__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

f l vivermagazine

1


2

vivermagazine.com

vivermagazine.com


vivermagazine.com / Maio 2021

INTERCÂMBIO Estudantes brasileiros com vistos válidos (categorias F e M) e que iniciarão os estudos nos EUA a partir ou depois de 1º de agosto de 2021 poderão viajar ao país

6

PANDEMIA EUA apoiam distribuição mundial de vacina a preço de custo

GRÁVIDAS CORREM MAIS RISCO COM A COVID-19? O QUE DIZEM OS CIENTISTAS

30

Numa coletiva de imprensa realizada no dia 16 de abril, o secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Câmara, recomendou que casais posterguem, se possível, os planos de gravidez em alguns meses em razão do agravamento da pandemia.

ATUALIDADE

14

O turismo da vacina - os latino-americanos que viajam aos EUA para se imunizar Alguns latino-americanos preferem viajar aos EUA para se vacinar do que esperar a lenta vacinação em seus países.

COMPORTAMENTO

18

Como lidar com a pressão para ser mãe A decisão de ter ou não ter filhos é uma das mais importantes da vida da mulher, mas muitas vezes a pressão social a impede de escolher de forma tranquila o caminho a ser seguido

SAÚDE Ácido Fólico: Vitamina Essencial para sua Saúde

BELEZA

28

22

Como cuidar da beleza na gravidez? O bem-estar durante a gravidez depende diretamente do seu estado emocional, da manutenção com a beleza e da prática de exercícios.

EDUCAÇÃO

32

26

O programa Pontes Americanas – programa que tem por objetivo ampliar informações sobre o estudo nos Estados Unidos.

36 42 44 45 46 47

Meio Ambiente Redes Sociais Variedades Passatempo Cinema Agenda f l vivermagazine

3


Editorial

O mês das mães

Dilla Campos Publicadora

vivermagazine vivermagazine

EDIÇÃO E PUBLICAÇÃO Edilânia Bento vivermagazine@gmail.com COLUNISTAS Dilla Campos Maitê Hammound (Psicóloga) Tracie Kincle (Advogada) Fernanda Hottle (Advogada) Daniel Ortiz (Advogado) REVISÃO Eliania Bento COLABORADORES Alex Campos Consulado Geral do Brasil em Atlanta Cesar Restrepo (Empreendedores Latinos) Katia Koch FOTOGRAFIA Dilla Campos Indy Zanardo PARA ANUNCIAR 770.953.4250 vivermagazine@gmail.com www.vivermagazine.com DISTRIBUIÇÃO All Metro Atlanta Area GDL Distribution & Logistics, LLC Phone: (678) 887-2391 Joanita Bonilla 4

vivermagazine.com

A Edição de maio da Viver Magazine é dedicada ao mês das mães e por isso, publicamos matérias super relevantes para você que é ou que está planejando embarcar nessa viagem maravilhosa que é “ser mãe”. Talvez entre todos os sentimentos, o que mais comove as mulheres, é a emoção que elas sentem quando olham para os filhos pela primeira vez. E esse sentimento perdura pela vida inteira. Um amor imenso, intenso e desesperador. Não há nada mais cruel e injusto do que presenciar o choro e a dor de uma mãe que perdeu um filho. Eu fui mãe aos 24 anos, e posso afirmar com toda certeza que a minha vida tomou um sentido diferente a partir daquele momento. Até ali o maior amor que eu conhecia era o amor de filha, mas eu não compreendia bem, o que a minha mãe sentia por mim. Quando o meu primeiro filho nasceu, eu passei dias tentando encontrar palavras para expressar o que eu estava sentindo, e eu abaixei a cabeça quando olhei nos olhos da minha mãe. Eu tive vergonha, por todas as vezes que fui indiferente ou rebelde com ela, por todas as vezes que ela quis me aconselhar, me ensinar e eu, bem arrogante, não permitia. Eu achava que já sabia tudo, sabia mais, muito mais do que ela. ...mas, na verdade, eu não sabia nada. Nada sobre a vida, nada sobre o amor. A vida deveria ser um livro, aonde a gente pudesse ter a chance de só por uma vez, reescrever a nossa história. Mas infelizmente, não é, e só nos resta torcer e pedir a Deus que possamos enxergar melhor as coisas, perceber, entender,...descobrir, o verdadeiro sentido de tudo que nos rodeia o quanto antes possível. E com isso, não perdermos tanto tempo dando valor a coisas e pessoas erradas, e deixando a desejar com aquelas que realmente nos amam de verdade. Amor de mãe não tem e nem precisa de explicação, é grande demais até para caber no peito, é lindo e perfeito, mas também faz sofrer. Uma mãe amorosa nunca mais dorme uma noite inteira depois que seu filho nasce; nunca mais faz uma refeição sem pensar se os filhos já comeram; nunca mais compra um vestido sem pensar primeiro se o filho está precisando de roupas e sapatos. O filho ocupa sempre o primeiro lugar, o lugar mais importante e insubstituível no coração de sua mãe. A essas mães, que assim com eu, conhecem o poder encantador de amar incondicionalmente os seus filhos, o meu abraço, o meu carinho e os meus desejos de que vocês sejam muito amadas pelos seus filhos, assim como eu me sinto amada pelos meus. A todas vocês, um Feliz dia das Mães! Até a próxima,

Dilla Campos


vivermagazine

vivermagazine

f l vivermagazine VIVER

5

5


Capa Por: André Biernath / BBC News

Grávidas correm mais risco com a covid-19? O que dizem os cientistas

Foto: FreePik/valeria_aksakova

Numa coletiva de imprensa realizada no dia 16 de abril, o secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Câmara, recomendou que casais posterguem, se possível, os planos de gravidez em alguns meses em razão do agravamento da pandemia.

C

âmara usou as novas variantes do coronavírus para justificar a nova orientação, apesar da falta de pesquisas publicadas a respeito do tema. "Estudo nacional ou internacional não temos, mas a visão clínica de especialistas mostra que as variantes têm ação mais agressiva nas grávidas. Antes, o risco maior estava ligado ao final da gravidez. Mas, agora, vemos uma evolução mais 6

vivermagazine.com

grave no segundo trimestre e até no primeiro trimestre", apontou. O secretário ainda disse que o adiamento da gestação deve ser feito dentro da realidade de cada casal. "Caso possível, postergar um pouco a gravidez para um melhor momento, para que você tenha uma gravidez mais tranquila. É lógico que a gente não pode falar isso para quem tem 42 ou 43 anos, mas para uma mulher jovem que pode esperar um pouco, é o mais indicado", explicou.

Mas o que há de evidências sobre o risco de covid-19 para as futuras mães e seus filhos? E quais os cuidados devem ser tomados se você estiver grávida? O que a ciência já sabe Os nove meses de gestação são marcados por uma série de mudanças no corpo da mulher. O sistema imunológico, por exemplo, sofre várias alterações. O objetivo é evitar que as células de defesa


f l vivermagazine

7


8

vivermagazine.com

mulheres fazem parte dos grupos prioritários das campanhas de vacinação contra a gripe que acontecem todos os anos no Brasil. E na covid-19? Desde que o coronavírus começou a se espalhar e virou uma preocupação mundial, os especialistas acompanham os efeitos que o agente infeccioso poderia ter nas gestantes. Após um período de muita incerteza e dados desencontrados, ficou claro que grávidas com covid-19 apresentavam maior risco de agravamento e necessidade de intubação quando comparadas às mulheres da mesma idade que não esperavam filhos. Um estudo publicado em setembro de 2020 no British Medical Journal calculou que gestantes infectadas com o coronavírus tinham um risco 62% maior de internação em UTI e 88% mais probabilidade de necessitar de ventilação mecânica invasiva. O trabalho, liderado pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, reuniu dados de 11 mil grávidas com suspeita

