Issuu on Google+

Calendรกrio de Acompanhamento da Natureza e da Vida do Povo Xacriabรก FIEI-PROLIND

1


Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Educação – FIEI/REUNI/PROLIND Prof. Marcia Spyer Monitor Hely Rodrigues 2


Calendário de Acompanhamento da Natureza e da Vida do Povo Xacriabá FIEI-PROLIND Trabalho realizado com alunos de etnia Xacriabá/MG no curso de Licenciatura Indígena da UFMG-REUNI-FIEI-PROLIND

3


4


Tempo da Seca

5


TEMPO DA SECA

Quitéria, Luzineide, Nelza, Alice, Maria Aparecida e Evaristo

Vamos falar dos tempos da terra Xacriabá. de abril a setembro o povo começa a roçar derruba rebaixa e queima pra depois encoivarar. È tempo de terra seca Tempo de muita poeira Tempo de fazer artesanato Colar, cachimbo e pulseira.

6

Em junho comemoramos A festa de São João, ele é o padroeiro Daqui da região. As folhas velhas caem Ficando amareladas De junho a agosto As árvores ficam peladas.

Em abril comemoramos Com muita animação

Também nessa época Os animais começam sofrer Procurando nas matas Folhas verdes para comer

O dia do índio Em nossa região.

Sombra pra descansar E água fria para beber.

Também comemoramos Com bastante alegria No mês de maior As novenas de Maria.

Agosto para nós É um mês de muita luz Levantamos o mastro Em louvor ao bom Jesus.


Já no mês de setembro As árvores começam florir Todos ficam alegres Esperando o fruto vir.

Nessa época fazemos Muitos artesanatos Colares pulseiras panelas anéis e pratos.

Versos 2

Fazemos também muitos eventos aniversários e rezas e também casamentos

Vamos falar da seca Lá no Xacriabá Pois é um tempo Que temos que cuidar. Da mata o roçado

Na época da seca É triste demais Pois é nessa época

Pô fogo encoivarar Temos que ter cuidado Para o fogo não passar.

Que as folhas cai E nisso quem sofre São os animais.

Pro fogo não passar Para o outro lugar Não podemos destruir Precisamos preservar.

Os animais coitados Fica triste e fracos Pois sofrem de fome Sem água e sem mato.

No tempo da seca Temos muita poeira È a época mais quente Isso não é brincadeira.

Sem água e sem mato Não dar pra viver Então os bichinhos Começam a sofrer.

7


Depois de sofrer Começam alegrar Pois voltam o verde No Xacriabá O verde volta No mês de outubro Pois é maravilhoso O verde do mundo. Versos 3 No tempo da seca Lá no Xacriabá A terra é muito dura Que nada pode plantar Lá no Xacriabá Muitos terrenos são ressecados Os animais vivem fracos E também desanimados. Quando as folhas caem 8

Fica uma solidão As árvores desfolhadas Que toma conta do chão. De setembro para outubro Tudo vai se animar As árvores se começam Todas se reflorestar No mês de setembro É tempo de encoivar Os homens vão pra roça E as mulheres vão ajudar. Quando terminar as coivaras As mulheres vão descansar Vão procurar as sementes Pra no tempo se plantar. No ano de 2009 Acabou ficando no chão As pessoas cuidaram das roças Sem ver a cor da alimentação.


Praticamos a tradição Fizemos muita pintura O povo Xakriabá Dança, pula, canta Com animação pura Nos dias Santos comemoramos Com festejo e animação Com reza reis e samba Alegramos nossa nação.

9


TEXTO

Cilene Araújo, Elizabete, Valdeir, Elzio, José Reis, José Nunes, Wilson e Nilma.

A vida do povo Xacriabá é marcada e orientada basicamente por dois tempos: o tempo da seca que vai de abril a setembro e o tempo das chuvas de outubro a março. Dentro desses dois tempos há uma infinidade de atividades sendo elas produtivas, sociais e rituais. Em cada mês há uma seqüência de atividades.

