Page 1

JORNAL

SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014. ANO 1 - EDIÇÃO 035 - DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Circulação: Araquari, Balneário Barra do Sul, Barra Velha, São João do Itaperiú e Balneário Piçarras

IPTU 2014: CARNÊS COMEÇAM A SER ENTREGUES EM BARRA VELHA E MORADORES RECLAMAM DE AUMENTO PÁG 6 Em alguns casos, o aumento ultrapassou 200% em comparação com 2013

ESPECIAL

PÁGs 7, 8 e 9

ENTREVISTA: PREFEITO ADEMAR BORGES

ARISTIDE DE SOUZA: ÍCONE DA PESCA NO MUNICÍPIO

MARCHA PARA JESUS ENCERRA PROGRAMAÇÃO DE ANIVERSÁRIO HOJE PÁG 14

TEMPORADA

FALTA DE ÁGUA E ENERGIA MARCAM A TEMPORADA NA REGIÃO. ENTENDA O QUE ACONTECEU EM CADA CIDADE PÁGs 3, 4 e 5

SAMIR

X MATIAS

PÁG 11

EX-PREFEITO E ATUAL TROCAM ACUSAÇÕES SOBRE PARECER DO TRIBUNAL DE CONTAS

ESPORTE

PÁG 16

HANDEBOL E FUTEBOL DE AREIA ACONTECEM NA PRAIA EM BARRA VELHA


2

EDITORIAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Ano novo, velhos problemas O ano de 2014 começou movimentado e repleto de informações para nossa equipe buscar ainda na transição entre Natal, Ano Novo e o primeiro mês do ano. Não estamos falando apenas dos veranistas curtindo as praias e belas paisagens da nossa região, prestigiando os eventos de revellion e aquecendo o comércio local. Antes fosse. A falta de água e energia se tornou pauta principal em todo o litoral catarinense, e aqui não é diferente. A estrutura falha de Santa Catarina,calcada principalmente em duas estatais, Celesc e Casan, voltou a dar sinais de sua fragilidade e despreparo. Além de demons-

trar uma imagem negativa para os milhões de turistas que frequentam o Estado nesta época do ano, revoltou especialmente os moradores, que muitas vezes acabam por ver com maus olhos o próprio turismo em suas cidades. Espera-se que após um período de festas conturbado, as estatais revejam se o que estão oferecendo para as cidades litorâneas são mesmo suficientes para atender a demanda de pessoas. Ficou claro que ainda falta uma melhor estrutura de abastecimento e fornecimento de serviços básicos, que os consumidores pagam para ter acesso. Não somos técnicos na área para apontar erros pontuais,

Comunicado mas a quantidade de leitores que procuraram o Voz do Itapocu reclamando da falta de água ou luz, indicam que algo preciso ser feito visando o turismo a longo prazo, até porque a tendência é de que os números de moradores e visitantes aumentem a cada ano. Apenas jogar a responsabilidade para o grande número de pessoas na região não é papel para gestores públicos. A função principal dos cargos públicos é solucionar os problemas da comunidade. O mesmo vale para os eleitos diretamente pela população, como prefeitos e vereadores, que devem cobrar os investimentos necessários das estatais na região.

do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de PREVISÃO DO TEMPO Informações Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da Epagri

SÁBADO

(11/01)

DOMINGO (12/01) SEGUNDA-FEIRA (13/01)

Por um problema no setor de distribuição da gráfica do A Notícia, em Joinville, onde o Voz do Itapocu é impresso, não houve distribuição da edição do Voz do Itapocu no último sábado, dia 4. Pedimos desculpas aos nossos leitores, anunciantes e colaboradores, mas tratou-se de um problema na prestação de um serviço por nós contratado, fugindo do nosso alcance a solução.

O Caderno de Verão do Voz do Itapocu retorna na próxima semana com a matéria especial: ‘A estação dos esportes’. Fique ligado!

FACEBOOK

CONTATOS (47) 3456 1194 Reportagem - jornalismo@vozdoitapocu.com.br Comercial - comercial@vozdoitapocu.com.br Colunistas - colunas@vozdoitapocu.com.br Coluna Social - social@vozdoitapocu.com.br

EXPEDIENTE Sol e pancadas de chuva entre a tarde e noite

MÁX: 33º MÍN: 23º

Encoberto com chuva

Encoberto com chuva

MÁX: 29º MÍN: 22º

MÁX: 28º MÍN: 22º

Tiragem: 5 mil exemplares / distribuição gratuita / semanário Circulação: Araquari, Balneário Barra do Sul, Balneário Piçarras, Barra Velha e São João do Itaperiú Reportagem Carolina Nunes Alan Willian

Edição Anderson Davi

Colaboradores Angelita Borba de Souza Lígia Delazzeri R. Balbinott Daniela Censi Marcos Zaleski de Matos Volnei Antônio de Souza Percival Teixeira André Ignácio

Departamento Comercial Israel Voigt

Jornalista Responsável Flávio Roberto DRT: 02494 JP

Diagramação Germana Souza

Colunas, artigos, cartas, e-mails enviados e assinados são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo não expressa, necessariamente, a opinião do jornal. UMA PUBLICAÇÃO

REDAÇÃO Avª Santa Catarina, 1192 - Sobreloja Centro - Barra Velha - SC CEP: 88390-000


GERAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

3

Falta de água nas cidades da região marca temporada

Falta de pressão na rede fez com que pontos mais distantes e mais altos tivessem dificuldades de receber água. Situação já foi normalizada, segundo representantes da Casan Um problema antigo voltou a afetar moradores e turistas das cidades do litoral Norte de Santa Catarina. O excesso de consumo na alta temporada deixou alguns pontos da região sem água, principalmente nos horários de pico, pela manhã e no final da tar-

de. O caso mais crítico foi em Balneário Barra do Sul, onde um problema em uma das bombas de recalque de água reduziu em 50% a capacidade de abastecimento da Casan na cidade na última semana. De acordo com os gerentes da estatal nas cidades de abran-

gência do Voz do Itapocu, na última semana o serviço foi normalizado. Confira um resumo do que o ocasionou a falta de água nos municípios e como as situações mais criticas podem ser resolvidas.

Barra Velha registrou aumento no consumo de água em comparação com temporada anterior Segundo Luciano Boss, gerente da Casan de Barra Velha, houve um aumento significativo no consumo de água em comparação com a temporada anterior, o que tem prejudicado o abastecimento nas regiões mais altas e afastadas da Estação de Tratamento de Água (ETA). “No ano passado, os dias 30 e 31 de dezembro foram os que tiveram mais consumo, em torno de 12 milhões de litros por dia. Neste ano, desde o dia

26 estamos trabalhando com 15,5 milhões de litros por dia”, compara. Boss destaca que o bombeamento de água em Barra Velha está acontecendo 24 horas por dia, mas que no inicio da manhã, por volta de 7h, o volume do reservatório começa a diminuir. Luciano explica que a Casan aumentou em 20% sua capacidade de abastecimento em relação a última temporada, mas ainda assim a região do Morro do Colchão, no bairro São

Cristóvão, o bairro Medeiros e a divisa com Balneário Piçarras tiveram dificuldade em receber água da estatal, principalmente nos horários de pico. O problema, como em todas as outras cidades, é falta de pressão na rede para enviar água até os pontos mais distantes. “A estimativa é de que tenha passado na cidade 130 mil pessoas, o que dá 120 litros de água por pessoa por dia. O problema é que muitas pessoas das partes baixas da cidade

estão usando a água excessivamente, para lavar calçada e carro, por exemplo, e acabam prejudicando o abastecimento para as partes mais altas e distantes”, comenta. Casas com dois pisos, onde a caixa d´água fica em um terceiro pavimento, também encontram dificuldades para abastecimento durante o dia.

“Temos registrado em gráficos os horários de queda, porém em momento algum faltou água em definitivo. Cada vez que nosso reservatório seca, nós ainda contamos com outros dois reservatórios no Morro do Cristo. Além disso, funciona o nosso abastecimento de 180 mil litros por segundo”, diz ele.

2015”, diz ele. Boss destaca que há muitas empresas interessadas em executar o serviço e por isso o processo deverá demorar de seis a sete meses. O valor total da obra deve chegar a R$59 milhões, beneficiando 70% da população barravelhense. “Os outros 30% devem ser realizados em uma segunda etapa. Mas isso fica mais fácil depois de executar a primeira, que é o serviço mais pesado”, destaca. Luciano diz que todos os mo-

radores deverão se adaptar ao sistema e serão obrigados a fazer a ligação nas redes coletoras. O processo beneficiará inclusive mananciais de águas que hoje estão contaminados com o despejo de dejetos. Um dos principais exemplos é o deságue do rio Cancela na praia central, bastante criticado por moradores e visitantes. Na visão do gerente, após a nova rede instalada, essa contaminação acabará.

Casan projeta novas obras em Barra Velha No ponto de vista do gerente, o fator que colaborou com o abastecimento de água no município na temporada foi a existência de uma lagoa reserva no bairro Sertãozinho. Para esse ano, os planos da estatal são limpar e aumentar a lagoa reserva e ainda projetar outra ao lado da estação principal. Mesmo com as novas modificações, a empresa tem buscado soluções a longo prazo. Luciano revela que há um projeto para mudar a captação de água, levando para o rio Itapocu na região do Salto. Segundo ele, a alteração deve ser feita em até três anos. Além dos quatro reservatórios já existentes que totalizam uma capacidade de 2 milhões

de litros, a previsão é construir um novo reservatório no bairro São Cristóvão com capacidade para um milhão de litros. Além do reservatório e uma estação de recalque, está previsto também a execução de 5 quilômetros de adutora de 300 mm. A obra que abastecerá toda a população do bairro deve custar aproximadamente R$2,5 milhões. Para Boss, não só o abastecimento será melhorado, como também a qualidade da água oferecida. Segundo Luciano, nesse ano serão construídos outros quatro filtros que somarão aos quatro já em funcionamento. A parte de maquinários também deve ter

modificações, com a compra de novas motobombas e novos quadros de comandos que devem custar R$1 milhão.