Foto: Ana Nobre

Foto: FreePik

ataquem o feto, pois metade das informações genéticas que ele carrega vem do pai e não é familiar ao corpo da mãe. Seguindo essa lógica, o bebê em desenvolvimento não deixa de ser um "corpo estranho", que pode gerar uma resposta imune indesejada. E isso exige certas adaptações do organismo feminino. O secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Câmara (à esquerda), recomendou adiar a gestação por conta a covid-19 Outra área afetada ao longo dos nove meses é a respiração. Conforme o útero cresce, ele começa a pressionar os órgãos do abdômen e o diafragma, o músculo envolvido diretamente no processo de inspiração do oxigênio e de expiração do gás carbônico. Logo, não é de se estranhar que doenças infecciosas que afetam os pulmões sejam particularmente preocupantes nas grávidas: esse mix de comprometimento imunológico e respiratório as coloca numa situação de relativa vulnerabilidade. É justamente por isso que essas

ou confirmação de covid-19 que precisaram ser internadas por qualquer motivo. Os dados delas foram confrontados com os de outras mulheres da mesma faixa etária que também buscaram atendimento médico, mas não esperavam um bebê. Um outro estudo, feito pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, encontrou números parecidos: as mulheres grávidas americanas com covid-19 apresentavam um risco 1,5 vezes maior de ir para a UTI e 1,7 vezes superior de necessitar de ventilação mecânica. "Um fator que ajuda a explicar esse maior risco tem a ver com a diminuição da capacidade respiratória, especialmente no terceiro trimestre de gestação. O crescimento do útero restringe o abdômen e o tórax", explica o infectologista Ruan de Andrade Fernandes, do Hospital e Maternidade Brasil, da Rede D'Or São Luiz, em São Paulo. Portanto, a covid-19 poderia somar uma dificuldade extra aos pulmões e levar a um quadro mais grave, que exige maior cuidado. "Também já sabemos que a covid-19 aumenta o risco de parto prematuro", acrescenta a infectologista Mirian Dal Ben, do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Por ora, apesar de todas as complicações, os trabalhos publicados mundo afora não encontraram uma maior mortalidade pela covid-19 em mulheres grávidas. Falta de assistência adequada Os números do Observatório Obstétrico Brasileiro Covid-19 (OOBr Covid-19), porém, mostram que a realidade das gestantes brasileiras durante a pandemia é assustadora. Ao longo de 2020, foram registradas 453 mortes pela infecção com o novo coronavírus nas mulheres que esperam ou acabaram de dar à luz a um filho, o que representa uma média semanal de 10,5 óbitos. Nos primeiros quatro meses de 2021,


f l vivermagazine

9


já foram registradas 289 mortes, o que faz a taxa semanal de óbitos nessa população dobrar. Na comparação entre os dois anos, o crescimento de mortes entre grávidas foi de 145,4%, enquanto na população geral esse aumento ficou em 61,6%, calcula o OOBr Covid-19. A explicação para esse fenômeno estaria na falta de assistência adequada: com a chegada de tantos pacientes num curto espaço de tempo, muita gente não teve acesso aos leitos de enfermaria ou UTI e, infelizmente, acabou morrendo na espera de um atendimento. No Brasil, mortalidade das gestantes por covid-19 parece destoar do que ocorre no resto do mundo De acordo com as fontes ouvidas pela BBC News Brasil, isso impacta especialmente grupos com a saúde mais vulnerável, como as gestantes. Uma pesquisa publicada em julho de 2020 já apontava essa tendência: até o dia 18 de junho do ano passado, o Brasil respondia por 77% de todas as mortes de gestantes por covid-19 do mundo. Os dados, colhidos por especialistas da Fiocruz e de outras quatro instituições, indicavam que 23% dessas mulheres não tiveram acesso a um leito de UTI e 36% nem chegaram a ser intubadas. E qual o papel das variantes? Como o próprio secretário do Ministério da Saúde adiantou, ainda não existem muitas informações publicadas e validadas sobre o impacto das novas variantes, detectadas em locais como Reino Unido, África do Sul e Brasil. Por ora, ainda não há certeza se elas são realmente mais agressivas às gestantes do que as versões anteriores do coronavírus. "Existe uma especulação de que as novas variantes estejam associadas a uma maior transmissibilidade na população geral, mas mesmo isso ainda não é consenso na área", avalia Fernandes. "Ainda não temos estudos específicos 10

vivermagazine.com

sobre o impacto das variantes nas grávidas, mas o fato de essas cepas serem aparentemente mais transmissíveis levaria a um aumento nos casos graves, nas internações e nas mortes por covid-19 em todas as populações, incluindo nessas mulheres", aponta Dal Ben. A última recomendação do Governo Federal, portanto, parece estar baseada em relatos e observações empíricas colhidas com alguns profissionais que atuam em hospitais e maternidades. Atualmente, entidades como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Sistema Nacional de Saúde do Reino Unido entendem que as gestantes são um grupo que apresenta risco baixo de desenvolver quadros severos de covid-19. Mesmo assim, a possibilidade de agravamento da enfermidade é maior em comparação com mulheres da mesma idade que não gestam uma criança. O risco aumenta mais nos casos em que a gestação ocorre numa idade mais avançada ou está relacionada a quadros de sobrepeso, obesidade, hipertensão ou diabetes. Outro fator que exige ainda mais atenção é quando essa mulher trabalha em serviços essenciais, como as médicas, enfermeiras e outras profissionais que estão na linha de frente do combate à pandemia. Por fim, a covid-19 costuma ganhar uma dose extra de perigo em grávidas que fazem parte de grupos vulneráveis e minorias étnicas, que têm acesso ainda mais limitado a serviços de saúde. E os bebês? A boa notícia é que as crianças não são particularmente afetadas pela infecção — nem antes e muito menos depois do parto. Até o momento, um quadro de covid-19 ao longo da gestação não parece estar envolvido com casos de aborto espontâneo ou problemas no desenvolvimento do bebê.

A transmissão do vírus da mãe para o feto ou para o recém-nascido também é algo raro. Uma pesquisa conduzida pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, não encontrou indícios do coronavírus em 127 amostras de plasma sanguíneo, cordão umbilical ou placenta. Os achados foram publicados no Journal of the American Medical Association. Uma outra investigação, realizada na Universidade da Califórnia em São Francisco (EUA), também observou que os recém-nascidos não apresentam complicações após suas mães serem diagnosticadas com covid-19. A doença não alterou parâmetros importantes na hora do parto e nas primeiras oito semanas de vida, como peso ao nascer, dificuldades para respirar, quadros de apneia ou o aparecimento de infecções no sistema respiratório. Vale postergar os planos? A recomendação de adiar uma eventual gestação não é algo particularmente novo nas histórias das epidemias e das pandemias recentes. Nas últimas décadas, orientações parecidas foram dadas por autoridades em saúde pública diante das emergências da aids (anos 1980 e 1990), da gripe H1N1 (2009) e do zika (2016). Mas a questão levanta preocupações éticas relevantes. Um artigo publicado na revista The New England Journal of Medicine e assinado por três especialistas em pediatria, obstetrícia e bioética dos Estados Unidos questiona fortemente políticas públicas do tipo. "O exercício da autoridade pública em uma área tão profundamente pessoal e privada como a decisão sobre se e quando ter um filho requer forte justificativa, dadas as muitas questões éticas que levanta. Existem várias áreas potenciais de preocupação. O primeiro


f l vivermagazine

11


Foto: FreePik

está relacionado à autonomia reprodutiva". As pesquisadoras também lembram que historicamente orientações e para postergar a gestação representaram "violações éticas flagrantes". "Outra preocupação é o potencial de discriminação. Mesmo políticas objetivamente neutras podem se traduzir em experiências diferentes de acordo com a raça, grupo étnico ou classe social. O conselho público que desencoraja a gravidez também pode transferir indevidamente a responsabilidade pela gravidez somente para os pais, isentando as instituições que são responsáveis por mitigar os danos e têm o poder de fazê-lo", concluem. Até o momento, recomendações de adiar os planos de ser mãe e pai não parecem ter sido oficialmente adotadas por outros países — no máximo, as autoridades sugerem que o casal converse com especialistas e avalie os riscos e benefícios antes de tomar qualquer decisão. Fernandes entende que o tema é controverso e não há uma resposta única sobre ele. "Diferentemente do que aconteceu na aids e na zika, agora ainda não está claro o risco de transmissão de covid-19 pela placenta, da gestante para o feto", compara. "Talvez a abordagem pudesse 12

vivermagazine.com

ser mais no sentido de oferecer informações ao casal sobre riscos e benefícios, e não apenas pedir para postergar os planos de gravidez", completa o infectologista. Já Dal Ben acredita que é preciso ver caso a caso. "Nessas horas, precisamos pensar em vários fatores. Se a mulher estiver com 38, 40 anos, quase no fim da fase reprodutiva, uma recomendação dessas não faz sentido. Mas, caso ela tenha entre 20 e 30 anos, talvez pesar prós e contras e aguardar uns dois anos para ter uma gravidez mais tranquila não seja um problema tão grande assim", pensa. Estou grávida. O que fazer? A OMS recomenda que a mulher tome algumas precauções e preste bastante atenção a possíveis sintomas de covid-19. Os cuidados são os mesmos que devem ser seguidos pelo resto da população: • Lavar as mãos com frequência com água e sabão ou álcool gel • Manter uma distância segura de outras pessoas • Evitar encontros, reuniões e aglomerações com indivíduos que não fazem parte de seu convívio diário • Usar máscara toda vez que precisar sair de casa • Evitar tocar os olhos, o nariz e a boca • Praticar etiqueta respiratória: cobrir boca e nariz com o braço ou com lenço descartável toda vez que tossir ou espirrar Dal Ben destaca que os cuidados não devem ser redobrados apenas pelas gestantes, mas por todo mundo que têm contato com elas. "Chamamos isso de proteção de ninho. Quem convive com essas mulheres precisa, na medida do possível, usar máscaras sempre, sair o mínimo possível e reforçar todas as ações preventivas", sugere a médica. Mesmo na pandemia, é essencial fazer o pré-natal e todos os exames de acompanhamento.

