Page 1


ÁGUA BRUTA É O TERMO DADO POR CONCESSIONÁRIAS PARA A ÁGUA MAIS PURA ENCONTRADA EM NOSSOS RECURSOS NATURAIS. AQUELA QUE NÃO PASSOU POR TRATAMENTO ALGUM. DA FONTE PARA AS INDUSTRIAS. DO PRIVADO, PARA O FENÓTIPO DOMINANTE, O BRANCO, PROPRIETÁRIO DA CONCESSIONÁRIA. ÁGUA BRUTA ESTÁ NO “NÃO LUGAR” DE AUGÉ. MAS ESTÁ NO LUGAR CÍCLICO, DO TEMPO E DA GRAVIDADE. O HOMEM E A MULHER, A TERRA E O CÉU, AS PEDRAS E AS FORMAS ORGÂNICAS. A REUNIÃO DE ELEMENTOS QUE FORMAM O HUMANO, SE ENCONTRAM NO LIMITE DA DESTRUIÇÃO E DA TRANSMUTAÇÃO, NO LIMIAR DA CONSCIÊNCIA E A SOMBRA NA MAIS ALTA BRUTALIDADE. ÂNIMA E ANIMUS NEGATIVOS E POSITIVOS. DE FRENTE E DESLOCADOS UM PARA O OUTRO. PARA DISCUTIR AS FRONTEIRAS ENTRE O REAL E IRREAL, O HUMANO E PÓS-HUMANO, AS TRANSFORMAÇÕES TECNOLÓGICAS, E A PRÓPRIA NATUREZA VIVA E MORTA, DEVO DIZER QUE 12 IMAGENS ESTÃO HACKEADAS COM O EXIF MODIFICADOS. POSSIVELMENTE TERÃO DIFICULDADES PARA CONFIRMAR A VERACIDADE NAS INFORMAÇÕES DAS IMAGENS. ESTA PRÓPRIA MODIFICAÇÃO NOS DADOS É A OBRA. O USO DE DADOS PARA VIGILÂNCIA DA INTERNET, A VERACIDADE DA INFORMAÇÃO NA ERA DIGITAL, AS CAPACIDADES TECNOLÓGICAS, E O RESULTADO DE IMAGEM OBTIDO, SÃO AS “CONSTATAÇÕES” LEVANTADAS. ASSIM, UTILIZO A ÁGUA COMO ELEMENTO PARA TRATAR DAS TRANSFORMAÇÕES DO MUNDO. ATRAVÉS DELA, VIAJO ENTRE A ÁGUA BRUTA ENCONTRADA NOS RIOS E FENDAS DA CHAPADA DIAMANTINA, E A ÁGUA DESCONHECIDA, ENCONTRADA NUMA FONTE PÚBICA QUE FOI DESCOBERTA EM 1808 PELOS JESUÍTAS, EM SALVADOR. ANTES UTILIZADA POR ESCRAVOS, HOJE UTILIZADA POR MORADORES DE RUA. OS MODELOS E AS MODELOS, SE MISTURAM E SE CONVERGEM ENTRE USUÁRIOS DE CRACK, NATIVOS, E PASSANTES TRAZENDO COMO QUESTIONAMENTO: QUAL É O LUGAR DE CADA UM?

VINÍCIUS LEONEL Fotógrafo e Comunicólogo, Vinícius trabalhou com Elza Soares, Vicente Barreto, Kastrup, Gal Oppido e outros artistas. É bacharel em comunicação social e pós-graduado em mídia, informação e cultura na USP. Na fotografia, teve como mestres Gal Oppido, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, Chris Paiana na formação de Fotografia Documental pela Oswaldo de Andrade, e Silvio Devareck no Sesc SP. Recentemente teve uma foto destacada na programação do BIMHUIS, maior casa de Jazz de Amsterdam. Também participou de alguns sarais e exposições independentes. Como método, o artista faz uma imersão no local de pesquisa para criar uma relação da imagem com a própria intimidade local. Trata os objetos da cena como seres vivos. Dá vida à rua, ao mato, à margem, e a qualquer não lugar.