Ano de questões burocráticas

“O ano de 2014 deve ser de licitações e questões burocráticas”, avalia o gerente. Segundo ele, será aberto esse ano a licitação para escolher a empresa que executará a implantação das redes coletoras de esgoto. No mesmo projeto devem ser executados os ramais individuais, elevatórias de esgoto e a estação de tratamento. “Estamos tentando fazer com que as obras iniciem no final desse ano, mas a previsão é que as obras comecem no início de


4

GERAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Vice-prefeito de Araquari e presidente da Câmara de Vereadores cobram melhorias da Casan Os constantes problemas de falta de água no município, não só durante a temporada, já esgotaram a paciência dos moradores e administradores públicos. Na última segunda-feira o vice prefeito, Clenilton Clenilton Carlos Pereira, e o presidente da Câmara de Vereadores, Márcio Correa, estiveram em Florianópolis para uma reunião com o presidente da Casan, Dalírio José Beber, entre outros diretores. Eles foram até a capital cobrar medidas para solucionar a falta de água no município. “Nossa obrigação é exigir melhorias imediatas e foi isso que fomos buscar, uma solução para nossa cidade que em 2013 sofreu muito com a constante falta de água”, afirma Clenilton. A estatal apresentou um pacote de estudos sobre a cidade, como a construção de uma Estação de Tratamento de Água (ETA) entre Araquari e Balneário Barra do Sul, um reservatório no bairro Itinga, que deverá sanar também a falta de água quando houver problemas de abastecimento por Joinville, e a construção de uma ETA no Piraí, que deverá abastecer todo o município. Além dessas ações, também devem ser construídos poços no bairro Ponto Alto, que ser-

virão como uma solução mais rápida para o município. A empresa irá apresentar até o final de mês o cronograma com previsão das obras relacionadas. “Até lá, eles se comprometeram conosco em redobrar os esforços para que não aconteçam mais problemas com falta de água e nós vamos cobrar”, afirma Clenilton. Além do Centro, abastecido por Balneário Barra do Sul, a outra extremidade de Araquari, próximo da divisa com Joinville, também tem sofrido constantemente com o problema na água. Os moradores do bairro Itinga chegaram a fazer um protesto na BR-280 para reclamar da falta de água na região, no final de 2013. Cerca de 50 moradores do loteamento Santa Mônica levaram cartazes, faixas e baldes vazios

para a rodovia, paralisando o trânsito da rodovia por cerca de 20 minutos durante a tarde de uma segunda-feira. A reclamação dos moradores é de que a água não chega até o local nem durante a madrugada, como ocorre ao longo do ano. A Casan utiliza a rede da Companhia Águas de Joinville para o abastecimento e durante a semana a promessa era de que o abastecimento voltaria ao normal. Por ficar em uma região entre morros, o bairro Itinga tem dificuldade de receber água. A solução seria construir um reservatório no alto do morro, mas ainda faltam detalhes técnicos, como a escolha da fonte de água para abastecer o reservatório.

Região Norte foi a mais prejudicada em Balneário Piçarras Em Balneário Piçarras a região Norte do município foi a mais prejudicada com a falta de água. De acordo com João Bento, gestor da Casan na cidade, houve dificuldades nos horários de pico, como pela manhã e no final da tarde. “Não tem água contínua, por isso há uma escassez no pon-

to mais distante de abastecimento da cidade, onde sempre houve este problema”, explica. Segundo Bento, a Casan de Balneário Piçarras está fornecendo 200 litros por segundo e operando na sua capacidade total, 24 horas por dia. Já a pressão da água, que normalmente oscila entre 30 e

35 metros por coluna de água (MCA), está em 8 MCA, devido ao alto consumo. Apesar da grande quantidade de pessoas consumindo água no município na alta temporada, Bento diz que nas demais regiões da cidade não houve problemas de abastecimento.

Bomba danificada diminuiu em 50% capacidade de abastecimento em Balneário Barra do Sul A madrugada do sábado, dia 28 de dezembro, para domingo foi de tensão e muito trabalho para a equipe da Casan de Balneário Barra do Sul. Uma das bombas de recalque de água estourou e os técnicos da estatal tiveram substituí-la as pressas por outro equipamento. O problema prejudicou em 50% o abastecimento de água no município, segundo o gerente da Casan na cidade, Gercino Baraúnas. O sistema foi normalizado alguns dias depois do problema. Ainda assim, a situação gerou um novo descontentamento da prefeitura e Câmara de Vereadores com a estatal. Uma reunião na manhã na última quarta-feira, dia 8, ficou definido que Executivo e Legislativo irão procurar a Casan para cobrar melhorias no serviço oferecido (Leia mais na entrevista com o prefeito Ademar Borges, na página 7 desta edição). “Há três temporadas que não tínhamos problema de falta de água em Balneário Barra do Sul, mas infelizmente com este problema na bomba perdemos 50% da nossa capacidade”, comenta Baraúnas. Segundo ele, até a pressão da rede se reestabelecer, muitos usuários registraram falta de água, principalmente os que não tinham reservatório. Alguns dias depois do reparo na rede, as regiões mais distantes do Centro ainda sofreram com a falta de pressão para o abastecimento de água. Bairros como o Salinas, onde estão concentradas parte das casas de veranistas na cidade, e o loteamento Maria Fernanda foram os mais prejudicados. “Há casos isolados

nos horários de pico, mas estes bairros que estão nas pontas do município que tiveram maior dificuldade”, justifica Baraúnas. Segundo Baraúnas, o abastecimento na semana de maior movimento ficou na média de 100 litros por segundo, quando o normal seria o dobro, enquanto a pressão caiu de 22 para 11 metros por coluna de água. Casas com mais de um pavimento, também tiveram dificuldade de abastecimento. Com o problema na rede de Balneário Barra do Sul, o Centro de Araquari, que é abastecido pela Casan do município vizinho, também ficou prejudicado. Segundo Gercino Baraúnas, cerca de 90% da água que abastece a região central de Araquari vem da Estação de Tratamento de Água que coordena. Com isso, a área também teve o abastecimento prejudicado. “Como é o local mais distante que nós abastecemos, falta pressão na rede para chegar até Araquari. Algumas pessoas têm questionado que a falta de água é em função de abastecermos também uma parte de Araquari, mas isso não faz sentido. Água tem, o que faltou é pressão na rede para mandar para aos locais mais distantes”, argumenta Baraúnas.


GERAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Quedas de energia também são alvo de reclamações na região Não foi só a falta de água que deixou turistas e moradores insatisfeitos nas últimas semanas. Constantes quedas de energia nos últimos dias de 2013 e no inicio de 2014 também foram registradas nas cidades do litoral. De acordo com a Celesc, foram várias quedas rápidas de energia, mas que foram solucionadas pelo sistema automaticamente. A cidade mais prejudicada foi Balneário Piçarras. A justificativa da Companhia é a mesma utilizada pela Casan: excesso de consumo nos horários de pico. Segundo Eduardo Andrigheto, chefe de operação da regional de Itajaí da Celesc, que atende de São João do Itaperiú a Bombinhas, o problema é uma sobrecarga no sistema. Andrigheto explica que quando ocorre a sobrecarga, um

sistema de proteção é ativado automaticamente. Ele tem a função de reiniciar o abastecimento de energia, por isso entre o último sábado e a virada de ano foram registrados várias quedas. “É algo normal nesta época do ano, principalmente perto da virada de ano, mas que nesta semana não deve mais ocorrer”, comenta. Além de moradores e turistas, que tiveram dificuldades para utilizar eletrônicos durante a noite em suas casas, o Voz do Itapocu também recebeu reclamações de comerciantes de Barra Velha, que tiveram o atendimento ao cliente prejudicado com as quedas de energia. No caso de farmácias e supermercados, que dependem de um sistema de computadores realizarem suas vendas, os estabelecimentos tiveram por

várias vezes as máquinas ou o sistema reiniciados, o que gerou ainda mais filas aguardando atendimento. O chefe de operação da região alerta que caso a queda ultrapasse três minutos, o usuário deve acionar a Celesc pelo telefone 0800 480196. “Quando a queda ultrapassa esse tempo, pode ser algo pontual na rua ou na região da pessoa. Por isso, quando acionados enviamos uma viatura para verificar a situação”, comenta. Os casos de problema na iluminação pública, como uma lâmpada em um poste que não acende, o morador deve procurar a prefeitura, responsável pela manutenção. “A função da Celesc é disponibilizar o ponto de luz apenas”, explica Eduardo.

Eletrônicos queimados devem ser ressarcidos As quedas rápidas de energia são causadoras, em algumas situações, da queima de algum componente de equipamentos de eletrônicos que estavam ligados à rede, impossibilitando o seu uso. Segundo com o Coordenador do Procon de Barra Velha, Antonioni Lucas Costa Magalhães, o usuário tem o direito de receber da Companhia fornecedora da energia o ressarcimento do valor do equipamento danificado, desde que faça a reclamação em um prazo de 90 dias. Em caso de alimentos ou remédios estragados pela falta de energia, o usuário também deve acionar a Celesc, mas o prazo é mais curto, um dia apenas. Ao constatar que um equipamento parou de funcionar após uma queda de energia, o usuário tem três formas de

notificar a Celesc: pelo telefone 0800 483232, pelo site www.celesc.com.br ou através de visita a uma unidade da Companhia. “É importante que a pessoa tenha todas as informações sobre o que aconteceu, como o horário e o dia da queda de energia, qual o modelo do equipamento”, explica Magalhães. Para formalizar a reclamação, a Celesc solicita ao reclamante uma série de documentos. Pode receber o ressarcimento o titular da unidade, parentes de grau próximo, ou o usuário que consiga comprovar através de documentos que estava utilizando a unidade consumidora quando ocorreu o problema. Após o pedido de ressarcimento e a entrega dos documentos necessários, a Celesc tem 10 dias para realizar uma vistoria

no local e no equipamento. Caso o pedido seja deferido, são mais 20 dias para efetuar o pagamento. Se a situação não se resolver entre o reclamante e a Celesc, o Procon pode ser acionado para intermediar a solução do problema. Segundo Antonioni, desde que foi instalada em Barra Velha, a Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor já atendeu a duas ocorrências envolvendo a queima de eletrônicos. Porém, nesta temporada, ainda não houve nenhum registro. “A temporada está tranquila, tivemos apenas alguns atendimentos relacionados a troca de presentes do Natal, mas nada relacionado a equipamentos danificados”, finaliza Magalhães.