Outra dica importante é ficar de olho em qualquer sintoma sugestivo de uma infecção por coronavírus, como tosse, febre, falta de ar, perda de olfato e paladar, problemas gastrointestinais… Se esses incômodos aparecerem, vale consultar o médico e pedir orientações sobre a necessidade ou não de fazer um teste de diagnóstico. Falando em profissional da saúde, todas as entidades nacionais e internacionais reforçam que o acompanhamento pré-natal é algo que não pode ser ignorado: o casal deve passar pelas consultas e exames que garantem o bom andamento da gestação. Algumas dessas orientações e atendimentos, inclusive, podem até ser feitos à distância, por meio de aplicativos de videochamada. E quando houver a necessidade de ir até uma clínica ou hospital para realizar exames, é necessário que os futuros pais sigam todas as recomendações que diminuem o risco de contágio, como uso de máscaras e o distanciamento social. E a vacinação? Essa é uma área com muitas controvérsias. Isso porque a maioria das vacinas contra a covid-19 não incluíram as gestantes como participantes dos testes clínicos. Com isso, há pouca observação sobre a segurança e a eficácia dos imunizantes nesse grupo específico. Mas a experiência de mundo real, nos países onde a campanha de imunização já está mais adiantada, indica que não há grandes preocupações sobre a aplicação das doses nessas mulheres. A OMS entende que as vacinas já aprovadas pelas agências regulatórias não apresentam nenhum risco específico durante a gravidez. Entre as vacinas aprovadas no Brasil até o momento, também não há nenhuma preocupação maior.


f l vivermagazine

13


Atualidade

O turismo da vacina - os latino-americanos que viajam aos EUA para se imunizar Alguns latino-americanos preferem viajar aos EUA para se vacinar do que esperar a lenta vacinação em seus países. No México, cerca de 500 empresas de viagens oferecem pacotes que incluem voo e traslado para centro de vacinação em cidades americanas.

"

Minha mãe tem 80 anos e, como fomos convidadas para um casamento na Flórida, aproveitei a viagem para nós duas recebermos a vacina." A história desta venezuelana que prefere não dar seu nome é cada vez mais comum: a de viajantes de países latino-americanos que estão sendo vacinados contra o coronavírus nos Estados Unidos. "Foi tudo muito simples. Bastava mostrarmos nosso passaporte e eles nos vacinaram sem nem precisar sair do carro no Hard Rock Stadium de Miami", disse ela à BBC News Mundo (serviço de notícias em espanhol da BBC). No norte dos EUA, na cidade de Boston, outra venezuelana de 62 anos também não teve grandes dificuldades. "Eu me registrei na página do Departamento de Saúde de Massachusetts e alguns dias depois eles me deram a vacina sem pedir nenhum documento".

14

vivermagazine.com

Ela recebeu a vacina da Pfizer no Hynes Convention Center. "Meu marido insistiu que eu viesse tomar. Realmente, é uma questão de vida ou morte e não sei quando as vacinas chegarão ao meu país ou se vão administrar os imunizantes bem na Venezuela. E aqui foi tão fácil ... " Mas não são apenas os venezuelanos. No México e na Colômbia, proliferam agências de viagens que promovem pacotes turísticos que têm como principal atrativo o acesso à vacina, ainda longe do alcance da maioria em muitos países latino-americanos devido à lentidão em sua distribuição na região. Pacotes de viagens - Segundo a Associação Mexicana de Agências de Viagens, já existem cerca de 500 empresas que oferecem pacotes que incluem voo para os EUA, recepção no aeroporto, acomodação e traslado para um centro de vacinação — tudo

Foto: FreePik/ awpixel.com

Por: Guillermo D. Olmo - @BBCgolmo - BBC News Mundo

por cerca de 20 mil pesos (cerca de US$ 1 mil ou mais de R$ 5 mil). Nos principais aeroportos do sul dos EUA, como os de Miami, Orlando, Houston ou Los Angeles, o turismo de vacinas é um fenômeno já bem visível. Isso é também consequência do avanço da campanha de vacinação nos EUA, onde mais de 53% da população já recebeu pelo menos uma dose da vacina, percentual só superado por Israel e Reino Unido. Os dados contrastam com 6,1% na Colômbia, onde as autoridades foram obrigadas a decretar novos confinamentos para conter o avanço da epidemia. Em outros países, o percentual de pessoas vacinadas também é baixo: 9,5% no México e 1% na Venezuela. Na região, poucos casos excepcionais, como Uruguai e Chile, se aproximam dos números americanos. "A América Latina é a região que atualmente mais necessita de vacinas", diz a diretora


fl l vivermagazine vivermagazine f

15 15


Foto: FreePik/ Odua

da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa Etienne. Isto é um problema? Quando a crescente chegada de latinoamericanos — incluindo pessoas famosas cuja vacinação causou polêmica — virou notícia na imprensa, alguns Estados anunciaram medidas para garantir que apenas residentes recebessem a vacina. O governador da Flórida, Ron DeSantis, anunciou que o Estado exigiria comprovante de residência para aplicar a vacina. Mas a Secretaria de Saúde do Estado disse à BBC Mundo que há exceções. Como a Flórida tem muitos residentes temporários, principalmente idosos, as autoridades dizem que "não podem limitar" a vacinação de pessoas que não moram lá durante todo o ano. No dia 30/04, o clínico geral do Estado, Scott Rivkees, emitiu uma instrução recomendando estender a vacinação a todos os não-residentes na Flórida que estejam lá "fornecendo bens e serviços". Os turistas latinoamericanos que foram vacinados na Flórida consultados pela BBC Mundo disseram que não é necessário comprovante de residência. E até políticos locais parecem ter visto 16

vivermagazine.com

no novo "turismo de vacinas" uma oportunidade de compensar um pouco a queda de visitantes causada pela pandemia. É o caso do prefeito de North Miami Beach, Anthony F. DeFillipo, que chegou a sugerir que estrangeiros venham para a cidade em busca da vacina. Três dias depois, a Prefeitura esclareceu em comunicado que cabe à Secretaria de Estado da Saúde definir os critérios para administrar a vacina. Mary Jo Trepka, especialista em Epidemiologia da Florida International University, disse à BBC News Mundo que "nos EUA há um amplo estoque de vacinas e a pequena porcentagem de doses que os viajantes latino-americanos estão tomando não deve representar um problema [para os demais americanos]". "Na verdade, é do interesse dos EUA que a população de nossos países vizinhos seja vacinada e, do ponto de vista da saúde pública, o problema é: por que não estão chegando vacinas suficientes a esses países", diz Trepka, que cobra do presidente dos EUA, Joe Biden, um maior envolvimento no programa Covax e em outras iniciativas de ajuda a países menos favorecidos.

A Casa Branca anunciou em 26 de abril que enviará 60 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca para países em dificuldade "assim que elas estiverem disponíveis". Mas ele não detalhou quem serão os favorecidos. 'E você? Qual você recebeu?' Por Marcos González, correspondente da BBC no México Estou embarcando em um voo da American Airlines de Miami para a Cidade do México. Embora seja de manhã cedo, há muitas conversas animadas. Três jovens mexicanos de no máximo 30 anos falam sobre sua viagem aos EUA. Eles cumprimentam outros conhecidos mexicanos que estão embarcando no avião. "E você chegou ontem e vai embora hoje? Nossa, tá maluco. E qual você recebeu? Eu, a da Moderna", diz um deles, de terno e perfeitamente penteado, para uma das amigas que está andando pelo corredor procurando por seu assento. Não é segredo para os passageiros ou tripulantes que, entre os inúmeros atrativos de se viajar para os EUA, agora existe também a possibilidade de se receber a vacina por lá. E não são poucos os que trocam dicas sobre como fazer isso de forma rápida e confortável. Desigualdades - Para Trepka, a desvantagem do turismo de vacinas da América Latina é que ele "agrava as desigualdades nos países de origem", pois quem pode viajar para os EUA é quem pode pagar e tem autorização de entrada, o que exclui grande parte da população da região.O fato de nem todos poderem pagar explica o alvoroço causado pelos casos conhecidos de celebridades que viajaram aos EUA para se vacinar, como o ex-candidato à presidência do Peru Hernando de Soto, que inicialmente negou ter recebido a vacina. Trepka, no entanto, não culpa os turistas. "Eu acho que faria o mesmo se estivesse no lugar deles."


f l vivermagazine

17


Comportamento

Como lidar com a pressão para ser mãe Foto: FreePik/freepic.diller

A decisão de ter ou não ter filhos é uma das mais importantes da vida da mulher, mas muitas vezes a pressão social a impede de escolher de forma tranquila o caminho a ser seguido.

