Page 1

EB1/PE Dr. Clemente Tavares

NºXXXI

jan. — mar. 2012

Olá amiguinhos, leitores do nosso Jornalinho! Cá estamos nós para mais uma edição do AMADIS. Há novidades, curiosidades, passatempos e muito mais… Lê e diverte-te. Já agora e porque estamos a chegar à Páscoa: Uma

SANTA

PÁSCOA para todos vocês.


Os Nossos Trabalhos………………………………………………………………………………….3 Biblioteca…………………………………………………………………………………………………….30 Culinária ……………………………………………………………………………………………………..32 Cantinho das Histórias……………………………………..……………………………………….33 TIC…………….……………………………………….…………………………………………………………35 Cantinho do Inglês……………………………………………………………………………………36 Jogo da memória ……………………………………………………………………………………..38 Arte. …….……………………………………………………………………………………………………..39

Ficha Técnica Coordenação e Montagem: Victor Vieira Colaboração: Pessoal docente e alunos da escola Apoio: Junta de Freguesia de Gaula Tiragem: 50 exemplares


Carla 1.º Ano

Carlota 1.º Ano

Filipe Diogo1.º Ano

No dia catorze de fevereiro, fomos, junto com o primeiro ano, visitar o Quartel dos Bombeiros Municipais de Santa Cruz que fica situado na cidade de Santa Cruz. Primeiro fomos recebidos por um bombeiro com uma farda muito bonita que nos explicou como tudo funcionava. Visitamos uma exposição de carros da bomba muito antigos e com muitos modelos. Vimos a sala de comunicações, onde recebiam os telefonemas e como chamavam os bombeiros para saírem para as emergências. Passamos a uma grande garagem onde se encontravam as ambulâncias, os carros da bomba e equipamentos para combate aos incêndios. Foi muito divertido, porque pudemos experimentar capacetes e óculos. No final, houve uma simulação de um incêndio, onde pudemos segurar em mangueiras com água e jogar para um edifício onde imaginávamos que havia fogo. Foi uma manhã muito divertida, pois também pudemos brincar no parque infantil da cidade.

2.º ano de escolaridade

Carolina 2.º Ano


No dia 14 de Fevereiro fizemos uma visita de estudo ao Centro de Investigação das pescas no Funchal. Vimos os barcos de pesca e as câmaras frigoríficas onde o peixe é armazenado. Aprendemos os três métodos de conservação do peixe: congelação, refrigeração e salmoura. De seguida, fomos ver a lota que é onde os compradores vão comprar o peixe. Vimos também um aquário com alguns peixes, um mostruário com peixes conservados em álcool e outro com peixes bebés. A seguir, fomos para uma pequena sala, onde vimos vídeos sobre a pesca do peixe-espada preto e do atum. Também vimos livros sobre várias espécies de peixes. Por fim, fomos para o laboratório onde se vê se o peixe está em bom estado. A este laboratório, todas as semanas chegam 30 amostras de vários peixes para serem analisados. Aqui vimos a garoupa, cavala, chicharro, besugo e salema. A senhora mostrou-nos as guelras, o coração, o estômago, a gónada e a bexiga-natatória dos peixes. Gostámos muito desta visita porque aprendemos muito sobre os peixes e a pesca. Texto elaborado pelos alunos do 3.º Ano de Escolaridade


No dia 14 de Fevereiro de 2012 nós, os alunos do 3º e 4º anos de escolaridade realizámos uma visita de estudo à Direção de Serviços de Investigação das Pescas. A Direção de Serviços de Investigação das Pescas fica localizada na Pontinha na cidade do Funchal. Este Serviço dedica-se à investigação e ao estudo das principais espécies de peixe que são capturadas na nossa região. O Serviço de Investigação das Pescas tem um laboratório onde são realizadas análises ao peixe que é capturado. As análises permitem saber se o peixe tem boa qualidade, se pode continuar a ser pescado e se pode ser comercializado. As análises também servem para aconselhar os nossos governantes sobre as pescas de modo a garantir a continuidade das espécies. O Serviço de Investigação das Pescas inclui um espaço – a lota, onde o peixe é leiloado ao público e um entreposto frigorífico que serve para armazenar e conservar o peixe que não é vendido fresco. Nós gostámos de realizar esta visita de estudo porque ficámos a saber mais coisas sobre a pesca, a venda do peixe ao público e as medidas governamentais tomadas para garantir a continuidade das espécies pescadas na nossa região. Texto elaborado pelos alunos do 4º ano de escolaridade


