Issuu on Google+

Relat贸rio Anual

2005


Relat贸rio Anual 2005


Capa: Grazielle Granzoto, cliente da Vivo

Cristiano Verardo, colaborador da Vivo


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17

Missão, visão e valores Perfil Mensagem Principais indicadores Estratégia e investimentos Mercado de telefonia celular Desempenho operacional Relacionamento com clientes Marketing e comunicação Inovação Ativos intangíveis Ferramentas e modelos de gestão Desempenho econômico-financeiro Gestão de riscos Ações como investimentos Governança corporativa Sustentabilidade Gestão de recursos humanos Diálogo com fornecedores Respeito ao meio ambiente Diálogo com a comunidade

18 19 20

Premiações e reconhecimentos Informações corporativas Expediente


1 Missão, visão e valores

Missão

Ser a melhor opção em comunicação com mobilidade. Valores e princípios Ética

visão sistêmica, estimulando o

Humanização

as políticas e os procedimentos

trabalho em equipe, promovendo

Estimular o contínuo crescimento

definidos pela empresa e

o compartilhamento de

profissional e pessoal dos

regulamentados pela lei e pela

responsabilidades e assegurando

colaboradores, trabalhando com

sociedade, trabalhando com

o alcance dos objetivos de

entusiasmo, paixão e alegria,

honestidade, profissionalismo

rentabilidade e sustentabilidade

praticando a justiça, construindo

e transparência.

da liderança.

e mantendo relações de confiança,

Respeitar os princípios,

lealdade e transparência com os

6 | Relatório Anual 2005

Responsabilidade Social Contribuir para o

Compromisso com o Cliente Identificar

desenvolvimento consciente e

e satisfazer as necessidades

sustentado da sociedade,

clientes, acionistas, colaboradores, fornecedores e o mercado.

presentes e futuras dos clientes,

Inovação

favorecendo o pleno exercício

oferecendo produtos e serviços

criatividade, liderando o uso

da cidadania e respeitando

que superem as expectativas,

de tecnologias de ponta a serviço

o meio ambiente.

com alto padrão de qualidade

dos clientes, implantando

Estimular a

e atendimento, prometendo

soluções diferenciadas,

Comprometimento

responsavelmente o que

antecipando-se no lançamento

Operar de forma planejada e

estamos em condições

de produtos e serviços,

integrada, apoiada em uma

de cumprir.

assegurando a competitividade.


Visão de futuro Ser a empresa líder e inovadora em soluções móveis de comunicação, informação e entretenimento, comprometida na geração de valor aos clientes, colaboradores, acionistas e à comunidade.

Carol Souza, cliente da Vivo

Relatório Anual 2005

|

7


2 Perfil Vivo é a marca da joint venture formada por Portugal Telecom e Telefónica Móviles, em 2002, e hoje líder do mercado brasileiro de telefonia celular, com participação estimada de 34,5%, no País, no final de 2005. Com cerca de 30 milhões de clientes, coloca-se entre as maiores do setor no mundo e como a maior do Hemisfério Sul.

Eduardo Valente, colaborador da Vivo e voluntário do Instituto Vivo

8 | Relatório Anual 2005


A Vivo tem operação comercial em

Com apenas três anos no mercado

S.A. (TCP), que controla a Tele

19 estados brasileiros mais o

brasileiro, os diferenciais da Vivo

Centro-Oeste Celular Participações

Distrito Federal e cobertura própria

são reconhecidos pelos

S.A. (TCO).

em 2209 municípios com uma rede

consumidores, que já a colocaram

As holdings, por sua vez,

totalmente digitalizada, abrangendo

como Top of Mind do Instituto de

contam com 14 operadoras

uma área de 7 milhões de

Pesquisas Datafolha. Além disso, a

de telefonia celular.

quilômetros quadrados. É a única

marca figura como a 11ª mais

Em 2005 foi dado início a um

marca a utilizar a tecnologia CDMA

valiosa do País – de acordo com

processo de reestruturação

no País, considerada pela União

ranking elaborado pela Intertrade,

societária que visa a concentrar

Internacional de Telecomunicações

em parceria com a revista IstoÉ

as holdings em apenas uma,

(órgão ligado à Organização

Dinheiro, em 2005 –, avaliada

a Telesp Celular Participações S.A.

das Nações Unidas) como a base

em US$ 218 milhões.

(TCP), para garantir a sinergia

para a terceira geração da telefonia

Acumulou, ao longo de 2005, mais

entre as operações e simplificar

celular. Nessa posição de

de 30 prêmios e reconhecimentos

a estrutura societária, agregando

vanguarda, lançou a tecnologia

relacionados à sua atuação em

transparência no relacionamento

EV-DO, de terceira geração, que

diversas áreas, como responsabilidade

com o mercado. Encerrada a

permite transmissão de dados

social, marketing etc.

mudança, a TCP passará a ser

em alta velocidade (até 2,4 Mbps),

No final do ano, contava

denominada Vivo Participações S.A.

ou seja, aproximadamente dez

com 6.084 colaboradores

Com exceção da Celular CRT

vezes mais rápido do que em

próprios no País. A joint venture era

Participações S.A., que negocia

conexões de banda larga

composta, em dezembro de 2005,

suas ações apenas na

convencionais. Os primeiros

pelas holdings Tele Leste Celular

Bolsa de Valores de São Paulo,

trechos da rede cobrem Curitiba,

Participações S.A. (TLE), Celular CRT

as demais holdings negociam

Distrito Federal, Florianópolis,

Participações S.A. (CRT), Tele

seus papéis também na Bolsa

Porto Alegre, Vitória, Rio de

Sudeste Celular Participações S.A.

de Valores de Nova York.

Janeiro, Salvador e São Paulo.

(TSE) e Telesp Celular Participações

Relatório Anual 2005

|

9


3 Mensagem 2005 foi um ano de avanços importantes para a Vivo, marca em torno da qual atuam em conjunto as companhias Telesp Celular Participações S.A. – TCP (controladora da Tele Centro-Oeste Celular Participações S.A. – TCO), Tele Leste Celular Participações S.A. – TLE, Tele Sudeste Celular Participações S.A – TSD e Celular CRT Participações – CRT, que compõem os ativos da joint venture entre a Telefónica Móviles e a Portugal Telecom. A base de quase 30 milhões de clientes em dezembro de 2005 é a face mais evidente da liderança da Vivo no mercado brasileiro de comunicações móveis. Porém, mais importante que a superioridade numérica no quesito “participação de mercado” são a qualidade de sua base de clientes e a sua liderança em share de receita e de EBITDA. Em linhas gerais, os players

perenizar uma relação de

usuários de celular, o mercado

do setor têm pautado sua

qualidade com seus clientes,

brasileiro ainda tem espaço para

estratégia de competição

acionistas e comunidade em

crescer, embora em ritmo menos

apoiados em fortes subsídios para

geral. A evolução no número

acelerado do que em anos

reduzir as barreiras de entrada

de clientes pós-pagos e o

recentes. A Vivo está atenta às

e em elevados investimentos

crescimento consistente da

oportunidades para agregar novos

de publicidade e marketing.

receita de dados registrados entre

clientes à sua base. Mas, no

A Vivo se adapta às condições

2004 e 2005 são alguns

cenário atual, o grande desafio da

de mercado, mas sem colocar em

indicadores que atestam o acerto

organização é “conquistar” os

causa sua capacidade de gerar

dos caminhos escolhidos.

clientes que já tem, ou seja,

resultados que permitam

Com cerca de 85 milhões de

fidelizar. Existe uma forma muito

10 | Relatório Anual 2005


simples de fazer com que o cliente

a organização somou pontos em

Ainda na linha de consolidação

reafirme, a cada dia, a escolha da

qualidade dos serviços, como

de uma organização

Vivo como a sua operadora:

atesta o avanço de 72% para 78%

verdadeiramente única, é

buscando permanentemente a sua

na taxa de chamadas originadas

preciso ressaltar a decisão dos

satisfação, com excelência na

completadas, acima da meta de

Conselhos de Administração das

prestação de serviços, na

67% estabelecida pela Anatel.

empresas que compõem a Vivo

cobertura, na fatura e recarga e

A Vivo também deu passos

de promover a reestruturação

no atendimento. Esses são fatores-

importantes nos projetos de

societária que resultará em

chave para o cliente e, portanto,

unificação dos principais sistemas

uma só sociedade de capital

fatores-chave da estratégia da

que suportam seus negócios

aberta – a Vivo Participações

Vivo. Qualidade nesses elementos

e operações. Em 2005, foram

S.A. Os projetos de unificação

que são básicos para o cliente é o

finalizados os projetos de SAP e

dos sistemas, as melhorias nos

que vai fazer a diferença.

de data warehouse. As unificações

serviços e no atendimento

dos sistemas de billing, de pré-

já vêm produzindo reflexos

pago e de front-office também

positivos junto aos clientes,

evoluíram e estarão 100%

como mostra, por exemplo,

Em 2005, a Vivo evoluiu de

concluídas em 2006. São

a redução na taxa de chamadas

maneira importante em diversos

iniciativas que conferem à

ao call center em 2005 na

campos. Projetos de expansão e

organização maior agilidade,

comparação com o ano anterior.

overlay CDMA permitiram elevar

eficiência e competitividade.

em cerca de 20% a cobertura

Entre outros pontos, facilitam

digital nas várias regiões.

o lançamento de produtos e

Terceira Geração

Vale destacar o Estado de São

permitem proporcionar aos

No campo da tecnologia, o CDMA

Paulo, que passou a contar com

clientes as mesmas ofertas e o

EV-DO, a Terceira Geração da

cobertura digital da Vivo em

mesmo tipo de relacionamento,

Vivo, que permite altíssima

100% de seus municípios.

independentemente da região

velocidade de transmissão de

Ao lado do fator quantidade,

em que se encontrem.

dados, já é realidade em

Avanços consistentes

Relatório Anual 2005

|

11


3

Mensagem

São Paulo, Rio de Janeiro,

de downloads de jogos, imagens e

responsabilidade social

Florianópolis, Curitiba,

tons musicais, entre outros –

corporativa, seja promovendo

Porto Alegre, Salvador, Vitória e

registrou um salto de utilização

um relacionamento ético e

Brasília. Essa tecnologia é a base

de 200% entre 2004 e 2005.

transparente com seus vários

de algumas expressivas inovações

Mas, para a Vivo, inovar é muito

públicos – clientes, acionistas,

em serviços, como o Vivo Play 3G

mais do que colocar um novo

colaboradores, comunidade e

(serviços multimídia de terceira

serviço no mercado ou buscar o

governo –, seja participando de

geração) e o Vivo Zap 3G

que há de mais avançado em

iniciativas que favorecem o

(serviços de acesso à Internet em

tecnologia. Igualmente

progresso e a igualdade social.

alta velocidade). Entre outros

importante é inovar em

Os cerca de 40 projetos apoiados

lançamentos importantes em

processos, em atitudes, em

pelo Instituto Vivo, sobretudo na

2005 estão também o Smart Mail

relacionamento com os clientes

área de educação, beneficiam mais

(serviço corporativo que permite

e com os próprios colaboradores.

de 500 mil pessoas em todo o

acesso em tempo real aos e-mails

Simplificar as ofertas ou

Brasil. Um esforço de prática

do escritório) e o Vivo Moblog

aprimorar os mecanismos de

da cidadania ao qual se alinham

(serviço que, diferentemente dos

comunicação entre as áreas

os colaboradores, por meio do

blogs comuns, permite usar tanto

internas da empresa para agilizar

Programa Vivo Voluntário, com

a Internet como o celular para

a solução de uma demanda ao

atividades voltadas principalmente

fazer as configurações e

Call Center são inovações que não

aos deficientes visuais.

publicações de textos e fotos).

requerem sofisticação tecnológica

Inovar é um dos trunfos para

e que têm impactos positivos

seguir incrementando as receitas

importantes junto aos clientes.

Movimento de transformação

de serviços de dados, que já

Se, ao longo de 2005, colocou

2005 foi, sem dúvida, um ano

respondem por cerca de 6% do

muita energia nos negócios, a

de realizações importantes para

total de faturamento. Só o Vivo

Vivo o fez sem abrir mão de outro

a Vivo, como o leitor poderá

Downloads – que inclui serviços

aspecto essencial: o exercício da

conferir de maneira mais

12 | Relatório Anual 2005


detalhada ao longo deste

a contribuir para fazer

relatório. Mas há um fator que

da Vivo uma empresa

faz de 2005 um ano decisivo: ele

100% orientada

marca o início de uma nova era

ao cliente, com ofertas

na organização. A era de uma

segmentadas e

Vivo integralmente voltada para

excelência em serviços,

a satisfação dos clientes.

fatura, recarga e

É uma orientação estratégica

atendimento. Esses são

desafiadora, porque requer uma

elementos essenciais,

sintonia fina de todas as áreas

que agregam satisfação

em torno da “causa” do cliente.

ao cliente e valor aos

Exige transformações que só se

negócios da Vivo.

tornam realidade se as pessoas que formam a organização estiverem fortemente determinadas a fazê-lo. E os profissionais da Vivo estão. A pesquisa de clima realizada no final de 2005 mostrou que os colaboradores endossam totalmente o novo direcionamento estratégico, identificam com clareza os caminhos de mudança que precisam ser percorridos e estão dispostos e preparados

Roberto Oliveira de Lima, presidente da Vivo


4 Principais

indicadores TCP 2005

TCO

2004

2005

TLE

2004

2005

2004

MERCADO Base de Clientes (em milhares)

20.201

17.631

6.815

5.820

1.477

1.320

Adições Líquidas (em milhares)

2.570

4.330

995

1.708

156

194

Market Share (%)

45,2%

51,4%

45,5%

51,3%

31,8%

42,3%

Penetração (%)*

49,3%

39,2%

44,0%

34,8%

29,2

20,2%

146

136

129

108

129

123

Churn Mensal (%)

1,6%

1,6%

1,6%

2,0%

2,8%

2,9%

Receita Média por Usuário (ARPU) (R$/cliente)

28,2

33,4

25,9

32,0

28,5

29,1

Receita Líquida

7.473,2 7.341,0

2.271,5

2.210,5

561,8

487,0

EBITDA

2.039,1 2.588,1

649,3

891,3

90,6

109,1

Lucro (Prejuízo) Líquido

(909,2)

(490,1)

339,1

507,1

(92,1)

(34,2)

27,3%

35,3%

28,6%

40,3%

16,1%

22,4%

Lucro (Prejuízo) por Ação (R$ por ação)

(1,37)

(1,05)

2,61

3,93

(9,55)

(3,56)

Lucro (Prejuízo) por ADR (R$)

(1,37)

(1,05)

2,61

3,93

(9,55)

(3,56)

Custos Operacionais (antes deprec./amortiz.) (5.434,1) (4.752,9) (1.622,2) (1.319,2)

(471,2)

(377,9)

Custo de Aquisição Médio por Usuário (R$/cliente)

RESULTADOS (R$ MILHÕES)

Margem EBITDA AÇÕES

FINANCEIRO (R$ MILHÕES) Investimentos

1.557,7 1.395,0

357,0

419,3

128,2

103,5

481,4 1.193,1

292,3

472,0

(37,6)

5,6

Empréstimos e Financiamentos

5.193,0 4.963,2

108,9

226,3

317,0

314,1

Dívida Líquida

4.481,0 3.809,2

770,4

704,2

344,1

257,2

1.276

1.357

351

376

Fluxo de Caixa Operacional

RECURSOS HUMANOS Nº de Colaboradores

14 | Relatório Anual 2005

4.258

4.217


Valdirene Cristina dos Santos, colaboradora da Vivo


4

Principais indicadores

RECEITA LÍQUIDA (R$ milhões) BASE TOTAL DE CLIENTES

12,29% 28,50%

2004

29.804.625

2005

7.341,0 7.473,2

26.542.840

20.655.862

2.210,5 2.271,5

1.927,0 2.078,0 1.174,3 1.182,3 487,0 561,8

dez/2003

dez/2004

dez/2005

tcp

tco

tle

tsd

TSD 2005

crt

CRT 2004

2005

2004

MERCADO Base de Clientes (em milhares) Adições Líquidas (em milhares)

4.740

4.376

3.387

3.215

363

668

172

692

Market Share (%)

42,6%

47,7%

48,3%

54,8%

Penetração (%)*

58,8%

49,1%

65,6%

55,2%

172

163

177

135

Churn Mensal (%)

2,5%

2,6%

1,8%

1,6%

Receita Média por Usuário (ARPU) (R$/cliente)

32,2

34,1

26,3

29,1

2.078,0

1.927,0

1.182,3

1.174,3

EBITDA

514,1

528,9

379,9

426,2

Lucro (Prejuízo) Líquido

111,2

92,8

129,3

182,0

Margem EBITDA (%)

24,7%

27,4%

32,1%

36,3%

Lucro (Prejuízo) por Ação (R$ por ação)

1,21

1,03

3,89

5,63

Lucro (Prejuízo) por ADR (R$)

1,21

1,03

N.A.

N.A.

(1.563,9) (1.398,1)

(802,4)

(748,1)

Custo de Aquisição Médio por Usuário (R$/cliente)

RESULTADOS (R$ MILHÕES) Receita Líquida

AÇÕES

FINANCEIRO (R$ MILHÕES) Custos Operacionais (antes deprec./amortização) Investimentos Empréstimos e Financiamentos Dívida Líquida

297,1

241,3

239,2

204,3

0

50,3

142,7

268,0

450,7

290,6

218,0

237,2

1.107

1.219

435

538

RECURSOS HUMANOS Nº de Colaboradores

16 | Relatório Anual 2005


EBITDA (R$ milhões) 2004

2005

LUCRO(PREJUÍZO) LÍQUIDO (R$ milhões)

2.588,1

2004

2.039,1 891,3

649,3 109,1

tcp

tco

528,9 514,1 90,6

tle

2005

(909,2) 426,2 379,9

tsd

crt

(490,1)

tcp

507,1 339,1

tco

(34,2) (92,1)

tle

92,8

111,2

tsd

182,0 129,3

crt

CUSTOS OPERACIONAIS TOTAIS (R$ milhões) 2004

2005

5.434,1 4.752,9

1.319,2

1.622,2

1.398,1

1.563,9 748,1 802,4

377,9 471,2

tcp

tco

tle

tsd

crt

Relatório Anual 2005

|

17


4

Principais indicadores

INVESTIMENTOS (R$ milh玫es) 2004 1.395,0

2005

1.557,7

419,3 357,0

tcp

103,5 128,2

tco

241,3 297,1

204,3 239,3

tsd

tle

crt

MARKET SHARE (em %) 2004

2005 54,8

51,4

51,3 45,2

48,3

47,7

45,5

42,6

42,3

31,8

tcp

18 | Relat贸rio Anual 2005

tco

tle

tsd

crt


Tatiana Megale, cliente da Vivo

Relat贸rio Anual 2005

|

19


5 Estratégia e investimentos Como forma de sustentar sua liderança no mercado nacional de telefonia celular, bem como assegurar um bom desempenho financeiro, a Vivo reorientou sua estratégia em 2005, fundamentada em três diretrizes: qualidade, desenvolvimento e rentabilidade. Com o foco no cliente, a

A estratégia tem como diretrizes

contatar a Vivo, receba um

prioridade da Vivo está na

fundamentais a busca e

atendimento altamente

satisfação e no atendimento

sustentação de:

qualificado, que se torne uma

de quem já optou pela marca,

experiência positiva para ele.

fazendo da qualidade da

Qualidade

prestação de serviços o seu

que a qualidade de seus serviços

Desenvolvimento

maior diferencial. Assim,

é e será seu principal diferencial

A Vivo ocupa uma posição de

dispensa a disputa irracional

competitivo. Para isso, investe na

vanguarda no setor e já coloca

de preços para a conquista de

ampliação da qualidade e da

à disposição dos seus clientes

novos consumidores em favor

cobertura colocadas à disposição

serviços de terceira geração

do estabelecimento de uma

dos clientes pessoas físicas e

celular. Assim, tem como

relação próxima e duradoura com

corporativos e na atualização de

prioridade o aperfeiçoamento

os clientes atuais, sem abrir mão,

sistemas, de forma a assegurar

de seus serviços e a ampliação

no entanto, da conquista de novos

que o usuário: consiga fazer uso

do uso deles entre os

usuários para a sua base, com o

de seus serviços no momento e

consumidores, sem abdicar

apoio de campanhas e atitudes

no local que desejar; receba a

de soluções inovadores.

que ressaltem diferenciais

cobrança pela prestação de

competitivos, como a tecnologia e

serviços no prazo e no valor

Rentabilidade

a abrangência dos serviços.

corretos; e, quando necessitar

O incremento da rentabilidade

20 | Relatório Anual 2005

A Vivo acredita


Karen Midori Guskuma, colaboradora da Vivo Empresas


5

Estratégia e investimentos INVESTIMENTOS (R$ milhões) TELESP CELULAR PARTICIPAÇÕES 2004

831

2005

1.558

1.395

933

TELE CENTRO-OESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES 2004

286

385

310

278 238

2005

419 251

357

109 106 redes

si/ti

outros

total capex

redes

outros

total capex

está atrelado à manutenção de

corporativa. O BSC considera

realizações, estimar seus

clientes de maior valor e,

quatro perspectivas: financeira,

impactos e acompanhar o seu

paralelamente, à redução de

clientes, processos internos e

desenvolvimento.

custos operacionais e ao aumento

crescimento e aprendizado. Cada

Durante o ano foram investidos,

da eficiência de processos.

área é responsável por elaborar e

pelas holdings que integram a

Um dos importantes ingredientes

conduzir projetos alinhados à

Vivo, mais de R$ 2 bilhões, com

é a conclusão dos projetos

estratégia corporativa, de forma a

maior volume aplicado a redes.

estruturantes, que estão

agregar valor aos negócios, aos

Os recursos foram direcionados,

unificando os sistemas de todas

clientes e aos acionistas.

principalmente, à consolidação e

as operadoras que integram

racionalização dos sistemas de

a Vivo. Além disso, são

Investimentos

informação; migração de TDMA

desenvolvidas campanhas

A avaliação de investimentos

para CDMA; manutenção da

internas para a racionalização do

passou por uma análise de

qualidade e expansão da cobertura

consumo dos recursos e é

processos. Com a consolidação

para acompanhar o avanço da

realizada uma criteriosa análise

do método e sua adaptação à

base de clientes; terminais e

de investimentos.

realidade da Vivo, hoje todas as

tecnologia para o atendimento

Para sustentar esses três pilares

áreas têm ciência da necessidade

do segmento corporativo;

estratégicos e garantir sua

de avaliação dos projetos com

reformas de pontos-de-vendas; e

aplicação, a Vivo utiliza o

relação ao seu alinhamento à

desenvolvimento de novos

conceito de Balanced Scorecard

estratégia corporativa e ao

serviços de transmissão de dados.

(BSC), que está disseminado nas

objetivo de retorno financeiro –

empresas e é empregado como

exceto no caso de investimentos

Redes

forma de verificar o andamento

para o cumprimento de obrigações

As prioridades estabelecidas para

dos planos de ação e a

legais ou regulatórias.

a área em 2005 foram dar

necessidade ou não de ajustá-los

Para a avaliação de investimentos,

continuidade à digitalização das

para o cumprimento de metas ou

são utilizados diferentes softwares

redes e à expansão da cobertura,

alinhá-los à estratégia

que permitem simular suas

de forma a assegurar a melhoria

22 | Relatório Anual 2005


TELE SUDESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES TELE LESTE CELULAR PARTICIPAÇÕES 2004

67 87 redes

2004

2005

2005

6 si/ti

6

30 36 outros

241

155 203

104 128

18 12 redes

total capex

si/ti

297

68 82 outros

total capex

de qualidade e, simultaneamente, CELULAR CELULAR CRT CRT PARTICIPAÇÕES PARTICIPAÇÕES

perseguir a redução de custos. As metas para o ano estavam

2004

2005

bem definidas, e foi estabelecido o critério de que nenhuma

154 179

despesa operacional corrente poderia sofrer acréscimo durante

redes

o ano. Para continuar a investir

204 239 50 60 outros

total capex

nas redes – o que incrementa o volume de recursos despendidos –

transmissão baixaram

Central – CTBC (23 municípios),

sem aumento de custo por

o custo de rede em 22%,

que foi concluído com êxito

cliente, a Vivo busca alternativas

nos últimos 12 meses.

em apenas três meses, período

para a criação de receita com

Ao plano original de expansão

em que 155 municípios

base na infra-estrutura já

de rede e cobertura que havia sido

foram atingidos.

instalada, como o aluguel de

delineado para 2005 foi adicionado

meios de transmissão e sites

o objetivo de alcançar 100% das

para outras operadoras.

cidades no Estado de São Paulo –

Tecnologia da Informação

O controle de despesas e as

incluindo aquelas localizadas na

Em 2005, os investimentos na

receitas adicionais com

área de concessão da Companhia

área de Tecnologia da Informação

aluguel de espaço e meios de

de Telecomunicações do Brasil

cresceram 27,0% em comparação ao registrado no final de 2004. Boa parte desse volume foi

Custo de Rede/Cliente e de Receita de rede Custo médio de REDE/Cliente Receita de Rede (R$x1000)

destinada para dar continuidade 2004

2005

2,7

2,1

32.267

43.717

a um conjunto de iniciativas que visa unificar as plataformas tecnológicas fundamentais para a operação.

Relatório Anual 2005

|

23


Carlos Renato Mazzola, colaborador da Vivo


6 Mercado de

telefonia celular A expansão da telefonia celular é um fenômeno mundial. Segundo dados da associação Wireless Intelligence, já são mais de 2 bilhões de usuários no mundo. No Brasil, nos últimos cinco anos, registrou-se um crescimento de 255,6%, o que significa a ativação de 59,3 milhões de linhas no período e um avanço médio de 29,1% a cada 12 meses. Em 2005, o mercado brasileiro

habitantes chegou a 46,6,

sinalizam rumar para uma

cresceu 31,4%, o que representa

enquanto em 2004 fechara em

estratégia de retenção em

86,2 milhões de linhas ativas no

36,6. O indicador revela o

lugar de priorizar a aquisição

final do ano, em comparação a

importante papel do setor para a

de consumidores.

65,6 milhões em dezembro de

universalização dos serviços

Por outro lado, o desempenho

2004. A habilitação de 20,6

de telecomunicações no País.

de 2005 foi sustentado por

milhões de terminais em 2005

Apesar do expressivo crescimento

fatores como a continuidade

configura um novo recorde.

na base de usuários, ele é

do crescimento econômico do

Com esse número de terminais

inferior ao registrado em 2004,

País, a queda do nível de

em operação, de acordo com

quando chegou a 41,5%.

desemprego, a recuperação da

estimativas do Computer

A retração decorre,

renda dos trabalhadores e, ainda,

Industry Almanac, o Brasil já

principalmente, da amplitude

a competição acirrada entre

figuraria na quinta posição no

da base, que começa a saturar o

as operadoras, o que manteve

ranking mundial do setor, ficando

mercado. O poder aquisitivo do

as barreiras de entrada

atrás apenas da China, dos

brasileiro é um fator que deve,

bastante baixas.

Estados Unidos, da Rússia e do

cada vez mais, inibir o

No final de 2005, segundo dados

Japão. Em 2005, o número de

incremento no número de

da Agência Nacional de

celulares para cada grupo de 100

clientes das operadoras, que já

Telecomunicações (Anatel),

Relatório Anual 2005

|

25


6

Mercado de telefonia celular

EVOLUÇÃO DA TELEFONIA CELULAR - BRASIL (milhões de unidades)

TECNOLOGIAS CELULAR UTILIZADAS BRASIL

86,2 51,7%

27,9%

gsm

cdma

65,6 46,4

20,2% tdma

34,9 28,7 23,2 2000

2001

2002

2003

2004

0,2%

2005

amps

as operadoras tinham capacidade

TDMA (inclusive em regiões

limitar o crescimento da

de prestar serviços a 88,5% da

atendidas pela Vivo) e há ainda

telefonia celular no Brasil.

população brasileira, que reside

0,17% de aparelhos analógicos.

A previsão é chegar à marca de

em 3,1 mil municípios cobertos

Os planos pré-pagos continuam

103 milhões de linhas ativas no

pelo Serviço Móvel Pessoal.

com larga vantagem nas bases de

final do próximo ano, o que

O número de municípios

clientes das operadoras, sendo

equivale a uma teledensidade de

abrangidos chega a 55,7% do

preferidos por 80,8% dos

56%. Espera-se que, em 2009,

total do País (dado de novembro,

brasileiros (69,7 milhões) que

sejam 121 milhões de usuários e

divulgado pela Anatel).

possuem celular, o que

uma densidade celular de 63%.

A Vivo é líder no mercado

representa um crescimento

brasileiro de telefonia celular,

de 0,3 ponto percentual em

com uma participação estimada

comparação a 2004. Esses planos

Ambiente regulatório

em 34,5% no final de 2005.

dispensam o pagamento de uma

O ano de 2005 foi marcado por

É a única operadora a utilizar

conta mensal, característica que

algumas pendências em relação

a tecnologia CDMA, considerada

se adapta ao perfil

ao cenário regulatório do setor

a base para a terceira geração

socioeconômico de grande parte

de telefonia celular.

da telefonia móvel pela

da população. O segmento

Um dos eventos importantes

União Internacional de

pós-pago responde por 19,2%

do ano foi o lançamento da

Telecomunicações, e que equipa

das linhas ativas no Brasil

Consulta Pública 642, que propõe

27,9% dos terminais em operação

(16,5 milhões de clientes).

alterações no Regulamento,

no País. A tecnologia GSM, com

A Vivo trabalha com a

no Plano Geral de Autorizações

51,7% dos terminais, é oferecida

expectativa de que o mercado

e no Regulamento de Numeração

por sete empresas. Parte das

ainda estará bastante aquecido

do Serviço Móvel Pessoal (SMP),

linhas em funcionamento

em 2006, apesar dos fatores

e cujo resultado será conhecido

(20,2%) utiliza a tecnologia

socioeconômicos que podem

em 2006. Mais de 700 propostas

26 | Relatório Anual 2005


PARTICIPAÇÃO DE MERCADO POR EMPRESA - BRASIL DEZEMBRO DE 2005 Fonte: Anatel

34,5%

23,4%

21,6%

12% 5,3% Vivo

Tim

Claro

Oi

2,6%

Telemig Brasil Celular/ Telecom Amazônia GSM Celular

0,5%

0,1%

Ctbc Celular

Sercomtel Celular

foram apresentadas pelo público

uso da rede móvel), valor

prestar esclarecimentos sobre a

e pelas operadoras do setor.

recebido nas chamadas

qualidade dos serviços.