A

revolução sexual (gerada pela descoberta da pílula anticoncepcional) contribuiu bastante para a emancipação feminina e para a luta contra a desigualdade de gênero. No entanto, a ainda recai sobre a mulher uma enorme pressão para casar e ter filhos. Boa parte da sociedade ainda acredita que elas nascem com um instinto maternal e que só se realizam como pessoas quando se tornam mães. Assim, as meninas são educadas com um plano de vida preestabelecido que consiste

18

vivermagazine.com

em crescer, estudar, ter uma carreira, casar e ter filhos. Muitas pessoas nem consideram a ideia que ser mãe é uma escolha pessoal como tantas outras e não deve ser encarado como uma obrigação para satisfazer expectativas alheias. Para tornar o tema ainda mais complexo, a vida fértil da mulher, ao contrário do que ocorre com os homens, começa a diminuir a partir dos 30 anos. E poucas podem engravidar naturalmente depois dos 40 anos. Assim, quando se aproximam dos 30, a maioria das mulheres têm de enfrentar um

debate interno se querem ou não ser mães. O problema é que nessa faixa etária muitas delas ainda não têm a estabilidade sentimental e econômica para poder dar esse passo. E, devido à pressão social, elas se veem sozinhas e angustiadas por não ter com quem compartilhar uma decisão tão importante. Como enfrentar a pressão para ser mãe A partir dos 30 anos, a família, os amigos e até os médicos começam a dizer para a mulher que se ela quer ser mãe precisa decidir logo.


f l vivermagazine

19


Foto: FreePik

o tema. Talvez uma opção seja congelar os óvulos. Embora o procedimento não seja uma garantia de gravidez no futuro, ele tem possibilitado a diversas mulheres realizar mais tarde o sonho de ser mãe. 4. Se a decisão for não ter filhos, assuma

Se você está vivendo algo assim, a seguir encontrará 5 conselhos para enfrentar a situação de uma forma mais tranquila.

ideia é conversar com alguma amiga próxima que já é mãe e pedir a ela que lhe conte de uma forma sincera como é a maternidade real.

1. Reflita se quer ou não ser mãe

2. Conecte-se com você mesma

Esqueça a pressão externa e reflita se realmente quer ser mãe. Essa é uma decisão muito séria, que não dá para voltar atrás e que irá ser um divisor de águas na sua vida. Para clarear suas ideias, faça as seguintes perguntas: • Realmente quero ser mãe? • Posso assumir a responsabilidade de gerar um indivíduo? • Sou consciente que minha vida dará um giro completo? • Estou em uma relação estável e o meu parceiro quer ser pai? • Tenho estabilidade financeira e emocional? Fazer uma lista com os prós e contras pode ajudar você a decidir. Também pode ser muito útil passar a conviver mais com crianças e observar como é a rotina, quais são as demandas, os desafios da educação, etc. Uma boa 20

vivermagazine.com

Não deixe que a opinião alheia defina o seu caminho. Escute a sua voz interior e procure refletir se quer ser mãe porque realmente é algo que tem ilusão ou por pressão social e medo de se arrepender no futuro. Se você sente medo de se arrepender depois, lembre-se que o futuro é sempre incerto e que cada escolha fatalmente implica uma renúncia. 3. Se você quer ter filhos, mas não agora…

Se este é o seu caso, procure focar na sua carreira profissional e em outros objetivos que estarão por um tempo em segundo plano depois que o bebê nascer. Aproveite para viajar, economizar dinheiro, curtir com os amigos e viver o presente. Além disso, procure não se angustiar com o relógio biológico. Converse com o seu ginecologista sobre

Se depois de refletir bastante você decidir que não quer ser mãe, o mais indicado é não inventar desculpas e assumir. A maternidade é uma decisão muito pessoal e ninguém deve obrigá-la a seguir por esse caminho. Lembre-se que não ter filhos é uma opção tão válida como tê-los. Mantenha-se firme em suas convicções. Cada pessoa tem o direito de decidir como quer viver e o fato de não ser mãe não significa que você não será feliz. A felicidade depende de muitos elementos e existem muitas mães que são extremamente infelizes. A ideia de que a maternidade gera uma felicidade máxima e inabalável é uma fantasia. É claro que ter um filho desejado traz muita felicidade. Mas as pessoas não são conscientes do ato de generosidade e responsabilidade que a maternidade implica. Da mesma forma, a decisão de não ter filhos deveria ser vista como um ato responsável e generoso. Quando uma mulher é mãe sem querer, isso tem consequências muito negativas para a sua vida e do seu filho. Maribel Castelló, psicologa. 5. Se continua com dúvidas, não se sinta culpada

Lembre-se que você é totalmente capaz de tomar a decisão que lhe fará mais feliz. Seja ela qual for. Dê tempo ao tempo e não ceda a nenhuma pressão externa. Além disso, é importante ter em mente que você é uma pessoa adulta e não deve satisfações a ninguém. Ao se livrar da culpa, você estará mais preparada para seguir o caminho que lhe será mais conveniente.


f l vivermagazine

21


Beleza Foto: FreePik

Por: belezaesaude.com

Como cuidar da beleza na gravidez? O bem-estar durante a gravidez depende diretamente do seu estado emocional, da manutenção com a beleza e da prática de exercícios. Cultivar a autoestima também é uma excelente forma de amenizar algumas alterações que surgem com a gravidez.

S

e você é gestante (ou pretender ser em breve), confira vários cuidados específicos para se manter bonita e saudável nessa época tão especial.

Exercícios Físicos

A gravidez é um fato limitante para atividades físicas. Os riscos de traumas são significativos, quando 22

vivermagazine.com

comparados aos benefícios. Por isso, é indicado que a grávida procure apenas exercícios suaves. No caso da musculação, existem médicos que defendem que a gestante pode dar continuidade se já estiver acostumada — desde que não tenha tido nenhum sangramento nem parto prematuro em uma gestação anterior. Para isso, porém, é preciso a liberação do obstetra e os

treinos deverão ser adaptados ao seu novo estado. Um dos exercícios mais recomendados nessa fase é a hidroginástica. Inchaço

O inchaço, chamado pelos médicos de edema, acomete principalmente os membros inferiores no início do sétimo mês de gestação. Isso


f l vivermagazine 23


Foto: FreePik/valeria_aksakova

porque eles têm quantidades pequenas de substâncias potencialmente tóxicas ao feto. Apenas deve-se evita-los se você for alérgica ao produto. Mesmo assim, as alterações encontradas (como dermatite de contato alérgica, ou por irritação primária), não prejudicam o feto. O problema encontra-se na quantidade de acetona do removedor de esmaltes. Não há estudos que mostrem sua segurança, portanto deve-se usar removedores específicos para retirar o esmalte. Para o parto, é indicado não pintar as unhas, pois elas são um sinal importante para o anestesista. Alimentação

acontece pela retenção de líquidos, que é normal na gravidez. Evite muito sal e beba bastante líquido. Um travesseiro embaixo do colchão para as pernas ficarem levemente erguidas facilita a circulação do sangue. Evite ficar muito tempo em uma mesma posição, pois pode aumentar o inchaço. O uso de meia elástica também pode ajudar. Manchas

A pigmentação na gravidez é resultado da intensa ação hormonal na segunda fase da gestação. Os hormônios da placenta, do bebê e da própria mãe agem sobre a pele, podendo criar manchas hiper pigmentadas. Isso aumenta a sensibilidade da pele ao sol, fazendo com que cerca de 75% das gestantes apresentam melasmas (manchas amarronzadas que aparecem nos dois lados do rosto, especialmente nas bochechas, no queixo e na área entre os lábios e o nariz). Para evitá-las, é necessário usar filtro solar todos os dias com FPS acima de 30, mesmo quando se está dentro de casa. Evite sol forte no rosto, use sempre chapéu e óculos escuros com 24

vivermagazine.com

FPS. Para amenizar as manchas são indicados peelings superficiais com ácido glicólico ou alfa-hidroxiácidos. Os tratamentos com substâncias despigmentantes só podem ser feitos após a amamentação. Tintura

O uso de alguns tipos de tintura de cabelo não é contraindicado, mas, por precaução, recomendase a utilização apenas a partir do segundo trimestre. É importante usar só tinturas industrializadas de procedência segura, pois produtos feitos em laboratórios clandestinos podem conter substâncias tóxicas. As tinturas antigas continham chumbo, o que aumentava as chances de aparecerem alergias na mulher, além de serem tóxicos ao feto. Os produtos modernos têm pouca amônia e substâncias alcóolicas, mas na dúvida é melhor evitar colorir o cabelo antes do terceiro mês. Se você precisa pintar os cabelos, converse com seu médico para saber o produto mais indicado. Esmalte

Não existe nenhuma contraindicação em usá-los durante a gestação,

Estima-se que durante a gestação são necessárias cerca de 200 calorias a mais por dia, número que pode variar de acordo com o nível de atividade física da futura mãe. Bom senso e atenção são suficientes para garantir uma alimentação saudável e um ganho de peso compatível com os padrões. Estrias

As estrias são cicatrizes ocasionadas pelo rompimento das fibras elásticas e de colágeno geradas por estiramento excessivo ou rápido da pele e por mudanças hormonais que acontecem durante a gravidez. Cuide bem da pele e controle o peso. A pele deve estar hidratada para que as fibras de colágeno e elastina aguentem a pressão que o crescimento da pele faz durante a gravidez, principalmente na região da barriga e seios. Produtos que contenham em sua fórmula ureia (máximo 3%), lactato de amônia, colágeno, elastina, vitamina E e óleos vegetais são recomendados antes e durante a gravidez. O uso dos hidratantes deve continuar ou ser começado assim que souber da gravidez, pelo menos duas vezes por dia.


f l vivermagazine 25


Educação Por: br.usembassy.gov

Foto: FreePik/freepic.diller

O programa Pontes Americanas – programa que tem por objetivo ampliar informações sobre o estudo nos Estados Unidos.

