Issuu on Google+

ANO 3 nº 39 - Outubro 2008

E FATOS

Editorial: O mês de outubro está começando e com ele o espírito alegre da eterna criança que ainda existe dentro de muita gente. E já que é assim, o Vias e Fatos acordou algumas crianças que já cresceram para contar como era o tempo de infância antes da era digital. Temos vários depoimentos, inclusive do Calvache, colaborador da T.I. que se divertiu com a “brincadeira”. “Vou-me teleportar pra um momento de nostalgia”, disse ele, antes de resgatar o passado em seu “motocão”, brinquedo predileto na infância! Aproveite esse momento e reviva a criança que existe dentro de você! Confira também a cobertura da Semana Nacional do Trânsito da Colinas com a retomada do teatro A Viagem, especialmente para essa comemoração. Muita gente grande fez de tudo para que essa semana fosse um sucesso. O espaço foi aberto aos filhos de funcionários, que vibraram com as atividades. Boa leitura!!

Calvache - TI: Hoje mantêm a criança viva com a sua Guitar Hero!

Cesar-Comunicação: Hoje tem paixão pelos carrinhos Hot Wheels

Semana Nacional do Trânsito Pág. 07

Mais, muito mais Responsa-Habilidade em Duas Rodas A Colinas complementou a campanha ResponsaHabilidade em Duas Rodas com a criação de painéis, folders e displays para as cancelas das praças de pedágio com mensagens de alerta sobre as boas práticas no trânsito. Tudo para fortalecer a atenção dos motoristas, usuários das rodovias, em relação aos motociclistas que trafegam pelo trecho concedido e com o objetivo de reduzir o índice de acidentes. Os pontos de instalação dos banners foram selecionados estrategicamente ao longo das rodovias SP-075, SP-300 e SP-280. Ao todo somam 40unidades. A distribuição dos novos folders confeccionados será feita até o mês de novembro nas praças de pedágio de Indaiatuba e Itupeva.

A PMRv – Polícia Militar Rodoviária - tem participação importante nessa ação, pois, juntamente da concessionária, realiza as blitz periódicas para conscientização dos motociclistas. As motocicletas são averiguadas pelo policial militar enquanto funcionários da concessionária atuam como agentes educadores na entrega de folders com alerta e dicas de segurança e colagem de adesivo refletivo em capacete e no veículo. A fim de atingir mais motociclistas, a concessionária cadastrou as empresas de serviço de entrega rápida (moto boy) das cidades focadas pela ação para a realização gratuita de palestras educativas. Com essa ação, a concessionária Colinas espera sensibilizar os motoristas e chegar a redução das ocorrências com mortes nas rodovias sob sua concessão. Distribuição de folders aos usuários

Cancela do pedágio com display da campanha

Painel na rodovia com mensagens de alerta


Colinas doa radares e bafômetros para a Polícia Militar Rodoviária e DER

Se você foi uma criança peralta, ao ler o título dessa matéria poderá lembrar de uma outra versão dessa canção que diz assim... “Criança feliz! Quebrou o nariz! Foi pro hospital, comendo mingal...”. É... a idéia dessa matéria é essa mesma: tirar dos rostos dos nossos leitores um sorriso saudoso ou quem sabe ainda um “ar de interrogação” como quem nem lembra mais da brincadeira...

A Colinas realizou no dia 03 de setembro a cerimônia de entrega de dois radares móveis e três bafômetros para a PMRv – Polícia Militar Rodoviária e DER – Departamento de Estradas de Rodagem. Na ocasião, o Tenente Coronel PM Ramiro de Oliveira Domingos agradeceu a doação dos equipamentos feita pela Colinas e ressaltou a importância da parceria que existe entre a concessionária e a PMRv. “A doação irá possibilitar a intensificação da fiscalização que tem por objetivo a segurança dos usuários das rodovias”, afirmou o Coronel.

Demostração do funcionamento do bafômetro

Com essa doação, as rodovias SP-075, SP-127, SP-280 e SP-300, trechos sob administração da Colinas, passaram a ser monitoradas pelo DER através de quatro radares móveis, além dos outros quatro fixos já existentes. A Polícia Militar Rodoviária, por sua vez, passou a contar com cinco bafômetros para fiscalização nessas mesmas rodovias. A cerimônia de entrega foi realizada às 10h na base da PMRv, localizada no km 60 da SP-075, rodovia Santos Dumont, região de Indaiatuba. Confira os fotos.