Há mudanças que, se postas em

fixo-móvel, cuja negociação

Em 2005, não ocorreu a prevista

prática, podem ter impactos

passou a ser feita livremente

extinção do Bill&Keep Parcial

significativos nas operadoras,

entre as operadoras de telefonia

para dar lugar ao Bill&Keep

como ampliação da validade dos

fixa e móvel.

Pleno. A Anatel adiou a mudança

créditos pré-pagos; revalidação

Com impasse na negociação,

por tempo indeterminado.

dos créditos expirados com a

na metade do ano a Anatel

Há interesse em eliminar o

inserção de novos créditos;

homologou um acordo provisório,

Bill&Keep. O Bill&Keep Parcial,

devolução de valores pagos

admitindo reajuste de 4,5% para

que ainda vigora, estabelece

indevidamente, em dobro e

as chamadas locais, ficando

o pagamento de interconexão

com correção monetária;

pendente de homologação o

entre operadoras do SMP somente

direito à manutenção do número

reajuste nas chamadas de longa

quando o tráfego na mesma

telefônico na mudança de

distância, cujo acordo com as

área de registro (VC1) exceder

tecnologia pela prestadora ou na

operadoras somente foi concluído

55% em favor de uma delas.

mudança do plano de serviços

em dezembro.

No final do ano, a Anatel

(de pós-pago para pré-pago e

O ano foi marcado, ainda, por

anunciou que passaria a cobrar

vice-versa); eliminação dos

uma fiscalização mais intensa

o Fundo de Universalização

prazos de carência nos planos

da Anatel em relação aos

dos Serviços de Telecomunicações

de serviço; obrigatoriedade de

indicadores de qualidade do

(FUST) também sobre as

atendimento presencial por

Serviço Móvel Pessoal.

tarifas de interconexão

município atendido etc.

Aconteceram, também,

e de forma retroativa a 2001.

Outra matéria que mereceu

audiências públicas, na Câmara

As operadoras já recorreram

atenção no ano foi o reajuste da

dos Deputados, em que as

administrativamente

VU-M (valor de remuneração pelo

operadoras foram chamadas a

contra a decisão.

Relatório Anual 2005

|

27


7 Desempenho operacional

A Vivo atua comercialmente em 19 estados e no Distrito Federal, nos quais estão situados 3.592 municípios e residem 134,5 milhões de pessoas, o que equivale a 73,0% do total da população brasileira e a aproximadamente 83% do Produto Interno Bruto (PIB). Nessa área, a penetração da telefonia celular chega a 47,6 em 100 habitantes. Está presente tanto no Distrito Federal, que apresenta a maior densidade celular do País (115,5%, em dezembro), como no estado com a menor teledensidade – o Maranhão, com 17,1%. Nota: Os valores de população informados acima referem-se a estimativa de população de julho/2005, fornecida pelo IBGE. A população total do Brasil considerada foi de 184,2 milhões de habitantes. Participação no PIB estimada com base na publicação Síntese Brasil do IBGE, com dados referentes a 2003.

A Vivo, a maior operadora de

A Vivo oferece suas soluções

transmissão de dados com

telefonia móvel do Hemisfério

para os clientes tanto pessoa

velocidade de até 2,4 Mbps –

Sul, manteve em 2005 sua

física como jurídica. Os

aproximadamente dez vezes mais

liderança no segmento de

diferenciais para atraí-los e

rápida do que uma conexão via

telefonia celular brasileiro, com

retê-los são o uso da tecnologia

banda larga comum.

um share de 34,5% no final do

CDMA e um amplo portfólio de

Com a inovação, pôde colocar no

ano, com aproximadamente 30

produtos e serviços,

mercado novos serviços, como a

milhões de clientes em sua base,

constantemente revisado,

transmissão de televisão, ao vivo,

o que representou uma evolução

adaptado e ampliado, capaz

por meio dos terminais celulares.

de 12,3% em comparação a 2004.

de suprir os desejos e as

Desde que foi lançada, em julho

Isso representa uma vantagem de

necessidades dos usuários.

de 2005, a tecnologia EV-DO já

aproximadamente 10 milhões de

Em 2005, lançou a rede com a

atraiu 35 mil clientes, com a

clientes em relação à vice-líder

tecnologia EV-DO, de terceira

oferta de 11 terminais telefônicos

do mercado nacional.

geração, que permite a

adequados à tecnologia.

28 | Relatório Anual 2005


A Vivo realizou, ao longo de 2005, um série de campanhas para estimular a aquisição de terminais EV-DO, bem como de pacotes de dados.

Base de clientes Em 2005, todas as holdings que compõem a Vivo registraram incremento nas suas bases de clientes. Juntas, no final do ano, elas prestavam serviços a 29,8 milhões de usuários de telefonia celular no País, o que representa um avanço de 12,5% em comparação com 2004. O crescimento na base reflete a eficiência da estratégia de investir em cobertura, inovação, qualidade de serviços e de manter elevada relação custo/benefício para os seus clientes.

Renato Roberto Cuoco, vice-presidente sênior do Banco Itaú: cliente da Vivo


7

Desempenho operacional

ATUAÇÃO DA VIVO

RR

AP

AM

AC

PA

MA

TO

RO

SE

BA

MT GO

ES

MS SP

Área de autorização Vivo

RJ

PR

A Vivo atende a essas regiões por meio de acordos de roaming

SC RS

30 | Relatório Anual 2005


mar

Mercado Individual

abr

jun

jul

out

nov

29.804.625

set

29.154.597

ago

28.948.908

28.555.083

28.446.016

28.155.115 mai

28.841.532

fev

28.791.581

26.732.394

jan 2005

27.476.004

26.678.220

dez 2004

26.958.523

26.542.840

EVOLUÇÃO DA TELEFONIA CELULAR – BRASIL (milhões de unidades)

dez 2005

minutos, para captar clientes

Simplicidade: trabalhar

com mais potencial de valor.

a atratividade com simplicidade,

Os clientes pessoa física são

evitando impactos na estrutura

segmentados em três grandes

Fidelização:

grupos, de acordo com seus

clientes que se mantêm na base

hábitos de uso e de consumo

da operadora, por meio de

dos serviços – Varejo, Jovens

política de trocas.

benefícios a

operacional.

Mercado Corporativo O atendimento às corporações

e Clientes de Alto Valor –, o que permite captar e fidelizar

Rentabilidade: benefícios

é feito por intermédio da Vivo

clientes de acordo com as

condicionados à realização de

Empresas, uma unidade de

necessidades específicas

recargas de pré-pagos mensalmente

negócios criada em novembro

de cada perfil. Como diretrizes

e à adimplência no pós-pago desde

de 2003. A Vivo é líder no

estratégicas com relação

o primeiro mês.

segmento empresarial em sua área de atuação, com 44% de market

aos clientes individuais, a Vivo adota:

CSP 15: estímulo ao uso do

share estimado entre empresas.

Código de Seleção de Prestadora

Um dos diferenciais competitivos

Captação seletiva:

15 nas ligações de longa

é o portfólio de serviços,

ações com foco em clientes que

distância de Vivo para Vivo.

que cresce permanentemente

deixaram outras operadoras,

e apresenta soluções cada vez

prioridade à venda de

Degustação de SVAs:

mais inovadoras.

equipamentos middle/high e

criar o hábito de uso de serviços

No mercado corporativo, a

descontos atrelados a planos de

de valor agregado.

combinação entre a prestação

Relatório Anual 2005

|

31


7

Desempenho operacional

de serviços com qualidade e a

perfil de corporação, a

A digitalização veio acompanhada

preços justos é o fator

segmentação considera:

de um incremento significativo

determinante para a conquista e

Contas Globais, Contas

de municípios abrangidos, com

manutenção de contas. No final

Estratégicas, PMEs,

evolução de 17,5%, ou 329

de 2005, a base de clientes era

Associações, SoHo.

cidades, que agora totalizam

integrada por 249,4 mil empresas, de todos os portes, o que representa um acréscimo de 19% em relação a 2004. Em 2005, houve um acréscimo de 276,1 mil no número de linhas ativadas, totalizando 1,84 milhão, um avanço de 17% em comparação ao ano anterior. Como forma de aproximar-se dos clientes, a Vivo desenvolve atividades como workshops, em que demonstra a funcionalidade de suas soluções, e participação em eventos, como feiras e exposições. (*) Total de municípios atendidos dentro da área de autorização da Vivo. Considerando o acordo de roaming com a CTBC, a Vivo passa atender mais 28 municípios, totalizando 2.237.

Além disso, aposta em

2.209*. Com esse avanço, as

Segmentação da base No final de 2005, a Vivo mantinha 5,7 milhões de clientes pós-pagos, o que representa 19,3% de sua base e aproximadamente 34,5% dos usuários dessa modalidade no País (são, entre todas as operadoras, 16,5 milhões de pessoas). Os outros 80,7% da base das holdings da Vivo correspondem ao segmento pré-pago, o que equivale e 24,1 milhões de linhas ativas.

patrocínios como forma de divulgar sua marca, a

operadoras que compõem a Vivo atingem 90,4% da população residente em sua área de atuação e 61,5% dos municípios. Além disso, sua rede cobre um total de 40,7 mil quilômetros das principais rodovias. No final de 2005, a tecnologia CDMA 1xRTT já estava à disposição dos clientes de 1.746 municípios brasileiros, o que representa 79% do total de atendidos. O ano registrou ainda o lançamento de trechos de rede que utilizam a tecnologia CDMA EV-DO, de terceira geração. Foram instaladas 344 portadoras,

setor automobilístico e do

Digitalização e cobertura

Brasil 1, embarcação que

A Vivo concluiu em 2005 a

Salvador, Brasília, Vitória,

participa do Volvo Ocean Race.

digitalização de 100% das redes.

Florianópolis e Porto Alegre.

Para realizar um atendimento

No final de 2004, as redes eram

Um dos destaques do ano foi o

diferenciado e alinhado

analógicas em 10% das 1.880

alcance de cobertura nos 622

às necessidades de cada

cidades até então atendidas.

municípios do Estado de São

exemplo de atividades no

32 | Relatório Anual 2005

contemplando as cidades de São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro,


Paulo com a rede CDMA 1xRTT

municípios brasileiros e a

de roaming para prestar serviços

e mais 23 municípios referentes

ampliação da cobertura. A Vivo

em 170 países com a tecnologia

ao acordo de roaming com a

quer assegurar aos clientes a

CDMA. São acordos bilaterais,

CTBC, totalizando os 645

maior abrangência de sinal

em que a Vivo é remunerada

municípios que compõem o

entre as operadoras, ou seja,

pelo uso de sua rede.

estado. Já estavam 100%

estar sempre à frente dos

Em 2005, em parceria com

cobertos os estados do Rio

demais competidores do seu

a Motorola, foi anunciado

de Janeiro e do Espírito Santo.

mercado de atuação. Pretende,

o lançamento do Global Moto,

Na região Centro-Oeste/Norte, a

ainda, atender mais áreas

terminal capaz de operar

tecnologia CDMA chegou a 497

com a tecnologia EV-DO,

com duas tecnologias. Com isso,

municípios cobertos, o que

ampliando o número de

os clientes podem usar seu

representou um incremento de

capitais com a cobertura.

próprio aparelho e número

16% em relação ao último ano.

No final de 2005, a Vivo possuía

quando estão fora do País.

No Rio Grande do Sul, o

9.876 Estações Rádio-Base

O roaming automático acontece

destaque foi a ampliação

em operação.

em 170 diferentes países.

da rede CDMA 1xRTT para todos

No que se refere à rede

Para aqueles que não optarem

os 343 municípios atendidos.

de comutação, em dezembro

pelo Global Moto e viajam para

E no Paraná e em Santa

2005, existiam 143 centrais

países em que não há redes

Catarina, a ampliação da rede

na Vivo.

CDMA, a Vivo empresta o kit

CDMA 1xRTT, que passou a

Vivo no Mundo VIP, constituído

atender mais 118 localidades,

Roaming

por aparelho com tecnologia

totalizando 408 municípios

A empresa também mantém

compatível à utilizada no país

atendidos – em 62 localidades

acordos de roaming nacional que

visitado, sem custo adicional

somente a Vivo presta serviços.

asseguram a prestação de serviço

para o cliente, que pode

Na Bahia e em Sergipe, todos

fora dos estados abrangidos na

utilizar o mesmo número

os municípios atendidos

área de atuação. Em 2005, firmou

de seu celular no Brasil.

já podem usufruir a

acordo com a TIM para permitir

A empresa mantém, ainda,

tecnologia CDMA 1xRTT.

que os clientes operem em

um plano simplificado de tarifas

Para 2006 está definida a

roaming em Minas Gerais

internacionais, oferecendo

continuidade de ampliação

e no Nordeste brasileiro.

preços competitivos em relação

da rede CDMA 1xRTT para mais

Também mantém acordos

à concorrência.

Relatório Anual 2005

|

33


7

Desempenho operacional

Adições líquidas

adições líquidas; e Celular CRT

Decorreu da opção da marca

Churn

de não brigar por novos clientes a qualquer custo e priorizar a retenção e a conquista de consumidores de maior valor agregado o fato de todas as empresas que compõem a Vivo terem registrado declínio no que se refere às Adições Líquidas no ano. No entanto, em três holdings elas cresceram significativamente no segmento pós-pago. Na Tele Sudeste Celular Participações, onde

Participações, 172 mil.

Em 2005, na Telesp Celular Participações, o indicador permaneceu estável em 1,6%. Já a Tele Sudeste Celular Participações, a Tele Leste Celular Participações e a Tele Centro-Oeste Celular Participações registraram, respectivamente, 2,5%, 2,8% e 1,6%. A Celular CRT Participações registrou média de 1,8%.

foram registradas 363 mil

pós-pago em relação a 2004.

Minutos de uso por usuário (MOU)

Na Tele Leste Celular

Com exceção da TLE, em que

Participações, 156 mil adições

se manteve estável, a média

líquidas ocorreram no período e

de Minutos de Uso por Usuário

avanço de 1.417,2% nas adições

caiu em 2005, principalmente

de pós-pagos. Na Telesp Celular

em razão do segmento pré-pago,

Participações, foram 2.570 mil

que sofre os impactos da redução

adições líquidas e ampliação de

no tráfego fixo-móvel.

95,5% no segmento pós-pago

Na TCP, o MOU consolidado

A Tele Centro-Oeste Celular

(pós-pagos + pré-pagos) foi

Participações registrou 995 mil

de 75 minutos, com redução

adições líquidas, houve crescimento de 110,3% no que se refere ao segmento

34 | Relatório Anual 2005


de 14,5% em relação a 2004.

foi de 9,5%, com média de R$ 26,3

Na TCO, a queda foi de 15,7%,

por mês. Na TLE e na TSD, os

com o indicador fechando o ano

valores médios mensais foram de

em 73 minutos. Na CRT,

R$ 28,5 e R$ 32,2, respectivamente,

os 68 minutos em média

com redução de 2,1% e 5,7% em

representaram diminuição

comparação com 2004.

de 14,8% em comparação com o ano anterior. Na TLE a MOU foi de 89 minutos, mantendo-se igual à de 2004, enquanto na TSD houve redução de 7,0%, totalizando 92 minutos.

SAC Em relação ao SAC (custo de aquisição por cliente), todas as holdings registraram acréscimo no ano, o que reflete um aumento em comissões e publicidade, mantendo-se ao mesmo tempo os

ARPU

esforços para retenção de clientes,

Todas as holdings registraram,

especialmente os de média

no ano, uma diminuição na

e alta gamas. O resultado decorre,

Receita Média por Cliente, que decorre de fatores como a redução

Fouad de Freitas Ghosn, consultor de Relacionamento da Vivo

ainda, das condições de competição de mercado em 2005

do ARPU entrante e do tráfego

e do lançamento de campanhas

fixo-móvel e ainda reflete o Bill &

personalizadas direcionadas ao

Keep Parcial e os programas de

pós-pago e à migração de

adequação ao perfil dos clientes,

tecnologia. Na TCP, o SAC foi

como o Vivo Ideal, de client care e

de R$ 146,0 (7,0% a mais do

das campanhas de fidelização.

que em 2004); na TCO, chegou a

Na TCP, a média registrada em 2005

R$ 129,0 (avanço de 19,0%); na

foi de R$ 28,2 por mês, queda de

CRT a R$ 177,0 (evolução de 31,5%

15,5% em relação a 2004. Na TCO, o

em relação a 2004); na TLE

indicador ficou em R$ 25,9, 19%

R$ 129,0 (crescimento de 4,7%

abaixo dos R$ 32,0 do período

no ano) e na TSD a R$ 172,0

anterior, enquanto na CRT a queda

(acréscimo de 5,5% no ano).

Relatório Anual 2005

|

35


7

Desempenho operacional

Desempenho operacional

2005

Total de assinantes (mil)

20.201

17.631

14,6%

6.815

5.820

17,1 (%)

Pós-Pago

3.116

2.845

9,5%

970

945

2,6%

Pré-Pago

17.085

14.786

15,5%

5.845

4.875

19,9%

Market Share (*)

45,2%

51,4%

-6,2 pp

45,5%

51,3%

-5,80 pp

Adições líquidas (mil)

2.570

4.330

-40,6%

995

1.708

-41,8%

Pós-Pago

270

138

95,5%

25

(4)

n.d.

Pré-Pago

2.300

4.192

-45,1%

970

1.712

-43,3%

Market Share de adições líquidas (*)

24,8%

40,0%

-15,2 pp

45,5%

51,3%

-5,8 pp

Penetração de Mercado (*)

49,3%

39,2%

10,1 pp

44,0%

34,8%

9,2 pp

146

136

7,0%

129

108

19,0%

Churn mensal

1,6%

1,6%

0,0 pp

1,6%

2,0%

-0,4 pp

ARPU (em R$/mês)

28,2

33,4

-15,5%

25,9

32,0

-19,0%

Pós-Pago

90,1

89,7

0,4%

83,7

84,2

-0,6%

Pré-Pago

15,5

19,7

-21,3%

13,5

16,9

-20,2%

75

88

-14,5%

73

87

-15,7%

Pós-Pago

226

219

3,1%

221

208

6,2%

Pré-Pago

45

58

-22,3%

43

55

-21,0%

4.258

4.217

1,0%

1.276

1.357

-6,0%

SAC (R$)

MOU total (minutos)

Empregados

TCP 2004

TCO Variação

2005

2004

Variação

Rede de distribuição

próprios, sendo 201 na TCP

capazes de comercializar

(inclui TCO), 51 na TSD, 26 na

serviços e aparelhos (5.538

TLE e 34 na CRT. A Loja Virtual

pontos na TCP, 884 na TSD,

A Vivo direcionou, em 2005, a

estava presente em todas as

424 na TLE e 1.111 na CRT).

maior parte dos investimentos e

holdings, com exceção da TCO,

As recargas de créditos para

esforços à padronização dos seus

em que estava restrita ao

pré-pagos estavam disponíveis

pontos-de-venda. Essa prioridade

Distrito Federal. O Televendas

em 231.042 pontos-de-venda

está alinhada à estratégia

estava ativo na TCP (Telesp

(147.585 na TCP, 40.767 na TSD,

comercial de conquistar a

Celular e Global Telecom), na

16.725 na TLE e 25.965 na CRT),

fidelidade dos clientes, tornando

TSD e na TLE. Adicionalmente,

como lojas próprias, agentes

uma experiência positiva todos os

possuía uma eficiente rede de

credenciados, lotéricas,

contatos do público com a marca.

credenciados – varejo e revendas

distribuidores de cartões físicos e

Em 31 de dezembro de 2005, a

–, com 7.957 pontos de

distribuidores virtuais, tais como

Vivo possuía 312 pontos-de-venda

atendimento (51% exclusivos)

pequenos lojistas, farmácias,

36 | Relatório Anual 2005


TLE 2005

TSD

2004

Variação

2005

2004

CRT Variação

2005

2004

Variação

1.477

1.320

11,9%

4.740

4.376

8,3%

3.387

3.215

5,3%

323

292

10,8%

1.476

1.259

17,2%

829

788

5,2%

1.154

1.028

12,2%

3.264

3.117

4,7%

2.558

2.427

5,4%

31,8%

42,3%

-10,5 pp

42,6%

47,7%

-5,1 pp

48,3%

54,8%

-6,5 pp

156

194

-19,4%

363

668

-45,6%

172

692

-75,2%

30

2

1.417,2%

217

103

110,3%

41

101

-59,4%

126

192

-34,4%

147

565

-74,0%

131

591

-77,9%

10,3%

18,1%

-7,8 pp

18,7%

40,5%

-21,8 pp

15,2%

41,8%

-26,6 pp

29,2%

20,2%

9,0 pp

58,8%

49,1%

9,7 pp

65,6%

55,2%

10,4 pp

129

123

4,7%

172

163

5,5%

177

135

31,5%

2,8%

2,9%

-0,1 pp

2,5%

2,6%

-0,1 pp

1,8%

1,6%

0,2 pp

28,5

29,1

-2,1%

32,2

34,1

-5,7%

26,3

29,1

-9,5%

77,4

74,5

3,9%

71,3

73,5

-3,0%

65,9

66,8

-1,3%

13,5

13,8

-2,2%

14,8

16,5

-10,1%

12,3

15,1

-18,3%

89

89

-0,5%

92

99

-7,0%

68

80

-14,8%

231

193

19,9%

194

195

-0,4%

159

157

1,1%

46

53

-13,8%

47

55

-14,5%

37

52

-28,4%

351

376

-6,6%

1.107

1.219

-9,2%

435

538

-19,1%

bancas de jornal, livrarias,

de recursos para a qualificação

criados comitês de qualidade

padarias, postos de gasolina,

no atendimento aos

em cada uma das regionais

bares e restaurantes. Recargas

consumidores estão refletidos

– com a participação de

eletrônicas também podiam ser

nos resultados do cumprimento

representantes das áreas

feitas por meio de diversos

de metas de qualidade

de Operação, Engenharia,

bancos. As vantagens desse

estabelecidos pela Anatel. Um

Planejamento e Qualidade

procedimento estão na maior

dos objetivos em 2005 era fazer

de Rede –, ligados a um comitê

facilidade e conveniência para o

com que as 14 operadoras que

nacional, que estabelece

público e na redução de custos.

integram a Vivo ficassem

os objetivos e a política

classificadas entre as 20

de melhoria de qualidade.

primeiras do Ranking Nacional

Em dezembro, 11 das

Metas de qualidade

das Operadoras de Serviço Móvel

operadoras Vivo estavam

Os avanços promovidos em

Pessoal. Para o desenvolvimento

classificadas entre as 20

redes e sistemas e a destinação

de ações nesse sentido, foram

melhores, no ranking Anatel.

Relatório Anual 2005

|

37


Alberto Scarpiones Souza, Representante de Vendas de Loja Pr贸pria da Vivo


8 Relacionamento com clientes

Com a maior base de clientes do Brasil, conquistada com a oferta de um serviço qualificado e abrangente, a Vivo dedica atenção especial ao relacionamento com os consumidores que já utilizam suas soluções. Essa postura está alinhada à estratégia de negócios, que dá prioridade à retenção e conquista da fidelidade de quem optou pela marca e de clientes de alto valor – independentemente do segmento pós ou pré-pago. Nesse sentido, mantém abertos diversos canais para o diálogo com os consumidores e busca o aperfeiçoamento de seus sistemas de informação e das equipes que fazem o contato com os clientes.

Call Center Para atender às demandas

Call Center Campinas: atende a todo o

dos seus clientes – o que

Estado de São Paulo.

e a eliminação de dúvidas sobre

Call Center Londrina: Santa Catarina,

soluções, produtos e campanhas

Paraná e interior de São Paulo.

demandas que não puderam ser call centers no primeiro contato. Anteriormente pulverizada em duas unidades da capital paulista, a estrutura foi

–, a Vivo mantém quatro estruturas de call center.

são repassadas todas as solucionadas pelos agentes dos

inclui, por exemplo, o recebimento de reclamações

office em São Paulo, para onde

Call Center Goiânia: atende aos clientes do Rio Grande do Sul e dos estados da

centralizada em um único prédio, no bairro da Barra Funda.

Call Center Salvador: atende Bahia,

Região Centro-Oeste/Norte em que a Vivo presta serviços.

Projeto Cliente Vivo

Sergipe, Rio de Janeiro e

Além dessas estruturas de call

Em 2005, teve início o Projeto

Espírito Santo.

centers, a Vivo mantém um back

Cliente Vivo, que pretende

Relatório Anual 2005

|

39


8

Relacionamento com clientes

contribuir para minimizar as

de Integração e Melhoria, a

causas de reclamações de clientes

Diretoria de Relacionamento com

e que possibilitou uma redução

Clientes e a Vice-Presidência de

de 15% no índice de incidências

Tecnologia e Redes, um portal que

repassadas ao back office.

atualiza diariamente as

Coordenado pela Diretoria de

informações sobre as reclamações

Integração e Melhoria, o trabalho

de clientes repassadas para o back

Núcleo Nacional de Operações de Negócios Individuais

é desenvolvido em parceria com

office. Antes do portal, os dados

Em 2005 consolidou-se, na

diversas áreas da Vivo, para que

eram computados pela Diretoria

Diretoria de Clientes, o Núcleo

as demandas dos consumidores

de Relacionamento com Clientes e

Nacional de Operações de

sejam analisadas por profissionais

repassados uma vez por mês.

Negócios Individuais, em que

dos setores envolvidos em cada

As informações que abastecem o

estão concentradas as ações

reclamação. As informações

portal são obtidas diretamente

ativas de aquisição,

fornecidas pela Diretoria de

dos sistemas de atendimento das

rentabilidade, retenção e

Relacionamento com os Clientes

empresas em todo o País e

fidelização. O Núcleo conta com

subsidiam a consolidação e o

permitem, além da análise dos

uma infra-estrutura que

monitoramento dos indicadores,

problemas, traçar planos para

compreende 1.500 Postos de

que são compartilhados entre

corrigi-los, preveni-los ou, ainda,

Atendimentos e que realiza, em

todos os envolvidos no projeto.

identificar oportunidades de

média, 2.300.000 contatos

Também são apresentados

melhoria. Além da velocidade no

saintes/mês, assim como os

detalhes sobre os impactos que

repasse das informações, o portal

núcleos receptivos de retenção

os problemas mencionados têm

permite o seu detalhamento

(Save Team) e de fidelização.

sobre o custo do atendimento.

(é possível ter dados sobre uma

O Save Team registrou uma

Mensalmente acontecem reuniões

reclamação específica), além da

melhora de 8,4 p.p. no ano,

com os integrantes do Comitê

visualização de acordo com

alcançado um índice de retenção

de Reclamações dos Clientes,

diferentes critérios, como, por

de 84,6%, motivado pela

além de encontros periódicos

exemplo, tipo de reclamação,

substituição gradual das ofertas

entre gestores representantes

regional em que foi feita etc.

de bônus por ofertas de

do back office.

Com a automação do processo há,

blindagem (aparelhos e planos),

Como parte do Projeto Cliente

ainda, maior credibilidade,

garantindo maior qualidade de

Vivo, foi lançado em 2005, por

precisão e eliminação de riscos de

retenção e a centralização física

meio da parceria entre a Diretoria

erros na consolidação dos dados.

de todas as operações em

40 | Relatório Anual 2005


São Paulo, o que contribuiu

com especificações para a Vivo

clientes quando entram em

para introdução de uma gestão

e permite o compartilhamento

contato com o call center, que é

alinhada com os objetivos.

das informações sobre os clientes

a necessidade de selecionar entre

a partir de uma base

várias opções oferecidas pela

Projeto de Redução de Tranferências

de dados única.

