Page 1

EDIÇÃO N.º 2 De Setembro a Dezembro de 2008

O Vilãozinho: o jornal que realmente interessa, por apenas 1 vilãozinho! E O NATAL TRAZ… MAIS PRESENTES!

O JORNAL DO ESTABELECIMENTO VILA MAR

A época, já o sabemos, é de festa. Não só porque o Natal está a chegar, mas porque ele traz consigo as férias, os presentes, a alegria. E para muitos é só isto. Para outros, é um bocadinho mais: é o regresso a casa, a lareira, a neve, a comida boa da mãe, o mimo do pai. É rever a família distante e os amigos ausentes. É sentir que se pertence a um lar, mesmo vivendo noutro. E que os laços de sangue são para sempre, mas os que a amizade tece também permanecem no nosso coração. Sim, não podemos esquecer as prendas. São importantes, claro, porque nos ajudam a dizer o quanto gostamos de cada um que as receuga 2.ºl

r!

Novo equipamento apresentado em festa escolar, p. 4

be. Porque falam por nós e dizem a falta que sentimos de alguém e o quanto gostaríamos que essa pessoa estivesse mais tempo connosco. Os embrulhos de Natal não escondem só o seu conteúdo: ocultam igualmente o carinho, por vezes silencioso, que nutrimos pelos outros. Por isso, aqui ficam os votos de que esta seja a melhor quadra natalícia de sempre e... muitos presentes! Participação do Vila Mar no Concurso de Presépios, organizado pela Associação de Desenvolvimento Comunitário do Funchal


AO LEITOR... O

ESTÁ A CHE-

lho estivesse estampado que

e eis que

na escola que frequenta- nós. Uma oportunidade

temos um novo Vilãozi-

mos, nos trabalhos que de mudarmos o modo

nho na forja, a dar-nos

realizamos cada dia… e menos bom que às vezes

notícia dos acontecimen-

que nos orgulhássemos temos de lidar uns com

tos importantes no Vila

por isso. Gostava que os os outros. Uma oportuni-

Mar. Foram tantos!! E

dias do ano de 2009 fos- dade de crescermos com

cada

sem dias em que cada o que

aprendemos na

coisas bonitas, bem fei-

um descobrisse um pou- escola

e

tas e com muita alegria.

quinho mais de si para com os nossos amigos,

Por

compreender

ANO

2008

GAR AO FIM…

um

recheado

isso

de

estamos

de

parabéns!

que

se

melhor

passa

temos

dentro

no

que dizer?

consigo res e professores. Uma

do

Vila

Mar

estão cada vez mais trabalhadores, e isso notase

no

aproveitamento

escolar; que os meninos e as meninas do Vila Mar são

muito

criativos

participativos,

e

e

isso

nota-se nas actividades que temos tido, cheias de beleza e entusiasmo… Em vésperas de mais um ano novo, gostava de desejar a cada um: UMA Uma Vida cheio de coiboas,

em

que

o

esforço do nosso trabaPágina 2

largar

sua volta. Gostava que coisas velhas e feias e gostar mais dos outros, belas e boas. da nossa casa, da nossa escola…

Gostava

que

Que cada um de nós,

cada um continuasse a no ano de 2009, dê o empenhar-se nos estu- seu melhor em cada um dos e no trabalho que dos dias. Isso fará toda a difetem, para poder conquistar etapas novas e cres- rença! cer como pessoa boa e como cidadão activo na sociedade. Que o ano 2009 seja, para cada um, um ANO NOVO, uma OPORTUNIDADE.

VIDA BOA! sas

de

cada um aprendesse a transformá-las em coisas

Que os meninos e as meninas

dia-a-dia

o com os nossos educado-

próprio e o que está à oportunidade Em vésperas de 2009,

de

Uma oportunidade de mudarmos algumas coisas

menos

simpáticas

Boas Festas! Maria Carlos Ramos


AO ESTABELECIMENTO VILA MAR... a acreditar que o dia de

Juntos queremos cons-

am an hã

truir um mundo melhor.

se rá

bem

melhor do que o de hoje! Apoiava-nos em todas

O Vila Mar foi o nosso lar, onde todos encontrá-

Lá fora, o sol irá brilhar para todos!

estas pessoas, pois con-

Cada qual deve ajudar

fiávamos nelas, sabendo

o colega ou amigo para

que sozinhos não estive-

que este não se desvie

mos!

do

caminho

certo

a

mos uma família de pais

Agradecemos a outras

seguir. As regras existem

e irmãos que nos educa-

pessoas que, directa ou

e são para cumprir. Às

ram e ensinaram a chegar

indirectamente,

ajuda-

vezes, não é fácil ser-se

ao topo de um sonho!

ram para que nada fal-

JOVEM e seguir os nos-

tasse no nosso dia-a-dia.

sos impulsos, mas sabe-

pilar

Nunca esquecemos todos

mos que todos estarão lá

nossa

(meninos e meninas) que

fora para nos ajudar!

Este foi

Estabelecimento

a

base

essenciais

e da

o

comunidade.

Viva

Foi o sustento e

o

o carinho dedi-

Vila Mar!

cado, cada dia, pelos

nossos

educadores

e

todos os funcionários

desta

querida Instituição. A

nossa

Lucinda Rocha

Directora mere-

Carlos Teixeira

ce pois

respeito

e

apreço,

aconselhou-nos

a

lutar pelo nosso futuro e

já saíram e lá fora já

(ex-educadores)

conseguiram provar que são

alguém

de

valor.

12/11/2008

Página 3


PARA RECORDAR... Apresentação oficial do equipamento desportivo do Estabelecimento Vila Mar O

ano

Cadernetas escolares personalizadas já chegaram

lectivo

transacto foi mar-

Como

cado pela aquisi-

sabido,

ção

todos

dos

novos

é

os

equipamentos des-

estabeleci-

portivos

os

mentos de

do

ensino dispo-

para

e du can d os

E st abel e ci m en t o Vila Mar. A

apresentação

oficial teve lugar de des-

realçando o espírito de

taque na festa de encer-

equipa e a vontade de

ramento dos Cursos e

participar

toda a comunidade do

competições

vão

a alunos,

Vila Mar foi convidada a

decorrendo ao longo do

encarre-

partilhar este momento.

ano

gados de

nas

lectivo,

diversas que

nomeada-

nibilizam

A vivacidade do laran-

mente no Desporto Esco-

educação e professores as

ja - cor que representa a

lar. Que todos aprovei-

cadernetas escolares, de

Instituição – ecoou por

tem bem essa força posi-

modo a facilitar a comuni-

toda a sala multiusos,

tiva! p

cação entre todos os intervenientes

no

processo

educativo. No arranque do presente ano lectivo, houve mais esta novidade: a caderneta personalizada do aluno Abertura da Festa de Encerramento do ano lectivo 2007/2008.