“Criança feliz! Feliz a cantar! Alegre a embalar seu sonho infantil...”

Em homenagem ao dia 12 de outubro que já está chegando, o Vias e Fatos fez uma breve retrospectiva com alguns colaboradores com a perguntas: Do que você brincava quando criança? Ou, Qual era a sua brincadeira preferida? Bem, se você nunca brincou com vídeo game não se sinta um jurássico! Pois, nem mesmo o super vidrado em tecnologia, nosso colega Calvache da área de T.I. brincava.

SD PM Tanaka, CB PM Carvalho e SD PM Ribeiro

Há pouco mais de dez anos, as brincadeiras não incluíam computador e vídeo game, no máximo um fliperama como contou o Scarano, coordenador das praças de pedágios de Rio Claro e Rio das Pedras. Mas nessa época tinha corda pra pular, pic-esconde, passa-anel, mocinho e bandido, médico, saquinhos de areia, unha-na-mula, salada-mista, quadrado (e não era esse de agora!), bate-caixão, taco, mãe da rua, corre-cotia, entre outras brincadeiras, sadias, criativas e muito gostosas. Veja abaixo se você se identifica com algum dos nossos colegas e divirta-se!

Nelson Bossolan, Abrão Razuck e Mauro Szwarcgun

FranciscoPires, 1ºTEN PM Croco e 2º TEN PM Edinaldo

Carlos Alberto Calvache – T.I. : Nem ouvia a própria voz com os personagens do ‘Comandos em Ação’”

Jornalistas: TV Rede Vida, Rádio Globo/CBN e Correio Popular

José Alayon e Percival Magalhães

“Eu tinha um ‘motocão’ estilo ‘velotrol’ (tem algo mais oitentista do que isso? risos), o qual apelidei de ‘Toc-Toc’. Com um pouco mais de idade, na época do ‘Comandos em Ação’, não brincava de outra coisa! Era comum passar o dia inteiro sem falar com o tom da minha própria voz, pois cada boneco tinha sua personalidade, voz e características próprias. Talvez por isso hoje me pego imitando um amigo quando conto uma história. Eu e meu irmão mais velho fazíamos grandes bases militares para os comandos e a mesma aventura levava semanas”


Roberto Santos - Engenharia: “Tatulão” desenhava e queria ter uma caixa de lápis de cor 36 cores.

Alfredo Gradilone Neto – Manutenção: Desmontava bicicleta pra montar de novo! “Na verdade eram duas as brincadeiras prediletas: Andar de carrinho de rolimã e bicicleta. Minha infância foi ótima sem estes jogos eletrônicos e internet, aprendi a construir meus próprios carrinhos com capota, lanterna, freios feito de pedaço de pneu, pintura e etc, consertar e quebrar (lógico) a bicicleta e se talvez existisse algo moderno na época, continuaria a fazer as mesmas coisas só que com tecnologia”.

Carlos Alberto Dai Scarano – Pedágio: Empinava papagaio, nadava na represa e gastava a mesada no fliperama! “Quando criança, eu gostava de andar de bicicleta, nadar na represa, jogar bola e de outras brincadeiras de rua. Saía de casa com meu tênis no pé, por exigência dos meus pais, mas ao chegar à rua já os tirava e jogava nos ombros. Juntava uma turma no verão para nadar na represa. O parente de alguém, que virava o monitor, saía de casa em casa para juntar a criançada. Já nos meses de janeiro e julho os encontros aconteciam num morro que não tinha árvores e nem fios elétricos, e então empinávamos papagaio. Tinha um gramado extenso para jogar futebol, fubeca, taco e na calçada da praça que era uma descida andávamos de carrinho de rolimã, que era feito por nos mesmos! Embora não fosse a era digital, havia os fliperamas e o pimbol. Eu gastava quase toda a minha mesada neles. Tirando a parte de conhecimento e informação que as crianças de hoje obtêm nos computadores considero que a minha infância foi muito melhor do que a das crianças de hoje. A infância de hoje é um pouco prisioneira de suas casas e colégios. Eu fui um moleque de rua e de pé descalço, no bom sentido”!

