Issuu on Google+

MAPA DA MINA O BRASIL NA ROTA DAS GRANDES MARCAS DE LUXO

VIAGEM GUSTATIVA OS PATRIMÔNIOS GASTRONÔMICOS DA FRANÇA

MERCADO DE ARTE ECONOMIA FORTE MUDA O PERFIL DOS COLECIONADORES

E MAIS: A VIDA DE ETY FORTE E ESTRELA LEMINSKI I DESIGN NACIONAL CONTEMPORÂNEO I VIAGEM AOS PAÍSES BÁLTICOS


EDITORIAL

Luxo de cara nova

P

or tradição, no mês de março dedicamos uma edição inteira para falar de luxo. Pensar em como essa palavra é usada e interpretada atualmente, por si só, já rende uma porção de matérias interessantes. Ainda mais considerando que o mercado de luxo está em franca expansão, apesar da crise econômica que afeta os mercados da Europa e dos Estados Unidos. A expectativa é que o consumo total de produtos de luxo em 2012 alcance um número recorde de 59 bilhões de euros, segundo um relatório oficial da World Luxury Association. Mostramos nesta edição que o Brasil nunca esteve tão na mira das grandes marcas de luxo como agora, e que a expansão desse mercado já produz reflexos em Curitiba. Um deles é a vinda da grife Tiffany para o Pátio Batel, o mais novo shopping da cidade. A repórter Bia Moraes conta o mito e a história que há por trás dessa marca, sinônimo de luxo e romance.

O também pujante mercado de arte vem mudando o perfil dos colecionadores. A repórter Paula Melech mostra o que move esses amantes profissionais da arte a formar e preservar grandes e importantes acervos particulares. Nas páginas dedicadas a viagens, sugerimos um roteiro histórico e cultural pelos Países Bálticos, as novas pérolas da Europa. Ainda no continente, apresentamos uma rica e deliciosa seleção de produtos de terroir fabricados no interior da França. E não poderia haver momento mais adequado para inaugurarmos mudanças no projeto gráfico da revista, concebido por Iraisi Gehring, nossa talentosa diretora de arte. Tudo cuidadosamente pensado para deixar a revista mais sofisticada, bonita, fácil e agradável de ler.

Alice Duarte, editora-chefe alice@topview.com.br

A TOP VIEW pode ser acessada na íntegra em seu tablet. Basta baixar o aplicativo gratuitamente na Apple Store, escolher a edição e ler o conteúdo completo. Todas as revistas publicadas desde janeiro de 2011 estão disponíveis.

Errata: Ao contrário do que foi informado na matéria “Carnaval do Rock” (Edição 136, de fevereiro), quem organizou o Zombie Walk nos últimos quatro anos foram Docca Soares e Flávia Noguera. Bruno Hoffmann e Thiago Rubini idealizaram somente as primeiras edições.

CAPA foto Hebert Coelho styling e produção de moda Clé Carrer modelo Aline Thiel (JOY Model Management Curitiba), usa vestido Pedro Lourenço para Bazaar Fashion, casaco D&G para Capoani, brinco e anéis Fabrizio Giannone.

14

, março 2012


NESTA EDIÇÃO

CARTAS

Eleonora Greca

“Parabenizo toda a equipe da revista Top View

Hoje em dia é muito difícil encontrar jornalistas humanos,

pela brilhante matéria “Em xeque”, publicada

que ao escrever uma matéria sintam-se no lugar do

em fevereiro no encarte MORAR Curitiba,

entrevistado, captando todas as energias que percorrem

com as perspectivas do mercado imobiliário.”

seus corpos no momento. Acho que a repórter Bia Moraes,

Jeferson Paulo Casagrande

de uma maneira muito especial, conseguiu isso ao escrever

Diretor do Grupo Casagrande

o perfil de Eleonora Greca na edição de fevereiro da Top View. Sou suspeito para falar qualquer coisa sobre ela,

“Prezada Cintia Peixoto, receba meus cumprimentos

mas é a primeira vez que li uma matéria como se a própria

pela qualidade e profissionalismo de seu trabalho.

Eleonora estivesse se entrevistando. Captar a alma de uma

O sucesso da revista Top View, orgulho de todos

artista é para poucos, e vocês conseguiram isso e muito

nós paranaenses, é notório e merece registro.”

mais. Parabéns!”

Renato Barroso

Wanderley Lopes

Jornalista e proprietário da

Bailarino, coreógrafo e produtor cultural

Editora Correio Paranaense Ltda

twitter

@redacaotopview

CANAL COM O LEITOR >> A TOP VIEW quer ouvir a sua opinião sobre o conteúdo da revista. Por isso abrimos um canal para você

facebook

enviar seus comentários, críticas e sugestões de reportagens. Entre em contato pelo e-mail faleconosco@

View Editores Curitiba

topview.com.br ou envie cartas para o endereço: Rua Fernando Simas, 252. Batel. Curitiba PR. CEP 80430-190

EXPEDIENTE Publisher Cintia V. Peixoto

cintiapeixoto@topview.com.br

Editora-chefe Alice Duarte DRT-PR 4624 • alice@topview.com.br Redação Alexandre Lara Fabiane Tombely

fabiane@topview.com.br / Paula Melech • paulamelech@topview.com.br

Projeto gráfico e direção de arte Iraisi Gehring • iraisi@topview.com.br Design Diego Fernando Olejnik • diego@topview.com.br Leonardo Henrique Stawski • leonardo@topview.com.br / Natalia Richert • natalia.richert@topview.com.br Tratamento de imagens Pixel Diver Revisão Fausto Machado Tiemann Produção Gráfica Malu Tavares CTP, impressão e acabamento IBEP Gráfica Colunistas Andrea Vieira, Guilherme Rodrigues, Nadyesda Almeida, Nemécio Müller e Ruy Barrozo Colaboradores Abonico Smith, Bia Moraes ,Carolina Gomes, Cláudia Slaviero, Fernanda Peruzzo, Juliana Reis e Luís Pellanda Diretora-comercial Cintia V. Peixoto Publicidade Lúcia Garcez Duarte, Neuri Júnior e Regina Rocha • comercial@topview.com.br Logística Franciele Cristina Pires • logistica@topview.com.br Assinatura Central de Atendimento (41) 3016-0060, de segunda a sexta, das 9 às 18 horas • assinatura@topview.com.br View Editores Rua Fernando Simas, 252. Batel. Curitiba. CEP 80430-190 • Tel.: (41) 3322-6000 e 3016-0060 • www.topview.com.br Efetuando sua assinatura, seu nome será incluído na lista de clientes preferenciais da Editora, que poderá cedê-lo a empresas idôneas para fins de divulgação e promoção de produtos

E D I T O R E S

de seu interesse. Caso não queira fazer parte desta lista, escreva para a revista. As matérias assinadas não expressam necessariamente a opinião da revista TOP VIEW Curitiba. E D I T O R E S


VIEW

MAKING OFF

Luxo contemporâneo FOTO HEBERT COELHO

FOTO CLEVERSON MIRANDA

Editorial de moda faz uma releitura do luxo e abusa da mistura de conceitos

A desconstrução está presente na mistura entre peças clássicas e contemporâneas.

Um mix entre peças clássicas e contemporâneas, buscando aproximar o conceito tradicional de luxo para algo mais próximo do nosso tempo. Essa foi a ideia empregada no editorial de moda da TOP VIEW deste mês. Para materializar a concepção, a equipe abusou de um recurso original: a desconstrução. A mistura entre tailleurs, jaqueta de couro, peças de tweed e neoprene resultou em algo muito além do óbvio, para realmente agradar os sentidos.

18

A decisão de realizar as fotos em estúdio valorizou as texturas, cores e estampas e destacou ainda mais a extravagância das peças. “Optamos por desconstruir as peças, combinando, por exemplo, tailleur com saia contemporânea e túnica com neoprene”, conta o stylist Clé Carrer. Anéis, pulseiras, colares e brincos seguiram o mesmo caminho dos looks, valorizando a mistura entre joias clássicas de pedras como esmeralda e diamante com o design

atual de peças mais acessíveis. “Deu uma bossa bem interessante”, destaca. A desconstrução está presente também na montagem dos looks, onde estolas e trench coats foram deslocados de seus lugares tradicionais para adornar a cabeça da modelo Aline Thiel. Acessórios deslumbrantes como óculos escuros e lenços completam o clima da elegância, onde a releitura do luxo adota aspectos multiconceituais.

, março 2012


ÍNDICE

52

24 AGENDAS Teatro, shows e exposições

38 NOVIDADES Oscar do luxo, design premiado, arranjos florais e muro Top View

70 Coluna música Quick White Fox

O perfil de Ety Forte, que ajudou a

infantil e terceiro setor

58 Guardiões da arte Colecionadores ajudam a alavan-

Enquanto mercado de luxo não costura segue exclusiva

Dona de múltiplos talentos, assim como seu pai, Estrela Leminski vive e respira arte

112 Menina dos olhos O Brasil nunca esteve tão na mira das grandes marcas de luxo

Casais buscam agências

120 Novo luxo

especializadas para realizar

Mais ligado às experiências e ao

viagens de lua de mel luxuosas

bem-estar, novo conceito floresce

fazer do Hospital Pequeno Príncipe um modelo em atendimento

106 Moda para poucos para de se popularizar, a alta-

74 Céu de Estrela

78 Lua de sonhos PERSONAGENS 52 Coração transparente

168

em nossa era de consumo emocional

ESTILOS 86 Luxo eterno

126 Puretrend

A história da mítica Tiffany,

Os bichos vieram para ficar.

símbolo de luxo, romance e

Depois de colares e pulseiras,

desejo feminino

agora é a vez dos anéis

car novos artistas e a preservar o acervo dos já consagrados

92 Mix sofisticado Editorial de moda traz misturas

66 Livre para experimentar O ator e dramaturgo Marcio Abreu dá vida a novos processos de criação de espetáculos

134 Pet chic

ousadas de peças clássicas e

Lojas especializadas oferecem

contemporâneas

serviços e produtos cada vez mais exclusivos para cães e gatos


ÍNDICE

106

134 Notas elas

156 Coluna Newsport

200

192 Pérolas da Europa

Variedades sobre moda,

Aos 49 anos, o Porsche 911 Carrera

Conheça as atrações dos

consumo e estilo

está mais novo do que nunca

Países Bálticos, as novas promessas do turismo europeu

136 Já era hora Relógios sofisticados e

ESPAÇOS 162 Notas espaços

esportivos para chegar

Lançamentos de design

(com estilo) na hora certa

e arquitetura

SABORES 200 Viagem gustativa Conheça as cinco regiões da França famosas por seu

140 Esportivos de luxo

168 Design brasileiro

Veja os lançamentos de cupês

Criação de mobiliário contem-

das principais montadoras

porâneo tem se destacado pelo

patrimônio gastronômico

208 Coluna Andrea Vieira

uso inovador de materiais

146 Notas gadgets Lançamentos, tecnologia e design

210 Coluna Guilherme Rodrigues ARREDORES

178 Paraíso baiano Tivoli Ecoresort Praia do Forte é um

148 Notas eles Variedades sobre moda,

verdadeiro refúgio para quem busca sofisticação em meio à natureza

consumo e estilo

150 Objetos de desejo

188 O melhor das cidades Roteiro luxuoso em Nova Iorque

Bicicletas superestilosas para você manter a saúde e preservaro meio ambiente

190 Notas arredores Viagens, roteiros e destinos

226 Crônica Luís Henrique Pellanda


AGENDA

EXPOSIÇÃO

Santas Mulheres Exposição Santas Mulheres retrata e homenageia a essência do feminino

O objetivo do projeto é mostrar a mulher real, que trabalha duro no dia a dia.

R

24

efletir sobre o papel da mu-

uma em vídeo (com as imagens das

lher na sociedade contem-

personagens). Cada tela será adota-

porânea. Pode-se dizer que

da por um padrinho ou madrinha, que

este é o objetivo de Santas Mulheres,

após a exposição passa a ser seu novo

do artista João Evangelista. A exposi-

proprietário. Entre os parceiros do pro-

ção é também uma homenagem a elas,

jeto estão a joalheria Aristides Class, a

que trabalham em várias áreas e contri-

fábrica de automóveis Nissan, a em-

buem, a seu modo, para a melhoria dos

presa Moldura Minuto, a Livrarias

lugares onde atuam. O artista irá retra-

Curitiba, Fernando Pires e a TOP VIEW.

tar 20 personagens da cidade em telas

O lançamento oficial da exposição

de 1,00 m x 1,20 m. “A ideia é mostrar a

acontecerá no Castelo do Batel no dia

mulher real, que trabalha duro em seu

10 de abril. No dia 12, haverá um debate

dia a dia”, diz Evangelista. Todas as

na Livrarias Curitiba do ParkShopping

mulheres retratadas estarão calçando

Barigüi com o tema: O Papel da Mulher

SERVIÇO

sapatos Fernando Pires, o mais concei-

na Sociedade Contemporânea. Após o

SANTAS MULHERES

tuado designer de sapatos do Brasil.

evento, as telas serão distribuídas para

O artista também vai fazer duas

as cinco principais lojas das Livrarias

Livrarias Curitiba

instalações: uma em áudio (com sons

Curitiba e ficarão em exposição

De 16 de abril até 18 de maio

de sapatos e declamação de texto) e

durante 30 dias.

www.evangelista.art.br

, março 2012


AGENDA

TEATRO

Abram as cortinas Com oito estreias, Festival de Teatro de Curitiba abre em março o calendário cênico

Espetáculo Eclipse, do Grupo Galpão, faz parte da programação do evento.

O

26

cenário da capital parana-

tiba. Música, gastronomia, shows de

ense será outro entre os

humor, mágica, dança, improviso, ci-

dias 27 de março e 8 de

nema e debates se juntaram às lin-

abril, quando o Festival de Teatro de

guagens teatrais nessa imensa vitri-

Curitiba toma conta de teatros e espa-

ne de talentos.

ços públicos. Serão 13 dias em que a

O festival manteve as característi-

cidade se transformará em um imenso

cas que o consagraram, como estreias

palco e receberá artistas, jornalistas,

nacionais e atrações internacionais,

produtores e plateias de todos os can-

e continua a promover o encontro de

tos. Esta é a 21ª edição, marcando a

grandes nomes das artes cênicas bra-

maioridade plena deste que é um dos

sileiras. A peça espanhola Los Pájaros

SERVIÇO

principais festivais de teatro do Brasil.

Muertos abrirá oficialmente a progra-

FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA

Há mais de quatro anos, ele é o

mação, com apresentação gratuita no

carro-chefe de uma grande reunião

Largo da Ordem. Neste ano, a Mos-

De 27 de março e 8 de abril

de manifestações culturais abrigadas

tra terá 29 espetáculos de seis estados

Bilheterias no Shopping Mueller,

sob o Festival de Curitiba, ao lado de

brasileiros e dois internacionais (Espa-

Palladium Shopping Center e

outros eventos já consagrados como

nha e Inglaterra). Desse total, oito são

Parkshopping Barigüi

o Risorama, o Gastronomix e o Guri-

estreias nacionais.

www.festivaldecuritiba.com.br

, março 2012


AGENDA

EXPOSIÇÃO

Herdeiro da Louis Vuitton FOTO DIVULGAÇÃO

Mostra relembra a trajetória do estilista Marc Jacobs na história da marca

Jacobs inovou inserindo uma nova linguagem na Louis Vuitton

Q

uem admira a fase de Marc

a atenção da maior parte do público

Jacobs na Louis Vuitton

são as peças assinadas por Jacobs. Em

tem uma chance única

15 anos à frente da marca, ele transfor-

para conhecer a trajetória do estilista

mou a grife em uma das mais cobiça-

norte-americano na história da grife. A

das no mercado de luxo, conquistando

exposição Louis Vuitton – Marc Jacobs

a fidelidade de celebridades como Ma-

permanece em cartaz até 16 de setem-

donna e Blake Lively.

bro no Museu de Artes Decorativas do

Com a intenção de aliar o apelo

Louvre, em Paris. A mostra traz um pa-

do exclusivo com o mercado de con-

ralelo entre o fundador, que iniciou o

sumo, Jacobs inovou inserindo uma

negócio com malas e artigos de couro

linguagem pop na LV, contando com

em 1854, e a evolução para a linha de

parcerias de artistas como Stephen

roupas criadas por Marc Jacobs.

Sprouse, Takashi Murakami e Richard

SERVIÇO

Cada um dos criadores terá direi-

Prince. Essa transformação ficou evi-

EXPOSIÇÃO LOUIS VUITTON –

to a um andar inteiro dedicado às suas

dente, por exemplo, no desfile da cole-

MARC JACOBS

peças. Serão apresentadas joias do

ção primavera 2012, quando modelos

acervo de Louis Vuitton, assim como

desciam de um carrossel com vesti-

Até 16 de setembro

um dos primeiros baús feitos em 1869

dos cortados a laser.

Museu de Artes Decorativas do Louvre, Paris

pelo estilista. Mas o que deve chamar

28

www.lesartsdecoratifs.fr

, março 2012


AGENDA

SHOW

Swingão Mark Lambert & Orquestra Rádio Swing se apresentam na Caixa Cultural

De Frank Sinatra a Jobim, a Rádio Swing traz um mix de ritmos do Brasil e Estados Unidos.

A

30

Rádio Swing é uma via-

A banda irá interpretar composi-

gem musical e visual

ções de Noel Rosa, Cole Porter, Wal-

através das décadas dou-

dir Azevedo, Benny Goodman, Tom

radas do Brasil e dos Estados Uni-

Jobim, Luiz Gonzaga, Duke Elling-

dos, dos anos 30 aos 70, liderada pelo

ton, Heitor Villa-Lobos, Ray Charles,

cantor, guitarrista e arranjador Mark

Wilson Simonal, Louis Jordan, Tim

Lambert. O show ilumina as diferen-

Maia, James Brown, Caetano Veloso,

ças e as semelhanças dos dois maio-

Sly & the Family Stone, Banda Bla-

res países do continente americano,

ck Rio, entre outros. Mark Lambert

recriando no palco um tempo em que

será acompanhado por Jessé Sa-

gângsteres brindavam com estrelas

doc (trompete/flugelhorn), Marcelo

SERVIÇO

do cinema, presidentes frequentavam

Martins (sax tenor e soprano), Julio

MARK LAMBERT &

teatro de revista, casais dançavam e a

Merlino (sax alto/flauta/percussão),

ORQUESTRA RÁDIO SWING

rádio emitia o som que ditava as on-

Wanderson Cunha (trombone), Vitor

das. Sinta o swing do Harlem e o ma-

Gonçalves (piano/acordeão/sax alto),

De 23 a 25 de março

xixe de Carmen Miranda.

Jefferson Lescowich (baixo acústico

Caixa Cultural

e elétrico), Jimmy Duchowny (bate-

Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro

ria), além da cantora Alma Thomas.

www.caixacultural.com.br

, março 2012


AGENDA

SHOW

Festa sertaneja FOTO DIVULGAÇÃO

Curitiba Country Festival chega à sexta edição

Paula Fernandes, Fernando & Sorocaba e Cesar Menotti & Fabiano são atrações confirmadas e vão se apresentar no palco principal do festival.

F

32

ãs da música sertaneja não

Tudo começou em 2007 com o en-

podem deixar de conferir

contro de Bruno & Marrone, Cesar Me-

o maior evento country do

notti & Fabiano e Edson & Hudson,

país, que novamente acontece na ca-

quando a Pedreira Paulo Leminski ain-

pital paranaense. O Curitiba Country

da era palco de grandes shows. Para

Festival está com data marcada para

surpresa de muitos, o público foi recor-

o dia 24 de março, na Arena Expo-

de. Cerca de 22 mil pessoas acompa-

trade. A CWB Brasil, idealizadora do

nharam e curtiram as cinco horas de

evento, pretende repetir o sucesso

apresentações. A partir dali, o festival

dos últimos anos, aliando megaorga-

conquistou o país e começou a circular

nização e infraestrutura de primeira

ano após ano por outras cidades como

com as maiores atrações do gênero.

Londrina, Maringá, Balneário Cambo-

SERVIÇO

Quem já tem presença confirmada é

riú e Florianópolis. Curitiba, sendo a

CURITIBA COUNTRY FESTIVAL 2012

a cantora Paula Fernandes e a dupla

pioneira do encontro, que reuniu 40

Fernando & Sorocaba, que farão parte

mil pessoas no ano passado, é sem-

Dia 24 de março

do elenco do palco principal.

pre a primeira parada do show. Quem

Arena Expotrade

está curioso para saber do restante das

Rod. João Leopoldo Jacomel, Pinhais

atrações pode ficar de olho no site ofi-

(41) 3315-0808

cial: www.countryfestival.com.br.

www.diskingressos.com.br

, março 2012


AGENDA

EXPOSIÇÃO

Realidade orgânica Exposição documenta a vida que acontece fora dos estúdios fotográficos

As fotos retratam a interação natural do homem com a natureza.

R

evelar a essência da re-

Para conferir ainda mais realida-

alidade é a proposta da

de à exposição, as fotografias dis-

exposição intitulada Fo-

pensam grandes edições com efeitos

tografia Orgânica, de Juh Moraes e

que desfigurem o momento real e são

Viviane Rodrigues. Aberta ao público

exibidas de maneira pura. A exposi-

desde o dia 17 de fevereiro, no Quin-

ção fica aberta até o dia 31 de março.

tana Café & Restaurante, a mostra é

Para admirar as obras, o visitan-

para amantes da fotografia ou para

te conta ainda com o vasto cardápio

quem gosta de momentos culturais

do Quintana Café & Restaurante, ela-

SERVIÇO

únicos. Retratando a vida que acon-

borado a partir de produtos orgâni-

EXPOSIÇÃO FOTOGRAFIA ORGÂNICA

tece fora dos estúdios fotográficos

cos e inspirações gastronômicas do

e baseada no conceito da essencia-

mundo todo. O espaço também ofe-

Quintana Café & Restaurante

lidade do orgânico, a mostra docu-

rece uma seleção vasta de cafés clás-

Av. Batel, 1440, Batel - Curitiba

menta a interação natural do homem

sicos e especiais, chás, sucos, doces,

A exposição está aberta todos os dias,

com a natureza e a beleza dos acon-

tortas e bolos.

de segunda a sexta-feira das 11h30 às

tecimentos espontâneos, como os

17h00 e sábados, domingos e feriados

olhos “mansos” dos apaixonados e

das 11h30 às 16h.

um dia tipicamente chuvoso.

(41) 3078-6044 e (41) 3078-8944 www.quintanacafe.com.br

34

, março 2012


AGENDA

SHOW

Brasilianos 3 FOTO DIVULGAÇÃO

Bandolinista carioca Hamilton de Holanda sobe ao palco da Caixa Cultural

Em sua carreira, Hamilton já dividiu o palco com importantes nomes da música nacional e internacional.

A

Caixa Cultural apresenta o

trumento com velocidade nos solos e

projeto autoral Brasilianos

improvisos, inspirando uma nova ge-

3, de Hamilton de Holanda,

ração e um novo som, passeando pelo

considerado o maior/melhor bandolinis-

jazz, samba, rock, pop, lundu e choro.

ta do mundo, e seu quinteto. Inspirado

Sua versatilidade permite se apresen-

em grandes nomes da música brasilei-

tar com propriedade em qualquer for-

ra, como Pixinguinha, Jacob do Bando-

mação: solo, orquestra, duo, power trio,

lim, Baden Powell e Egberto Gismonti,

quinteto, entre outras. Hamilton vem

o show quer aproximar o público do

flertando cada vez mais com o mundo

mundo da música instrumental. Co-

clássico, como na composição da Sin-

nhecido como o “Jimmy Hendrix do

fonia Monumental para os 50 anos de

SERVIÇO

bandolim” na imprensa americana,

Brasília, projeto que estreou com a Or-

BRASILIANOS 3, DE HAMILTON

Hamilton reinventou o instrumento, li-

questra Nacional da França em Mon-

DE HOLANDA

bertando-o do legado de algumas de

tpellier. Foi indicado como melhor gru-

suas influências e gêneros.

po no Prêmio da Música Brasileira 2011,

De 16 a 18 de março

além de ser convidado como solista

Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro

para diferentes orquestras e projetos.

(41) 2118-5111

Com 30 anos de carreira, o músico acrescentou duas cordas às oito do bandolim tradicional, e maneja o ins-

36

www.caixacultural.com.br

, março 2012


NOVIDADE

OSCAR DO LUXO

Marcas preciosas FOTO DIVULGAÇÃO

World Luxury Association divulgou a lista das 100 grifes de luxo mais valiosas do planeta

Harley-Davidson Road King Classic. A marca é uma das mais valiosas.

C

onsiderada a maior organi-

De acordo com o relatório, a ex-

zação internacional de pes-

pectativa é que o consumo total de

quisa e gestão de marcas

produtos de luxo durante o ano de

de luxo do mundo, a World Luxury As-

2012 alcance 59 bilhões de euros, um

sociation elencou as 100 grifes de luxo

valor recorde.

mais valiosas do planeta, divididas em dez categorias diferentes: moda, joias,

As principais marcas da lista,

relógios, carros, iates, bebidas, cosmé-

que ficaram em primeiro lugar em

ticos, aviões, resorts e marcas inova-

cada categoria, são:

doras. O lançamento oficial do evento, conhecido como o “Oscar do Luxo”,

• Hermès

aconteceu em janeiro, em Pequim.

• Gulfstream

A lista Top 100 da WLA baseia-se

• Azimut

na influência das marcas de luxo em

• Rolls-Royce

escala global – além de fatores como

• Cartier, Patek Philippe

cota de mercado, feedback do consu-

• Chanel, L´or De Jean Martell

midor e outros escores compostos –,

• Wakaya Club

sendo atualmente um dos rankings

• Harley Davidson (foto)

mais confiáveis do mundo.

38

, março 2012


NOVIDADE

FLORES

E vejo flores em você Manu Daher inaugura loja de arranjos florais no Batel Soho

Sensibilidade, técnica, ousadia e elegância são características dos arranjos de Manu Daher.

A

designer de flores Manu

A decoração de Manu tem estilo

Daher inaugurou sua pri-

contemporâneo e preza muito os deta-

meira loja aberta ao pú-

lhes. A designer morou em Paris, onde

blico. Há dez anos comandando o

cursou Civilização Francesa na Sor-

ateliê Engenho Flores & Design, es-

bonne e descobriu seu talento para o

pecializado em festas, eventos, en-

design floral. “Sempre fui apaixonada

contros, instalações cenográficas e

pela natureza e por flores. Lá eu des-

vitrines temáticas, ela traz agora um

cobri que poderia unir a arte à compo-

espaço com arranjos florais únicos e

sição floral”, revela. Depois da experi-

prontos para levar para casa. O proje-

ência na Cidade Luz, seu vínculo com

to da loja leva a assinatura do arqui-

a profissão só aumentou. Manu man-

teto Maurício Pinheiro Lima e o dife-

terá seu ateliê no bairro Mercês e na

SERVIÇO

rencial são as coleções que seguem

loja oferecerá, além de arranjos pron-

MANU DAHER ARRANJOS FLORAIS

tendências de design e cores de flores

tos para presente, serviços de manu-

e plantas da estação.

tenção para residências e empresas.

Rua Presidente Taunay, 543, Batel (41) 3222-8334 www.manudaher.blogspot.com www.manudaher.com

40

, março 2012


NOVIDADE

MURO TOP VIEW

Esculturas musicais FOTO DIVULGAÇÃO

Janete Mehl materializa formas fluidas na obra que estampa o muro da View Editores

A artista busca inspiração na música, que dita a harmonia da composição.

A

musicalidade é o conceito

trabalho. “Entro em um processo de

que permeia a obra de Ja-

meditação. As cores e formas surgem

nete Mehl. Por meio dela

naturalmente.”

surge o processo criativo que se ma-

A artista, que comemora 27 anos de

terializa em formas fluidas, como o tra-

carreira em 2012, lançou em 2006 o livro

balho que estampa neste mês o muro

Espelho D´Água com uma coletânea de

da View Editores. Utilizando tiras de

seus trabalhos. Inquieta, gosta de colo-

chapas de aço, a artista segue o movi-

car suas ideias no papel. Entre os próxi-

mento da música para concretizar seu

mos planos, destaca-se um projeto que

projeto de escultura e pintura. A inspi-

pretende investigar a relação entre pin-

ração vem das notas musicais, que di-

tura, música e escultura, principais fo-

tam a harmonia entre o claro e escuro,

cos do seu trabalho. Autodidata, Janete

o forte e o fraco e, por fim, a composi-

trabalhava como desenhista cartográfi-

ção final das obras.

ca antes de partir definitivamente para

Ao som de música clássica, de preferência Bach, Mozart e Vivaldi, Janete é intuitivamente guiada por graves e agudos que imprimem o ritmo a cada

42

o universo artístico. “O meu gosto por linhas vem daí”, ressalta. Mais informações sobre a artista: www.janetemehl.com.br

, março 2012


NOVIDADE

LIVRO

Floresta de araucárias Reedição de Pinheiros é ampliada e lançada junto com exposição das obras

Entre os artistas incluídos na obra estão Borges Junior, Cassio Mello, Edilson Viriato, Ikoma, Jair Mendes, Ricardo Koch e Tereza Koch.