Unidade de Resposta Audível

Essa característica traz vantagens

(URA). Agora, com a voz, o

qualitativas, como a possibilidade

usuário indica o número de seu

de transferência de ligações

telefone e faz a solicitação do

A Vivo adotou o projeto em

entre os diferentes call centers,

serviço desejado. Em casos de

2005, com o objetivo de reduzir

no caso de um deles estar

sobrecarga de ligações, a Vivo

a transferência de chamadas

sobrecarregado. Como utilizam

pode acionar novamente a URA

de clientes para outra área

a mesma interface, os

para promover o atendimento

de atendimento, o que resultou

colaboradores dos centros

aos consumidores.

em uma redução do

de atendimento podem passar

Destacam-se a expansão da URA

indicador de 4,5%.

por um treinamento-padrão

de promoção e cadastramento de

e conseguem atender aos

pré-pago, a intensificação

Qualificação

consumidores de todo o Brasil

do canal de recarga *7000, a

A Vivo investe constantemente

com a mesma eficiência e

reformulação da URA de recarga

para qualificar a atuação

qualidade. O front office favorece

Bradesco, a introdução nacional

de seu Serviço de Atendimento

a redução do tempo demandado

da URA de recarga via Banco 24

ao Cliente. Com esse objetivo,

para o atendimento e o acesso

Horas e a ampliação dos

lançou mão de uma série

às informações.

terminais de auto-atendimento

de ações em 2005. Um dos

Houve a padronização de dados

da Vivo nas lojas próprias.

principais avanços do ano

cadastrais dos clientes, com a

Também visando contribuir para

foi a consolidação da solução

eliminação ou preenchimento

facilitar o acesso dos clientes à

de front offices nas regionais

de informações, que atingiu

sua central de atendimento, a

São Paulo, Rio Grande do Sul

o registro de mais de 12 milhões

Vivo optou por um número único

e Paraná, o que faz parte

de consumidores.

de acesso ao call center via

de um projeto para adotar

Outra inovação foi a introdução

celular, que é o *Vivo (*8486).

um sistema único entre as

do Agente Virtual em todas as

Foram criadas ilhas de

operadoras. Batizado de VivoNet,

regionais, o que eliminou uma

atendimento às lojas próprias,

ele foi desenvolvido de acordo

característica indesejada pelos

que dão suporte aos funcionários

Relatório Anual 2005

|

41


8

Relacionamento com clientes

que trabalham nos pontos-de-

formas, entre elas o apoio para

(CRM – Costumer Relationship

venda, contribuindo para a

a continuação dos estudos, com

Management) fornecem subsídios

solução de possíveis problemas.

o subsídio de parte das

para a formulação de políticas e

Mais um avanço foi a gravação de

mensalidades de cursos – como

estratégias para a aquisição ou

100% das chamadas. Dessa forma,

os de graduação.

retenção de clientes na base ou

a Vivo pode recorrer às ligações

Em 2005 foi criado o posto de

para a oferta de produtos e

registradas para solucionar

consultor de relacionamento para

serviços adequados ao perfil de

dúvidas em relação aos contatos

atender clientes de alto valor e

uso desses clientes.

com os clientes. Em cada contato

pós-pago. O consultor de

A Vivo pratica a gestão do ciclo

com o call center, o cliente é

relacionamento se dedica a

de vida do cliente (CLM – Client

avisado de que, no final da

solucionar possíveis problemas

Lifecycle Management),

ligação, pode atribuir uma nota

manifestados por esses clientes no

desenvolvendo campanhas

ao atendimento prestado.

menor tempo possível. O usuário

segmentadas e de caráter

Além disso, a Vivo conta com

com esse perfil, quando entra em

experimental, que podem

pesquisas da empresa

contato com a Vivo, é atendido

posteriormente ser estendidas

especializada Indicator GFK.

por um consultor exclusivo.

para outros consumidores. Essa

Destaca-se, também, o

Com a intenção de aprimorar o

prática possibilitou ganhos de

mapeamento de desempenho

atendimento ao segmento

mais de R$ 150 milhões no ano.

de cada um dos atendentes.

corporativo, foi criada, em 2005,

Ao todo, foram avaliadas 350

O acompanhamento de

a Divisão Nacional de Clientes

idéias, das quais 111 foram

indicadores individuais, como

Empresas, que, combinada à

lançadas e 60 levadas a público.

tempo de atendimento, resolução

unificação de operações de back

Para se ter uma idéia de

de problemas etc., permite

office, relacionamento com o

resultados do CLM, são elaboradas

identificar e encaminhar os

cliente, retenção, CRI, dados e

mensalmente mais de 150 listas

operadores para programas de

missão crítica em um único site,

de clientes a serem abordados.

reciclagem e qualificação.

contribuiu para incrementar os

Também foram adotadas medidas

resultados no meio empresarial.

Risco Em 2005, foi introduzida a

para reduzir o turnover, uma vez que a manutenção dos operadores

CRM/CLM

ferramenta Vivo Score, utilizada

representa mais conhecimento

As informações armazenadas no

no atendimento aos clientes. Ela

sobre o negócio e qualidade no

sistema de gerenciamento do

possibilita avaliar o nível de risco

atendimento. Isso se dá de várias

relacionamento com os clientes

de inadimplência do usuário e a

42 | Relatório Anual 2005


Maria Fernanda Mancini, coordenadora de Atendimento da Vivo


8

Relacionamento com clientes

oferta de soluções adequadas

comandos de voz, o que

para o seu perfil, o que contribui

permite mais facilidade

para a queda nas fraudes e nos

de uso por parte de

contingenciamentos.

deficientes visuais.

Saúde Durante os treinamentos, os operadores recebem informações referentes às emissões

Atendimento a deficientes

eletromagnéticas e a sua relação

Um call center especial para o

Gerenciamento da privacidade do cliente

atendimento a portadores de

Ao ingressarem na Vivo, os

com perguntas e respostas

deficiência auditiva de

operadores de call center

sobre o tema.

São Paulo e do Rio de Janeiro

participam de palestra

foi criado em 2005.

sobre Segurança e

A ligação de pessoas com esse

Confiabilidade das Informações,

perfil, feita de aparelhos TDD

ministrada pela área de

(Telephone Device for Deaf)

Segurança das empresas

para um número 0800 colocado

fornecedoras. Todas as

à disposição pela Vivo,

informações e procedimentos são

é transferida automaticamente

alinhados com a Política de Ética

para um TDD interno,

e Conduta da Vivo, e após o

estabelecendo-se a comunicação

treinamento, o colaborador

por texto com o usuário.

assina um Termo de Normas e

Os colaboradores que atendem

Condutas Éticas. Além disso, a

aos deficientes auditivos

Diretoria de Clientes, por

são especialmente treinados

intermédio do Controle Interno

para essa função.

de Processos (CIP) mantém um

Outra medida para

código de conduta no Portal de

contemplar o atendimento a

Atendimento, para lembrar os

portadores de necessidades

procedimentos e os cuidados

especiais é a colocação no

referentes às senhas de

Canais de relacionamento

mercado de modelos

atendimento e às informações

Além dos centros de atendimento

de terminais que recebem

dos consumidores.

de chamadas dos clientes, a Vivo

44 | Relatório Anual 2005

com a saúde. Além disso, está sendo publicada no Portal de Atendimento uma cartilha

Vivo Escuta O site Vivo Escuta foi criado para permitir um contato direto com a realidade dos clientes e as reclamações. Ele permite que diretores, gerentes e colaboradores de áreas envolvidas em situações que afetem a satisfação do consumidor possam ouvir, em tempo real, ligações recebidas pelo call center, entender a dimensão do problema e buscar as soluções em menor tempo possível.


mantém outros canais para

promocionais, emergenciais e

os Oito Objetivos do Milênio,

a comunicação, permitindo

prestando informações sobre

estabelecidos pela Organização

o acesso a uma série de serviços

cobrança, valor e vencimento

das Nações Unidas.

e informações.

de contas etc.

Internet

O Portal da Vivo

na rede mundial de computadores (www.vivo.com.br) é um dos

TAV (Terminais de Auto-Atendimento)

Vivo Vantagens Desde 2004 é desenvolvido

No final de 2005, os terminais de

o programa de fidelidade

auto-atendimento estavam

Vivo Vantagens, dirigido

instalados por todo o País.

aos consumidores pós-pago

Permitem que os clientes

de todo o País. Eles contam

acessem um portfólio amplo

com o Clube de Vantagens –

de serviços, que inclui

privilégios e benefícios

pagamento de contas

exclusivos em diversos

e recarga de celulares, e

estabelecimentos parceiros

informações sobre a sua

em todo o Brasil, como cinema,

situação na operadora e os

bares e restaurantes –

planos oferecidos.

e participam do Programa

Outros instrumentos

de Pontos, que podem ser

empregados para a comunicação

utilizados na compra de

com o cliente servem

um celular novo.

ainda como um canal para que

O site do programa

a empresa compartilhe com os

foi reformulado em 2005,

consumidores conceitos

para facilitar a navegação

de responsabilidade social.

e o acesso às informações.

Isso é feito por meio de peças

Foram introduzidos um banco

de comunicação como o Vivo

de dados e um sistema de

SMS/Telemensagem

Pra Você, um encarte

busca que permitem ao cliente

A Vivo envia mensagens

encaminhado aos clientes

visualizar os parceiros

de texto ou voz para clientes,

pós-pago juntamente com

da operadora e as promoções

destacando ações

as contas, para divulgar

de acordo com cada regional.

mais visitados do mundo, com 5 milhões de visitas mensais em média. Oferece amplo conteúdo sobre serviços, tecnologia, soluções, promoções etc., além de ser um canal para hotsites de interesse de clientes e consumidores. Permite, por exemplo, o acesso à Loja Virtual, por intermédio da qual é possível adquirir celulares e acessórios. Outra área do site é o Vivo On-line (VOL), canal de atendimento via web, que registrou mais de 1,5 milhão de serviços realizados a cada mês em 2005.

Relatório Anual 2005

|

45


9 Marketing e

comunicação Num contexto em que a indústria de telefonia celular no Brasil começa a se aproximar da maturidade, em que os principais segmentos já apresentam índices muito elevados de penetração, o valor do mercado passa a ficar cada vez mais concentrado nas bases das próprias operadoras, aumentando a disputa pelos clientes de maior valor. Assim, cada vez mais, o marketing na Vivo tem um papel importante para que a marca possa manter sua liderança no mercado, garantindo ao mesmo tempo o crescimento de sua rentabilidade – equilibrando investimentos na aquisição e retenção dos clientes com o retorno gerado. Com o sucesso da consolidação

cliente, baseados numa rede de

exemplo dos esforços para reter e

da marca – foco do investimento

terceira geração.

desenvolver seus melhores

da Vivo nos últimos dois anos –

O desafio presente é a definição

clientes, a Vivo conta com o

o objetivo do marketing é

do marketing mix (comunicação,

Global Moto, Smart Mail e Vivo

reforçar seu posicionamento

ofertas, canais, pricing) correto

Encontra. Já para a

como a melhor opção em

para focar a defesa e o

universalização de acesso,

telefonia móvel para todos os

crescimento da sua base de

o ajuste dos canais

segmentos. Para tanto, conta

clientes de alto valor ao mesmo

de distribuição e valores

com atributos diferenciadores,

tempo em que busca o aumento

de recargas.

como a excelência na prestação

da penetração com rentabilidade

Para isso, a Vivo se baseia

de serviço, a liderança em

nas classes mais baixas, usando o

firmemente no conhecimento do

cobertura e a inovação em

celular como um instrumento de

cliente, garantido pelo

produtos e serviços relevantes ao

universalização de acesso. Como

investimento em estudos,

46 | Relatório Anual 2005


pesquisas de mercado, modelos,

de construir a maior comunidade

ferramentas de CRM (Costumer

do Brasil. Dessa forma, as

Relationship Management), com

campanhas sempre ressaltam

o suporte de uma equipe

pelo menos um dos pilares do

extremamente capacitada.

posicionamento da marca: comunidade, qualidade, inovação

Comunicação

e valor. A linguagem é coloquial,

A comunicação da Vivo busca

direta e simples, com o convite

reforçar constantemente o seu

ao público para interagir e

DNA: sua energia criativa

experimentar os produtos e

(playful energy) e a proposta

serviços, que visam

Tadeu Gualtieri, colaborador da Vivo Empresas


9

Marketing e comunicação

Patrocínio ao Brasil 1, primeiro barco brasileiro a participar da Volvo Ocean Race, maior regata de volta ao mundo

Campanhas Só em 2005, a Vivo produziu e veiculou mais de 60 comerciais na televisão. Para o desenvolvimento de suas peças, conta com o suporte de quatro agências de comunicação, que integram um comitê reunido periodicamente para analisar o desenvolvimento das ações e o seu alinhamento à estratégia da marca. No ano, foram realizadas diversas campanhas promocionais, com o objetivo de conquistar novos clientes ou incentivar a aquisição de aparelhos novos, com mais recursos – de forma a estimular, também, a ampliação do uso de serviços de dados. Destacaram-se: atender às necessidades atuais

brasileira de futebol e do

e futuras dos clientes.

primeiro barco brasileiro a

Verão em dobro:

A Vivo quer reforçar a sua

participar da Volvo Ocean Race,

estimular a recarga e a utilização

imagem de brasilidade,

o Brasil 1.

dos serviços pelos clientes

associando-se a personalidades

Outra característica é que a

pré-pago e pós-pago por meio

ou eventos que remetam a um

perspectiva do cliente está

da oferta de benefício para

País vitorioso. Por isso, tem

sempre presente, evidenciada na

o período de três meses.

ídolos como garotos-propaganda

assinatura que acompanha as

Os clientes recebiam o mesmo

– a exemplo de Robinho – e

peças de comunicação: Vivo é

valor da recarga ou do plano

aposta no patrocínio da seleção

você em primeiro lugar.

de assinatura.

48 | Relatório Anual 2005


Vivo 15: eliminar a

durante quatro meses. O mesmo

o uso de um clipe de imagens

percepção de que os serviços são

valor foi aplicado para o envio

de diversos comerciais anteriores,

caros, incentivar os telefonemas

de Foto Torpedos e Torpedos SMS

ressaltando inovações, cobertura

de Vivo para Vivo dentro do País

de Vivo para Vivo.

e qualidade dos serviços.

e reforçar o conceito de

Outras campanhas tiveram o

comunidade. Isso por meio

Dia dos Pais: estimular

objetivo de reforçar a percepção

da oferta de tarifa de R$ 0,15

a recarga com a concessão de

de valor, com o lançamento de

o minuto para ligações entre

bônus de R$ 30 por mês para

planos, serviços ou de inovações

cientes da Vivo e a concessão

qualquer celular, durante dez

tecnológicas. Nessa linha, foi

de 300 Vivo Torpedos SMS e 300

meses, além de 100 Vivo

marcante a campanha do Vivo

Vivo Torpedos (válida por 30

Torpedos SMS e 100 Vivo Foto

Play 3G, protagonizada por

dias) para quem utilizasse o

Torpedos, válida por 30 dias.

diversas celebridades da TV,

Código de Seleção de Prestadora

cinema e música, que apresentou

Promoção Natal: com

os conteúdos de terceira geração

foco em liberdade, simplicidade

e teve como slogan Vivo Play 3G:

Dia das Mães: incentivar

e transparência, a campanha

o novo mundo é Play.

o uso dos serviços, bem como

buscou estimular a recarga e o

Campanhas importantes foram

reforçar o conceito de

tráfego. Os clientes recebiam

direcionadas ao público jovem

comunidade, por meio de

R$ 40 em ligações locais para

com a divulgação de serviços de

50% de desconto nas ligações

qualquer celular durante seis

dados (dos quais eles são os

para qualquer telefone Vivo

meses, além de 100 Vivo

principais usuários). A difusão

que use o CSP 15, durante

Torpedos SMS e 100 Foto

dos serviços messaging, por

um ano, e da concessão

Torpedos válidos por 30 dias.

exemplo, apoiou-se na

15, da Telefônica.

de 500 Vivo Torpedos SMS

Revolucaum dos Ddos, que Foram desenvolvidas várias

utilizou a nova linguagem escrita

campanhas institucionais com

utilizada pelos jovens em chats

Noite dos Namorados:

o objetivo de reforçar atributos-

na Internet.

estimular acréscimo de tráfego

chave da marca, como cobertura

Para estimular o incentivo ao uso

à noite, por meio da tarifa de

e comunidade. Foi destaque a

de serviços de dados e voz e

R$ 0,10 o minuto nas ligações de

comemoração pela conquista

contribuir para o acréscimo de

Vivo para Vivo entre 20h e 7h,

de 29 milhões de clientes, com

rentabilidade, foram desenvolvidas

e 500 Vivo Foto Torpedos.

Relatório Anual 2005

|

49


9

Marketing e comunicação

diferentes campanhas, com

de eventos e personalidades

destaque para a Vivo e Você na

que remetem às qualidades

Copa, alinhada à estratégia de

que quer ter associadas,

aproximação da marca com o

pelos consumidores à

futebol e com a seleção brasileira,

sua marca, como:

Shows

de lançamento do CD e DVD da banda gaúcha.

Zubin Mehta

com o jogador Robinho atuando

Apresentação do maestro

como garoto-propaganda. A ação

Música

estimula os clientes a juntarem cupons (com a realização de

Megarock by Wizard e Vivo Reuniu oito bandas,

recargas, ligações e o uso de

com destaque para Detonautas e

serviços) para concorrer a 75

Pato Fu, em Palmas (TO).

viagens com acompanhante para a

regendo a Orquestra Sinfônica de Israel em Curitiba (PR).

GO Music

O evento reuniu

Rappa, Ira!, Marcelo D2 e Cake, entre outros artistas, em

Copa do Mundo de 2006.

Gazeta Show

Para o público corporativo, duas

Programação de shows de MPB

campanhas foram desenvolvidas

no Espírito Santo, que reuniu

no ano, com destaque para a

artistas como Paulinho da Viola

Vivo Empresas 3G, em que foram

e Almir Sater.

Goiânia (GO).

Planeta Atlântida Festival que acontece no litoral do Rio Grande do Sul

divulgados os serviços

e em Santa Catarina,

desenvolvidos especificamente

Los Hermanos

para atender às necessidades

do projeto Trama Universitária,

de mobilidade e produtividade

em Curitiba (PR).

Show

e que reuniu aproximadamente 150 mil pessoas em 2005, para ver atrações como

de empresas de todos os

Charlie Brown Junior, Barão

tamanhos e que utilizou como

Morena Music

slogan Vivo Empresas: uma nova

que reuniu Jota Quest e Skank

era de soluções.

em Campo Grande (MS).

Patrocínios e apoios a eventos

Pato Fu

Festival

Vermelho, O Rappa etc.

Maria Rita

Show da

cantora no litoral Show da banda

do Estado de Sergipe.

no bar Opinião, em Porto Alegre (RS).

Durante 2005, a Vivo foi

Ira! e Marcelo D2

patrocinadora de uma série

Shows em Porto Alegre (RS).

50 | Relatório Anual 2005

Papas da Língua

Festival de Verão de Salvador (BA) Festival que reuniu artistas como Babado Novo e Araketu.


Planeta Atlântida: festival em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul

Festival de Verão do Guarujá (SP) Atrações como Capital Inicial,

Encontro de Executivos CIO Meeting Brasil

Gilberto Gil e Daniela Mercury

Organizado pela Editora Abril.

em Caldas Novas (GO) e em várias

ao longo de nove dias.

A Vivo Empresas promoveu

cidades do Mato Grosso.

encontros com executivos

Projeto Vivo na Lagoa

em um office suite montado no

Porto Alegria

Shows de Luiz Melodia e Ed Motta.

hotel, na Praia do Forte (BA),

fora de época de Rondônia,

apresentando suas soluções.

animado por bandas como

Shows no Maranhão

Carnaval

Chiclete com Banana, Asa de

apresentação da banda Calypso e

II Encontro de Empresários de Transportadoras

vários shows realizados na Concha

Promovido pela Vivo Empresas, o

São João da Vila do Forró Chapéu de Couro

Musical, em São Luís (MA).

evento aconteceu em Goiânia (GO).

Evento realizado em Sergipe,

Show de gravação do DVD da banda Forrozão Tropykalia,

Águia, Araketu e Cheiro de Amor.

que durante 50 dias promove

Diana Krall e Maria Bethânia

Casa Cor

Patrocínio do evento

atividades como forró, dança de

na Bahia e no Espírito Santo.

quadrilhas, pirotecnia e shows.

Vivo Next Level

Paulo; Maria Bethânia fez shows

10º Meeting Internacional Cancún

de música eletrônica realizada em

em São Paulo, no Rio de Janeiro,

Reuniu convidados especiais,

Porto Alegre (RS) e Curitiba (PR).

em Brasília, Salvador e Sergipe,

políticos e jornalistas.

A cantora canadense se apresentou duas vezes em São

Kokum Kaya

no projeto Vivo Divas da Música.

Exposições/ Seminários

Festa

Realizada

Festas/Eventos

no Park Shopping Barigüi, com

Verão 2005

presença de DJs renomados,

Série

de ações nas principais cidades

em Curitiba (PR).

46ª Exposição Agropecuária e Industrial do Norte Fluminense,

e ações de marketing no Rio

evento do surfe na América

Em Campos (RJ).

de Janeiro, na Bahia, em Manaus,

do Sul, em Florianópolis (SC).

do litoral brasileiro.

Garota WCT Carnaval

Patrocínio

Concurso

promovido durante o maior

Relatório Anual 2005

|

51


9

Marketing e comunicação

Robinho: com patrocínio da Vivo

Parada Carioca Evento que misturou samba, trio elétrico, alegria e solidariedade, reunindo mais de 100 mil pessoas.

Vivo no Rio

Shows

gratuitos na Praia de Ipanema, com artistas como Tony Garrido e Fernanda Abreu, que reuniram 30 mil pessoas.

Summer Fest

Participação

de artistas como Jota Quest,

enviadas via torpedo. Apoio ao

III Lavagem das Baianas A festa, que inclui

Minizôo localizado no parque.

um cortejo pelas ruas

Margareth Menezes, entre outros.

do Pelourinho, em Salvador (BA),

Esse é Meu Noite Cubana

Show com a

Reality show

e culmina com a lavagem da

realizado pela loja Ramsons,

Associação das Baianas de

cantora cubana Omara Portuondo,

no Amazonas Shopping,

Acarajé e Mingau

que reuniu clientes especiais e

em Manaus, em que nove

do Estado da Bahia, foi

autoridades, em Brasília (DF).

sorteados disputaram um carro:

patrocinada pelo terceiro ano.

vencia o último a tirar a

2ª Balada do Metrô

mão do veículo.

Festa na Estação Mercado do

Micareta

Evento

animado por Ivete Sangalo

Trensurb, em Porto Alegre (RS).

451 – São Paulo e sua gente Evento que integrou a

Aniversário de Porto Alegre (RS) Shows e

comemoração do aniversário de

atividades no Parque Farroupilha,

Parque do Ibirapuera e

Salão Nacional de Arte de Goiânia (GO)

na capital gaúcha, além de

apresentação de escolas de

Reuniu 60 obras de 30 artistas;

promoção que reuniu mais de

samba, shows de grupos étnicos

cinco obras premiadas passaram a

5 mil frases sobre a cidade,

e da Orquestra Municipal.

compor a Coleção Lourival Louza,

52 | Relatório Anual 2005

São Paulo, que incluiu desfile no

e que reuniu 20 mil pessoas em Vitória (ES).


do Museu de Arte Contemporânea de Goiás.

Torben Grael e Marcelo Stock Car Patrocínio aos Ferreira Patrocínio aos dois pilotos Christian Fittipaldi velejadores brasileiros.

Rodeio

Atração no Rio

de camarote em algumas etapas

Preto Rodeo Country Bulls, em

Brasil 1

São José do Rio Preto (SP).

veleiro brasileiro que participa da

Patrocínio do

Volvo Ocean Race, comandado por

Flamboyant Fashion

Torben Grael.

Desfile das principais grifes do País, em Goiânia (GO). Presença

da categoria.

Clube de Golfe em Cuiabá Jantar de lançamento do 1º Clube

Arena Cross

11 etapas do

evento que ocorrem em cidades

Expointer

e Otávio Mesquita e montagem

de Golfe de Cuiabá, o GolfClub Terra Selvagem.

do Estado de São Paulo.

Ecomotion Pro/2005

na Exposição Internacional

Campeonato Estadual de Motocross Seis etapas

A maior prova de aventura da

um estande e patrocínio da final do Freio de Ouro, uma das

que reuniram mais de 100 mil

seis cidades do Rio Grande do Sul

principais provas da raça de

pessoas, em Rondônia.

e de Santa Catarina.

de Animais, em Esteio (RS), com

América Latina, que percorreu

cavalos crioula na América Latina – que reuniu 15 mil pessoas.

Aniversário de Campo Grande (MS) Megagincana que arrecadou 1,4 mil tonelada de alimentos na capital do Mato Grosso do Sul.

Esporte Seleção Brasileira de Futebol Válido até 2015.

Seleção Brasileira: patrocínio

Robinho

Patrocínio ao

atleta por dois anos.

da Vivo até 2015

Relatório Anual 2005

|

53


9

Marketing e comunicação

Match Race 2005

Grande (MS)

A Vivo Empresas patrocinou as

reuniu 10 mil motociclistas, e mais

A Vivo patrocinou o LG Vivo

três etapas do torneio de iatismo,

de 100 mil pessoas prestigiaram a

Championship (RJ), o Circuito

que é realizado em Salvador,

programação de shows.

Empresarial de Golfe (SP),

Evento

Torneios de Golfe

Ilhabela e no Rio de Janeiro.

o Mercedes Trophy (SP),

Circuito Brasileiro do Wakeboard A Vivo II Copa Vivo de Hipismo O evento aconteceu esteve presente na primeira etapa,

o IV MS Invitational (MS)

em oito etapas, válidas para a

realizada em Porto Alegre (RS).

3º Vivo Porto Alegre de Tênis Torneio que vale

Esporte no Guarujá

pontos para o ranking da

Montagem do Vivo Sport Center,

Associação de Tenistas

5ª Volta Ciclística de Goiás (GO) Evento

um parque com 4 mil m , em que

Profissionais (ATP).

que acontece em várias etapas

durante o mês de julho, no

pelo estado, durante cinco dias,

Guarujá (SP).

formação de ranking da Sociedade Hípica Paranaense.

2

passaram 200 mil pessoas

8º International Moto Road de Campo

VII Tênis Classic Rio Quente (GO) Torneio realizado em Rio Quente.

e reúne atletas brasileiros e estrangeiros.

e o Open Golfe Vivo (ES).

Corrida Vivo São Sebastião O evento reuniu

2º Rally Vivo na Selva

7,2 mil corredores, no Rio de

Evento em Rio Preto da Eva (AM).

Janeiro (RJ).

Cultura Vivo Open Air

Segunda

edição do evento, realizada em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Brasília.

Caminhada Fotográfica Evento idealizado pelo Curso

54 | Relatório Anual 2005

Match Race

Tecnológico em Fotografia do

2005: torneio

Centro Luterano de Palmas (TO),

de iatismo

que reúne estudantes e moradores


Vivo Open Air: Rio, São Paulo, Brasília

para fotografarem a região e realizarem uma exposição.

Quinta Vivo no Cinema Promoção em Rio Branco (AC), que deu desconto nos ingressos para quem apresentasse cartão de recarga ou do Vivo Vantagens.

Carmem Miranda para Sempre Exposição-espetáculo

33º Festival de Cinema de Gramado O mais

O Mágico de Oz

realizada no Museu de Arte

importante festival de cinema da

15 integrantes, apresentada em

Moderna do Rio de Janeiro, em

América Latina foi patrocinado pelo

Belém (PA) para 2,5 mil pessoas.

homenagem à artista.

sétimo ano consecutivo.

Peça

teatral com 11 atores e coral com

Aniversário da Sala Cecília Meireles

Casa de Areia

Marília Pêra canta Carmem Miranda Peça

Filme com Fernanda Montenegro

em homenagem à artista.

Comemorações do 40º aniversário

e Fernanda Torres.

Exposição Êxodos

da sala, que incluiu apresentações

Com

gratuitas de bandas escolares,

A Selva

marciais, de jazz etc.

Maitê Proença como protagonista.

14º Festival de Teatro de Curitiba (PR) Evento

Nossa Senhora do Caravaggio Filme de Fábio

que atraiu mais de 40 mil e incluiu

Barreto, que tem Cristina Oliveira e

VII Bienal do Livro da Bahia Evento que atraiu mais

mais de 200 peças.

Luciano Szafir no elenco.

de 300 mil visitantes.

Festival de Verão do Cinema Internacional

Festival de Dança de Joinville O maior evento do

Circuito Vivo de Cultura

Realizado em Porto Alegre e outras

gênero no mundo, que reuniu 5 mil

que promoveu a apresentação de

seis cidades gaúchas, promoveu a

bailarinos e mais de 50 mil pessoas

peças teatrais reconhecidas

exibição filmes de 17 países.

em Joinville (SC).

nacionalmente pela sua qualidade.

Produção que tem

60 fotos de Sebastião Salgado no Shopping Vitória (ES), que recebeu mais de 5 mil visitantes.

Realizado em Campo Grande (MS),

Relatório Anual 2005

|

55


Karinna Vasconcelos, cliente da Vivo


10 Inovação A Vivo coloca à disposição dos consumidores brasileiros um amplo portfólio de soluções inovadoras – oferece até serviços da terceira geração da telefonia celular, por meio da tecnologia EV-DO. Um reflexo dessa condição de vanguarda é o incremento da receita proporcionada pelos Serviços de Valor Adicionado (SVA) e pelos Serviços de Dados. Juntos, eles somaram um faturamento que representou 10,8% do total da receita líquida da Vivo no ano e um acréscimo de 34,6% na comparação a 2004.

SVAs

Dados

Os Serviços de Valor

Os Serviços de Dados registraram

Adicionado apresentaram

um crescimento de 51% em

um avanço de 18,1% em

volume de receita na comparação

comparação ao ano anterior

com 2004 e têm, hoje, uma

e superam a expansão da base

participação de 6% no total da

de clientes. O crescimento é

receita da Vivo. Se forem

inferior ao registrado pelo

considerados somente os clientes

segmento de dados em razão

com aparelhos que possuem

de se tratar de serviço com mais

recursos para transmissão

tempo de vida e com uma base

de dados, a participação

maior de usuários. Dentre eles

eleva-se para 6,6%.

estão Vivo Avisa – que registra

O Short Message Service – SMS

as chamadas recebidas quando o

– continua sendo o item que mais

celular está desligado –,

contribui para os resultados na

o serviço de roaming nacional,

transmissão de dados, com

caixa postal etc.

participação de 63,5% do total.

Relatório Anual 2005

|

57


10

Inovação

Apesar de ocupar uma fatia

mudança fundamental foi

3D, em julho de 2005.

expressiva, ela foi, em 2005,

na forma de cobrança, que

O aumento de receita originado

16,2% menor que em 2004,

deixou de ser por tempo

por aplicação no Vivo

abrindo espaço para outros

para considerar os kbps

Downloads foi de 245%.

serviços e em um patamar

que transitam nas redes.

Os ringtones continuam sendo

abaixo da média normalmente

Em 2005, a cada mês, pelo

um sucesso entre os clientes.

registrada por outras operadoras,

menos 2 milhões de usuários

O portfólio da Vivo –

nacionais e internacionais.

diferentes acessaram no mínimo

considerando os tons

Um dos serviços que mais

uma vez o serviço.

monofônicos (que são enviados

cresceu em 2005 foi o WAP,

Uma das novidades que

por SMS), polifônicos e os

(avanço de 106% de receita),

necessitam do uso do WAP,

musictons – inclui mais

que permite o acesso à Internet

lançada em 2005, foi o serviço

de 4 mil músicas, com opções

em tempo real, por meio

que permite ao cliente fazer

divididas em 45 categorias.

da tela do celular. O avanço

o check in e a compra

Outros destaques foram

decorre de campanhas de

de passagens da Gol Linhas

o SMS Foto e o Vídeo Torpedo.

marketing e da eliminação

Aéreas Inteligentes.

