Page 1

CoLorido Abertura do Circuito de Velas 2011 encanta praia de Pirangi

HomeNAGem Alcides Araújo, as honras e a glória de um iateano de sucesso

LAtitUde

A HorA e A VeZ Do

iAte BoNFim

reFeNo/FeNAt travessia recife/Fernando de Noronha/ Natal completa 20 anos de sucesso

têNiS modelo de gestão inovador reforça atividade no Clube

Foto mArCeLo Godeiro

N°3


Fotos lÚCia saraiVa

SUmÁrio

PALAVrA do Comodoro. PÁG 04 rÁPidAS do iAte. PAG 05

BoNFim

Foto: MarCelo Godeiro

VeLAS

06

26

abertura do circuito oficial de velas 2011 em Pirangi bateu recorde de embarcações inscritas. A grande novidade deste ano foi integração do Kitesurf a competição principal. o evento contou com apoio da Capitania dos Portos e Prefeitura de Parnamirim.

sede campestre do Iate, a 45 min natal, reúne as condições ideiais para um ótimo dia de velejada com a família e os amigos.

Foto: MarCelo Godeiro

João

10

Principal regata do calendário do nordeste de vela é destaque pela participação de barcos do rio Grande do norte.

exPedieNte

REFENO

Foto: diVulGaÇÃo

Informativo com distribuição gratuita Iate Clube do Natal Fundado em 06 de Janeiro de 1955 Rua Cel. Flamínio, S/N – Santos Reis CEP.: 59010-500 – Natal/RN Fone: (84) 3202-4402 Fax: (84) 3202-7676 Site: www.iateclubedonatal.com.br E-mail: iateclube@matrix.com.br Patrono: Fernando Gomes Pedroza

16

ex-funcionário conta “causos” dos 15 anos que prestou serviço para o Iate Clube de natal. PÁG 16

AUtoridAdeS Personalidades procuram iate para conhecer trabalho social do Clube. PAG 18

Conselho Deliberativo:

Presidente - Marcílio Carrilho

Álvaro José Fonseca de Gouveia Cristiano Sampaio Gentili Eilson Amorim das Virgens Eduardo Henrique Silveira de Araújo Eudes Galvão Montenegro Flávio Alcides Pinheiro de Araújo Getúlio Alves da Nóbrega Jorge Eduardo Lins Oliveira Jorge Romano Filho José Francisco Correia José Gercino Cabral Filho

LAZer Desde sua inauguração no ano passado churrasqueira do Iate é um dos lugares mais procurados do Clube pelos associados. PAG 19

FLASHS do mUNdo dA VeLA. PAG 27 deNGUe Ação do ICn mostra que o combate a Dengue começa “em casa”. PAG 14

eNtreViStA Parceria das Forças armadas com o iate é tema da conversa com o vice Almirante Airton teixeira. PAG 19

José Umberto Guedes de Azevedo Luciano Soriano Veneziani Magnus Artur Alves da Silva Manoel Fernandes de Negreiros Neto Paulo Franssinetti de Oliveira Paulo Macêdo Roberto Furtado de Mendonça Salete Araújo Valdir Guerreiro Vilar de Melo Diretoria: Comodoro: Alberto Henrique Serejo Gomes Vice-Comodoro: Roberto Teixeira de Carvalho

Dir. Secretário: Carlos Adel Texeira de Souza Dir. Administrativo: Marcelo Pinheiro B. de Paiva Dir. Financeiro: Joel Adonias Dantas Neto Dir. de Obras e Patrimônio: Luiz Jackson Miranda Dir. Social: Sebastião Fernandes de Oliveira Neto Dir. de Pesca: George Aureliano de Lima Correia Dir. de Vela: Ricardo Tavares Barbosa Dir. de Motonáutica: Fernando Antônio F. de Oliveira Dir. de Esportes Terrestres: Laelson Freire Bezerra Dir. Jurídico: Leonardo Medeiros Júnior Dir. Inter Social: Lindolfo Neto de O. Sales Dir. Sub-Sede do Bonfim: Lindolfo de O. Sales

O informativo do Iate Clube é produzido pela agência Mais Comunicação | Tiragem: 1.000 exemplares | Reportagens: Flávio Marinho (fmarinho@maiscomunica.com.br) Vitor Pimentel (vitoruanj@gmail.com)| Projeto Gráfico e diagramação: Vitor Pimentel (vitoruanj@gmail.com) | Tráfego: Marilda Mendes (mmendes@maiscomunica.com.br)


A VeZ do

BomFim AdQUiridA, HÁ mAiS de trinta anos, por um grupo de cinco sócios com uma grande visão de futuro a sede do Iate Clube, às margens da Lagoa do Bonfim, é um sonho que se realiza nas suas duas grandes dimensões: patrimonial e social. Um patrimônio físico que é de todos e a agregação de valor que agora se materializa no bem estar individual e coletivo que proporciona a cada um e a todos. Tem sido este o objetivo do plano de construção da sede do Bonfim: garantir a ocupação racional e útil de um patrimônio que é nosso, aliando à prática das atividades náuticas que, por sua natureza e destino, tem o sentido maior de um clube voltado para incentivar o esporte da vela. O projeto foi concebido na gestão do companheiro Marcílio Carrilho e a nossa missão, nascida de um compromisso assumido pela atual diretoria, tem sido executar as obras, num exemplo maduro de que as gestões no Iate Clube se sucedem como elos de uma mesma corrente natural a serviço dos sócios. Não se trata de marcar com nomes pessoais esta ou aquela realização. O importante é realizar os sonhos, transformá-los em coisas reais, mantendo o espírito de cooperação que sempre caracterizou nossa tripulação que é mesma, independentemente de posições e competições por vaidade ou orgulho. Cruzar essa linha de chegada, ou

seja, construir 45 garagens cobertas até o final da gestão, 11 das quais já estão construídas, não é uma meta do Comodoro ou dos diretores. É um desafio do próprio Iate Clube representado por seus sócios na direção de um sonho que é de todos. Há dois anos, ao assumir a Comodoria do Iate Clube, diante deste rio e deste mar que tanto amamos como navegantes, acentuei que o nosso destino seria sempre aquele sonhado pelos velhos sonhadores – um Iate Clube cada vez maior e mais forte. É este Iate Clube do futuro que se projeta em outras águas, no mar finito da bela Lagoa do Bonfim. É um milagre de um sonho que se realiza como se construíssemos não uma ponte, mas um braço de mar que se une a outro mar para fazer de cada um de nós um navegante também dos nossos próprios sonhos. Temos sim, razões para a grande festa que realizamos neste fim de ano. Mais que um réveillon, é a festa da nossa família. Uma festa que vem para nos unir diante do mesmo rio que nos viu nascer e do mar que tem sido o oceano de todas as nossas aventuras. Com a proteção de Deus e a grandeza do mar, manteremos o rumo firme. E chegaremos juntos ao porto seguro levando os nossos sonhos para a construção do futuro. Que tenhamos um ano novo de paz, saúde e prosperidade. São os votos desta Comodoria e toda a diretoria do Iate Clube do Natal

Sede do Bonfim é um incentivo as as atividades naúticas de Vela

4 | LAtitUde CiNCo GrAUS

Foto: arQuiVo Pessoal

PALAVrA do Comodoro


iNteGrAção no tWitter Depois de colocar o novo site no ar (www.iatelubedonatal.com.br), a nova aposta do iate Clube natal no mundo virtual é no twitter. no perfil @iateClube_Natal você vai encontrar informações sobre o Iate, além de notícias sobre eventos e regatas. o twiiter do ICn está ativo desde janeiro e seu objetivo principal é aproximar a juventude da Associação.

