Issuu on Google+

A evolução nasce em

Las vegas

NAB 2013


PMW-1000

Deck de gravação PMW-1000 facilita o fluxo de trabalho XDCAM

A interface (HD-SDI, SD-SDI, HDMI, e saída Vídeo Composto) e o suporte multiformato abrem diversas possibilidades operacionais

A

Sony anunciou na NAB 2013 o lançamento do PMW-1000, novo deck de gravação XDCAM HD422, que já está disponível no mercado brasileiro. Dois slots de memória SxS e operações de jog/shuttle similar a um VTR, aprimoram o fluxo de trabalho no formato XDCAM HD422 e devido à sua versatilidade ele é adequado para operações in-house e operações de campo. Várias aplicações podem se beneficiar com o PMW-1000 como ENG, produções em unidade móveis pelas emissoras e produtoras, comerciais e documentários. “Em resposta às exigências cada vez maiores de produção de vídeo, introduzimos anteriormente o PMW-50 para ampliar o suporte na produção de vídeo em campo no formato XDCAM HD422. Este ano, estamos lançando o PMW-1000 para melhorar ainda mais o fluxo de trabalho com a XD-

EXPEDIENTE Diretor PSB Gerente de Marketing Gerente de Vendas Gerente ATE Gerente de Soluções

Luiz Padilha Luis Fernando Fabichak e. luis.fabichak@am.sony.com Felipe Siqueira e. felipe.siqueira@am.sony.com Pedro Paz e. pedro.paz@am.sony.com Miguel Filho e. miguel.filho@am.sony.com

www.sonypro.com.br

2

CAM HD422 especialmente para aplicações in-house ou transmissões ao vivo em unidades móveis”, afirma Paula Cruz, Gerente de Produto da Sony Brasil. A versatilidade da PMW-1000, em termos de interfaces, juntamente com operação linear e a capacidade de gravar até mesmo no formato HD XAVC em mídia SxS, fazem dele uma escolha ideal para as emissoras e produtoras que procuram uma solução acessível e de qualidade para produção, com diversas possibilidades operacionais. “As características deste deck ainda o tornam a escolha ideal para as emissoras ou produtoras que necessitam fazer uma transição suave de SD para HD”, completa a gerente.

Fluxo de trabalho XDCAM HD422 Embora a produção não linear tenha dominado a maior parte da indústria, produções com operações lineares ainda são necessárias, especialmente pelas emissoras. O deck PMW-1000 melhora o fluxo de trabalho XDCAM

Presidência & CEO Gerência Geral Financeiro Design e Direção de Arte Web Design Sistemas Diretor de Redação Editora Assistente Editor Internacional Gerente de Contas Gerente de Contas Inter.

Victor Hugo Piiroja e. victor.piiroja@vpgroup.com.br Marcela Petty e. marcela.petty@vpgroup.com.br Rodrigo Oliveira e. rodrigo.oliveira@vpgroup.com.br Bob Nogueira e. bob.nogueira@vpgroup.com.br Robson Moulin e. robson.moulin@vpgroup.com.br comunicação integrada Wander Martins e. wander.martins@vpgroup.com.br Fernanda Perdigão e. fernanda.perdigão@vpgroup.com.br Fernando Gaio (MTb: 32.960) e. fernando.gaio@vpgroup.com.br Renata Primavera e. renata.primavera@vpgroup.com.br comunicação integrada Antonio Castillo e. acastillo@panoramaaudiovisual.com Alexandre Oliveira e. alexandre.oliveira@vpgroup.com.br Christian Visval e. christian.visval@vpgroup.com.br Roberta Petty e. roberta.petty@vpgroup.com.br

www.panoramaaudiovisual.com.br


HD422 com funções de operação similares à de fita, incluindo ingest linear com controle RS-422 e edição linear (como um player) com controle de jog / shuttle. A operacionalidade do PMW-1000 similar à de fita oferece familiaridade aos operadores acostumados com tais funções. As funções de jog / shuttle e controle RS-422 facilitam a operação em casos onde é necessário o ingest por banda-base direto para um servidor central de ingest e conteúdo operador por um painel controlador. O PMW1000 também fornece excelente qualidade de imagem MPEG HD422, bem como capacidade de gravação de áudio de alta qualidade com oito canais (HD-SDI) de 24-bit, tudo em um único deck compacto.

O PMW-50 é um gravador de memória portátil SxS que suporta a produção de vídeo XDCAMHD 422

Transição SD para HD Os operadores do PMW-1000 podem selecionar gravação e reprodução nos formatos HD (XAVC, MPEG HD422 e MPEG HD420 50/35/25Mbps) e SD (MPEG IMX 50/40/30Mbps - apenas reprodução - e DVCAM 25Mbps) em uma variedade de taxas de quadros. Esta flexibilidade pode ajudar a economizar nos custos de investimentos para emissoras que querem migrar para o HD. Além disso, com a função de up/down conversion, o PMW-1000 é ideal para integração de produções SD que terão upgrade para o HD.

Suporte em XAVC HD Além do MPEG HD422, o PMW-1000 também suporta o formato XAVC Intra HD para gravação e reprodução - não suporta 4K/2K, aprimorando o fluxo de trabalho XDCAM HD nas operações com as novas câmeras como PMW-F5 e PMW-F55 da Sony. O PMW-1000 é o único gravador que pode gravar o formato XAVC HD no cartão de memória SxS. Isso também é útil para reprodução do conteúdo gravado em XAVC HD em um monitor profissional.

