal. Tivemos também o Londripark, que é um parque tradicional e outros barraqueiros que estão expondo sempre na Feira, pessoas que constroem a história do evento ano a ano. Houve também a mudança na boate. Estamos trazendo o pessoal da Folks de Presidente Prudente, um grupo jovem que tem um profissionalismo muito grande na organização de grandes eventos e que conta com uma estrutura diferenciada”, justificou. Agropecuária

Principal atividade da Feira, a agropecuária e o contato com os pecuaristas foi tratado como prioridade, uma vez que o principal objetivo do evento é reunir a agropecuária e setores de produção da cidade de modo a gerar economia e movimentação financeira. “A Feira começou com essa vocação. Nos últimos anos, tivemos a parte artística incrementada, parte de entretenimento, o que tem resultado em bom número de público, mas jamais podemos descuidar da parte da pecuária e dos negócios. Contatamos o Sindicato Rural, participamos de reuniões e apresentamos nosso projeto para a Feira, além de ouvir as necessidades dos produtores rurais para que a Faive volte a ter tradição na parte da pecuária. Para isso, isentamos as empresas de máquinas e implementos agrícolas da cobrança para poder expor na Feira. Essa iniciativa resultou na vinda de empresas de tratores e de tecnologia na fabricação de pneus agrícolas. Tenho certeza que, para o ano que vem, com esse projeto, conseguiremos agregar outras empresas e voltar a ter uma quantidade maior de implementos e tecnologia movimentando a parte de negócios. Na questão de gado, buscamos contato com

Nos últimos anos, tivemos a parte artística incrementada, parte de entretenimento, o que tem resultado em bom número de público, mas jamais podemos descuidar da parte da pecuária e dos negócios” Wagner Bueno as empresas especializadas em organizar este tipo de evento. A Nancy (Gomes) é uma pessoa muito dedicada e nós demos a ela uma autonomia maior de trabalho, além de reduzir o valor da argola. No ano passado, a argola teve um valor de R$ 100 e neste ano o valor caiu para R$ 50. É uma forma de incentivar também o pecuarista a trazer o gado de elite para exposição e julgamento, e a expectativa é muito boa. Nós pretendemos mais que dobrar a quantidade de gado que foi colocado em exposição em relação ao ano passado”, comentou. Os leilões também foram abordados na entrevista. Neste ano, a empresa Leilosul realizará quatro leilões durante a Faive e os contatos voltados para as próximas edições do evento já foram iniciados pela comissão, no sentido de aumentar o número de leilões. “A empresa tradicional é a Leilosul, que mantém um contrato de exclusividade para a organização destes leilões. Buscamos

Wagner Bueno Presidente “Trabalhamos com muito afinco nos últimos meses e oferecemos o máximo de nossas forças para realizer a Faive deste ano, e ao término desta edição já planejaremos a Feira de 2018 com o objetivo de superar as metas que temos para o evento.” 34 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

um contato muito próximo com o Marcos Soriano para que ele consiga reforçar a agenda de leilões. Cabe a empresa Leilosul organizar os leilões. Temos pedido para que o Marcos Soriano dê uma atenção especial para que a agenda de leilões da Faive possa voltar a ganhar um corpo maior nos próximos anos. Neste ano, teremos quatro leilões e consideramos que é um número que pode ser melhorado. Chegamos a ter nove leilões na Feira. Entendemos que o mercado deu uma retraída na questão do gado, da pecuária, vive um momento de instabilidade, mas negócios precisam ser realizados em qualquer situação”, defendeu o presidente. Cobrança de ingressos

Por fim, foi destacado também o anseio da população pela volta ao formato antigo da Feira, com cobrança de ingresso e shows de maior impacto no cenário musical. Conforme Bueno, a comissão atende ao público com a mudança de formato. “Durante um bom tempo, a população pediu a volta de grandes shows na Feira com a cobrança de ingresso. Por inúmeras vezes, vimos pessoas postando em redes sociais e ouvimos comentários na rua afirmando que não se importariam de pagar um valor se os grandes shows voltassem. Não que nos últimos anos a feira não tenha recebido grandes shows. Recebeu grandes artistas, mas com o formato de portão aberto, o que impossibilita muitas vezes a comissão de trazer um artista do nível do Wesley Safadão, por exemplo. É um show que custa muito dinheiro, então é necessária a venda de ingressos para viabilizar a vinda de shows como este. A gente sabe que o momento econômico do Brasil é difícil, porém a Faive é um evento que ocorre uma vez por ano e tem tradição na cidade. A Faive traz os grandes artistas do Brasil para Presidente Venceslau”, finalizou Bueno. Paulo Roberto Araújo Tachinha 1º vice presidente “Estive muito ligado na Feira nos últimos anos com meu trabalho, e agora tenho a oportunidade de trabalhar na organização da principal festa de Presidente Veceslau.”


Beto Répelli 2° vice presidente “Participar da realização da Faive é até a realização de um sonho, porque gosto muito da Feira e quando recebi o convite, prontamente aceitei. Estou muito feliz.”

Orfeu Ramos 1º tesoureiro “Temos um grupo muito bom de trabalho e participativo. Carrego a experiência de ter atuado na organização das últimas três feiras.”

Nasser Salem 2º tesoureiro “Após anos de trabalho como gerente bancário, e agora aposentado, me envolvi na organização da Faive pelo projeto de trabalho apresentado e quero dar minha contribuição para o evento mais importante da cidade.”

Peterson Bispo 1º secretário “Somos um grupo jovem, mas com muita vontade de fazer um trabalho que ajude a Faive a crescer em todos os sentidos, essa é nossa meta.”

Wagner Cardoso 2º secretário “Participar da organização da Faive está sendo uma experiência incrível, temos compartilhado de ideias importantes para fortalecer o evento. É uma oportunidade que temos de colaborar para a que a história da Faive continue a ser escrita.”

Nadir Almeida Conselho Fiscal “Participei como vice presidente das Feiras de 2013 até 2016, e percebo que está ocorrendo uma evolução na Faive. É um desafio para cada membro da associação, porque sabemos dos riscos, mas é muito gratificante ver o resultado final.”

Paulo Perelli Conselho Fiscal “Quando fui convidado pelo Wagner eu disse, ‘olha não tenho experiência, mas vou colaborar naquilo que for necessário’, e estamos evoluindo juntos e com a certeza de que poderemos fazer um trabalho ainda melhor no próximo ano.”

Cantídio Barbosa Filho Suplente de Conselho Fiscal “É uma responsabilidade enorme que temos, mas o resultado sempre é satisfatório e é bom ver que toda comissão está empenhada em fazer o máximo pela Faive.” Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 35


36 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Capa

Safadão mais querido do Brasil marca Faive 2017 Cantor de maior sucesso no país causa empolgação na maior festa da região Por Nathália Oliveira Fotos: Divulgação

E

le é um dos maiores fenômenos musicais do Brasil na atualidade. Aos 28 anos, o cearense Wesley Oliveira da Silva coleciona mais de 12 milhões de seguidores nas redes sociais e faz em média 25 shows por mês. Mas quem é Wesley Oliveira da Silva? Talvez pelo apelido fique mais fácil: Safadão. O forrozeiro conta que o apelido vem da época em que fazia parte da banda Garota Safada, criada em 2003. Wesley era o vocalista da banda idealizada por sua mãe e tio e formada por integrantes de sua família – irmãos e primos - e era então chamado de “garoto safado”. Mas a banda foi criada sem a participação do cearense, que após dois anos acompanhando a

mãe, dona Maria Valquíria, e imitando os cantores nos bastidores, meio que por acaso – já que seu sonho era ser jogador de futebol - tomou gosto pela música e passou a integrar a Garota Safada. Quando o cantor principal se desligou do grupo, Wesley ganhou mais espaço dentro da banda. Daí para virar o Safadão que todos conhecem não demorou muito. A banda se profissionalizou em 2007, ganhando espaço na capital Fortaleza, depois em todo o Nordeste e Norte do país. Em 2010, Wesley e a Garota Safada apareceram pela primeira vez na televisão, no programa global Domingão do Faustão. O sucesso foi tanto que seis meses após a primeira participação, Wesley e sua banda retornaram aos palcos do dominical e

cantaram ao vivo oito canções. Com o tempo, a Garota Safada passou a ser a banda Wesley Safadão. Lembrado pelas longas madeixas, ele conta que a história do cabelo comprido foi uma promessa de sua mãe, feita quando ele tinha apenas três anos de idade. Após o filho contrair uma pneumonia, a mãe prometeu que só cortaria seus cabelos quando atingissem a altura dos ombros. A promessa foi cumprida quando Wesley estava com oito anos. Mas ele diz que o cabelo comprido acabou tornando-se sua marca registrada e quando iniciou a carreira, aos 14, ainda tinha os cabelos longos – comum para os cantores de forró da época, por isso permaneceu tanto tempo com os cabelos mais invejados da Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 37


Capa

música brasileira. Safadão resolveu cortar os cabelos para mudar o visual, segundo o cantor, “para ficar mais jovem”. A primeira aparição com o novo visual foi na gravação do DVD WS in Miami Beach, em abril deste ano. Sucesso estourado dentro do país, Safadão agora encanta também fora do Brasil. Este é o quinto DVD da carreira do cantor, seu primeiro fora do país. Wesley, que é evangélico e se batizou há dois anos, não se incomoda com o fato de ser conhecido como Safadão. “Safadão é só um nome. Deus conhece o coração das pessoas e abençoa quem é temente a Ele. Meu coração é muito temente e muito grato a Ele”. O cantor se considera religioso e diz que gosta de estar próximo a Deus. Quando termina seus shows, normalmente, ele escuta e canta louvores para agradecer as bênçãos recebidas. Sempre que pode vai à Igreja e a bíblia sagrada faz parte de sua bagagem. Diz não saber como conquistou tanto sucesso e que só pode atribuí-lo a Deus. Safadão conta que o assédio dos fãs não atrapalha. Ele acredita que tudo depende da mensagem que é transmitida pelo artista e que suas fãs sabem que ele é casado e pai de dois filhos e por isso o respeitam. O próprio cantor transmite esse respeito, através de suas redes sociais, da comunicação com seus fãs durante shows e eventos. Não existe abertura para o desrespeito e assim os fãs o acompanham, admiram seu trabalho, mas jamais avançam o sinal. Ele sente-se abraçado por esse carinho, vindo de crianças, jovens, famílias, homens e mulheres. 38 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