IAte e A terCeirA idAde Foto: arQuiVo Pessoal

Foto: arQuiVo Pessoal

...e então eu entendi que se é pouco uma estrela que tem luz para dar nada sou eu. Sou apenas um homem no meio do mar...”

Melhorar a qualidade de vida dos idosos através da sua ressocialização com o mundo. Essa é a proposta da parceria firmada entre o Espaço Solidário do Centro Sócio Pastoral Nossa Senhora da Conceição, em Mãe Luiza, com o Iate Clube do Natal. Através desse projeto, realizado nas quintas-feiras entre 17 de abril e 28 de maio de 2011, cerca de 40 senhores e senhoras com mais de

65 anos, puderam conhecer as dependências do ICN e ter contato com a história do Clube e com a vista privilegiada do Rio Potengi. Para a responsável pelo Espaço Solidário, Louise Andrade, essas visitas são uma forma do idoso se reconstruir socialmente através da sua própria história e da história de um dos lugares mais tradicionais da cidade. A idéia é que o projeto seja retomado em 2012.

De CArA NoVA

Para marcar a nova fase de modernidade do Iate, a diretoria do Clube contratou a agência Dois A de publicidade para desenvolver uma nova identidade visual para o ICn. o material encomendado inclui a confecção de itens de papelaria, sinallização, newsletter, brindes e uniformes.

5 | LAtitUde CiNCo GrAUS

Hélio setti Jr.

CALeNdÁrio de reGatas

2011

12 12/13 de JunHo

de aGosto

regata Batalha naval do riachuelo regata dia dos Pais

regata oceânica seteMBro / Internacional outuBro noronha/natal Circuito seteMBro/ norteriograndense de outuBro vela

11

de deZeMBro

regata do Marinheiro


Sede CAmPeStre

Fotos MarCelo Godeiro

de Ventos Fortes e ÁGuas CalMas No CAPriCHo de deUS exiStem LUGAreS No mundo que foram feitos com o capricho de Deus. Qualquer pessoa que pratica um esporte náutico vai dizer que a Lagoa do Bonfim é um destes lugares. O aqüífero de 300 km de Situada em local extensão, localizado no município de privilegiado, Nísia Floresta, a 45 km de Natal, reúne as condições ideais para o exercício da a subsede Vela que são ventos fortes e águas calmas campestre do (e limpas). De brinde, a subsede do Iate Clube do Natal(ICN), situada em uma iate Clube reúne esquina privilegiada da lagoa, permite aos as condições amigos e familiares dos velejadores que ideais para um ficam em terra, um acompanhamento panorâmico das regatas, o que não dia de velejada acontece nas competições em mar aberto, com a família e nas quais, somente a largada e a chegada podem ser vistas pelo público em geral. amigos. Bucólica e arborizada, a filial campestre do ICN é o lugar ideal para uma tarde de esporte e confraternização. Fundada na década de 70 por treze menbros que doaram o terreno, o Iate Clube do Bomfim 6 | LAtitUde CiNCo GrAUS


À esquerda; regata do Circuito de Vela Bonfim. Abaixo; quiosques facilitam o acompanhamento das regatas. Linha inferior; visão panorãmica da lagoa e preparativos para regata.

7 | LAtitUde CiNCo GrAUS


deus nos deu as condições perfeitas para navegação aqui na Lagoa. Só falta os homens fazerem o resto” GilBerto leite, VeleJador

tem 10.000m² e está distante cinco minutos de carro do acesso principal da Lagoa (BR 101) – que recentemente foi completamente asfaltado – conta com a manutenção fixa de três funcionários e infraestrutura com banheiros, churrasqueira e área social. Um projeto para construção de um “palhoção” com capacidade para 100 pessoas e em torno de 40 garagens cobertas para o estacionamento das embarcações fundeadas no local já está sendo desenvolvido pela comodoria. Para Lindolfo Sales, diretor do Iate Bonfim, essas melhorias que serão realizadas em breve mostram a atenção por parte da administração do ICN com a sua filial de água doce. CirCUito de VeLA do BoNFim

Desde o início deste ano um grupo de velejadores chamado “Turma do Bonfim” está realizando um circuito paralelo de regatas na Lagoa. Esse evento deu uma nova injeção de ânimo à dinâmica da subsede, que a cada fim de semana de competição recebe, em média, 50 pessoas, entre velejadores, familiares e amigos que acompanham o Circuito de perto. Tem espaço até para as crianças, que se divertem nas árvores do terreno enquanto os pais disputam as medalhas na água. A 5º etapa, realizada no dia 23 de maio, contou com o apoio oficial do Iate Clube. Participaram 23 barcos nas cate8 | LAtitUde CiNCo GrAUS


Pág anterior; estrada asfaltada facilita chegada ao iate Bonfim. Nesta pág., de cima para baixo; 5º etapa do Circuito Bonfim de Vela; espaço arborizado é ideal para diversão de crianças, área de churrasqueira reúne famíliares e amigos; maioria dos barcos fundeados na lagoa são de pequeno e médio porte; iatistas conversam sobre regulamento de competição; futura iatista acompanha pai na velejada.

Como PASSAr Um diA eSPeCiAL No iAte BoNFim 1

2

3

gorias laser, hobbie cat 14, snipe, Ding e Especial. De acordo com Airton Viegas, um dos organizadores do Circuito Bonfim de Vela (CBV), a Lagoa sempre teve a vocação natural para sediar um circuito de regatas, principalmente em se tratando de barcos pequenos e de velejadores com pouca ou média experiência cuja navegação em mar aberto se configura perigosa. “O que faltava era a iniciativa de alguém para incentivar, organizar e convidar as pessoas para uma competição aqui”, conta o engenheiro. Outro diferencial do CBV é a largada única, o que, para Gilberto Leite, um dos pioneiros da navegação na Lagoa do Bonfim, reforça o espírito de união que essa competição tem. “Deus nos deu as condições perfeitas para navegação aqui na Lagoa. Só falta os homens fazerem o resto”, sentencia o velejador. 9 | LAtitUde CiNCo GrAUS

4

Pegue a Br-101 em direção a Goianinha. no posto da Polícia rodoviária Federal (antes de são José do Mipibu), faça o retorno à esquerda e logo em seguiida, a sua direita, um portal vai sinalizar a estrada para lagoa do Bonfim. o trecho é asfaltado. De natal para o iate são 40 min. A subsede do Iate tem área social coberta, churrasqueira, banheiros e vestiários. Mas é necessário levar um “cooller” com bebidas e comidas leves. não se esquecer da água mineral. Além do banho de lagoa, o espaço livre é ideal para brincadeiras com bola e jogos em geral. lembrar de levar o material esportivo. na volta, uma boa dica é passar no restaurante do tota, localizada na Br 101. a comida é boa – a la Carte - e os preços, acessíveis. o petisco de paçoca serve duas pessoas e é uma ótima pedida.