Variedade de interfaces O PMW-1000 fornece uma ampla gama de interface AV e TI, incluindo HD-SDI, SD-SDI, HDMI, e saída Vídeo Composto. Uma interface RS-422 permite o PMW-1000 para ser usado como um alimentador para edição linear, enquanto um Gigabit Ethernet (1000BASE-T) permite alta velocidade de transferência de arquivo em rede ou operações não lineares. O PMW-1000 também inclui uma saída HDMI no painel traseiro para fácil monitoração em monitores de alta definição. Uma interface USB localizada no painel frontal permite fácil conexão de HD externo via USB sem a necessidade de um PC para cópia direta de clipes economizando custos e permitindo cópia simples e rápida ou backup. Outra característica do PMW-1000 que o torna altamente versátil é a fonte de alimentação com três vias de seleção. Pode ser operado em

AC, DC ou bateria, o que facilita a utilização in-house ou em campo, tais como estúdio ou operações em unidades móveis.

PMW-50 O PMW-50 é um gravador de memória portátil SxS que suporta fortemente a produção de vídeo XDCAMHD 422. Desde a introdução das camcorders desta linha: PMW-100/200/500, a utilização de memória SxS pelas emissoras e produtoras está aumentando rapidamente. Nas operações de jornalismo, este deck de gravação portátil que funciona como um centro da operação é, certamente, um trunfo inestimável. A PMW-50 permite aos usuários reproduzir e visualizar o conteúdo (através de um painel LCD de 3,5 polegadas) gravados em um cartão de memória SxS, copiar os dados do cartão SxS para outros dispositivos de armazenamento, gravar um sinal SDI externo ou converter um sinal de SDI para i.LINK, entre outros. Através das interfaces USB e i.LINK, ambas as operações em arquivos e streaming são suportadas. Além disso, os usuários são capazes de minimizar os seus custos operacionais, devido a capacidade do gravador de copiar os dados de um cartão de memória SxS para um dispositivo de armazenamento externo, como um disco rígido USB.A PMW-50 suporta o formato XDCAM, combinando com as camcorders PMW-100/150/200/500 para maior comodidade e eficiência, suportando todos os formatos relacionados, incluindo 50MbpsMPEGHD422 (MXF) e 35Mbps MPEG HD 420 (MP4), bem como DVCAM.OPMW-50 também pode ser usado em outras aplicações, tais como uma máquina de ingest a um sistema NLE. Com o adaptador opcional CBK-WA01 WiFi, o PMW-50 torna-se capaz de fazer controle remoto sem fio.

O PMW-1000 pode ser operado em AC, DC ou bateria, o que facilita a utilização in-house ou em campo, tais como estúdio ou operações em unidades móveis

3


COPA DAS CONFEDERAçÕES

CAPTAçÃO 4K nos jogos do Mineirão A Sony realizou captação em 4K dos três jogos disputados no estádio do Mineirão durante a Copa das Confederações. Este foi o primeiro grande teste de gravação e produção ao vivo de conteúdos 4K em tempo real com a câmera PMW-F55.

P

ara os testes foram utilizados ainda os switchers MVS-8000X, os monitores PVM-X300 e o deck de gravação SR-R1000, que estarão na primeira unidade móvel de produção construída especificamente para fazer captação em 4K, posicionada do lado de fora do estádio.

As sete câmeras F55 espalhadas pelo Mineirão captaram em 4K os melhores lances dos jogos. Os conteúdos foram editados e armazenados, além de exibidos para convidados especiais em áreas montadas ao redor do estádio. A empresa oficial de captação e transmissão da FIFA, a HBS, utilizou de 25 a 30 câmeras da série HDC, modelos top de linha em captação em Full HD para eventos esportivos, em todos os estádios da Copa das Confederações, incluindo o estádio do Mineirão, explica Luiz Padilha, diretor de marketing e vendas da área profissional da Sony Brasil. “Este é o nosso grande teste para viabilizar o 4K ao vivo, queremos ano que vem trazer a Copa do Mundo para dentro da casa dos brasileiros, com toda a tecnologia 4K possível”, afirma Carlos Paschoal, gerente-geral de Marketing da Sony Brasil. As imagens em 4K geradas por essas câmeras também serão utilizadas pela primeira vez no Brasil com a tecnologia de Stitching, um sistema que permite emendar as imagens ao vivo como se fosse uma grande imagem panorâmica do estádio de altíssima resolução. Essa tecnologia permite o uso de 2 imagens 4k emendadas lado a lado de forma e se extrair qualquer porção necessária da imagem

4

para as produções ao vivo em HDTV, facilitando assim a recuperação de qualquer situação ou lance do jogo, mesmo que não tenha sido transmitido ao vivo, como por exemplo uma falta ou lance fora do plano de transmissão do jogo. O sistema de Stitching permite assim que se tenha um corte de câmera virtual, também chamado de Cut-out, que oferece todo o dinamismo necessário para eventos esportivos ao vivo, com o uso de somente 2 câmeras para cobertura completa do campo. O modelo F55 possui um obturador global para eliminar efeitos enviesados de rolamento de obturador, entregando vasta gama de cores para reprodução verdadeira. A câmera possibilita ainda ampla exposição de latitude (14 stops), de alta sensibilidade e baixo ruído. É possível ligar a F55 a um monitor de LCD 4K de 30 polegadas, o PVM-X300 usando interfaces 3G SDI em resolução 4096x2160 para monitoremento ao vivo de até 60p durante as gravações XAVC 4K, assim como reproduzir imagens XAVC 4K. Da mesma forma, também é possível ligá-la diretamente à nova TV de LED BRAVIA 4K de 84 polegadas da Sony para monitoramento das imagens da câmera em 60p 4K (em resolução horizontal redimensionada de 3860 pixels). Para o consumidor final, a Sony lançou o primeiro modelo 4K 3D do Brasil em novembro do ano passado e está ampliando sua linha de TVs com esta tecnologia. Em julho deste ano, dois novos modelos de 55 e 65 polegadas em alta resolução e altíssima qualidade de som e imagem, chegarão ao mercado nacional. Os modelos contam com painel LED 4K (3840 x 2160 pixels), resolução aproximada de 8.29 megapixels – equivalente a quatro vezes ao de uma TV Full HD. Observado a uma distância de 1,3 metro (para TVs de 65”), os pixels individuais de uma TV 4K não são vistos, o que cria a experiência de assistir TV com a mesma qualidade das imagens na vida real.