5

Pronto Atendimento Central é reaberto em Balneário Piçarras Foi reaberto na última semana o Pronto Atendimento Central de Balneário Piçarras. A obra havia sido embargada por meio judicial e estava parada desde julho do ano passado. Durante o período, as instalações do posto central foram levadas para a unidade de Santo Antônio, onde continuaram acontecendo os atendimentos. De acordo com a secretaria de Saúde, com as novas instalações físicas e dois médicos, o número de atendimentos diários chega a 180 pessoas. A disputa na justiça começou na metade de 2013, quando o município recebeu uma notificação informando que a ampliação do Pronto Atendimento estava acontecendo em cima de terrenos particulares. De acordo com a secretária de Saúde, Lucimir Alcides Uller de Bittencurt, a obra teve início antes de ter assumido o cargo. Assim que passou a responder pela pasta, ela diz ter sido surpreendida com a notificação e o embargo. Segundo o vice-prefeito, Flavio Tironi, declarou ao Voz do Itapocu na época, a continuidade da obra acarretaria em uma multa diária de R$3 mil,

até que o proprietário do terreno fosse indenizado. Como solução, segundo a secretária de Saúde, a prefeitura fechou um acordo com o proprietário do terreno e pagou R$90 mil pelo lote. “Estamos contentes por ter conseguido resolver esse problema. Agora a comunidade ganhou um espaço físico em boas condições para melhor atendê-las. Logo chegarão os novos equipamentos que estamos negociando”, disse a secretária. O Pronto Atendimento também esteve envolvido em polêmica no último ano quando a prefeitura optou por repassar ao local R$547.814,14 que seriam destinados a construção de um ginásio, que seria utilizado pela escola Francisca Borba. A justificativa do Executivo é de que o recurso seria utilizado no pagamento da indenização e na compra de novos equipamentos para a unidade. A mudança no recurso foi aprovada pela Câmara de Vereadores. Lucimir diz que a unidade não foi inaugurada oficialmente, pois está aguardando novos equipamentos que serão adquiridos através de licitação.

Terno de Reis e Geladeira Cultural acontecem em Barra Velha Neste final de semana a Fundação Municipal de Turismo, Esporte e Cultura (Fumtec) promove atividades culturais em Barra Velha. A partir desse sábado, apreciadores da leitura poderão contar com o projeto Geladeira Cultural nas praias da cidade. O projeto Cultural consiste na disponibilização de geladeiras personalizadas, nas praias de maior circulação, onde os interessados terão acesso a livros e revistas que serão emprestados gratuitamente para usufruírem no período em que estiverem na praia. As geladei-

ras foram apresentadas aos munícipes ontem no pátio da prefeitura e agora, estão expostas aos finais de semana nas praias. Logo mais a noite, como forma de valorizar a tradição do Terno de Reis, a Fumtec realiza o 4º Encontro de Terno de Reis. O evento acontece na Praça Lauro Carneiro de Loyola no Centro e terá a presença dos grupos Mensageiros da Paz e Amigos Mensageiros, de Barra Velha, além de atrações de outras quatro cidades catarinenses.


6

GERAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Carnês de IPTU começam a ser entregues em Barra Velha e moradores reclamam de aumento Em alguns casos, o aumento ultrapassou 200% em comparação com 2013 A entrega dos carnês de IPTU deste ano já iniciou em Barra Velha e tem causado polêmica e reclamações entre os moradores. Desde o dia 2 de janeiro, mais de 3.300 carnês já foram entregues na sede da prefeitura, num total de 35 mil. Aprovado em dezembro, a revisão na planta de valores, que aumenta o valor dos imóveis no município, já passa a pesar nos carnês deste ano. Alguns moradores apontam aumentos de mais de 200%. O pagamento à vista tem 10% de desconto, com o vencimento para dia 10 de fevereiro. Contribuintes que desejam parcelar o pagamento podem optar por dividir o valor em 10 parcelas iguais, que devem ser totalmente quitadas até o dia 31 de dezembro. Os pagamentos não efetuados até o último dia do ano serão encaminhados a Dívida Ativa e o

protesto de acordo com a Lei 1290/2013. Na primeira semana de retiradas do carnê, foram registrados cerca de 30 pedidos de revisão de valor. A Administração tem disponibilizado um núcleo de atendimento no plenário da Câmara de Vereadores, para resolução de dúvidas, encaminhamento de pedidos para a revisão e também para deixar o contribuinte ciente da fórmula de cálculo. Segundo a moradora Pricila Pires Ribeiro, que tem casa na Rua João Pedro de Oliveira, no Bairro São Cristóvão, o valor passou de R$80,00 para R$300,00, ou seja, 275%. “Tentei reclamar, mas a sala estava fechada. O que me deixa indignada não é o meu aumento, mas ver que propriedades nas principais via asfaltadas pagam R$300,00.

Enquanto eu moro em uma estrada de chão distante do Centro”, critica ela, que no último ano chegou a procurar o Voz do Itapocu para reclamar dos buracos na rua onde mora. Nas redes sociais diversos moradores têm publicado sua indignação ao retirar o carnê com o novo valor. Há outros casos que o aumento ultrapassa a margem de 200%. Como por exemplo no IPTU de Carlos Mendes Ribeiro, representante da Organização Barra Limpa (Obal). Segundo ele, seu imposto era de R$541,62 e passou para R$1.689, totalizando um aumento de 211,92%. Em comunicado divulgado pela sua assessoria de imprensa, a prefeitura pede a compreensão dos moradores, salientando que a ajuda do contribuinte é muito importante para o crescimento de ci-

Geoprocessamento deve ocorrer neste ano Além da polêmica pelo aumento do IPTU, nos próximos meses um novo projeto poderá impactar no bolso dos moradores. De acordo com a prefeitura, há um alto índice de imóveis que receberam edificações, mas não foram atualizados na planta diante ao setor de Tributação da prefeitura. Para isso, há um projeto previsto no Plano Plurianual de 2014 e na Lei Orçamentária Anual para a realização Geoprocessamento. O estudo é um serviço de cadastro técnico, onde serão

efetuados cadastramento e atualização das unidades imobiliárias do município, caso os proprietários não tenham declarado ampliações ou reformas estruturais na área construída. Inicialmente o trabalho foi estimado em um valor de R$900 mil, mas aguarda ainda a abertura do processo licitatório para oficializar uma empresa responsável, sendo que diversas companhias já demonstraram interesse em assumir o serviço. Os resultados e mudanças de-

vem ter impacto direto no IPTU de 2015, já que as avaliações são feitas pessoalmente em cada imóvel e também com a ajuda de imagens de satélite. Segundo a secretária de Administração e Finanças, Ana Carolina Lucena Gomes, os estudos serão divididos em etapas como: definição de metodologia, cadastramento de imóveis, levantamento topográfico, inserção de dados na plataforma, Elaboração da cartografia digital, mapeamento, cálculos, geoprocessamento e geo web.

dade, destacando a realização de obras importantes para o município. “Toda a força de uma cidade é medida pela colaboração de sua gente e pelo zelo do administrador público”, diz na nota. No ano passado, quando foi votado o aumento da planta de valores, e consequentemente do IPTU, o prefeito de Barra

Velha, Claudemir Matias, enviou a Câmara uma lista de obras que pretende realizar com o aumento do imposto. Pelos cálculos do Executivo, a arrecadação que era de R$6,3 milhões em 2013 passa para R$13,2 milhões neste ano.

Deputado federal João Pizzolatti confirma pavimentação da rua Ravache, em Barra Velha O deputado federal João Pizzolatti esteve em Barra Velha na última quinta-feira, dia 9, para entregar pessoalmente ao prefeito em exercício, Fábio Brugnago, uma cópia da publicação do Diário Oficial da União no qual confirma a pavimentação da Rua Ravache no centro do município. A pavimentação será feita com lajotas sextavadas no valor total de R$251 mil, sendo R$245.850 por parte do Governo Federal, obtidos por intermédio do deputado Pizzolatti e R$5.150 como contrapartida da prefeitura. O prazo para execução final da obra, de acordo com a publicação, será dezembro de 2015.


7

ESPECIAL

BALNEÁRIO BARRA DO SUL - 22 ANOS

11 de jnaiero de 2014.

Aristide de Souza: um ícone da pesca em Balneário Barra do Sul

De caçador de camarão e baleia a desbravador do litoral paulista. As histórias e a tradição da pesca preservada em família “Eu não conto história, apenas verdades”, brinca Seu Aristide de Souza, 81 anos, ao ser procurado pela reportagem do Voz do Itapocu em sua casa, no Centro de Balneário Barra do Sul. Natural da terra, da época em que Barra do Sul ainda era um bairro de Araquari, Seu Aristede é um dos pescadores vivos mais antigos no município. Mais que isso, se orgulha de ter passado a tradição da pesca para os filhos. Os três filhos homens seguiram o caminho da pesca profissional. Já aposentado, Seu Aristide volta e meia acompanha os filhos na época da pesca da tainha. Porém, sua última proeza foi no fim de ano. Para matar a saudade dos tempos antigos, ele partiu pela lagoa ruma a uma das ilhas que cerca a orla do município a bordo de uma canoa. Ao invés de motor, aproveitou o vento na vela para ir, e remou

por um trecho para voltar. A façanha só foi descoberta quando Seu Aristide já estava no caminho para a ilha. A situação virou vídeo e foi parar na internet, aumentando ainda mais a fama do pescador. “Quando eu comecei não tinha motor, era tudo na vela ou no remo. Depois de uns tempos que começaram a vir os motores”, explica. Ele começou na pesca aos 16 anos, quando a pescaria não era feita com rede, mas sim com cerca de 700 anzóis, que eram colocados na água com isca, dando um trabalho dobrado aos pescadores. Aos 16 anos Seu Aristide começou a dar provas de sua coragem, marca registrada ao longo da carreira de pescador. Junto com um grupo de pescadores, foi a pé até Matinhos, praia do litoral paranaense, pescar e revender as mercadorias aos veranistas na beira da

praia. “Foi uma das primeiras praias de turismo, nós levamos dois dias de viagem para chegar até lá”, relembra. Ao longo de 65 anos de pesca, Seu Aristide se destacou por inovar na pesca da região, ser o primeiro e vender camarão em Barra do Sul, a caçar ba-

leias (no período em que era permitido), e desbravar o interior paulista para explorar a venda do pescado para o turismo, algo que até poucas décadas atrás não ocorria em Balneário Barra do Sul.