O inverno é uma estação do ano que se inicia em dezembro e termina em março. É nesta estação que chove muito e faz frio, por isso, nós precisamos de agasalhos para nos protegerem do frio e da chuva. No ano passado nevou aqui na nossa escola, o que é muito raro. Estamos ansiosos para que caia neve e granizo outra vez. Este ano não tem chovido muito e as pessoas mais velhas dizem que é uma seca e que isso é mau, principalmente para a agricultura. Esta estação, para nós, não é muito agradável, porque gostamos muito de brincar na rua.

Texto elaborado pelos alunos do 2.º ANO

Hoje, fomos à casa da Luísa cantar os Reis. ( Carla ) A turma do 2º ano também foi connosco cantar os Reis. ( Tiago ) Na casa da Luísa bebemos sumo e vimos o presépio. ( Luís Miguel Pereira ) Também cantamos os Reis na casa da Senhora Graça Quintal. Lá vimos um presépio que tinha uma ribeira onde passava água de verdade. ( Luísa ) Fomos à casa de algumas pessoas cantar os Reis. É uma bonita tradição! ( Carlota ) Quando fomos cantar os Reis, passamos em frente à padaria e lá estavam algumas pessoas. ( Luís Carlos ) Cantamos os Reis no Bar Avelino e a professora Inês comprou-nos um chupa-chupa. ( Luís Miguel Pestana ) Estivemos no adro da igreja para visitar o presépio. ( Luísa ) Todos levaram uma coroa de rei na cabeça. ( Ana Raquel ) Cantamos os reis à mãe do Carlos do 2º ano. ( Eduardo ) A Dona Júlia, que é a funcionária do cemitério, também gostou de nos ouvir cantar os Reis. ( Filipe Diogo )

Carla 1.º Ano

Carlota 1.º Ano


Para terminar as festas do natal, a nossa sala foi varrer os armários no dia de Santo Amaro a casa de um dos nossos amiguinhos, o Tomás Luís. Levamos alguns instrumentos musicais de forma a animar mais a ocasião.

Agradecemos à Mãe do Tomás Luís toda a sua disponibilidade e dedicação

A tradição do "varrer dos armários" foi vivida na escola com muito entusiasmo. Todos os meninos confecionaram uma vassoura a partir de materiais reciclados. Fomos cantar o Santo Amaro à sala do 3.º ano e lá comemos biscoitos que tinham sobrado do Natal. Quando regressamos à sala o 4.º ano cantou uma canção muito bonita com instrumentos musicais e nós oferecemos bolachas. Gostamos muito deste dia. No nosso concelho festejam o Santo Amaro com uma grande festa e arraial.

Texto coletivo do 2º.ano


Ana Raquel 1.º Ano

Luís Pestana 1.º Ano

Na terça-feira dia 31 de Janeiro realizou-se na nossa escola uma ação de sensibilização sobre: “Regras de Segurança Rodoviária” destinada aos Encarregados de Educação. Esta ação de sensibilização realizou-se no parque de estacionamento da nossa escola e contou com a presença de dois agentes da esquadra de Santa Cruz. Os alunos do 4º ano elaboraram um questionário para colocarem aos Encarregados de Educação e recolherem informações sobre os cuidados que têm quando circulam com os seus veículos na estrada. Os Encarregados de Educação foram igualmente alertados para o estacionamento correto no parque de estacionamento da escola, de modo a facilitarem a entrada e saída das carrinhas de transporte escolar. Esta ação de sensibilização permitiu visualizar algumas situações menos corretas e perigosas e sensibilizar no sentido de corrigi-las.


Na terça feira dia 7 de Fevereiro realizou-se na nossa escola uma ação de sensibilização promovida pelos Bombeiros Municipais de Santa Cruz. Esta ação realizou-se no âmbito das comemorações da Semana da Prevenção Rodoviária na nossa escola. Os bombeiros demonstraram-nos todos os procedimentos que tomam quando há um acidente de viação e que têm de tirar uma vítima do interior de um automóvel. À medida que os bombeiros tentavam tirar a vítima iam explicando todos os passos que davam e os materiais que utilizavam no desencarceramento. Esta ação permitiu-nos ficar a conhecer o trabalho dos bombeiros quando existe um acidente de viação com vítimas. Texto elaborado pelos alunos do 4º ano de escolaridade

António 4.º Ano Mariana 4.º Ano


Ingredientes: - 500gr de respeito; - 1kg de amizade; - 1l de partilha; - 250gr de generosidade; - 10kg de inteligência; - 200hg de atenção; - 2h de estudo diário; - 100gr de pontualidade; - 250gr de organização.

