Issuu on Google+

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO R. Senador Pinheiro Machado, 51 - Fone: (42) 3224-2562 Cep. 84010-310 - Ponta Grossa - Paraná E-mail: paroquia.rosario@uol.com.br

SETEMBRO 2013

Setembroa

Tua Palavra é lâmpada para meus passos, luz para meus caminhos. (Sl 119,105)

Mês d Bíblia

Inicia-se o mês de setembro, um mês carregado da alegria da primavera e, no qual, também temos como centro das atenções, na Igreja, a Bíblia. A Bíblia é o livro nosso de todo dia. Uma das marcas mais significativas das nossas comunidades tem sido a recuperação da Bíblia como o livro da caminhada. Impressionante é o amor que o povo tem pela Palavra de Deus. São inúmeras as iniciativas para que a Palavra seja conhecida. Mesmo assim, é importante dedicar o mês de setembro para intensificar o estudo e a celebração da Palavra de Deus, da Escritura Sagrada, tempo que já está em nossos corações. É como se a primavera aflorasse aos corações daquelas e daqueles que amam a Bíblia. O mês da Bíblia surgiu em 1971, por ocasião dos 50 anos da Arquidiocese de Belo Horizonte, hoje em nível nacional. Foi levado adiante com a colaboração do Serviço de Animação Bíblica, que contribui para o desenvolvimento das diversas formas de presença da Bíblia nas pastorais. “Ainda hoje, conviver com diferentes doutrinas religiosas continua sendo um desafio, especialmente diante da multiplicidade de religiões e de igrejas existentes no Brasil. Temos interpretações diferentes, mas o critério que deve nos unir, assim como uniu as primeiras comunidades cristãs, é a prática da justiça e a defesa da vida.” (VP 231, p.21) Para entendermos melhor isso, vamos ver uma história que compara a Palavra de Deus com o lavrador e suas ferramentas. Todo lavrador precisa de ferramentas para fazer o seu roçado. Só com as mãos, sem machado, foice, enxada... ele não faz muita coisa. Nós também, que queremos viver e trabalhar em comunidade, não podemos fazer muita coisa sem a Bíblia. Ela é como um machado nas mãos do lavrador: abre o terreno onde a gente quer plantar a semente. Sem a Bíblia, o roçado da nossa vida não produz nada. Nela, encontramos o sentido da nossa vida e do nosso trabalho. Somente um bom lavrador tem intimidade com suas ferramentas de trabalho, conhece-as muito bem e sabe manejá-las com agilidade. Assim também acontece com a Palavra de Deus (Bíblia) em nossas mãos; precisamos conhecê-la bem, saber manuseá-la, ter intimidade com ela, e o que é mais importante: entender e viver a mensagem principal que ela nos quer transmitir".

Oração para antes de ler a Bíblia Senhor, nossas palavras são demasiadamente pobres para agradecer o maravilhoso dom de tua palavra escrita, que, ultrapassando os limites do tempo, continua a falar-nos da fé que dá sentido à vida, da alegria que abre os corações e do amor que nos faz irmãos. Concede-nos, Senhor, grande amor pela Bíblia. Queremos aproximar-nos deste livro com fé para que saibamos encontrar em suas páginas sagradas o amor que une a família, a paz de que o mundo precisa. Ensina-nos, Senhor, a ler a Bíblia com respeito, humildade e fé. Queremos colocá-la em nossas casas para que seja luz que ilumina, palavra que acalma, presença viva de amor! Nós te pedimos, ó Pai, que o homem de hoje, cansado e insatisfeito, tenha coragem de aproximar-se da Bíblia para encontrar nela o caminho, a verdade e a vida. Amém!

