Issuu on Google+

S ã o Pau lo, f e v e r e ir o, 2 0 1 1

informativo zahil Informativo Zahil é uma publicação a serviço da cultura vinícola e seus apreciadores

single harvest Descubra aqui quais foram os destaques da Zahil no mundo do vinho em 2010. Novos vinhos, premiações e seleções de final de ano e dicas pra você aproveitar melhor suas garrafas prediletas com família e amigos. Visite também nosso site e descubra mais: www.zahil.com.br

Premiações Vinhos selecionados nas listas dos melhores do ano de 2010.

Lançamentos Vinhos de novas regiões e produtores que desembarcaram na Zahil.

dicas Queijos e vinhos - uma combinação clássica ou um conflito no paladar?


TOP100 Há oito anos, os colaboradores da revista Prazeres da Mesa se reunem para escolher quais foram os 100 melhores vinhos que provaram ao longo daquele ano, independente do preço. É um verdadeiro panorama do que há de melhor no mercado brasileiro, entre raridades, vinhos-ícone e boas compras, dentro do qual a Zahil sempre se destaca. Neste ano, não fica por menos: foram 13 vinhos entre os 100 melhores. Confira abaixo os que se classificaram entre os 20 melhores e, na página ao lado, ossos outros campeões.

Barca Velha 2000 O mais clássico dos clássicos de Portugal, Barca Velha segue surpreendendo a quem não o conhece e encantando aos fãs e apreciadores. Classificou-se em 5º lugar entre os 100 melhores.

Gran Reserva 904 1997 Um equivalente ao Barca Velha quando se trata de Rioja, comemora a entrada da Viña Ardanza na Bodega Rioja Alta em 1904. Em 9º lugar, um ícone espanhol.

Les Macherelles ChassagneMontrachet 2007 Uma grata surpresa para a família Roux, jóia descoberta pela Zahil na Borgonha. O vinho ficou em 18º lugar e é elegante e refinado, como merecem os vinhos de Chassagne.

informativo | fevereiro 2011


2 | 3

The Coppermine Road 2005

Amat Tannat 2005 Tannat complexo, elegante, ao estilo que marcou o trabalho da família Carrau: sem excessos comuns aos vinhos do novo mundo e com refinamento e certa delicadeza.

McLaren destaca-se pelos vinhos feitos à moda do Rhône, na França. Este é um super “GSM”, como são conhecidos os cortes à base de Grenache, Shiraz e Mourvèdre.

Domaine Vacheron Sancerre 2007

Domus Aurea 2007 Recém-chegado à Zahil, um vinho que fez história no Chile. Domus Aurea se tornou símbolo da Cabernet Sauvignon chilena, complexo e profundo.

Mineral, cítrico, profundo e marcante, o Sancerre dos irmãos Vacheron é um marco no estilo “Loire” de se produzir Sauvignon Blanc. Impressionante.

Gravner Ribolla 2004 Josko Gravner já experimentou de tudo quando se trata de fazer vinho, mas retornou às raízes ao fermentar longamente uvas Ribolla em ânforas de barro.

Fronholz Pinot Gris 2006 Produzido por um gênio da Alsácia, André Ostertag. Um contestador, Ostertag faz uso de barricas em uma região em que elas são abominadas.

Quinta da Leda 2007 Uma quinta no Alto Douro, quase na fronteira com a Espanha, produz uvas de alta qualidade para este vinho e para o renomado Barca Velha.

Sol de Sol Pinot Noir 2008 Para fazer par com um dos maiores sucessos do Chile (e “Vinho do Ano” em 2009 na PM), chega sua versão tinta, feita à moda da Borgonha.

