Page 1


© 2017. Serviços de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná – SEBRAE/PR Todos os direitos reservados. A produção não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (lei n. 9.610). Informações e contato: Sebrae/PR Rua Caeté, 150 – Prado Velho 80220-300 Curitiba PR Telefone: 41 3330-5929 www.sebraepr.com.br Presidente do Conselho Deliberativo Edson Campagnolo Diretoria Executiva Vitor Roberto Tioqueta Julio Cezar Agostini José Gava Neto Gerência da Unidade de Ambiente de Negócios César Reinaldo Rissete Coordenação PROGRAMA SEBRAEtec - PARANÁ Ana Lúcia de Sousa Autoria Ana Lúcia de Sousa Dórian L. Bachmann Organização Bachmann & Associados Ltda. www.bachmann.com.br

2


Diagnóstico de Viabilidade e Maturidade para Implantação de E-commerce

Programa SebraeTec

Sumário Objetivo ............................................................................................................ 4 Introdução ........................................................................................................ 4 Considerações ................................................................................................. 4 Orientações ..................................................................................................... 5 Questões ......................................................................................................... 6 Caracterização da empresa ...................................................................... 6 Perfil empreendedor .................................................................................. 6 Planejamento ............................................................................................ 6 Aspectos legais ......................................................................................... 7 Marketing .................................................................................................. 7 Operação e logística ................................................................................. 7 Gestão financeira ...................................................................................... 8 Monitoramento .......................................................................................... 8 Relatório .......................................................................................................... 8 Glossário .......................................................................................................... 9 Referências .................................................................................................... 12 Anexo I - Ficha SebraeTec de Serviços Digitais ........................................... 13 Anexo II - Modelo de Relatório ...................................................................... 15

3


Diagnóstico de Viabilidade e Maturidade para Implantação de E-commerce

Programa SebraeTec

Objetivo Oferecer orientações para a redação do Relatório “Diagnóstico de Viabilidade e Maturidade para Implantação de E-commerce” que deve preceder à aprovação de proposta para a execução de serviços relacionados ao comércio eletrônico por meio do Programa SebraeTec.

Introdução Muitas pessoas imaginam que basta ter um site de vendas na internet para começar a ganhar dinheiro e esquecem pontos importantes, como a concorrência acirrada existente no ambiente virtual, a necessidade de praticar bons preços, ter prazos de entrega curtos, oferecer variedade de produtos, arcar com o custo das devoluções, etc. Esta análise preliminar do negócio, e do conhecimento e visão do empreendedor, objetiva determinar o nível de preparo existente para que se possa decidir por apoiar ou não a instalação de um novo negócio de ecommerce por meio do SebraeTec, visando proteger o SEBRAE e o próprio empreendedor de decisões imaturas ou tomadas com base em análises superficiais.

Considerações Este documento se destina aos técnicos que dão apoio aos clientes na contratação dos serviços SebraeTec e é composto pelas seguintes partes: Orientações – Oferece diretrizes e orientações para a redação do Relatório “Diagnóstico de Viabilidade e Maturidade para Implantação de E-commerce”, exigido como requisito para a execução pelo SebraeTec. Questões – Apresenta as questões que permitem conduzir uma entrevista estruturada, com a finalidade de colher as informações necessárias à redação do Relatório e à recomendação ou não da execução. Relatório – Descreve as duas alternativas para documentar as entrevistas e emitir o parecer. Glossário – Apresenta os principais conceitos referenciados no documento. Nos casos de demanda para fornecimento de plataforma tecnológica para operação e gestão de e-commerce na web ou para aplicativos mobile é necessário [1]: • Que a empresa cliente passe por um diagnóstico de viabilidade e maturidade para atuação com e-commerce, aplicado pelo SEBRAE Estadual, com resultado satisfatório para o desenvolvimento do projeto. • Redigir um Relatório do Diagnóstico, com os detalhes de maturidade e viabilidade da empresa para e-commerce. Esse documento, obrigatoriamente, deverá estar disponível nos sistemas informatizados do SebraeTec nos estados.