Modo de preparação: Coloque numa tigela a amizade, o respeite, a partilha e misture muito bem. Depois adicione a generosidade e a pontualidade e volte a mexer bem. De seguida junte a organização, o estudo e a atenção e volte a mexer. Finalmente coloque o preparado numa travessa e sirva a salada acompanhada de muita inteligência.

O Carnaval chegou com muita animação e folia. Muita alegria e muita cor. Começamos por fazer alguns trabalhos alusivos ao Carnaval e decoração da sala. Vejam só como nós já trabalhamos bem…


Olá amiguinhos! Somos as crianças da sala da Pré A e estamos muito contentes por estar de regresso ao jornalinho do segundo período. É com enorme alegria e satisfação, que divulgamos algumas atividades que realizamos na nossa sala. Ao longo deste período abordamos algumas temáticas das quais destacamos as atividades relacionadas com o Carnaval, nomeadamente as máscaras e atividades individuais de expressão plástica. Em simultâneo dinamizamos atividades de conhecimento/ reconhecimento das formas geométricas, das quais destaca-se a elaboração de um palhaço construído com essas mesmas formas. Importa relembrar que os trabalhos foram realizados utilizando os mais variados materiais de desperdício, incentivando as crianças a gerir os recursos existentes promovendo práticas de preservação ambiental. Aqui estão alguns trabalhos realizados com muita imaginação e criatividade pelas crianças com a orientação da equipa da sala. Espero que gostem!

Máscaras de Carnaval Disfarce preferido de Carnaval


“ Que lindos que estão os nossos palhacinhos! Com a criatividade de cada criança a sala encheu-se de alegria e fantasia avivando o espírito de Carnaval.”

O Carnaval é uma época de muita alegria, música, fitas e também de muita palhaçada. Nesta época, fazemos sonhos e malassadas que sabem tão bem. Em Gaula realiza-se o desfile com trupes divertidas. Tudo canta e dança ao som dos tambores. As ruas enchem para baterem palmas aos desfilantes.

Carlos (2..º ano)


Ana Raquel 1.º Ano

Carlota 1.º Ano

Luísa 1.º Ano

Na nossa escola vimos um filme que faz parte do projecto "Aprender com o cinema". Foi uma história de uma abelha que se chamava Berry. A Berry juntamente com as outras abelhas pararam de fazer o mel. Como não retiraram o pólen das flores, tudo começou a murchar e a ficar seco. Vanessa que era uma vendedora de flores, não sabia o que se estava a passar e resolveu pedir ajuda. Conheceu a Barry que logo se apercebeu da asneira que tinha feito. Uniram-se para salvar a natureza. Tudo acabou em bem, com uma natureza muito verdinha e florida.

Miguel (2.º ano) Carolina 2.º Ano


Barry era uma abelha Aventureira e ambiciosa Conheceu a Vanessa Uma humana amorosa.

Adriana 3.ยบ Ano

As abelhas estavam zangadas Porque os humanos, o seu mel roubaram Resolveram processar a raรงa humana E todos se chatearam. As abelhas deixaram de produzir mel E as flores murcharam A Natureza ficou triste Mas, Barry e Vanessa tudo mudaram.

Juliana 3.ยบ Ano Juntos viveram a aventura De salvar a Natureza As flores floresceram Ficou tudo uma beleza. Lara 3.ยบ Ano


Barry uma florista conheceu, Feliz e encantada ficou, Muitas aventuras viveram, E uma amizade começou!

Era uma vez uma abelhinha; Pequenina e amarelinha, Um dia saiu da colmeia, E conheceu uma amiguinha! A abelha saiu da colmeia, E a cidade conheceu, Viajou pelo mundo fora, E muitas coisas aprendeu!

Maria Neto 4.º Ano

Barry a pequena abelha, A loja da Vanessa visitou, E com a beleza das flores, De novo se encantou! A florista muito contente, Arranjou uma amiga valente, E as duas grandes amigas, Viajaram para outro continente!