“Eu desenhava! Copiava os gibis, que conseguia emprestado, do Capitão América, Homem de Ferro e Speed Racer. Usava o lápis de cor dos colegas. Meu sonho era ter uma caixa de 36 cores. Aos sete anos ganhei um concurso realizado pela escola em parceria com o jornal A Tribuna de Santos. O prêmio era uma viagem de navio para o Rio de Janeiro, mas meu pai não me deixou ir... então aos 15 anos ajudava meu pai na barraca da praia e ficava observando a galera do surf toda tatuada... não deu outra, montei minha máquina e passei pintar o corpo dos amigos. A primeira “tatu” foi uma caravela... Minha infância não foi fácil, muito menos digital. Meu primeiro vídeo game veio aos 19 anos.”

Suzete Roveri – R.H: O quintal de plantas virava floresta e o desfile de moda tinha que ser com a roupa da mãe! “Muitas brincadeiras eram na rua e envolviam meninos e meninas, tipo queimada, escondeesconde, pular corda, bicicleta e outras brincadeiras de bola. Mas também brincávamos dentro de casa, de escolinha, de loja, de desfile de modas, preferencialmente com roupas e sapatos das mães e assim por diante. Se fosse um quintal cheio de plantas, imaginávamos uma floresta, acampando, fazendo fogueirinhas para brincar de comidinha, etc. Até a lição de casa era na base da brincadeira com diversas amigas juntas. Também brincávamos de casinha com as bonecas e passávamos boas horas de diversão, inventando e imaginando situações que as crianças de hoje nem imaginam o quanto eram agradáveis. Hoje as crianças brincam com ‘coisas’, objetos ou jogos já criados por alguém e pré-determinados. Lembro que na época nem a TV tinha tanta importância”.

Cesar Augusto Ferrari – Comunicação: Gostava mesmo era de andar no super Lafer! “Sempre gostei de carros, motos, essas coisas. Na infância ganhei um MP Lafer, da Brinquedos Bandeirante, uma febre na época e depois um triciclo. Adorava brincar com eles. No mais, jogava bola, como a maioria das crianças, mas gostava mesmo era de carros. Hoje até faço coleção de Hot Wheels. Lembro que o Attari era o vídeo-game da época. Até cheguei a jogar o do meu tio, mas não ligava muito. Acho que a era digital não fez falta, mas se fosse criança hoje, não viveria sem ela”.

Desenho da década de 70 - “Minha primeira tatoo foi uma caravela”

Agora que você cresceu e já é pai ou mãe de família aguarde a chegada do dia 12 para levar pra casa um brinquedo e relembrar com seu filho essa fase tão boa!

3


Problemas? “Só os matemáticos”! Ele tem dois meses de casa, mas já está no grupo há algum tempo, desde o início da construção do terminal rodoviário de Campinas, considerado pelos especialistas da área como um dos mais bonitos e modernos terminais do Brasil. E no setor de concessão de rodovias ele está há mais de dez anos! Nelson Bossolan chega à Colinas como Diretor Executivo, carrega na aparência um ar sereno e nas costas uma bagagem de experiência. Mas, além disso, traz também a energia renovada, típica de quem inicia um novo desafio. Na Colinas, ele diz ter encontrado a característica “ponto forte” na equipe de trabalho. Conheça um pouco sobre o nosso mais novo integrante.

No ano passado, Nelson foi convidado pela CIBE a Nascido em São Carlos, cidade conhecida como capital da

integrar sua equipe e trabalhar na construção do terminal

tecnologia e localizada bem no meio do mapa do Estado de

rodoviário de Campinas. “Para mim a obra foi um grande

São Paulo, Nelson Segnini Bossolan, 44, cresceu mesmo

desafio profissional e também ofereceu muita satisfação

foi na capital. “Época que ainda era possível jogar bola na rua

pessoal, pois além de ter sido executada em um prazo

e andar a pé à noite no centro da cidade, sem medo se ser

relativamente curto, a obra atendeu a grande expectativa

assaltado ou seqüestrado”, lembra.

que a população campineira tinha e pela qual esperou muito tempo”, revela.

