Page 1

Ano 1 - N° 11 - Dezembro de 2011

www.odontomagazine.com.br

9 772179 879602

ISSN 2179-8796

11

comunicação integrada

Relacionamento

Saúde bucal na melhor idade

capa10.indd 1

09/12/11 16:42


ILUMINE SEU NATAL.

INVISTA EM SOLUÇÕES INTELIGENTES PARA SEU CONSULTÓRIO.

A PARTIR DE

139

R$ ,90 M E N SA I S* Anuncio_pagina-dupla_46x31cm_D700-NATAL.indd 1 2_capa_e pag3.indd 2

Disponível nas versões Flex e Cart.

12/12/11 15:02


MOCHO D700 MOCHO D700 MOCHO D700

RODMIDIA RODMIDIA RODMIDIA *Crédito *Crédito *Crédito sujeito sujeito sujeito aaaprovação. aprovação. a aprovação. Imagens Imagens Imagens meramente meramente meramente ilustrativas. ilustrativas. ilustrativas.

GRÁTIS GRÁTIS GRÁTIS

RODMIDIA

Aproveite este período para garantir mais praticidade e precisão para seu trabalho o Aproveite Aproveite esteeste período período parapara garantir garantir maismais praticidade praticidade e precisão e precisão parapara seu trabalho seu trabalho o o ano todo. Os consultórios D700 possuem movimentos sincronizados e automáticos, ano ano todo. Os consultórios D700 possuem movimentos sincronizados e automáticos, todo. Os consultórios D700 possuem movimentos sincronizados e automáticos, encosto de cabeça biarticulado, unidade auxiliar com temporizador automático, encosto encosto de cabeça de cabeça biarticulado, biarticulado, unidade unidade auxiliar auxiliar comcom temporizador temporizador automático, automático, braço biarticulado e pedal de comando, facilitando seu dia a dia. braço biarticulado e pedal de comando, facilitando seu seu dia adia dia. braço biarticulado e pedal de comando, facilitando a dia.

*Crédito sujeito a aprovação. Imagens meramente ilustrativas.

..

CONFIRA AS CONDIÇÕES IMPERDÍVEIS DE PAGAMENTO. CONFIRA CONFIRA AS AS CONDIÇÕES CONDIÇÕES IMPERDÍVEIS IMPERDÍVEIS DE PAGAMENTO. DE PAGAMENTO.

BANDEJA EM AÇO INOX BANDEJA EMEM AÇOAÇO INOX BANDEJA INOX

DENTAL ALTA MOGIANA COM. DE PRODUTOS ODONT. LTDA. DENTAL DENTAL ALTA MOGIANA ALTA MOGIANA COM. DE COM. PRODUTOS DESOARES PRODUTOS ODONT. LTDA.LTDA. RUA GEN. AUGUSTO DOSODONT. SANTOS, 206 RUA GEN. AUGUSTO SOARES DOS SANTOS, 206 206 PQ. INDUSTRIAL LAGOINHA – 14095-240 – RIBEIRÃO PRETO/SP RUA GEN. AUGUSTO SOARES DOS SANTOS, PQ. INDUSTRIAL LAGOINHA –TEL.: 14095-240 – RIBEIRÃO PRETO/SP 3512.3700 – FAX: (16)PRETO/SP 3512.3703 PQ. INDUSTRIAL LAGOINHA –(16) 14095-240 – RIBEIRÃO TEL.: (16) 3512.3700 – FAX: 3512.3703 WWW.D700.COM.BR TEL.: (16) 3512.3700 –(16) FAX: (16) 3512.3703 WWW.D700.COM.BR WWW.D700.COM.BR

12/12/2011 12:33:03 2_capa_e pag3.indd 3

12/12/2011 12/12/2011 12:33:03 12/12/11 15:0212:33:03 12/12/2011 12:33:03


Editorial

2011: um ano muito positivo e com gosto de quero mais

U

m ano de muitas conquistas para a Odontologia no Brasil, que comprova a evolução das técnicas e de seus profissionais ao longo do tempo, na busca incansável do aprimoramento. O ano de 2011 foi ainda mais propício para as grandes promessas da Odontologia e o divisor de águas entre os novos conceitos, teorias e ações de prevenção e promoção de saúde, que se incluem em todas as especialidades, a fim de transformar a Odontologia em um novo paradigma de saúde, substituindo a então atuação curativa da ainda atual cultura popular. As perspectivas para o ano vindouro são de muitas novidades, como a já citada prevenção e promoção de saúde, que visam, por meio de hábitos, instrução e mudança cultural, evoluir a saúde bucal para que a manutenção e o controle superem a intervenção clínica, em médio e longo prazo. Embora tenhamos uma crescente e veloz evolução nas badaladas Dentística, Periodontia, Endodontia, Cirurgia, dentre outras, as então novas especialidades ganham, cada vez mais, seu papel de destaque, onde se pode citar a Odontologia do Trabalho, que vai permitir uma crescente oferta de empregos para odontólogos e seus profissionais auxiliares, além de exigir, direta e indiretamente, que futuros e atuais funcionários estejam com a saúde bucal em dia; a Odontologia Desportiva, que reconhece e interliga a saúde bucal e sistêmica, com propósito de melhorar o rendimento geral de atletas de todos os níveis e modalidades de esporte; a Odontologia Social Coletiva, que permite a prevenção e promoção de saúde em lugares antes pouco acessados com suas respectivas populações carentes. O novo ciclo dos profissionais da Odontologia cada vez mais expande os limites e as fronteiras das quatro paredes do consultório dentário, permitindo uma atuação mais ampla e uma visão melhor da realidade e da necessidade de diferentes lugares, como escolas, empresas, companhias aéreas, comunidades carentes, atletas e até mesmo populações indígenas, o que torna um Brasil cada vez mais centralizado no sentido de uma saúde bucal igualitária. O balanço desse ano deve ser comemorado, com a também maior e crescente participação dos profissionais da área na sociedade, na política e na mídia, que permite divulgar a profissão e, acima de tudo, levar de uma forma mais rápida, objetiva e eficaz o conhecimento à população em geral. Desse modo, a continuação tende a ser ainda mais efetiva e importante, o que torna o ano de 2012 indispensável para novas descobertas e atitudes perante a comunidade, para que reflitam no sucesso e na expansão cultural, social, politica, econômica da Odontologia, permitindo colocá-la cada vez mais no lugar de destaque e demonstrando a necessidade de uma saúde bucal permanente, aliada a estética e a função. Aproveito a oportunidade para agradecer a todos que proporcionaram um ano de muito sucesso e reconhecimento da Odonto Magazine. Agradecemos também os nossos colaboradores, o conselho científico e os patrocinadores, que permitiram ter esse ano como o primeiro de muitos outros próximos de sucesso e, por fim, agradecemos os leitores, que colaboram, discutem e dissipam informações dessa linda profissão que nos honra. Convido também todos os leitores para publicarem seus casos clínicos, para dividir com a comunidade odontológica seus conhecimentos e experiências. Que tenhamos um Natal feliz e abençoado e um Ano Novo de muitas realizações e prosperidade! Boa leitura!

Edição: Ano 1 • N° 11• Dezembro de 2011 Presidência & CEO Victor Hugo Piiroja e. victor.piiroja@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7501 Gerência Geral Marcela Petty e. marcela.petty@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7502 Marketing Ironete Soares e. ironete.soares@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7500 Financeiro Rodrigo Oliveira e. rodrigo.oliveira@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7761 Bruna Oliveira e. bruna.oliveira@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7765 Arte Débora Becker e. debora.becker@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7509 Sistemas Wander Martins e. wander.martins@vpgroup.com.br t. +55 (11) 4197.7762 Editora e Jornalista Responsável Vanessa Navarro (MTb: 53385) e. vanessa.navarro@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7506 Publicidade - Gerente de Contas Vivian Ceribelli Pacca e. vivian.pacca@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7507

Conselho Científico Augusto Roque Neto, Danielle Costa Palacio, Débora Ferrarini, Diego Michelini, Éber Feltrim, Fernanda Nahás Pires Corrêa, Francisco Simões, Henrique da Cruz Pereira, Helenice Biancalana, Jayro Guimarães Junior, José Reynaldo Figueiredo, José Luiz Lage Marques, Júlio Cesar Bassi, Lusiane Borges, Maria Salete Nahás Pires Corrêa, Marina Montenegro Rojas, Regina Brizolara, Reginaldo Migliorança, Rodolfo Candia Alba Jr., Sandra Duarte, Sandra Kallil Bussadori, Shirlei Devesa, Tatiana Pegoretti Pintarelli, Vanessa Camilo e William Torre. A Revista A Odonto Magazine apresenta ao profissional de saúde bucal informações atualizadas, casos clínicos de qualidade, novas tecnologias em produtos e serviços, reportagens sobre os temas em destaque na classe odontológica, coberturas jornalísticas das mais importantes feiras comerciais e eventos do setor, além de orientações para gestores de clínicas. É uma publicação da VP Group voltada para profissionais de odontologia das mais diversificadas especialidades. Conta com a distribuição gratuita e dirigida em todo território nacional, em clínicas, consultórios, universidades, associações e demais instituições do setor. Odonto Magazine Online s. www.odontomagazine.com.br Tiragem: 37.000 exemplares Impressão: HR Gráfica

Dr. Diego Michelini Membro do Conselho Científico

Alameda Amazonas, 686, G1 - Alphaville Industrial 06454-070 - Barueri – SP • + 55 (11) 4197 - 7500 www.vpgroup.com.br 4

dezembro de 2011

editorial_sumario_revisado.indd 4

13/12/11 10:24


Sumário

pág.

14

Reportagem

18

Entrevista

22

Espaço Equipe

4

Editorial

6

Programe-se

8

Notícias

10

Odontologia Segura

12

Produtos e Serviços

36

Especial: Educação

Dezembro de 2011 • Edição: 11

18 pág.

Odontogeriatria: um mercado promissor Cliques, dentes e saúde bucal Adeus ano velho! Feliz ano novo! Danielle Palacio

24

Relacionamento

28

Ponto de vista

44

Saúde bucal na melhor idade Banco de ossos: pouca gente sabe, pouca gente conhece

48

Colunistas Estética

Gestão

Fernando Massi

O uso da prótese sistema snap-onsmile no aumento de dimensão vertical e estética simultaneamente Colagem de fragmento dental: relato de caso clínico Paula de Carvalho Cardoso

Hugo Roberto Lewgoy 32

Casos Clínicos

Eduardo Fontes Martinho

Artur Cerri 30

30

pág.

32

50

Normas para publicação

julho de 2011

editorial_sumario_revisado.indd 5

5

12/12/11 14:25


Programe-se

Dezembro I World Conference of Social Security 01 a 05 de dezembro de 2011

odontologia, bem como de troca de experiência e atualização em relação ao que há de mais novo em termos de técnicas, equipamentos e produtos para a rotina do consultório.

Julho 2012 19° Congresso Odontológico Riograndense

A conferência visa promover um diálogo equitativo entre governos e da sociedade civil internacional, através da mobilização de delegações nacionais constituídas por lideranças do governo, acadêmicos, representantes de movimentos sociais e dos trabalhadores, cujas discussões devem apontar para a consolidação dos já existentes sistemas universais e promoção do desenvolvimento de novas iniciativas.

São Paulo - SP

14º Congresso Internacional de Odontologia do Distrito Federal

O evento é um dos maiores encontros científicos e educacionais da Odontologia na América Latina. Seu público tem uma média de 7.000 profissionais do segmento odontológico, especialistas ou não, com interesse em trocar experiências, discutir o mercado de trabalho, tendências e se atualizar com as novas técnicas e produtos odontológicos.

Brasília – DF

21 a 24 de março de 2012

Porto Alegre (RS)

confmundial@saude.gov.br

***

III Jornada Acadêmica Odontológica da FO - UFMG 05 a 07 de dezembro de 2011

A III Jornada Acadêmica Odontológica da FO-UFMG tem como objetivo geral a divulgação científica, o intercâmbio de experiências bem como a comemoração dos 25 anos de funcionamento do “Programa de Extensão Traumatismos Dentários” da FO-UFMG.

Pampulha – MG www.cursoseeventos.ufmg.br

***

2o Simpósio Internacional de Fissuras Orofaciais e Anomalias Relacionadas 10 e 11 de dezembro de 2011

O objetivo do encontro é divulgar as pesquisas desenvolvidas pelos pós-graduandos da instituição e discutir medidas de prevenção e tratamento. Também será debatida a criação de núcleos de assistência e pesquisa em diferentes regiões do país.

11 a 14 de julho de 2012

www.ciosp.com.br

***

Março 2012 O encontro científico e comercial objetivam atender a grande demanda de profissionais do ramo odontológico, e principalmente dar atenção especial para o público de especialistas, mestres, doutores e profissionais que estão a busca de novos materiais, novas tecnologias e pesquisas.

Brasília – DF www.ciodf.com.br

***

Abril 2012 21º COPEO – Congresso Pernambucano de Odontologia 12 a 15 de abril de 2012

O tema principal do evento nos convida para a reflexão sobre as vidas profissionais, pessoais, interpessoais, enfim, naquilo o que possível fazer para alcançar mais qualidade de vida pessoal como também dos pacientes assistidos nos consultórios e serviços assistenciais.

Recife – PE www.copeo.com.br

***

Setembro 2012 3º Congresso Internacional de Odontologia do Mato Grosso do Sul 18 a 21 de setembro de 2012

A 3° edição do Congresso Internacional de Odontologia de Mato Grosso do Sul promovido pela ABO – Associação Brasileira de Odontologia -, integra, desde a primeira edição, o calendário oficial dos mais importantes eventos Odontológicos do País.

Campo Grande - MS www.aboms.org.br

***

1º Congresso Brasileiro de Halitose 20 e 21 de setembro de 2012

Pela primeira vez os grandes de nomes da Halitose reunidos em um só Congresso. O evento é promovido pela ABHA.

Fortaleza – CE ***

Bauru – SP

www.abors.org.br

www.abha.org.br

www.centrinho.usp.br/eventos

***

Janeiro 2012 30º Congresso de Odontologia de São Paulo – CIOSP 28 a 31 de janeiro de 2012

O CIOSP representa uma grande oportunidade de encontro entre profissionais de

6

programe-se.indd 6

13° Congresso de Odontologia do Espírito Santo 28 a 30 de abril de 2012

O evento reunirá renomados profissionais das Odontologia que apresentarão as técnicas mais recentes.