‘‘Felizes são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática’’. (Lc 11,28)


Ÿ O Salmo 119 tem, em hebraico, 22 seções de oito versículos. Cada uma das seções inicia-se

com uma letra do alfabeto hebraico, de 22 letras. Dentro das seções, cada versículo começa com a letra da seção. Ÿ "O caminho de um sábado" era o caminho permitido no dia de sábado: a distância que ia da extremidade do arraial das tribos ao tabernáculo, quando no deserto, isto é, cerca de 1.200 metros. O capítulo 19 de II Reis é igual ao 37 de Isaías. Ÿ No livro Lamentação de Jeremias, os capítulos 1, 2 e 4 têm versículos em número de 22 cada, compreendendo as letras do alfabeto hebraico. O capítulo 3 tem 66 versículos, levando cada três deles, em hebraico, a mesma letra do alfabeto. Ÿ A menor Bíblia existente foi impressa na Inglaterra e pesa somente 20 gramas. Este fabuloso exemplar da Bíblia mede 4,5 cm

Ÿ

Ÿ Ÿ Ÿ

Ÿ

Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ

de comprimento, 3 cm de largura e 2 cm de espessura. Apesar de ser tão pequenina, contém 878 páginas, possui uma série de gravuras ilustrativas e pode ser lida com o auxílio de uma lente. A maior Bíblia que se conhece contém 8.048 páginas, pesa 547 quilos e tem 2,5 metros de espessura. Foi confeccionada por um marceneiro de Los Angeles, durante dois anos de trabalho ininterrupto. Cada página é uma delgada tábua de 1 metro de altura, em cuja superfície estão gravados os textos. Tradução: Você sabia que das 2.000 línguas e dialetos falados no mundo, cerca de 1.200 já possuem a Bíblia ou textos bíblicos traduzidos? O nome "Bíblia" vem do grego "Biblos", nome da casca de um papiro do século XI a.C.. Os primeiros a usar a palavra "Bíblia" para designar as Escrituras Sagradas foram os discípulos do Cristo, no século II d.C.. Ao comparar as diferentes cópias do texto da Bíblia entre si e com os originais disponíveis, menos de 1% do texto apresentou dúvidas ou variações, portanto, 99% do texto da Bíblia é puro. Vale lembrar que o mesmo método (crítica textual) é usado para avaliar outros documentos históricos, como a Ilíada de Homero, por exemplo. A divisão em capítulos foi introduzida pelo professor universitário parisiense Stephen Langton , em 1227, que viria a ser eleito bispo de Cantuária pouco tempo depois. A divisão em versículos foi introduzida em 1551, pelo impressor parisiense Robert Stephanus. Ambas as divisões tinham por objetivo facilitar a consulta e as citações bíblicas, e foi aceita por todos, incluindo os judeus. Com exceção de alguns textos do livro de Ester e de Daniel, os textos originais do Antigo Testamento foram escritos em hebraico, uma língua da família das línguas semíticas, caracterizada pela predominância de consoantes. A palavra "hebraico" vem de "Hebrom", região de Canaã, que foi habitada pelo patriarca Abraão em sua peregrinação, vindo da terra de Ur. A primeira Bíblia em português foi impressa em 1748. A tradução foi feita a partir da Vulgata Latina e iniciou-se com D. Diniz (1279-1325). A primeira citação da redondeza da terra confirmava a ideia de Galileu, de um planeta esférico. Bastava que os descobridores conhecessem a Bíblia. (Isaías 40,22) Davi, além de poeta, músico e cantor, foi o inventor de diversos instrumentos musicais. (Amós 6,5) O nome "cristão" só aparece três vezes na Bíblia. (Atos 11,26; 26,28 e IPd 4,16) A "Epístola da Alegria" , a carta de Paulo aos Filipenses, foi escrita na prisão e as expressões de alegria aparecem 21 vezes na epístola. A mensagem através de "out-doors" é uma citação bíblica detalhada. (Habacuque 2,2). Quem cortou o cabelo de Sansão não foi Dalila, mas um homem. (Juízes 16,19). O nome mais comprido e estranho de toda a Bíblia é Maersalalhasbas - filho de Isaías. (Isaías 8,3s). Há, na Bíblia, 177 menções ao diabo em seus vários nomes. O maior versículo está no livro de Ester capítulo 8 versículo 9. O menor versículo aparece no livro de Êxodo, capítulo 20, versículo 13. A Vinda do Senhor é referida 1.845 vezes na Bíblia, sendo 1.527 no Antigo Testamento e 318 no Novo Testamento. A expressão "Não Temas!" é encontrada 366 vezes na Bíblia, o que dá uma para cada dia do ano! No Salmo 107 há 4 versículos iguais: 8, 15, 21 e 31. Todos os versículos do Salmo 136 terminam da mesma maneira.