Barry é uma abelha generosa, Que adora mel fabricar, Trabalha em equipa na colmeia, Noite e dia sem parar!

As abelhas trabalham imenso, Para o mel fabricar, E depois de tanto trabalho, Os humanos o vão tirar!

As abelhas na colmeia, Trabalham sem parar, Fabricam o precioso mel, Para todos deliciar! Susana Raquel 4.º Ano

Ao tribunal foi parar, O roubo do mel pelos humanos, As abelhas protestaram, Por lhe causarem danos!


A natureza empobreceu, Por falta da polinização, Pois a decisão das abelhas, Gerou grande confusão. A polinização é fundamental, À regeneração da natureza, O papel das abelhas é crucial, Para manter a sua beleza.

Maria Luísa 4.º Ano

Perigos e grandes aventuras, A abelha Barry vivenciou, Ultrapassou dificuldades, E a natureza salvou! A aventura terminou bem, A natureza recuperou, As abelhas voltaram à colmeia, E a produção de mel continuou.

Patrícia 4.º Ano


Ana Raquel 1.º Ano

Carlota 1.º Ano

A bruxa Mimi Era uma vez uma bruxa que se chamava Mimi. A bruxa Mimi vivia numa casa preta no meio da floresta. A casa da bruxa era preta por dentro e por fora. As paredes, a mobília, os cortinados, a decoração, a roupa... tudo era preto. Mimi viva com o seu gato Rogério que era preto. Como tudo era preto na casa da bruxa era-lhe difícil identificar o gato Rogério por isso existiam muitos problemas. Para resolver o problema Mimi, com a ajuda da sua varinha mágica, alterou a cor do gato para verde alface e assim já conseguia localizar o seu gato no interior da sua casa.


(Cont.) Os problemas da bruxa Mimi regressaram quando o gato Rogério saiu para a rua e era difícil de o localizar. A bruxa Mimi fez uma nova tentativa para alterar a cor do gato e desta vez o gato ficou de várias cores. O gato Rogério, ao ver-se de várias cores achou-se ridículo, fugiu e refugiou-se no cimo de uma árvore. Mimi preocupada com o desaparecimento do gato Rogério procurou-o e encontrou-o no topo de uma árvore. A bruxa Mimi agitou a sua varinha mágica e o gato Rogério recuperou a sua cor preta. O gato Rogério ficou muito contente, desceu da árvore e seguiu a bruxa Mimi. Já em casa, a bruxa agitou a sua varinha e a sua casa ficou colorida e assim a bruxa Mimi já conseguia ver o gato Rogério em todo o sítio onde ele se encontrasse.

Francisca e Rodrigo 4º Ano


“A Energia” promovida pela AREAM – Agencia Regional da Energia e Ambiente da Madeira No dia 12 de Março, pelas 15 horas, realizou-se na nossa escola uma Ação de Sensibilização sobre a Energia. Esta ação foi promovida pela AREAM e teve como principal objetivo: sensibilizar-nos para a poupança de energia nas nossas atividades diárias, em casa e na escola. Ao longo da ação de sensibilização pudemos visualizar imagens de situações, onde desnecessariamente gastamos energia e posteriormente refletimos sobre as mesmas, sobre os comportamentos mais corretos e mais ecológicos. Nós achámos esta ação interessante e importante uma vez que despertou - nos para a importância de pouparmos energia pois ao pouparmos energia poupamos recursos naturais, minimizamos os efeitos das alterações climáticas e ajudamos o nosso planeta. A personagem Planetinha, Veio – nos sensibilizar, Dicas nos veio dar, Para a energia poupar! A Marta, o Miguel e o Dinis, Ouviram os conselhos da Planetinha, Ficaram logo sensibilizados, E ao planeta deram uma ajudinha! O Ruben e a Marta, A todos quiseram ensinar, Dicas para poupar energia, Para o planeta ajudar.


“A Energia” promovida pela AREAM – Agencia Regional da Energia e Ambiente da Madeira Para energia poupar, As luzes vamos desligar, Os sacos de plástico reutilizar, E recursos vamos poupar! Os efeitos das alterações climáticas, Vamos tentar minimizar, Para o nosso planeta salvar, Sem demoras vamos começar! A luz solar vamos aproveitar, Para a nossa casa iluminar, Assim poupamos energia, No nosso dia a dia! Energia vamos poupar, Com empenho e dedicação, Ajudamos o nosso planeta, Que precisa de proteção! Para recursos poupar, Painéis solares devemos usar, Nós poupamos dinheiro, E o ambiente fica a ganhar!

