Page 1

viverbem

VALE DO AÇO | DOMINGO | 19 /09/ 2010 |

N.59

Jornalista Responsável Paulo Assis MG 07169JP paulo@letradeforma.com Textos e Fotografias Aline Alves e Agência FolhaPress redacao@letradeforma.com Diagramação Gabriel Torres e Paulo Assis publicidade@letradeforma.com

BELEZA

SOS para os pés Mulher sofre. Um dia inteiro em cima daquele salto maravilhoso e, no final, os pés suplicam por socorro. Ela não vê a hora de chegar em casa e, finalmente, tirar os sapatos. Alívio que dura pouco. Bolhas, calos e aquela dor insuportável nas plantas dos pés e nas pernas. Muitas pessoas têm a pele do pé bem fina e, portanto, mais suscetível a traumas causados pelos sapatos. Com o atrito, a pele tenta se proteger, formando bolhas ou calos. ‘O espessamento da pele dos pés é normal, por se tratar de uma região mais exposta. Quanto mais fricção houver, maior será a calosidade formada’, explica a dermatologista Andréia Mateus Moreira, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Por isso, a palavra-chave é hidratação. Andréia ensina o caminho para conquistar pés macios e saudáveis. ‘Quem tem pés muito grossos deve usar a lixa somente para tirar o excesso da pele grossa. Nada de sensibilizá-la.’ A dica é fazer isso logo após o banho, quando as calosidades estão amolecidas. Depois, escolha um hidratante potente. Os melhores, segundo a dermatologista, são à base de ureia ou lactato de amônia. Aí é só caprichar na massagem, sempre em movimentos circulares. Mas, atenção, preguiçosas: não basta passar rapidinho uma camada fina de creme. ‘É preciso pelo menos de cinco a dez minutos de massagem para o pé absorver bem o produto e a hidratação ser eficaz’, ensina a dermatologista. Para manter os pés bonitos, faça a hidratação todos os dias, depois do banho. E, três vezes por semana, retire o excesso de células mortas com esfoliantes próprios para os pés. No pedicuro, só use a lixa em último caso.

Marisa Cauduro\Folhapress

POR FLÁVIA ROMERO FOLHAPRESS

A pele dos pés irritada também pode ser resultado de dermatites de contato. ‘Pode ser alergia ao couro, à borracha ou até mesmo aos pigmentos usados na confecção dos calçados’, explica a dermatologista Flávia Mar-

telli. bolhas Pés sensíveis também são bastante suscetíveis às bolhas. Não há humor que resista a uma. Incomoda, dói e pode até causar feridas se estourar

e continuar a sofrer atrito. ‘Elas são causadas por sapatos apertados ou mal-ajustados à conformação anatômica dos pés’, esclarece Flávia. A solução parece simples: procurar pares confortáveis e que não apertem. Mas, quando o pé


RECEITA

Prepare a sua frittata!

Beleza é sensível, até chinelos de borracha podem incomodar e causar bolhas. E os calcanhares colecionam marcas escuras e cicatrizes. Se você já encostou vários calçados que destruíram seus pés, tenha paciência. Procurar um sapato que não machuca, não aperta e não provoca atrito é um processo de tentativa e erro. ‘Um boa dica é procurar forros acolchoados e couros mais delicados, como a pelica’, ensina a dermatologista Andréia. Subindo no salto ‘O pé foi projetado para andar descalço, por isso não existe sapato ideal. Todos podem machucar de alguma forma’, diz a ortopedista Cibele Ressio, especialista em pés e tornozelos da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Cibele é autora de um estudo que avaliou o uso de salto para as mulheres. Ela analisou, por dois anos, mais de 700 pés femininos na capital paulista e concluiu: qualquer salto acima de três centímetros muda a ‘pisada’. ‘Acima do salto três, todos os sapatos e sandálias deformam o pé e são nocivos para a boa postura.’ Abandoná-los de uma vez por todas? ‘Nunca consegui fazer uma paciente desistir de usar saltos altos. Muitas suportam a dor para se sentir bem’, conta Cibele, que é dona de uma coleção de quase 500 pares altíssimos. A ortopedista sugere reservar o salto para ocasiões especiais. Se o trabalho pede sapatos mais formais, use opções confortáveis ou leve outro na bolsa e troque quando chegar ao escritório.

Mesmo quem não tem a menor intimidade com a culinária se aventura no preparo de omeletes ou ovos mexidos. Essas preparações são símbolos da cozinha de quem não está disposto a usar seu tempo e sua energia em pratos demorados. Há, entretanto, quem pense de maneira muito diferente. Na Itália, a preparação mais semelhante à omelete francesa é chamada de frittata. Os italianos têm o maior capricho no preparo da frittata e ousam na combinação de ingredientes. As verduras são as visitantes mais assíduas desse prato. Abobrinha, berinjela, vagem, tomate, pimentão e sobretudo o espinafre combinado com queijos - como o parmesão e a ricota - são as mais recorrentes combinações. Já na Espanha, que ama suas tortillas, as batatas é que são as grandes parceiras na mistura com ovos batidos. Elas exibem o aroma de ervas frescas e de generosas porções de bom azeite de oliva. Talvez a maior diferença entre a nossa omelete, a tortilla e a frittata seja que tanto os espanhóis quanto os italianos são mais apegados a esse prato e não o servem prioritariamente em rápidas refeições improvisadas, mas sim nos bares, para serem degustadas com os amigos como aperitivo, acompanhadas de vinho ou cerveja. Neste último caso, elas são preparadas com todo o cuidado e servidas em temperatura ambiente. Experimente! Dica Nunca tente fazer ovos mexidos com pressa, pois ficarão duros e borrachudos. O segredo de sua perfeição, sabor e cremosidade está em cozinhá-los em fogo baixo, misturando delicadamente, com toda a paciência Divulgação

viverbem ANUNCIE 3 8 2 3 - 1 3 1 6 Você mais feliz hoje.

Revendedor Autorizado - Maria Helena: 8875 2738

Frittata de abobrinha e cebola Ingredientes 2 colheres (sopa) de manteiga 2 colheres (sopa) de farinha de rosca 2 colheres (sopa) de azeite 2 cebolas em rodelas 6 ovos 1/2 xícara (chá) de creme de leite 3 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado Sal e pimenta-do-reino a gosto. 1 colher (sopa) de folhas de manjericão picadas 2 abobrinhas pequenas cortadas em rodelas finas Modo de preparo Preaqueça o forno a 180 ºC. Unte uma assadeira redonda com manteiga, polvilhe a farinha de rosca e reserve. Aqueça o azeite em uma frigideira e refogue ligeiramente a cebola em anéis, mexendo para não queimar. Deixe que a cebola doure um pouco e retire a frigideira do fogo. Bata os ovos com o creme de leite, o queijo ralado, o sal, a pimenta e o manjericão muito bem picado. Adicione as cebolas refogadas e as rodelas de abobrinha. Despeje a mistura na assadeira e leve ao forno por 35 a 40 minutos.

ViverBem0059_19092010  

VALE DO AÇO | DOMINGO | 19 /09/ 2010 | N.59 bolhas Pés sensíveis também são bastante suscetíveis às bolhas. Não há humor que resista a uma....