A

Embaixada e Consulados dos Estados Unidos no Brasil e o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) lançaram, no dia 14 de abril, o programa Pontes Americanas – programa que tem por objetivo ampliar informações sobre o estudo nos Estados Unidos. Nessa data, o ministro-conselheiro da Missão dos EUA no Brasil, Douglas Koneff, e a presidente do Conif, Sônia Regina Fernandes, deram início ao programa de formação para mais de 1200 servidores da Rede Federal que poderão atuar como coordenadores. O programa vai estar presente em mais de 400 campi dos Institutos Federais, Cefet Minas Gerais e Rio de Janeiro e Colégio Pedro II, localizados em todos os estados brasileiros, conectando milhares de estudantes brasileiros

26

vivermagazine.com

aos EUA por meio de programas administrados pelo EducationUSA e Espaços Americanos. A iniciativa também oferecerá oportunidades de aprendizagem da língua inglesa, programas culturais, oportunidades de intercâmbio, como por exemplo, os programas Jovens Embaixadores, Jovens Líderes das Américas (YLAI) e outros recursos como o eLibraryUSA. O Programa Pontes Americanas vai facilitar o acesso das instituições da Rede Federal aos centros de aconselhamento do EducationUSA e aos Espaços Americanos. “Essas instituições são fontes oficiais de informações e orientações sobre estudos nos EUA e estão espalhadas por todo o mundo”, destaca o ministro-conselheiro da Missão dos EUA no Brasil, Douglas Koneff. De acordo com a presidente do Conif, Sônia Regina Fernandes, “nossa expectativa é ampliar a participação de estudantes e servidores da nossa

Rede em programas de bolsas e de formação e desenvolvimento institucional do governo dos EUA”. Essa é uma importante estratégia para a formação multicultural de estudantes e servidores, completa Ana Carolina Oliveira, assessora de relações internacionais do Conif. Segundo o Diretor de Relações Internacionais e Interinstitucionais do IF Sudeste MG e Coordenador do Fórum de Assessores de Relações Internacionais do Conif, Daniel Augusto de Oliveira, “esse é um projeto fundamental para incrementar, por meio da internacionalização, o desenvolvimento profissional de nossos servidores e a oferta de educação integral aos nossos alunos, agentes de uma Rede tão diversa, inclusiva e transformadora”. De acordo com Rita Moriconi, coordenadora Regional do EducationUSA para o Conesul, existem mais de 4.700 universidades a nível de graduação e 1700 universidades a nível de pós-graduação nos EUA. Os orientadores do EducationUSA vão ajudar os interessados a encontrar a universidade ideal e também vão oferecer informações sobre bolsas de estudos. As universidades norte-americanas estão de portas abertas para alunos brasileiros. Enquanto seguem os protocolos de segurança para conter a propagação do Coronavírus, as universidades americanas criam ações para identificar estudantes Brasileiros interessados em admissões para cursos à distância, ou para aulas futuras, em modelo presencial. Até que tudo se normalize, a melhor ideia é investir o tempo planejando todas as etapas para estudar nos Estados Unidos. Para mais informações sobre essa nota à imprensa, entrar em contato com a Assessoria de Imprensa da Embaixada dos EUA em Brasília, pelo e-mail BrasiliaEMBEUA@state.gov ou pelos telefones (61) 3312-7367 / 7364.


f l vivermagazine

27


Intercâmbio Por: br.usembassy.gov

Foto: FreePik/ale.bonato

Estudantes brasileiros com vistos válidos (categorias F e M) e que iniciarão os estudos nos EUA a partir ou depois de 1º de agosto de 2021 poderão viajar ao país

D

e acordo com o compromisso do Departamento de Estado em facilitar viagens legítimas aos Estados Unidos, o secretário Blinken decidiu, no dia 26 de abril, aplicar várias Exceções de Interesse Nacional (NIE) às restrições de viagem relacionadas ao Brasil, atualmente em vigor, devido à pandemia da Covid-19. Outros países qualificados para essas exceções são: China, Irã, Área de Schengen, Reino Unido, Irlanda e África do Sul. Os viajantes devem cumprir integralmente as regulamentações sanitárias nos EUA, e devem entrar em contato com as autoridades locais de saúde nos Estados Unidos para mais detalhes. Os viajantes internacionais são obrigados a fazer um teste viral três dias antes do embarque aos EUA e fornecer documentação por escrito do resultado de teste (papel ou cópia eletrônica) à companhia aérea. Estudantes que viajam do Brasil para

28

vivermagazine.com

iniciar seus estudos no outono dos EUA, alguns acadêmicos, jornalistas e indivíduos que buscam fornecer suporte crítico à infraestrutura afetados por uma restrição geográfica da Covid-19 podem se qualificar para uma Exceção de Interesse Nacional (NIE). Brasileiros que tiverem visto de estudante válido (categorias F e M) e iniciarão os estudos nos EUA a partir ou depois de 1º de agosto de 2021 poderão viajar ao país sem consultar a Embaixada ou os Consulados no Brasil, entretanto, estão proibidos de chegar ao país mais de 30 dias antes do início das aulas. Aqueles que necessitam de um visto de estudante devem consultar o site da Embaixada ou dos Consulados mais próximos. As entrevistas de visto para as categorias dessa exceção devem ser retomadas em meados de maio de 2021 se as condições permitirem. Acadêmicos, jornalistas e outros que possam se qualificar para uma Exceção de Interesse Nacional,

incluindo aqueles com vistos válidos e ou com a Autorização de Viagem (ESTA), precisarão solicitar um NIE. Tendo a NIE aprovada, os indivíduos podem viajar com um visto válido ou a autorização ESTA. “Os Estados Unidos estão extremamente orgulhosos de ser o destino preferido de tantos estudantes e acadêmicos brasileiros e de ter tantas parcerias de longo prazo entre universidades e organizações de mídia. Estou excepcionalmente satisfeito que as condições permitam agora que viagens e estudos sejam retomados, e estamos ansiosos para aumentar a expansão destes vínculos”, ressalta o embaixador dos EUA, Todd Chapman. A pandemia continua a limitar o número de vistos e as Exceções de Interesse Nacional que a Embaixada e Consulados no Brasil são capazes de processar. As entrevistas de vistos talvez não estarão imediatamente disponíveis, mas encorajamos os indivíduos a planejar com antecedência. Como sempre, os solicitantes de visto devem consultar os sites da embaixada ou consulado mais próximo para obter as informações mais atualizadas sobre a disponibilidade de visto. O Departamento de Estado também continua a conceder as exceções para viajantes qualificados que procuram entrar nos EUA para fins relacionados a viagens humanitárias, resposta à saúde pública e segurança nacional. À medida que a situação global evolui, o Departamento continua a buscar maneiras de processar mais pedidos de visto, baseando-se na orientação científica das autoridades sanitárias, e assim, preservando a saúde e a segurança dos funcionários e solicitantes de visto.


f l vivermagazine 29


Pandemia Por: dn.pt

EUA apoiam distribuição mundial de vacina a preço de custo Foto: FreePik

Conselheiro de Segurança Nacional do presidente Biden afirmou em entrevista que há conversações no âmbito da OMC para superar o problema do acesso à vacina.