F-65

SBT inicia testes com 4K A emissora utilizou a câmera Sony F-65 na novela Carrossel e estuda a incorporação da nova tecnologia em algumas etapas da produção.

A

Sony está presente em oito estúdios do SBT e também equipa as suas unidades de reportagem. Agora a emissora deu um passo além e testou a F-65 na sua produção de maior visibilidade, a novela Carrossel. Os resultados foram positivos e devem continuar, como conta na entrevista a seguir Raimundo Lima, diretor técnico e de operações. Quais foram os objetivos do teste com a F-65? Nós tivemos o primeiro contato com ela em Amsterdam, durante o IBC 2012. Lá nós acertamos os testes com um fluxo de trabalho completo, que incluísse captação, edição e colorização. Tivemos o apoio total da Sony. Nós decidimos fazer os testes com a novela Carrossel, porque essa experiência cairia como uma luva. Todos os capítulos da novela têm um videoclipe, então aproveitamos a oportunidade para uma avaliação técnica. Além da novela, fizemos testes em cenas externas, com chroma-key, no palco de um programa de entretenimento. Quem foi envolvido nos testes? Criamos uma equipe multidisciplinar, envolvendo engenharia, operações, dramaturgia, criação visual e departamento artístico. Captamos para valer, pois queríamos um resultado que pudesse ser aproveitado no ar, em um clipe - em versão HD - na novela Carrossel. Também precisamos incluir um foquista, profissional comum no cinema e necessário na operação deste tipo de câmera. Quais itens foram avaliados? Precisávamos saber quais eram os limites da F-65, a sua relação com a iluminação e os impactos na linha de produção. Na dramaturgia, o nosso modelo de trabalho tem uma frente muito grande, que precisa ser mantida, por isso não quisemos um ambiente totalmente isolado para testar o 4K. Optamos por trazê-lo ao nosso dia-a-dia e ver como ele se comportava. Era necessário saber o que precisar mudar na rotina para operar com este novo equipamento.

E como foi a experiência? Já no final do primeiro dia atingimos um rendimento muito semelhante às câmeras HDW-F900 da Sony, que usamos dramaturgia. Com a produção em 4K pudemos gravar cenas mais abertas e depois fazer um ‘zoom in’ na pós-produção, para ter um close (em HD). O 4K abre muitas possibilidades de trabalho na finalização da novela. O processo de ingest usado para o HD também foi mantido, mas neste caso usamos o formato 4K RAW. Tudo era gravado em fita e em um cartão externo, pois queríamos ver qual era a resposta nesses dois modelos. Depois tudo seguiu para a colorimetria com o sistema Assimilate Scratch e edição em um ambiente Avid. Como nosso foco era ver o comportamento e o resultado técnico da captação, não tivemos um olhar tão voltado para a transferência e arquivamento, que ficaram para uma segunda parte do laboratório. Quais foram os resultados? Nós promovemos uma exibição com um monitor 4K de 85 polegadas para envolver toda a emissora, além de levar os resultados para exibição em um evento durante a NAB 2013. A sensação de profundidade que você consegue imprimir com essa captação é fantástica. Nós ficamos empolgados com a resposta, foi uma surpresa positiva. Havia um receio sobre a incorporação deste modelo à nossa rotina, mas no dia a dia vi que a equipe está preparada para lidar com este desafio. Nós também aprendemos que será necessário elevar os padrões de cabelo, maquiagem e figurino porque o 4K exibe todos os detalhes. Qual é a previsão para começar a trabalhar com a F-65? Se dependesse da produção da novela, seria imediatamente, até porque estamos substituindo Carrossel por Chiquititas, que também tem clipes. A ideia é usá-la pelo menos nos clipes, na abertura e em momentos especiais. O grande desafio não é a captação, mas como manipular esse material (arquivos). Na próxima etapa de testes, nós também vamos testar também a PMW-F55 e ver como ela se comporta. Podemos usar ambas para gravação no formato RAW, além de poder aproveitar o mesmo conjunto de lentes intercambiáveis.

5


Parceria

A Merlin Video amplia canal de vendas da NEX-EA50

Acordo entre a Sony e a distribuidora reduz o preço do modelo para R$ 11.095,00, sem afetar a garantia. Medida visa multiplicar as vendas e combater o mercado informal.

J

á está em funcionamento a parceria entre a Sony e a Merlin Video, que através da SonyStore simplificará a venda das câmeras NEX-EA50. Segundo Luis Tasselli, diretor da Merlin, a própria distribuidora se encarrega de todo o trâmite e o cliente recebe o produto com nota de fábrica e todas as garantias de um produto original. “O acordo será uma das nossas ferramentas para combater o mercado informal, que é a nossa principal guerra”, comenta. Tasselli explica que o principal público do modelo é formado por videomakers. “Ela é uma câmera de ombro, com lente intercambiável e um sensor maior. Seu grande objetivo é a atrair os profissionais que estão filmando com câmeras DSLR, oferecendo uma câmera completa”.