Abril

O mês de abril para nós Xacriabá é o primeiro tempo da seca e início das atividades do nosso povo. Na quarta feira de cinzas é o dia de escolher o local para colocar roça de toco. Também se inicia no dia 23 ou 24 a Festa de Santa Cruz em várias aldeias como Sumaré III, Barreiro Preto e Forges. 10


No dia 19 de Abril tem a comemoração do índio todo ano tem uma festa na aldeia Brejo Mata Fome, onde várias aldeias e escolas participam. Nesse dia tem várias apresentações culturais. Desse mês em diante as pessoas começam a construir casas. È durante esse mês também que as pessoas guardam a semana das dores e da paixão. Durante a quaresma as pessoas começam a jejuar e guardar os dias mais finos desse período. Nessas duas últimas semanas da quaresma as pessoas têm um maior respeito: não comem carne, não castigam seus filhos, não montam a cavalo e nem costumam andar a noite. Pois é nessa época que os mais velhos contam histórias do lobisomem e da mula sem cabeça. Não pode comer e nem beber coisas doce e sim amargo. Guardar a primeira água do dia, ela será benta, para remédio tomar para fechar o corpo dos males, contra tempestade jogar água do lado que vir. Na sexta feira santa é dia de dar benção aos padrinhos e pais ajoelhados. É o mês do boi gordo, onde os criadores vendem alguns animais que estão gordos. Foi neste mês que o nosso cacique Rodrigo morreu, especificamente no dia 26.

11


É neste mês que alguns animais começam a cantar ou aparecer avisando que a estação seca está se iniciando como a tanajura, gavião e anum branco.

ATIVIDADES

- Marcar roça – Quarta feira de cinzas - Inicio da festa de Santa Cruz (Rezas e festas) - Comemoração do dia do índio - Construção de casas no período da seca - Bichos que começam a cantar ou aparecer avisando que a estação seca está iniciando - Inicio da arrumação das estradas - Boi gordo - Respeito ao dia da morte de Rodrigo (cacique) - A quaresma, semana das dores e da paixão - Época das histórias – Lobisomem

12


Maio

As festas de Santa Cruz que iniciam nos dias 23 ou 24 de Abril terminam aqui neste mês, especialmente nos dias 02 ou 03. Essas rezas acontecem durante nove dias, em algumas são realizadas festas, muita comida e bebida, é um mês muito divertido. Em algumas aldeias inicia a novena de Maria que são de nove dias também, mas com exceção de uma aldeia que celebra 31 dias de rezas, começando no dia primeiro e terminando no último dia. É o mês também que o céu fica nublado durante o dia. Nesse mês o caburé começa a cantar anunciando que o frio está chegando. As roças novas são começadas a serem roçadas nessa época especialmente as que são colocadas na mata, porque desse período em diante as folhas começam a cair. Neste mês também o frio se inicia e com ele vem a poeira, pele ressecada e algumas doenças respiratórias como gripe e bronquite. Há também o início da colheita da feijoa, abóbora e o plantio de hortas e roça irrigada. 13


ATIVIDADES

- Final das festas de Santa Cruz - Início das festas de Maria e tremino - Início do frio - O caburé começa a cantar anunciando que o frio está chegando - Início do roçado - Início da poeira, pele ressecada e doenças respiratórias (gripe, bronquite) - Início da colheita da feijoa - Início de caída das folhas da mata - Colheita da abóbora - Férias dos alunos - Plantio de hortas - Roças irrigadas – plantio - Céu nublado durante o dia

14


Junho

O mês de Junho é o mês que inicia a colheita das roças, como por exemplo, a quebra do milho, colheita de batata doce e assado da mesma, e neste mês inicia também a fabricação de tijolos e telhas. Neste mês o frio se torna mais intenso, tem também os festejos de São João (fogueiras) e a festa tradicional onde acontecem os batizados e tratados de compadres e comadres pulando a fogueira, festejo de Santo Antônio, festejo de São Pedro (fogueira dos viúvos e viúvas), preparação de biscoito. É também observado pelos mais velhos as profecias de São João.

ATIVIDADES - A quebra do milho - O frio se torna mais intenso - Festejo de Santo Antônio - Festejo de São João (fogueiras) e a festa tradicional 15


- Festejo de São Pedro - Colheita e assado da batata doce - Preparação de biscoito - Observação das profecias - Início da fabricação de tijolo e telha - Batizados e contratos de compadres e comadres pulando a fogueira.

16


Julho

Desse mês em diante que os animais precisam de cuidados maiores. Época da produção de farinha. Férias dos alunos da rede municipal. Os mais velhos tem a experiência das profecias de Santana Velha e Santana Nova.