VeLA A reFeNo e A FeNAt é o que pode se chamar de regatas irmãs. Uma completa a outra. A primeira, é uma das competições náuticas marítimas mais importantes do Nordeste e uma das mais charmosas do Brasil. Sai do Marco Zero de Recife com destino ao arquipélago de Fernando de Nororona. São 300 milhas de ondas altas e ventos fortes. Na chegada, a recompensa é deslumbrante: o morro dos Dois Irmãos, um dos cartões postais mais famosos do Brasil. Em 2011, a REFENO contou com mais de 50 embarcações de todas as partes do país, muitas delas conduzidas por potiguares. Segundo os participantes, foi uma das melhores edições de todos os tempos. A FENAT é mais modesta, mas não menos charmosa do que sua parente pernambucana. Consiste na travessia de Fernando de Noronha para Natal. São 200 milhas náuticas de adrenalina e competitividade. O trajeto dura aproximadamente 30 horas e esse ano foi completado por 27 embarcações, no período de 01 e 02 de outubro. Este ano a travessia Fernando de Noronha natal completou 20 anos ininterruptos e consolidou a parceria do Iate Clube, que organiza executivamente o evento, com a Marinha do Brasil e Capitania dos Portos, que dão todo suporte logístico e de segurança. “Sem

diCAS de QUem Foi Da largada à ancoragem em natal, velejadores contam o que aprenderam na reFeno/Fenat

o apoio dos órgãos militares, que nos acompanham durante todo percurso, a realização da Fenat seria quase impossível”, agradece o comodoro Alberto Serejo, que este ano esteve a frente do veleiro Jazz 3 e foi agraciado, na REFENO - contra sua vontade - com o trofeu “barco movido a velho”, que corresponde a média soma das idades da tripulação, e na Fenat, com 1º lugar na sua classe.

HeNriQUe ArAÚJo

eQuiPe de CoordenaÇÃo da Fenat

uma regata maravilhosa. A segunda maior competição marítima do nordeste, que agrega uma diversidade de pessoas de vários os estados do Brasil. tem uma condição ótima de tempo e de ventos e se destaca pela segurança.

reGatas irMÃs sÃo as duas Maiores do nordestes - e Mais eMoCionantes

ÉriCo Amorim

eQuiPe de CoordenaÇÃo da Fenat

embora a maioria das pessoas separe a reFeno da Fenat ela são regatas complementares. A primeira, acompanha a sensação do deslumbre da paisagem fantástica de Fernando de noronha. A segunda, é o acolhimento da volta para casa.

10 | LAtitUde CiNCo GrAUS

LÚCiA SArAiVA

triPulante Borandar

Vivenciar a Fenat foi uma coisa forte. Foram momentos de muita energia e intensidade. estar no mar com amigos e outros barcos é sempre ótimo. É uma sensação quente e calorosa.


Fotos: BloG do Bar Para o Mar

Sem o apoio dos órgãos militares a realização da Fenat seria quase impossível alBerto sereJo, CoModoro

Linha superior; saída de Fernando de noronha, primeira parte da travessia no oceano atlântico; veleiro el Duende. Parte inferior, no sentido horário, Pôr-do-sol no Potengi, barco enfrentando ondas de 2 metros em alto mar; chegado ao Iate Clube do natal; recebendo o troféu e Medalhas de 2ºlugar, na Classe aberta B.

Fotos: lÚCia saraiVa

eUdeS moNteNeGro triPulante do JaZZ 3

Primeiramente, a reFeno e Fenat são regatas que valem a pena de se participar pela beleza de Fernando de noronha. não importa a competição em sí. o que vale é participar. uma dica importante é a da segurança com as velas. É preciso regulá-las para não haver problemas.

João PAULo LiNS e meLLo

ZeCA mArtiNo tereZA ViLAr

triPulante do CoMGere

triPulante do Borandar

Participar da reFeno e Fenat é o sonho de consumo de todo velejador. são as duas maiores regatas oceânicas do Brasil que nos edificam tanto do aspecto técnico quanto emocional. Chegar no Iate Clube natal e ser bem acolhido por todos é um diferencial.

Participar da Fenat pela segunda vez foi muito gostoso. A gente se entrega. A relação com o mar fica mais intensa. Fernando de noronha é deslumbrante. e volta para casa, natal - uma cidade linda - é a melhor parte.

11 | LAtitUde CiNCo GrAUS

triPulante do Borandar

a Fenat é uma regata especial. Muito legal de navegar. Por causa dos ventos e da angulação, parece que a gente surfa na onda. Mesmo sendo uma regata oceânica, é uma competição fácil. o cuidado fica por parte do mareio. ele pode mexer muito com a cabeça das pessoas. É preciso se preparar.


eSPeCiAL uM teXto de riCardo leMos / CareCa

erA UmA VeZ um mar. Único, infindo e mágico. Às vezes azul, às vezes verde. E quanto mais azul, mais mar; e quando mais mar, mais profundo e mais misterioso e encantado. E era uma vez os ventos. E o mar casou com eles. Ventos moleques, que passam de afago à tapa e de guerra à paz num piscar de olhos e sem aviso. Os únicos que irritam o mar, se atrevem a acordá-lo e ,nele mesmo, se escondem sumindo. Quem não deve aos ventos? Os terrais então – quanta dívida... Brincam com os sonolentos, acordam o mar, os barcos os homens – e vão-se, como vieram, deixando só um cheiro que depois também se vai. E era uma vez os homens. Os que encantados pelo chamamento do mar e pelas manhas dos ventos buscam o horizonte mais longe, os ventos mais brincantes e vão andar sobre as águas, teimar com os ventos e se entregar aos mistérios e segredos de um mar imenso – sem tempo e sem certezas. E era uma vez – muitas vezes - os barcos. Como explicar os barcos? Desconfio que só os barcos sabem explicar o mar, compreender os ventos aquecer plenamente nossos espíritos. Acho que foram os barcos que criaram os mares – a pedido dos ventos – ou os ventos que criaram os barcos para alegrar o mar. O certo é que os barcos são capricho e brinquedos dos dois (mar e vento), os três são cúmplices e os homens são apenas escolhidos de honra. Nós – que levados pelos ventos, escolhidos pelo mar e guardados pelos barcos, passaremos. Eles – mares, ventos e barcos – ficarão e são eternos. Tive todos os barcos em que pude por os olhos e desejei um dia. Desde os da velha Redinha até os impossíveis e virtuais de hoje. Fui senhor e mestre de catraias, de grandes botes, de bale-

uM BarCo

SAUd

eiras e de paquetes rápidos, com seus belos costados rasos e coloridos. Madrugava para vê-los acordar e partir– todas as manhãs – ligeiros em busca do mar aberto. E partia junto em cada um deles nos meus dezembros, janeiros e fevereiros de menino livre. Parto até hoje – mesmo que só na boa lembrança e na companhia segura e saudosa dos

mestres Janjão, Ferrinho, Búzio, Ciço Miçanga e, sempre, com a providencial e divina cumplicidade protetora de Geraldo Preto e Dalila.. Dizem que os barcos morrem. É mentira, pois são eternos e nós é que desembarcamos deles. Todos os meus barcos ainda velejam – e mesmo sem mim, velejarão sempre. O King, o Genilson

12 | LAtitUde CiNCo GrAUS


CHaMado

dAde V, O Ana Maria, o São Pedro e outros, ainda pedem água nos panos e rangem espetados por um sueste. O Dianteiro ainda me molha e salga todas as noites em que sonho com ele. O Quero-Quero – do eterno mestre Abelardo - me conduz, me carrega e me dá coragem. Até, o Aventuri, ainda me aguarda sereno em águas bentas da Bahia.