Destaque Domaine Gouges Nuits St. Georges 2007 Outra novidade importantíssima no portfolio da Zahil, os vinhos da família Gouges são referência em Nuits St. Georges, uma das mais importantes cidades vinícolas da Borgonha. Seu “Village” é fresco, concentrado e longevo. ZAHIL | Vinho tratado com respeito


Ranking 2010 Ao contrário do “Top 100”, o Ranking anual da Prazeres da Mesa mostra os 100 vinhos melhor pontuados nos painéis mensais da revista, em que as seleções são feitas por faixa de preço e estilo ou origem dos vinhos, de forma que aqui se tenha uma noção real do que há de melhor no Mercado em cada categoria. Novamente, nos destacamos pela proporção de rótulos que constam na lista, com 10 de nossos vinhos entre os melhores do ano. Confira!

Trio Infernal 1/3 2005

91 Pontos

O “trio” Combier-Fischer-Gerin, do vale do Rhône, na França, foi garimpar vinhedos no Priorato, Espanha, para produzir vinhos impressionantes, como o 1/3.

Callabriga Dão 2004

91 Pontos

Projeto pessoal da família Guedes, os Callabriga são vinhos refinados com um toque de modernidade, que exaltam suas regiões de origem.

Domaine La Soumade Cuvée Prestige 2004

91 Pontos

Para quem quer descobrir o que há de melhor em Côtes du Rhône, um Rasteau de estirpe. Frutas, especiarias e notas minerais.

Domaine Combier Crozes-Hermitage 2006

90 Pontos

Crozes-Hermitage é sinônimo de Syrah em pureza e vinhos frescos e muito florais. De produção biodinâmica, os Combier são também de excelente concentração.

informativo | fevereiro 2011


4 | 5

The Dead Arm 2006 Um verdadeiro campeão australiano, já esteve multiplas vezes entre os Top 100 Veja também, mais abaixo, entre os Melhores do Valor Econômico.

89 Pontos

Primus Pinot Noir 2005 A partir de lotes selecionados em safras excepcionais, a Salentein produz aos pés dos Andes os “Primus”, seus vinhosícone. Entre eles, este impressionante Pinot Noir.

89 Pontos

Domaine Conté Reserva Carménère 2007 Excelente exemplar desta variedade que se tornou uma bandeira para o Chile, o Reserva equilibra a fruta madura e as notas vegetais típicas da Carménère.

88 Pontos

Callabriga Dão Reserva 2003 A partir das melhores uvas produz-se o Reserva da linha Callabriga, com envelhecimento prolongado em garrafa. Complexo, macio e bem estruturado.

88 Pontos

Château Pontet-Fumet 2005 Para os amantes dos Bordeaux clássicos, um Grand Cru da margem direita em uma safra histórica. Para guardar ou beber, de preferência acompanhando comida.

88 Pontos

The d’Arry’s Original 2006 A “receita” histórica de d’Arry Osborne, que vem ganhando prêmios dentro e for a da Austrália há mais de 50 anos. Combina Shiraz e Grenache, ao estilo australiano.

ZAHIL | Vinho tratado com respeito

88 Pontos


melhores vinhos do ano Um dos mais reputados jornais do país, o Valor Econômico também tem sua coluna de vinhos: semanalmente, Jorge Lucki descreve regiões, vinhos e questões de mercado com clareza e reflexão.

A cada final de ano, o jornal publica uma lista com a seleção dos melhores vinhos provados naquele ano pelo colunista, classificados em três categorias. Confira nas próximas páginas.

Novo Mundo The Footbolt Shiraz 2007

Sol de Sol Chardonnay 2008

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Austrália Tinto.

“O melhor degustado no mercado brasileiro” - Chile Chardonnay.

Rupert & Rothschild Classique 2007

Flechas de Los Andes Gran Malbec 2008

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - África do Sul Tinto.

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Argentina Malbec.

Framingham Sauvignon Blanc 2008

Winemaker’s Selection MCM 2008

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Nova Zelândia Branco.

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Argentina Mesclas Tintas.

Domus Aurea 2007

Amat 2005

“O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Chile Cabernet Sauvignon.