O

s Estados Unidos estão trabalhando para que as farmacêuticas que desenvolveram uma vacina contra o vírus Sars-CoV-2 a distribuam a nível mundial a preço de custo para acabar com a pandemia, foi anunciado no dia 2 de maio. "O resultado final é que acreditamos que as empresas farmacêuticas devem fornecer uma vacina a preço de custo para todos, para que não haja barreiras à vacinação", disse Jaque Sullivan, conselheiro de Segurança Nacional do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, numa entrevista ao canal de televisão ABC. O conselheiro também garantiu que

30

vivermagazine.com

a representante do Comércio dos Estados Unidos, Katherine Tai, está conduzindo "conversas intensivas" com a Organização Mundial do Comércio (OMC) para superar o problema do acesso à vacina e realçou que haverá um "caminho a percorrer nos próximos dias". UBSCREVER Os comentários de Sullivan surgem depois de um grupo de 10 democratas, liderado pelo representante da ala mais progressista, o senador Bernie Sanders, ter pedido que as empresas farmacêuticas fossem obrigadas a ceder temporariamente as patentes da vacina contra o Sars-Cov-2 para que os países que precisam delas

pudessem desenvolver as suas próprias vacinas. A suspensão temporária das patentes das vacinas foi proposta pela Índia e pela África do Sul à OMC, dois dos países que mais sofrem com o impacto da pandemia de covid-19. "Pedimos que apoiem a adoção desta isenção temporária, que garantirá a resposta mais eficaz e eficiente a uma pandemia global, apenas vista uma vez na vida", refere a carta dos democratas enviada a Joe Biden. Por outro lado, Sullivan disse que Washington está "orgulhoso" do que foi feito até agora para ajudar a Índia, onde centenas de milhares de novas infeções são registadas diariamente e onde os hospitais não possuem material e medicamentos suficientes para lidar com a doença. No entanto, o conselheiro de Biden realçou ainda que numa emergência desta magnitude se deseja sempre "poder andar mais rápido e fazer mais". O conselheiro lembrou que o país enviou "aviões militares de grande porte carregados de oxigénio, carregados com matérias-primas para vacinas, carregados com equipamentos que podem ajudar a salvar vidas, e lembrou que continuam a transportar ajuda" o mais rápido possível. "Estamos preocupados com as variantes, com a propagação, com as vidas que são perdidas e também com os efeitos colaterais que podem surgir enquanto a pandemia está totalmente fora de controlo na Índia", concluiu.


f l vivermagazine

31


Saúde Por: belezaesaude.com

Foto: Freepik/elenayakimova

Ácido Fólico: Vitamina Essencial para sua Saúde

O

folato, também conhecido como metilfolato ou vitamina B9, é uma vitamina do complexo B, solúvel em água e presente em diversos alimentos. O ácido fólico é a forma sintética do folato, utilizado como um suplemento e como um aditivo alimentar (enriquecimento de farinhas, etc.) Obs: Para confundir um pouco, normalmente quando você encontra em textos o termo “ácido fólico”, o termo está se referindo genericamente à vitamina B9, sem fazer distinção entre a forma natural (folato) e a forma sintética (ácido fólico). Para simplificar, uso essa mesma convenção aqui. Porém,

32

vivermagazine.com

alguns pesquisadores acreditam que há diferenças funcionais entre os dois, assunto que trato em uma seção à parte mais adiante no texto. Benefícios do Ácido Fólico

• Para as grávidas, o ácido fólico é especialmente importante para um bom desenvolvimento do feto e formação do tubo neural. A suplementação deve começar pelo menos um mês antes da gravidez e é essencial nas primeiras oito semanas após a concepção. Isto porque é neste período que ocorre o desenvolvimento do sistema nervoso e tubo neural do feto. • O ácido fólico é importante para a função cerebral adequada e

desempenha um papel importante na capacidade cognitiva e na saúde mental e emocional. Mais de 40% dos casos de depressão são causados pela falta de folato no organismo. Ele age como cofator na produção de serotonina, um neurotransmissor que garante o bom humor. • O ácido fólico fortalece o sistema imunológico. • O ácido fólico tem papel importante na saúde da pele, unhas e cabelos. Ajuda no crescimento de unhas e cabelos, combate a acne e a dermatite, deixa a pele com um brilho saudável e com a oleosidade controlada.


f l vivermagazine 33


Foto: Freepik/yuliyafurman

Folato, Ácido Fólico e Suplementação

• O ácido fólico combinado com as vitaminas B6 e B12 formam uma coenzima que reduz os níveis de homocisteína, um aminoácido que em excesso afeta o aparelho cardiovascular de forma negativa, impedindo a reparação celular (um processo conhecido por metilação). Altos níveis de homocisteína contribuem para o endurecimento dos vasos sanguíneos, o que eleva a pressão arterial. • Ajuda na produção de DNA e na formação de novas células saudáveis. Além disso, junto com a vitamina B12, o ácido fólico ajuda a formar os glóbulos vermelhos, que transportam o oxigênio pelo sangue. • A presença adequada de ácido fólico é muito importante nas fases de crescimento e desenvolvimento do corpo humano. Esta vitamina participa da formação e multiplicação de todas as células, incluindo as sanguíneas e as de defesa, e da formação de proteínas. Deficiência de Ácido Fólico

Caso o consumo de ácido fólico não seja suficiente, ao longo do tempo pode se desenvolver anemia megaloblástica: hemácias anormalmente grandes, incapazes 34

vivermagazine.com

de transportar o oxigênio adequadamente para todas as células. Os sintomas desta doença incluem fraqueza, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração e falta de ar. Para as mulheres grávidas, a ingestão insuficiente de ácido fólico, especialmente durante o primeiro trimestre, aumenta o risco de um bebê com defeitos no tubo neural. Por isso é importante tomar a suplementação indicada pelo médico e já conversar com ele sobre isso antes mesmo de engravidar se for possível. Fontes Naturais de Ácido Fólico (Folato)

Entre os diversos alimentos que contém folato, as fontes mais ricas são: • Fígado; principalmente de galinha, mas também de boi e de porco • Folhas verdes escuras; espinafre, mostarda, couve, etc. • Aspargos • Abacate • Algumas frutas: mamão, laranja, morango e amora • Feijões e lentilha • Brócolis e couve-flor • Sementes de girassol e linhaça

Como eu disse no início do post, os termos ácido fólico e folato normalmente são usados como sinônimos, mas tecnicamente são diferentes. O folato é a verdadeira vitamina B9, como é encontrada na natureza. O ácido fólico é a forma sintética da vitamina, desenvolvida em laboratório. Acontece que o ácido fólico é quimicamente diferente de folato e, segundo alguns pesquisadores, essa diferença é importante. Ela resultaria em diferenças na absorção e no processamento destas duas substâncias pelas células da parede intestinal. Além disso, em grávidas, a substância não passaria da placenta para o feto da mesma forma natural que acontece com o folato. O ácido fólico sintético é sim convertido em folato no organismo, mas essa conversão é incompleta, deixando ácido fólico nãometabolizado na corrente sanguínea. Em excesso, poderia causar uma série de problemas como alguns tipos de câncer (mama, de cólon e próstata), e diminuição de algumas células do sistema autoimune. Na dúvida, o ideal sempre é obter o folato natural, através dos alimentos. A suplementação com ácido fólico, a princípio funciona bem e é necessária em muitos casos, a preocupação é sempre com o excesso. Isso por quê além do folato em alimentos naturais, existem diversos alimentos industrializados fortificados com ácido fólico. Para quem se preocupa com o excesso de ácido fólico, existem também suplementos de folato natural, ao invés do ácido fólico sintético. Ele é bem mais caro, mas garante a fonte da vitamina em sua forma mais natural. No Brasil é difícil encontrar suplementação de folato, mas em sites estrangeiros é bem comum.


Para onde vai o plástico?

Anuncie na Viver Magazine. Ligue 770.953.4250 www.vivermagazine.com f l vivermagazine 35


Meio Ambiente

Como impedir que máscaras descartadas poluam o planeta

Foto: Freepik.com/cookie_estudio Foto: Gregory Freepik/nando.novoa Foto: Pappas / Unplash Foto: Freepik.com/@tirachardz

Por: nationalgeoraphicbrasil.com

O equipamento de proteção individual é feito de plástico não reciclável. Atualmente, as máscaras são encontradas em todos os cantos da Terra, inclusive nos oceanos. A solução não é complicada: jogá-las fora.

V

ocê sai para fazer sua caminhada diária e avista uma máscara jogada no chão. Poucas pessoas querem tocar em algo que protegeu a respiração possivelmente carregada de vírus de alguém. Então ela fica no chão até ser levada pelo vento — e esse problema simples está mudando rapidamente a paisagem em todo o mundo, desde estacionamentos de supermercados a praias em ilhas desertas. Vacinas foram desenvolvidas em tempo recorde para combater a

36

vivermagazine.com

covid-19. Por outro lado, é frustrante que o lixo em tempos de pandemia ainda esteja sem solução. Um ano atrás, a ideia de que máscaras, luvas e lenços umedecidos descartáveis poderiam vir a ser poluentes ambientais globais não era uma preocupação prioritária. Esse equipamento de proteção individual, abreviado como EPI, foi considerado essencial para prevenir a propagação da covid-19. Ninguém imaginava a quantidade de máscaras que seriam necessárias nem que as utilizaríamos por tanto tempo. Desse modo, a

produção disparou — e agora o lixo é inevitável. Desde então, cientistas publicaram mais de 40 estudos que documentam o uso e o descarte de EPI e apresentam um panorama em escala global. Números que eram desconhecidos na época contam esta história agora. Globalmente, 65 bilhões de luvas são utilizadas todos os meses. A quantidade de máscaras é quase o dobro — 129 bilhões por mês. Isso se traduz em três milhões de máscaras usadas por minuto.


f l vivermagazine

37


“Eles não desaparecem”, afirma Nicholas Mallos, supervisor do programa de resíduos marinhos da Ocean Conservancy.