Porém, na juventude, retornou à cidade natal para cursar a faculdade de Engenharia – USP. A opção teve origem na

“Ficava mesmo fa

infância. “Sempre via meus tios, estudantes de Engenharia Civil na ocasião, reunidos até tarde da noite para discutir

Agora

seus problemas escolares. Achava aquele ambiente alegre,

outro desafio. Além de considerar a

na

Colinas,

Nelson

encara

até mesmo divertido. Ficava fascinado com as operações

concessionária caçula como mais um

matemáticas que eles faziam com o instrumento da época,

local de aprendizado, ainda a considera

chamado régua de cálculo”, comenta Nelson, referindo-se ao

como “um referencial entre as demais

instrumento com certa nostalgia. “A régua é avó das nossas

concessionárias do Estado, devido à

calculadoras eletrônicas!”, exclama.

equipe multidisciplinar que pode atuar em concessões rodoviárias, programas

Ora, quando Nelson ingressou à faculdade, a famosa régua

de saneamento e energia, tamanha a

de cálculo “já fazia parte do museu”, mas foi na época dela

competência”. Em sua análise a equipe é

que seu fascínio pela engenharia havia se transformado em

o ponto forte da concessionária.

vocação. Tanto que, segundo a engenheira Thaís Escobar

operações mate

eles faziam com um

época chamado ré

avó das nossas atu eletrôni

que trabalhou diretamente com ele na edificação da rodoviária

“Não estão previstas mudanças na Colinas, mas sem

de Campinas garantiu: “Nelson é um engenheiro de conteúdo

dúvida o grande desafio é melhorar ainda mais os bons

muito forte; de engenharia ele sabe muito!”.

resultados obtidos ao longo destes anos, sejam nas áreas de Operação, Engenharia ou até mesmo Institucional”.

Nelson iniciou sua carreira trabalhando em empresas

Nelson ainda convida os funcionários a pensar na

de projetos e consultorias. Logo depois passou a atuar

concessionária citando o poeta Carlos Drummond de

diretamente com construção e trabalhava em empreiteiras,

Andrade: “... porque sou do tamanho daquilo que vejo, e

o que o levou a conhecer o Programa de Concessões de

não do tamanho da minha altura...”, ou seja, pensar grande

Rodovias e a ingressar na concessionária Centrovias, há

é o desafio!

mais de dez anos, na época da assinatura dos primeiros contratos.

4


Nelson fala com as crianças na Semana Nacional do Transito

O Grupo pensa grande! E na avaliação de Nelson, a perspectiva de oportunidades é o principal fator motivacional que move a organização, que vai desde os novos negócios até as possibilidades de atuação em outras áreas. E o ramo de concessão é promissor mesmo. “Foram anos de muito trabalho e dedicação por parte das concessionárias e também de muito sucesso, principalmente quanto aos níveis superiores de segurança e de qualidade oferecidos aos usuários quando

ascinado com as

emáticas que

comparados com as demais rodovias não concessionadas”. A análise de Nelson vai mais além quando

m instrumento da

o assunto é concessão e quando a mesma

égua de cálculo,

limite de investimento em infra-estrutura, por

uais calculadoras icas.”

atinge outros setores. “O Estado atingiu seu isso a iniciativa privada, através das parcerias público-privadas, vem suprindo esta ausência de forma eficiente e profícua, apresentando os resultados que um país do tamanho do Brasil já deveria ter atingido há muito tempo.” Dentro das atribuições profissionais, Nelson

também demonstrou habilidade com as crianças. No encerramento das atividades realizadas durante a Semana Nacional do Trânsito, no CCO – Centro de Controle de Operações -, ele conversou com as crianças que estiveram presentes e ainda as questionou: “Vocês sabem do que o adulto tem mais medo?”. Ao deparar-se com o sonoro “Nããão!” dos pequenos, respondeu: “De levar bronca de criança! Então pode chamar a atenção do papai ou da mamãe, se ao volante eles desrespeitarem as placas!”.