“O melhor degustado no mercado brasileiro” - Uruguai Tintos.

Aquitania Reserva 2008

Carrau Tannat de Reserva 2007

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Chile Cabernet Sauvignon.

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Uruguai Tintos. [continua...]

Destaque The Dead Arm 2006 Produzido a partir de videiras de baixíssimo rendimento (que tiveram um de seus “braços afetados pelo fungo Eutypa lata), foi escolhido como “O melhor degustado no Mercado brasileiro” na categoria “Austrália - Tinto”. informativo | fevereiro 2011


3 FINCAS

C RIAN Z A Um achado entre os vinhos da Catalunha pela combinação de frescor, fruta e mineralidade. Produzido pelo Castillo Perelada quase na fronteira com a França, combina uvas espanholas e francesas de 3 de suas mais importantes fincas num “Crianza” de excepcional relação preço e qualidade.

Pontuaçã

o

R. Parker

92 90 W. Spectator


Melhores vinhos do ano: Valor econômico

Velho Mundo

Destaque

Veuve Paul Bur Brut Há três anos consecutivos, o delicado Paul Bur é selecionado entre os de “Melhor relação qualidade/preço no mercado brasileiro” entre os “Espumantes do Mundo”

Cava Castillo Perelada Brut Reserva

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Espumantes do Mundo

Drappier La Grande Sendrée “O melhor degustado no mercado brasileiro” - Champagne

“O melhor degustado no mercado brasileiro” - Borgonha Branco

Domaine Roux Saint Aubin 2008 “O melhor degustado no mercado brasileiro” - Borgonha Branco

Roux Bourgogne Chardonnay 2007

Drappier Carte d’Or “Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Champagne

Drappier Brut Nature Zéro Dosage “Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Champagne

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Borgonha Branco

Brocard Domaine Saint Claire Chablis 2008 “Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Borgonha Branco

Domaine St. Estève d’Uchaux Côtes du Rhône 2008

Château Clarke 2005 “O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Bordeaux Tinto

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Rhône Tinto

Les Granges 2007 “Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Bordeaux Tinto

Domaine Gouges Nuits St. Georges 2007 “O melhor degustado no mercado brasileiro” - Borgonha Tinto

Brocard Chablis 1er Cru Vaulorent 2007

Les Malgagnes St. Nicolas de Bourgueil 2005 “O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Resto da França Tintos

Domaine Vacheron Sancerre Blanc 2007 “O melhor degustado no mercado brasileiro” - Resto da França Brancos [continua...]

informativo | fevereiro 2011


domus aurea Um dos vinhos mais importantes e renomados do Chile, Domus Aurea chamou a atenção do mundo para a qualidade que se poderia obter com Cabernet Sauvignon nas áreas mais nobres do Maipo. Uvas excepcionais e a expertise dos franceses JeanPascal Lacaze e Patrick Valette asseguram vinhos de altíssima qualidade.

Pontuaçã

o

R. Parker

92 90 W. Spectator


Melhores vinhos do ano: Valor econômico

Velho Mundo [cont.] Clos Mathis Riesling 2006

Barca Velha 2000

“O melhor degustado no mercado brasileiro” - Resto da França Tintos

“O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Douro Tinto

La Haute Févrie Muscadet SMsL 2008

Quinta dos Carvalhais Touriga Nacional 2000

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Resto da França Brancos

“O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Portugal Outros Tintos

Cascina Francia Barbera d’Alba 2007

H&H Verdelho 10 Anos

“O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Piemonte Tinto

“O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Porto e outros fortificados