O cantor diz que já ouviu muitas pessoas dizendo que seu sucesso era modinha, mas afirma que seu trabalho ocorre diariamente, com ou sem shows. Ele se preocupa com cada detalhe, desde a montagem do palco até sua apresentação; inovador, está sempre correndo atrás do melhor para seu público. Safadão conta com uma equipe comprometida e fiel: seus irmãos e familiares estão com ele até hoje. O diferencial da banda está na batida marcante, mais acelerada e, claro, no carisma do vocalista. Wesley explica a origem do refrão agora conhecido também na Europa e Estados Unidos. O “Vai Safadão” surgiu em um show na Paraíba, quando o cantor emendou uma música em outra e não

sabia o que falar ao público. O que veio de imediato no pensamento foi gritar “Levante a mão, joga a mão pro céu e diz Vai Safadão!”. Seus shows, desde então, começam com este refrão. A vida pessoal do cantor acompanha a solidez da carreira. Casado com Thyane Dantas, 26, ele é pai de Yhudy, de 6 anos, fruto de seu primeiro casamento, e de Ysis, de 2 anos, de seu casamento com Thyane. Pai coruja, ele diz que adora criança e gostaria de ter uma família grande, com muitos filhos. O público de Presidente Venceslau e região poderá ver de perto o sucesso do Safadão. O cantor fará o aguardado show durante a 41ª Faive – Feira Agropecuária e Industrial, no dia 23 de agosto.


Capa

41ª Faive traz de volta grandes shows Artistas renomados se apresentarão no palco da Feira

A

Por Nathália Oliveira

Faive – Feira Agropecuária e Industrial de Presidente Venceslau chega a sua 41ª edição neste ano de 2017 e traz de volta grandes nomes da música brasileira para animar o público durante as noites de festa. A programação está recheada de bons shows, que agradam todo tipo de público. Após quatro anos realizando shows com portões abertos, a Feira relembra o antigo formato, com grandes artistas e cobrança de ingressos. A população venceslauense aprovou a iniciativa da comissão organizadora, liderada pelo jornalista Wagner Bueno - presidente da feira, bem como a grade de shows para 2017. Realizada entre os dias 19 e 27 de agosto no Recinto do Parque de Exposições Alfredo Ellis Neto, a maior festa agropecuária do Oeste Paulista traz nomes que estão no topo das paradas de sucesso nacionais e até internacionais, como é o caso do fenômeno Wesley Safadão. Completam a lista as duplas Henrique & Diego, Pedro Paulo & Alex, Jads & Jadson e o cantor Felipe Araújo. O show mais esperado é sem dúvida do forrozeiro Wesley Safadão, que costuma arrastar multidões cantando sucessos como “Meu coração deu PT”, “Camarote”, “Ninguém é de Ferro” e a mais nova “Ar Condicionado no 15”, entre outros. Safadão, que lançou recentemente o DVD WS in Miami Beach, na cidade americana de Miami, abrirá com chave de ouro os grandes shows e se apresentará no palco principal na noite de 23 de agosto, quartafeira, com cobrança de ingressos.

Na quinta-feira, dia 24, a dupla revelação do sertanejo universitário, Henrique & Diego, se apresentará com entrada franca. Os sertanejos do sucesso “Suíte 14”, estão bombando com os hits “Raspão” e “Malbec”. No dia 25, sexta-feira, a dupla sertaneja Pedro Paulo & Alex promete animar a galera com uma pegada diferente. Os cantores utilizam muito o ritmo latino e um pouco de reggaeton em suas composições. Com os hits “Me Chama”, “Fama de Pegador” e “As Novinhas tão Sensacional”, eles abrem o último final de semana da Feira com cobrança de ingresso. No sábado, dia 26, é a vez de Jads & Jadson fazer a festa na Faive. O último show pago é com a dupla dos sucessos “Jeito Carinhoso”, “Toca um João Mineiro e Marciano” e a nova “Na Riqueza e na Pobreza”. A organização espera um grande show, assim como na Faive de 2013, quando a dupla também se apresentou em solo venceslauense. Para encerrar a Feira em grande estilo, no domingo, dia 27, a noite é do cantor Felipe Araújo. Felipe é irmão de Cristiano Araújo (morto em 2015), que fez o maior show da Faive no ano de 2012. O cantor, que gravou um DVD em Goiânia com participação de grandes nomes, como Jorge & Mateus, Zezé di Camargo & Luciano, Leonardo, Simone & Simaria e Henrique & Juliano, fará um show muito animado, cantando as músicas mais tocadas nas rádios do Brasil, como “A Mala é Falsa” e “Chave Cópia”. O show terá entrada gratuita. Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 39


40 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 41


Capa

Chiquinho Azenha e família organizam o leilão mais tradicional da Faive

Pecuarista conta um pouco sobre a 14ª edição do leilão Nelore da Dourada e sobre o trabalho desenvolvido com os animais que serão colocados à venda Por Eduardo Maduro

U

ma das atrações mais tradicionais e aguardadas da Feira certamente é o leilão Nelore da Dourada, de responsabilidade do pecuarista Francisco José Matta Azenha, conhecido no meio como Chiquinho Azenha. Realizado anualmente durante a Feira Agropecuária e Industrial de Presidente Venceslau (Faive), o leilão chega em 2017 a sua 14ª edição e promete manter a qualidade dos anos anteriores. O evento será realizado na quintafeira, dia 24 de agosto, no Tatersal da Leilosul dentro do recinto de exposições “Alfredo Ellis Neto”. Às 17 horas, será promovida a apresentação dos animais

que serão comercializados no leilão e a partir das 18 horas o evento terá seu início. Em entrevista à Revista Foco, Chiquinho falou sobre o momento do mercado, expectativas para o leilão e sobre o trabalho realizado com o gado disponibilizado anualmente. Neste ano, uma quantidade menor de touros da Fazenda Areia Dourada será comercializada em relação ao ano anterior. Serão colocados em leilão 67 touros da fazenda, além dos touros de pecuaristas convidados como Ariel Gaiolli, Altivo Silva, Angelo Benko, Dulce Guímaro Abegão e Luiz Carlos Malacrida. Ao todo, serão comercializados cerca de 90 touros. A venda de sêmen também será

promovida na ocasião. Volta a página normal

O pecuarista afirma que, apesar do ‘frio na barriga’ costumeiro neste período do ano, está tranquilo em relação às vendas e afirmou que a comercialização de touros tem ocorrido normalmente em outras regiões do país, apesar dos problemas envolvendo empresas do ramo. “Estamos com uma certa apreensão, assim como em todo o ano quando chega neste momento, pois a nossa venda de touros é realizada em um único leilão. Todo nosso trabalho de um ano focado neste gado PO registrado tem sua conclusão na Faive. No entanto, estamos bem tranquilos porque o Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 43


Capa gado este ano teve baixa. Tivemos muitos problemas com o envolvimento da Friboi na Lava Jato e com a quebra do ciclo da carne, a carne fraca, e agora estamos vendo que o mercado está voltando a se estabilizar. Está havendo um equilíbrio e o gado está tendo um repique. Acredito que em 5 ou 6 meses o boi voltará ao preço normal e o boi magro vai recuperar os valores anteriores”, projetou Chiquinho. Mercado

Sobre o mercado, o pecuarista destacou também o equilíbrio que já começa a existir no mercado da carne, bem como a projeção de melhora feita em relação à comercialização de touros. “Temos visto frigoríficos pequenos crescendo e se estabilizando. Vemos que nos últimos dias a carne tem recuperado seu preço e o gado magro já subiu mais de 20%. Em relação a touros, não vimos durante este ciclo o preço baixar, mas sim manter um equilíbrio e acho até que haverá uma melhora, uma vez que o reprodutor é uma ferramenta fundamental dentro de uma propriedade. Você precisa de reprodutores melhoradores para aumentar seu plantel e conseguir a competitividade no mercado. Você consegue isso com touros melhoradores ou através de inseminação artificial, só que o touro você mantém ele numa propriedade por 15 anos, enquanto que a inseminação você terá que comprar hormônios todos os anos, sêmen, tem que ter botijão e isso daria mais trabalho”, explicou. O trabalho para o leilão, conforme