Os jovens também lhe inspiram motivação. Ele diz isso depois de também ter lecionado. “O convívio com jovens é gratificante, pois a efervescência típica da idade é bastante motivadora, nunca ficam totalmente satisfeitos, estão sempre em busca de respostas às suas indagações”, conclui o professor. Apesar de ter tido vários alunos, Nelson diz que nunca teve a oportunidade de trabalhar com algum deles. Mas ao saber que o engenheiro Joselito Rodrigues, seu ex-aluno, trabalhou na Colinas ficou bastante satisfeito. “Hoje ele está na Nascentes das Gerais, mas soube que ele teve destacada passagem pela Colinas, resultado de sua competência profissional”, disse o modesto professor. O Vias e Fatos fez uma linha direta com Minas Gerais e contatou o ex-aluno e quase companheiro de trabalho do nosso entrevistado. “O Nelson foi um professor muito bem quisto por todos os alunos. Sereno e objetivo, além de dominar muito a matéria, ele tinha didática. Fui aluno dele em 1995, no meu 5º ano de engenharia, quando ele substituiu com maestria o anterior dono da cadeira de Estruturas Metálicas e Madeira, na escola de Engenharia de Lins. Ele foi um professor exemplar, muito carismático e sabia transmitir seu conhecimento. Um tempo bom!”, revelou o agora colega de profissão Joselito. Nelson também deixou escapar, discretamente, o seu lado mais simples e divertido. Diz ele que “depois de arrancar todos os cabelos com as mãos” não lhe restou outra opção além da serenidade. Afirma também que “o Nelson de gravata é o mesmo de chinelo, só que no escritório”. Esse é o nosso novo Diretor Executivo! Seja muito bem vindo!

5


GINÁSTICA LABORAL – mais gente participando!

illo

da área de Segurança do Trabalho. O projeto piloto foi realizado

en

a Colinas implantou o programa de ginástica laboral, através

dor Augusto a c li

M

jornada de trabalho dos Operadores das praças de pedágio,

Mu ltip

Para assegurar a qualidade física e mental durante a

em março deste ano, em Boituva, onde a adesão foi bastante satisfatória. Para dar continuidade ao trabalho, funcionários foram treinados para atuarem como agentes multiplicadores na aplicação diária dos exercícios, que contribuem com a qualidade de vida dos operadores. A ginástica laboral foi implantada também na praça de pedágio de Indaiatuba, e ainda em outubro deve chegar na praça de Itupeva. “Não precisa suar a camisa, mas alongar faz toda a diferença e isso é percebido pouco tempo depois da prática diária dos exercícios”, comenta Vanderlei Canielli, Técnico de Segurança do Trabalho. Pedágio de Indaiatuba. Para prática da Ginástica laboral um agente multiplicador conduz a equipe

como, por exemplo, a troca das cadeiras das cabines que,

Dicas em situações gerais

muito contribui para a boa postura do funcionário.

Dicas de Postura Para realizar qualquer trabalho ou atividade, precisamos adotar uma “POSTURA” e com ela realizar todas as tarefas do dia-a-dia, consumindo pouca energia, sem cansaço e desgaste excessivo. Muitas vezes as pessoas

Quando sentado

2. Encoste as costas no encosto da cadeira; a

coluna se mantém reta e evita dores; 3. Se você trabalha horas sentado, alterne a postura e fique alguns minutos em pé;

POSTURA e nem reparam na maneira como

4. Não deixe os pés “pendurados no ar” ao

estão sentadas, posicionadas em frente ao

sentar-se, use um apoio para os pés;

pesos de forma inadequada e tantos outros

completamente apoiado no chão;

a frente;

não se esforçam para manter uma BOA

computador, como falam ao telefone, carregam

1. Suba a escada com a coluna ereta e o pé

1. Procure não ficar com os ombros caídos para

5. Procure alinhar-se com o eixo da cadeira sempre! Evite sentar-se “torto”.

movimentos que prejudicam o corpo. Desenvolver a “consciência corporal” ajuda a manter a BOA POSTURA e a corrigi-la quando necessário. Muitas das dores apresentadas pelas pessoas têm causas simples e podem estar relacionadas à MÁ POSTURA. Com o passar do tempo, a DOR CRÔNICA, conseqüência da MÁ POSTURA, poderá diminuir a qualidade de vida e prejudicar a

Na hora do descanso também é importante ficar atento às dicas 1. Não durma de bruços, prefira dormir de lado; 2. Procure dormir sempre de lado, com um

capacidade para realização das atividades

travesseiro não muito macio e que fique na

diárias.

altura dos ombros; 3. É aconselhável colocar um travesseiro ou

E para garantir um dia de trabalho mais

almofada entre as pernas, na altura dos joelhos

confortável seguem algumas dicas de BOA

em colchão semi-rígido, ou seja, de estrado

POSTURA:

firme, mas com uma camada superior macia; 4. Para relaxar, deite-se de barriga para cima, apóie a cabeça num travesseiro e eleve as pernas colocando abaixo dos pés mais dois travesseiros.