Le Orme Barbera d’Asti 2007

Quinta dos Carvalhais Encruzado 2008

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Piemonte Tinto

“O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Portugal Brancos

Tosca Chianti Colli Senesi 2008

Quinta dos Carvalhais Colheita 2007

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Toscana DOC Tinto

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Portugal Outros Tintos

Gravner Ribolla Anfora 2004

3 Fincas Empordà Crianza 2007

“O melhor degustado no Mercado brasileiro” - Itália Brancos

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Espanha Outros Tintos

Le Marne Gavi 2009

Lagar de Cervera Albariño 2009

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Itália Brancos

“Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” - Espanha Brancos

Destaque Sangervasio Rosso Vinho orgânico produzido pelos Tommasini próximo a Pisa, Sangervasio foi escolhido “Melhor relação qualidade preço no mercado brasileiro” na categoria “Supertoscano IGT”. informativo | fevereiro 2011


gran corte Parte do ambicioso projeto organizado por Michel Rolland em Mendoza, Argentina, Flechas de los Andes é uma bodega impressionante, resultado da associação das famílias Dassault e Rothschild. Seu “Gran Corte” é um vinho elegante e refinado, com características de Bordeaux.

Pontuaçã

o

R. Parker

90 89 W. Spectator


Dicas Zahil Harmonização

Moda fugaz ou oportunidade de prazer?

Os queijos, assim como os vinhos e tantos outros alimentos, têm inúmeras variações de sabor, textura, intensidade, acidez, como podemos ver provando um pouquinho de cada da mais simples tábua de queijos que pudermos encontrar em um desses encontros. Assim como outros alimentos, portanto, os queijos se combinam com os vinhos de formas diferentes, de acordo com como as características dos dois interagem: - Queijos mais delicados e frescos (como os brancos em geral), irão destoar de vinhos intensos e encorpados. Vamos de brancos delicados, como a clássica combinação queijo-de-cabra e Sauvignon Blanc. - Queijos de textura mais firme e cremosa e gordura mais acentuada, como os Brie e os Camembert, são muito saborosos e untuosos para os vinhos delicados. Chardonnay é uma uva capaz de produzir vinhos que funcionam melhor nestes casos,

mas tintos mais leves também podem funcionar. - Alguns dos prediletos do público são os queijos granulosos, como o Parmigiano e o Pecorino. Sua textura mais áspera e maior concentração de gordura e sabor lhes coloca mais próximos das características de alguns tintos. Vale tentar com os italianos clássicos (Barolo, Chianti) e com vinhos de Cabernet do “Velho Mundo”, como muitos Bordeaux. - Os chamados queijos firmes são os maiores trunfos. Os Minas curados, Gruyère, Emmental e Cheddar são versáteis e podem acompanhar brancos mais volumosos (como os Borgonha) ou tintos mais frutados (como muitos dos vinhos do “Novo Mundo”). - Finalmente, os queijos de veio-azul estão entre os mais exclusivos. Seu sabor é pungente embora haja variações picantes, salgadas e até razoavelmente doces e em geral irão funcionar com vinhos que equilibrem essas características. Tradicionalmente, os doces vinhos do Porto e de Sauternes são seus melhores parceiros. Assim como na hora de escolher vinho para uma refeição, selecionar a garrafa para aquele queijo especial ou montar uma combinação de queijos requer um pouco de reflexão sobre como eles irão interagir. Sem a menor dúvida, seu gosto pessoal serve de palavra final!

3071.2900

R. Manoel Guedes, 294 - Itaim Bibi - SP

Aprecie com moderação. Venda proibida para menores de 18 anos. Se for beber não dirija. Imagens meramente ilustrativas. Consulte-nos sobre a safra à disposição e regiões de abrangência. © 2010 Zahil - Todos os direitos reservados.

Embora hoje a moda do “queijo e vinho” pareça ter arrefecido um pouco, a maioria das pessoas ainda considera que uma opção “instantânea” para se acompanhar uma noite de vinhos é uma tábua mista de queijos. Mas... É verdade que essa mistura de queijos funciona bem com vinhos em geral? Vamos fazer uma rápida análise e procurar algumas formas simples de combinar queijo e vinho.


Informativo Zahil