Page 1

Eficiência Energética e Geração Distribuída nas Cidades Afonso Henriques Moreira Santos 01 de Julho de 2016


Agenda

Vulnerabilidade urbana: ponto de vista energético Geração distribuída urbana: a verdadeira viabilidade Novas tecnologias energéticas: vocação urbana

2


Vulnerabilidade urbana: ponto de vista energético Geração distribuída urbana: a verdadeira viabilidade Novas tecnologias energéticas: vocação urbana

3


Evolução urbana: impacto da tecnologia 1970: 50% da população do Brasil vivia em áreas rurais;

Atualmente: 85% da população vive em áreas urbanas, da qual 50% vive em grandes cidades.

4

A sociedade mudou de energointensiva para eletrointensiva


Evolução urbana (ou involução?) Mobilidade é um desafio social e energético

5


Evolução urbana: melhor qualidade e mais conforto

Mitigação de impactos: ineficiente mas eficaz.

 Em grandes cidades brasileiras 50% da demanda de energia elétrica é para climatização. 6


Vulnerabilidade urbana Conceito: Condição intrínseca ao sistema em interação com a magnitude do evento ou acidente. Define os efeitos adversos, medidos em termos de intensidade do dano esperado.

Vulnerabilidade é o resultado de uma condição ameaçadora sobre um sistema frágil

AMEAÇA X FRAGILIDADE = VULNERABILIDADE

7


Fragilidade, Ameaça e Vulnerabilidade: Visão do Setor Elétrico Fragilidade: Considera as cargas em um ramal

Ameaça: Relacionada a taxa de falha no ramal

Vulnerabilidade Considera a ameaça e fragilidade

8


Fragilidade, Ameaça e Vulnerabilidade: a Visão da Sociedade Ameaça:  Falta de suprimento energético  A ameaça comum é oriunda das falhas do setor elétrico

Fragilidade:  Impacto sobre a satisfação do cidadão sob a falta de energia elétrica  Incapacidade de mitigar a “falta” de energia elétrica 9


Vulnerabilidade urbana: ponto de vista energético Geração distribuída urbana: a verdadeira viabilidade Novas tecnologias energéticas: vocação urbana

10


Quais as alternativas energéticas urbanas?

Gás natural  Cogeração

Solar  Fotovoltáica  Termosolar  Heliotérmica

Biomassa  Biogás  Pellets 11


Sistemas de cogeração a gás: industrial e predial

12

Fonte: http://www.arsesp.sp.gov.br/BancoDadosAudienciasPublicasArquivos/aprtexpo_i_ix_i i-04-COGEN.pdf


Planta de biogás de aterro – Minas do Leão

13


Planta solar

14


VisĂŁo espacial da cidade de SĂŁo Paulo

15


Visão energética da cidade de São Paulo

16


Visão energética da cidade de São Paulo

17


Potencial de cogeração urbana a gás

18


Fragilidade social e ameaça do sistema elÊtrico urbano

19


Redução da vulnerabilidade: exige ações singulares e não sistêmicas

20


Vulnerabilidade urbana: ponto de vista energético Geração distribuída urbana: a verdadeira viabilidade Novas tecnologias energéticas: vocação urbana

21


Nova sociedade urbana: menor fragilidade energética

Aumentar sua resiliência:  Ser flexível  Adaptar-se  Transformar-se

22


Tecnologias para armazenamento

Fonte: International Energy Agency: Technology Roadmap – Energy Storage, 2014 23


Evolução das tecnologias de armazenamento

Fonte: International Energy Agency: Technology Roadmap – Energy Storage, 2014 24


Sistemas inteligentes (serão??/)

Os

sitemas inteligentes estão dominando nosso dia a dia

O NEST foi apenas a prova conceitual

Mas quem precisa ser inteligente mesmo é o usuário

25


Obrigado

26

Eficiência energética e geração distribuída nas cidades afonso henriques  

Apresentação de Afonso Henriques Moreira dos Santos, professor da Universidade Federal de Itajubá, ex-Secretário Nacional de Energia e ex-di...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you