A popularidade das HDSLRs entre os videomakers pode ser justificada pela sua captação de vídeos de alta qualidade, graças aos grandes senA NEX-EA50 reúne todas as características exigidas pelos videomakers a um preço bastante acessível

6

sores de imagem e o resultado profissional dos vídeos em HD, tudo dentro de um único corpo de câmera. A NEX-EA50 foi desenvolvida com isso em mente e melhora no conceito ao combinar um sensor APS-C, lentes E-mount, servo zoom, timecode e capacidade de gravação de áudios profissionais. Ela também possui algumas características verdadeiramente inovadoras para os videomakers: o seu novo sensor Exmor APS-C CMOS grava 1080p Full-HD em 24, 25, 30, 50 e 60 quadros por segundo. “Você não precisa de nenhum outro acessório para filmar e ela não desliga depois de alguns minutos. É realmente uma câmera de qualidade, com a vantagem de ter lente intercambiável, que não precisa ser necessariamente da Sony”, detalha Tasselli. A NEX-EA50 suporta os formatos SD e Memory Stick, além de contar com um slot FMU para conectar o HXR-FMU128 e uma unidade de flash memory com uma capacidade de 128 GB. Assim, ela pode gravar simultaneamente em SD/MS e no HXR-FMU128, criando um back-up imediato. Para acomodar a primeira lente E-mount da Sony com servo zoom, a câmera possui uma alavanca de zoom estilo-rocker, propiciando um zoom digital sem perdas. O efeito é alcançado com o recorte do sensor de imagem em tempo real, que modifica a área de visão sem sacrifício de resolução. O diretor da Merlin explica que obteve bons resultados já nos primeiros meses de comercialização. “Foi sucesso total, porque é uma câmera de vídeo que aceita outras lentes, já tem microfone e um extensor que permite usa-la tanto como handycam quanto no ombro”. A Merlin tem exclusividade na distribuição da linha PV/Professional Video da Sony e já avalia a possibilidade de ampliar os descontos promocionais para outros modelos.


Cinema

Oblivion traz o poder da Sony F65 4K A câmera eleva as produções de Hollywood a um novo patamar, oferecendo mais recursos e qualidade final de produção.

O diretor de fotografia Claudio Miranda selecionou as lentes Fujinon Premier e ARRI/ZEISS Master Primes para trabalhar em conjunto com a F-65

A

daptado de um romance concebido pelo diretor do filme, Joseph Kosinski, Oblivion conta como um técnico (Tom Cruise), que realiza a vigilância e limpeza do solo após uma guerra que devastou a Terra, começa a questionar toda a sua existência após um acidente. Cruise, ao lado por Andrea Riseborough, Olga Kurylenko e Morgan Freeman continua seu papel eterno de herói em um filme interessante e desafiador.

O diretor de fotografia, como no filme anterior de Kosinski (“Tron: Legacy”), é Claudio Miranda, ASC. Nascido no Chile, ele fez o seu nome em Hollywood como gaffer de Dariusz Wolski nos projetos que rodou para Tony Scott em meados dos anos 1990. Ele também desempenhou a função ao lado de Daniel Mindel, Harris Savides e Jeff Cronenweth para o diretor David Fincher. Nesta filmagem, os dois decidiram usar exclusivamente a câmera Sony

F-65 capturando imagens RAW, numa qualidade superior ao que hoje é exigido dos filmes em 4K. Isso é possível porque a F-65 conta com um sensor de 20 megapixels que pode capturar imagens em 8K, quatro vezes mais que o 4K (que por sua vez é quatro vezes superior ao 1080p). Como resultado, há um volume imenso de informação disponível para trabalhar nos mais diversos formatos, incluindo imagens anamórficas. Este formato de produção também dá recursos quase ilimitados aos processos pós-produção, especialmente na manipulação de cores não destrutiva. Além da Sony F-65, o diretor Claudio Miranda usou lentes Fujinon Premier nas captações externa, com resultados superior aos obtidos com lentes prime. Nas tomadas internas foram empregadas as lentes ARRI/ZEISS Master Primes em T1.3. Estas escolhas tiveram influência direta no resultado final de um filme que fugiu da tela azul. O chroma-key estava fora dos planos, mas as cenas principais se dão em edifício que está nas nuvens e tem uma estrutura de vidro com superfícies muito brilhantes. Efetivamente um desafio e tanto.

7


Joseph Kosinski acompanha um das gravações externas de Oblivion feita com a F-65. Foram usados 300 Terabytes para armazenar todas as cenas

Para trazer realismo às cenas foi usado um cenário com 150 metros de largura e 12 de altura, onde 21 projetores compunham a cena do topo de uma montanha com imagens previamente gravadas. Uma equipe já havia feito as gravações com três câmeras no alto de um vulcão havaiano ao longo de três semanas, para ter à disposição todos os tipos de cenário. Uma cena absolutamente realista foi criada atrás dos atores e então a Sony F-65 foi configurada com ASA 800 em T1.3-2.0 para começar as gravações. O ajuste foi feito levando em conta a luminosidade gerada pelos 21 projetores, não importando o ângulo escolhido e considerando que quase toda a luz disponível no cenário era a mesma emitida pelos projetores. As imagens gravadas em 4K foram processadas em 2K e lançadas neste formato nos cinemas. Embora o formato original tenha sido o Sony 4K RAW e todos os processos de correção de cor tenham se beneficiado disso, a produção optou por renderizar a versão final em 2K, para acelerar o processo.

8

Todas as imagens foram gravadas em formato Sony 4K RAW e convertidas para exibição em 2K


AWS-750

Produção ao vivo simples e portátil Com toques na tela agora possível selecionar imagens, gerar efeitos e gráficos, mixar áudio e gerar uma transmissão ao vivo de alta qualidade.