Vitória - ES www.aboes.org.br

***

dezembro de 2011

12/12/11 14:27


programe-se.indd 7

12/12/11 14:27


Notícias Acompanhamento de dentista garante clareamento dental seguro

O clareamento dental começa a se popularizar graças ao barateamento do preço dos serviços. Mas o que deveria ser encarado como uma alternativa para deixar os dentes saudáveis e o sorriso mais bonito está preocupando especialistas em odontologia de todo o Brasil. “A popularização dos clareadores dentais e sua venda indiscriminada diretamente ao consumidor podem causar sérios danos à saúde. Há muitos riscos quando se realiza o procedimento sem acompanhamento de um dentista. Por exemplo, uma cárie, mesmo que ainda não tenha se manifestado, pode ser porta de entrada para danos mais sérios, causando injúria e sensibilidade. Já um dente com tratamento de canal necessita de uma técnica especifica que só deve ser feita em consultório”, afirma Constanza Odebrecht, consultora técnica da FGM Produtos Odontológicos e professora da Universidade do Vale do Itajaí (Univali). Além disso, o paciente pode apresentar, sem saber, processos infecciosos, como doença periodontal ou abcessos. Por isso, o dentista deve acompanhar o clareamento dental. Outro cuidado é checar a existência de restaurações muito amplas - o que contraindica o procedimento - ou a necessidade de substituição delas, já que materiais restauradores não clareiam. Mesmo na técnica caseira, em que o clareamento é feito em casa, é fundamental a supervisão de um especialista. “O pa-

8

noticias.indd 8

ciente deve passar por um exame clínico e radiográfico. Após esta avaliação, algumas providências podem ser necessárias, como acerto de restaurações deficientes, fechamento de cáries, tratamento de processos infecciosos e alterações gengivais, remoção de tártaro, entre outras”, alerta a especialista. Segundo a Dra. Constanza, o dentista também irá verificar se há recessão gengival e avaliar a sensibilidade dental do paciente. Só após o diagnóstico, são definidos o tipo de clareador que deve ser usado, doses e posologia. O especialista também indica a dieta adequada, evitando o consumo de alimentos ácidos durante o tratamento. Um problema comum quando o paciente compra o clareador sem orientação profissional é a aplicação indiscriminada. “O primeiro pensamento do leigo é achar que deve usar um volume grande de clareador para conseguir resultados mais rápidos. Esta prática, além de não acelerar o tratamento, pode levar à deglutição do gel em excesso, resultando em desconforto estomacal, além do risco de afetar os tecidos moles bucais”. O essencial para o sucesso do tratamento é o diagnóstico clínico feito corretamente, documentado e executado tecnicamente. “Este diagnóstico depende de uma série de fatores, como histórico do paciente, idade, seus hábitos de vida, além dos exames clínicos e radiológicos”, salienta a especialista. Fonte: FGM

dezembro de 2011

12/12/11 17:43


Notícias Estudo revela a fórmula do sorriso perfeito Para atingir a perfeição, por exemplo, o sorriso deve ter pelo menos metade da largura da face; as metades direita e esquerda dos lábios devem ser simétricas e eles devem ser igualmente carnudos. Os dentes também devem ser alinhados à linha imaginária vertical que divide o rosto ao meio, e os incisivos superiores devem ser o traço mais dominante do sorriso – os dentes de baixo não podem aparecer muito quando a pessoa sorri. Intitulado Smile Design, o estudo da Escola de Odontologia da Loma Linda University, na Califórnia, também atribui importância à gengiva que fica à mostra no sorriso – além de aparecer pouco, ela deve ter de um tom de rosa pálido – e há outros detalhes. Bonito por natureza Segundo Nicholas Davis, autor do estudo, a definição do que seria o sorriso perfeito se baseia em princípios “estabelecidos por meio de dados coletados de pacientes, modelos de diagnóstico, pesquisa odontológica, medições científicas e conceitos artísticos básicos de beleza” e “levam em conta a harmonia entre a estética facial e a composição dentária”. No entanto, Davis disse que a maioria dos sorrisos bonitos e naturais não é necessariamente simétrica e uniforme. “Os sorrisos naturais mantêm uma beleza intrínseca natural não pela perfeição, mas pela beleza sutil da imperfeição”, afirma. A pesquisa observa ainda a importância do diagnóstico e do

noticias.indd 9

planejamento em casos estéticos para atingir o sorriso adequado para cada paciente. “Esses fatores podem ajudar a encontrar o sorriso que melhor ressalta as feições naturais da paciente e ainda beneficiam a saúde oral”, diz o estudo, publicado na revista científica Dental Clinics of North America. Fonte: Angelus

12/12/11 17:43


Odontologia Segura

Dúvidas frequentes sobre Biossegurança Odontológica A Dra. Lusiane Borges*, cirurgiã-dentista especialista em biossegurança, esclarece as principais dúvidas sobre a segurança na odontologia. Quais são as doenças de risco ocupacional para Odontologia? Lusiane Borges - São várias as doenças de risco na Odontologia. Basicamente podemos destacar a Hepatite B (que deve ser evitada com a vacina), a Hepatite C, a Gripe, as viroses em geral e a tuberculose, que está se apresentando em forma multirresistente. Devemos dar uma atenção especial à Hepatite C, considerada a Doença do Terceiro Milênio pela OMS – Organização Mundial da Saúde. Assintomática em mais de 92% dos casos, a Hepatite C tem difícil e penoso tratamento, é de fácil transmissão em atividade de risco, carcinogênica - em 20% dos casos - e, até o momento, não existem vacinas disponíveis. Desta forma, a única postura do profissional de saúde é a prevenção por meio de EPI (Equipamento de Proteção Individual), como gorro, máscara, avental, óculos de proteção e luvas descartáveis, além de procedimentos básicos de precauções-padrão preconizados pelo CDC (Centro de Controle de Doenças) – Atlanta, EUA. A Hepatite C é uma doença bastante complexa e bastante recente. Com o primeiro caso notificado em 1989, trata-se da uma das enfermidades mais preocupantes e recentes da história moderna. Indivíduos que receberam transfusão de sangue anteriormente a 1992 devem fazer o teste sorológico para HCV. Atualmente, o Ministério da Saúde está disponibilizando na rede SUS os testes rápidos para HCV, para que a doença seja tratada precocemente. É necessário atender todos os pacientes como se os mesmos fossem HCV+, já que a grande maioria não tem conhecimento da doença. Normalmente, o indivíduo descobre que é HCV+ quando doa sangue, faz pré-natal ou pré-cirúrgico. Qual é a importância da utilização do detergente enzimático no processamento do instrumental a ser esterilizado? Lusiane Borges - O detergente enzimático é fundamental no reprocessamento de artigos e para a esterilização, que é um processo que não depende necessariamente da autoclave, ao contrário do que a maioria acredita. Para se obter esterilização é necessária a retirada total de sujidades do instrumental e artigos. Infelizmente, a maioria dos CDs não valoriza essa parte importante do reprocessamento de artigos, por entender que a autoclave seja capaz de esterilizar todos os instrumentais, independentemente das condições prévias. Ao contrário do que a maioria dos profissionais acredita, que o custo do detergente enzimático é menor do que de outros sabões e detergentes domésticos, já que podemos utilizar 4 a 5 ml de enzi-

mático diluído em um litro de água, que pode ser utilizado várias vezes um dia inteiro. É importante observar no rótulo do produto as enzimas que o mesmo contém. Devem ser elas: protease, lípase e amilase. Deve-se ter o cuidado também em observar as instruções do fabricante quanto ao preparo da solução e o tempo que deve ser utilizado antes de desprezar. No momento de desprezar o detergente enzimático, podemos aproveitá-lo para colocá-lo na cuspideira, onde certamente a quantidade de matéria orgânica é bem grande, assim a limpeza fica mais eficaz. Existem no mercado vários tipos e qualidades de embalagens diferentes. Como podemos definir qual embalagem utilizar para a esterilização de instrumental odontológico? Lusiane Borges - A escolha da embalagem irá depender das características do material e do processo de esterilização escolhido e também de alguns requisitos básicos, como: • Permitir o contato do agente esterilizante com o artigo. • Ser resistente ao manuseio, calor, umidade e tração. • Proporcionar barreira microbiana, ou seja, ser impermeável a partículas microscópicas. • Estar livre de resíduos tóxicos, como os corantes, alvejantes e nutrientes microbianos. • Deve proporcionar selagem adequada, resistir a punções, rasgos e furos e não deve gerar partículas. • Possuir indicadores químicos de processo. • Possuir registro no Ministério da Saúde. Como alternativa para esterilização em estufa (ainda aceita em algumas cidades pelos órgãos sanitários) é recomendada a utilização das embalagens de Nylon, que suportam altas temperaturas sem perder a integridade. Já para autoclave, recomendamos as embalagens de papel grau cirúrgico, que são muito resistentes e proporcionam uma esterilização segura e duradoura, pois permitem que o material seja armazenado estéril por longos períodos. Envie suas dúvidas relacionadas à biossegurança odontológica para o e-mail: vanessa.navarro@vpgroup.com.br.

*Cirurgiã-dentista pela UMESP, São Bernardo (SP). Formada em Biomedicina pela UNISA/ UNIFESP. Especialização em Microbiologia pela Faculdade Oswaldo Cruz, São Paulo. Especialista Doutoranda em Controle de Infecção em Saúde pela UNIFESP, São Paulo. Coordenadora de Cursos para ASB/TSB na APCD, na ABO e na ALAPOS. Autora-Coordenadora do livro “AST e TSB – Formação e Prática da Equipe Auxiliar”, Editora Santos, 2012. Diretora-Presidente da Biológica Consultoria em Saúde, em São Paulo. Coordenadora e Diretora Científica da ALAPOS, São Paulo. Consultora Científica da Oral-B, da Fórmula e Ação e da Gnatus, em São Paulo.

10

dezembro de 2011

odontologia_segura_revisado_final.indd 10

12/12/11 14:32


odontologia_segura_revisado_final.indd 11

12/12/11 14:32


Produtos e Serviços Condor lança linha infantil A Condor acaba de criar novos produtos de higiene bucal que irão tornar mais divertida para as crianças a tarefa de escovar os dentes. É a linha Bambinos, com produtos indicados a todas as fases de crescimento e licenciados pelas marcas HotWheels, Lilica Ripilica e Tigor T. Tigre. “A Linha Bambinos é composta por escovas, géis e fios dentais. São itens de alta tecnologia estampados com desenhos de marcas famosas, que despertam a atenção das crianças e incentivam o hábito de cuidar da saúde dos dentes desde cedo”, afirma Gerson Grohskopf, coordenador do segmento de Higiene Bucal da Condor. www.condor.ind.br

Carestream lança CS 9300 para profissionais de radiologia O CS 9300 é uma maneira acessível para clínicas de radiologia que querem ampliar seus serviços de ENT e odontologia, e aumentar sua produtividade, uma vez que o sistema pode ser utilizado para uma variedade de aplicações ENT e odontológicas, incluindo sinus e osso temporal; maxilofacial, implantes; cirurgias orais; ortodontia; periodontia e endodontia. O CS 9300 também oferece uma maneira acessível de baixar exames de tomografia ENT e odontológicos em unidades convencionais com capacidade reduzida. O sistema oferece sete campos selecionáveis de CBCT para visualização, que vão de 5 cm x 5 cm a 17 cm x 13,5 cm, limitando a exposição da radiação à região precisa de interesse. Fornecendo até 94% menos radiação do que as unidades convencionais de tomografia e até 84% menos dose de radiação do que tomógrafos de baixa radiação, o CS 9300 permite que os profissionais adotem o princípio ALARA (As Low as Reasonably Achievable), uma consideração especialmente importante para pacientes pediátricos e adultos que necessitam de scans múltiplos. Com a abrangência da resolução de imagem CBCT do CS 9300 (0,09 a 0,5 mm voxels isotrópicos), a resolução máxima é muito maior do que um tomógrafo convencional, tornando-o ideal para visualizar estruturas ósseas finas no ouvido médio e estruturas radiculares (raiz). Além disso, a rapidez de escaneamento do sistema (no mínimo 12 segundos) – bem como os posicionadores de ouvido, queixo e testa – promove melhora na qualidade da imagem e reduz os riscos de refazer exames por conta do movimento do paciente. O CS 9300 oferece imagens panorâmicas de alta qualidade devido ao seu foco variável através de uma tecnologia que se adapta a morfologias de pacientes diferentes. O módulo opcional cefalométrico one-shot captura imagens em menos de um segundo e fornece a melhor qualidade de imagem em exames de crânio total 30 cm x 30 cm e software de marcação cefalométrica automática, melhorando ainda mais a radiologia e o fluxo de trabalho dos dentistas solicitantes. A produtividade da radiologia é ainda mais melhorada com a eliminação do processamento de filme e manuseio de cassetes associados aos sistemas cefalométricos análogos e panorâmicos do CR. Em termos estéticos, CS 9300 possui um design compacto que permite uma fácil integração e um sistema aberto que realiza exames de maneira confortável para os pacientes. As posições sentado e em pé estão disponíveis, sendo que o CS 9300 é versátil e pode acomodar pacientes de todos os tamanhos, incluindo aqueles em cadeiras de rodas. Os usuários também apreciarão os programas múltiplos e prédeterminados que minimizam o tempo necessário do operador para um exame. www.carestreamdental.com

12

Produtos_servicos.indd 12

dezembro de 2011

12/12/11 14:35


Produtos e Serviços Material restaurador estético Para os profissionais que buscam a estética e a facilidade no manuseio, NT Premium é a resina ideal. NT Premium é um material restaurador estético, nanoparticulado, fotopolimerizável, fluorescente e radiopaco. Disponível nas cores de esmalte e dentina (as mais utilizadas na clínica diária) possui também uma cor de incisal. Apresenta opalescência e fluorescência semelhantes ao do dente, duas características fundamentais para que a restauração tenha aparência natural sob diferentes condições de luz. O dentista pode optar pela técnica mais simples de restauração (uma cor) ou pela técnica estratificada com duas ou mais cores para obter o efeito natural do dente. Esculpir com NT Premium é fácil, pois a resina não é pegajosa e se mantém na forma e posição esculpidas enquanto aguarda a polimerização. NT Premium proporciona maior tempo de trabalho, pois é menos sensível à luz do refletor, reduzindo assim o risco de polimerização avançada do material. Indicado para uso em restaurações em dentes anteriores e posteriores, permanentes ou decíduos, o material polimeriza diretamente na cavidade dental ou em modelos de trabalho, com a utilização de luz halógena ou tipo LED. Seu conceito inovador prioriza a reconstrução estética, utilizando cores com diferenças em opacidade e translucidez. O NT Premium faz parte de um projeto de nanocompósitos, em parceria com a FINEP e o Ministério da Ciência e Tecnologia, com objetivo de melhorar todas as propriedades mecânicas e, principalmente, o manuseio e estética final da restauração. www.vigodent.com.br

Promoção Promoção

PecLab PecLab

L L A A FFIINNEE DD

1 1 1 1 2200

Acesse Acesse www.peclab.com.br www.peclab.com.br e conheça e conheça os descontos, os descontos, bônus bônus e ase condições as condições especiais especiais dosdos produtos produtos PecLab PecLab parapara vocêvocê aproveitar aproveitar e antecipar e antecipar suassuas ! ! compras compras de 2012 de 2012

Calen com PMCC para uso endodôntico Pasta de hidróxido de cálcio com paramonoclorofenol canforado para uso Endodôntico. Calen com PMCC reúne as propriedades da pasta de hidróxido de cálcio (Calen) com as do paramonoclorofenol canforado. O PMC associado à cânfora melhora os resultados clínicos em função de sua maior difusibilidade, além de atenuar sua ação irritante. O estojo contém: dois tubetes com 2,7 g cada de pasta de hidróxido de cálcio c/PMCC e dois tubete com 2,2 g de glicerina. www.sswhite.com.br

V a lVo arilzoari seu z a seu ta l en ta to l en to (31) (31) 34813481 37493749faleconosco faleconosco @peclab.com.br @peclab.com.br

dezembro de 2011

Produtos_servicos.indd 13

13

VálidoVálido até 31/1/2012 até 31/1/2012 ou enquanto ou enquanto durar durar o estoque o estoque

12/12/11 14:35


Reportagem

14

reportagem.indd 14

dezembro de 2011

13/12/11 11:58


Reportagem

Odontogeriatria: um mercado promissor A população idosa tende a crescer cada vez mais nos próximos anos e o profissional de saúde bucal precisa se preparar para atender a essa faixa etária. Por: Célia Gennari

D

ados estatísticos comprovam a tendência ao crescimento da população idosa no mundo. No Brasil, o Censo de 2010 aponta o “envelhecimento da sociedade”. Mas não é por acaso que esse evento está acontecendo. Para Dr. Augusto Roque Neto*, especialista em Dentística Restauradora e mestre em Clínicas Odontológicas pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo – FOUSP, as melhores condições de vida, de higiene e de saúde propiciam esta realidade, que exigiu uma movimentação específica de todas as profissões para conseguir atender adequadamente a nova demanda. Na Odontologia, a Odontogeriatria é uma disciplina nova, que vigora desde 2002. “Basicamente, há tudo para se realizar”, afirmou Dr. Augusto. Por isso, estudos e troca de informação sobre as experiências vividas é de fundamental importância no desenvolvimento da especialidade. O profissional deve ter em mente que a Odontogeriatria é uma disciplina multidisciplinar. Isso exige que as matérias básicas sejam revistas e muito bem compreendidas. Não se deve se preocupar apenas com aquelas que contemplam a parte técnica. Contatos com outras profissões, como Medicina, Terapias Ocupacionais, Enfermagem devem ser estimulados. A criação de grupos de estudo também é importante para que uma profissão entenda e emule os resultados obtidos em parceria. Já os cirurgiões-dentistas formados devem procurar cursos, palestras e especializações para se orientar e se adequar. Com a expectativa de um aumento de idade dos pacientes, o que anteriormente se limitava a tratamentos de reposição de elementos perdidos com próteses passou também a ter um caráter mais multidisciplinar. “Muitos pacientes possuem dentes e, de maneira geral, pretendem mantê-los, então atualmente praticamente todas as formas de tratamento e especialidades são procuradas”, explicou Dr. Augusto. Não é incomum ver um paciente com mais de 70 anos utilizando um aparelho ortodôntico ou lançar mão de implantes para recolocar os elementos perdidos. Clareamento também tem uma procura grande, principalmente em época de fim de ano, em razão das festas de formatura, casamentos de familiares e, principalmente, por causa do verão. “Restaurações estéticas ou a troca de restaurações metálicas por resinas é um item bem corriqueiro em nossos consultórios”, informou. O fato é que estas atitudes dão uma aparência mais saudável ao idoso. De acordo com sua experiência, Dr. Augusto alertou que o paciente idoso tem uma noção bastante grande do que ele deseja. Ele citou um trabalho conclusão de curso deste ano, conduzido pela aluna Vanessa Aran, na Universidade Metodista de São Paulo, no qual a maior queixa do paciente foi do cirurgião-dentista querer impor o tipo de tratamento, o que muitas vezes não cor-

respondia às ansiedades do idoso. De encontro a essa situação, os cursos de especialização em Odontogeriatria estimulam o profissional não só a entender e melhorar o atendimento ao idoso como introduz a necessidade de se envolver e treinar o contato multiprofissional, exercendo e descobrindo novas linguagens de atendimento ao paciente, o que leva a um melhor resultado final. “O paciente geriatra geralmente lança mão de uma polifarmácia, utilizando-se de um número de fármacos no seu dia a dia, com possíveis repercussões bucais, então o contato com o médico geriatra ajuda o profissional a encontrar uma forma mais adequada de enfrentar esses desafios”, afirmou. “Um ansiolítico, por exemplo, pode diminuir a quantidade de saliva do paciente. O cirurgião-dentista deve estar atento aos detalhes como este e discutir com o outro profissional qual a conduta a ser tomada naquele caso específico”. Muitas vezes, na indicação de um fármaco ao paciente se esquece de que existe uma diminuição da eliminação deste, deixando o paciente um nível plasmático maior que o esperado. Então, um bom relacionamento com o médico e o conhecimento a fundo da medicação ingerida pelo cliente e seu modo de ação e eliminação é essencial para um bom atendimento. “Um bom relacionamento com o médico geriatra, é sempre reforçado e estimulado em todos os cursos de extensão e especialização”, enfatiza o professor adjunto das disciplinas de Oclusão e Anatomia Dentária; Odontologia Restauradora I e II da Universidade Metodista de São Paulo – UMESP, Dr. Augusto Roque Neto.