Energia vamos poupar, Cuidados vamos tomar, Para a factura baixar, E menos dinheiro pagar! Para a Terra melhorar, Energia vamos poupar, Assim vamos ajudar, O nosso planeta a recuperar!


Para o dia do pai lembrar, uma moldura resolvemos decorar;

O meu pai gosta muito de mim. (Carla)

O meu pai é lindo e gosta muito de mim. (Ana Raquel) O meu pai é divertido. (Carlota) O meu pai é bonito. (Luís Carlos) Sinto-me contente quando estou com o meu pai. (Luís Miguel Pestana) Eu gosto muito do meu pai. (Luísa) O meu pai é muito divertido! (Tiago) O meu pai brinca comigo. (Eduardo) O meu pai faz muitas brincadeira engraçadas. (Tiago) O pai passeia comigo. (Diogo)

Carlota 1.º Ano

Ana Raquel 1.º Ano

Carla 1.º Ano


O meu Pai Eu adoro o meu pai. Ele é bonito, alto e forte. Trabalha muito, mas tem sempre tempo para mim. Ajuda-me a fazer os trabalhos de casa e brinca comigo. Gosto de abraçar o meu pai e de dar-lhe muitos beijinhos.

Sara Raquel (2.º ano)

Juliana 3.º Ano

Adriana 3.º Ano

Margarida 3.º Ano

Tiago Neves 3.º Ano


Pai querido, querido Pai! És o melhor pai do mundo, Tens um lugar especial, No meu coração mais profundo. Pai querido, querido Pai! Estás sempre comigo, Dás-me o teu amor sincero, És o meu melhor amigo. Pai querido, querido Pai! Hoje é o teu dia, Desejo-te o melhor do mundo, E ter sempre a tua companhia. Ana Maria – 4º ano de escolaridade

O meu pai é meu amigo, É simpático e brincalhão, Gosto de estar com ele, Guardo-o no coração. O meu pai é divertido, Isso posso-vos garantir, Ele é o meu melhor amigo, Por isso posso sorrir. O meu pai é carinhoso, Ele é mesmo especial, É o meu verdadeiro herói, Como ele não há igual. Adriana Marisa – 4º ano

Com três letras apenas, Se escreve a palavra PAI, É uma palavra pequena, Que do meu coração sai. Pai, quando chegas a casa, Dás-me logo um beijo, Eu dou-te uma abraço, E desaparece o cansaço. No dia 19 março, O dia do pai comemoramos, É um dia importante, Por isso o festejamos. António José – 4º ano


O meu pai chama-se Dinarte e tem 28 anos. O meu pai é alto, tem olhos castanhos, cabelo preto e é muito bonito. O meu pai é muito organizado e é especial em tudo o que faz. O que eu mais gosto no meu pai é o facto de ele ser o meu pai e também porque ele é simpático para mim e para todas as pessoas. O que menos gosto no meu pai é quando ele briga comigo o que é muito raro. A profissão do meu pai é pianista. Ele toca numa banda chamada Nova Onda que é um Conjunto Musical. Eu adoro dançar e cantar com o meu pai e passamos juntos momentos maravilhosos. O meu pai é único, é o melhor pai do mundo porque é meu pai. Amo-te Pai! Sofia Mariana – 4º ano

O meu pai chama-se Zélio Vieira e tem 34 anos, O meu pai tem cabelo curto castanho-escuro, olhos esverdeados e usa óculos pretos. O meu pai trabalha numa empresa chamada AFA com uma betoneira a carregar e a descarregar massa / betão de um lado para o outro. O meu pai gosta muito de brincar comigo às quentinhas, às cartas (cassino) e às apanhadas. O meu pai gosta de ir ao bar, ao supermercado e à Padaria de Gaula. O meu pai gosta muito de comer milho frito, arroz e não gosta de comer camarão. Os frutos preferidos do meu pai são: maçã e banana. Eu gosto muito do meu pai e não sei como seria a minha vida sem ele. Patrícia Isabel – 4º ano