O

sistema Anycast Touch AWS-750 é uma solução compacta de produção ao vivo lançada pela Sony em Las Vegas. Ela usa o conceito tudo em um com operação intuitiva através de toques no painel com duas telas espelhadas, que permite a qualquer um iniciar uma transmissão sem demora, seja broadcasting ou webcasting. O sistema portátil foi projetado para ser extremamente fácil de usar, mesmo por quem não tem experiência anterior. O leque de potenciais clientes inclui instituições de ensino, corporações, governo e empresas de evento. Em todos os casos, o resultado será uma imagem nítida e rica em detalhes, como esperado em produções ao vivo.

Tudo em um multifuncional A primeira vantagem do lançamento é que ele elimina a necessidade de hardware normalmente necessária para streaming transmissão ao vivo. O Anycast Touch inclui switcher de vídeo, codificador, gravador, mixer de áudio, gerador de caracteres e controlador de câmera remota. Múltiplas fontes de vídeo e áudio em diferentes formatos podem ser combinadas para gerar uma transmissão. O usuário pode gravar até quatro horas de vídeo e áudio no disco rígido interno, criar e adicionar elementos gráficos à imagem, controlar remotamente câmeras da linha BRC (pan, tilt e zoom), executar múltiplos efeitos e wipes para enriquecer a produção e, instantaneamente, gerar um fluxo de dados através de uma WAN ou da

O usuário pode gravar, criar gráficos, controlar câmeras, executar múltiplos efeitos e wipes e gerar um fluxo de dados através de uma WAN ou da Internet

Internet. Além disso, um mixer para seis canais de áudio completamente funcional está disponível para mixagem em separado. Estão disponíveis seis entradas de vídeo e cinco saídas com processamento 1920 x 1080 10-bit e suporte aos formatos 1080i/59.94, 50, 480i/59.94 e 576i/50. Também podem ser conectados sinais de computadores e outras fontes.

Operação touch-screen intuitivo O Anycast Touch permite uma operação intuitiva e fácil, que elimina o complicado processo de configuração e ajuste de sinal normalmente necessário quando conectamos vários dispositivos. Os usuários também podem armazenar as informações de configuração de todas as fontes de vídeo associadas, como a entrada da câmera, os dados do GC e os efeitos de transição. Além disso, as listas de takes podem ser preparadas com antecedência, permitindo que os usuários simplesmente mudem a sequência durante o evento com apenas um toque. As duas telas sensíveis ao toque ainda incluem um mixer para seis canais de áudio

9


4K ao vivo

Muito além do HD

PMW-55 ganha incrementos para levar todos os benefícios da captação 4K às produções ao vivo, além de facilitar a migração para um novo patamar de resolução.

O lançamento da PMW-55 abriu espaço para produções 4K com os recursos exigidos nas produções de alto nível

M

uito antes de as transmissões 4K estarem disponíveis na TV, a Sony criou uma forma de aproveitar a qualidade das imagens criadas pelas câmeras PMW-55 nas produções HD ao vivo. Com os adaptadores apresentados em Las Vegas será possível utilizar esta câmera em qualquer tipo de evento e contar com os recursos disponíveis nos demais modelos de estúdio.

O conjunto é formado por uma PMW-55, um adaptador acoplado CA4000 e um processador de banda base BPU-4000. As unidades de controle de câmera (CCUs) já utilizadas na linha HDC (HDCU-2000/2500) podem ser usadas para realizar as configurações à distância e enviar a imagem de retorno, por exemplo. Esta compatibilidade também permite uma operação combinada com a câmera HDC-2000 e facilita uma futura migração do HD para o 4K. O adaptador CA-4000 para transmissão 4K por fibra permite a captação de imagens com qualidade Super 35mm 4K em eventos ao vivo, como esportes, shows e programas em estúdio. O equipamento é acoplado à interface traseira da câmera, transformando-a em um sistema com capacidade de gerar altas taxa de frames (HFR) e multiplicar as possibilidades de uma produção HD. Este sistema para 4K ao vivo trabalha com os mesmo painéis de con-

10

trole remoto (RCPs) e unidades de configuração principal (MSUs) usados nas câmeras da série HDC, o que abre caminho para uma migração bastante segura. Todo o sistema está dimensionado para trabalhar com cabeamento em conformidade com as especificações SMPTE, com alcance de dois quilômetros. O CA-4000 trabalha em conjunto com a unidade para processamento de banda base BPU-4000, que é responsável pelo encaminhamento dos sinais vindos da PMW-F55. Graças a ele, as imagens 4K/HD ficam praticamente iguais às das câmeras HDC.

PMW-F55 A PMW-F55 chegou ao mercado em conjunto com a F5, no segundo semestre do ano passado. Estas novas câmeras CineAlta 4K proveem opções criativas sem precedentes para produções em HD/2K/QFHD/4K (F55) e 2K/HD (F5). Ambas oferecem suporte de multi-codec: novo formato XAVC MPEG-4 AVC/H.264 da Sony, o codec SR (MPEG4 SStP) e para o sistema já estabelecido no mercado, o codec XDCAM 50Mbps 4:2:2. As gravações internas são feitas diretamente em cartões SxS, modelo SxS PRO+ (Plus) para gravações na F55 em 4K:60p:422 10-bit XAVC e HD:422 10-bit XAVC em alta taxa de quadros. Também é possível ligar a F55 a um monitor de LCD 4K de 30 polegadas,


O modelo usa um sensor de imagem 4K Super 35mm com resolução de 4096 x 2160 (11.6M pixels no total) e tem uma flexibilidade enorme para incorporar lentes com montagem PL, lentes fixas e até mesmo lentes B4 para broadcast, com 2/3 de polegada

o novo PVM-X300 usando interfaces 3G SDI em resolução 4096x2160 para monitoramento ao vivo de até 60p durante as gravações XAVC 4K, assim como reproduzir imagens XAVC 4K. Da mesma forma, também é possível liga-la diretamente à nova TV de LED BRAVIA 4K de 84 polegadas para monitoramento das imagens da câmera em 60p 4K (em resolução redimensionada horizontal de 3860 pixels).