ATIVIDADES - Desse mês em diante que os animais precisam de cuidado maior - Produção de farinha - Férias dos alunos da rede municipal - Profecias de Santana velha e nova.

17


Agosto

Início das queimadas nas roças, também nas florestas. É época de muito calor, ar poluído. Época de porco gordo, também acontece faltar água em algumas regiões. A vegetação está sem folha, também acontecem muitos redemoinhos. É o período de plantar plantas através de galhos. Existe a tradição da festa de Bom Jesus. A tradição da Festa de São João Evangelista em Rancharia de 20 a 29 de Agosto. É época das águas estarem secando os poços que ficam as pessoas mexendo para pegar peixes. È o início das caçadas de animais silvestres. Também é o período da coleta de alguns frutos, exemplo: Jatobá, maracujá de boi e de veado. Tempo de rezar penitência para chover. De guardar a primeira segunda feira de Agosto que é dias e água.

18


ATIVIDADES

- Início das queimadas - Muito calor - Mês dos porcos gordos - Falta d`água - Ar poluído - Vegetação sem folhas e seca - Redemoinhos - Plantar plantas através dos galhos - Festejo do Bom Jesus - Festejo de São João Evangelista - Mexer os poços para pegar peixes - Início da caça - Coleta de jatobá - Coleta de maracujá de veado e de boi - Rezados e penitências para pedir chuva - Guardar a primeira segunda feira do mês de agosto – Dias e águas

19


Setembro

É o período do povo cuidar das capoeiras. De estocar as palhadas, fazer coivaras. È o período de finalização das roças. É o período dos pastos estarem pouco e as criações estarem magras, as vezes até morrem. È o período das plantas estarem florescendo. É o período da colheita das hortas. Muita falta d`água. Tempo de reprodução de animais silvestres, exemplo: tatu, veados.

ATIVIDADES - Cuidar das capoeiras - Estocar as palhadas - Fazer coivaras - Finalização das roças 20


- Criação magra - Algumas plantas enflorecerem - Colheita das hortas - Falta de água - Falta de comida para a criação - Reprodução de animais silvestres (veados, tatus)

21


22


Tempo das Ă guas

Tempo de reencontro, alegria e fartura

23


TEMPOS DAS ÁGUAS

Tempo de reencontro, alegria e fartura

Aqui no Xakriabá, apesar das mudanças climáticas estarem bastante intensas nos dias de hoje. Consideramos os tempos das águas do mês de outubro a março.

Outubro

Quando está iniciando recebemos alguns avisos de alguns bichos. Um exemplo desses avisos é do teú que aparece com freqüência fazendo rastros, tipo avisando que entrou nas águas. Depois disso os diversos ambientes existente começam a se modificar. As árvores vão ficando verdinhas e outras dispõem a brotar. Classificamos esse início das águas também como tempo dos brotos. Nas primeiras chuvas os animais de caça como o veado, teú, tatu, moco e o coelho são encontrados com facilidade. 24


Os animais de criação como, o gado e cavalo ficam mais fracos e alguns frutos como manga, caju, umbu, goiaba nos lugares de vazante começam a dar e nos outros locais como no tabuleiro, que é fora da vazante, algumas árvores frutíferas como o pequi, a cabeça, começam a florar. É também hora de começar a plantar o milho, feijão, feijoa, melancia, melão, mandioca e outros. Comemoramos o dia de Nossa Senhora Aparecida com rezas nas comunidades.

Novembro

Os animais de criações ficam mais fortes e gordos, as frutas aparecem com fartura, os riachos enchem e transbordam causando as enchentes e facilitando a pesca que é de muita fartura. Nesse tempo também acontecem as limpas que classificamos em duas a 1ª (??????????) 25