A participação dos terminais

de pequenos empecilhos que

Outro destaque são os

em operação que já podem

desestimulavam o uso, como a

downloads, que superaram

enviar ou receber fotos

tela pequena dos aparelhos, a

a marca de 18 milhões desde

superou os 12%.

falta de terminais direcionados

o lançamento do serviço,

Dentre os principais

ao serviço, as dificuldades de

em 2003. A Vivo conseguiu

lançamentos de serviços,

usar o menu e a tarifação, até

atrair novos agentes de

os mais requisitados pelos

então feita por minuto de uso.

desenvolvimento e ampliou

clientes, em 2005, estão:

Em 2005, quase todos os

significativamente o portfólio

aparelhos comercializados já

de aplicações oferecidas. Os

Vivo Play 3G

vinham equipados com tela

grandes destaques são os jogos –

na América Latina, oferece

colorida e dez linhas de

a Vivo lançou games 3D em 2005

conteúdos multimídia

definição. Além disso, foi

–, que representam 80% dos

fornecidos pela operadora

lançado o WAP 2.0, um moderno

downloads de aplicativos e

e seus fornecedores e é acessado

gateway que permite o uso mais

tiveram um upgrade significativo

por meio de ícone específico

dinâmico de iconográficos. Outra

em 2005, com o lançamento dos

no menu do celular. Com ele é

58 | Relatório Anual 2005

Pioneiro


Promotores divulgam o Vivo Play 3G

possível fazer downloads e streaming de vídeos, músicas e imagens com altas taxas de transmissão de dados, bem como aproveitar games 3D. Os conteúdos estão divididos nas categorias TV, notícias, desenhos, videoclipes, trailers

Global Moto

de filmes e músicas, entre

pode utilizar seu próprio

independentemente da

outros. Foram firmadas parcerias

aparelho e número para falar

plataforma adotada (Lotus

com empresas como a TV Globo,

em mais de 170 países, nos

Notes, Microsoft Outlook,

TV Bandeirantes, Band News,

cinco continentes, com

Pop3, IMAP4), por meio

Band Sports, Terra, Fox,

a maior cobertura em roaming

de um PDA (Personal Digital

Nickelodeon, Discovery, CBF,

internacional entre as

Sssistant). Também faz

Pão de Açúcar, Móbile Fun,

operadoras no Brasil. O

o sincronismo de contatos

Xportes, Trama, Jamdat,

celular mundial funciona

e calendário e permite responder

Warner e UIP para a produção

automaticamente em

e modificar arquivos.

e oferta de conteúdos.

localidades com tecnologia

O usuário

não-compatível com CDMA.

Vivo ZAP e Vivo ZAP 3G

que acessa e-mails remotamente,

Vivo Imobiliárias Disponível em PDAs nas

O Vivo

Moblog

O serviço é um

plataformas Windows CE e

ZAP teve grande expansão

diário multimídia móvel, em

Palm OS, permite o aumento

de usuários em 2005. O serviço

que o cliente pode atualizar

de produtividade e a otimização

permite conectar computadores

as informações por meio do

de negociações por meio

ou PDAs à Internet, sem fio, por

seu aparelho, enviando textos

da troca de dados e imagens

intermédio da rede CDMA 1xRTT

e fotos. Pode ser acessado

via comunicação móvel. Oferece

(Vivo ZAP) ou CDMA 1xEV-DO

pelo aparelho (WAP) ou

a facilidade de buscar, em tempo

(Vivo ZAP 3G, que foi lançado

pela Internet.

real, os imóveis presentes no

em 2005). A solução

banco de dados das imobiliárias

tem demanda maior do

Smart Mail

mercado corporativo.

o mercado corporativo,

Solução para

que atendam às características específicas desejadas pelo cliente.

Relatório Anual 2005

|

59


10

Inovação

Vivo Diagnóstico

parceiros e reconhecer

Pacotes com preços especiais

Serviço inédito que possibilita

a qualidade das soluções

agilidade e mobilidade de

por eles desenvolvidas,

diagnósticos médicos por meio

o Vivo Awards premia

Vivo Favoritos

de um aparelho celular. Permite

os responsáveis pelos serviços

Permite cadastrar cinco

fotografar ressonâncias,

de dados para celular mais

números do mesmo DDD

radiografias etc., enviar as

procurados e baixados

(4 Vivo + 1 fixo ou 5 Vivo)

imagens ou os resultados de

pelos clientes no ano

para falar com 50%

exames para outros médicos

e também pelas melhores

de desconto nas ligações

emitirem uma segunda opinião,

aplicações.

locais após o consumo da franquia contratada.

armazenar essas imagens em website com acesso restrito,

Planos

além de criar grupos de discussão

Há constante revisão e

Vivo Família

médica em tempo real.

lançamento de planos para

permite compartilhar linhas

atender às necessidades dos

para pacotes de 600

Aparelhos

consumidores dos mais variados

e 800 minutos.

A Vivo oferece aos clientes

perfis. Em 2005, o destaque foi

um portfólio integrado por

o lançamento do Vivo Ideal, que

Isenção de adicional

vários modelos de aparelhos.

oferece quatro faixas de consumo

Por chamada nas ligações

Também coloca à disposição

a partir de uma franquia mínima

em roaming nos planos

placas que permitem a conexão

de 150 minutos, com seus

de 600 e 800 minutos.

sem fio à Internet.

correspondentes pacotes de

Em 2005, a Vivo foi pioneira

minutos inclusos e valores de

Franquia nacional

ao lançar no mercado o primeiro

minutos excedentes. Conforme o

Todas as ligações locais,

telefone que filma. Outra

seu consumo mensal, o cliente é

inclusive aquelas realizadas

novidade foi o lançamento da

posicionado na melhor faixa,

em roaming, são debitadas

placa PCMCIA EV-DO Passport, da

proporcionando mais economia.

da franquia.

Kyocera, que permite o uso

Os consumidores que optam por

do serviço ZAP 3G.

esse plano, bem como pelos

Serviços inclusos,

demais oferecidos ao segmento

como identificador de chamadas,

Vivo Awards

pós-pago, contam com uma

chamada em espera, caixa postal

Como forma de estimular os

série de benefícios:

e desvio de chamadas.

60 | Relatório Anual 2005

Ele


Thiago Marques, cliente da Vivo


11 Ativos

intangíveis

Marca

foram desmembrados em novas

marca do mercado de telefonia

A Vivo foi apontada, em 2005,

edições que contemplam

celular no Brasil a oferecer

como a 11ª marca mais valiosa do

os elementos básicos, a

serviços de terceira geração, em

País, em ranking elaborado pela

arquitetura de marcas, o estilo

2005, a partir do lançamento de

consultoria Interbrand e publicado

de comunicação, o livro do ícone

trechos de rede com tecnologia

na revista IstoÉ Dinheiro. Ela foi

e o manual de visão da marca.

CDMA EV-DO nas principais

avaliada em US$ 218 milhões

No ano também foi feita

capitais brasileiras.

e é a única da área de

a seleção de novas imagens

telecomunicações a figurar entre

para integrar o arquivo da Vivo.

Cobertura

as 15 primeiras colocadas.

Desenvolveram-se ainda ações

A Vivo oferece a maior cobertura

A gestão da marca é feita de

para a padronização de layout

de rede entre as operadoras

maneira integrada, para que

dos pontos-de-venda –

brasileiras e fechou 2005 com

todos os canais de contato do

lojas próprias, revendas

praticamente 30 milhões de

cliente com a marca reflitam o

e quiosques. A proposta

clientes, formando a maior

conceito desejado. A força de

da marca foi transportada

comunidade de usuários de

marca é monitorada mensalmente

para modelos conceituais

telefonia celular do País.

entre os consumidores, por meio

e houve o desenvolvimento

de pesquisas quantitativas e

de mobiliários exclusivos,

qualitativas que acompanham

displays, projetos de iluminação,

a evolução do equity da marca,

fachadas, quiosques e

Gestão do conhecimento e de talentos

sua personalidade e seus

estímulos interativos.

Ciente de que os colaboradores são peças-chave para o

atributos dentro do competitivo Também há constante revisão

Terceira geração

de manuais para aplicação

A opção pela tecnologia CDMA

de Performance para possibilitar

de marca. Em 2005, os manuais

permitiu à Vivo ser a primeira

o desenvolvimento pessoal e

cenário brasileiro.

62 | Relatório Anual 2005

cumprimento da estratégia, a Vivo adota o conceito de Gestão


Ney Cruz, Executivo do Service Delivery Center e Site Manager do Centro de Tecnologia da IBM Brasil: cliente corporativo Vivo Empresas


11

Ativos intangĂ­veis

Nina Takaoka, estagiĂĄria da Vivo


profissional dos seus 6.084

é desenvolvida de acordo

e é patrocinadora parcial de

funcionários. Ele baseia-se em

com o modelo blended

cursos de pós-graduação para

uma avaliação 360º, que envolve

e-learning (aprendizado

alguns funcionários.

gestores, colaboradores e as

combinado), que inclui eventos

Para atrair novos talentos,

áreas da empresa. A partir

presenciais, semipresenciais,

desenvolve anualmente

desses resultados são elaborados

videoconferências e estudos a

programas de trainees

Planos de Desenvolvimento

distância, via Internet.

e de estágios.

Individuais (PDIs) para cada

Os colaboradores que cumprem

profissional, de forma a permitir

360 horas de curso recebem o

Reconhecimento

que ele aperfeiçoe as

certificado de especialização.

A Vivo tornou-se um case

competências desejadas pela

Outra iniciativa é a oferta do

na edição brasileira do livro

Vivo. Os PDIs são trabalhados

curso de Master in Business

Administração de Marketing,

por meio do Programa Vivo

Administration (MBA) em

dos autores Philip Kötler e Kevin

Aprendendo, que consiste na

Telecomunicações, desenvolvido

Lane Keller, obra considerada

oferta de cursos para

em parceria com a Business

a bíblia do marketing.

qualificação do profissional e o

School de São Paulo e realizado

No capítulo “A busca pelo

acesso ao conhecimento. Em

dentro das empresas da Vivo.

posicionamento de marketing”

2005, mais de mil colaboradores

Também permite que

é descrita a megaoperação de

participaram de atividades no

funcionários participem de

lançamento da marca e ações

Vivo Aprendendo.

programas de intercâmbio

que permitiram fazer dela

A Escola Superior de Propaganda

internacional promovidos por

top of mind no mercado

e Marketing (ESPM) e a Alliance

empresas ligadas às

nacional. O texto usado na

Corporate Education são

controladoras da Vivo (Portugal

publicação é baseado em uma

parceiras na iniciativa, que

Telecom e Telefónica Móviles),

dissertação de mestrado na USP.

Relatório Anual 2005

|

65


12 Ferramentas e modelos de gestão

Ferramentas e modelos de gestão permitem uma maior efetividade e controle dos negócios. As principais ferramentas são: Balanced ScoreCard

Hyperion, sistema que começou

Permite delinear e apresentar a

a ser introduzido em 2003. A área

estratégia corporativa com

de controle foi pioneira na

clareza e acompanhar o seu

aplicação do Hyperion, sendo

cumprimento pelas diversas

adotado também pela área de

áreas. O BSC deixa claras as

Planejamento e posteriormente

responsabilidades das áreas e

pelo Orçamento. Com isso, a Vivo

de que forma elas se relacionam

tem controles mais precisos, com

para criar valor para aos negócios.

a possibilidade de prever uma série de cenários e testar a

Crystal Ball

Software

viabilidade de acordo com

que possibilita avaliar o grau de

diferentes premissas, de maneira

incerteza na realização dos

coordenada, entre as áreas.

investimentos, com o controle

O software foi adaptado para

de um maior número de

refletir a realidade brasileira,

variáveis e acompanhamento

integrando sistemas de planejamento,

de seu grau de execução.

orçamento e controle.

Hyperion

Em 2005 foi

concluída a instalação do 66 | Relatório Anual 2005

WebFocus

Aplicação de

Business Intelligence empregada


Tiago Henrique de Souza, técnico de áudio e vídeo e prestador de serviço da Vivo


12

Ferramentas e modelos de gestão

na Vice-Presidência de Tecnologia

SAP

e Redes, desde 2001, que vem

unificou todas as regionais,

ela agrega está a rapidez na

proporcionando um

permitindo o compartilhamento

liberação do crédito para o cliente

conhecimento mais abrangente

de informações fundamentais

que efetua a recarga, o que antes

de temas estratégicos por meio

para o alinhamento da gestão

demandava minutos. Também

da análise de indicadores-chave,

da Vivo, conferindo maior

amplia a capacidade para atender

direcionando de forma efetiva o

precisão e agilidade na tomada

às demandas de clientes do

planejamento e execução das

de decisões.

segmento e desenvolver

Concluído em 2005,

campanhas diferenciadas.

ações necessárias. São empregados ainda outros softwares adaptados ao acompanhamento dos negócios, como o Taurus, que permite observar investimentos totais por categoria e por áreas beneficiadas.

Sistemas de informação A unificação dos sistemas vitais

e Paraná. Entre os benefícios que

Billing

O sistema chegou

Rio Grande do Sul e Paraná,

Gestão da informação

e no início de 2006 já deve estar

A Vivo mantém uma Política

concluído no Rio de Janeiro, o

de Classificação de Informação,

que representa o atendimento de

de forma a assegurar a sua

60% dos clientes da base. Como

perenidade e a restrição

um dos benefícios

de acesso a pessoas não

proporcionados, já houve o

autorizadas. Um mapeamento

incremento de receitas.

define o grau de sigilo do

às regionais de São Paulo,

aos negócios é um passo

material, que pode ser classificado

importante para o alinhamento

Front Office

estratégico, bem como para o

já chegou às regionais de

público, o que é indicado por

aumento de competitividade

São Paulo, Rio Grande do Sul e

uma marca eletrônica ou impressa

diante das demais operadoras.

Paraná; no início de 2006 estará

no rodapé da página.

A migração de sistemas

concluído para o Rio de Janeiro,

Uma equipe da Vivo realiza visitas

representa um grande desafio

e até o final do ano, para as

periódicas para avaliar se há

para a marca, uma vez que

demais regionais.

documentos confidenciais ou

O sistema

precisa ser feita sem interromper

como confidencial, interno ou

expostos nas mesas ou

a operação. Está programado que,

Pré-Pago

até o final de 2006, todos esses

tecnológica já está operando em

que recebem uma advertência caso

projetos estejam concluídos.

São Paulo, Rio Grande do Sul

seja detectada essa condição.

68 | Relatório Anual 2005

A nova solução

computadores de funcionários,


Gestão de redes Os Centros de Gerenciamento de Redes estão consolidados em duas cidades, São Paulo e Brasília.

concorrentes como subsídio para

compartilhamento de experiências

ações de várias áreas, como

para que a empresa fornecedora

marketing, clientes e rede.

consiga resgatar seu padrão. Também é utilizado um sistema de

de Mapeamento para Atendimento

Gestão de fornecedores

e Projeto (SMAP), que permite

O Portal de Fornecedores assegura

acompanhar eventos anormais e

agilidade e transparência aos

relacionar as reclamações feitas por

processos de compras, além de

usuários com falhas e oscilações de

constituir importante canal de

rede. Com isso, há condições de

relacionamento. Ele possibilita

responder rapidamente às

incrementar a integração e o

demandas dos clientes e solucionar

acesso a informações de forma

em pouco tempo eventuais

bidirecional. No Portal são

problemas. É possível, por exemplo,

utilizados formulários interativos,

verificar o funcionamento de uma

para que os clientes internos das

Estação Rádio-Base caso um cliente

diversas áreas avaliem o

ligue reclamando da qualidade do

desempenho dos fornecedores e

sinal. O sistema também fornece

prestadores de serviços que

informações sobre o equipamento

participam de processos de

que apresenta dificuldades, o

compras. As notas atribuídas

fabricante e sua configuração, o

servem como parâmetro para a

que agiliza a resolução do

seleção e são associadas aos

problema, uma vez que o

pareceres técnicos de cada

profissional já pode levar o

processo de compra. As quedas

Seleção

material necessário para a

de pontuação são um alerta

A Divisão de Compras realiza uma

manutenção.

para entrar em contato com

análise crítica com as áreas que

Outra ferramenta é o Portal de

o fornecedor em busca de

demandam os recursos, sobre as

Cobertura, em que é possível

explicações para a queda

especificações de compras, como

acompanhar a evolução de

de qualidade, o que pode

forma de garantir que sejam

cobertura da Vivo e dos

resultar, em alguns casos, no

sempre observados os preceitos

Foi concluído, em 2005, o Sistema

B2B, que sistematiza e simplifica a compra de bens e materiais, e também proporciona aproximação com os fornecedores e clientes e altera profundamente a cadeia logística, como o atendimento de demandas com o lead time zero. Em 2005, foi introduzida a plataforma de e-sourcing Adquira Podium. Por meio dela, a Vivo entrega os documentos relacionados às compras e licitações e assegura seu recebimento, além de sanar dúvidas dos fornecedores via Internet. O sistema permite o compartilhamento simultâneo das informações e dá ainda mais transparência às relações.

Relatório Anual 2005

|

69


12

Joacir JosĂŠ Bonatto, colaborador da Vivo

Ferramentas e modelos de gestĂŁo


éticos e legais de toda e qualquer

para que os acionistas tenham

identificação de oportunidades

contratação, além de impedir a

uma visão mais transparente

para o desenvolvimento de novas

contratação/subcontratação de

das transações realizadas.

soluções com base em contatos

menores em idade escolar.

A informatização dos processos

com fornecedores, estudos de

O fornecedor, durante seu

também eliminou o consumo de

mercado e benchmarking com

processo de cadastramento, deve

papéis, com impacto positivo no

outras operadoras e análise de

assinar documento que estabelece

aspecto ambiental.

idéias surgidas internamente.

as Condições Gerais de

As melhores propostas são

de 2006, todos os cadastrados ou

Gestão de documentos

em processo de cadastramento

No ano, a Vivo desenvolveu um

de negócios, como forma de

receberão o Manual de

projeto de digitalização e

avaliar o potencial de receita, de

Relacionamento com Fornecedores,

armazenagem de todos os seus

inovação e diferenciação diante

que trará as instruções sobre a

documentos, o que resulta na

da concorrência, bem como a

conduta desejável em relação à

redução da possibilidade de fraudes

viabilidade tecnológica no curto

responsabilidade social.

em subscrições, queda no número

ou médio prazo.

A Vivo também leva em conta a

de autos de infração e multas

Serviços com potencial são

conduta ética em relação às

fiscais, ações cíveis e trabalhistas.

incluídos no planejamento anual

informações confidenciais e a

Permite colocar à disposição todos

da área. É realizada uma

garantia de que os materiais

os documentos de clientes on-line e

averiguação interna com relação

adquiridos não sejam provenientes

fornecer uma resposta mais rápida

às especificações funcionais de

de falsificação, pirataria ou roubo

em casos de demanda ou

serviços pretendidos e são

nem fruto de trabalho forçado.

fiscalização. As informações são

promovidos focus groups e testes

hierarquizadas e, com base nisso, o

de mercado. Com as especificações

acesso aos documentos é restrito.

técnicas estabelecidas

Contratação. No primeiro semestre

Sistema O Sistema de Compras permite

listadas, e para cada uma delas começa a ser delineado um plano

posteriormente é feita a seleção de

documentação e as informações

Gestão da inovação

sobre o cumprimento das etapas

Para selecionar serviços a serem

preços, campanha de comunicação,

de cada processo. O sistema

lançados no mercado, a Vivo

canais de distribuição etc.

também está disponível na área

mantém uma Gerência de Novos

de Relações com Investidores,

Serviços, responsável pela

acessar por meio eletrônico toda a

fornecedores e passa-se a analisar a parte comercial, com a definição de

Relatório Anual 2005

|

71


13 Desempenho econômicofinanceiro

Por mais um ano, o cenário de alta competitividade vivenciado no setor de telefonia celular brasileiro afetou o desempenho dos negócios das operadoras. Ainda assim, em todas as holdings que compõem a Vivo foi registrado um EBITDA significativo e margens que estão entre as melhores do mercado.

72 | Relatório Anual 2005

Receita Operacional Líquida

menos do que os registrados em

Líquida de mercadorias caiu

2004 (R$ 1.175,4 milhões).

9,7%, passando de R$ 330,9

Na Tele Centro-Oeste Celular

milhões, em 2004, para R$ 298,8

Participações (TCO), o

milhões no final de 2005.

Na Telesp Celular Participações

crescimento foi de 2,8% na

A Receita Operacional Líquida

(TCP), a Receita Operacional

Receita Operacional Líquida em

da Tele Leste Celular foi de

Líquida aumentou 1,8%,

comparação a 2004.

R$ 561,8 milhões, um

atingindo R$ 7.473,2 milhões.

Ela totalizou R$ 2.271,5 milhões,

crescimento de 15,4% em

No ano anterior, ficou em

ante os R$ 2.210,5 milhões do

comparação com 2004, quando

R$ 7.341,0 milhões. Já a receita

exercício anterior. Os recursos

totalizou R$ 487,0 milhões.

de serviços cresceu 3,2% no ano,

proporcionados pela prestação

A receita de serviços também

chegando a R$ 6.361,0 milhões

de serviços cresceram 5,0% em

apresentou crescimento,

(em 2004 foram R$ 6.165,6). Os

2005, em relação ao período

de 11,7%, atingindo R$ 478,1

recursos oriundos de vendas de

anterior, passando de R$ 1.879,6

milhões em 2005 (em 2004

mercadorias, em 2005, foram de

milhões para R$ 1.972,7

foram R$ 428,0 milhões).

R$ 1.112,2 milhões, ou 5,4%

milhões. A Receita Operacional

A receita líquida


Maria Fernanda Albuquerque, colaboradora da Vivo


13

Desempenho econômico-financeiro

de mercadorias aumentou

passando de R$ 197,1 milhões

Na TCP, a receita de Assinatura e

41,9% em relação a 2004,

para R$ 130,2.

Utilização avançou 10,2% em

passando de R$ 59,0 milhões

comparação com 2004, enquanto

Na Tele Sudeste Celular

Receita Líquida de Serviços

Participações (TSD), a Receita

Todas as holdings registraram, no

foram registradas evoluções,

Operacional Líquida em

ano, um aumento na sua Receita

respectivamente, de 21,8%,

2005 foi de R$ 2.078,0

Líquida de Serviços, decorrente

21,6% e 21,6%.

milhões, ou seja, 7,8% maior

do incremento da base de

Um dos destaques no ano foi a

do que a registrada em 2004,

clientes, bem como de uma maior

evolução da receita proveniente

de R$ 1.927,0 milhões.

utilização das soluções e serviços

de serviços de dados, cuja

A receita de serviços avançou

ofertados. Os bons resultados

evolução foi significativa em

9,9%, totalizando R$ 1.762,8

foram obtidos mesmo com os

todas as holdings em comparação

milhões. Em 2004, foi de

efeitos das ações da adequação

com o ano de 2004. Na Telesp

R$ 1.604,5 milhões.

de perfil do cliente, como Vivo

Celular Participações avançou

Já a receita de mercadorias

Ideal e de outras campanhas

43,0% em 2005; na Tele Centro-

decresceu 2,3%, em comparação

de fidelidade.

Oeste Celular Participações,

com 2004, passando de R$ 322,5

O incremento no tráfego sainte

39,5%; na Tele Leste Celular

milhões para R$ 315,2 milhões.

total permitiu a todas as holdings

Participações, 150,9%; na

Na Celular CRT Participações

registrarem avanços no que se

Celular CRT Participações, 43,4%;

(CRT), a Receita Operacional

refere às receitas oriundas de

e, na Tele Sudeste Celular

Líquida registrada no ano foi

assinatura e utilização. No

Participações, 128,9%.

0,7% superior à de 2004,

entanto, o crescimento foi

Em relação às receitas

totalizando R$ 1.182,3 milhões.

parcialmente compensado pela

provenientes da venda de

Os ganhos provenientes

queda de receita de tráfego

mercadorias, com exceção da

de serviços avançaram 7,7%

entrante, que decorreu do

TLE, todas as holdings

em 2005, passando de R$ 977,2

deslocamento de tráfego

apresentaram redução em 2005.

milhões para R$ 1.052,1 milhões.

fixo-móvel para móvel-móvel –

O resultado decorre da

A receita oriunda das

o que acarretou menores ganhos

quantidade de aparelhos

mercadorias decresceu 33,9%

com interconexão – e das regras

comercializados, associada a

no ano, comparada com 2004,

de Bill & Keep.

melhores acordos comerciais,

para R$ 83,7 milhões.

74 | Relatório Anual 2005

na TCO a expansão chegou a 14,5%. Já na TLE, CRT e TSD


assim como à alta competição

serviços de conservação e

client care pós-venda.

pelo mercado. Traduz, ainda, a

manutenção da rede, e com

Na TSD, os custos operacionais

estratégia da Vivo de focar suas

energia elétrica. O custo de

aumentaram 11,9% em relação

ações em clientes de médio e

mercadorias vendidas decresceu,

a 2004, atingindo R$ 1.563,9

alto valores e de não ter

entre outros motivos, pelo menor

milhões. O resultado é reflexo

reduzido o preço dos aparelhos

número de ativações no período.

do maior gasto com a

(barreira de entrada).

A despesa de comercialização dos

comercialização de serviços,

serviços, porém, aumentou em

o que, por sua vez, resulta

conseqüência dos custos com

em incremento nas despesas

terceiros, especialmente

com serviços de terceiros,

publicidade e comissões e client

especialmente as associadas

Todas as holdings apresentaram

care, relacionados ao aumento do

a publicidade e comissões e

acréscimos nos seus custos

tráfego total.

client care pós-venda. O custo

operacionais, em decorrência

No ano, a TLE registrou um

dos serviços prestados cresceu

da alta competitividade no

aumento de 24,7% nos custos

2,8% em 2005, em comparação

mercado de telefonia celular

operacionais em comparação com

a 2004, e decorre do aumento na

brasileiro e do aumento

2004, que chegaram a R$ 471,2

Taxa FISTEL pela ampliação

nas despesas comerciais.

milhões. Entre os fatores que

do parque, do acréscimo no item

Na TCP, os custos operacionais

resultaram nesse incremento

aluguéis/seguros e condomínios,

antes de depreciação e

estão o aumento da Taxa FISTEL

e também do incremento de

amortização aumentaram 14,3%

e o maior número de links e

custos nos serviços de terceiros,

em comparação com 2004, e

negociações de meios de

principalmente em manutenção

atingiram R$ 5.434,1 milhões. Na

conexão. Também contribuíram

de rede e energia elétrica,

TCO, cresceram 23,0%, chegando

os maiores gastos com aluguéis,

parcialmente compensado

a R$ 1.622,2 milhões. No ano

seguros e condomínios durante

pela redução em meios

anterior foram de R$ 1.319,2

as campanhas promocionais, e as

de conexão (rede e elementos

milhões. Na TCO, influiu no

despesas com serviços de

de transmissão) e interconexão.

incremento o maior número de

terceiros. O crescimento

Na CRT, os custos operacionais

links, meios de conexão, bem

decorreu, ainda, do avanço nas

aumentaram 7,3% em

como o aumento dos gastos com

despesas associadas a

comparação com 2004, atingindo

terceiros, especialmente em

publicidade e comissões e

R$ 802,4 milhões. A evolução

Custos e despesas operacionais

Relatório Anual 2005

|

75


13

Desempenho econômico-financeiro

é conseqüência basicamente

de R$ 2.039,1 milhões, 21,2%

serviços (que foi de 58,6%) e pelo

do aumento da Taxa Fistel

inferior ao de 2004. A margem

aumento do custo de serviços

pela ampliação da base média

de 27,3 % sobre a Receita

prestados (67,6%).

de clientes, de despesas com

Operacional Líquida foi 8,0

A TLE acumulou um EBITDA

meios de conex��o (rede e

pontos percentuais inferior à

17,0% menor do que o registrado

elementos de transmissão),

obtida no ano anterior. Na

em 2004. Em 2005, ficou em

de serviços de terceiros, bem

holding, a queda decorre, entre

R$ 90,6 milhões, o equivalente a

como do aluguel de imóveis

outros fatores, do incremento no

16,1% da Receita Operacional

e circuitos de dados.

custo de comercialização (PDD e

Líquida total (margem EBITDA).

O custo das mercadorias

terceiros), que avançou 41,1%, e

No ano anterior, os números

vendidas decresceu em razão do

do custo dos serviços prestados

registrados foram,

menor número de ativações,

(aumentou 15,9%), que foram

respectivamente, R$ 109,1

embora tenha sido parcialmente

parcialmente compensados pela

milhões e 22,4%. O desempenho

compensado pelo incentivo à

redução no custo de mercadorias

reflete, entre outros fatores, o

troca de terminais TDMA por

vendidas (retração de 8,5%) e o

aumento no custo de

CDMA. Já os custos com

aumento de receita de assinatura

mercadorias vendidas, de

comercialização dos serviços

e utilização (10,2%).

comercialização dos serviços e de

cresceu por conta do incremento

Na TCO, o EBITDA ficou em

serviços prestados – que foram,

nas despesas com serviços

R$ 649,3 milhões, o que

respectivamente, de 13,5%,

de terceiros.

representa uma queda de 27,2%

52,6% e 16,1% –, parcialmente

em relação a 2004. A margem

compensados pela maior receita

EBITDA

EBITDA foi de 28,6%, 11,7 pontos

de assinatura e utilização

Em 2005, o EBITDA apresentado

percentuais inferior à do ano

(avanço de 21,8%) e de venda

pelas holdings que integram

anterior, quando o EBITDA foi de

de aparelhos (41,9%).

a Vivo foi menor do que

R$ 891,3 milhões. A variação foi

Por parte da TSD, o EBITDA foi

o registrado no ano anterior,

ocasionada pela queda de receita

de R$ 514,1 milhões, o

porém as margens registradas

de aparelhos (redução de 9,7%) –

equivalente a 24,7% da Receita

por elas continuam entre as

parcialmente compensada pelo

Operacional Líquida total. Em

melhores do mercado brasileiro

menor custo de mercadorias

comparação a 2004, quando o

de telefonia celular.

(reduziu 10,3%) –, pelo acréscimo

EBITDA foi de R$ 528,9 milhões,

O EBITDA registrado na TCP foi

no custo de comercialização dos

houve uma redução de 2,8%,

76 | Relatório Anual 2005


causada, entre outros fatores,

o aumento no custo de

inferior ao de 2004 (R$ 182,0).

pela queda na receita de

comercialização dos serviços

Na Tele Sudeste Celular

aparelhos. A margem EBITDA

(42,4%) e a elevação do custo

Participações o lucro foi 19,8%

registrou queda de 2,7 pontos

de serviços prestados (17,1%).

maior do que o registrado no

percentuais. A menor receita de

Esses indicadores foram

ano anterior, totalizando

aparelhos (-2,3% em relação a

parcialmente compensados pela

R$ 111,2 (em 2004, foi de

2004) e o aumento do custo de

retração no custo de mercadorias

R$ 92,8 milhões).

comercialização dos serviços

vendidas, que decresceu 25,8%.