Página 4

do Vila Mar. p


PARA RECORDAR... E N C E R R A M E N T O D O A N O L E C T I V O

Passeio aos Prazeres — Caminho dos Pés Descalços — e à praia da Calheta__24 de Junho de 2008

2 0 0 7 / 0 8 Página 5


PARA RECORDAR...

19 DE SETEMBRO

Página 6

NO PASSADO dia 19 de Setembro, toda a comunidade do Vila Mar foi convidada a participar nas actividades de despedida das férias de Verão. Sete foram as equipas participantes: Os Resmungões (Residência 1); Os Valentes (Residência 2); Os Armões (Residência 4); As Misses (Residência 5); Os Lobos Marinhos; As Borboletas; e As Freiras da Madeira. As provas foram variadas, desde a natação ao atletismo, da costura à informática, da jardinagem à prova de chá, entre outras. QUEM VENCEU? A boa disposição e o convívio! p

FIM DAS FÉRIAS!


PARA RECORDAR...

E D IÇ ÃO N. º 2

Página 7


PARA RECORDAR... II JORNADAS PEDAGÓGICAS

como no interior, para que cada um pudesse sentir a ambiência muito própria

DO VILA MAR

das

aventuras

fantásticas vividas pelo jovem João. Cada dia de jornada começou com a leitura,

As II Jornadas Pedagógicas do Estabeleci-

pelo professor Paulo Tavares e a professora

mento Vila Mar ocorre-

Rosário

Antunes,

de

ram nos dias 20, 21 e 22

A convidada do 1.º dia

de Outubro. Tendo

por

foi a Dra. Isabel Diniz da base

As

Gama, com um «Chora-

Aventuras de João Sem

-que-logo-bebes

e

o

muro (in)transponível… ou o

s

de saexcertos

do

referido

f i o s

livro, dando-se assim o

d o s

mote para as actividades

Lares

que haveriam de decor-

d

rer em seguida. A acom-

Infân-

panhar a leitura esteve

cia e Juventude, Hoje».

e

Dra. Isabel Gama

Medo, obra emblemática

também o professor Mar-

de José Gomes Ferreira,

co Fagundes, que a foi

os trabalhos desenvolve-

ilustrando a seu gosto

Simões marcou o 2.º dia

ram-se à volta do con-

num

com o seu «Juro que não

ceito da

para o efeito.

RESILIÊNCIA

e da

painel

concebido

A

Prof.ª

Cel este

hei-de ser infeliz! Porque

sua importância na vida

não quero!! ou o papel

de

jovens

do Educador na promo-

como aqueles que resi-

ção da

dem no Estabelecimento Vila Mar.

resiliên-

crianças

e

A sala que acolheu os participantes vestiu-se a rigor, quer no exterior, Página 8

cia». Prof.ª Celeste Simões


PARA RECORDAR... II JORNADAS PEDAGÓGICAS

almoço, ou num outro

Assuntos Sociais, Fran-

tempo

cisco Jardim Ramos, e a

l i v re ,

num

momento consagrado à expressão plástica e à

DO VILA MAR

expressão dos sentidos, uma parede branca foi deixada à disposição de quem quis filosofar acer-

No último dia,

ca dos seus medos ou dos medos dos outros.

foi a vez

Ainda neste contexto,

do

Dr.

no último dia, a equipa

Exma. Sra. Presidente do

Vasco

que organizou as Jorna-

Conselho

Oliveira,

das desafiou os partici-

Directivo

com «A

pantes

escreverem

do

Cen-

Floresta Branca e Eu…

numa pedra o seu maior

tro

de

ou,

para

medo e, num acto sim-

Se gu -

proteger, estimular para

bólico, a deitá-lo para o

r a n ç a

crescer».

mar,

Social da

Dr. Vasco Oliveira

As

desproteger

Jornadas

a

como

que

para

foram

Madeira,

estruturados de forma a

Bern ar-

que,

cada

dete Vieira, também se

convidado expusesse o

associaram a este even-

tema a que se propôs e,

to, na sessão solene de

na parte da tarde, a pla-

abertura

teia era guiada pelo pre-

(momento em que foi

lector de modo a reflectir

lançada

e a debater questões que

AGENDA DO VILA MAR) e no

de

manhã,

das

Jornadas

oficialmente

a

haviam sido previamente

banir das nossas vidas

encerramento das mes-

lançadas.

os

mas, respectivamente. p

À

hora

do

receios

que,

por

vezes, nos restringem

e

não

nos deixam evoluir. Sua

Exa.

o

Se cre t ári o Regional E D IÇ ÃO N. º 2

dos Página 9


PARA RECORDAR... O 28.º ANIVERSÁRIO DO ESTABELECIMENTO VILA MAR

O 28.º aniversário do Estabelecimento Vila Mar foi festejado no 21 de Outubro. A comemoração decorreu durante o jantar, que foi bem animado. Aqui fica a prova.

Página 10


PARA RECORDAR... O dia de S. MARTINHO

ponsável pela Oficina

foi assinalado pela escola

de Aprendizagem, pro-

do Estabelecimento Vila

fessor Luís Rocha; da assistente social, Dra. Lígia Silva; da responsável No mesmo dia, ao final

pelo

Eco-Escolas,

projecto

Dra.

Olga

da tarde, teve lugar uma

Lucas; e de um convida-

REUNIÃO

Mar com uma saída dife-

com pais, encarregados de educa-

do especial, o Dr. Armando Correia, psicólogo que

rente: uma visita ao Par-

ção, professores e outros

reflectiu

que Desportivo de Água

profissionais, no

como os Afectos, a

de Pena.

sentido de apro-

Assertividade e a

ximar a escola às

Relação

famílias dos alu-

Filhos.

nos que frequentam os Cursos (o Curso do Ensino

A manhã foi passada

Dr. Armando Correia

sobre

temas

Pais

/

Na sua intervenção, o Dr. Armando

apelou

para

Recorrente Alternativo /

que os pais / encarrega-

Oficinal e o Curso de

dos

Educação e Formação).

descurem o futuro dos

de

educação

não

entre passeios, jogos de

A reunião contou com

filhos, devendo interes-

ténis e de futebol e as

a presença da Directora

sar-se pelo seu percurso

típicas

da Instituição, Dra. Maria

escolar e social. A tónica

Carlos Ramos;

do Coor-

das suas palavras recaiu

denador Pedagógico, pro-

na necessidade de incutir

fessor António Banganho;

valores nos jovens e de

dos respectivos Directo-

como é muito importante

res de Turma, professora

que sintam o apoio

Helena Castanha (CEF 2)

envolvimento

e professor Bruno Sousa

nos seus assuntos. p

castanhas

não

faltaram ao lanche.

e o

dos

pais

(CERA/O); do responsável pelo projecto Sala de Aula ao Ar Livre e pelo Desporto O convívio soube bem a todos os participantes. p E D IÇ ÃO N. º 2

Escolar,

professor

Ricardo Alves; do resPágina 11


PARA CONHECER MELHOR... BILHETE DE IDENTIDADE... NOME: Lina Marta da Silva Camacho Santos IDADE: 39 anos NATURALIDADE: Madeira FUNÇÃO NA INSTITUIÇÃO: Formadora de Cozinha

Formadora Lina Marta, com os dois entrevistadores.