É uma tourada toda qualificada e temos certeza que estamos oferecendo o que tem de melhor no mercado atualmente” Chiquinho, começa na fazenda Areia Dourada, próxima a Campo Grande (MS). Lá, é mantido o plantel PO desenvolvido todos os anos para o leilão. Os trabalhos são acompanhados pela Embrapa e os animais de baixa avaliação são eliminados da tourada. “Temos em torno de 500 a 600 vacas PO produzindo todos os anos. Neste sistema de produção, temos sempre a saída de vacas do lote e a inclusão de novilhas melhoradoras. Ali, produzimos touros para a nossa fazenda, sendo esta a nossa finalidade inicial. Todo o trabalho é acompanhado pela Embrapa com o sistema Embrapa Geneplus. Todos os animais são avaliados e os de baixa avaliação são eliminados, sendo os de melhor avaliação comercializados em leilão. O trato que é feito nos animais para a venda é realizado em três meses. Neste período, damos silagem com ração para os touros, além de fazer a análise de ultrassonografia para descobrir se os touros são melhores para precocidade, musculosidade ou qualidade da carne (marmoreio). Os dez melhores touros recebem também uma avaliação de genoma. É uma

tourada toda qualificada e temos certeza que estamos oferecendo o que tem de melhor no mercado atualmente”, garantiu. Buscando a melhora a cada ano, Chiquinho Azenha afirmou que o objetivo para os próximos anos é aumentar a qualidade dos produtos oferecidos, além de aumentar a quantidade. “Nosso objetivo é sempre apresentar a melhoria nesses reprodutores na produção de carne. Deixamos um pouco a pista, pois acreditamos que já atingimos o que a gente queria. Chegamos a ser por dois anos o melhor expositor de pista aqui em Presidente Venceslau e ganhamos prêmios na região. Ano a ano, iremos aumentar o nosso número de produtos e aumentar a qualidade.” Faive

Deixando a questão da pecuária de lado por alguns instantes, Azenha falou sobre a organização da feira como um todo e elogiou a retomada do sistema de cobrança de ingresso na realização do evento. “Hoje em dia, ela (Feira) segue os moldes que sempre deveria ter seguido. O Wagner (Bueno) está trazendo shows de qualidade neste ano e, para trazer shows de qualidade, é preciso fechar a feira e cobrar ingresso como em todo lugar no Brasil é feito. O Wagner, assim como o Marcelo (Queiroz), está sendo um herói, pois arriscar seu nome e carreira nos dias de hoje para produzir uma Feira desta é complicado”, finalizou o pecuarista.

Animal do plantel de Chiquinho Azenha é contratado para venda de sêmen em Uberaba Um dos animais mais premiados do plantel de Chiquinho Azenha, o Semideus, foi um dos touros avaliados como de ótima linhagem pela Geneplus e contratado pela Central Alta de Uberaba. O touro produzido na fazenda de Chiquinho foi classificado em quarto na categoria produção pela Embrapa Geneplus. “Este touro foi testado em Uberaba há dois anos e foi utilizado em outros rebanhos, assim como na fazenda. A produção dele foi um colosso, uma coisa fora de série. Pela sua produção e avaliação na Embrapa, ficando em quarto na categoria produção na Embrapa Geneplus, a Alta de Uberaba contratou ele e o levou embora. Ele virou vendedor de sêmen. Por esse motivo, não poderemos apresentá-lo no leilão na Faive, mas teremos o sêmen à venda pela Alta dentro do leilão”, destacou o pecuarista. 44 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 45


46 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 47


Alunos do Colégio São Paulo homenageiam pais com apresentações e gincana Fotos: Renata Moretti

Na noite dia 10 de agosto o Colégio São Paulo promoveu uma linda homenagem para os pais com a participação de todos os alunos. A festa reuniu as famílias que comemoraram o Dia dos Pais. Centenas de pessoas lotaram a quadra do Colégio São Paulo na rua Prudente de Moraes e se emocionaram com os filhos que fizeram apresentações com trajes personalizados. Já na manhã de sábado (12), pais e filhos se reuniram

48 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

no recinto da Faive para uma divertida gincana que promoveu a interação e descontração entre famílias por meio das atividades realizadas. Uma bela e justa homenagem para os papais. Ricardo Machado (mantenedor e diretor) e Thays Ricci (diretora) do Colégio São Paulo, agradecem a participação de todos os professores, alunos e famílias.

1

2

2

3

4

5


6

7

8

9

PRESIDENTE VENCESLAU Unidade I: Rua Prudente de Moraes, 826 - (18) 3271 4908 Unidade II: Rua Princesa Isabel, 230 - (18) 3272 1292 01 - Maternal 1 | 02- Maternal 2 | 03 - Jardim 1 | 04 - Jardim 2 | 05 - 1º e 2º Ano | 06 - 3º Ano | 07 - 4º Ano | 08 - 5º Ano | 09 - 6º e 7º Ano

Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 49


Esporte

Suplementos nutricionais são benéficos ou geram riscos aos jovens?

Revisão de estudo destaca como proteína e caseína afetam positivamente o crescimento, a saúde óssea e o peso (auxiliando na conquista de uma boa composição corporal) de crianças e adolescentes

O

s suplementos nutricionais são popularizados como produtos para atletas. A imagem quase sempre ainda está associada a um indivíduo musculoso ou a competidores de alto rendimento. Aos poucos, porém, o suplemento ganha o mercado da saúde e do “wellness”, na medida em que seu reconhecimento como nutriente e não como “bomba” vai se tornando cada vez mais difundido. Porém existe ainda um segmento muito resistente ao uso do suplemento, pelo menos na forma em que ele é apresentado no mercado. Tratase do seu consumo por crianças e jovens em fase de crescimento. Diversas vezes, ao atendermos crianças e adolescentes, nos deparamos com a seguinte situação: pai e mãe entram acompanhando um garoto constrangido pela situação e imediatamente referem: olha o que encontramos no armário dele! O produto “escondido” era um pote de suplemento. Geralmente um hipercalórico ou um pote de Whey Protein. É claro que em situações como essa é 50 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

fundamental um esclarecimento detalhado para os pais de que o garoto não está usando nada perigoso ou proibido. Muitas vezes o que falta é apenas uma orientação adequada de uso, porém o que o garoto está usando é muito semelhante ao que a própria mãe já tinha usado para enriquecer o leite quando ele era pequeno. Um artigo de revisão publicado em março de 2017 na Hormone Research in Paediatrics destaca como whey protein e a caseína afetam positivamente o crescimento, a saúde óssea e o peso (auxiliando na conquista de uma boa composição corporal) de crianças e adolescentes, tanto as saudáveis quanto as que apresentam problemas de má nutrição. Portanto, está mais do que na hora de derrubarmos conceitos errados e desmistificarmos o uso dos suplementos nutricionais. Eles são excelentes aliados para complementar a dieta também de crianças e adolescentes, pois contém nutrientes fundamentais para o perfeito desenvolvimento do organismo como: carboidratos, proteínas, aminoácidos, fibras e vitaminas.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 51


Esporte

Cuidados com a pele na hora de se exercitar ao ar livre

A

Aproveite e faça atividades esportivas da melhor forma possível e abuse sempre da proteção

proveitar o tempo para se exercitar ao ar livre exige alguns cuidados com a pele. Afinal, o sol pode provocar danos em várias estruturas do corpo, como células, vasos sanguíneos, fibras entre outros. Além de queimaduras, também pode ocorrer o envelhecimento precoce e câncer de pele. A proteção é o principal cuidado, com filtro solar, roupas adequadas, óculos, chapéu e procurar a sombra quando possível. Em atividades dentro da água, a proteção também se faz necessária, pois parte da radiação atinge a pele. Dependendo do tempo de exposição, podem ser usados até os protetores especiais para surfistas, velejadores, entre outros. Não é possível calcular um tempo de exposição ao sol que seja seguro, mas é importante que praticantes de esportes se informem sobre o índice ultravioleta das cidades. É recomendado ainda o uso do protetor solar com mínimo de fator 30, aplicado a cada duas horas. Esse índice é uma escala de valores de zero até 11+ e auxilia na orientação do tipo de proteção que a pessoa deve usar e pode encontrar na página da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Outra dúvida comum é sobre os cuidados pós sol. Sobre isso, a hidratação com água (dois a três litros por dia), sucos naturais e água de coco são importantes, assim como o banho, que deve ser rápido e morno ou frio, com um sabonete com o ph da pele (como o de glicerina, por exemplo). Hidratantes a base de ureia, polifenóis de uva, glicerina, D-pantenol, lactato de amônia, silicones e vitamina E também são ótimos para recuperar a pele danificada após o sol. Em caso de ardor e vermelhidão, hidratantes com aloe vera e camomila são úteis. Borrifar água termal (que possui efeito calmante e anti-inflamatório) pode ajudar aquelas pessoas que não suportam nem serem “encostadas” de tanta dor pela queimadura sol. 52 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 53


Comportamento

Presidente Epitácio ganha um moderno Centro Hípico Bianca Maria desenvolve no local a Equoterapia Por Wagner Bueno Foto: Guilherme Minakawa

A

equoterapia é um tratamento feito com cavalos. A tecnologia foi desenvolvida após a Segunda Guerra Mundial por soldados norte-americanos que necessitavam de recuperação física e psicológica. No Brasil, o tratamento é reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina há 14 anos. Em Presidente Epitácio, a psicóloga e psicopedagoga Bianca Maria inaugurou ao lado do esposo Everton Omote, um centro hípico preparado para atender pessoas que necessitam complementar o tratamento de deficiência ou necessidades especiais, tais como a síndrome de Down, paralisia cerebral, derrame, esclerose múltipla e autismo. Durante a sessão a pessoa recebe orientações para estimular a fala, a linguagem, o tato, a lateralidade, cor, organização e orientação espacial e temporal, memória, percepção visual e auditiva, direção, análise e síntese, raciocínio, e vários outros aspectos. Na esfera social, a equoterapia ainda é capaz de diminuir a agressividade, tornar o paciente mais sociável, diminuir antipatias, construir amizades e treinar padrões de comportamento como: ajudar e ser ajudado, diminuir e aceitar regras, encaixar as exigências do próprio indivíduo com as necessidades do grupo, aceitar as próprias limitações e as limitações do outro. A equoterapia também pode ser muito útil na fisioterapia, 54 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