O atendimento Em geral o paciente idoso é mais ansioso, carente e essas informações devem ser levadas em conta na hora do atendimento. As consultas clínicas devem ser mais curtas, pois o idoso pode em geral apresentar limitações físicas. No entanto, o profissional deve aumentar um pouco mais o tempo entre consultas pela necessidade que o paciente tem de se expressar. Porém, é preciso evitar o envolvimento emocional, situação muito fácil e comum de acontecer, causada pela frágil relação entre paciente idoso e profissional, principalmente no caso de profissionais mulheres. Levando em consideração a carência, as limitações físicas e a falta de paciência a longas consultas e\ou tratamentos clínicos, a abordagem psicológica deve ser considerada. Primeiro o paciente idoso deve se sentir confortável e ter conhecimento de todos os passos que serão realizados e a expectativa em relação aos resultados. O paciente é o foco e ele deve se sentir dessa forma dentro da clínica, para conseguir expressar seus anseios frente ao tratamento. “Devemos sempre ter em mente que este paciente, geralmente, passou por um tratamento mutilador, onde as extrações eram indicações muito comuns.

* Dr. Augusto Roque Neto é formado pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo – FO-USP. Especialista em Dentística Restauradora. Mestre em Clínicas Odontológicas pela FOUSP. Professor adjunto das disciplinas de Oclusão e Anatomia Dentária; Odontologia Restauradora I e II da Universidade Metodista de São Paulo – UMESP.

dezembro de 2011

reportagem.indd 15

15

12/12/11 14:35


Reportagem

Sua ansiedade deve ser controlada por meio de explicações, mostrando-se casos parecidos. Os anseios do profissional neste contexto devem ser controlados”, orientou Dr. Augusto Roque Neto. O atendimento deve ser o mais individualizado possível, tentando sentir as necessidades do idoso em relação ao tratamento. De preferência (quando possível), deve-se proporcionar o tratamento menos invasivo, tentando realizar o procedimento proposto de maneira rápida e confortável para o paciente. O espaço físico do consultório do profissional que pretende fazer atendimentos em Odontogeriatria deve ser muito bem estudado. Tem de se evitar ou minimizar todos os obstáculos para uma pessoa idosa: » Portas: se possível, com uma abertura com mais de 0,80 centímetros, que é o padrão. Pacientes cadeirantes precisam de uma passagem de, no mínimo, um metro. A cadeira geralmente tem 0,90 centímetros. » Obstáculos físicos: mesas, cadeiras, tapetes, vasos em salas de espera e de atendimento, corredores estreitos, devem ser repensados. De preferência, os tapetes na sala de espera não devem existir. Na sala de atendimento os espaços devem ser amplos e de fácil localização. » Degraus: devem ser substituídos por rampas e se possível de uma inclinação suave.

16

reportagem.indd 16

» Iluminação: não deve ser muito fraca. O idoso tem uma percepção diferente de claridade. » Som ambiente: se houver, deve ser tranquilo e com baixo volume. » Sanitários: além de bem sinalizados, devem oferecer barras de apoio, assim como os aparelhos, vasos sanitários, pias e torneiras, devem ser adequados ao novo tipo de atendimento.

Áreas de trabalho Basicamente o Odontogeriatra atende a todas as áreas da Odontologia, respeitando os seus limites. O sistema educacional em escolas, durante a graduação, geralmente fornece detalhes e informações a respeito da especialidade, porém nada de mais aprofundado. Geralmente o nome Odontogeriatria é usado na graduação para cursos de Prótese Total e sabemos que ela engloba todas as áreas de atuação clínica. Dois campos que se abrem atualmente é o atendimento ao paciente em casa (Home Care) e o atendimento em hospitais em centros de recuperação e até mesmo CTI – Centro de Tratamento Intensivo.

dezembro de 2011

12/12/11 14:35


Reportagem

População estimada em 1990 e população projetada 2000, 2010 e 2020 Grupos de Idade

1990

2000

1990/2000 00--04 05--09 10--14 15--19 20--24 25--29 30--34 35--39 40--44 45--49 50--54 55--59 60--64 65--69 70 e + Total 00--14 15--64 65 e +

16043 17217 16886 14874 13384 12471 10914 9327 7742 6055 5093 4193 3588 2746 4261 144794 50146 87641 7007

2010

2020

2000/2010 17512 17041 15732 17096 16730 14679 13150 12182 10569 8918 7264 5515 4425 3395 5263 169471 50285 110528 8658

16466 17135 17227 16939 15609 16909 16489 14398 12800 11722 9994 8204 6391 4536 6656 191475 50828 129455 11192

Taxa média anual de crescimento 2010/2020

16982 16479 16245 17046 17114 16786 15427 16645 16123 13934 12193 10889 8916 6871 9353 211003 49706 145073 16224

0,8 -0,1 -0,7 1,4 2,3 0,7 1,9 2,7 3,2 4,0 3,6 2,8 2,1 2,1 2,1 1,6 0,0 2,4 2,1

-0,6 0,1 0,9 -0,1 -0,7 1,4 2,3 1,7 1,9 2,8 3,2 4,1 3,7 2,9 2,4 1,2 0,1 1,6 2,6

0,3 -0,4 -0,6 0,1 0,9 -0,1 -0,1 1,5 2,3 1,7 2,0 2,9 3,4 4,2 3,5 1,0 -0,2 1,2 3,8

José Alberto Magno de Carvalho, 2004, UFMG.

» Leitura: deve haver sempre revistas, livros com letras maiores que as convencionais ou revistas que possuam preferencialmente figuras. Dentro da sala do cirurgião-dentista é preciso ter outros cuidados: » Evitar equipamentos com mangueiras expostas. » Cuidado com o refletor e com a luz direto nos olhos do paciente, que pode causar cegueira momentânea e provocar um acidente na hora do paciente descer da cadeira de atendimento. » Evitar que o paciente cuspa diversas vezes. » O inclinamento maior da cadeira deve ser também evitado, assim como o seu retorno à posição habitual deve ser mais lenta. » Tente deixar o paciente mais tempo sentado na cadeira após o tratamento, pense que ele pode ter inúmeras patologias e este tempo serve para ele se recompor fisicamente. » Sempre ofereça um apoio para ele sair da cadeira de atendimento.

Higiene bucal É preciso levar em conta que o ser humano com o decorrer do tempo perde mobilidade, facilidade de realizar determinados movimentos e piora a sua condição psicomotora. Então, mudanças de hábitos são necessárias. Dr. Augusto orientou que a simplificação é o melhor caminho. A adequação dos instrumentos utilizados como aumento da espessura do cabo da escova, para uma melhor pega e equipamentos auxiliares, como aparelhos tipo “Water Pik”, ajudam e facilitam a vida do paciente idoso. “Cuidados com os tipos de pasta. Prefira as menos agressivas, pois as que propõem a retirada de manchas e deixam os dentes mais claros podem ser prejudiciais à mucosa bucal do paciente idoso”. Para os idosos que possuem cuidadores, os mesmos devem ser igualmente orientados para aprender a higienizar as próteses, tanto as totais e/ou removíveis quanto [e principalmente] as fixas e implantes.

Crescimento da população idosa Existem diversos estudos e projeções que indicam o crescimento da população idosa no Brasil, como o estudo de José Alberto Magno de Carvalho [2004], da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, que aborda a evolução mediante grupos de idade e projeção estimada. Vemos que a população idosa, maior de 65 anos, cresceu de 2,1% na década de 1990/2000, para 2,6% na década seguinte e tem projeção de 3,8% de aumento na população entre 2010 e 2020, enquanto a taxa de nascimento passou de 0,8% para crescimento negativo de 0,6 e 0,3 respectivamente. Portanto, deixamos de ser um país jovem para nos tornar um país de idosos. Até 2050 teremos a mesma população de idosos da França, porém, esta teve quase 100 anos para chegar a esta condição enquanto o Brasil vai atingir estes números em 50 anos, trazendo todo tipo de complicação para atendimento desta demanda, tanto na parte de saúde como previdenciária. Dr. Augusto Roque Neto concluiu que “quem se aplicar nesta nova especialidade [Odontogeriatria] terá um futuro com muita procura por parte de ‘novos’ pacientes”. “O profissional, e não apenas o Odontogeriatra, deve avaliar e pesquisar todos os dados possíveis, realizando uma ótima anamnese, detendo-se a detalhes, checando a saúde pregressa do paciente, doenças existentes e pré-existentes, saúde familiar e possíveis correlações, presença de doenças que geralmente se manifestam com a idade, por exemplo, o Diabetes, e suas relações familiares, que podem indicar uma predisposição ao aparecimento da doença no decorrer da idade”

Prof. Ms. Augusto Roque Neto

dezembro de 2011

reportagem.indd 17

17

12/12/11 14:35


Entrevista

18

entrevista.indd 18

dezembro de 2011

12/12/11 14:37


Entrevista

Cliques, dentes e saúde bucal A fotografia digital na Odontologia tornou-se artificio indispensável para o profissional de saúde bucal que almeja a organização e a avaliação de todos os tratamentos realizados. O expert no assunto, Dr. Ivan Yoshio, apresenta alguns pontos crucias para realizar um excelente trabalho fotográfico. Por: Vanessa Navarro

Dr. Ivan Yoshio Professor da Especialização em Dentística da FORP-USP. Professor de Fotografia Digital do CETAO, APCDs, ABOs, Cursos de Especialização, Mestrado e Doutorado. Pós-Graduado em Dentística Restauradora pela ACDC. Vencedor de concurso de Fotografia e Realização de Exposições Fotográficas. Autor do Livro “A Arte da Fotografia Digital na Odontologia”. contato@ivanyoshio.com

Odonto Magazine - Quando foi percebida a necessidade de incluir a fotografia na Odontologia? Dr. Ivan Yoshio - Acredito que assim que foi verificado o poder do registro fotográfico tão logo foi colocado em prática para fins documentais em todas as áreas da saúde. A fotografia é algo recente. A primeira fotografia considerada verdadeira é de 1826. As primeiras câmeras reflex que foram usadas na Odontologia são da marca Pentax, que desenvolveu sua primeira reflex em 1957. Já a famosa Dental Eye foi lançada perto de 1979. Não tão longe, em agosto de 1981, a primeira digital já estava no mercado com possível aplicação para Odontologia. Logo depois surgiram alguns livros sobre o assunto, o primeiro no Brasil foi do autor Cesário Ramos Machado, em 1983, obviamente sobre fotografia analógica, e atualmente o meu livro dirigido inteiramente para fotografia digital, “A Arte da Fotografia Digital na Odontologia”, lançado pela editora Santos. Odonto Magazine - Quais são os princípios e conceitos na fotografia digital em Odontologia? Dr. IvanYoshio - É interessante dizer que a fotografia odontológica é uma área da fotografia geral que se chama macrofotografia, ou seja, os princípios e conceitos seguem iguais com algumas adaptações. A principal delas é na fotografia intraoral, já que na cavidade oral é necessário tomar alguns cuidados. Sendo necessário utilizar materiais específicos para realizar as tomadas fotográficas, verificar a presença de saliva, respiração e a bochecha que podem atrapalhar na hora da fotografia. Odonto Magazine - Dependendo da atuação e da finalidade das fotografias em Odontologia, os conceitos de funcionamento e qualidade de equipamentos podem ser alterados. Como o profissional de saúde bucal deve agir para adquirir um equipamento fotográfico de qualidade? Dr. Ivan Yoshio - O equipamento pouco influencia na fotografia odontológica, é um erro pensar assim. A maior preocupação deve ser com a parte técnica e peculiaridades desse tipo de fotografia. O que ocorre é que muitos odontólogos adquirem equipamentos

inadequados ou incompletos, o que dificulta ou até impossibilita uma boa fotografia odontológica. O equipamento básico recomendado é um corpo Reflex básico, uma lente macro 100mm ou 105mm e um flash circular, o valor deste conjunto pode ser um impedimento para muitos. O preço leva alguns a adquirirem máquinas compactas para realizar o registro. É até possível fazer boas fotos, fotos razoáveis, mas, ainda assim, não se trata do equipamento ideal. É bom ressaltar que com esse equipamento a dificuldade é maior para fazer a tomada fotográfica, ao contrário do equipamento recomendado.

Odo fato leite de c Dra vilõe e die

Odonto Magazine - Que dicas o senhor daria para os profissionais que desejam obter um excelente trabalho fotográfico? Dr. Ivan Yoshio - A forma mais rápida para adquirir conhecimento é realizar um bom curso específico de fotografia odontológica, eu mesmo possuo os meus cursos que podem ser vistos no meu site: www.ivanyoshio.com. É importante saber conceitos básicos de fotografia geral e macrofotografia, bem como a parte teórica mais importante é a técnica específica para a Odontologia. Os ajustes corretos de cada tipo de equipamento, acessórios específicos e dicas também fazem parte de um bom curso. Para quem busca a excelência basta ter o equipamento adequado, a correta técnica e muito treino. A técnica, como comentado, pode ser adquirida no curso, os outros itens depende apenas do profissional. Odonto Magazine - Quais informações sobre software para manipulação e edição de imagem e armazenamento são essenciais para a obtenção de um trabalho de qualidade? Dr. Ivan Yoshio - É essencial “otimizar” a fotografia, aperfeiçoar, realizar ajustes e adequações para a finalidade que será utilizada. As palavras “manipulação” e “edição de imagem” ainda são cercadas de preconceito na odontologia, como se o tratamento odontológico fosse ser alterado. O papel do software, portanto, é apenas para realizar algumas melhorias, como brilho, contraste, nitidez, recorte, preto e branco, e mais outros ajustes, sem alterar o tratamento.

dezembro de 2011

entrevista.indd 19

vel que

19

12/12/11 14:38


Entrevista

Recomendo programas básicos, como Picasa (Google) e Picture Manager (Microsoft Office) ou os avançados Photoshop (Adobe) e Lightroom (Adobe) para quem tem mais intimidade com computadores. Odonto Magazine - É possível substituir o microscópio óptico pela fotografia em Odontologia? Dr. Ivan Yoshio - Se for para realizar trabalhos por meio do microscópio acredito que é impossível. Porém, se for para realizar fotografia através do microscópio, pode ser possível, aliás, eu já havia pensado no assunto e venho realizando algumas tentativas de duas formas, câmera fotográfica direta e câmera intraoral. Tenho bastante contato com essa área devido alguns colegas endodontistas que trabalham com um microscópio. Vejo que hoje em dia com câmeras com cada vez mais megapixels (fotos grandes), é possível chegar lá no canal e também com uma câmera intraoral adaptada também pode ser possível. A única questão é a praticidade de realizar fotografias sem o microscópio. Odonto Magazine - Como funciona a relação entre o marketing e a fotografia digital em odontologia? Dr. Ivan Yoshio - São áreas que podem estar muito ligadas. O cirurgião-dentista pode utilizar suas fotografias para realizar divulgação do seu trabalho, desde que observe as regras do código de ética para isso. A maioria das propagandas em odontologia fere, de alguma maneira, o código de ética quanto ao uso de fotografias, por exemplo, fotografias de antes e depois. De qualquer forma entendo que é melhor deixar a cargo de um profissional especializado. Vejo que a fotografia odontológica propriamente dita deve ser vista como uma fotografia para comunicação dentro da Odontologia, seja entre alunos, professores, profissionais ou técnicos. Já para o “marketing” a fotografia pode ter uma proposta diferente para chamar a atenção do cliente/ paciente, lembrando sempre do código de ética. Dentro do próprio consultório não soa errado elucidar alguma possível dúvida referente ao tratamento por meio de fotografias, sendo uma possibilidade de uso excelente para o marketing no tratamento odontológico.