De vendedor de camarão a caçador de baleia

Desbravando o litoral paulista

Enquanto trabalhava na rotina puxada de pescador – saía de casa por volta de 4h e retornava ao meio-dia - Seu Aristide descobriu ao acaso a venda de camarão. “O camarão não tinha nenhum valor, servia apenas de isca para a pesca. Até que faltou camarão em uma empresa de São Francisco do Sul e um padeiro de lá que vinha para Barra do Sul perguntou se eu não conseguia 30 quilos de camarão branco. Saí eu e outro pescador e voltamos com os 30 quilos. No dia seguinte ele pediu 40, depois 100 quilos. Fui o primeiro a caçar camarão para vender aqui”, relembra. A caça a baleia também entrou por acaso na vida de Seu Aristide. Ele lembra que entre a década de 50 e 60 um grupo de matadores de baleia especializados de Imbituba veio para o litoral Norte atrás do animal, que tinha como objetivo principal a extração de um óleo para a produção de azeite. Seu Aristide lembra que os caçadores do Sul do Estado foram contratados pelo ex-prefeito de Barra Velha, Higino Aguiar, para matar uma baleia na cidade. Na viagem, descobriram Barra do Sul e começaram a atividade no local com uma lancha baleeira. “Eles não contavam pra ninguém o segredo. Até que um dia dois tripulantes brigaram e o chefe do grupo perguntou se alguém

Certa vez na década de 1950 Seu Aristide foi até Penha e se escalou para trabalhar em uma empresa pesqueira de Santos. Até aí, normal para o pescador que estava sempre atrás de experiências novas. Porém, ele não sabia que a viagem ao litoral paulista iria mudar a sua história e de sua família. Foi de passagem por lá que o pescador catarinense descobriu a praia de Peruíbe. “Eu conheci aquele lugar e queria voltar pra lá, para explorar melhor o que tinha por lá”. Em 1959 Seu Aristide realizou o sonho. Com um amigo, a esposa e três filhos pequenos embarcou em uma canoa a motor de sete metros em Barra do Sul e seguiu viagem mar acima. Foram três dias de viagem, enfrentando uma tempestade em Paranaguá, no Paraná, e uma febre forte em um dos filhos em Cananéia, perto do destino final. “Minha mulher e os filhos iam deitados na canoa. A noite eu parava no lugar que estávamos e pedia para alguma família para passarmos a noite. No dia seguinte nós continuávamos. Até que em Cananéia deu uma febre forte no meu filho, e ele a mãe e os irmãos foram de ônibus até outra cidade. Lá eles foram atendidos por um farmacêutico muito bom e foram para Peruíbe. Eu fui de barco sozinho até lá depois”, relembra. A aventura deu certo. Em Peruíbe, e

se interessava em ir junto. Eu e um colega fomos e aprendemos como fazia”, conta o pescador. Segundo Seu Aristide, o segredo eram três bananas de dinamite que ficam na ponta de ferro de um arpão, que era cravado no animal. Com um fósforo eles acionavam o fio de pólvora da dinamite, que impulsionava o arpão contra a baleia. O animal era revendido para empresas de Joinville. “No primeiro ano eles vieram e eu aprendi. Depois eles não precisavam vir mais, eu peguei um molde do arpão e caçava junto com os outros pescadores, nós mesmos fazíamos a venda. No fim, o pessoal de Imbituba me contratava para fazer o serviço”, relembra. Como não tinham a lancha, os pescadores reuniam de cinco a oito canoas a motor para tirar o animal da água. “Hoje eu não caçaria mais baleias. Na época a gente era inocente, não sabia o que estava fazendo. A baleia foi o primeiro veículo marítimo, levou Jonas. Não deveria ser caçada”, conta Seu Aristide, com uma ponta de arrependimento. Em 1973 a caça foi proibida, e apesar de ter diminuído consideravelmente o número de baleias que vêm a região, Seu Aristide conta que de vez em quando o mamífero volta a aparecer na costa.

depois em Cananéia, Seu Aristide e a família descobriram um meio de ganhar mais com a pesca. Eles vendiam para os turistas e o valor do pescado era superior ao pago em Santa Catarina. Depois da primeira viagem, a família de Seu Aristide se acostumou a passar a temporada em São Paulo por cerca de 20 anos. “Nós íamos por terra, lá éramos contratados para pescar, por alguém que já tinha a canoa. Ou quando ia de canoa, vendia lá e voltava por terra. Cananéia foi o melhor lugar que trabalhamos lá em São Paulo”, relembra Seu Aristide. Segundo a esposa do pescador, Dona Geni de Souza, casada há 58 anos com ele, alguns irmãos seus moram até hoje no litoral paulista. “Não existia turismo em Barra do Sul até uns 30 anos atrás. Depois que começaram a vir alguns veranistas de Joinville. Por isso o preço do pescado era baixo aqui”, explica Josué de Souza, 52 anos, filho de Seu Aristide. Depois de aposentado, Seu Aristide, que sempre colaborou com a previdência para garantir seu futuro, sossegou em Balneário Barra do Sul. A esposa, sempre companheira na atividade pesqueira do marido, também se aposentou pela pesca. Eles construíram na cidade e atualmente vivem do aluguel de salas comerciais.


8 ESPECIAL

BALNEÁRIO BARRA DO SUL 22 ANOS

Profissão de feiticeiro “Dizem que a pesca é uma profissão de feiticeiro. A pessoa vai pescar no mar, passa mal, mas no outro dia quer voltar”, comenta Seu Aristide. Para ele, apesar de ser uma profissão sofrida, é um trabalho saudável. “O ar lá fora é mais saudável, o exercício físico também é saudável”, comenta. Sobre a fama de corajoso, o pescador diz que nunca pensou que poderia não voltar de uma pescaria, mesmo em situações de tempestade. “Eu sempre me baseio na frase: ‘porque temeis, homem de fé?’”, citando uma passagem bíblica. Para ele, o mar é mais seguro que o transporte aéreo ou terrestre. “Quando vemos que vem uma tempestade, dá tempo de colocar um colete salva-

-vidas, de armar um bote. Na estrada ou no avião não tem isso. Em questões de segundo você pode morrer em um acidente”, compara. Sobre a atual situação da pesca, o filho Josué, comenta que a quantidade do pescado tem cada vez diminuído. Seugndo ele, embarcações de pesca industrial que vêm até o limite permitido, muitas vezes ultrapassando o mesmo, acabam por levar a maioria dos peixes que tem na região. Além de Josué, que chegou a ser bancário em Joinville, mas desistiu da atividade para ser pescador, também fazem parte da família os pescadores Davi de Souza e Josias de Souza, que atualmente é vereador no município. Família: Josué, Aristide e Geni

Entrevista: Prefeito Ademar Voz do Itapocu: Com o prefeito está avaliando a primeira temporada de verão nessa gestão? Muito positiva. No nosso entendimento foi uma invasão de turistas na cidade. A gente viu que foi muito positivo pro comércio. A preocupação se faz necessária, é claro, como a questão da água. Graças a Deus aqui foi um dos únicos balneários que faltou (água) apenas um dia, porque quebrou uma máquina segundo a Casan. Mas no restante foi muito bom. Nós conseguimos manter as praias sempre limpas. O Alessandro (Remeniuki), que é o nosso secretário de turismo fez um planejamento de eventos bacana para o verão inteiro. Quanto a coleta de lixo, mesmo com essa demanda intensa, nós conseguimos atender. A saúde também foi bem atendida. Então nós estamos felizes. Nossa economia aqui é a pesca e o turismo, então nós dependemos muito dessa alta temporada para o nosso comerciante ter uma safra boa. Ainda estamos no começo da temporada, porque o carnaval vai ser só em março. Fizemos um Revellion que nunca aconteceu em Barra do Sul.

O prefeito tocou no assunto da falta de água. Como está a relação da prefeitura com a Casan? Sinceramente: está um pouco estremecida, porque eu sempre quero mais. Eu me elegi com o compromisso de lutar e

ENQUETE

trabalhar pelo município. Eu acho que mesmo com essa quebra de motor, eles já deveriam estar prevenidos e ter um reserva. Já me reuni com os vereadores e algumas lideranças pra ver o que vamos fazer. Pra ser sincero, eu gostaria de municipalizar o abastecimento de água. A menos que a Casan venha com uma proposta muito boa. Saneamento, segundo a Casan, existe a possibilidade de sair já esse ano. Isso é a única coisa que me deixa com esperança. Desses 99% de vontade que tenho de municipalizar esse serviço, esse 1% é a parte do saneamento que eles estão prometendo. Que eu ainda duvido. Não chegou a faltar água, mas não estou contente com a qualidade de água oferecida. E o contrato que a prefeitura tem com a Casan, como fica? Eles ainda têm, se eu não me engano, seis anos de contrato, mas com esse descumprimento de contrato é só entrar na justiça e ganhar, como aconteceu com os municípios vizinhos. Não adianta vir aqui pegar o nosso dinheiro e deixar a cidade abandonada. Quero que eles trabalhem mais.

Como o município está se prepara parando o futuro? Eu estou batalhando muito na busca de recursos. Como a verba pra Costa do Encanto, que é aquele acesso pelo

I p p p a d d

t E p d c a j m d E r p m z v c c T e c q c C c á a a q

O Voz do Itapocu foi às ruas da cidade para saber dos moradores:

Qual presente você daria para Balneário Barra do Sul?

Alfredo

Veranista – 45 anos:

Ivone Schoeninger Aposentada - 65 anos:

“Em dez anos a cidade evoluiu bastante. Não sei responder o que seria mais importante. Mas eu achei legal nas dunas, onde meu filho tem casa, que eles limparam, tiraram os espinhos, a prefeitura está de parabéns”.

“Daria o melhora

Jeidiely Rebelatto Estudante - 17 anos:

Jaime Novara

José G

“Arrumar essas ruas da cidade, que estão muito feias. Daria ruas melhores”.

“Mais es cidade”.

Eliane Cunha

“Infraestrutura. Nisso precisa ser mais investido porque ao lado da minha casa tem valas abertas e isso é prejudicial à saúde. Fica o esgoto á céu aberto”.

“Daria cidadãos menos porcos, que não jogassem lixo na rua e na praia. Algo que conscientizasse as pessoas”.

Gisele Cristina

Professora - 36 anos:

“Mais agilidade na saúde. Aqui se você quer fazer exame, tem que agendar, enviar pra Joinville e ficar na fila da espera”.

Pedreiro - 56 anos:

Carla de Oliveira

Professora - 40 anos:

“Mais iluminação na Boca da Barra, porque se a gente for lá a noite é até perigoso”.