Dezembro

Através de projetos sociais desenvolvidos pela Associação Aldeia Barreiro Preto, Junto com as escolas acontece o reflorestamento das nascentes e plantações de árvores nos quintais das escolas. Há também o grandioso encontro da comunidade escolar indígena Xakriabá onde no total de 32 escolas, sendo 7 sedes, se reúnem para celebrar as formaturas dos alunos que formam no ensino fundamental 8ª série e o médio 3ª série. Essa festividade acontece com vários momentos de costume com apresentações de danças e cantos, forró, entrega de certificados e outros. Guardamos o dia de Santa Luzia com rezas em aldeias. É realizada as Novenas de Natal e também reunimos parentes para desenvolver as praticas culturais como danças de rituais e jogos de costumes tradicionais Xakriabá. Enfim, para nós as águas é momento de bastante alegria. Porque trabalhamos na roça para garantir o sustento, as escolas estão paradas. E nas festas que comemoramos que encontramos com nossos parentes das aldeias vizinhas e também com muitos que estavam fora da terra Xakriabá, que saem a procura de trabalho nos corte de cana, café e 26


até mesmo em casa de famílias nos rumos de Mato Grosso, São Paulo e Lagoa da Prata.

Janeiro

É a 2ª limpa de acordo a necessidade de cada roça plantada. Durante esse período não saímos muito de casa. Principalmente quando percebemos o céu bastante escuro sem estrelas com as nuvens voltando contra a correnteza da água, percebemos que não vai ser uma chuva mancinha, mas com trovões e fortes relâmpagos. É mais de casa para roça. Quando a chuva da uma parada costumamos observar a lua nova que por ela conseguimos ver se vai voltar chover ou estiar naqueles dias. No entanto no período que estamos em casa utilizamos muito o tempo para confeccionar artesanatos com materiais como a fibra do buriti, embiruçu, com sementes como; sabonete, lagrima, coité, porcada, osso de gado, madeira do itapicuru e de barro, essas matérias primas são colhidas no 27


período de seca e os trabalhos com as mesma varia com o costume de cada aldeia. Mesmo que não saímos muito encontramos com vários parentes nos encontros que são feito no trabalho da lida com a roça (trocas de dias de serviços) o que chamamos de multirões, que são encontros muito animados até mesmo para conversar entre parentes. Em termos festivos temos a tradição de participar das Festas de Santos Reis que são conduzidas por algumas famílias que tem promessa feita aos santos. E nós recebemos em casa a folia e seus acompanhantes, que pedem um espaço para cantar e louvar Santos Reis e fazer também o samba que é muito bonito e divertido.

Fevereiro

Em fevereiro acontecem as reuniões com pais, alunos, lideranças e comunidades para o início das aulas. Dentro deste mesmo momento de encontro acontece a construção do calendário escolar para o ano letivo. 28


Março

Mais pro final das águas em março, começamos a colheita das primeiras plantas que foi feita no início das águas. E plantar a roça que chamamos de fim das águas.

29


Aqui no Xakriabá, apesar das mudanças climáticas estarem bastante intensas nos dias de hoje. Consideramos os tempos das águas do mês de outubro a março. Quando está iniciando as águas recebemos avisos de alguns bichos. Um exemplo desses avisos é do teu (bicho rasteiro que aparece com freqüência fazendo rastros, tipo avisando que entrou nas águas). Depois disso os diversos ambientes existente como a mata, o tabuleiro, o carrasco, a caatinga começam a se modificar. As árvores já grandes vão ficando verdinhas e outras começam a brotar. O início das águas também é classificados aqui para nós como tempo dos brotos. Nesse tempo começa as primeiras chuvas, os animais de caça como o veado, teú, tatu, moco e o coelho são encontrados com mais facilidade e os animais de criação como, o gado e cavalo ficam mais fracos. Nas águas costumamos dizer que é o tempo de fartura, pois muitos frutos no início começam a florar e do meio para o fim das águas deixa nossa alimentação mais completa. Temos alguns como a manga, o caju, umbu, goiaba, jatobá, pequi, murici, grão de galo, saputá, coquinhos, goiabinha, cabeça de nego, amor de longe, cabeça de frade, maracujá do tabuleiro, maracujá da mata, bananinha, milho de cobra, 30