Nos barcos, pude ver todos os verdes e azuis que desejei; brinquei com ventos e fui perdoado e abençoado, parti e cheguei sem contar as vezes, deixando segredos de mar e de homens aonde só se enxerga azul, se ouve o silêncio e se é dono do tempo, das estrelas e das crenças. Mas mesmo tendo todos os barcos, um, em especial, nos

13 | LAtitUde CiNCo GrAUS

adotou e quando foi descansar de vez - entre algas, corais e águas rasas e claras - nos levou presos ao seu convés. Quem desembarca de um Cigano? É impossível, ele não deixa. Lamento não estar a bordo na noite em que o Cigano - avançando num través escuro – topou com o lugar que procurava para seu repouso e resolveu ali deitar-se para sempre. Por mais que o seu capitão tenha lutado, tentado afastá-lo de lá e teimado em não aceitar, era ali o lugar escolhido pelo barco para ficar e descansar para sempre. Nada o tiraria de lá – tudo é em vão quando os barcos fazem valer suas vontades e cumprir seus destinos. Foi assim que o Cigano resolveu descansar – num misto de luta, destino e mistério. Foi sua última aula de determinação para nós que nele amadurecemos e aprendemos grandes lições de vela, de vida e de amizade. No seu convés e porões, Betuca, Cabral, Jorge, Marcelo, Careca, Graco, Tião, Érico, Eudes, Seu João, Ceará, nossos filhos, nossas famílias e tantos outros, trocamos experiências, exercemos a prática da paciência e da razão e fomos plenamente felizes e recompensados. Com ele vimos crescerem nossos filhos e a vida passar em paz – e só isto bastaria, não tivéssemos, ainda, aprendido os verdadeiros significados de respeito, paciência, amizade, gratidão, saudade e aconchego. Pois foi dessa saudade de um de nós, chamado Cigano, que nasceu a nossa Confraria do Cigano – só para nos reunirmos e reviver um legado deixado pela convivência com um barco. Nem que seja só uma vez por ano, acordamos o Cigano - o , içamos velas, chamamos os ventos, trazemos de volta o barco que descansa - e somos novamente felizes e fraternos meninos em torno de uma lembrança viva, salgada e mansa.


reSPoNSABiLidAde SoCiAL No Primeiro trimeStre de 2012, o Iate Clube do Natal irá deflagrar uma ação pioneira com o foco voltado para a questão da responsabilidade social no campo da saúde pública. A iniciativa, encampada pela diretoria do Clube prevê a execução de uma campanha de conscientização voltada para o combate da proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da Dengue. A ação será desenvolvida em parceria com o comando do 17º GAC – Grupo de Artilharia de Campanha, que fica localizado vizinho ao Iate no bairro de Santos Reis. “A nossa ação não se limitará a realização de mutirão de

iate Clube de Natal deflagra campanha educativa para associados e comunidade externa de combate a dengue.

deNG

aQui N limpeza para combater a dengue nas dependências do Iate, já que essa é uma preocupação permanente”, explica o Comodoro Alberto Serejo, o Betuca, destacando, que a idéia é envolver também toda a comunidade que reside na vizinhança. PArCeriAS

Em conjunto com exército, o Iate irá buscar apoio de órgãos públicos como a Secretarias municipal e estadual de Saúde, o IDEMA e o IBAMA, para realização de um trabalho voltado para a conscientização a pre-

servação do meio-ambiente. A ação engloba a distribuição de panfletos educativos e a promoção de palestras educativas para os públicos interno e externo. Nesses encontros, o Iate vai fornecer dicas sobre as formas corretas de armazenamento de água. No âmbito interno, os funcionários do Clube serão capacitados e vão aprender técnicas para evitar o acúmulo de água nas embarcações que ficam fora das garagens cobertas. A idéia é intensificar a eliminação de possíveis focos de larvas a partir da adoção de medidas como a colo-

14 | LAtitUde CiNCo GrAUS


A iniciativa do iate Clube [campanha contra dengue] vai complementar e fortalecer o trabalho dos agentes da Vigilância Sanitária do município” JeAN VALÉrio, seCretÁrio de CoMuniCaÇÃo da PreFeitura de natal

GUe

Não cação de esponjas nos barcos, assim como a colocação adequada das lonas que cobrem as embarcações. “Os funcionários são orientados a sempre ficar de olho em lixeiras, copos plásticos e até nos telhados”, destaca o consultor do Iate Newton Lins, um dos idealizadores do projeto. exemPLo

Para o secretário de Comunicação da Prefeitura do Natal, jornalista Jean Valério, a iniciativa do Iate Clube, em parceria com 17º o GAG, deve servir de exemplo

para as demais associações, já que o combate a dengue é responsabilidade de todos os setores da sociedade, e não apenas do poder público. “A iniciativa do Iate Clube vai complementar e fortalecer o trabalho dos agentes da Vigilância Sanitária”, diz o secretário. De acordo com Jean Valério, as medidas que vão ser adotadas pelo Clube devem ser as mesmas recomendadas para residências e estabelecimentos comerciais. O combate ao Aedes Aegypti é uma responsabilidade de todos.

15 | LAtitUde CiNCo GrAUS

FAçA SUA PArte CoMBata a denGue na sua Casa mantenha a caixa d’água fechada e com tampa adequada. mantenha tonéis e barris d’água fechados.

encha de areia os pratinhso dos vasos das plantas.

Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo. entregue os pneus velhos ao serviço de limpeza ou guarde-os em local coberto. Coloque o lixo em sacos plástico e não jogue o lixo em terrenos baldios.


Fotos: MarCelo Godeiro

PerFiL

Quando se gosta da vida, gosta-se do passado, porque ele é o presente tal como sobreviveu na memória” mArGUerite YoUrCeNAr , esCritora

uM João,

Muitas HiStÓriAS Aos 82 anos, o ex-marinheiro do iate Clube do Natal, João Felix da Silva, guarda na memória uma parte da história do iCN que não está registrada nos livros. É AtriBUÍdA A escritora belga Marguerite Yourcenar a seguinte frase: “Quando se gosta da vida, gosta-se do passado, porque ele é o presente tal como sobreviveu na memória”. Se essa for uma verdade universal, o senhor João Felix da Silva, ou simplesmente Seu João – como prefere ser chamado na informalidade - é um grande entusiasta da existência humana. Aos 82 anos, Seu João preserva como maior legado as lembranças das muitas histórias que vivenciou nos 15 anos em que trabalhou no Iate Clube do Natal (ICN). Viu de tudo no Iate. Participou da intensificação da abertura da associação para os não praticantes da Vela; acompanhou a construção das primeiras quadras de tênis; viu os lancheiros se tornarem maioria numérica; alegrou-se com as festas do ICN; sorriu com as dife16 | LAtitUde CiNCo GrAUS


renças culturais dos estrangeiros, e segundo os amigos, nunca foi visto chorando. O olhar profundo é uma das marcas do homem que sobreviveu a uma vida sem luxos e de muito trabalho e apesar das agruras e dificuldades, manteve a leveza e as boas lembranças. “A recordação do tempo do Iate alegra meus dias”, revela o ex-marinheiro que atualmente vive no abrigo comunitário para terceira idade “Espaço Solidário”, mantido pela paróquia de Mãe Luíza.

Ihin sulus octori, serniae sideris quodiem aperfiribes fecepsedi sidium efactam enaturo, dshfgsfsadfaconsulicit, nos

AS HiStÓriAS

Nascido na segunda metade dos anos 20, Seu João é o que se pode chamar de patrimônio vivo. Poucas pessoas têm lembranças tão precisas de “causos” tão curiosos. Em uma dessas histórias, ainda viva na recordação dos sócios mais antigos do Iate Clube, ao tentar ajudar um marinheiro estrangeiro, foi protagonista do seguinte diálogo: – – – – – – –

Joga a âncora ! [diz, Seu João] I don’t undestand you [responde o estrangeiro] Joga a âncora [grita Seu João, agora falando mais alto e gesticulando] I don’t undestand you [retruca o estrangeiro, ainda confuso] Do you speak english? [Seu João] Yes, I speak [responde, estrangeiro animado] Pois joga a âncora “caba da peste”!