Há quantos anos trabalha no Estabelecimento Vila Mar?

Qual é a sua opinião sobre os pratos regionais?

Sou formadora aqui há catorze anos.

Adoro a cozinha regional pela variedade de pratos… Um dos meus preferidos é carne de vinho e alhos.

Gosta mais de ser formadora ou de ser cozinheira? Gosto das duas actividades. Qual das suas funções é a mais difícil de fazer? Nada é difícil, tudo se consegue com trabalho e empenho.

A formadora com a aprendiz Carla Quintal.

Sempre sonhou cozinheira?

ser

Nunca sonhei ser cozinheira, mas tirei o curso por acaso e passei a gostar da cozinha. Quais são os pratos que prefere confeccionar? Todos, desde que tenha as matérias-primas para os preparar. Quais são, na sua opinião, os pratos mais difíceis de fazer?

A formadora com o aspirante a «chef», António Francisco.

Página 12

Até ao momento, não fiz nenhum difícil, mas alguns pratos chineses devem ser difíceis.

Dos alunos que estão a tirar o Curso qual gosta mais? Gosto de todos. Quais são as qualidades de que gosta mais nos alunos? Ser pontual e atento, cumprir as regras, ser educado com os professores e funcionários. Que gosta de fazer nos tempos livres? Estar com os meus filhos ou rir, ouvir música, dançar, fazer comida e hidroginástica. p


PARA CONHECER MELHOR... BILHETE DE IDENTIDADE... NOME: José Alexandre Pinto Correia IDADE: 57 anos NATURALIDADE: Madeira Sr. Correia: um dos mais antig os am ig os do Estabelecimento Vila Mar.

FUNÇÃO NA INSTITUIÇÃO: manutenção do Estabelecimento Vila

Sempre trabalhou nesta Instituição? Não, estive 10 anos na obra de vimes.

Não muita coisa, a contar com a minha idade. Sempre foi feliz aqui? Porquê? Sempre, porque tenho aqui grandes amigos. Descreva o seu dia-a-dia. De manhã, rego. De resto, é conforme o que me pedem na Instituição.

Há quantos anos trabalha no Vila Mar? Há 29 anos.

O que espera para o futuro?

Qual é a actividade que mais gosta de fazer neste Estabelecimento? Gosto de fazer tudo.

Qual era o seu sonho em pequeno? Ser uma pessoa cheia de dinheiro! Qual era o trabalho que desejava ter?

Qual foi o seu primeiro trabalho?

Este que tenho. p

Foi na obra de vimes.

Filipe: um verdadeiro colega de equipa.

Qual foi o episódio que mais o marcou aqui no Vila Mar? O miúdo que morreu no mar. Diogo: um sério candidato a chefe de cozinha.

E D IÇ ÃO N. º 2

Os entrevistadores do Sr. Correia (da esquerda para a direita): Humberto Fernandes, Filipe Martins e Diogo Fernandes (Curso de Cozinha).

Página 13


PARA CONHECER MELHOR... BILHETE DE IDENTIDADE... NOME: Samuel Mendonça IDADE: 43 anos NATURALIDADE: Madeira FUNÇÃO NA INSTITUIÇÃO: Educador social

Quais são as suas funções como educador no Vila Mar? Orientar e educar os jovens no dia-a-dia, transmitindo as boas maneiras de estar na comunidade escolar e social, incentivando os educandos a terem uma postura adequada perante colegas e adultos. Gosta do que faz? Porquê? Gosto, porque é muito gratificante ver os bons resultados escolares e sentir a evolução dos jovens como pessoas. Há quanto tempo trabalha nesta Instituição? Trabalho aqui há onze anos. O que fazia antes de trabalhar aqui? Comecei no mundo do trabalho desde muito cedo, mais precisamente aos vinte e um anos, Página 14 E D IÇ ÃO N. º 2

como caixeiro de balcão, na empresa H.B.C, onde estive dois anos. Depois, trabalhei durante seis anos como distribuidor de material eléctrico, fazendo também tarefas administrativas na empresa João Jorge Figueira. Desde os dezoito anos, depois ter concluído o curso de treinadores de futebol, treinei os jovens infantis do Choupana Futebol Clube e do Nacional. Durante dois anos, leccionei a disciplina de Educação Física na Escola Gonçalves Zarco e na Escola Secundária de Machico. Posteriormente, vim trabalhar como educador nesta Instituição. Já foi agredido algum aluno?

O que gosta de fazer nos seus tempos livres? Gosto de praticar desporto, ouvir música e ver televisão. Que desporto gosta de praticar? Porquê? Gosto de praticar futebol, porque foi o desporto que comecei a praticar aos oito anos. Também não abdico da natação, do ténis e das caminhadas depois das refeições. Alguma vez pensou em mudar de profissão? O meu grande desejo era ser profissional do desporto, trabalhando com jovens ou adultos na área do futebol. p

por

Não, mas já houve tentativas. O que acha da turma do CEF 2? É uma turma comunicativa.

muito

Os entrevistadores: Pedro Gomes, Bruno Fernandes e Manuel Carvalho (todos do Curso de Marcenaria).


PARA CONHECER MELHOR... BILHETE DE IDENTIDADE... NOME: Olga Maria Ferreira Lucas IDADE: 30 anos NATURALIDADE: Madeira Dra. Olga Lucas, bióloga no Vila Mar.

Há quanto tempo trabalha nesta Instituição? Trabalho aqui há um ano. O que fazia antes de vir para cá? Estudava e trabalhava: estudava biologia na Universidade da Madeira e trabalhava na Segurança Social. Do que é que mais gosta no Vila Mar? De contacto com os educandos. O que gostava de melhorar na Instituição? Se tivesse muito dinheiro, daria uma escola nova. Se pudesse fazer magia, incentivava o gosto pelo estudo, especialmente pela biologia e pelas relações humanas.