4


O questionário, apresentado neste documento, objetiva permitir a coleta estruturada de informações para uma análise que, embora sujeita à alguma subjetividade, para recomendar investimento ou, alternativamente, sugerir que o empreendedor se aprofunde no assunto e busque formas mais baratas de testar suas ideias, antes de partir para seu site próprio. O SEBRAE considera como público potencial para atuação em e-commerce os empresários que têm um negócio físico, em qualquer setor ou segmento, e que desejam atuar no comércio eletrônico [2]. Mesmo que não realize vendas diretas ao consumidor final, empresas podem aceitar pedidos dos atacadistas por meio de uma plataforma digital (ecommerce Business to Business), o que também se caracteriza como ecommerce [2]. Dúvidas devem ser encaminhadas à Coordenação do SebraeTec Paraná, pelo e-mail: sebraetec@pr.sebrae.com.br

Orientações Os pedidos de propostas para os serviços de e-commerce oferecidos por meio do Programa SebraeTec do SEBRAE/PR devem ser precedidos de uma análise para verificar se a empresa e o empreendedor estão preparados para os desafios da implantação e gestão de um comércio eletrônico. Assim, os pedidos serão aprovados apenas após a análise de um Relatório de Diagnóstico que deve ser redigido com base nas respostas obtidas às questões apresentadas neste documento. As questões foram baseadas em vários documentos do SEBRAE, traduzindo a experiência adquirida até o momento. Mas, naturalmente, não cobrem todas as peculiaridades que os empreendedores e os negócios podem apresentar. Assim, é importante observar cada situação com espírito crítico e acrescentar outras informações que possam contribuir para que a decisão de ofertar ou não o atendimento seja melhor tomada. Como resultado desta análise preliminar, o consultor pode concluir por uma das seguintes alternativas: • Não recomendar o serviço pois o negócio, nas condições apresentadas, tem pouco potencial para dar certo. • Não recomendar o serviço nesse momento, pois o negócio precisa realizar uma ou mais atividades para preparação da empresa, como prérequisito para a implantação futura do e-commerce. • Recomendar a implantação do e-commerce.

5


Questões Seguem as questões – agrupadas por estruturada, visando ao diagnóstico.

tópicos – para uma entrevista

Caracterização da empresa 1. Qual o ramo de atuação da empresa? 2. Qual é o momento em que a empresa se encontra? Escolher uma das alternativas a seguir: • Iniciante 100% Digital - Deseja abrir uma loja que funcioná apenas via Internet. • Iniciante Canal Digital - Já tem uma empresa, mas quer iniciar as vendas também pela Internet. • E-commerce em Operação - Já opera na Internet, mas quer ampliar ou melhorar seu negócio. 3. Qual é o porte da empresa? Selecionar entre as alternativas a seguir: • Microempreendedor individual (MEI). • Microempresa (ME). • Empresa de pequeno porte (EPP). 4. Que tipo de produtos ou serviços serão comercializados? Perfil empreendedor 5. O empreendedor fez algum treinamento para se preparar para o comércio eletrônico? Quais? 6. O empreendedor sabe a diferença entre custos fixos e variáveis, conhece fluxo de caixa, indicadores de desempenho e tem outras noções básicas de negócios? 7. O empreendedor tem alguma experiência na comercialização dos produtos que serão vendidos pela Internet? 8. O empreendedor sabe identificar os principais processos do seu ecommerce, desde o pedido até a entrega? 9. O empreendedor já fez compras pela Internet? Planejamento 10. Como o empreendedor avaliou se os produtos/serviços são adequados para a venda por meio eletrônico? 11. Qual o território (local, regional, estadual, nacional ou internacional) que pretende atender? Por quê esse território foi escolhido? 12. O empreendedor fez um Plano de Negócios ou um estudo para verificar a viabilidade econômica da loja virtual?