O meu pai O meu pai chama-se Manuel Armando da Mata Gouveia. O meu pai tem o cabelo castanho-escuro e olhos escuros. O meu pai é alto, forte e simpático. O meu pai trabalha como carpinteiro e técnico de equipamento na Associação Desportiva de Machico. O que gosto mais no meu pai é quando ele me leva a passear com a minha família e quando brinca comigo e com o meu irmão. O meu pai é espetacular porque ele me ajuda no que preciso e eu também o ajudo no que ele precisa. Eu gosto muito do meu pai e gostava que ele estivesse sempre junto de mim. Francisco Daniel – 4º ano

O meu pai! O meu pai chama-se José Luís Gouveia e tem 43 anos. O meu pai tem olhos castanhos, o cabelo preto acastanhado e é alto. O meu pai é forte, meigo, carinhoso, amigo e gosta muito de trabalhar. O meu pai é muito divertido e gosta de fazer palhaçadas e de contar anedotas para fazer rir todas as pessoas. O meu pai trabalha na Vulcano onde arranja esquentadores e monta painéis solares. O meu pai desempenha as funções de chefe no seu trabalho por isso viaja muito para participar em reuniões. O meu pai é especial para mim porque dá-me muito amor, carinho e atenção. Eu gosto muito do meu pai. Adriana Marisa – 4º ano


Eu gosto muito da semana da árvore. (Carla) Eu gosto muito de árvores, elas tornam a natureza mais bonita. (Luísa) As árvores são muito importantes para o nosso planeta. (Carlota) As árvores são lindas e verdes! (Ana Raquel) As árvores dão-nos muitos frutos saborosos. (Luís Miguel Pereira) As árvores são muito bonitas e embelezam a natureza. (Luís Miguel Pestana) As árvores dão-nos oxigénio. (Filipe Diogo) Os passarinhos gostam muito de fazer os seus ninhos nos ramos altos das árvores. (Tiago) As árvores dão-nos frutos e sombra. (Eduardo) Não cortem as árvores. Salvem-nas! (Luís Carlos)


As nossas queridas árvores, Oxigénio nos vão dar, Também dão frutos, Para nos alimentar.

Vou plantar uma árvore Com todo o meu amor Quando ela crescer Vai precisar de muito calor.

No meu quintal tenho árvores, E nelas tenho estimação, Cuido com muito carinho, Do fundo do coração. Juliana Freitas

Eu tenho uma árvore Que muitos frutos vai dar E nas tardes de verão A sombra vai-me refrescar.

Podes ser bem pequenina Mas isso não tem importância Terás sempre o teu valor No mundo das muitas plantas.

Plantar uma árvore É como uma magia Transforma o nosso mundo Numa grande alegria

Com amor e com carinho Dela deves bem cuidar Uma árvore é um tesouro Plantada num quintal. Tiago Prioste

Todas as pessoas Têm um grande dever Trabalhar muito Para a floresta proteger!

Diogo

Lara

Lá no monte há uma árvore Com toda sua grandeza É uma árvore muito antiga E um bem da natureza.

Hoje é dia da árvore Pois o vou celebrar Venho por este meio Uma coisa anunciar.

Quero salvar a natureza E uma árvore vou plantar Vou pedir aos meus amigos Para virem ajudar.

Nunca maltrates uma árvore A quem tudo nós devemos Desde a madeira da porta Ao lápis que escrevemos Miguel

Cristiano


A árvore é uma riqueza Devemos amar e respeitar É um bem da natureza Dá-nos saúde e bem estar.

A árvore é um tesouro Que nos ajuda a viver Dá-nos sombra e oxigénio Para nós podermos crescer.

Nunca maltrates uma árvore Dela depende a nossa vida Cuida dela, para que não chore Árvore, tu és muito querida. Rodrigo

Eu gosto muito das árvores Gosto muito das florestas Não passo sem uma ida ao campo Passear no meio das lindas giestas. Thomas

As árvores As árvores são importantes porque removem o dióxido de carbono e transformam-no em oxigénio. O oxigénio que nós precisamos para viver. As árvores dão-nos muitas coisas que utilizamos no nosso dia-a-dia. As árvores dão-nos a madeira, a resina, a pasta para o fabrico do papel, a sombra nos dias quentes de verão, os frutos para a nossa alimentação e muito mais. As árvores são importantes porque protegem as encostas impedindo que a terra deslize. As árvores tornam a natureza ainda mais bela e dão abrigo a muitos animais. Adriana Marisa – 4º ano