ananais, abacaxizinho, cocô tuncu, cocô de raposa, mangaba, pitomba, jabuticaba, tamarindo, porcada, xixa. Esses frutos nos lugares de vazante começam a dar mais cedo e nos outros locais como no tabuleiro que é fora da vazante algumas árvores começam a florar como o pequi, a cabeça e outros. É também hora de começar a plantar o milho, feijão, feijoa, melancia, melão, mandioca e outros. Dos meados das águas para o fim, os animais de criações ficam mais fortes e gordos, as frutas aparecem com fartura, os riachos enchem e transbordam causando as enchentes e facilitando a pesca que é de muita fartura. Nesse tempo também acontecem as limpas que classificamos em duas a 1ª e 2ª limpa de acordo a necessidade de cada roça plantada. É a 2ª limpa de acordo a necessidade de cada roça plantada. Durante esse período não saímos muito de casa. Principalmente quando percebemos o céu bastante escuro sem estrelas com as nuvens voltando contra a correnteza da água, percebemos que não vai ser uma chuva mancinha, mas será uma chuva com trovões e fortes relâmpagos. É tempo de ficar mais de casa para roça. Quando a chuva

31


da uma parada costumamos observar a lua nova, onde por ela conseguimos ver se vai voltar chover ou estiar naqueles dias ou meses. Ao observar se ela estiver bastante curvada com aspecto de uma bacia derramando água é sinal que vai chover bastante nos próximos dias ou mês. Se não é porque a chuva foi embora. No entanto no período que estamos em casa utilizamos muito o tempo para confeccionar artesanatos com materiais como a fibra do buriti, embiruçu, com sementes de sabonete, lagrima, coité, porcada, osso de gado, madeira do itapicuru e também a cerâmica do que é trabalhada com o barro. Essas matérias primas são colhidas no período de seca e os trabalhos com as mesma varia com o costume de cada aldeia. Mesmo que não saímos muito encontramos com vários parentes em momentos de trabalhos da lida com a roça (trocas de dias de serviços)o que chamamos de mutirõesque são encontros muito animados até mesmo para comer comidas tradicionais e conversar entre parentes. Em termos festivos temos a tradição de participar das Festas e rezas em respeito ao dia de Nossa Senhora Aparecida, Santa Luzia, Novenas de Natal e festejos de Santos Reis que são conduzidas por algumas famílias que tem pro32


messa feita aos santos. E nós recebemos em casa a folia e seus acompanhantes, que pedem um espaço para cantar e louvar Santos Reis e fazer também o samba que é muito bonito e divertido. Através de projetos sociais desenvolvidos pela Associação Aldeia Barreiro Preto, junto com as outras associações comunitária das aldeias e as escolas, acontece o reflorestamento das nascentes e plantações de árvores nos quintais das escolas. Há também o grandioso encontro da comunidade escolar indígena Xakriabá onde no total de 32 escolas, sendo 7 sedes, se reúnem para celebrar a formaturas dos alunos que formam no ensino fundamental 8ª série é o médio 3ª série. Essa festividade acontece com vários momentos de costumes com apresentações de danças e cantos, forró, entrega de certificados e outros. Apesar de quase não sairmos de casa com riachos cheios, estradas que ficam de difícil acesso, o tempos das águas é momento de bastante alegria. Porque as escolas estão paradas trabalhamos mais na roça para garantir o sustento. E não dispensamos as festas que são feitas para realização de nossas práticas culturais com danças de rituais e jogos de costumes tradicionais Xakriabá, é também

33


momento de encontrar com muitos que estavam fora da terra Xakriabá, que saem à procura de trabalho nos corte de cana, café e até mesmo em casa de famílias nos rumos de Mato Grosso, São Paulo e Lagoa da Prata. Como em nossa região, norte de Minas, as águas vai de outubro a março, as aulas da fim e também início ainda nesse período, então acontecem as reuniões com pais alunos lideranças e comunidades para o início das aulas. Dentro deste mesmo momento de encontro é feita a construção do calendário escolar para o ano letivo e começamos a colheita das primeiras plantas que foram feitas no início das águas. E plantar a roça que chamamos de fim das águas.

34


35


MÚSICA DAS ÁGUAS ADRELINA E IRACEMA

Não vai não meu bem Que lá tem ladeira Refrão Se escorregar e cai Quebra a galha da roseira Nos tempos das águas E os meses de animação O gerais é muito verde Da melancia e melão. De outubro a março A chuva são mais freqüente Alegrando os animais E também o ambiente

36

No mês de outubro As arvores ficam verdinhas Os animais ficam fraco Porque comem as folhinhas As folhinhas que eles comem Não tem sustento não Alguns deles morrem E outros ficam bons.