Aposent

Esmirilh


9 11 de jnaiero de 2014.

r Borges

Itapocu. No começo eu imaginava isso para o último ano de mandato ou no próximo mandato, caso tenha uma possível reeleição. Hoje posso dizer que a verba já está empenhada, uma verba do Ministério do Turismo através do deputado Mauro Mariani. Inclusive não só Barra do Sul, mas também Araquari foi contemplada. Era uma luta minha e isso já é preparar para o futuro, fazer a ligação de Barra do Sul com o crescimento, e assim ligar com a BR 101. Por mais que dupliquem a BR-280, no meu entendimento ela já está comprometida, devido ao ligamento com o porto (de São Francisco do Sul) e praia da Eenseada. Então esse acesso que vamos ligar Barra do Sul a BR-101 vai ser preparando para o futuro. Claro que nós temos que mexer no plano diretor da cidade, fazer um contorno porque essa rodovia vai cortar por fora da cidade, temos que criar também um distrito industrial pra crescer junto com Araquari. Temos um problema sério no caso do embargo, que ainda está em fase de discussão com o Ministério Público, porque a prefeitura não tem recursos pra cumprir esse TAC (Termo de Ajuste de Conduta, no qual a prefeitura tem que comprar mais de um milhão de m² em áreas de preservação com compensação ambiental para a liberação de 41 loteamentos construídos irregulares). Tem que comprar uma área, fazer a com-

Você está vendo que não tem condições desse gabinete permanecer aqui. Uma prefeitura alugada, uma estrutura velha, sendo que temos um prédio do município que foi inaugurado há 2 anos e está lá se acabando (Mercado Público). Então nós estamos procurando as formas legais de ir pra esse local urgentemente. Se não for pra lá, nós temos que ir pra qualquer outro lugar. Não dá pra receber aqui um investidor, um deputado. Cai até água aqui dentro. Até o escritório na minha empresa é melhor que isso aqui (apontando para uma goteira no seu gabinete). pensação e isso custaria em torno de R$50 milhões. Mas eu acredito que haverá um bom entendimento entre município e Ministério Público. Qual é a atual situação do TAC? O governo anterior assinou um TAC firmando alguns compromissos. E eu não consigo entender como aquele governo assinou esse TAC sem saber o orçamento do município, como ia comprar a área. Acho que ele assinou em um momento sem convicção do que estava assinando, e agora sobrou pra mim. Claro que desde o primeiro dia que assumi o município eu estou correndo atrás de verba pra comprar essa área pra fazer a compensação. Quais devem ser as prioridades de Balneário Barra do Sul?

Saneamento é uma prioridade pra mim, porque nós temos essa lagoa e nós não podemos perder ela jamais. É a nossa vida. A saúde também é muito importante. Na educação estamos melhorando a valorização dos professores, vamos construir escolas, ginásio, vamos fazer um trabalho muito forte nisso. Tem uma empresa estudando para fazer uma parceria na educação. Turismo também, que é a nossa indústria. Relacionado à pesca, também temos esse molhe de pedras. São muitas prioridades, mas no meu entendimento eu coloco o saneamento na frente. Outro desejo que o prefeito já manifestou anteriormente é trocar a prefeitura de lugar. Como estão os trâmites pra isso? Nós estamos vendo a legalidade disso.

E sobre a programação de aniversário do município, fazer aniversário junto com a temporada ajuda ou atrapalha? No meu entendimento atrapalha. Nessa data já estamos no sufoco pra atender o turista e se fosse em outra data seria mais um atrativo pra chamar esses visitantes. Se o prefeito pudesse dar um presente pra cidade, qual seria? Essa é uma pergunta difícil, porque são tantos. Mas o presente que eu dou é o meu comprometimento de ajudar a cidade a crescer com muita transparência. Sou um filho da cidade e isso me orgulha muito. Espero que Deus me dê sabedoria pra eu poder realizar os sonhos da cidade.

Programação de aniversário encerra neste sábado, com Marcha para Jesus Alessandro Remeniuki

edo Ferger

entado - 63 anos:

a o molhe de pedra e oraria a Boca da Barra”.

Goes

ilhador - 36 anos:

estrutura para a e”.

Na última quinta-feira, dia 9, Balneário Barra do Sul comemorou 22 anos de emancipação política da cidade de Araquari. A programação, que começou na quinta e sexta-feira com shows e queima de fogos, encerra neste sábado com a Marcha para Jesus, evento que já se tornou tradição no calendário do município. A Marcha irá iniciar às 19h, com concentração próxima a loja Hibisco. Para fechar o evento, que reúne fiéis de diferentes religiões, haverá um show nacional com o cantor gospel David Quinlan. “A marcha movimenta cerca de sete mil pessoas e nossa meta nesse ano é chegar a 10 mil pessoas. Para um município de 10 mil habitantes, ter isso na marcha esse número de pessoas é fantástico, estão vindo pessoas de São Paulo para ver como funciona nossa dinâmica aqui”, comenta o prefeito Ademar Borges.

mo, Alessandro Remeniuki, o objetivo foi montar uma programação para todas as idades. “Na quinta-feira tivemos apresentações mais voltadas ao público jovem, já na quinta-feira, o Junio e Julio tem um público mais velho, mais ligado aos pescadores. Hoje temos um evento ligado as religiões, que também tem um público grande na nossa região”, comenta. David Quinlan

Além de Quinlan, a comemoração de aniversário da cidade teve outras apresentações. No dia 9 ocorreu na praça central da cidade o show com a banda Tipo Exportação e em seguida a dupla Nicolas e Mateus. Uma queima de fogos também marcou a data da emancipação. Já no dia 10, o ensaio de uma escola de samba abriu a programação, que teve ainda shows com Junio e Julio e a dupla Dany e Rafa. Segundo o secretário de Esporte e Turis-


10

INFORME COMERCIAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Bem-vinda à Andorinha Baby. Uma loja pensada para acompanhar gestantes e seus pequenos do nascimento até os primeiros passos, Bem-vi ndadoàmundo. Andorinha Baby. Uma loja com todo amor

pensada para acompanhar gestan tes e seus pequenem os Barra do na scime Localizada Velha, a Andorinha conta nto até osBaby prime irocom s uma pa sso s, com tod grande variedade de produtos o amorrelacionados do mundo.à moda infantil, bebê e gestante, além de móveis, enxovais, brinquedos, artigos de decLocali oração e carrinhos bebês. zada empara Bar ra Velha, a

Andorinha Baby conta com uma grande var iedade de Dispondo das melhores prioriza a qualidade e seguprodutos relacionmarcas ados aàloja moda infantil, rança produtos, oferecendo sempre o melhor para a sua bebdos ê eseus gestan te, além de móveis, enxovais, família. brinquedos, artigos de decoraçã o e carrinhos para bebês. Dispondo das melhores marcas a loja prioriza a qualidade e segurança dos seus produtos, oferecendo sempre o melho r para a sua família.

RUA BERNARDO AGUIAR, 415, CENTRO - BARRA VELHA - TELEFONE: 3456-0427

ANDORINHA BABY


GERAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Prefeitura de Barra Velha promove mudanças no trânsito do Centro Desde quarta-feira, dia 8, motoristas que trafegam pelo Centro de Barra Velha já puderam notar algumas modificações no entorno da praça Lauro Loyola. A coordenadoria de trânsito do município está realizando a inversão no sentido de algumas ruas, com a justificativa de melhorar o fluxo de veículos, principalmente em horário de pico em vias como avenida Santa Catarina com as ruas Ernesto Krause, Paraná e Plácido Gomes. De acordo o coordenador de trânsito, Cesário Luz, o principal objetivo é desafogar o trânsito no Centro e organizá-lo. “Quem descia da Humberto Pimentel se atravessava na avenida Santa Catarina que é o nosso maior movimento, isso não dava certo,” diz ele, citando uma das mudanças. Além disso, Cesário menciona que as alterações vão estimular o uso de vias locais e late-

rais à rua Paraná, que possui somente fluxo de veículos dos moradores. As melhorias estão sendo monitoradas pela coordenadoria e caso haja necessidade, outras adequações devem ser feitas. Muitos moradores não aprovaram a decisão e mencionam a colocação de semáforos como resolução dos problemas. O coordenador de trânsito diz que essa é uma possibilidade que está sendo estudada juntamente com a secretaria de Planejamento. Através de sua página na internet, o vereador Claudionir Arbigaus, o Pulga, postou uma nota criticando as alterações. Segundo ele, estão cada vez mais proibindo quem chega à cidade de ter acesso a praia. Pulga encerra com a seguinte frase: “estão achando confusa a minha explicação? Espera pra ver como vai ficar o trânsito de Barra Velha”.

Entenda o que muda:

- O sentido da Rua Humberto Pimentel, entre a Igreja e Avenida Santa Catarina está invertido, evitando a entrada de mais veículos na avenida. - A rua Rio de Janeiro passa a ser de mão única na primeira quadra, no sentido Sul/Norte, evitando o cruzamento de veículos na rua Paraná. - A rua Francisco Gomes também será de mão única na primeira quadra sentido Sul/ Norte, devido ao estreitamento da via, ficando proibido estacionar do lado esquerdo. Os veículos deverão desviar pela rua Espírito Santo, atrás do Supermercado Friomar. - Todos os veículos que entrarem na rua Bernardo Aguiar para acessar a avenida Santa Catarina e Beira-Mar terão que entrar pela rua Ari M. dos Santos (Rua da Celesc), rua Conselheiro Onofre Fernandes e rotatória central (Imobiliária Espíndola).