Painel do testemunho Na missa do primeiro domingo de maio, entregamos para cada pessoa um versículo bíblico para ser vivido e compartilhado agora em setembro. Quem não recebeu vai ter a oportunidade, neste fim de semana, para aprofundar um texto que será distribuído novamente. Durante todo o mês, o painel na entrada da Igreja será o espaço para partilharmos aquilo que a Palavra de Deus inspirou-nos a viver. Se não quiser, não precisa assinar, mas é muito importante repartir com os irmãos e irmãs um pouco de nossa vida como estímulo para continuarmos crescendo na fé e em comunidade. Esse projeto faz parte da prioridade da "Renovação das Paróquias", que terá continuidade no mês de novembro, quando celebraremos todos os santos e contaremos algo sobre a imagem que recebemos no mês de julho com a biografia de um santo. Participe!


Mártires: o desafio de ser cristão

Cidade do Vaticano (RV)

N

os últimos tempos, presenciamos cada vez, mais na mídia, informações que nos relatam sobre perseguições a cristãos e fiéis vítimas do “odium fidei”, ódio da fé, ou seja, morrer por causa da fé que se professa. Notícias de todas as partes do mundo, da Ásia à África, da Europa à América. São muitas as realidades cristãs em dificuldades nos quatro cantos do nosso planeta. Muitas são Igrejas jovens, que frequentemente trabalham num clima de dificuldade, de discriminação, e também de perseguição. No último mês de maio, recebendo em audiência os participantes na Assembleia Geral das Pontifícias Obras Missionárias, o Papa Francisco sublinhou que muitos povos ainda não conheceram nem encontraram Cristo, é preciso levar a eles o Evangelho. Nesta semana foi divulgado nas redes sociais o martírio de um sacerdote católico eremita na Síria, Padre François. As imagens apresentam a inexplicável ação de pessoas que tiram sua vida com a euforia de fazer a vontade de Deus. Mas de qual Deus? A sua única culpa era ser cristão. A questão da perseguição religiosa e do martírio não é um fato do passado, dos primórdios do cristianismo, mas é uma realidade de hoje que desafia e incomoda o “Povo de Deus” deste século, chamado sempre mais, a testemunhar a verdade em uma sociedade muitas vezes hostil e carente de Deus. Assim como no início da Igreja, também hoje muitos são os perseguidos e mártires, que testemunham com a sua vida, diante de sociedades opressoras, a sua fé. Temos, ainda, muitos exemplos da atualidade, como Dom Romero, em El Salvador, e não distante da nossa realidade a Irmã Dorothy Stang, que deu sua vida pelos últimos índios do Pará.