6

2. Ao vestir uma calça e calçar os sapatos, sente-se em uma cadeira ou na beira da cama, evitando dobrar o corpo; 3. Não faça torções do tronco e/ou do pescoço quando atender ao telefone; 4. Procure andar o mais ereto possível, sempre olhando acima da linha do horizonte; 5. Ao abaixar-se para erguer qualquer objeto do chão, flexione os joelhos e os quadris e mantenha a coluna sempre reta; 6. Ao carregar um objeto pesado mantenha o tronco ereto, mantendo o objeto o mais próximo possível do corpo; 7.Não carregue peso de um só lado do corpo; 8. Não deixe de fazer alongamentos antes de iniciar as atividades do dia-a-dia e tire alguns minutos por dia, durante a rotina de trabalho, para alongar seu corpo; 9. Não fique muito tempo em uma mesma posição; 10.Pratique pelo menos 3 vezes por semana alguma atividade física; 11. Procure não ficar acima do seu peso ideal.

Dra. Luciana Baldi G. dos Santos - Responsável pelo projeto de Ergonomia/SEGMED

A partir do laudo ergonômico, outras melhorias foram realizadas


“A criança e o Trânsito”

Semana Nacional do

TRÂNSITO

A Semana Nacional do Trânsito comemorada de 18 a 25 de setembro na Colinas foi um sucesso! Além da participação dos alunos de escolas municipais da rede pública, teve também a participação dos filhos de funcionários. O tema estabelecido pelo DENATRAN – Departamento Nacional do Trânsito - este ano foi “A Criança e o Trânsito”, e a programação foi desenvolvida especialmente para o público infantil. Até mesmo as ações que envolviam somente adultos como o Alô Caminhoneiro e o Responsa-Habilidade em Duas Rodas tiveram atividades que buscaram atender ao tema. Nessas duas ações, por exemplo, foram entregues folhetos sobre o transporte correto de crianças no banco traseiro. Os destaques dessa semana foram os dois dias de apresentação do teatro “A Viagem” em meio às visitas monitoradas ao CCO – Centro de Controle de Operações - Cidade Mirim – “Aprender Brincando”, do circuito de minibuggy e da exposição do canhão do Quartel Regimento Deodoro e ambulância da Colinas. Em Cerquilho a programação também contou com o circuito de mini-buggys e mais filmes educativos com a palestra “A Criança e o Trânsito”, no Ginásio Municipal de Esportes.

Outro destaque foi a participação dos colaboradores Wagner Porto Andrade e Alencar Grigonis da praça de pedágio de bloqueio de Indaiatuba com a sugestão de doação de antenas “anti-cerol” aos participantes da campanha voltada aos motociclistas, Responsa-Habilidade em Duas Rodas. A idéia foi boa, aceita pela Colinas e implantada na ação do dia 25 de setembro. Mais uma vez, a participação de colaboradores fez a diferença! ones

A

Greg lencar

Wagn er

Porto

Andra

de

A Colinas não pode deixar de agradecer o empenho das equipes de operações, engenharia, RH, manutenção e comunicação, que fizeram da Semana Nacional do Trânsito um sucesso! 7


PRINCIPIO DE INCÊNDIO É FOGO... ...Por isso a área de Segurança do Trabalho busca realizar ações de prevenção capacitando os colaboradores com a formação da Brigada de Incêndio, de acordo com a NR24 e IT 19 do Corpo de Bombeiros. Neste curso, os participantes aprendem os princípios de combate ao incêndio e também a atuar em casos de necessidade de primeiros socorros. Com esse treinamento os funcionários ficam aptos a evitar danos, a exemplo do Hideraldo, do PGF km 18 e do Welirson, do pedágio de Indaiatuba, que já atuaram em casos de princípio de incêndio. E assim como essa dupla quentíssima estampada aqui nesta edição, fizeram também os colaboradores José Donizetti, Hélio e o Adilson, do pedágio de Boituva, o José Carlos, do SAU1 e o Tiago, do pedágio de Rio Claro.

Hideraldo - PGF km 18

Welirson - Ped. Indaiatuba

Parabéns a todos pelo bom desempenho!