C

44

antadas em verso e prosa,

A diretora do Solar do Rosário e

as araucárias são indiscuti-

idealizadora do projeto, Regina Ca-

velmente marca registrada

sillo, conta que a publicação do livro

do nosso estado. Como uma das gran-

em 2006 tornou-se emblemática e que

des ações para comemorar os seus 20

a repercussão foi além da imaginada.

anos de atividades culturais, o Solar do

“No livro foram reproduzidos trabalhos

Rosário lança no dia 18 de março mais

de 14 artistas, mas o tema é inesgotá-

SERVIÇO

um livro viabilizado através da Lei

vel e encanta tanto aos naturais do Pa-

LANÇAMENTO DO LIVRO PINHEIROS,

Rouanet, com patrocínio das empresas

raná como aos forasteiros. Autoridades

COM EXPOSIÇÃO DAS OBRAS

Blount, Trützschler, Roca, Tesa e Volvo.

estrangeiras e nacionais foram presen-

A nova edição de Pinheiros foi revisa-

teadas com o livro e Sua Eminência, o

Abertura no dia 18 de março

da e ampliada com obras de mais 23

Papa Bento XVI, recebeu a publicação

Galeria de Arte Solar do Rosário

artistas, entre quadros e esculturas,

de presente juntamente com outras

Rua Duque de Caxias, 4, Largo da

além dos trabalhos dos 14 artistas pre-

lembranças quando visitou o Brasil”,

Ordem. (41) 3225-6232

sentes na primeira edição. Na mesma

conta. “Sendo assim, apresentamos a

www.solardorosario.com.br

ocasião, será inaugurada uma exposi-

reedição revisada e ampliada, incluindo

Editora: Solar do Rosário

ção com as obras dos artistas.

outros artistas e textos relativos à im-

Valor do livro: R$ 30,00

portância da árvore símbolo do Paraná.”

Entrada gratuita na exposição

, março 2012


NOVIDADE

DESIGN

Verde que te quero FOTO DIVULGAÇÃO

Paranaense recebeu um dos maiores prêmios de design do mundo com o projeto Favo Verde

Favo Verde tem revestimento confeccionado de fibras de coco prensadas.

O

designer paranaense radi-

confeccionado de fibras de coco pren-

cado em Maceió, Eduardo

sada, que fixa vegetações de pequeno

Franco Queiroz, conquis-

porte nas paredes. Além de ser um iso-

tou um lugar de destaque no design

lante termoacústico, favorece o micro-

internacional. Com o suporte para

clima, liberando oxigênio, absorvendo

plantas Favo Verde, recebeu em feve-

gás carbônico e diminuindo a tempe-

reiro, em Munique, Alemanha, o tro-

ratura ambiente.

féu ouro do iF Product Design Award

Eduardo concebeu o produto ain-

– um dos mais importantes prêmios de

da na adolescência, quando estuda-

design de produto do mundo. O único

va no Colégio Positivo, de Curitiba. Na

brasileiro que alcançou o mesmo méri-

época, ele projetou um revestimento de

to foi o designer de luminárias Fernan-

cerâmica para fazer plantio na vertical

do Prado, que venceu nas edições de

e aumentar a quantidade de verde nas

2005, 2007 e 2009.

cidades. O projeto ficou guardado por

Neste ano, entre os 863 produtos

mais de 30 anos, até que descobrisse a

premiados de 38 países, 18 produtos

resistência que a fibra de coco oferece

nacionais receberam o selo iF em di-

quando prensada às resinas naturais.

versas categorias. O Favo Verde, que venceu o iF Ouro, tem revestimento

46

, março 2012


NOVIDADE

COMPRAS

Luxo online Shopping online oferece mais de 500 grifes nacionais e internacionais

Entre as marcas disponíveis, Gucci, Reinaldo Lourenço e Yves Saint Laurent.

O

s fashionistas de Curitiba

lie NK, Emannuelle Junqueira, entre

já devem conhecer, mas

outras. As melhores marcas e butiques

muita gente ainda vai ou-

da Europa e Brasil conectadas em um

vir falar da Farfetch. Operando como

só lugar.

um shopping online, a empresa cria

A empresa investiu no conceito de

uma ponte entre os amantes de moda

marketplace baseada no fato de o Bra-

e as principais marcas, designers e lo-

sil ser o quinto país com maior número

jas do mundo todo. No site, os clientes

de usuários de internet, com estimati-

podem se atualizar com as principais

va de ter faturado R$ 20 bilhões atra-

tendências de moda, ler dicas e maté-

vés do comércio eletrônico somente

rias e conectar-se com as melhores lo-

em 2011. Acessando o site www.far-

jas sem sair de casa.

fetch.com.br, os clientes encontram

A variedade de opções é grande,

mais de 25 mil itens de moda de luxo

com mais de 500 marcas nacionais

com os preços apresentados em real.

e internacionais de luxo disponíveis,

As taxas de importação já estão inclu-

como Gucci, Alexander McQueen, Ba-

sas no valor cobrado e o prazo médio

lenciaga, Comme des Garçon, Marc

de entrega dos produtos internacio-

Jacobs, Paul Smith, Yves Saint Laurent,

nais é de sete dias.

Reinaldo Lourenço, Raphael Falci, Ta-

48

, março 2012


PERFIL

ETY FORTE

Um CORAÇÃO

TRANSPARENTE A vida de Ety Gonçalves Forte é um luxo: cercada de arte e de amor. A artista plástica e ceramista, que ajudou a fazer do Hospital Pequeno Príncipe um modelo no atendimento infantil e no terceiro setor, é pura emoção por Bia Moraes I design Iraisi Gehring I fotos Daniel Katz

E

ty está na fila de um banco em Paris. Curiosa como sempre, dá uma espiada no homem à sua frente, que lhe chama a atenção, sem motivo em especial (o coração dela sempre fala mais alto, e sempre tem razão). O homem parece simples, quase humilde, e segura um cheque. Ety espicha o olhar e percebe que o valor é irrisório. Lá vai ela. Rapidamente inventa uma história e começa a conversar em francês. “O senhor me lembra muito meu avô...” O homem acredita e o papo segue. Ela descobre que aquele senhor é ex-combatente da Resistência Francesa na Segunda Guerra. O cheque é seu soldo mensal. O coração dela se aperta. Oferece dinheiro para o homem, com seu jeito elegante e carinhoso. Convence-o de que está ajudando, simbolicamente, a figura que lhe recorda o avô, que ela tanto amou e de quem tem saudades.

52

“Mentira, né, mas eu não podia ofendê-lo”, me explica Ety. O homem aceita e lhe dá de presente a boina que estava usando – a mesma dos tempos da Resistência. Uma joia para Ety, que ao chegar nesse ponto da história fica com os olhos cheios de lágrimas e interrompe por alguns minutos a entrevista. Quando François D’Agay, sobrinho-neto do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, visitou o Hospital Pequeno Príncipe em 2008, Ety usou aquela boina, homenageando a presença ilustre e a nação da Liberté, Egalité, Fraternité. Assim é Ety Gonçalves Forte. Artista plástica, artesã, voluntária, mãe, esposa. Ela é presidente da Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro, a entidade mantenedora do Hospital Pequeno Príncipe, desde 1966. Os títulos são muitos, mas, antes de tudo, Ety é uma mulher movida pelo coração.

Em seus relatos, impressiona perceber como cada escolha, cada atitude e cada gesto de Ety foram, e são, ditados pelo coração. E todos deram certo – ao jeito Ety de ser. Um cético diria que ela é impulsiva e emocional. Certamente foi vista como maluca e meio destrambelhada por boa parte da conservadora sociedade curitibana ao chegar à capital do Paraná na década de 60, vinda de São Paulo com o marido, o arquiteto Luiz Forte Netto. Ety não pensa muito nas consequências – simplesmente vai e faz. Quer o resultado. Parece irresponsável? Resultado, para Ety, é sempre conseguir o bem. Ajuda para quem precisa. Solidariedade, amor, compaixão. “Não tenho vergonha de pedir, nunca tive. Sempre que necessário, bati na porta dos gabinetes, das chefias, das autoridades. E se precisar, ainda hoje, vou e peço, para quem quer que seja”, decreta.

, março 2012


“Generosidade é algo que se aprende. Sempre fui movida pela emoção, mas tive que ser racional para conseguir o que era preciso para o hospital.”

março 2012,, março 2012

53


PERFIL

ETY FORTE

O jeito Ety de ser fez do Pequeno Príncipe um modelo de hospital infantil. A transformação é notável – de hospital beneficente, mantido por entidade religiosa à base de caridade, para a instituição que hoje é referência em atendimento, terceiro setor, saúde e humanização. Ety Forte comandou uma equipe que vem crescendo ao longo dos anos com a mar-

sabe? Vivia num mundo de Alice no País das Maravilhas, ocupada com a roupa que ia vestir, o cabelo, o esmalte.” O convite para assumir a presidência da associação a deixou deslumbrada, admite. “Presidente, sabe como é? Essa palavra me encantou.”

ca de sua líder: todos trabalham com dedicação e amor. Como ela, movidos pelo coração. Não à toa, as três filhas de Ety – que foram criadas dentro do hospital, comendo a mesma comida e se distraindo com os mesmos brinquedos dos pequenos internos – trabalham no Pequeno Príncipe em funções executivas. Nem é preciso dizer, com a mesma dedicação e amor.

ela convocou freiras e funcionárias do hospital para uma grande faxina e, poucas horas após sua posse como a “importante presidente”, estava ajoelhada no chão do prédio construído no início do século, descobrindo que por baixo da sujeira acumulada havia um belo piso em granitina branca. “Limpeza era a primeira coisa a fazer.” Dá-lhe pasta Jóia, esfregão, mãos machucadas e joelhos ralados.

A REDESCOBERTA A redescoberta de EtyDE ETY Imaginemos a jovem esposa de um arquiteto prestigiado que manda fazer roupa nova, um tailleur elegante com sapatos de salto alto combinando, para a solenidade de sua posse na presidência da Associação Raul Carneiro, e no mesmo dia, à tarde, está ajoelhada esfregando o assoalho do então Hospital de Crianças César Pernetta, sem sapatos, com penteado desfeito e “a gola esvoaçante da blusa pink toda dobrada para não me atrapalhar no serviço”. Coloquemos essa cena no ano de 1966, na Curitiba provinciana da época, e temos um pequeno retrato de Ety Gonçalves Forte. Ela conta que esse dia marcou sua vida como um retorno às origens. “Me redescobri. Eu sempre gostei de ajudar os necessitados. Em São Paulo eu era voluntária desde adolescente. Em Curitiba, estava ficando meio boba,

54

tei. Chamei todo mundo no mesmo dia e expliquei: eu fico, mas vou fazer as coisas do meu jeito. Não vai ter festinha nem glamour.” E lá se foi Ety. Pediu dinheiro para o marido e parou num armazém para comprar vassoura, pano, escovão. “A coisa mais barata que tinha para limpeza era a pasta Jóia.” Encheu o carrinho com o material. Foi assim que

FOGUEIRA MEMORÁVEL Fogueira memorável

pessoas corajosas devem confiar umas nas outras.” ety forte

A moça chique assumiu o cargo assim, encantada, sem nem mesmo conhecer a instituição pela qual seria responsável. Foi logo depois da solenidade de posse que caiu na real. Entrou no Hospital César Pernetta e as pernas bambearam. “A expectativa era que eu fizesse festas, coquetéis e coisas assim, sociais, para arrecadar fundos. Mas eu não gosto de festa, nunca gos-

Histórias de Ety no hospital Pequeno Príncipe são tantas que fica difícil escolher qual delas narrar. A mais emblemática talvez seja do dia em que ateou fogo aos colchões velhos sem ter um tostão em caixa para comprar novos. Ao atender uma menininha doente, descobriu que havia vermes no colchão de palha. Não pensou duas vezes. Chamou seus fiéis funcionários, foi à rouparia, juntou tudo que podia para improvisar camas no chão para os internos, catou os colchões e colocou tudo no pátio. Gasolina, fósforo... e a fogueira levantou tamanha labareda que “por pouco não pegou fogo no hospital”, recorda. Passo seguinte, bem ao estilo Ety, pegou a lista telefônica, achou uma fábrica de colchões e ligou. “Pedi tudo que precisava sem ter dinheiro

, março 2012


Ceramista, tapeceira, artesã: Ety vive e respira cultura. Escolheu, como presente do marido, um um vaso do italiano Sambori em vez de um jogo de móveis novo - quando ainda não tinha nenhum. A sala continuou vazia por anos, mas com uma peça de arte admirável.

, março 2012

55


PERFIL

ETY FORTE

algum. Nem perguntei quanto era. E ainda apressei o pedido, prometeram entregar em dois dias.” Ato contínuo, Ety está no gabinete do então secretário de Saúde (ela não cita o nome por educação): “Pedi, argumentei, implorei e nada. A resposta era um não. Eu estava lá me descabelando, chorando convulsivamente, quando entrou por acaso um assessor, o Nelson Jorge, e me disse: ‘Ety, pare com isso agora, vamos resolver’.” O socorro veio pelas mãos do deputado Aníbal Khury, que pessoalmente fez um providencial telefonema para o secretário. Passadas 48 horas, o hospital tinha colchões e travesseiros de espuma novinhos em folha em todos os leitos. O fornecedor fora pago. De Khury, ela guarda uma importante lição: “Nunca implore quando você acha que tem razão, ele me disse uma vez.”

o Luíz sempre me dizia - levante e assuma suas responsabilidades”.

ety forte

A menina que, aos 14 anos, praticava voluntariado orientada por um professor – o doutor Mário Altenferder da Silva, a quem chama de anjo protetor –, nunca havia deixado de exercer a generosidade. Mesmo nos tempos em que diz ter “virado madame em Curitiba”, seu coração não a deixou ficar parada. Por iniciativa própria, fez trabalhos de tapeçaria com internas do presídio feminino de Piraquara e tocou violão para animar doentes do Instituto do Câncer. Em paralelo, porém, Ety Forte nunca deixou de lado sua veia artística. Tapeceira, artesã, ceramista, desenhista – expressar-se pela arte é mais um ditame de seu enorme coração. A sala de visitas de seu apartamento é uma pequena mostra de sua produção, colorida e intensa como ela, e da verdadeira devoção de Ety pela arte.

Romance indescritível

A

Ety Gonçalves Forte do Hospital Pequeno Príncipe é conhecida. Embora não goste de posar para fotos nem aparecer na imprensa, essa é a sua face mais visível. Mas tive o privilégio de conhecer uma Ety a que poucas pessoas têm acesso: a esposa apaixonada de Luiz Forte Netto. Enquanto conversávamos, o arquiteto chegou em casa. Ao ouvir o barulho da chave, ela pulou da cadeira com a leveza e rapidez de uma menina que vai ao encontro do namorado. Logo ao abrir a porta, Luiz a beijou apaixonadamente: eu vi, então, o casal de namorados que se encontrou há 60 anos em São Paulo. A meu pedido, ela já havia contado a história de como se conheceram. É de perder o fôlego. Basta dizer que, quando viu Luiz pela primeira vez, na casa de uma vizinha – ele com 16 anos e ela com apenas 12 – teve certeza que aquele era o homem da sua vida. “Cheguei em casa e anunciei: já sei com quem vou me

56 VIEW

56

casar. Imagina a cara da minha mãe e tias.” Dois anos depois, em um baile de formatura ginasial, novo encontro, também por acaso. Viram-se na fila de entrada, mas se perderam dentro do imenso salão de festas, lotado de gente. Ety não teve dúvidas. Foi até o bar do clube, arrastou um banco alto para o meio do salão e subiu na traquitana improvisada para achar o amado. Surpresa: em meio ao mar de jovens bailando, lá estava Luís, na outra ponta do salão, também em cima de um banco alto de bar, procurando Ety. Ety e Luís nunca mais se desgrudaram. Casaram-se logo que ele concluiu a faculdade. Juntos decidiram vir para Curitiba. Ela me diz, mais de uma vez, que não seria quem é e não teria feito tudo que fez sem o apoio e o amor dele. Encerro, então, com uma frase sua: “Quando nos abraçamos no meio daquele salão de festa, no momento em que nossos rostos se tocaram, eu tive certeza. Era um reencontro, eu já pertencia a ele.”

, março 2012


PERSONAGENS

COLECIONADORES

FOTO PEDRO MOTTA

Desvio para o Vermelho, de Cildo Meireles, é exibido em Inhotim em caráter permanente desde 2006.

58

, março 2012


Arte

Guardiões da

Com uma paixão herdada de família ou aliada à ideia de investimento, os colecionadores de obras fortalecem o mercado de arte, ajudando a alavancar novos artistas e preservando o acervo dos já consagrados por Paula Melech I design Natalia Richert

P

ouco se fala deles. Raramente dão entrevista ou aparecem na mídia. Mas são eles, os colecionadores de obras de arte que, sem grandes holofotes, fortalecem o mercado de arte e cumprem um importante papel na divulgação e preservação da cultura, já que as maiores coleções do país são particulares. É certo que esse amante especializado das artes não é mais exclusivamente aquele milionário que tem um curador pessoal para administrar seu valioso acervo. O crescimento da economia no Brasil abriu caminho para novos perfis de colecionadores, que, bem informados, iniciam suas coleções garimpando obras por conta própria em galerias,

, março 2012

feiras de arte e casas de leilão. “O colecionador é o grande guardião da cultura. Se não fossem eles, a maioria dos acervos estariam destruídos”, opina a marchand Soraia Cals. No Brasil, um dos principais é Bernardo Paz. O empresário foi quem idealizou o Instituto Inhotim, um santuário da arte contemporânea que ocupa mais de 600 hectares no município mineiro de Brumadinho, pontuado por uma série de pavilhões que abrigam obras de arte e esculturas ao ar livre. A monumental coleção soma cerca de 500 obras e inclui nomes como Pipilotti Rist, Hélio Oiticica e Vik Muniz, servindo como exemplo de sucesso para quem pretende começar uma coleção.

A cultura do colecionismo está muito ligada aos costumes e à maturidade do mercado de arte de um lugar. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, essa atividade está mais desenvolvida por conta de importantes galerias e mostras de arte como a Bienal de São Paulo e a Feira Internacional de Arte do Rio de Janeiro (ARTRIO), que fazem parte do calendário dessas cidades. O reflexo disso é que lá se concentram hoje os maiores colecionadores brasileiros, como Gilberto Chateaubriand, que possui a maior coleção de arte brasileira, com cerca de 7 mil obras, e Luiz Antônio de Almeida Braga, cujo acervo abriga obras de Tarsila do Amaral e Alfredo Volpi, entre outras preciosidades.

59


PERSONAGENS

COLECIONADORES

FOTO CAROL REIS

FOTO MARCO MENDES

O idealizador de Inhotim, Bernardo Paz, abriga um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil.

Curitiba caminha na mesma direção. Ainda que a cidade não tenha colecionadores do mesmo porte, segue no rumo do amadurecimento, com um grupo de pessoas buscando investir em coleções mais expressivas, principalmente focadas na arte paranaense. “Algumas iniciati-

Queremos quebrar o pensamento de que a arte é para poucos.” Guilherme Simões de Assis

Primeiros passos Para quem pretende começar a adquirir obras de arte, um dos passos mais importantes é abastecer-se tanto quanto possível de informações sobre obras, artistas e preços. Atitudes que fazem a diferença são desenvolver o hábito de frequentar exposições e mostras, procurar artistas e temas que despertem interesse e, aos poucos, escolher um foco para a coleção. Um dos principais conselhos compartilhados pelos especialistas no assunto é: não se afobe. “Um acervo não começa do nada. Você começa comprando obras mais simples como desenhos e gravuras, depois chega a quadros mais caros”, diz Soraia Cals. Trata-se, portanto, de uma atividade avessa a imediatismos. Para formar uma coleção, é preciso uma longa dedicação, o que pode significar 30 anos ou mais, segundo a marchand. Outra recomendação é pensar no futuro do acervo. “É importante tomar medidas institucionais para que a obra circule, fique disponível para participar de exposições e mostras em museus”.

60

vas contribuem para a maturação e o crescimento desse mercado. O Museu Oscar Niemeyer cumpre um importante papel nesse sentido, com a vinda de grandes mostras como Cicero Dias e Arcangelo Ianelli”, salienta Waldir Simões de Assis, que foi o curador dessas exposições e um dos precursores do ramo em Curitiba ao fundar em 1984 a galeria Simões de Assis, especializada em arte moderna e contemporânea. Um movimento vem se intensificando na cidade. Cada vez mais, interessados em obras de arte voltam seus olhos para o trabalho de novos artistas que estão despontando. A procura leva em conta, além do deleite estético, a intenção de comprar obras como investimento. Um dos lugares que privilegiam artistas da nova geração é a galeria SIM, dirigida pelos gêmeos Guilherme e Laura Simões de Assis, filhos de Waldir. O objetivo dos jovens é difundir a arte contemporânea, abrindo espaço para o diálogo entre artistas, colecionadores e público.

, março 2012


VIAGEM EM BUSCA ARTE ViagemDA em busca

, março 2012

A arte acalma, inspira, traz elevação.” José Álvaro carneiro

FOTO FERNANDO AGUIAR

“A arte acalma, inspira, traz elevação”. A frase dita por José Álvaro da Silva Carneiro, diretor corporativo do Hospital Pequeno Príncipe, define a razão por que ele se dedica ao colecionismo. Quando viaja, não perde oportunidades: mantém os olhos abertos para peças que o toquem de alguma maneira. Sem a pretensão de comprar arte como investimento, segue o instinto e o faro aguçado herdados do pai, Newton Carneiro, e do tio, o historiador David Carneiro, que reuniu um dos mais importantes acervos do Paraná. A variedade de obras em sua coleção é admirável: objetos de bronze e desenho sobre papel somam a maioria das peças, mas a que chama mais a atenção é um prato pintado por Picasso. Trata-se de uma prova do artista, matriz de onde partiu a inspiração para a criação de uma série de 50 trabalhos. Batizado pelo artista espanhol de Mulher Descabelada, a obra foi adquirida em 1989 na Sotheby’s, uma das mais tradicionais casas de leilão do mundo, localizada em Londres. A história de como arrematou o prato, que está pendurado em uma das paredes de sua sala, Carneiro lembra como se fosse ontem: “Eu e minha mulher resolvemos entrar na Sotheby’s e nos deparamos com uma exposição de pratos e cerâmicas. A gente achava que não ia comprar nada, mas sinalizamos interesse por algumas obras. Quando chegou a vez desse prato, subi o valor para o meu limite, sem imaginar que ninguém ia oferecer um valor maior. Quando foi batido o martelo, até me deu um frio na barriga. Ter um Picasso é muito especial.”

Prato de Picasso é uma das principais obras do acervo de José Carneiro.

61


PERSONAGENS

COLECIONADORES

OLHOS ATENTOS Olhos atentos Movimentar o cenário das artes no Paraná é um dos projetos de vida de Eunapio Torres. Admirador de Bernardo Paz, ele pretende viabilizar em Campo Magro, na Grande Curitiba, um espaço aos moldes do Inhotim, com obras de arte ao ar livre. A ideia é convidar artistas para criarem obras no terreno natural, colocando em prá-

A arte é uma paixão antiga na vida de Torres. De uma família de colecionadores, teve contato com importantes artistas desde pequeno. Ainda na faculdade, nos anos 80, fez a sua primeira aquisição: um óleo sobre tela de Dora Longo Bahia. Mais tarde, o quadro foi trocado por um Leonilson, um dos artistas que mais o inspiram. “Era um sonho ter uma peça dele. Encontrei a obra

Mesmo com a forte sintonia com a arte, Torres começou a trabalhar em um banco e deixou esse lado um pouco adormecido durante 20 anos, ainda que nunca tenha deixado de frequentar museus, exposições e mostras. “Há pouco tempo redescobri esse prazer. Não vejo o colecionismo como investimento financeiro. Cada obra tem uma história que mexe com os

tica a land art – tipo de arte em que, em vez de prover o ambiente para um projeto, o próprio espaço é trabalhado de modo a integrar-se à obra.

na galeria Luisa Strina [em São Paulo], por indicação de um amigo”, recorda. O quadro intitulado Tatoo, de Leonilson, é um dos preferidos do seu acervo.

nossos sentidos e gera reflexão.” Seu próximo objeto de desejo é uma obra de Daniel Senise.

Arte como investimento

FOTO FERNANDO AGUIAR

Eunapio Torres tem especial carinho pela obra Tatoo, de Leonilson.

62

A qualidade e a valorização da produção artística brasileira dentro e fora do país está gerando reflexos. Há pouco mais de dois anos, culminou no surgimento do primeiro Fundo de Investimento em Participações com foco em artes plásticas no país, o Brazil Golden Art (BGA). O objetivo principal do fundo é constituir uma coleção que represente uma parcela significativa da arte brasileira e ofereça grande potencial de valorização. Obras de artistas consagrados como Tunga, Alfredo Volpi e Vik Muniz, para citar alguns exemplos, vêm apresentando uma valorização entre 20% a 60% nos últimos oito anos. A proposta do fundo é também patrocinar artistas e levar coleções para museus ao redor do mundo.

, março 2012


PERSONAGENS

MARCIO ABREU

Ator, diretor, dramaturgo e professor, Marcio Abreu vem se destacando por sua atuação junto à CBT.

64

, março 2012


FOTO ELENIZE DEZGENISK

LIVRE

para experimentar Fundador da Companhia Brasileira de Teatro, Marcio Abreu dá vida a novos processos de criação de espetáculos e ainda vem preparando uma bem-vinda ponte aérea entre Curitiba e Rio de Janeiro por Abonico Smith

I

mpossível falar no teatro paranaense recente sem mencionar o nome de Marcio Abreu. Ator, diretor, dramaturgo e professor, ele vem fazendo de (quase) tudo um pouco desde que se instalou em Curitiba, no final da década de 80. Seu currículo extenso envolve dezenas de montagens teatrais e líricas nos palcos locais, além de cursos, palestras e participações em fóruns e eventos realizados em outras capitais do país. Nos últimos anos, Marcio vem se destacando por sua atuação junto à Companhia Brasileira de Teatro, formada por profissionais reunidos por ele para trabalhar coletivamente na criação de espetáculos a partir da própria realização do projeto. O núcleo, integrado também pelas atrizes e diretoras Giovana Soar e Nadja Naira, projetou-se nacionalmente com a criação de Vida, em 2010. A encenação foi o resultado de um longo período de pesquisas sobre a obra de Paulo Leminski, um dos princi-

, março 2012

pais expoentes literários do Paraná. O sucesso foi tanto que em paralelo à apresentação do espetáculo em festivais e teatros brasileiros o grupo emendou uma nova montagem. No Festival de Curitiba de 2011, veio à tona Oxigênio, desta vez traduzindo em novo texto a musicalidade das palavras do siberiano Ivan Viripaev, nunca antes encenado no Brasil. Apenas seis meses depois, em setembro, levaram uma segunda peça aos palcos na mesma temporada. Foi a vez de Isso Te Interessa?, texto escrito dois anos antes pela francesa Noëlle Renaude, também inédita no país.

Curitiba é uma cidade de autores incríveis e músicos geniais.” MARCIO ABREU

65


PERSONAGENS

MARCIO ABREU

De verdade

DEDEVOLTA AORIO RIO VOLTA AO

FOTO DIVULGAÇÃO

PEÇA QUE ESTREIA NESTA EDIÇÃO DO FESTIVAL DE TEATRO DESVENDA OS BASTIDORES DA BURGUESIA DECADENTE NA EUROPA CENTRAL ENTRE A PRIMEIRA E A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

De Verdade tem sua estreia marcada para o fim do mês de março, na 21ª edição do Festival de Curitiba.

