Page 32

28

temperinho então... hum! Uma delícia! Bom demais! Muito bom! Comeu tudo, falou: – Muito bem, a melhor comida do mundo é realmente muito boa. Agora, Exu, que eu já provei da melhor coisa que tem no mundo, você faz um favor pra mim, você vai lá no mercado e compra a coisa mais ruim que tem nesse mundo que eu vou comer também. Porque se eu já comi do melhor, agora eu vou comer do pior! Quero saber o que tem de mais gostoso e o que tem de mais ruim! E Exu foi. Andou, andou, andou, andou, andou, andou... ele já tinha comprado a coisa mais gostosa do mundo que era língua de boi e agora então o que ele comprou? Exu comprou língua de boi! De novo! E levou a língua de boi pra casa, chegou lá, preparou a língua, colocou uns temperos, preparou, preparou, preparou... pôs no forno pra passar, e aí foi assando, foi assando, foi assando... Mas não cheirou muito não, dessa vez não cheirou não! Aí ele colocou no prato, na mesa, e Obatalá olhou aquele trem assim: – Oh, Exu, esse negócio tá meio parecido com aquele negócio que você me serviu antes, que era o mais gostoso, não tá não? Exu falou: – É sim, tá parecido, mas eu não gostaria agora de exprimir a minha opinião, eu gostaria que o

senhor comesse esse prato. Exu muito sério, falou muito sério. Obatalá até estranhou, porque ele não era de falar sério assim não. – Bom, vou comer. Comeu. Pegou o primeiro pedaço e, quando ele pôs o primeiro pedaço na boca... Ah, tava ruim demais! Mas ruim demais da conta! Ele não aguentou nem comer, jogou o negócio fora. Foi muito ruim. Aí ele falou assim: – Oh, Exu, você me trouxe o prato mais gostoso que é a língua! Muito bom, muito bom, a melhor comida do mundo. E o que é isso aqui que é a pior comida do mundo, Exu? – Uai, Obatalá, isso aí é língua, de boi. – Língua de boi também? – É, Obatalá, isso aí é língua de boi! Obatalá não entendeu nada, vocês estão entendendo alguma coisa? O melhor prato do mundo é língua de boi. O pior prato do mundo, língua de boi. E aí foi que Exu deu a ideia. Ele disse o seguinte: – Olha, Obatalá, você me pediu pra trazer o melhor prato do mundo e eu trouxe língua de boi. Você me pediu o pior prato do mundo, eu trouxe língua de boi. Porque a língua pode ser muito boa, dependendo da forma como você usa. Se você usar ela, temperar ela, botar um tempero ruim, a língua vai ser ruim. Se você botar um tempero bom, a língua vai ser boa. E aí Obatalá descobriu o seguinte: que tem muita coisa boa no mundo, mas também pode ter muita coisa ruim, dependendo do jeito que você usa. E, olha, é o seguinte! Eu contei minha história! Entrei por uma porta e vou sair pela outra, quem quiser que conta outra! Contada por Lorena Anastácio e Vinícius Moreira em 201 4, na comunidade quilombola de Murumurutuba, Santarém /Pará/Brasil.

ORIXÁS CABOCLOS E ENCANTADOS  

Livreto de histórias resultado do projeto "Laroyê!: a magia dos orixás dos terreiros às escolas" realizado por Lorena Anastácio e Vinícius D...

ORIXÁS CABOCLOS E ENCANTADOS  

Livreto de histórias resultado do projeto "Laroyê!: a magia dos orixás dos terreiros às escolas" realizado por Lorena Anastácio e Vinícius D...

Advertisement