E também tem o tatu Que cava muito o chão Porque a terra está mole Não encontra nem torrão. O tatu ta no buraco As formigas nas raízes Os sapos cantam crá crá Dizendo que estão felizes. No tempo das águas As andorinhas fazem verão São nos dias de neblinas E também de animação. No tempo das águas E a alegria dos animais Tem muitos alimentos No cerrado e no gerais. Terminamos esses versos Com bastante alegria Porque eles falam das águas E também do dia-a-dia.


37


Música das Frutas do Tabuleiro Adrelina e Iracema

Música das Frutas do Tabuleiro Adrelina e Iracema A roseira da folha dourada Lá no tronco da roseira Rosa branca e desprezada Vamos falar para vocês Das frutas do tabuleiro Que alimentam nosso povo E também os catingueiros No tabuleiro tem várias frutas Não conseguimos nem contar Cagaita, caju, etc. E também maracujá O pequi é um alimento Que nós todos adoramos Alimenta e cura doença E só dá uma vez por ano 38

O ananais parece abacaxi Só que ele é pequeninho Quem gosta dele são as pessoas Porque ele é bem docinho Tem a cabeça de negro Que parece com a condença Se comer ela demais A pessoa fica doente A cagaita é um alimento Seve para os animais Para as pessoas esperar Cutia, veado e outros mais O maracujá é uma fruta Serve de alimentação Também faz o suco dele Que serve para pressão


O xixá é uma fruta  Que parece com pião O xixá a gente come O pião fazem sabão O imbu da no cerrado Cabeçudo no tabuleiro O caju perto de casa E a pitomba no terreiro Agradecemos papai do céu Que é nosso protetor Márcia e Maíra Foi quem nos ajudou.

39


CALENDÁRIO

Elizimar Gomes dos Santos Janeiro – dia de Santos Reis e chegada do folião. Fevereiro – dia 12 Confraternização em homenagem a Rosalina e demais lideranças. Início das aulas. Março – Abril - dia 19 – Dia do Índio Maio – dia 02 confraternização da retomada da aldeia Morro Vermelho. Junho – Dias 22, 23, 24 e 25. Dia de São João Batista. Dia 29 dia de São Pedro. Dia de Santo Antônio Julho – Agosto – Dia 05 – dia de Bom Jesus. Setembro – dia 29 – dia de São Miguel. Outubro – 12 de outubro – Nossa Senhora e dia das Crianças. Novembro – Dezembro – Colheita. Chegada de diversas pessoas, de diversos lugares como: 40


Lagoa da Prata, Brasília, São Paulo, Bahia e etc. Término do ano letivo. Início das Férias. Dia 25, início da Folia de Reis.

Eva Ferreira Pinto Tempo da chuva - Tempo da lama. Tempo das cheias - Tempo do verde. Tempo das luas ¬- Tempo das goiabas. Tempo das frutas - Tempo das flores Tempo dos insetos - Tempo dos bichos Tempo da Festa de Reis - Tempo dos dias de santos. Tempo Do frio – Tempo da colheita. Tempo da Quaresma – Tempo das Noivas. Dia das mães, todos os dias, tempo das aulas, dia do índio, na verdade é todos os dias, tempo da poeira e dos roçados, Festa do Bom Jesus da Lapa, dia dos Pais, tempo dos brotos, tempo do canto dos pássaros, Dia de Nossa Senhora e das crianças, Tempo das festas juninas, tempo de corpus

41


cristo, tempo das festas de santa cruz, dia do professor, dia de finados e de todos os santos, tempo do Natal - Tempo da seca – Tempo do sol quente, Tempo do calor, Tempo da caça, Tempo de plantar, Tempo de colher, Tempo das hortas, Tempo dos redemoinhos, Tempo dos ventos, Tempo das férias escolares, Tempo de cada estação, Tempo de rodeios e vaquejadas, Tempo dos gordos e magros, Tempo dos capins verdes, Tempo das profecias, Tempo das gripes e resfriados, Tempo de fazer farinha – Tempo de moer e etc...