O

s desesperos e desencontros provocados pela solidão a dois são o ponto de partida de Sándor Márai em De Verdade. O vazio provocado pelo fracasso de um casamento outrora muito desejado é o que mexe com a protagonista Ilonka, que percebe o quanto se distanciou de sua paixão juvenil quando o ex-marido Peter se apaixona por Judit, a criada da casa de seus pais. Ela ainda se sente ligada ao antigo parceiro. Entretanto, tem a certeza da impossibilidade da salvação para o seu amor. Criado ao longo de quatro décadas, o romance – publicado no Brasil em 2008 pela Companhia das Letras – é considerado por muitos críticos como a obra máxima do escritor, poeta e jornalista húngaro. Mas os conflitos do

66

amor e do casamento são apenas o pano de fundo para uma história que desvenda os bastidores da burguesia decadente na Europa Central entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Autor de mais de 60 livros, todos escritos apenas em seu idioma natal, Márai ficou conhecido como um grande amante dos valores morais e civis. Insatisfeito com o regime comunista que tomou conta da Hungria após a Segunda Guerra, ele se impôs um autoexílio, passando a morar em países como Suíça, Itália, Inglaterra e Estados Unidos. Esquecido em seu país e entristecido pelas recentes perdas da mulher e do filho, o autor se matou com um tiro na cabeça, aos 88 anos, em 1989, na cidade americana de San Diego.

Seu interesse pelo teatro surgiu ainda na adolescência, quando morava no Rio de Janeiro, onde nasceu. E até hoje ele faz questão de manter um forte vínculo com a cidade. “Desde 2002 procuro fazer com que os espetáculos da CBT façam sua estreia no Rio. Quase todos foram apresentados pela primeira vez aqui”, diz. O advérbio é pronunciado na frase porque desde o início deste ano Marcio Abreu está fixado na Cidade Maravilhosa. E o motivo foi o convite para dirigir uma adaptação de um romance do húngaro Sándor Márai. Protagonizada pelos cariocas Kika Kalache e Guilherme Piva, a peça De Verdade (leia box) tem sua estreia marcada para o fim do mês de março, na 21ª edição do Festival de Curitiba. A estadia no Rio é justificada por ele: os deslocamentos são importantíssimos em uma trajetória artística. “A viagem está na natureza mesma do artista.” Estão sendo tardes e noites de exaustivos ensaios até a chegada da peça na capital paranaense. Nos intervalos, a cabeça não dá sinais de que vá parar tão cedo. Marcio já projeta o próximo espetáculo da Companhia Brasileira – em julho, o grupo leva aos palcos mais um autor francês inédito no Brasil, Joël Pommerat, com o texto Esta Criança. Desta vez, o elenco terá a parceria de um nome de peso na dramaturgia brasileira: Renata Sorrah, que faz atualmente a médica geneticista Danielle Fraser da novela Fina Estampa, da Rede Globo.

, março 2012


FOTO LUANA NAVARRO

Nos intervalos, o dramaturgo não descansa e já projeta o próximo espetáculo da companhia, em coprodução com Renata Sorrah.

“COMO FAZER” O TEATRO “COMO FAZER” O TEATRO Marcio, que não esconde sua empolgação pela presença da atriz carioca, conta que esta nova parceria da Companhia Brasileira não surgiu de uma hora para a outra. “O encontro com a Renata é permeado de entusiasmo e troca contínua. Já alimentávamos essa perspectiva de trabalharmos juntos há quase dois anos. Nesse tempo, fomos trabalhando na peça, que é uma coprodução entre a CBT e a Renata Sorrah.” Sobre a questão de montar autores inéditos nos palcos nacionais, Marcio enxerga tudo como uma consequência de seu trabalho com a companhia

, março 2012

e também suas escolhas profissionais fora dela. “É como se fosse uma obra só. E cada trabalho específico é um momento de manifestação dessa obra, que é permeada por um pensamento sobre o teatro, sobre a arte, sobre o outro, sobre como fazer, mais do que sobre o que fazer. Nessa trajetória, temos alternado experiências de criar dramaturgia, mas também de trabalhar com textos de outros autores, que, de alguma maneira, se relacionem com as questões que fazem parte da nossa pesquisa contínua.” Isso, claro, remonta à bem-sucedida atitude de reinterpretar Paulo Leminski nos palcos. “O trabalho de

criação do Vida teve uma trajetória bastante singular. Ler o Leminski foi uma experiência marcante para mim desde a adolescência, quando me mudei com a família para Curitiba. Foi uma das primeiras leituras que tive na cidade. Junto com isso, o impacto da obra do Raul Cruz. Foram duas referências incendiárias.”

Ler o Leminski foi uma experiência marcante desde a adolescência.”

Marcio Abreu

67


MARCIO ABREU

FOTO ELENIZE DEZGENISK

FOTO DIVULGAÇÃO

PERSONAGENS

2 1. Patricia Kamis e Rodrigo Bolzan na peça Oxigênio: drama baseado no texto de Ivan Viripaev. 2. A montagem Isso Te Interessa?, com texto de Noëlle Renaude, estará no mostra Fringe do festival. 3. CBT projetou-se nacionalmente com Vida, em 2010. Na foto, Giovana Soar, Ranieri Gonzales e Rodrigo Ferrarini.

1

FOTO DIVULGAÇÃO

3

o que ASSISTIR

festival de teatro de curitiba

DE VERDADE_28 e 29 de março, às 21h. Drama. Direção de Marcio Abreu. Com Kika Kalache e Guilherme Piva. Guairinha. R. XV de Novembro, s/n, Centro.

ISSO TE INTERESSA? _1 (20h), 2 e 3 de abril, às 21h Drama. Com a CBT. Teatro HSBC, Av. Luiz Xavier, 11, Centro.

OXIGÊNIO_Dias 7 (21h) e 8 de abril (20h). Drama. Com a CBT. Teatro HSBC. www.festivaldecuritiba.com.br

peças com marcio abreu e a companhia brasileira de teatro no

68

A escolha pode ter sido afetiva, mas a liberdade de criação foi imprescindível. “Desde o princípio a ideia era escrever um texto original, e não fazer uma adaptação de alguma obra dele ou uma colagem de textos. Foi o que fizemos com a CBT.” Foi um ano de pesquisa minuciosa e apaixonada. Desta experiência, criaram um solo a partir de um texto específico, o Descartes Com Lentes, interpretado por Nadja Naira, e o Vida, que Abreu escreveu “despudoradamente”, inspirado por tudo isso. “Muita gente, apesar de não encontrar especialmente textos do Leminski na peça, encontra uma relação estreita com a linguagem dele e com seu espírito livre e múltiplo.” E depois de todo o sucesso de Vida, será que ele pensa em fazer o mesmo com algum outro grande expoente da literatura paranaense? “O estado é uma terra de grandes artistas. Curitiba é uma cidade de autores incríveis e músicos geniais. É possível, sim, que em algum momento eu retorne a algum autor daqui”, entrega. Afinal, suas escolhas são decorrentes de uma bela trajetória baseada na continuidade. Na liberdade. Na experimentação. No exercício de criação.

CYRK _Dia 4 de abril, às 16h e 21h. Musical. Direção de Marcio Abreu. Direção musical do Trio Quintina. Com Yamba Daher. Teatro HSBC.

, março 2012


PERSONAGENS

MÚSICA

quick white fox Misturando rock e eletrônico, o novo grupo curitibano, formado por ex-integrantes do Subburbia, tem se destacado na cena alternativa por Abonico Smith

COMO? Grupo lançou no último carnaval o segundo EP.

Recém-saídas do Subburbia, que ajudaram a fundar em 2007, Mel e Naomi decidiram se concentrar em um projeto que continuasse misturando guitarras com grooves e sintetizadores mas que, ao mesmo tempo, fosse algo menos sombrio, mais colorido e com mais glamour do que a banda anterior. Em meados do ano passado, colocaram em prática o Quick White Fox. POR QUÊ? Com a ajuda da DJ Jô Mistinguett, que produziu o seu EP de estreia, o Quick White Fox tem feito um interessante crossover entre o rock e o eletrônico. As quatro faixas do disco Summer Trip grudam de imediato na cabeça pelas doces linhas melódicas e são um irresistível convite para se esbaldar na pista de dança. Com o sucesso imediato em vários blogs especializados em música alternativa, o grupo não perdeu tempo e lançou junto com o último carnaval o segundo EP, com as mesmas faixas, só que em versões demo ou remixadas. E ainda vem uma música novinha em folha no final de março, She Said, com direito a clipe superproduzido contando a história de um sinistro sequestrador de “japinhas”...

QUEM? Naomi Sakaguchi (voz, guitarra e baixo) Gean Santos (guitarra e baixo) Debs Sakaguchi (teclados e vocais) Mel Toda (bateria e vocais)

70

HEIN? A frase “The quick brown fox jumps over the lazy dog” (a veloz raposa castanha salta por cima do cão preguiçoso) pode ser de um aparente nonsense, mas, na verdade, é um pangrama. Isto é, uma frase que serve para visualizar como ficam impressas todas as 26 letras do alfabeto em determinado tipo de fonte. Mudar a cor da raposa para o branco também não foi algo tão difícil assim para uma banda em que a metade dos integrantes trabalha com design. ONDE soundcloud.com/quick-white-fox (downloads gratuitos dos dois EPs)

, março 2012


PERSONAGENS

ESTRELA LEMINSKI

Céu de

Estrela

Dona de múltiplos talentos, a filha de um dos mais geniais poetas que Curitiba já gerou não se esconde na sombra do pai. Esse turbilhão criativo tem brilho próprio. Com o pai, aprendeu que a arte não se separa do cotidiano. por Bia Moraes

O

pedido de ano-novo de Estrela Ruiz Leminski foi simplesmente “dar conta”. Ela é mãe de dois piás, dá aulas em duas faculdades distantes, mora em São Paulo, ou em Santos, ou em Curitiba; tem um celular com prefixo estranho. Estrela tem vários pais: aprendeu a lidar com todos os Paulos Leminskis de sua existência. Ela escreve, compõe, toca, grava, ensina, filma, edita, publica, posta, canta, brinca, faz shows, busca patrocínio, conclui dissertação de mestrado, dá bronca – mas não sei se Estrela assobia.

74

Também ensinou o marido a empinar pipa para que ele pudesse ensinar aos filhos. Ela é a filha do polaco – sim, aquele –, mas tem sangue negro e isso a instiga. Descobriu que nós, brasileiros, somos mais espanhóis e menos portugueses do que pensamos. Isso vai dar samba, penso (clichê); isso vai dar livro, me diz Estrela. Estrelinha, Estrelita, Star, Têla, Teca, que tem nome bonito e tantos apelidos desde criança, é mulher de 31 anos e menina com olhos de moleque. Poesia Não, Só Sons, Leminskata, Sete Sóis, Música de Ruiz,

Casca de Nós, Essa Noite Vai Ter Sol, trabalhos que ela fez e faz. São blogs, livros, shows, vídeos, CDs. Este ano, o 2012 do “dar conta”, ela vai fazer Printempo, livro com fotos de João Castelo Branco sobre deslocamentos. Assim me explica o assunto que a provoca desde que passou uma temporada em Barcelona. Estrela, o marido Téo, o filho Leon ainda bebê e o enteado Vinicius foram morar na Espanha; o casal cursando mestrado e as crianças encarando a onda.

, março 2012


FOTO DANIEL CARON

Estrela tem muitos projetos em andamento. Um deles é um álbum com músicas de Paulo Leminski.

, março 2012

75


ESTRELA LEMINSKI

Atenta, descobriu mil coisas lá. Nuances da língua, expressões, atitudes. Outras mil, descobriu aqui ao retornar, em 2010. Pessoas indo e vindo pelo mundo, ontem, agora e sempre; os antepassados; um avô polaco com uma avó cabocla; quatro avós que nunca conheceu; imigrantes chegando ao Brasil para vida nova, e como ela mesma foi parar na Espanha com marido, filho e enteado: isso vai dar livro. Assim é Estrela. Os olhos vivíssimos me fitam sem máscara; é destemida, sem dúvida. “Meu primeiro haicai, fiz com seis anos de idade. Simplesmente falei. Na frente de todo mundo lá em casa: escritores, poetas, músicos. Todo mundo ficou de cara.”

tante. Mesmo em meio à dor, às dificuldades, ele escrevia. Vi o Paulo passar maus pedaços, e mesmo assim criava, criava e criava, sempre.” Aprendizado que lhe serviu após a morte de Leminski. Do jeito que Estrela conta, não há, e nem houve, espaço para drama. Alice assim ensinou às filhas. Uma coisa Estrela teve que aprender sozinha: conviver com vários Paulos. FOTO DANIEL CARON

PERSONAGENS

AA INFÂNCIA infância Chegou a hora de Paulo Leminski entrar na conversa. Logo que nos encontramos, falei para Estrela que a entrevista seria sobre ela e não sobre o pai. Ela sorriu. Sabíamos que Leminski – a quem ela chama de Paulo – e Alice Ruiz entrariam na roda. Inescapável. Estrela é filha de dois poetas. Que luxo: cresceu ouvindo, lendo, vivendo poesia. Rodeada de literatura, criação e arte. “Meus pais tinham um acordo: enquanto um trabalhava, o outro cuidava das filhas.” Assim, Estrela teve um longo período de convivência com Leminski na época em que Alice Ruiz era diretora de uma agência de publicidade. “Nessa fase ele estava traduzindo uma coleção para a Brasiliense. Então, eu não tive aquele pai que chegava em casa do trabalho, largava a pasta e ia brincar com as crianças. Era tudo ao mesmo tempo. Ele escrevia, trabalhava, criava, cuidava de mim e da Aurea.” Com o pai, aprendeu na prática que a arte não se separa do cotidiano. “Ele criava o tempo todo. A qualquer ins-

76

meu primeiro haicai, fiz com seis anos de idade. simplesmente falei.” estrela leminski.

Não pôde ter um pai só dela. Leminski é de muita gente. “Minha relação com ele é compartimentada. Tenho gavetas específicas para os diferentes Paulos; vou separando e administrando.” Assim lida com a fama crescente de Leminski. “Fui entendendo como é isso.” Do Paulo pai, sente saudades. Pelo Paulo poeta e escritor genial, tem admiração. Mas, às vezes, raiva. “Me pego pensando: ‘Pô,

por que ele tinha que ir? Por que o cara não está aqui, agora, para eu mostrar esse meu texto, trocar ideias?’” Dias depois da entrevista, lembro de perguntar a Estrela sobre seu nome. Ela gostou. A resposta veio na hora, em longa mensagem de celular. Foi Alice quem escolheu, por causa da música do Stevie Wonder intitulada Seed’s a Star. “Se eu fosse menino, me chamaria Leon, escolha do Paulo em homenagem ao Trotsky. Por isso coloquei esse nome no meu filho.” Por fim, revela que está estudando canto e cogita lançar um trabalho com seu nome assim – simplesmente Estrela. Sem o laço do Ruiz da mãe Alice e do marido Téo (que têm o mesmo sobrenome por coincidência), e sem o Leminski do pai; somente Estrela, para brilhar Estrela. Os projetos para os próximos meses são muitos. Ela está gravando um álbum com músicas do Paulo pai, Paulo poeta, Paulo compositor. O trabalho que deu origem ao show Essa Noite Vai Ter Sol vai gerar pelo menos dois CDs. “Um deles só com as inéditas. Tem muita música dele que ninguém conhece.” Outro projeto em andamento é uma coletânea com colaborações entre músicos e poetas. “A ideia é mostrar a nova MPB e a nova poesia. O diálogo entre música e literatura”, explica. Assim, ela musicou um poema de Fabio Navarro, autor que ela não conheceu pessoalmente. E três poemas seus foram musicados por Thiago Galego, Tatá Aeroplano e Krias de Kaska, todos de São Paulo. A menina está fincando várias raízes. Tentando – é o que ela diz. “Este ano vou botar ordem no meu caos”, promete. É possível existir ordem nesse turbilhão criativo? “Bom, decidi que vou ter finais de semana e estou conseguindo. Sábado e domingo são dos piás. Pelo menos isso.” , março 2012


PERSONAGENS

LUA DE MEL

Sonhos Lua de

FOTO DIVULGAÇÃO

Viagens de lua de mel ganham detalhes cada vez mais luxuosos e já existem agências de turismo especializadas em realizar todos os desejos dos recém-casados por Carolina Gomes | design Leonardo Stawski

Ilhas Maldivas: cenário romântico, paradisíaco e isolado do mundo

78

, março 2012


D

epois de meses de preparação, ataques de nervos e muito estresse, a loucura de planejar um casamento acaba na tão sonhada lua de mel. Nada mais justo então que a viagem seja algo inesquecível. “Nossa ideia inicial era uma combinação de praia (preferencialmente ilha) com cidade. Um lugar diferente, para onde dificilmente voltaríamos numa próxima viagem”, conta a publicitária Camila Stecca Stefan Marins, de Sorocaba (SP). Ela e o agora marido, Caio, passaram 12 dias viajando pelas Maldivas, Abu Dhabi e Dubai, incluindo duas noites em um hotel no meio do deserto. O roteiro foi cuidadosamente desenhado, mas o processo de escolha dos detalhes não foi fácil. “Não havia

conflito entre nós porque queríamos a mesma coisa, mas estava difícil encontrar justamente esse destino dos sonhos com praia e cidade”, lembra. Ela queria um lugar onde pudesse ficar em bangalôs sobre o mar. “E, partindo disso, escolhemos as Maldivas – um lugar romântico, paradisíaco e isolado do mundo.” O melhor caminho para se chegar às Maldivas é via Dubai, uma metrópole pra lá de agitada. Problema resolvido, certo? Errado. “Nós tínhamos uma imagem equivocada de Dubai, relutamos muito na escolha, mas acabamos convencidos”, conta. “Foi a nossa sorte porque amamos a cidade e já queremos voltar!” Quem convenceu o casal foi Jacqueline Mikahil, proprietária da agência de viagens Be Happy, em São Paulo, que há cinco anos

decidiu se especializar na assessoria e consultoria de viagens de lua de mel. “Com o crescimento do mercado de casamentos, vi que não havia nenhuma agência que oferecia um serviço totalmente voltado a esses casais, que ficavam inseguros diante de tantas possibilidades e opções de viagens”, conta Jacqueline, que também é psicóloga. Esses cinco anos de consultoria já renderam material para um livro – Enfim, Nós – A Lua de Mel, Seus Cenários e Seus Significados – lançado no ano passado.

Nossa ideia inicial era uma combinação de praia com cidade.”

Camila Stecca Stefan Marins

, março 2012

79


LUA DE MEL

FOTOS DIVULGAÇÃO

PERSONAGENS

Livro Enfim, Nós – A Lua de Mel, Seus Cenários e Seus Significados, de Jacqueline Mikahil, é recheado de lugares inspiradores, como o Grand Mosque, em Abu Dhabi.

acaba sendo uma forma mais sutil de os noivos pedirem uma colaboração para realizar a viagem dos sonhos, sem ter que pedir presente em dinheiro ou fornecer o número da conta no convite – o que é considerado deselegante.

MUDANÇAS Mudanças

ESCOLHA DO CASAL Escolha do casal Geralmente, os casais procuram a agência entre quatro e oito meses antes da viagem. E, ao contrário dos outros detalhes do casamento, que geralmente são escolhidos só pela noiva, a lua de mel costuma ser uma decisão do casal. “Esse é o momento do homem mostrar suas vontades. Afinal, é muito mais fácil decidir qual o destino da viagem do que a cor do vestido, os músicos, as flores, o convite”, diverte-se Jacqueline. Nem sempre os interesses dos noivos coincidem. Cabe a Jacqueline então juntar na mesma viagem o descanso

80

de um com as compras de outro, a aventura com a cidade, o romantismo com a cultura. E aí a experiência em psicologia clínica ajuda, e muito. “Eles chegam aqui angustiados com um problema e saem com a solução. Isso é muito gratificante.” Outra facilidade que muitas agências já oferecem para os noivos são as cotas de viagem. Como muitos casais já moram juntos e têm a casa montada, a opção é substituir a tradicional lista de presentes por uma lua de mel “patrocinada” por padrinhos e convidados. O sistema de cotas de viagem criado pelas agências

Se as festas de casamento evoluíram, a lua de mel também. “Antigamente, ela era mais curta e era realmente a primeira viagem do casal, quando eles começariam de fato a viver os momentos de intimidade. Hoje em dia, os noivos já viajaram juntos várias vezes antes do casamento. Eles investem mais porque querem aproveitar esse momento para fazer uma viagem longa, de férias, cultural e de compras”, diz Jacqueline. E os casais investem alto para transformar o sonho em realidade. “Uma das viagens mais luxuosas que já organizei foi uma de 20 dias pela Polinésia Francesa, que incluiu locação de barco e hospedagem nos melhores quartos dos melhores hotéis de cada ilha. Foi uma viagem que custou aproximadamente R$ 90 mil.” , março 2012


Viajante vacinado

Conheça alguns cuidados para evitar que sua lua de mel vire furada

1

. PROGRAMAS: Vocês vão estar num lugar novo e estimulante e a tentação de fazer uma dúzia de atividades por dia é muito forte. Mas resista. Muitas vezes a melhor parte da lua de mel é a agenda livre. . DATAS: Não marque a data do casamento sem antes pesquisar os destinos da lua de mel dos sonhos. Se você sonha em viajar para a Grécia, por exemplo, não pode casar entre os meses de novembro a abril, porque não é o período indicado para essa viagem. . VACINAS: alguns destinos exigem vacinas e remédios específicos. Informe-se com antecedência para pode tomar as providências a tempo.

2 3

HOTLIST

Confira os destinos mais procurados pelos recém-casados

FOTO PHOTOXPRESS

>>

•Ilha Maurício •África do Sul •Caribe •Polinésia Francesa •Maldivas •Itália •Grécia •França •Turquia (foto)

Capadócia, região bem no centro da Turquia, é um dos destinos mais procurados para viagens de lua de mel

, março 2012

81


PERSONAGENS

LUA DE MEL

Malas prontas para...

O CASAMENTO

Cancun, no México, é uma das opções preferidas das americanas e europeias para o destination wedding

Casais carregam convidados para destino da lua de mel e fazem a cerimônia em lugares paradisíacos Se a lua de mel é a melhor parte do casamento, tem muita gente que não quer mais esperar a cerimônia acabar para curtir a viagem. São noivos que estão decidindo fazer da festa de casamento uma viagem inesquecível. E não só para o casal, mas também para os convidados. A ideia não é tão nova lá fora. Há anos o destination wedding (ou casamento no destino de viagem) é uma das opções preferidas de americanas e europeias que querem casar em lugares deslumbrantes como Grécia, Itália, México e Caribe. E a valorização do real tornou o casamento no exterior mais viável para as noivas brasileiras. Foi o caso da publicitária curitibana Michelle Ferreira da Costa. “Eu sempre quis casar numa praia, mas, apesar de termos lugares lindos

82

no Brasil, ainda não há muita estrutura para realizar a cerimônia”, conta. “Foi quando minha mãe, em uma viagem a Cancun, acabou se deparando com um casamento na beira da praia bem em frente ao hotel em que ela estava.” Pronto, destino traçado. Alguns meses

Fugimos do padrão de ter que convidar por etiqueta.”

Michelle da costa, publicitária.

depois seria Michelle quem estaria casando naquela areia. Mas os noivos que escolhem o destination wedding têm alguns requisitos a mais para se preocupar.

Onde os convidados vão ficar? Quem paga por tudo isso: os noivos ou cada um arca com suas despesas? Não há um protocolo a ser seguido. Tudo depende do orçamento. No caso de Michelle, ela acertou com o hotel de Cancun um casamento para 50 pessoas. “Fugimos do padrão de ter que convidar todos os parentes e amigos da família por etiqueta.” No final das contas, e para surpresa dos noivos, 60 pessoas estavam presentes. Com um grupo tão grande, eles conseguiram fechar um pacote vantajoso para que saíssem quase todos juntos no mesmo voo, ficassem no mesmo hotel e tivessem algumas regalias como parcelamento de viagem, café da manhã incluso, passeios e seguro viagem.

, março 2012


1o Lugar

TOP

TOP TEN

turismo


ESTILOS

TIFFANY

Luxo

Eterno A Tiffany fala ao coração das mulheres. Ao longo de quase dois séculos, a marca construiu um relacionamento inestimável com os consumidores: é símbolo de luxo, romance e desejo feminino por Bia Moraes

Blue boxes: a cor da marca foi patenteada e batizada como “azul Tiffany”.

86

, março 2012


A excelência dos diamantes tornou-se marca registrada da grife.

S

FOTOS DIVULGAÇÃO

e as mulheres criassem um guia universal da conquista para facilitar o caminho da ala masculina até seus corações, haveria um verbete dedicado à joalheria mais famosa do mundo. Ganhar de presente uma peça da grife, além de ser um sonho, faz qualquer mulher se sentir um pouco a personagem da atriz Audrey Hepburn no filme Breakfast at Tiffany’s, lançado no Brasil com o título Bonequinha de Luxo. Não tentem entender, rapazes. Tiffany é uma palavra pequena, mas representa muito. Aos ouvidos femininos, soa como amor eterno, glamour, elegância e beleza – enquanto o azul emblemático significa felicidade para olhos que, certamente, vão faiscar como os diamantes da marca. Completando 175 anos, a grife ultrapassou há tempos o conceito de joia. Tiffany tornou-se um ícone do desejo feminino. Criada no século retrasado, a marca consegue ser con-

, março 2012

temporânea e corresponder às expectativas de mulheres de todas as idades sem perder o élan da tradição. Para deleite das curitibanas, a Tiffany terá uma loja no Pátio Batel, shopping localizado no bairro mais charmoso da cidade, com inauguração prevista para março de 2013. Luciano Rodembusch, vice-presidente da Tiffany & Co. para a América Latina, explica que a decisão de chegar à capital paranaense contempla dois fatores: potencial de mercado e existência de um empreendimento alinhado com o padrão de qualidade e perfil da marca, caso do Pátio Batel.

Temos uma peça para cada pessoa que entrar na loja.”

Luciano Rodembusch, vice-presidente da marca

87


TIFFANY

88

Acima, Audrey Hepburn em frente à Tiffany de Nova Iorque, no inesquecível Bonequinha de Luxo. Ao lado, a atriz Natalie Portman: nos tapetes vermelhos, as joias da grife são tão protagonistas quanto as atrizes.

Sonho realREAL SONHO Mas que ninguém pense que as peças Tiffany são um sonho ao alcance somente dos muitos ricos. “Temos um grande diferencial que é a acessibilidade”, diz Rodembusch. Os preços começam em cerca de R$ 350,00 e podem alcançar centenas de milhares de reais. Valores que satisfazem todo tipo de desejo. “Temos uma peça para cada pessoa que entrar na loja, desde o jovem que queira adquirir sua primeira joia em prata-de-lei até a fashionista que procura uma peça de design, ou para os clientes que já conhecem a lapidação de nossos diamantes”, enumera. Não é preciso entrar em uma loja da Tiffany para entender que a marca não vende produtos e sim experiências. O site especial da marca (whatmakeslovetrue.com), totalmente dedicado a casais apaixonados, traz histórias verdadeiras de paixões com final feliz, com fotos, depoimentos e vídeos. O site não vende joias e nem mesmo reproduz imagens de anéis com os famosos diamantes Tiffany, mas tem indicações de lugares para viver momentos românticos a dois em Nova Iorque e dicas de músicas, livros e filmes que celebram o amor. “A força da marca não está nos produtos, e sim em explorar o sonho de viver um conto de fadas, que permeia a maioria das mulheres”, diz Viviane Camargo, especialista em branding e sócia-diretora da empresa Aurora Estratégias de Marca. O trabalho de branding – disciplina do marketing que desenvolve a construção de marcas – busca gerar associações positivas e, na maioria das vezes, emocionais com seus consumidores. “A gestão da marca Tiffany é eficiente porque

, março 2012

FOTO DIVULGAÇÃO

FOTO STEVE GRANITZ/WIREIMAGE

FOTO DIVULGAÇÃO

ESTILOS


Na pele de Audrey Hepburn Para a designer de joias Silvia Döring, ir à Tiffany cada vez que viaja para a Big Apple é obrigação profissional. Mas é também uma iniciativa emocional, pois Audrey é uma de suas musas, que inclusive já foi homenageada numa de suas coleções de bijoux de luxo. Isabela França tinha 18 anos quando foi a Nova Iorque pela primeira vez e entrou na loja com amigas. “Mesmo percebendo que não compraríamos nada, a vendedora que nos recepcionou foi gentilíssima. Ao sairmos, apenas disse delicadamente: “Voltem com seus pais”. Felizes, imaginamos que ela havia pensado que éramos

herdeiras de algum endinheirado”, conta Isabela. Como disse Holly Golightly, “Nada de ruim pode acontecer quando se está na Tiffany”. FOTO ANDREW BORDWIN

Pergunte a uma mulher que foi a Nova Iorque se ela esteve na Tiffany e a resposta provavelmente será positiva. Mesmo que não seja para comprar, a experiência é um luxo. No mínimo, para reviver Audrey Hepburn como a inesquecível Holly Golightly do filme Bonequinha de Luxo. Essa espécie de Meca das mulheres sonhadoras guarda histórias inusitadas, como conta a figurinista e cenógrafa Silvinha Moraes. Passeando pela Tiffany, ela reparou em uma senhora de traços orientais que entrou na loja de pijama e chinelos e comprou uma joia. “Saiu de lá carregando uma sacolinha azul, feliz e de pantufas.”