Resultado: o marinheiro estrangeiro jogou a âncora e Seu João virou lenda do ICN. O marinheiro aposentado também se lembra do associado que sem conhecer os procedimentos técnicos de condução de

nos 15 anos que trabalhou para Iate Clube seu João exerceu as funções de marinheiro, vigia e assitente de serviços gerais.

todo mundo se gostava, se ajudava. era muito divertido. As lembranças daquela época são tão fortes que as vezes penso que voltei no tempo”

17 | LAtitUde CiNCo GrAUS

uma lancha - recém adquirida foi passear com sua embarcação no leito do Rio Potengi, e ao parar em uma “poita” para apreciar a vista, acabou provocando um curto circuito e incendiando o barco. “Ainda bem que não houve vítimas”, lembra o aposentado. Das recordações tristes, a mais intensa na memória de Seu João é a do marinheiro do Iate, que saiu para alto mar acompanhando um casal de estrangeiros, e nunca mais voltou. “Ainda hoje me lembro do rosto do Galego. Era uma pessoa boa”, conta o idoso. Especula-se que ele tenha sido assassinado, tendo o corpo sido jogado no mar. O caso até hoje continua sem solução e os estrangeiros, donos da embarcação, nunca foram encontrados para prestar esclarecimentos. Mas se as tristeza existiram, elas não ficaram. Segundo Seu João, o tempo do Iate era um tempo de alegria. “Todo mundo se gostava, se ajudava. Era muito divertido. As lembranças daquela época são tão fortes que as vezes penso que voltei no tempo”, filosofa o marinheiro.


General Melo e sua comitiva visita Projeto navegar

SoCiAL

ViSitA

Caio Flávio, Hilma Fernandes e sebastião Fernandes Comodoro recebe medalha Mérito tamandaré junto com a Governadora rosalba Ciarlini

NA reGAtA em homenagem ao Exército Brasileiro, o general Melo e sua comitiva, o Sec. de Esportes do RN e diretoria do ICN visitam o Projeto Navegar.

Presidente da soaMar, almirante Airton teixeira e Comodoro

CHurrasQueira

É deZ

deSde A SUA inauguração no final do ano passado, o novo espaço da churrasqueira é um sucesso. Não passa um final de semana sem que haja uma movimentação no local. Para organizar a utilização do espaço e evitar que o associado se desloque até o Clube e a churrasqueira esteja ocupada, a diretoria do ICN está organizando uma lista de reservas. As marcações são feitas na recepção do Iate, com Rosy e Maisa, através dos telefones 3202-4402 e 3202-7676. 18 | LAtitUde CiNCo GrAUS

sec. de esportes do rn na regata em homenagem ao exército

Alberto serejo e Capitão dos Portos alan Kardec


Iate

eventos eautoridades

A tradição e credibilidade são algumas das marcas registradas do iate Clube Natal. Essas características fazem com que muitas autoridades se associem ou procurem conhecer de perto como funcionam as atividades da entidade.

Vice Comodoro Roberto Teixeira, Ricardo Barbosa e General Melo entregam premiações da Regata do Exército

Marcelo Barreto, Dir. administrativo do ICN e sua esposa Priscila Fonseca

Membros agregados da confraria do Cigano.

19 | LATITUDE CINCO GRAUS


CULtUrA

rÉVeiLLoN À Bordo De NoVo

CeLeBrAr o ANo novo sempre foi uma das especialidades da Capital dos Reis Magos. Nos anos 70 e 80 o Iate Clube do Natal (ICN) foi palco de alguns dos Réveillons mais memoráveis da história de Natal. A festa dos iateanos era uma das mais badaladas da cidade. Autoridades, celebridades e grandes nomes da sociedade potiguar eram figuras “carimbadas” na virada de ano do ICN. A celebração, além de uma dos cenários mais bonitos da cidade – o leito do Rio Potengi - contava com uma excelente infra- estrutura de Buffet, orquestra e queima de fogos particular. Nos anos 90, a concorrência com as grandes festas da Via Costeira, enfraqueceu as festas mais familiares como a do Iate. Contudo hoje existe um movimento de reviver o clima amistoso e fraterno do passado. É nessa maré de “resgate do fundamental” que o Iate Clube do Natal vai reativar, este ano, seu tradicional Réveillon à Bordo. A festa é um dos principais projetos da Diretoria Social do

resgate de valores tradicionais como família e amigos será mote da virada de ano do iate Clube de Natal.

20 | LAtitUde CiNCo GrAUS


As festas de Ano Novo do iate eram memoráveis. tinha-se tudo que se imaginava de um grande réveillon” Jaeci emereciano - ex Comodoro

Clube e conta com o apoio irrestrito da atual comodoria. A queima de fogos na Ponte Newton Navarro, instituída pelo secretário de turismo de Natal, Tertuliano Pinheiro no ano passado, foi o detalhe que faltava para realização da ação que estava sendo planejada desde 2009. “Sentimos que este ano era o momento certo. A cidade está carente de uma festa em que exista tanto o conforto e as boas atrações das festas dos Hotéis da Via Costeira, quanto o clima de amizade, fraternidade e família que existiam nas viradas de ano dos tempos antigos”, conta Sebastião Fernandes, diretor social do

ICN e um dos coordenadores do Réveillon à Bordo. Para o ex-comodoro Jaeci Emerenciano Galvão, um dos entusiastas do retorno da festa de Ano Novo do Iate Clube de Natal, a iniciativa seria uma excelente oportunidade de a atual gestão fazer um resgate de um evento grandioso e aguardado por toda a sociedade. “Eram festas memoráveis. Tinha-se tudo que se imaginava de um grande Réveillon, além da participação de nomes importantes da sociedade potiguar, Certamente, resgatar o Réveillon à Bordo é uma forma de se reviver o entusiasmo passado”, afirma.

21 | LAtitUde CiNCo GrAUS

Tudo está pronto. A animação vai ficar por conta da Orquestra Lumina e do DJ Ricardo Rios. O bem comer, será reponsabilidade do Buffet Valdeey, que contará com um cardápio refinado e variado. E o brinde especial para quem participar da festa é uma garrfa de Old Par. Segundo o comodoro Alberto Serejo, o Clube tem a dimensão da responsabilidade que é organizar um Réveillon no Iate, principalmente, quando se tem como referência as festas memoráveis dos anos 70 e 80, mas o compromisso está assumido


Foto: MarCelo Godeiro

GeStão / diretoria de desPortos terrestres

Como o têNiS CHeGoU No iAte o tênis foi implementado no Iate Clube natal na gestão do Comodoro Marcos tassino. na ocasião, um grupo de cerca de 30 praticantes do esporte, que havia ficado sem espaço para prática do seu hobbie por causa do fechamento das quadras da sede social do América, localizada no tirol, recebeu o convite do gestor do Iate para ingressar no Clube. os tenistas custeariam a melhoria das quadras já existentes no ICn e em contrapartida receberiam um abatimento, no valor do investimento, na sua mensalidade. • 75m² de área construída • 2 quadras de saibro • 50 refletores no sistema de iluminação • 2 banheiros independentes

Nosso campeonato vai mostrar aos praticantes do tênis de Natal que o iate Clube tem um dos melhores espaços da cidade para prática desse esporte e quem sabe atrair novos sócios” LAeLSoN Freire , diretor de desPortos terrestres do iCn

22 | LAtitUde CiNCo GrAUS


+ a mais um lance

Parceria com iniciativa privada viabilizou obras de melhoria e ampliação das quadras de tênis do Iate Clube de Natal