Foto: FreePik.com/brgfx Foto: Freepik/fukume

Foto: Freepik/mister_big

Um estudo separado relata que 3,4 bilhões de máscaras ou protetores faciais do tipo face shield são descartados todos os dias. Estima-se que a Ásia jogue fora 1,8 bilhão de máscaras por dia, representando o continente com a maior quantidade. A China, com a maior população do mundo (1,4 bilhão), descarta quase 702 milhões de máscaras diariamente.

e pássaros-canoros, segundo um estudo publicado na revista científica Animal Biology.

Todos esses produtos podem ser considerados descartáveis porque são baratos o suficiente para serem utilizados apenas uma vez e depois jogados fora. Mas eis o problema: não é possível realmente jogá-los fora.

Máscaras e luvas sujas jogadas no chão são transportadas pelo vento aos rios e riachos, que as levam para os mares. Cientistas registraram sua presença em praias da América do Sul, desembocaduras de rios na Baía de Jacarta, em Bangladesh, na costa do Quênia e na região desabitada das Ilhas Soko, em Hong Kong. O EPI descartado entupiu os esgotos de Nova York a Nairóbi e obstruiu o maquinário do sistema de esgoto municipal em Vancouver, na Colúmbia Britânica.

Máscaras, luvas e lenços umedecidos não são recicláveis na maioria dos sistemas municipais e não devem ser colocados em lixeiras domésticas destinadas à reciclagem. As máscaras podem conter uma mistura de papel e polímeros, incluindo polipropileno e poliéster, que não podem ser separados em fluxos puros de materiais individuais para reciclagem. Além disso, por serem tão pequenos, ficam presos em máquinas de reciclagem, causando avarias. (O EPI utilizado em instalações médicas é descartado como resíduo médico perigoso.)

Plástico disfarçado Máscaras, luvas e lenços umedecidos são feitos de múltiplas fibras plásticas, principalmente polipropileno, que permanecerão no meio ambiente por décadas, talvez séculos, fragmentandose em microplásticos e nanoplásticos cada vez menores. Uma única máscara pode liberar até 173 mil microfibras por dia nos mares, de acordo com um estudo publicado no periódico Environmental Advances.

Esses materiais também afetam os animais. Nos Países Baixos, observou-se o galeirão-comum, um pássaro de 30 centímetros de altura e rosto branco, inovando com o uso de máscaras para construir ninhos — supondo-se que suas patas grandes e desajeitadas não fiquem presas nas alças da máscara. Isso aconteceu, às vezes com desfechos fatais, com cisnes, gaivotas, falcões-peregrinos

Joana Prata, pesquisadora de saúde ambiental da Universidade do Porto, em Portugal, e principal autora de um estudo sobre as repercussões que a pandemia acarretou nos plásticos, indicou que os cidadãos precisam de informações claras sobre a utilização e descarte de EPI. “Isso inclui o descarte adequado como resíduo misto em sacos fechados à prova de vazamento”, escreveu ela.

38

vivermagazine.com


f l vivermagazine 39


Foto: Freepik/mister_big

também de saúde dos oceanos.” O grupo pressionou para que haja a eliminação progressiva de embalagens plásticas redundantes e desnecessárias e, desde o início da pandemia, por melhorias nas embalagens de alimentos para viagem, substituindo-as por outros materiais, como papelão, que não têm o mesmo impacto que as embalagens plásticas quando descartadas. O que pode ser feito?

Um grande problema global se agrava

Os problemas gerados pelo descarte incorreto de EPI chegaram em um momento complicado no movimento para reduzir os resíduos plásticos. A quantidade de lixo plástico que se acumula nos oceanos deve triplicar nos próximos 20 anos e não há uma solução real no horizonte. Mesmo que todos os compromissos corporativos de utilizar mais plásticos reciclados fossem mantidos, a mudança reduziria essa projeção de triplicação em apenas 7%. A pandemia também ocasionou um aumento na produção de embalagens descartáveis, pois os consumidores passaram a comprar mais comida para viagem e as proibições de plásticos descartáveis, incluindo sacolas de compras, foram suspensas devido ao temor de que os retornáveis espalhassem o vírus. Ao mesmo tempo, em parte devido aos cortes nos orçamentos municipais que estão sem recursos, um terço das empresas de reciclagem nos Estados Unidos foram fechadas parcial ou totalmente. O QUE PODEMOS FAZER

Não jogar lixo no chão — inclusive EPI. Usar máscaras de tecido reutilizáveis, quando possível. Embalar o EPI usado em um saco plástico, fechá-lo e jogá-lo na lixeira. Avaliando a propagação 40

vivermagazine.com

À medida que as máscaras e luvas descartadas começaram a aparecer cada vez, a Ocean Conservancy, organização sem fins lucrativos que defende a proteção do oceano, começou a avaliar no meio do ano passado a disseminação de dejetos de EPI em todo o mundo. A organização adicionou o EPI ao seu aplicativo de celular que permite que voluntários documentem itens jogados fora e os incluam no site da organização. Em uma pesquisa global de voluntários que participaram de limpezas em praias em meados de 2020, foram documentados mais de 107 mil itens de EPIs jogados fora, embora os líderes do grupo tenham concluído que o número provavelmente está “bastante subestimado”. Os próprios voluntários podem proporcionar uma estimativa melhor; 94% relataram ver regularmente máscaras, luvas e outros EPIs descartados incorretamente em suas comunidades, enquanto a metade declarou ver EPIs jogados no chão todos os dias. Já 40% relataram ter visto EPIs jogados em riachos, rios e oceanos. “É um grande problema; não há como esconder”, afirma Mallos. “Mas lembrem-se, isso se soma à crise global existente de lixo plástico. É uma questão de saúde pública e

Poucos dias depois de a pandemia ser declarada, em março passado, Justine Ammendolia, pesquisadora marinha que mora em Toronto e bolsista da National Geographic Society, notou máscaras e luvas descartadas em quantidades cada vez maiores enquanto fazia suas caminhadas diárias. Ela também percebeu a falta de um monitoramento estruturado de EPIs por parte de qualquer órgão governamental ou de outra organização conforme eles se alastram pela cidade. Para identificar pontos críticos, a própria Ammendolia documentou máscaras, luvas e lenços umedecidos descartados em seis locais, incluindo dois estacionamentos de supermercados, uma região hospitalar, duas áreas residenciais e uma trilha recreativa. Ela registrou mais de 1,3 mil itens em cinco semanas no meio do ano passado. Não surpreendentemente, os estacionamentos de supermercados ficaram em primeiro lugar, seguidos pela região hospitalar. “Não é a maior quantidade de plástico do mundo”, afirma ela, “mas, a questão é que vamos mudar depois dessa situação, assim como nossa relação com os produtos descartáveis. Isso chama a atenção para a quantidade de resíduos produzidos. Esse é o ponto de partida da conversa.”


fl l vivermagazine vivermagazine f

41 41


Redes Sociais

Facebook enfrenta protestos contra plano de criar Instagram para crianças

Foto: Freepik.com/cookie_estudio Foto: Gregory Foto: Pappas / Unplash Freepik.com/@tirachardz