A loja da Tiffany na Big Apple é uma espécie de Meca das mulheres sonhadoras.

FOTO DIVULGAÇÃO

trabalha com fortes atributos emocionais. Um produto pode ser copiado, mas a conexão gerada por uma emoção é uma relação única”, observa Viviane. Por esse ponto de vista, a história da Tiffany & Co. é exemplo de sucesso. São muitos os itens atemporais da grife que falam diretamente ao coração. Além, claro, dos diamantes, há a famosa caixa azul-piscina fechada por um perfeito laço branco que embala todos os produtos. A cor da marca é patenteada e batizada como “azul Tiffany”. Além disso, uma caixinha nunca pode sair vazia da loja. Uma boa ideia do fascínio que a marca exerce sobre a alma feminina está nas palavras da jornalista Isabe-

Criação do arquiteto Frank Gehry ressalta a essência do design.

, março 2012

la França, que possui várias joias em prata – todas cuidadosamente guardadas em suas blue boxes. “No imaginário de todas as mulheres que viveram na segunda metade do século 20, a personagem da atriz Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo é muito mais emblemática que a Barbie para as adolescentes de hoje.”

A gestão da marca é eficiente porque usa atributos emocionais.”

Viviane Camargo, especialista em branding

89


ESTILOS

TIFFANY

DESIGN INESQUECÍVEL Design inesquecível

Bracelete de ouro é assinado pela designer Elsa Peretti.

A

o longo dos anos, a Tiffany contou com designers de peso.

90

Ao abrir sua primeira loja na badalada Broadway Avenue, em 1837, Charles Lewis Tiffany não poderia imaginar a dimensão que a joalheria com seu sobrenome alcançaria. Mesmo na efervescente Nova Iorque de meados do século 19, onde pulsava a energia criativa, seria difícil imaginar um futuro tão grandioso para a marca. Charles foi visionário, estabelecendo a grife como sinônimo de luxo e design – posicionamento seguido pelo filho, Louis Comfort Tiffany. Desde o início, a loja era, de acordo com o desejo do seu idealizador, um “estabelecimento singular, com tesouros únicos e suntuosos”. Apaixonado por pedras raras e valiosas, Charles Tiffany tornou-se o “Rei dos Diamantes”. A grife adquiriu gemas inigualáveis, como as que haviam pertencido à imperatriz francesa Eugénie. A excelência dos diamantes da casa tornou-se marca registrada – a companhia tem um laboratório de gemologia próprio e cada pedra é cercada por cuidados especiais. No início do século 20, as joias

exóticas em estilo art-nouveau criadas por Louis, que foi o primeiro diretor de design da empresa, fizeram sucesso. O desenho exuberante das peças atiçava os desejos. Desde então, isso se tornou característica inseparável da grife. Ao longo dos anos, a Tiffany contou com nomes de peso que criaram peças e coleções inesquecíveis: Jean Schlumberger, Elsa Peretti, Paloma Picasso e Frank Gehry. As pulseiras esmaltadas de Schlumberger, que chegaram à Tiffany em 1956, entraram para a história nos pulsos de Jacqueline Kennedy. Elsa Peretti, considerada uma das designers mais importantes do século 20, desenhou joias com formas orgânicas, como o famoso bracelete Bone, e renovou a marca, atraindo consumidoras jovens. Paloma Picasso chegou à companhia trazendo cor, luz e sensualidade, traduzindo a opulência dos anos 80 ao utilizar pedras grandes e símbolos contemporâneos. E o arquiteto Frank Gehry, desconstruindo formas e ressaltando a essência do design, levou à Tiffany a marca da ousadia. , março 2012

FOTO DIVULGAÇÃO

As pulseira esmaltadas de Jean Schlumberger entraram para a história nos pulsos de Jacqueline Kennedy.


MODA

MIX

SOFISTICADO Abuse da mistura inusitada de peças clássicas e contemporâneas, já que ousadia é a palavra-chave para quebrar a monotonia e deixar qualquer look elegante fotos Hebert Coelho

92

, março 2012

modelo Aline Thiel (JOY Model Management Curitiba) I styling e edição de moda Clé Carrer I produção de moda Isis Winhaski I beleza Thiago Straub (Vimax) I camareira Eloá Xavier

ESTILOS


Vestido Pedro Lourenço para Bazaar Fashion, casaco D&G para Capoani, brinco e anéis Fabrizio Giannone.

, março 2012

93


ESTILOS

MODA

Saia preta Mixed, vestido paetês Espaço Jabutiq, jaqueta couro Impelle, estola fitas Belle Fare para Espaço Jabutiq, óculos Just Cavalli para Visorama, pulseiras mão esquerda e anel Monalisa Joias, pulseira mão direita Viccenza, clutch Fabrizio Giannone.

94

, março 2012


Camisa Insp para Impelle, calça & colete listras Santa Ephigênia para Espaço Jabutiq, colete de pele Espaço Jabutiq, anéis mão esquerda Viccenza, pulseiras e anéis mão direita Monalisa Joias.

, março 2012

95


ESTILOS

MODA

Short couro preto Cris Barros para Capoani, blusa canutilhos, lenços, cinto e blazer Absinto para Espaço Jabutiq, casaco franjas Mixed, colar, brinco e anéis Fabrizio Giannone, óculos Tom Ford para Visorama, clutch Espaço Jabutiq.

96

, março 2012


Calรงa Fit, vestido Mixed linha Couture, bolero, colete e estola Espaรงo Jabutiq, cinto Nana Kakaev para Espaรงo Jabutiq, joias Viccenza.

, marรงo 2012

97


ESTILOS

MODA

Saia Anthologia para Espaço Jabutiq, vestido preto franjas Galliano para Capoani, trench coat Cris Barros para Bazaar Fashion, bolsa Just Cavalli para Capoani, pulseiras e anéis Fabrizio Giannone.

98

, março 2012


Vestido franjas Impelle, estola flores e pele Belle Fare para Espaço Jabutiq, cinto dourado, anéis e braceletes Silvia Doring.

, março 2012

99


ESTILOS

MODA

Saia Jefferson Kulig, camisa Gant, blusa p&b Renata Campos para Impelle, colete Espaço Jabutiq, bolero Tonagê para Espaço Jabutiq, joias Viccenza, sandália Jefferson Kulig.

100

, março 2012


Blusa Impelle, bolero Tonagê para Espaço Jabutiq, lenço Espaço Jabutiq, acessórios Silvia Doring.

, março 2012

101


ESTILOS

MODA

Vestido Kate Spade e trench coat D&G para Capoani, calça Santa Ephigênia e cinto Marcia Rocha para Espaço Jabutiq. Lenço, boina e blazer Anthologia para Espaço Jabutiq. Anéis, pulseira e brinco Silvia Doring.

102

, março 2012


ESTILOS

ALTA-COSTURA

Modelos apresentam a coleção verão 2012 da maison Givenchy assinada pelo italiano Ricardo Tisci durante a semana de moda de Paris.

Moda para (bem)

Enquanto o mercado de luxo não para de se popularizar, a alta-costura segue exclusiva. E cada vez mais restrita ao seletíssimo grupo de compradores abastados por Fernanda Peruzzo, de Paris

106

, março 2012

FOTO DIVULGAÇÃO

poucas


são mulheres que precisam de uma particularidade, de um guardaroupa exclusivo.” Gustavo Lins, estilista

M

elhor esquecer a ficção dos tapetes vermelhos, com as divas hollywoodianas exibindo seus vestidos recém-saídos das passarelas. Apesar de estarem entre as mais célebres portadoras dos exclusivos produtos da alta-costura, elas não são suas principais consumidoras. Tampouco as mais fiéis modelos do estilo de vida discreto e cheio de classe de quem realmente compra e usa os trajes feitos à mão e sob medida pelos mais talentosos estilistas da atualidade. Este fino trabalho serve como fonte de inspiração e laboratório de tendências para as coleções que mais tarde serão vistas nas lojas, das mais caras às populares fast-fahions. Na vida real, aristocratas, ricas herdeiras e esposas de empresários milionários é que formam o seleto grupo de 200 compradoras regulares das grifes da chamada alta-costura. Apesar de aproximado e extraoficial, o número reflete o quão restrito é esse universo, onde o preço de um único vestido pode variar entre 15 mil e 100 mil euros. “São mulheres que têm tudo, e que precisam de uma particularidade, de um guarda-roupa exclusivo”, define o estilista brasileiro Gustavo Lins. Radicado em Paris há mais de 20 anos, seu ateliê é um entre os 11 integrantes da lista de ouro da moda mundial que têm o direito de usar o termo alta-costura em suas criações. , março 2012

107


ESTILOS

ALTA-COSTURA

Universo paralelo A ideia de convidar novos nomes para participar da Semana de Moda de Alta-Costura nasceu em 1997 com o objetivo de revigorar os desfiles e dar aquela ajudinha à nova geração de criadores. Jean-Paul Gaultier foi o primeiro membro convidado. A cada ano, a câmara publica uma nova lista de convidados. Após dois anos contínuos de desfiles, eles podem requerer junto à federação de moda o direito de integrar o grupo permanente. Quando isso acontece, todo aquele processo de certificação é iniciado e apenas os criadores julgados pertinentes e capazes de fazer jus à fama modista da cidade são aceitos. Este ano, os escolhidos para apresentar suas coleções foram os franceses Bouchra Jarrar, Alexandre Vauthier, Julien Fournié, Maxime Simoens e Alexis Mabille, a holandesa Iris Van Herpen e a chinesa Yiqing Yin. Outra categoria de grifes que mostram suas criações na SemaO estilista convidado na de Moda de Alta-Costura são os Julien Fournié. chamados membros correspondentes. O grupo também obedece às regras ditadas pela Câmara Sindical, com uma única exceção: seus ateliês funcionam fora de Paris. Na temporada primavera-verão 2012, fizeram parte desse grupo o libanês Elie Saab e os italianos Giorgio Armani, Valentino e Atelier Versace, coincidentemente os campeões de aparições em tapetes vermelhos. Sempre emprestados, vale ressaltar.

Fora essas bem-nascidas e tradicionais compradoras, uma outra centena de felizardas habitantes dos países que integram o BRIC, acrônimo formado pelas iniciais de Brasil, Rússia, Índia e China, andam fazendo a festa, literalmente. “A agenda de compradoras da alta-costura não para de crescer, e isso se deve à consolidação das fortunas nos países do Oriente Médio e Leste Europeu, além de uma nova clientela vinda dos países emergentes da Ásia”, comenta a editora

108

de moda da Elle francesa, Ilaria Casati. O poder de compra dessas mulheres (e de seus maridos) é tão surpreendente que mesmo neste momento de crise econômica, os indicadores do mercado da alta-costura estão em plena ascensão. “Apesar das casas jamais divulgarem seus preços e muito menos seus faturamentos, estima-se que o segmento tenha registrado um aumento entre 5% e 80% no número de vendas no último ano”, complementa, admirada, a jornalista.

AFINAL O QUE É ALTA Afinal,COSTURA o que é alta-c É claro que na França, o país da bureaucratie e das apelações de origem, a moda é tratada como um produto de terroir. No caso, um dos poucos terroirs parisienses. Por aqui, o termo alta-costura é juridicamente protegido e só pode ser atribuído a um produto ou marca quando ele atende às normas estritas impostas pela Federação Francesa de Moda e seu braço todo-poderoso, a Câmara Sindical de Alta-Costura. Exatamente como acontece com o champanhe ou o conhaque. Para se obter o direito de estampar as duas palavrinhas em suas etiquetas, os ateliês de costura precisam passar por uma espécie de processo de certificação, no qual devem provar que seus produtos respondem a critérios de qualidade e quantidade bem específicos. Por exemplo, a casa deve estar instalada em Paris e precisa contar com pelo menos 12 funcionários. Cada vestido, calça ou casaquinho precisa ser confeccionado à mão de acordo com desenhos exclusivos criados pelo estilista permanente da casa e feitos sob medida. A prova de roupas é obrigatória. Para cada peça criada é imprescindível que haja duas provas, sejam elas realizadas no corpo da cliente ou em seu manequim. Não bastasse isso, as maisons ainda precisam respeitar o calendário de desfiles, com duas apresentações anuais, em janeiro e julho, de suas coleções primavera-verão e outono-inverno. Em cada uma delas devem ser apresentados 25 modelos, entre trajes diurnos e de festa.

, março 2012


Renda, tule, bordados, pedrarias em vestidos de sonho da maison Elie Saab.

DO ARTESÃO AODeCRIADOR artesão a c

FOTOS DIVULGAÇÃO

Todo esse cuidado, que para nós bem pode parecer exagerado, foi criado com o intuito de proteger a indústria da moda parisiense. Famosas desde a época de Luis XV e da corte de Versalhes, as modistas da cidade sempre foram as mais bem cotadas da Europa, e já nos séculos 16 e 17 era comum as nobres dos países vizinhos virem a Paris encomendar seus caprichados vestidos de festas. No entanto, todo o savoir-faire das costureiras, bordadeiras, rendeiras e mesmo fabricantes das plumas e flores que serviam de adorno, obedecia aos desejos e caprichos de suas clientes. Até 1868. Nesse ano, o britânico radicado na França, Charles Frederick Worth, coloca um ponto final nessa história e passa ele próprio a ditar o gosto de suas clientes, promovendo assim o estilista ao posto de criador e não mais de um mero artesão. Sua maneira de trabalhar, inovadora para a época, consistia na criação de dezenas de modelos feitos de acordo com sua inspiração e que depois eram apresentados de uma só vez, em um desfile, para suas clientes. A elas, era reservado o direito de escolher a cor, o tipo dos tecidos e nada mais.

, março 2012

A agenda de compradoras da alta costura não para de crescer.” Ilaria Casati

109


ALTA-COSTURA

FOTOS DIVULGAÇÃO

ESTILOS

Alfaiataria fina e modelagens arquiteturais são marcas registradas das criações do brasileiro Gustavo Lins.

Especiais e exclusivas Dentre as 11 casas que têm o direito de agregar o termo alta-costura às suas criações, Chanel, Christian Dior, Givenchy e Jean-Paul Gaultier são as mais famosas. Mas o seleto grupo também inclui os ateliês Adeline André, Christophe Josse, Franck Sorbier, Maurizio Galante, Stéphane Rolland e Giambattista Valle. O brasileiro Gustavo Lins completa o grupo. Após desfilar por dois anos como convidado, o estilista foi agraciado com a promoção a membro permanente.

110

Tais preceitos foram colocados no papel e serviram de base para a criação da Câmara Sindical de Alta-Costura, que em suas primeiras décadas de existência reuniu nomes como Chanel, Dior, Patou, Paul Poiret, Vionnet, Lanvin, Cacharel e Balenciaga. Até o final da Segunda Guerra, 106 casas de costura integravam o prestigioso sindicato. Nos anos 60, os jovens e talentosos Yves Saint Laurent e Emanuel Ungaro passaram a integrar o time. Com eles, a alta-costura passa por uma nova transformação, dessa vez ganhando frescor e ideias ousadas. A partir dos anos 90, com a ascensão do conceito do prêt-a-porter (ou pronto para vestir), muitas maisons trocaram o custoso mundo da alta-costura pelo lucrativo, e bem menos trabalhoso, mercado da moda produzida em série. O número de sindicalizadas caiu para pouco mais de duas dezenas até chegar ao enxuto grupo de 11, que existe hoje.

, março 2012


MERCADO DE LUXO

FOTO REDMERSKI

ESTILO

112

, marรงo 2012


Menina dos

Olhos

O Brasil nunca esteve tão na mira das grandes marcas de luxo. O motivo de tanto interesse? Enquanto Estados Unidos e Europa amargam crises econômicas, o segmento de luxo aqui não para de crescer por Cláudia Pimentel Slaviero

O

consumo de luxo se caracteriza pela exclusividade, qualidade, beleza, originalidade e principalmente inacessibilidade. Um consumo que é privilégio somente das classes mais altas, certo? Sim, mas isso vem mudando aos poucos no Brasil. A alta da renda e a estabilidade econômica do país têm levado o brasileiro de classe média a se aventurar cada vez mais por esse mundo, antes tão distante. A pesquisa O Mer-

, março 2012

cado do Luxo no Brasil – Ano V, realizada pela MCF Consultoria e Conhecimento, em parceria com a GfK Custom Research Brasil, estima que em 2011 o faturamento do mercado de luxo no Brasil foi de R$ 18,8 bilhões e que em 2012 a cifra pode chegar a R$ 22,6 bilhões. Todo esse crescimento faz com que o país esteja na mira das grandes marcas mundiais e que os olhos dos investidores estrangeiros cresçam cada vez mais. De acordo com a pes-

quisa, o Brasil tornou-se essencial para algumas operações mundiais. Com as recentes crises nos Estados Unidos e Europa, os países emergentes se tornaram o grande alvo das marcas de luxo. “A taxa de crescimento do segmento de luxo no Brasil desperta interesse das grandes operações mundiais, uma vez que os mercados tradicionais contam com taxas de crescimento inferiores”, conta Carlos Ferreirinha, presidente da MCF e especialista no assunto.

113


ESTILO

MERCADO DE LUXO

em 2011 o faturamento do mercado de luxo no Brasil foi de

R$ 18,8 blhões

FOTO ELENA VDOVINA

Consumidores brasileiros são os mais propensos a gastar dinheiro com itens de grife

114

FORA EIXO FORADO DO EIXO Outra novidade é que o mercado de luxo no Brasil está começando a se descentralizar do eixo São Paulo-Rio. Outras capitais brasileiras estão começando a crescer, e muito, nesse segmento. Brasília se consolida como um terceiro destino de investimentos, seguida por Belo Horizonte. O Sul, representado por Curitiba e Porto Alegre, também vem despertando a atenção dos investidores. Não há dados quantitativos do consumo de luxo em Curitiba, por ser um mercado que iniciou a despontar no cenário nacional, mas segundo Ferreirinha, a população curitibana aumentou o consumo e o poder de compra e isso está transformando a cidade em um dos principais destinos das marcas de luxo no Brasil. “O mercado de luxo em Curitiba está em crescimento, prova disso é o iminente lançamento do shopping Pátio Batel. O mercado de luxo no Brasil está diluindo a forte concentração encontrada em São Paulo e no Rio de Janeiro, e migrando para diversas regiões do país.” Além das crises nos Estados Unidos e Europa, a estabilidade econômica do Brasil é um dos grandes motivos dessas altas crescentes do mercado de luxo nacional. Junto com o Brasil, China, Rússia e Índia são países com alto poder de crescimento dentro desse segmento.

, março 2012


Apetite voraz Brasil gasta mais com itens de grife do que outros seis países emergentes Uma pesquisa realizada pelo banco Credit Suisse mostrou que os consumidores brasileiros, mesmo aqueles com renda de média para baixo, são os mais propensos a gastar dinheiro com itens de grife, em comparação com outros seis países emergentes analisados (Rússia, China, Índia, Indonésia, Egito e Arábia Saudita). O estudo revela também que os brasileiros gastam mais do que poupam. No tópico “Brasil, apetite para a vida”, o estudo do banco suíço afirma que gastos com supérfluos estão muito mais presentes no Brasil do que em outros emergentes e constatou que os brasileiros poupam cerca de 10% do que ganham. Já os chineses guardam 31% da renda. Entre os países analisados, apenas o Egito tem uma poupança menor que o Brasil, de 7%. Para a psicóloga comportamental Ana Paola Lubi, essa característica brasileira tem justificativa. “As características de uma população refletem sua

história, tanto passada quanto recente; no caso do Brasil, um país jovem, que não passou por nenhuma guerra ou catástrofe, onde os que pouparam ficaram bem nestas horas, o povo não tem este registro.” Outra explicação é a de que durante anos o brasileiro conviveu com uma economia instável e com a terrível inflação, que consumia o seu dinheiro e o impossibilitava de comprar e poupar. “Com o crescimento econômico atual, as pessoas pela primeira vez na história podem ter acesso a alguns produtos”, explica a psicóloga. Ainda mais quando esses produtos têm história, são bonitos, de qualidade diferenciada e dão um status social maior. O fato de você estar usando um produto ao qual poucos têm acesso, que é raro e exclusivo, torna o consumo do luxo ainda mais atraente. “O reforçador social é um fator importante na condução do comportamento das pessoas, não so-

mente do brasileiro, a ponto de as pessoas comprometerem grande parte da renda em itens que compõem a imagem que querem que os outros tenham dele. Isto sem esquecer do imediatismo e do hedonismo, onde o prazer imediato faz parte do momento atual”, diz Ana Paola. O estudo do Credit Suisse também constatou aquilo que muita gente já sabe, que o brasileiro é o mais otimista entre as nações pesquisadas. Aqui, 63% das pessoas acreditam que sua situação financeira vai melhorar nos próximos 12 meses; 33% acham que ela tende a continuar como está e apenas 4% dizem que vai piorar. Otimismo é sempre bom, mas para um país crescer saudável o ideal é que se tenha as duas coisas, o consumo e a poupança. O segredo está no equilíbrio; e o Brasil, considerado ainda país emergente, está em tempo de aprender.

Pela primeira vez as pessoas têm acesso a alguns produtos.”

Ana Paola Lubi, psicóloga

, março 2012

115


ESTILO

MERCADO DE LUXO

No estudo Luxury Goods Worldwide Market Study, que está em sua décima edição e foi apresentado pela Bain & Company, uma das maiores consultorias de negócios do mundo, o consumo de alto padrão no mundo

Grifes estão alavancando seus negócios no Brasil.”

Gabriele Zuccarelli, sócio da Bain & Co.

Gabriele Zuccarelli: “Consumidores de países emergentes estão se tornando mais sofisticados.”

116

continuará em expansão. O mercado cresceu 10% em 2011 em relação ao ano anterior. E isso se deve, em parte, ao interesse das marcas em desenvolver novos mercados. “Apesar da alta taxa de impostos, que reflete em preços ainda mais elevados, os consumidores de países emergentes estão se tornando mais sofisticados e com isso exigem mais das marcas, que estão vendo essa mudança como oportunidade e estão alavancando seus negócios no Brasil”, afirma Gabriele Zuccarelli, sócio da Bain & Company no Brasil. A alta carga tributária brasileira é, sem dúvida, um dos principais fatores que freiam o crescimento, não somente desse mercado, como da economia brasileira em geral. Por isso, quando os brasileiros viajam para outros países, se surpreendem com a diferença de preços praticados em um mesmo produto. Carlos Ferreirinha acredita que essa diferença de preços tem diminuído, ainda que pouco e lentamente. “A alta carga tributária é um dos fatores que encarecem qualquer produto no Brasil, não apenas de luxo. Há também algumas operações que utilizam altas margens de lucro, uma vez que há demanda pelos seus produtos.”

, março 2012


Crescimento do mercado de 24

luxo no Brasil

(faturamento em bilhões de reais)

22,6 *

18,8 * 18

15,7 11,1

12

8,4

9,0

2006

2007

12,3

6

0

2008

2009

2010

2011

2012

(* estimativas de crescimento) Fonte: MCF Consultoria

PREFERÊNCIA PREFERÊNCIA DOS DOSBRASILEIROS BRASILEIROS No Brasil, cosméticos e perfumes são as principais categorias que os brasileiros mais consomem, porém outros itens de luxo crescem em ritmo acelerado, como artigos de couro, sapatos, joias e relógios. As marcas preferidas dos brasileiros são, pela ordem: Louis Vuitton, Chanel, Armani, Gucci e Rolex. Com o aumento da renda, nós estamos aprendendo a gostar e a gastar com artigos de luxo. “O luxo é essencialmente supérfluo. Não há necessidade de consumo de um carro de milhões de reais ou de uma bolsa de dezenas de milhares. Mas o consumidor percebe a qualidade, a história por detrás da marca, a sensação de diferenciação, e passa a desejar os produtos de luxo. Um produto de luxo não é uma necessidade, é muitas vezes uma conquista”, afirma o consultor Carlos Ferreirinha.

, março 2012

O brasileiro tem uma característica que está altamente ligada ao consumo dos produtos de luxo: a emoção. Nós brasileiros somos movidos mais a emoção do que a razão, e é aí que entra a vontade e o desejo de ter um artigo de luxo. “O segmento do luxo está associado ao desejo e à vontade de se aventurar por consumo de prazer. E o brasileiro é muito impulsivo, gasta mais do que deve. A gente compra no cartão, paga o mínimo, continua pagando e continua

Ferreirinha: luxo é essencialmente supérfluo.

Um produto de luxo não é uma necessidade, é muitas vezes uma conquista.” Carlos Ferreirinha presidente da MCF

117


ESTILO

MERCADO DE LUXO

gastando”, explica Ferreirinha. Mesmo o consumidor que viaja com frequência ao exterior tem o impulso de consumo e compra por aqui. “Quando você compara o consumidor tradicional de luxo com esse novo consumidor, o comportamento é o mesmo: o ‘eu quero, e quero agora’.” Bem diferente dos europeus, por

creto em seu consumo de produtos e serviços de luxo. O americano é mais voraz. O brasileiro ainda está em um processo de maturação de consumo, não havendo um perfil predominante de consumidor, mas diversas formas de consumo. O consumidor do Sul do país tem um perfil mais tradicional, por influência de seus colonizadores, e

exemplo, que são mais comedidos. “O europeu é tradicionalmente mais dis-

é mais comedido em seus impulsos de consumo”, compara o especialista.

Panorama atual Em 2011, o mercado de luxo mundial cresceu 10%, acima dos 8% anunciados no primeiro semestre do ano passado. O consumo de luxo está se fortalecendo no mercado de acessórios (13%), incluindo artigos de couro (16%) e sapatos (11%), de acordo com as projeções para 2011. Há previsão de crescimento também no setor de joias (15%) e relógios (20%), especialmente nos mercados emergentes. A construção do relacionamento com o cliente no mercado de luxo torna-se, cada vez mais, parte do negócio. Por isso, cresce a influência das redes sociais nesse processo. Atividades de marketing digital tornam-se aliadas para melhorar a experiência do cliente com a marca. A relevância da internet, por meio das mídias sociais e de canais de e-commerce, tem se tornado maior a cada ano, ainda mais com soluções de conveniência e confiabilidade, como os sites multimarcas e os de compras coletivas – estes principalmente pelas ofertas de excelente relação custo-benefício. Em 2008 e 2009 houve uma forte queda de 17 bilhões de euros. O ano de 2010 encerrou com vendas de final de ano acima das expectativas (um aumento de 14% em comparação ao ano anterior), elevando o mercado de artigos de luxo a 172 bilhões de euros e superando o recorde anterior de 170 bilhões de euros em 2007. O mercado de luxo maduro tem se desenvolvido solidamente, apresentando crescimento médio de 6% a 7% anualmente. Apesar de taxas de crescimento menores, a receita de mercados maduros excede o de países emergentes.

118

, março 2012


ESTILOS

COMPORTAMENTO

NOVO FOTO PARLARE AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO

Luxo

Menos ostensivo e mais ligado às experiências e ao bem-estar, o novo conceito floresce em nossa era de consumo emocional por Fabiane Tombely | design Leonardo Stawski

A

ideia de luxo, embora sempre subjetiva, durante muito tempo esteve associada a extravagância, ostentação, exclusividade e poder material. Neste início de século 21, o termo – derivado do radical latino lux, que significa luz – deixou de fazer alusão somente àquilo que brilha. O chamado novo luxo passa bem longe de algo que se possa comprar e guardar num cofre. Remete mais ao bem-estar, a sensações e experiências que não têm preço. Para o filósofo francês Gilles Lipovetsky, autor do livro Da Idade Sagrada ao Tempo das Marcas, atualmente o ponto máximo do luxo é adquirir sensações e não produtos. Os objetos de desejo vão mudando conforme a sociedade vai satisfazendo suas necessidades básicas. Com a ascensão de uma

120

nova classe média, que alimenta esse mercado, as classes mais altas precisam de algo para se diferenciar. Agora que muitos têm acesso ao que tem preço, passa a ter mais valor aquilo que não se pode comprar. Nesse sentido, o tempo se converte no mais almejado dos luxos. “Ele não pode ser comprado. Não tem preço, mas tem valor. Tão caro quanto a família, os amigos, um trabalho prazeroso, a liberdade, a saúde, o equilíbrio mental e espiritual, uma boa noite de sono. O bem-estar é aquilo que está acima do que se pode comprar. É um estado de espírito que as pessoas buscam ao adotar novos estilos de viver”, explica Paula Foletto Abbas, da empresa Berlin, especializada em análise comportamental de tendências.