Existe uma tendência nos Iates Clubes de todo Brasil que é a ampliação das atividades oferecidas por essas associações através da inclusão de esportes terrestres além dos náuticos. Antecipando-se a esse movimento, o Iate Clube Natal (ICN) foi um dos pioneiros no Nordeste nesse tipo de expansão. Implantado há mais de dez anos, o tênis já é uma realidade concreta no ICN. O espaço que abriga as duas quadras do Clube e leva o nome do seu patrono, Alcides Araújo, é um dos lugares mais regularmente freqüentados do Iate, tendo recentemente passado por uma grande reforma e se tornando referência na cidade quando o assunto é o esporte do campeão mundial Gustavo Kuerten. Com um diferencial: o impacto financeiro para o ICN nessas obras recentes foi de menos de 5% do seu orçamento anual. Mais de 95% desse trabalho de melhoria foi custeado a partir de um plano de marketing piloto, executado pela Diretoria de Desporto Terrestre, de captação de verba comercial através de placas publicitárias instaladas na área das quadras. “O grupo que joga tênis no Iate pleiteava há muito tempo essas reformas, que, devido a outras necessidades do Clube, sempre ficavam para depois. A solução encontrada foi captar recursos através do estabelecimento de parcerias co23 | LATITUDE CINCO GRAUS

merciais com a iniciativa privada”, explica Laelson Freire, diretor do ICN. A execução das obras foi dividida em três fases. O orçamento geral das reformas gira em torno de R$ 100 mil. Na primeira etapa, concluída no início desse ano, foi realizada a recuperação das telas de contenção de vento, o recapeamento do piso de saibro e o levantamento do muro de proteção das quadras. A segunda compreende a ambientação e o incremento no sistema de iluminação com a substituição das lâmpadas queimadas e a adição de novos refletores. A construção da cobertura para uma das quadras também está contemplada no projeto inicial, mas sua viabilização ainda está sendo estudada. Essa fase não tem data começar. CAMPEONATO

Assim que a segunda etapa do Plano de Obras for concluída a diretoria de Desportos Terrestes irá organizar um campeonato de tênis. O principal objetivo da competição vai ser apresentar aos praticantes de esporte da cidade as novas e modernas quadras no Iate. “Nosso campeonato vai mostrar aos praticantes do tênis de Natal que o Iate Clube tem um dos melhores espaços da cidade para prática desse esporte e quem sabe atrair novos sócios”, finaliza o diretor Laelson Freire.


Por riCardo BarBosa

instrutor de VeLA Alexandre Lima é um velejador que tem como principal vocação repassar seus conhecimentos náuticos e formar novos velejadores. Seu trabalho ao longo dos anos auxilia o Iate no desenvolvimento da atividade da vela. Um grande número de velejadores do ICN passou pelas aulas e ensinamentos de Alexandre.

PreMio deZ

CanidÉ soares

Os velejadores Reginaldo Luiz e Lula Barreto representaram em alto estilo o Iate Clube do Natal no Prêmio Dez, que homenageou as personalidades que se destacaram no esporte em 2010. Reginaldo e Lula saíram de Natal a Recife, à bordo de uma pequena embarcação não cabinada, em uma velejada difícil e perigosa, reservada à “lobos do mar”.

tUrmA do BonFiM Nos últimos anos o iatismo potiguar tem se tornado mais participativo e dinâmico. Esse movimento é o resultado de projetos como o “Venha Velejar Conosco”, e outras iniciativas como a do grupo que tem freqüentado a sub-sede do Iate Clube na Lagoa do Bonfim. A “Turma do Bonfim”, como é mais conhecida, é liderada pelos

velejadores Airton Viegas e ao Kleber Fernandes e tem se expandido através da realização de um calendário alternativo de competições que vem fazendo muito sucesso. O Iate Clube do Natal, através da Diretoria de Vela, tem apoiado e prestigiado atitudes inovadoras como essa, por entender que essas iniciativas fortificam a vela potiguar.

arQuiVo Pessoal

Poita dA CACHoeiriNHA “Poita da Cachoeirinha” foi criada em 2006, com o objetivo de oferecer aos associados do Iate um destino próximo, seguro e muito bonito, com um bom banho de mar, uma parada para churrasco ou bate papos agradáveis e ainda capturar fotos da cidade do Natal, em ângulos incomuns. LoCAL PArA FUNdeio = S 5°45`11.38`` - W 35°11`40.89`` entre o Forte dos Reis Magos e a entrada do Rio Potengí, lado abrigado do rio, próximo aos molhes que fazem a contenção do mar e possibilitam a formação das “cachoeirinhas”.

naVeGando NA rede Aos admiradores e ou praticantes dos esportes náuticos, impossível não acessar e navegar nos endereços eletrônicos abaixo. São alguns portais ou canais de comunicação muito bem cuidados com informações interessantíssimas sobre o desenvolvimento do iatismo através das modalidades de vela, mergulho, pesca e turismo.

• • • • • • • •

diÁrio do AVoANte – diariodoavoante.wordpress.com mAr e SUB – www.maresub.com.br miAmi PeSCA – www.miamipescaoceanica.com.br VeLA NAtAL – br.groups.yahoo.com/group/velanatal NAtAL PeSCA – www.natalpesca.com.br VeLeiroS diNGUe - dinguepotiguar.wordpress.com PAPo de VeLeJAdor - www.papodevelejador.blogspot.com VeLeiroS CAtAmArANS - velejar.wordpress.com

24 | LAtitUde CiNCo GrAUS


HomeNAGem / alCides araÚJo

uM iateano de ALCideS ArAÚJo ComeçoU a freqüentar o Iate Clube do Natal no final da década de sessenta, levando, a tiracolo, seus dois filhos homens, Flávio e Sérgio. Naquela época, Alcides, que iniciou a vida profissional ajudando o pai em um pequeno comércio na Rua São João, no Bairro das Rocas, já começava a despontar no setor empresarial de Natal, onde, mais tarde, se tornaria um comerciante visionário e bem sucedido. São raríssimos os exemplos de empresas que sobreviveram às dificuldades e transformações daquele tempo. Praticamente todos os grandes negócios abertos depois da segunda metade do século passado desapareceram ao longo dos anos. A Casa Rio, Rio Center ou Comercial Alcides Araújo, foi exceção e sempre manteve trajetória ascendente graças ao espírito empreendedor do seu fundador. Homem de hábitos simples, Alcides Araújo teve uma vida marcante. Como esportista nunca deixou de jogar tênis, mesmo nos derradeiros anos da sua vida. No campo social, foi membro respeitado da sociedade potiguar. Maçon e ex-venerável da Loja Padre Miguelinho, até seu falecimento, no início deste ano, era o mais antigo rotariano de Natal. No Trabalho, foi diretor da federação do Comércio do Rio Grande do Norte e Presidente da Associação Comercial de Natal, onde deixou fincada a sua marca de homem batalhador. Como Comodoro do Iate Clube do Natal (ICN), cargo conquistado em janeiro de 1973, investiu no desenvolvimento e fortalecimento da atividade náutica e na aproximação do Clube com a sociedade natalense. Com ajuda do seu vice-comodoro Osório Dantas, fez uma gestão administrativa vitoriosa, a qual

SUCeSSo Foto: arQuiVo Pessoal inForMaÇÕes: Pedro HoMeM de Melo

Para o ex-comodoro alcídes araújo família e amigos sempre foram um bem incomensurável.