Na TCP, o prejuízo registrado no

(PDD e terceiros) e de serviços

final do ano foi de R$ 909,2

respectivamente, de 37,4% e

Resultado do exercício

2,8%) são fatores que

A Tele Centro-Oeste Celular

o prejuízo totalizou R$ 92,1

interferiram no resultado, ainda

Participações, a Celular

milhões, sendo que no

que tenham sido parcialmente

CRT Participações e a Tele

ano anterior havia sido

compensados pela redução

Sudeste Celular Participações

de R$ 34,2 milhões.

no custo de mercadorias

registraram lucro em 2005,

vendidas (-9,1% no ano).

enquanto a Telesp Celular

Na Celular CRT Participações,

Participações e a Tele Leste

Empréstimos e financiamentos

o EBITDA foi de R$ 379,9

Celular Participações

A Telesp Celular Participações

milhões, o equivalente a

acumularam prejuízo

encerrou o exercício de 2005

32,1% da Receita Operacional

no período.

com uma dívida de R$ 5.193,0

Líquida total. Em comparação

Na TCO, o lucro acumulado

milhões (R$ 4.963,2 milhões no

a 2004, quando o EBITDA foi

no exercício foi de R$ 339,1

final de 2004), sendo 62%

de R$ 426,2 milhões, houve

milhões, o que representa uma

denominada em moeda

uma redução de 10,9%.

redução de 33,1% em

estrangeira, coberta por

A margem se retraiu 4,2 pontos

comparação com 2004, quando

operações de hedge.

percentuais. Entre os motivos

atingiu R$ 507,1 milhões.

O endividamento registrado em

que resultaram no

Na Celular CRT Participações,

31 de dezembro de 2005 era

prestados (evolução,

milhões. Em 2004, fora de R$ 490,1 milhões. Na TLE,

no final de 2005 o lucro

compensado pelos recursos

de 2004 estão: a redução da

registrado foi de R$ 129,3

disponíveis em caixa e

receita de aparelhos (-33,9%);

milhões, resultado 29,0%

aplicações financeiras

desempenho inferior ao

Relatório Anual 2005

|

77


13

Desempenho econômico-financeiro

Desempenho econômicofinanceiro (em R$ milhões)

TCP

TCO

2005

2004

Receita Operacional Líquida

7.473,2

7.341,0

1,8%

2.271,5

2.210,5

2,8%

Receita líquida dos serviços

6.361,0

6.165,6

3,2%

1.972,7

1.879,6

5,0%

Receita líquida de vendas de mercadorias

1.112,2

1.175,4

-5,4%

298,8

330,9

-9,7%

Custos Operacionais*

Variação

2005

2004

Variação

(5.434,1)

(4.752,9)

14,3%

(1.622,2)

(1.319,2)

23,0%

Pessoal

(408,3)

(385,6)

5,9%

(153,5)

(141,7)

8,3%

Custo dos serviços prestados

(931,0)

(803,6)

15,9%

(277,5)

(165,6)

67,6%

Custo de mercadorias vendidas

(1.587,1)

(1.734,5)

-8,5%

(498,6)

(556,0)

-10,3%

Comercialização dos serviços

(2.219,6)

(1.573,2)

41,1%

(627,8)

(395,8)

58,6%

(370,4)

(350,6)

5,6%

(108,2)

(84,1)

28,7%

82,3

94,6

-13,0%

43,4

24,0

80,8%

2.039,1

2.588,1

-21,2%

649,3

891,3

-27,2%

Despesas gerais e administrativas Outras receitas (despesas) operacionais EBITDA Margem EBITDA (%)

27,3%

35,3%

-8,0 p.p.

28,6%

40,3%

-11,7 p.p.

(1.552,4)

(1.273,5)

21,9%

(262,8)

(210,0)

25,1%

Receitas (Despesas) Financeiras Líquidas

(917,6)

(1.095,3)

-16,2%

117,1

62,2

88,3%

Resultado do Exercício

(909,2)

(490,1)

85,5%

339,1

507,1

-33,1%

Empréstimos e Financiamentos

5.193,0

4.963,2

4,6%

108,9

226,3

-51,9%

Dívida Líquida

4.481,0

3.809,2

17,6%

770,4

704,2

9,4%

Depreciação e Amortização

* Antes de depreciação e amortização

(R$ 1.022,1 milhões) e pelos

enquanto no final de 2004

A Tele Leste Celular Participações

ativos e passivos de derivativos

era de R$ 226,3 milhões.

encerrou 2005 com dívida

(R$ 310,1 milhões a pagar),

O endividamento registrado em

de R$ 317,0 milhões, sendo 54%

resultando numa dívida líquida

31 de dezembro de 2005 era

denominada em moeda

de R$ 4.481,0 milhões

compensado pelos recursos

estrangeira totalmente coberta

(R$ 3.809,2 milhões em

disponíveis em caixa e aplicações

com operações de hedge. No final

31 de dezembro de 2004).

financeiras (R$ 894,5 milhões) e

de 2004 era de R$ 314,1 milhões.

A Tele Centro-Oeste Celular

pelos ativos e passivos de

O endividamento registrado

Participações encerrou o

derivativos (R$ 15,2 milhões a

em 31 de dezembro

exercício de 2005 com dívida

pagar), resultando em uma

de 2005 era compensado

de R$ 108,9 milhões, sendo

posição líquida de caixa de

pelos recursos disponíveis

28% denominada em moeda

R$ 770,4 milhões, maior do

em caixa e aplicações financeiras

estrangeira totalmente coberta

que a posição de 2004, que era

(R$ 17,0 milhões) e pelos ativos

com operações de hedge,

de R$ 704,2 milhões.

e passivos de derivativos

78 | Relatório Anual 2005


TLE 2005

2004

TSD Variação

2005

CRT

2004

Variação

2005

2004

Variação

561,8

487,0

15,4%

2.078,0

1.927,0

7,8%

1.182,3

1.174,3

0,7%

478,1

428,0

11,7%

1.762,8

1.604,5

9,9%

1.052,1

977,2

7,7%

83,7

59,0

41,9%

315,2

322,5

-2,3%

130,2

197,1

-33,9%

(471,2)

(377,9)

24,7%

(1.563,9)

(1.398,1)

11,9%

(802,4)

(748,1)

7,3%

(35,5)

(33,1)

7,3%

(113,3)

(122,0)

-7,1%

(61,3)

(59,5)

3,0%

(97,6)

(84,1)

16,1%

(299,4)

(291,2)

2,8%

(170,4)

(145,5)

17,1%

(134,3)

(118,3)

13,5%

(479,2)

(526,9)

-9,1%

(224,2)

(302,3)

-25,8%

(166,5)

(109,1)

52,6%

(523,9)

(381,2)

37,4%

(298,5)

(209,6)

42,4%

(32,1)

(29,7)

8,1%

(125,0)

(94,2)

32,7%

(60,1)

(58,5)

2,7%

(5,2)

(3,6)

44,4%

(23,1)

17,4

n.d

12,1

27,3

-55,7%

90,6

109,1

-17,0%

514,1

528,9

-2,8%

379,9

426,2

-10,9%

16,1%

22,4%

-6,3 p.p.

24,7%

27,4%

-2,7 p.p.

32,1%

36,3%

-4,2 p.p.

(113,5)

(110,1)

3,1%

(357,8)

(393,7)

-9,1%

(221,3)

(205,5)

7,7%

(61,5)

(24,7)

149,0%

26,8

5,7

370,2%

39,2

25,8

51,9%

(92,1)

(34,2)

169,3%

111,2

92,8

19,8%

129,3

182,0

-29,0%

317,0

314,1

0,9%

0-

50,3

-100%

142,7

268,0

-46,8%

344,1

257,2

33,8%

450,7

290,6

55,1%

218,0

237,2

-8,09%

(R$ 44,1 milhões a pagar),

eram de R$ 454,4 milhões,

com operações de hedge,

resultando numa dívida

compensados pelos ativos e

enquanto no final de 2004 era

líquida de R$ 344,1 milhões

passivos de derivativos de

de R$ 268,0 milhões. O

(R$ 257,2 milhões em 31

cobertura de passivos cambiais

endividamento registrado em

de dezembro de 2004).

não-financeiros (R$ 3,7 milhões

31 de dezembro de 2005 era

A Tele Sudeste Celular

a pagar), resultando numa

compensado pelos recursos

Participações encerrou o

posição líquida de caixa de

disponíveis em caixa e

exercício de 2005 sem dívidas

R$ 450,7 milhões (R$ 290,6

aplicações financeiras

com instituições financeiras.

milhões em 2004).

(R$ 379,6 milhões) e pelos

No final de 2004 ela era

A Celular CRT encerrou o

ativos e passivos de derivativos

de R$ 50,3 milhões.

exercício de 2005 com dívida

(R$ 18,8 milhões a pagar),

Em 31 de dezembro de 2005,

de R$ 142,7 milhões, sendo

resultando numa posição líquida

os recursos disponíveis

100% denominada em moeda

de caixa de R$ 218,0 milhões

em caixa e aplicações financeiras

estrangeira totalmente coberta

(R$ 237,2 milhões em 2004).

Relatório Anual 2005

|

79


Delfin Kengo Mitsui, colaborador da Vivo

80 | Relat贸rio Anual 2005


14 Gestão de riscos Como forma de minimizar possíveis impactos provocados por fatores externos ou internos, a Vivo adota medidas que asseguram a perenidade de seus negócios e a continuidade das operações.

Riscos de mercado

office. Dessa forma, cada tipo

primeiros trechos de tecnologia

de reclamação é avaliado por

EV-DO. Também concluiu a

Para administrar possíveis riscos

especialistas, que trabalham

digitalização das suas redes, e a

de mercado, a Vivo investe na

para desenvolver ações capazes

tecnologia CDMA 1xRTT foi

ampliação da cobertura e na

de entender o motivo

expandida. Ela permite a oferta

qualidade proporcionada por sua

da insatisfação do cliente

de produtos exclusivos, como o

rede e seus sistemas de

e solucioná-lo.

Vivo Encontra. Com isso, amplia

informação. Como já apontado

Lança mão de uma estratégia

sua receita proveniente da

anteriormente, monitora o

de marketing fundamentada em

prestação de serviços de dados e

desempenho de todos os

pesquisas com pessoas de todo

de serviços de valor adicionado.

operadores de seus call centers e

o Brasil, tendo a capacidade de

identifica oportunidades para

concentrar ações de acordo com

aperfeiçoar o atendimento aos

as demandas regionais. Monitora

Riscos regulamentares

clientes, com o apoio de uma

mensalmente, por meio de um

Uma Diretoria de

estrutura centralizada de back

conjunto de pesquisas, a força

Regulamentação é responsável

office. Também possui um

da marca, das suas campanhas

pelo acompanhamento dos

sistema eletrônico que permite

publicitárias etc.

eventos setoriais e o

ao consumidor atribuir uma nota

desenvolvimento de atividades

com as centrais de atendimento.

Riscos de tecnologia

Em 2005, lançou o Projeto

A Vivo ocupa uma posição de

Paralelamente, atua para

Cliente Vivo, que abastece

vanguarda na telefonia celular

defender os interesses

as áreas envolvidas com

brasileira, como pioneira no

corporativos perante a Anatel

informações sobre reclamações

lançamento da terceira geração

e participa da Associação

dos clientes repassadas ao back

no País, com a instalação dos

das Operadoras Celulares (Acel),

de satisfação em seu contato

que a enquadrem nas exigências de um mercado regulamentado.

Relatório Anual 2005

|

81


14

Gestão de riscos

mediante a qual desenvolve

Ministério Público, com o

credenciada em todo o Brasil

ações em defesa dos

objetivo de antecipar ou

sendo que praticamente a

seus interesses.

solucionar possíveis demandas.

totalidade foi entregue em um

Realiza um levantamento sobre

prazo máximo de dois dias após

aprovados pela Anatel, ao longo

Riscos operacionais

do ano, e avalia o impacto que

Redes

medidas semelhantes tiveram em

andamento de suas atividades e a

para o desenvolvimento das

outros países, emitindo uma

prestação de serviços de qualidade,

atividades de logística.

recomendação sobre a

é feito monitoramento constante

A estrutura da área é centralizada

probabilidade do acontecimento.

de rede, que permite identificar e

em São Paulo, mas as ações são

Atua na área de meio ambiente

sanar, com rapidez, possíveis

desenvolvidas pelas equipes

com o objetivo de resguardar o

ocorrências desfavoráveis.

alocadas nas regionais.

todos os projetos que possam ser

Para assegurar o bom

cumprimento da legislação e

o pedido. A plataforma SAP, cuja integração em todas as regionais foi concluída em 2005, é utilizada

promover ações internas e

Abastecimento

externas na preservação

com multivendas, ou seja, sempre

Risco financeiro

ambiental. É responsável, entre

considera no mínimo três opções

Cenário

outros assuntos, por acompanhar

de fornecedores que provêem as

sobre o risco país e eventual

as legislações locais referentes à

mesmas soluções. Além de

instabilidade institucional,

instalação de Estações Rádio-Base.

assegurar o abastecimento,

a Vivo utiliza a expertise de

Mantém uma Diretoria de

essa conduta confere poder de

acionistas controladores.

Relações Institucionais,

negociação à Vivo.

Trabalha

Cambial

responsável pelo diálogo com os

Para uma análise

Operações de

poderes públicos (executivo,

Distribuição

legislativo e judiciário), nos

centros de distribuição instalados

proteção em relação às oscilações

âmbitos federal, estadual e

em sua área de atuação, o que

de cotação de moedas

municipal. Essa diretoria é

assegura a capacidade de

estrangeiras, sendo que o

encarregada, também, de manter

reposição rápida de terminais.

endividamento passa a ser

a Ouvidoria, órgão que estabelece

Em 2005, a área de logística

atrelado a moeda local por meio

relacionamento com entidades de

promoveu a distribuição de 12

do Certificado de Depósito

defesa do consumidor e com o

milhões de aparelhos por sua rede

Interfinanceiro (CDI).

82 | Relatório Anual 2005

Mantém 27

hedge são realizadas como


Risco de liquidez

de cada um. Em 2005, foi

acompanhar o desenvolvimento

O fluxo de caixa é gerenciado de

introduzida a ferramenta Vivo

das ações, assegurando práticas

forma a assegurar os recursos

Score, que permite a realização

ambientalmente corretas e

necessários para dar

dessa análise e a utilização das

alinhadas ao Sistema de Gestão

continuidade às operações.

informações pelos agentes de call

Ambiental e à Política

center, também com o objetivo de

Ambiental da Vivo.

Crédito instituições financeiras

minimizar o risco de inadimplência

As disponibilidades financeiras são

por parte dos clientes.

Risco de patrimônio

primeira linha. A análise considera

Risco ambiental

a classificação dos bancos por

Há medição constante das

agências de rating para determinar

emissões eletromagnéticas das

o percentual de alocação dos

Estações Rádio-Base. As baterias

Riscos operacionais

recursos por instituição.

descartadas de telefones

Danos materiais, lucros

celulares e baterias de Erbs são

cessantes, danos de natureza,

Crédito distribuidores

coletadas e encaminhadas aos

risco virtual, equipamentos

São estabelecidos limites para

fabricantes, responsáveis pelo

eletrônicos, infidelidade de

concessão de crédito de acordo

descarte final. Instituições

funcionários, riscos de

com o porte de cada empresa.

sociais são beneficiadas com a

engenharia, roubo e furto de

Elas são divididas em dois grupos,

renda proveniente da venda de

bens e valores, terrorismo etc.

de acordo com o volume de

materiais de coleta seletiva

vendas: superior e inferior

realizada nas unidades e das

a R$ 100 mil.

baterias de Erbs. É realizado

Responsabilidade civil Operações de serviços de

ainda um intenso trabalho de

telefonia, responsabilidade

Crédito cliente

conscientização ambiental entre

civil cruzada, danos morais,

Os hábitos de consumo dos

os colaboradores. As ações são

falhas profissionais da

consumidores são monitorados

coordenadas pela gerência de

área médica, falhas profissionais

e classificados de acordo com o

Meio Ambiente, responsável por

em operações, conteúdos,

risco, com a oferta de planos e

estabelecer os projetos de meio

patentes e práticas de

serviços mais adequados ao perfil

ambiente e suas metas e

funcionários, veículos

aplicadas em instituições de

São contratados seguros que oferecem as seguintes coberturas:

Relatório Anual 2005

|

83


14

Gestão de riscos

operacionais (danos materiais,

cada processo e permite a

corporais e morais).

gestão do contencioso, o estabelecimento de metas de

Vida

Apólices para

redução etc. Todos os temas

funcionários e executivos

contratuais passam pela análise

da empresa.

da área Jurídica, que pode ter atuação pontual ou ainda buscar

Frota

Seguro total para

a frota executiva de veículos

modelos padronizados que permitam uma maior agilidade.

e seguro viagem.

Risco de fraude Transporte de carga

O Sistema Antifraude Integrado é

Aparelhos e outros ativos em

capaz de monitorar diariamente

transporte.

até 60 milhões de transações. Também faz o controle de

Riscos legais

qualidade dos terminais dentro

Equipes e estruturas são

das fábricas dos fornecedores.

mantidas nas regionais,

Uma equipe de profissionais

coordenadas pela gerência

assegura que os aparelhos sejam

nacional e pela diretoria Jurídica,

pré-testados, impedindo a

o que assegura uma padronização

comercialização nos casos em

dos procedimentos, sem a perda

que é detectado algum problema

do contato com as culturas locais.

em relação à autenticação.

Conta, ainda, com um sistema

No início de 2006 foi iniciada a

interno denominado Processum,

instalação de safety-rooms nos

em que estão cadastrados,

centros de distribuição. São salas

arquivados e acessíveis à equipe

em que os telefones destinados

da área Jurídica todos os

ao segmento pós-pago são

processos judiciais. O sistema

novamente testados, utilizando

assegura interface com as outras

a rede, para averiguar se são

áreas, apresenta o andamento de

suscetíveis à clonagem.

84 | Relatório Anual 2005

Riscos de investimento Programas de gestão possibilitam fazer a análise de risco do investimento, bem como acompanhar o desenvolvimento dos projetos em que foram aplicados os recursos. Além disso, é realizado um planejamento de longo prazo, alinhado à estratégia delineada por meio do Balanced ScoreCard.


Mรกrcia Pereira, colaboradora da Vivo


15 Ações como

investimento

A Vivo é a marca da joint venture BrasilCel, constituída pela união dos ativos celulares da Portugal Telecom e da Telefónica Móviles no Brasil, homologada em dezembro de 2002. Ela é constituída por cinco holdings, que, por sua vez, controlam 14 operadoras que prestam serviço móvel pessoal no País. Telefónica Móviles

Marrocos, Guiné Bissau, Cabo

subsidiária integral da Telesp

é uma companhia do Grupo

Verde, Moçambique, Timor,

Celular Participações (TCP) – e

Telefónica, sendo líder nos

Angola, Quênia, China e

das holdings Tele Sudeste Celular

mercados de línguas espanhola e

São Tomé e Príncipe. O Grupo

Participações S.A., Tele Leste

portuguesa, com operações em

Portugal Telecom atende a mais

Celular Participações S.A.

15 países de três continentes.

de 38 milhões de clientes.

e Celular CRT Participações

O número de clientes supera 89

S.A. pela TCP.

Reestruturação

Os objetivos são simplificar a

Em dezembro de 2005, as

estrutura organizacional,

Portugal Telecom

administrações das holdings que

reduzindo custos e aumentando

é líder em Portugal, sendo a

compõem a Vivo anunciaram a

o valor para os acionistas;

empresa com maior projeção

aprovação, por seus respectivos

permitir aos acionistas a

internacional. Mantém um

Conselhos de Administração,

participação em uma companhia

portfólio de negócios

de uma proposta de

com maior liquidez nas bolsas

diversificado, que engloba todos

reestruturação societária que

brasileiras e internacionais; e

os segmentos do setor das

foi submetida aos acionistas das

facilitar a unificação,

telecomunicações: telefonia fixa,

sociedades. Ela compreende a

padronização e racionalização

móvel, multimídia, dados e

incorporação de ações da Tele

da administração geral dos

soluções empresariais. Está

Centro-Oeste Celular Participações

negócios, possibilitando o maior

presente em países como

S.A. – para conversão em

aproveitamento de sinergias

milhões de pessoas.

86 | Relatório Anual 2005


existentes entre as sociedades ou por meio das respectivas operadoras por elas controladas. Com a aprovação da reestruturação, a TCP incorpora ao seu patrimônio a totalidade das ações da TCO e os patrimônios da TSD, TLE e CRT, atribuindo diretamente aos titulares das ações das holdings as novas ações que lhes couberem na incorporadora TCP, de acordo com a relação de substituição estabelecida pelas sociedades. Concomitantemente à reestruturação societária, foi alterada a denominação social da TCP para Vivo Participações S.A. A relação de troca das ações de TCO, TSD, TLE e CRT por ações da TCP foi determinada com base nos respectivos valores econômicos, avaliados pela Goldman Sachs & Co., com base na metodologia de fluxo de caixa descontado, na data-base de 30 de setembro de 2005. O laudo de avaliação, conforme estabelecido nos respectivos estatutos sociais das holdings, dispõe que, como as relações de substituição definidas pelos Conselhos de Administração das sociedades enquadram-se nas faixas de relação de substituição

Iara dos Santos Rosa Botelho, colaboradora e voluntária da Vivo


15

Ações como investimento

resultantes das faixas de

de 30 de setembro de 2005, a

para efeitos de aumento

indicações de valor das

preços de mercado, pela empresa

de capital na incorporadora foram

sociedades extraídas do laudo,

Planconsult Planejamento e

preparados, nos termos dos

aplicadas consistentemente, foi

Consultoria. Segundo o referido

artigos 252 e 227 da Lei

dado, naquela data, tratamento

critério, as relações de

6.404/76, pela Deloitte Touche

eqüitativo às sociedades

substituição das ações das

Tohmatsu Auditores

interessadas. Aos acionistas das

holdings seriam as seguintes:

Independentes, ad referendum

sociedades que, em virtude da

cada ação ordinária e cada ação

dos acionistas das sociedades,

relação de substituição, fizerem

preferencial da TCO seria

tendo sido apurados os seguintes

jus a frações de ações, será pago

substituída por 3,5844 ações da

valores em relação a cada uma:

pro rata o valor líquido a preços

respectiva espécie da TCP; cada

de mercado das frações

ação ordinária e cada ação

agrupadas, apurado em leilão (ou

preferencial da TSD seria

leilões, se for o caso) na Bolsa de

substituída por 4,2863 ações

Valores de São Paulo (Bovespa).

da respectiva espécie da TCP;

Relações de troca propostas

cada ação ordinária e cada ação preferencial da TLE seria substituída por 4,8744 ações

Sociedade

Valor Patrimonial Contábil em 30/09/2005

TCO (ações R$ 2.835.326.030,00 a serem incorporadas) TSD R$ 2.048.695.003,00 TLE R$ 320.029.960,00 CRTPart R$ 1.224.158.787,00

Novas ações da TCP emitidas em

da respectiva espécie da TCP;

substituição a cada ação de

e cada ação ordinária e cada

Considerando os valores apurados

mesma espécie da sociedade

ação preferencial da CRT seria

na data-base referida, a

extinta ou incorporada:

substituída por 6,7258 ações

incorporação das ações acarretará

da respectiva espécie da TCP.

aumento de capital na TCP de

As ações da TCO e os respectivos

R$ 2.631.136.636,01 (dois

patrimônios das demais holdings

bilhões, seiscentos e trinta e um

Apenas para os fins do disposto

incorporadas foram avaliados com

milhões, cento e trinta e seis mil,

no artigo 264 da Lei no

base nos seus respectivos valores

seiscentos e trinta e seis reais e

6.404/76, a TCP, a TCO, a TSD,

patrimoniais contábeis na data-

um centavo), representado por

a TLE e a CRT tiveram seus

base de 30 de setembro de 2005,

258.768.433 (duzentos e

respectivos patrimônios

de acordo com as práticas

cinqüenta e oito milhões,

avaliados segundo os mesmos

contábeis da legislação em vigor.

setecentos e sessenta e oito mil,

critérios e na mesma data-base

Os Laudos de Avaliação das ações

quatrocentas e trinta e três)

TCO

TSD

TLE

CRTPart

3,0830 3,2879 3,8998

88 | Relatório Anual 2005

7,0294


novas ações ordinárias e em

resultante da divisão do valor do

respectivamente, pela

505.319.442 (quinhentos e cinco

capital pelo número total de ações

avaliação de cada uma das

milhões, trezentos e dezenove

ou 3% do valor de PL dividido

sociedades com base no valor

mil, quatrocentos e quarenta e

pelo número total de ações.

econômico e com base no

duas) novas ações preferenciais,

patrimônio líquido

Direitos Políticos de Ações PN Voto nas

contábil e a preços de mercado,

patrimonial contábil. Em conseqüência do referido

deliberações referentes a

que não há, em relação aos

aumento, o capital da TCP passou

quaisquer contratos entre

mesmos, qualquer conflito ou

a ser de R$ 9.301.289.134,27

empresas ligadas que sejam mais

comunhão de interesses, atual ou

(nove bilhões, trezentos e um

onerosos para a companhia do

potencial, em relação aos

milhões, duzentos e oitenta e

que os praticados no mercado;

acionistas controladores

nove mil, cento e trinta e quatro

voto nas deliberações

e minoritários das sociedades,

reais e vinte e sete centavos),

referentes à alteração ou

seus sócios, ou à

passando a TCP a ter emitidas,

revogação de certos dispositivos

reestruturação societária.

imediatamente após a operação, o

estatutários; voto pleno até

Embora não requeira a aprovação

total de 509.226.137 (quinhentos

pagamento dos dividendos

da Anatel, a reestruturação

e nove milhões, duzentos e vinte

a que fazem jus.

societária foi levada ao

apurado com base no critério

e seis mil, cento e trinta e sete)

declararam às sociedades

conhecimento da agência para fins de registro.

(novecentos e dezessete milhões,

Direitos Patrimoniais de Ações ON Dividendo

cento e oitenta e seis mil e

mínimo obrigatório de 25% do

reestruturação societária, será

oitenta) ações preferenciais.

lucro líquido ajustado pago a

considerada a possibilidade de

Os acionistas das holdings

todos os acionistas.

realização, oportunamente, de

ações ordinárias e 917.186.080

passaram a ter as mesmas

Uma vez concluída a

nova(s) reestruturação(ões),

Direitos Políticos de Ações ON Voto pleno.

inclusive novas incorporações,

patrimoniais daqueles que já são cotistas da TCP, o que inclui:

As auditorias Goldman Sachs &

processo de simplificação da

Co., Deloitte Touche Tohmatsu

estrutura societária das empresas

Direitos Patrimoniais de Ações PN Dividendo

Auditores Independentes e

Vivo, sem que isso represente

Planconsult Planejamento e

ou cause alterações na estrutura

maior entre 6% ao ano sobre valor

Consultoria, responsáveis,

acionária das empresas Vivo.

vantagens políticas e

visando dar continuidade ao

Relatório Anual 2005

|

89


15

Ações como investimento

ESTRUTURA SOCIETÁRIA EM 31/12/2005 Portugal Telecom SGPS S.A.

T 0,01%

Q = % quotas ON = % ações ordinárias PN = % ações preferenciais T = % total

Telefónica Móviles T 50,00% S.A.

T 100%

T 50,00%

PT Móveis T 49,99% SGPS S.A.

Brasilcel, NV

T 100%

Q 99,99%

Sudestecel Part. Ltda.

T 100%

Avista Part. Ltda.

Q 99,99%

ON 3,12% PN 3,49% T 3,36%

ON 54,28% ON 1,42% PN 5,01% PN 2,93% T 22,26% T 2,40%

Tele Leste Celular Part. S.A.

Ptelecom Brasil S.A.

ON 73,27% PN n/a T 73,27%

Tagilo Part. Ltda.

Q 39,85%

TBS Celular Part. Ltda.

ON 8,38% PN 12,84% T 10,90%

ON 21,77% PN 72,54% T 50,47%

ON 58,76% PN 0,0% T 23,54%

Tele Sudeste Celular Part. S.A.

ON 4,19% PN 23,44% T 15,09% T 15,39% s/ ações em tesouraria

ON 65,83% PN 0,88% T 29,06% T 29,63% s/ ações em tesouraria

Portelcom Part. S.A. ON 20,55% PN 25,40% T 23,29% T 23,75% s/ ações em tesouraria

Celular CRT Part. S.A.

ON 3,10% PN 4,89% T 4,11%

T 60,15%

ON 69,09% PN 50,02% T 57,23%

ON 23,42% PN 0,0% T 8,68%

Telesp Celular Part. S.A.

ON 90,59% PN 32,76% T 52,47%

ON 9,91% PN 29,52% T 22,65%

Tele Centro Oeste Part. S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Telergipe Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Telebahia Celular S.A.

90 | Relatório Anual 2005

ON 100% PN n/a T 100%

Telerj Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Telebahia Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Celular CRT S.A.

ON 100% PN 100% T 100%

Global Telecom S.A.

ON 100% PN 100% T 100%

Telesp Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

ON 100% PN n/a T 100%

Telegoiás Celular S.A.

Telemat Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Telems Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

ON 100% PN n/a T 100%

Teleron Celular S.A.

Teleacre Celular S.A.

ON 100% PN 100% T 100%

Norte Brasil Telecom S.A.

ON 100% PN 100% T 100%

TCO IP S.A.


ESTRUTURA SOCIETÁRIA PREVISTA T 0,01%

Q = % quotas ON = % ações ordinárias PN = % ações preferenciais T = % total

Telefónica Móviles T 50,00% S.A.

Portugal Telecom SGPS S.A. T 100%

T 50,00%

PT Móveis T 49,99% SGPS S.A.

Brasilcel, nv

ON 73,27% PN n/a T 73,27%

T 100%

Sudestecel Part. Ltda.

Q 99,99%

Tagilo Part. Ltda.