As árvores As árvores são importantes porque protegem as encostas das montanhas evitando a erosão dos solos, reduzem a poluição e porque dão-nos coisas importantes para o nosso dia-a-dia. As árvores dão-nos a pasta para o fabrico do papel, a cortiça usada no fabrico de rolhas e revestimentos para o chão e para as paredes, a resina usada no fabrico de vernizes, a madeira usada no fabrico de mobiliário e os frutos que usamos na nossa alimentação. As árvores embelezam os jardins, as ruas, as praças, as cidades, as vilas e as aldeias e tornam a natureza mais bonita. É por tudo isto que devemos proteger as árvores e se possível plantar mais árvores para ajudarmos o nosso planeta a recuperar e a minimizar os efeitos das alterações climáticas na Terra. Francisco Daniel – 4º ano


Era uma vez uma gotinha de água pequenina e redondinha. A gotinha de água vivia numa nuvem juntamente com outras gotinhas de água. A gotinha sonhava um dia conhecer a terra porque gostava de visitar os locais que ela via lá do alto do céu. Num dia muito frio a nuvem desfez-se e as gotinhas que formavam a nuvem caíram na terra. A pequena gotinha de água caiu numa montanha, desceu pela terra abaixo e foi parar a um lençol de água. A gotinha percorreu o lençol de água e saiu por uma pequena abertura e em breves segundos corria pela montanha abaixo. A gotinha de água encontrou: peixes, árvores, barcos, meninos a tomar banho, senhores a pescar… e ficou maravilhada. Após uma longa viagem a gotinha chegou ao mar. Já no mar a gotinha reencontrou as suas amigas gotinhas e contou-lhes a sua aventura na terra. A gotinha de água e as suas amigas sentiram saudades do calor do sol e resolveram subir à tona da água para puderam contemplá-lo. O sol aqueceu tanto que as gotinhas evaporaram e voltaram para o céu onde formaram uma nuvem. A gotinha de água ficou radiante por conhecer a terra e desejava ansiosamente regressar um dia à terra. Texto elaborado pelos alunos do 4º ano de escolaridade


Durante a semana de 27 de fevereiro a 2 de março, tivemos uma feira do livro na biblioteca da nossa escola, com a editora 7 Dias & 6 Noites, Lda, para promoção do gosto pela leitura e escrita. No dia 2 de março foi a festa de encerramento da feira com os escritores convidados. Apresentámos uma dramatização intitulada “A bicharada maluca…é a crise!” a partir dos contos dos escritores convidados. “Adorei ser o Quinas! Gosto de dar vida às histórias!” - disse a Cátia. “Gostei de ser o Porco-espinho! Quero continuar a fazer teatro!” – disse o Francisco.

Cantámos e dançámos a música “Um livro é uma alegria!”

Tivemos uma pequena sessão de autógrafos.

Oferecemos um marcador bordado aos escritores, gentilmente elaborado pelas utentes do Centro Cívico de Gaula.

“Gostei de fazer o meu fantoche para a exposição.” – disse o Alberto, 2º Ano.


Ingredientes: 1 kg de farinha · 30 gr de fermento de padeiro · 1 dl de água morna · 400 gr de açúcar · 2 ovos · 2,5 dl de leite quente · 50 gr de manteiga · sal · raspa da casca de 2 limões · ovos cozidos com casca de cebola

Modo de preparação ♥ Peneira-se a farinha para uma tigela, faz-se uma cova no meio e deita-se aí o fermento esfarelado, que se rega com água morna. ♥ Cobre-se o fermento com um pouco de farinha, envolve-se a tigela num pano de flanela ou cobertor e deixa-se levedar cerca de 15 minutos. ♥ Depois, mistura-se a farinha com o fermento, juntam-se o açúcar, os ovos, um a um, mexendo sempre, e o leite morno, no qual se derreteu a manteiga, o sal e a raspa dos limões. Amassa-se tudo vigorosa e longamente. ♥ Abafa-se a massa novamente e deixa-se levedar perto de uma fonte de calor pelo o menos 2 horas. ♥ Retira-se a massa em bocados, a que se dá uma forma redonda, dobra-se ao meio e, com os dedos passados por azeite, molda-se em forma de ferradura. ♥ À medida que se vão tendendo, dispõem-se em tabuleiros, deixando os folares crescerem.

♥ Na altura de irem ao forno, enterram-se os ovos cozidos na massa (um, dois, ou três por folar).