6


13. A empresa já tem o/os colaborador/es para incluir, alterar e excluir produtos, ordenar promoções, fazer o faturamento e os despachos, gerir a logística reversa, fazer o controle de estoque, etc.? 14. O empreendedor já analisou e comparou empresas parecidas com a que pretende lançar? 15. Qual o número aproximado de produtos que serão comercializados? 16. Qual será o diferencial e o posicionamento, para destacar o negócio em relação aos concorrentes? 17. Para testar o negócio, com menor risco e investimento, o empreendedor considerou fazer algumas vendas usando um marketplace, uma loja em mídia social (Ex.: Facebook) ou outra alternativa de baixo investimento? Aspectos legais 18. O empreendedor conhece os aspectos legais relacionados às vendas pela Internet e aos produtos que pretende comercializar? Marketing 19. Já foi feito um Plano de Marketing ou um Diagnóstico do Mercado, identificando os clientes, concorrentes, fornecedores, mercado e aspectos como produtos, preços, distribuição, etc.? 20. Qual é público alvo para o negócio? Como esse público foi escolhido? 21. Qual é o tipo de negócio (B2C, B2B ou B2G) e o mercado ou nicho pretendido? Por quê? 22. O empreendedor identificou comportamentos do seu futuro consumidor na internet que sejam importantes para o planejamento do e-commerce? 23. Existem muitos concorrentes para o negócio? 24. Como pretende divulgar a loja virtual? 25. O empreendedor estimou o custo da divulgação? 26. Conhece estratégias de marketing digital (Google Adwords, links patrocinados, banners, marketing de afiliados, etc.)? Operação e logística 27. A empresa já possui fornecedores para os produtos que deseja comercializar? 28. A empresa tem loja física? Caso positivo, o estoque da loja virtual será o mesmo da física? 29. Como a empresa pretende fazer as entregas dos produtos?

7


30. O empreendedor conhece os custos logísticos e os canais para entrega dos produtos? 31. O empreendedor considerou a logística reversa (devolução de produtos), que em negócios virtuais é mais elevada que nas lojas físicas? Gestão financeira 32. O empreendedor tem noção dos custos envolvidos na manutenção e operação da loja eletrônica, como registro do domínio (URL), hospedagem do site, eventuais ajustes no software, estocagem e entrega dos produtos, sistemas de segurança e antifraude, sistemas de pagamento, etc.? 33. O empreendedor conhece as taxas de administração dos meios de pagamento (cartões, boletos, etc.) e seu impacto no custo das operações? 34. Os impostos aplicáveis foram considerados nos custos da operação da loja eletrônica? 35. O empreendedor estimou o volume de vendas mensais para a viabilidade financeira da loja virtual (Break even point)? Monitoramento 36. Como o empreendedor pretende avaliar se o negócio vai indo bem ou não?

Relatório O "Relatório de Diagnóstico de Viabilidade e Maturidade para Implantação de Loja Virtual” pode ser apresentado em dois formatos. O primeiro consiste em listar as perguntas e respectivas respostas (resumidas), seguidas da conclusão sobre a conveniência ou não de atender a demanda pelo SebraeTec. O segundo, exemplificado no Anexo II, consiste em apresentar os resultados na forma de texto. Nos dois formatos, é imprescindível a assinatura e dados da pessoa e da empresa que aplicou o diagnóstico, assim como o posicionamento claro sobre a conclusão do diagnóstico. Caso não recomende a implantação do e-commerce nesse momento, o relatório deve listar as atividades que o empreendedor precisa realizar para a implantação futura do e-commerce. Mesmo recomendando a implantação do e-commerce, o relatório pode incluir a exigência de uma ou mais atividades, como pré-requisito.

8


Glossário Este glossário apresenta as principais siglas e conceitos usados neste documento. Atividade da empresa - é a especificação do que a empresa faz para gerar valor a seus clientes. Dentro da indústria, comércio e prestação de serviços, há várias áreas de atuação. B2B ou Business-to-Business - refere-se às transações de negócios realizadas entre empresas pela Internet. (SEBRAE) B2C (Business-to-Consumer) - refere-se à venda de produtos feita na Internet diretamente para o consumidor. (SEBRAE) B2G (Business to Government) - refere-se às transações entre empresas e o Governo, como licitações e editais de compra. (SEBRAE) Backoffice - no comércio eletrônico, essa palavra refere-se a todas as atividades que estão por trás da interface da loja virtual, como gestão de pedidos, logística, atendimento ao consumidor, etc. (SEBRAE) Break-even Point - é o ponto de equilíbrio, quando as receitas da empresa se equivalem às despesas. Este momento deve ser acompanhado de perto pelo gerente de e-commerce e está fortemente ligado ao índice de ROI. Ver ROI. (SEBRAE) Cadeia de suprimento (Supply Chain) - todo processo de aceitação de um pedido de um cliente até a entrega do produto, incluindo as fontes de suprimento. (SEBRAE) Carrinho de Compras (Shopping Cart) - parte essencial de uma loja virtual, corres- ponde à página onde o internauta verifica os itens que deseja adquirir da loja. Para o gerente de e-commerce, é fundamental medir o índice de abandono de visitantes por meio do funil de vendas. Ver Funil de Vendas. (SEBRAE) Comércio Eletrônico - e-commerce - acontece quando se compra ou vende pela internet ou por outras formas de interação digital. O e-commerce permite ao usuário adquirir e à empresa vender, digitalmente, os mais diversos produtos e serviços e em diferentes plataformas. (SEBRAE) Canvas ou Quadro do Modelo de Negócio - é uma ferramenta que permite uma visão global do negócio organizado em nove blocos, facilitando a visualização e construção de hipóteses inovadoras. Os nove blocos são: - Segmento de Clientes - Proposta de Valor - Relacionamento com Clientes - Canais - Parcerias Principais - Atividades Principais 9