A Equoterapia é um método terapêutico educacional, que utiliza cavalos dentro de uma abordagem, multidisciplinar e interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou necessidades especiais” (ANDE-BRASIL, 1999) ao promover impulsos ritmados para as pernas e para o tronco do paciente. O cavalo, ao se mover, pode ainda estimular uma série de reações no corpo do paciente. Isso faz com que ele esteja sempre em busca do seu próprio equilíbrio. Podendo ajudar com o tratamento de pacientes com autismo, porque melhora a interação social, a linguagem e a área emocional. O individuo passa, portanto, a aprender superar alguns medos, melhora a expressão facial, olha nos olhos e busca fazer amizade com os que estão presente nas sessões.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 55


Receita de Família

Marcelo Dassie é apaixonado pela arte de cozinhar e ensina como preparar um delicioso Arroz Siciliano Texto e fotos: Wagner Bueno

E

le é requisitado para cozinhar em diversas festas na região, mas antes de tornar-se famoso pelo dom de preparar pratos deliciosos, Marcelo Dassie, 59, conquistou o paladar da família. Casado com Tina Dassie com quem tem dois filhos, Camilla e Danilo, o atual secretário municipal de esportes de Presidente Venceslau começou a ter o interesse pela 56 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

Cozinhar é ter a combinação na comida, mistura de sabores, paladar com qualidade” Marcelo Dassie

culinária ainda adolescente. “Eu observava meu pai e meus tios sempre preparando churrasco em família, e logo comecei a ajudar. Minha família mantinha açougue e todos gostavam muito de um bom churrasco, e foi aí que comecei”, conta Dassie. Quando tinha 19 anos de idade, Marcelo estudava e residia na cidade de São Paulo no bairro do Bixiga, um dos mais


Esse prato eu faço há mais de 20 anos e acabou tornando-se uma tradição nos churrascos que preparo, porque o pessoal sempre pede, não pode faltar esse arroz” Marcelo Dassie

tradicionais da capital paulista e conhecido também pela variedade gastronômica. “No Bixiga, por muitas vezes eu passava frente ao estabelecimento do Marcos Bassi, um dos maiores especialistas em carnes do mundo, e tive a oportunidade de conversar com ele em muitas oportunidades e aprendi alguns segredos para aproveitar melhor os diferentes cortes da carne, e pude colocar em prática esses conhecimentos quando voltei para Venceslau e me casei com a Tina”, lembra. Como diz o ditado ‘filho de peixe, peixinho é’, Marcelo passou a promover os encontros de família regado a boa comida, e claro, um bom churrasco. Não demorou muito tempo para que a fama de bom cozinheiro e churrasqueiro se espalhasse entre amigos e surgissem os convites para ser o ‘Chef’ em festas e encontros. “Uma coisa que começou apenas em família, e que hoje faço para atender diversas festas”, fala. Além do churrasco, consta no menu de especialidades de Marcelo Dassie variedade em massas, molhos, carnes e porções.

Quando perguntado pela Revista Foco qual o segredo para ter sucesso na cozinha ele responde: “Tem que gostar, a partir do momento que se faz o que gosta, tudo fica melhor. É muito bom saber que quem provou da comida está satisfeito.” Comida em família

A família Dassie sempre se reúne aos finais de semana e o lugar preferido de todos é a cozinha. “A cozinha une as famílias”, diz Marcelo que conta com o apoio da esposa Tina, porém, a filha Camilla revela que o apoio é moral, pelo menos de sua parte. “Minha mãe cozinha muito bem, os dois cozinham muito bem. Isso é bom, é prático e ao mesmo tempo difícil, porque a gente acaba comendo muito [risos]. Não cozinho nem 5%

do que ele cozinha, e por isso meu apoio é sempre moral”, conta. Camilla revela também que quando está preparando alguma coisa na cozinha, logo o pai já chega e começa a observar. “Aí ele começa a falar, corta assim, faz assado, e quando vejo, ele já está no comando de tudo e é quem prepara a comida sempre, não tem jeito.” Já o filho Danilo Dassie ainda se arrisca na cozinha. “Sempre gostei de ver meu pai cozinhar e acabei aprendendo alguma coisa também e me arrisco, gosto de preparar churrasco e outras coisas” disse. Arroz Siciliano

O prato escolhido por Marcelo Dassie para o Receita de Família é o arroz siciliano, uma receita de fácil preparo e delicioso sabor. “Esse prato eu faço há mais de 20 anos e acabou tornando-se uma tradição nos churrascos que preparo, porque o pessoal sempre pede, não pode faltar esse arroz, a farofa, e maionese no acompanhamento do churrasco que faço”, destaca. Apesar de carregar essa marca, Marcelo disse que o arroz pode ser servido sem acompanhamentos. “Ele é preparado com vários ingredientes e fica muito saboroso, eu até gosto de um ovo frito como acompanhamento, fica muito bom”, afirma. A receita é preparada em encontros de família e é famosa já com a nova geração da casa. A nora de Marcelo, Juliane Luz Dassie, casada com Danilo, já conta com a tradição. “É sempre muito gostoso, uma delícia esse arroz, e enquanto ele prepara a comida a gente logo se junta e fica conversando, é ótimo.” Enquanto prepara a comida, Marcelo ainda brinca com os netos Guilherme e Joaquim que já participam da confraternização constante em família, e quando crescerem, poderão manter a tradição da boa comida na família Dassie. Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 57


Receita de Família

Arroz Siciliano

Preparo

Ingredientes

500g de arroz branco 750g de carne seca (picada e dessalgada) 500g de palmito (fatiado) 200g de bacon (picado) 150g de pimentão verde (picado) 150g de pimentão amarelo (picado) 150g de pimentão vermelho (picado) 150g de mandioquinha salsa (crua e picada) 80g de calabresa (parte fatiada e parte picada) 100g de azeitona (fatiada) 50g de queijo ralado 1 cebola média picada 4 dentes de alho amassado 2 tomates médio (fatiado) 1 caldo de carne Cheio verde (picado) Azeite

58 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

Em uma panela grande coloque um fio de azeite em fogo alto e acrescente o bacon. Após dourar retire o bacon da panela e reserve. Coloque a calabresa fatiada até refogar, após, retire e reserve. Junte na panela com o azeite o alho, a cebola e mexa até dourar. Acrescente a carne seca para fritar por 4 minutos e mexa bem para não grudar no fundo da panela, em seguida coloque a calabresa picada. Junte o arroz, a mandioquinha salsa, os pimentões picados e misture tudo na panela. Após refogar o arroz com os ingredientes, coloque água quente na panela (Dica do Marcelo: Parte da água que vai no cozimento do arroz, é a mesma que foi utilizada para dessalgar a carne seca ferventada na panela de pressão. Essa água já está salgada e por isso não há a necessidade de colocar sal no arroz). Tampe a panela e deixe o arroz cozinhar por cerca de 20 minutos. Após o tempo de cozimento do arroz e os ingredientes, polvilhe o queijo ralado de forma uniforme em toda panela. Espalhe por sobre o arroz, os tomates fatiados em rodela, a calabresa fatiada, o bacon picado, o palmito e o cheiro verde, tampe a panela e deixe cozinhar por 5 minutos. Dica do Marcelo: Esses ingredientes fazem parte da decoração do prato e dão sabor especial. Sirva quente.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 59


60 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 61


7º PRÊMIO TOP OF MIND FOLHA RIBEIRINHA PANORAMA

Conheça as Empresas e Personalidades que ganharam o 7º Prêmio Top OF Mind Folha Ribeirinha Marketing e Pesquisa em Panorama.

SANTA LOUCA UP STORE - LOJA REVELAÇÃO

MERCEARIA BRASIPAN

ART – FERRO SERRALHERIA GRADES, ESCADAS, PORTAS E PORTÕES DIVERSOS

DRA. FERNANDA ABONIZIO SCALIANTE CLÍNICO GERAL DESTAQUE DE ESF – CRM – SP 158. 897

LILO CALHAS CALHAS, RUFOS E PINGADEIRAS

STICM - PANORAMA - SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS E CONSTRUÇÃO DO MOBILIÁRIO DE PANORAMA

SIMONE AISSAMI ADVOGADA - OAB/SP - 190.342

UNIDADE KUMON PANORAMA - CURSOS DE INGLÊS, PORTUGUÊS E MATEMÁTICA

ADEMILSON CORRÊA DA SILVA SECRETARIO MUNICIPAL DESTAQUE NA ÁREA DA SAÚDE

SAMUKA’S SORVETERIA E AÇAITERIA PRÊMIO REVELAÇÃO

JORGE VEÍCULOS COMPRA, VENDA, TROCA E FINANCIA

MARCA ASSESSORIA CONTÁBIL - ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE DESTAQUE - “UM NOVO CONCEITO EM CONTABILIDADE”

62 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


7º PRÊMIO TOP OF MIND FOLHA RIBEIRINHA PANORAMA

RÁDIO PANORAMA FM - 87.9 - SEMPRE LIGADA EM VOCÊ

ACADEMIA MOVIMENTO - ACADEMIA DE MUSCULAÇÃO DESTAQUE

ANDRÉA BARRETA - VEREADORA REVELAÇÃO

IMPERIUM MUSIC CLUB - SALÃO DE EVENTOS

BLOG PANORAMA NOTÍCIA - EMERSON RODRIGUES

LAVA - JATO BATISTELA - LAVAGEM SIMPLES E COMPLETA, CRISTALIZAÇÃO DE FARÓIS E PINTURA, HIDRATAÇÃO EM BANCOS DE COURO E HIGIENIZAÇÃO AUTOMOTIVA