Homens como ele não se dão ao prazer do descanso. simplesmente porque ele não conseguiria renunciar àquilo que foi a força revigorante de toda a sua vida Pedro Homem de meLo, adVoGado, aMiGo e iateano tradiCional

levou o Conselho Deliberativo a lhe premiar, anos mais tarde, com a Medalha do Atlântico, a mais importante comenda oferecida pelo ICN a um sócio. Sempre contou com a parceria e apoio dos seus dois filhos, Flávio Alcides e Sérgio Alcides, ambos conselheiros da agremiação, exímios e experientes velejadores e sócios de primeira grandeza da família iatiana. Juntos construíram um legado de intimidade e convivência com seu clube de coração. Segundo o advogado Pedro Homem de Melo, em se tratando de Alcides Araújo, não é permitido desejar o convencional “descanse em paz”. “Homens como ele não se dão ao prazer do descanso. Eu não tenho absolutamente nenhuma dúvida de

25 | LAtitUde CiNCo GrAUS


VeLA / aBertura do CirCuÍto de reGatas

Coloridos das velas animou final de semana da praia de Pirangi, litoral sul potiguar

CirCUito De

e

CoLorido e reNoVAção marcaram a abertura do calendário oficial de regatas 2011 do Iate Clube do Natal (ICN). Realizado no segundo final de semana de fevereiro na praia de Pirangi – litoral sul potiguar, o evento contou com a participação recorde de 17 veleiros e cerca de 50 iatistas. A competição foi acompanhada por veranistas de Natal e de cidades vizinhas que puderam prestigiar uma disputa emocionante entre embarcações de seis categorias náuticas (Laser, Dingue, Day Sailer, Hobie Cat e Snipe). A abertura do Circuito de Velas 2011 contou com apoio da Capitania dos Portos e patrocínio da Prefeitura Municipal de Parnamirim. A grande novidade da edição desse ano foi à inclusão oficial do kitesurf no evento. A “turma das pipas” foi representada pelo grupo Advance Kites Brasil Race Team, que participou de três regatas - duas curtas, no sábado, e uma de longa distância, no domingo. A entrada do Kite no Circuito marca o reconhecimento definitivo do equipamento do kitesurf pelo Governo Federal como um tipo de embarcação a vela. “Nossa participação no Circuito de Velas foi muito interessante. Foi uma ótima oportunidade para divulgar o esporte e mostrar aos interessados no kitesurf que a regata é uma forma prazerosa e segura de praticar essa atividade, sem os riscos do freestyle”, explica Luís Nuno, um dos coordenadores do grupo Advance Kites Brasil Race Team no estado. Segundo Ricardo Barbosa, Diretor de Velas do ICN e organi26 | LAtitUde CiNCo GrAUS

Forte Participação do público e adesão do Kitesurf foram destaques na abertura do Circuito de regatas 2011 do iate Clube


Fotos: lÚCia sariaVa

competição de kitesurf atraiu atenção de dezenas de turistas e banhistas

Nossa participação no Circuito de Velas foi muito interessante. Foi uma ótima oportunidade para divulgar o Kitesurf e mostrar aos interessados que a regata é uma forma prazerosa de praticar essa atividade” luiZ nuno , KitesurFista

zador geral do Circuito, promover a abertura do Circuito de Velas é sempre uma alegria e uma emoção. “Esse ano, em particular, por causa da participação dos kitesurfistas, tivemos um colorido novo no nosso Circuito. Como eles só velejam em mar aberto, sempre que houver condições técnicas, haverá o convite para que participem dos eventos do Iate”, conta o velejador. A idéia é integrar cada vez mais esse grupo ao Clube. Veterano no mundo das Velas, o arquiteto e artista plástico Flávio Freitas, chama atenção para o movimento de renovação do iatismo potiguar que ficou evidenciado nesse Circuito. “Há dois anos vivemos uma dinâmica importante de rejuvenescimento da prática da vela. Esse movimento é liderado pelo Iate Clube do Natal e pelos velejadores da Lagoa do Bonfim. As Regatas no Rio Potengi, em mar aberto e na Lagoa do Bonfim tem nos dado a oportunidade de manter nossos bar-

ProJeto VeNHA VeLeJAr CoNoSCo o Iate Clube de natal, através do diretor de velas ricardo Barbosa, mantém um programa de incentivo a formação de novos iatistas chamado venha velejar Conosco. A ação tem como objetivo aproximar os jovens das regatas e velejadas, tanto com a finalidade de lazer quanto para as competições. A iniciativa está sendo responsável por criar uma nova geração de velejadores com idade média entre 20 e 30 anos.

27 | LAtitUde CiNCo GrAUS

cos dentro d’agua e as velas cheias, com velhos e novos valores”, conta o iatista, que na competição deste ano teve a presença especial da filha Maria Clara - recém chegada dos EUA – atuando como proeira do seu veleiro. o CirCUito O primeiro dia de competição (sábado) foi destinado à realização de três regatas triangulares, nas quais as embarcações fizeram percursos entre bóias. Destaque para velejadora Anne Sophie, que conquistou o segundo lugar na prova curta, reforçando o protagonismo e a competitividade das mulheres no mundo da vela. O segundo dia foi a vez da regata de longa distância, que saiu de Pirangi com destino a Redinha, totalizando um percurso de 35km. A abertura do Circuito de Velas 2011 foi finalizada no Iate Clube,com um churrasco de confraternização. Para 2011, o calendário oficial


eNtreViStA | alMirante airton teiXeira em entrevista a revista Latitude Cinco Graus, o Almirante Airton teixeira, Comandante do 3º distrito Naval, fala, entre outras coisas sobre da necessidade da construção de uma marina para consolidação do rN como pólo naútico brasileiro e da parceria da bem sucedida marinha com o iCN para o cumprimento das normas de segurança do mar.

Por UmA AtiVidAde NAÚtiCA mAiS PrÓSPerA e SeGUrA

LAtitUde CiNCo GrAUS - Como o senhor analisa a atividade náutica aqui no rN? alM. airton teiXeira - o rio Grande do norte já apresenta um grande número de embarcações de esporte e recreio operando ao longo do seu litoral, principalmente em natal, Pirangi, Barra do Cunhaú, Galinhos e lagoa do Bonfim. além disso, existe um grande potencial de crescimento por causa do turismo que desperta interesse de velejadores brasileiros e estrangeiros, principalmente, os europeus. A mentalidade marítima da comunidade do esporte náutico local que, historicamente, se mostra extremamente consciente no que tange às normas de segurança da navegação, também ajuda esse movimento. LCG - o senhor acredita que Natal reúne condições para se consolidar como pólo náutico brasileiro? AAt - sendo um ponto estratégico no oceano atlântico, o que favorece a presença de diversas embarcações de esporte e recreio da europa e dos estados unidos e outras de latitudes próximas, o rio Grande do norte ainda carece de infraestrutura para essa atividade. a inexistência de uma Marina,

28 | LAtitUde CiNCo GrAUS


com capacidade de absorver um fluxo maior de embarcações impõe severa restrição. a limitação do rio Potengi devido a uma limitada área de fundeadouro junto ao Iate Clube do natal, com capacidade para abrigar um número reduzido de embarcações, é outro problema. uma Marina, construída nos padrões internacionais, associada à uma revitalização do Bairro da ribeira e de toda a margem direita do rio Potengi poderiam colocar a cidade no roteiro de diversas atividade de esporte e recreio e transformar natal em um dos pólos náuticos brasileiro. outros estados no Brasil já fizeram essa opção. no entanto, nenhum deles possui uma localização tão privilegiada como o rio Grande do norte.

anos. o relacionamento cordial entre a Capitania dos Portos e toda a comunidade marítima do estado contribui muito para a disseminação da mentalidade de segurança naútica. Muitos são os casos em que a Capitania dos Portos e o Comando do 3º Distrito naval realizam exposições, palestras e seminários de divulgação dos temas relacionados à navegação e seus aspectos de segurança. o trabalho da operação Verão, onde a Marinha procurou focar suas ações de prevenção de acidentes nos Jet-skis, por ter observado um aumento significativo na quantidade deste tipo de embarcação operando nas áreas de prática da navegação de esporte e recreio do estado é uma dessas iniciativas bem sucedidas.