- Recursos Principais - Fontes de Receita - Estrutura de Custos Domínio - é o endereço eletrônico do e-commerce na internet. Este nome precisa fazer ligação ao nome da empresa ou ao ramo de atividade que ela opera para ser encontrado pelos clientes. (SEBRAE) E-commerce (Comércio Eletrônico) - refere-se à compra ou venda pela internet ou por outras formas de interação digital. O E-commerce permite ao usuário adquirir e à empresa vender, digitalmente, os mais diversos produtos e serviços e em diferentes plataformas. (SEBRAE) ERP (Enterprise Resource Planning) - sistema de informação que integra todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras etc.) e sob a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio à decisão etc.). Gateway de Pagamento - é um sistema independente de comércio eletrônico que permite a contratação e a integração de diversos meios de pagamento em qualquer tipo de loja online. Hospedagem - é o processo de armazenagem de páginas para a Internet em um computador denominado servidor. Este equipamento está conectado ininterruptamente a uma rede mundial que liga os computadores. (SEBRAE) Indicadores - São representações, numéricas ou não, que permitem quantificar e avaliar os processos e seus resultados. (B&A) Link - é o elemento de conexão entre duas páginas ou dois sites. Quando o Internauta seleciona uma palavra ou figura com link, é levado ao assunto desejado, que pode estar em outra página do site ou mesmo em outro site. Logística reversa de pós-venda - constitui-se basicamente por aqueles produtos que são devolvidos por razões comerciais, erros em processamento de pedidos, dentre outros. (Endeavor) Logística reversa de pós-consumo - caracteriza-se por aqueles produtos já adquiridos, utilizados e descartados pelo consumidor, mas que podem retornar ao seu ciclo produtivo, através canais reversos de pós-consumo como de reciclagem, de reuso e de desmanche. (Endeavor) Marca - todo sinal distintivo, visualmente perceptível, que identifica e distingue produtos e serviços, bem como certifica a sua conformidade com determinadas normas ou especificações técnicas. (INPI)

10


Marketplace - é um espaço virtual onde produtos e serviços de vários vendedores diversos são comercializados. (SEBRAE) Modelo de Negócio - é o processo pelo qual uma organização cria, captura e entrega valores para seus clientes. (SEBRAE) Monitoramento – consiste em observar em determinado período de tempo se as condições de um objeto/equipamento/produto está dentro dos padrões. Negócios digitais - são toda a variedade de empresas que têm o modelo de negócios baseado em algum tipo de atividade digital, compondo, além do ecommerce, as startups, a indústria de games, as agências digitais, as empresas de mídias digitais, entre outras. Netnografia – consiste na análise do comportamento do consumidor na internet e apresenta conceitos de etnografia (entender as pessoas) aplicados ao ambiente digital. Inclui hábitos nas redes sociais, fóruns, comentários de blogs, etc. (SEBRAE) Plataforma de e-commerce – é o sistema responsável pelo gerenciamento e visualização da loja na web. (SEBRAE) ROI - Retorno sobre o Investimento - Índice que mede a rentabilidade de um investimento em relação ao volume de recursos investido. (SEBRAE) SebraeTec – Serviços em Inovação e Tecnologia, do SEBRAE - é um Programa coordenado pelo SEBRAE Nacional e executado pelos SEBRAE estaduais. O Programa garante ao seu público-alvo o acesso subsidiado a serviços tecnológicos, visando à melhoria de processos, produtos e serviços ou à introdução de inovações nas empresas e mercados. (SEBRAE) SEO (Search Engine Optimization) - é um conjunto de técnicas, métodos e/ou estudos que visam melhorar o posicionamento de suas páginas no mecanismo de busca. Quando um usuário digita no mecanismo de busca uma palavra-chave, o objetivo do SEO é fazer com que uma (ou várias) das páginas do seu website apareça entre os primeiros resultados da busca orgânica. (SEBRAE) Site - conjunto de páginas eletrônicas reunidas em um só́ endereço. SKU (Stock Keeping Unit) - Unidade de Manutenção de Estoque - designa os diferentes itens do estoque, diferenciando tamanhos, cores, estando normalmente associado a um código identificador. (SEBRAE) URL - é uma sigla correspondente às palavras inglesas Uniform Resource Locator. Refere-se ao endereço de rede no qual se encontra algum recurso informático como, por exemplo, um arquivo de computador ou um dispositivo periférico (impressora, equipamento multifuncional, unidade de rede etc.). Essa rede pode ser a Internet, uma rede corporativa (como uma intranet), etc.