Q 99,99%

Avista Part. Ltda.

ON 22,99% PN n/a T 22,99%

T 100%

T 60,15%

Ptelecom Brasil S.A. Q 39,85%

TBS Celular Part. Ltda.

Portelcom Part. S.A.

ON 12,83% ON 16,97% PN 0,12% PN 0,15% T 4,65% T 6,15%

ON 2,23% PN 2,51% T 2,41%

ON 43,54% ON 1,92% PN 39,63% PN 5,12% T 41,03% T 3,98%

ON 11,44% PN 0,00% T 4,08%

Vivo Participações S.A.

ON 100% PN 100% T 100%

Tele Centro Oeste Part. S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

ON 100% PN n/a T 100%

Telergipe Celular S.A.

Telebahia Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Telerj Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Telest Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

ON 100% PN 100% T 100%

Celular CRT S.A.

Global Telecom S.A.

ON 100% PN 100% T 100%

Telesp Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

ON 100% PN n/a T 100%

Telegoiás Celular S.A.

Telemat Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

Telems Celular S.A.

ON 100% PN n/a T 100%

ON 100% PN n/a T 100%

ON 100% PN 100% T 100%

Teleron Celular S.A.

Teleacre Celular S.A.

Norte Brasil Telecom

ON 100% PN 100% T 100%

TCO IP S.A.

Relatório Anual 2005

|

91


15

Ações como investimento

Grupamento de ações

proporção de 3.000 ações para 1

representado por 89.801.999

ação da respectiva espécie,

ações escriturais, sem valor

Em 2005, todas as holdings que

transformando-as em 128.888.325

nominal, sendo 37.886.992 ações

compõem a Vivo promoveram o

ações nominativas escriturais,

ordinárias e 51.915.007 ações

grupamento de ações. O objetivo

sem valor nominal, sendo

preferenciais;

da medida foi ajustar o valor

43.152.889 ações ordinárias e

unitário de cotação das ações a

85.735.436 ações preferenciais.

CRT

O grupamento foi

realizado considerando a

um nível mais adequado do ponto de vista mercadológico,

TLE

uma vez que a cotação em reais

grupamento na proporção de

ação da mesma espécie, passando

por ação confere maior

50.000 ações para 1 ação da

o capital social a ser

visibilidade ao valor por lote de

respectiva espécie,

representado por 32.350.952

1.000 (mil) ações. Também se

transformando-as em 9.613.389

ações escriturais, sem valor

buscou uniformizar a base de

ações nominativas escriturais,

nominal, sendo 13.509.171 ações

cotação das ações nos mercados

sem valor nominal, sendo

ordinárias e 18.841.781 ações

nacional e internacional, reduzir

3.344.649 ações ordinárias e

preferenciais.

custos operacionais e aumentar a

6.268.740 ações preferenciais.

Foi promovido o

proporção de 100 ações para 1

de informações aos acionistas, e

TCP

reduzir as possibilidades de erros

proporção de 2.500 ações para

Bolsas de Valores em 2005

de informações, melhorando o

1 ação da mesma espécie,

O Índice da Bolsa de Valores de

atendimento. Foi mantida a

passando o capital social a ser

São Paulo – Ibovespa encerrou o

relação entre o valor da

representado por 633.025.410

ano cotado a 33.436 pontos.

quantidade de ações para cada

ações escriturais, sem valor

Durante 2005, o Ibovespa subiu

American Depositary Receipts

nominal, sendo 221.158.772

27,7%, enquanto o Dow Jones

negociado nos Estados Unidos,

ações ordinárias e 411.866.638

Industrial Average (DJIA) caiu

sendo que cada ação resultante

ações preferenciais.

0,6%. O volume médio diário

eficiência do sistema de registro O grupamento foi feito na

negociado na Bolsa de Valores de

do grupamento passou a equivaler uma ADR.

TCO

O grupamento foi

realizado considerando a

92 | Relatório Anual 2005

TSE

O grupamento foi feito na

São Paulo – Bovespa em 2005

proporção de 5.000 ações para 1

foi de R$ 1.610,8 milhões,

ação da mesma espécie, passando

um aumento de 31,9% em

o capital social a ser

relação a 2004.


Cotações

e de R$ 12.494,84 mil das PN na

no valor principal total de

Todas as holdings que integram a

Bolsa de Valores de São Paulo.

R$ 1,0 bilhão, ambas com

Vivo negociam suas ações na

Os ADRs fecharam o ano cotados

vencimento em maio de 2015.

Bolsa de Valores de São Paulo e,

em US$ 3,78 – com o volume

A primeira série, no valor total

com exceção da Celular CRT

total de 157.063.941 ADRs

de R$ 200 milhões, rende juros à

Participações S.A., também

outstanding. Durante 2005,

taxa de 103,3% da média dos

American Depositaries Receipts

foram negociados 347,4 milhões

depósitos interbancários de um

(ADRs) na Bolsa de Nova York.

de ADRs, o que representa um

dia (DI – Depósitos

montante médio diário de

Interfinanceiros de um dia,

Telesp Celular Participações S.A.

US$ 6,46 milhões.

extragrupo), pagos

A Telesp Celular Participações

Por ação

2005 2004**

renegociação em maio de 2009.

S.A. está listada na Bolsa de

Prejuízo (R$)

(1,37)

(1,05)

A segunda série, no valor total

Valores de São Paulo (Bovespa)

Valor

sob os códigos TSPP3

Patrimonial (R$)

6,06

6,20

(ON)/TSPP4 (PN) e na Bolsa de

Cotação dos ADR

valores de Nova York (NYSE) com

em US$

3,78

6,80

8,85

17,98

o ticker TCP. A holding controla 100% do capital da Telesp Celular S.A., 100% do capital da Global Telecom S.A. e 90,59% do capital votante

semestralmente, e está sujeita a

de R$ 800 milhões, rende juros à depósitos financeiros de um dia,

Cotação das Preferenciais (R$)*

pagos semestralmente, e está sujeita a renegociação em maio de 2010. Os recursos obtidos por

Cotação das Ordinárias (R$)*

taxa de 104,2% da média dos

8,49

12,50

*Cotação de fechamento do último pregão do ano na Bovespa. **Mudança devido ao grupamento de ações.

(52,47% do capital total)

meio dessa emissão de debêntures foram usados para o pagamento de dívidas de curto prazo. A emissão de debêntures

da Tele Centro-Oeste Celular

O capital social da Sociedade

em 2005 faz parte do Primeiro

Participações S.A. (TCO).

em dezembro de 2005 era de

Programa de Distribuição de

As ações preferenciais e

R$ 6.670.152.498,26,

Valores Imobiliários no valor de

ordinárias da holding

representado por 250.457.704

R$ 2,0 bilhões anunciado em 20

encerraram o ano cotadas a

ações ordinárias e 411.866.638

de agosto de 2004.

R$ 8,85 e R$ 8,49,

ações preferenciais.

respectivamente. O volume

Em 29 de julho de 2005, o

médio diário de negociações foi

Em 1º de maio de 2005, a TCP

de R$ 396,48 mil das ações ON,

emitiu duas séries de debêntures

Conselho de Administração da TCP aprovou um aumento de

Relatório Anual 2005

|

93


15

Ações como investimento

capital social e emitiu

relacionados ao aumento de

TCOC3 (ON)/TCOC4 (PN) – e na

29.298.932 novas ações

capital sejam estendidos aos

NYSE (TRO). Em 2005, no Brasil,

ordinárias ao preço de emissão

outros acionistas da sociedade

suas ações preferenciais

de R$ 8,28 em virtude dos

de capital aberto. Os benefícios

terminaram cotadas a R$ 26,78. Já

direitos de preferência.

fiscais capitalizados pela

as ordinárias fecharam a R$ 24,88.

O preço de emissão correspondeu

Brasilcel em julho de 2005

O volume diário negociado ficou,

a 90% da média ponderada do

em relação à TCP incluíram

em 2005, em R$ 784,02 mil para

preço de fechamento registrado

benefícios fiscais de

as ações ordinárias e R$ 4.909,53

pela Bolsa de Valores de São

R$ 120.850.877 relativos ao

mil para as ações preferenciais.

Paulo nos 30 dias de negociações

exercício encerrado em 31 de

Em Nova York, os ADRs eram

entre 16 de maio de 2005 e 27

dezembro de 2004 e benefícios

negociados, no final do exercício,

de junho de 2005. Os direitos de

fiscais de R$121.744.279

por US$ 11,22 com um volume

preferência puderam ser

relativos aos exercícios

total de ADRs outstanding de

exercidos no período

de 2002 e 2003.

30.103.696. Ao longo de 2005,

compreendido entre 29 de junho

foram negociados 53,4 milhões de ADRs, representando um

permitiu que a Brasilcel, na

Tele CentroOeste Celular Participações S.A.

condição de acionista

A Tele Centro-Oeste Celular

social da Sociedade em

controladora da TCP,

Participações S.A. controla 100%

dezembro de 2005 era de

capitalizasse uma parte do

das ações das companhias

R$ 1.021.737.129,03, representado

benefício fiscal relacionado ao

Telegoiás Celular S.A., Telemat

por 44.332.722 ações ordinárias e

ágio constituído no processo de

Celular S.A., Telems Celular S.A.,

85.735.436 ações preferenciais.

aquisição da companhia. As

Teleron Celular S.A., Teleacre

regulamentações da CVM

Celular S.A., Norte Brasil

permitem ao comprador de

Telecom S.A. e TCO IP S.A.

sociedades de capital aberto

No final de 2005, 90,59% do

capitalizar os benefícios fiscais

capital votante da holding

decorrentes da amortização do

(52,47% do capital total)

ágio decorrente da aquisição de

pertencia à Telesp Celular

tal sociedade, desde que os

Participações S.A.

direitos de preferência

A TCO está listada na Bovespa –

de 2005 e 28 de julho de 2005. Esse aumento de capital

montante médio diário de US$ 2,14 milhões. O capital

Por ação

2005 2004**

Lucro Valor Patrimonial Cotação dos ADR em US$ Cotação das Preferenciais* Cotação das Ordinárias*

2,61 21,63

3,93 18,93

11,22

9,87

26,78

26,19

24,88

38,70

* Cotação de fechamento do último pregão do ano na Bovespa. ** Mudança devido a grupamento de ações.

94 | Relatório Anual 2005


Principais eventos

junho de 2005. Os direitos de

A Assembléia Geral de Acionistas,

preferência puderam ser exercidos no

realizada em 31 de março de 2005,

da Sociedade aprovou o crédito de

período compreendido entre 29 de

em matéria anterior à deliberação

juros sobre o capital próprio, no

junho de 2005 e 28 de julho de 2005.

sobre o grupamento de ações

valor total de R$ 51.083.270,86

Esse aumento de capital permitiu

concluído em maio de 2005,

(R$ 0,392742326 por ação

que a TCP, na condição de

deliberou sobre a recolocação no

ordinária e preferencial), com

acionista controladora da TCO,

mercado de 1.527.046 ações

retenção de 15% de Imposto de

capitalizasse uma parte do

ordinárias nominativas (ON) e

Renda na fonte, resultando no

benefício fiscal relacionado ao ágio

2.087.452 ações preferenciais

valor total de juros líquidos de

resultante no processo de

nominativas (PN), remanescentes

R$ 43.420.780,23 (R$ 0,333830977

aquisição da companhia. As

da Oferta Pública de Ações

por ação ordinária e preferencial,

regulamentações da CVM permitem

encerrada em outubro de 2004.

exceto para os acionistas que

ao comprador de sociedades de

sejam comprovadamente imunes

capital aberto capitalizar os

ou isentos). O crédito

benefícios fiscais decorrentes da

Tele Leste Celular Participações S.A.

correspondente foi feito nos

amortização do ágio decorrente da

A Tele Leste Celular Participações

registros contábeis da Companhia

aquisição de tal sociedade, desde

S.A. – Bovespa TLCP3 (ON) e

em 31 de dezembro de 2005.

que os direitos de preferência

TLCP4 (PN); e NYSE (TBE) –

relacionados ao aumento de capital

detém 100% da Telebahia Celular

sejam estendidos aos outros

S.A. e da Telergipe Celular S.A.,

Conselho de Administração da TCO

acionistas da sociedade de capital

operadoras líderes em serviços de

aprovou um aumento de capital

aberto. Os benefícios fiscais

telecomunicações móveis na

social e emitiu 3.107.645 novas

capitalizados pela TCP em julho de

Bahia e em Sergipe.

ações ordinárias ao preço de

2005 em relação à TCO incluíram

Na Bovespa, em 2005, a

emissão de R$ 20,56 em virtude

benefícios fiscais de R$ 63.893.190

negociação das ações da Tele Leste

dos direitos de preferência.

relativos ao exercício encerrado em

Celular teve uma média diária de

O preço de emissão correspondeu

31 de dezembro de 2004. Além

R$ 60,58 mil para as ações

a 90% da média ponderada do

disso, na mesma reunião, o

ordinárias e R$ 843,07 mil para as

preço de fechamento registrado

Conselho de Administração da TCO

ações preferenciais. As ações

pela Bolsa de Valores de São

aprovou o cancelamento de

ordinárias da holding fecharam o

Paulo nos 30 dias de negociações

1.927.812 ações ordinárias

ano avaliadas em R$ 30,50. As

entre 13 de maio de 2005 e 24 de

mantidas em tesouraria.

ações preferenciais terminaram

O Conselho de Administração

Em 29 de julho de 2005, o

Relatório Anual 2005

|

95


15

Ações como investimento

2005 cotadas a R$ 34,53.

Principais eventos

Os ADR estavam cotados a

Em 29 de julho de 2005, o

aumento de capital sejam estendidos aos outros acionistas da

US$ 14,15 no final de 2005,

Conselho de Administração da TLE

sociedade de capital aberto. Os

com um volume total de ADRs

aprovou um aumento de capital

benefícios fiscais capitalizados pela

outstanding de 1.433.233.

social e emitiu 31.915 novas ações

Brasilcel em julho de 2005 em

Foi negociado um volume diário

ordinárias ao preço de emissão de

relação à TLE incluíram benefícios

médio de US$ 41,2 mil.

R$ 15,35, em virtude dos direitos

fiscais de R$ 489.733 relativos ao

Em razão do prejuízo do exercício

de preferência.

exercício encerrado em 31 de

e da inexistência de lucros

O preço de emissão correspondeu a

dezembro de 2004. Na reunião

acumulados, não houve

90% da média ponderada do preço

realizada em 28 de março de 2005,

deliberação para distribuição de

de fechamento registrado pela

em matéria anterior à deliberação

dividendos com base nos

Bolsa de Valores de São Paulo nos

sobre o grupamento de ações

resultados de 31 de dezembro de

30 dias de negociações entre 13

concluído em maio de 2005, a

2005, de acordo com o Estatuto

de maio de 2005 e 24 de junho de

Assembléia Geral de Acionistas da

Social da Companhia.

2005. Os direitos de preferência

TLE aprovou o cancelamento de

O capital social da Sociedade,

puderam ser exercidos no período

252.498 ações ordinárias e de

compreendido entre 29 de junho de

51.102.580 ações preferenciais

Por ação

2005 2004**

2005 e 28 de julho de 2005.

mantidas em tesouraria.

Prejuízo Valor Patrimonial Cotação dos ADR em US$ Cotação das Preferenciais* Cotação das Ordinárias*

(9,55) 27,27

(3,56) 38,96

Esse aumento de capital permitiu

14,15

12,15

acionista controladora da TLE,

Tele Sudeste Celular Participações S.A.

capitalizasse uma parte do

A Tele Sudeste Celular Participações

34,53

32,00

benefício fiscal relacionado ao ágio

S.A. negocia ADRs na NYSE sob o

resultante no processo de aquisição

código TSD, e ações na Bovespa –

da companhia. As regulamentações

TSEP3 (ON) e TSEP4 (PN). Ela é a

da CVM permitem ao comprador de

holding que detém 100% da Telerj

30,50

26,50

* Cotação de fechamento do último pregão do ano na Bovespa. ** Mudança devido a grupamento de ações.

que a Brasilcel, na condição de

sociedades de capital aberto

Celular S.A. e da Telest Celular S.A.

em dezembro de 2005, era

capitalizar os benefícios fiscais

Em 2005, a negociação das ações

de R$ 306.830.239,55,

decorrentes da amortização do ágio

da TSD apresentou uma média

representado por 3.376.560

decorrente da aquisição de tal

diária de R$ 116,5 mil para as

ações ordinárias e 6.267.718

sociedade, desde que os direitos de

ações ordinárias e R$ 271,91 mil

ações preferenciais.

preferência relacionados ao

para as ações preferenciais na Bolsa

96 | Relatório Anual 2005


de Valores de São Paulo. As acões

no valor total de R$ 34,9 milhões

de fechamento registrado pela

preferenciais e ordinárias fecharam

(R$ 0,359367207 por ação

Bolsa de Valores de São Paulo nos

2005 cotadas, respectivamente, a

ordinária e R$ 0,395303927 por

30 dias de negociações entre 13 de

R$ 25,70 e R$ 28,0.

ação preferencial), com retenção

maio de 2005 e 24 de junho de

Na Bolsa de Valores de Nova York,

de 15% de Imposto de Renda na

2005. Os direitos de preferência

os ADRs encerraram 2005 cotados

fonte, resultando no valor total de

puderam ser exercidos no período

a US$ 12,11. Durante o ano, foram

juros líquidos de R$ 29,6 milhões

compreendido entre 29 de junho

negociados 455,7 mil ADRs,

(R$ 0,305462126 por ação

de 2005 e 28 de julho de 2005.

representando um montante médio

ordinária e R$ 0,336008338 por

Esse aumento de capital permitiu

diário de US$ 18,24 mil.

ação preferencial, exceto para os

que a Brasilcel, na condição de

O capital social da Sociedade

acionistas comprovadamente

acionista controladora da TLE,

em dezembro de 2005 era de

imunes ou isentos). O crédito

capitalizasse uma parte do

R$ 927.944.994,12, sendo

correspondente foi feito nos

benefício fiscal relacionado ao ágio

39.916.217 ações ordinárias e

registros contábeis da Companhia

resultante no processo de

51.915.007 ações preferenciais.

em 31 de dezembro de 2005.

aquisição da companhia. As

De forma a cumprir o disposto

regulamentações da CVM permitem

no Estatuto Social da Companhia,

ao comprador de sociedades de

Principais eventos O Conselho de Administração

as ações preferenciais têm

capital aberto capitalizar os

aprovou o crédito de juros sobre o

assegurado o recebimento de

benefícios fiscais decorrentes da

capital próprio, de acordo com o

dividendos mínimos 10%

amortização do ágio decorrente da

artigo 9º da Lei 9.249/95 da

superiores aos dividendos das

aquisição de tal sociedade, desde

Comissão de Valores Mobiliários,

ações ordinárias.

que os direitos de preferência

Por ação

2005 2004**

Lucro Valor Patrimonial Cotação dos ADR em US$ Cotação das Preferenciais* Cotação das Ordinárias*

1,21 22,29

1,03 21,95

12,11

10,60

28,00

31,45

25,70

23,90

* Cotação de fechamento do último pregão do ano na Bovespa. ** Mudança devido a grupamento de ações.

relacionados ao aumento de capital Em 29 de julho de 2005, o

sejam estendidos aos outros

Conselho de Administração da TLE

acionistas da sociedade de

aprovou um aumento de capital

capital aberto.

social e emitiu 31.915 novas ações

Os benefícios fiscais capitalizados

ordinárias ao preço de emissão de

pela Brasilcel em julho de 2005 em

R$ 15,35, em função dos direitos

relação à TLE incluíram benefícios

de preferência.

fiscais de R$ 489.733 relativos ao

O preço de emissão correspondeu a

exercício encerrado em 31 de

90% da média ponderada do preço

dezembro de 2004. Na reunião

Relatório Anual 2005

|

97


15

Ações como investimento

realizada em 28 de março de 2005, em matéria anterior à deliberação

Principais eventos O Conselho de Administração

em 31 de dezembro de 2005. Em 29 de julho de 2005, o

sobre o grupamento de ações

aprovou o crédito de juros

Conselho de Administração da

concluído em maio de 2005, a

sobre o capital próprio,

Celular CRT aprovou um aumento

Assembléia Geral de Acionistas da

de acordo com a Lei 9.249/95

de capital social e emitiu 929.892

TLE aprovou o cancelamento de

da Comissão de Valores

novas ações ordinárias ao preço de

252.498 ações ordinárias e de

Mobiliários, no valor total de

emissão de R$ 35,80, em virtude

51.102.580 ações preferenciais

R$ 18,6 milhões (R$ 0,538573125

dos direitos de preferência.

mantidas em tesouraria.

Celular CRT Participações S.A. A Celular CRT Participações S.A. negocia suas ações na Bovespa sob os códigos CRTP3 (ON) e

O preço de emissão correspondeu a Por ação

2005 2004**

Lucro Valor Patrimonial Cotação das Preferenciais* Cotação das Ordinárias*

3,89 36,37

5,64 32,81

60,00

53,50

55,00

40,49

ações preferenciais fecharam o

de fechamento registrado pela Bolsa de Valores de São Paulo nos 30 dias de negociações entre 16 de

CRTP5 (PN) e controla 100% da Celular CRT S. A. Em 2005, suas

90% da média ponderada do preço

maio de 2005 e 27 de junho de 2005. Os direitos de preferência puderam ser exercidos no período

* Cotação de fechamento do último pregão do ano na Bovespa. ** Mudança devido a grupamento de ações.

compreendido entre 29 de junho de 2005 e 28 de julho de 2005.

ano cotadas a R$ 55,0.

por ação ordinária e

Esse aumento de capital permitiu

As ordinárias encerraram o

R$ 0,592430438 por ação

que a Brasilcel, na condição de

período a R$ 60,0. Em 2005, a

preferencial), com retenção

acionista controladora da Celular

negociação das ações da Celular

de 15% de Imposto de Renda

CRT, capitalizasse uma parte do

CRT Participações apresentou uma

na fonte, resultando no

benefício fiscal relacionado ao

média diária de R$ 170,86 mil

valor total de juros líquidos

ágio resultante no processo de

para as ações ordinárias e

de R$ 15,8 milhões

aquisição da companhia.

R$ 2.413,09 mil para as

(R$ 0,457787156 por ação

As regulamentações da CVM

ações preferenciais.

ordinária e R$ 0,503565872 por

permitem ao comprador de

O capital social da Sociedade

ação preferencial, exceto para os

sociedades de capital aberto

em dezembro de 2005 era de

acionistas comprovadamente

capitalizar os benefícios fiscais

R$ 327.522.450,29, representado

imunes ou isentos). O crédito

decorrentes da amortização do

por 14.439.063 ações ordinárias e

correspondente foi feito nos

ágio decorrente da aquisição de

18.841.781 ações preferenciais.

registros contábeis da Companhia

tal sociedade, desde que os

98 | Relatório Anual 2005


direitos de preferência

comportamento dos 57 principais

desenvolvido em conjunto pela

relacionados ao aumento de

papéis negociados.

Bovespa e pelo jornal Valor

capital sejam estendidos aos

Econômico para mensurar o

outros acionistas da sociedade de

IBrX

capital aberto.

mede o retorno de uma carteira

constituída exclusivamente por

Os benefícios fiscais capitalizados

teórica composta por 100 ações

papéis emitidos por empresas de

pela Brasilcel em julho de 2005

selecionadas entre as mais

excelente conceito entre os

em relação à Celular CRT

negociadas na Bovespa, em

investidores. Nele figuram a

incluíram benefícios fiscais de

número de negócios e volume

Celular CRT Participações S.A.,

R$ 33.290.159,91 relativos ao

financeiro, e é integrado por

a Telesp Celular Participações

exercício encerrado em 31 de

papéis da Celular CRT

S.A. e Tele Centro-Oeste Celular

dezembro de 2004.

Participações S.A., da Telesp

Participações S.A.

O IBrX – Índice Brasil

retorno de uma carteira hipotética

Celular Participações S.A., da

Participação em índices

Tele Leste Celular Participações

Itel

S.A. e da Tele Centro-Oeste

22 empresas do setor de

Celular Participações S.A.

telecomunicações, inclui a Telesp

As ações das holdings que

Integrado por papéis de

Celular Participações S.A.,

compõem a Vivo integram os

IBrX-50

principais Índices da Bolsa de

CRT Participações S.A., da Telesp

Tele Sudeste Celular Participações

Valores de São Paulo:

Celular Participações S.A. e Tele

S.A., Tele Leste Celular

Centro-Oeste Celular Participações

Participações S.A. e Tele Centro-

S.A. compõem o índice, que mede

Oeste Celular Participações S.A.

Ibovespa

As ações da

Ações da Celular

Celular CRT Participações S.A.

o retorno total de uma carteira

(CRTPart), da Telesp Celular

teórica composta por 50 ações

Participações S.A. (TPCP), Tele

selecionadas entre as mais

Leste Celular Participações S.A.

negociadas na Bovespa em termos

e Tele Centro-Oeste Celular

de liquidez, ponderadas pelo

Participações S.A. integram

valor de mercado das ações

o mais importante indicador

disponíveis à negociação.

Celular CRT Participações S.A.,

do desempenho médio das cotações do mercado de ações

IVBX-2

brasileiro, que retrata o

Bovespa – 2ª Linha (IVBX-2) foi

O Índice Valor

Relatório Anual 2005

|

99


16 Governança corporativa

A Vivo busca o constante aperfeiçoamento de suas práticas de governança corporativa para assegurar a máxima transparência e confiabilidade às suas operações e aos resultados de seus negócios apresentados ao mercado.

Administração As holdings que compõem a Vivo são administradas por Conselhos de Administração e Diretorias próprios, com mandatos de três anos e possibilidade de reeleição.

Conselho de Administração O Conselho de Administração é integrado por no mínimo três e no máximo 12 membros, todos acionistas da holding, que são eleitos e destituíveis pela Assembléia Geral, e encarregados da nomeação de um presidente e um vice-presidente para o órgão. Eles se reúnem ordinariamente uma vez por semestre e

100 | Relatório Anual 2005

Maurício Petinelli, prestador de serviços da Vivo


extraordinariamente mediante

da Telefónica Móviles S.A. e

convocação do presidente.

preside o Conselho Administrativo da Brasicel. Atualmente é,

Conselheiros Os Conselheiros de Administração das holdings que integram a Vivo são:

ainda, o diretor-presidente executivo do Grupo Telefónica no Brasil e membro do Comitê Latino-Americano da Bolsa de Valores de Nova York e da Global Infrastructure Commission.

Fernando Xavier Ferreira – Presidente do Conselho

Durante 1998 foi conselheiro da

Nasceu em 13 de fevereiro de

da Telebrás e presidente do

1949. Graduado em Engenharia

Conselho de Administração da

Elétrica pela Universidade

Embratel e Telesp S.A. e

Católica do Rio de Janeiro.

presidente e vice-presidente da

É o atual diretor-presidente

Telecomunicações do Paraná S.A.

Anatel. Também foi diretor-geral

executivo da Telecomunicações de São Paulo S.A. e da SP Telecomunicações Holding Ltda. Preside o Conselho Administrativo da Telecomunicações de São Paulo S.A. e é vice-presidente do CA e diretor-

Carlos Manuel de Lucena e Vasconcellos Cruz – Vice-presidente do Conselho TCP Nasceu em 9 de setembro de 1957. É graduado em Negócios pelo ISCTE e pósgraduado em Administração pela DSE (Fundação Alemã para

presidente

Desenvolvimento Internacional),

executivo da

Alemanha. É diretor-presidente

Telefónica Data

executivo da Portugal Telecom

Brasil Holding S.A. Também integra os

Investimentos Internacionais – Consultoria Internacional S.A. e

CAs da Telefónica

da PT Ventures, SGPS, S.A. Já

Internacional S.A. e

atuou como diretor-presidente

Relatório Anual 2005

|

101


16

Governança corporativa

executivo da PT Comunicações,

presidente da Portugal Telecom

Madri. Preside o Conselho de

S.A., da PT Prime, SGPS, S.A.

Brasil S.A. e, desde 2003, é

Administração da Telefónica

Telesp Celular e da PTM.com,

conselheiro da Portugal Telecom

Móviles e é membro do Conselho de

SGPS, S.A. Também foi presidente

SGPS. Também é membro do

Administração da Telecomunicações

e diretor-presidente executivo da

Conselho de Administração da

de São Paulo S.A., Brasilcel NV,

Tradecom. É membro dos

Brasilcel NV. Participa do conselho

Telefónica Móviles SAC Peru,

Conselhos de Administração da PT

da Folha Universo Online S.A. e

Telefónica Móviles Peru Holding,

Corporate – Soluções Empresariais

preside o Conselho Fiscal da

S.A. e MobiPay International S.A.

de Telecomunicações e Sistemas,

Brasilcel NV. Foi diretor de Banco

Ingressou no Grupo Telefónica em

S.A e da Brasilcel, NV. Já presidiu

de Investimento e gerente de

julho de 1972 e ocupou cargos nas

o Conselho da Telesp Celular, da

Relacionamento para Clientes

áreas de Especificações Técnicas,

PT Prime, SGPS, S.A. e da PT

Corporativos europeus no Global

Planejamento de Rede,

Contact-Telemarketing e Serviços

Telecommunications Group, da

Planejamento Comercial e foi

de Informação, S.A. Atuou, ainda,

Merrill Lynch International. Além

diretor-geral de Comunicações

como professor convidado da

disso, foi diretor associado sênior

Avançadas. Em 1993, foi nomeado

Universidade Católica Portuguesa

dos grupos latino-americanos e de

diretor-geral da equipe que fundou

e do Instituto Superior de

telecomunicações do Deutsche

a Telefónica Servicios Móviles, onde

Ciências do Trabalho e da

Morgan Grenfell e intermediário e

ocupou diversos cargos. Durante

Empresa (ISCTE), Portugal, para

corretor de divisas estrangeiras do

1997 e parte de 1998,

cursos de pós-graduação e para

Banco Icatu S.A. perante o Banco

foi presidente do conselho

o Programa de MBA. De 1985 a

Central do Brasil.

da Mensatel, S.A. e Radiored,

1999, ocupou diversos cargos na Dun & Bradstreet Corporation em suas afiliadas.