LCG - os praticantes das atividades náuticas, tanto na área esportiva quanto no lazer, em sua maioria, obedecem às exigências de segurança?

LCG - Como o senhor avalia o papel do iate Clube do Natal para a atividade náutica no estado?

aat - sem dúvida a Capitania dos Portos do rn realiza um trabalho eficiente de fiscalização de todo o litoral do estado, bem como dos rios, lagos e lagoas. o forte trabalho de divulgação e verificação das normas da segurança da navegação e à prevenção da poluição hídrica, causada por embarcações, plataformas e suas instalações de apoio, resultou em um baixo histórico de acidentes relacionados nos últimos

Uma marina, construída nos padrões internacionais, associada à uma revitalização do Bairro da ribeira poderiam colocar a cidade no roteiro de diversas atividade de esporte e recreio e transformar Natal em um dos pólos náuticos brasileiro”

AAt - o Iate Clube do natal tem um papel muito importante, pois é o fundeadouro do rio Grande do norte em condições de receber veleiros estrangeiros de maior porte de esporte/ recreio. Além disso, existe uma forte parceria, consolidada ao longo dos anos entre as autoridades e o Clube que permite a constante divulgação dos assuntos de interesse da Marinha junto aos associados, que representam uma boa parcela da comunidade marítima. o Iate Clube também realiza, um relevante serviço na interface entre a Capitania e os comandantes de embarcações civis, orientando-os quanto ao cumprimento dos diversas normas da autoridade Marítima. o iate Clube do natal é um verdadeiro elo entre os natalenses e o rio Potengi, uma vez que a cidade pouco usufrui da beleza e do prazer de uma navegação em suas águas tranqüilas e do lazer junto à margem. LCG - Qual a importância das regatas para as atividades náuticas? AAt - A atividade náutica, para crescer, precisa, além de clubes náuticos e grandes marinas, da realização de eventos que visem unir a comunidade marítima, tanto os de esporte e recreio, como os profissionais do mar, incluindo os pescadores. As regatas têm propi-

29 | LAtitUde CiNCo GrAUS

o iate Clube do Natal é um verdadeiro elo entre os natalenses e o rio Potengi, uma vez que a cidade pouco usufrui da beleza e do prazer de uma navegação em suas águas tranqüilas e do lazer junto à margem” ciado essa união. Com o colorido de suas velas, elas atraem a atenção do público em geral para a beleza e o prazer de se estar a bordo de uma dessas embarcações. nesse sentido, os eventos náuticos fomentam a formação de uma mentalidade marítima que, para um País como o nosso, caracterizado por sua riqueza de litoral, rios e lagos, torna-se muito importante, por permitir que o nosso povo possa voltar-se para a “amazônia azul” e as águas interiores, não só como fonte de recursos naturais, mas também como possibilidade de turismo e lazer. LCG - Como é operacionalizada a parceria entre a marinha e o iate Clube do Natal aat - a Marinha tem apoiado o iate Clube do natal na realização de seus eventos náuticos e em sua divulgação, ao passo que o Iate Clube nos proporciona um espaço para o contato direto com seus associados. não raros são os momentos em que os velejadores trazem os relatos de suas singraduras nos quais é possível verificar como a vida no mar é rica em aprendizados. As adversidades são sempre lembradas e comentadas com os relatos daqueles que as superaram, mantendo seus barcos em segurança. Assim, desses encontros, surgem novas idéias para novos eventos, náuticos ou não, que reforçam a parceria que sempre existiu entre a Capitania dos Portos, a Marinha e o Iate Clube do natal.


Um PoUCo de HiStÓriA

Porto ABerto

Por ÉriCo aMoriM das VirGens

os PrimeiroS ANoS Do IAte

Embora a flotilha de snipe que deu origem ao nosso clube date de 1952 o mesmo só foi fundado em 1955 quando inúmeras regatas já eram realizadas com enorme sucesso de público. Os primeiros velejadores não só navegavam no rio Potengi como também se aventuravam em mar aberto fazendo passeios até a praia de Pirangi. Hoje, mesmo com barcos de quilha e fechados, poucos são os que se aventuram ir à praia de Ponta Negra, mesmo considerando sua proximidade da Boca da Barra. Navegar naquela época, em que predominavam o esporte a remo e o futebol, era quase um esnobação de moda importada. Por isso mesmo era prestigiada pelos mais afortunados e até mesmo o governador, Dr. Sílvio Pedrosa, era um aficionado da navegação. Basta dizer que quando deixou o governo e foi ser presidente do Banco do Nordeste em Fortaleza fez a viagem em seu próprio veleiro, o Boa Sorte. Era um veleiro de oceano de 29 pés, etc, bem, mas aí já é outra história para contar. Foi uma viagem mais que pitoresca. Tendo sido fundado em 1955, em janeiro, naquele mesmo ano, em julho,sediou o V Campeonato Brasileiro, onde se sagrou campeão um gaúcho de nome Gabriel Gonzáles (vide livro de Pedro Siqueira Iate Clube de Natal- 50 anos de história). Lá pelos idos de 1961 a flotilha de snipe era um sucesso tão grande que reunia facilmente 10 a 12 barcos por regata. E a platéia não ficava por menos, reunindo autoridades e pessoas da sociedade, até mesmo Luis da Câmara Cascudo esteve entre nós algumas vezes O Iate Clube teve muita sorte em ter sido fundado por Fernando Gomes Pedroza. Além de homem rico era irmão do governador e não media esforços para tudo quanto dizia respeito ao fortalecimento do esporte náutico. (até morrer possuía o seu snipe). Pedroza contava que até se armar de revólver e fazer plantão na defesa do terreno ele havia feito. ?Sentado em uma cadeira na frente do prédio-sede, dirigiu-se ao comandante da patrulha afirmando que o primeiro que avançasse contra o clube receberia um tiro, tendo o comandante, segundo relatos que obtivemos, recuado e voltado ao quartel para comunicar o fato ao seu superior.? (transcrito do livro de Pedro Siqueira).

Para findar essa leve brisa de história vou contar só mais uma. Como sabemos desde os últimos vinte anos, sempre se discutiu muito quanto ao fato de o terreno pertencer a aeronáutica. A verdade, porém é a seguinte: quando o comodoro, Sr Luciano Toscano requereu a posse do terreno, então já ocupado há anos pelo clube, teve seu pedido deferido, segundo despacho do Presidente Ernesto Geisel publicado no D.O da União. Concessão a título precário e por 3 anos. Findo o prazo o comodoro requereu ao Patrimônio da União a posse definitiva do terreno. O então chefe do SPU enviou ofício a diversos órgãos que poderiam ter interesse no terreno: Marinha, Exército, Aeronáutica, Governo, Prefeitura, etc( É bom lembrar que estávamos vivendo nos anos de chumbo da ditadura militar ). Mesmo assim todos os órgãos consultados se pronunciaram favorável a cessão do terreno ao Iate Clube de Natal. Apenas o ofício da Base Aérea de Natal veio com uma ressalva, informando que mesmo sendo favorável a cessão, não tinha autoridade para opinar sobre patrimônio. Sem conhecimento de quaisquer órgãos a aeronáutica apareceu como ocupante oficial da área, o que nos trouxe transtornos e o desestímulo de investir em novas benfeitorias. Vi pessoalmente todos esses documentos que foram compilados pelo Sr.Otoniel Botelho, na

30 | LAtitUde CiNCo GrAUS


Latitude 5º - 3  

Revista do Iate clube de Natal

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you