RESTAURANTE CANTINHO DA FEFÊ - COMIDA CASEIRA

LP TAPEÇARIA - REFORMAS DE ESTOFADOS E ESTOFAMENTOS PARA AUTOS E NÁUTICA EM GERAL

ELISIA FASHION HAIR - SALÃO DE BELEZA UNISSEX DESTAQUE

HOTEL PANORAMA

STÚDIO ELAINE MATTOS - MAQUIAGEM PROFISSIONAL E MICROPIGMENTAÇÃO

NOS TEMPOS DA JOVEM GUARDA - PROGRAMA POPULAR DE RÁDIO FM

BOQUILHAS MALDONADO - BOQUILHAS DE AÇO, PORCELANA E CROMO DURO

RM IMPORTADOS ARTIGOS IMPORTADOS E ACESSÓRIOS PARA CELULARES - PRÊMIO REVELAÇÃO

MURIEL BATISTELA DOUAKI - ATENDENTE DE FARMÁCIA FEMININO DESTAQUE DA BIG FARMA

CERÂMICA LUARA -FABRICAÇÃO E VENDA DE TIJOLOS DE 6 E 8 FUROS

DRA. JULIANA ROMERO JACINTO VALEZI FISIOTERAPEUTA DESTAQUE – CREFITO 3/120. 973 - F

DR. PAULO MARCOS DIAS JR. MÉDICO VETERINÁRIO - CRMV - SP 25.902 Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 63


7º PRÊMIO TOP OF MIND FOLHA RIBEIRINHA PANORAMA

PADARIA E CONFEITARIA VENEZA PADARIA E CONFEITARIA DESTAQUE

DRA. GISELE DELMORE VITTA FISIOTERAPEUTA - INSTRUTORA DE PILATES - CREFITO 214. 284 - F

RIPAUTO - RETÍFICA DE MOTORES E MECÂNICA EM GERAL

VEIGA INFORMÁTICA - ASSISTÊNCIA TÉCNICA E AUTOMAÇÃO COMERCIAL

DRA. PÂMELA FRADE CALDEIRA - CLÍNICO GERAL DESTAQUE DE PRONTO SOCORRO - CRM - SP 173.863

MARMORARIA ROCHA MÁRMORES E GRANITOS

PAULINHO ISCAS VIVAS ISCAS VIVAS, ARTIGOS DE PESCA, PEIXES ORNAMENTAIS E AQUÁRIOS

ELETRO TÉCNICA PANORAMA - REBOBINAMENTO DE MOTORES ELÉTRICOS, VENDAS DE MATERIAIS ELÉTRICOS, MONTAGEM DE PAINÉIS E ASSISTÊNCIA TÉCNICA ESPECIALIZADA

TOCÃO - CASA DE CARNES “TUDO PARA O SEU CHURRASCO“

MÁRCIA CRISTINA S. DE SOUZA BRITO ENFERMEIRA DESTAQUE

ÁGUA E GÁS AVENIDA - DEPÓSITO DE GÁS DESTAQUE – REVENDEDOR CREDENCIADO LIQUIGÁS E ULTRAGÁS

GIZ DE CERA PAPELARIA E ARTESANATOS

NATAÇÃO 3 GOLFINHOS - ESCOLA DE NATAÇÃO, AULAS DE KANGOO JUMPS E TREINAMENTO SUSPENSO (TRX)

BARBEARIA VILSON E KELVEN SALÃO DE BELEZA MASCULINO

REDE MULTIDROGAS DROGARIA CENTRAL

64 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


7º PRÊMIO TOP OF MIND FOLHA RIBEIRINHA PANORAMA

ROBINSON ROGÉRIO MAIA - FARMACÊUTICO DESTAQUE – CRF/SP 35. 990 - REDE MULTIDROGAS DROGARIA CENTRAL

LUCIANA CRISTINA DOMINGUES - FARMACÊUTICA DESTAQUE CRF/SP 120. 450 -2 – DROGARIA DROGA CENTER

POUSADA CURURU II O PARAÍSO DA PESCA ESPORTIVA

GIOVANA MODAS - MODA MASCULINA, FEMININA, INFANTIL E ACESSÓRIOS EM GERAL

LANCHONETE ALTAS HORAS LANCHES, SUCOS E REFRIGERANTES

BAR DO NEY

VALDEZ DE BRITO - ENFERMEIRO DESTAQUE

PRÉ MOLDADOS PANORAMA

DR. WELINTON ROMANO MAZIERO - DIRETOR CLÍNICO DESTAQUE NA ÁREA DA SAÚDE – CRM/SP 143. 793

MERCADO DO ZÉ DA POTIGUARA - MERCADO DE BAIRRO DESTAQUE

ÁGUA E GÁS AVENIDA - ÁGUA MINERAL DESTAQUE – REVENDEDOR EXCLUSIVO AQUARELA

DIREÇÃO GERAL: DENNER RÉGIS CAROL REIS - DANÇARINA DO ESPAÇO HORUS DE PRES. VENCESLAU - SP MARIATES MEXICANOS DE PRES. PRUDENTE - SP ALEX E JACQUE & BANDA DE PRES. EPITÁCIO - SP ASSISTENTES DE MARKETING: ELIANA PELEGRINO, MILENE NACKAMURA E CÉLIA REGINA SONOPLASTIA: ERNESTO TRAUTTMANN CERIMONIALISTA: WAGNER BUENO - DIRETOR EXECUTIVO DA REVISTA FOCO BUFFET: MARTA FESTAS - BUFFET DESTAQUE REGIONAL FOTOGRAFIA: H3 BRASIL SALÃO IMPERIUM MUSIC CLUB EVENTO REALIZADO EM 07/07/17 Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 65


Moda e Beleza

O poder dos acessórios

O

s acessórios indicados por uma Consultora de Moda devem contemplar o guarda-roupa da mulher, contra a trivialidade da imagem e do estilo, a mesmice e a zona de conforto. O valor da consultoria está justamente em identificar os traços e mergulhar profundamente na identidade da pessoa. O ponto fundamental da consultoria é apresentar novas possibilidades que distingam a cliente por detalhes que reflitam seu estilo. Segundo Costanza Pascolato, os melhores acessórios “são aqueles que vibram de forma silenciosa e delicada, ganhando importância para distinguir as roupas cada vez mais parecidas entre si”. Muito mais que atrair a atenção para si, esses acessórios devem harmonizar a composição e distinguir as mulheres. De acordo com Titta Aguiar, em “Acessórios: por que, quando e como usálos”, eles são capazes de transformar completamente a imagem pessoal e estrategicamente fundamentais nos stylings de grandes marcas, enriquecendo produções, indicando estilos, multiplicando um guardaroupa, reforçando a personalidade de uma roupa, fascinando e emocionando. Aguiar, afirma que os primeiros seres humanos enfeitavam seu corpo com ornamentos antes de vestir roupas e conclui: “a vaidade humana não tem limites”. Nesses termos, a lembrança das imagens em livros escolares corrobora a afirmação de Aguiar sobre os primeiros seres humanos e seus adornos, como os colares de dentes de animais selvagens, pendurados por um pedaço de couro, símbolo de poder. Atualizando essa ideia, no high-tech, os acessórios são símbolos de fetiche e poder, distinguindo as pessoas independentemente de seu estilo. Quando a moda pretende refletir a vivência de cada época, ela se apresenta como cultura afunilada em conhecimentos e desenvolvimentos, num acúmulo de saberes que transforma certos produtos em costumes e valores de uma sociedade que vive e experimenta e serve como referência a outras épocas (Sabino). Por Maucha Coelho - Consultora de Imagem e Estilo Para conhecer os pacotes, serviços e saber mais sobre a consultoria de imagem e estilo acesse o site www.mauchacoelho.com.br ou entre em contato pelo e-mail contato@mauchacoelho.com.br 66 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 67


Moda e Beleza

Tendências que vão Bombar na Primavera Dia 22 de setembro é a data aguardada para começar a estação mais florida e colorida do ano. Quando o assunto é moda, a primavera 2017 promete deixar os looks com mais cor e movimento. A Revista Foco listou 9 tendências que vão bombar

na próxima estação. Confira abaixo quais dessas peças você já tem em seu closet e quais vale a pena investir para ter um visual em sintonia com a moda da estação que está para chegar.

01 Laranja é a bola da vez

A cor quente, e que remete a dias ensolarados, estará presente em vários looks e em diferentes tons como terracota e coral. O mais interessante é que essa cor pode estar em peças de diferentes estilos, desde produções mais elegantes e estruturadas até peças com influência hippie mais soltinhas e informais.

02 Halter Top O modelo de top que apareceu como alternativa para biquínis mais fashionistas também poderá ser visto em looks urbanos nos dias mais quentes da primavera 2017. Esse top tem o decote fechado e modelagem bem justa com mangas bem cavadas. Nos dias mais frios você também pode montar looks com esse top, basta jogar um cardigan ou uma jaqueta mais estruturada por cima.

03 Transparências Peças com partes transparentes poderão ser vistas em diversos tipos de looks, pode vir combinada com tecidos mais encorpados como moletom, peças de alfaiataria entre outras possibilidades. Nessa temporada a dica é escolher peças com transparências mais inusitadas, não serão criadas janelas nas peças que se fazia antes e sim grandes áreas de transparência.

04 Floral O tema floral é recorrente na primavera, e em 2017 não será diferente, contudo, temos que te apresentar o novo floral. A estampa chega repaginada com uma nova atitude, esqueça os florais com elementos pequeninos e fundos claros. O novo floral chega com um visual forte e com uma paleta de cores mais intensa. Uma boa dica é escolher peças florais feitas com tecidos estruturados.

