Issuu on Google+

política

Mais uma rádio A empresa Diamantina Rádio e Televisão Ltda., liderada ada por Diogo Medrado, filho do deputado federal Marcos Medrado (PDT), assumiu ontem a operação da rádio Cultura AM. A família agora controla duas rádios em Valença e duas em Salvador. or.

politica@jornaldametropole.com.br

MANUELA CAVADAS

Contra o rebaixamento Suplentes que ocupam cadeiras baianas na Câmara Federal estão ameaçados, mas ainda negam reforma

Texto Victor Pinto

redacao@jornaldametropole.com.br

COMO NUMA final de campeonato, a arrumação das vagas dos deputados baianos na Câmara Federal está complicada. A briga dos que assumiram as vagas dos titulares e querem distância dos suplentes é semelhante à dos times que fogem do rebaixamento. Funciona assim: os candidatos da coligação que não tiveram os

votos necessários para a eleição se tornam suplentes ou reservas. Quando as cadeiras ficam vagas, os primeiros da lista fazem a substituição. Hoje, cinco baianos legislam graças a licenças dos eleitos que receberam cargos nos governos estadual e federal. Acelino Popó (PRB), Emiliano José (PT), Sérgio Carneiro (PT), Joseph Bandeira (PT) e Zé Carlos da Pes-

ca (PP) desfrutam (principalmente os dois primeiros) do parlamento no lugar de Mário Negromonte (PP), ministro das Cidades; Afonso Florence (PT), ministro do Desenvolvimento Agrário; Zezéu Ribeiro

Possível saída de Negromonte e Florence muda cenário baiano

(PT), secretário do Planejamento da Bahia; João Leão (PP), secretário da Casa Civil da Prefeitura de Salvador, e Rui Costa (PT), convocado recentemente pelo governador Jaques Wagner (PT) para chefiar a Casa Civil. Tudo indica que Negromonte e Florence perderão seus ministérios na reforma programada para o início do ano pela presidente Dilma Rousseff (PT).

Além disso, João Leão pode deixar a Casa Civil municipal para tentar a Prefeitura de Salvador. Se tudo for confirmado, os três últimos suplentes a assumirem – Carneiro, Bandeira e Zé da Pesca – perderão o mandato. Resta saber como os partidos da coligação Pra Bahia Seguir Mudando (PRB/PP/PDT/PT/ PHS/PSB/PCdoB) mostrarão seu ‘futebol’ para atender a interesses locais e nacionais. ALAN MARQUES/FOLHAPRESS

12

Salvador, 27 de janeiro de 2012


TCM X João Henrique

Representação do MinC

O prefeito João Henrique perdeu o prazo para contestar o Parecer Prévio nº 955/11 emitido pelo TCM. Por isso, serão mantidos a multa de R$ 33.823 e o ressarcimento de R$ 549.480,30 referentes ao exercício de 2010.

O Ministério da Cultura inaugurou oficialmente sua Representação Regional na Bahia. A sede fica no bairro do Pelourinho, mas as competências inerentes ao órgão já vinham sendo desempenhadas desde janeiro de 2011.

política politica@jornaldametropole.com.br

Despreocupado Relator do novo Código de Processo Civil e titular da comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal, o deputado Sérgio Carneiro, terceiro suplente da coligação, diz não temer a perda do mandato e chama as substituições dos ministros baianos de especulações da imprensa. “Estamos em meados de janeiro, e a reforma noticiada não aconteceu.” Carneiro afirma que, se vier a

perder o mandato, voltará ao exercício da advocacia. Questionado sobre uma possível manobra eleitoral do governador para conservá-lo na Câmara em troca da candidatura de Zé Neto (PT) à Prefeitura de Feira de Santana, foi enfático. “Não houve negociação. Eu e Wagner somos grandes amigos, conversamos sobre vários assuntos, mas não tocamos em negociações da vaga.”

MANUELA CAVADAS

boca-quente MANUELA CAVADAS

Liderança O deputado ACM Neto se articula nos bastidores para permanecer líder do DEM na Câmara. Basta convencer o colega Pauderney Avelino (AM), que também quer o posto. Neto tem dito que defende o consenso.

Sérgio Carneiro (PT) nega a reforma

MANUELA CAVADAS

Aliado nos planos nacional e estadual, o PP vai fazer oposição ao PT em Camaçari, uma das cidades mais importantes do estado. O deputado estadual Mário Negromonte Jr. até desfilou ao lado do DEM, PSDB e PTN na última Lavagem de Guarajuba.

“Não tenho receio algum” Penúltimo suplente da coligação, o deputado Joseph Bandeira (PT) está no mesmo caminho dos colegas. Assumiu a vaga do secretário da Casa Civil de Salvador, João Leão, praticamente por um milagre, mas tenta mostrar que não se importa com isso. “Não tenho receio algum.” Ao lado de Carneiro, Bandeira tenta jogar para debaixo do tapete a tão discutida reforma ministerial lançando mão do antigo e cansativo mito da baianidade. “Não creio que haverá a saída dos ministros baianos. A Bahia é a Bahia!”

IVAN CRUZ/AGÊNCIA A TARDE

Mandato vapt-vupt O quinto suplente da coligação, Zé da Pesca (PP), obteve 55.350 votos nas últimas eleições. Em 2010, quis tomar o mandato de Popó dizendo que a vaga de Mário Negromonte seria do partido, e não da coligação. O imbróglio bateu no Supremo Tribunal Federal (STF), mas a justiça sequer acolheu o processo. Salvador, 27 de janeiro de 2012

De olho

Pepino

Tem suplente de deputado de olho nas eleições de 2012, apostando numa chance de voltar à Assembleia. É o caso de Carlos Gaban (DEM), que torce pela vitória de Rogério Andrade (PSD) em Santo Antônio de Jesus. Andrade foi eleito pelo DEM.

Assim, Carlos Brasileiro - o da festança no Espaço Unique - reassume como deputado estadual, mandando o suplente Joacy Dourado (PT) para Irecê. Mas Dourado condiciona o apoio à reeleição do petista Zé das Virgens no município a continuar deputado.

Retorno Joseph Bandeira (PT) ocupa a vaga de João Leão (PP) na Câmara Federal

Com a saída de Rui Costa para o governo do Estado, Zé da Pesca assumiu, finalmente, em Brasília, a

Zé da Pesca admite passagem meteórica pelo legislativo

cadeira de deputado em 6/1, e reconhece que o seu mandato será simbólico. “Minha passagem será rápida, pois alguns parlamentares licenciados poderão voltar a seus postos, como João Leão. Mas eu estou feliz. Neste pouco tempo de permanência eu levantarei a bandeira dos pescadores artesanais”, disse, já querendo mostrar serviço.

Oposição

MANUELA CAVADAS

O deputado federal Valmir Assunção (PT) pode voltar à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedes). Ele foi titular da pasta no primeiro mandato e deve reassumir após a saída de Carlos Brasileiro, pré-candidato a prefeito de Senhor do Bonfim.

Insegurança

Fazendo a conta

O município de Candeal é o retrato da falta de investimento em segurança pública por parte do governo do estado. A população lá só conta com a segurança de dois agentes da Polícia Civil e um PM. Ah, e as duas viaturas estão quebradas.  

Ao todo, 17 dos 63 deputados estaduais são candidatos a prefeito este ano. Ou seja, o resultado das eleições municipais pode mudar bastante as “caras” da Assembleia, apesar de manter a maioria folgada do governador Jaques Wagner (PT). 13


Jornal da Metrópole - 27.01.2012