20

entrevista.indd 20

Odonto Magazine - Quais são as questões legais que comprometem o trabalho fotográfico na área odontológica? Dr. Ivan Yoshio - As questões legais partem do direito de uso de imagem e do direito autoral. Primeiramente, é necessário, portanto, que se tenha uma autorização para realização e divulgação das fotografias dos pacientes e uma autorização de quem realizou as fotografias. Posteriormente é igualmente importante verificar quanto ao código de ética para o uso dessas fotografias. Na internet, parece que é tudo de graça, onde a pessoa apenas copia e cola a foto como se fosse dela, isso é um crime, mas muitos acham natural. Primeiro é preciso ver se a foto tem alguma proteção autoral e/ou de imagem, caso seja de pessoas. É muito comum ver fotos em cursos, congressos, revistas, etc. com uma tarja preta, mas está errado. Uma pessoa é identificada por diversas características e não somente pelos olhos. O direito autoral e de imagem é muito debatido na fotografia geral, por isso mesmo que fiz questão, no meu livro, de ter um capítulo dirigido para o assunto. Odonto Magazine - Quais cursos devem ser realizados para obter imagens com perfeita qualidade? Dr. Ivan Yoshio - É possível realizar cursos de fotografia geral em escolas específicas para obter um conhecimento mais amplo, mas não têm abordagem para Odontologia e tenho visto que serve mais para alimentar um hobby. Ou então, existem cursos próprios de fotografia odontológica, assim como o meu, que são mais rápidos e direcionados, o que facilita o aprendizado. Muitos cursos de especialização, mestrado e doutorado contam com um módulo de fotografia, onde sou convidado para ministrar esse módulo. É interessante perguntar ao coordenador sobre essa possibilidade. Nesses cursos é possível realizar uma aula mais dirigida e um treinamento específico, já que são diversas áreas que ministro curso, como dentística, prótese, cirurgia, implantodontia, pediatria, técnico em prótese dentária e endodontia. Na graduação, a fotografia pode melhorar o aprendizado do aluno, sendo possível verificar erros e acertos, percebendo a evolução técnica durante as discussões de casos clínicos. Outra vantagem é o estímulo para produção científica através de publicações, pesquisas e participações em congressos.

dezembro de 2011

12/12/11 14:38


SAC 0800 707 2526 OUVIDORIA 0800 725 6363 www.neodent.com.br

Para muitos, um ano novo repleto de sonhos. Para nós, 365 novas oportunidades para a realização. Todos os esforços da Neodent se concentram em tentar fazer muito mais por você. É uma preocupação que, dia após dia, se mistura com motivação e se transforma em realizações. Pode reparar. Existe um pouquinho desse sentimento em tudo que a gente faz. Foi assim com o 2nd Neodent

International

Congress

e

sua

histórica

programação científica, com nossa expansão através de novas filiais e pontos de distribuição e, com certeza, estará presente no CIOSP e por todo o ano que vem.

Esse

sentimento fez com que 2011 fosse um ano muito especial para todos nós. E esse mesmo sentimento cresceu, transformando-se também em razões e esperanças para acreditar que, com a sua a juda, 2012 será muito mais.

Poder fazer muito mais todos os dias: isso é ser 100% por você.

entrevista.indd 21

12/12/11 14:38


Espaço Equipe

to

n Po

Adeus ano velho! Feliz ano novo! Dra. Danielle Palacio Cirurgiã-Dentista. Interlocutora de Saúde Bucal do Instituto Israelita de Responsabilidade Social da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. Especialista em Saúde Coletiva. Mestranda em Saúde Coletiva. Coordenadora do módulo de Saúde Bucal da Especialização em Saúde da Família e Comunidade do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein. Docente da Equipe Biológica.

D

ezembro chegou e com ele o fim de mais um ano! Vamos aproveitar essa oportunidade para refletirmos o que de bom podemos levar de 2011! Olhar para trás e poder perceber o quanto crescemos como profissionais e como pessoas nos dá a chance de planejar melhor o futuro e decidir qual será a próxima meta a ser focada. Até mesmo uma situação onde não tivemos sucesso ou se nosso desempenho não foi como esperávamos, pode nos mostrar uma oportunidade de melhoria ou um melhor caminho para uma nova tentativa de acerto. Sendo assim, vamos comemorar a boa integração da nossa equipe no dia-a-dia, afinal de contas, trabalhar com tantas pessoas diferentes é sempre desafiador e um bom resultado requer uma boa dose de jogo de cintura de todos os envolvidos. Vamos celebrar uma pós-graduação concluída, crescer é sempre positivo e estudar sempre renova as ideias e nos engrandece. Vamos dar um VIVA para todas as dificuldades que passamos, pois com esses

tropeços é que poderemos dar passos mais firmes e acertados pelo caminho que vem pela frente. E, depois de repensar o que o ano de 2011 trouxe para nossas vidas, é hora de planejar como queremos que seja o próximo ano. Traçar prioridades é essencial para esse momento. Não adianta querer fazer mil coisas ao mesmo tempo, você até pode ser capaz de desempenhar várias atividades simultaneamente, porém, é essencial ter este foco, definindo as prioridades traçadas para o ano que chega. É fundamental que haja planejamento para o alcance do sucesso e, o que for atingido, além do primordial, será um lucro muito bem-vindo. Precisamos nos atentar que, até um filho (sinônimo de felicidade), pode ser bem planejado, de acordo com o momento de vida de cada indivíduo. Vale a pena refletir o quanto este filho acaba sendo prioridade ou não, para que venha na hora certa. Outro exemplo é a expansão do consultório, que se mal planejada pode significar o fracasso de um trabalho que vinha dando certo. O casamento, mudança de cidade, compra de um bem, enfim, qualquer decisão deve ser avaliada em relação à prioridade e planejamento. Então, mãos a obra! Vamos começar a nossa pequena lista de desejos e dela escolher as nossas prioridades, com metas bem definidas e muito foco. Será sensacional, em dezembro de 2012, descobrirmos que muito mais foi alcançado e que novos planos serão agora prioridade! Desejo a todos um excelente natal, cheio de boas reflexões; e um ano de 2012 sensacional!

E 22

espaço_equipe.indd 22

dezembro de 2011

12/12/11 14:49


ia ia nt ont o d d to nto n a a pl pl m I Im da da o o tr ntr n co co en en de de o o nt ont o P P

t ei t e i vn v n C oC o

28,28, 29,29, 30 30 e 31 e 31 de de Janeiro Janeiro 2012 2012

30ºCIOSP 30ºCIOSP

Mega MegaStand StandConexão Conexão Inéditos Inéditos Lançamentos Lançamentos

AA Conexão Conexão convida convida você você para para conhecer conhecer aoao vivo vivo asas maiores maiores tecnologias tecnologias e inovações e inovações dada Implantodontia! Implantodontia! Lançamento Lançamento - Surgical - Surgical Kit Kit FullFull Osseointegration Osseointegration √√ Lançamento Lançamento - Kit- Kit StopStop DrillDrill √√ Lançamento Lançamento - Implante - Implante EasyEasy comcom Montador Montador 3 em 3 em 1 1 √√ Lançamento Lançamento - Novos - Novos pilares pilares para para Flash Flash e Torq e Torq √√ Workshop Workshop dasdas novas novas tecnologias tecnologias √√

End:End: Rua Rua AisleAisle 10.000 10.000 e 11.000 e 11.000

espaço_equipe.indd 23

www.conexao.com.br www.conexao.com.br

12/12/11 14:49


Relacionamento

24

Relacionamento.indd 24

dezembro de 2011

12/12/11 14:52


Relacionamento

Saúde bucal na melhor idade Envelhecer com qualidade de vida deixou de ser um privilégio para poucos. O Envelhecer Sorrindo mostra que é possível alcançar a melhor idade com a saúde do corpo e da alma sempre em dia. Por: Vanessa Navarro

Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio Cirurgiã-Dentista. Graduação e Pós-Graduação pela FOUSP. Pós-Doutorado pela Universidade do Texas - Houston - USA. Especialista em Prótese e Odontogeriatria. Docente do Departamento de Prótese da FOUSP. Coordenadora do Programa Envelhecer Sorrindo. mlmafrig@usp.br ou malu@envelhecersorrindo.com.br

Odonto Magazine - Como e quando surgiu o Envelhecer Sorrindo? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - O Envelhecer Sorrindo surgiu em 1999, o Ano Internacional do Idoso. A Organização Mundial de Saúde anunciava uma comemoração que envolveria o mundo inteiro, e o departamento de Prótese da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo não poderia ficar de fora. Fizemos então, um evento que nos mostrou que a população estava pronta para ser envolvida. Odonto Magazine - Qual é a missão principal do Envelhecer Sorrindo? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - A missão do Envelhecer Sorrindo é informar, orientar e sempre que possível tratar as pessoas idosas. A intenção primeira, no entanto, é prevenir, ou seja, informar como ocorre o processo de envelhecimento, a fim de que as pessoas, entendendo como se dá o processo, possam tomar os devidos cuidados para envelhecer com qualidade de vida. Odonto Magazine - Como se deu a transição de Projeto Social para Organização Não Governamental? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - A Organização Não Governamental aconteceu para ajudar a lidar com as dificuldades que foram surgindo. Algumas empresas preferem lidar com uma Organização Não Governamental, que mais tarde tornou-se uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Publico) por estas estarem amparadas pelo artigo 59, da Medida Provisória nº 2.158/35-01, que prevê que as doações feitas as OSCIPs poderão ser deduzidas até o limite de 2% do lucro operacional da pessoa jurídica, antes de computada sua dedução, nos termos previstos no inciso III do §2º do art. 13 da Lei nº 9.249/95. Odonto Magazine - Quem são os profissionais envolvidos no Envelhecer Sorrindo? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - Eu coordeno o programa com o auxílio do Prof. Roberto C. Stegun. Ambos atua-

mos dentro da área de Prótese. O CAPE (Centro de Atendimento de Pacientes Especiais) disponibiliza o Dr. Mário Sérgio para cuidar das endodontias, exodontias e procedimentos que exijam uma atenção maior dessas áreas. A Profª Maria Ângela Sobral e sua equipe cuida da área de Dentística. A Semiologia, a Cirurgia, a Radiologia também são nossas parceiras. A FO, como um todo, acolhe muito bem o Envelhecer Sorrindo, que encontra sempre as portas abertas por onde precisa passar. A Fonoaudióloga, Gisele Camargo avalia, orienta e participa de uma grande parte de pacientes vítimas de acidentes vasculares encefálicos, assim como daqueles portadores de processos demenciais, dos mutilados por lesões provenientes de câncer, por exemplo. A Fisioterapeuta Maria Beatriz Tobal trabalha em parceria com a Fono ajudando na reabilitação dos pacientes. Na sala de espera existe um projeto de arteterapia, uma parceria com o PROTER (Programa Terceira Idade) do Instituto de Psiquiatria do HC da Faculdade de Medicina da USP onde uma psicóloga procura diminuir o stress, que antecede ao atendimento odontológico, por meio de pintura, colagem, jogos. Odonto Magazine - Quais são os atendimentos oferecidos aos idosos que fazem parte da ação? Como é realizada a triagem? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - Os nossos idosos recebem um tratamento global. A maioria deles participa de estudos, que estão em andamento pelos pós-graduandos do programa. No momento, estamos estudando distúrbios do sono (em parceria com o INCOR), disfunção da articulação temporomandibular (em parceria com o Laboratório de Biofísica da Faculdade de Educação Física), além de estomatite protética. A triagem é feita de acordo com os estudos em andamento, uma vez que a USP é uma instituição, conhecida pela sua atuação em áreas de pesquisa. Odonto Magazine - Os profissionais de saúde que fazem parte

dezembro de 2011

Relacionamento.indd 25

25

12/12/11 14:52


U

Relacionamento

t

I

O p

P

N E

P

M e

E Comemoração do aniversário da paciente Sra. Maria Helena.

da ação recebem treinamentos e/ou cursos de reciclagem periodicamente? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - Os profissionais que atuam no programa discutem com o grupo cada caso. Temos o privilégio de contar também com a colaboração de um colega com mais de 50 anos de experiência em consultório particular, Prof. Gerson Corrêa, que nesse momento da vida encontrou tempo para compartilhar sua experiência com o grupo. Os cursos e reciclagem acontecem continuamente, seja em congressos, seja em cursos oferecidos por Ligas e profissionais de vanguarda. Odonto Magazine - Quais e como são desenvolvidas as ações educativas realizadas pelos profissionais de saúde bucal que integram o “Envelhecer Sorrindo”? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - Os profissionais que integram o “Envelhecer Sorrindo” participam ativamente de Reuniões, Semanas e Simpósios ora apresentando trabalhos, ora assistindo e adquirindo conhecimentos novos. Odonto Magazine - Sabe-se que a população idosa tende a crescer cada vez mais nos próximos anos. Como o profissional de saúde bucal tem se preparado para este incontestável evento? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - No nosso entender o profissional de saúde bucal ainda não se deu conta dessa realidade. Os implantes tão apregoados não poderão socorrer as pessoas idosas portadoras de moléstias crônicas, com osteoporose, por exemplo. Os processos demenciais representam outro desafio importante, uma vez que o comprometimento cognitivo inviabiliza qualquer tentativa de comunicação mais sofisticada entre o profissional e o paciente. Odonto Magazine – Os idosos necessitam de uma higiene bu-

26

Relacionamento.indd 26

cal diferenciada. Quais orientações podem ser dadas pelo profissional de saúde bucal? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - As pessoas idosas independentes devem fazer a higienização da boca após cada refeição e nunca se esquecer do fio dental. Aquelas parcialmente dependentes poderão precisar de algum tipo de auxílio com os recursos mais sofisticados, como as escovas interdentais. Além disso, poderão ser necessárias adaptações da empunhadura das escovas, nos casos de artroses, por exemplo. As pessoas totalmente dependentes irão necessitar de um cuidador para execução das necessidades básicas, que incluem a higienização dental. Odonto Magazine - Existem dados estatísticos que apontam a melhoria da qualidade de vida aliada a saúde bucal da população da “melhor idade” atendida pelo projeto? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - Existem trabalhos de iniciação científica feitos por nossos alunos, que revelam a diferença que faz o atendimento globalizado realizado pelo Envelhecer Sorrindo. Além disso, o Envelhecer Sorrindo ganhou um prêmio no XIV Festival de Cinema de Gramado, na categoria Vídeos Sociais. A jornalista Carolina Baggio, que na ocasião trabalhava na ECA, fez uma matéria baseada em um dia de atendimento e inscreveu no Festival. Odonto Magazine - A abordagem durante o cuidado com o idoso é totalmente diferente de outros atendimentos. Quais são as medidas que devem ser tomadas pelo Odontogeriatra para prestar um serviço qualificado? Dra. Maria Luiza Moreira Arantes Frigerio - Entendemos que o Odontogeriatra precisa vivenciar a realidade da pessoa idosa, suas necessidades, suas expectativas. O atendimento requer mais tempo do profissional, que precisa se inteirar da história de vida de cada paciente.

dezembro de 2011

12/12/11 14:52

M f

O

S e

P

P p

N m


Ultrassom Ultrassompara para todas todasas asespecialidades especialidades

CVDentus CVDentus pontas pontas ultrassônicas ultrassônicas

Implantodontia Implantodontia Osteotomias, Osteotomias, sinussinus lift eliftaplainamento e aplainamento parapara protocolo protocolo semsem aquecimento aquecimento ósseo. ósseo.