11


Referências 1. SEBRAE PR. Edital SebraeTec. Serviços Digitais. 2017 (Anexo I). 2. Sebrae. E-commerce - Guia de Atendimento Sebrae ao E-commerce: Orientações e instrumentos. Brasília. 2015. 3. Sebrae. Serviços Digitais - Guia para Construção de Demandas: Ficha Técnica. Brasília. 2016. 4. Sebrae-MG. Programa Sebraetec – Ficha Técnica da Solução Educacional; Área - Serviços Digitais; Subárea - E-commerce; Solução Aperfeiçoamento Tecnológico – Criação de E-commerce. 5. Sebrae. Descritivo do Fluxo de Orientação ao Atendimento. Fornecido por e-mail em 24.01.17. 6. Sebrae. Checklist Estratégico: Programa SebraeTec. Jan. 17. 7. Sebrae-PR. Edital SebraeTec 2017. Jan. 17.

12


Anexo I - Ficha SebraeTec de Serviços Digitais Versão de Janeiro/17 Serviços digitais Conjunto de ações aplicadas nos meios digitais (internet, canais de comunicação e interação remota e tecnologias móveis) para conquistar, fidelizar e ampliar a participação da empresa no mercado. E-commerce Estratégia de negócio para comércio que utiliza Descritivo ambientes digitais para operações de compra e/ou venda de produtos e/ou serviços. Os serviços que poderão ser ofertados na temática de ecommerce podem contemplar as seguintes dimensões do negócio: • Uso de canais digitais para comércio eletrônico; • Planejamento para operação com e-commerce; • Operação de logística específica para e-commerce; • Meios de pagamento e segurança; • Marketing digital e conteúdo; Atuação • Usabilidade e testes diversos para avaliação da interface; • Atendimento e relacionamento com clientes; • Monitoramento da atividade de e-commerce; • Integrações diversas (ERP, CRM, com meios plataformas de pagamento, entre outros); • Arquitetura da informação, design e usabilidade; • Aplicativos ou interface web para mobile; • Clínica tecnológica; E-commerce • Curso tecnológico; Tipos de • Diagnóstico tecnológico; demanda • Oficina tecnológica. atendidos • Aperfeiçoamento tecnológico (verificar subserviços aprovados). Em casos que a demanda seja de fornecimento de plataforma tecnológica para operação e gestão de ecommerce na web ou para aplicativos mobile (front end e back end) será necessário: • Que a empresa cliente passe por um diagnóstico de viabilidade e maturidade para atuação com ePrécommerce, aplicado pelo SEBRAE Estadual, e que requisitos tenha nível satisfatório de viabilidade técnica e econômica para o desenvolvimento do projeto. • Relatório após a aplicação do diagnóstico com os detalhes de maturidade e viabilidade da empresa para e-commerce. Este documento, obrigatoriamente, deve estar disponível nos sistemas informatizados do SEBRAETEC nos estados.

13


Vedações

Compra de mídias digitais de qualquer formato ou para qualquer canal existente (Adwords, Facebook Ads, etc.).

Observaç ões

Todas as demandas para fornecimento de plataforma tecnológica para operação e gestão de e-commerce na web ou para aplicativos mobile deve obrigatoriamente conter documento de planejamento especificando as seguintes dimensões: • Uso de canais digitais; • Operação e logística; • Pagamento e segurança; • Marketing digital e conteúdo; • Usabilidade e interface; • Atendimento; • Plataforma tecnológica; e • Monitoramento. Informações mais detalhadas sobre essa subárea temática encontram-se na ficha técnica de serviços digitais.