Página 15

FUNÇÃO NA INSTITUIÇÃO: Bióloga / Coordenadora do Projecto Eco-Escolas

Como é que interpreta o Vila Mar? É uma sensação óptima, conseguir conciliar a biologia e a parte humana. Que acha dos alunos? São simpáticos, mas também preguiçosos. O que pensa da sua profissão? Gosto, porque defendo e porque acredito na biologia. Mostra o mundo de forma diferente, mostra aquilo que não conseguimos ver a olho nu.

relações humanas.

Que acha desta entrevista? Está bem elaborada e acho positiva a iniciativa de entrevistarem pessoas de realidades diferentes, embora alguns dos entrevistadores se tenham manifestado muito pouco (Venâncio). Uma última curiosidade: qual e o seu filme preferido? Exorcismo. p

Se pudesse ter outra profissão, qual era a que gostaria de ter? Também gostaria de estar ligada à área da saúde, porque relaciona as ciências e as

Os entrevistad ores: Venânci o Teixeira, Carlos Pimenta e Henrique Sousa (do curso de Cozinha), com a entrevistada.


PARA MELHORAR... MÃOS À OBRA! NO SENTIDO de apro-

Outra mais-valia desta

veitar as potencialidades

renovação é que toda ela

do edifício-mãe do Esta-

será levada a cabo pelos

belecimento Vila Mar e

alunos que frequentam a

da área circundante, o

escola

docente

Ricardo

Alves

Depois de devidamen-

apresentou dois projec-

te preparado, o terreno

tos que permitem enri-

acolherá

quecer um par de espaços e cuja execução foi incluída

jardim com uma cerca, mesas, bancos, caixotes

no Plano Anual de Activi-

do lixo e um barbecue.

dades da escola do E.V.M..

Se houver possibilidades

um

do

Vila

acompanhados

Mar, pelos

pequeno

financeiras, haverá uma parte coberta, iluminação e água potável.

seus professores.

Assim, com o remexer

mo

o

Mes-

mobiliário

de

da terra, morre um lugar

madeira a ser instalado

inútil

qual

sairá das mãos dos alu-

Fénix renascida das cin-

nos, nomeadamente dos

zas, uma zona lúdico-

do curso de Marcenaria.

e

nasce,

1

pedagógica, que já foi baptizada:

SALA DE AULA

AO AR LIVRE.

Um deles, o exterior, é uma extensão de terra, em frente à cozinha, que Salienta-se,

vai deixar de servir para

porém,

nada (ou melhor, vai dei-

que o mesmo espaço se

xar de servir para ser

destina a toda a comuni-

limpa aquando das inter-

dade do Estabelecimento

venções

de

limpeza

e

jardinagem) e passa a ter

uma funcionalidade

válida, criativa e estética. Página 16

1

A FÉNIX é um pássaro da mitologia grega e egípcia que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fénix é a sua força que a faz transportar em voo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes.


PARA RECORDAR... MÃOS À OBRA!

Vila Mar, cabendo a responsabilidade de supervisão

do

espaço,

nos

períodos não escolares, aos alunos internos. O

OUTRO PROJECTO

tem

como alvo a conversão de uma sala num espaço de lazer e de convívio, onde

os

o efeito) e ainda do jogo

mento e os progressos já

de dardos electrónico. O acesso a esse recin-

são bem visíveis. Aqui fica o cheirinho do antes

to será limitado, pelo que

e de como se encontram

os seus utilizadores têm

presentemente. NOTA: a

de cumprir determinados requisitos (bom comportamento,

boas

notas,

etc.), de modo a ganha-

educandos

poderão passar os seus

rem créditos, que lhes

tempos livres, usufruindo de bilhar e matraquilhos (ambos restaurados para

E D IÇ ÃO N. º 2

permitirão frequentar a

sala de convívio já se

sala.

encontra

Ambas as ideias estão em

pleno

desenvolvi-

Parabéns

terminada. a

todos

que

nela trabalharam! p

Página 17


PARA APRENDER...

RECICLAGEM Reciclar é uma coisa muito importante para o ambiente e melhora a vida de muitos animais e também a vida de todos. Por isso, devemos fazer todos os possíveis para ajudar o nosso lar, quer dizer, o nosso mundo muito especial.

Reciclar é reaproveitar os materiais que já foram utilizados, de forma a reduzir a quantidade de lixo produzido. Segue-se um quadro com o tempo que alguns objectos do quotidiano demoram a decompor-se na natureza.

DECOMPOSIÇÃO DESCUIDADA

Actividade desenvolvida pelos alunos de 1.º ciclo, no âmbito do Projecto Eco-Escolas. Página 18


CLASSIFICADOS Dizem que sou bom a

Sou espectacular a

Sou espectacular para

terminar tarefas.

ajudar o meu pai.

os meus amigos.

Frequento o curso de

Estou no curso de

Cozinha, para ter

cozinha a tirar o 9.º

equivalência ao 9.º ano.

ano.

No trabalho, sou

Sou pontual e assíduo.

empenhado e assíduo.

J. AMÍLCAR

ANTÓNIO

BRUNO Sou espectacular em tudo. Estou no 2.º ano do curso de Marcenaria.

Gosto de mim porque

Tenho experiência

Os outros dizem que

sou alegre e porque

profissional no ramo.

sou realmente bom na

gosto de mim mesmo.

Sou empenhado,

cozinha.

Estou no Vila Mar a tirar

assíduo e pontual.

Tenho experiência

um curso de Cozinha e

profissional em cozinha.

já tenho experiência em

Sou pontual e estou

Marcenaria.

disposto a trabalhar as DIOGO

horas que a empresa desejar. HUMBERTO Eu gosto de mim. Tenho grandes conhecimentos na área de informática. J. CARLOS

FILIPE Frequento o curso de Marcenaria, sem

Sou marceneiro de 2.º

experiência profissional.

grau, com experiência.

Procuro local para

Tenho um curso na

trabalhar, sou pontual,

área.

empenhado e tenho

Sou empenhado,

gosto de aprender.

assíduo e pontual.

MANUEL

PEDRO Faço um bom trabalho

Sou realmente bom na

Eu gosto de mim

na confecção de Bolo do

pesca.

porque gosto de jogar

Caco.

Tenho vários cursos de

matrecos.