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA VELHA – SC FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TURISMO, ESPORTE E CULTURA - FUMTEC. CONSELHO MUNICIPAL DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE BARRA VELHA - COMPAC Edital de Convocação/Notificação nº 001/2013 – do COMPAC, criado pela Lei Nº 930/2010 – que dispõe sobre a Preservação do Patrimônio Natural do Município de Barra Velha, cria o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural e Regulamenta o Processo de Tombamento de Imóveis Municipais. Notificando: eventuais terceiros, proprietários, posseiros e eventuais interessados, bem como seus herdeiros e cônjuges do imóvel situado a Avenida Santa Catarina, n º 985, Centro, Barra Velha – SC, com a inscrição imobiliária nº 01.01.041.0278.001, situado em área de marinha – RIP nº 8041.00000456-76 com as características e confrontações abaixo. O Conselho Municipal do Patrimônio Cultura do Município de Barra Velha - COMPAC, Estado de Santa Catarina, faz saber a todos os interessados, que foi protocolado na data de 01/11/2013, Ofício nº 316/2013 do Município de Barra Velha - SC, com destino ao Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Barra Velha – COMPAC, solicitando a instalação de procedimento administrativo para tombamento da Casa de Palmitos, situada na Avenida Santa Catarina, n º 985, Centro, Barra Velha – SC, com base no artigo 6º, alínea ‘a’, da Lei Municipal nº 930, de 01 de março de 2010, que “dispõe sobre a Preservação do Patrimônio Natural e Cultural do Município de Barra Velha, cria o Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, Regulamenta o Processo de Tombamento de Imóveis Municipais de acordo com o artigo 3º, inciso III, alínea b, da Lei Complementar nº 69/2008 – que introduziu o Plano Diretor Municipal e dá outras providências”, a referida solicitação foi pautada na segunda reunião extraordinária do COMPAC, realizada na data de 04 de novembro de 2.013, conforme consta em ATA lavrada naquela oportunidade, tendo sido aprovado a instauração do processo administrativo nº 001/2013, de tombamento do imóvel conhecido como CASA DE PALMITOS, situado na Avenida Santa Catarina, n º 985, Centro, Barra Velha – SC, com as seguintes medidas e confrontações: imóvel sito no lugar denominado “Costão”, Comarca de Barra Velha, Estado de Santa Catarina, contendo uma casa de construção de Palmito e Madeira e demais benfeitorias, medindo o terreno 20,00 de frente, por 33,00 de fundos, ou seja 660,00m², retirada da Escritura Pública registrada no Livro 25, folhas 13 a 15, inscrição imobiliária nº 01.01.041.0278.001, em área de marinha – cadastrado no RIP nº 8041.00000456-76, na Secretaria de Patrimônio da União em nome de Ronald Walter Becker, Para tanto, ficam cientes eventuais terceiros, proprietários, posseiros e eventuais interessados, bem como seus herdeiros e cônjuges, do bem supra citado, para que no prazo de 15 (quinze) dias manifestem sua anuência ao tombamento ou para, querendo, apresente impugnação fundamentada, no mesmo prazo, conforme a regulamentação contida na Lei Municipal nº 930, de 01 de março de 2010. E, para que chegue ao conhecimento de todos, partes e terceiros, foi expedido o presente edital, o qual será afixado no local de costume e publicado 3 vezes na forma da lei. EDITAL PRAZO DE 15 DIAS. Barra Velha (SC), 06 de novembro de 2013. JULIANO BERNARDES PRESIDENTE COMPAC

11

CLASSIFICADOS ENVIE SUAS OFERTAS PARA CLASSIFICADOS@VOZDOITAPOCU.COM.BR OU LIGUE 3456 1194 IMÓVEIS Barra Velha Vendo Fusca 1300L Ano 1975, bege. 60 mil Km, original. Segundo dono. Telefone para contato: 3456 1194 FK Auto Center - Revisões periódicas - Balanceamento e geometria - Baterias - Suspensão -Troca de óleo - Correia dentada Freios - Insulfilm e acessórios Rua: Deográcio de Oliveira, nº123 bairro São João Itajaí -Telefone: 3083-4818 Sistema Nacional de Empregos (SINE) Cidade: Barra Velha Telefone: (47) 3456-3884 E-mail: sine@barravelha.sc.gov.br Vagas disponíveis Chapeiro c/ experiência - aux. de cozinha - serviços gerais - garçom - motorista p/ supermercado - padeiro (a) confeiteiro (a) - op. Caixa - pizzaolo c/ experiência - atendente - recepcionista - camareira Os interessados deverão comparecer no SINE com os documentos (CPF e RG) e a carteira de trabalho. Para a vaga de operador de caixa é necessário ter o ensino médio completo, as demais vagas o ensino fundamental completo. Frigorífico São João Cidade: São João do Itaperiú Telefone: (47) 3458 3000 E-mail: frigorificosaojoao@frigorificosaojoao.com.br Contrata-se Produção - Motorista Ajudante de motorista Expedição Benefícios: Registro integral, Unimed, seguro de vida, almoço e café e uniforme gratuito incluindo a lavação. Os interessados deverão comparecer com os documentos na rece-pção do frigorífico. Digitaldoor Technologies Cidade: Joinville Telefone: 47 30271500 Email: contato@digitaldoor.com. br Cargo: Técnico Eletricista Numero de vagas: 02 Experiência: 02 anos Preferência quanto à localização: Residente em Piçarras, Penha, Itajuba ou Barra Velha Resumo das tarefas do cargo: - Montagem de painel elétrico - Instalação de Iluminação, toma-

VEÍCULOS EMPREGOS

das, retorno, eletrocalha, corrugado - Contratação para traba-lhar em instalação elétrica de prédio residencial na cidade de Piçarras Seguridade Gestão Profissional de Serviços Mais informações: 3425 3400 com Simone - Vaga de Zelador para a região de Araquari - Salário 1.155+ VA+ VT Seguro de vida e Benefícios - Vagas de Recepcionista para escala 12x 36 Salário: 974,00 + VA+ VT Seguro de vida e Benefícios - Vagas para Serviços ge-rais Salário: 819,00 + VA+ VT Seguro de vida e Beneficios - Vagas para Vigilante Salário: horista + VA+ VT Seguro de vida e Benefícios Barra Velha Precisa-se de chacareiro (pessoa que cuida de chácara) para trabalhar em Barra Velha. Telefone para contato (47) 3455 2902 Grupo Labor Humano Telefone: 3433 3362 ASSISTENTE CONTÁBIL Experiência com conciliações bancaria preparação de arquivos digitais (Dime, DCTF Dacon, EFD contribuições, EFD fiscal, EFD contábil, Dirf e outros) ASSISTENTE FINANCEIRO Experiência com contas a pagar e receber, conciliação bancaria, negociação com fornecedores e clientes. ESTÁGIO EM ADMINISTRAÇÃO Cursando superior em administração. ESTÁGIO EM ADMINISTRAÇÃO Cursando superior em administração ou contabilidade. ESTÁGIO EM PEDAGOGIA Cursando o superior em pedagogia ou magistério. Para trabalhar em C.E. I. TÉCNICAS COMPRAS TÉCNICAS Conhecimento em auto CAD. TÉCNICO EM ELETRÔNICA Curso técnico em eletrônica ou elétrica. TÉCNICO EM PLÁSTICOS Técnico completo, Experiência com extrusora. TÉCNICO EM RECURSOS HUMANOS Com experiência em ponto eletrônica. Conhecimento sistema Protheus. COMERCIAL BALCONISTA Não requer experiência. Ensino médio completo.


12

MEIO AMBIENTE

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Prefeitura de Barra Velha vai intensificar fiscalização de animais nas praias A prefeitura de Barra Velha, em parceria com o setor de Fiscalização e Posturas, Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros, anunciou nesta semana que fiscalizar a presença de animais em toda orla marítima do município. Em comunicado divulgado pela assessoria de imprensa, a prefeitura informa que irá realizar também uma campanha de conscientização sobre o tema. O documento menciona que gatos e cachorros, mesmo que

vacinados, têm a possibilidade de transmitir doenças. Uma das situações citadas é a transmissão através de urina e fezes, muitas vezes encontradas em locais inadequados e de contato direto com a pele das pessoas. De acordo com a Lei Municipal nº 383, de 2001, é proibida a circulação de animais em toda a orla marítima de Barra Velha, seja na região de areia ou mar. O texto não inclui as calçadas no entorno.

Segundo com a norma, caso seja notada a presença de animais na praia, cujo dono esteja junto, ele vai receber inicialmente um alerta sobre a infração cometida. Se a orientação não for acatada, caberá a Vigilância Sanitária fazer a notificação e, se houver persistência, será aplicada multa no valor de 2 UFM (Unidade Financeira Municipal). Cada unidade financeira municipal vale R$ 57,03 atualmente.

Moradora discorda de ação da prefeitura A moradora Claudia Prevedello não concorda com a ação de fiscalização da prefeitura. Ela diz que gosta de levar seus cães na praia, mas evita praias movimentadas. Segundo ela, seus animais tomam todas as vacinas necessárias e não apresentam perigo algum a saúde pública. “Está na hora de criarem um espaço delimitado para os animais, quem não gosta, não vai”, comenta. “Fui surfista, sou casada com um surfista e levo essa vida de beira de praia pelo menos há 30 anos, nunca peguei nenhuma doença desse tipo. Como que querem proibir algo agora se no passado a Fundema permitiu montar um rodeio na

areia da praia mais movimentada da cidade,” diz ela. Claudia aproveita para questionar o destino dos animais caso sejam recolhidos, já que a prefeitura não tem abrigo para eles. Ela cita também outros problemas ambientais encontrados no município, como invasão em áreas de preservação permanente, no qual não há fiscalização adequada por parte dos órgãos da prefeitura. Claudia cita ainda o esgoto jogado no mar também como uma forma de poluição ainda mais nociva aos banhistas e frequentadores das praias. “Cadê nossos esgotos tratados?”, questiona.

Placa de sinalização na praia do Tabuleiro

Prefeito de Balneário Piçarras sanciona alterações no plano diretor

As alterações no plano diretor de Balneário Piçarras, aprovadas em sessão extraordinária da Câmara de Vereadores em 2013, foram sancionadas na última semana pelo prefeito Leonel Martins. O projeto foi proposto pelo Executivo, através da secretaria de Planejamento, que realizou reuniões junto do Conselho Municipal da Cidade e Audiência Pública na Câmara de Vereadores, onde foram discutidas e aprovadas as mudanças. O secretário de Planejamento, Francisco Carlos Teles cita as mudanças como necessárias para adequação do plano diretor à realidade atual do município. “Observamos no decorrer do ano algumas falhas no plano diretor e procuramos corrigi-las pontualmente,

tendo em vista que prevemos para este ano uma revisão geral do plano”, ressalta. O plano foi criado em 2009 e desde então não houve nenhuma revisão geral, apenas alterações pontuais como estas. Composto por três documentos, as mudanças do plano diretor tiveram como foco principal, o zoneamento, uso e ocupação do solo e o código de obras. “Nosso maior objetivo foi incentivar, ordenar e requalificar o desenvolvimento urbano e econômico do município”, explica Teles. A principal alteração do plano em termos de zoneamento é a mudança da ZDI (Zona de Desenvolvimento Industrial) para ZDM (Zona de Desenvolvimento Mista), da área localizada na divisa com Bar-

ra Velha. Com os índices e características de uma ZDM, esta área poderá atrair mais investidores para o município, gerando entre outros, mais empregos e renda para a população. Para o secretário, a adequação no zoneamento vem estimular o desenvolvimento econômico da cidade. “A mudança vai possibilitar o melhor aproveitamento dos lotes e incentivará a entrada de empresas no município”, finaliza Francisco. Outra mudança no zoneamento ocorreu na Avenida Emanuel Pinto. A partir da alteração, a Zona Comercial passa a contemplar ambos os lados da avenida. No mapa anterior, apenas o lado leste da avenida pertencente a este Zoneamento.