, março 2012


O sentir-se bem não está necessariamente vinculado ao conceito de luxo. ” Carlos Esteves, Psicólogo

Segundo Esteves, quando destacamos a importância da “qualidade” de vida em detrimento da “quantidade”, estamos dizendo que somente o “ter “não tem sido o suficiente para algumas pessoas.

, março 2012

121


ESTILOS

COMPORTAMENTO

O bem-estar é o novo luxo.” Gilles Lipovetsky, filósofo francês

122

As pessoas que têm essa visão mais sóbria do luxo são indivíduos que

“Faz parte do consumo de experiência o estímulo sensorial,

estão no topo da pirâmide de consumo há mais tempo, ou seja, aqueles que têm dinheiro e já satisfizeram todos ou a maioria dos seus desejos de consumo. “A ostentação nunca esteve tão em baixa e fora de propósito. Por outro lado, a experiência passa a ser cada vez mais valorizada nessa nova era do consumo”, revela Paula. É o que vende, por exemplo, a alta indústria do turismo. “Hoje, quando buscamos um hotel de luxo, não queremos torneiras de ouro ou lustres. O luxo está nas experiências de bemestar que o lugar pode oferecer. Spa, sala de ginástica, serviço de massagem. O bem-estar é o novo luxo”, disse o filósofo Lipovetsky em entrevista à Folha de S. Paulo. Segundo ele, o consumo de experiência vai além dos produtos que podem trazer esse ou aquele conforto, ou identificar-se com essa ou aquela classe. “As razões para escolher um celular, hoje, vão além das especificações. Queremos ouvir música, tirar fotos, receber e-mails, jogar. Ter vivências, sensações, prazeres. É um consumo emocional”, explica.

ou seja, provocar os sentidos do consumidor: tato, olfato, paladar, visão, audição e, por que não, o sexto sentido, que é a emoção”, diz Andrea Greca Krueger, sócia da Berlin. Para ela, o novo luxo extrapola a seara da satisfação do ter e passa a ressaltar a importância do ser. “Hierarquia, ostentação e riqueza dão lugar à busca do eu, um ser humano feliz e realizado com o seu estilo de vida,” completa.

PÓS-CRISE Pós-crise É fato que nem tudo o dinheiro compra, conceito este que foi bem explorado no famoso slogan da norteamericana Mastercard, líder no mercado de cartões de crédito: “Existem coisas que o dinheiro não compra. Para todas as outras existe Mastercard.” Esse novo luxo é decorrência da crise de 2008, quando as pessoas começaram a ver que é preciso ser consciente e humano. “O luxo pós-crise prega que a simplicidade é o último grau de sofisticação”, diz Andrea. A tendência está presente no design dos produtos de luxo, cada vez mais clean, ressalta.

, março 2012


FOTO DIVULGAÇÃO

Luxo é a

simplicidade Já faz seis meses que a escritora e colunista da Folha de S. Paulo Danuza Leão decidiu mudar de casa (pela 36ª vez em sua vida). Ela trocou um apartamento de 170 m² por outro de 100 m² em Ipanema, no Rio de Janeiro, onde vive com os seus três gatos: Haroldo, Carlinhos e Jorginho. O espaço menor obrigou-a a se desfazer de livros, roupas e objetos. Em entrevistas ela tem revelado que a atitude não foi fácil, mas que hoje a vida é mais leve. Em seu recém-lançado livro, É Tudo Tão Simples, o tema é justamente a simplificação da vida. “Luxo é a simplicidade. E a vida simples, mas confortável” diz. É Tudo Tão Simples, Danuza Leão Editora: Nova Fronteira Preço: R$ 34,90 (196 páginas) Danuza Leão marcou uma geração na qual ser chic era sinônimo de educação e gentileza. É Tudo Tão Simples pode ser visto como uma atualização do manual da boa educação contemporânea.

, março 2012

123


ESTILOS

COMPORTAMENTO

FOTO DAVID PEIXOTO

As sócias Andrea Krueger e Paula Abbas comandam a Berlin, uma empresa que trabalha com processos de inovação baseados em tendências.

A ostentação nunca esteve tão em baixa e fora de propósito.” Andrea Greca Krueger, sócia da Berlin

124

O novo luxo seria algo menos evidente e ostensivo, mais pessoal e mais ligado à emoção. O que conta não é mais exibir a marca estampada na blusa. “As pessoas consomem esse novo luxo comprando bens mercantis e simbólicos que demonstrem valores parecidos com os seus, ou seja, que proporcionem uma vida bela e boa. Só a modernização técnica dos produtos já não basta. Não basta viver com mais, é preciso viver melhor”, revela Paula. Para o psicólogo Carlos Esteves, especialista em análise do comportamento, o sentirse bem não está necessariamente vinculado ao conceito de luxo.“Podemos encontrar pessoas em diferentes partes do país, de diferentes classes sociais, capazes de nos demonstrar como é possível desfrutar da vida como ela é: um almoço de final de semana com os amigos; poder conversar com o seu filho de assuntos simples da vida; assistir a um programa de televisão ao lado de uma pessoa querida e dar boas risadas”, exemplifica. Mas também, diz ele, não podemos ser hipócritas e negar que ter dinheiro em uma sociedade capitalista significa ter acesso a produtos e serviços que certamente tornam a vida mais fácil e que na maioria dos casos resultam em mais tempo livre para atividades

diversas. “Não é a mesma coisa fazer uma viagem de 500 quilômetros de ônibus, de carro ou de avião”, compara.

O OLUXO luxo doDO belo BELO Ter boa saúde, estar bonita e sentir-se bem é tão importante para grande parte das pessoas quanto possuir o mais importante símbolo de status. Para muitos, saúde e beleza estão intimamente ligados, o que significa que ambos fazem parte de uma abrangente rotina de bem-estar. “Houve um tempo no qual a mídia colocou o cigarro em uma categoria privilegiada, sendo que naquele período o fumante assumia um ar requintado. No entanto, hoje presenciamos um movimento paradoxalmente oposto, o requinte (saudável) é não fumar”, compara o psicólogo. As sócias da Berlin explicam que saúde e beleza são estados que deixaram de ser apenas físicos e passaram a ser experiências, como fazer yoga na Tailândia ou passar o dia em um spa de marca. “As pessoas esperam cada vez mais poder controlar sua aparência física e saúde da mesma forma que controlam outros setores de suas vidas”, diz Paula.

, março 2012


VITRINE

JÓIAS

PURETREND Os bichos vieram para ficar. Depois de colares e pulseiras, agora é a vez dos anéis

BERGERSON O anel Escuro Cobra em ouro 18k com diamantes, pérola e diamantes chocolate é clássico e ideal para todos os momentos. www.bergerson.com.br R$ 6.049

NATAN O anel Leão leva prata com banho negro polido e fosco na juba, enquanto o forte brilho da granata nos olhos une o animal print com um forte brilho da joia. www.natan.com.br A partir de R$ 2.310

NATAN Que tal aderir ao estilo de Angelina Jolie e Brad Pitt? Em prata com banho de ródio, o anel dois-dedos Cobra segue alguns traços da coleção de edição limitada criada pelo casal. www.natan.com.br A partir de R$ 1.372

FOTOS PAULO CIBIN PRODUÇÃO JEFF CODAGNONE

126

, março 2012


ESTILOS

PET

Pet chic O mercado de luxo para cães e gatos cresce a cada dia. Pet shops, clínicas e grifes famosas oferecem serviços e produtos cada vez mais exclusivos e personalizados por Fabiane Tombely I design Natalia Richert

E

les estão presentes em 44% dos lares das classes A, B e C. Em lugares como Porto Alegre, Curitiba e Campinas já desfilam em mais da metade dos lares. A preocupação com o bem-estar e com o estilo de vida mais saudável tornou-se tão importante nos últimos tempos que nem mesmo nossos mascotes ficam de fora. “O mercado pet brasileiro está em transformação. O cão deixou de ser animal para ficar no jardim cuidando da casa e passou a frequentar o sofá na sala de TV”, revela Mariana Lucca, proprietária da Au. Pet Place, que trouxe para Curitiba um novo conceito de cuidado com os bichos de estimação. E há muito animalzinho por aí levando uma vida mais luxuosa do que a de seus donos. “Essa integração

128

dos cães no nosso dia a dia só aumenta a necessidade de cuidados, higiene e mimos, tendo consequência direta no mercado pet”, ressalta. Os brasileiros já estão em segundo lugar no ranking de consumo de produtos para pets, perdendo apenas para os norte-americanos. Aqui, o gasto médio de um consumidor com o seu bicho de estimação é de R$ 350 por mês, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação (Anfalpet). Muito além de rações, as prateleiras dos pet shops estão abarrotadas de produtos que vão desde roupinhas e acessórios a até mesmo joias. “Buscamos sempre produtos exclusivos. Vamos aos Estados Unidos com frequência atrás de novidades”, conta Mariana.

, março 2012


Nos EUA, gastos com animais domésticos foi de FOTO CATHERINE LEDNER/GETTY IMAGES

R$ 86 BILHÕES EM 2011

fonte: Appa

O cão deixou de ser animal de proteção: virou companhia e praticamente um membro da família.

, março 2012

129


PET

PET PETMANIA MANIA Segundo a Anfalpet, o Brasil tem cerca de 32 milhões de cães, 16 milhões de gatos e 40 mil pet shops. O mercado de luxo para cães e gatos cresce a cada dia. Produtos exclusivos e personalizados, grifes famosas, pet shops e clínicas que oferecem recursos tecnológicos e tratamentos terapêuticos especiais para melhorar a qualidade de vida dos animais de estimação têm agradado o público. As terapias alternativas também estão na moda no universo pet. Elas estão sendo incorporadas e indicadas pelos próprios veterinários como opção com-

E

m 2009, ao sentir falta de produtos diferenciados nos pet shops, a empresária Mariana Lucca resolveu, junto com o marido Allysson Lucca, criar uma loja com um conceito único. Assim nasceu a Woof! AtualA loja conta com o day care, no melhor estilo creche canina.

130

O

s brasileiros estão em segundo no ranking de consumo de produtos para pets. fontE: ANFALPET

plementar aos métodos convencionais de tratamentos. A acupuntura, por exemplo, vem sendo usada no tratamento de doenças crônicas metabólicas, dores, pro-

mente localizada no Shopping Crystal e rebatizada Au. Pet Place, inovou trazendo um espaço cheio de novidades e serviços inéditos, que reúne num mesmo lugar day care (espécie de creche canina), loja, consultório e estética. No

Au. Pet Place

blemas na coluna ou paralisias. Em São Paulo, por exemplo, o serviço de massagem terapêutica para animais, feita por um profissional especialista chamado massopet, tem conquistado os clientes e os bichinhos. O trabalho mistura técnicas orientais como shiatsu, com técnicas ocidentais, como a drenagem linfática. Além de acalmar, a técnica fortalece a musculatura, equilibra o sistema imunológico e auxilia no tratamento de problemas na coluna e nas articulações. Curitiba segue pelo mesmo caminho. Alguns espaços já oferecem itens e serviços sofisticados para o bem-estar dos bichinhos.

serviço de banho e tosa não existem gaiolas e grades. Geralmente o banho é agendado, assim os bichinhos não ficam muito tempo na espera. Enquanto o dono passeia pelo shopping, pode deixar seu amiguinho sob os cuidados do espaço, que conta com profissionais da Clinivet, o maior hospital veterinário do Sul do Brasil. Sua linha de vestuário superexclusiva conta com grifes como Guess, Harley-Davidson e Ralph Lauren. São camisetas, jaquetas, pijamas, roupões de banho, capas de chuva, moletons, regatas, vestidos, sapatos, jaquetas salva-vidas, biquínis e até fantasias. Isso sem falar nos acessórios cheios de estilo que a loja disponibiliza, como coleiras, guias, bonés, óculos, presilhas, colares, pochetes e mochilas. A loja conta ainda com produtos alimentícios: biscoitos, bombons, bolos, balinhas, petiscos variados e a primeira linha de alimentação natural fabricada no Brasil, a Pet Delícia, que oferece refeições cozidas não processadas feitas com ingredientes orgânicos.

, março 2012

FOTOS DIVULGAÇÃO

ESTILOS


A

Inaugurada em 2003, a Doggies. com é considerada a primeira butique canina da cidade.

Dra. Andreia Oliveira é veterinária e médica responsável pelo Grupo Vet Company, que inclui o Pet Palladium (no Shopping Palladium), o Puppy & Co (ParkShoppingBarigüi) e o Vet Company (Cidade e Total). Entre eles, o Pet Palladium é que mais se destaca pelo conceito butique. A loja apresenta joias e semijoias para pets e proprietários, além de produtos de marcas importadas como Puppy Angel, Oscar, Flor de Prata, Woof e Pet Finnes. Os serviços mais solicitados são as hidratações especiais, vacinas e venda de filhotes, que saem da loja com o Compromisso Pet Saudável. Isso inclui três meses de acompanhamento veterinário, aplicação de microchip, a próxima vacina a vencer e dois banhos especiais de filhote. O serviço de hotelaria, no qual o cliente leva o seu pet até a loja e eles mesmos ficam encarregados de levá-lo até o hotel de cães da rede, localizado em Santa Felicidade, também é um destaque. Futuramente, a ideia é ter no hotel um local exclusivo para os gatos, e também oferecer o serviço Pet Stop, um ambiente de recreação para o bichinho se distrair enquanto os proprietários passeiam no shopping. O Plano de Saúde Animal também faz sucesso entre os clientes.

FOTO FELIPE ROSA

Na butique é possível fazer um plano de saúde para o seu mascote.

Pet Palladium , março 2012

Doggies.com

A

na Beatriz Soder, veterinária e proprietária da Doggies.com, sempre foi apaixonada por cães. Ela conta que nunca encontrava acessórios diferenciados para seus cães e que tivessem a cara dela. “Foi então que decidimos assumir a Doggies. com e transformá-la numa legítima butique canina, com produtos lindos, personalizados e com um toque de luxo para o seu animal de estimação.” A loja é considerada a primeira butique canina da cidade e trabalha principalmente com produtos importados e de grife – entre elas, Louis Vuitton, Juice Couture, Woof, Ninna-au, Inés, Puppy Angel e Oh My Dog. O serviço de estética canina é bem diferenciado, com direito a hidratação de chocolate, morango, cauterização, escova luminosa e banhos energizantes, todos feitos com massagem e manta térmica. O centro de estética funciona sem gaiolas, em canis individuais com música relaxante o dia todo para os animais que aguardam o banho. Na loja é possível encontrar coletes salva-vidas, colchão de água, óculos escuros, fantasias, vestido de noiva e fraque, roupas, coleiras, laços importados, entre outros apetrechos.

131


ESTILOS

PET

CHEIOS DE MIMOS

Thelma e o enteado com os mascotes: trânsito livre pelo Shopping Crystal.

FOTO PATRICIA LION

A advogada chega a gastar R$ 700 por mês com seus três mascotes

C

FOTO DIVULGAÇÃO

132

nea) tem quatro meses e é rara por ser branca. Um charme só! Além de dar muito carinho e cafuné para o trio de mascotes, a advogada gosta de agradá-los com banhos semanais, biscoitinhos, coleiras novas e ossinhos, gastando em média cerca de R$ 700 por mês. Paçoca usa uma coleira da Burberry’s e o Torrada é carregado por uma bolsa da Jorge Bischoff Pet. “Estes animais preenchem a vida de gente, por isso queremos mimá-los, agradá-los, enfim, traduzir o nosso amor dando a eles tudo o que podemos dar.”

QUEM OFERECE

onduzido pelas sócias Claudia Dotti Moreira e Maria Julia Gubert, ambas veterinárias, o Animal Center oferece uma grande variedade de produtos e serviços, como banho e tosa, escovação de dentes com escova descartável, e hidratação eficaz – que leva um produto de base, dermatológico e hidratante, para proteger a pele durante o banho, ajudando a prevenir o ressecamento e distúrbios dermato-

Animal Center

A advogada Thelma Paranaguá e seu enteado, Maximus, de 7 anos, adoram frequentar o Shopping Crystal. Graças à liberação da entrada de animais de estimação no local, agora eles não precisam mais abrir mão da companhia de seus três mascotes – Paçoca, Torrada e Lua – para passear e fazer compras. Para mostrar que os pets são bem-vindos, as vitrines das lojas que aprovam a permanência de cães são sinalizadas com um adesivo. Paçoca e Torrada são dois lindos pugs de sete e quatro meses. Já a spitzu japonês (Lulu da Pomerâ-

lógicos. É possível escolher tosas diferenciadas (algumas delas estão em um catálogo feito pelo próprio tosador chefe, facilitando para o cliente na hora da escolha) e encontrar brinquedos, camas e edredons, petiscos, roupas, produtos para higiene, caixas de transporte, guias e outros mimos para o seu bichinho de estimação. A loja conta com as melhores marcas de rações indicadas por veterinários, entre elas uma especial que utiliza carne de avestruz como ingrediente. Outro produto de sucesso é a guia retrátil com cristais Swarovski, da marca alemã Flexi, considerado o melhor e mais confiável modelo do mundo. A loja também tem grande procura pelos amantes de gatos, que encontram vários produtos diferenciados para os felinos.

Pet shops e butiques caninas em Curitiba

AU. PET PLACE _(41) 3026-1885 Em funcionamento desde 2009 www.aupetplace.com.br DOGGIES.COM BOUTIQUE CANINA (41) 3024-9382 Desde 2003 Facebook: Doggies.com ANIMAL CENTER _(41) 3022-5252 Desde 2004 www.animalcenterpetshop.com.br PET PALLADIUM _(41) 3212-3975 Desde 2008 www.grupovetcompany.com.br

Para cães que apresentam alergias alimentares, a Animal Center disponibiliza uma ração especial que usa carne de avestruz em sua fórmula.

, março 2012


AGORA EM CURITIBA UMA DAS MAIORES OPERADORAS DE VIAGENS PARA DESTINOS EXÓTICOS Polinésia Francesa - A pérola mais preciosa do Oceano Pacífico

PAPPETE / MOOREA / BORA BORA - 10 DIAS • Traslados. • Parte aérea. • Acomodação em bangalô sobre as águas em Bora Bora. • Café da manhã em todas as ilhas e meia pensão em Bora Bora.

A PARTIR DE USD 5.350 POR PESSOA EM DUPLO.

info@kangaroosul.com.br | 41 3077.9003 | Rua Francisco Rocha, 62, salas 701 / 702 | Batel


NOTAS ESTILOS

ELAS ARES DE NOBREZA A grife Ateen lançou sua nova e requintada coleção de inverno, misturando, sem protocolo, ouro, couro, cobra, tweed, prata, pele e brilho. Mas não espere uma rainha de veludo vermelho coberta de golas altas e pedras preciosas. A nobreza da vez é rebelde. As peças da grife ganham perfume vintage e vêm combinadas a acessórios luxuosos, criando uma versão opulente e irreverente do estilo hippie chic. (41) 3373-6433. www.parkshoppingbarigui.com.br

PODER DE ATRAÇÃO Este anel de ouro rosé com aplicação de ródio branco e cravejado de diamantes é um luxo só! A sofisticação e a identidade pessoal serviram de inspiração no processo de criação da joia. As aplicações de diamante deram à peça um acabamento único que dispensa qualquer tipo de complemento. www.bergerson.com.br

TOQUE RETRÔ A coleção da Mixed mergulhou no universo dos vinhos e das divas do cinema. A grife apostou em tecidos como seda, tweed, veludo, renda, chifon, couro e pele para criar a sua campanha outono-inverno. Os cortes são retos, com a cintura marcada para evidenciar a feminilidade. A cartela de cores passeia entre o off-white, o verde, âmbar dijon, magenta e blues. Para a noite, vestidos com paetês e black dresses. (41) 3079- 8005. www.mixed.com.br

134

, março 2012


VITRINE

RELÓGIOS

Momento clássico Relógios sofisticados para chegar na hora certa e com estilo ATUAL ETERNO O Armani Braun mecânico é um relógio todo automático, o que prolonga o tempo de vida útil do acessório. Possui maquinário visível, marcador de reserva e mostrador branco. Viccenza (41) 3027–8133. R$ 1.947

O Edox é um legítimo suíço, que possui mecanismo automático e pulseira crocodilo. Funcional e contemporâneo. Natan (41) 3322 - 8588. A partir de R$ 5.600

PRECISO Com pulseira e caixa em aço e dourado, o Edox é produzido com vidro cristal de safira e possui mecanismo automático, que permite cronometrar com precisão até um décimo de segundo. Natan (41) 3322 - 8588. A partir de R$ 3.600

136

FOTOS PAULO CIBIN PRODUÇÃO JEFF CODAGNONE

, março 2012


VITRINE

RELÓGIOS

Já era hora Modelos esportivos para não perder o charme nem na hora do cooper ELEGANTE Com mostrador marron, pulseira em aço com borracha de silicone e cronógrafo, o modelo Armani esportivo combina com homens e mulheres que buscam estilo e precisão. Viccenza (41) 3027–8133. R$ 2.050

MODERNO Na cor verde, com pulseira de borracha e mecanismo Quartz, o Natan-College é um acessório funcional indispensável no seu dia a dia. Natan (41) 3322-8588. A partir de R$ 560

VERSÁTIL Marca de origem italiana, o modelo KBros tem mecanismo Quartz e pulseira de borracha. Perfeito para quem busca uma peça mais esportiva para todas as ocasiões. Natan (41) 3322-8588. A partir de R$ 420 FOTOS PAULO CIBIN PRODUÇÃO JEFF CODAGNONE

138

, março 2012


ESTILOS

CUPÊS

Esportivos

de luxo

O Brasil entrou de vez na rota dos cupês. O país já é o quarto maior mercado para esses veículos velozes e superestilosos. Veja os lançamentos das principais montadoras para essa categoria por Alexandre Lara | design Leonardo Stawski

C

om um motor V10 de 560 cavalos de potência, este cupê chega a uma velocidade de até 300 quilômetros por hora. O motor ronca muito forte. Em marcha lenta você ouve um ruído metálico, mas, em alta aceleração, prepare-se: são fogos de artifício regidos por duas borboletas fixadas nos escapamentos. Tal acessório permite a entrada e saída de ar em intervalos mais compassados no escapamento. O resultado é um carro para lá de selvagem com muito mais barulho que o habitual. A versão, considerada pela crítica a mais potente e superesportiva da Audi, tem nome e sobrenome: R8 GT Spyder. É incrível o que apenas duas letrinhas são capazes. A sigla GT (do inglês, gran tour) é considerada uma categoria de automóveis de luxo feitos para rodar longos percursos em alta velocidade. E o carro é fiel a esse conceito.

140

HISTÓRIA História

O PROJETO O projeto

“Há 37 anos o Maverick já mostrava a força de um GT num som grave do motor V8 de 190 cv”, diz o piloto de testes da Audi, Sérgio Alencar. Em 1988, o mercado foi revolucionado com o GTI e seu sistema de injeção controlado eletronicamente, que aposentava o carburador. O motor 2.0 da Audi tinha 112 cv e era capaz de ir de zero a 100 km/h em nove segundos. Uma marca respeitável para um carro de passeio, mas uma eternidade se comparada ao tempo do R8 GT Spyder: 3,6 segundos. A asa traseira é indispensável para manter esse carro no chão a 320 km/h. “Apesar de ter controle de tração e de estabilidade, é importante saber acelerar progressivamente sem afundar o pé de uma vez. A resposta é muito rápida, mas o spoiler retrátil ajuda”, diz Alencar.

O modelo original, o R8, já é um superesportivo. Na aparência eles são quase iguais, mas na versão GT os engenheiros se superaram. Para fazer o carro andar ainda mais, os projetistas reprogramaram a injeção eletrônica. A mexida fez a potência saltar de 525 cv para 560 cv. Com o coração em ordem, faltava perder algumas gordurinhas. O que foi considerado desnecessário foi cortado, como o aquecimento nos bancos, câmeras de ré e infravermelho, além do uso de fibra de carbono em várias partes da carroceria. Enfim, o R8 GT Spyder não tem mais esses confortos, mas em compensação ganhou um corpinho 100 kg mais leve

, março 2012


FOTO DIVULGAÇÃO

AUDI R8 GT Spyder

Asa traseira é fundamental para manter o carro no chão a

320 km/h

•No interior, não existem painéis laterais de fibra de carbono como no modelo anterior. No lugar deles, novas entradas de ar foram desenhadas, o que rendeu maior fluidez às linhas do superesportivo •Existem opções adicionais, como teto retrátil ou rígido •As rodas são de 19 polegadas com cinco raios duplos em formato de “Y”, que favorecem a troca do calor gerada pelos discos de freio do veículo

•Preço: R$ 1 milhão •Motor: V10 •Potência: 560 cv •Câmbio: S-Tronic de seis marchas semiautomáticas com tração integral. Isso explica por que ele é ótimo no molhado •Peso: 1.640 kg •Velocidade: zero a 100 km/h em 3,6 segundos •Comprimento: 3,40 metros

O R8 GT Spyder tem câmbio S-Tronic e tração integral, o que explica por que ele é ótimo no molhado.

, março 2012

141


CUPÊS

FOTO DIVULGAÇÃO

ESTILOS

COOPER COUPÉ •O modelo é customizável. É possível personalizar a cor e vários acessórios, como bancos, rodas, portas, acabamentos e faixas •A aceleração é controlada através de um conta-giros digital que marca a rotação máxima do motor e avisa o momento certo de trocar a marcha

Com espaço para dois passageiros, o Cooper Coupê possui spoiler retrátil na traseira e é o mais esportivo de todos os minis já fabricados. Preço: R$ 135 mil.

142

•Vem com todos o itens de segurança: oito airbags, freios ABS, controle de estabilidade e tração •Preço: R$ 135 mil •Motor e potência: 1.6 aspirado de 122 HP e 1.6 turbo de 184 HP •Câmbio: steptronic automático de seis marchas sequenciais •Peso: 1.800 kg •Velocidade: zero a 100 km/h em 6,9 segundos •Comprimento: 3,35 metros

FOREVER YOUNG MINI Quando o assunto é carros superesportivos de luxo, não dá para pensar em outra coisa senão design, alta tecnologia e, claro, muita potência. Imagine sair de zero a 100 km em um pouco mais de seis segundos? Para isso, você terá que desembolsar pouco mais de R$ 130 mil no modelo Cooper Coupê da Mini. A versão, fabricada na Inglaterra pela BMW, é equipada com dois motores. O primeiro é 1.6 aspirado de 122 HP e o segundo é um 1.6 turbo de 184 HP. Isso garante uma velocidade máxima de 230 km/h controlada por meio de um velocímetro fixado no painel digital ao lado do volante. Com faróis arrendondados, linhas sofisticadas e um spoiler retrátil na traseira – que garante a estabilidade do carro a partir dos 60 km/h –, o novo cupê da Mini é uma verdadeira mistura de sensações. , março 2012


Nissan 370Z •A carroceria ostenta o capô longo

ATITUDE Nissan O Nissan 370Z é mais barato e mais veloz que os rivais Audi TT, BMW Z4 e Mercedes Benz SLK. Equipado com motor V6 3,7L de 337 cv, o modelo é capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 5,3 segundos. Chega a uma média de 250 km/h. Apesar dessas vantagens sobre a concorrência, a montadora nunca o lançou no Brasil. Felizmente, existem importadores independentes que trazem o carro ao país por conta própria.

Apesar de ter a silhueta similar à do modelo 350Z, o 370Z é outro carro. Sua carroceria é mais baixa, curta e larga em relação ao antecessor. E o uso do alumínio em algumas partes da carroceria faz com que ele fique mais leve. Mais cavalos, menos peso e entre-eixos mais curtos: a receita melhorou ainda mais a estabilidade do carro, sem precisar apelar para uma suspensão excessivamente rígida.