Tenho experiência no

Cozinha e experiência

Sou o Venâncio, estou

ramo da cozinha.

profissional.

no Vila Mar a tirar um

Sou sério, pontual e

Estou disposto a

curso, pois quero ser

disposto a cumprir um

trabalhar e a entrar

alguém na vida.

horário flexível.

numa empresa dinâmica. HENRIQUE Página 19

VENÂNCIO

LUÍS

Actividade lúdico-pedagógica desenvolvida nas aulas de Cidadania e Mundo Actual, no âmbito da Empregabilidade.


PARA TREINAR ...ENGLISH IS THERE A SANTA CLAUS? 1) No known species of reindeer can fly. BUT there are 300,000 species of living organisms yet to be classified, and while most of these are insects and germs, this does not COMPLETELY rule out flying reindeer that only Santa has ever seen. 2) There are 2 billion children (persons under 18) in the world. BUT since Santa doesn't (appear) to handle the Muslim, Hindu, Jewish and Buddhist children, that reduces the workload to 15% of the total 378 million according to Population Reference Bureau. At an average (census) rate of 3.5 children per household, that's 91.8 million homes. One presumes there's at least one good child in each. 3) Santa has 31 hours of Christmas to work with, thanks to the different time zones and the rotation of the earth, assuming he travels east to west (which seems logical). This works out to 822.6 visits per second. This is to say Página 20 E D IÇ ÃO N. º 2

that for each Christian household with good children, Santa has 1/1000th of a second to park, hop out of the sleigh, jump down the chimney, fill the stockings, distribute the r e m ai n i n g p re se n t s under the tree, eat whatever snacks have been left, get back up the chimney, get back into the sleigh and move on to the next house. Assuming that each of these 91.8 million stops are evenly distributed around the earth (which, of course, we know to be false but for the purposes of our calculations we will accept), we are now talking about .78 miles per household, a total trip of 75-1/2 million miles, not counting stops to do what most of us must do at least once every 31 hours, plus feeding and etc. This means that Santa's sleigh is moving at 650 miles per second, 3,000 times the speed of sound. For purposes of comparison, the fastest man- made vehicle on earth, the Ulysses space

probe, moves at a poky 27.4 miles per second - a conventional reindeer can run, tops, 15 miles per hour. 4) 353,000 tons traveling at 650 miles per second creates enormous air resistance - this will heat the reindeer up in the same fashion as spacecrafts re-entering the earth's atmosphere. The lead pair of reindeer will a b s o r b 1 4 . 3 QUINTILLION joules of energy. Per second. Each. In short, they will burst into flame almost instantaneously, exposing the reindeer behind them, and create deafening sonic booms in their wake. The entire reindeer team will be vaporized within 4.26 thousandths of a second. Santa, meanwhile, will be subjected to centrifugal forces 17,500.06 times greater than gravity. A 250pound Santa (which seems ludicrously slim) would be pinned to the back of his sleigh by 4,315,015 pounds of force.


PARA SABER...

O que significa a expressão ANDAR A TOQUE DE CAIXA Dizer

a

alguém

que «ANDA A TOQUE DE CAIXA» significa que faz tudo à pressa, com tempo limitado e, eventualmente, a mando de alguém, sem vontade própria. ORIGEM Termo simplificado de «caixa de rufo» ou «caixa de guerra» — era a designação de tambor, que foi trazido para a Europa pelos Árabes. A caixa é o corpo oco do tambor: a caixa de ressonância. Como os exercícios militares eram

acompanhados pelo som de tambores, dizia-se que «os soldados marchavam a toque de caixa». É por isso que hoje se diz que alguém anda «a toque de caixa» quando tem de fazer qualquer coisa depressa, talvez a mando de alguém ou até à força. Por outro lado, na Idade Média, era costume escorraçar os indesejáveis (ébrios, indolentes, arruaceiros ou ladrões) ao som de tambores — ou seja, «a toque de caixa» — para fora das localidades, expulsando-

os da comunidade. «A toque de caixa» dizia-se, portanto, da situação de alguém que era obrigado a desaparecer, a fugir, de forma rápida e violenta. p

http://ciberduvidas.sapo. pt/pergunta.php?id=204 46

CURIOSIDADE … origem da palavra LEQUE O uso do

LEQUE,

ou melhor, de alguma coisa que produzisse deslocamento de ar, começou no Oriente e chegou até à Grécia por volta do século V a.C.. O objecto era feito de folhas grandes de árvores, como a palmeira. Os romanos usavam vários tipos de abano, entre eles o muscarium, que era feito de penas da cauda do pavão e, como o nome denuncia, servia para enxotar as moscas. Foi no século XVI que navegadores portugueses trouxeram um tipo de abano menor, com varetas, oriundo das Ilhas Léquias, situadas ao sul do Japão. A novidade recebeu o nome de "abano léquio", posteriormente abreviado para léquio e depois simplesmente leque. p

Página 21


PARA ESCREVER... A história que começa pelo fim

O João deixou-se rir. Afinal de contas não se

fotografia. - Desculpem lá, mas já

lembrava de alguma vez

sabem

como

é…

a

- Lindo! Nunca pensei

ter visto a Carolina com

máquina comanda-me e

que este sítio fosse tão

os seus longos cabelos

eu não tenho outra hipó-

espectacular! Isto é mesmo liiiinnnndoooo!!!!

louros tão desgrenhados

tese: tenho que clicar.

como naquele momento.

Mas isto é verdadeira-

O João estava radiante

- Ai ainda te pões a rir!

por ter conseguido chegar ao local assinalado

E estas unhas?!... Bolas, estive ontem no salão a

Os quatro companheiros estavam novamente

pelo mapa. Para além

arranjá-las!! Que raiva!!

juntos, no sítio que o

mente fabuloso!!

disso, era o primeiro dos

- Vá, deixa-te de lérias!

mapa determinava como

quatro a terminar esta

O que é que achas da

ponto de chegada. Era

aventura e isso deixava-

paisagem?

um

o extremamente feliz.

- Eu quero lá saber da

- E eu que, na escola, nem

sequer

percebia

nada da matéria de geo-

paisagem!!

Estou

mais

local

espectacular,

mas isso agora não interessa.

arrependida! digo,

O que vos proponho,

grafia. Sabia lá o que

minha deusa, que não. A

caros leitores, é que con-

eram

car-

paisagem é estonteante:

tem as aventuras que o

deais!... A bússola não

esses teus cabelos louros

João,

passava de um objecto

decorados com folhas e

Tomás e o Xavier vive-

estilo

Fogo…

ervas; essas tuas unhas

ram até chegarem àque-

como é que uma coisa

compridas e negras de

le sítio extraordinário.

destas, só um ponteiro e

sujo; essas tuas calças

sem números, nos pode

rasgadas na coxa fazem-

levar a qualquer sítio!

me ir ao inferno, voltar e

os

pontos

relógio!