Ultrassom Ultrassom

NãoNão cortacorta tecidos tecidos moles moles e evita e evita sangramento. sangramento. Elimina Elimina bactérias bactérias anaeróbias. anaeróbias.

Equipamento Equipamento Portátil: Portátil: Opera Opera independente independente do equipo. do equipo. IdealIdeal parapara clínicas, clínicas, cursos cursos e e atendimento atendimento de pacientes de pacientes acamados. acamados.

Promoção válida enquanto durarem os estoques - sujeita a alteração sem prévio aviso

Periodontia Periodontia Pediatria Pediatria Maior Maior conforto conforto parapara as crianças, as crianças, evitaevita anestesia anestesia e minimiza e minimiza a sensibilidade. a sensibilidade.

Endodontia Endodontia Melhor Melhor acesso acesso irrigatório, irrigatório, localização localização dos dos canais canais e e favorece favorece a descontaminação. a descontaminação.

Ortodontia Ortodontia SliceSlice simplificado, simplificado, remoção remoção perfeita perfeita da resina da resina pós-bracket pós-bracket e ajuste e ajuste oclusal. oclusal.

Promoção válida enquanto durarem os estoques - sujeita a alteração sem prévio aviso

CVDent1000 CVDent1000

CVDent1000 CVDent1000

10x 10x R$ R$ 149,00 149,00

Prótese Prótese Preparo Preparo e moldagem e moldagem em sessão em sessão única, única, melhor melhor passividade passividade protética protética sobre sobre dente dente e afastamento e afastamento gengival gengival semsem sangramento. sangramento.

“Sinus “Sinuslift” lift”

300 300 RECOMENDADO RECOMENDADO PARA PARA

PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS

NãoNão cortacorta tecidos tecidos moles, moles, preserva preserva a membrana a membrana do seio do seio maxilar, maxilar, melhor melhor acesso, acesso, visibilidade visibilidade e maior e maior segurança segurança parapara o cirurgião. o cirurgião.

PontasPontas de altadedurabilidade. alta durabilidade.

Foto: Prof. Foto: Leandro Prof. Leandro Matias Matias

www.cvdentus.com.br www.cvdentus.com.br comercial@cvdentus.com.br comercial@cvdentus.com.br

Relacionamento.indd 27

Imagens ilustrativas

Imagens ilustrativas

O sistema O sistema de pontas de pontas CVDentus® CVDentus® parapara sinus sinus lift. lift.

R2 R2 W10 W10 W1 W1 CR-1 CR-1 Demarcação Demarcação da lojada loja Abertura Abertura da lojadaóssea loja óssea Alargamento AlargamentoRemoção Remoção de espícolas de espícolas

Atendimento Atendimento

Fone: Fone: (12) (12) 3944-1126 3944-1126

CVDentus CVDentus

12/12/11 14:52


Ponto de Vista

Banco de ossos: pouca gente sabe, pouca gente conhece Artur Cerri Especialista, Mestre e Doutor em Estomatologia pela USP. Diretor da EAP da APCD. Consultor Científico da Revista da APCD. Membro da Pierre Fauchard Academy. ExPresidente da Sociedade Paulista de Estomatologia e Câncer Bucal-SOPE. Professor Universitário há 38 anos na área de Estomatologia.

O

transplante de órgãos tem por objetivo principal preservar a vida de pessoas que necessitam de determinados órgãos de um doador comprovadamente com morte encefálica. Na década de 1950, a Marinha Americana já fazia transplantes de órgãos para soldados mutilados pela guerra. No Brasil, a doação e o transplante de órgãos começaram a tomar força na década de 1990. No decorrer desse tempo, o Ministério da Saúde e o governo elaboraram diversas leis, resoluções e portarias regulamentando a doação e transplante de órgãos. Nos últimos anos, a doação dos chamados órgãos sólidos, como fígado, coração, pulmão, rim e outros vem crescendo uma média de 20% ao ano, e, assim, salvando milhares de vidas. O Brasil está evoluindo (e muito) na doação de órgãos sólidos. No primeiro semestre de 2011 foram realizados 3.329 transplantes de órgãos sólidos e mais de 7.000 transplantes de córnea. Basta dizer que do total de morte encefálica confirmada, 40% doam seus órgãos. Isso não quer dizer que todos os órgãos serão aproveitados, pois antes de ser encaminhado para um receptor são realizados rigorosos testes para detectar possíveis doenças. Por outro lado, em relação à doação de ossos, a situação está estagnada e até com decréscimo de doadores. A doação de ossos segue os mesmos princípios da doação de órgãos, ou seja, basta autorização de parentes até de 4º grau. Não é preciso fazer a doação em vida. Via de regra são retirados os ossos longos como fêmur (coxa), tíbia e fíbula (perna) e ainda os ossos dos braços. O doador não fica mutilado, pois os ossos removidos são substituídos por outros materiais e a estética é preservada. É importante esclarecer que desde 2005 é permitida a doação e transplante de ossos. A retirada dos ossos segue os mesmos trâmites da remoção dos demais órgãos após autorização da família. Ainda não se criou no Brasil a cultura da importância em doar ossos. Parte desse desconhecimento é por falta de maior divulgação e também porque muitos profissionais desconhecem essa possibilidade e sua utilização. Os ossos doados serão utilizados em pacientes que tiveram perda óssea, como tumores, mutilações e nos casos implantes odontológicos e outras situações. Nos casos de implantes em Odontologia, o transplante de ósseo é muito importante, pois evita o chamado implante autógeno (quando o osso é retirado do próprio paciente). Nos casos de implantes autógenos são realizadas duas cirurgias: uma para a retirada do osso e outra para a colocação no local desejado propriamente dito. Portanto,

28

ponto_de_vista.indd 28

o risco de infecção e o tempo cirúrgico são maiores. Isso sem contar que muitas vezes o osso é retirado da bacia, sendo necessária nesses casos a realização com anestesia geral. É bem verdade que existe no mercado o osso bovino e outras alternativas para reposição óssea, mas, certamente, nenhuma substitui os benefícios do osso humano. No Brasil, 70% do osso oriundo de doadores são usados em implantes. Os ossos, além de tudo, são isentos de rejeição, pois todas suas proteínas são removidas. Lembramos que todo o processo é rigorosamente controlado do ponto de vista de infecção. No Brasil temos atualmente seis bancos de ossos, todos ligados a instituições de ensino ou a serviços públicos. Esses bancos são supervisionados pela ANVISA e pelo Ministério da Saúde. Quando um paciente recebe o osso de um doador assina um documento obtendo todas as informações necessárias sobre o doador e pode ter acesso a todos os exames realizados. Para poder requisitar um osso, o solicitante, no caso, o cirurgião-. dentista, precisa estar credenciado junto ao Ministério da Saúde por meio do site do órgão, onde existem todas as informações para o credenciamento. O receptor precisa ser informado que não existem riscos de rejeição. Um único osso pode beneficiar de 50 a 300 pacientes. Não obstante, o osso fica armazenado a 80º negativos por várias semanas. O osso pode ainda ser utilizado em pó ou em blocos, de acordo com a necessidade. Quem critica a utilização de ossos nos implantes é porque desconhece o assunto. Na Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD), onde existe há 56 anos a Escola de Aperfeiçoamento Profissional (EAP), são realizados atualmente 10 cursos de implantes e muitas vezes encontramos dificuldade em obter a disponibilidade imediata de osso humano, por falta de doadores. Nesses casos, somos obrigados a buscar alternativas, como o osso bovino. O osso humano é utilizado no mundo todo com grande sucesso. É preciso que o cirurgião-dentista acompanhe essa evolução e conheça seus benefícios.

dezembro de 2011

12/12/11 14:55


Ponto de Vista

Banco de dentes humanos A criação de Banco de Dentes Humanos tem crescido nos últimos anos. A APCD, por meio da EAP é a única entidade classista que possui um banco de dentes humanos. Até pouco tempo não existia regras para a doação de dentes. O doador era desconhecido e muito menos era conhecido o destino do mesmo. Da mesma forma, a distribuição e o armazenamento dos dentes eram, de certa forma, empírica e cada banco seguia sua própria regra. Em vista do crescimento desses bancos de dentes, tanto a Anvisa como o MS passaram a estabelecer algumas regras. A Resolução 347/2005 regulamenta o armazenamento e utilização de materiais biológicos humanos. O dente doado, segundo a legislação, deve ter o mesmo tratamento de qualquer órgão. Assim, o doador deve estar ciente para onde o dente está sendo encaminhado e qual será a utilização. Recentemente, em setembro, foi criada a Associação Brasileira de Banco de Dentes Humanos. O objetivo dessa Associação é colaborar na documentação referente à doação de dentes. O Banco de Dentes humanos tem, entre outras finalidades, impedir ações criminosas, como utilização de dentes de ossadas, além de ceder dentes para pesquisa.

dezembro de 2011

ponto_de_vista.indd 29

29

12/12/11 14:55


Coluna - Estética

A estética do sorriso: mais do que simplesmente beleza

Hugo Roberto Lewgoy Especialista. Mestre e Doutor pela FOUSP. Professor Titular de Biomateriais da Anhanguera Uniban. Professor do Mestrado em Biomateriais da Anhanguera Uniban.

C

om a globalização e o fenômeno da Internet, as informações e os avanços científicos estão sendo transmitidos quase que de forma instantânea. Assim, cada vez mais as pessoas de todo o planeta estão adquirindo hábitos muito parecidos, além de terem os mesmos desejos e anseios. Neste contexto, os padrões de beleza em todo o mundo vêm se equiparando e indicam como uma condição primordial para um indivíduo ser considerado “belo” a presença de um sorriso bonito. Várias pesquisas apontam que a maior reclamação estética das mulheres está relacionada ao sorriso. Em consonância com esta constatação, também a primeira feição a atrair os homens em uma mulher é justamente o seu sorriso. É inegável que a regra de ouro da beleza facial depende da harmonia entre o sorriso e a dentição. Não bastam apenas dentes brancos, alinhados, nivelados e bem contornados. A chamada proporção áurea é algo a ser perseguido quando realmente nos preocupamos com a estética orodentofacial dos pacientes. Além da estética dental ou “estética branca”, também a estética gengival ou “estética vermelha” ocupa um lugar de destaque para obter um sorriso bonito. A presença de uma gengiva saudável é um fator imperativo e um forte indicador de beleza facial. Porém, por trás de um sorriso bonito e harmonioso em relação à face existe muito mais do que simplesmente estética. Um sorriso bonito é um verdadeiro sinônimo de saúde geral e um indicador seguro de que o indivíduo detentor deste belo sorri-

30

coluna_estetica.indd 30

dezembro de 2011

12/12/11 14:56


Coluna - Estética

Por trás de um sorriso bonito e harmonioso em relação à face existe muito mais do que simplesmente estética

so é verdadeiramente saudável. Um exemplo claro disso está relacionado à saúde dos animais, que sempre foi norteada pela presença de dentes saudáveis. O ditado “cavalo dado não se olha os dentes” é uma clara referência à importância da saúde oral para a saúde geral dos indivíduos. Também não podemos nos esquecer de fatos tristes, porém, que marcaram a história da humanidade como, por exemplo, na época da escravidão quando um escravo era comercializado, seu valor ficava mais elevado quando o mesmo possuía dentes íntegros. Não resta dúvida que a saúde oral é o maior indicador de saúde geral. Entre todas as espécies de animais, a raça humana é a única que pode sorrir. Porém, muitas pessoas perdem a autoestima pela presença de uma estética do sorriso comprometida, assumindo um comportamento reservado e introvertido justamente por não terem um sorriso considerado belo. Além disso, muitos autores afirmam que um sorriso atraente pode indicar também saúde nutricional, amor próprio, status econômico, cultural, além, de ser fundamental para as relações de trabalho, sociais e até mesmo para a manutenção da sexualidade. A estética e a saúde oral dos pacientes são indissociáveis, caminham juntas e têm sido consideradas nos últimos anos como fatores muito importantes e capazes de interferir diretamente no grau de morbidade e mortalidade das pessoas. É uma unanimidade entre os órgãos internacionais de saúde que focos infecciosos na cavidade oral são fontes potenciais de infecções sistêmicas, principalmente devido à presença de cáries e doenças periodontais. Estas doenças são o resultado de um processo interativo entre o biofilme oral, os dentes e o tecido periodontal (Forner et al. 2006). Segundo Moore e Moore (1994); Socransky e Haffaje (1994); Wilson, Weightmen e Wade (1997) a cavidade oral é um ecossistema que abriga entre 400 a 500 diferentes espécies de micro-organismos. Para Downes (2008) existem mais de 600 espécies diferentes na boca, compostas principalmente de bactérias, fungos, protozoários e vírus. Segundo o autor, as bactérias são as mais numerosas na cavidade oral, algo em torno de 100 milhões para cada mililitro de saliva. Obviamente, ninguém precisa se preocupar em demasia com isto. Estes micro-organismos vivem em equilíbrio, inclusive auxiliando a nos proteger de uma série de patologias. Po-

rém, inúmeros trabalhos apontam para uma conexão direta entre uma baixa condição de saúde oral e sérios problemas de saúde geral justamente quando ocorre um desequilíbrio deste ecossistema. Apesar de existirem algumas controvérsias, muitos estudos científicos comprovam a relação entre saúde oral e saúde geral. Várias doenças sistêmicas podem estar relacionadas ou serem agravadas por uma baixa condição de saúde oral. Na realidade, a cárie e as doenças gengivais (gengivites e periodontites) podem estar relacionadas com uma série de doenças e problemas sistêmicos, por exemplo, AVC (Acidente Vascular Cerebral), Doenças Cardiovasculares (DCV), Infarto Agudo do Miocárdio, Endocardite Bacteriana, Distúrbios Gastrointestinais, Gastrites, Úlceras, Infecções Pulmonares Crônicas, Pneumonia Nosocomial, Diabetes, Câncer Oral, Parto Pré-Termo (Parto Prematuro) entre outras, porém, estas doenças têm um caráter primário multifatorial, ou seja, são causadas por uma associação de fatores (Elkind e Cole, 2006; Piconi et al. 2008; Kebschull, Demmer e Papapanou, 2010). Uma pesquisa realizada no Instituto do Coração em 2009 demonstrou que cerca de 40% dos pacientes atendidos com infecção na membrana cardíaca que recobre as válvulas do coração (endocardite bacteriana), tinham histórico de má higiene oral. Sendo assim, é fundamental que os cirurgiõesdentistas implementem em seus tratamentos estéticos medidas preventivas para o controle e desorganização do biofilme oral. A frase “a saúde começa pela boca” é realmente uma verdade absoluta. Não é possível que os profissionais se mantenham insensíveis a constatação de que a cárie é a doença crônica mais comum do planeta e que atinge mais de cinco bilhões de pessoas, ou seja, 88% da população Mundial. Isto é uma vergonha para a classe odontológica e demonstra que a Odontologia meramente curativa não resolve e não ataca a raiz do problema. Apesar do grande avanço dos tratamentos e reabilitações implantossuportadas, parece que o quadro também vai se repetir com o surgimento das chamadas mucosites e peri-implantites. Muitas vezes os tratamentos são realizados através da instalação de próteses fixas do tipo “protocolo” com uma sobre extensão que impede completamente o acesso e higienização da junção entre os implantes e pilares protéticos. Isto é um verdadeiro absurdo e demonstra a total falta de conhecimento do que representa o binômio estética-saúde, pois, não existe saúde na presença de doença gengival. Aprender escovação é algo muito importante e que infelizmente as pessoas acham que nascem sabendo. O aprendizado de uma técnica eficiente e atraumática de higienização é o primeiro passo a ser dado, pois, ela vai ser a responsável pela prevenção a doença, além de permitir a conservação e manutenção do tratamento realizado. De forma geral, as pessoas não valorizam este trabalho e acabam realizando a tarefa da higienização oral de uma forma empírica e intuitiva. É necessária a realização de uma higiene oral de maneira minuciosa e completa para desorganizar todos os nichos de retenção do biofilme oral através da utilização de acessórios específicos, muito eficientes e totalmente atraumáticos. A utilização de escovas do tipo ultramacias e com um grande número de cerdas, escovas interdentais Prime e/ou Soft-Implant e também a utilização de escovas do tipo Unitufo Solo, são a chave do sucesso para a preservação da estética, da saúde oral e consequentemente da saúde geral.