♥ Levam-se a cozer em forno bem quente (220ºC) durante 15 a 20 minutos.


-

Este conto de Aleskei Tolstói (1883-1945), primo do famoso escritor russo Léon Tolstói, narra a história de dois velhinhos que tentam colher um imenso nabo. Como não conseguem arrancar o legume desproporcional da horta, pedem ajuda para todos os animais da fazenda, mas somente quando entra em cena um pequeno rato é que, pop!, o nabo gigante se solta da terra, provando que o menor de todos faz a diferença. A situação comprova que o companheirismo é o elemento fundamental para o sucesso da empreitada.

Pinta as imagens, recorta e reconta a história à tua maneira com os pictogramas


-

A Dona Cá-cá-rá-cá orgulhava-se sempre dos ovos que punha, mas, com a chegada da Primavera, pôs-se a pensar na Páscoa e disse lá consigo que os seus ovos todos brancos não lhe agradavam. - Vou pôr ovos de cores, como os ovos da Páscoa! – declarou ela. E correu para o ninheiro que arranjava às escondidas, no campo. Uma vez aí, fez o possível por pôr ovos côr-de-rosa, azuis, amarelos ou verdes. Mas tudo quanto conseguiu foram ovos brancos. E o pior é que as outras galinhas suas amigas passavam a vida a perguntar-lhe pelos ovos. - Então os seus ovos, Dona Cá-cá-rá-cá? De quantas cores tem? A Dona Cá-cá-rá-cá não respondia. Limitava-se a ficar no ninheiro para esconder os ovos, e sorria com ar misterioso, esperando que, por artes mágicas, antes da Páscoa eles se tornassem cor-de-rosa, azuis, amarelos ou verdes. Coitada! Nada disso aconteceu. A Páscoa chegou e os seis ovos continuavam tão brancos como antes. Mas, nesse instante… pic! Uma casca estalou debaixo das suas penas quentes. Pic! Dois minutos depois, estalava o segundo ovo. Pic! Pic! Pic! Pic! Uns atrás dos outros, seis pintainhos muitos macios saíram da casca. As amigas da Dona Cá-cá-rá-cá nem queriam acreditar no que viam. Mas nada se comparava com a surpresa e a alegria da própria Dona Cá-cá-rá-cá. Tão grande era o seu orgulho que quando as outras galinhas lhe perguntaram: - Estes encantadores pintainhos saíram realmente de ovos de cores? Respondeu simplesmente: - Não; saíram de ovos branquinhos. E nunca mais, nem mesmo pela Páscoa, a Dona Cá-cá-rá-cá quis pôr ovos de cores. Maria Isabel M. Soares 365 Histórias de Encantar


Visita a página WEB da nossa escola: em: ☺http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pectavares

Eis alguns desenhos dos alunos realizados nas aulas de TIC: Ana Isabel Pré A - As Formas -

Ana Raquel 1.º Ano - Dia do Pai -

Tiago Prioste 3.º Ano - Dia Internacional da Mulher -

Paulo e Paula 2º Ano - Semana da Prevenção Rodoviária -

Ana Maria e Adriana 4.º Ano - Sinais luminosos -


Welcome Spring

Colour this beautiful butterfly: 1 - blue; 2 - green; 3 - orange; 4 - red; 5 - yellow; 6 - purple.


Material: 

  

Papel crepom (amarelo, verde e marrom) Palito para churrasco Cola , tesoura Cartolina

Como fazer:   

Recorte as folhas da flor em papel verde, as pétalas em papal amarelo e no miolo cole bolinhas de papel marrom; Enrole papel crepom verde no palito de churrasco; Cole o miolo , as pétalas e afixe no palito de churrasco.


Chegámos assim ao final de mais um período letivo. Ao longo desta semana falámos sobre a Páscoa; o seu significado para os cristãos e as suas vivências e tradições. Na sexta-feira dia 23 de março , foi o encerramento das atividades do 2.º período. No turno da manhã, realizamos a Celebração da Via Sacra, ao redor da escola, passando pelo parque de estacionamento e finalizando no polidesportivo. No turno da tarde os alunos mais crescidos e os professores jogaram ao pião, que é um jogo tradicional da Quaresma, na nossa terra.

Jornalinho - O Amádis - 2.ºPeríodo 2012  

Atividades desenvolvidas ao longo deste período