Issuu on Google+

Todos os dias, alunos no mundo todo sofrem com um tipo de violência que vem mascarada na forma de “brincadeira”. Estudos recentes revelam que esse comportamento, que até há bem pouco tempo era considerado inofensivo e que recebe o nome de bullying, pode acarretar sérias conseqüências ao desenvolvimento psíquico dos alunos, gerando desde queda na auto-estima até,

Quem nunca foi zoado ou zoou alguém na escola? Risadinhas, empurrões, fofocas, apelidos como “bola”, “rolha de poço”, “quatro-olhos”. Todo mundo já testemunhou uma dessas “brincadeirinhas” ou foi vítima delas. Mas esse comportamento, considerado normal por muitos pais, alunos e até professores, está longe de ser inocente. Ele é tão comum entre crianças e adolescentes que recebe até um nome especial: bullying. Trata-se de um termo em inglês utilizado para designar a prática de atos agressivos entre estudantes. Traduzido ao pé da letra, seria algo como intimidação. Trocando em miúdos: quem sofre com o bullying é aquele aluno perseguido, humilhado, intimidado. E isso não deve ser encarado como brincadeira de criança. Pesquisas revelam que esse fenômeno, que acontece no mundo todo, pode provocar nas vítimas desde diminuição na auto-estima até o suicídio. Bullying diz respeito a atitudes agressivas, intencionais e repetidas praticadas por um ou mais alunos contra outro. Portanto, não se trata de brincadeiras ou desentendimentos eventuais. Os estudantes que são alvos de bullying sofrem esse tipo de agressão direto. Diga não ao bullying. Para os alvos de bullying, as conseqüências podem ser depressão, angústia, baixa auto-estima, estresse, evasão escolar, atitudes de autoflagelação e suicídio, enquanto os autores dessa prática podem adotar comportamentos de risco, atitudes delinqüentes ou criminosas e podem tornar-se adultos violentos ”.


Frases contra o bullying PENSE ANTES DE FALAR! E SE FOSSE COM VOCÊ? NÃO SEJA O RESPONSÁVEL POR ISSO! PALAVRAS PODEM LEVAR UMA PESSOA À MORTE!

DEPOIMENTOS DE PESSOAS QUE JÁ SOFRERAM BULLYING

“Eu já sofri muito bullying na minha vida. Na escola, na rua e por todo o canto que passava. Quando eu ia pra escola tinham uns meninos que me chamavam de “macaco”, me desprezavam por minha cor. E isso me irritava tanto que eu chegava até bater neles. Na rua os meus colegas ficavam me chamando de “frango”, de feio, de otário, pensando que eu era besta. Mas de besta eu não tinha nada. É por isso que, quando os boys tentam tirar onda comigo eu baixo o pau neles. Apesar que isso não me satisfazia... Era mais no momento da raiva. Mas eu vou fazer o que? Tenho que impor respeito. Eu peço a todas essas pessoas que deixem disso pois isso não leva ninguém a nada.” Elimário José da Silva

“Vou falar sobre uma menina que era muito humilhada só porque o cabelo dela era crespo e ela tinha umas feridas na perna. Ela era muito abusada. Chamavam ela de quenga, bia-da-jaca e várias outras coisas que ela não gostava. Por isso ela saiu de onde ela morava para outro lugar porque ela não gostava mais de ser abusada. Por favor quem sofre bullying denuncie! Não fique sem falar.” Aline Gomes de Lima

“Vou falar de um caso de bullying que aconteceu na escola que eu estudava no 4º ano. Uma menina que se chamava Suzana sofria uma violência constantemente, pois a garota tinha os cabelos um pouco crespos e todos os dias as garotas chamavam ela de cabelo-de-tuim, cabelo de cuscuz , piolhenta, cabelo-de-esconder-pulga. Essa garota era muito humilhada pelos colegas de classe. Muitas vezes ela chegava a chorar de tanta humilhação. A garota saiu da escola e nunca mais


foi vista.” Rayssa Estefanny

BULLYING, COMO RESOLVER? Entrevistando as pessoas da EMEB “Profª Elizabeth de Lourdes Cardeal Sigrist”, na cidade de Indaiatuba, algumas sugestões para a resolver o problema do bullying surgiram, como ouvir o agressor, modificar as regras e assistir alguns filmes sobre o assunto. Vamos apostar nestas ideias para acabar com o bullying na escola. Sabemos que o mais importante neste assunto é a denúncia. Não vamos mais ficar calados. Então,

diga NÃO ao BULLYING!!!!


Bullying