-

Pois

eu

te

a

Pode

Carolina,

ser?!

o

Então…

mãos à obra¹. Descubram

que

Perdia-se o João nes-

pensar que o diabo é um

tes pensamentos quan-

anjo ao pé de ti!! – gra-

do, de repente… - Caramba!! Não aguen-

cejava o Tomás, o brincalhão do grupo, acaba-

__________________

to mais isto! É só mato e

do de chegar.

mais mato e, no fim,

Logo a seguir chegava o Xavier, sempre com o

¹ O melhor texto será publicado no próximo número. Os trabalhos deverão ser entregues à Professora Rosário, pessoalmente ou para profarosarioantunes@hotmail.com.

temos aquele

que

atravessar de

dedo no gatilho pronto

calhaus. Olha para isto,

para o disparo, ou não

João!

fosse ele um amante da

Página 22

monte

ESCREVER É FIXE! p Prof. Paulo Tavares


PARA LER... A história que já chegou ao fim Aproveitando a história «O rei vai nu», os alunos da turma do CEF 2 foram convidados a dar outro fim ao conto ou a inventar uma história a partir daquela. Aqui fica a proposta do Filipe Martins e do Humberto Fernandes. O rei quis um fato especial para saber quem era inteligente e quem era tolo. Certa vez, um rapaz, que tinha vindo de outro país, chegou à cidade do rei vaidoso e todos olhavam para ele de uma maneira esquisita. Estava o rapaz andar pela cidade quando, de repente, encontrou o rei de frente. Este ficou pasmado com as roupas que o rapaz vestia e perguntou-lhe onde é que ele as tinha ido buscar. O rapaz respondeu-lhe: – Esta é uma roupa normal no país que vivo. O rei pediu então ao rapaz que lhe oferecesse um fato daqueles e quando o vestia, toda a gente olhava para ele, o que fez com que o rei lhe pedisse mais vestimentas. Após passarem muitos anos sem ir ao seu país, o rapaz convidou o rei a acompanhá-lo numa viagem até lá. Quando chegaram, as pessoas olhavam para eles com uma cara de gozo. O rei apercebeu-se e perguntou ao rapaz: – Estão todos a gozar

connosco… porquê? O rapaz explicou-lhe que era por causa das roupas que eles tinham vestido, mas o rei não percebeu, porque estavam a usar os fatos que o rapaz tinha levado do seu país. – Mas meu rei, aqui não se usa sempre a mesma colecção e, como eu já não vinha cá há muitos anos, não sabia qual era a moda. O rei, já farto daquelas roupas loucas, decidiu nunca mais as usar, e começou a usar os seus trajes de antigamente. O rei esclareceu: – É sempre bom sermos aquilo que somos e não imitar os outros só pela beleza”. p

ppppppp ppppppp ppppppp

Era uma vez um rapaz chamado Miguel. No dia do seu 18.º aniversário, toda a família já tinha os presentes menos o pai, era ocupado e trabalhador, mas por vezes também esquecido. Então, o senhor resolveu parar uma loja, logo pela manhã, para ver o que encontrava de especial que agradasse ao seu filho. Chegando a um certo lugar, viu uma loja estranha que dizia «LOJA DE MAGIA». Entrou e começou a procurar, até que viu uma coisa bastante interessante: era um fato misterioso e o vendedor disse-lhe que ainda ninguém o tinha usado e que

não tinha preço, mas vendo que era para um boa causa, acabou por dar-lhe o fato. Quando anoiteceu, o pai saiu do trabalho mais cedo e chegou a casa antes da festa. Todos fizeram a festa contentes, entregaram os presentes e o pai ficou para último. O Miguel, todo contente, abriu o presente e viu que era um fato, só que ficou um pouco desesperado. Mais para a noite, o pai disse-lhe que aquela roupa era misteriosa, mas Miguel não acreditava nisso… No entanto, logo de manhã, para agradar a seu pai, o rapaz vestiu o fato e foi dar uma volta e começou a pensar: «será que o pai tem razão e o fato tem poderes?». Quando ia tirar o telemóvel do bolso, viu vários botões e, curioso, tocou num e passados cinco segundos ficou transparente. Ele assustou-se, mas tocou noutro botão e ficou mais veloz, depois noutro e ficou elástico. «Será que ia ficar eternamente com aquelas transformações?», pensou. Passaram dois meses e Miguel já não podia estar sem o fato, já sabia até mais coisas sobre ele do que o vendedor, conseguindo altas manobra e combinar as transformações. Foi quando pensou em entrar em vários concursos e competições, mas depois aborreceu-se de fazer sempre as mesmas coisas e resolveu trabalhar para a polícia, porque assim podia combater criminosos… E assim foi a vida de Miguel. p Página 23


PARA RECORDAR... DESPORTO ESCOLAR O VILA MAR NO DESPORTO ESCOLAR 2008_2009

A S E S T R E L A S

O Estabelecimento Vila Mar participa, este ano lectivo,

no

Desporto

Escolar, na modalidade de Futsal. A

1.ª

concentração

decorreu no dia 29 de Novembro,

na

Escola

Horácio Bento Gouveia. A equipa do Vila Mar defrontou-se com duas escolas: a Francisco Franco e a Camacha. Com a primeira perdeu,

por

uma

bola

a

zero, resultado de um auto-golo do Marquinho. Segundo o jogador Henrique, o Vila Mar perdeu «injustamente por causa da bola, pois a sua capa prendia-se no terreno do jogo».

Página 24


PARA PRATICAR... DESPORTO Melhor sorte encontraram no confronto com a Escola da Camacha, no

CAMPEONATO DE FUTSAL DO

- Pedro Gomes - Venâncio Teixeira

mesmo dia, que perdeu

PLANTEL SCORPION

por 11-3. «A bola demo-

- Alcindo Andrade

rava tanto tempo a chegar

- Alisson da Silva

à

- Bruno Fernandes

nossa

baliza,

que

o

guarda-redes viu um cartão amarelo por se ter sentado no chão, à espera

- Duarte Pestana

ESTABELECIMENTO VILA MAR

da bola», comentaram os

O Torneio de Futsal do

jogadores, sem esconder

Vila Mar da época 08/09

uma pontinha de orgulho.

vai decorrer, à semelhan-

Os melhores atletas em campo,

afirmam

eles, foram

todos

o Filipe, o

ça do ano passado, com a participação de quatro equipas:

- Julieta Freitas - Leandro Gomes - Marco Rodrigues PLANTEL MANAGERS - António Banganho - Bruno Sousa - Ivo Soares - Luís Rocha

Venâncio, o Henrique, o

“SK8” (CEF 2);

- Michael Silva

António Petito, o Juan e o

“Scorpion” (CERA/O);

- Ricardo Alves

José.