Fonte: Edital SEBRAETEC 01/2017 SEBRAE PR

14


Anexo II - Modelo de Relatório Diagnóstico de Viabilidade e Maturidade para Implantação de E-commerce

1. Nome do Projeto Loja virtual para a ACME S/C ME. 2. Objetivo Geral Apresentar os resultados do Diagnóstico de Viabilidade e Maturidade para Implantação de Loja virtual para a ACME S/C ME. 3. A empresa A ACME S/C ME é uma fabricante de balas e pirulitos fundada em 2005. A empresa está instalada em São João do Oeste PR e comercializa seus produtos por meio de distribuidores que atendem os estados do Paraná e São Paulo. A empresa é iniciante no modelo digital e deseja, por meio da Internet, atingir novos mercados em todo o país, vendendo os mesmos produtos que produz atualmente. 3. Justificativa Os clientes da ACME são, em sua maioria, varejistas que compram pequenas quantidades dos doces. Assim, inicialmente a empresa viu a possibilidade de fazer um atendimento direto, permitindo que os clientes pudessem fazer os pedidos pela Internet. Mas, percebeu que esse facilidade também poderia servir para atingir um mercado maior, dado que os pacotes com os produtos são relativamente pequenos e poderiam ser enviados por correio ou transportadoras para todo o país. 4. Público-alvo Empresas varejistas de pequeno porte instaladas em todo o território nacional e que compram doces para revenda. 5. Empreendedor O empreendedor tem conhecimento de negócios e, embora não tenha experiência com canais digitais, apresenta uma visão realista das dificuldades que irá encontrar, mostrando disposição de aprender. 6. Planejamento O planejamento feito deixa a desejar, mas como o e-commerce será apenas um canal adicional de vendas em um negócio existente, os riscos são relativamente baixos e o potencial de crescimento – considerando que a fábrica atual tem ociosidade – é bom. Muitos recursos necessários ao novo negócio, tanto físicos quanto humanos, serão compartilhados com o existente, simplificando a gestão.

15


7. Marketing Na análise feita, o empreendedor encontrou poucos concorrentes voltados para o varejo. A maioria efetua vendas diretamente ao consumidor final, praticando preços mais elevados. Mas, reconhece que essa falta de oferta pode estar ligada ao conservadorismo dos clientes desejados, que ainda têm poucas familiaridade com a Internet. 8. Operação e logística Um ponto bastante positivo é que o sistema de produção (fábrica) e as instalações para estocagem têm alguma ociosidade, não representando gargalo ou necessidade de negociação com terceiros. Também as tarefas administrativas serão, pelo menos no primeiro momento, compartilhadas com as do negócio físico. 9. Gestão financeira O empreendedor mostrou desconhecer diversos custos do negócio digital, como as anuidades relativas ao domínio, hospedagem e recursos de segurança, mas estava informado das taxas de intermediação cobradas pelas empresas de gestão de pagamentos. Ele também está preso às métricas de avaliação tradicionais, como rentabilidade e lucratividade. Recomendações a. O empreendedor precisará conhecer melhor a legislação aplicável ao negócio digital. b. Também terá que conhecer melhor as alternativas de marketing digital para a divulgação do site e se familiarizar com as métricas usadas na gestão de negócios eletrônicos. Mas, considerando que se trata de agregar um canal digital a um negócio existente e a disposição de aprender demonstrada pelo empreendedor, recomendo que seja oferecido o apoio do SebraeTec para a implantação do e-commerce. Data: 31 de janeiro de 2017. Local: Fábrica da ACME, em São João do Oeste PR. Entrevistado: Sr. Ezequiel Batista - proprietário Entrevistador: Roberto de Paula – Paula e Roberto Associados Assinatura do Entrevistador: ___________________________

16

Diagnóstico e commerce Sebrae  

Esse material é um documento orientativo sobre diagnóstico de e-commerce no programa Sebraetec do Sebrae.

Diagnóstico e commerce Sebrae  

Esse material é um documento orientativo sobre diagnóstico de e-commerce no programa Sebraetec do Sebrae.

Advertisement