Santília Ferreira de Souza Março a abril comemora o dia do índio que será representado dia 19. Inicia a semana da coresma, semana Santa, Sexta-feira da Paixão, e dia de jujuar, Não comer carne, beber bebida doce. Maio – reza de Santa Cruz, da Mães – no segundo mês de maio. Junho – 22 e 25 comemoram as festas juninas, dia 24 acende a fogueira de São João, 29 a Fogueira de São Pedro onde Comemora o dia dos viúvos e viúvas,

42


Os períodos das chuvas são do mês de outubro ao mês de março. Mês de outubro também é o início dos plantios de milho, feijão, mandioca, batata doce, quiabo, melancia e etc. Mês de agosto comemora o dia do Bom Jesus, dia 06, com Comemoração, rezas, mastros e forró.

Elício de Souza Almeida Tempo de seca Colheita do mel de abelha, colheita de algumas frutas ou vage do cerrado como favela, caça aos animais como a cotia etc.,, corte da cana de açúcar – hora de fazer rapadura, fazer farinha da mandioca, roçado do capim, tempo que várias pessoas vão trabalhar nas usinas de açúcar. Tempo das Águas Colheita do feijão e melancia, maxixe, plantio de cana de açúcar,, o fruto do umbu, manga e etc. Tempo da reprodução e da alegria de sapos e peixes, tempo de fazer queijo e outros derivados do leite de vaca.

43


Iusnei

Tempo do piqui – novembro a fevereiro. Tempo da cabeça de nego de fevereiro a maio. Tempo de cheias de outubro a abril. Época das rezas de Santa Cruz 23 de abril a 2 de maio.

Ranilson da Silva Correa

Tempo do plantio. Tempo das limpas na roça. Tempo das roçadas e derrubadas das matas. Tempo das colheitas de mantimentos. Tempo das Rosas de Santa Cruz. Tempo da Novena da Coresma. Tempo dos festejos e rezas do Santo Reis. Tempo da seca, frio, ventania e poeira. Tempo das festas junina e das fogueiras. Tempo das colheitas do pequi, cabeça de nego, caju, coquim e outros. 44


Tempo de caçadas. Tempo de ceveiro e espera. Tempo da chuva e calos. Tempo de matas verdes. Tempo de vegetação seca e as queimadas. Tempo de alegria.

Júlio Cesar

Tempo de preparo das roças. Tempo de chuva. Tempo de plantio. Tempo de limpa. Tempo da colheita. Tempo do pequi. Tempo do umbu. Tempo de Santa Cruz. Tempo São João Batista. Tempo da Seca. Tempo Das Águas. Tempo da laranja. 45


Tempo da Goiaba. Tempo do cabeça de nego. Tempo do Dia do Índio. Tempo das Festas. Tempo do milho. Tempo do feijão. Tempo da abóbora. Tempo da melancia. Tempo da fejoa. Tempo dos animais. Tempo das plantas. Tempo das caças. Tempo de apresentações culturais.

Elma marcos de Almeida Tempo de chuva, Tempo de plantar, Tempo das frutas, tempo da rezas, tempo de festejos, tempo de colher as roças, tempo de caçar animais, tempo de fartura, tempo das frutas do tabuleiro como cagaita, cajuzinho, bico doce, jatobá, bananinha, pequi, porcada, grão de galo, tempo de 46


casamento, tempo de insetos, tempo de visitar parentes distantes, tempo de reunir a comunidade, tempo de trabalhar, tempo de estudar, em fim tempo de se divertir.

Vanessa S. Pinheiro Junho: 22.23.21.25. Comemora o dia de São João Batista 29. dia de São Pedro Agosto: 05. Comemora o dia de Bom Jesus da Lapa Setembro: Tempo da colheita Dezembro: 25. Natal e início de Santo Reis Janeiro: 06: dia de Santo Reis e término Fevereiro: Mês que inicia a semana santa Março: Semana Santa

47


Abril: Semana Santa 19. dia do índio Maio: Rezas de Santa Cruz Dias das Mães

Laerson Sousa Lopes

Tempo da coleta das frutas Tempo de fazer o rosado Tempo da chuva Tempo dos festejos de Santo Reis Rezas tradicionais, como de santa cruz, o mês de março, festas juninas, tempo da pesca, da caça, do plantio, da coleta de frutas, sementes, colheita das roças, arrumar as estradas, tempo que inicia as chuvas e a seca. Tempo de arrumar as estradas, comemoração do dia do índio, tempo da fartura, e o tempo dos bois magros e gordos.