Na área de construção, a alteração também passa a exigir projeto de prevenção de incêndio em edificações já construídas, exceto em residências unifamiliares com menos de 800m² construídos. Já novas construções deverão respeitar em todos os seus compartimentos as normas técnicas da ABNT. Outra mudança “impede a utilização do recuo frontal mínimo obrigatório com vagas de estacionamento também nas edificações unifamiliares”, de acordo com o texto. Segundo a diretora de Planejamento, Carolina Ferreira,

na área de esgoto sanitário e águas pluviais, também promovidas alterações. “Visando à futura rede de coleta de esgoto, a garantia da qualidade da água e a preservação dos lençóis freáticos do município, foram incluídas algumas exigências nos projetos referentes à instalação de esgoto sanitário e águas pluviais”.


GERAL

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

13

Prefeitura de Barra Velha divulga pesquisa de opinião sobre a temporada A Fundação Municipal de Turismo, Esporte e Cultura (Fumtec) realizou nas últimas semanas uma pesquisa de opinião sobre a programação de verão da temporada 2013/2014. O objetivo da Fundação foi saber o que turistas e moradores tem a dizer sobre o cronograma de atividades realizado no período de alta temporada, incluindo o projeto Praia Livre. A pesquisa foi realizada de forma presencial e também pela internet, contando com aproximadamente 200 entrevistados. A faixa etária do público participante ficou, em sua maio-

ria, entre 18 e 40 anos, com escolaridade de ensino médio completo a superior incompleto, divididos entre turistas e moradores locais. Os turistas entrevistados foram de origens variadas, como interior de São Paulo, Curitiba e região metropolitana do Paraná, Brasília, Argentina, além de municípios catarinenses, como Jaraguá do Sul, Joinville Brusque, Ituporanga e Agrolândia. Segundo a pesquisa, 13% dos entrevistados vieram pela primeira vez ao município. Os outros 87% afirmaram que já frequentam a região há mais de 10 anos. Destes, 37% infor-

Esquinas da

maram que Barra Velha melhorou com relação à última vez que estiveram na cidade. Outro tópico levantado pela pesquisa diz respeito ao projeto Praia Livre, na avenida Beira Mar. De acordo com a pesquisa, 94% dos entrevistados aprovaram o fato da avenida ser fechada para atividades de lazer durante a noite entre o final de dezembro e inicio de janeiro. Por outro lado, 6% são a favor do tráfego de veículos em tempo integral. No questionário também foi destinado um espaço para que o entrevistado deixasse sua opinião sobre melhorias.

Foram registradas diversas sugestões, como postergar o horário dos shows até a meia noite, instalação de chuveiros na praia e a volta da queima de fogos para a orla da praia. A mais citada foi a recolocação dos quiosques na Beira-Mar. De modo geral a Programação de Verão 2013/2014 foi considerada ‘boa’ para 53%, já 46% consideraram a mesma ‘excelente’. Segundo o presidente da Fumtec, Thiago Pinheiro, é extremamente importante avaliar as ações realizadas. Eles destaca também a parceria com a Federação do Comércio

História

de Bens, Serviços e Turismo, a Fecomércio, que estará realizando pesquisas sobre o turismo em Barra Velha. Entre os questionamentos estão quantos dias o visitante está na cidade, se pretende voltar, se fez compras no comércio local, como foi o atendimento recebido, se conheceu a gastronomia local e como avaliou a infraestrutura das praias. Os resultados devem ser divulgados em um seminário para a população.

CULTURA

Professora e historiadora Angelita Borba de Souza e-mail: angelitaborba@hotmail.com

Sinval Moura – a cura através do carinho e da reaproximação com Barra Velha Filho de José Antônio Lopes de Moura e Antonia Higina da Graça Moura, nosso homenageado da semana participou ativamente da formação política barra-velhense. Nascido no dia 3 de janeiro de 1912 – portanto, completaria se vivo 102 anos de vida nesta semana – Sinval Moura era natural de Barra Velha e passou os primeiros anos de vida no Município, saindo apenas quando já era adulto para trabalhar primeiramente em Araquari e posteriormente em Joinville, já iniciando sua carreira no Exército Brasileiro. Maria de Lourdes Moura foi a escolhida para companheira e durante toda a vida de Sinval; ela realmente foi uma parceira, amiga, anjo, esposa, pois nas situações mais adversas esteve sempre ao lado do esposo. Uma passagem complicada da vida de Lourdes e Sinval foi a descoberta de uma doença séria que o impediu de juntar-se às tropas e lutar na 2ª Guerra Mundial – a tuberculose. Hoje tratada com certa facilidade, a tuberculose matou muitas pessoas no século passado, e apavorou a família Sinval quando do diagnóstico. Já casado com Lourdes e com filhos ainda pequenos, Sinval estava preparado para lutar por seu País. Este fato já deve

ter soado como um pesadelo para a jovem esposa, que provavelmente passaria meses e até mesmo anos sem a presença de seu companheiro. Entretanto, o pesadelo maior ainda estava porvir. Durante exames médicos que precediam o embarque para a guerra, Sinval apresentou complicações e logo o médico o advertiu de que tinha pouco tempo de vida. Foi aconselhado a abandonar o exército voltar para casa e ficar junto dos seus familiares, aguardando a hora da despedida. Sinval iniciou um tratamento que incluía uma alimentação equilibrada, injeções diárias e muitos cuidados. Neste momento, a figura acolhedora de Lourdes aparece como um bálsamo, pois mesmo sem ter conhecimentos de enfermagem, tratou de se informar e se desdobrar entre os cuidados dos filhos e do marido enfermo. Voltaram a Barra Velha para seguir o tratamento e diante de tantos cuidados e carinhos, a tuberculose foi vencida. Sinval viveu ainda muitos anos e teve mais filhos com Lourdes. Foram ao todo seis crianças: Geysa, Ubiratan, Mario, Suely, Graça e Silvia. Já curado e morando em Barra Velha, Sinval se envolve nos problemas da pequena localidade – lembramos que ele

voltou a sua terra natal em meados da década de 40 – e rapidamente se destaca pela inteligência e educação que tratava todos ao seu redor. Leitor de jornais estaduais e nacionais, além da já extinta Revista O Cruzeiro e da Revista Seleções, Sinval sempre tinha o que dizer, sempre tinha uma opinião diferenciada. Como acompanhava a vida política do país e havia servido ao Exército Brasileiro, tinha muito conhecimento de mundo e por isso, despertava admiração dos barra-velhenses. Sinval auxiliou já na década de 60 na articulação para a emancipação política de Barra Velha, inclusive sendo candidato e se elegendo vereador. Procurava unir todas as forças partidárias de seu tempo para o bem comum, sempre, priorizando sua terra e seus conterrâneos. Entretanto, nunca teve pretensões políticas ambiciosas; sabia que poderia ajudar o Município de outras formas que não a política. Muitas foram as vezes que transportou jovens estudantes de Barra Velha até o Colégio Agrícola, em Araquari. Tanto Sinval quanto Lourdes auxiliavam silenciosamente as pessoas que precisavam. Lembram os filhos que em função da doença de Sinval, Lourdes se tornou refe-

rência quanto a tratamentos médicos e que tinha um livro em casa – Conselheiro Médico – que trazia tratamentos para os mais diferentes tipos de doenças. Muitas pessoas corriam até Lourdes para pedir conselhos para doenças existentes na família, e ela prontamente auxiliava dando dicas e recomendando receitas. Devotos do Divino Espírito Santo, a família Moura teve especial participação na Festa Católica mais tradicional do Município. A festa foi preservada durante muitos anos se mantendo sob a guarda da família. Muitas foram as noites que Lourdes passou em claro, fazendo flores de papel colorido para enfeitar a igreja na semana da festa. O médico errou e Sinval viveu até 1º de maio de 1978, deixando uma saudade que não acaba e um orgulho sem tamanho. Recebeu homenagem do Município ao nomear uma rua no centro da cidade e com vista para o mar. Trata-se da rua sem saída que tem como ponto final uma escadaria ligando-a à rua Bernardo Aguiar. Ali moram alguns dos filhos, que se orgulham do homem que foi Sinval Moura.


POLÍTICA

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

14

Ex-prefeito Samir Mattar e Claudemir Matias trocam acusações sobre parecer do Tribunal de Contas

Tribunal de Contas recomendou reprovação das contas da prefeitura de Barra Velha de 2012, ano em que Samir e Matias se revezaram no comando

O que diz Samir Mattar

O ex-prefeito Samir Mattar, através de sua assessoria de imprensa, se manifestou nesta semana sobre o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que aconselhou a Câmara de Vereadores de Barra Velha a rejeitar as contas da prefeitura do município do ano de 2012, quando Mattar e Claudemir Matias se revezaram no comando do Executivo. O TCE apontou déficit nas finanças do município, citando infrações previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal, como gastos com folha de pagamento além do limite permitido e uma dívida de R$2,5 milhões ao fim de 2012. Para Samir, os erros apontados pelo Tribunal foram cometidos no período em que Matias esteve no comando, de 1º de janeiro a 22 de junho. “A página inicial de consulta de processos do site do Tribunal aponta Matias como o responsável, dando seu come completo e também seu CPF, e é simbólica”, diz. Samir defende que nos três anos anteriores a 2012, quando esteve à frente da prefeitura quase que integralmente, as contas do município foram aprovadas. “Não acham estranho que só no ano que foi começado pela gestão do Matias é que essas contas têm parecer pela rejeição? Quando nós reassumimos a prefeitura, em

junho de 2012, encaminhamos todo o levantamento da maneira que o governo interino deixou as contas públicas de Barra Velha”, reforça Samir. Sobre a denuncia de que a gestão de 2012 ultrapassou em 10% o limite de 54% dos gastos com folha de pagamentos, Samir acusa novamente a administração de Matias. “O que pudemos constatar foi um descalabro: mais de 200 contratações que incharam a folha de pagamento. Nós comprometíamos, na época, 46% com a folha; quando voltamos, esse índice estava em quase 57%. Tenho todas as documentações da época que mostram que mantive o limite prudencial com a folha. Matias é que a inchou, já de olho na candidatura a prefeito”, afirma Mattar. Para o ex-prefeito, Matias deixou outras marcas negativas no ano de 2012. “Sem falar nas prestações altíssimas de veículos e caminhões, nos gastos exagerados e no fato de que ele abriu mão de receita oriunda da Enops, por exemplo”. Segundo sua assessoria de imprensa, Samir deixou R$6,7 milhões em caixa para investimentos quando foi afastado em 2011. Ao reassumir o Executivo, a dívida era de R$ 2 milhões.