SALVADOR, 42 A NOS, F LUENTE E M 8 IDIOMAS, M ESTRE DE CAPOEIRA ANGOLA H Á MAIS 2 6 ANOS. AULAS NO BRASIL E FILHAS COM A MÃE. BRIGOU COM A FACÇÃO JAPONESA E FOI EXPULSO DO PAÍS. USUÁRIO DE CRACK E MORADOR DE RUA. TOMA BANHO NO A GUADEIRO DA CAIXA D’AGUA O AGUADEIRO EDIFICADO PELOS JESUÍTAS EM 1808, FORA U TILIZADO P OR E SCRAVAS PARA L EVAR Á GUA AOS IMPERIALIS TAS DA REGIÃO. ANOS D EPOIS, S ALVADOR SE T ORNA A PRIMEIRA CIDADE A RECEBER SANEAMEN TO BÁSICO NO P AÍS.


ÁGUA BRANCA Água Branca é uma comunidade localizada na zona oeste de São Paulo, cujo nome é dado por conta do córrego que deságua no Rio Tietê. Os moradores que antes abrigavam em barracos de palafita, hoje sofrem com as remoções forçadas e o descaso do poder público. Além da pressão de instituições e empreendimentos com interesse imobiliário, os moradores tem na memória desastres como enchente, incêndio, remoção truculenta e entulhos abandonados no Rio. Desde 2010 existe uma perspectiva para criar um parque linear que retorna à comunidades, áreas de lazer e qualidade de vida. Porém, está em trâmite também a canalização do córrego, ignorando deste modo, toda a vida dos peixes e aves que ali vivem. Neste breve ensaio, há o registro de como osmoradores e movimentos sociais, criam alternativas e ações para provar que o Rio é de extrema importância para a comunidade e que ali há algum sentido para continuar vivendo.


Dona Sonia, 57 anos, pernambucana e moradora da comunidade há 7 anos, veio para São Paulo para cuidar do Pai, e acabou por cuidar das margens do Rio. Uma das poucas moradoras que age de modo autônomo, D. Sônia planta bananeiras e hortaliças para mostrar que a vida ali existe. Com botas largas e cores de heroína, a mulher recolhe manualmente os lixos que impedem o crescimento de seus plantios.

A moradora tem uma briga constante com a prefeitura, que alega ser danoso para o bairro, o plantio das bananeiras, já que existe perigo de desbarrancar a rua que faz beira-rio. Ela diz: “Eu planto minhas bananeiras, e eles vem e cortam. A gente vai ficar numa briga eterna, pois, não vou parar de plantar enquanto estiver viva”.


É sob ordem da secretaria do meio-ambiente e da gestão de operações urbanas, que Amral, Jorge e Daniel, realizam com uma recorrência duvidosa a manutenção do Rio. A equipe, que vem de São Miguel Paulista, retira matos, entulhos e lixos que ali encontram. Também cumprem as ordens do estado para remover as bananeiras de D. Sonia. Trabalham pelo menos 6h por dia, e recebem o mínimo numa extensão de 1km.


Com o incoerente nome de Água Branca, o rio, ou o tão sonhado parque permite que crianças e adultos ainda pesquem Trutas no rio. O peixe, que serve de refeição para a família, corre risco de contaminação. A comunidade que ainda tem uma nascente nas vielas, hoje é impedida de nadar e aproveitar mais daquela água, pois, empresas dejetam lixos direto no local. Com 4 milhões travdos pelo poder público, nenhuma ação além da manutenção de limpeza é feita para criar uma participação social que oriente as famílias a deixar de jogar no local. Ou ainda, nenhuma ação é feita para criar uma horta comunitária que esteja longe de riscos de doenças. Hoje, a garça que vive há mais de 10 no local, divide seu espaço e sua água com o esgoto dos prédios que a cercam e com as árvores que ainda respiram.


CONTRA CAPA

Profile for Vinícius Leonel

Água Bruta - Fotolivro - Vinícius Leonel  

Neste fotolivro, reúno uma série de 3 ensaios que traz a água como fio condutor de assuntos pautados por ativistas ambientais e tecnológicos...

Água Bruta - Fotolivro - Vinícius Leonel  

Neste fotolivro, reúno uma série de 3 ensaios que traz a água como fio condutor de assuntos pautados por ativistas ambientais e tecnológicos...

Advertisement