48


ANEXO Quest천es

49


VANESSA SEIXAS E ELIZIMAR GOMES 1- E que dia comemora as festas de Santa Cruz ? 2- Quando que termina? 3- Em que mês comemora o dia de Santa Cruz? 4- Este é o mês, que o céu fica nublado durante o dia, e o caburé começa a cantar, anunciando o que?

Disciplina: Uso do Território IVONETE E MARCILENE XACRIABÁ E JAIR Prof: Márcia Questões 01. Quais são os cuidados que devemos ter com os animais? 02. Quais as atividades que todos gostam de fazer nas férias? 03. O que é usado na produção da farinha? 04. Qual é o mês que é plantado a mandioca? 05. Qual o tempo do plantio antes da colheita? 50


06. Quais são as espécies de animais encontradas na sua aldeia? 07. Quais são os animais que estão em extinção?

Perguntas do mês de fevereiro Professora: Márcia ALUNAS: SANDRA FERNANDES PIMENTA E ELMA MARCOS DE ALMEIDA 01. Será que em todo o ano bissexto a quarta-feira de cinzas é no mês de fevereiro? 02. Será que em todas as escolas acontecem reuniões com os pais e alunos no inícios das aulas? 03. Como é feito o calendário da sua escola? 04. Existe alguma comemoração neste mês em sua comunidade?

51


Trabalho de Calendário NOME: LAERSON SOUSA LOPES SANTÍLIA FERREIRA DE SOUZA Tuma: B Prof: Márcia Elabora perguntas sobre o mês de abril. 01. Qual o dia mais comemorado no mês de abril em sua região? 02. Porque a organização em vários aspectos acontece no mês de abril? 03. Será que as quartas-feiras de cinza acontecem sempre no mês de abril? 04. Na quarta-feira de cinza é o dia de escolher o local para colocar a roça de toco. Porque? 05. No Xacriabá no dia 19 de abril comemora o dia do índio. Em outras etnias indígenas comemora no mesmo dia? 06. Porque a paixão de Cristo todo ano não comemora no mesmo dia do mês?

52


Perguntas do mês de março O tempo NOMES: EVA FERREIRA PINTO RONILSON DA SILVA CORREA Data: 15-04-2011 turma: B 01. 02. 03. 04. 05. 06.

Por que esse mês recebe o nome de março? Quais as colheitas colhidas nesse mês? Quais as frutas do cerrado nesse período? Quais as plantações nesse mês? Como são feitos os tipos de plantio? Como a comunidade organiza esse plantio?

07. Por que a comunidade acha que este mês é o fim das chuvas? 08. Porque esse mês é considerado o mês de plantio? 09. Quais o tipos de frutos que são colhidos nesse mês? 10. Qual a estação deste mês? 11. Quais os tipos de comemoração deste mês? 12. Qual o mais tradicional?

53


Calendário Perguntas relacionadas ao mês de agosto Professora: Márcia ALUNAS: ROSEMERE E ROSILENE 01. Todos os agricultores fazem queimadas ao mesmo tempo? 02. Quando é época de muito calor o que devemos fazer? 03. O ar poluído provoca alguns tipos de doença, quais são eles? 04. Porque acontece muitos redemoinhos do mês de agosto? 05. Quais tipos de frutos podemos coletar no mês de agosto? 06. Quais são os tipos de festejos que temos no mês de agosto? 07. Em que mês as pessoas mexem os poços para pegar peixes? 08. Quando podemos falar que e dias e águas?

54


Perguntas relacionadas com o texto do mês Setembro NOME: ROSÂNGELA DE ARAUJO CARNEIRO 01. Será o que os outros povos fazem em setembro? 02. Será que neste mês já estão finalizando seus roçados? 03. Será que conhecem ou sabem o que é uma capoeira? Ou pensam que capoeira é um tipo de dança? 04. Será que a preparação para fazer um roçado é igual a de nós indígenas? 05. E o tempo das roças será que são os mesmos dos nossos? 06. Será que criam muitos animais? Será que neste mês os animais enfraquecem, ou seja, ficam magros? 07. Será que os animais são iguais uns aos outros? 08. Será que os animais comem as mesmas coisas que os animais da minha aldeia comem ou comem um tipo de ração especial? 09. Será que falta pasto para suas criações? 10. Será que em todos os lugares as plantações enflorescem no mesmo período?

55


Calendario Xacriaba