FOTO DIVULGAÇÃO

e a traseira curta, com a queda de teto acentuada •O design dos faróis e das lanternas tem forma de bumerangue •Preço: a partir de R$ 130 mil •Motor: V6 3,7L •Potência: 337 cv •Câmbio: um manual tradicional de seis marchas e um automático de sete velocidades •Peso: 1.750 kg •Velocidade: zero a 100 km/h em 5,3 segundos •Comprimento: 4,24 metros

, março 2012

143


CUPÊS

FOTO DIVULGAÇÃO

ESTILOS

144

FORD EVOS

FUTURISTA Futurista

•Entre as tecnologias, destaque para um sistema que baixa mapas e a previsão do tempo. Essas informações são usadas para ajustar vários componentes do carro, como direção, suspensão e freios •O modelo possui grafismo nos vidros dianteiro e traseiro com ligação no teto do carro •Veículo híbrido do tipo plug-in – funciona com gasolina ou eletricidade •Motor: V6 3,7L •Potência: 337 cv •Câmbio: manual e automático •Peso: 1.840 kg •Velocidade: zero a 100 km/h em 6,2 segundos •Comprimento: 4,5 metros

Para um carro ser veloz, precisa ter algumas características importantes. “É bom que ele seja baixo, tenha boa distribuição de peso, motor com potência de sobra e um bom sistema de transmissão para levar tudo isso aos largos pneus”, explica o vice-presidente do grupo e chefe de design da Ford no Brasil, João de Abreu Neto. E se um carro reunisse tudo isso e custasse menos da metade de um Porsche a de uma Ferrari? O Evos é a nova aposta da Ford no Brasil. O carro se destaca pelas linhas esportivas que exploram o conceito de kinetic design, uma nova linguagem de desenho automotivo inspirada na energia do movimento. Entre os detalhes que chamam a atenção estão as portas “asa de gaivota” que se abrem para cima e criam um belo efeito visual. , março 2012


NOTAS GADGETS

ANDRÓIDE A versão 3G do tablet da Motorola, o XOOM 2 Media, traz como destaque o MotoCast, que permite acessar remotamente os arquivos do computador de sua casa e reproduzir as músicas, vídeos e fotos diretamente no tablet. A novidade é um aplicativo pré-instalado que faz com que o dispositivo se transforme em um controle remoto universal para equipamentos de áudio e vídeo. www.motorola.com.br

FASHIONISTAS Com suporte tecnológico da 3M, a Skin by Me do Shopping Palladium criou uma película adesiva especial de fácil aplicação e remoção, com sistema antibolhas e proteção contra riscos para Blackberries, Apples, Nokia, Samsung e Motorola, além de laptops e tablets. Ultrafina, ela garante ao seu mobile uma aparência 3D. Na cartela de estampas, grafites, mangás e cartoons. www.skinbyme.com.br

FULL O modelo NEX-C3 da Sony vem com lentes intercambiáveis, 16.2 MP de resolução e diversos recursos comparáveis aos de câmeras profissionais. A câmera digital faz filmagens em HD nos formatos MP4 e VGA, possui memória expansível até 32GB e oferece vários recursos como foto criativa, efeitos de imagem e de pele suave, além de desfoque de fundo e registro de fotos panorâmicas em 3D. www.sony.com.br

146

, março 2012


NOTAS ESTILOS

ELES PREPPY A grife internacional de moda e lifestyle Gant apresenta uma coleção para homens versáteis, que estão prontos tanto para um almoço em Curitiba quanto para um final de semana na fazenda – sem abrir mão da elegância e do conforto. Para eles, o estilo preppy segue como tendência em paletós de tweed, calças de veludo coloridas e jaquetas esportivas. Confira a coleção no Shopping Crystal. (41) 3039-4336. www.gant.com.br

EM ALTO MAR Design, elegância e inovação são características do Oyster Perpetual Yacht Master II. A versão é para lá de exclusiva. O modelo possui 42 rubis, ponteiros em ouro rosa-azulados, mostrador branco laqueado, marcadores de horas com 12 apliques em ouro rosa e mecanismo automático, equipado com rotor Perpetual. Em Curitiba, você pode encontrá-lo na loja da Bergerson do Shopping Crystal. (41) 3324-1794. www.rolex.com

FORÇA RESISTÊNCIA Nas versões 90, 110 e 130 cabine dupla, o Defender tem motor diesel de 2.4 L e torque máximo de 360 Nm. Todos com potência de 122 cv e transmissão manual com seis velocidades. Ideal para trajetos on road. Os modelos 90 e 110 trazem como itens de série o controle eletrônico de tração e sistema de freios antitravamento (ABS), dando mais segurança nas curvas. Dispõe de painel ergonômico, ar-condicionado e assentos revestidos. Agende sua visita na Euro Import Land Rover. (41) 3312-9800. www.euroimport.com.br

148

, março 2012


VITRINE

BIKES

Objetos de desejo

Design e tecnologia para quem quer manter a saúde e preservar o meio ambiente

por Paula Melech

EXUBERÂNCIA As bicicletas Audi Duo contam com um quadro monocoque feito inteiramente de madeira, que oferece excelente absorção de impactos e vibrações, tornando o passeio mais agradável. O quadro é extremamente leve, já que pesa entre 7 e 9 quilos (aproximadamente um quarto do peso de um similar em alumínio), isso sem perder suas propriedades de durabilidade, rigidez e resistência a choques. Com oito marchas, o visual exuberante impressiona por lembrar propositalmente o interior dos veículos Audi. Custa US$ 6.530 e, por enquanto, é encontrada apenas nas lojas da marca nos Estados Unidos. www.audi.com

CONFORTO Dispõe de 27 velocidades e proporciona puro prazer de condução. A bicicleta Touring BMW com mudança de velocidades pela correia combina o design moderno com o máximo conforto. O quadro foi desenvolvido com tecnologia de construção hidroformada, originando o inovador design da superfície, que torna esta bicicleta inconfundível. O assento ergonômico de gel transforma os longos trajetos num confortável passeio. Custa 1.299 euros e pode ser encomendada nas concessionárias autorizadas da BMW no Brasil. www.bmw.com

ELÉTRICA A bike com estilo supertecnológico tem motor elétrico, mas isso é só um detalhe perto dos materiais utilizados na M55 Terminus. Nela são empregadas matérias-primas da Fórmula 1, como fibra de carbono e alumínio, além de discos de freios hidráulicos da Brembo. Para otimizar as pedaladas, um sensor determina quando é preciso empregar mais força nos pedais, assim o motor ajuda a tornar as pedaladas mais suaves. Preço: 25 mil euros. www.m55-bike.com

150

, março 2012


VITRINE

BIKES FEMININA A Caloi Konstanz é uma bicicleta sofisticada produzida especialmente para quem gosta de pedalar com conforto e estilo. O modelo segue a tendência cycle chic, que mistura o ciclismo urbano com a moda. O modelo, desenvolvido em alumínio, possuiu quadro rebaixado, que facilita a subida na bike, e acompanha uma cesta removível de vime. Suas rodas são de aro 700 com paredes duplas e aros de aço, que proporcionam mais conforto nas pedaladas. Vem com para-lamas dianteiro e traseiro e descanso lateral. Custa R$ 1.299,00. Mais informações: www.caloi.com

DESCOLADA Com design exclusivo, a bicicleta dobrável MINI é a combinação de estilo e inovação. Graças ao peso reduzido de apenas 11 kg, à marcha de 8 velocidades e às rodas de 20 polegadas, ela é rápida e ágil, ideal para quem deseja economizar tempo. Moderna e resistente, a MINI vem com pedais revestidos com teflon, para-lamas dianteiro e traseiro, quadro de alumínio em preto fosco com logo da marca e um confortável selim de gel. Disponível nas concessionárias oficiais da marca por R$ 2.850,00. www.mini.com.br

ECOLÓGICA A principal matéria-prima utilizada para a fabricação dos quadros da Muzzi Cycles é a garrafa PET, além de outros tipos de resina plástica. O design orgânico e a mistura dos polímeros empregados na confecção dos quadros conferem uma plasticidade que absorve os impactos causados pelas imperfeições dos pavimentos. Os quadros têm proteção UV, não enferrujam nem são soldados. Os modelos variam do básico, monomarcha, até o freio a disco. Custam entre R$ 420 e R$ 1.990. Podem ser encomendadas no site www.muzzicycles.com.br

152

, março 2012


VITRINE

BIKES DOBRÁVEL A bicicleta dobrável Caloi Urbe traz itens que garantem segurança e conforto ao ciclista. O modelo é feito de alumínio, pesa 11,90 Kg, tem rodas de 20 polegadas com paredes duplas, câmbio Shimano de sete marchas e selim confortável. A bike Caloi Urbe conta também com para-lamas dianteiro e traseiro – que facilitam a condução na chuva – descanso lateral, bagageiro e sacola para transporte. Preço sugerido: R$ 1.499,00. Mais modelos no site www.caloi.com

AVENTURA Seja um percurso único, um trecho de asfalto ou o leito de um rio seco, a esportiva mountain bike Cross Country BMW impressiona em todos os terrenos e em todas as velocidades. Tudo graças à perfeita afinação, ao grande conforto da suspensão e à geometria do quadro. Com peso de 12,9 quilos, os componentes de alta qualidade – como os freios de disco totalmente hidráulicos, a transmissão Shimano XT com 30 velocidades e a escora de quatro articulações – estão em perfeita harmonia com o quadro de alumínio hidroformado. Custa R$ 21.515. www.bmw.com

LUXO Esta é a bicicleta mais cara do mundo. Banhada em ouro 24 quilates e adornada com mais de 600 cristais Swarovski, é uma invenção da empresa sueca Aurumania. Procurada pelo estilo e tecnologia, ela é feita à mão e o assento é de couro. Com apenas dez unidades disponíveis, as bicicletas são entregues ao comprador em embalagens luxuosas. No entanto é para poucos. Para ter a preciosidade, é preciso desembolsar cerca de 80 mil euros, algo entre R$ 180.500,00. www.aurumania.com

154

, março 2012


COLUNA

NEWSPORT

911

Aos 49 anos, o Porsche 911 Carrera está mais novo do que nunca por Newton Gomes da Rocha

O

lançamento mundial dos novos Porsche 911 Carrera e Carrera S aconteceu no Salão Internacional de Automóveis de Frankfurt, na Alemanha, no ano passado. O renovado 911 Carrera, que chegou aos Estados Unidos custando US$ 82,1 mil está previsto para chegar em terras brasileiras até o mês de abril. A geração completamente redesenhada do ícone dos carros esportivos ganha ainda mais destaque com sua silhueta plana e alongada, contornos chamativos e detalhes projetados com precisão. A primeira mudança importante na máquina está no tamanho. A nova geração do Porsche 911 cresceu em 10 cm no entre-eixos, trazendo mais porte e mais espaço para as pernas. Além disso, o mais famoso dos modelos da marca teve os espelhos re-

156

trovisores movidos do canto da janela para a parte superior da porta. O corpo de alumínio tornou-se mais leve e mais aerodinâmico. Por dentro, o proprietário do novo 311 vai encontrar um ambiente mais refinado, que lembra o interior já visto no Panamera ou no Carrera GT. Seus bancos são revestidos de couro, e os detalhes de alumínio no painel e no volante trazem um pouco da esportividade do modelo para o interior. No console central, uma tela sensível ao toque de 4,6 polegadas permite que o motorista controle o sistema de navegação, o sistema de som, o computador de bordo e outros sistemas do carro. E o grande destaque é que o Porche 911 Carrera chega com um motor de seis cilindros em linha, que gera pouco mais de 350 cv de potência. Já

a versão S, mais esportiva, tem motor maior, de 3,8 litros, capaz de gerar 400 cv. O propulsor pode ser acoplado a uma das duas caixas de sete velocidades disponíveis. Uma delas é a caixa manual, que estreia na indústria automobilística mundial, e a outra é a automática de dupla embreagem conhecida como PDK. Em matéria de novidades tecnológicas, outro componente que aparece pela primeira vez em um Porsche 911 é o sistema PDCC (Porsche Dynamic Chasis Control), que adiciona barras estabilizadoras ativas ao veículo. Ele também tem de série um sistema de distribuição eletrônica do torque, que atua em conjunto com o diferencial com deslizamento limitado na traseira.

, março 2012


Na parte interna, o piloto vai encontrar um ambiente mais refinado, que lembra o interior já visto no Panamera ou no Carrera GT. Seus bancos são revestidos de couro, e os detalhes de alumínio no painel e no volante trazem um pouco da esportividade do modelo.

, março 2012

157


NEWSPORT

FOTO DIVULGAÇÃO

COLUNA

A nova carroceria tem construção em alumínio e aço e está 45 kg mais leve.

A nova geração do Porsche 911 cresceu em 10 cm no entre-eixos.”

158

O modelo equipado com a transmissão PDK é mais rápido e eficiente que a variante com câmbio manual. Segundo a fabricante alemã, o bólido vai de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos, valor que pode ser reduzido em 0,2 segundo caso se opte por equipar o carro com o pacote Sport Chrono.

O motorista poderá optar por um dos três modos de condução. No Normal, as mudanças são suaves e realizadas sob baixo regime de giros. É um modo que privilegia o baixo consumo e o conforto. Ao optar pelo modo Sport, as trocas passam a ser feitas com maior rapidez, sob regime mais alto, e a direção fica mais dura. E no modo Sport Plus, o 911 se torna mais radical: as trocas acontecem de maneira instantânea e a direção fica mais rígida e veloz. www.porsche.com.br , março 2012


88

Elegante e com design sofisticado, a Coifa Adagio, lançamento da marca italiana Elica, oferece um inovador sistema de embutimento, que permite o uso integrado com cooktops, range tops e fogões. Quando desligada, fica perfeitamente encaixada e, quando acionada, projeta-se para fora da bancada da cozinha. Produzida em aço inox, a coifa dispõe ainda de painel com touch control que permite controlar todas as suas funções. Prática, dispensa o uso de dutos de exaustão externos graças a filtros eficientes, que garantem a circulação de um ar livre de gorduras e odores. 0800 757-5757 www.lofra.com.br

, março 2012

FOTO DIVULGAÇÃO

COIFA DE EMBUTIR

NOTAS ESPAÇOS


NOTAS

ESPAÇOS LINHA DUMONT Inspirada no Demoiselle, avião projetado por Santos Dumont, o conjunto lançado pela Flexiv apresenta linhas modernas e design atemporal, combinando aço inox, alumínio e eucalipto renovável. Os pés da mesa lembram hélices e os tirantes de aço remetem aos cabos de sustentação dos aviões. Versátil, o aparador tem função de apoio, armazenamento e escrivaninha. As peças utilizam materiais sustentáveis: a madeira é certificada, e a cola e o verniz são à base d´água. Flexiv - Rua Nilo Peçanha, 420, Centro Cívico. (41) 3322- 9006. www.flexiv.com.br

PAISAGENS

DESIGN ITALIANO A Poltrona Glove, da designer Patricia Urquiola, traz alegria e personalidade para qualquer ambiente. A peça, premiada com o Good Design 2008 do Chicago Athenaeum, possui estrutura de metal e pode ser revestida com tecido, couro ou microfibra. O revestimento é totalmente removível. Disponível na Montenapoleone, importadora de móveis de design autoral, que representa com exclusividade no Brasil a grife de móveis italianos Molteni & C. www.montenapoleone.com.br

164

A linha Open Space da Gardenia Orchidea apresenta um porcelanato de grandes dimensões, ideal para espaços amplos. É um revestimento modular que pode ser usado tanto em área externa como interna. Suas tonalidades são cromáticas, inspiradas em paisagens naturais. No tamanho de 1,20 m X 1,20 m, está disponível em seis cores. O lançamento foi apresentado no início de março na 10ª edição da Expo Revestir (Feira Internacional de Revestimentos), em São Paulo. www.texthuraycor.com.br

, março 2012


ESPAÇOS

DESIGN NACIONAL

Reinvenção

da Matéria O design brasileiro contemporâneo tem se destacado pelo uso inovador de materiais tradicionais por Paula Melech I design Natalia Richert

C

om muita criatividade no uso de materiais naturais e regionais, o design brasileiro de mobiliário vem ganhando notoriedade dentro e fora do país. São peças que materializam a luz, as cores e a alegria do nosso povo, em sincronicidade com o ambiente tropical. “A valorização do design brasileiro é resultado da requalificação do cenário cultural, que se estendeu também para essa área. É um cenário favorável”, ressalta o arquiteto curitibano Marcos Bertoldi, particularmente interessado em design autoral e contemporâneo. Diferente do que é produzido no exterior, o produto tupiniquim conta

168

com diversidade de soluções projetuais e uma feitura mais manual. “Destaca-se a preservação das características dos materiais, que denotam a destreza na utilização da madeira, couro e tecido”, aponta Giancarlo Latorraca, diretor técnico do Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, o único museu do país especializado em design e arquitetura. Além dessas características, é fácil perceber nas criações nacionais contemporâneas uma mistura de estilos e tendências, com propostas que resgatam os valores culturais do país, incorporam processos de fabricação inteligentes ou mesmo questionam os limites entre a arte e o design.

, março 2012


Cores e movimento

Para o designer Rodrigo Almeida, o importante é que o objeto consiga se comunicar, fazendo parte de seu tempo e representando a sua cultura. A miscigenação é um dos mais importantes aspectos do seu trabalho. Com a utilização de couro, corda e plástico, o design da cadeira África (abaixo) e da cadeira Bahia (à esquerda) procuram trabalhar com estruturas visíveis em diferentes camadas, criando composições com movimento natural, como se a matéria fosse jogada contra a estrutura sem cautela.

FOTOS DIVULGAÇÃO

www.rodrigoalmeidadesign.com

, março 2012

169


ESPAÇOS

DESIGN NACIONAL

Materiais reinventados Inovação e personalidade são as marcas do trabalho de Eulália de Souza Anselmo, da Prima Design. O delicado bordado com flores de crochê feitas à mão por uma comunidade de artesãs é unido à tecnologia do aço inox na Poltrona Flor. Maços de vime natural amarrados com imbira e arame fazem do sofá Vimeiro uma peça única e marcante. Almofadas em algodão natural complementam o estilo da peça.

www.primadesign.com.br

170

, março 2012


FOTOS DIVULGAÇÃO

Identidade nacional Para a designer Fernanda Brunoro, é essencial harmonizar funcionalidade e bem-estar. Em muitos projetos, ela traz um resgate da brasilidade, assim como procura pensar na sustentabilidade e na durabilidade dos produtos. Produzida pela Schuster, a poltrona Redonda inspira-se em medalhas das vestimentas do período pré-colombiano. Possui base redonda de madeira e encosto curvado, conferindo sensação de aconchego.

www.fernandabrunoro.com

Diálogo com a matéria Com marcenaria e ateliê próprio, a designer Juliana Krantz deixa transparecer em sua linha de produção o poder orgânico da madeira, com um cuidado minucioso de artesania que faz essa matéria-prima dialogar com sua condição original. Feita de jatobá, a peça Ovaso suscita, por meio de suas formas, algo para além da simples utilidade cotidiana.

www.juliakrantz.com.br

, março 2012

171


ESPAÇOS

DESIGN NACIONAL

Arquitetura do Design A Baraúna nasceu como uma extensão do escritório Brasil Arquitetura. Lá, os “móveis de arquiteto” são projetados e executados em marcenaria própria, onde são testados diferentes soluções, tipos de encaixes e acabamentos. A poltrona Filó, concebida por Francisco Fanucci, nasce da articulação de três planos de contato com o corpo, numa angulação que procura oferecer conforto e boa postura no sentar. www.barauna.com.br

Morito Ebine No ateliê de Morito Ebine, os móveis artesanais e de design contemporâneo são feitos com a técnica milenar de encaixes, dispensando o uso de pregos ou parafusos. A confecção dos móveis se baseia na durabilidade das peças, por meio do uso de técnicas tradicionais aliadas a novas tecnologias. Na cadeira Weg 2 – desenhada em parceria com a designer Julia Krantz – foi empregada a madeira freijó. www.moritoebine.com

172

, março 2012


FOTOS DIVULGAÇÃO

Raízes brasileiras Desde que abriram as portas da Lattoog, os designers Leonardo Lattavo e Pedro Moog vêm se especializando na fabricação de móveis experimentais com técnicas diversas e que expressam a cultura carioca. Em sintonia com o conceito de antropofagia cultural – a ideia de devorar a cultura colonizadora e transformá-la em cultura revolucionária –, a poltrona Temes apresenta fortes referências às raízes brasileiras.

www.lattoog.com

Retrô contemporâneo Seguindo com a proposta de criar produtos que aliam utilidade e estética, os designers Mariana Betting e Roberto Hercowitz, sócios da Em2 Design, apostam no desenho inovador e nos traços conceituais e de personalidade. Variando entre o retrô e o contemporâneo, o móvel Brasilino se destaca pelos detalhes construtivos e formais, em especial os puxadores e frisos das portas. A peça permite ainda diferentes acabamentos de madeira e cores.

www.em2design.com.br

, março 2012

173


DESIGN NACIONAL FOTOS DIVULGAÇÃO

ESPAÇOS

Além do funcional À frente do estúdio Fetiche Design, Carolina Armellini e Paulo Biacchi têm a intenção de mostrar o novo, criar e produzir com liberdade. A dupla busca referências e significados além do formal e funcional para as peças. O banco R240 almeja o ineditismo. A trama de espaguetes plásticos amarrada à estrutura metálica circular proporciona ergonomia para o sentar, além de dar um toque nostálgico à peça.

www.fetichedesign.com.br

Forma orgânica A vontade de ousar é a grande mola propulsora de Flávio Borsato e Maurício Lamosa, designers do Estudiobola. Interessados em pesquisa de tecnologia e matéria-prima, a dupla busca aprimorar o refinamento dos projetos. Com todas as faces diferenciadas e orgânicas, a poltrona Shell é um dos destaques do ateliê. O trabalho artesanal está presente na costura dos gomos, que resultam em extremo conforto ao sentar.

www.estudiobola.com

174

, março 2012


ARREDORES HOTEL

TIVOLI

PARAÍSO

baiano

A menos de uma hora de Salvador, num dos destinos tropicais mais belos do país, encontra-se o Tivoli Ecoresort Praia do Forte. Um verdadeiro refúgio que oferece integração à natureza com sofisticação e privacidade

por Fabiane Tombely I design Iraisi Gehring

D

oze quilômetros de praia de areias brancas, águas mornas o ano inteiro, um coqueiral a perder de vista e um mar verde-esmeralda protegido por recifes de coral que formam dezenas de piscinas naturais. Assim é a Praia do Forte, um pedaço do paraíso localizado no meio da exuberante paisagem do

178

litoral norte da Bahia, a 45 minutos do Aeroporto Internacional de Salvador. Agora imagine vivenciar tudo isso com muito conforto, requinte e sofisticação. Isso é o que oferece o Tivoli Ecoresort Praia do Forte, considerado um dos melhores resorts do Brasil graças à completa infraestrutura e ao serviço acolhedor e personalizado.

, março 2012


FOTO DIVULGAÇÃO

A piscina de 15 x 35 m com borda infinita e de frente para o mar proporciona uma sensação única.

Esqueça a ideia de um típico resort baiano. O hotel é calmo, silencioso e tem fauna e flora por todos os lados. Os coqueirais se misturam com a mata de restinga e com as areias brancas das praias tranquilas que emolduram os imensos jardins do hotel. O projeto arquitetônico faz com que os prédios se

, março 2012

integrem aos jardins sem agredir a paisagem. A sensação é que o hotel surge naturalmente por entre a vegetação. Uma atração a mais fica por conta dos pequenos animais silvestres como micos, passarinhos e lagartos, que convivem em harmonia com os hóspedes.

179


ARREDORES HOTEL

A

sensação é que o hotel surge naturalmente por entre a vegetação. 180

TIVOLI

O hotel é precursor quando o assunto é ecoturismo no Brasil, atuando com o conceito há 26 anos. São diversas atividades voltadas à conscientização ambiental. O Tivoli promove trilhas, pescarias, visitas ao Projeto

Tamar e observação de baleias. Além disso, o projeto ocupa apenas 20% dos 300 m² de área total, preservando o verde da vegetação típica que faz da Praia do Forte um santuário ecológico. Desde 2006, o hotel pertence

, março 2012


FOTOS DIVULGAÇÃO

Localizado em uma área de 300 m² na linda Praia do Forte, o projeto arquitetônico do empreendimento faz com que os prédios se integrem aos jardins sem agredir a paisagem.

ao grupo Tivoli Hotels & Resorts, uma das principais cadeias hoteleiras de Portugal, com 12 unidades naquele país, além de mais uma no Brasil, na cidade de São Paulo. Com uma estrutura exclusiva para

, março 2012

as crianças, o Tivoli Ecoresort Praia do Forte é um destino tropical perfeito para as férias em família. Para os adultos, opções de lazer também não faltam. O hotel possui oito piscinas, hidromassagem, campo de futebol ilumi-

nado, quatro quadras de tênis iluminadas, quadra de vôlei de areia, anfiteatro, SPA e fitness center. Há ainda opções de esportes náuticos como mergulho, pesca, aulas de yoga, dança e caminhadas esportivas.

181


TIVOLI FOTOS DIVULGAÇÃO

ARREDORES HOTEL

GASTRONOMIA Gastronomia

Toda a decoração do hotel privilegia o uso de materiais naturais e elementos decorativos criados pelos artistas locais. No detalhe, o famoso Camarão à Sapiranga é uma moqueca que não leva dendê.

182

A gastronomia é um dos destaques do hotel. O empreendimento conta com três restaurantes e quatro bares. As opções de cardápio são diversas. Para o café da manhã e jantar, uma ótima pedida é o Goa. Famoso por sua ampla variedade de opções, o restaurante oferece bufê com mais de 130 pratos da culinária baiana e internacional. A cada dia da semana, um tema diferente no cardápio, que vai da tradicional comida baiana a pratos portugueses e italianos. Uma dica: não deixe de provar o sorvete de coco queimado, que é simplesmente incrível! O restaurante Tabaréu oferece o melhor da gastronomia baiana e frutos do mar num ambiente mais descontraído, à beira da praia. Os deli-

ciosos pratos são preparados na hora, incluindo guarnições e sobremesas dispostas em bufês para servir-se à vontade. Entre os pratos, destaque para o famoso Camarão à Sapiranga, uma deliciosa moqueca que já se tornou um verdadeiro clássico da cozinha contemporânea baiana e que, pasmem, não leva azeite de dendê na receita. Também vale a pena conferir a feijoada aos sábados, ao som de chorinho apresentado por artistas locais. Já o restaurante À Sombra do Coqueiral possui, de um lado, uma vista para a espetacular piscina com borda infinita, cujo limite se confunde com o do mar; e do outro, os lindos lagos do hotel. No sistema a la carte, tem inspiração na culinária internacional e mediterrânea.

, março 2012


ACOMODAÇÕES Acomodações Todos os 287 apartamentos ficam de frente para o mar, o que torna a estadia inesquecível. A decoração possui design moderno e acolhedor e privilegia o uso dos materiais naturais. Cenário perfeito para quem procura integrar descanso, conforto e natureza. As acomodações são divididas em 19 suítes DeLuxe, 54 quartos Master Spa, 133 quartos Master e 80 quartos Premium. Mas o destaque fica por conta da superexclusiva suíte presidencial Collection, única no hotel, que representa o máximo de sofisticação e conforto. Localizada em

um dos lugares mais nobres do resort, com uma área total de 240 m², a suíte possui uma maravilhosa vista panorâmica para o mar, um deck e lounge beds. Além do quarto com cama king size, casa de banho com jacuzzi, quarto de vestir e sala de jantar, a suíte conta com uma ampla sala de estar de onde se observa toda a extensão da praia e do jardim. Os hóspedes da suíte Collection têm acesso gratuito à área de relaxamento do Thalasso Spa, à piscina climatizada, saunas, tanque de água gelada, caminho de pedras e jacuzzi.

Todos os 287 quartos têm varandas de frente para o mar.

, março 2012

183


ARREDORES HOTEL

TIVOLI

RELAX Relax

Entre os tratamentos oferecidos no Thalasso Spa estão as máscaras faciais feitas com ouro e diamante com caviar.

184

Quem quer relaxar não pode deixar de conferir o Thalasso Spa. É um santuário de saúde, beleza e bem-estar numa área de 4 mil m². O espaço tem salão de beleza, fitness center e área de relaxamento, com uma grande piscina climatizada com hidromassagem, três saunas, circuito bitérmico, tanque de água gelada e caminho das pedras. Há ainda 25 salas privativas para tratamentos diversos, como massagens, tratamentos estéticos e sessões de talassoterapia, entre outros. O Thalasso Spa ainda tem um espaço à beira da praia, o Beach Spa, montado nos jardins do hotel, no qual são oferecidos diversos tipo de massagens.