Eis o ! desafio

Tertuliano já dizia que “o sangue dos mártires é semente de novos cristãos”. Essa afirmação ressoa ainda mais forte nos dias de hoje em que a Igreja, presente em todo o mundo, vê muitos de seus filhos padecerem por sua fé e adesão a Cristo. Sabemos que, na história, o martírio é uma dimensão que pertence à própria natureza do testemunho cristão. Aliás martírio significa testemunho. É curioso que muitos, quando se fala de martírio, perseguição pela fé, pensem a algo que pertence ao passado, às origens do cristianismo. Certamente é assim! Mas seria também bom que não somente os cristãos, envolvidos diretamente, mas todos soubessem que, de um ponto de vista histórico, a época das perseguições e martírios é a nossa. Segundo um estudo do maior especialista de estatística religiosa moderna, David Barret, os Culpados mártires cristãos desde a morte de Jesus Cristo, até os dias de hoje, são cerca de 70 milhões, 45 por sua milhões desses, mais da metade, estão concentrados no século XX e nos inícios do século XXI. Já o adesão a Beato João Paulo II afirmava que o século dos mártires foi o século XX. Cristo! No mundo ocidental, quando falamos de situações de alarme no que diz respeito a perseguições e martírio por causa da fé, certamente vem à mente por primeiro o fundamentalismo islâmico. Basta recordar a lei sobre a blasfêmia no Paquistão, que tantos cristãos, no país, combatem, e pela qual padecem, e agora as chacinas na Síria. Mas para além das violências públicas, há também muitas violências privadas, atentados em muitos países onde os cristãos são minoria. Há também territórios, como na África e Ásia, onde os cristãos são considerados um corpo estanho, quase traidores da cultura local, apesar da sua presença ser muito antiga. Mas não devemos esquecer também aquilo que ocorre no Ocidente, na Europa, certamente não na dimensão da violência que se verifica em certas áreas da África e Ásia, todavia há uma sutil, e nem sempre sutil, tentativa de discriminar, de marginalizar, de colocar à parte o cristianismo, de negar a identidade cristã e as raízes cristãs, de agredir, de vários modos a Igreja e até o Santo Padre. Basta pensar nos símbolos religiosos retirados dos lugares públicos, vistos por muitos como uma ofensa ao laicismo do Estado. De todas as partes chegam-nos notícias de perseguições e mortes de pessoas, que, por causa de sua fé cristã, são vistas como traidoras e proselitistas. O Papa Francisco, nos últimos tempos, não se cansa de pedir aos fiéis, aos cristãos, que sejam verdadeiras testemunhas do amor de Deus, verdadeiros seguidores de Cristo. Esse é o momento de olhar para aqueles nossos irmãos que sofrem a dor da perseguição e do martírio por causa do seguimento de Cristo. É o momento de ajudarmos com a oração, e não somente com ela, os cristãos expulsos de suas casas e obrigados a viver longe de suas terras. É o momento de sermos verdadeiramente cristãos, seguidores de Cristo, de demonstrarmos a força da nossa fé. “Jesus quer cristãos livres como ele”. “O tempo dos mártires ainda não terminou”. (Silvonei José)


Agenda de Setembro Dia 02 - 14h: Reunião da Oficina de Santa Rita de Cássia Dia 02 - 19h: Adoração ao Santíssimo, na Capela Dia 03 - 19h: Leitura Orante, na Capela Dia 04 - 19h: Missa de Envio da Peregrinação à Terra Santa Dia 06 - 15h: Adoração e Missa do Apostolado da Oração Dia 7 - Feriado (Não haverá expediente na secretaria) Dia 15 - 10h: Entrega do Pai Nosso (catequizandos do 1º Tempo) Dias 16, 17 e 18 - 19h30 - Curso Bíblico - II Parte do Evangelho de São Lucas na Paróquia Espírito Santo Dia 17 - 13h30: Oração das Mil Ave Marias Dia 20 - 19h30: Encontro dos recém-casados Dia 21 - 10h: Reunião dos catequistas Dia 21 - 14h: Curso de Batismo (Inscrições antecipadas na secretaria) Dia 21 - 15h: Encontro Diocesano do Rosário Perpétuo Dia 22- 10h: Batizados (Inscrições antecipadas na secretaria) Dia 26 - 16h: Missa (Celebração da Terceira Idade Diocesana) Dia 28 - 15h: Reunião dos coroinhas

Missas Terça-feira: 7h, 12h e 17h30 Quarta-feira: 7h, 12h e 17h Quinta-feira: 7h, 12h e 17h30 Sexta-feira: 7h, 12h e 17h30 Sábado: 17h Domingo: 8h, 10h e 18h30

Confissões Quarta-feira: das 9h às 11h30 e das 14h às 17h Sábado: das 9h às 11h30 De 6 a 23 de setembro o padre Edvino estará ausente da paróquia. Será o diretor espiritual do Retiro sobre rodas à Terra Santa. Muitas pessoas de nossa paróquia estarão participando desta peregrinação. Rezemos por eles.

Nosso agradecimento especial aos nossos colaboradores deste boletim, também à Rede de Farmácias Fleming, que patrocina o Jornal Diocesano ‘‘A Boa Nova’’ e à Empresa Postal que distribui nossas correspondências. Que Deus os abençoe pela generosidade!


Informativo Paroquial