Viewfinders Usando uma nova interface digital, usuários podem tirar proveito de uma nova série de viewfinders de OLED e LCD de alta qualidade. O DVF-EL100 de 0,7 polegadas com resolução HD de 1280 x 720, possui excelente brilho, contraste e resposta; enquanto o viewfinder de LCD DVF-L350 de 3,5 polegadas oferece 10 vezes o contraste que os viewfinders de LCD anteriores da Sony, com ocular de flip-up para monitoramento direto. Uma terceira opção é o viewfinder Full HD DVF-L700, um LCD de 7 polegadas ideal para filmar em 2K e 4K, com representação de imagens em HD 1920x1080.

Lentes PL Outra novidade bem recebida pelo mercado foi a possibilidade de acoplar lentes com montagem PL aos novos modelos. Por isso a empresa lançou uma nova série de lentes incluindo distâncias focais de 20, 25, 35, 50, 85

e 135 mm, com anéis de foco giram 240°. Cada uma ledas é certificada para capturar 4K, minimizando assim distorções geométricas. Todas têm a mesma abertura T2.0, o mesmo diâmetro externo, o mesmo diâmetro para matte box e os mesmos locais de engrenagens para follow focus e abertura. Todas também possuem a mesma altura, exceto para a lente de 135 mm. Os produtores também podem usar lentes fixas apenas removendo o adaptador PL que é fornecido, revelando o encaixe FZ nativo. Isto torna ainda mais fácil usar os adaptadores disponíveis no mercado para lentes Canon EF, FD Canon, Nikon DX, G Nikon, Leica M e até mesmo lentes B4 para broadcast, com 2/3 de polegada. Uma terceira opção é a utilização de lentes FZ-Mount da Sony com zoom/foco automático (modelo SCL-Z18X140). As características das novas câmeras ainda permitem escolher lentes de cinema como Angenieux, Canon, Carl Zeiss, Cooke, FUJIFILM e Leica.

Shoulder Rig Avançando cada vez mais em ergonomia, especificamente quando solicitado por produtores de todo o mundo, a F5 e F55 vem com um novo sholder rig para estabilidade extra, assim como conforto em aplicações de ombro. O equipamento é robusto, leve e utiliza engates padrão em ambos os lados, para rápida fixação de acessórios de terceiros. Os modelos F55 e F5 usam um sensor de imagem 4K Super 35mm com resolução de 4096 x 2160 (11.6M pixels no total) e preencheram uma lacuna dentre câmeras de sensores grandes, se encaixando entre a PMW-F3 e a câmera 4K top de linha, F65, dando maior flexibilidade e opções criativas aos criadores de conteúdo que trabalham com HD, 2K ou 4K. Com a nova opção de integração com o adaptador CA-4000 e o processador de banda base BPU-4000, a F55 acabará ganhando uma nova fatia do mercado, conquistando o mercado de produção ao vivo.

11


Solução para esportes

Sony apresenta novo sistema para triax digital 50P/60P O conjunto desenvolvido pela empresa facilita a integração entre câmeras com triax analógio e digital e fibra óptica em instalações já existentes.

A

nova câmera 50p/60p para produção ao vivo com conexão triax permite aos canais esportivos e empresas de locação para aumentar a sua eficiência operacional e criar conteúdos de altíssima qualidade usando o sistema com infraestruturas triax já existentes. A câmera tem padrão broadcast e trabalha com taxas de frame 1080 50p/60p e 1080 100i/120i, independente de haver cabeamento triax ou fibra previamente instalados no local do evento. Esta solução da Sony é composta por quatro novos elementos dedicados à transmissão por triax digital. O primeiro item é a câmera HD portátil HDC-2570, seguida do adaptador HDFX-200 para a unidade de controle de câmera (CCU), do adaptador HDTX-200 para câmeras com triax digital e do painel instalado na lateral da câmera HKC-TR27. É este conjunto que garante a distribuição de sinais 1080 50p/60p através de cabos triax. “Este sistema integra-se facilmente às infraestruturas de produção ao vivo já existentes, com uma latência extremamente baixa”, afirma Alexandre Giglio, Gerente de Produto de Broadcast na Sony Brasil. “Cada um dos componentes também é projetado para ser extremamente flexível, o que é fator-chave na produção de esportes, tornando fácil mudar de triax de fibra, conforme a exigência do local”.

O HKC-TR27 é acoplável à lateral das câmeras HDC-2400/2500 e da câmera triax analógica HDC-2550, ampliando as capacidade de uso do triax digital

12

A HDC-2570 usa sensores com 2/3 de polegada Power HAD CCD e gera sinais 50i/60i e 50p/60p ou 1080 100i/120i, 720 100p/120p – o slow motion 2x