COMO CHEGAR TÍVOLI ECORESORT _(71) 3676-4000 Avenida do Farol, s/n., Mata de São João www.tivolihotels.com reservas.htpf@tivolihotels.com Do aeroporto Internacional de Salvador, siga pela Estrada do Coco (BA-099) até a Praia do Forte. GPS: 12°34’51.20” S, 38° 0’53.39” O

, março 2012


FÉRIAS NO CARIBE

FOTOS DIVULGAÇÃO

NOTAS ARREDORES

Passar as férias no Caribe é sinônimo de tranquilidade e conforto em meio a belíssimas paisagens. A ADVtour preparou pacotes de viagem para as ilhas com hospedagem em hotéis e resorts de tirar o fôlego. Nas Bahamas, os viajantes poderão mergulhar em águas calmas e cristalinas e observar toda a fauna e a flora marinhas. Viajar para St. Maarten, a “capital gastronômica do Caribe”, também é uma opção para se sentir no paraíso. Oportunidade única para apreciar novos sabores e as 37 exuberantes praias. Quem optar pela viagem para Aruba também vai se surpreender. A ilha tem apenas 30 km de comprimento, mas oferece muito lazer e uma vida noturna agitada. www.advtour.com.br

LUXO E BELAS PAISAGENS

Foi inaugurado no dia 30 de dezembro um novo e luxuoso empreendimento em Ilhabela: o Siquini Parador Beach. O complexo possui ambientes acolhedores e serviços requintados, para reunir gente bonita, glamour e boa música. Tudo isso tendo como fundo a deslumbrante paisagem do litoral norte de São Paulo. O empreendimento reúne serviços de luxo exclusivos como heliponto privado, estacionamento para carros e helicópteros e atracadouro para embarcações. O Siquini Parador Bech conta também com o Spa Sete Voltas, os restaurantes Setai, de gastronomia japonesa, e o Marakuthai, de comida tailandesa. www.siquinibeach.com.br

PARA AMANTES DO VINHO

A revista Wine Enthusiast nomeou o estado da Virgínia, nos Estados Unidos, como um dos dez melhores destinos turísticos do mundo para apreciadores de vinhos em 2012. A região foi reconhecida junto com outras da Itália, Nova Zelândia, Espanha, Hungria, Alemanha, França, Chile e duas áreas da Califórnia. O turismo é um importante gerador de receita para o estado norte-americano. Em 2010 o setor gerou US$ 19 bilhões e criou 204 mil empregos. As vendas dos vinhos da região atingiram um recorde em 2011 com mais de 462 mil garrafas vendidas – um aumento de 11% em relação ao ano anterior. Hoje são mais de 200 vinícolas espalhadas pelo estado.

186

, março 2012


ARREDORES

O MELHOR DAS CIDADES

Nova Iorque por Cristiane Peixoto e Vanessa Fried, editoras do badalado guia NY Local Guides.

ELEVEN MADISON PARK De frente para o charmoso Madison Square Park, é considerado o melhor restaurante do momento. Três estrelas no Guia Michelin e não precisa falar mais nada! Faz parte do grupo de Danny Meyer e tem o talentoso chef Daniel Humm no comando. www.elevenmadisonpark.com

THE MARK Localizado no coração do Upper East Side, o hotel acaba de passar por uma mega reforma. O francês Jacques Grange assina o decór. Ao lado do Central Park, das butiques, cafés e galerias mais chiques de NYC, o espaço ainda conta com o restaurante do chef Jean-Georges, que leva o mesmo nome. www. themarkhotel.com

LADY M Do mesmo dono da antiga loja de departamento Takashimaya, os doces e tortas aqui são tratados como pequenas joias. O mille-feuille é um must! O espaço possui clima de butique, com suas poucas mesinhas disputadas nos finais de semana. Perfeito para combinar com uma ida ao shopping pela sempre elegante Madison Avenue. www.ladymconfections.com

WINSTON’S CHAMPAGNE BAR Champanhe, um luxo necessário! O bar, instalado no Gansevoort Park Avenue Hotel, oferece caviar e outros petiscos elegantes preparados ao som de sucessos dos anos 40. Perfeito para entrar no clima! www.winstonschampagnebar.com

188

, março 2012


O CHARME DOS PIRINEUS

88

Já ouviu falar no Principado de Andorra? Esse pequeno país – o sexto menor da Europa – encravado nos montes Pirineus, espremido entre a França e a Espanha, vem ganhando destaque como um dos destinos mais procurados para a prática de esportes ao ar livre, por suas paisagens idílicas e, se ainda não bastasse, lojas livres de impostos. Para quem deseja dar uma fugidinha do calor do Hemisfério Sul, a TT Operadora preparou um roteiro de quatro dias para conhecer este charmoso país. Aos que buscam contato com a cultura local, museus, igrejas antigas de arquitetura romana e monumentos históricos construídos em pedra cinza estão espalhados por toda parte. www.lufthansacc.com

, março 2012

FOTO DIVULGAÇÃO

NOTAS ARREDORES


ARREDORES

PAÍSES BÁLTICOS

Europa PÉROLAS DA

Consideradas as novas promessas do turismo no continente, Estônia, Letônia e Lituânia reservam lugares espetaculares e uma bem-preservada herança históricocultural do período soviético por Juliana Reis I design Iraisi Gehring

192

, março 2012


Vilna, capital da Lituânia: de tão limpa e organizada, parece uma filial da Escandinávia do outro lado do mar Báltico.

À

portas ao turismo, tentando deixar o passado de opressão para trás. Consideradas as novas promessas do turismo na Europa, as capitais Talim, Riga

vos, existem três pequenos países pouco conhecidos dos brasileiros: Estônia, Letônia e Lituânia. Escondidos durante anos sob o manto da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), tornaram-se independentes em 1991 e, aos poucos, abriram suas

e Vilna são dotadas de excepcional patrimônio histórico, cultural e arquitetônico. Curiosamente, as cidades bálticas ainda proporcionam uma lembrança persistente do período soviético. E merecem ser visitadas.

FOTO DIVULGAÇÃO

s margens do mar Báltico, nas fronteiras da Rússia, Bielorrússia e Polônia, e de frente para os países escandina-

, março 2012

193


PAÍSES BÁLTICOS FOTO DIVULGAÇÃO

ARREDORES

Riga: a mais cosmopolita das capitais bálticas é referência em arquitetura e art nouveau.

Europa entre 1890 e 1910 como essencialmente decorativo e voltado ao design e à arquitetura, influenciou intensamente a capital letã, que contabiliza

uando se chega na capital Riga, sobrevoando condomínios de arquitetura soviética, é difícil acreditar que se está num país inde-

co enormes pontes que atravessam o largo rio Daugava, que fica totalmente congelado durante o inverno. Riga, a maior e mais cosmopolita capital báltica, anda vivendo uma rápida e inquieta fusão entre velho e novo: aos poucos, modernos hotéis e centros comerciais vão se misturando à atmosfera de conto de fadas de Vecri-

cerca de 800 edifícios nesse estilo. Antes que a cidade perca seu status de Patrimônio Mundial da Unesco (sim, a Unesco já deu seu alerta), é preciso lançar-se a uma visita pelas ruas de pedra de Vecriga, explorar a herança soviética e visitar lugares espetaculares como a Catedral de Riga, a maior catedral medieval dos bálticos, com um órgão de 6.768 tubos. Esse curioso cenário fica evidente lá do alto da gótica Igreja de São Pedro. A capital letã tem mais uma surpresa: um diversificado e acessível calendá-

pendente. Mas essa ideia muda quando se utiliza o eficiente serviço de táxi, em inglês, do aeroporto rumo ao centro histórico. O trajeto passa por cin-

ga, centro histórico que data do século 12 e mescla construções medievais e muitos, mas muitos edifícios em art nouveau. O movimento, que surgiu na

rio de festivais de música e arte que durante o ano todo movimenta a Ópera Nacional, os diversos templos religiosos e casas de concerto.

Letônia

Medieval e art nouveau.

Q

ÂMBAR

O ouro Báltico

194

Elas parecem pedras cor de mel e estão em lojas e museus dos três países. São as peças de âmbar, resina fossilizada proveniente de coníferas que se depositava no solo há cerca de 50 milhões de anos. A região báltica abriga a maior quantidade desse tesouro no mundo, em jazidas abaixo do nível do mar. Apelidado de ouro dos bálticos, é recolhido geralmente por dragagem ou mergulho. O âmbar também é um agente de embalsamamento e, portanto, é comum encontrar folhas, conchas e

até insetos inteiros presos no abraço reluzente dessa resina. Quanto mais diferentes forem essas inclusões, que também ajudam a datar a peça, mais alto é o preço. Falsificações são vendidas aos montes e, para identificá-las, uma dica: num copo de água salgada ou de coca-cola, o âmbar boia, enquanto a versão falsa, de plástico, afunda. A mais rica coleção, com 25 mil peças, é mantida no Museu do Âmbar de Palanga, cidade a 300 km de Vilna.

, março 2012


FOTO DIVULGAÇÃO

Estônia

Herança medieval.

Talim: centro salpicado pelas torres pontiagudas de igrejas seculares, vielas tortuosas e uma enorme muralha original.

D

e Riga rumo ao norte, por uma estrada completamente plana, enormes estátuas de Lênin (ainda não retiradas) parecem apontar o caminho para a próxima capital báltica: Talim. Ao longo do trecho, casas coloridas transformavam o cenário meio Leste Europeu em, novamente, algo escandinavo. Com pouco mais de 400 mil habitantes, Talim é o que os europeus chamam de Hansa city, designação para cidades que floresceram sob o domínio da Liga Hanseática (aliança de cidades mercantis que dominou o comércio na costa norte da Europa entre os séculos 13 a 17). Em um passeio pelo centro histórico repleto de construções em pedra, o visitante se depara com atores vestidos em trajes medievais oferecendo visitas guiadas, vendendo artesanato e realizando performances teatrais e musicais. A Praça da Prefeitura (Raekoja plats) tem sido o centro indiscutível desse cenário durante os últimos

, março 2012

oito séculos. Cercada por casas comerciais e cafés aconchegantes, é um ímã natural para os turistas. A autenticidade dessa Hansa City, no entanto, não se perde em meio à intensa exploração turística. Há muito o que ver num centro histórico salpicado pelas torres pontiagudas de 14 igrejas seculares, vielas tortuosas, mirantes, becos, escadarias de pedra e uma enorme muralha original, que fez da Talim medieval um dos burgos mais fortificados do norte da Europa. E como qualquer cidade medieval respeitável, Talim tem a sua quota de passagens subterrâneas, que nunca foram segredo. Mas em 2003, trabalhadores cavando uma base perto do Museu da Ocupação fizeram a redescoberta de uma enorme porção

de túneis esquecidos. Construídos em 1600, serviram também de abrigo durante a Segunda Guerra Mundial, e hoje podem ser visitados. Para fechar o passeio, a Colina Toompea é imperdível. Lá fica um castelo construído em 1229, que abriga a sede do governo da Estônia, e o maior símbolo de poder do czarismo no país, a Catedral Alexander Nevsky. Este é o lugar onde Talim nasceu.

A

TaliM medieval foi um dos burgos mais fortificados do norte da Europa.

195


PAÍSES BÁLTICOS Portão da Aurora, em Vilna: resquício da muralha medieval, de 1552, é um dos tesouros revelados no centro histórico.

barroco, passando pela arquitetura neoclássica e pela renascentista. O alto da colina Gediminas oferece uma boa vista para esse cenário. Pelas ruas de pedra do centro histórico, um ponto que merece menção é o Portal da Aurora (Aušros Vartai), de 1552, único que resta das mu-

Lituânia Paraíso no Báltico.

P

or conta do desmembramento relativamente recente da URSS, a Lituânia poderia ser um lugar antiquado, decadente e desorganizado. Mas o que se vê na capital Vilna é um clima de tranquilidade e requinte absolutos. Casinhas coloridas, verde onipresente e ruas tão limpas que fariam qualquer cidade suíça corar de vergonha. Parece uma filial da Escandinávia do outro lado do mar Báltico. O centro histórico de Vilna cresce ao redor da praça da Catedral Basílica de St. Stanislaus numa profusão de estilos arquitetônicos, desde o gótico até o

ralhas originais da cidade. Apesar dos inegáveis tesouros nas ruelas antigas, vale a pena passar pela República de Uzupio, região declarada independente de Vilna por seus moradores desde 1998. A prefeitura não oficializa, mas tolera a ideia. O bairro lembra um pouco Christiania, a liberal república independente dentro de Copenhague, mas sem as drogas que lá são permitidas. É puro alto-astral dedicado à arte e à boemia, com galerias, espaços alternativos, lojinhas descoladas, gente moderna e uma certa porção de Vilna como ainda era logo após a queda da Cortina de Ferro. Apesar de algumas casas estarem realmente velhas, o charme da região é inegável.

MISTÉRIO A intrigante Colina das Cruzes

A 200 km da capital Vilna, na cidadezinha de Šiauliai, existe um lugar que intriga lituanos e turistas. É uma pequena colina em plena área rural onde se amontoam cerca de 50 mil crucifixos e imagens de Jesus Cristo: a Colina das Cruzes (Kryžių Kalnas). Ninguém sabe ao certo quando esses objetos começaram a ser colocados ali. Alguns argumentam que as primeiras cruzes fincadas remontam à Idade Média. Fala-se em registros de cruzes no lugar a partir de 1831, após uma das várias guerras que o país enfrentou. Outros explicam que tudo começou como manifestação de luto pelos lituanos enviados à Sibéria por Stalin. Durante anos, o lugar seguiu uma rotina de vai e vem: de dia as cruzes eram retiradas pelos soldados russos, mas à noite a população colocava tudo de novo no mesmo local. A URRS desmantelou-se e a colina permaneceu lá. Até hoje.

Colina da Cruzes: no interior da Lituânia, ninguém sabe quem colocou a primeira das milhares de cruzes e nem o motivo.

196

, março 2012

FOTO DIVULGAÇÃO

FOTO DIVULGAÇÃO

ARREDORES


FOTO DIVULGAÇÃO

Parque Grutas: esculturas soviéticas em uma floresta que imita um campo de trabalho forçado.

FOICES, MARTELOS E LÊNINS Após duas décadas do colapso da URSS, Países Bálticos ainda estão repletos de resquícios soviéticos

O

ano de 2011 marcou o 20º aniversário do colapso da URSS. A consequência mais visível desse período de dominação nos países bálticos é a alta porcentagem de russos na população: beira os 25%. Estátuas de Lênin, Stalin e outros objetos soviéticos foram removidos ao longo do tempo, mas é possível que a população báltica nunca realmente consiga – como gostaria – varrer de seu território todos os símbolos da opressão soviética. Não é preciso procurar muito para perceber que algumas foices e martelos ainda estão impressos em prédios, enquanto estátuas resistem de pé. Em Vilna, a Ponte Verde (Žaliasis tiltas), a mais famosa da cidade, é justamente aquela sobre a qual ainda se erguem quatro esculturas representan-

, março 2012

do os bem explorados temas da propaganda socialista da época: a agricultura, a indústria, a paz e a juventude. Tamanha é a beleza das obras, que acabaram poupadas pelos lituanos, embora estejam em estado de descuido. O passado comunista continua vivo de uma forma educativa na cidadezinha de Druskininkai, a 130 km de Vilna. É o Parque Grutas, um museu a céu aberto com 75 imensas esculturas soviéticas em um bosque que imita a paisagem dos gulags, os campos de trabalhos forçados. O lugar foi fundado por V. Malinauskas, um senhor que hoje cultiva, processa e comercializa cogumelos tipicamente lituanos. Em 2001, o “cogumeleiro” saiu-se com a excêntrica ideia de reunir os cacos comunistas abandonados em depósitos do governo

em uma de suas propriedades. Colocou Lênin, Stalin, Marx e outros heróis soviéticos – em poses elegantes, opressivas e orgulhosas – no meio de um bosque de 20 hectares. Caixas de som velhas penduradas nas cercas e nas árvores do parque tocam hinos comunistas, enquanto os visitantes conhecem toda uma parafernália referente à propaganda soviética: livros, bandeiras, jornais, revistas, medalhas, músicas, filmes… um pouco de tudo. Já Riga tem na Academia de Ciências um imponente edifício, meio cópia do Empire State. Para quem olha de perto, é possível identificar foices e martelos ao longo dos 65 metros de altura e 17 andares. Conjuntos habitacionais soviéticos – com jeito de enormes caixas de concreto – podem ser vistos do alto por quem chega no aeroporto da cidade.

t

erritório mantém símbolos da opressão soviética.

197


ARREDORES

PAÍSES BÁLTICOS Em Talim, algumas estrelas e elementos de design socialista ainda permanecem nos prédios do Cinema Sõprus e na antiga Sede da Marinha Soviética. Na rua Pagari, o quartel-general da KGB, onde os inimigos do regime eram interrogados e podiam ser enviados para os campos, é identificado por uma placa em inglês que diz: “Este prédio abrigou a sede do órgão de repressão do poder soviético ocupacional. Aqui começou o caminho de sofrimento para milhares de estonianos.” Para quem quer aprender mais, Talin tem o Museu da Ocupação (Muuseum Okupatsioonide). Recursos audiovisuais, documentários, fotos, bandeiras, medalhas, esculturas... tudo isso conta como a Estônia foi ocupada rapidamente pela Alemanha nazista e, em seguida, por quase 50 anos, pela URSS.

Líderes soviéticos em pedra: menos ameaçadores como estrelas de parque temático.

ONDE FICAR Endereços para se hospedar nas capitais bálticas

VILNA Atrium Hotel _Localizado no coração do centro histórico, tem 29 quartos espaçosos e aconchegantes. Diária a partir de 139 euros/quarto duplo. Rua Pilies, 10, (+370) 5210-7777, www.atrium.lt. RIGA Hotel Neiburgs _Hotel design dentro de um dos mais belos edifícios em art nouveau do centro histórico. Os quartos, com decoração minimalista e moderna, ainda mantém o piso em parquet, que data de 1903. Diária a partir de 144 euros/quarto duplo. Rua Jauniela 25/27, (+371) 6711-5522, www.neiburgs.com.

198

TALIM Merchant´s House Hotel _Fica em uma casa do século 14 transformada em hotel-butique. Diárias a partir de 84 euros/quarto duplo. Rua Dunkri 4/6, (+372) 697-7500, www.merchantshousehotel.com.

TALIM Cinema Sõprus (Kino Sõprus) Rua Vana-Posti, 8 Museu da Ocupação _(+372) 668-0250 Colina Toompea, 8, www.okupatsioon.ee Quartel Geral da KGB _Rua Pagari, 1 Sede da Marinha Soviética Esquina das ruas Suur-Karja e Vana-Posti

O que visitar atrações culturais imperdíveis

RIGA Academia de Ciências _(+371) 67 21 32 13 Rua Akademijas, s/n Catedral de Riga _(+371) 6722-9426, Praça Doma, 1, www.doms.lv Igreja de São Pedro _Skārņu, 19, www.peterbaznica.lv Monumento aos Fuzileiros Letões Praça Strēlnieku

PALANGA Museu do Âmbar _(+370) 4605-1319 Vytauto 17, www.pgm.lt DRUSKININKAI Parque Grutas _(+370) 3135-5511 Grūtas, cidade de Druskininkai, www.grutoparkas.lt VILNA Catedral Basílica de St. Stanislaus_Praça da Catedral Centro histórico

, março 2012


SABORES

PRODUTOS DE TERROIR

Viagem

GUSTATIVA Há pouco mais de três horas de trem de Paris, cinco regiões se destacam no cenário gastronômico francês pela qualidade excepcional de seus produtos e pela beleza das suas paisagens

por Fernanda Peruzzo, de Paris

S

e você é do tipo gourmet, esqueça os guias de turismo. A melhor maneira de pautar as férias é pelos cardápios. Especialmente se o destino for a França, onde as relações sociais se desenrolam em torno da mesa e a cultura está intimamente ligada ao que vai no prato. E quando o assunto é gastronomia francesa, uma única palavra importa: terroir. Esse termo, que qualquer dicionário definirá como “solo”, é na verdade a base de toda a culinária desenvolvida no país. Em seu sentido mais restrito, terroir é a “influência da terra” sobre o sabor e as características de uma bebida ou de um ingrediente. Para um francês, porém, é bem mais do que isso. Trata-se de um conceito que subentende a influência dos fatores climáticos que afetam uma região específica, seja ela uma planície ou o alto de uma montanha, e que oferecem nuances de sabor e aroma únicos associados a uma tradição de plantio e manejo da cultura, e também a uma maneira muito espe

200 200

, março 2012


FOTO DIVULGAÇÃO

Ao lado dos vinhos, os queijos são os produtos de terroir françês par excellence: o salers, de Auvergne, é feito exclusivamente com leite de vacas criadas na região.

cífica de preparar, cozinhar e servir os alimentos. Sim, porque apesar de estar mais comumente relacionado aos vinhos, o uso desse termo se estende também aos ingredientes e às receitas. “Nas cozinhas próprias de cada região ou cidade, os cozinheiros utilizam quase que exclusivamente produtos locais e os trabalham de acordo com métodos culinários que aprenderam com suas mães, avós e ancestrais. É por isso que cada pequena região da França reivindica seus ingredientes e sua própria maneira de cozinhar”, explica o chef de cuisine Marc Thivet, professor da prestigiada escola de culinária Le Cordon Bleu. Os produtos de terroir na França recebem uma marca que atesta sua proveniência e sua condição de patrimônio gastronômico. É a Apelação de Origem Controlada (AOC), instituída no país em 1905, que serve para designar os produtos de regiões específicas, cuja qualidade, sabor e aparência são atribuídos a fatores geográficos, climáticos e humanos. Caso do roquefort, primeiro queijo a obter uma AOC, em 1925, e que só pode ser produzido na região montanhosa dos Pirineus, em torno da cidade de Roquefort-sur-Soulzon. , março 2012

201


SABORES

PRODUTOS DE TERROIR

FOTO DIVULGAÇÃO

A técnica manual utilizada pelos paludiers é o que garante a longevidade dessas salinas, que vem sendo exploradas há mais de mil anos.

O sal de Guérande BÉLGICA LUXEMBURGO ALEMANHA

PARIS

Guérande

FRANÇA

SUIÇA

Lyon ITÁLIA

Toulouse

ESPANHA

N

a costa francesa banhada pelo Atlântico, logo abaixo da Bretanha, a baía do Amor reúne as salinas mais setentrionais da Europa. E também uma das mais antigas. Foram os monges que habitavam a região que traçaram as áreas de extração do sal marinho, em 945, e que continuam inalteradas e ativas até hoje. Essa longevidade se deve à técnica artesanal de extração praticada ali. No caso da colheita da flor de sal, o cuidado é ainda maior. Essa camada superficial que se forma sobre a salina é retirada cuidadosamente, com a ajuda de um rodo específico, quando o tempo está seco.

C

osta francesa reúne uma das mais antigas salinas da Europa.

202

ALÉM DO SALGADO Além do salgado O departamento do Loire-Atlântico reserva outras boas surpresas para o paladar, como a alga salicorne, encontrada nas próprias salinas e utilizada como condimento em cozidos e pratos frios, substituindo os pepinos em conserva. Para quem prefere gastar as calorias ingeridas ao longo da viagem, uma boa pedida é alugar uma bicicleta e seguir até a Vélocéan, uma estrada à beira-mar com 160 quilômetros de extensão exclusiva para os ciclistas, que liga Morbihan a Vendée, passando por Guérande, e a partir da qual é possível conhecer toda a costa, onde se erguem nada menos que 170 igrejas em estilo neogótico, datadas do século 19. Guias com toda a rota são distribuídos gratuitamente nos postos de turismo espalhados pela região.

, março 2012


A nobre mostarda Dijon A capital da Borgonha é também a cidade da mostarda. Amarela, forte e aromática, essa especiaria típica francesa foi catapultada a produto industrial ainda no século 17, quando as primeiras fábricas especializadas na sua produção se instalaram na cidade. Feito a partir dos grãos de mostarda preta e castanha, o condimento leva doses do famoso vinho branco também produzido por ali. Apesar de não contar com um selo AOC para chamar de seu, a mostarda Dijon é um produto atestado com o selo europeu de Indicação Geográfica Protegida (IGP) e entra no preparo de alguns pratos clássicos como o coelho na

cia à família Valois e depois foi sede do parlamento dos estados da Borgonha. Em frente a ele, a praça da Libertação também merece atenção: a área aberta é considerada uma das mais belas praças da França. BÉLGICA

ALÉM DAS LOJAS DEAlém COMIDA das lo

LUXEMBURGO ALEMANHA

Boa parte do centro histórico de Dijon data do século 12. O Palácio dos Duques de Borgonha, que atualmente abriga o Museu de Belas Artes, é uma construção medieval que a partir de 1668 passou a servir como residên-

PARIS

Dijon

FRANÇA

SUIÇA

Lyon ITÁLIA

Toulouse

ESPANHA

FOTO DIVULGAÇÃO

Cidade aristocrática, a região de Dijon reúne um belo conjunto arquitetônico, boas mesas e um dos melhores vinhos do mundo, o borgonha.

mostarda, o filé de porco com mostarda e mel, o molho vinagrete e a maionese. Esta última, aliás, é um dos itens de compra obrigatórios para quem vai à região: produzida com doses do creme amarelo, a maionese de Dijon não lembra em nada as similares nacionais!

, março 2012

203 203


SABORES

PRODUTOS DE TERROIR

Os queijos de Auvergne

BÉLGICA LUXEMBURGO ALEMANHA

PARIS

FRANÇA

SUIÇA

Lyon

Auvergne Toulouse

ESPANHA

ITÁLIA

C

om seu clima chuvoso e geografia acidentada, a região de Auvergne, no centro da França, abriga nada menos que 200 vulcões inativos e cinco variedades de queijo de Apelação de Origem Controlada (AOC): cantal, bleu, salers, saint-nectaire e fourme d’ambert, que se beneficiam desse título exatamente por causa das características que o solo vulcânico, rico em nutrientes, dá à vegetação local que serve de pasto às vacas ali criadas em sistema extensivo. O ambiente, aliO famoso queijo bleu só ganha suas manchas azuis características após um processo de cura de pelo menos quatro semanas em caves úmidas e frescas.

ás, é tão propício ao desenvolvimento dessa espécie que na região existem mais bovinos do que humanos. De acordo com a Associação de Produtores de Queijos de Auvergne, são mais de 1,6 milhão de animais contra 1,3 milhão de habitantes. “Nossa produção se baseia diretamente na alimentação das vacas leiteiras e, para obter cada um desses queijos, respeitamos um número mínimo de dias de pastagem e quantidade de pasto ingerido”, ensina o presidente da associação, Philippe Maquin. “Para a produção do cantal, que tem uma massa macia e mais amarelada, é importante que as vacas consumam 70% de pasto natural”, exemplifica. Já para a obtenção do salers, os produtores utilizam somente o leite ordenhado daquelas que se alimentaram exclusivamente das gramíneas selvagens entre os meses de abril e novembro, período em que a vegetação produz nutrientes específicos que resultam num queijo de sabor fresco e notas de avelã.

FOTO DIVULGAÇÃO

LONGE DAS QUEIJARIAS... Longe das queijarias...

204 204

Você pode aproveitar todo o enxofre e os minerais que enriquecem as águas quentes da região para relaxar e cuidar da beleza em Vichy, uma das mais famosas estações termais da França. A cidade de pouco mais de 20 mil habitantes reúne dezenas de spas e banhos públicos que oferecem as chamadas “curas” pela água. Outro passeio imperdível é visitar Puy-en-Velay, uma cidade tombada como patrimônio mundial pela Unesco, cuja catedral data de 1584 e faz parte da rota francesa do Caminho de Compostela.