S.A., companhias do grupo

Félix Pablo Ivorra Cano – Conselheiro Nasceu em 1º de

Telefónica Móviles.

julho de 1946. É graduado em

Shakhaf Wine – Conselheiro Nasceu em 13 de

Engenharia de Telecomunicações

Ignacio Aller Malo – Conselheiro Nasceu em 1º de

pela Escola Técnica Superior de

dezembro de 1945. Participa do

julho de 1969. É graduado em

Engenharia (ETSI) e pós-graduado

Conselho de Administração das

Economia pela Pontifícia

em Administração de Empresas pelo

cinco holdings que compõem a

Universidade Católica do Rio de

Instituto Católico de Administração

Vivo, além de atuar nos CAs da

Janeiro. Desde abril de 2005 é o

de Empresas (Icade), ambos em

Telefónica Móviles México, S.A. e

102 | Relatório Anual 2005


Brasilcel NV. É diretor de

PTM.com S.A. Foi, ainda, diretor-

International. Ocupou vários outros

Operações da Telefónica Móviles

geral de Recursos, Planejamento, TI

postos executivos.

S.A. desde 2003, tendo exercido

e Finanças da PT Prime S.A.

diversas funções na Telefónica de

Também atuou como presidente e

España a partir de 1967.

diretor financeiro da PT Prime

Henry Philippe Reichstul – Conselheiro Nasceu em 12 de

Tradecom S.A e como vice-

abril de 1949. É graduado em

Luís Paulo Reis Cocco – Conselheiro Nasceu em 23 de

presidente do Santander Investment

Economia pelo Hertford College of

S.A. em Portugal, além de ter

Oxford University. Integra os CAs

julho de 1968. É graduado pela

trabalhado para a McKinsey

da Coimbra (Louis Dreyfus-Brasil),

Harvard Business School e formado

and Company.

Prisma Energy International e TAM

em Administração de Empresas pela

S.A. Já foi diretor-presidente

Luiz Kaufmann – Conselheiro Nasceu em 7 de

executivo da Petrobras e diretor-

Participa dos CAs da Portugal Telecom Investimentos

agosto de 1945. É graduado pela

Antes disso, ocupou diversos cargos

Internacionais S.A., da Brasilcel NV

Universidade Federal do Paraná e

como economista e executivo.

(em que também integra o Conselho

tem mestrado de Ciências em

Atuou como membro do Conselho

Fiscal), da PT Móveis – Serviços

Engenharia Industrial pelo Illinois

de Administração de diversas

Telecomunicações, S.A., da PT

Institute of Technology. É membro

companhias, como Telebrás,

Ventures, SGPS, S.A., da PT Brasil

do Conselho de Administração da

Eletrobrás – Centrais Elétricas S.A.

S.A., da ICDL Brasil Certificadora,

Gol Linhas Aéreas Inteligentes

e BNDES, de 1986 a 1989.

S.A., da Mobitel S.A., da

(empresa em que preside o Conselho

Telecomunicações Públicas de Timor,

Fiscal) e da Medial Saúde. É sócio do

S.A., da PT Prime Tradecom S.A.,

banco de investimento L. Kaufmann

António Gonçalves de Oliveira – Conselheiro

da Tradecom SGPS S.A. De fevereiro

Consultores Associados, responsável

Nasceu em 4 de maio de 1944.

de 2004 a março de 2005, atuou

pela venda da Vésper Brasil e da

É graduado em Ciências Sociais pela

como diretor Financeiro da Portugal

Primesys. Foi CEO da Vésper Brasil,

Universidade de São Paulo e tem

Telecom Investimentos

sócio da GP Investimentos, CEO da

mestrado em Ciência da

Internacionais, S.A., e já foi diretor

Aracruz Celulose S.A. e presidente

Comunicação pela mesma

Financeiro de Planejamento,

do Conselho de Administração da

universidade. É membro do

Controle e Finanças da PT

Tecflor, uma joint venture entre a

Conselho da Previ, do Conselho de

Comunicações S.A., PT Prime S.A. e

Aracruz Celulose e a Gutchess

Desenvolvimento Social e

Universidade Católica Portuguesa.

presidente executivo da Globopar.

Relatório Anual 2005

|

103


16

Governança corporativa

Econômico do governo brasileiro,

Marketing e Inovação;

conselheiro do Grupo de Trabalho

vice-presidente de Tecnologia e

da Pequena e Média Empresa

Redes; vice-presidente de

presidente para Assuntos de Regulamentação e Relações Institucionais

patrocinado pelo governo

Regulamentação e Relações

Nasceu em 1º de abril de 1951.

brasileiro, vice-presidente da

Institucionais; diretor-geral de

É graduado em Administração, e

Associação de Empresários

Sistemas de Informação; e

tem pós-graduação pela Fundação

Brasileiros para a Integração com o

vice-presidente de Clientes.

Getúlio Vargas e em Finanças e

Mercado (Adebim), membro do

Cabe à Diretoria Executiva realizar

Planejamento Estratégico pelo

conselho diretivo e orientador do

todos os atos necessários ou

Institute Superieur des Affaires,

Banco do Povo do Estado de São

convenientes à gestão dos negócios

Jouy en Josas, França. Além de

Paulo e presidente do conselho

sociais, sendo que suas deliberações

ocupar o cargo em todas as holdings

decisório da Associação Nacional

são aprovadas por maioria de votos.

e operadoras que compõem a Vivo,

dos Funcionários do Banco do

Uma mesma pessoa pode ocupar

atua como conselheiro da Avista

Brasil (ANABB). Foi diretor da

mais de um cargo de diretoria.

Participações Ltda., da Tagilo

Associação Latino-Americana de

Pelo acordo de acionistas entre a

Participações Ltda., da Sudestecel

Sociologia e coordenador-executivo

Portugal Telecom e a Telefónica

Participações Ltda., da TBS Celular

do Movimento Nacional da Micro e

Móviles, a primeira é responsável

Participações Ltda., da Ptelecom

Pequena Empresa (Monampe).

pela nomeação do diretor-presidente

Brasil Ltda. e da Portelcom

executivo, cabendo à segunda a

Participações Ltda., todas afiliadas

nomeação do diretor financeiro.

da Brasilcel, desde 2005.

Em 2005, o Conselho de

Já presidiu o CA do Grupo

A Diretoria Executiva é composta

Administração promoveu a

Credicard de 1999 a 2005. Foi

por oito membros – acionistas ou

escolha de Roberto Oliveira de

diretor-presidente executivo do

não, residentes no País e eleitos

Lima como novo presidente da

Banco Credicard S.A. de 2002

pelo Conselho de Administração.

empresa, em substituição a

a 2005. Antes de 1999, ocupou

Eles ocupam os cargos de:

Francisco José Azevedo Padinha.

cargos executivos na Accor Brasil

Diretoria Executiva

diretor-presidente; vicepresidente executivo de Operações; vice-presidente executivo de Finanças, Planejamento e Controle; vice-presidente executivo de

104 | Relatório Anual 2005

Composição Diretoria Roberto Oliveira de Lima – Diretor-presidente executivo e vice-

S.A., Rhodia Rhone Poulec S.A. e Saint Gobain S.A.

Paulo César Pereira Teixeira – Vice-presidente executivo de Operações


e vice-presidente executivo de Finanças, Planejamento, Controle e Relações com Investidores

de Mato Grosso do Sul S.A. e

ainda, com negócios de celular

desempenhou diversas funções

para o Grupo Telefónica na

gerenciais na Companhia

Espanha e no Peru, ocupando os

Riograndense de Telecomunicações

cargos de gerente de qualidade de

Nasceu em 18 de junho de 1957.

S.A. – onde também foi membro do

rede e subgerente técnico de

É graduado em Engenharia Elétrica

Conselho de Administração. Ocupou

área, respectivamente. Já exerceu

pela Universidade Católica de

diversos cargos na Telebrás.

a posição de diretor de tecnologia

Pelotas, Brasil. Além de exercer a

nos empreendimentos de telefonia

também conselheiro da Avista

Javier Rodríguez García – Vice-presidente de Tecnologia e Redes

Participações Ltda., da Tagilo

Nasceu em 8 de dezembro de

Participações Ltda., da Sudestecel

1955. É formado em Engenharia

Participações Ltda., da TBS Celular

Técnica de Telecomunicações pela

Participações Ltda., da Ptelecom

Universidade Técnica de Madri,

Guilherme Portela Santos – Vice-presidente de Clientes Nasceu em 3 de

Brasil Ltda. e Portelcom

Espanha. Ocupa o cargo em todas

fevereiro de 1966. Formou-se

Participações Ltda. Desde 1998,

as holdings e operadoras que

em engenharia civil pelo

atua como vice-presidente da Telerj

formam a Vivo. Já atuou na

Instituto de Educação Técnica

Celular S.A., Telest Celular S.A.,

Indelec – Indústria Electrónica de

Superior, Portugal, e obteve o

Telebahia Celular S.A., Telergipe

Comunicaciones S.A., exercendo

título de mestre (MBA) pelo

Celular S.A. e Celular CRT S.A. Foi

o cargo de gerente responsável

Insead, França. É o vice-

membro do Conselho da Tele

pela instalação de projeto de

presidente da área de Relações

Sudeste Celular Participações S.A.,

telecomunicação móvel

com Clientes de todas as holdings

Tele Leste Celular Participações

automática para a Telefónica de

e operadoras que constituem a

S.A., Celular CRT Participações S.A.,

España S.A. Também trabalhou na

Vivo. Foi consultor da McKinsey &

Telepar Celular S.A., Telesc Celular

Red Eléctrica de España S.A, foi

Co. de 1994 até 1998. Trabalhou

S.A. e CTMR Celular S.A., da

gerente de engenharia na Telcel

como diretor de Operações e

Companhia de Telecomunicações

S.A e gerente de engenharia

diretor de Projetos Especiais na

Brasileiras S.A. – Telebrás, e

encarregado da instalação e

Parque Expo' 98 S.A. e também

vice-presidente da Tele Celular Sul

manutenção de sistemas na

como diretor-coordenador da

S.A. Foi, ainda, conselheiro da

Compañia Europea de

Companhia de Seguros

Engenharias de Telecomunicações

Radiobusqueda S.A. Trabalhou,

Tranqüilidade.

função em todas as holdings e operadoras que formam a Vivo, é

celular para o Grupo Telefónica no Brasil e de diretor de rede da Telerj Celular e da Telest Celular.

Relatório Anual 2005

|

105


16

Governança corporativa

Luís Filipe Saraiva Castelo Branco de Avelar – Vice-presidente executivo de Marketing e Inovação e vice-presidente de TI e Engenharia de Produtos e Serviços Nasceu

José Carlos de La Rosa Guardiola – Vice-presidente de Regulamentação e Relações Institucionais da Celular CRT Participações S.A. Tem 55

efetivos e por um número

em 15 de abril de 1954.

anos e é graduado em Engenharia

sempre que necessário.

É formado em Engenharia

de Telecomunicações pela

A remuneração dos membros

Eletrotécnica pelo Instituto

Universidade Politécnica

do Conselho Fiscal, além do

Técnico de Educação Superior de

de Madrid-Espanha. Nos últimos

reembolso das despesas de

Lisboa. Já foi diretor de Contas

25 anos foi diretor de empresas

locomoção e estada necessárias

Corporativas da Telefones Lisboa

multinacionais nas áreas

ao desempenho da função, é

e Porto, perito em serviços de

de Comercialização para

fixada pela Assembléia Geral

telecomunicação para a Comissão

equipamentos de instrumentação

de Acionistas e não poderá ser

Européia, e diretor de

de segurança em petroquímicas,

inferior, para cada membro

Planejamento Estratégico de

semicondutores e equipamentos

em exercício, a 10% da atribuída,

Comunicações Nacionais. Também

de TI e comunicações. Desde

em média, a cada diretor, não

atuou como consultor do Banco

1998, atua na coordenação

computados benefícios de

Mundial, do Banco Europeu de

no departamento de

qualquer natureza, verbas

Reconstrução e Desenvolvimento

desenvolvimento de operadoras

de representação e participação

e da Comissão Européia. Foi,

que compõem a Vivo, além

nos lucros.

também, diretor de portfólio do

de ter sido vice-presidente

Grupo Portugal Telecom e

de Operações, responsável pelas

consultor especial para o

atividades comerciais,

Composição dos Conselhos Fiscais

presidente da Telesp Celular

administrativas e operacionais

TCP

Participações para as áreas de

das companhias.

Membros: Gustavo Lessa

equivalente de suplentes. São eleitos pela Assembléia Geral Ordinária para mandatos de um ano. Seus integrantes reúnem-se ordinariamente uma vez a cada três meses e extraordinariamente

Campos Netto (representante dos

Marketing, Vendas Estratégia Regulamentação e Projetos

Conselho Fiscal

ordinaristas), Cláudio José

Especiais, bem como diretor da

De caráter permanente, o Conselho

Carvalho de Andrade

unidade de Internet e e-commerce

Fiscal de cada uma das holdings é

(representante dos

na mesma empresa.

composto por três membros

preferencialistas), Evandro Luís

106 | Relatório Anual 2005


Pippi Kruel, Wolney Querino

Suplentes: Daniel Vidal

Suplentes: Daniel Vidal de

Schüler Carvalho e Cleuton

de Almeida (representante dos

Almeida (representante dos

Augusto Alves.

preferencialistas), Fabiana Faé

preferencialistas), Fabiana Faé

Vicente Rodrigues e José Ricardo

Vicente Rodrigues e Norair

de Sousa Porpino.

Ferreira do Carmo.

Suplentes: Onito Barnabé Barbosa Júnior (representante dos ordinaristas), Daniel Vidal

TLE

de Almeida (representante

Membros: Gustavo Lessa

Comitê de Divulgação

dos preferencialistas), Fabiana

Campos Netto (representante

O Comitê de Divulgação foi criado

Faé Vicente Rodrigues, Oswaldo

dos ordinaristas), Cláudio José

na Vivo em 2004 e tem como

Vieira Luz, José Alberto B.

Carvalho de Andrade

principal atributo colaborar com o

da Câmara Graça.

(representante dos

CEO e CFO na revisão das

preferencialistas), Evandro Luís

informações que serão divulgadas.

TCO

Pippi Kruel, Wolney Querino

Coordenado pela Diretoria de

Membros: João José Caiafa

Schüler Carvalho e Cleuton

Relações com Investidores, é

Torres (representante

Augusto Alves.

integrado por oito diretores das

dos preferencialistas),

operadoras, um secretário-geral e

Evandro Luís Pippi Kruel

Suplentes: Onito Barnabé

um diretor Jurídico. Cabe ao

e Norair Ferreira do Carmo.

Barbosa Júnior (representante

comitê, entre outras atividades,

dos ordinaristas), Daniel Vidal de

rever, supervisionar e formalizar

Suplentes: Reinaldo Batista

Almeida (representante dos

procedimentos para a preparação

Ribeiro (representante dos

preferencialistas), Fabiana Faé

de relatórios de divulgação;

preferencialistas), Fabiana Faé

Vicente Rodrigues, Oswaldo

prover que as diversas áreas

Vicente Rodrigues, Wolney

Vieira Luz, José Alberto B.

reportem tempestivamente as

Querino Schüler Carvalho.

da Câmara Graça.

informações necessárias para uma adequada avaliação da informação

TSE

CRT

que deverá ser alvo de

Membros: Cláudio José

Membros: Cláudio José Carvalho

divulgação; identificar a

Carvalho de Andrade (representante

de Andrade (representante dos

informação que deve ser alvo de

dos preferencialistas),

preferencialistas), Evandro

divulgação por meio de

Evandro Luís Pippi Kruel e

Luís Pippi Kruel e Ademir

acompanhamento das

Mílton Shigueo Takarada.

José Mallmann.

necessidades de informação dos

Relatório Anual 2005

|

107


16

Governança corporativa

acionistas e do mercado, bem

processos para se certificar de que

Philippe Reichstul e António

como da legislação aplicável. O

o sistema de controle interno é

Gonçalves de Oliveira.

Comitê de Divulgação deve avaliar

funcional; de relatórios anuais e

a necessidade de recorrer a

trimestrais anteriores ao

entidades externas (auditores,

arquivamento e anteriores à

advogados e outros consultores

liberação de lucros; do

Política de Ética e Conduta

externos), para assegurar um

desempenho dos auditores

Um avanço importante em 2005

suporte adequado

independentes, fazendo

foi o lançamento da Política de

ao processo de divulgação.

recomendações ao Conselho de

Ética e Conduta da Vivo, aplicável

Administração referentes aos

a todos os colaboradores, que

apontamentos e término da

assumem o compromisso formal

auditoria independente,

de respeitá-la. Até então havia

Em 2005, como forma de

considerando e aprovando

apenas um Código de Ética

complementar a adaptação das

qualquer serviço não auditado

destinado aos profissionais da

holdings às exigências da lei

proposto para ser executado pelos

área de Finanças. O novo

norte-americana Sarbannes-Oxley,

auditores independentes; e das

documento estabelece padrões

a Vivo optou pela criação de

políticas da Sociedade

de comportamento e processos

Comitês de Auditoria nas

concernentes a transações com

que devem ser seguidos

empresas que a compõem.

partes relacionadas. O Comitê de

no relacionamento com os

As principais atribuições do órgão

Auditoria tem o poder de

diferentes stakeholders.

são promover a revisão da gestão

investigar qualquer aspecto que

de sistemas para assegurar a

chame sua atenção dentro do

Política de Divulgação

confiabilidade e integridade das

escopo de suas atribuições e

As holdings que integram a Vivo

políticas contábeis, relatórios

aconselhar a Sociedade se

dispõem de Política de Divulgação

financeiros e práticas de

necessário. Além disso, responde

de Fatos Relevantes extensiva aos

divulgação; administração e

pela preparação de relatórios do

membros do Conselho de

manutenção de processos para se

Comitê de Auditoria conforme a

Administração, da Diretoria, do

certificar de que as empresas

legislação e os regulamentos

Conselho Fiscal e a quaisquer

atuam de acordo com a legislação,

aplicáveis. O Comitê é integrado

órgãos com funções técnicas ou

os regulamentos e as políticas

por três conselheiros

consultivas ou pessoas que

corporativas aplicáveis; revisão da

independentes. Participam do

tiveram acesso a atos ou fatos

administração e manutenção de

órgão Luiz Kaufmann, Henry

tidos como relevantes.

Comitê de Auditoria

108 | Relatório Anual 2005

Políticas


Relações com Investidores

Comunicação

A Vivo, por meio da sua Diretoria

adotados pela Diretoria de Relação

de Relações com Investidores,

com Investidores há o site

possibilita aos acionistas das

(www.vivo.com.br/ri), em que

cinco holdings o acesso a

podem ser acessados todos os

informações claras e precisas

relatórios apresentados pelas

referentes aos negócios.

holdings aos órgãos reguladores

Para isso, mantém uma

no Brasil e no exterior, bem

série de canais de comunicação.

como press releases, atas de

A Diretoria de Relações com

assembléias, comunicados etc.

Investidores atua com foco no

O canal possibilita também

aprimoramento das divulgações

o envio de mensagem para a

de dados aos analistas, como

diretoria de RI.

forma de manter um

Além disso, é colocado à

relacionamento próximo com o

disposição dos investidores um

mercado e fornecer o material

número de telefone, por

necessário para a precificação e

intermédio do qual eles podem

valorização justa das

solicitar informações.

empresas. Nesse sentido,

O Relatório Anual é outro

realizou em 2005 quatro reuniões

importante canal de comunicação,

da Associação dos Analistas e

publicado desde 2003,

Profissionais de Investimento do

depois do lançamento da marca

Mercado de Capitais (Apimec),

Vivo. No documento são

além de roadshows no Rio de

relatadas as principais

Janeiro e em São Paulo.

atividades e o desempenho da

Também participou de

marca ao longo de um ano,

eventos no exterior.

com a apresentação de temas

O ano teve como principal fato a

como estratégia,

proposta de reestruturação

investimentos, desempenho

societária, que foi tornada pública

econômico e operacional, de

em dezembro de 2005.

forma detalhada.

Entre os canais de comunicação

A Diretoria de RI também é responsável pela elaboração dos documentos entregues à CVM e à SEC, que normalmente são remetidos, em alguns casos, antes do prazo legal estipulado.

Lei SarbannesOxley Em 2005, a Vivo enfatiza os trabalhos de adaptação à Lei Sarbannes-Oxley (SOX), com a formação de um Comitê de Auditoria integrado por três conselheiros independentes. A legislação aplica-se às empresas que negociam valores mobiliários no mercado norte-americano. Nesse sentido, a Vivo está tomando as medidas necessárias para se adequar às suas exigências.

Relatório Anual 2005

|

109


17 Sustentabilidade A sustentabilidade de um negócio, no longo prazo, depende de um conjunto de fatores, entre eles o bom relacionamento com os stakeholders, o respeito à legislação e ao meio ambiente, a responsabilidade social e a valorização dos profissionais.

claro para contribuir

Gestão de recursos humanos

com o desenvolvimento

A Vivo emprega 6.084

comportamento esperadas de

social e a preservação

colaboradores e tem como

todos os profissionais, nas

dos recursos naturais para

principal foco o desenvolvimento

relações internas e com os

as gerações futuras. Procura,

dos recursos humanos, nas esferas

públicos com os quais interagem.

ainda, por meio de sua política

profissional e pessoal. A marca

de recursos humanos, valorizar

considera a performance dos

Perfil

e reconhecer os colaboradores

funcionários como fundamental

A idade média dos colaboradores

como os principais

para o sucesso dos negócios, uma

da Vivo é 33 anos, sendo que 63%

instrumentos para a execução

vez que são eles que idealizam e

deles têm curso superior completo

da estratégia corporativa

põem em prática as ações que

(alguns com pós-graduação). O

e o alcance dos melhores

garantem avanços qualitativos e

tempo médio de casa é seis anos.

resultados para todos os

quantitativos e criam valor para

Em 2005, 43% do quadro de

públicos com os quais

acionistas e clientes.

colaboradores era do sexo feminino

se relaciona.

Um dos destaques do ano foi a

e 57% do sexo masculino.

Ciente disso, a Vivo adota um comportamento

110 | Relatório Anual 2005

introdução e divulgação da Política de Ética e Conduta, que estabeleceu as linhas de


Desenvolvimento e retenção de profissionais Em 2005, a Vivo investiu R$ 7,4 milhões em treinamentos – um acréscimo de mais de R$ 800 mil em comparação ao ano anterior –, o que reflete a preocupação da marca com o crescimento de seus profissionais. A Vivo desenvolveu, em 2005, a quarta edição de seu Programa Trainees, que abre espaço para a descoberta de novos talentos, além de investir em jovens de alto potencial, capazes de atuar de

Marina Daineze, colaboradora da Vivo


17

Sustentabilidade

COLABORADORES DA VIVO

TEMPO DE EMPRESA - EXECUTIVOS 565 efetivos

4%

PERFIL DOS EXECUTIVOS 565 efetivos

mu l

ho me

s

30%

70%

ns

re he

8% + de

-d e1

ano

20 anos

0 anos anos a 15

2% 16 a 2

2%

11

1a 38%

média 7,0

os 5 an

46% 6 a

10 anos

TEMPO DE EMPRESA - DEMAIS COLABORADORES PERFIL DOS DEMAIS COLABORADORES 5.519 efetivos

mu l

44%

56%

ns

ho me

res he

5.519 efetivos

13

%

5% +

-d e1

de 20

an o

anos

2% 16 a 20 anos

os a 15 an

3% 11

45%

5 1a

s

ano

média 5,6

s no

2%

3

6a

a 10

TEMPO DE EMPRESA - GERAL PERFIL GERAL 6.084 efetivos

mu l

43%

57%

ns

res he

ho me

6.084 efetivos

13

%

6% +

-d e1

de 20

an o

anos

2% 16 a 20 anos 1a 3% 1

%

33

112 | Relatório Anual 2005

os 15 an s no 0a 1 6a

1a 43%

média 5,8

os 5 an


565 efetivos

565 efetivos

0a

25 a

8,4% + de 50 an

média 38 anos

os

22,3% 3

io

o plet om c r

7% 5,

pós-gr adu açã o 28,

3%

6 a 40 a

nos 50 a

nos

io r

16 ,0%

41

a4

inc 5 ,1 om % plet o

5a no s

a % 46 10,9

1

%3

30,6

nos

s ano a 35

0 ,9 %

- de

no s

segundo grau

a3

6

26

su pe r

,4%

0,4%

ESCOLARIDADE DOS EXECUTIVOS

IDADE DOS EXECUTIVOS

11

r pe su

IDADE DOS DEMAIS COLABORADORES

ESCOLARIDADE DOS DEMAIS COLABORADORES

5.519 efetivos

média 33 anos

1 1 ,2

%

s

,9 %

ano

a4

5a

26

8,9

%

41

or eri sup

ESCOLARIDADE GERAL

IDADE GERAL

6.084 efetivos

6.084 efetivos

8% 25

su p

50

%

%

1 a 35

anos

25

leto

27% 3

%

an os 0 a4 36

io

nc om p

média 33 anos

s ano a 45

15 %

1

a3

pós-gr adu açã o 13

12

a 50 an os

4 10%

%

29

nos

26

o plet om c r

grau ndo gu se %

0a

7% 46

0

os an

+d e5

os an er

e -d

4%

ão

14,4% 36 a 40 ano s

no s

6

%4

6,1

3% 9,

leto

4,0% + de 50 anos

r

,6 %

nos

0 a5

1a

%3

26,6

25 a

io

grau do un

- de

nos 35 a

12

8,3%

no s

g se

0a

pós-gr adu aç

in co mp

a3

leto mp co

4

26

5.519 efetivos

er

,7%

su p

31

or eri sup

i

Relatório Anual 2005

|

113


17

Sustentabilidade Torre Vivo, em São Paulo: com 100 metros de altura e luminosos que variam entre as cinco cores da marca

sob a marca Vivo, em torno de

em treinamento com uma

R$ 52,2 milhões em 2005,

maior precisão, por meio do

referentes ao exercício de 2004.

Plano de Desenvolvimento Individual (PDI). Em 2005, o

Novos Talentos

Sistema de Gestão de

Além do Programa Trainees, a

Performance foi mantido no

forma empreendedora e agir

Vivo investe em mais dois

modelo de avaliação 360º, que

proativamente em contextos de

programas focados na atração de

contempla quatro etapas:

mudanças da organização.

novos talentos: o de Estágios e o

Feedback de Equipe, Avaliação

Na edição 2005/2006

Menor Aprendiz.

entre Áreas, Auto-avaliação e

inscreveram-se no processo

O Programa de Estágios recruta

Avaliação do Gestor.

seletivo 16.519 candidatos, dos

estudantes do penúltimo ou último

quais 14 foram selecionados.

ano de cursos de graduação. Já o

Para reter talentos, foram

Menor Aprendiz é um programa

Vivo Aprendendo

adotadas ações como o Programa

direcionado a jovens de 14 a 16

O Vivo Aprendendo é um

de Coaching, que é realizado com

anos. Ele inseriu no mercado de

programa que proporciona

grupo de executivos/key position

trabalho 52 pessoas em 2005.

condições para que os profissionais desenvolvam e

para o desenvolvimento de gestão de pessoas, além de

Gestão de Performance

programas de formação

O Sistema de Gestão de

o negócio, por meio de aulas

internacional dos quadros-chave,

Performance é uma das

expositivas presenciais e

por meio da integração técnico-

ferramentas de gestão que

semipresenciais, videoconferência

cultural entre os dois grupos

possibilitam o desenvolvimento

e estudo a distância, via web.

acionistas – Portugal Telecom e

profissional dos colaboradores,

Em 2005, cerca de 1.000

Telefónica Móviles. A conquista

com base nas competências

colaboradores de diferentes níveis

dos níveis de desempenho é

definidas pela Vivo, que visa

ocupacionais se aperfeiçoaram em

compartilhada por meio de

reconhecer o desempenho

temas como negociação, gestão de

programas de remuneração

individual e oferecer

projetos, gestão de pessoas,

variável e de participação de

oportunidades de aprendizado.

marketing de serviços, comunicação

resultados, que somaram, para

Também permite o

etc. Foram, no total, 18.144 horas

todas as empresas que operam

direcionamento dos investimentos

de treinamento.

competências organizacionais e de

114 | Relatório Anual 2005

aperfeiçoem as competências consideradas fundamentais para


pagamento foi unificado e passou

descontos especiais em diversas

a utilizar uma base única de

instituições, desde educacionais

dados, com procedimentos e

até de atividades físicas e lazer;

critérios iguais para processar

além dos benefícios

MBA in Company – Programa

os documentos das 20 regiões de

convencionais, como seguro de

direcionado aos gestores

atuação da Vivo. Esse processo

vida em grupo, vale-alimentação

estratégicos. Em 2005, foram

significou a consolidação de

e refeição e auxílio creche/babá.

formadas duas turmas, que tiveram

aproximadamente seis sistemas

Também possibilita aos

carga horária de 372 horas.

de folha de pagamento em um

colaboradores ingressarem no

O curso teve duração de 18 meses

único – inovação que reduziu

plano de previdência privada e

e beneficiou 73 colaboradores,

custos e aumentou o grau

oferece uma contrapartida de

de Brasília e São Paulo.

de acertos, além de

100% ao valor depositado pelo

A Vivo também estimula e

aperfeiçoar processos.

profissional. Outro diferencial é o

co-patrocina o estudo de

Todos os colaboradores também

plano odontológico, que, em

colaboradores em cursos de MBA

recebem, anualmente,

2005, teve sua abrangência

e pós-graduação com foco no

participação nos lucros e

ampliada, cobrindo também

negócio e área de atuação.

resultados, calculada de acordo

próteses e ortodontia.

O percentual de participação

com os resultados da Vivo.

da marca varia de acordo com

Os gestores recebem remuneração

Desligamento

a remuneração do colaborador,

variável por meio do Programa

Quando acontece o desligamento

sendo de 40% a 70% do valor

Anual de Compromisso com os

involuntário dos colaboradores, a

da mensalidade.