Por: BBCBrasil

Grupos de defensores da saúde e da infância do mundo todo querem que o Facebook cancele seus planos de lançar uma versão para crianças do Instagram, o seu aplicativo de compartilhamento de imagens. A plataforma "obcecada pela imagem" é perigosa para a saúde e a privacidade das crianças, diz uma carta da Campaign for a Commercialfree Childhood (campanha para uma infância sem comerciais, em tradução livre), assinada por 99 grupos e indivíduos do mundo todo. O Facebook, dono do aplicativo, tem discutido planos para a criação de um Instagram para menores de 13 anos nas últimas semanas. A empresa afirma que o novo app seria "administrado pelos pais". "As crianças já estão online e querem se conectar com sua família e amigos, se divertir e aprender. Queremos ajudá-los a fazer isso de uma forma segura e adequada à idade e encontrar soluções práticas para o problema contínuo de crianças mentindo sobre sua idade para acessar aplicativos ". "Estamos trabalhando em novos métodos de verificação de idade para manter os menores de 13 anos fora do Instagram, e acabamos de começar a explorar uma experiência no Instagram para crianças apropriada para a idade e gerenciada pelos pais", afirma a empresa. "Concordamos que qualquer experiência que desenvolvamos deve priorizar sua segurança e privacidade, e vamos consultar especialistas em desenvolvimento infantil, segurança infantil e saúde mental e defensores da privacidade. Também não vamos exibir anúncios em nenhuma versão do Instagram desenvolvida para menores de 13 anos." Em março, o site BuzzFeed relatou que os executivos do Facebook discutiam planos para criar um novo Instagram para crianças e que o assunto havia sido tratado em uma comunicação interna da empresa. Saúde mental dos mais jovens O Facebook, junto com outras redes sociais, está sob pressão crescente para encontrar maneiras de impedir o ingresso de menores de 13 anos. No momento, a crianças podem acessar as plataformas simplesmente 42

vivermagazine.com

mentindo sobre suas idades. Na carta, os signatários apontam que os menores de 13 anos que já estão no Instagram dificilmente "abandonarão por um novo site que parece infantil". "O verdadeiro alvo do Instagram para crianças serão as crianças muito mais novas", diz a carte. "O modelo de negócios do Instagram se baseia em extensa coleta de dados, maximizando o tempo nos dispositivos, promovendo uma cultura de compartilhamento excessivo e idolatrando influenciadores, bem como um foco implacável em aparência física. Certamente não é apropriado para crianças de sete anos", afirma Josh Golin, diretor executivo da Campaign for a Commercial-Free Childhood. "O Facebook afirma que criar um Instagram para crianças ajudará a mantê-las seguras na plataforma. Mas o objetivo real da empresa é expandir sua franquia altamente lucrativa para um público ainda mais jovem, apresentando às crianças um poderoso ambiente de mídia social comercializado que representa sérias ameaças à sua privacidade, saúde e bem-estar", afirma Kathryn Montgomery, do grupo de direitos digitais dos Centro para Democracia Digital dos EUA. A carta cita uma pesquisa da Sociedade Real para a Saúde Pública que classificou o Instagram como a pior rede social para a saúde mental dos jovens. O relatório afirma que o Instagram está relacionado a um alto risco de transtornos alimentares, cyberbullying e assédio sexual. Ainda esta semana, o Instagram foi forçado a se desculpar depois que um "erro" significou que propagandas de dietas foram promovidas para usuários com transtornos alimentares. O pai da adolescente britânica Molly Russell, que tirou a própria vida em 2017, disse que a plataforma é parcialmente responsável, porque Molly havia visto material sobre

depressão e suicídio nela, embora esse conteúdo seja proibido.

Auto-imagem "O foco do Instagram em compartilhamento de fotos e aparência torna a plataforma particularmente inadequada para crianças que estão no meio de estágios cruciais de desenvolvimento de seu senso de identidade", diz a carta. "Crianças e adolescentes (especialmente meninas) aprenderam a associar fotos exageradamente sexualizadas e altamente editadas de si mesmas com mais atenção na plataforma e popularidade entre seus colegas." Também há pressão comercial desnecessária sobre as crianças, diz a carta, citando uma análise da agência de monitoramento digital Sprout Social, que sugere que uma em cada três postagens no Instagram é um anúncio. O YouTube for Kids, que não exibe anúncios, foi recentemente criticado por ter marketing e publicidade dentro de vídeos, com postagens pagas. O Instagram também enfrentou críticas por não deixar claro quando as postagens são anúncios pagos. A carta acrescentou que o Facebook tem "um longo histórico de exploração de jovens", citando uma falha de design no Messenger Kids que permitia que crianças pequenas contornassem o controle parental. A carta, dirigida ao chefe do Facebook, Mark Zuckerberg, é assinada por 35 organizações e 64 indivíduos. O Facebook não é a única plataforma sendo questionada pela forma como trata os jovens. O grupo holandês de privacidade Foundation for Market Information Research alegou que o TikTok viola a privacidade das crianças e planeja registrar uma reclamação formal.


f l vivermagazine 43


Mom's Love Bracelet Gift Set $149 us.pandora.net

Tower of Treats® Signature Gift $13.99 harryanddavid.com

Surprise Cake Explosion Box Gift with Flying Butterfly Surprise $49.95 sendacake.com

Grandma Art Heart Sculpture, 4" $16.95 www.hallmark.com

44

vivermagazine.com

Willow Tree® For Always Figurine $49.99 www.hallmark.com

Mother's DayMother & Daughters Forever Linked Together Personalized Mug $13.99 gossby.com

Fotos merametne ilustrativas. Imagens e marcas pertencem aos seus devidos donos. Produtos e promoções sujeitas a alterações. A Viver Magazine não se responsabiliza pelas promoções publicadas neta página.

Jimmy Choo Eau de Parfum 3-Pc. Gift Set $124 www.macys.com


f l vivermagazine 45


SPIRAL Estreia: dia 14 Gênero: Crime, Horror, Mistério Classificação: PG-13

THOSE WHO WISH ME DEAD Estreia: dia 14 Gênero: Ação, Drama, Suspense Classificação: R

THE KILLING OF TWO LOVERS Estreia: dia 14 Gênero: Drama Classificação: R

THE MAN IN THE HAT Estreia: dia 14 Gênero: Comédia Classificação: PG-13

FINDING YOU Estreia: dia 14 Gênero: Drama, Romance Classificação: PG

ABOVE SUSPICION Estreia: dia 14 Gênero: Ação, Biografia, Suspense, Crime Classificação: R

PROFILE Estreia: dia 14 Gênero: Mistério, Suspense Classificação: R

THE DJINN Estreia: dia 23 Gênero: Horror, Suspense Classificação: R

RIDERS OF JUSTICE Estreia: dia 14 Gênero: Ação, Comédia, Dram Classificação: R

DREAM HORSE Estreia: dia 21 Gênero: Biografia, Comédia, Drama, Esporte Classificação: PG

ZONE 414 Estreia: dia 21 Gênero: Ficção Científica, Suspense Classificação: PG-13

THE DRY Estreia: dia 21 Gênero: Crime, Drama, Mistério, Suspense Classificação: R

FAVOLACCE Estreia: dia 21 Gênero: Drama, Mistério, Suspense Classificação: R

AMERICAN FIGHTER Estreia: dia 21 Gênero: Ação, Biografia Classificação: R

NEW ORDER Estreia: dia 21 Gênero: Drama Classificação: R

SWEET RIVER Estreia: dia 28 Gênero: Comédia, Crime Classificação: PG-13

46

vivermagazine.com


HABITAT

767 Clifton Rd Atlanta, GA 30307 fernbankmuseum.org

ATÉ 16 DE MAIO

ATÉ 31 DE OUTUBRO

WORLD OF COCA-COLA LAUNCHES COKE INSIDER JOURNEY

SUPERNATURAL: GLASS ART IN BLOOM

ATÉ 15 DE NOVEMBRO

14 E 15 DE MAIO

28 A 31

VAN GOGH: THE IMMERSIVE EXPERIENCE

STAR WARS: RETURN OF THE JEDI

MEMORIAL DAY WEEKEND AT STONE MOUNTAIN

Atlanta Symphony Hall at Woodruff Arts Center 1280 Peachtree Street NE Atlanta, GA 30309 www.aso.org

Stone Mountain Park 1000 Robert E. Lee Drive Stone Mountain, GA 30083 www.stonemountainpark.com

Foto: stonemountainpark.com

Foto: aso.org.org

Foto: vangoghexpo.com

Pull­man Train Yard 225 Rogers St. Atlanta, GA 30317 vangoghexpo.com

ATÉ 29 DE AGOSTO

15 DE MAIO

ATÉ 23 DE MAIO

OUTDOOR SPECIAL EXHIBITION “HABITAT”

ATLANTA UNITED VS. CF MONTREAL

MICHELANGELO’S SISTINE CHAPEL: THE EXHIBITION

Mercedes-Benz Stadium 1 AMB Dr NW Atlanta, GA 30313

Westside Cultural Arts Center 760 10th Street NW Atlanta, GA 30318

Foto: westsideartscenter.com

Foto: Atlanta United

Fernbank Museum of Natural History 767 Clifton Rd NE Atlanta, GA 30307 Foto: Fernbank Museum

Divulgação - Copyright das imagens pertencem aos respectivos donos e promotores dos eventos.

Atlanta Botanical Garden 1345 Piedmont Ave NE Atlanta, GA 30309

Foto: Coca-Cola Museum

Foto: Fernbank Museum

World of Coca-Cola 121 Baker Street NW Atlanta, GA 30313-1807 worldofcoca-cola.com

Foto: Atlanta Botanical Garden

DE 17 ABRIL A 29 AGOSTO

f l vivermagazine 47


48

vivermagazine.com

Profile for vivermagazine

Viver Magazine Maio 2021  

Advertisement
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded