Page 1

ALFÂNDEGA | BOLE TIM MUNICIPAL DE ALFÂNDEGA DA FÉ

cultura | educação | turismo | acção social | economia | certificação | protecção civil | urbanismo/ambiente | obras


FICHA TÉCNICA Propriedade: Câmara Municipal de Alfândega da Fé Coordenação: Berta Nunes Design e Produção: Conteúdo Chave Lda. Imagem: Conteúdo Chave Lda., Câmara Municipal de Alfândega da Fé Distribuição: Gratuita Impressão: Depósito Legal:

1 Download da aplicação lukar

Aponte o telemóvel para a página onde aparece o lukar

2

Assista e navegue por conteúdo multimédia exclusivo

3

4 Clique duplo para fullscreen ou clique único para descobrir mais

a revista dispõe de conteúdos com realidade aumentada. para poder visualizar instale a aplicação lukar


índice MENSAGEM

4

CULTURA

5

EDUCAÇÃO

11

TURISMO

13

ACÇÃO SOCIAL

15

ECONOMIA

23

CERTIFICAÇÃO

29

PROTEÇÃO CIVIL

31

urbanismo / ambiente

33

OBRAS

35


MENSAGEM Estando a chegar ao fim o mandato é nossa intenção apresentar contas e fazer um balanço. Estes 3 anos e meio foram difíceis pela dívida e pelos problemas herdados, mas também pela crise do país que teve como consequência cortes muito grandes nos recursos da autarquia. As autarquias vivem de receitas próprias dos impostos municipais e de transferências do orçamento de estado e no caso de Alfândega mais de 80% das receitas anuais da autarquia dependem das transferências do Orçamento de Estado, sendo as receitas próprias pequenas. Em Janeiro de 2010 no início do mandato as transferências do Estado para a autarquia de Alfândega rondavam os 6 milhões e em 2012 já só foram de 5 milhões e 250 mil em números redondos, dos quais mais de 1 milhão e meio são gastos a pagar a dívida herdada que temos de pagar e vamos continuar a pagar nos próximos anos. Em 3 anos foram–nos retirados perto de 1 milhão e meio de euros de receitas resultantes das transferências do Estado e tudo isso condiciona e muito a actividade do município. Mas, apesar de todos estes constrangimentos, temos vindo a diminuir a dívida: de 2011 para 2012 diminuímos em mais de meio milhão de Euros a dívida da autarquia e, no caso das empresas municipais, desde 2010 já diminuímos a dívida em mais de 1 milhão de euros. No entanto, nós não queremos apenas pagar a dívida, queremos e conseguimos aproveitar o Quadro Comunitário para fazer investimentos importantes para o concelho, manter a atividade de administração direta gerindo com rigor e de uma forma organizada os recursos humanos do município, manter os apoios na educação adequando–os aos recursos existentes, manter apoios sociais aos mais carenciados, apoiar a criação de empregos através do gabinete de apoio ao empreendedor, apoiar as atividades culturais como a banda municipal, os grupos de cantares a escola de teatro, apoiar o desporto concentrando na Ara uma parte importante dos apoios, entre outras atividades. Apesar das dificuldades da autarquia e do país não cruzamos os braços e não desmoralizamos, apenas trabalhámos e trabalharemos com mais afinco para vencer as dificuldades e obstáculos com o objetivo de construir um futuro melhor para o concelho e para o país. Berta Nunes (Presidente Câmara Municipal de Alfândega da Fé)

4


CULTURA

CULTURA COM TODOS E PARA TODOS

no campo do lazer e turismo, em especial para os seniores. Na música criaram-se as condições para o ressurgimento do Grupo de Cantares de Alfândega da Fé e também para a continuidade de projetos como o da Associação Musical de Alfândega da Fé e dos grupos de cantares das várias freguesias. E porque Apostando na diversificação da oferta no campo ler é aprender em parceria com a Rede de Bibliotecas cultural e de ocupação de tempos livres, a Câmara Escolares promove-se o gosto pela escrita e leitura e Municipal tem vindo a desenvolver parcerias com várias apoia-se a apresentação de livros. entidades. Uma cooperação que abrange áreas como o teatro, a música, a literatura, as artes plásticas Alfândega da Fé integra a Rede Cultural Sete Sois Sete e até o campo turístico. Esta foi uma das estratégias Luas, uma rede que abrange 25 cidades de 11 países encontradas para rentabilizar recursos, diminuir custos que privilegia relações vivas e diretas com os pequenos ao mesmo tempo que se diversificam serviços à centros, os seus valores e cultura e os seus artistas. disposição da população. Um investimento considerado fundamental para a melhoria da qualidade de vida dos alfandeguenses.

Parcerias e protocolos dinamizam setor cultural e de lazer do concelho

Na área do teatro foi estabelecido um protoloco com a Companhia de Teatro Filandorra com o objetivo de recuperar uma tradição do município, reportada ao trabalho do Prof. Manuel Faria, impulsionando o aparecimento do grupo de teatro concelhio. A parceria estabelecida com a INATEL veio ao encontro da preocupação de disponibilizar novas oportunidades ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 5


Criação Literária

Com o objectivo de apoiar e promover os autores locais, o Município de Alfândega da Fé, tem vindo a apoiar e a promover a edição e apresentação de diversos livros. Uma forma de fomentar, junto do público em geral e dos mais jovens em particular, o gosto pela escrita/livro e leitura com ações direcionadas para o público escolar, nomeadamente, através da realização de encontros com escritores.

Associação Musical de Alfândega da Fé Mais de uma centena de pessoas estão envolvidas nos projetos desenvolvidos pela Associação Musical de Alfândega da Fé. O que começou por ser a Banda Municipal é hoje uma instituição com forte componente formativa e que contribui para manter viva a tradição associada a este tipo de formações. A Banda Municipal de Alfândega da Fé, com cerca de 50 elementos, é um projeto transgeracional, que consegue cativar agregados familiares completos, dos mais pequenos aos mais velhos. São eles os responsáveis pela revitalização de uma das tradições com grandes raízes na região, são eles que animam as festas religiosas no concelho, que nos proporcionam deliciosos momentos de festa e animação nas atuações que fazem

6

um pouco por todo o municipio. A Associação é também responsável pela criação da Escola de Música da Banda, atualmente com 40 alunos, a maioria com idades compreendidas entre os 11 e os 13 anos, o que revela o gosto que os jovens já ganharam pela música e a garantia de que a Banda terá continuidade. Desta escola surgiu também a Orquestra Juvenil, onde os mais pequenos vão aperfeiçoando o gosto e conhecimento musical.


CULTURA

Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

Grupos de Cantares Concelhios

O Município de Alfândega da Fé adotou como principio o envolvimento da população nas atividades culturais do concelho, ganhando com isso em dinamização local e conseguindo, em simultâneo, defender, preservar e promover a cultura do povo, as tradições e o folclore.

Grupos de cantares

Alfândega da Fé: 40 elementos Sambade: 35 elementos Grupo de Bombos de Sambade: 17 elementos Gebelim: 20 elementos Parada: 25 elementos

Impulsionando e apoiando o surgimento de Grupos de Cantares, a Câmara estimula o associativismo, o convívio, a ocupação de tempos livres, a recuperação de património imaterial, as tradições orais, tornando os munícipes em agentes ativos da Agenda Cultural concelhia, também capazes de representar o Município de Alfândega da Fé fora de portas.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

|

7


Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

Fé nos Burros Preservar e valorizar a identidade concelhia O projeto que nasceu como forma de estudar e preservar o gado asinino e muar do concelho, tem vindo a ganhar escala e a percorrer o país, divulgando o nome de Alfândega e uma parte importante da sua cultura e identidade. Este foi também um

Espetáculos workshops Conferências 8

dos principais objetivos da Câmara ao se associar à APEGA e ao Fotógrafo João Pedro Marnoto no desenvolvimento do “Fé Nos Burros”. Se por um lado se pretendia alertar para a necessidade de preservar a espécie, sensibilizando para os novos usos que estes animais podem ter, por outro queria-se dar a conhecer a relação entre o homem e este animal e a sua importância no mundo rural transmontano. O resultado final é o “Fé nos Burros”

composto por uma exposição, documentário e um livro. Após o lançamento em Alfândega da Fé, o projeto despertou o interesse de agentes culturais e tem estado presente em vários espaços expositivos, feiras, mostras e festivais. Além disso, tem sido distinguido com vários prémios. O mais recente foi no Seia Cine ECO 2012, onde o documentário conseguiu o primeiro lugar na categoria lusofonia.

Sempre com o intuito de descentralizar a produção cultural, de tornar acessível, de fomentar a participação e envolvimento dos munícipes em tudo quando no município se faz, a autarquia tem a preocupação de se assumir como motor dinamizador e agregador de diversas atividades artísticas e culturais. Exemplo disso foi a peça “À manhã”, resultado de uma residência artística efetuada no concelho, que fez o retrato do problema do isolamento e solidão

dos mais velhos a partir da obra À Manhã de José Luís Peixoto. Mas não só. Tem sido realizados workshops temáticos, conferências diversas, espetáculos que tentam ir de encontro aos diversos públicos. Alfândega não quer nem pode parar, trabalhando o executivo para imprimir uma dinâmica interessante, capaz de envolver diversas camadas da população e atrair visitantes ao concelho.


CULTURA

Rede Cultural Sete Sóis Sete Luas

Exemplo de boas praticas culturais na Europa. A grande festa da Lusofonia e do Mediterrâneo chegou em 2010 a Alfândega da Fé e já marcou a agenda cultural concelhia. O Festival Sete Sóis Sete Luas trouxe novas forma de ver, sentir e interpretar o mundo. É neste diálogo entre culturas que assenta a filosofia do evento, que encontrou na arte o parceiro ideal para cumprir este objetivo. As três edições do Sete Sóis fizeram-se, em Alfândega, ao ritmo dos sons da Espanha, Cabo Verde, França, Croácia e até da música e sabores Italianos. Deram a conhecer outras culturas e fizeram do concelho o primeiro e único do interior norte de Portugal a integrar a Rede Cultural Sete Sóis Sete Luas. Esta é uma das mais valias deste festival, ou seja, o facto de ser promovido por uma rede cultural de 30 cidades, de 11 diferentes países: Brasil, Cabo verde, Croácia, Espanha, França, Grécia, Israel, Itália Marrocos, Portugal e Roménia. Uma cooperação que tem em vista a aproximação entre países, a fusão intercultural mas também a descentralização cultural. Tal permite divulgar o nome de Alfândega fora de portas, beneficiando de toda a promoção, nomeadamente turística, associada à Rede e traz ao concelho um evento internacional só possível de realizar graças à cooperação entre Cidades que integram a Rede Cultural. Este ano não vai ser exceção, o Festival Sete Sóis Sete Luas vai chegar para animar as noites de verão. Com realização prevista para julho a iniciativa entra, definitivamente, para o calendário dos festivais de verão da região.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 9


Escola Municipal de Teatro Passado mais de meio século, desde que o grupo impulsionado pelo Dr. Manuel Faria apresentou a última peça de teatro no concelho, Alfândega da Fé volta a ter um grupo de teatro. Este era também o objetivo da autarquia quando em 2011 lançou a Escola Municipal de Teatro. O projeto surgiu no âmbito de um Protocolo com a Filandorra Teatro do Nordeste, que trouxe o conhecimento e experiência necessárias ao arranque. Quase dois anos depois cerca de 40 pessoas estão envolvidas nesta atividade. Um projeto que alia a componente formativa à da promoção do lazer/cultura e ocupação dos tempos livres. Miúdos e graúdos frequentam esta Escola e compõem o Grupo de Teatro de Alfândega da Fé, que já levou a cena peças como a “Breve História da Química” , “Assembleia do Povo” e tem vindo a participar em animações de rua tanto fora como dentro de portas. Para além das participações e apresentações em eventos culturais promovidos pelo município, como é o caso da Festa da Cereja ou do Mercadinho Flor da Amêndoa, já se fez representar na “Noite das Bruxas”, em Montalegre e também em Vila Flor aquando da Feira Medieval.

Exposições artes plásticas (Galeria Manuel Cunha)

A formação cultural de públicos faz-se promovendo e facilitando o acesso direto à criação artística. A autarquia, ao longo deste mandato, tem-se empenhado em proporcionar aos munícipes exposições diversas, permitindo aos visitantes o contato com outras realidades e modos diferentes de pensar e ver o mundo, divulgando o trabalho de vários artistas, privilegiando criadores de alguma forma relacionados com o território.

10

Ano

Nº Exposições

Visitantes

2010

10

3246

2011

9

3772

2012

8

3094


EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO Na EDUCAÇÃO assenta o futuro das nossas crianças e jovens. O Município de Alfândega da Fé orgulha-se de promover uma Política de Educação que assenta em valores como a INCLUSÃO, a JUSTIÇA e a IGUALDADE.

Promovémos no ano letivo 2012/13, em parceria com a Liga de Amigos do Centro de Saúde, Associação de Pais e Agrupamento de Escolas de Alfândega da Fé, o Banco Manuais Escolares. Uma iniciativa que tem como objetivo, o fomento de valores como a responsabilidade social e ambiental, permitindo, em simultâneo, diminuir os gastos das famílias com manuais escolares, promovendo a reutilização de livros.

ALIMENTAÇÃO GRATUITA O apoio da autarquia estendese à Alimentação no contexto escolar, um apoio direcionado para as famílias mais carenciadas. Todos os alunos transportados e os beneficiários do Escalão A, têm alimentação gratuita (80 alunos do 1º ciclo e 31 do préescolar); os alunos beneficiários do Escalão B recebem um apoio de 50% no valor das refeições (9 alunos 1º ciclo/12 alunos préescolar).

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 11


transporte ESCOLAR As crianças deslocadas das aldeias para o Centro Escolar e Escola EB 2,3 de Alfândega da Fé (230 alunos), beneficiam de transporte gratuito, o que representa no Orçamento Municipal um custo próximo dos 200 mil Euros por ano.

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

Na mesma linha a autarquia assumiu a contratação de técnicos para poder proporcionar Atividades de Enriquecimento Curricular gratuitas aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico: Música, Inglês e Educação Física e Desportiva, esta última também ministrada nos Jardins-deinfância.

PROLONGAMENTO DE HORÁRIOS O município assume ainda os custos no prolongamento de horário até às 18h00 para os alunos dos Jardinsde-infância de Alfândega da Fé, Sambade e Vilarelhos, através de técnicos contratados pela autarquia para o efeito.

12


TURISMO

Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

TURISMO PERCURSOS PEDESTRES Bota-te a Andar Por Alfândega é a designação atribuída a uma iniciativa que consiste na organização de passeios pedestres, mensalmente, por oito percursos já devidamente definidos e delimitados na área do município, que integram a Rede Municipal de Percursos Pedestres. Habitualmente temáticos, estes passeios envolvem, em média, duas dezenas de participantes por iniciativa. Uma atividade que fomenta o contato direto com a natureza, o conhecimento do património natural e cultural, ao mesmo tempo que combate o sedentarismo e promove o exercício físico e o convívio. Estes percursos já constituem motivo de visita ao concelho, permitindo conhecer, de forma organizada e através de percursos devidamente sinalizados, o muito que o município tem para mostrar.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 13


A adesão à plataforma Welcome Guides Portugal, constituiu uma aposta na inovação e na tecnologia, colocadas ao serviço de quem nos visita. Com recurso a um smartphone ou tablet, os visitantes têm acesso Toda a informação na palma da a toda a informação sobre cada mão. um dos Pontos de Interesse (POI) do concelho: património, cultural, natureza, serviços, restauração, hotelaria, etc. A utilização é gratuita e o nível de informação é completo.

WELCOME GUIDES PORTUGAL

A cada POI está associada uma imagem, descrição, coordenadas GPS (com possibilidade de definir percursos a pé ou de carro), contatos, links para websites, etc. A plataforma é nacional e faculta informação num raio de 20 quilómetros a partir da localização do utilizador. Alfândega da Fé foi um dos municípios pioneiros na implementação deste Guia Interativo em Realidade Aumentada.

“Novo” Santuário de Santo Antão da Barca No lugar do Rebentão já são bem visíveis as obras de construção do “novo” Santuário de Santo Antão da Barca. O local vai ser dotado das condições para se transformar num pólo de atração do turismo religioso e de natureza. Com a construção da Barragem do Baixo Sabor o espaço onde sempre esteve localizado o Santuário do Santo Antão da Barca vai ficar submerso. Tal obrigou à procura de soluções que permitissem preservar

14

o valor patrimonial e religioso associado a este local de culto. A ideia é trasladar a Capela, onde foram descobertas pinturas do séc. XVIII de rara beleza e valor artístico, pedra por pedra, aproveitando-se a intervenção para criar novas valências e novas condições de atratividade. No lugar do Rebentão estão a ser construído um restaurante, um bar, uma hospedaria onde se poderá pernoitar e, um espaço museológico na sede da confraria. Para além

disso, está também prevista a construção de uma praia fluvial nas proximidades. Estas novas infraestruras, associadas ao valor religioso, patrimonial e cultural do Santo Antão, são entendidas pelo município como uma mais valia e vêm ao encontro de outros projetos e estratégia defendida pela Câmara para a área do turismo, que assentam na valorização da identidade concelhia, ou seja, da história e cultura locais.


ACÇÃO SOCIAL

ACÇÃO SOCIAL Construção de minilares nas freguesias de Gebelim e parada

ALFÂNDEGA DA FÉ: COMUNIDADE AMIGA DOS IDOSOS

É nas antigas escolas primárias, espaços outrora ocupados por crianças, que estão prestes a nascer os mini-lares de Gebelim e Parada. Foram-se os risos sonoros dos mais pequenos, chegaram os sorridos serenos dos mais velhos que , num futuro próximo, vão encontrar um espaço, dentro da sua aldeia, onde podem receber todos os cuidados de que necessitam, mantendo-se junto dos que lhe são queridos, sem ter de abandonar a sua terra.

Alfândega da Fé foi a primeira vila portuguesa a subscrever, em setembro de 2011, a Declaração de Dublin que lhe confere o estatuto de “Comunidade amiga dos Idosos”. Um compromisso que implica a adoção de políticas concretas direcionadas para a população mais envelhecida, visando combater a solidão e o isolamento, desenvolver políticas de promoção da saúde, implementar projetos que contribuam para a melhoria da qualidade de vida. Este município foi designado, pelo período de dois anos, como novo membro da Rede Global da OMS das Cidades e Comunidades Amigas das Pessoas Idosas trabalhando para responder às necessidades dos idosos em diversas áreas.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 15


Fundo Social de Apoio à Habitação A autarquia de Alfândega da Fé, através do Fundo Social de Apoio à Habitação, já apoiou diretamente 16 famílias, realizando pequenas obras e adaptações nas habitações,

de acordo com as necessidades dos moradores. Este programa destina-se apenas a pensionistas e incapacitados, com manifestas dificuldades financeiras. O apoio concedido incidiu na criação de condições mínimas de conforto e salubridade, chegando essa ajuda pelo financiamento direto dos trabalhos (até 3 mil euros por habitação), pela cedência de mãode-obra ou compra de material.

Combate à pobreza e exclusão social A Câmara Municipal de Alfândega da Fé reforça o combate à pobreza e exclusão social com medidas que visam apoiar as famílias e população mais frágil. Atenta ao contexto económico que o país atravessa e à degradação das condições de vida de muitas famílias, a autarquia desenvolve os mecanismos que permitem fazer face a estas situações.

16

Ano

Famílias Apoiadas

2011

5

2012

11

Para além dos apoios à renda, para a melhoria das condições das habitações, dos diferentes apoios concedidos a idosos foi, recentemente, alargado o âmbito do Regulamento de Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos. Assim está, agora, previsto o apoio em situações de emergência social que coloquem em risco crianças ou idosos e o apoio eventual a agregados familiares em situação de carência e em que exista risco de abandono escolar. Medidas que contribuem para a inserção social dos munícipes e melhoria das condições de vida.


ACÇÃO SOCIAL

Diagnóstico das condições de vida e necessidades dos idosos Mais de 60% da população idosa concelhia vive sozinha ou tem por companhia outro idoso. Técnicos da autarquia estão no terreno a fazer o levantamento das condições de vida e necessidades destes munícipes. Alguns resultados preliminares permitem afirmar que os idosos que vivem sozinhos: - Têm, em regra, mais de 70 anos, não sabem ler nem escrever e as mulheres representam a maior fatia ; - Vivem em casa própria, mas sem aquecimento, tendo a maioria apenas

uma lareira; -Não usam transporte público, pela dificuldade que têm em subir e descer dos autocarros e pelos horários dos mesmos. Normalmente, o autocarro sai das freguesias de manhã e só volta ao fim da tarde. Apesar dos parcos recursos financeiros (a maioria tem reformas entre os 300 e os 400 euros mensais) usam muitas vezes o táxi ou a boleia quando têm que se deslocar à sede do concelho. - Muitos deles já caíram e a maioria tem medo de cair pelo que já limitou

as suas atividades; - Muitos deles contam mais com os vizinhos do que com a família e sentem -se sozinhos com poucas visitas e escassas relações sociais; - A solidão é uma das principais queixas destes idosos. Estes dados permitem traçar a “radiografia” das condições de vida dos idosos que vivem no concelho e implementar medidas direcionadas à melhoria da qualidade de vida e bem-estar destas pessoas.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 17


“Jovens de Outrora” A política da Câmara Municipal para a terceira idade é feita com pessoas e para pessoas. Exemplo disso é o projeto “Jovens de Outrora”, que nasceu na sequência de um repto lançado a um grupo de idosos, que se organizou e tem impulsionado diversas iniciativas que pretendem promover o envelhecimento ativo e com qualidade. Este grupo estabelece a ponte entre o

município, o projeto INOVE Alfândega (um projeto que surgiu integrado nos Contratos Locais de Desenvolvimento Social) e a população sénior. Foi também um dos impulsionadores da criação da Universidade Sénior de Alfândega da Fé. “Os Jovens de Outrora” promoveram recolha em vídeo de testemunhos de idosos do concelho, organizam convívios nas diferentes freguesias, aos quais

deram o nome de “Pés de Dança”. Uma espécie de bailarico à moda antiga que permite quebrar a solidão e o isolamento.Participam ativamente na vida cívica local e realizam ações que visam a promoção da cidadania, alertando e sensibilizando para causas fraturantes da sociedade. Tal foi o caso do espetáculo promovido para celebrar o Dia Europeu da Vítima de Crime.

Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

Universidade Sénior Atualmente, com cerca de 60 alunos, esta escola informal é um importante espaço de convívio e aprendizagem, que contribui para combater a solidão e o isolamento, assim como possibilita a continuação da aprendizagem ao longo da vida, passar dos anos vão aumentando na mesmo em idades mais avançadas. casa de cada um. Um projeto que ganha ainda mais relevância quando O projeto nasceu no seio da Liga se fala num concelho marcado pelo dos Amigos do Centro de Saúde envelhecimento da população, onde de Alfândega da Fé, com o apoio mais de 30% dos residentes têm 65 ou mais anos e destes mais de 60% do Município. Os alunos seniores fizeram desta vivem sozinhos. Dados que ajudam Escola informal uma oportunidade a compreender a necessidade e de aumentar conhecimentos em também o sucesso de serviços áreas tão diversas como história, deste género. jornalismo, tecnologias da informação e comunicação, saúde, educação Alguns dos professores são seniores física, expressão dramática, etc. e voluntários pelo que este projeto Uma forma também de ocupar o alia a componente da promoção tempo livre e a solidão que com o do envelhecimento ativo à do

18

voluntariado. A Universidade funciona de segunda a sexta-feira, com as aulas distribuídas por diferentes períodos do dia. Algumas das áreas: Trabalhos manuais, motricidade humana, educação física, alfabetização sénior; TIC; Técnicas de bordados; Agricultura Biológica; Inglês de Conversação; Francês; História de Portugal; História de Alfândega da Fé; Expressão dramática e Saúde.


ACÇÃO SOCIAL

Vencer o Tempo nas 7 cidades Alfândega da Fé é a entidade fundadora deste projeto que envolve mais seis municípios. Este projeto resulta de uma parceria com a Associação Vencer o Tempo, Associação para a Educação e Prevenção da Saúde. A ideia é simples: estimular nos mais novos atitudes e comportamentos, que permitam um verdadeiro diálogo intergeracional e criem relações de amizade efetivas. O projeto Viver o Tempo nas 7 Cidades já conduziu à realização de várias iniciativas de partilha de saberes e experiências, que permitiram a valorização de jovens e idosos envolvidos. Danças de Salão, passagem de modelos “A moda não tem idade”, workshop de fotografia, recital de poesia são alguns dos exemplos de atividades desenvolvidas em conjunto.

Turismo Sénior Na sequência do protocolo celebrado com a Fundação INATEL os mais velhos podem usufruir de diversas viagens e férias organizadas e a custo reduzido. Uma mais-valia para quem não tem companhia, podendo participar em viagens de grupo, sempre acompanhados por técnicos credenciados. A INATEL, fruto do referido protocolo, instalou um serviço em Alfândega da Fé que veio facilitar o acesso à informação e organização destas viagens.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 19


Animação Sócio desportiva para os Seniores Promovendo uma vida ativa e a prática regular de atividades desportivas, devidamente orientadas por técnicos qualificados, o município está a apostar na prevenção da doença, na promoção da saúde e bem-estar dos mais idosos. Os seniores têm ao seu dispor aulas de ginástica regulares,

são incentivados a participar em caminhadas organizadas e visitas com objetivos lúdicos e culturais. Para além disso têm também à disposição aulas de TIC. Um projeto que envolve cerca de 200 seniores e que está a decorrer em simultâneo na sede do concelho e em diversas

Cartão Sénior

freguesias. As atividades são desenvolvidas em cooperação com o INOVE Alfândega e decorrem em localidades como: Alfândega da Fé, Gouveia, Sendim, Castelo, Parada, Gebelim, Eucísia, Cerejais, Vilarelhos, Vilares da Vilariça.

Bolsa de Voluntários

O cartão que “dá descontos” aos mais idosos e Com o objetivo de combater o isolamento e constituir carenciados, é uma ajuda preciosa na medicação, uma rede de conforto em todo o município, a autarquia isenção parcial do pagamento da água e transportes. promoveu a criação de uma bolsa de voluntários, incentivando todos a participar, a dar o seu contributo Atualmente 28 idosos usufruem deste apoio à sociedade, tendo como contrapartida o afeto ganho junto dos mais velhos, a aprendizagem e enriquecimento humano conseguido pela partilha de experiências. Atualmente existem cerca de 20 voluntários inscritos.

20


ACÇÃO SOCIAL Alfândega Promove Igualdade Sempre com a perspetiva de contribuir para a constituição de uma comunidade mais justa e mais democrata o município de Alfândega da Fé celebrou um protocolo com a Comissão Para a Igualdade de Género que tem como objetivo a implementação de um plano Municipal para a Igualdade de Género. O município idealiza criar condições para que exista uma efetiva igualdade entre

Alfândega Comunidade Inclusiva

géneros tanto na estrutura organizacional como a nível político, económico, social ou familiar concelhio. E foi na defesa destes principios que algumas dezenas de alfandeguenses se uniram e sairam à rua numa marcha contra a violência doméstica e a descriminação da mulher.

O Município de Alfândega da Fé orgulha-se de promover uma política inclusiva, contra a descriminação e a inação perante as dificuldades de pessoas com necessidades especiais. Nesse sentido tem trabalhado para conseguir o envolvimento da comunidade e dos agentes que a representam, para que todos, em conjunto, possamos construir uma realidade mais justa, mais tranquila e mais digna.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 21


Associação LEQUE Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

A associação Leque tem como primeiro objetivo, melhorar a qualidade de vida e o bem-estar físico e emocional das pessoas com necessidades especiais (deficiência) do distrito de Bragança e suas famílias, bem como, promover a sua inclusão social, como uma aposta clara na formação para a diferença, desde o contexto familiar, alargandose à sociedade em geral. O Município de Alfândega da Fé uniu-se a este

SIMPD Com o apoio e colaboração da Câmara Municipal o Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. criou em 2010, em Alfândega da Fé, um Serviço de Informação e Mediação das Pessoas com Deficiência . Uma iniciativa que representa a garantia de igualdade de oportunidades, o combate à discriminação e a valorização das pessoas com deficiência, numa perspetival de promoção dos seus direitos fundamentais. É o primeiro do género no distrito de Bragança e está, atualmente, integrado na Associação Leque.

22

objetivo, celebrando um protocolo de cooperação, e apoiou a associação nas obras para a criação de um Centro de Atividades Ocupacionais, do Lar Residencial e Centro de Férias e Lazer e respetivo funcionamento. É um serviço único no sul do distrito de Bragança e necessário, que faz toda a diferença para as famílias que diariamente lidam com a problemática da deficiência.


ECONOMIA

economia

Gabinete de Apoio ao Empreendedor Emprego, e porque não criar o seu? Este slogan traduz na íntegra o espírito do Gabinete de Apoio ao Empreendedor. O serviço tem como principal missão apoiar todos os munícipes no processo de criação do seu próprio negócio. Neste espaço, o potencial empreendedor, pode usufruir de variados serviços tais como formação, informação sobre os diversos passos a dar na criação do próprio

apoio a novas unidades de produção Nos últimos anos a autarquia tem vindo a apoiar o surgimento de novos negócios, através de um programa de licenciamento de unidades produtivas, que permitiu licenciar oito micro empresas do ramo agroalimentar. No fundo trata-

negócio, apoio em todo o processo, assim como esclarecimento de questões relacionadas com o meio empresarial. Este gabinete surgiu da vontade da Câmara Municipal de disponibilizar às pessoas os instrumentos necessários para que possam criar o seu próprio negócio. Numa altura em que as oportunidades de emprego não abundam, e que a diminuição da população ativa é uma realidade, a Câmara Municipal está empenhada em criar os mecanismos para contrariar esta situação. A ideia passa por estimular uma cultura empreendedora, transmitindo aos munícipes a necessidade de serem agentes ativos no desenvolvimento económico e social do concelho.

se de criar as condições e fornecer o apoio técnico necessário para que os pequenos negócios familiares se possam organizar, obter apoios e conquistar escala. Para tal existe uma equipa técnica que acompanha e apoia este processo, quer na elaboração de candidaturas, na assessoria técnica especializada, assim como na fase de licenciamento das unidades. Trata-se de uma aposta na valorização dos saberes

tradicionais, que passa por setores como a produção de queijo, fumeiro, compotas e licores. Para além de todo o processo que conduz à implementação de um novo negócio, a Câmara, através desta equipa, fornece também o apoio necessário às empresas, quer seja em termos de expansão do negócio, quer em termos de realização de candidaturas e consequente acesso a fundos comunitários disponíveis.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 23


EMPRESAS MUNICIPAIS PASSADO, PRESENTE E FUTURO Ainda antes de termos assumido a gestão da autarquia, sempre defendemos a venda do Hotel Spa (Alfandegatur) e a entrega das microempresas da EDEAF a privados de forma a transformar empresas que davam prejuízos em empresas rentáveis, mantendo os postos de trabalho e aliviando o orçamento do município que tem legalmente de cobrir os prejuízos destas empresas.

E estamos a cumprir o que tanto na alfandegautur como na EDEAF, como se pode ver no quadro prometemos! abaixo. Fizemos o concurso para venda da Alfandegatur (Hotel Spa) aguardando Em relação às microempresas o visto do tribunal de Contas para participadas e geridas pela EDEAF, a queijaria está concessionada a concretizar a venda. No entanto temos vindo a reduzir a privados, bem como a cozinha de dívida e a melhorar a gestão do Hotel, doces e as cozinhas de fumeiro, tendo já esta autarquia diminuído tendo sido extintas as micoempresas a dívida de uma forma consistente, existentes.

Quadro da evolução da dívida das empresas municipais desde 2009: 2009

2010

2011

2012

VARIAÇÃO

Alfandegatur

3.013.039,37€

2.627.579,76€

2.471.794,15€

2.338.156,74€

-674.882,63€

Edeaf

1.313.974,12€

975.899,45€

811.018,33€

674.061,06€

-639.913,06€

Total

4.327.013,49€

3.603.479,21€

3.282.812,48€

3.012.217,80€

-1.314.795,69€

24


ECONOMIA Extinguimos também a alfapack que geria a linha de embalamento de azeite, tendo transferido o equipamento para a cooperativa através de protocolo, onde tem melhores condições e está ao serviço dos produtores de azeite do concelho, tendo uma grande procura. Em relação à alfamel, vendemos a linha de embalamento ao maior

utilizador da mesma após concurso, depois de termos convidado os produtores de mel a associarem-se para gerir o equipamento, o que não se concretizou por falta de interesse dos mesmos. Resta a EDEAF, que fruto da lei de Agosto de 2012 terá de ser obrigatoriamente extinta, sendo este processo desenvolvido durante o ano de 2013, de acordo com a nova

lei sendo intenção da autarquia manter os postos de trabalho. Todo este trabalho tem permitido à autarquia reduzir custos progressivamente, melhorando as contas do município e entregando à iniciativa privada estas actividades que não fazem sentido ser geridas directamente pelo município!

Quadro da evolução do pessoal contratado pelas empresas municipais desde 2009: Dez. 2009

Dez. 2012

Alfandegatur

38

25

Edeaf

27

23

Total

65

48

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 25


Hortas Biológicas O projeto de Hortas Urbanas Biológicas em Alfândega da Fé surgiu da vontade da autarquia de promover a agricultura biológica, permitindo à população um contato direto com a terra e o desenvolvimento de consciência ecológica, ao mesmo tempo que se assume como um complemento ao orçamento familiar. O que é facto é que o sucesso do primeiro ano de projeto levou a autarquia a alargar a área disponível para a implementação das Hortas Urbanas. Atualmente, são cultivados 24 lotes na zona central da vila, nas traseiras da EB1. Mas a Câmara prepara-se para disponibilizar mais 15 talhões, noutra zona da sede do concelho.

26

Conseguimos com este projeto - Rentabilizar e otimizar os terrenos municipais disponíveis - Criar espaços verdes dinâmicos - Ajudar no combate à crise - Estimular as famílias a produzir o que consomem - Apoiar diretamente as famílias Trata-se do bairro Trás-do-Castelo, local onde existem terrenos municipais disponíveis para o efeito. Neste momento cerca de 17 famílias, num total de 60 pessoas, beneficiam destas hortas, a ideia é aumentar a área disponível de forma a beneficiar cerca de 150 pessoas. Este projeto foi apoiado, em 20 mil euros, pelo Prémio EDP Solidária 2012.


ECONOMIA Prémio EDP Empreendedor Sustentável Estimula a criação de Emprego Oito novas empresas surgiram no concelho impulsionadas pelo Prémio EDP Empreendedor Sustentável, encontrando-se, atualmente, nove projetos em fase de implementação. Trata-se de empresas que privilegiam atividades na área do turismo, agricultura, agro industria e ambiente. Tal em muito contribui para que o município fosse considerado como o 2º concelho a nível nacional com maior capacidade empreendedora.

Projetos que permitiram criar o próprio emprego respondendo a um dos desafios e objetivos da autarquia para promover o desenvolvimento sustentável do concelho. O Prémio EDP Empreendedor Sustentável já vai no terceiro ano. Para além de um prémio monetário, os empreendedores são apoiados em todas as fases de criação da empresa, recebem formação e apoio técnico, e depois de implementados

passam a beneficiar de uma rede de comercialização que marca a diferença para a afirmação e sucesso do negócio. Em Alfândega da Fé a edição deste ano conta com 39 participantes. Este projeto surge como uma das contrapartidas pelo projeto de Aproveitamento Hidrelétrico do Baixo Sabor.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 27


Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

FESTA DA CEREJA Este é sem dúvida um grande marco turístico, cultural e económico para o município. A Festa da Cereja, que se realiza há mais de 30 anos, já se tornou no maior evento concelhio e serve de montra, não apenas para a o produto rei, que é a cereja, mas

Mercadinho da Flôr da mêndoa O Mercadinho Flor da Amêndoa surgiu com o objetivo de associar o movimento turístico gerado pelas amendoeiras em flor à venda e promoção dos produtos locais.

28

para muitos outros produtos de excelência produzidos na área do município, como o azeite, o mel, os enchidos, os doces, o artesanato e tantos outros. Como forma de atração turística exige programas complementares de animação e entretenimento. Anualmente o programa é pensado de forma a fidelizar os visitantes e atrair novos turistas mostrando-lhes um pouco do muito que podem encontrar em Alfândega da Fé.

Em média, cerca de uma centena de expositores locais participam anualmente na feira, abrangendo diversos setores de atividades: produtores de cereja, restauração e bebidas, agro-alimentar, automóveis, diversão, mobiliário, instituições e serviços, artesanato e automóveis. Na ultima edição foram vendidas sete toneladas do produto rei, a cereja, representando o evento um importante marco económico para o concelho.

Esta iniciativa assume especial importância no escoamento da produção dos pequenos produtores do concelho, garantindo-lhes um rendimento extra numa altura em que o concelho é visitado por centenas de pessoas atraídas pelo espetáculo natural das amendoeiras em flor. Com cerca de uma dezena de participantes a iniciativa é ponto de

encontro da cultura gastronómica local, principalmente daquela associada à amêndoa. Isto para não falar nos queijos, enchidos, azeites ou licores produzidos neste concelho da Terra Quente Transmontana. A esta iniciativa aparecem associadas outras atividades de cariz turístico, cultural e desportivo.


CERTIFICAÇÃO

CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE ”Alfândega da Fé com Qualidade” certificação ISO 9001:2008 A Câmara Municipal de Alfândega da Fé vê reconhecido o trabalho de organização interna da maioria dos seus serviços municipais, estando agora certificada nos termos da Norma ISO 2001:2008. O Sistema de Gestão da Qualidade obteve o Certificado de Conformidade PT13/04269, emitido pela empresa multinacional SGS, na sequência das auditorias de concessão que decorreram em outubro e dezembro

de 2012. Esta certificação distingue o esforço desenvolvido nos últimos 2 anos e meio. Os resultados na melhoria dos serviços facultados aos munícipes começam agora a ser evidentes, desde o atendimento, à sistematização de procedimentos, à diminuição dos prazos de resposta e à informação acessível, transparente e desmaterializada. Neste processo salienta-se o grande

envolvimento dos trabalhadores e dirigentes municipais no Sistema da Qualidade, os hábitos adquiridos de monitorização dos processos e o respetivo Barómetro dos Indicadores, as análises críticas dos resultados dos processos relativos a 2012 - estando agora implantada uma verdadeira cultura de melhoria contínua, que deverá evoluir no futuro, ao serviço dos munícipes de Alfândega da Fé.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 29


Certificação de Sistemas de Gestão

A implementação de um sistema de gestão e a sua posterior certificação, é uma mais-valia para o município, ou seja, reconhecimento e satisfação dos munícipes, melhoria da imagem, acessibilidade aos serviços, redução de custos de funcionamento através da melhoria do desempenho operacional e uma nova cultura com a sensibilização e motivação dos colaboradores, orientada para a melhoria contínua e para a satisfação dos cidadãos. Uma abordagem ao desenvolvimento e implementação de um sistema de gestão compreende diversas etapas, entre as quais as seguintes: Determinação das necessidades e expectativas dos munícipes; Estabelecimento da política e

30

objetivos da organização; Definição dos processos e responsabilidades necessárias para atingir os objetivos estabelecidos; Determinação e disponibilização dos recursos necessários para atingir os objetivos estabelecidos; Estabelecimento de métodos para medir a eficácia e eficiência de cada processo; Aplicação destas medidas para determinar a eficácia e eficiência de cada processo; Identificação dos meios de prevenção de não-conformidades e eliminação das suas causas; Estabelecimento e aplicação de um processo para a melhoria contínua do seu sistema de gestão.


PROTEÇÃO CIVIL

Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

PROTEÇÃO CIVIL Serviço Municipal de Proteção Civil A segurança das pessoas e bens solicitações e ocorrências que vão assume-se como a principal missão surgindo, com particular frequência dos serviços Municipais de Proteção em período de inverno. Civil. Sendo Alfândega da Fé um município Sempre atentos, sobretudo à com muita estrada de montanha é aí ação da natureza, estes serviços que se centra boa parte da ação dos têm-se mostrado capazes de dar agentes locais de proteção civil. respostas, em tempo útil, às diversas

Mas não o trabalho destes agentes não é só agir quando os problemas ocorrem é também prevenir, desenvolver ações de sensibilização, realizar treinos e preparar devidamente os elementos que integram cada um dos organismos envolvidos, educar a população, etc.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 31


CIDADÃOS COMO AGENTES ATIVOS Os cidadãos devem assumirse também, e em simultâneo, protagonistas e agentes de proteção civil, tendo todo o direito à informação sobre os riscos que correm no seu dia-a-dia bem como na adoção de medidas preventivas e comportamentos de autoproteção em situações de emergência. O Município de Alfândega da Fé, ao promover a divulgação de medidas de prevenção e um conjunto de atividades sobre segurança,

32

pretende contribuir para uma melhor informação junto dos cidadãos, e criar condições de minimizar riscos para melhorar a proteção dos munícipes em geral, porque “MAIS VALE PREVENIR DO QUE REMEDIAR” Exemplo disso são as Semanas da Proteção Civil, organizadas de modo a alertar para a importância deste serviço municipal e a formar e sensibilizar a população para as atitudes e comportamentos a adotar em situações de risco. Estas

iniciativas têm especial incidência na população escolar. Em fase de aprovação está o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Alfândega da Fé, um documento que reúne um conjunto de medidas, normas, procedimentos e missões, destinado a fazer face a uma situação de acidente grave ou catástrofe e a minimizar as suas consequências.


URBANISMO/AMBIENTE

Fiscalização Urbanística apoia os munícipes Com a entrada em vigor, em junho de 2010, do “Registo de Isenção”, a autarquia agilizou o licenciamento de 120 processos relativos à realização de obras de escassa relevância urbanística na área do município. Trata-se de um procedimento inovador, que tem ajudado os munícipes a executar intervenções

dentro da legalidade que se impõe mas sem se envolverem em burocracias, aprovações, licenças e dificuldades. No entanto, de modo a garantir um correta integração urbanística, a Câmara Municipal assegura, em simultâneo, a orientação técnica e o acompanhamento das obras.

Um incentivo importante em tempos de crise que já permitiu uma poupança total estimada em 180 mil euros em encargos, ou seja, cada munícipe poupou cerca de 1.500 euros por obra.

Depois

Antes

Serviço de Urbanismo mais célere e eficaz O licenciamento de obras particulares, uma das competências da autarquia está mais fácil e rápido. A simplificação associada à forma de trabalhar e uma maior transparência e aproximação com os munícipes permitiram prestar um melhor serviço nesta área. Com o mesmo número de trabalhadores está a conseguir-

se dar resposta a todos os pedidos em metade do tempo definido no Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação, apesar de se ter verificado um aumento do número de pedidos de licenciamento. Mesmo com a crise instalada no setor da construção civil houve em 2012 mais 30 pedidos do que em 2011,

muitos relacionados com a fase de finalização de obras licenciadas em anos anteriores. Uma maior eficiência no tratamento dos pedidos de licenciamento que pode ser entendida como um bom exemplo da aplicação do Sistema de Gestão da Qualidade.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 33


RAMPAPROGRAMA DE PROMOÇÃO DA ACESSIBILIDADE As barreiras físicas que condicionam a mobilidade de pessoas portadoras de deficiência são também uma preocupação do município de Alfândega da Fé que desenhou um projeto concreto para a eliminação de barreiras arquitetónicas no espaço Utilize a app LUKAR nesta página e veja o conteúdo multimédia

Alfândega da Fé adere à Go Local Alfândega da Fé é o primeiro município transmontano a aderir à “GO LOCAL: POR UMA CIDADE SUSTENTÁVEL”, tornando-se no 10º concelho de Portugal e da Europa a integrar este projeto. É um projeto que pretende “encorajar os Municípios portugueses a seguir um percurso para a sustentabilidade e apoiá-los a serem voz ativa no desenvolvimento glocal”. A adesão de Alfândega da Fé foi

34

público bem como no acesso a todos os serviços municipais. O mesmo projeto contempla uma vertente que visa derrubar as barreiras psicológicas e para o efeito diversas ações de informação e sensibilização.

Permissas: - Assumir o Compromisso Local; - Comunicar para o Desenvolvimento; - Promover um Território de Oportunidades; - Criar uma economia inclusiva; - Gerir o Ambiente Urbano.

formalizada com a assinatura da Declaração de Compromisso Glocal, no dia 4 de março. Um documento onde estão expressos os compromissos e metas a atingir para promoção e construção de um futuro mais sustentável. A adesão a este projeto vai contribuir para o desenvolvimento de políticas, programas e serviços que vêm fortalecer o papel municipal no desenvolvimento sustentável, dando

continuidade e reforçando o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido. Já está constituída uma equipa, formada por técnicos do município, que vai acompanhar todo o processo e receber formação nas áreas que compõem as 5 metas. Também vai ser realizado um diagnóstico e desenvolvimento de um plano de ação específico para cada município.


obras

obras CANDIDATURAS Mesmo em tempo de crise e escassos recursos financeiros o executivo camarário decidiu que o concelho não pode parar e muito menos o investimento em prol da preservação e valorização do património, melhoria das infraestruturas, criação de equipamentos que sirvam as necessidades da população. Conseguindo uma comparticipação de 85% do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), foram aproveitadas todas as oportunidades para fazer obra no município com a ajuda muito significativa dos Fundos Europeus.

Projeto de Requalificação do Centro Urbano

Graças a um programa de requalificação destinado a vilas e cidades de média dimensão, foi possível requalificar o núcleo central da vila, sede de concelho, tornando-a mais atrativa e moderna e criando espaços públicas com incontestável qualidade. O projeto foi financiado em 85% e representa um investimento na ordem de 1,350 milhões de euros.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 35


Criar serviços que localmente possam dar resposta às necessidades da população mais idosa, garantindo dignidade e qualidade nos cuidados de que precisam, sem ter de os obrigar

a abandonar as aldeias onde sempre viveram, foi o princípio subjacente à criação dos mini-lares em Gebelim e Parada. Ambos os equipamentos resultam da recuperação das antigas escolas primárias e com isso evita-se a degradação de um património representativo para cada uma das freguesias. Estes projetos são promovidos por Instituições Particulares de Solidariedade Social, com o apoio tecnico e financeiro da

Cãmara Municipal. O investimento é de 400 mil euros, em cada um dos equipamentos, financiado em 90% através de Fundos Comunitários (PRODER) e do Fundo do Sabor, assegurando o municipio os restantes 10%. As obras já foram submetidas a Concurso Público, o arranque dos trabalhos vai acontecer antes do verão. O prazo de execução destes equipamentos é de dois anos.

Entrada Poente (cemitério)

Com o objetivo de conseguir melhor mobilidade e facilidade de circulação, ao mesmo tempo que se requalificou um espaço tornando-o mais atrativo, que representa uma das entradas na sede de

concelho, foram realizadas obras de requalificação na entrada poente da zona do cemitério, representando um investimento de 350 mil euros, comparticipado em 85% com Fundos Comunitários.

Mini-Lares em Gebelim e Parada

36


“Sambade Aldeia Tecnológica e Turística” é o nome de uma candidatura que tem como principal objetivo preservar e requalificar os edifícios da antiga Casa do Povo e Escola Primária da freguesia, dandolhes novas utilizações e colocandoos ao serviço da população e visitantes. No fundo trata-se de criar

obras

Sambade Aldeia Tecnológica e Turística

as condições para dinamizar turística e culturalmente a aldeia, valorizando a história e tradições locais através do recurso às novas tecnologias da comunicação e informação. Um investimento de cerca de 350 mil euros, financiados em 85% pelo PROVERE. Os projetos já estão concluídos, as obras devem começar até ao final do ano.

Antiga Escola Primária transformada em Centro Casa do Povo dá lugar a Centro Cultural Interpretativo Tecnológico As obras prevêem a transformação da antiga escola primária em Centro Interpretativo do mundo rural. Tratase de um espaço museológico onde vai estar retratada a história, cultura e tradições locais com recursos às novas tecnologias. Um museu dinâmico que vai permitir ao visitante conhecer as gentes, os usos e costumes de Sambade.

O edifício da Casa do Povo vai ser transformado num espaço multiusos, com as condições necessárias para a realização de eventos culturais, ações de formação e promoção local. Neste Centro Cultural vai também ser disponibilizado o acesso à internet e a um fundo documental, criado para o efeito.

Recuperação da Capela da Legoinha Está aprovado e preparado para a fase de execução o projeto de recuperação da capela de Legoinha. A intervenção incide na recuperação do templo e restauro das pinturas murais, e na criação de um centro interpretativo da Rota Turística Cultura Pinturas da Fé, que o executivo camarário pretende implementar no concelho. A intervenção está avaliada em 125 mil euros, financiada em 90% pelo fundo Baixo Sabor.

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 37


Estradas Municipais A rede viária interna foi alvo de uma candidatura ao programa ON 2 (Novo Norte), beneficiando de diversas obras de requalificação, o que contribui para a melhoria das condições de circulação no concelho e para a promoção da coesão territorial. Obras financiadas em 85% com fundos comunitários. Um investimento de 3 milhões de euros. Soeima/Vila Nova/Gebelim - 1 milhão de euros Picões/Ferradosa/Sendim da Serra - 1 milhão de euros Vales – 500 mil euros Colmeais – 500 mil de euros/Intervenção a iniciar

38


obras

Administração Direta Mesmo sem apoio externo, recorrendo unicamente ao parco orçamento municipal, o atual executivo tem conseguido realizar obras de pequena e média dimensão, que vão de encontro às necessidades da população. São intervenções que resultam de uma avaliação só possível de fazer graças à política de proximidade adotada, que permite identificar os problemas e resolvêlos. Um trabalho feito a pensar na qualidade de vida e bem-estar dos munícipes, sempre em parceria com as respetivas Juntas de Freguesia. A autarquia investe em termos médios anuais 900 mil euros em obras feitas por administração direta: materiais de construção, mão-de-obra e aquisição de alguns serviços.

Arranjo do Centro da Aldeia (Em execução)

Felgueiras

Agrobom Calcetamento do Largo da Capela

Calcetamento das entradas Sul e Norte da Aldeia

Melhorias no depósito de água

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 39


Cerejais

40

EUCÍSIA

Alargamento do Cemitério

Construção da Casa Mortuária

Pequena Intervenção na rede de Saneamento e Calcetamento em várias zonas da Freguesia

Restauro da Capela do Mártir São Sebastião

Construção de Muro de Suporte

Melhoramentos na EM-587 (Drenagens e pavimentações)


Ferradosa obras

Santa Justa

Calcetamento da Rua dos Guerras (a executar)

Requalificação da entrada da aldeia

Picões Pavimentação do largo da aldeia

Gebelim Arranjo Exterior da Capela nova de Picões

Arranjo dos Acessos às Habitações

Alargamento da Ponte da rua do corguinho e respectiva asfaltagem

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 41


Lar de Idosos (A Construir)

Restauro da Igreja Matriz

Beneficiação do Coreto e Construção do Bar de apoio à Festa

Arranjos na Casa da Junta

Gouveia

Reparação dos Tanques de Lavar da Gouveia

42

Cabreira

Construção da Casa Mortuária


obras

Pombal

Alargamento do Largo

Reparação da Estrada Municipal CM1151 - Pombal/ Alfândega da Fé

Melhoramentos na Capela

Calcetamento da Rua de Acesso à ETAR

Parada Colocação de raides de protecção

Lar de Idosos (A Construir)

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 43


Saldonha

Reparação dos Tanques de Lavar da Saldonha

Arranjos da Entrada da Aldeia

Calcetamento de vários arruamentos

Arranjos exteriores à envolvente da Igreja de Sendim da Serra

Sendim da Serra

Arranjos exteriores da capela Nossa Senhora de Jerusalém em Sendim da Serra

44

Sendim da Ribeira

Arranjos exteriores à envolvente da Igreja de Sendim da Ribeira


obras

Sambade

Alargamento de arruamentos

Arranjo urbanístico da entrada norte de Sambade

Construção de um muro junto à Igreja

Pavimentação do Bairro Novo

Arranjo dos tanques de lavar

Adaptação da sede da Associação para a realização de ensaios dos Grupos de Cantares e Bombos

Restauro das capelas de Nossa Senhora do Rosário e de Santo António

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 45


Soeima

Pavimentação da envolvente ao Centro Social e Paroquial de Sambade

Criação de uma variante à EM-576 para facilitar a passagem do trânsito no meio da Aldeia

Sardão Construção de ramais de saneamento

Alargamento da Praça

Arranjo de caminhos (a executar)

46

Adaptação da Escola em Centro de Lazer


Valpereiro obras

Vales

Calcetamento do Adro da Igreja

Melhoramentos de vários arruamentos

Reparação dos Tanques de Lavar

Aquisição de uma Paragem de Autocarro

Valverde Calcetamento e vários Arruamentos

Recuperação da Escola Primária

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 47


Ligação do Saneamento à ETAR - Electrificação e Vedação

Vilarchão

48

Aquisição de Balança

Vilarelhos

Ampliação do Cemitério

Melhoramentos da Rede de distribuição de água

Melhoramento e ampliação da Rede de Bocas de Incêndio

Muro de Suporte


obras Arranjos na zona da Barragem

Melhoramentos da Rede de distribuição de água

Pavimentação

Melhoramento de Caminho Agrícola

Vilares da Vilariça Beneficiação da Escola para sede de Associação (a fazer)

Construção de Muros de Suporte

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 49


Colmeais

Demolição de Casa devoluta

Arranjo do Adro da Igreja da Aldeia do Castelo

Alfândega da Fé Construção de Muro de Suporte

Alfândega da Fé Castelo Arranjo Urbanístico da Envolvente à Capela da Misericórdia de Alfândega da Fé

Calcetamento do Largo de acesso à ETAR

50

Construção da cobertura da Escola Básica de Alfândega da Fé


obras Apoio à instituição LEQUE com mão-de-obra na recuperação do futuro Lar Residencial

Requalificação das Piscinas da ARA

Pavimentação de ruas no Bairro das Penedras (Rua de S. Pedro e Rua Capitão Mendonça)

Alargamento da Zona Industrial

Recuperação das casas da Santa Casa da Misericórdia de Alfândega para habitação social

Apoio nas obras da Escola Secundária de Alfândega da Fé

Arranjos Urbanísticos da Zona Envolvente do Miradouro do Castelo

Apoio à Coop. Agrícola na “remodelação de espaço para criação de linha de embalamento de azeite”

ALFÂNDEGA EM REVISTA

| 51


Município de Alfândega da Fé

Rua Camilo Mendonça 5350-045 Alfândega da Fé

Telefone // 279 468 120 | Fax // 279 463 132 E-mail // gabinetepresidencia.cmaf@gmail.com

ALFÂNDEGA DA FÉ EM REVISTA  

Introduzimos na gestão do município fortes medidas de poupança, procurámos sinergias na sociedade civil e nos organismos que a representam,...

ALFÂNDEGA DA FÉ EM REVISTA  

Introduzimos na gestão do município fortes medidas de poupança, procurámos sinergias na sociedade civil e nos organismos que a representam,...

Advertisement