“Managers” (Professores);

- Samuel Mendonça

A próxima concentração

“Rangers” (Reserva).

está agendada para Janei-

PLANTEL RANGERS

ro de 2009, onde se espe-

O primeiro jogo, ainda

ra que vença o espírito de

sem data marcada, reali-

- Carlos Santos

equipa e a camaradagem.

za-se entre os “SK8” e os

- Filipe Viveiros

Boa sorte aos participan-

“Rangers” e o segundo

- Luís Ferro

tes e ao treinador, profes-

disputa-se entre as res-

- Marco Camacho

sor Ricardo Alves. p

tantes equipas. Ei-las:

- Miguel Freitas - Nélio Caires

PLANTEL SK8

- Nelson Santos

- António Francisco - Diogo Fernandes

- Paulo Oliveira

- Carlos Pimenta

- Pedro Sepúlveda

- Filipe Paixão

- Ricardo Cabral

- Henrique Sousa

- Ricardo Gouveia

- Humberto Fernandes

- Ricardo Rodrigues. p

- Pedro Costa

- Luís Teixeira Página 25


PARA ME CONHECER MELHOR... H

Q

W

E

R

T

B

C

S

S

A

D

M

B

N

V

C

X

Z

U

A

S

D

F

G

H

J

G

A

C

A

Z

A

N

G

A

D

O

M

A

C

O

N

F

U

S

O

H

G

S

D

R

J

U

S

C

Z

I

S

D

G

H

J

K

L

A

N

M

F

J

A

L

L

S

N

D

L

G

E

S

V

U

G

M

M

P

K

K

K

L

Q

W

U

I

Q

H

H

T

G

K

J

B

B

A

K

A

X

V

H

T

E

S

J

W

A

G

R

N

U

K

K

K

D

K

B

I

M

A

Y

I

T

M

E

D

H

I

H

G

R

S

D

O

F

D

U

X

D

O

O

A

N

R

No meio desta sopa de

O

J

S

J

H

B

O

V

B

N

M

U

U

O

H

J

D

B

H

letras, estão escondidos 16

A

K

T

K

F

E

L

I

Z

G

G

S

B

N

N

O

O

C

H

D

N

E

M

K

N

O

A

G

H

J

U

D

Z

M

A

I

S

N

G

V

I

B

L

S

D

S

F

F

H

R

A

A

M

O

D

W

V

G

C

K

V

O

I

Y

K

R

T

Y

P

H

D

F

G

H

O

D

e ligar cada sentimento a

H

X

H

I

Ç

U

F

N

O

I

U

R

J

V

B

Y

Y

W

F

uma

J

Z

S

S

O

Y

C

O

M

M

M

E

D

O

N

B

K

S

H

será fácil?

K

N

D

A

N

T

S

F

E

P

O

S

K

B

M

G

M

Ó

J

A

Z

S

F

L

E

N

V

E

R

G

O

N

H

A

D

O

A

M

APAIXONADO FELIZ  TRISTE ZANGADO SURPRESO CONFUSO BARALHADO COM MEDO ANSIOSO ENVERGONHADO SEGURO AMADO ASSUSTADO HUMILHADO EM PAZ SÓ

Página 26

Esta página e a seguinte foram cedidas pela secção de Psicologia do Estabelecimento Vila Mar.

Hoje, sinto-me…

sentimentos.

Será

que

és

capaz de encontrá-los? Então

expressão

do

rosto,


PARA PREPARAR O NATAL...

O que eu vou oferecer este Natal… O Natal é a época por excelência de dizermos às pessoas de quem gostamos que elas importantes para nós. E existem muitas formas de fazê-lo. Completa a lista que se segue com os nomes das pessoas que são para ti especiais e com uma ou mais setas selecciona as prendas que lhes vais oferecer.

Lista de pessoas importantes para mim

Lista de prendas possíveis

O meu melhor amigo

Um peluche até 5€

O meu treinador

Dou um beijinho com carinho

O meu professor preferido

Um postal escrito por mim

O meu irmão _____________

Uma flor apanhada do jardim

O meu educador preferido

Um telefonema

_________________________

Uma mensagem do telemóvel

_________________________

Digo-lhe “Gosto de ti”

_________________________

Um abraço 5apertadinho

_________________________

Invento uma actividade gira para fazermos os dois

_________________________

Um chocolate até 1€

_________________________

Ajudo a fazer a árvore de Natal e/ou o presépio

_________________________

5

Proponho fazermos um passeio juntos

_________________________

Um colar até 2€

_________________________

__________________________

E D IÇ ÃO N. º 2

Página 27


PARA SABOREAR... industrial, este é utiliza-

O bolo do caco acom-

do na proporção de 30 a

panha a refeição ou pode

50 grs por cada quilo de

comer-se

farinha de trigo.

plesmente com mantei-

quente,

sim-

ga. É indispensável para acompanhar a espetada nas romarias.

BOLO DO CACO

É condição para a boa cozedura do bolo do caco

A massa para o bolo

que a pedra esteja escal-

do caco é uma massa de

Feita e fermentada a

pão de trigo vulgar, feita

massa de pão (que até

por

com farinha de trigo, fer-

se

pode

comprar

na

combustível,

mento de padeiro (feito

padaria),

divide-se

em

em casa ou industrial),

bolas que se achatam de

água e sal.

modo

a

formar

dante,

sendo

meio

de

aquecida qualquer podendo

até ser usado para o efeito um vulgar fogão a gás.

uma

bolacha com a espessura Fazendo

o

fermento

em casa, este obtém-se

de 3 cm e um palmo de diâmetro.

misturando um pouco de farinha com água morna

Tem-se

uma

pedra

nas quantidades neces-

muito quente, sobre a

sárias para resultar uma

qual se coloca a bolacha.

Diz-se que antigamen-

massa mole.

Deixa-se cozer e ganhar

te era de basalto a pedra

uma

onde se cozia o bolo do

Esta massa é deixada

crosta

fina,

mas

ligeiramente queimada.

durante um, dois ou três dias a fermentar; depois utiliza-se juntando à farinha. A proporção depen-

Madeira, nas casas de Vira-se cozer

e

deixa-se

igualmente

do

outro lado.

de do tempo que tem de fermentação. Usando fermento

Página 28

o de

chamado padeiro

caco. Hoje vendem-se na artigos

de

construção,

placas de cimento que se substituem as referidas pedras de basalto.