dezembro de 2011

coluna_estetica.indd 31

31

12/12/11 14:56


Coluna - Gest達o

32

dezembro de 2011

coluna_gestao_revisado.indd 32

12/12/11 14:59


Coluna - Gestão Odontológica

A importância de processos em redes de franquias odontológicas

Fernando Massi

Especialista em Radiologia e Imaginologia Odontológica. Fundador da Rede de Clínicas Odontológicas Ortodontic Center (Sistema de Franquias). fernando@ortodonticcenter.com.br

O

s resultados positivos de qualquer negócio, seja ele odontologia ou venda de serviços ou produtos, não importa o ramo de atuação, todos, sem exceção, provem de pequenos detalhes que muitas vezes são negligenciados no dia a dia. São essas pequenas ações que vamos abordar na sequência, as quais chamaremos, no decorrer desse artigo, de Processos. Em uma clínica odontológica que atinge grande quantidade de pacientes, é comum o cirurgião-dentista se perder no comando relacionado à administração, pois a formação do dentista é praticamente técnica, e em momento algum focada na administração do consultório. Sem contar que seu tempo fica completamente tomado pelo próprio procedimento odontológico, esquecendose de dedicar tempo algum para a gestão. Quando vemos uma clínica de grande porte, com grandes resultados financeiros, é muito natural pensarmos que exista algum segredo para alcançar esses resultados; ou que estão fazendo algo errado perante o CRO - Conselho Regional de Odontologia; e que a qualidade dos atendimentos odontológicos é ruim. Esse pensamento na maioria das vezes é correto, no entanto existem clínicas que atingem alto grau de profissionalismo, conseguindo todos esses resultados sem ferir o Código de Ética e mantendo grande qualidade no atendimento aos clientes. Este resultado se deve aos processos muito bem definidos. O cirurgião-dentista só consegue perceber a importância dos processos quando eles são realizados, pois são procedimentos tão pequenos e muitas vezes considerados apenas um detalhe que não farão a menor diferença se aplicados ou não. No entanto, não podemos considerar que esses processos façam a diferença isoladamente. Os bons resultados são a somatória de muitos pequenos processos. Quando oferecemos treinamento sobre a implantação desses processos em clínicas odontológicas, o cirurgião-dentista dispara:

“Mas eu já faço isso!” Mas será que está aplicando corretamente? Será que não está aplicando o processo isoladamente? Ou será que os recursos humanos são inapropriados e destreinados? Devemos lembrar que somos dentistas, e que para desenvolvermos esses processos, de forma efetiva, precisamos de pessoas ou empresas que tenham competências para tais funções. Nós não conhecemos a fundo a legislação para elaborarmos contratos, nem formas de planejar estrategicamente ações para impactar nossos possíveis clientes com marketing, além de não termos muitas noções de CRM (Costumer Relationship Management). Sem falar em técnicas de venda de nossos serviços. São essas pessoas ou empresas que nos ajudarão a desenvolver e padronizar processos bem definidos, elaborar manuais dos diversos setores de uma clínica odontológica. E podem ter certeza: os resultados são surpreendentes. Lembrando que, para isso devemos investir tempo e dinheiro para colhermos os resultados posteriormente. Quem nunca passou pela seguinte situação: Um cliente agendou um horário, compareceu no dia da consulta, fez a avaliação. Levamos esse cliente para o escritório, falamos sobre o tratamento, materiais e técnicas utilizadas para seu caso. Logo em seguida passamos o orçamento e recebemos de volta a seguinte frase: “Ok, vou analisar e ligo para marcar um horário”. E esse cliente não retornou. Lembrando que o mais difícil já tinha sido feito: trazer o paciente para fazer essa avaliação. Por que esse cliente não retorna? Na maioria das vezes não é porque ele não gostou do profissional, mas porque simplesmente guardou o orçamento em uma gaveta e não fez o tratamento com você e nem com qualquer outro profissional, ou porque não percebeu valores agregados ao tratamento. Neste caso o problema está nos processos não estabelecidos.

Os números, percentuais e referências publicados nesse artigo são de Unidades de Clínicas Odontológicas da Rede Ortodontic Center.

dezembro de 2011

coluna_gestao_revisado.indd 33

33

12/12/11 14:59


Coluna - Gestão Odontológica Citaremos alguns que são obrigatórios nas clínicas: » Processo de adequação da estrutura física e organizacional da clínica: essa estrutura sempre deve ter alguns diferenciais para se destacar dentre centenas de outras clínicas, como monitores na recepção e nas salas de atendimento, sofás ou cadeiras bonitas e bem cuidadas, comunicação visual externa e interna, assim como placas direcionais, banners, espaço de entretenimento para as crianças, câmeras intraorais, software de gerenciamento, entre diversos outros diferenciais que agregam valor na decisão por optar pelo tratamento na sua clínica. » Recursos humanos: recepcionistas, auxiliares, telefonistas, entre outros colaboradores uniformizados e treinados; isso garante um atendimento sempre padronizado, porém humanizado, mesmo em larga escala. » Campanhas de fidelização e satisfação dos clientes: nestas ocasiões obtemos informações sobre as opiniões dos pacientes, sobre o tratamento, os profissionais, o ambiente, enfim, tudo que está ligado ao bom atendimento a estes pacientes, para saber o que precisa ser melhorado ou mantido. Vamos relatar a mesma situação descrita anteriormente, mas com aplicações desses processos: O cliente marcou um horário em sua clínica impactado por algum material de divulgação, seja uma propaganda na televisão, rádio, material gráfico ou qualquer outra forma de mídia que estimule esse agendamento ou, simplesmente, por indicação de alguma pessoa que viu em algum veículo. No dia anterior à avaliação, uma telefonista da clínica entra em contato, de forma muito simpática para confirmar seu horário, isso se o sistema de gerenciamento não o fizer automaticamente por meio de e-mail ou SMS (mensagens de texto via celular). Esse cliente chega á sua clínica e tem estacionamento próprio ou conveniado. Por menor que seja essa clínica, ela tem uma fachada muito bonita e imponente. O cliente entra e vê uma sala de espera organizada, com várias comunicações visuais de bom gosto, além de ser muito bem atendido pelas recepcionistas. Logo ao lado encontra um lugar específico para tomar um café, água, suco, entre outras coisas. Depois escolhe entre leitura, TV, som ou interatividade com internet e games enquanto espera. Ainda na recepção é recebido na sala de espera com agilidade e presteza pelo próprio dentista que o avaliará, também de forma acolhedora, e sempre falando a mesma língua do seu cliente, seja ele classe A, B, C, D ou E. O cliente é encaminhado para a sala clínica, sem cheiro de eugenol, outra sala organizada, com comunicação visual agradável e um monitor onde ele vai acompanhar sua avaliação por meio de uma câmera intraoral, com o dentista todo paramentado e uniformizado. Após a avaliação, o profissional encaminha o cliente a um escritório, nos mesmos padrões, para esclarecer sobre os procedimentos, ilustrando com modelos e vídeos, para depois passar os valores. Com certeza, o índice de fechamento de plano de tratamento imediato aumentará, mas ainda há os que analisarão para dar a resposta em outro dia. No dia seguinte, uma telefonista entra em contato com esses clientes e pergunta como foi a avaliação, se gostou do atendimento e se gostaria de agendar um horário. Somente isso aumenta muito o agendamento dos pacientes que ficaram de pensar.

34

Mas ainda há uma parte dos futuros pacientes, que não agendaram horários e não fecharam o contrato para iniciar o tratamento. Esses não podem ser abandonados. Novas campanhas de marketing serão aplicadas para fazê-lo retornar, seguindo todos os processos novamente. Temos de levar em consideração as faltas, e novo processo de chamada deve ser executado, em curto e médio prazo. Mesmo as pessoas que nunca compareceram na clínica devem ser mantidas sob novos processos de abordagem. Imaginem o aumento dos resultados, em médio e longo prazo, que a aplicação desses cinco ou seis processos podem impactar. Imaginem, então, o que mais de 500 processos tão simples, como esses citados, podem fazer pelo seu negócio. E é essa somatória de processos que resulta em clínicas de alta performance.

Relato Prático Em 2002, a cada 100 agendamentos por procura de ortodontia, sem processos definidos: » Perdíamos 80 agendamentos por falhas na confirmação de horário. » A cada 10 avaliações, fechávamos apenas dois ou três contratos imediatamente. » Perdíamos grande parte desses clientes até o fim do tratamento. » A média de permanência desses pacientes era de 18 meses, isto é, de 100 agendamentos, afunilávamos para quatro a seis clientes em tratamento. Em 2011 (com processos bem definidos): » Contamos com mais de 800 agendamentos mensais, de novos clientes de ortodontia. » A cada 10 avaliações fechamos média de oito contratos imediatamente. » As campanhas de prospecção funcionam 12 meses ininterruptamente. » Aumentamos a permanência de 18 para 26 meses conforme última pesquisa, devido aos processos de endomarketing e melhoras na estrutura física. » Por meio de pesquisa NPS (Net Promoter Score), que mede a longevidade do negócio pela satisfação do cliente; conseguimos 81,72%, porcentagem que gira em torno de 50% em negócios da área da saúde. Esse resultado estimula novas indicações dos pacientes satisfeitos (indicação boca a boca). Percebemos que até pacientes que foram executados por falta de pagamentos continuam indicando nossa clínica. Resumindo, temos uma média de 210 novos pacientes mensais, somente de ortodontia, totalizando próximo a 2.000 novos pacientes em tratamento anualmente, com permanência de 26 meses, e ticket médio próximo a R$ 60,00, somando um faturamento bruto na casa de R$ 3.000.000,00 em 26 meses, já descontando os desistentes. Este relato serve de alerta para tratarmos a Odontologia de forma mais profissional sob o aspecto da gestão de marketing, administrativa, financeira, jurídica, CRM, T.I. (Tecnologia da Informação), Recursos Humanos, entre outras. E claro, sem esquecer a gestão técnica, que é a atividade fim do nosso negócio, que não é um diferencial, e sim uma obrigação da nossa classe. Temos um longo caminho a seguir. Bom trabalho a todos!

dezembro de 2011

coluna_gestao_revisado.indd 34

12/12/11 14:59


coluna_gestao_revisado.indd 35

12/12/11 14:59


Especial Educação

36

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 36

12/12/11 17:59


Especial Educação

Especialização é o caminho para atender a demanda de um mercado em alta e com clientes exigentes

O

conceito de saúde definido pela Organização Mundial de Saúde, em 1983, abrange o bem-estar físico, social e mental das populações e orienta, atualmente, todas as áreas. Nessa perspectiva, todos os aspectos que permitem ao indivíduo viver em equilíbrio e melhor interagir socialmente estão inseridos nos diversos segmentos da área da saúde, incluindo a Odontologia. O cirurgião-dentista deve, portanto, sempre partir desse amplo conceito de vida saudável, proporcionando ao paciente o bemestar, satisfação psíquica e social, e ter competência para solucionar os problemas funcionais e estruturais dos dentes, a exemplo dos aspectos estéticos. A valorização crescente de tratamentos que propiciem a harmonia e o equilíbrio dos dentes expressa-se no aumento da demanda da população por restaurações, cirurgias entre outros tratamentos. O mercado de trabalho em efervescência acaba impulsionando a procura por conhecimentos específicos por parte dos cirurgiões-dentistas recém-formados e até os mais experientes. Além da crescente procura por tratamento, vale salientar a evolução dos materiais utilizados nas clínicas odontológicas, além das novas técnicas de tratamento ocorrida nos últimos anos, o que tem possibilitado grande desenvolvimento à área e bons resultados durante os tratamentos odontológicos. A procura por tratamentos odontológicos, como implantes dentários, branqueamento, ortodontia, entre outros tem crescido animadamente nos últimos anos no Brasil. Prova disto é o levantamento realizado periodicamente pelas empresas que trabalham no setor da Odontologia, que apuraram uma crescente demanda por tratamentos com resultados de cunho estéticos em cerca de 200% nos dois últimos anos. A partir de 2002, com a implantação das Diretrizes Curriculares Nacionais, a abordagem da graduação em Odontologia passou a ter uma visão generalista, o que obriga a existirem estudos específicos após a conclusão do curso de formação. Em decorrência dessa necessidade, houve uma grande procura por cirurgiões-dentistas egressos das faculdades de Odontologia do Brasil por cursos de aperfeiçoamento, atualização e especialização, como a pós-gradua-

ção. Esse profissional busca uma formação segura e precisa para desempenhar adequadamente suas funções profissionais durante o trabalho nos consultórios. Esse panorama mostra que o aumento da demanda de cursos de pós-graduação Lato Sensu tem significativa importância no contexto atual da área da Odontologia, possibilitando aos cirurgiõesdentistas acompanharem a evolução técnico-científica das especialidades, atenderem às necessidades crescentes da população, além de se adaptarem às exigências do mercado de trabalho. As instituições de ensino têm se mobilizado para ampliar o portfólio com novos cursos, além de criar produtos que atendam a essa crescente necessidade do mercado. Em contrapartida, os cirurgiões-dentistas já entenderam que, somente por meio da reciclagem, poderão fazer frente aos exigentes clientes que procuram os consultórios. Esse panorama positivo mostra que a demanda por especialização é crescente e que o desenvolvimento profissional está diretamente ligado a essa prática, estimulando, assim, aqueles cirurgiões-dentistas que primam pela excelência nos seus trabalhos a buscarem esse conhecimento específico. O desenvolvimento educacional dos alunos está pautado no aprendizado contínuo, que é exercido por meio do conhecimento teórico e prático. A Odonto Magazine preparou um especial com algumas opções de instituições de ensino do Brasil. Atualize-se!

Dr. Flávio Zoéga Marotti Cirurgião-Dentista. Mestre em Implantodontia. Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. Atualmente é cirurgiãodentista em consultório privado. Diretor clínico da Clínica Odontológica do Centro Universitário Senac – SP. Coordenador dos cursos de Pós-graduação - Especialização e Extensão Universitária da área de Odontologia do Centro Universitário Senac - SP.