05 Sandálias de tiras Os pés também tem uma tendência para chamar de sua na primavera 2017, as sandálias de tiras com saltos mais baixos e confortáveis chegam para deixar os dias mais quentes com muito mais estilo. Para ficar antenada com o universo fashionista nossa dica é comprar sandálias com tiras coloridas, suas produções certamente ficarão muito mais divertidas. 68 | Revista FOCO | julho/agosto 2017


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 69


Negócios e Finanças

Minersal completa 32 anos de sucesso e vendas Empresa é tradicional no setor de nutrição animal

A Minersal está localizada Distrito Industrial de Presidente Venceslau Por Wagner Bueno

Q

uando os empresários Emilson Carlos Soriano, 60, e Jurandir Jacomelli, 65, decidiram criar em abril de 1985 a Minersal, eles não imaginavam que 32 anos depois teriam os produtos sendo comercializados em todo o território nacional. “Hoje o que produzimos em Presidente Venceslau vai para o Brasil inteiro”, disse Emilson Soriano, que além de empresário é formado em medicina veterinária. Esse feito só foi possível devido à qualidade dos produtos de nutrição animal fabricados pela empresa Minersal que segue rigorosamente as Boas Práticas de Fabricação (BPF). “Temos um padrão de excelência em nossa produção que é reconhecido no mercado nacional, e isso é motivo de muita honra para toda equipe da Minersal”, afirmou Emilson. A empresa venceslauense acompanhou a evolução do mercado da pecuária, investiu em qualidade e oferece completa linha para nutrição de bovinos, equinos e ovinos. “Quando começamos tínhamos somente a linha branca, que é o sal mineralizado, mas com a necessidade do mercado em diminuir o tempo de abate 70 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

do gado, a nutrição passou a ter papel fundamental para este processo”, falou Emilson. Ele recorda que na década de 80 o gado era abatido com idade entre cinco e seis anos, e hoje dependendo da estratégia nutricional adotada o abate pode ocorrer em até 15 meses. “Isso só é possível quando o pecuarista investe em uma boa nutrição, e cada vez mais ocorre essa conscientização do produtor que também acompanha a evolução da nutrição no país”, disse. Outra diferença é o avanço da tecnologia como aliada na produção da indústria especializada nos últimos anos, o que possibilita um melhor controle de produção. “Investimos em equipamentos e hoje temos a fábrica da Minersal totalmente automatizada com o que há de mais moderno no mercado para o setor. Isso proporciona que todos os elementos da fórmula nutricional sejam dosados automaticamente, reduzindo qualquer margem de erro”, falou Emilson. Ele lembra que quando iniciou a atividade na década de 80 todo processo era executado de forma manual. Os produtos da marca são

comercializados de forma direta no Estado de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná. “Foi com muita luta que conseguimos alcançar os objetivos da empresa, e nos orgulhamos em comemorar três décadas desta história com respeito aos clientes e garantia de qualidade”, finalizou Emilson Soriano que conta com a participação do filho Ricardo Murad Soriano, 31, na direção da empresa.

Os empresários Emilson e Jurandir


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 71


Negócios e Finanças

Amizade que virou negócio Adilson e Igor comandam o Altas Horas Conveniência Por Wagner Bueno Foto: Fábio Guedes

Q

uem você chamaria para ser seu sócio em um negócio? Alguém em quem você confia, uma pessoa responsável, honesta? Seu melhor amigo? Escolher um parceiro para uma sociedade normalmente não é tarefa fácil, exceto para Adilson e Igor. Após anos de convivência no trabalho [eram moto taxistas na mesma empresa], eles decidiram mudar o

rumo e administrar o próprio negócio. “Durante o tempo em que conversávamos no trabalho, a gente sempre pensava em montar alguma coisa, e um dia tomamos a decisão e largamos o emprego”, disse Adilson. Foi desta maneira que surgiu a Altas Horas Conveniência. Instalada na avenida Tiradentes, o empreendimento inaugurado em meados de abril completa

quatro meses. “Resolvemos empreender em um momento que a economia não está a mil maravilhas. Apesar de também sofrer com a crise, a loja tem superado as expectativas”, destacou Igor. A conveniência possui horário diferenciado de funcionamento até às 04h da manhã e atende aos domingos e feriados. O local oferece variedade de produtos e ótimo preço.

Bebidas em Geral Carvão Gelo ana e Sems d s i a Fin Feriado e

Depósito e Conveniência 72 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

PAGUE COM CHEQUE OU CARTÕES


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 73


Negócios e Finanças

Por Wilson Antonio dos Santos Dourado

MBA em Planejamento Estratégico pela FGV-SP, MBA em Estratégias de Investimentos e Finanças pela Universidade de Chicago. (11) 98686-3343 / (41) 99898-6474 E-mail wadourado@gmail.com

Liberdade ou Riqueza?

N

ão é sobre ter muito dinheiro ou pouco dinheiro. Quando penso em riqueza, logo me vem a mente ter bastante dinheiro, conseguir maiores salários e conquistar bens diversos para ter conforto e luxo. Mas será que é isto mesmo? Será que esta é a melhor forma de acordar todos os dias e pensar “Como é bom ser rico” e ter uma jornada de trabalho frenética para conseguir manter todo o conforto e luxo, e o status de rico na sociedade? Olhando mais profundamente o que vem a ser alcançar um patamar de riqueza, eu penso mais em alcançar um patamar de liberdade, isto mesmo, liberdade financeira. Este é um conceito que vai muito além da riqueza, pois ser rico, não necessariamente te traz qualidade de vida, muito pelo contrário, tenho visto muitos ricos por aí que não tem tempo para a família, estão adoecendo e morrendo por conta do estresse. Ter liberdade financeira é o que pode realmente te trazer qualidade de vida. Ter qualidade de vida é poder acordar todos os dias em paz, sabendo que não tem dividas a serem pagas, sabendo que sua renda supera suas despesas, e que você pode realizar seus sonhos. Daí você me pergunta: Como faço para realizar meus sonhos, se meu salário é baixo e tenho muitas contas a pagar? A resposta é simples, mas não é de fácil aceitação. O Status de riqueza verdadeira de cada pessoa vem do gastar menos do que ganha. Cada pessoa precisa se adaptar ao seu real padrão de vida financeira, e não viver no padrão de vida que gostaria de ter. É muito comum ouvir dizer que, quanto mais se ganha, mais se gasta. Isto acontece, porque as pessoas querem sempre viver num patamar de conforto acima do que o que realmente pode ter, e nisto, passa a vida toda correndo atrás do prejuízo, pagando financiamentos e empréstimos, para manter algo que ele não pode ter, e deixa de lado o conforto, a paz e principalmente sua liberdade. Independente de quanto é a sua renda, a certeza é uma só. Viva com o dinheiro que você tem, e não com o dinheiro que você acredita que terá no mês seguinte, ou no ano seguinte. Compre seus bens a vista, caso não tenha todo o

74 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

dinheiro, não entre em dividas, melhore seu planejamento, tenha paciência e espere o tempo que for necessário para poder adquirir as coisas, sem se endividar. Existem alguns princípios muito importantes que uma pessoa rica de verdade e que tem liberdade financeira, tem que seguir, principalmente num país como o nosso cheio de crises e desafios. O primeiro deles é que as pessoas devem possuir dinheiro guardado para os imprevistos da vida. Ter uma poupança, um fundo de investimento, ações em bolsa ou qualquer outra forma de dinheiro poupado que você acredita que se enquadre melhor no seu perfil. O segundo é tão importante quanto o primeiro. Guarde dinheiro para realização de seus sonhos. Não entre em dividas para realizar seus sonhos, pois somente assim, a realização será plena. Se seu sonho é trocar de carro, viajar, comprar uma casa na praia ou simplesmente ter dinheiro para comer uma pizza todos os finais de semana, faça isto com dinheiro a vista, sem utilizar o cheque especial, cartão de crédito ou empréstimos. Não desperdice seu dinheiro pagando juros. Com este cenário muitas pessoas me procuram e perguntam. Ok, gostaria de seguir estes conselhos e guardar este dinheiro, mas tenho muitas dívidas, que consomem todo o meu orçamento. Neste caso, você deve procurar renegociar suas dividas, de forma que consiga reduzir juros e taxas, e que o valor a ser pago mensalmente não atrapalhe você a guardar dinheiro. Para que isto tudo de certo, você precisa ter planejamento e autocontrole. Precisa elencar prioridades em sua vida financeira, e eu recomendo a seguinte priorização, para que você viva feliz e com liberdade. 1 – Poupar para eventuais crises. 2 – Poupar para realizar seus sonhos. 3 – Pagar suas dividas. 4 – Pagar suas contas mensais. Lembre-se que se estes 4 itens não couberem em seu orçamento, você deve diminuir o tamanho do seu sonho e também reduzir seus gastos mensais, se adequando ao seu real patamar de vida financeira. Acredite, se você seguir estes passos, com certeza você terá uma vida mais agradável.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 75


Negócios e Finanças

Volkswagen faz investimento bilionário em novos produtos Para produzir a linha do novo Polo no Brasil marca investiu R$ 2,6 bilhões

Produção do Polo nacional já começou na fábrica de Anchieta (SP) - Imagem: Divulgação

A

Por Editoria de Veículos

Volkswagen iniciou a produção do novo hacth Polo, confirmou a chegada do sedã Virtus e até o desembarque de um utilitário esportivo no mercado brasileiro para breve. O primeiro a chegar às lojas é o Polo. O veículo até já vem sendo fabricado em uma das plantas da marca, em São Paulo. O automóvel chega repleto de tecnologia e bem diferente da antiga versão. Para receber o Polo, que será lançado nos próximos meses, e o Virtus, sedã programado para o primeiro trimestre de 2018, a Volkswagen está investindo alto. Foram R$ 2,6 bilhões na modernização da antiga fábrica Anchieta. A mesma de onde há quase 70 anos saiu a primeira Kombi produzida no Brasil. Esse valor é apenas uma parte dos investimentos programados pela empresa no Brasil, até 2020, num total de R$ 7 bilhões. Volkswagen

A Volkswagen está se preparando para a maior ofensiva de produtos em sua história e trabalha no sentido de ser mais rápida, mais enxuta e também mais eficiente. Esta semana as linhas de montagem da fábrica Anchieta iniciaram a produção do Polo 2018. A empresa quer recuperar o mercado que vem perdendo nos últimos anos para modelos da Fiat, Chevrolet e Hyundai. 76 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