HDC-2570 No coração do sistema está a câmera HDC-2570, um modelo otimizado para operações em eventos, que usa a recém-lançada tecnologia de sensores com 2/3 de polegada Power HAD CCD, juntamente com um conversor A/D 16 bit do conversor e um avançado Processador de Sinal Digital (DSP). A câmera HDC-2570 também possui uma interface de transmissão triax digital, capaz de operar em 50i/60i e 50p/60p ou 1080 100i/120i, 720 100p/120p, comumente referido como “câmera lenta 2x”. O adaptador HDFX-200 converte sinais digitais triax para o padrão de fibra óptica SMPTE 311M e é projetado para uso em caminhões de externa ou salas de produção. Ele tem um corpo compacto que ocupa apenas uma unidade de rack de 19 polegadas. Há um indicador LED de sinal óptico localizado no painel frontal associado aos conectores triax e de fibra óptica localizados no painel traseiro. Os usuários podem selecionar um ou outro usando chaves remotas e manuais. Já o adaptador HDTX-200 converte os sinais de fibra óptica em sinais triax para as câmeras da série da Sony HDC-2000 instaladas no local. A solução é perfeita para transmissões esportivas ao vivo, onde os cabos triax são comumente instalados. O adaptador possui um corpo de alumínio fundido robusto, ideal para uso externo. Por fim, o adaptador HKC-TR27 é uma peça feita em fibra de carbono reforçada para ser instalada na lateral das câmeras HDC-2400/2500 e da câmera triax analógica HDC-2550. O adaptador é bastante leve e foi projetado para facilitar as mudanças de configuração. Os usuários podem facilmente trocar o painel lateral da unidade para dar-lhe a capacidade de transmissão triax digital. O sistema de câmera com triax digital estará disponível em Junho, enquanto o HDTX-200 chega ao mercado em agosto.


Monitoração

Sony apresenta nova linha de monitores profissionais

A nova série “A” de monitores Trimaster EL OLED amplia o ângulo de visão e reduz sensivelmente as alterações de cor. A empresa também levou à Las Vegas seus protótipos OLED para monitoração 4K.

Os novos modelos BVM-E250A, BVM-E170A, BVM-F250A e BVM-F170A foram desenvolvidos para monitoração principal em pós-produção e broadcast

A

Sony está desenvolvendo monitores 4K OLED que podem reproduzir sinais de vídeo com o maior grau de precisão. Esta tecnologia em fase de pesquisa e desenvolvimento foi demonstrada na NAB 2013, com protótipos de 30 polegadas (4096 x 2160) e 56 polegadas (3840 x 2160). O modelo de 30 polegadas tem lançamento previsto para 2014. Também foi apresentada em Las Vegas a série “A” de monitores profissionais Trimaster EL OLED, que usam um painel melhorado para oferecer o maior ângulo de visão da indústria, com o mínimo de alterações nas cores da imagem. Esta capacidade permite o monitoramento por grupos de engenheiros de vídeo ou coloristas, dando maior produtividade e eficiência ao fluxo de trabalho. A série inclui os modelos para monitoração master BVM-E250A e BVM-E170A, que podem ser usados em aplicações de cinema e broadcast; os modelos BVM-F250A e BVM-F170A, também para monitoração principal em produções de TV e broadcast; e os versáteis PVM-2541A e PVM-1741ª, destinados a uma ampla gama de aplicações. “Os monitores de referência OLED de alta qualidade são mais importan-

tes do que nunca, especialmente quando se trabalha com o conteúdos 4K”, disse Paula Cruz, Gerente de Produto de Broadcast na Sony Brasil. “Neste nível de produção, a precisão das cores e a reprodução são pontos críticos. Com estas melhorias no ângulo de visão, mudança de cor e aperfeiçoamentos adicionais, os profissionais estarão mais bem equipado para avaliar criticamente qualquer tipo de sinal”. Os monitores OLED da Sony reproduzem pretos e cores com excepcional faixa dinâmica e excelente resposta de movimento, o que permite a avaliação de imagens mais precisa da indústria. Estes modelos Trimaster são populares entre os usuários mais exigentes, que cobram uma reprodução profissional das imagens. Até hoje a empresa já vendeu mais de 20 mil modelos desta linha em todo o mundo. A tecnologia Trimaster EL OLED proporciona um desempenho superior à tecnologia LCD convencional, por utilizar monitores EL (eletroluminescentes). Isso maximiza o desempenho dos modelos de tela plana, com níveis mais elevados de qualidade de imagem, precisão, consistência e estabilidade, necessários a monitor de referência. Os modelos “A” substituem os modelos BVM-E250, BVM-E170, BVM-F250, BVM-F170, PVM-2541 e PVM-1741.

13


PMW-300

Linha XDCAM ganha versão ULTRAVERSÁTIL Camcorder é a primeira semiombro com três sensores CMOS Exmor Full-HD de ½ polegada.

A

Sony anunciou a PMW-300, uma camcorder da linha XDCAM, equipada com três sensores CMOS Exmor Full-HD de 1/2 polegada, que são capazes de fornecer imagens incríveis, mesmo em condições de pouca luz. O modelo é ideal para os produtores que necessitam de uma camcorder flexível semiombro, que pode ser facilmente adaptada para atender a uma ampla gama de produções. Uma evolução do modelo PMW-EX3, líder na indústria, a PMW-

14

300 é capaz de gravar 50Mbps em MPEG HD422, atendendo aos padrões de transmissão em todo o mundo. A alta taxa de bits garante uma excelente captura de cenas em movimento rápido, enquanto suas características de subamostragem de croma são perfeitas para uma ampla gama de áreas de codificação de vídeo, tais como VFX e aplicações de chroma-key. A camcorder também poderá ser atualizada no futuro para a utilização do codec XAVC, dessa forma aumenta o ciclo de vida do produto para garantir o máximo de retorno sobre o investimento. O suporte XAVC para HD tem disponibilidade prevista para 2014.