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 37

37

12/12/11 17:59


Especial Educação Região Norte

Reconhecida pela qualidade do ensino em Odontologia A Faculdade do Amazonas – IAES, mantida pelo Instituto Amazônia de Ensino Superior Ltda, foi credenciada em 15 março de 2001 com conceito B, e recredenciada em 2009 com conceito 3. Ao longo de seus 10 anos de atuação na área de Odontologia, vem crescendo e se transformando em sincronia com a sociedade e o mundo do trabalho, contribuindo assim, de forma significativa, para o desenvolvimento socioeconômico do Estado do Amazonas e, consequentemente, do Brasil. Com o olhar no presente e visão voltada para o futuro, reafirmando sua vocação na área da Odontologia, a IAES, a partir de 2006, deu início à implantação de seu Programa de Pós-Graduação. Atualmente, oferece cursos de especialização em Ortodontia, Endodontia, Prótese Dentária, Implantodontia e Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. Além da reconhecida qualidade do ensino em odontologia, o IAES vem se consolidando como Instituição de Ensino Superior, por meio da implantação gradativa de Cursos de Pós-Graduação Lato-Sensu na sua área de atualização e do desenvolvimento de ações, objetivando buscar parcerias para oferta de Cursos de Pós-Graduação Stricto-Sensu. Na área de Pesquisa, estratégias vêm sendo implementadas nos últimos anos para incentivar a Pesquisa Científica e Tecnológica com a reestruturação do PIC- Programa de Iniciação Científica e a retomada da edição da sua revista científica. www.iaes.com.br

Formação completa no Amazonas A Universidade do Estado do Amazonas - UEA visa ministrar cursos de grau superior, com ações especiais que objetivem a expansão do ensino e da cultura em todo o território do Estado. Na área de pós-graduação em Odontologia, a UEA possui em andamento o curso de especialização em Ortodontia. A última turma iniciou as aulas em setembro deste ano, com conclusão prevista para agosto de 2014. De acordo com o coordenador de pós-graduação de Odontologia, Fábio Mitsui, os próximos cursos de especialização estarão com inscrições abertas no primeiro semestre de 2012, em data a ser divulgada no portal da universidade na internet. Os graduados em odontologia podem verificar o portal, a partir de janeiro, e se inscrever para a seleção aos cursos de especialização em Endodontia, Odontopediatria, Implantodontia, Prótese Dental e Cirurgia Bucal Avançada. Os cursos de especialização são oferecidos em Manaus, na Policlínica Odontológica da UEA, onde o ensino está diretamente ligado à prática, já que o local oferece atendimento agendado à população, inclusive para pacientes com necessidades especiais. www.uea.edu.br

Região Nordeste Promoção da educação qualificada A unidade de Fortaleza da São Leopoldo Mandic funciona desde 2006 e conta com duas clínicas para ensino com 24 equipes, sala de esterilização, duas salas para raios-X, sala para moldagens, entre outros espaços e recursos que atendem com excelência as atividades desenvolvidas pelos alunos. A unidade de Fortaleza apresenta aos cirurgiões-dentistas as especialidades nas áreas de: Dentística; Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial; Endodontia; Implantodontia; Ortodontia; Prótese Dentária; Radiologia e Imaginologia. Para se inscrever para os cursos em qualquer unidade da São Leopoldo Mandic, basta ligar para a sua Central de Atendimento pelo telefone 0800 941 7 941 ou enviar um email para faleconosco@slmandic.edu.br. www.slmandic.edu.br

38

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 38

12/12/11 17:59


Especial Educação O universal pelo regional A Universidade Federal do Ceará é uma autarquia vinculada ao Ministério da Educação. Nasceu como resultado de um amplo movimento de opinião pública. Foi criada pela Lei nº 2.373, em 16 de dezembro de 1954, e instalada em 25 de junho do ano seguinte. A Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Ceará foi fundada no dia 12 de março de 1916, sendo a segunda instituição do ensino superior do Estado. Os estudantes de graduação e de pós-graduação contam com aulas práticas em seis clínicas que atendem gratuitamente a comunidade. O Programa de Pós-Graduação do curso de Odontologia da Universidade oferece Mestrado em Odontopediatria, Cirurgia, Dentística, Periodontia, Prótese e Estomatologia; e Doutorado nas áreas de Odontopediatria, Periodontia, Dentística/Cariologia e Dentística. www.ufc.br

Referência em ensino superior na Paraíba e no Nordeste Pelo quarto ano consecutivo, o Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) é a melhor instituição privada de ensino superior da Paraíba e o melhor centro universitário privado do Nordeste, na avaliação do Índice Geral de Cursos (IGC), do Ministério da Educação (MEC), divulgado no dia 17 de novembro passado. Em 40 anos de história, o Unipê é referência em ensino superior na Paraíba e no Nordeste e já formou até quatro gerações de uma mesma família, o que demonstra a credibilidade da instituição. O curso de Odontologia do Unipê também recebeu, este ano, conceito 4 (escala de 1 a 5) do MEC e possui um dos Complexos Odontológicos mais modernos do Nordeste, com quatro clínicas e 104 consultórios. O Unipê também oferece laboratórios modernos, projetos práticos de extensão voltados à comunidade e pesquisas científicas em diversas áreas. A Pós-Graduação do Unipê está com inscrições abertas para 40 novos cursos de especialização, entre eles, quatro na área de Odontologia (Implantodontia; Radiologia Odontológica e Imaginologia; Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofaciais e Endodontia). As inscrições podem ser feitas pelo Portal Unipê. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (83) 2106 9284 e 2106 9368. www.unipe.br

Região Centro-Oeste Reconhecimento e recomendação Fundada em 2004, a unidade de Brasília da Faculdade São Leopoldo Mandic atende atualmente 143 alunos e conta com três clínicas com 12 equipes cada, três salas de aula, dois laboratórios estruturados e uma biblioteca. A unidade, localizada na capital do país, oferece aos cirurgiões-dentistas as especializações nas áreas de: Cirurgia Bucal Avançada, Dentística, Periodontia, Endodontia, Implantodontia, Odontopediatria, Ortodontia, Prótese Dentária, Saúde Coletiva em Odontologia. A Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic também oferece Ensino a Distância, com os seguintes cursos: Atenção Básica em Saúde, Gestão em Saúde Pública e Privada, Odontologia do Trabalho e Saúde Coletiva. Para se inscrever para os cursos em qualquer unidade da São Leopoldo Mandic, basta ligar para a sua Central de Atendimento pelo telefone 0800 941 7 941 ou enviar um e-mail para faleconosco@slmandic.edu.br. www.slmandic.edu.br

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 39

39

12/12/11 18:00


Especial Educação

Formação de qualidade e comprometimento com a cidadania A Universidade de Brasília é uma instituição idealizada para combinar o rigor da ciência com a ousadia da arte. A produção de conhecimento na UnB obedece ao modelo tridimensional de ensino, pesquisa e extensão, o que favorece a uma formação universitária de qualidade, respeitosa com todas as formas de saber e comprometida com a cidadania. A Universidade de Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1962. Atualmente, possui mais de 2 mil professores, 2.512 servidores e 30.777 mil estudantes de graduação e 6.650 de pós-graduação. É constituída por 25 institutos e faculdades e 25 centros de pesquisa especializados. Para dar apoio às atividades desenvolvidas na UnB, alunos, professores e servidores contam com 400 laboratórios, além dos órgãos de apoio, como o Hospital Universitário e a Biblioteca Central. A instituição oferece cursos de especialização em Odontologia nas áreas de: Periodontia, Prótese Dentária e Odontologia em Saúde Coletiva (a distância). www.unb.br

Mais de uma década formando grandes profissionais A Universidade Paulista (UNIP) instalou-se em Goiânia em 2000, e o curso de Odontologia da instituição vem se tornando referência no Centro-Oeste devido aos seus índices de qualidade. Atualmente, o campus UNIP Goiânia oferece oito cursos de especialização lato sensu em Odontologia: Dentística, Endodontia, Estomatologia, Implantodontia, Ortodontia, Patologia Bucal, Periodontia e Prótese Dentária. Também existem cursos de curta duração (aperfeiçoamento) em variadas especialidades. As inscrições para os cursos mencionados serão iniciadas a partir de 15/12/2011, por meio do site ou na Coordenação de Pós-Graduação do campus Goiânia. O início das turmas ocorre em março de 2012. Mais informações podem ser obtidas por meio do telefone (62) 3239-4068 ou através do e-mail goiania.pos@unip.br. www.unip.br

Região Sudeste

Pós-graduação reconhecida internacionalmente A Estácio oferece curso de graduação em Odontologia, além de cinco cursos de especialização, mestrado e doutorado. Há também um curso de Atualização em Cirurgia Oral, que pode ser realizado por graduandos e pós-graduandos. Todos eles são oferecidos em Juiz de Fora e no Rio de Janeiro (Campus Recreio). O curso de pós-graduação é oferecido na Estácio há cerca de 10 anos. A instituição tem expertise em Endodontia. A Estácio tem sua pesquisa científica do programa de pós-graduação reconhecida internacionalmente e, muitos professores recebem convites para ministrar palestras e cursos no exterior em países como EUA, França, Itália, México, Argentina, entre outros. “Nossos alunos do curso de Especialização em Endodontia têm a oportunidade de se familiarizar com os mais modernos conceitos biológicos e tecnológicos da Endodontia. Nosso corpo docente possui vasta experiência clínica, forte formação em disciplinas básicas (biológicas) e uma grande preocupação com a prática odontológica baseada em evidências científicas”, comenta o Coordenador Adjunto do Programa de Pós-Graduação em Odontologia da Estácio, Prof. Julio Cezar M. de Oliveira. www.estacio.br

40

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 40

12/12/11 18:00


Especial Educação

Conhecimento por meio do ensino e da pesquisa A Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP) integra o Campus Administrativo de Bauru, da USP, juntamente com o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) e a Coordenadoria do Campus de Bauru (CCB). A instituição Conta com cursos nas áreas de Odontologia e Fonoaudiologia, tendo formado 46 turmas de cirurgiões-dentistas e 18 de fonoaudiólogos até o ano de 2010, resultando na graduação de 2.300 dentistas e 560 fonoaudiólogos. Na pós-graduação, titulou 1.174 mestres e 536 doutores, que integram os quadros docentes de diversas escolas de Odontologia e Fonoaudiologia do Brasil e do exterior. A instituição oferece cursos de especialização em Odontologia em diver diversos segmentos, entre eles: Dentística, Endodontia, Estomatologia e Biologia Oral, Odontopediatria, Ortodontia e Odontologia em Saúde Coletiva, Patologia Bucal e Reabilitação Oral. Mais informações sobre os cursos e inscrições podem sem obtidas por meio do telefone (14) 3235-8223. http://posgrad.fob.usp.br

Atualização em foco A FUNORP, sólida fundação de apoio à Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, atua em diversas áreas, incentivando o intercâmbio do conhecimento cujo o foco principal é trazer até você todas as possibilidades para se especializar e permanecer atualizado. A instituição oferece cursos de Aperfeiçoamento, Atualização e Especialização em diversas modalidades, para tanto disponibiliza uma infraestrutura ideal para cursos, workshops, seminários, enfim, toda ação desenvolvida para o seu crescimento profissional. Atualmente, a FUNORP possui 16 cursos em andamento nas mais diversas áreas, tendo formado até dezembro de 2011 mais de 300 especialistas. Em 2012, teremos novas turmas para os cursos de Especialização nas áreas de Dentística, Disfunção Têmporo-Mandibular e Dor Orofacial, Endodontia, Radiologia Odontológica e Imaginologia, Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais, Odontologia Legal e Ortodontia. Em Aperfeiçoamento e Atualização, os cursos serão: Implantes Osseointegrados – Fases Cirúrgica e Protética, Reabilitação Oral com Implantes Osseointegráveis, Prótese sobre Implantes e Cirurgia Avançada em Implantodontia. www.funorp.com.br

Excelência em educação continuada Fundada em fevereiro de 1983 e conveniada à Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Odontologia tem estabelecido em sua missão: “oferecer excelência em educação continuada na área da Odontologia, gerar e difundir conhecimentos específicos e proporcionar suporte para o desenvolvimento e valorização da FOUSP.” A Instituição oferece mais de 100 opções de cursos ao cirurgião-dentista, entre especializações, cursos de aperfeiçoamento e workshops com diferentes periodicidades. Entre as especializações, podemos citar: Cirurgia, Dentística, Endodontia, Implantodontia, Ortodontia, Prótese, Radiologia, Odontopediatria, Odontologia Legal, Saúde Coletiva, Odontologia do Trabalho, Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais e Periodontia. A ffo-fundecto une facilidade no acesso, segurança, além de inúmeras outras comodidades. Sua estrutura é composta por um conjunto de nove salas de aula, um anfiteatro, três laboratórios, cinco clínicas modulares, totalizando 72 equipos, todos equipados com um eficiente sistema de transmissão de áudio e vídeo além de ar-condicionado, possibilitando uso de recursos didáticos modernos e interativos. www.fundecto.com.br

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 41

41

12/12/11 18:00


Especial Educação

Referência na formação de cirurgiões-dentistas no Brasil e exterior Fundada em 1996, a instituição foi classificada com nota 5 no IGC - Índice Geral de Cursos pelo MEC - Ministério da Educação - por quatro anos consecutivos, a SLMandic conta com projeto pedagógico diferenciado, destacando-se o quadro de professores, em sua maioria doutores e pós-doutores. A Unidade Campinas é estruturada com laboratórios de última geração, salas de aula modernas, um centro de radiologia com equipamentos digitais, tomógrafo e clínicas para o ensino prático da profissão da Odontologia, frequentemente a instituição serve de modelo para todo o Brasil como exemplo de modernidade e respeito ao convencional e à busca da excelência. Os cursos de especialização oferecidos na área odontológica são: Acupuntura Sistêmica; Cirurgia Bucal Avançada; Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial; Cirurgia Plástica Periodontal e Peri-implantar; Dentística; Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial; Endodontia; Implantodontia; Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais; Odontopediatria; Ortodontia, Patologia Bucal; Periodontia; Prótese Dentária; Radiologia Odontológica e Imaginologia. Para se inscrever para os cursos em qualquer unidade da São Leopoldo Mandic, basta ligar para a sua Central de Atendimento pelo telefone 0800 941 7 941 ou enviar um e-mail para faleconosco@slmandic.edu.br. www.slmandic.edu.br

Qualificação profissional diferenciada Instituição educacional comprometida com a inclusão social, o Senac São Paulo organiza uma programação de cursos livres, técnicos, de graduação e pós-graduação em diversas áreas do conhecimento. São 54 unidades educacionais em todo o Estado de São Paulo, além de três campi do Centro Universitário Senac, dois hotéis-escola Grande Hotel São Pedro e Grande Hotel Campos do Jordão e mais a Editora Senac São Paulo. A diversidade dessa atuação possibilita a oferta de atendimento corporativo e de cursos à distância. Desde 2003, o Centro Universitário Senac vem trabalhando com um portfólio de cursos no âmbito da pós-graduação lato sensu em Odontologia, caracterizado pelo seu comprometimento com a qualificação profissional diferenciada. Conta para isto com um corpo docente altamente qualificado e uma infraestrutura atual e tecnológica. As atividades de pós-graduação na área de Odontologia acontecem na Unidade Tiradentes do Senac, que além de possuir excelente localização na cidade de São Paulo, conta com uma equipe docente altamente qualificada e uma infraestrutura de ponta (raio-X digital, sala de cefalometria, monitores de parâmetros fisiológicos, microcomputadores, microscópios odontológicos, sistema de transmissão de imagens e sistema de analgesia). Atualmente são ofertados oito títulos: Odonto Estética, Prótese Dentária, Ortodontia, Implantodontia, Periodontia, Endodontia, Odontopediatria e Dentística. Inscrições e informações no site da instituição ou pelos telefones (11) 3336 -2071 ou 3336 2073. www.sp.senac.br

42

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 42

13/12/11 14:20


Especial Educação Região Sul

Crédito: Bruno Todeschini

Reconhecimento por qualidade e excelência em pesquisa A PUCRS é a Universidade privada com melhor avaliação nos cursos de graduação, mestrado e doutorado na região Sul. No cenário nacional, está em terceiro lugar, atrás da PUC-Rio e da PUC-SP, segundo o Ministério da Educação. Em 63 anos de história, a Universidade já formou mais de 140 mil diplomados e hoje possui mais de 30 mil alunos. São 67 opções de cursos de graduação, 23 de mestrado, 19 de doutorado, e mais de 100 especializações. A Instituição dispõe de mais de 200 laboratórios para suas atividades de docência e de pesquisa e conta hoje com 87% dos professores com titulação de mestres e doutores. A Faculdade de Odontologia da PUCRS recebe inscrições para especializações nas áreas de Ortodontia, Implantodontia e Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, em sua 21ª edição. Informações sobre as inscrições estão disponíveis no site do Centro de Educação Continuada da Universidade. Mais informações podem ser obtidas por meio do telefone (51) 3320-3727. www.pucrs.br/educacaocontinuada

Transformação de profissionais de todo o país Fundada em 2002, a unidade Porto Alegre da Faculdade São Leopoldo Mandic recebe alunos oriundos de diferentes municípios da região sul do Brasil. São três clínicas de atendimento, sala de raios-X, laboratório multidisciplinar, quatro salas de aula e biblioteca. A unidade oferece aos cirurgiões-dentistas especializações nas áreas de: Dentística, Endodontia, Gestão da Saúde, Implantodontia, Ortodontia, Periodontia, Prótese Dentária, Radiologia e Imaginologia. Para se inscrever para os cursos em qualquer unidade da São Leopoldo Mandic, basta ligar para a sua Central de Atendimento pelo telefone 0800 941 7 941 ou enviar um e-mail para faleconosco@slmandic.edu.br. www.slmandic.edu.br