Nossos Artistas ANIVERSARIANTES

A “nossa artista” deste mês é a Harissa do CCO – Centro de Controle de Operações!! Para a próxima edição aguarde, pois, vários artistas serão revelados!!

DIA 1

=

+ Barbra Streissand (Artriz/Cantora)

Duplicação da

Jennifer Aniston (Atriz) Harissa (Líder do CCO)

SP075

As obras de duplicação da SP075 entre o km 36,6 e o km 38,8, rodovia Santos Dumont, região de Salto, estão se aproximando da fase final. Hoje, as frentes de trabalho estão executando serviços de pavimentação. O valor de investimento da duplicação é de R$ 11,3 milhões e o prazo de entrega está previsto para Janeiro de 2009 de acordo com o cronograma da ARTESP – Agência Reguladora do Estado de São Paulo.

LOCAL MANUTENÇÃO

1

ALINE MARIA SPATTI

PED. RIO CLARO

3

ALEXANDRE AP BATISTA COSTA

CCO

3

CRISLAINE AP S HELLMEISTER

PED. RIO CLARO

4

NELSON ALVES DOS SANTOS

MANUTENÇÃO

4

JANETE MARIA DAL BO RODRIGUES

PED. PORTO FELIZ

4

CRISTIANE AP TOMAZELLA

SAU 6

5

DANIEL CARVALHO DE OLIVEIRA

PGF SP-075 KM 18

5

SHEUBI LEITE DE ARAÚJO

RELACIONAMENTO C/ CLIENTE

7

RODRIGO JOSÉ BELLI

OPERAÇÕES

8

FERNANDA CRISTINA CORDEIRO

RECURSOS HUMANOS

9

RAQUEL CRISTINA DE MATOS

ADMINISTRAÇÃO LOCAL

9

JULIANA CRISTINA DE ALMEIDA

PED. INDAIATUBA

10

DAISE GIBIN SANTA ROSA

OUVIDORIA

10

KATE JAQUELINE CAMPOS DA CRUZ

PED. ITUPEVA

11

EDSON ROSA DA SILVA

BALANÇA MÓVEL

11

GLEISSON JOSÉ DA SILVA

ENGENHARIA

11

JAIME PARMA

GERÊNCIA DE TRAFEGO

11

FERNANDA DE JESUS MENDES

PED. ITUPEVA

15

EDMAR SILVESTRE F FILHO

PED. BOITUVA

15

DANIELLE COPRIVA NEGRINI

RECURSOS HUMANOS

16

MARLI APARECIDA DE ALMEIDA

PED. BOITUVA

18

JOÃO RODRIGO BRAGAGNOLO

T.I.

18

VERA LUCIA LINDO DA SILVA

PED. ITUPEVA

19

VLADMIR AMÉRICO PIERONI

GERÊNCIA DE PEDÁGIO

20

ROSIMEIRE LIMA DOS SANTOS

PED. RIO CLARO

22

JULIANA DE OLIVEIRA

PED. BOITUVA

22

MARCIO HERNANI DE SOUZA

PED. RIO DAS PEDRAS

22

CAMILA LUZ TONIATI DOS SANTOS

PED. INDAIATUBA

22

JOSEVAL BERNARDO DA SILVA

SAU 6

25

SONIA MARIA MARREIRO

PED. PORTO FELIZ

25

ZÉLIO FERREIRA DE SOUSA

PGF SP-075 KM 18

26

MARCO ANTONIO MARTINS

PED. ITUPEVA

26

NARRIMA DOMINGUES

PED. INDAIATUBA

27

FABIANO DUARTE PEDROSO

PED. BLOQ. BOITUVA

28

JUVENAL GOMES

ENGENHARIA

29

JULIANA APARECIDA MONTESSI GIANOTTO PED. INDAIATUBA

30

CLAUDETE APARECIDA LOPES

PED. BOITUVA

30

ZULENE MARIA FERREIRA ALMEIDA

PED. RIO CLARO

Expediente:

Colaboração: César Augusto Ferrari

Jornalista responsável: Eliana Sabino MTB 29033

Impressão: Gráfica Riopedrense

e Simone Santos MTB 42578

Tiragem: 600 exemplares

Pauta: Comitê de Comunicação Interna

Periodicidade: Mensal

Design: Vinicius Campos

8

NOME ERIC FAGUNDES DA SILVA

Fonte - RH Colinas

OUTUBRO


Vias e Fatos 39