Pega-se agora na bolacha na vertical e roda-se

in: Cozinha Tradicional Portuguesa, Editorial Verbo.

de modo a alourar tam-

R e t i r a d o

bém os bordos.

www.gastronomias.com/ receitas/rec0616.htm p

d e


PARA SABOREAR... DELICIA DE

molho em água fria. Abra

em raio, os palitos de

as latas de leite conden-

champanhe, previamente

sado

mergulhados no café.

para

uma

tigela

grande e bata com a

NATAL

varinha mágica até obter um creme.

creme e disponha nova camada

Ingredientes:

b2

Escorra a gelatina e latas de leite condensado;

b 10

Cubra com o restante

folhas de gelatina;

dissolva-a no rum bem quente. Junte a gelatina derre-

de

palitos,

desencontrados dos primeiros. Leve ao frigorifico até ficar firme.

b 0,5 dl de rum; Retire o aro da forma,

b 10 claras;

coloque num parto de

b 200 g de palitos de

servir e polvilhe com as amêndoas laminadas.

champanhe;

b 2 dl de café;

Enfeite com bagos de

b amêndoas em falhas;

tida ao leite condensado

romã.

e continue a bater.

b bagos de romã.

SUGESTÃO: esta sobreÀ parte, bata as claras

mesa também é óptima

em castelo bem firme.

servida

Adicione 1/3 das claras

Nesse caso, introduza no

Ponha as latas de leite

em castelo ao creme de

congelador

condensado na panela de

leite condensado e bata

trinta minutos antes de

pressão, cubra com água

com a varinha até

servir. p

e leve a cozer durante

bem.

Preparação:

ligar

como e

gelado. retire-a

uma hora. Depois, envolva suaveDepois de ter deixado

mente as restantes cla-

escapar a pressão, retire

ras na mistura anterior. Deite metade do prepa-

as latas da panela e deixe arrefecer. Ponha as

E D IÇ ÃO N. º 2

rado folhas

de

numa

forma

de

mola, por cima disponha,

Página 29


PARA RIR...

ANEDOTAS O Susto… Num voo comercial, o piloto liga o microfone e começa a falar aos passageiros: - Bom dia, senhores passageiros, neste exacto momento estamos a 9 mil metros de altura a sobrevoar a cidade de .............OHHHHHHH, MEU DEUS!!!!! E os passageiros escutam um grito pavoroso, seguido de um barulho infernal: - NÃÃÃÃÃOOOOOOO!!! SPLECT!!! SPLOFT!!!!!! Segundos depois, liga o microfone de novo e, rindo-se, desculpa-se: - Desculpem-me, bati na bandeja e a minha chávena de café caiu em cima de mim. Deviam ver como ficou a parte da frente das minhas calças!!! E um dos passageiros gritou: Grande sacana!! Venha aqui ver como ficou a parte de trás das minhas!!!

Pijama

do

Amor

A jovem de 18 anos foi passar o fim-de-semana a casa dos avós. À noite, a moça vai para o quarto e tira a roupa toda e deita-se. A avó entra no quarto e pergunta assustada: - O que é isso, minha neta ? - Isso o quê!? - Aí, sem roupa… - Não vó, estou a usar o pijama do amor! - Bem fixe! - diz a avó. Chega a outra noite, o velhinho entra no quarto e vê a mulher nua. - O que é isso mulher ? - Isso o quê, meu velho? - Aí, deitada sem roupa? E a velha responde: - Não estou sem roupa, estou a usar o pijama do amor… E o velho: - Pelo menos podias ter dado uma passagem com o ferro…

A Viagem Um sujeito leva a esposa e a sogra para conhecerem Jerusalém.

Página 30

Chegando lá, a velha não aguenta a emoção de conhecer a Terra Santa, tem um ataque cardíaco e morre. Depois de tomar as providências necessárias, o casal descobre que a transladação do corpo de volta para Portugal custará 10.000 dólares. - Amor - diz a esposa se quiseres, podemos enterrá-la aqui mesmo. Eu não me importo. - Não! - diz o marido aqui em Jerusalém, não a enterro de jeito nenhum! - Mas porquê, amor ? - Houve um homem que foi enterrado aqui, e passados 3 dias ressuscitou… Califórnia Dois indivíduos esbarraram um com o outro ao voltar uma esquina. − Oh, perdão! – Ora essa! – Mas espere... Parece-me que já vi o senhor não sei onde… – Também eu. – Seria na Califórnia? – Nunca estive na Califórnia… – Também eu não. – Ah! Então não somos nós. Desculpe.


PARA QUEBRAR A CABEÇA...

passatempos Sudoku é um jogo de raciocínio e lógica. Apesar de ser bastante simples, é divertido e viciante. Basta completar cada linha, coluna e quadrado 3x3 com números de 1 a 9. Não há nenhum tipo de matemática envolvida.

Horizontal

Vertical

1. Capital da Áustria

1. Capital da Lituânia

2. Capital da Bélgica

3. Capital do Reino Unido

4. Capital da Eslovénia

5. Capital da Roménia

6. Capital do Chipre

7. Capital da Grécia

10. Capital de Malta

8. Capital da Estónia

12. Capital de Portugal

9. Capital do Luxemburgo

14. Capital da Polónia

11. Capital da Espanha

15. Capital da Alemanha

13. Capital da Irlanda

16. Capital da Hungria

17. Capital dos Países Baixos

18. Capital da Finlândia

19. Capital da Letónia

20. Capital da Suécia

21. Capital da França

21. Capital da Rep. Checa 22. Capital da Eslováquia 23. Capital da Itália 24. Capital da Dinamarca 25. Capital da Bulgária

E D IÇ ÃO N. º 2

Página 31


CONCURSO No próximo dia 13 de Março

decorrerão

QUINTOS

CAMPEONATOS

NACIONAIS

O VILÃOZI NHO

ESTABELECIMENTO VILA MAR Largo do Lazareto 9050-165 Funchal Tel.: 291 224 888 Fax: 291 233 259 Correio electrónico: http://escolas.madeiraedu.pt/evmar/

DE

MATEMÁTICOS,

lugar

o jornal do

na

(bem

JOGOS

que terão

inscrição e mostra o teu poder! Boa sorte e boa viagem!

Covilhã

perto

da

Serra da Estrela!). Para

pode re s

representar escola

a

tua

nesta

competição, tens de efectuar

profarosarioantunes@ hotmail.com

os

Procura o boletim de

uma

inscrição, junto do teu

professor

Matemáti ca,

de de

forma a passares as eliminatórias,

para

que consigas atingir a grande final.

O presepio ... ao vivo.

Vilãozinho N.º 2  

Jornal do Estabelecimento Vila Mar

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you