Targets Organizacionais (Pacto),

Vivo oferece algumas condições

Os profissionais têm acesso

um bônus estabelecido conforme

vantajosas, como a manutenção

também a treinamentos no

o cumprimento de metas

da assistência médica por, no

exterior, em empresas do grupo,

corporativas e setoriais e a

mínimo, três meses, ajuda para

o que possibilita o contato

avaliação de performance.

recolocação profissional – tanto

com outras culturas e

Em relação à concessão de

para colaboradores de nível

práticas empresariais.

benefícios, a Vivo oferece:

técnico como para executivos

assistência médica de padrão

– e indenização, além das verbas

especial a todos os colaboradores,

rescisórias legais, em número de

extensiva aos dependentes;

salários de acordo com o tempo

concessão de aparelhos celulares;

de permanência.

Cursos de Extensão e Intercâmbio

Política Salarial e de Benefícios Em 2005, o sistema de folha de

Relatório Anual 2005

|

115


17

Sustentabilidade

Comunicação Interna Em uma marca de grande porte e

marketing, adesivos, banners,

Jornal Encontro Vivo

cartazes, empregados na

Apresenta informações sobre todas

comunicação, destacam-se os

as regionais, conquistas e atuação

seguintes veículos:

da Vivo. Em 2005, foram

presente em vários estados, como

estabelecidas duas páginas fixas

a Vivo, a comunicação interna

Conexão RH

cumpre um papel imprescindível

permite aos colaboradores

Você. Nelas são apresentadas

para que as informações sobre

acessarem informações pessoais

informações que partem da área

estratégias, atividades e negócios

relacionadas a Recursos Humanos.

de Recursos Humanos.

sejam compartilhadas entre todos

Disponível para acesso em todas

os profissionais.

as operadoras. Com o Conexão RH,

A partir de estudos realizados

os empregados têm a possibilidade

durante vários meses, que

de atualizar seu currículo,

Eventos e Comemorações Internas

possibilitaram a criação de um

candidatar-se a oportunidades

Com o objetivo de integrar as

Plano de Comunicação Interna, foi

internas, participar do programa

equipes e alinhar a estratégia da

feita a revisão e adaptação dos

Gestão de Performance, alterar

Vivo das diversas áreas, foram

veículos de comunicação

dados cadastrais ou até mesmo

realizados eventos de integração e

existentes, além do lançamento de

imprimir seu holerite

comemorações internas. Entre os

novas mídias. Uma das principais

(contracheque).

mais expressivos destacam-se as

Portal que

no jornal chamadas Encontrando

festas de fim de ano, festas

inovações foi a instalação de monitores de LCD (cristal líquido)

Intranet

nos elevadores da sede, em São

com informações sobre toda a

nacional) e lançamento interno

Paulo. Essa medida de inovação na

organização, como políticas e

do Vivo Play 3G.

comunicação interna será

procedimentos das diversas áreas,

ampliada, gradativamente, a todas

ferramentas e sistemas que auxiliam

as regionais. Por meio dos

no dia-a-dia do colaborador, ações e

Clima Organizacional

monitores são transmitidas

eventos externos e internos, entre

Um dos principais instrumentos

informações sobre a Vivo (ações

outros. O jornal eletrônico Ao

para balizar as ações de melhoria

internas, negócios) e outros dados

Vivo traz atualizações on-line,

do ambiente de trabalho e as

de interesse geral.

área de comunicados e

condições para os

Além de murais, cartilhas,

informações específicas de

desenvolvimentos humano e

informativos, fôlderes, e-mails,

cada operadora.

profissional é a Pesquisa de Clima

116 | Relatório Anual 2005

Portal eletrônico

juninas (ambas de abrangência


Gran Finale: patrocínio ao Festival Nacional de Corais Infantis

Interno, realizada anualmente. Na pesquisa, os colaboradores atribuem notas a temas como

harmoniosa com os sindicatos,

Comunicação e integração,

Inclusão de Portadores de Deficiência

Ambiente/Vida/Trabalho,

Em relação à inclusão de

A marca relaciona-se com 19

Produtos e Serviços e Processos.

portadores de deficiências, a Vivo

sindicatos pelo Brasil, afiliados a

A adesão à pesquisa, em 2005,

deu continuidade ao trabalho

duas grandes centrais sindicais.

foi expressiva: 82,5% dos

iniciado em 2004 em parceria com

Em 2005, as negociações para as

colaboradores, ou seja, 4.971

outras empresas: liderou a

revisões dos Acordos Coletivos de

dos 6.030 profissionais que

formação do fórum permanente

Trabalho (ACT) centraram-se nas

estavam na Vivo à época

para Inclusão Econômica de

condições econômicas,

participaram. Um dos indicadores

Pessoas com Deficiência,

representando ajustes tanto

mais importantes diz respeito às

coordenado pelo Instituto

em salários quanto em benefícios

respostas qualitativas: 72% dos

Paradigma e cujo Comitê Executivo

aos empregados.

participantes da consulta fizeram

é integrado por representantes da

seus comentários, totalizando

Vivo, Editora Abril, Visanet e

17 mil opiniões.

PricewaterhouseCoopers. Também

O resultado da apuração

participaram do lançamento da

identificou a uniformidade do

iniciativa a HP Brasil e a Shering

Saúde, segurança e qualidade de vida

entendimento dos colaboradores

do Brasil. O objetivo do fórum é

A Vivo cumpre todas as

em relação aos diferenciais e

promover o constante debate, a

determinações do Ministério do

itens a serem aperfeiçoados,

troca de experiências e o

Trabalho referentes à saúde e

assim como uma grande

aprendizado para favorecer as

segurança dos colaboradores.

compreensão do novo

iniciativas de inclusão econômica

O modelo de atendimento de

direcionamento estratégico da

e o cumprimento da Lei de Cotas

saúde adotado, uma referência

marca e disposição para realizar

(Lei Federal no 8.213/91).

e tendência mundial, é baseado

Empresa, Expectativas profissionais, Lideranças,

as ações fundamentais para as os colaboradores atribuíram à

Relações Sindicais

Vivo 6,7 pontos.

A Vivo mantém relações de forma

mudanças. Como média final,

pautada pela observância das exigências legais no campo das relações de trabalho.

na Gestão Compartilhada, que consiste em promover a participação técnica da Vivo no acompanhamento dos

Relatório Anual 2005

|

117


17

Sustentabilidade

Rodeio no Rio Preto Rodeo Country Bulls, em São José do Rio Preto (SP): patrocínio Vivo

humanos e materiais da Diretoria de Compras, em razão da agilidade. Outra nova ferramenta introduzida em 2005, que agrega colaboradores ou de seus

esporte. As etapas eliminatórias

valor, é a plataforma de

dependentes em casos de

acontecem em cada estado,

e-sourcing Adquira Podium.

potencial risco clínico e que

e a fase final é disputada em

Por meio dela, foi observado um

resultem em alto custo nos

São Paulo. No total, foram

upgrade no relacionamento com

gastos com saúde.

envolvidas 171 equipes e 1,7 mil

os fornecedores, simplificando as

Em 2005, também foi realizado o

atletas, incluindo trabalhadores

consultas ao mercado e

programa de doação de sangue,

terceirizados.

agregando maior transparência

que incluiu palestras feitas por

aos processos de compras com a

sobre o tema para estimular o ato

Diálogo com fornecedores

voluntário. Outra iniciativa de

A Vivo busca um relacionamento

promoção do bem-estar dos

transparente com seus

colaboradores é o CelClube, que

fornecedores e estimula-os à

Seleção de fornecedores

até 2005 limitava-se a São Paulo,

constante melhoria de suas

A Divisão de Compras realiza

mas deve ser estendido para mais

práticas sociais e de negócios.

uma análise crítica, em conjunto

regionais em 2006. Trata-se de

Criou o Portal de Fornecedores,

com as áreas que demandam os

um clube virtual que permite aos

que, além de assegurar mais

recursos, sobre as especificações

colaboradores acessarem serviços

agilidade e transparência aos

de compras, como forma de

que contribuem para uma melhor

processos de compras, constitui

garantir que sejam sempre

qualidade de vida.

um importante canal de

observados os preceitos éticos e

relacionamento.

legais de toda e qualquer

Esporte

Em 2005, a Vivo também

contratação, especialmente as

Pelo terceiro ano consecutivo foi

intensificou o uso do sistema

que envolvem serviços de

realizada a Copa Vivo de Futebol

de e-procurement, ferramenta

terceiros, e impedir a

Society masculino e feminino,

de B2B que permite sistematizar

contratação/subcontratação de

evento que promove a integração

e simplificar a compra de bens,

menores em idade escolar.

entre colaboradores de todas as

materiais e serviços, melhorando

O fornecedor, durante seu

regionais e estimula a prática do

o aproveitamento de recursos

processo de cadastramento,

profissionais de hemocentros

118 | Relatório Anual 2005

redução do lead time e rapidez na adjudicação.


deve assinar documento que

consumidores. Adota, assim,

desenvolver e aplicar política e

estabelece as Condições Gerais

medidas ambientalmente corretas

procedimentos que busquem

de Contratação.

que superam as exigências legais,

minimizar riscos e promover a

para incrementar a qualidade de

sensibilização do público envolvido.

Sistema

vida da população – o que é

O Sistema de Compras

fundamental para a continuidade

Gerenciamento de Resíduos

da Vivo permite acessar toda

dos negócios –, e para

Criar ferramentas para avaliar os

a documentação e as informações

economizar e aumentar seus

resíduos resultantes das

sobre o cumprimento das

lucros, em conseqüência do uso

operações e definir a forma mais

etapas de cada processo

racional de recursos naturais.

adequada de coleta e destinação,

por meio eletrônico. O sistema

Para difundir esses conceitos e

bem como ações de minimização

também está disponível

colocar em prática uma série de

da geração deles por meio de

para a área de Relações

ações aliadas a eles, a Vivo

programas de sensibilização,

com Investidores, para que

mantém uma Gerência de Meio

iniciativas pontuais e pesquisas.

os acionistas tenham uma visão

Ambiente, que atua para o

mais transparente das transações

cumprimento da missão de

realizadas. A informatização

“transformar a Vivo em um modelo

dos processos eliminou o

de empresa ambientalmente

Contribuição da Vivo para o Meio Ambiente

consumo de papéis, o que

responsável, visando criar um

Educação Ambiental

ocasionou reflexo positivo

diferencial competitivo”. Ela se

Promover campanhas e eventos

na área ambiental.

vale, para isso, principalmente

internos ou externos, visando à

de projetos que estimulem o

sensibilização ambiental dos

comprometimento e promovam

colaboradores, clientes, comunidade

a educação ambiental. Três

e acionistas. Desenvolvimento

A atuação responsável na área

diretrizes básicas pautam sua

da criatividade e percepção da

ambiental é entendida como

atuação e vêm sendo aplicadas

gestão ambiental como fator de

fundamental para o cumprimento

desde o ano de 2004:

diferencial competitivo.

quer ser reconhecida como

Impacto da Vivo no Meio Ambiente

a marca que melhor atende

Políticas e Procedimentos

Comprometimento com a Comunidade e o Governo

e presta serviços aos

Criar o comprometimento de

Emissões Eletromagnéticas

Respeito ao meio ambiente

da estratégia de negócios preconizada pela Vivo, que

Relatório Anual 2005

|

119


17

Sustentabilidade

Propiciar educação e informação

como CFC – que estão alinhados

Reaproveitar e Reciclar.

à comunidade e participar

ao Protocolo de Montreal –,

Em 2005, no âmbito do

das discussões dos aspectos

a Vivo realizou, em 2005,

Programa, foram recolhidas

legais com os órgãos

um levantamento sobre

46.994 unidades de baterias

reguladores, e criar

a emissão de gases

de celular nas lojas e recicladas

ferramentas para atualização

refrigerantes.

6.509 unidades de baterias

de pesquisas técnicas sobre

de estação Rádio-Base, o que

da Resolução 303/02, da

Gestão de resíduos

Agência Nacional de

A Vivo adota o Programa

que foi doado ao Instituto Vivo

Telecomunicações (Anatel),

de Gerenciamento de Resíduos,

e aplicado em projetos sócio-

que estabelece os limites

que visa à prevenção, redução,

ambientais. Em dezembro,

para a exposição a campos

reutilização e reciclagem para

a Vivo devolveu aos fabricantes

eletromagnéticos.

a redução dos impactos adversos

as 60 mil baterias estocadas

provenientes das atividades e

em seus Centros de Distribuição

Regulamentação

serviços, bem como dos custos

entre 2004 e 2005, trabalho

A Vivo respeita todos

associados a eles.

realizado em conjunto com

os regulamentos relacionados

A ação contempla o manuseio,

a área de Logística. Para reduzir

ao meio ambiente que

a coleta, o transporte

o uso de recursos naturais

se aplicam aos seus negócios,

e a destinação adequada

e ampliar a conscientização

como promover a coleta

de resíduos produzidos

ambiental, a Divisão

de baterias usadas e fazer

nos escritórios, armazéns

de Marca estabeleceu

o controle de emissões

e ambulatórios existentes

a possibilidade de uso

eletromagnéticas em suas

em todas as regionais.

do papel reciclado em todo

Estações Rádio-Base.

O objetivo é manejar

o material publicitário

corretamente todo o material

interno e de escritório. A Vivo

descartado ou produzido em

adotou o uso do saco currier

razão de atividades ou serviços

de plástico biodegradável para

Em relação a processos para

da Vivo, promovendo a educação

acondicionamento das baterias

reduzir a emissão de gases

ambiental e a aplicação do

usadas de celular nos depósitos

nocivos à camada de ozônio,

conceito 3R, ou seja, Reduzir,

e algumas regionais.

o assunto e o cumprimento

Emissão de gases

120 | Relatório Anual 2005

possibilitou uma arrecadação de R$ 120.922,42, recurso


Educação ambiental Para difundir entre os colaboradores a existência de uma Gerência de Meio Ambiente na Vivo e as diretrizes ambientais estabelecidas para as operadoras que compõem a marca, e revelar que as questões relacionadas ao meio ambiente permeiam todas as áreas, é desenvolvido o Programa de Educação Ambiental Continuada. Os projetos realizados visam promover o comprometimento e a responsabilidade ambiental corporativa e mostrar a importância da participação dos gestores para a abrangência nacional do projeto. Regional

Valor arrecadado

Instituição beneficiada

São Paulo

R$ 22.900,00

Lamara – Associação Brasileira de Assistência ao Deficiente Visual

Rio de Janeiro

R$ 54.990,00

Associação de Amigos dos Enfermos da Casa Maria de Magdala e Instituição Evangélica de Assistência Social e Cultural – TEAR

Paraná

R$ 10.330,42

Transformando com Arte a Vida

CO/N

R$ 32.704,00

Instituição Evangélica de Assistência Social e Cultural – TEAR

Diálogo com a comunidade

amadurecimento e se envolveu

os colaboradores das holdings,

em 41 projetos sociais, que

por intermédio do programa

Criado em julho de 2004, o

beneficiaram 500 mil brasileiros.

Voluntário Vivo, criado em 2004.

Instituto Vivo centraliza o

Em 2005, dedicou-se à definição

Além disso, em 2005, deu

gerenciamento das ações de

de seu foco de atuação:

continuidade à realização de

apoio e financiamento a projetos

Educação e Meio Ambiente.

road shows, por meio dos quais

sociais pelas operadoras que

Dessa forma, já ingressa na

demonstrou as principais

compõem a joint venture,

terceira etapa de um processo

iniciativas desenvolvidas e a

contribuindo para aprimorar o

adotado por empresas

aplicação de suas diretrizes

relacionamento delas com a

efetivamente comprometidas

estratégicas, como ampliar a

comunidade. Sua missão é

com a responsabilidade social

cobertura no País, porém

“promover a cidadania,

e que vislumbram uma

respeitando as realidades

compartilhando os valores e a

atuação permanente.

regionais. Os eventos incluíram

experiência com a sociedade”.

O Instituto Vivo também

reuniões com os colaboradores,

Nos 18 meses de existência, a

desenvolve um trabalho de

entrevistas coletivas e encontros

entidade já mostra

estímulo ao voluntariado entre

com autoridades e parceiros. Relatório Anual 2005

|

121


17

Sustentabilidade

Na seleção de projetos que

Em 2005, a Vivo apoiou seis

digitar livros e textos para serem

receberão o apoio do Instituto

novos projetos e deu

transcritos para o Braille e a

Vivo são considerados

continuidade à sua atuação em

gravar audiobooks (livros falados).

quatro critérios:

outros 35. No total, investiu

Os investimentos no programa

mais R$ 10 milhões no ano.

desde 2004 já somam R$

Índice de Desenvolvimento

1.008.075,99. Até dezembro de

com prioridade para aquelas em

Vivo Voluntário

que o indicador é mais baixo;

O programa Vivo voluntário tem

deram origem a 322 livros (92

como principal objetivo

títulos), encaminhados a

estimular os colaboradores a

instituições de São Paulo, Rio

dedicarem tempo e talento em

de Janeiro, Maranhão, Rondônia,

Humano da região a ser atingida,

A importância da região para os negócios da Vivo;

2005 foram impressas 27.941 páginas no sistema Braille, que

favor da comunidade em que a Necessidade de ações de

marca está presente.

Programa Vivo

Lançado em outubro de 2004,

Voluntário: talento em

elegeu como público prioritário

favor das comunidades

de suas ações os deficientes

onde a marca está

A perspectiva é dar continuidade,

visuais, que hoje são mais de

presente

em 2006, ao processo de

16,5 milhões de brasileiros. Em

construção de identidade do

2004, segundo dados apurados

Instituto Vivo e de seleção para

pelo Instituto, apenas 3.845

projetos completamente alinhados

deficientes visuais estavam no

aos temas listados como

ensino fundamental, e havia

primordiais pela marca.

apenas 128 livros didáticos e

Outro objetivo é buscar uma

paradidáticos em Braille, segundo

maior integração entre

o Ministério da Educação.

fornecedores e outros

Dessa forma, o objetivo do

stakeholders e os projetos sociais

trabalho desenvolvido pelos mais

apoiados pela Vivo. Busca-se

de 600 voluntários que assinaram

desenvolver mais projetos

o termo de adesão ao programa é

relacionados à área de atuação

contribuir para a inserção social

da marca.

desse grupo. Eles dedicam-se a

marketing social na região e O apelo do projeto.

122 | Relatório Anual 2005


Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia

no qual todos os líderes

roupas e agasalhos arrecadados

e Mato Grosso do Sul. Ainda em

regionais (multiplicadores dos

em todos os estados da área de

2005, para comemorar o

conceitos e práticas sociais) são

atuação da Vivo. A segunda, que

aniversário de um ano do

reunidos para planejar as ações

consiste na doação de sacola com

Instituto Vivo, foram criadas 20

de cada período. O encontro

roupas, sapatos e brinquedos

audiotecas portáteis com histórias

conta com aproximadamente

para crianças de instituições

e músicas infantis. Cada estado

50 líderes voluntários reunidos

localizadas na área de atuação da

recebeu uma delas por meio das

durante um final de semana.

Vivo, beneficiou 6.200 delas, de

instituições parceiras do programa

Outra ação desenvolvida pelos

aproximadamente 40 entidades.

Vivo Voluntário.

voluntários são as Campanhas de

Isso significa uma média de

Anualmente é realizado o

Doação de Agasalho e de Natal.

quase uma sacola doada por

encontro de liderança voluntária

A primeira reuniu 8.050 peças de

funcionário em todo o País.

Relatório Anual 2005

|

123


18 Premiações e

reconhecimentos

Operações

prêmio, com o serviço Download

Oeste/Nordeste foi eleita a

Exame Maiores e Melhores Prêmio Exame

Banking, em São Paulo.

empresa destaque do ano entre

Consumidor Moderno

as operadoras de serviços móveis

Prêmio da revista Consumidor Moderno, pela qualidade em

3º Benchmarking Ambiental Brasileiro

atendimento ao cliente e como

PR/SC – O projeto Transformando

a empresa de telefonia que

Arte em Vida, desenvolvido no

mais respeitou seus

Paraná e em Santa Catarina,

Maiores e Melhores, para as operações em São Paulo e no Rio Grande do Sul.

Prêmio Valor 1000 Tele Centro-Oeste Celular premiada como Destaque do Ano no setor de telecomunicações pelo jornal Valor Econômico.

Prêmio Info 200 Maior Empregadora do Brasil, em São Paulo, e Maior Lucro, no Rio Grande do Sul.

InfoExame

O serviço Vivo

Localiza recebeu o prêmio de mais inovador.

Top RH ADVB

Distinção

conferida pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil, pelo projeto Vivo Aprendendo.

Top de Marketing ADVB Prêmio pelos cases Vivo Encontra e Gisele Bündchen.

E-finance 124 | Relatório Anual 2005

iCampeã do

venceu no prêmio que destaca as

consumidores em 2005.

Fala Consumidor

Prêmio

melhores iniciativas

concedido pela TV Atalaia, de

socioambientais.

Sergipe, para as empresas que se destacam pelo relacionamento

Prêmio Valor Social 2005, promovido pelo jornal

com o consumidor.

Valor Econômico, na categoria

Aberje 2005

O Encontro

Respeito ao Meio Ambiente, pelo

Vivo foi escolhido o melhor

Júri Popular, que elegeu como

jornal interno das empresas

vencedor o case que destacou a

de São Paulo, pela Associação

coleta de baterias de celulares e

Brasileira de Comunicação

a venda de baterias de Erbs.

Empresarial.

B2B

Prêmio Anuário Telecom CO/N

os cases Vivo Play e Serviço,

O Superação Jovem (programa

do Brasil.

apoiado pelo Instituto Vivo)

Prêmio DCI

e o Vivo Voluntário receberam

admirada, de acordo com leitores

o prêmio de Responsabilidade

do jornal DCI, de São Paulo.

Social. A Regional Centro-

Top de Marketing RS

A revista B2B premiou

desenvolvidos para o Banco Empresa mais


Prêmios pelo case Vivo é Você em

segundo pesquisa realizada pelo

1º Lugar e na categoria Marketing

Correio Amazonense e Rádio CBN.

Top of Mind Revista Amanhã Marca mais lembrada

Cultural, com o case Vivo o Cinema,

Marcas de Sucesso

do segmento no Rio Grande do Sul,

no evento organizado pela regional

AM – Prêmio Marcas de Sucesso,

segundo os leitores da revista Amanhã.

da Associação dos Dirigentes de

concedido pela Rede Amazônica.

Vendas e Marketing do Brasil,

Anunciante do ano

Profissionais

regional Rio Grande do Sul.

SP – Prêmio Colunistas de São Paulo

Abraforte

XVI Prêmio Upis de Turismo Concedido pelo evento

como Anunciante do Ano.

responsável pela área de saúde,

Marcas de Confiança

recebeu o prêmio da Associação

Vivo Open, no Distrito Federal, que

Número 1, na categoria Operadora

Brasileira para Fomento de Negócios

contribuiu para o desenvolvimento

de Telefonia, na pesquisa Marcas

em Redes de Telecomunicações

do turismo nacional e local.

de Confiança da revista Seleções.

pela iniciativa do Programa

Os Maiores do ICMS-ISS

Recall 2005

Vivo Voluntário.

DF – Prêmio Os Maiores do ICMS-ISS –

lembrada no Espírito Santo.

Empresário do Coração, por ser uma das

Top of Business

empresas que mais contribuem para o

lembrada do setor pelos consumidores

vice-presidente de Marketing até

desenvolvimento do Distrito Federal

de Ribeirão Preto, segundo o

dezembro de 2005, recebeu o

com o recolhimento de impostos.

Instituto Senha Brasil.

reconhecimento no evento

Prêmio ICMS

Tribuna de Santos

organizado pela revista

Maiores do

Marca mais Marca mais

Michel Daud, médico

Profissionais de Marketing Luiz Avelar,

ICMS, concedido pelo jornal O Popular

Marca mais lembrada do setor pelos

Propaganda e Marketing.

e pela Secretaria da Fazenda

consumidores da Baixada Santista,

Plano Editorial

do Estado de Goiás.

segundo o jornal Tribuna de Santos.

Plano Editorial homenageou Luís

Marcas de Quem Decide

Beato, diretor-geral de Sistemas

Destaque 2004

Prêmio

A revista

Marca mais lembrada e preferida do

de Informações.

setor, segundo empresários,

Marca

Prêmio Líder Empresarial

executivos e profissionais liberais de

Realizado pela TV Vitória, o público

Prêmio Pop List

pesquisados pelo Jornal do Commercio

escolheu gerente regional do Espírito

GO – Marca mais lembrada pelos

do Rio Grande so Sul.

Santo como o melhor gestor do setor

consumidores de Goiás, segundo o

Prêmio Top Correio

de telefonia móvel.

jornal O Popular.

SE – Pelo quinto ano consecutivo,

Prêmio de Qualidade

Top of Mind

vencedora do Top Correio, do jornal

Equipe de Promoção e Merchandising

AM – Operadora de telefonia celular

Correio de Sergipe, como a marca

recebeu prêmio de Qualidade

mais lembrada pelos manauaras,

mais lembrada do setor.

pelo serviço prestado.

Destaque 2004 do jornal O Anápolis.

Relatório Anual 2005

|

125


19 Informações corporativas

Conselho de administração Presidente: Fernando Xavier Ferreira

Suplentes: Reinaldo Batista Ribeiro (representante dos preferencialistas), Fabiana Faé Vicente Rodrigues, Wolney Querino Schüler Carvalho.

Vice-Presidente: Carlos Manuel de Lucena e Vasconcellos Cruz

TSE

Conselheiros (em todas as holdings): António

Membros: Cláudio José Carvalho de Andrade

Gonçalves Oliveira, Félix Pablo Ivorra Cano, Henry

(representante dos preferencialistas), Evandro Luís

Philippe Reichstul, Ignacio Aller Malo, Luís Paulo

Pippi Kruel e Mílton Shigueo Takarada.

Reis Cocco, Luiz Kauffman, Shakhaf Wine

Suplentes: Daniel Vidal de Almeida (representante dos preferencialistas), Fabiana Faé Vicente

Conselho fiscal

Rodrigues e José Ricardo de Sousa Porpino.

TCP Membros: Gustavo Lessa Campos Netto

TLE

(representante dos ordinaristas), Cláudio José

Membros: Gustavo Lessa Campos Netto

Carvalho de Andrade (representante dos

(representante dos ordinaristas), Cláudio José

preferencialistas), Evandro Luís Pippi Kruel, Wolney

Carvalho de Andrade (representante dos

Querino Schüler Carvalho e Cleuton Augusto Alves.

preferencialistas), Evandro Luís Pippi Kruel, Wolney

Suplentes: Onito Barnabé Barbosa Júnior

Querino Schüler Carvalho e Cleuton Augusto Alves.

(representante dos ordinaristas), Daniel Vidal de

Suplentes: Onito Barnabé Barbosa Júnior

Almeida (representante dos preferencialistas),

(representante dos ordinaristas), Daniel Vidal

Fabiana Faé Vicente Rodrigues, Oswaldo Vieira Luz,

de Almeida (representante dos preferencialistas),

José Alberto B. da Câmara Graça.

Fabiana Faé Vicente Rodrigues, Oswaldo Vieira Luz, José Alberto B. da Câmara Graça.

TCO Membros: João José Caiafa Torres (representante

CRT

dos preferencialistas), Evandro Luís Pippi Kruel e

Membros: Cláudio José Carvalho de Andrade

Norair Ferreira do Carmo.

(representante dos preferencialistas), Evandro Luís

126 | Relatório Anual 2005


Pippi Kruel e Ademir José Mallmann. Suplentes: Daniel Vidal de Almeida (representante dos preferencialistas), Fabiana Faé Vicente Rodrigues e Norair Ferreira do Carmo.

Diretoria TCP, TCO, TLE, TSD E CRT

BANCOS DEPOSITÁRIOS No Brasil TCP, TCO, TLE e TSD – Banco ABN Amro Real S.A. CRT – Banco Itaú S.A. Nos Estados Unidos Bank of New York

Roberto Oliveira de Lima – Presidente de Operações

CÓDIGOS DE NEGOCIAÇÃO NAS BOLSAS DE VALORES

Luís Filipe S. Castel-Branco de Avelar – Vice-Presidente

Telesp Celular Participações S.A.

Executivo de Marketing e Inovação; e Vice-Presidente de TI e

Bovespa: TSPP3, TSPP4

Engenharia de Produtos e Serviços

Nyse: TCP

Guilherme Portela Santos – Vice-Presidente de Clientes

Tele Centro-Oeste Participações S.A.

Javier Rodríguez García – Vice-Presidente

Bovespa: TCOC3, TCOC4

de Tecnologia e Redes

Nyse: TRO

José Carlos de La Rosa Guardiola – Vice-Presidente de

Tele Leste Celular Participações S.A.

Regulamentação e Interconexão

Bovespa: TLCP3, TLCP4

Paulo César Pereira Teixeira – Vice-Presidente Executivo

Notas: Sr. Roberto Oliveira de Lima assumiu o cargo em substituição ao Sr. Francisco José Azevedo Padinha Sr. Luís Filipe S. Castel-Branco de Avelar foi vice-presidente até dezembro de 2005

ENDEREÇO Avenida Chucri Zaidan, 860 04583-110 – São Paulo/SP www.vivo.com.br

RELAÇÕES COM INVESTIDORES

Nyse: TBE Tele Sudeste Celular Participações S.A. Bovespa: TSEP3, TSEP4 Nyse: TSD Celular CRT Participações S.A. Bovespa: CRTP3, CRTP5

JORNAIS OFICIAIS Gazeta Mercantil (SP) Diários Oficiais Estaduais Jornal de Brasília (TCO) Jornal do Commercio – Porto Alegre (CRT) Jornal do Commercio – Rio de Janeiro (TSD)

Avenida Chucri Zaidan, 860 – 4º andar – lado A 04583-110 – São Paulo/SP Tel.: 55 11 5105-1172

AUDITORES INDEPENDENTES Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Fax.: 55 11 5105-2247 ri@vivo.com.br

Relatório Anual 2005

|

127


20 Expediente Coordenação Diretoria de Comunicação Institucional Diretoria de Relações com Investidores

Impressão Margraf

Instituto Vivo Apoio na Identificação, Texto Contadino

fornecimento e conformidade do texto Diretoria de Comunicação

Fotos Ricardo Correa Vivo Projeto e Realização

Institucional Diretoria de Relações com Investidores Mais Informações Vivo www.vivo.com.br/ri

128 | Relatório Anual 2005


Av. Dr. Chucri Zaidan, 860 – 6º andar Morumbi – São Paulo – SP – CEP 04583-110 www.vivo.com.br


Vivo - Relatório Anual 2005