“A chegada dessas novidades, em linha com o que há de melhor no mundo, e atendendo a necessidades dos consumidores da América do Sul faz parte da construção de uma nova Volkswagen. E 2017 marcará a virada de página da Volkswagen do Brasil”, diz David Bowles, presidente da Volkswagen do Brasil e América do Sul. O Polo brasileiro contará com uma suspensão 20 mm mais alta que o modelo europeu. O acerto de suspensão foi feito para as condições brasileiras. Segundo o fabricante, o modelo fabricado na Anchieta também contará com design frontal exclusivo, que é resultado de clínicas realizadas com clientes brasileiros. Ainda não foram divulgadas as versões que o Polo nacional terá, mas são esperadas a versão com motor 1.o turbo; outra com motor 1.6 e até uma esportiva GTi de motor 2.0. Já em relação ao Virtus, até agora está confirmado apenas o nome. Ainda não há qualquer pista de como será o sedã da Volkswagen, mas espera-se que seja a versão sedã do Polo. A Volkswagen não descarta também a chegada de um SUV da marca. O modelo mais cotado é o Atlas, lançado em outubro do ano passado nos Estados Unidos. Ele é um utilitário esportivo moderno para sete ocupantes e posicionado entre o Tiguan e o Touareg.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 77


Saúde

Hibisco: o chá do momento

O

Por Nathália Oliveira

chá de hibisco é feito das flores e botões do Hibiscus Sabdariffa, espécie de planta diferente daquela ornamental, comum nos jardins e é o queridinho do momento para auxiliar na perda de peso. Além de estimular a queima de gordura corporal, facilita a digestão, regulariza o intestino e combate a retenção de líquido. O que dá esse poder ao hibisco? A alta concentração de antocianina – pigmento da família dos flavonoides -, que tem ação antioxidante (tira boa parte dos radicais livres de cena) e antiinflamatória (combate a inflamação das células, permitindo que elas voltem a exercer totalmente suas funções), além de ser um vasodilatador e ter efeito cardioprotetor. O organismo então deixa de acumular toxinas – substâncias inimigas que dificultam o emagrecimento. O chá de hibisco também emagrece porque contém um inibidor que bloqueia a produção de amilase, uma enzima que transforma o amido em açúcar. Beber chá de hibisco após as refeições vai ajudar a reduzir a absorção de carboidratos, o que gradualmente levará à perda de peso. Outras substâncias presentes na planta agem em áreas diferentes. No estômago, facilitam a digestão; no intestino, impedem parte da absorção do carboidrato e da gordura dos alimentos; e nos rins, anulam temporariamente a ação do hormônio antidiurético, quando o organismo aproveita para se livrar do excesso de líquidos. O hibisco ainda 78 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

tem vitamina C, que diminui a pressão na parede dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação, e cálcio, um mineral importantíssimo para os ossos e um facilitador na perda de peso. Mas o chá sozinho não faz milagre; ele deve ser associado a uma dieta. De nada adianta tomar litros de chá para limpar o organismo e comer alimentos cheios de toxinas. Modo de fazer o chá

Leve um 1 litro de água ao fogo. Assim que começar a levantar as primeiras bolhinhas, acrescente 2 colheres (sopa) cheias do hibisco seco (ou 2 sachês). Desligue o fogo, tampe e deixe descansar por 5 minutos (10 no máximo). Coe em seguida. Evite voltar a aquecer para não diminuir os efeitos terapêuticos da planta. Existem outras ervas que podem turbinar o chá de hibisco, como a cavalinha e alfafa que fazem o resultado na cintura aparecer mais rápido. Para isso, faça o chá com 1 litro de água, 1 col. (sopa) de hibisco e 1 col. (sopa) de cavalinha ou alfafa. Um estudo publicado no Journal of Nutrition concluiu que o chá de hibisco também ajuda a baixar a pressão arterial. A pesquisa contou com 65 pacientes que tiveram os níveis de pressão arterial reduzidos. Os estudiosos acreditam que alguns flavonoides presentes na bebida proporcionariam este benefício ao diminuir uma enzima que atua sobre a pressão arterial. A isto se soma o seu efeito diurético, que também baixa a pressão.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 79


Saúde

Morte de bebê faz aumentar cuidados com aleitamento materno Caso de óbito foi registrado em Presidente Venceslau no início de agosto

N

os primeiros dias deste mês de agosto a população de Presidente Venceslau sofreu com a notícia da morte de uma bebê de três meses de vida. A principal suspeita da equipe médica é de que ela tenha morrido engasgada com o leite materno, e foi atestada insuficiência respiratória e parada cardíaca como causas do óbito. A causa da morte da bebê em Presidente Venceslau tem sido algo recorrente em todo o país. O engasgo é um dos principais vilões dos recém-nascidos e assusta mães e pais. Então se acontecer com o seu bebê, acalme-se. Buscamos algumas dicas para proceder em casos de engasgamento com leite materno. Uma delas é sempre alimentar o bebê enquanto ele estiver sentado; não oferecer o leite quando o bebê estiver deitado. As orientações fazem parte de um material de divulgação elaborado pelo Corpo de Bombeiros. Veja abaixo. 1 - O engasgamento pode ocorrer no início da amamentação. Após 15 segundos, tire a boca do bebê do peito, para que ele possa recuperar a respiração. 2 - Se estiver deitada, não amamente a criança. As chances tanto da mãe dormir, quanto do bebê sufocar são maiores. 3 - Mantenha o berço sem objetos soltos. Cobertores, bichos de pelúcia ou protetores de berço podem sufoca-lo 4 - Quando terminar a amamentação aguarde 15 minutos antes de deitar o bebê na cama ou berço. Mesmo que ele já tenha arrotado. 5 - Na hora de dormir, deixe o bebê de costas, com a cabeça voltada para o lado. Nos primeiros 3 meses de vida, deixe o colchão levemente inclinado, para que a cabeça fique elevada. BOM SABER Em bebês menores de um ano, de acordo com especialistas, o mais comum é engasgar com líquidos, principalmente o leite materno. TOME NOTA 1 - Se o bebê não chora e não respira, sua pele ficará arroxeada. Mantenha a calma e peça ajuda no telefone 192 ou 193. 80 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

2 - Se for fácil, remova a roupa do tórax do bebê. 3 - Mantenha o bebê voltado para baixo, com a cabeça ligeiramente mais baixa que o tórax, apoiada em seu antebraço. Sustente a cabeça e a mandíbula do bebê com a mão. 4 - Dê até 5 (cinco) tapas no meio das costas do bebê, utilizando o calcanhar das mãos (figura 1). 5 - Vire o bebê e o apoie no seu antebraço. No centro do peito na altura dos mamilos, faça 5 (cinco) compressões no tórax, com os dedos médio e anelar (figura 2). 6 - Repita a sequência de 5 tapas nas costas e 5 compressões torácicas até o bebê desengasgar. 7 - Nessas condições o líquido deve sair pela boca e nariz. O choro é um bom sinal de recuperação. 8 - Se houver reação do bebê, coloque-o em posição confortável. É fundamental que a criança passe por uma avaliação médica. 9 - Se não houver reação com as manobras efetuadas ou se o bebê perder a consciência, inicie a ressuscitação cardiopulmonar (RCP). 10 - Coloque a criança deitada de costas em uma superfície rígida (figura 3). 11 - No centro do peito, na altura dos mamilos, usando os dedos médio e anelar, pressione o mais rápido e fundo possível o

tórax do bebê (figura 4). 12 - A manobra deve ser efetuada com a frequência mínima de 100 compressões por minuto e não deve ser interrompida até a chegada do socorro.

EM CASO DE EMERGÊNCIA: 1 - Mantenha a calma. 2 - Passe o endereço da emergência com nome da cidade, rua, número e algum ponto de referência. 3 - Confie e responda às perguntas do atendente do Corpo de Bombeiros. 4 - O serviço 193 destina-se a emergências. Fonte: Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 81


Saúde

Óleo de coco, você sabe como usar?

Por Nathália Oliveira

O

óleo de coco está em evidência e seus benefícios geram divergências entre especialistas. Tido como uma “febre do momento”, é utilizado há milhares de anos. O óleo de coco tem benefícios comprovados cientificamente. Há dois tipos de óleo de coco, o refinado e o extravirgem: um é produzido a partir do coco seco e o outro a partir do coco fresco, sem a necessidade de altas temperaturas ou processos químicos para fazer a extração. O coco é composto por ácidos graxos de cadeia média (ou triglicérides), em especial o ácido láurico, que são gorduras benéficas à saúde. Essas gorduras são melhor absorvidas pelo corpo, principalmente pelo fígado. São convertidas rapidamente em energia e não se acumulam em forma de gordura no corpo. Um estudo feito no Canadá no ano 2000, mostrou que pessoas que consumiam o óleo de coco tinham uma maior oxidação das gorduras, processo que causa sua quebra, do que as pessoas que seguiam dietas com óleos comuns. Quando a gordura é quebrada no tecido adiposo, ela é usada em forma de energia, ou seja, não se acumula no organismo na forma dos temidos pneuzinhos. Outra pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro indica ainda que o óleo de coco nos ajuda a acelerar o metabolismo do organismo. Isso porque o ácido láurico faz as células trabalharem de forma acelerada, consumindo assim mais calorias, o que evitaria o acúmulo de gordura localizada e como resultado favoreceria a perda de peso. De acordo com a pesquisa, o óleo também seria responsável por aumentar o volume de massa magra, os músculos, outros aliados por demandar mais gasto de energia do organismo,