“A Sony continua trabalhando para lançar produtos mais inovadores da linha que atende o segmento profissional brasileiro. Já trouxemos inclusive equipamentos 4K como projetores digitais de cinema e câmeras de cinematografia digital”, afirma Carlos Paschoal, gerente geral de Marketing da empresa no país. Os três sensores CMOS Exmor Full-HD de 1/2 polegada oferecem alta sensibilidade à luz e baixo ruído de imagem. Como consequência, fornecem imagens nítidas de alta resolução, mesmo em condições de filmagem com baixa luminosidade. A camcorder também inclui a avançada tecnologia de processamento de sinal da Sony, que suprime o ruído de forma eficaz e, assim, cria visivelmente imagens de altíssima qualidade. A PMW-300 possui a mesma característica da linha EX-mount de lentes intercambiáveis como a PMW-EX3, tornando-a compatível com vários tipos de lente de 1/2 polegada e também de 2/3. Existem dois tipos de pacotes de lentes previstos para estarem disponíveis para a PMW-300. Um deles é com uma lente de zoom de 14x, e o outro é com uma lente com zoom de 16x. Ambas as lentes têm um anel de foco para troca rápida entre foco automático e manual. Apresenta visor colorido LCD de 3,5 polegadas com resolução HD (960x540 pixels), o que permite foco preciso para filmagens HD, enquanto a interface de controle remoto padrão 8-pinos e a capacidade de operação multicâmera permitem que a PMW-300 possa ser usada em configurações 3D e sistemas de câmeras high-end. Com saída HD-SD/SDI e HDMI, a PMW-300 é capaz de se conectar não somente com a infraestrutura das emissoras de TV, mas também com dispositivos equipados com entradas HDMI. As interfaces de timecode e genlock permitem o uso em configurações multi-câmera e configurações 3D. O conector remoto padrão 8-pinos permite o ajuste remoto a partir de um controle remoto vendido separadamente. A PMW-300 tem um modo de gravação padrão de 1080/23.98p,

o que oferece uma vasta gama de opções de filmagem. A mudança de até 720/23.98p permite que a camcorder faça até 2.5x de câmera lenta. Com base no feedback dos clientes a PMW-300 possui um design inovador de semi-ombro com um hand grip rotativo, permitindo conforto na gravação durante longos períodos de tempo. O corpo de liga de magnésio da camcorder oferece robustez como a antecessora, PMW-EX3, e pode suportar até mesmo os mais severos ambientes de produção. Como todas as camcorders XDCAM com gravação em memória de estado sólido da Sony, a PMW-300 possui a opção mais flexível de mídia de gravação no mercado, permitindo aos clientes escolher de acordo com seu orçamento e aplicação, podendo ser no cartão de memória profissional SxS da Sony, bem como outras mídias, tais como SD, Memory Stick e cartões XQD. Um adaptador opcional wireless, atualmente em desenvolvimento, irá melhorar a gravação proxy, transferência wireless, visualização via Wi-Fi e entrada de metadados. A data de disponibilidade ao mercado ainda não está fechada. Além disso, para melhorar a utilização da PMW-300 pelos profissionais, é possível acoplar microfones profissionais da linha UWP da Sony. “A PMW-300 incorpora todos os recursos líderes de mercado de nossa família XDCAM em uma camcorder semiombro HD422 50Mbps”, disse Paula Cruz, Gerente de Produto, Sony Professional Solutions, Sony Brasil. “Trabalhamos muito próximos de nossos clientes e sabemos que há uma forte demanda por uma camcorder semiombro versátil que foi projetada para atender às necessidades de emissoras de TV, produção e eventos em geral”. A PMW-300 com a lente de 14x de zoom estará disponível no mercado em outubro de 2013. A PMW-300 com a lente de 16x de zoom está atualmente em desenvolvimento e está prevista para estar disponível ainda em 2013.

15


Cinematografia digital

Novas perspectivas para o cinema

William Pacini acompanha de perto a evolução das produções com câmeras digitais e ressalta as vantagens da linha CineAlta.

O

Diretor da Brasil Rental Camera, tem 12 anos de experiência no mercado cinema e há oito começou a estudar a migração para as produções digitais. Entre as suas primeiras aquisições estavam as câmeras XDCAM PMW-EX1 e EX3 com cartões de memória e lentes de cinema. “Eu era assistente de câmera e comecei a apresenta-las para os diretores de fotografia, argumentando que era uma solução acessível para produções que não tinham orçamento para rodar em 16mm. Foi o começo de um processo que ainda não terminou”, conta William Pacini. “Estes modelos são mais práticos (que as câmeras DSLRs), porque têm entrada de áudio e gravam com segurança, por exemplo”. Nos anos seguintes o diretor também aderiu à PMW-F3 por conta da sua qualidade e das vantagens operacionais. “Ela tem bocal PL, o que elimina os adaptadores e conversores”, relembra. O passo seguinte foi adquirir a primeira unidade da Sony CineAlta F65 e uma unidade da F55.

16

No currículo do diretor estão trabalhos como a minissérie “Bipolar” para o Canal Brasil e “Doce de Mãe” para a TV Globo Este inventário de equipamentos ampliou o relacionamento de William Pacini com produtoras que alugam câmeras para todos os tipos de trabalho. “Antigamente, a locação era específica para publicidade, mas hoje todos estão usando estas câmeras, de longas e minisséries a institucionais”. Além de possuir soluções de diversos fabricantes, ele também se especializou na direção de fotografia e engenharia de câmera para grandes produções.

Novos tempos O diretor confirma que o volume de trabalho com câmeras digitais ultrapassou a película com folga nos últimos 10 anos. “Hoje a captação através de equipamentos em película é mínima. Com a chegada da F65 e a gama de cores que ela oferece, não existem muitos motivos para usar a película”. Por outro lado, ele lembra que o perfil do diretor de fotografia não mudou. “Muitas pessoas compram uma câmera digital DSLR, aprendem a configurar o menu e logo acham que são diretores de fotografia. A escolha de enquadramentos, o trabalho conjunto com a direção de arte e o olhar do diretor de fotografia são únicos”.


Corporativa Sony Ed. 5 Jun/2013