, março 2012


C

ertamente a apelação de origem mais conhecida em todo o mundo, os vinhos de Champagne se caracterizam pelas borbulhas, claro, mas também pela combinação de uvas naturais da região: pinot noir, pinot meunier e chardonnay. Ao contrário do restante do país, ali o clima frio faz com que essas uvas adquiram uma coloração mais clara e um sabor mais leve e menos adocicado do que o normal. Outra característica do terroir champenoise é o subsolo rico em calcário e a posição escalonada em que são cultivadas as vinhas para melhor aproveitamento do sol. O processo de fabricação da bebida é um capítulo à parte. A técnica descoberta pelo monge Pierre Perignon, no final do século 17, e aprimorada por padres e vinicultores, combina duas fermentações. A primeira acontece logo após a prensagem das uvas e pode ser realizada em tonéis de metal ou barricas. A segunda, três meses após a bebida ser engarrafada, sendo responsável pela formação da espuma e das bolhas. No passado, o intervalo entre essas duas fases coincidia com a baixa repentina das temperaturas durante os meses de inverno. Hoje, todo o processo é controlado e só após dois anos as garrafas são postas à venda. Antes de etiquetar um rótulo em que se lê champanhe, porém, o produtor deve passar no teste da Comissão Interprofissional do Vinho de Champagne. “Todos os anos, os produtores enviam amostras de todos os seus vinhos para a comissão, que avalia diversos fatores e só então concede o direto à ape-

, março 2012

FOTO DIVULGAÇÃO

O tradicional Champanhe

Cerca de 15 mil produtores de uvas trabalham na região de Champagne para abastecer às 31 casas fabricantes da bebida BÉLGICA

lação. Isso evita que bebidas de má qualidade sejam colocadas no mercado”, comenta o presidente da maison Deutz, Fabrice Rosset.

LUXEMBURGO

Champagne

LONGE DAS TAÇAS Longe das taças. Aproveite a visita às casas produtoras instaladas em Reims (Mumm, Taittinger, Pommery, Veuve Clicquot) para conhecer o conjunto arquitetônico mais interessante da região, distante 150 quilômetros a nordeste de Paris. A catedral, do século 13, é uma obra-prima gótica com elementos modernos: os vitrais de uma das capelas foram criados pelo pintor Marc Chagall, em 1974.

ALEMANHA

PARIS

FRANÇA

SUIÇA

Lyon ITÁLIA

Toulouse

ESPANHA

205


SABORES

PRODUTOS DE TERROIR

Espelette, a pimenta basca frutos maduros e se estende desde agosto até as primeiras geadas, em dezembro. Elas então passam por um processo de maturação que inclui a secagem natural ao sol, por 15 dias, e mais algumas horas de forno, antes de serem moídas e embaladas.

P

imenta basca já tem status de patrimônio gastronômico.

LONGE DAS MONTANHAS Longe das montanhas Montanha abaixo em direção ao litoral, a cidade de Bayonne é outro destino imprescindível para os amantes da escola basca de gastronomia. Ali é produzido um dos mais saborosos presuntos crus da França, o Bayonne. Pouco mais de sete quilômetros à frente, o famoso balneário de Biarritz se abre no horizonte, com seu mar azul, praias lotadas e bares tentadores, um destino badalado desde o tempo de Napoleão III, o mais célebre dos seus veranistas.

FOTO DIVULGAÇÃO

Acredite, o sabor marcante dessa pimenta de coloração vermelho-alaranjada, com aroma frutado e sabor levemente picante justifica a viagem. Principalmente se você considerar que a cidade está localizada em Labourde, em pleno País Basco, região onde atrativos gastronômicos e calor humano não faltam! Recém-agraciada com a AOC, essa pimenta é cultivada numa região montanhosa da província. Os grãos são plantados após uma seleção minuciosa. A colheita, manual e seletiva, retira dos pés apenas os

BÉLGICA LUXEMBURGO ALEMANHA

PARIS

FRANÇA

SUIÇA

Lyon ITÁLIA

Espelette Toulouse ESPANHA

As pimenteiras só podem ser cultivadas em campos abertos, numa região limitada a 10 municípios, respeitando a densidade entre 10 e 30 mil pés por hectare.

206

, março 2012


ANDREA VIEIRA

para poucos! O

FOTO WALTER MORGENTHALER

COLUNA

tema desta edição é “luxo”, que

O caviar almas, que em persa significa

na acepção literal significa requinte, riqueza, extravagância, grandeza. Quando pensamos em luxo na gastronomia, estamos falando de prazer e de sensações. Estas se traduzem na culinária como uma busca por experiências agradáveis que visam à satisfação do paladar, saciando também o emocional. Então vamos começar com os “luxos” que só o dinheiro pode comprar. Os principais representantes das iguarias mais caras e glamorosas do universo gastronômico são as trufas brancas, o caviar almas, o foie gras, o kobe beef e o açafrão. As trufas brancas são um tipo de cogumelo raro, que surge durante apenas alguns meses do ano em poucos lugares da Itália, escondido embaixo da terra. Seu forte cheiro atrai animais como besouros, esquilos, coelhos e veados que competem com os cães e porcos treinados na busca por esta raridade. A cada ano que passa, seu preço aumenta e o número de trufas encontradas diminui. O preço por libra (453,59 g) é de US$ 6 mil ou mais.

diamante, é um caviar beluga com coloração branca. São ovas retiradas de esturjão fêmea albina do mar Cáspio com mais de cem anos. Quanto mais clara é a ova e mais idoso o peixe, mais exótico e único é o sabor. Só é comercializado na Caviar House & Prunier em Londres, onde chega a custar US$ 25 mil o kg. Outro produto extremamente valorizado é o polêmico foie gras, fígado gordo de ganso, pato ou marreco alimentados à força para hipertrofia do órgão. Apreciado desde a época romana, apesar dos boicotes em vários mercados e inúmeros protestos pela sua proibição, ainda reina no universo do luxo, chegando a custar US$ 110/kg. Outro alimento que carrega o manto da nobreza é o kobe beef, carne do gado black wagyu, criado na região de Kobe, no Japão. Dizem que o gado tem a vida que muitos pediram a Deus: massagens com saquê, dieta com cerveja no verão e ambiente calmo e acolhedor. Lendas à parte, a verdade é que a alimentação desse gado é feita com trigo, soja, milho, palha de arroz e feno. E jamais recebem hormônios. Sua carne é marmorizada, intercalada com gordura, que garante uma textura e sabor incomparáveis. Mas, para os poucos privilegiados que moram no Japão, há ainda o matsusaka beef, superior ao Kobe, ambos com preços a partir de US$ 200.

cara das especiarias, cujo preço chega a US$ 3 mil o quilo. Cada flor produz apenas três estigmas, sendo necessárias 70 mil flores para produzir 2,25 kg de estigmas, que depois de secas reduzem-se a 450 gramas de açafrão. Ele é usado para acrescentar cor, aroma e sabor em diversas cozinhas do mundo, principalmente espanhola, indiana e turca. Além desses caros e desejados produtos citados, vários são os alimentos que agregam luxo e requinte aos prazeres da mesa: aspargos, favas de baunilha, ostras, abalones etc. Comecei pelos luxos nem sempre possíveis para finalizar este texto com um paradoxo entre o caro e o barato. Digo barato porque nem sempre é necessário muito dinheiro para obter os meus maiores luxos gastronômicos: ter tempo para comer; cozinhar com os filhos e para os amigos; utilizar ingredientes locais, frescos e orgânicos (nada mal se ainda for em Paris ou Barcelona!!!); usar ingredientes de qualidade, preparados de maneira adequada; descobrir o melhor prato no lugar mais inusitado possível; ter uma horta e pesto fresco todos os dias; e, por fim, comer fruta do pé e tomar suco natural. Isso sim é puro luxo!

nem sempre é necessário muito dinheiro para obter os meus maiores luxos.”

Por último da lista, o açafrão, a mais

Andrea Vieira é chef de cozinha e foi titular da coluna Sabor, do suplemento Viver Bem, da Gazeta do Povo

208

, março 2012


COLUNA

VINHOS

vinhos de luxo por Guilherme Rodrigues

P

ara mim, poucos vinhos sinte-

de aportar um gosto especial e muito es-

São vinhos caros, mas não os mais ca-

tizam mais a ideia de luxo do que um grande champanhe vintage cuvée especial, ou o Château d’Yquem. Aliás, as cuvées especiais das grandes casas produtoras de champanhe, no ápice de sua gama de produtos, são chamados, no jargão do mercado, justamente de cuvées de luxo. Exemplos típicos são o Dom Pérignon, da Moët; o Cristal, da Roederer; o William Deutz, da Deutz; o Sir Winston Churchill, da Pol Roger; um Krug, e assim por diante. Já o Château d’Yquem é o vinho doce mais célebre do planeta, obrigatório em qualquer lista dos cinco melhores do mundo. É um vinho branco de sobremesa de Bordeaux, mais especificamente da região de Sauternes. As uvas, na fase de maturação, são atacadas por um fungo, denominado podridão nobre, que floresce justamente naquele terroir especial. Ataca a casca dos bagos das uvas, tornando-os mais finos e aumentando a evaporação de água. Com isso, concentra o açúcar e os sabores das uvas, além

timulante. No caso do Yquem, as uvas são colhidas manualmente e somente os bagos atacados pelo fungo são levados à adega. Uma colheita demanda diversas passadas dos vindimadores pelo vinhedo até que esteja completa. A vinificação é difícil, pois a fermentação, com o excesso de açúcar dos mostos, necessita de cuidados especiais. Como se vê, há um trabalho imenso e manual associado à sua elaboração, sem falar na condição privilegiadíssima do vinhedo, como se fosse uma joia rara e única. A produção, evidentemente, é limitada. É interessante notar que esses dois exemplos do mais alto luxo são vinhos brancos! Um deles borbulhante e seco; o outro, tranquilo e doce. São padrões de vinhos muitas vezes desdenhados pelas pessoas, que nutrem preconceito contra brancos, doces e borbulhantes. Aliás, os champanhes de luxo também demandam um trabalho imenso para sua elaboração. Devem estagiar pelo menos sete anos nas caves do produtor antes de irem ao mercado, e são feitos apenas com as melhores uvas das melhores safras. Passam pela segunda fermentação em garrafa, e todo o estafante processo da rémuage e estágio nas borras, até o dégorgement.

ros do mundo. O pódio do alto preço é reservado a alguns tintos de safras antigas e especiais, podendo subir à casa das centenas de milhares de dólares uma garrafa. É evidente que um item de preço exorbitante é luxuoso. Porém, não me refiro neste artigo à imagem de luxo associada apenas ao preço estratosférico, mas, sobretudo, à imagem do luxo espontânea, que nasce quando as pessoas estão diante de um objeto que desperta tal noção em todos, imediatamente, sem necessidade de maior conhecimento de causa, informação especial ou verificação da etiqueta do preço. Associo a imagem do luxo a vinhos que sejam de exceção, de altíssima qualidade e cujo consumo aporte imediatamente na ideia de... luxo. Como uma seda muito pura, um estofado de couro de alta qualidade, um grande cashmere. Posso abrir uma garrafa de um tinto muito mais caro e sequer ser notado. Mas se tiver à mesa um champanhe cuvée especial ou um Château d’Yquem, estarei me sentindo ou serei visto como se andando num reluzente Rolls-Royce. Com a vantagem de que os vinhos a que me refiro, apesar de caros, são muitas vezes acessíveis.

há um trabalho imenso e manual associado à sua elaboração, como se fosse uma joia rara e única.”

210

, março 2012


ÍNDICE

215

ACONTECEU 215 Outono - inverno Mixed lança coleção inspirada no universo dos vinhos

COLUNAS 220 Nemécio Müller Social

221 Nadyesda Almeida Social

216 Folia em Foz Alegria e encantamento na tradicional festa de Carnaval do Mabu Thermas & Resort

217 Spa Vip Clientes da Maison Capoani foram presenteados com dias relaxantes no Lapinha Spa

218 Primeiro aninho A festa de aniversário do pequeno Frederico, filho de Christian e Fernanda Bundt

224 Ruy Barrozo Social

218


MIXED

ACONTECEU

Outono - inverno

FOTOS MELISSA ANDREATA

Uma questão de arte, uma questão de estilo, uma questão Mixed 2012!


1

C

om uma coleção inspirada

2

no universo dos vinhos, seus aromas e sabores, Giselda

Ditzel recebeu suas convidadas no Shopping Crystal para apresentar o Outono Inverno da Mixed. Neste lindo inverno, cores chics e únicas! Cortes retos, limpos, muito couro, pele e tecidos nobres! 3

4

5

6

7

8 9

1. Nadyesda Almeida Bonet. 2. Giselda Ditzel e Zorah Dalcanalle. 3. Michelly Salles. 4. Luciane Beira. 5. Larissa Marques de Macedo. 6. Andrea e Carolina Khury. 7. Daniela Brum. 8. Mariana Brofmann. 9. Mônica Stramare Pereira. , março 2012

215


ACONTECEU

CARNAVAL DO MABU

Folia em Foz

P

ara quem passou o feriado de Carnaval no

FOTOS DIVULGAÇÃO

A alegria e o encantamento marcaram presença na tradicional festa de Carnaval do Mabu Thermas & Resort 1

Mabu Thermas & Resort, localizado em Foz do Iguaçu, durante os dias de folia os hóspedes

puderam participar de jantares temáticos, shows e de um grandioso baile com a banda The Champ, que trouxe um diversificado repertório com marchinhas e também músicas de sucesso nas rádios. Para as crianças, o Carnaval no resort reservou apresentações circenses, matinê, concurso de fantasias e também uma programação inspirada no Sítio do Picapau Amarelo. Toda a estrutura de lazer foi adaptada para lembrar a história escrita por Monteiro Lobato, sendo que os personagens Emília e Saci estiveram no hotel para interagir e brincar com os pequenos. 2

3

4

5

216

1. Cristina Gomide e o DJ Nizo Gomide. 2.Gabriel Abujamra (à esquerda) ao lado dos pais Astrid Abujamra e do presidente do conselho de administração do Grupo Mabu, José Maria Abujamra. 3. O prefeito de Cruzeiro do Oeste, Valter Pereira da Rocha, com a esposa Dulcineia Rocha. 4.Os personagens Emília e Saci. 5. A publisher Cintia Peixoto, a diretora-geral da Rede Mabu Hotéis & Resorts, Márcia Abujamra, e a presidente do IPCC (Instituto Pró-Cidadania de Curitiba), Helena Oliveira. , março 2012


CAPOANI

ACONTECEU

Spa VIP

O

s clientes da Capoani

FOTOS DIVULGAÇÃO

Clientes da Maison Capoani foram presenteados com dias relaxantes no Lapinha Spa

1

participaram do concurso cultural

que

premiou

os ganhadores com estadas no Lapinha Spa. A melhor resposta da pergunta “Por que você mereceria relaxar no Melhor Spa Médico do Brasil?” ganhou uma semana no Lapinha Spa e mais 3 vencedores de cada loja foram contemplados com um fim de semana privilegiado. 2

3

4

, março 2012

1. Sueli Capoani e Fernando Capoani com a vencedora do primeiro lugar, Leila Telles. 2. Simone Wielewski, vencedora da Maison Capoani. 3. Rodrigo Rodrigues, vencedor da Capoani do Shopping Crystal, a gerente Tatiane Galhardo e Fernando Moreira de Castilho. 4. Aristides Prado, vencedor do ParkShoppingBarigui.

217


ACONTECEU

ANIVERSÁRIO

Primeiro aninho

O

pequeno Frederico, filho de Christian e Fernanda

FOTOS DIVULGAÇÃO

Frederico Petter Bundt comemorou seu primeiro aniversário na companhia de amigos e familiares 1

Bundt, comemorou o seu primeiro aninho em uma animada festa no dia 11 de fevereiro, na cidade

de Castro (PR). Cerca de 120 convidados – entre amigos e familiares – estiveram presentes no aniversário realizado no buffet infantil Bambagito. Com o tema “Fazenda”, todos se divertiram em meio ao colorido e aos bichinhos que decoraram essa linda festa. 2

3

4

218

5

1. O aniversariante. 2. Christian Bundt (pai), Frederico, Fernanda Petter Bundt (mãe) e Aneliz. 3. Aneliz Petter, Frederico e Mariana Baldissera. 4. Adelaide Zan, Fernanda, Frederico, Ana Maria Petter (avó) e Ana Priscila. 5. Frederico e Bruno Mocroski.

, março 2012


COLUNA

Nemécio Müller

220

1

2

3

4

7

5

6

8

FOTO FERNANDO DIAS

1. O último dia 2 de fevereiro foi marcado pela solenidade de posse da Juíza de Direito Denise Krüger Pereira no cargo de Desembargador da Corte do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, na Sala Desembargador Clotário Portugal, seguido de elegante recepção na esplanada do mesmo edifício. 2. Da nova geração de empresárias (leia-se M.E. Movelaria) as irmãs Marieli e Erika Meger Rondeau Araujo marcaram presença na festa multicolorida da Chandon. 3. Da geração dos casais jovens em ascensão Liège e Dionísio Serena Junior flagrados durante comemoração de cerimônia religiosa. 4. Em recente happy hour o encontro das amigas Leila Terezinha Betim, Vera Lucia Ribeiro Nóbrega e Luiza Bernardi. 5. A pequena Rafaela Yume Hara ladeada pelos seus pais Debora Cristina e Carlos Kazuhiko Hara, ela recebeu centenas de amiguinhos na temporada para comemorar a idade nova. 6. O casal de amigos Nara e Flavio Sartori receberam na saison petit groupe para a inauguração de mais uma ala nova da Maison (a suíte máster). Seguido de jantar a base de frutos do mar e muito champanhe até o nascer do sol. 7. A top model internacional Juliana Imai, uma das modelos brasileiras mais requisitadas da atualidade, visitou a Nutrilatina, e foi recebida pelo Presidente CEO Idemar Froldi Júnior. 8. Em ritmo de festividade surpresa, filhos, netos, parentes e amigos reuniram-se para comemorar o marco de 83 anos da estimada amiga Felicia Umata a base de sushi, sashimi e muito saquê.

FOTOS DIVULGAÇÃO

Entre um happy hour, um dinner, um níver, entre outras ferramentas que movem a sociedade, vamos conferir

, março 2012


NADYESDA ALMEIDA COLUNA

De bem com a vida O economista José Maria Mauad Abujamra tem na alma o espírito empreendedor. Presidente do Grupo Mabu, sabe dividir seu tempo com maestria entre as atividades do trabalho, a família e o golfe

Uma mala difícil de carregar: Pessoas que não acreditam nelas mesmas. Um hóspede inesquecível: Tonny Bennet, que deu um show particular no Mabu, encantando não

Check-in para: Civilização tolteca e seus quatro acordos: cuide muito da sua palavra, não leve nada para o lado pessoal, não tire conclusões precipitadas e dê o melhor de si.

Quando e onde você será turista nas próximas férias? Maio. Istambul (Turquia) e Shenzhen (China) para visitar meus primos e sobrinhos.

só os hóspedes, mas todos os colaboradores com seu carinho e carisma. O que acontece em Vegas fica em Vegas? Não, fica na consciência.

Check-out para: Falta de indignação do povo brasileiro.

, março 2012

FOTO WILSON RUANIS

Para receber bem é necessário: Amar pessoas. O que te surpreende: Os sentimentos que as Cataratas do Iguaçu me despertam, sempre. Seu desafio hoje é: Consolidar a diversificação do Grupo Mabu nas áreas de energia, agronegócios e empreendimentos imobiliários. Ingredientes indispensáveis para grande temporada: Paz de espírito, saúde, alegria, família, amigos, tempo bom e golfe. A paisagem mais deslumbrante: O céu, em todos os momentos, em todos os lugares. Existe segredo profissional? Apaixonar-se pelos seus objetivos. A melhor data comemorativa do ano: Natal e Revéillon; família e amigos. A forma mais fácil de despertar um sorriso: Sorrindo. Um dia que ficou gravado na sua memória: O nascimento dos meus filhos Alice e Gabriel.

221


NADYESDA ALMEIDA 2

3

FOTO MELISSA ANDREATTA

FOTO CARLOS CRISTÓFOLLI

1

FOTO KRAW PENAS

COLUNA

4

FOTO FRED PONTES

5

6

222

ULTRAPASSANDO FRONTEIRAS 1. A escritora paranaense Edeni Mendes da Rocha, autora do livro Tempestade – A Última Chance, está radiante. Seu livro está sendo comercializado no Varal do Brasil, livraria brasileira instalada em Genebra, na Suíça. ARARAS 2. A franqueada da Mixed Giselda Ditzel com a arquiteta Mariana Brofman no lançamento da Coleção Inverno 2012, realizado em sua loja no Shopping Crystal. CIRCUITO DA MODA 3. Giovanni Frasson, Reinaldo Bessa, Donata Meirelles e Marcus Contin. O encontro foi no lançamento da edição especial da revista Vogue Brasil na Bazaar Fashion.

PICK-UP 4. A DJ Bibba Pacheco esbanjou beleza e simpatia durante sua apresentação no Festival de Verão 2012 em Salvador. A paranaense foi destaque na Tenda Eletrônica durante o festival de música. BRINDE 5. Gisele Busmayer reuniu grupo de convidados em coquetel na Artefacto para celebrar sua participação na Mostra Artefacto 2012 e seu aniversário. Na foto, Jordana Fraga, Ingrid Moskalewsky, José Luis Nucete e Gisele Busmayer. PASSARELA 6. O estilista Jefferson Kulig recebeu os cumprimentos da atriz Giselle Itiè após o desfile de sua coleção, na São Paulo Fashion Week.

, março 2012


7

FAZENDO ARTE 7. O artista plástico Celso Coppio reiniciou as atividades em sua Galeria e Escola de Arte, com o Curso Livre de Pintura e com a Galerinha de Arte – aulas de pintura para o público infantil, a partir dos 6 anos de idade

NIVER 8. O publicitário José Dionísio Rodrigues, diretor da OpusMúltipla, recebe os cumprimentos por seu aniversário, dia 19 de março.

8


COLUNA

1

2

F

lavia Pacheco reuniu a família e amigos para comemorar a graduação em Direito pela Universidade Federal do

Paraná em duas etapas. No dia 8 de fevereiro, ofereceu um coquetel para os íntimos na casa dos pais, Sheyla Pacheco de Souza e Fabio de Souza Neto. Já no dia 9, foi a vez de uma movimentada festa para cerca de 180 3

convidados no salão de festas do prédio onde mora, no Cabral. Aprovada no exame da OAB antes mesmo da colação de grau no Teatro Guaíra, Flavia teve como orientador da monografia de conclusão de curso o Professor Doutor Luiz Edson Fachin. É o segundo diploma dela, que também é formada em Ciências da Computação pela UFPR, com mestrado em Administração na Espanha. Flavia atua na área de Direito Societário pelo escritório Vernalha, Guimarães & Pereira. A partir deste mês vai cursar especialização em “Estratégias Societárias, Planejamento Tributá-

4

rio e Sucessório” na FGV Law em São Paulo. 1. Andresa Malucelli, Flavia Pacheco e Bernardo Abrão. 2. Fabio de Souza Neto, Flavia Pacheco e Sheyla Pacheco de Souza. 3. Bernardo Quintão, Leonardo Orth, Renata Fernandes, Victor Hugo Marangoni, Flavia Pacheco, Claudio Vernalha, Mariana Klimovica Vernalha Guimarães & Pereira. 4. Klaus e Ana Janzen, Flavia Pacheco, Cândida e Henrique Almeida.

FOTOS ANTÔNIO MORE

Ruy Barrozo


FOTOS DIVULGAÇÃO

6

5

7

R

8

icardo Affonso Gutierrez Alves de Camargo, filho de Marco Affonso e Luciana (Gutierrez) Alves de Camargo, comemorou sua formatura

no curso de Direito da UFPR com movimentada balada, com direito a DJ Apple, na agradável residência de seus pais, no Jardim Schaffer, com buffet assinado pelo Restaurante Txapela, especializado em comida

9

10

típica basca, que preparou deliciosos tapas e a tradicional sangria espanhola. A mesa de doces foi assinada por Bárbara Trevisani. A festa entrou madrugada adentro, só terminando ao nascer do sol, com direito a banho de piscina. 5. Carolina Olsen Garofani, Ricardo, Camila Braga Maia, Rafaela Mussi e Jopa Pinheiro Machado. 6. Marco Affonso Alves de Camargo, Ricardo, Eduardo Talamini (Prof. de Direito Processual Civil da UFPR, e orientador do Ricardo – sócio do escritório Justen, Pereira, Oliveira e Talamini Advogados Associados) e Danielle Coutinho Talamini. 7. Carolina e Larissa Gutierrez, Luca Botarellio, Rafael Cazzetta e Alexandre Gutierrez. 8. Felipe Almeida, Cláudio Rotunno, Rafaela Buffara, Felipe

11

Camargo e Bruno Reis. 9. Karminy Mezzomo, Lelo Pissetti e Ricardo. 10. Miguel Godoy, Stephanie Uille, Ricardo, Guilherme Kloss Neto e Renata Ross Kloss. 11. Camila Braga Maia, Karminy Mezzomo, Jopa Pinheiro Machado e Manuela Braga Maia. , março 2012

225


LUÍS HENRIQUE PELLANDA

Um beijo de deus D

FOTO MATHEUS DIAS

CRÔNICA

izem que foi meu xará francês

em bolhas de champanhe, sessões de

em Sabrina, quis dizer quando a chamou

de número 14 quem inventou o conceito de luxo. Desde então, de sapatos a automóveis, de sabonetes a cortesãs, muita coisa floresceu à sombra das plumas desse avestruz — até mesmo o amor, artigo de primeira que, ao contrário do que apregoam os desiludidos por aí, também se pode comprar. À vista, saliente-se. Não se deve financiá-lo sequer a curto prazo: os juros não compensam, e os ventos costumam embirutar. Mudam de ideia e direção, dobram esquinas, escalam torres, pulam cercas. Há até quem sustente que o investimento amoroso, pelo alto risco que envolve, sirva somente aos muito ricos e aos pouco lúcidos, que nada têm a perder. Jogo de playboy, capricho de maluco, passatempo de indolentes. Não sei, pode ser. Mas acho que o amor só convém aos que nada têm a ganhar. Não sou da área do glamour, não acompanho o vaivém do mercado financeiro nem as últimas descobertas da psiquiatria; quando ouço falar em luxo, loucura e riqueza, jamais penso

eletrochoque ou diamantes num cofre. Penso, acreditem, é no bronzeado do inesquecível José da Silva Pereira. Como? Não lembram dele? Tudo bem, o nome é comum, não é todo mundo que o liga imediatamente à sua magnífica pessoa. Vou refrescar: fazendeiro galã, milionário, elegante, culto e muito bem relacionado, tinha tudo para ser presidente do Brasil. Bem, pelo menos era nisso que apostava a sua amante, Holly Golightly, nossa mais linda pretendente ao cargo de primeira-dama. Coitada: investiu certo, só que deu azar e quebrou a cara. Que outra escolha ela tinha? Já vi Bonequinha de Luxo uma meia dúzia de vezes e nunca deixei de torcer contra o meloso Paul Varjak, o escritor almofadinha, depilado a cera quente. Meu Deus, como defendê-lo? Não por acaso, Varjak era a segunda opção da personagem de Audrey Hepburn, que só o aceitou — com severa relutância — depois de largada por Pereira e, notem, irremediavelmente despirocada. Aliás, Audrey também estava ali de estepe: Marilyn Monroe seria a titular do filme, mas recusou o papel. E agora podem preparar as vaias: confesso que prefiro a loura. Mas compreendo o que Billy Wilder, que dirigiu Hepburn

de “a dama sem baixo-ventre”. Ela era alguém a quem se podia amar antes mesmo de desejar. Parece bobagem? Pois para um homem, essa criatura peluda, mimada e superficial que as mulheres não se cansam de aturar, isso de amar certamente é um luxo. Numa conversa com Charlotte Chandler, Wilder até se declarou apaixonado por Audrey: “E quem não a amava? Deus lhe deu um beijo na bochecha”. Ok, mesmo um ateu será capaz de compreender e apreciar essa imagem incrível. Mas somente um santo poderá relevar a seguinte dúvida: onde Deus terá beijado Marilyn? Bem, o ideal, para mim, é optar pela frugalidade. Se Holly Golightly fosse Marilyn, não usaria scarpins nem tubinhos pretos, mas é bem possível que nosso galante José da Silva Pereira não tivesse se acovardado tanto ao final da fita. Não, ele não a largaria, de jeito nenhum. Voaria com ela até o Rio, subiria com ela ao altar e, sob as bênçãos do Senhor, beijaria a noiva onde bem quisesse para, logo depois, ao lado da vulgaríssima esposa, mergulhar de cabeça na democrática disputa pela sucessão de Jango. Ah, eu teria votado no Zé. E Deus, na sua simplicidade, teria beijado o Brasil.

Mas somente um santo poderá relevar a seguinte dúvida: onde Deus terá beijado Marilyn?”

Luís Henrique Pellanda é escritor e jornalista. luispellanda@gmail.com Twitter: @lhpellanda

226

, março 2012



Revista TopVIew #137