O que diz Claudemir Matias “Ele deixou o barco afundar”. É assim que Claudemir Matias se posiciona em relação a administração de Samir Mattar no segundo semestre de 2012. Segundo ele, ao entrar em junho de 2011, todas as metas de Samir ainda estavam para serem cumpridas e assim foram feitas até o final daquele ano. “Quando entrei coloquei tudo em ordem e normalizei os erros dele tendo a responsabilidade de cumprir as metas. Eu finalizei a administração de 2011 com a aprovação das contas. Já ele não teve a mesma responsabilidade quando voltou pra prefeitura em 2012. Eu tinha deixado tudo bem encaminhado e ele conseguiu afundar. As contas foram rejeitadas com mais de 64% de comprometimento da folha”, diz Matias. Segundo o atual prefeito licenciado, ao entrar em 2011 foram gastos R$300 mil apenas com exonerações dos contratados de Samir. De acordo com Matias, o que vem acontecendo é que o ex-prefeito

constantemente tenta buscar provas para enganar a população. “Ele sempre mentiu e é isso que quer fazer agora também. Na administração dele tinha gente trabalhando no RH, mas estava registrado e recebendo salário de Presidente da Fundação de Cultura. Isso ele não fala né. Se ele me acusa de inchaço na folha, porque que quando ele voltou não exonerou as pessoas que eu chamei?” Devido a divisão de administrações durante o ano de 2012, há um impasse quanto a votação das contas por parte da Câmara de Vereadores, que hoje em sua maioria é situação, favorecendo o atual prefeito. Matias diz que não quer influenciar na decisão dos parlamentares. “Vou deixar nas mãos deles. Se acharem que isso é uma injustiça comigo, podem aprovar, mas vão inocentar o Samir, que é o culpado. Porém, se quiserem rejeitar as contas já que ele fez errado, vou acabar pagando por algo que não fiz”, desabafa Claudemir Matias.

Vice-prefeito Fábio Brugnago assume aprefeitura de Barra Velha por 20 dias

João Pedro Woitexem volta a prefeitura de Araquari

Desde o último dia 3 a prefeitura de Barra Velha está sob novo comando. O prefeito Claudemir Matias passou a responsabilidade da administração pública para o vice-prefeito, Fabio Brugnago. Matias estará de férias até 23 de janeiro. Segundo ele, no histórico da prefeitura de Barra Velha, poucas vezes um vice-prefeito teve a oportunidade de assumir a liderança do município, por este motivo pediu licença do cargo. De acordo com Matias, o município tem um histórico ruim de relacionamento entre prefeito e vice, e a troca de cargo visa provar que na sua administração há um bom relacionamento. “Ele terá esse período para trabalhar e colocar em prática

O dia 6 de janeiro marcou a volta ao expediente normal de todas as prefeituras na região. Em Araquari, antes mesmo da data marcada, o prefeito João Pedro Woitexem já havia retornado ao trabalho. Afastado do cargo no dia 19 de dezembro, o prefeito de retomou suas atividades no Executivo da cidade após a justiça aceitar o seu recurso. A liminar que pedia o seu afastamento foi derrubada pelo desembargador Francisco Oliveira Neto no dia 28 de dezembro. Após ficar nove dias no cargo de prefeito, o vice Clenilton Carlos Pereira (PSDB), repassou novamente o comando para o prefeito. O afastamento de Woitexem era temporário sob justificativa de que o prefeito poderia coagir funcionários e atrapalhar as in-

seus projetos. Dei a ele total liberdade pra fazer o que for melhor pra cidade. Ele já conhece minha linha de trabalho então as coisas tendem a dar certo,” disse Matias. Fabio Brugnago diz que já tem projetos para serem executados. “Eu fico muito feliz com essa oportunidade tendo em vista que isso não tem acontecido. Vou manter a mesma estrutura administrativa, dar sequência nos trabalhos do Matias e dar início aos meus projetos. Tenho algumas ideias boas para a comunidade que logo surtirão efeito”, adiantou Fabio. Ele não quis entrar em

detalhes sobre seus planos, mas adianta que seu foco principal será em obras. Durante o período que estiver à frente da administração da cidade, Fabio vai dedicar a parte da manhã á questões administrativas e visitas a órgãos públicos municipais e a parte da tarde será para atendimento aos munícipes.

vestigações. A decisão de afastar Woitexem do cargo foi tomada pela juíza Nayana Scherer. O Ministério Público de Santa Catarina acusa Woitexem pela dispensa de processo licitatório para aquisição de saibro utilizado na obra da Estrada de Guamiranga. Nos documentos analisados, o valor foi de pago R$242 mil pelo saibro, enquanto o valor praticado no mercado seria de R$ 120 mil. João Pedro se defendeu em entrevista coletiva alegando que o preço pago pelo saibro bruto pareceu mais caro por incluir o valor do transporte, detalhe que, segundo ele, a promotora não considerou na ação. Para o prefeito, a ação é resultado de uma perseguição que ele vem sofrendo da juíza Nayana Scherer.


Sábado, 11 de janeiro de 2014.

ANIVERSÁRIOS DASEMANA

#Parabéns

9 de janeiro O Jornal Voz do Itapocu parabeniza o Secretário de Educação de Barra Velha, Valdir Nogueira, pelo seu aniversário. Felicidades! 3 de janeiro O Jornal Voz do Itapocu felicita Daiana Censi Leripio, irmã da colunista Daniela Censi, pelo seu aniversário. Muita saúde e sucesso. Parabéns. 10 de janeiro

Erique Wellington Almeida França,

parabéns pelo seu aniversário. Sua mãe, pai e toda sua parentada do Norte do Paraná, Londrina, te mandão um grande beijo. Felicidades! 29 de dezembro Parabéns Monike pelo seu 1º aniversário!! Papai Roger e Mamãe Simone te desejam muita Saúde e felicidades!! Te Amamos Muito!!! 04 de janeiro

Everton Alves

#SOCIAL

15


16

ESPORTE

Sábado, 11 de janeiro de 2014.

Handebol invade praia de Barra Velha hoje A estrutura da praia central de Barra Velha recebe a partir de hoje, às 9h, uma competição diferente para o esporte na cidade. Ao contrário dos tradicionais vôlei e beach soccer, será a vez da 1ª Copa Barra Velha de Handebol de Areia. O evento estava marcado para ocorrer no último sábado, dia 4, mas em virtude da chuva foi adiado. Organizada pela Fundação Municipal de Turismo, Es-

porte e Cultura (Fumtec), o campeonato será disputado por oito equipes no naipe masculino e seis equipes no feminino. Já está confirmada a participação de várias cidades catarinenses e inclusive times do Rio Grande do Sul. Com um bom retrospecto na modalidade durante o ano de 2013, a equipe barravelhense disputará as duas modalidades, sendo que no feminino será representada por dois ti-

mes. O esporte se desenvolveu ao longo dos anos em Barra Velha e teve seu ápice no ano passado com a bela campanha feita pelo time infantil. “Mostramos que com pouco se faz muito. Hoje Barra Velha é reconhecida como a melhor equipe de handebol estudantil do estado e a quarta a nível nacional,” diz o técnico Jairo Hermógenes Gabriel.

Futebol de praia neste domingo em Barra Velha e quarta-feira em Balneário Piçarras Em Barra Velha a abertura da Taça José Ernesto Provesi contará com uma atração a mais. A equipe do programa Pretinho Básico, da rádio Atlântida, fará a partida de abertura contra um combinado de amigos de Barra Velha. Além do naipe masculino, neste ano haverá também a disputa na categoria feminina, ainda com inscrições abertas. No masculino, serão 1o equipes divididas em dois grupos e e as partidas ocorrem na arena montada na praia Central já a partir de domingo, às 17h. Com a parceria estabelecida entre a Fundação Municipal de Turismo, Esporte e Cultura

(Fumtec) e a Federação Catarinense de Beach Soccer, os dois primeiros colocados do torneio terão vagas asseguradas para disputar o campeonato estadual. Balneário Piçarras Já em Balneário Piçarras a competição é organizada pela secretaria de Esportes da cidade e terá abertura na próxima quarta-feira, dia 15. Até o fechamento desta edição o campeonato já contava com mais de 15 equipes inscritas e a previsão de término é para o dia 2 de março. Os jogos ocorrerão na Arena Norte, às quar-

tas e quintas-feiras a partir das 19h45. Nesta edição foi aceita a inscrição de apenas dois atletas não residentes no município por equipe, não sendo permitida a participação de times de outras cidades. A idade mínima para participação é de 16 anos, com autorização dos pais ou responsáveis. A competição conta com R$2,4mil em premiação, além de troféus e medalhas para os três primeiros colocados. Também serão premiados o goleiro menos vazado e o artilheiro da competição.

Travessia de Balneário Piçarras está com inscrições abertas

Os interessados em participar da Travessia a Nado em Balneário Piçarras já podem se inscrever via internet até o dia 23 de janeiro. O evento acontecerá na praia Central, próximo à descida da Avenida Getúlio Vargas, no dia 26 deste mês, a partir das 8h30. Serão três percursos: 1500 metros triangular, 750 metros e 200 metros. As inscrições devem ser feitas no site da Copa Verão de Travessias: www.travessias.com. Na prova de 1500 metros estão abertas 19 categorias, entre elas a máster, para idade acima de 80 anos e a PPNE, para paraatletas. A prova de 750 metros é categoria única e vol-

tada para iniciantes, não sendo permitida a participação de atletas federados ou dos três primeiros colocados da etapa de 1500 metros. Serão premiados os três primeiros no masculino e no feminino. Já a prova de 200m é destinada a todas as crianças participantes, com premiações por faixa etária.

Jornal Voz do Itapocu - 35ª Edição - 11/01/2014  

35ª Edição do Jornal Voz do Itapocu, com circulação nas cidades de Barra Velha, Araquari, Balneário Piçarras, São João do Itaperiú e Balneár...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you