82 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

ajudando o emagrecimento. O óleo de coco é muito versátil, mas você sabe como usá-lo? Além do uso na cozinha, ele pode ser um aliado da beleza, sendo utilizado como máscara nos cabelos e hidratante para o rosto. Ele promove a hidratação da pele e cabelos, ajuda a eliminar o colesterol, fortalece o sistema imunológico e ajuda a queimar gordura. Óleo de coco nos cabelos: Preparar máscaras caseiras com óleo de coco é bem simples, sendo apenas necessário escolher alguns ingredientes para a máscara e adicionar algumas colheres de óleo de coco para que o seu cabelo fique mais nutrido, hidratado e forte. Dicas de máscaras: Misture óleo de coco, gel de babosa e mel. Aplique nos cabelos limpos e úmidos, por 20 a 25 minutos. Se quiser potencializar o efeito hidratante, utilize touca térmica ou toalha quente. Lave com shampoo para retirar os resíduos. Misture uma banana e meio abacate amassados com algumas colheres de óleo de coco. O procedimento é o mesmo da primeira máscara. Você pode também fazer a umectação (processo que repõe os nutrientes perdidos pela poluição e processos químicos) dos cabelos utilizando óleo de coco e azeite extravirgem. Na pele: O óleo de coco é benéfico para a pele, pois age como um antifúngico e bactericida natural, apresentando um elevado poder hidratante para a pele, sendo facilmente absorvido. Na boca: Não é legal ficar com os lábios rachados. Seja bochechando ou usando como hidratante labial, o óleo de coco é uma ótima pedida para melhorar a aparência da boca.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 83


Por Dra. Liléa Fernanda Gonçalves Répelli

Saúde

Médica CRM: 125-598

Conheça a Lipopapada Enzimática

N

ada mais é do que a aplicação de ácido deoxicólico na papada. A função dessa enzima é combater a gordura da papada - também chamada de queixo duplo. O procedimento é menos invasivo e com menor risco que a lipoaspiração, por exemplo, até então a opção mais comum para casos assim. O acúmulo de gordura na região submentoniana, abaixo do queixo, causa um certo incômodo estético em muitas pessoas. A aplicação é simples e rápida, feita através de seringas com agulhas bem finas, com aplicação de anestésico tópico e gelo. Geralmente, são realizadas de 3 a 6 sessões, com intervalo de 20 a 30 dias entre elas. O ácido deoxicólico é uma molécula encontrada naturalmente em nosso organismo. O tratamento, contudo, utiliza uma versão sintética da substância. Ela age no sentido de quebrar adipócitos, que são as células de gordura, sendo eliminadas na

84 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

corrente sanguínea. Os resultados já podem ser percebidos após a primeira sessão. E se o paciente não tiver um aumento de peso significativo, o efeito das aplicações do ácido deoxicólico é extremamente duradouro. A partir da aplicação do ácido deoxicólico, o organismo inicia um processo inflamatório no local, que resulta na eliminação da gordura. O tratamento não necessita de internação ou afastamento de suas atividades. Vermelhidão e inchaço são os efeitos colaterais mais comuns, contudo não causam maiores problemas e somem em poucos dias. O uso do ácido deoxicólico não é aconselhável para pacientes com excesso de pele e flacidez, pois ele não vai apresentar seu melhor desempenho e nem combater essa flacidez. E por se tratar de um procedimento relativamente novo, sua aplicação em outras parte do corpo é contraindicada.


Rua Carlos Gomes, 871 Pres. Venceslau (SP)

@

web

www.itscar.com.br

www.itscar.com.br www.itscarpv.blogspot.com.br

Clique, disque ou envie!

Na compra ou troca efetuada através do STANDER DA FAIVE por um da equipe Itscar Web, você vai ganhar dois (2) ingressos para assis r o show que quiser!!

(18) 3271-7853 (18) 99665-5520

HE N A G e !! s o s s e Ingr

Durante a FAIVE

Compre, troque, ou financie um carro

2

para ganize r o e s no ão á... ent u carro d e s o r ã a n i c a Se aind rocar ou finan SCAR r, t RÃO IT I E F compra O PRÓXIM

eirão

º

OS R R A C de de 2

semi-novos

Pres. Venceslau

Outu e d 2 2 0a

br o

A melhor forma de comprar, trocar ou financiar seu carro! celas r a p s a ade n nto e + facilid o financiame ade n ocê pagar! d i l i g a + ara v - juros p

as t s i j o L + de 10 Carros 0 + de 30 Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 85


Dr. Vallentim Grion

Saúde

CRO 85690 - Cirurgião Dentista Especialista em Implantes Dentários Membro da Academia Brasileira de Osseointegração Cirurgião Credenciado por Banco de Tecido Ósseo Cirurgião Credenciado pelo Sistema Nacional de Transplantes Diretor da Clínica Grion Odontologia

Tive dor de dente, mas passou com o tempo. Preciso me preocupar ou ir ao dentista?

D

or de dente: quem já sentiu sabe o desconforto que causa. A recomendação neste momento é procurar seu dentista para investigar o que tem causado o incômodo. Entretanto, por algum motivo, você foi adiando essa consulta e a dor simplesmente passou. Que ótimo! Problema resolvido... será? Não se engane! A dor pode voltar e ainda mais forte. Isso é um sinal do seu corpo indicando que algo não vai bem e, quanto mais cedo for tratado, menos complicações trará. A dor de dente passou, mesmo assim, devo ir ao dentista?

Ela pode ser constante, aparecer de vez em quando ou ser despertada com a ingestão de um alimento ou bebida. De fato, existem vários tipos de dores e incômodos que podemos sentir nos dentes. Porém, em caso qualquer alteração, mesmo sendo passageira, não podemos negligenciar. O ideal é sempre procurar ajuda de um dentista para não tornar a complicação em algo mais grave. “Alguns problemas bucais, como a cárie e a doença periodontal, podem evoluir e se agravar sem o tratamento adequado”. No caso da doença periodontal, o estágio avançado acaba resultando na perda dentária e não é isso que você 86 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

espera para o seu sorriso, certo? Possíveis causas de uma dor de dente

Quando a dor vem e some do nada, ela pode ser causada por uma pulpite, que é a inflamação reversível na polpa (a parte nervosa e vital do dente). O tratamento desse problema consiste na total remoção da cárie e, depois, na restauração do elemento dentário através de resina. Caso este problema não seja diagnosticado e tratado precocemente, ele pode evoluir para uma pulpite irreversível e, neste caso, o paciente necessitará de tratamento de canal. Mesmo a dor passando, não finja que nada aconteceu. Procure ajuda! Seu tratamento será bem mais simples e tranquilo. Como o dentista pode ajudar o paciente com dor de dente?

Sabemos que o dentista é o profissional mais indicado a cuidar de qualquer problema bucal. Mas para que esse especialista consiga realizar o diagnóstico correto, é importante o paciente colaborar, contando todo o histórico detalhado da dor. Assim, com uma anamnese bem conduzida e um exame clínico apurado, o cirurgião dentista será capaz de indicar a causa do incômodo e planejar o tratamento mais adequado para o caso.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 87


Saúde

Intolerância à Lactose

I

ntolerância à lactose é o nome que se dá pela incapacidade total ou parcial de digerir um tipo de açúcar presente no leite e derivados chamado lactose. Existem vários outros açucares na natureza: os mais comuns são sacarose (utilizado em casa), glicose, frutose, maltose, etc. Essa incapacidade de digerir o açúcar se dá pela ausência de uma enzima chamada LACTASE que é responsável pela quebra da molécula da lactose para depois sua transformação em glicose, que dá energia ao corpo. Os sintomas dessa intolerância variam de acordo com a maior ou menor quantidade de leite e derivados ingeridos, os mais comuns são diarreia, náuseas, vômitos, dores abdominais e inchaço; em bebês podem aparecer assaduras perianais e cólicas. Essa intolerância podem ser:

PRIMÁRIA - Geralmente ocorre em função do envelhecimento. Após a infância é natural a diminuição da produção de lactase. SECUNDÁRIA - Quando a produção de lactase é afetada por meio de alguma doença. Por exemplo: Doença de Crohn, Celíaca, Síndrome do Intestino Irritado e outras. CONGÊNITA - Nesse caso, a pessoa não produz lactase desde o nascimento. De todos os 88 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

quadros, esse é o mais raro, onde a lactose não pode fazer parte da dieta durante a vida toda. Para ter certeza de que é realmente a intolerância à lactose que está causando esses sintomas, o médico, além de uma boa avaliação clínica, poderá solicitar alguns exames, como: • Exame de tolerância à lactose, em que o paciente ingere um líquido rico em lactose para, depois, realizar um exame de sangue e verificar a quantidade de glicose na corrente sanguínea. • Exame de hidrogênio expirado, em que o paciente também ingere um líquido com altas quantidades de lactose para que o médico, depois, analise a quantidade de hidrogênio expelido pelo hálito do paciente. • Medidor de ácidos. A lactose não ingerida produz ácido láctico no organismo, que consegue ser identificado por meio de um medidor de ácidos. Pesquisas mostram que 70% dos brasileiros apresentam algum grau de intolerância à lactose, que pode ser leve, moderado ou grave, segundo o tipo de deficiência apresentada. Uma distinção importante que se deve fazer é entre a intolerância a lactose e a alergia ao leite. A alergia é uma reação imunológica adversa às proteínas do leite, os sintomas da alergia vão desde alterações na pele até alterações respiratórias como tosse e bronquite.


Revista FOCO | julho/agosto 2017 | 89


90 | Revista FOCO | julho/agosto 2017

Revista Foco - Julho/Agosto 2017  

Edição especial Faive 2017. Feira Agropecuária e Industrial de Presidente Venceslau que completou 41 anos. Na capa o destaque para o cantor...

Advertisement