Referência em pesquisa Com 50 anos de atividades, o curso de Odontologia da Universidade Estadual de Londrina - UEL oferece quatro especializações, três residências e um mestrado. Uma das mais antigas graduações da UEL, a Odontologia desponta hoje como referência em pesquisa, concentrando um programa de Mestrado em Clínicas Odontológicas; três residências em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, Odontopediatria e Periodontia, além de quatro especializações em Odontopediatria, Endodontia, Dentística Restauradora e Ortodontia. O curso é mais antigo que a própria Universidade, que completou 40 anos em outubro deste ano. Tudo começou em 1962, na extinta Faculdade Estadual de Odontologia de Londrina, que originou a Clínica Odontológica Universitária (COU), hoje órgão suplementar da UEL. O diretor da COU, professor José Roberto Pinto, afirma que uma preocupação dos professores é incentivar a prática profissional. Dessa forma acadêmicos participam de projetos e auxiliam no atendimento ambulatorial. Esta estrutura garante o atendimento médio de 90 mil pacientes/ano. O curso mantém ainda um Pronto Socorro Odontológico 24 horas, que contabiliza outros 16 mil pacientes por ano. A gama de serviços é complementada com o atendimento pioneiro da Clínica de Especialidades Infantis, conhecida como Bebê-Clínica, que contabiliza atendimento a 30 mil crianças/ano. As inscrições para os cursos de pós-graduações da UEL estão previstas para 2012, quando os editais deverão ser divulgados no portal da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. www.uel.br/proppg/portal

dezembro de 2011

especial_educacao.indd 43

43

12/12/11 18:00


Caso Clínico

O uso da prótese sistema snap-on-smile no aumento de dimensão vertical e estética simultaneamente

Eduardo Fontes Martinho Graduado em Odontologia pela Universidade Paulista - Unip. Especialista em Implantodontia pela Universidade Santo Amaro-Unisa. Credenciado pela Lumident no Sistema Snap-on-smile. edufmaster@gmail.com

H

á anos os pacientes que frequentam nossas clínicas vêm procurando tratamento e valorizando muito a estética dental no final do tratamento. Comum em muitos casos, o tratamento odontológico demora ao seu término seja devido ao tamanho do tratamento de cada paciente especificadamente, seja aos tipos propostos ou até mesmo a dificuldade de continuidade do tratamento pelo paciente pela falta de horários disponíveis para comparecimento devido à correria do dia a dia. Em relação ao tratamento protético temos vários tipos disponíveis, como ppr, prótese fixa e sobre implantes. Nas próteses parciais removíveis, especificadamente, temos as provisórias conhecidas como “pererecas”, que não possuem estrutura metálica, sendo um pouco mais estéticas por não terem grampos, não precisam desgaste dental, mas são mais frágeis do que as ppr definitivas que, por sua vez, têm que fazer desgaste dentais, nichos para sua estrutura metálicas, sendo mais resistentes, porém, dependendo da área, sua estrutura pode comprometer a estética, ficando aparente seus grampos no sorriso e até mesmo com aparência muito artificial, devido ao material utilizado na confecção das mesmas. Atualmente, com a procura da estética em alta, também tivemos a procura por materiais mais estéticos e resistentes. Nessa procura apareceu o sistema snap-on-smile. O sistema é uma prótese estética, removível multiuso de longa duração que não precisa de preparo, nem injeção anestésica e nenhum cimento ou adesivo. O produto e a resina com que é confeccionado são patenteados, flexíveis e extremamente resistentes e se encaixam sobre os dentes dos pacientes. Não compromete o tecido gengival, não cobre o palato, pois sua retenção ocorre totalmente nos dentes remanescentes, não é invasivo e, além disso, pode ser removido a qualquer hora, portanto, é totalmente reversível, sendo necessárias apenas

44

snap.indd 44

duas consultas, uma para moldagens, registro e fotos e na segunda para instalação e pequenos ajustes. O sistema snap-on-smile confeccionado por CAD-CAM, com uma resina acetil cristalizada com paredes de espessura muito fina, de 0,5mm e que não compromete sua resistência. É a única prótese que pode ser fabricada com espessuras variadas em toda extensão para permitir um contorno e aparência natural. É durável, resistente a pigmentação com tabaco, vinho e café. Patenteada pela Den-mat, vem mudar a concepção da prótese removível, sem necessidade de confecção de nichos nos elementos dentais, onde sua fixação se dá pelo hemisfério dental. Além de melhorar a estética, é disponível em toda escala vita classical, não possui estrutura metálica aparente no palato, na lingual ou de grampos, sendo muito resistente e de longa duração (entre cinco e oito anos). Neste artigo serão apresentados dois casos clínicos utilizando o sistema snap-on-smile com resultados muito satisfatórios tanto em função como em estética, porém, ambos os pacientes, um do sexo masculino e um do sexo feminino, querem se manter anônimos devidos a sua posição profissional.

Caso clínico 1 Paciente caucasiano do sexo masculino com idade entre 50 e 60 anos, diabético com hipertensão e bruxismo devido a oclusão deficiente, tendo na maxila dentes do 17 ao 22 e na mandíbula do 34 ao 43 apenas. Paciente passou por várias próteses removíveis, sempre sem muito sucesso - tanto na função como na estética. Devido as suas condições sistêmicas e a pouca altura óssea na maxila, necessitando de enxerto no seio maxilar, e na mandíbula com pouca altura remanescente posterior em relação ao canal mandibular, o tratamento com implantes foi contraindicado. Na primeira visita, o paciente me procurou para tentar trata-

dezembro de 2011

12/12/11 15:04


Figura 1 Antes. Notar desgaste incisal e falta dos elementos.

mento com implantes orais, após explicações dos prós e dos contras, foi apresentado o sistema snap-on-smile, que foi aceito pelo paciente. Foi explicado que o procedimento seria desenvolvido sem anestesia, sem desgaste de dentes e que seria realizada apenas moldagem superior e inferior, tomada de RMM (relação maxilo mandibular), fotos digitais frontal, perfil e oclusal e sorriso em oclusão. Na segunda consulta foi realizado o que fora explicado na primeira visita e enviado á Lumident, sede da Den-mat no Brasil, que fez o envio aos USA. Após 30 dias houve o retorno e foi possível agendar a terceira sessão. Na terceira consulta, as próteses foram instaladas na boca, foram feitos os ajustes necessários, tanto na oclusão e nas ameias, e realizadas as imagens finais do caso. Ainda na clínica, o paciente foi instruído quanto ao uso, retirada e inserção das mesmas. O paciente se encontra atualmente em estágio de adaptação inicial, e o retorno está marcado para daqui a dois meses. Após análise inicial, notava-se diminuição de dimensão vertical devido ao bruxismo e a força mastigatória concentrada na parte anterior, onde se observa o desgaste incisal dos incisivos superiores. Em oclusão, o canino fica em posição inferior a linha oclusal. Devido a essa mordida deficiente, a linha media foi desviada. Após a instalação do par de próteses do sistema snap-on-

Figura 2 Antes. Notar alteração de dimensão vertical, canino 13 fora da linha de oclusão e desvio da linha média.

smile, nota-se, primeiramente, sua excelente adaptação cervical sobre os elementos dentais remanescentes, tanto superiores como inferior. Notar o alinhamento dos dentes superiores que antes estavam desigualados, em oclusão, o aumento de

dezembro de 2011

snap.indd 45

45

12/12/11 15:04


Caso Clínico dimensão vertical fica evidente. A oclusão teve uma melhora considerável até mesmo na linha média, tendo em vista que não foram feitos desgastes em nenhum elemento dental e sem anestesia. Neste caso, em especial, nos longos cantileveres superior e em ambos inferiores, nota-se uma base maior do produto, o que foi feito propositadamente para dar um reforço estrutural maior às próteses.

Figura 1 Antes.

Figura 3 Depois. Notar adaptação cervical.

Figura 2 Depois.

Figura 4 Depois. Maior evidenciamento da adaptação cervical, melhora da estética, melhora da linha média. Notar também o excesso do produto nos cantiliveres para maior resistência.

Caso clinico 2 Neste segundo caso é apresentada uma paciente do sexo feminino, caucasiana, na faixa dos 40 a 50 anos. A paciente apresentava um tratamento incompleto realizado anteriormente, vários elementos dentais com restaurações por fazer, desalinhados, mas sem ausência dental na arcada superior, porém, o dente 24 estava com mobilidade grau 2 e apresentava uma pequena fístula por vestibular. A paciente foi medicada e o elemento foi mantido até o momento da instalação das próteses. Na arcada inferior, alguns elementos faltando, restaurações por fazer e nos dentes de 33 a 43. Existiam coroas provisórias muito desgastadas, evidenciando uma diminuição de dimensão vertical. A paciente relata que devido ao

46

snap.indd 46

seu trabalho, no qual tem contato direto com clientes, nunca conseguiu terminar seu tratamento de forma eficaz. Novamente, após apresentação do produto e dos prós e contras, foram tomadas moldagem superior e inferior, fotos e relação maxilomandibular e escolha da cor das próteses. Após envio e seu retorno dos USA em 30 dias, as próteses foram instaladas. Nota-se, neste caso também, a melhora imediata no ato da instalação, não só esteticamente como na recuperação da dimensão vertical. A paciente está supersatisfeita com o resultado e agora está comprometida em realizar seu tratamento até o final.

Conclusão A procura pela estética e por novos materiais não deve parar, pois a Odontologia está sempre avançando. O sistema snap-on-smile chega ao Brasil como uma nova possibilidade de reabilitação estética e funcional eficiente, indolor e sem necessidade de anestesia. Ainda não é rápido, devido ao envio para o exterior, porém, apresenta um resultado magnífico em apenas um mês de espera. Vale lembrar que o snap não é uma prótese definitiva e sim uma provisória de longa duração, que pode ser usada enquanto o paciente realiza seu tratamento, ou até mesmo podendo ser trocada após seu tempo de uso, porém, cabe ao paciente fazer a manutenção dos dentes remanescentes com visitas regulares ao cirurgião-dentista.

dezembro de 2011

12/12/11 15:04


snap.indd 47

12/12/11 15:04


Caso Clínico

Colagem de fragmento dental: relato de caso clínico

Paula de Carvalho Cardoso Bolsista PRODOC/FO-UFG. Professora do Curso de Especialização em Dentística ABO-GO. Doutora em Dentística - UFSC. Mestre em Dentística - UFSC. Especialista em Dentística - USP (Bauru).

A

colagem de fragmento é das alternativas mais conservadoras para restaurar dentes anteriores fraturados, além disso, restabelece as características morfológicas, mecânicas e estéticas desses dentes. Adicionalmente, a colagem de fragmento permite a abordagem imediata do dente traumatizado, sem desgaste da estrutura remanescente e com maior durabilidade do tratamento e manutenção da cor original do dente.

Caso clínico Paciente do sexo masculino, oito anos de idade, procurou clínica particular relatando que fora atingido por uma cotovelada acidental na escola e que, em virtude disso, seu dente da frente havia quebrado (figura 1). Durante uma busca minuciosa, dois fragmentos foram encontrados e armazenados em recipiente com leite (figura 2). Após exame clínico e radiográfico, constatou-se vitalidade pulpar. Em seguida, foi realizada a prova da adaptação do fragmento ao remanescente dental, a qual foi considerada satisfatória (figura 3). Após união dos fragmentos através da hibridização, a adaptação do fragmento foi novamente testada e nenhum ajuste foi necessário (figura 4). Em seguida, o condicionamento ácido do remanescente dental e do fragmento dental foi realizado da mesma forma. O ácido foi inicialmente aplicado nas margens de esmalte e estendido à superfície de dentina por 15 segundos. Depois da aplicação do gel ácido, o substrato foi lavado com jato de ar e água, com o dobro de tempo do condicionamento (30s). Após a lavagem do frag-

48

fgm.indd 48

Figura 1 Aspecto clínico da fratura coronária do elemento 21.

mento e das estruturas dentais, o excesso de água foi removido com jatos de ar e bolinhas de algodão. O sistema adesivo foi aplicado ao remanescente e ao fragmento dental (figuras 5, 6, 7 e 8). Em seguida, foi inserida a resina Opallis Flow na cor A1 no interior do fragmento e no remanescente dental. O fragmento foi então posicionado e o excesso de resina composta flow foi removido com auxílio de uma espátula metálica. Todo o conjunto foi fotopolimerizado por 40 segundos, tanto pela superfície vestibular como palatina (figuras 9 e 10).

dezembro de 2011

12/12/11 15:18


A colagem de fragmento permite a abordagem imediata do dente traumatizado

Figuras 2 e 3 Aspecto do fragmento e prova da adaptação do fragmento ao remanescente dental.

Figura 4 Colagem dos fragmentos com sistema adesivo.

Após acabamento e polimento, observa-se na figura 11 o restabelecimento estético e funcional. O paciente foi orientado sobre a importância da manutenção semestral para controle dos resultados e a utilização do protetor bucal durante atividades esportivas.

Figuras de 5 a 8 Hibridização do remanescente dental e do fragmento dental.

dezembro de 2011

fgm.indd 49

49

12/12/11 15:18


Caso Clínico NORMAS PARA PUBLICAÇÂO A seção CASO CLÍNICO da ODONTO MAGAZINE tem como objetivo a divulgação de trabalhos técnico-científicos produzidos por clínicogerais e/ou especialistas de diferentes áreas odontológicas. Gostaríamos de poder contar com trabalhos originais brasileiros, produzidos por cirurgiões-dentistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e médicos, para divulgar esse material em nível nacional por meio da revista impressa e pelo site: www. odontomagazine.com.br Os trabalhos devem atender as seguintes normas: 1) Ser enviados acompanhados obrigatoriamente de uma autorização para publicação na ODONTO MAGAZINE, assinada por todos os autores do artigo. No caso de trabalho em grupo, pelo menos um dos autores deverá ser cirurgião-dentista. Essa autorização deve também dar permissão ao editor da ODONTO MAGAZINE para adaptar o artigo às exigências gráficas da revista ou às normas jornalísticas em vigor. 2) O texto e a devida autorização devem ser enviados para o e-mail: vanessa.navarro@vpgroup.com.br. As imagens precisam ser encaminhadas separadas do texto, em formato jpg e em altaresolução. Solicitamos, se possível, que o artigo comporte no mínimo três imagens e no máximo 30. As legendas das imagens devem estar indicadas no final do texto em word. É necessário o envio da foto do autor principal do trabalho. 3) O texto deve seguir a seguinte formatação: espaço entre linhas simples; fonte arial ou times news roman, tamanho 12. As possíveis tabelas e/ou gráficos devem apresentar título e citação no texto. As referências bibliográficas, quando existente, devem estar no estilo Vancouver. 4) Se for necessário o uso de siglas e abreviaturas, as mesmas devem estar precedidas, na primeira vez, do nome próprio. 5) No trabalho deve constar: o nome(s), endereço(s), telefone(s) e funções que exerce(m), instituição a que pertence(m), títulos e formação profissional do autor ou autores. Se o trabalho se refere a uma apresentação pública, deve ser mencionado o nome, data e local do evento. 6) É de exclusiva competência do Conselho Científico a aprovação para publicação ou edição do texto na revista ou no site.

Figuras 9 e 10 Resultado imediatamente após a colagem do fragmento.

7) Os trabalhos enviados e não publicados serão devolvidos aos autores, com justificativa do Conselho Científico. 8) O conteúdo dos artigos é de exclusiva responsabilidade do(s) autor (res). Os trabalhos publicados terão os seus direitos autorais guardados e só poderão ser reproduzidos com autorização da VP GROUP/Odonto Magazine. 9) Cada autor do artigo receberá exemplar da revista em que seu trabalho foi publicado. 10) Os trabalhos, bem como qualquer correspondência devem ser enviados para: Vanessa Navarro ou Vivian Pacca – ODONTO MAGAZINE Alameda Amazonas, 686 – sala G1 Alphaville Industrial – Barueri-SP CEP 06454-070 11) Ao final do artigo, acrescentar os contatos de todos os autores: nome completo, endereço, bairro, cidade, estado, CEP, telefones e e-mail. 12) Informações:

Figura 11 Resultado final do sorriso.

Conclusão A colagem de fragmento com resina composta flow apresentou-se como uma técnica simples e com excelente adaptação do fragmento devido à viscosidade da resina, permitindo a recuperação estética e funcional.

50

fgm.indd 50

Editora e Jornalista Responsável Vanessa Navarro (MTb: 53385) e. vanessa.navarro@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7506 Publicidade - Gerente de Contas Vivian Ceribelli Pacca e. vivian.pacca@vpgroup.com.br t. + 55 (11) 4197.7507

dezembro de 2011

12/12/11 15:18


3_capa.indd 1

12/12/11 14:29


4_capa.indd 4

12/12/11 14:30

Odonto Magazine #11  

Apresenta ao profissional de saúde bucal, informações atualizadas, casos clínicos de qualidade, novas tecnologias em produtos e serviços, re...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you